Posts Tagged ‘Abiogênese’

Pesquisadores Descobrem de Onde Veio o Penis na Terra, Mas a Matrix/DNA de Onde Ele Veio do Céu

sexta-feira, dezembro 5th, 2014

xxxx

Mystery solved: Where the penis comes from

http://news.sciencemag.org/biology/2014/11/mystery-solved-where-penis-comes

Tiny buds where legs should be if snakes had legs are the beginning of this snake embryo's paired penises.

Tiny buds where legs should be if snakes had legs are the beginning of this snake embryo’s paired penises.

 

E meus comentarios postados no News Science:

 

Avatar

While you ask: “Exactly how does the penis form?”, we, at Matrix/DNA Theory ask: “What have formed the penis? How and where Nature got the idea for making penis?! Which were the forces, mechanisms and elements, from the non-living word, used by Nature to make penisis?

The answer is in the Matrix/DNA universal formula for natural systems. Biological penis is evolution from giant volcanoes formed at old planets’ surfaces. These volcanoes expels magma from nuclear reactions to the space in shape of comets, which were the ancestors of spermatozoids. Comets carry on inside the bits-information from the astro, which were the ancestors of chromosome Y. Comets are driven by spiral magnetic lines towards the “white hole” at the center of the building block of astronomical systems, which performs the female function of vaginas. These “vaginas” are surrounded by a beautiful and luminous “quasar” ( which are the ancestors of women, flowers, everything that can attract the male chromosome). See at Matrix/DNA website the diagram picturing how X and Y are formed at astronomical dimensions.

Am I wrong? Yes… this extraordinary engineering of sexual reproduction was invented first time by the stupid matter of this lost planet… is it right?  Or you have seen a magical god creating it from nothing? I am telling you: biological evolution is merely a continuous process from cosmological evolution. Everything Nature did here – included pehisis and vaginas – has its simplest ancestor shapes in the sky. But… who or what did the sky… I have no idea…

“Tiny buds where legs should be if snakes had legs are the beginning of this snake embryo’s paired penises.”

This is wrong! The shape of Snakes are copies of the spherical circuit of the universal natural formula for any systems, and the tiny buds are just at the location where works the function that built the male counterpart of its reproduction. Legs are a thing developed later by biological systems from the original structure called flagella and cilia.

“Now that they understand the penis’s origin…”

Here is a big problem prejudicing the human reasoning and going far away of the beam. There are no “origins” of anything, no origins of life, no origins of universes. Everything is product of transformation from something less complex, a slow and gradual process coming since the Big Bang. We never should use this word “origin” because it is the cause producing mystic and magical thought. If there were origins of something, it should meaning that something emerged at the long flow of causes and effects coming outside this flow, by supernatural forces, even that this “supernatural” is believed to be absolute randomness. This word and the concepts behind this word is a science-stopper: these researches never will do what we are doing at matrix/DNA world view: searching the deep roots of “penis” evolution till finding its first manifestations at the Big Bang. There was a kind of program running inside snakes, lizards, that drove the development of penis and clitoris and this program is coming from cosmological evolution as our models shows it.

“They pinpointed the cells destined to become the penis, but those cells differed depending on the species studied…”

Big confusion here. Snakes, birds, lizards are “natural systems”. And natural systems are built by a universal template, a kind of formula. This formula have seven different systemic functions, which models matter building its material tool, used by the function to perform its systemic job. This formula is encrypted at any lateral-pair of nucleotides, the fundamental unit of information of the DNA. Natural closed systems have the bias to be spherical with planned surfaces, but opened systems needs to create extensions from the planned surface for interacting with the external world. Then, this is the job of Function number 4 ( see the formula at Matrix/DNA website) and it will build the right extension for the right needs of the new system. The needs can be tails, legs, hair, or penisis, which will determinate the specific specialization of the cells located at that region. But, the immediate ancestor of all biological systems did not need legs, tails or wings, it had only the ancestor for penisis, because the ancestor was self-replicating. So, the natural bias of these cells is to build penisis, clitoris. While legs, tails, came later modelled by the interactions at the new terrestrial environment.

Bacterias Formam Caravanas e Constroem Cidades, e a Matrix/DNA Descobre no Mundo Quantico de Onde vem estas Habilidades Bacterianas!

quinta-feira, dezembro 4th, 2014

Baseado no artigo:

Should I Stay Or Should I Go

http://biologicalexceptions.blogspot.com/2014/09/should-i-stay-or-should-i-go.html

( Nota ao autor da Matrix/DNA, ou seja, de mim para mim: voltar a ler este artigo por completo esmiuçando cada detalhe)

Um grande problema que cedo ou tarde ataca a maioria dos humanos e teremos que resolver é a chamada “virulência pathogeneses”. Um dos mais grosseiros exemplos é o “pus” que se forma nas feridas e pode se alastrar por todo o corpo. Um brilhante estudo publicado no artigo com link abaixo revela como as bactérias usam seus flagelos para moverem-se nadando nos líquidos dos corpos ou para se conectarem em grupos formando “cidades bacterianas”, de onde resulta a virulência. Mas como sempre, os humanos teimam em continuar se espraiando nas superfícies dos problemas, sem realizarem o sacrifício de mergulhar mais fundo para resolvê-los de uma vez por todas.  Apenas eu com a minha Matrix/DNA estamos realizando estes mergulhos onde humano algum jamais foi, porem, o fantástico do que estamos vendo torna nossas narrativas sem efeito, pois ninguem as entende. Veja este assunto como um exemplo.

Bactérias nada mais são que um amontoado de átomos organizados de uma peculiar maneira. Elas não possuem quaisquer dos nossos sensores cerebrais, nem mesmo um sistema nervoso difuso, portanto elas nada sabem dos objetos do mundo ao redor. No entanto elas fazem coisas que parecem vir da inteligencia. Suas “cidades”, conhecidas como biofilmes, possuem canais, viadutos, tuneis, existe divisão do trabalho, etc. Como isto foi possivel?!

Bactérias surgiram com flagelos, e eles os usam para nadar, individualmente, claro. Porem, em certo momento, elas se aproximam umas das outras, abraçam-se ou dão-se as mãos – com seus flagelos – e passam a nadarem juntas! Assim vão mais rapido porque cada uma colabora com uma parcela de força e a força total obtida pelo grupo retorna sobre cada uma acelerando-a, empurrando-a, e protegendo-a contra ataque de predadores. É como aquelas caravanas do velho oeste americano: se um individuo tentasse atravessar o deserto sózinho demoraria meses, tendo que parar todas as noites para dormir, etc., mas provavelmente não o faria porque indios ou ursos o matariam. Unidos em caravanas a viagem tornava-se muito mais rapida e seu numero os defendia dos ataques. Mas humanos o fazem porque tem inteligencia e bactérias nem sequer possuem olhos para ver suas semelhantes. Então de onde veio as habilidades exibidas pelas bactérias?!

Os cientistas de hoje não se fazem sequer estas perguntas, mas se não as fizermos e obtermos respostas, nunca vamos conhecer e entender o grande quadro, e com isso vamos continuar botando remendos em roupa velha, continuaremos buscando como combater os efeitos da virulencia sem buscar eliminar as causas da virulencia. Apenas eu ( e desafio alguem que a me mostrar quem mais fez isto alguma vez na História da Humanidade ou que esteja fazendo esta investigação hoje, pois eu nunca vi e não conheço) estou descendo o mais profundo no solo até as pontas das raizes para tentar enxergar a doença de uma arvore enquanto a maioria fica acima do solo podando os galhos doentes, eternamente.

Há bilhões de anos atrás, desde as origens do Universo, havia elementos que se moviam, ora individualmente na forma de ondas, ora unindo-se em suas formas de ondas numa só onda que imediatamente se tornava uma partícula materializada. Bacterias movendo-se individualmente na corrente sanguínea são praticamente invisíveis, mas quando se unem num grupo coeso e entrelaçado de repente são vistar como “pus” ou um caroço. Tudo igual a bilhões de anos atras quando a vida bacteriana nem sonhava existir. Mera coincidência? Ora, bactérias são o estado evolutivo atual daqueles elementos de outrora. Ninguem se surpreende quando um bebê recém-nascido chora revelando que está com fome se “parece” com quando seus pais adultos reclamavam quando estavam com fome, mas ninguem quer aceitar que bactérias já nascem com as tendencias e comportamentos iguais de seus ancestrais.

Aconselho a lerem o artigo que é muito instrutivo e interessante e necessário para ampliar nossa inteligencia saudavelmente ( a qual depende do maior conhecimento real dos fenômenos naturais e transformação destes fenômenos externos em imagens e informações mentais),  e ver os meus comentários ali postados nessa causa perdida e longa batalha de tentar fazer com que estes indivíduos se despertem e resolvam eliminar nossos problemas de uma vez por todas.

Should I Stay Or Should I Go

http://biologicalexceptions.blogspot.com/2014/09/should-i-stay-or-should-i-go.html

This is a false color image showing the branching of a bacteria colony in a swarm. Dr. Eshel Ben-Jacob from Tel Aviv University produces these images as science and art. See many of his images at this site.

 

E meus comentarios postados no artigo:

Louis Charles Morelli

You have not mentioned that bacteria behaviors are inheritance from the atoms’ behaviors that composes their bodies. Inside bacterias there is a tribe of atoms composing an “atomic city”. Swarming and settling is an evolved phenomena from quantum principles where any “signal” can moves as individual wave or a group of signals can settling as one particle. If we does not study further the past state of every detail observed in bacterias, going further to its elementary particles and forces, we never will understand the whole picture, and, by my knowledge, The Matrix/DNA Theory is the unique doing this investigation. For instance, Matrix/DNA has discovered that the social systems of ants and bees mimics exactly the arrangement and functions of astronomical bodies composing the building block of astronomical systems! And this astronomical building blocks are copied into a lateral pair of nucleotides – the fundamental building block of DNA! So, the bacterial bias and constructions are not driven by bacterias, which are merely bunches of atoms without any knowledge about what they are doing. In a bees social system, the queen is also a slave, the real ruler transcend the group.  The driver is out and beyond the individuals and the group, it is the identity of systems – and if we does not understand this deep secret, which needs an understanding of this natural universe at larger space/time horizons – we never will know how to avoid pathogenesis virulence. 
xxxxx
Thanks! This information is useful for developing my researches and theories.Why single celled organisms had the bias to act together and composing a new “social system”? Of course: single cells has the unique bias for eating, sleeping (?), nothing else. They are driven to these new behaviors by something more complex and bigger. What’s it? The natural universal formula for building natural systems, which is encrypted into each nucleotide inside these organisms and is the template for this external environment. You can see the formula and explanations for each detail in this article ( don’t forget: the Matrix/DNA formula is theoretical, yet) here:http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=8082

O que os Virus tem a verem com Pulsares e Cometas? Herança Genética?

quarta-feira, dezembro 3rd, 2014

A visão de mundo, ou a “cosmovisão”, denominada Matrix/DNA é o estado do ser pensante, como filósofo naturalista, em que todo fenômeno natural detectado, observado, leva imediatamente às perguntas: “De onde a Natureza obteve a “idéia” para fazer isto e justamente aqui, agora?! Onde estavam as forças, os elementos, os mecanismos e processos, que foram usados aqui para construir este fenômeno, em toda a História da Evolução Natural, Universal, nos nossos sistemas ancestrais atômicos e astronomicos? Porque?”

Este estado de ser pensante é baseado na “crença” de que não existe e nunca existiu mágicas ao menos neste universo material alcançavel pelos sensores dos nossos cérebros, nem mágicas de alguma divindade não-natural, nem mágicas de acidentes por acasos absolutos. Se existem tais coisas, elas atuaram antes e fora deste Universo. O Universo, ou melhor, a Natureza Universal, não pode criar novas informações vindas do Nada, portanto, tudo o que existe aqui foi feito com informações presentes nas origens deste Universo. Existe uma longa cadeia ou fluxo de causas, efeitos, que se tornam causas de novos efeitos, sem interferencias sobrenaturais, na qual vão entrando informações que estavam no ar disponiveis assim como existem os genes retrógrados que só entram em atividade depois que um corpo tem formada certa arquitetura, ou na qual as informações originais se fundem, se misturam, criando sub-informações, no que é conhecido como “fuzzy logics”.

Então, todo novo detalhe natural observado tem que ser esmiuçado no confronto com a História da Evolução Universal, tem-se que buscar suas antecessoras até chegar no Big Bang, nas ondas de luz codificadoras que resultam dos desmanches dos ex-machines vortices quanticos – os quais já possuem em si as sete forças brutas naturais e as propriedades vitais. Os quais foram os primeiros “genes” dentro deste Universo. Assim, neste universo-ovo está ocorrendo um mero processo de reprodução genética do sistema ex-machine que deflagrou o Big Bang, e nós, humanos, observando os passos desse desenvolvimento genético pensamos estar vendo “evolução”.

Esta crença intuitiva que vem inata desde a infancia em certo tipo de configuração das conexões neuroniais dentro de um cérebro humano, e que conduz um ser humano a ser inevitavelmente um filósofo naturalista, agnóstico, pode ser uma crença longe da Verdade Ultima e pode estar parcialmente ou toda errada. Se for assim, todo o castelo da matrix/DNA ruirá por Terra quando algum fato natural devidamente comprovado, derruba-la totalmente. Sabendo disso, e não sendo o supremo objetivo do filósofo provar que sua cosmovisão é melhor, mas sim não ser enganado nem por sua teoria predileta e sua obra, a meta suprema de buscar e encontrar a Verdade – ou provar que não existe uma Verdade Ultima – o próprio filósofo busca cuidadosamente o fato mortal que tiraria sua cosmovisão de seu caminho.

Voltando agora com os pés no chão e para o assunto inspirador deste artigo, vamos trazer para cá esta imagem:

xxxxx

HIV

The human immunodeficiency virus (HIV) attacks the immune system (AIDS)

Isto aí são os virus da AIDS. De onde a Natureza obteve a idéia, os mecanismos, para fazer isto aqui?!Por que o faz, para que? Precisamos saber disto urgentemente, é uma questão de vida ou morte o maior conhecimento possivel destas criaturas, estas terroristas que ameaçam e torturam humanos até leva-los à morte. Penso que são nossos inimigos numero um, hoje. Meu sonho agora seria reunir recursos para ir à região do Rio Ébola com medidores “geiseres” porque a informação que tenho é que os virus vieram de morcegos. Então isto bate com a teoria da Matrix/DNA: deve ter caido algum fragmento de meteoro, de cometa, naquela região, que abriu uma cratera, que se tornou uma caverna que está sendo habitada por morcegos. Ali, no fundo daquela caverna, está o material que irradia emitindo sinais que penetram DNA’s de plantas ou animais fazendo expressar nestes DNA’s os genes que estão inertes na região do DNA-lixo, a qual é o registro de toda a história cosmológica antes das origens da vida, e cujos genes expressados e reunidos produzem os virus. Os morcegos seriam os originadores dos virus apenas de forma indireta. Mas se não for assim, senão tiver um meteórito por tras de cada virus na Terra, ainda assim a teoria continua de pé, pois ela diz que a Terra é bombardeada continuamente por bits-informações vindas da irradiações de astros, na forma de fótons ou outra particula elementar, os quais são informações que podem codificar moléculas viróticas.

Uma primeira olhada na imagem acima, passou-me a impressão que estava vendo o céu, alguma estranha galaxia com aqueles tipos de astros flutuando no espaço. A ausencia da gravidade espacial no meio liquido, e talvez a ação de sutis campos magnéticos destas criaturas biológicas seriam a causa dos astros-virus estarem mais próximos, mais amontodaos que os astros no céu. E isto me leva imediatamente ao modelo teórico cosmológico construído pela fórmula da Matrix/DNA. Neste modelo, pulsar é o nome que dei a astros na idade de planetas velhos locupletados fe gigantescos vulcões dos quais são emitidos lavas, magmas, que caem como bolotas chamejantes no espaço sideral, ou seja, os cometas nasciturnos que ainda não morreram por não terem atingido o seu alvo, o astro a ser fecundado. Daqui, deste passado, a Natureza tirou e evoluiu o mecanismo aplicado pelos virus. Desvendando suas origens, temos mais dados para nossa grande meta que é a de destruí-los antes que eles nos destruam. Os virus possuem aqueles “esporos” que atraem e são atraidos a certos receptores na superficie das células porque no Cosmos os vulcões são confeccionados para se conectarem à distancia com receptores no nucleo dos sistemas. Os virus expelem o material genético que está em seu nucleo central porque os vulcões ejetam o magma que vem do nucleo central dos astros. Estamos assistindo a nivel microscópico uma cena “fractal” de uma cena a nivel macrocósmico. Estamos assistindo aqui uma cena que é o futuro da cena do passado no Cosmos.  Nada de magicas nem de demonios criadores de virus para nos atormentar.

Que aconteça este fenomeno natural na Terra, é inevitavel. Faz parte das projeções de um corpo reprodutor para formar outro corpo que é sua reprodução. Sendo aqui o reprodutor este sistema astronomico que nos envolve e o corpo reproduzido os primeiros sistemas moleculares organicos. Mas isto não deve nos desanimar, devemos continuar a busca até o fim, desvendando cada vez mais o fenomeno a nivel cada vez mais microscópico, chegando ao nivel das forças naturais quase abstratas como são as força do magnetismo, nucleares fortes e fracas, etc. Deve existir uma maneira de ao menos desviar este fenomeno para longe de nossos corpos, ou tornar nossos corpos não-hospedeiros deste fenômeno. Afinal, até os virus podem se tornarem resistentes a forças que aplicamos neles e os aniquilamos antes. Tenho umas idéias para fazer isto, a nivel de identidade de sistemas, pois o sistema imunológico de defesa humano é uma reprodução da identidade circuital dos sistemas naturais.

Para se entender isto vamos trazer para cá, esta figura:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

O primeiro ser realmente vivo, completo, foi a primeira célula, formada com um núcleo e todas as organelas. Mas de onde a Natureza tirou a “idéia” para fazer uma célula biológica pela primeira vez? Simples evolução universal: o building block sos sistemas astronômicos se “projetou” por inteiro, reproduzindo-se, assim como temos um filho, nosso corpo se projeta por inteiro, se reproduzindo. Vamos esquecer por ora os motivos que causaram a grande mutação em termos de tamanho, substancias, etc. , o que está explicado em outro capitulo. O período de mais ou menos 3 bilhões de anos que durou essa reprodução – desde as primeiras formações de moléculas até chegar à célula final – foi a embriogênese de um novo rebento astronomico, em dimensões microscópicas.

O building block dos sistemas astronômicos tinha sua “matriz genética”, a qual evoluiu para a forma do DNA biológico. Mas essa matriz não era como o DNA, um composto especifico que fica dentro da célula que contem as informações do inteiro sistema celular; ela era o sistema inteiro, assim ela continha todas as informações do sistema. Ela era mais externa que interna.

Aqui dentre os sistemas biológicos, os filhos são em tudo muito semelhantes aos pais, porque o DNA é transmitido de geração a geração encerrado dentro de um pacotinho cromossômico, o que evita bruscas mutações. Mas os building blocks astronômicos se fragmentam em seus bits-informação ( que é toda sua matéria e energia degradada) e não são ejetados cerrados dentro de algum envoltório fechado e sim são espalhados no espaço e em tempos na escala astronômica. Quando tais bits que eram vizinhos próximos no sistema astronomico se encontram na superfície de um astro em boas condições de cultura, eles se juntam na mesma sequencia que estavam e, às vezes, um pequeno pacote de bits já apresenta uma quase vida. Foi isso que fez um único ancestral se diversificar nas milhares ou milhões de espécies biológicas.  Até que finalmente todos os pacotinhos se juntaram num só corpo, e assim surgiu o primeiro sistema biológico completo, a tal da primeira célula.

Bem,… vemos na figura acima do building block astronomico que pulsares e cometas ocupam as posições F4 e F5. Mais tarde F4 foi a função que criou o sistema reprodutor masculino, e F5 a função que criou o espermatozoide. Portanto, os dois ligados ao sistema reprodutivo.

Quando comecei a estudar mais detalhadamente os vírus porque a formula da Matrix/DNA vinha sugerindo novas explicações para tudo que existe em Biologia, e virus – devido seu poder maligno mortal – é algo muito importante para se buscar conhece-los melhor, um primeiro fator me chamou atenção: eles não podem se reproduzirem sozinhos, precisando para isso da maquinaria reprodutora existente dentro de um sistema celular. Mas no momento que penetram uma célula, passam a reproduzirem desvairadamente, como se essa fosse a suprema função de sua existência. Ora… isso era justamente o que faria F4 e F5 na formula da Matrix/DNA. Então surgiu a forte suspeita que virus são pacotinhos genéticos incompletos semeados na superfície da Terra correspondentes aos trechos que vão de F4 a F5, os quais, no building block astronomico são pulsares e cometas.

Um detalhe interessante da Matrix/DNA é que uma função sistêmica universal parece-se com um artista ou trabalhador que seu estilo especifico, unico, de fazer seu trabalho, seja em qualquer ambiente e quais materiais estiverem disponíveis. Cada função sempre modela o seu “corpo”, a sua ferramenta material, da mesma forma, variando apenas em detalhes que não são possíveis manter o modelo original devido muitas diferenças no novo ambiente. Sendo assim, os virus teriam que ter uma forma semelhante ao do pulsar, pois a mesma função, a mesma artista modelou os dois. E quando bato o olho agora numa figura do virus da Aids imediatamente me lembro da forma do pulsar feita na minha figura. Aquelas extensões que mais parecem crateras no corpo do virus imitam exatamente os vulcões dos pulsares. É mais um indicio ( claro, nada mais que mais um indicio apenas) de que a fórmula da Matrix/DNA pode de fato existir e que está – do jeito que a calculei – bem próxima da fórmula real. Por isso vamos manter este registro para engrossar esta longa busca de mais dados sobre virus e pulsares…

Me surge agora a idéia de que uma coisa urgente a fazer aqui é tentar desvendar porque o virus desativa o sistema imunológico de defesa. Este sistema é imitação do circuito inteiro da fórmula, o qual produz a identidade do sistema, o qual deve controlar e manter o sistema existente, como no caso da Matrix fechada, nada de fora pode entrar, o que significaria a morte do sistema. Parece até o caso quando um casal se morre por amores e atração mutua que se fecham num quarto e deixam o mundo acabar lá fora. De dentro do quarto só vai saindo filhos. A casa, o sistema familiar se desorganiza todo. Parece que isto acontece quando a parte masculina representada pelo virus se encontra com a parte feminina que é o nucleo celular. A função masculina reprodutiva é na célula, feita pela mitocôndria, mas de alguma maneira o virus tira a mitocôndria para escanteio. Mas isso será mais uma pesquisa para quando tiver tempo…

 

O ancestral dos Centriolos? Dipolo Elétrico?

sexta-feira, novembro 7th, 2014

xxxx

Observando o movimento do campo elétrico ( que está relacionado ao campo magnético da Terra e ao mecanismo bipolar da fórmula da matrix/DNA) lembra-se do movimento dos centriolos na divisão celular. Então, o centriolo que tem sido um mistério para a Matrix/DNA, se é um representante de um mecanismo bipolar da forma, teve como ancestral o campo eletrico? Registro isso aqui para posterior pesquisa.

http://en.wikipedia.org/wiki/Electric_dipole_moment

Animation showing the electric field of an electric dipole. The dipole consists of two point electric charges of opposite polarity located close together. A transformation from a point-shaped dipole to a finite-size electric dipole is shown.

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Centr%C3%ADolo

A mother and daughter centriole, attached orthogonally.

Micrograph showing condensed chromosomes in blue, kinetochores in pink, and microtubules in green during metaphase of mitosis

Descargas Elétricas de Oparin Trazem o Corpo da Galaxia Para a Célula Viva Assim como O Orgasmo Traz o Corpo do Homem para Seu Filho!

sábado, outubro 11th, 2014

Esta foi mais uma das surpreendentes descobertas da Matrix/DNA Theory. Oparin foi um russo filósofo naturalista muito curioso que queria saber como estava o estado mundo que criou a Vida, a 4 bilhões de anos atras. Tanto perseguiu este objetivo que acabou elaborando uma teoria completa de quais átomos estariam na superfície da Terra, como estavam combinados, e sugeriu que uma descarga elétrica, vinda talvez de relâmpagos, ou do sol, atingiu estes átomos de maneira que passaram a se combinarem de uma nova forma, nunca acontecida nos 10 bilhões de anos anteriores da História do Universo.

http://www.glogster.com/manujimenez3b/myglogster

Tanto era lógica sua teoria que mais tarde dois cientistas ( Miller e Urey) perceberam que puderiam testar a teoria em laboratorio. Puseram aqueles tipos de átomos dentro de um frasco e aplicaram descargas elétricas no frasco. Para sua surpresa, surgiram no fundo do frascos umas novas combinações dos átomos, justamente algo parecido com os aminoacidos, os building blocks de proteínas e acido nucleicos, RNA, DNA ! A teoria do Oparin foi “quase” certeira! Porem ainda restaram alguns problemas sérios para a teoria de Oparin. Primeiro é que,  se na história natural real, aqueles tijolinhos se uniram e formaram complexos edifícios chamados proteínas e RNA, no frasco dos cientistas os tijolinhos ficaram parados, não dando os passos evolutivos seguintes. Então faltava alguma coisa misteriosa naquela mistura de átomos sugerida por Oparin, e nunca se descobriu até hoje qual a coisa misteriosa, a não ser que… a Matrix/DNA Theory esteja correta e tenha descoberto. Tem-se procurado no mundo material dos átomos qual o elemento faltante, tem-se acrescentado todos os tipos de átomos, tem se modificado a experiencia de todas as maneiras possíveis, e nada do danado misterioso mostrar as caras. Segundo, hoje muitos críticos estão dizendo que os aminoacidos formados no frasco não são bem o tipo de aminoacidos selecionados pela Vida. Existem centenas ou mais tipos de aminoacidos, mas a Vida utiliza apenas 20 tipos deles.

Vale a pena ver no incrível vídeo com este link, como foi a experiencia:

http://en.wikipedia.org/wiki/Miller%E2%80%93Urey_experiment

 

Aleksandr Oparin (right) and Andrei Kursanov in the enzymology laboratory, 1938

 

The MIller&Urey experiment

Na selva eu pensei um pouquinho diferente. Para que surja um RNA é preciso que tenha antes as proteínas que formam o RNA. Mas para que existam proteínas, é preciso antes que exista o RNA/DNA, que é quem une os aminoacidos em longas cadeias formando proteínas. Vemos aí repetido o mesmo dilema do ovo e da galinha. Quem surgiu primeiro, o ovo ou a galinha? A resposta deve ser a mesma para a pergunta: Quem surgiu primeiro, a proteína ou o RNA?

Ora, então a solução para o ovo e a galinha deve ser a solução para a proteína e o RNA. A solução para o ovo e a galinha é que antes da forma de galinha e talvez até mesmo a forma de ovo existiam especies que tinham outras formas e forem transformadas em galinhas. Então vamos para o problema da proteína e do RNA e aduzimos que a solução é que existiam especies que tinham outras formas e foram transformadas em RNA e proteínas.

Mas que espécies? Como ver estas espécies na figura do estado do mundo preconizado por Oparin?  Ora, o mundo reduzido de Oparin foi imitado numa redução da atmosfera terrestre num composto de átomos dentro de um frasco. E procurando esmiuçadamente dentro daquele fraco não se encontra espécie alguma de um sistema formado que poderia ser ancestral de proteína e RNA. Isto me lembrava que no frasco de Miller e Urey foi imitada apenas a atmosfera terrestre, e o resto do mundo ficou lá fora… onde se escondia o agente misterioso.

Mas o raciocínio de um filósofo naturalista é teimoso, e insiste que o tal sistema misterioso tem que estar ali. Se ainda não o encontramos, continuemos a procurar, porque ele tem que estar ali. Não pode ter sido inserido ali por algum fato sobrenatural vindo de fora do real estado do mundo naquela época. E não pode, na história natural real, ter acontecido um acidente do acaso absoluto, nas origens desta extraordinária engenharia que é RNA e o conjunto funcional formado pelas proteínas, como se um tornado revirasse uma montoeira de peças de um Boeing 747 e ao passar deixasse o Boeing montado e pronto para voar. Digo que o evento ocorrido nas origens da Vida aqui não foi por acaso porque nós podemos ver aqui e agora o mesmo evento ocorrendo no processo da embriogênese, e se ocorrem dois eventos de um mesmo processo, o tipo de evento é padrão, e não mera coincidência ou mero produto do acaso.

Foi assim que de repente, teimando e teimando noites a fio calculando o que havia visto durante os dias a fio que passava ajoelhado na beira de pântanos e margens de rios observando a lama com um microscópio do tempo de jota cristo,  que surgiu uma idéia. Pois a diferença brutal, gritante, entre os sistemas atômicos formando a mistura de Oparin no frasco e os sistemas atômicos formando a lama natural  que gerou os aminoacidos certos e inseriu neles o elemento misterioso ordenador estava em que, no frasco foram aplicadas descargas elétricas, e na lama foi aplicada a energia vinda do Sol.  Esta a diferença entre o super preparado e mais bem informado pesquisador acadêmico no laboratório e os curiosos por natureza que saem a enfrentar o inferno nos arquipélagos de Galápagos e nas selvas amazônicas: o calor tórrido, a luz do sol batendo na nuca do filósofo agachado no pântano vai lhe cozinhando os miolos e tornando-se cada vez mais sentida, mais percebida, como se o Sol dissesse: “Ei, o que procuras não está na lama, não estava na sopa primordial, está acima, levante os olhos e me veja…” Enquanto no laboratório o cérebro que busca está no ar condicionado, no ambiente limpinho e ordeiro, e sob a luz artificial de uma lampada. Ali a Natureza não pode entrar com seu impeto desajeitado selvagem como um furacão e sussurrar seus segredos aos ouvidos de seus fãs fiéis.

A unica coisa de fora que pode ter sida inserida naquela sopa de Oparin dentro do frasco, foi a descarga elétrica. Então nela estava faltando o elemento misterioso. Tinha que estar.

Mas como?! O que pode conter uma descarga elétrica, senão elétrons, talvez fótons, e algumas partículas mais? Nada ali existente teria a capacidade de fazer o que o RNA faz, unindo tijolinhos para construir complexos edifícios.

Então,… os elétrons, os fótons, ou seja lá o que for, vindo com a luz solar, devem serem os tijolinhos ativos de um edifício externo ao frasco, que deveriam construir o mesmo edifício dentro do frasco. E quando se encontram no espaço aberto, se reúnem do mesmo jeito que se reuniam no edifício de onde vieram…

A Natureza colocou no centro dos aminoacidos, o átomo de carbono. escolheu este dentre centenas de outras espécies de átomos. Porque? Porque o carbono? Ora, quando vamos construir nossa casa, não procuramos terrenos alagadiços, montanhosos, inclinados, e nem regiões com intensa instabilidade climática. Queremos uma casa sólida e estável, portanto devemos procurar estas propriedades no terreno. Então, Sherlock Holmes, o grande detective britânico teria pensado: “O agente do crime, o edifício oculto que desceu aqui naquela sopa primordial, deve ter propriedades similares ao átomo de carbono. Vou investigar a miúdo este tal de carbono, pois ali estão as pistas para me levar à solução. De fato, mais tarde, descobri como e porque o átomo de carbono é o mais fiel exemplar imitando a fórmula da Matrix/DNA. Por isso ele foi o escolhido a ficar no centro da Vida!

Mas isso pode acontecer na Natureza ou eu estaria imaginando processos, mecanismos, inexistentes? Pode sim: os tijolinhos de um pai e de uma mãe de repente vão para outro lugar, dentro de um óvulo, que imita o frasco, e ali recomeçam a construir o edifício de onde vieram – um corpo da espécie humana.

Gosto de pensar em comparações para obter os padrões pelos quais a Natureza se revela em seu trabalho evolutivo.  anatomia comparada teórica. Assim, pensava na espécie humana, no corpo de uma mulher gravida, no óvulo e espermatozoide, na história natural de como a espécie humana se projeta transformando-se num sinal carregado por ondas e recebido por um receptor que é o óvulo, emitido daqui, o qual decodifica o sinal e reconstrói o emissor da mensagem, na forma de um bebê. Trocava a espécie humana por uma galaxia, o corpo da mulher por um sistema solar, o óvulo por um planeta, a transmissão do DNA pela transmissão da luz solar e radiação cósmica, o bebê por uma célula viva completa… e via o mesmo mecanismo, o mesmo processo natural acontecendo duas vezes. Sem fantasmas mágicos sobrenaturais e sem magicas de um fantasmagórico nunca visto acaso absoluto.

Bem… para encurtar por aqui… foi assim que levantei os olhos para o céu do meio da selva tentando ver este sistema solar e esta galaxia. Como era impossível ver com a simples luneta ainda do tempo de Galileo que trazia a bojo, tentei calcular como é na verdade esta galaxia. Nós tínhamos uma base para fazer estes cálculos. Foi um ensinamento da minha pobre e quase analfabeta avó que sempre dizia: “Filho de peixe, peixinho será!”. Eu aqui não tinha como ver e conhecer o que de fato é o peixe ( a galaxia e depois o sistema solar),  mas tinha os peixinhos: na forma de larva como proteínas e RNA, e depois da metamorfose, na forma da primeira célula viva. Ora a forma do filho sempre revela como é a forma do seu pai e sua mãe. Bastava calcular a evolução caminhando na mesma avenida por onde caminhou Darwin, porem, vindo da direção contraria… do futuro na direção do passado, do peixinho na direção do peixão…

E assim descobrimos a fórmula universal da Matrix/DNA que nos sugere com muita lógica o modelo teórico de como deve ser o building block de galaxias e sistemas solares e qual o processo pelo qual este building block astronomico, vindo da evolução dos sistemas atômicos, se projeta na forma de sinais dentro de ondas de luz e se refaz na outra ponta onde há o correto receptor. Assim, descobrimos o elemento misterioso na experiencia de Miller e Urey.

 

Tal como o segredo que faz uma simples bolota chamada mórula se desenvolver tornando-se um complexo embrião, está fora do ovulo, vem de fora do óvulo, vem dos corpos do pai e da mãe, assim o segredo que vai fazer aqueles aminoacidos continuarem os passos da evolução está fora do frasco. Está na fonte da emergia correta que um dia aplicaremos naquele frasco de Oparin e obteremos uma bebê de célula viva que sairá dali engatinhando e nos dizendo “Alö!”. A galaxia não cabe dentro do frasco, assim como o corpo da mãe não cabe no óvulo…, mas ele tem que estar ali.

Porque no titulo fazemos referencias a esta palavra meio incomoda: “orgasmo”? Porque orgasmos é um efeito biológico que vem da evolução de processos existentes em ancestrais longínquos ditos “não-vivos” e podem serem melhor explicados pela termodinâmica dos sistemas naturais. Todas as diferentes formas apresentadas pelo sistema universal que vem evoluindo desde o Big Bang obedeceram o mesmo processo do cilo vital: nascem, crescem, atingem a maturidade. nesta fase a energia estava sempre se elevando, em crescente. Atingido o ponto de maturidade a energia começa o retorno, a decair, num movimento que nossas Ciências observam e medem com um medidor denominado “entropia”. É a fase da degeneração do sistema, o que não significa que o sistema, se for fechado em si mesmo, perca energia para o exterior, mas sim que perca a qualidade do nível de complexidade, pois partículas começam a saírem do canal do circuito energético e se interiorizam, misturando-se, transformando o sistema numa massa amorfa. Mas a Natureza é extremamente sábia! Ufa! para evitar que todos os sistemas naturais morressem e o seu projeto evolucionário fosse bruscamente interrompido, Ela faz com que, no momento que o sistema atinja sua maturação, ele lance um fio de sua energia crescente na direção de seu núcleo… um ramo lateral do circuito que vai realimentar e reciclar o sistema. Quando esse sistema universal chegou na forma de sistema-corpo humano, resumimos todo esse processo do ramo lateral num nome: reprodução sexual.

Então o corpo humano como sistema natural que é, nasce, cresce, atinge o ponto de maturação quando todos os genes fizeram seu trabalho, dotando o homem de barba e a parafernália sexual, da mesma forma dotando a mulher. Nesse ponto a energia começa a decrescer , e esta, na física termodinâmica, deveria ser uma queda rápida, quase à velocidade da luz. Mas o ser humano é um sistema aberto, ele se relaciona com o mundo externo, e assim ele pode continuar absorvendo a fórmula da Matrix que está nas plantas, na luz do Sol, etc., repondo e mantendo o nível de energia em equilíbrio, ao menos retardando por mais 40 ou 50 anos essa queda.  O corpo humano expulsa as partículas que vem decaindo da superfície na direção do núcleo, na forma de radicais livres, através de uma descarga elétrica, assim como os cientistas no laboratorio estão dando descargas elétricas no frasco-ovo de Oparin. A diferença é que o corpo humano aplica estas descargas na forma de orgasmos, e a galaxia também o faz, mas não dentro de laboratórios a vista de todo mundo, apenas o faz sutil e sorrateiramente a céu aberto.

A finalidade deste artigo é repetir sempre o que penso ser a mais correta atitude para a Humanidade vencer seus obstáculos e caminhar para um estado de vida sempre melhor. Toda vez que tiveres uma pergunta, uma questão sobre qualquer fenômeno natural – “De onde veio isso?! Como pode isso estar acontecendo na Natureza? Como explicar estes eventos misteriosos que parecem obras de seres supernaturais ou acidentais?!” – observe a Natureza e pergunte a Ela, não se deixe influenciar muito pelo que os outros dizem. Pois a natureza não joga dados com suas criaturas, não faz jogo de esconde-esconde com suas amadas criaturas. Ela sempre revela aqui e agora, em algum detalhe ocorrendo dentro dela, assim como os detalhes ocorrendo dentro de um óvulo na embriogêneses, como Ela fez as coisas no passado longínquo. Ela é honesta, podes confiar que Sua palavra do passado será sempre sua palavra do futuro, o que está em baixo é cópia evolutiva do que está encima e vice-versa. Assim sempre acreditou, atuou, o método cientifico dos filósofos naturalistas.

Depois da Diversificação da Vida, Agora Ocorre a Diversificação da Auto-Consciência. E a Matrix/DNA Procura na Terra a Fonte da Auto-Consciência

quinta-feira, setembro 11th, 2014

Pensamento do Dia: Porque os Humanos São Diferenciados Pelos Seus Interesses Se os Animais Possuem Um Unico e Mesmo Interesse?!

Um grande segredo do sucesso da espécie humana sobre os outros animais é a impressionante e enorme diversificação dos focos fundamentais de interesses. Todos os indivíduos de uma espécie animal – sejam cavalos, vacas, gatos, etc. – possuem os mesmos poucos e limitados interesses dirigindo seus atos e movimentos, e isto não tem mudado em amplos espaços de tempo. Os animais são bitolados, dirigidos, para uns poucos focos de interesses. Pode acontecer os fenômenos mais estranhos, aparecerem as imagens mais estranhas, que eles não se  interessam e esquecem o fato imediatamente. Pela primeira vez na vida de uma vaca criada numa fazenda, passa um veículo na estrada, e a vaca, indiferente, nem levanta os olhos para vê-lo, não se faz nenhuma pergunta a respeito, não existe a menor curiosidade, focada que está comendo a grama.

Macacos na selva já prestam alguma atenção a um avião passando acima, mas se pegam a espingarda de um caçador, tentam dar-lhe uma dentada para ver se é de comer, e não sendo, dispensam-na para o lado como se fosse um galho seco, sem interesse.

Queres ter uma prova? Veja a figura abaixo, e depois de gozar da nossa classe de filósofos distraídos, responda à pergunta abaixo:

O Cumulo do Distraído

O Cumulo do Distraído – “Desculpe-me senhor… arrrgh… Com licença…Mas o que diabos estás fazendo?!”

Pergunta: “Como o leão vai matar o filósofo distraído? Vai pegar o rifle e dar-lhe uns tiros ou vai morder seu pescoço?”

Claro, o leão, como todos animais nem viu o rifle, pois deste não emana cheiro de alimento, e comida é apenas o que lhes interessa.

Mas dentro da espécie humana houve uma novidade no meio dos seres vivos, que já havia ocorrido antes, nas origens da enorme diversificação das espécies. Uma incrível diversificação de interesses, gerando uma nova diferenciação interna de “personalidades mentais”, e interesses por quaisquer coisas que a Natureza produza, mesmo que este interesse não lhes propicie retorno imediato com algum tipo de recompensa. Ao contrario, em muitos tipos de interesses os indivíduos sacrificam seu bem-estar sem obter nenhuma vantagem imediata, e sem ter certeza de que venha a obter vantagens futuras. É o caso por exemplo do porque humanos consomem tempo e recursos se interessando por astronomia, matemática, geografia de outras terras, doenças que afetam a outros, etc. Eu mesmo tenho um interesse pela suprema busca de conhecimentos, emprego a vida e quase toda energia nesse objetivo, mas até hoje na verdade só colhi desvantagens na luta pela competição com isso, e não tenho a menor ideia se isso algum dia me trará alguma recompensa. No entanto, sem este vico, a vida não me teria sentido. Do ponto de vista biológico, animal, isto não é racional. Então… porque? Qual a causa por trás disso?

A meu ver isto vem a confirmar uma sugestão da Matrix/DNA: dentro de cada ser humano surgiu uma nova forma, uma nova espécie evolutiva do sistema natural universal que vem evoluindo desde o Big Bang, e esta nova forma de sistema, ao qual damos o nome de mente ou auto-consciência, está se diversificando em sub-espécies a ponto de já contar com milhares ou milhões delas. temos que fazer o enorme esforço de visualizar as mentes invisíveis dentro das cabeças humanas como elas são: tão diferentes entre si como existem tantas espécies de animais diferentes entre si. Então deve existir um individuo portando a mente-corvo, outro a mente-elefante, o alentejano de Portugal deve ser quase igual ao baiano do Brasil com uma forma de mente-tartaruga… e assim por diante. Deve ter o mente-hipopótamo, o mente-polvo, o mente-leão… ( Eu, particularmente, que sinto eternamente uma espécie de insustentável leveza do ser desconfio que sou um mente-borboleta. E você?…

Mas estou percebendo agora que esta nova intuição pode nos levar a desfechos fantásticos. Parece-me mesmo que estamos tocando numa nova dimensão do mundo que ainda não a tínhamos percebido, mas que tem enorme influencia na nossa vida no dia a dia.

Tem algumas diferenças entre a diversificação da vida e a da mente, que precisam serem estudadas. A diversificação das espécies biológicas se deu por  grupos distanciando-se entre si no tempo e espaço, e daí cada qual adquirindo uma nova forma, estas foram passadas hereditariamente, mantendo os hábitos dentro dos grupos fechados. No caso da diversificação mental, ela não tem surgido dentro de linhagens e assim canalizadas a se reproduzirem dentro destas linhagens. Uma nova espécie mental surge dentro de famílias, e não é passada hereditariamente, mas esta espécie brota em muitas famílias diferentes, e tendem a se separarem dos focos de suas famílias para se juntarem em seus grupos. É como se a origem da ddiversificaçãodas especies mentais viessem do mesmo processo que produziu a diversificação biológica: seus genes não vem encerrados dentro de uma membrana formando o cromossoma, mas sim vem espalhados no tempo e no espaço. Interessante desenvolver mais isto.

Para desenvolver isto vamos precisar recapitular aqui a teoria da Matrix/DNA sobre como esta galaxia Milk Way gerou dentro dela esta vida biológica. Vamos a um desfecho intrigante. Na geração da vida neste planeta havia uma fonte emissora das partículas bits-informação – que foram os genes semi-vivos na transição entre a matéria inorgânica e o primeiro sistema celular vivo. Sabemos como e porque, ao invés nesta mera reprodução de uma forma existente, ao invés dos “filhotes” nascerem todos na mesma forma e espécie, nasceram em formas muito diferentes entre si. Basta pensar nas sete diferentes organelas da célula, nas mais de 30.000 espécies de proteínas, de enzimas,  ácidos, etc..

Sobre as  origens da vida na Terra já sabemos qual foi a “fonte criadora”. A fonte emissora de todos os bits-informação, foi o “building block dos sistemas astronomicos”, por trás do qual está a fórmula da Matrix, feita com pura luz.

Sabemos que os pensamentos humanos são produzidos nas sinapses entre neurônios, compostas por fluxos sanguíneos e descargas elétricas. O conjunto dos pensamentos de um cérebro é o que denominamos, abstratamente, de “mente”, ou “auto-consciência”. No estado atual da nossa pesquisa estamos suspeitando que essa mente é uma forma fetal, embrionaria, e está sendo modelada na mesma configuração do cérebro, o qual é apenas mais um derivado do sistema natural cuja fórmula modeladora é a Matrix/DNA.Temos a suspeita de que quanto mais pensamentos maiores são as descargas elétricas que produzem relâmpagos numa nuvem plasmática e com o final assentamento destas descargas contínuas se gera um todo luminoso, numa frequência da luz imperceptível aos nossos sentidos. Se a Matrix emerge neste Universo na forma de ondas de luz e vem de uma consciência extra-universal, e se a mente humana está se tornando a mesma forma de luz, vemos então aqui mais um óbvio simples processo de reprodução genética. Então a substancia e os bits e inclusive as estações retransmissoras devem ser compostas de luz num estado imperceptível ainda aos nossos sensores cerebrais. Ou melhor: eles podem ser perceptíveis por alguns sensores – como a glândula pineal – mas não são ainda perceptíveis para o embrião mental.  Me pergunto: não há nada que possamos fazer para acelerar o desenvolvimento deste embrião e nos salvar com sabedoria antes que a espécie humana seja extinta? Eu, ao menos, vou empreender esforços no máximo que a vida e o tempo me permitir, nesta busca de aceleração. ( Óbviamente não vou tentar técnicas arcaicas, como a de enfiar o dedo nos ouvidos tentando tocar a glândula pineal para desperta-la, ou puxar a ponta dela para estica-la e recompô-la como ela era no passado, na forma da antena dos insetos…Tenho ideias mais inteligencias e cientificas para desperta-la, como bater a cabeça com força e insistentemente numa parede, para acorda-la…Mas, brincadeiras sem graça à parte, penso que na meditação dirigida pela fórmula da Matrix, está o segredo)

Sabemos tambem que os “bits” não precisam vir direto da fonte inicial, pois  os “bits-fótons”  que alcançam a superfície da Terra vem de estações retransmissoras daquela fonte, que são as estrelas, e a radiação cósmica trazendo bits de quasares, pulsares, buracos negros, etc. E sabemos tambem que estes bits povoam a atmosfera e camada atômica da superfície terrestre, acessíveis às espécies que os aceitam e às que os buscam.

Se agora estamos assistindo um repetir daquele evento, ao assistir a diversificação dos tipos mentais, vem imediatamente as intrigantes perguntas:

“QUAL A FONTE EMISSORA DA AUTO-CONSCIÊNCIA,  NO MUNDO ?!

“QUAL A ESTAÇÃO RETRANSMISSORA DE BITS DE AUTO-CONSCIÊNCIA ALCANÇANDO OS SERES HUMANOS?!

” O QUE SÃO OS BITS-INFORMAÇÃO DE AUTO-CONSCIÊNCIAS? COMO SÃO? DE QUE SUBSTANCIA?

” COMO ESTES BITS ESTÃO AFETANDO NOSSAS VIDAS, NOSSOS SISTEMAS SOCIAIS, ECONOMIA, POLITICA, ETC.? INFLUENCIAM NA SAUDE OU NA AUSÊNCIA DELA?” 

” COMO DEVEMOS ATUAR PARA NOS TORNAR-MOS MAIS RECEPTIVOS A CADA VEZ MAIORES QUANTIDADES DESTES BITS DE AUTO-CONSCIÊNCIA? COMO BUSCA-LOS?

“SE A MAIOR QUANTIDADE E DIVERSIDADE DESTES  BITS SIGNIFICA MAIOR INTELIGENCIA E SABEDORIA, EXISTE UMA TÉCNICA A DESENVOLVER ( TALVEZ NO NÍVEL MENTAL), HÁBITOS A OBSERVAR, ETC., PARA ADQUIRIR MAIS BITS?

Bem… com isso estamos abrindo mais um enorme campo de pesquisas dentro os já centenas, ou milhares abertos pela Matrix/DNA. E como sempre temos dado alguns passos nestas pesquisas, neste tambem deveremos em breve descobrir mais algumas novidades…

( Repetir aqui a teoria das origens da vida pela Matrix/DNA, com enfase na maneira como os fótons estelares se juntaram em pacotes-informação, para ter um quadro mais claro deste assunto)

 

Evolução Biológica É Impossivel… Afirmam Criacionistas. Matrix/DNA Theory Sugere que Não…

domingo, agosto 31st, 2014

E aqui vamos nós de novo. O debate entre metade do mundo intelectual modcerno e a outra metade nunca termina. Surge agora uma voz no meio, com uma terceira visão, entrando no meio do debate. Agora são 3 faccões. Veja o ultimo exemplo deste debate, aqui:

EVOLUTION IS BIOLOGICALLY IMPOSSIBLE

 

http://scienceblogs.com/pharyngula/2014/08/30/friday-cephalopod-dumbo-doesnt-do-them-justice/#comments

xxxxx

Louis Charles Morelli

New York – USA

August 30, 2014

The “design” is identified: the natural universal formula that is hidden under all natural systems – from atoms to galaxies to human beings. This formula is itself under evolution, its first appearance in this “Universe” was in shape of light waves containing the code for life, and its last shape here and know is the DNA. This design has worked in this Universe without applying any kind of intelligence. And the whole Universe have its entire Natural History re-written from this formula perspective, we have the knowledge of the product, which launches solid bases for calculating what is the producer. it is a natural conscious system. Which self-reproduces by natural genetic process. The Universe is like a placenta, inside it is occurring a natural normal process of reproduction of the thing that generated it. Again, no intelligence, no planing, applied for origins of Universes. If you want call that “thing”, that ex-machine “conscious natural system”, as God, feel free for doing it, but, you must know, the power of this “God” in relation to any living creature is proportional to the power of a pregnant woman in relation to her fetus. If you want to know the formula and the shape of that originals light waves, google “The Universal Matrix/DNA Formula for Natural Systems and Life’s Cycles Theory”. Yes, a terrestrial simple soup can generates life, if the bits-information as photons from that formula are inserted in it.

As Causas Antes das Origens da Vida, do ID, da Libido,do Ego, e da Consciência

quinta-feira, agosto 28th, 2014

Freud, o pai da psicanalise, foi quem melhor identificou os efeitos de certas fôrças naturais que vem desde o Big Bang entrando na formação e evolução dos sistemas biológicos, ou seja, seres vivos. Descobriu ele que uma criança recém nascida não tem ainda uma psique, e nesse estado ele a chamou de ID. Ela é apenas uma energia, que tem como único objetivo, o prazer, à qual ele chamou de “libido” . Mas os demais indivíduos existentes não podem absorver um individuo assim, então eles impõem limitações à criança. O conjunto destes indivíduos, Freud disse, chama-se “a civilização”. Assim está criado um ponto de tensão entre a energia do prazer e a civilização. Ora, a civilização é mais forte que o individuo, então ele terá que se imiscuir no meio da civilização auto-controlando-se na sua pratica de prazer toda vez que pressentir que haverá contra-reação, punição. Assim o que não tinha psique, cria internamente um conjunto de medições, comparações, balanceamentos, avanços e regressos, etc. , o qual será sua psique, que Freud chamou de “Ego”. O Ego é força centrípeta ou seja, redutora do amplo a um ponto ( um ponto de poder sobre o externo a este ponto para usar o externo ao seu prazer) , e tambem centrifuga, ou seja, parte de um ponto para ampliar-se no espaço ( para conquistar mais prazer). O Ego é sua inteligencia, seu conhecimento, sua opinião, suas preferencias, ou seja, é tudo o que você pensa.

Não sei ou não me lembro quando lia algo de Freud, como ele tratou a questão da consciência, qual o nome que lhe deu. Então o que vou dizer da consciência aqui é minha opinião. Repare que o Ego não possui a propriedade da empatia, ou seja, ele é incapaz de se colocar no lugar do outro e sentir o que o outro sente, pois isso não lhe trás prazer algum. Então a consciência começou a surgir quando sobre o Ego começou a aparecer a empatia. Consciência é aquela energia que não precisa da civilização limitadora, pois ela própria entende a necessidade de limites e se impõe seus limites.

Sabendo-se que a matéria, o Universo inteiro é composto de massa e energia, pergunto: “Porque esta energia que é a criança recém-nascida não é a energia do Universo?” A pergunta não faz muito sentido, parece óbvio que a criança recém nascida é ainda a mesma energia que compõe o Universo. Então, se é assim, pergunto: “O que fez essa energia sedenta de prazer e que tem como único objetivo o prazer, antes das origens da Vida?”

A resposta sensata só pode ser uma: avançou sempre buscando mais e mais prazer.

Mas sabemos que a anergia mais a massa do Universo construíram os chamados sistemas naturais. Primeiro as partículas ( que já são sistemas em si), depois os átomos, as galaxias… Mas sabemos tambem que a energia é o elemento movente, ativo, enquanto a massa é o elemento inerte, passivo. Ora se a energia é o elemento movente, ela sozinha tinha a tendencia que viria a construir sistemas. A energia, sozinha, sem a massa, foi quem inventou a Evolução, a qual nada mais é que sucessivas transformações de um sistema inicial em sistemas cada vez mais complexos ( para obter cada vez mais prazer). Tanto que não existe sistema que não tenha dinâmica interna, um fluxo ou circuito de energia. Partes sem energia as conectando são coisas separadas, não são sistemas.

Porque a energia então construiu sistemas? A resposta só pode ser uma: porque usa os sistemas para obter mais e maior prazer.

Mas sabemos tambem que a tendencia da massa é se eternizar no estado de repouso absoluto. E quanto aos sistemas naturais – segundo a Teoria da Termodinâmica – o objetivo supremo é alcançar o estado de equilíbrio termodinâmico, onde massa e energia cedem 50% cada e recebem 50% cada, numa espécie de contrato social.

Ora, nós descobrimos a fórmula para sistema fechado em si mesmo, o qual é o sistema mais perfeito possível. E depois descobrimos que todos os sistemas naturais tem essa fórmula como template, considerando que a própria fórmula veio evoluindo junto com a evolução do sistema inicial. Mas quando fomos ver como seria a contraparte materializada desta fórmula no seu estado de perfeição ultima, descobrimos que o resultado é exatamente o modelo das galaxias originais. Simples: quando a energia e a massa encontraram o jeito de realizar seu contrato social, quando entraram em equilíbrio termodinâmico que estaria destino a permanecer assim por toda a eternidade, massa e energia estava dentro de uma galaxia, elas se modelaram como uma galaxia.

A forma de sistema fechado em si mesmo é a suprema manifestação do egoísmo – o que imediatamente nos lembra o nome “ego” de Freud. Então a pergunta agora é: “Sabendo-se que a forma de sistema biológico foi criada dentro da galaxia e pela galaxia, ( pois se alguém souber de algum elemento ou força que constitui um ser vivo que tenha vindo de fora da galaxia, traga-o e ganhará o Premio Nobel) , porque um sistema que chegou ao máximo da perfeição e tinha a pretensão de se eternizar nessa forma, criou ou se transformou, num novo sistema?! E ainda mais complexo que ele mesmo? A energia traiu a massa e rompeu o contrato social? Ou vice-versa…

E porque o ego da galaxia reapareceu na forma do sistema chamado “humano”?

Bem… esta pergunta me deixou na selva muitas noites sem dormir, tinha que partir atrás da resposta. O mesmo modelo do building block das galaxias é o meno modelo do building block do DNA – um par lateral de nucleotídeos. Mas antes ainda do DNA, o modelo da face esquerda do building block da galaxia é o mesmo modelo do nucleotídeo solteiro que faz a pilha do RNA. E depois o mesmo modelo emerge em seu resplendor como template, fôrma, do primeiro sistema celular funcional e completo, ou seja, o primeiro de fato ser vivo. Esta constatação indica obviamente que houve novamente a presença do processo da evolução, ou seja, uma continuidade evolutiva entre evolução cosmológica e evolução biológica. E quem gosta da evolução é a energia, não a massa.

Por isso passei a observar inquiridoramente a energia do sol batendo nos átomos inertes da lama dos pântanos na superfície da Terra. Afinal de contas é uma energia que vem de um sistema astronômico sem a qual a Vida não existiria, não daria um passo sequer. Assim cheguei aos fótons, e destes, à “Luz”, para descobrir que, antes das galaxias, antes dos átomos e das partículas, uma onda de luz original emitida por um Big bang já continha em si, a fórmula para sistemas naturais.

Os fótons do Sol, da radiação cósmica e dos que vem do núcleo da Terra, são bits-informação do sistema galáctico original, e como tal, trabalham como genes. A maior diferença com os genes biológicos é apenas uma causa no processo evolutivo: enquanto os genes biológicos são transmitidos do criador para a cria encerrados dentro de um envelope cromossômico, e assim produzem apenas uma forma de sistema, à imagem e semelhança do criador – os genes astronômicos são dispersos livres no tempo e no espaço, e juntam-se aos pedaços, em múltiplas diferentes combinações, o que produz a enorme diversidade de formas das crias.

Ora, estes genes astronômicos estão aqui com o propósito ultimo de reproduzir o sistema celeste de onde vieram. E aquele sistema celeste foi a máxima expressão do… Ego.  O ego da energia somado ao ego da massa que pode ser resumido no Ego Material.

Mas o Ego que reinou um dia dentro do Universo, foi atacado por uma força externa, não se sabe vinda de onde. Uma força que se mede pela entropia e que é o principio da degeneração, que leva à morte dos sistemas. Por isso o sistema perfeito celeste que se auto-prometeu eternidade, de repente caiu, e foi obrigado a produzir mais um novo sistema, o biológico, o qual, tinha que emergir como sistema aberto, para reencetar a evolução. Não houve traição entre eles, não houve quebra do contrato social. O que me parece é que houve uma traição da energia em relação à luz original. Pois nela a fórmula não admite uma interrupção da evolução enquanto… a própria luz não se auto-reproduzir, ou reproduzir quem a emitiu, … na forma de auto-consciência. Daqui veio aquela fôrça da entropia, que acabou com a festa orgíaca nos céus. O Ego humano é tão autentico filho do ego celeste que chega a ter lapsos de memória vendo imagens do passado naquela espécie de paraíso celeste, e devido a estas miragens escreve metáforas como a Queda do Paraíso, Adão ( energia) e Eva ( massa), e etc. Estás entendendo agora o que é essa auto-consciência ainda embrionaria que está gestando em sua cabeça-ovo?

Mil aplausos para o Freud… ele foi realmente genial. E ele me ajudou a montar este quebra-cabeças que é maior que o Universo!

Origem da Vida em Marte? Pesquisa

segunda-feira, fevereiro 17th, 2014

Novas evidências sugerem que a vida se originou em Marte

http://misteriosdomundo.com/novas-evidencias-sugerem-que-vida-se-originou-em-marte#ixzz2tbu3bFVM

Todos nós somos marcianos, de acordo com um novo estudo. Novas evidências sugerem que a vida da Terra se originou em Marte e foi trazida  a nosso planeta a bordo de um meteorito, segundo o bioquímico Steven Benner, do  Instituto Westheimer de Ciência e Tecnologia, na Flórida, EUA.

Uma forma oxidada do elemento molibdênio,  que pode ter sido crucial para a origem da vida, provavelmente estava disponível  na superfície do planeta vermelho há muito tempo, mas indisponível na Terra,  disse Benner.

“Somente quando o molibdênio torna-se altamente  oxidado é que ele é capaz de influenciar a forma como a vida primitiva é  formada”, Benner disse em um comunicado. “Esta forma de molibdênio não poderia  estar disponível na Terra quando o planeta era muito jovem, porque 3 bilhões de  anos atrás, a superfície da Terra tinha muito pouco oxigênio, mas Marte não. É  mais uma prova que apoia a tese de que a vida veio para a Terra a bordo de um  meteorito marciano.”

Matrix/DNA: Entao o problema e que para o molibdenio atuar como ingredient na origem da vida ele precisa ser oxidado com oxigenio, e segundo o modelo teorico astronomico academic, na terra primitive nao existia oxigenio…

Os compostos orgânicos são os blocos de  construção da vida, mas eles precisam de um pouco de ajuda para fazer as coisas  acontecerem. Basta adicionar energia, como calor ou luz, e eles viram uma sopa  de moléculas orgânicas, Benner disse.

É aí que o molibdênio oxidado entra em cena.  Inserindo-o (ou o boro, um outro elemento) na mistura ajudaria os compostos  orgânicos a dar o salto para a vida, Benner acrescentou.

Matrix/DNA: Verificar na tabela periodica se o molibdenio tem numero atomico para apresentar as mesmas propriedades do carbon e o boro.

A análise de um meteorito marciano recentemente mostrou que havia boro em Marte,  e nós agora acreditamos que a forma oxidada do molibdênio estava lá também”,  disse ele.

Outro ponto a favor da tese de que a vida surgiu  em Marte é que a Terra primitiva estava completamente coberta por água, enquanto  o antigo planeta vermelho tinha áreas secas substanciais, Benner disse. Um  planeta coberto por líquido teria tornado difícil para o boro existir, que  atualmente é encontrado apenas em locais extremamente secos.

Matrix/DNA: Verificar no meu modelo teorico astronomico se esta possibilidade do planeta estar coberto de agua a 4 bilhoes de anos atras e real

Além disso, acrescentou Benner, a água é  corrosiva para o RNA, que a maioria dos pesquisadores acredita que foi a  primeira molécula genética (em vez do DNA, que veio mais tarde).

Nenhum organismo marciano nativo foi descoberto.  Mas é possível que a vida em Marte – se é que já existiu – pode ter feito o seu  caminho para a Terra em algum momento, muitos cientistas dizem.

Alguns micróbios são incrivelmente resistentes,  e podem ser capazes de sobreviver a uma viagem interplanetária após serem  expulsos de seu mundo de origem por um impacto de um asteróide. E a dinâmica  orbital mostra que é muito mais fácil para as rochas viajarem de Marte à Terra  do que o contrário.

“Se os nossos hipotéticos ancestrais marcianos tivessem permanecido em Marte,  talvez não estivéssemos aqui hoje para contar a história.”, concluiu Benner.

xxxxx

Meu comentario postado no artigo:

Louis Charles Morelli · Quem mais comentou · Queens

A falta de conhecimento da Historia do Sistema Solar gera obstaculos imaginados que impedem o conhecimento da Historia da Vida na Terra e por isso buscam solucoes bizarras como esta. Se o modelo astronomico ensinado nas escolas estiver errado, nao sera possivel reconstruir o processo da presenca dos sistemas biologicos, e penso ser este o caso. A teoria academica se baseia na crenca da geracao espontanea de planetas ao sabor do acaso, como antigamente se acreditou na geracao espontanea da vida, e como erramos daquela vez, e possivel que estejamos errando outra vez. De onde surgiu o fenomeno do ciclo vital, se ele nao estava presente na formacao dos sistemas astronomicos onde vemos ele se manifestar? Caiu do ceu por milagre? Ou, ao inves de formacao isolada de cada uma das sete diferentes formas de astros celestes conhecidas, elas sao resultado da transformacao de um unico astro sujeito a ciclo vital como sao os corpos humanos? Por isso tambem fui conduzido a procurar outra teoria cosmologica e o resultado e a Teoria da Matrix/DNA exposta em meu website. para mim ela faz mais sentido e nao preciso imaginar a vida pegando carona em meteoritos e viajando de planeta a planeta…
xxxxx
Pesquisa:
Google: molibdenio
Wikipedia: O molibdênio (português brasileiro) ou molibdénio (português europeu) (do grego molybdaina, chumbo) é um elemento químico de símbolo Mo de número atômico 42 (42 prótons e 42 elétrons) e de massa atómica igual a 96 u. Na temperatura ambiente o molibdênio encontra-se no estado sólido. É um metal de transição encontrado no grupo 6 (6B) da Classificação Periódica dos Elementos. (continuar a ler)

Sushi? Não, é a Natureza mais uma vez aprontando das suas!

segunda-feira, fevereiro 10th, 2014

Na primeira vez que ví esta foto me deu água na boca, pois pensei logo em sushi. Mas ao ler a descrição fiz uma careta pois lembra aquele mal cheiro daqueles bichinhos verdes chamados de percevejos que dá no jardim. Pois esta figura retrata nada mais nada menos que os ovos já maduros e transparentes onde se vê a larva lá dentro. Por exemplo, os dois pontos vermelhos são os olhos da larva. Eu penso que essa cara de riso das larvas é porque elas já nascem com o instinto malicioso de bagunçar a nossa vida como quem diz ” vou entrar pelas suas narinas e quero ver você sair correndo!”.

Porem, como nêste mundo tem gôsto para tudo, no Laos estes percevejos são comidos, saboreados justo devido seu forte cheiro, misturados com pimenta e uma pitada de catch up… Mas se você é daqueles ricos excêntricos que gostam de experimentar tudo que é importado talvez já tenha comido percevejos sem saber, pois são ingredientes de uma pasta chamada “cheo”, que também contem chilis e ervas… ( agora fui pêgo pelo mesmo instinto malicioso e estou fazendo aquela mesma careta de riso das larvas, rindo dos ricos… kikiki…).

Mas… o que isto interessa à nossa Matrix/DNA Theory?  Hummm… tem alguns segredos, alguns detalhes muito interessantes na vida destes bichinhos… principalmente no tocante ao seu ciclo de vida, que é um tema muito importante na evolução da vida, e no tocante às cinco antenas dos percevejos , pois estamos procurando onde diabos foi parar as antenas dos insetos que nós perdemos na evolução, e no cérebro humano foi encolhida até ficar uma pequena glândula lá no centro do nosso cocuruto. Eu quero minhas antenas de volta!

Seja como fôr, é sempre válida mais uma pesquisa dêste fenomeno, pois ela pode nos fornecer uma luz no sentido prático para resolver-mos um grande problema que prejudica nossas vidas. Êsse inseto é uma praga na agricultura, portanto, culpados da morte de milhões de humanos a quem faltou alimento, eles enveredaram pelo caminho errado da super-especialização num nodo de vida ( o cheiro é uma quimica mantendo-os livres de predadores), estacionaram aí e nada mais tem a fazer pela evolução, a natureza já os condenou ao perecimento eterno, temos que apenas acelerar ajudando a Natureza e elimina-los da existência. E o segredo para isso pode estar na sua genética.

Ovos de insetos como persevejos

Êsse bicho tem o nome cientifico de “pentatomidae” porque tem cinco antenas!, apesar de que eu só vejo quatro. Para que tantas?! Como e porque se desenvolveram estas antenas e justo nesta espécie?  Quando os ovos se partem, a larva imediatamente nasce com a forma de jovem adulta, e então se torna uma completa adulta em um mês. Porque o percevejo nasce como miniatura de adulto e tem apenas 3 seguintes formas de desenvolvimento (ovo, larva ou ninfa, adulto), é dito que tem uma disfunção de incompleta metamorfose, que muitos outros insetos, como môscas e borboletas, progridem de ôvo, para larva, para pulpa, e adulta.

Bem,… aqui o danado do “mister sorriso fedorento” tocou fundo na nossa visão do mundo! Eu nunca pensei que isso seria possível, pular uma fase, uma forma da sequencia do ciclo vital. É como se um humano embrião, ao nascer, sofresse uma súbita expansão e transformação, com a forma de 18 anos e se apresentando para servir o exército! Ora, quem sofreu essa súbita expansão e transformação ao nascer foi o Universo! – segundo a visão de mundo acadêmica, não a nossa. Mas isto me faz correr a buscar uma explicação na fórmula da Matrix/DNA, então vamos trazê-la para cá:

Matrix/DNA as software/diagram of astronomic closed system

Matrix/DNA as software/diagram of astronomic closed system

Esta fórmula representa um corpo qualquer dentro de um ciclo vital fechado que torna o corpo auto-reciclável, constituindo assim um sistema natural completo, perfeito, fechado em si mesmo. A forma de ôvo está representada na F1 – o vórtice nuclear turbilhonar. Dêle nasce o ovo ou semente dependendo de que tipo de corpo seja, na F2, parte para F3 que é a forma de criança/adolescente na F3, chega na F4 que é a forma da maturação sexual e inicio da forma adulta. Pois o danado do percevejo “pula” F2 e F3, caindo direto em F4 !!! Nesse pulo ele desenvolve mais antenas. Terá algo a ver? Terá expressado genes para antenas ao invés dos genes normais de crescimento? Se sim, porque?! O que tem a ver a invenção incomum do seu mal cheiro com isso?

Não resta duvida, o danado do persevejo tem cartas escondidas nas mangas, ele está ocultando segredos terríveis, que nos levariam a melhor entender o mundo! Acho que é mais por isso que o danado nasce rindo! De nós, pobres e ignorantes humanos.  Mas eu vou me agarrar em seus calcanhares, quero ver tudo, desde quando ele era um monticulo de atomos, como se desenvolveu sua anatomia, etc., onde e como ficou incubadas a F2 e F3, como formas de um corpo podem ser transformadas em antenas… Algo muito sutil já me desponta como intuição: sabendo-se que na verdade as formas F’s nada mais são que o aspecto particula ( e não o aspecto onda) do fluxo de energia/informação que corre no circuito do sistema, e sabendo-se que antenas estão relacionadas com a captação de informações… parece que não é impossivel ao fluxo dar estes pulos.

Meus comentarios na Internet:

PHARYHGULA 

Are we all ready to wake up and face the world?

http://freethoughtblogs.com/pharyngula/2014/02/10/marys-monday-metazoan-are-we-all-ready-to-wake-up-and-face-the-world/

Ver aqui os interessantes comentarios

Meu comentario postado no Pharyngula:

louismorelli

10 February 2014 at 3:33 pm (UTC -6) 

From Matrix/DNA Theory perspective, this information is very important and it opens a new branch for research. Why and how this insect jumps two shapes of life’s cycle process?!

The quickly expansion and transformation at birth is a possible existent mechanism in Nature – if the current standard academic model is right: the Universe did it.

But, instead developing the normal two shapes, this body developed antennas. Since that the life’s cycle process transforms the shapes of a body, then, fixing each different shape and keeping the sequential connections of that cycle creates a new system, we know that the process of life’s cycles is the internal circuit of systems that carries on the energy/information about the system.

And knowing that antennas are related to “informations” ( captation of external informations), we can preview that instead expressing the normal genes for development, this DNA triggers signals that express genes for antennas. This is very interesting because we are trying to understanding why, when, and where we loose the insect’s external antennas, and they has collapsed to a small glandula inside the brain.

This research also is beneficial since that this stink bug is a prague in agriculture, we need eliminate its existence, and the secret is hidden in its genetics. There is an article opened for this research at our website.

Resposta ao meu post, de:

=8)-DX

11 February 2014 at 8:47 am (UTC -6) Link to this comment

@louismorelli.. #8 such an odd SPAM – it’s so Chopra-esque!

Those stink-bugs look purrty =)

Minha resposta a =8)-DX : 

louismorelli

11 February 2014 at 3:19 pm (UTC -6)

8)-DX You say: “… such an odd SPAM – it’s so Chopra-esque!”

Are you kidding me?! Are you here as psychoanalyst or someone interested on natural phenomena? Yours comments represents this bad doctrine being taught at schools today: reductionism for collapsing human intelligence towards mechanicism. What about systemic view, which is the basics of my post above? It is not my fault writing English with grammatical errors that makes you didn’t understanding nothing of my post, it is total unknowledge about natural systems. I respect the search for knowledge about consciousness doing by Chopra but I don’t approve his kind of fanatic beliefs, I have nothing to do with Chopra.

Stink-bugs look purrty? As pretty? These insects are a prague in agriculture, so, they have killed millions of human beings missing food, they are our enemies. Their bad smell is a chemistry for defense against predators, so, they are free for population grow, but they have super-specialized in a way of living, and stopped here, closing the doors to their evolution. They have nothing to do here, anymore. Nature has condemned them to extinction, it is a question of time. This planet will change, will not support life here, those species accommodated will disappear. Eliminating them from existence is helping Nature’s work, which normal process is transforming the initial state of chaos of this salvage biosphere into a state of order. Stink bugs are resistance of the chaos forces. Before doing that, they are useful due their singular expression of ancient natural mechanisms that reveals new knowledge about the broader horizon of Nature.

Yours comment “look purrty” is a spam, it does not contributes anything to our knowledge. The issue about systems is such unknown by you that it seems “mysticism”, then, you quick made the imaginary link with these mystical people talking about cosmic consciousness. Nothing to see one with the other. You, as human body, is a system, and while you and yours school does not understanding it human kind will be victim of these milenar diseases like cancer, diabetes, etc. because these diseases are produced by the invisible identity that emerges from a body as a system. Go to my website learning something about system, or you will be lost in the darkness, forever… Why the stink-buggs jumps two shapes of the vital cycle ( as a human embryo jumping the shapes of baby and child, borning as being 18 years old? If you know the natural formula for life’s cycles that build systems, the aspects of waves and particles taking by the flow of energy/information, you should see here, at this event exhibited by the stink-bug, how the waves are accelerated and surpass two particles phases. When the stink-bugs reveal that Nature has this mechanism, quickly your mind leave here the stink bugs and go to Cosmology, re-thinking our models and calculations about the formation of this Universe, because our cosmological models are suggesting that this mechanism was applied there. This is systemic thought, there are no limits inside the hierarchy of natural systems.

xxxxx

Mas chega de especulações, vamos ao trabalho duro iniciar a pesquisa:

Wikipedia (Port.) – Pentatomidae ( é o nome cientifico destes bichinhos) , (do grego Pente = cinco, tomos = seção) é uma família de insetos pertencentes à ordem Hemiptera. Suas antenas têm 5 segmentos, por isso o nome Pentatomidae. Os Pentatomídeos se alimentam de plantações de gergelim. Por isso às vezes é considerado uma praga agronômica.

Wikipedia Inglês ( como sempre tem muito mais informação):

The stink bug, also called stinkbug, derives its name from its tendency to eject a foul smelling glandular substance secreted from pores in the thorax when disturbed. The chemicals involved include aldehydes, making the smell similar to that of coriander; whether or not a human finds the smell unpleasant or pleasant may be genetic. In some species the liquid contains cyanide compounds with a rancid almond scent. This is a form of antipredator adaptation.

Pesquisar o que é aldehydes, etc. para ver como estas substancias se relacionam, como catalistas ou não, com o processo do ciclo vital.

( continuar a ler Wikipedia e depois googlar)

xxxxx

Texto extraído de:

BIOINTERACTIVE

http://www.hhmi.org/biointeractive/pearls-or-stink-bug-eggs

You can tell that these eggs are ready to hatch because the baby stink bugs, called nymphs, are clearly visible. The two red dots in each egg are the fully developed compound eyes of the nymph. Each egg is 0.7 mm in diameter—about the width of a pencil lead. Upon hatching, the nymph will have the form of a tiny adult, and then shed its cuticle five times to become an adult in a about a month. Because the stink bug hatches as a miniature adult and has only three major stages of development (egg, nymph, adult) it is said to undergo incomplete metamorphosis to distinguish the process from the complete metamorphosis that most insects, such as fruit flies and butterflies, undergo, progressing from egg, to larva, then pupa, and adult.