Posts Tagged ‘ADN’

Mecanismo de Reparação de Erros do DNA: Explicação pela Matrix/DNA Theory

quinta-feira, outubro 27th, 2016
xxxx
Esta explicacao me ocorreu agora ao ler um debate num video, cujo link e’:
( Titulo: Jack Szostak: Reconstructing the First Cells)
and one more question to Jack, It is regarding DNA repair: How the cell knew, that the DNA is unstable and there will be DNA copy-errors after each DNA division? How the cell knew there will be a lot of errors? Where the DNA repair mechanism came from?
Louis Charles Morelli – Out (10)/27/2016
I am not Jack and I am sure his answer would be different. From Matrix/DNA Theory the answer is: The building blocks of DNA ( a lateral pair of nucleotides) are reproductions of a unique system ( the system is LUCA, as you can see its face at our website). Like among 8 billions humans there is no one exactly equal like other, these building blocks are different because the sum of them composes the system in a larger size (which is the complete DNA). It is like small fractals composing a big fractal. So, the copy of building block that had some error will be corrected by the circuity of the larger system.
The problem is that only Matrix/DNA got the real complete and working natural system Academic science does not know it. Then, the academic science does not know to think systems. They are confusing system with parts of systems and processes between parts. Like Dr. Jack here says that membrane is a system. It is not, it is a part of a system, the system is the cell. Every natural system has its own identity ( a kind of mind of the system) which is composed by the sum of information of all parts, plus the information that arises inside the system due interactions among parts. If it is an opened system, there are the information with the external world also. This identity performs the energetic/informational circuity of the system, which is its identity. Like te brain produces the mind. And this happens with all natural systems, from atoms, to galaxies, to cells.
We can think with an example: We have a social system called USA. The social system is composed by individuals, which are systems themselves. If are born criminals that prejudices the social system, the criminal is expelled or corrected in the jail. Where humans’ social systems learned doing this? Humans social systems are big fractals coming from smaller fractals which already was doing it, like the DNA.

Como e porque um reptil se transformou em mamifero!

domingo, setembro 7th, 2014

  Artigo precisa ser revisto, corrigido, refeito. Ver no Word se tem artigo com titulo: O maior ato heróico… ( no website já foi checado e não tem). Acrescentar aqui o artigo que fala da possibilidade de o maimefero ter surgido na agua. Cadê a foto do cianodonte?

  Pela lógica natural Neo-Darwinista, os mais fortes são selecionados, multiplicados e dominam o ecossistema, portanto, os dinossauros teriam evoluido e hoje ocupariam o lugar dos humanos, tendo a nossa inteligência e a nossa mania de dar ponta pé num pedaço de couro de vaca arredondado e cheio de ar que chamamos de bola! Os carros seriam gigantescos, nas escadas rolantes dos Metrôs teriamos que ver onde pisar pois haveriam muitos rabos, e… imagine o tamanho e a forma dos vasos sanitarios!

Mas um réptil gaiato que não era um dinossauro, e sim um dos menores, e ainda uma fêmea, desafiou todas as leis da lógica Neo-Darwinista com suas fábulas mitológicas de queda de meteóritos causando extinções em massa, e mudou tanto o curso da Historia que ao invés de dinossauros vendendo pipoca nas ruas, hoje existem humanos fazendo isso. Bem… talvez ela não tenha agido segundo a imediatista e sempre equivocada logica da biosfera em estado caótico terrestre, mas sim sob o comando irresistivel de uma lógica maior do Universo. É o que os modelos da Matriz estão sugerindo.

xxxx

Cianodonte Fêmea: A Maior Heroína da Evolução?

xxxx

Para que função ou utilidade pratica o Intelligent Designer dos criacionistas criou os crocodilos quando criou as espécies uma a uma? Pelo que vi no Pantanal do Mato Grosso, foi para comer nossas pernas! Mas me retrucaram que a função do crododilo é comer bichos menores que proliferam como ratos e assim manter o equilibrio ecológico. Nossas pernas entram no cardapio crocodiliano como sobremesa. Perguntei porque então foi criado um sistema de proliferação dêsses… “Ora, para justificar a criação de crocodilos…”.  Os criacionistas sempre me deixaram boiando na maionese… Porem, o homem revelando-se melhor projetista, matou alguns crocodilos, tirou-lhes o coro, usou-o para fazer sapatos e botas para proteger suas pernas de serem comidas por… crocodilos! Acontece que quando o crocodilo põe os dentes na bota com seu proprio coro, desconfia que la’ dentro ao inves de uma perna possa ter um irmao de sua especie, e como ele nao e’ canibal, sai fora… “Esse tar de homi e’ esperto e porreta… esse bicho tem futuro!”

A base da transformacao do reino dos repteis em reino dos mamiferos foi simplesmente a maneira de tratar os ovos. Os repteis botam os ovos fora, abandonando a prole `a propria sorte; os mamiferos mantem os ovos dentro ate’ que os filhotes nascem mais preparados para sobreviverem. Isto quer dizer que ao menos numa especie de reptil, as femeas comecaram a terem seus corpos transformados, desenvolvendo toda a parafernalia da gestacao embrionaria. Mas porque um animal praticamente sem cerebro, de sangue frio, que existe quase apenas como uma maquina para devorar comida e sobreviver, que precisa da maior destreza, versatilidade fisica, velocidade, etc, para a caca e a defesa, se nao quiser morrer de fome, de repente morre de amores por seus ovos, nao quer larga-los de jeito nenhum, fica segurando o bico da coisa para nao deixar os ovos sairem, e assim de geracoes a geracoes, por milhoes de anos, ate que de repente nao era mais um reptil e sim estava fazendo “meeeee'” como uma vaca?!!! Voce teria uma explicacao para o caso do Joaquim, que acreditava que a urina daria um bom vinho, que quando tinha que urinar, ficava segurando a urina o maximo que podia, esperando assim que esse ato repetido por milhares de seus herdeiros futuros, resultaria num belo dia num deles urinando vinho?  Pois e’ isto que a logica neo-darwinista quer botar na minha cabeca… Quantas femeas sentiram aquelas dores terriveis que poderiam ter sido evitadas simplesmente botando os ovos fora, quantas femeas repteis morreram apenas porque a enorme barriga as impediram de cacar a presa… porque teimaram nisso?!!!

Quando eu ia comer na casa-restaurante de palafita feito nas margens do Amazonas da Dona Eustaquia eu sabia, pelo omelete servido, se quem estava na cozinha era ela ou sua fogosa e adoravel filha. Pois esta mexia os ovos na frigideira da mesma maneira que mexia os ovos dos clientes na cama. Portanto a moral da historia e’ que pelo omelete se conhece a omeleteira, pelo tratamento dado aos ovos sabemos quem foi a especie , no caso, se reptil ou mamifero.

Esqueca Jesus Cristo, Joana D’arc, El Cid, Tiradentes, Luther King… esqueca todos os herois humanos, pois heroismo mesmo, o maior ato heroico de todos os tempos, em nome da Evolucao da Vida, foi acao de uma reptil! E agora estou falando serio! Ao inves de quando voce abriu os olhos pela primeira vez na sua vida, estar ja’ cansado de tanto chutar e esmurrar as paredes de um ovo, e ver uma paisagem selvagem, talvez a enorme bocarra de uma serpente esperando-o, sentir um frio e uma fome dos diabos,… voce hoje nasce baby ja formado, numa maternidade limpinha, leitinho nos peitos da mamae, fraldinha limpa… ao inves da boca da serpente ves a boca de um bicho grande mas amigavel fazendo bilu-bilu… e sabe gracas a quem? `Aquelas milhares de femeas repteis que sacrificaram suas vidas, cada uma acrescentando um detalhesinho a mais de complexidade nos seus quadris !… (nao so detalhes funcionais mas tambem esmeirando-se nos detalhes esteticos, tanto assim que o resultado final hoje saiu gostoso pra cara…, pra caramba!)

Tanto que quando eu estava na selva observando jacares e lagartos e senti essa historia de heroismo, minha primeira vontade foi a de construir um altar  e sobre ele colocar uma femea lagartixa embalsamada, acender a fogueira e prestar culto de adoracao… ou entao dar um longo e afetuoso beijo de gratidao na boca de um crocodilo…

Porem… reptil na realidade e’ uma  forca de destruicao, quase uma maquina, sangue frio, sem quaisquer tipo de sentimentos, nem mesmo deve saber ligar os filhotes que ve sairem de um ovo ao seu proprio corpo, tanto assim que eles mesmos devoram os proprios filhotes… Sentimento maternal numa lagatixa? Nao me faca rir porque me cai a dentadura. Claro que a femea reptil nao agiu heroicamente por ela mesma. Elas estiveram agindo automaticamente como zumbis sob a voz de um comando, que inseria instrucoes dentro do corpo delas, a nivel de DNA. Qual o misterioso personagem por traz deste comando de instrucoes?!!!

Sei que se algum Darwinista tivesse a pachorra a ler algo que este misero Ze’ Ninguem escreve, talvez risse `a vontade e com um ar condescendente de quem sabe das coisas e as explica para uma crianca curiosa cheia de imaginacao errada, explicaria que essa transformacao foi uma lenta serie de mutacoes ao acaso selecionadas e passadas de geracao a geracao, etc.. Certo dia -diria ele – uma reptil nasceu com o canal excretor mais apertado que o comum, tinha enorme dificuldade e muitas dores na excrecao, mas o tempo maior que os ovos permaneciam dentro dela fazia com que, quando os filhotes botassem a cabeca para fora dos ovos no meio das rochas, ja estavam um pouquinho mais maduros e aptos a sobreviverem, sendo assim selecionados e seus filhotes herdaram essa anomalia, e nova mutacao inventou um tipo de placenta dentro do reptil ja prevendo que no futuro o ovo se transformaria em filhote e precisava alimenta-lo antes de solta-lo ao mundo…

Bem… na verdade o Darwinista teria exposto os eventos e resultados de forma correta. A cru e grosso modo, para um observador alienado que apenas ve as coisas acontecerem sem refletir sobre causas e efeitos e sem localizar o fenomeno nos inconmensuraveis tempos e espacos cosmicos, as coisas acontecem e pronto, o Deus Magico dos outros explicadores antigos e’ substituido pelo Acaso Absoluto Magico, capaz de prever o futuro e saber inclusive que corpos materiais em estados etarios  e formas que nunca existiram iriam surgir e precisar de reserva previa de alimentos… E ponha nisso mihoes de fortuitas e felizes ocorrencias mutacionais ao acaso que seriam necessarias para transformar o simples aparato excretor de repteis na extraordinaria engenharia da embriogenese que surgiu na especie humana! Ele escolheria o caminho facil da ironia e desprezo ao inves de ir na selva infernal, esconder-se no matagal horas a fio observando a colonia de jacares-acanga do Territorio dos Jamanxins, estudando-os pelo metodo da empatia, ou seja, “auto-exorcismo do ego”, ou seja, anular-se o seu “Eu” e o seu corpo, e viver o momento do “Eu e corpo do jacare”, buscando compreender sua historia e comportamento. Como fez o Mestre Darwin com os pasaros ornitorrincos a ponto se sentir-se com bico ao inves de boca e ter a fantastica ideia da Evolucao, e como fez aqui esta “crianca” para ter a estranha ideia da Macro-Evolucao Universal, a Matriz, softwares naturais, etc. Enfim, nem eu, nem ele, e nem os partidarios da teoria do deus magico que teria descido dos incomensuraveis reinos dos megaversos para vir aqui atuar no palco deste planetinha perdido no Cosmos, tem provas para suas teorias, apenas o tempo tera’ a ultima palavra…

Observe o modelo do software da Matriz no estado de Sistema Fechado. Observe o modelo do hardware desse software, o building block dos sistemas astronomicos, o qual foi o ultimo nao-vivo ancestral comum de todas as especies de seres vivos… procure ver estes mecanismos de botar os ovos fora e/ou mante-los dentro. A solucao para este misterio que nunca homem algum resolveu antes… vai surgir para voce. Se nao matar a charada, volte a este artigo mais tarde, que, quando eu tiver tempo, a exporei aqui. Ate’ la’ boa sorte na sua aventura com os ovos de repteis e mamiferos, e veja la’ que tipo de tratamento produzira’ seu omelete…

DNA:Aceita ou não uma mutação para melhor?

domingo, novembro 28th, 2010

Registrado para retornar a ler:

Journal Molecular Evolution
DOI 10.1007/s00239-010-9408-1

http://www.springerlink.com/content/b628621138157551/fulltext.pdf

Evolution of Prokaryotic Genes by Shift of Stop Codons
Anna A. Vakhrusheva • Marat D. Kazanov •
Andrey A. Mironov • Georgii A. Bazykin
Received: 28 July 2010 / Accepted: 29 October 2010
 Springer Science+Business Media, LLC 2010

Introduction

 

 

Although most new genes originate by duplication of preexisting

genes (Ohno

1970; Lynch and Conery 2000; Lynch2007

have also evolved out of non-coding sequences (Cai et al.

; Vitreschak et al. 2008), new protein-coding genes2008

are rare, because immediate functionality of a long previously

non-functional sequence is rarely easily achievable,

and translation of a long segment of such sequence is nearly

certain to be deleterious.

Conversely, recruitment of short regions of DNA for

fulfillment of various functions is wide-spread. This is

probably because shorter novel functional regions are more

likely to be immediately adaptive, or at least not too deleterious.

For example, non-functional DNA readily evolves

into short regulatory sequences

; Zhou et al. 2008; Li et al. 2010). However, such cases

O Astro Criador do ADN (DNA)

domingo, setembro 5th, 2010

(Escrevendo outro artigo sobre assunto que não é o ADN (DNA), por acaso escreví o seguinte texto que achei bem elaborado e precisa ir para o Capitulo … de “O Que é a Matriz”) 

Os modêlos da Matriz sugerem que dos 7 tipos de astros conhecidos, 6 são derivações de formas de um unico astro. Destas 6 formas , duas (pulsar e buraco negro) são procriadoras sexuais cujas funções correspondem aos dois complexos nas hastes laterais do ADN (DNA). São relacionadas ao fenótipo. As outras 4 (astro-baby, planeta, estrela e cadáver estelar) são variaveis cujas funções correspondem às quatro bases nitrogenadas do ADN (DNA). São relacionadas ao genótipo. O sétimo astro, cometas, é o elemento replicador ou reciclador, cuja função corresponde à base nitrogenada do RNA, uracila.

Meu Genoma, Meu Eu

domingo, janeiro 11th, 2009

 Baseado no artigo:

 My Genome, My Self 

By STEVEN PINKER

Published: January 7, 2009 

New York Times:

http://www.nytimes.com/2009/01/11/magazine/11Genome 

  –  Psicologos modernos: “Ninguem sabe quais sao as causas nao-geneticas da individualidade.”

– Matriz: “Nao existem causas nao-geneticas. Existem causas geneticas que voces desconhecem.” (Artigo sob construcao e discussao) 

    . A primeira e mais influente causa genetica da individualidade e’ a mutacao individual de cada reproducao do ultimo DNA ancestral nao biologico. Para esta Terra veio um unico DNA, de uma unica criatura. O motivo pelo qual ela veio foi um erro comportamental transgredindo as leis naturais. O processo que a trouxe foi a entropia: portanto ela nao veio por livre e espontanea vontade, ela aqui caiu. O motivo da Natureza ter aplicado a colapsante entropia foi a intencao de corrigir um carater reprodutor de transgressoes. O processo de correcao consiste em fragmentar o carater erratico em todas os suas unidades de informacao, reorganiza-las novamente porem cada nova copia com uma minima mutacao, a qual sera diferente de todas as outras mutacoes, cada mutacao sugerindo um diferente novo tipo de comportamento, significando uma peculiar e distinta escolha e tentativa de acertar o otimo estado natural. Sera pela sintese final da convivencia, dos conflitos, dos confrontos, das experimentacoes, dos acasalamentos e agrupamentos, destas varias individualidades, destas varias sugestoes do novo caminho, que sera gerada a verdadeira e final individualidade filha do ancestral nao-biologico.

 

Portanto, as causas da individualidade sao geneticas, porem, como o transmissor dos genes esta dentro de nos e nos estamos dentro dele, estas causas atuam por meio dos genes internos a nos e por meio dos genes do ancestral que modulam o meio-ambiente, externos a nos. Por isso a genetica comportamental tem se confundido entre causas geneticas e causas culturais/ambientais.