Posts Tagged ‘Astronomia’

Exoplaneta Faz Astrônomos Revelarem que a Formação de Planetas Ainda é um Mistério

terça-feira, janeiro 10th, 2017

xxxx

Hubble Detects Signs Of A Young Exoplanet

http://www.msn.com/en-us/news/technology/hubble-detects-signs-of-a-young-exoplanet/ar-BBy4RbS?ocid=wispr

Eu não consigo entender isto. Basta ler qualquer livro pedagógico destinado a educação escolar que se encontra detalhadamente descrito o processo de formação de planetas, estrelas, etc. Nem avisam mais que trata-se de uma teoria, vão direto afirmando que os planetas surgem assim e assim. Mas só os educadores burocráticos que elaboram ou aprovam este curriculum escolar que “sabem” a verdade, pois os cientistas astrônomos não sabem! Vejamos este paragrafo nesta notícia (traduzido a seguir):

Scientists hope that by studying the protoplanetary disk around TW Hydrae, they would be able to understand exactly how planets form — a process whose exact mechanism is still shrouded in mystery. (Os cientistas esperam que estudando o disco protoplanetário em volta de TW Hydrae, eles poderiam ser capazes de entender exatamente como o planetas são formados – um processo cujo exato mecanismo ainda esta’ envolto em mistério.)

Pois bem, estão mentindo para nossos filhos, esta nova geração de cuja visão do mundo vão depender eles e as próximas gerações para sobreviverem ou serem extintos para sempre. Na minha opinião esta mentira tem um motivo: eliminar a idéia de algum sentido sublime para a existência incutindo definitivamente no ideário humano que toda existência é obra do acaso. Pois a teoria sendo ensinada se resume em geração espontânea por acaso, dos planetas. E’ a ideologia dos grandes predadores humanos que assim se justificam no seu comportamento de rapina a seu bel prazer, pois não terão que enfrentar nenhuma justiça sublime alem da humana que eles mesmos elaboram.

Como eu não mantenho nem o instinto animalesco para predador nem o instinto para ovelha – porque vim da desclasse social desideologizada – fui buscar a minha própria visão de mundo e nessa busca elaborei uma teoria do tudo que ha’ neste Universo, portanto, também uma teoria astronômica. E nos meus modelos astronômicos, a formação de sistemas astronômicos obedece não ao acaso nem a uma criacao magica de algum magico sobrenatural, mas sim ao processo conhecido para a formação de sistemas biológicos, descontadas as complexidades adquiridas no intermeio evolutivo entre estas duas formas de sistema. E assim como encontrei um motivo sublime na formação celular, este motivo também foi encontrado na formação astronômica. Mas,… ainda é teoria contra teoria, ninguém conseguiu derrubar a minha e eu não consegui derrubar a deles… que ainda esta envolta em mistérios. O que me deixa indignado é essa pregação no estilo religioso transmitindo o que é teoria como se fosse verdade cientificamente comprovada. E fico indignado ainda porque de tudo que vejo na Internet e no mundo hoje em geral eu sou o único no mundo que esta gritando que isso é teoria, não é verdade cientifica, enquanto os pais, que deveriam ser os mais interessados na salvação da mente de seus filhos, se calam inertes. Como parte da minha militância, aproveito sempre a oportunidade de dar uma cutucada nos autores e comentaristas destas noticias, como fiz aqui e copio a seguir:

xxxx

 Louis Charles Morelli · jan-01/10/2017
This is important for several things, but one is fundamental: when you see something that you desire at a long distance, you will find the way to get there. Thanks NASA.
About the planet formation, it is possible that astronomers are forgetting a very important issue. Accordingly to my different method, must have two process for astronomic systems formation, as we had two different process for cellular system formation. One, the first and initial process, was by symbioses. Then, the system learned how to reproduce itself, by self-recycling the resulting dust of a died system. I have all details about the bodies formation at the first process, but I did not get yet the second process. If this is a young system, it must be formed by the second, like our own solar system. We need to search the differences between the symbiontic cellular formation and the automatized cellular reproduction for inferring how our ancestrals astronomic systems do it.
xxxx
Chris Hood ·- Works at Reformou-se
This is not important in our lives. NASA has spent Trillions on worthless endeavors. Stop bleeding us dry. Oh, the military complex is running the show. I guess we need the military in space.
Louis Charles Morelli · to – Chris Hood
Oh, yes… and your opinion is that humanity deal only with the terrestrial issues, till the day that this planet and star – which are under transformations – does not support life here anymore. Thanks to NASA, we will be able to destroy a meteorite before it destroy us, and we will be able to leave at other young planet escaping from extinction here. If we listen you, we will be caught like the dinosaurs.
xxxx
People do not have a clue as to the expanse of the UNIVERSE. Our CREATOR has infinite things going on throughout eternity that mankind has no way of even starting to comphrehend. “The Start (of) Your Life, Your Future” is a book that should be read by everyone on Earth. If you believe what it says it will change your life for the better forever.

Louis Charles Morelli · to – Carol Harmon

“Our CREATOR has infinite things going on throughout eternity that mankind has no way of even starting to comphrehend.”
And because the Universe is so big and complex you has no way of even start to comprehend the Universe, then you prefer the theorists of magical thinking that imagined they know the thru inventing a ghost magical creator and believing that eternity is a proved fact. The unique thing that can be eternal os transformation, evolution, because everything we know are transformed, nothing went to be eternal.

Descoberto Novo Fenomeno Astronomico que a Minha Formula Previu a 30 Anos Atras! Todos os Dias Isto Esta’ Acontecendo. Ate’ Quando?

sexta-feira, julho 8th, 2016

xxxx

Pela primeira vez na historia da Astronomia, um humano viu mais claro o que existe no núcleo de um sistema astronomico em formação, a Nebulosa do Caranguejo (The Crab Nebula). E o que viram surpreendeu-os porque não estava previsto no modelo teórico acadêmico oficial de astronomia (Veja vídeo abaixo e o link para o artigo).  Segundo a noticia, no núcleo central tem uma estrutura girando a uma velocidade estonteante, pois ela completa 30 rotações sobre si mesma em apenas um segundo! A NASA emitiu um comunicado dizendo que “a nuclear estrutura é preenchida com misteriosos filamentos que não são apenas de tremenda complexidade, mas parece ter menos massa do que a expelida por uma explosão de supernova e maior velocidade do que esperada de uma livre explosão”. E dizem isso baseados na teoria acadêmica para a qual toda essa nebulosa foi o resultado da explosão de uma supernova.

Trago aqui abaixo o desenho feito nos joelhos com lápis e folha de caderno `a beira de um pântano na selva amazônica sob o sol tórrido de 40 graus e com mil piuns e carapanãs sugando o sangue de minhas costas e bracos. O desenho era o esboço de uma imagem que formei na mente sobre qual seria o sistema natural misterioso que estava oculto naquela sopa pantanosa primordial e tinha as informações para conectar átomos terrestres da maneira como originou a Vida na Terra. Seria a anatomia de uma unidade de building block deste sistema astronomico que produziu a vida aqui e dentro do qual ainda existimos. Este building block seria projetado na superfície deste planeta através de fragmentos que eram seus genes-bits-informações como os fótons que vinham do Sol e cozinhava meus miolos. Um desenho que foi registrado na década de 90 para copyrights em Brasilia e em Washington, portanto não ha’ como nega-lo. E basta olhar no desenho para ver o que apenas agora o homem viu de fato:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

( Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.)

E de cujo desenho extrai sua alma, ou seja, seu circuito de informações, na forma de uma formula/software:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software.

Pois bem.

a) Observe no desenho o cone rotativo no lugar de núcleo, definido como Função 1. Foi percebido agora que no núcleo ele tem uma especie de rodamoinho, ou como a NASA disse, uma especie de “tsunamis”. Mas enquanto imagens de 5 ou 10 anos atras não existiam, todo astrônomo insistiria que o núcleo do sistema conteria um buraco negro, pois é isto que dizem de todos os núcleos de sistemas astronômicos alem dos estelares. Creio ser claro que os novos dados descrevem a figura do meu desenho e jamais poderiam se referir a um buraco negro. 

b) Segundo a teoria acadêmica, a Nebulosa do Caranguejo, é um sistema novo em formação. Pela imagem, e sob a perspectiva do desenho, concordamos plenamente. Mas se e’ um sistema novo em formação ainda,  o desenho sugere que a nebulosa se limita a área circundante de Fi, do cone, onde o desenho diz estar o horizonte de eventos. Pode existir ali alem da F1, as sementes de novos astros que são F2, mas nada alem disso, não tem F3, F4, etc. E basta ver a imagem do Hubble para ver a correção da previsão do desenho.

c) Outra nova informação noticiada é de que ” a nebulosa apresenta misteriosos filamentos de extrema complexidade”. Misteriosos filamentos? Extrema Complexidade? Concordo que assim parece para quem se baseia num desenho teórico errado, o qual – ou seja – a chamada Moderna Teoria Nebular – nada sugere sobre tais filamentos. Mas para quem esta vendo a imagem baseado no desenho da selva não existe mistério algum, pois os filamentos estão muito bem explícitos no desenho. São as linhas espirais de um cone em espiral sob rotação, as quais depois, com o desenvolvimento do sistema, se amplia como espiral e torna-se como os bracos espiralados da Via Láctea.

Extrema complexidade? Claro que essa complexidade vai de encontro a um modelo tao simples pelo qual sistemas astronômicos surgiriam espontaneamente de uma nuvem de poeira cósmica formando uma estrela no centro e planetas rochosos ou gasosos com o resto do material pelo simples rodopiar da nuvem. Mas para quem vê a imagem baseado no meu desenho, e que já viu nele todas as expressões das propriedades que mais tarde se tornaram vitais compondo o super-complexo sistema reprodutor feminino, ao contrario, esta sendo um pouco decepcionado porque a complexidade imaginada no desenho e ainda mais simples. Apesar de que a complexidade real do cone rotativo não se poderia ver ainda nestas imagens, pois a luminosidade central não  permite ver tudo o que esta’ oculto no núcleo. Como diz o autor do artigo, “It is proven that looking beyond the exterior of crab nebula is not an easy feat. ( Foi provado que ver algo alem da camada exterior da nebulosa não é uma tarefa fácil”). Portanto, tem filamentos e complexidade. Ponto total para a Matrix/DNA Theory.

d) Diz o enunciado que ” verificou-se menos massa do que a expelida por uma explosão de supernova e maior velocidade do que esperada de uma livre explosão”. Mas jamais lhes passa pela cabeça questionar a “explosão de uma supernova”, desde que não existe nenhum fato cientificamente comprovado ligando as origens da nebulosa com uma explosão de uma estrela. No meu desenho/modelo não existe explosão alguma e muito menos formando novos sistemas astronômicos. Explosões destroem, não constroem. Nunca ninguém filmou uma sequer explosão de qualquer tipo de astro. O meu desenho diz que acontece a implosão, ou seja, o colapsar de um astro – velhos planetas a que chamei de pulsares e ocupam a posição da F4 na formula, depois que o núcleo vem comendo de dentro para fora as camadas da crosta e esta se torna tao fina que colapsa para o centro do astro, liberando então um enorme clarão de energia, demarcando o transformar, ou seja, o nascimento de uma estrela, uma supernova. Mas toda supernova se torna supervelha como o nosso Sol esta’ se tornando, e sua morte sera’ lenta, com a perda gradual de sua massa e energia degradadas, sem explosão alguma. Esta massa e energia de um cadáver estelar contem algo que nunca é destruído, pois nunca foi destruído nestes 13,7 bilhões de anos do Universo: a formula para sistemas astronômicos, a Matrix/DNA. Assim como o DNA dos seres vivos na Terra já tem 3,5 bilhões de anos e nunca foi destruído – porque ele também é a Matrix/DNA. Se um sistema esta’ sendo formado, tem que ter instruções inseridas na matéria para formação de sistemas. Senão, teríamos que apelar para a existência de algo sobrenatural vindo de fora da nebulosa com as informações, instruções, para o sistema ser formado. Assim como apenas é formado um novo sistema-corpo humano quando ali, naquela nebulosa disforme de células chamada de morula, esta’ inserido o código de instruções, o DNA, que vem de um sistema anterior ou ainda existente. Raios, como questionar esta logica cozida com ferro e fogo na beira de m pântano onde a Natureza crua e as ainda únicas testemunhas das origens da vida, mais os raios infalíveis da luz do Sol sem os quais não existe vida, estão sussurrando suas historias para um cérebro curtido pela Natureza?!

….

Ao invés de comemorar, todas as vezes que estas novas informações estão dando mais credito a teoria da Matrix/DNA e estremendo os alicerces da Teoria Oficial Academica, eu sinto pesar e tristeza. Pois o meu supremo objetivo neste mundo é atuar de alguma pequena maneira possível que seja para dar um empurrãozinho nas nossas próximas gerações para irem no caminho certo, para um dia chegarem na grande Verdade que eu nunca vou conseguir chegar. Mas a Humanidade esta’ sendo dirigida por outra visão do mundo diferente da minha. Se  a minha estiver errada, ninguém alem de mim perdeu nada com isso, a Humanidade tem a possibilidade de estar indo onde eu sonho que ela deve ir. Mas se a visão de mundo que a Humanidade esta’ seguindo estiver errada… Todas as civilizações experimentadas até agora foram alicerçadas sobre uma nova visão do mundo que surgiu como certeza das cinzas de outra visão errada. E se todas caíram, é porque os alicerces estavam errados, eram castelos feitos sobre a areia.

E’ preciso conhecer e debater estas diferentes interpretações dos fenômenos naturais, quando os fatos a cada dia estão aconselhando-nos a assim proceder, pois a mente dos nossos jovens estão sendo formadas por uma visão de mundo que determinara’ seus destinos. O ser humano que vê as origens do seu próprio corpo desconectadas das origens das nossas ancestrais astronômicas, como a Nebulosa do Caranguejo e a esta Via Láctea, – diz a logica – sera’ desconectado, descartado, por esta Universal Natureza.

  Hubble Captures Beating Heart of Crab Nebula

http://www.natureworldnews.com/articles/24953/20160708/hubble-captures-beating-heart-of-crab-nebula.htm

 

 

Hubble Space Telescope Releases The Largest Picture Of Crab Nebula

Astronomers managed to peek into the core of Crab Nebula by using multiple photos taken by the Hubble Space Telescope in a span of 10 years.
(Photo : NASA via Getty Images)

(obs: legenda não adicionada a imagem e sim postada abaixo e fora da imagem como teste para Google search por imagem. Verificar mais tarde o resultado)

xxxxx

Comentario postado no Youtube, vídeo acima: ( abaixo do vídeo esta’ escrito: Published on Jul 7, 2016 – This video zooms into part of the sky in the constellation of Taurus (The Bull) ending on the inner parts of the famous Crab Nebula, a supernova remnant.

Louis Charles Morelli

Louis Charles Morelli – 7/8/2016
Great job, but it can be a prejudice to Humanity. I am talking about the theoretical interpretation being sold here as a scientific established fact. In the comments below, a poster had a great insight and it is possible he has debunked this theory. Who and when proved that Crab Nebula is the remnant of a supernova explosion? Nobody.
Bob Kull, a poster below, said: ” The formation looks so incredibly organic that it’s hard to believe the universe isn’t alive, but manifesting on a very different time scale”. So, why the academic mindset is composed by experts that has a brain hard-wired different than the common citizen, to the point that the former see an image and interprets it as merely mechanics by chance and the other see the image and has the intuition/interpretation that it is a organic thing?!
We have a different astronomical theoretical model and it suggests that Crab Nebula is the product of a normal slow death of a star and maybe, its system. It is a process of systems’ self-recycling, which was the astronomic primitive and ancestor process of biological systems’ self reproduction. And yes Bob Kull, believe in yours natural reasoning – the Universe is not a living being, but all natural systems inside it are evolutionary steps towards biological life, so, atoms, galaxies had primitive life’s properties.
Any kind of explosion does not build anything. They destroy things. Crab Nebula is a new system recently born, so, the instructions for it to be a system are ” alive” in the dust and entropic energy resulting from a decomposed cadaver of an old system. That’s why Biologists still have not explained how biological life was produced by this galaxy. They bought the wrong model and ideology coming from Physics and its language, Mathematics. They can see a living structure in the space but never will see the biological organization of matter, as when they see a human body and can only to deal with the skeleton and its mechanics. In Matrix/DNA Theory we have a surprised explanation for life’s origins as merely sequitur from cosmological evolution. But, be advised: we can not prove it yet, so, we never forget the mention that it is a theory. In this way, our students keep their minds opened for testing the last generation world view from different perspectives.
xxxxx
E meu comentario postado no artigo:

Louis Charles Morelli · 7/June/2016

Works at Self employed
Everything different than expected from a free explosion?! So, why the hell, to believe that Crab Nebula had as its origins a free explosion that has no scientific conformation?! All these new data are exactly confirmation and right prevision of an existent theoretical model 30 years ago. And these “weird” and “mysterious” never seen traits were very well explained by that model. It is enough to see the design of this model for to see the same image got now by Hubble with all its details. If someone is curious, Google the article “Descoberto Novo Fenomeno Astronomico que a Minha Formula Previu a 30 Anos Atras! Todos os Dias Isto Esta’ Acontecendo. Ate’ Quando?”
Everything different than expected from a free explosion?! So, why the hell, to believe that Crab Nebula had as its origins a free explosion that has no scientific conformation?! All these new data are exactly confirmation and right prevision of an existent theoretical model 30 years ago. And these “weird” and “mysterious” never seen traits were very well explained by that model. It is enough to see the design of this model for to see the same image got now by Hubble with all its details. If someone is curious, Google the article “Descoberto Novo Fenomeno Astronomico que a Minha Formula Previu a 30 Anos Atras! Todos os Dias Isto Esta’ Acontecendo. Ate’ Quando?”

Astronomia: Lista de blogs brasileiros a ver e seguir

domingo, janeiro 3rd, 2016

xxxx

Obtida no blog:
http://astronomy-universo.blogspot.com/2015/12/foto-sabre-de-luz-cosmico.html

Astronomia e Universo (visitado, seguindo)

Acompanhamento de Planetas EXtrassolares (APEX)

Astro News
Astronomia ‘
ASTRONOMIA HOJE
ASTRONOMICANDO – Boletim de Notícias do Observatório Monoceros
Astronoticias UCB
Blog de Astronomia do astroPT
Blog do Astrônomo v2.0
Blog do Rárisson
Blogando Astronomia
Collision M31
Cosmos e Vida
Cosmos Sul
Eternos Aprendizes
Gallatica – Uma galáxia de informação
GæA Astronomia
Imagens do Universo
Jéssica Rocha
Moema Ameom
O Céu
O Mensageiro das Estrelas
Princípios da Astronomia
Quem pedala…
STELLA – Astrofísica Estelar
Ufologia em Busca da Verdade
VIAGEM PELO UNIVERSO
planeta em tempo real

Quando os doutores conduzem na escuridão

segunda-feira, dezembro 14th, 2015

xxxx

Ver video e meu comentário a seguir, neste link: 

https://www.facebook.com/TheMatrixDNA/posts/10207058235087012

A vida humana pode ser resumida a uma estrela morta? Mas esta astrônoma esta louca ou que?! Por acaso ela trouxe aqui para nos vermos e provar sua teoria, uma nuvem de poeira simples, mostrar que ali nada mais existe que poeira, aplicar nessa nuvem a força da gravidade, mostrar o surgimento da estrela, mostrar ela morrendo e tornando-se átomos de ferro, nitrogênio, espalhados no espaço sideral, e depois estes átomos se juntando e tornando-se um corpo humano, uma consciência? Não! Então esqueça, o que ela esta dizendo nada tem de cientifico. isto não e’ Ciência! A Ciência apenas existe onde existem experimentos e demonstrações. Quero ver ela desmanchar um carro com um motorista dentro, em todos seus átomos, da lataria `a borracha aos ossos, e em seguida mostrar estes átomos se juntando e refazendo sozinhos, o carro com o motorista dentro! Isto e’ loucura, ela perdeu o controle de suas faculdades mentais! Mas qual a consequência deste comportamento interesseiro e desmiolado? Gera, cria, e alimenta uma fé, uma crença. E por ela estar dentro da Ciência Humana hoje, por ela e seus camaradas de fé’ terem nas mãos as rédeas da Ciência, eles vão desenvolver a pesquisa, os instrumentos técnicos, intuídos por essa fé’. E assim vão encontrar o que procuram, apenas o que procuram, e tudo o que encontrarem vai reforçar sua fé. A Humanidade tem erigido suas civilizações em cima da sua fé da época. Ate um dia quando os fatos começarem a mostrar que algo esta’ errado, que não e’ o Sol que gira em torno da Terra, e ai, tarde demais, a sua civilização desmorona como um castelo de areia que sempre foi. A causa esta ai no que ela diz: ” E’ tudo muito simples” ! Não, minha filha, e’ tudo muito complexo, milhões de vezes mais complexo do que estas a imaginar. O macaco na selva tambem acha que entendeu o mundo e vê tudo muito simples.O erro dela esta’ no fato que sua visão e pensamento se resume tanto que ela focaliza apenas a visão superficial da estrela, a nuvem inicial de hidrogênio, etc. Ela não pode ver e não quer raciocinar sobre a região em volta da estrela e o que realmente existe dentro da estrela. Pois e’ logico, obvio, racional, que dentro e fora desta estrela, dentro e fora da inicial nebulosa de hidrogênio, havia muito mais coisas invisíveis, desconhecidas. As coisas que atuaram como comando de instrução para produzirem as estrelas, os átomos e depois organizarem-nos em carros e motoristas. Assim como um corpo de bacteria parece muito simples por fora, mas que esconde dentro de si um elemento de extraordinária engenharia, que e’ o DNA, sem o qual, não existiria a bacteria. O outro problema e’ que quando bate a fé, bate junto a cegueira da mente. Esta fica paralisada no mundinho dentro da fé. Essa mente não tem mais motivação e curiosidade para procurar os desconhecidos, os invisíveis, os imperceptíveis ao nosso complexo sensorial e instrumentos mecânicos. Como eu, minha mente, que não caiu nessa armadilha da fé, e descobriu que se existiu algo como a formula da Matrix/DNA, dentro dessa estrela, e na região ao eu redor, ai sim, pode se ver, dentro da mesma logica, emergir carros e motoristas. Mas então a formula não nos leva ao porto de alguma fé, e sim abre as janelas para outras dimensões, grandes mistérios a serem desvendados. Por exemplo, a astrônoma que esta recebendo salario publico na NASA, fala em tabela periódica. Mas com certeza ela ignora segredos profundos dentro da tabela, como aquele que a formula me levou a descobrir: que a cada sete formas de átomos, o átomo morre e renasce outra vez para mais sete formas, sete vidas, porque assim determina o ciclo da força vital, o qual estava escondido nesta estrela e seu time de fé’ ainda não percebeu. Arre! Avise seus filhos para não caírem como patos apressados nesta fé, que não pode ser racional. Junte-se comigo e que não deixemos estes deslumbrados falarem em nome da santa Ciência, principalmente dentro das escolas. Antes que seja tarde demais, antes que roubem a alma, a inteligencia de seus filhos, como já roubaram desta pobre mulher.

 

Astronomia e Formação de Sistemas Astronomicos: Prova de que nao ha’ provas

sexta-feira, novembro 20th, 2015

xxxx

Para a cosmovisao da Matrix/DNA ser comprovada, e’ preciso que suas previsões sobre os modelos dos sistemas astronômicos e processo de formação estejam corretas. Esta tarefa se torna mais difícil porque a teoria sugere que existiram dois processos de formação ( simbiose e reciclagem). Mas todas as outras teorias, inclusive a acadêmica oficial tem este problema porque nunca foi observada a formação sequer de um planeta, o qual, segundo os cientistas, deve demorar 10 milhões de anos. Este artigo esclarece bem esta situação.

 

Astronomers in U.S. watch the birth of a new planet

An artist's impression of planets forming in a circumstellar disk like the one surrounding the star LkCa 15.— Photo: NASA

An artist’s impression of planets forming in a circumstellar disk like the one surrounding the star LkCa 15.— Photo: NASA

– ” The discovery is a boon for scientists who have never before had a real star system against which they can check theories of how the universe came to be dotted with different worlds.”

Vida na Lua Europa: Esta previsao da Matrix/DNA sera testada em breve

quinta-feira, junho 18th, 2015

xxxx

A NASA enviou uma nova missao a Lua Europa, do planeta Jupiter. Europa tem se tornado de extremo interesse depois que se descobriu agua no satellite jupiteriano, e onde ha’  agua, as promessas de vida sao grandes. O meu teorico modelo astronomico que e’ diferente do teorico modelo acreditado pela NASA esta sugerindo que e possivel existir vida la. Porem seria ao nivel microbiano, muito acida e portanto mortal para nos, pois todos os indicios na minha formula indicam que Jupiter e sua lua estao na fase entropica ( e assim a vida la’ estaria em vias de extincao e nao evolucao). By the way, para quem estiver interessado veja o link abaixo onde tem um bom video explicativo, e a seguir o meu comentario postado na noticia da NASA:

NASA's profile photo

NASA

june, 16, 2015

All systems GO for our new mission to Jupiter’s icy moon Europa! Could a liquid water ocean beneath Europa’s surface have the ingredients to support life? This new mission may find out.

https://plus.google.com/+NASA/posts/AUj3vwrdkwj?cfem=1&pid=6161469389948777922&oid=102371865054310418159

Louis Charles Morelli

June/18/2015 – 12:40 AM

If there are life in Europa, it must be mortal, poisoning to us. Due two factors: 1) Europa must be very old, was aggregated to Jupiter when this planet was young and solid. While becoming a gas giant, Jupiter is escaping from Sun’s gravitational force and Europa destiny is to be rocks in the frontier belt. 2)Radiation from Sun arrives very weak at Europa and since that this radiation carries on the seed for life, a long time it has not been strong enough for germinating at Europa or keeping in good health possible life there. These two factors are pointing out that any way Europa is in state of entropy, systemic decay. So, maybe billion years ago could have life in Europa, but due the state of Jupiter and due its location inside a weak vibrational orbital, this life is not going to develop, but going to its extinction. It must be letal to us because it should be very acid.( These suggestions is what I am interpreting based on Matrix/DNA Theory astronomical model)

Assista o Fantástico Universo por este Video obtido pelo Hubble

sexta-feira, abril 24th, 2015

xxxx

Watch: NASA reveals spectacular new Hubble images: 

http://news.sciencemag.org/sifter/2015/04/watch-nasa-reveals-spectacular-new-hubble-images?rss=1

Youtube: Flight to Star Cluster Westerlund 2

Video no Youtube:  https://youtu.be/H5MwOCgzQ6M

 

xxxx

Meu comentario publicado no Youtube e no  Science Magazine ( veja abaixo uma explicação traduzida mais suscinta sobre a imagem)

Avatar

These great images leave me with some questions: Is the Universe a kind of functional, living system, or merely a chaotic portion of mass/energy, or a fossil of our remote ancestral, or a kind of placenta, womb, where is occurring the embryogenesis and formation of a fetus, a natural system that began at the Big Bang  and is under evolution, changing shapes from particles to atoms to galaxies to cell systems and… humans, till consciousness – the last shape as the son of the thing that generated this Universe that will born in a Big Birth? This image could be the way that a hypothetical intelligent particle living inside an atom which is inside a cell of our body see the space internal the cell, if using a telescope. How could such particle having any idea about the cell’s existence, about the organ where the cell is located, and about the body where the organ is located? Maybe the particle could say: “I see dust and gases distributed in a chaotic and no purposeful way…”  Remembering Goedel’s theorem: “Nobody can know the thru about a system standing inside it”, so, any person that have any opinion about the Universe will have merely a theory, to be approved when someone will go to outside and can look back. I prefer the Matrix/DNA theory suggesting the hypothesis of the Universe like a womb, because till now is the unique theory that is absorbing all these images from the space and all new data without changing its astronomical theoretical model and explaining biological systems ( life) as product of cosmological evolution by the model of evolution that Matrix/DNA understand it. The value of human beings collecting all data and connecting them for trying to see the big picture is the difference between our extinction or success as species, because we need the best model as a guide for  walking synchronized with the universal nature. Wrong worldviews means suffering and the threat of extinction. Am I wrong?

Published on Apr 23, 2015 : This visualization provides a three-dimensional perspective on Hubble’s 25th anniversary image of the nebula Gum 29 with the star cluster Westerlund 2 at its core. The flight traverses the foreground stars and approaches the lower left rim of the nebula Gum 29. Passing through the wispy darker clouds on the near side, the journey reveals bright gas illuminated by the intense radiation of the newly formed stars of cluster Westerlund 2. Within the nebula, several pillars of dark, dense gas are being shaped by the energetic light and strong stellar winds from the brilliant cluster of thousands of stars. Note that the visualization is intended to be a scientifically reasonable interpretation and that distances within the model are significantly compressed. Credit: NASA, ESA, G. Bacon, L. Frattare, Z. Levay, and F. Summers (Viz3D Team, STScI), and J. Anderson (STScI)

Specularium: Nova Teoria Cosmológica para Pesquisar

quinta-feira, dezembro 11th, 2014

xxxx

http://www.specularium.org/

Asteróides-Pipas Transportaram a Água Para o Planeta Terra?! Porque não Trouxeram Vinho e Cachaça Tambem?

quinta-feira, dezembro 11th, 2014

É cada uma! Um considerado sério jornal como o The Wall Street Journal publicou este artigo e a minha opinião de que as escolas e universidades estão deixando os alunos totalmente aloprados formando estes cientistas aloprados não poderia me evitar postar a minha opinião seguinte no jornal:

Veja link:

Rosetta Data Support View That Asteroids Brought Water to Earth

http://www.wsj.com/articles/rosetta-mission-data-support-view-asteroids-brought-water-to-earth-1418238237

Direct measurements of the water contained on comet 67P/Churyumov-Gerasimenko by the Rosetta spacecraft support the view that it was asteroids that brought most of the water to the early Earth. The findings undermine a view that  favored comets as the source of Earth’s water. Gautam Naik reports.

xxxx
Louis Morelli
Louis Morelli – Dec, 11, 2014

Schools are teaching a wrong model for astronomic systems formation and this is serious because the believe in any world view is the foundations for a moral code, some humans behaviors and prejudices the mind’s evolution. A “theoretical” model is being told to be scientifically proved, as you can see inn the shollars texts.

This model suggests that Earth and any other planet next to the Sun could not have this big quantity of water, so, what are they waiting for telling the thru and searching another more accurate model?

Like Matrix/DNA Theory is suggesting a different model that predicts this water and every day is reinforced by space new data. We are doing a disservice to our children selling theories as if they were already proved by data. All prior civilizations broke down due were built upon wrong interpretations of this natural world and we are repeating the bad course, our future generations and maybe we that are alive today will pay the hard price.

xxxx

The theoretical current model for astronomic systems formations is wrong but the academic staff does not want to recognize it. Then, non-rational hypothesis like this one are necessary for fitting into the model. We are watching everyday new real data and the experts words: “this was not predicted by the model, or “this is exception because does not fit the known formation process”, etc.

Comets are not formed by the Kuiper Belt and are not made up of ice, dust and rocky material, only. Comets originates from giant volcanoes of giant gaseous old planets and their nucleus are composed by volcanic magma. Planets are not formed by isolated and separated dust at peripheral nebular regions, but by the same central vortex that formed the star, so, planets were covered by ice at their formation and the stars heat evaporated or transformed into water this surface ice… as predicted by a more rational astronomic model called “Matrix/DNA Theory”. Both are theoretical models very different, but also the academic staff does not want to recognize any others model.

A Lua é Um Feto Morto Abortado? Mais uma Evidencia para o Modelo Cosmológico da Matrix/DNA

sábado, dezembro 6th, 2014

xxxx

Study Reveals, Long-Ago Moon’s Magnetic Field Might Have Trumped Earths’

http://www.capitalwired.com/study-reveals-long-ago-moons-magnetic-field-might-have-trumped-earths/27097/

DECEMBER 6, 2014 – BY 

( veja o meu comentário postado no artigo da Capital Wired e copiado abaixo)

Tenho que evitar estes assuntos sobre Astronomia pois estou perdendo um precioso tempo enquanto a Matrix/DNA está me levando a descobertas a toda hora nos campos mais práticos e produtivos da Biologia, Medicina, Tecnologia, etc. Mas todos os dias quando abro o leque na Internet sobre as novidades cientificas do dia anterior, sou bombardeado de imediato por assuntos relacionados à astronomia. E como a desconstrução de uma cultura viciada começa pelo estremecimento das falsas verdades acreditadas por uma equivocada visão deste mundo astronomico, concluo que não posso deixar passar estas oportunidades. Então, paciência: se me chamam para a briga escolhendo o terreno astronomico, eu não fujo desta briga porque, apesar de não ser o campo que mais estou estudando, tambem sei jogar nêle.

A Lua como Feto Abortado por ter caído no Ventre de um Planeta ao invés de uma Estrela – http://www.reddit.com/r/NoStupidQuestions

Enquanto o corrente modelo teórico acadêmico astronomico sugere que a origem da Lua se deve a uma colisão entre a Terra e outro grande astro, o modelo téorico astronomico da Matrix/DNA sugere que a Lua teve a mesma origem de todos os outros astros, ou seja, pelo mesmo processo de reprodução biológica mas bastante reduzido e simplificado devido ser um processo ancestral muito antigo na escala evolucionaria. Segundo esta teoria, quando uma estrela e/ou seu sistema “morre”, ela resulta em poeira estelar que fica girando sobre si mesma devido o movimento de rotação da galaxia. Esse giro produz um rodamoinho no centro da névoa de poeira funcionando como um ralo tapado de uma pia, no qual a água entra e retorna à superfície formando bolhas. Estas bolhas são compostas de material pesado, com mais ferro, em estado altamente energizado, por isso são bolhas incandescentes ( no rodamoinho entram tambem esferas de magmas incandescentes vindos como cometas expelidos por pulsares). As bolhas são expelidas do rodamoinho para entrarem numa zona densa de poeira circundante, a qual se agrega à superfície da bolha. À medida que a bolha se afasta do centro turbilhonar a temperatura no espaço declina e a poeira torna-se cada vez mais congelada por isto sobre a bolha se formam camadas diferenciadas por densidades. Até este ponto, em tudo é igual ao que depois evoluiu para as sementes vegetais e depois ainda para a embriogênese de corpos vivos, onde a bolha representa o germe latente e as camadas externas representam o amnion e a placenta que vão alimentar o germe quando despertar e iniciar suas “reações nucleares” que é sua forma de alimentação pré-natal.

Caindo no espaço interestelar o novo astro vaga sob os efeitos das correntes de forças da galaxia até se aproximar de algum astro com força magnética ou gravitacional para capturar o “menor abandonado, sem família e sem teto”. Se penetra um sistema estelar como o nosso sistema solar, a tendencia do novo astro é ser capturado pela órbita da estrela central que possui força magnética maior que a dos planetas. Ao cair nessa órbita o menor abandonado ganhou uma nova mãe e um teto. Então acontece o mesmo quando pegamos um grão de milho que estava inerte dentro de um saco no celeiro e o introduzimos no solo: primeiro a água incha a semente toda, em seguida penetram os fótons que vieram da estrela e estavam dentro dos átomos da terra até alcançar o germe da semente ( aquela ponta branca que tem nos grãos de milho), o que desperta-o e ele começa a “comer” o envoltório amarelo do grão, que ali foi feito para servir de reserva de alimento ao embrião. Portanto o novo astro tem seu corpo alcançado pela energia da estrela a qual penetra-o alcançando seu núcleo, e assim o astro se torna um planeta, tendo internamente o germe que se desenvolverá e se tornará uma nova estrela.

Nas suas origens, quando a Terra e a Lua ainda eram peraltas vagando livres no espaço interestelar, tinham a mesma face – https://twitter.com/moonemojii

Mas… nem tudo ocorre sempre assim, tal como nas gestações humanas saem fetos defeituosos, ocorrem abortos prematuros, etc. Se o novo astro passar muito perto de um planeta de maneira que a atração magnética deste sobreponha o alcance da atração da estrela, o novo astro cairá nessa órbita do planeta. Passará metade de sua vida sem a luz da estrela, pois terá neste meio-tempo, entre ele e a estrela, um planeta impedindo o curso da energia da estrela. Assim o germe fica entre desperta ou não desperta, como que morrendo varias vezes, até finalmente morrer de vez e tornar-se uma Lua do planeta. Pois a diferença entre estrelas e planetas é que estes são “escuros”, opacos, não irradiam energia como as estrelas.

Um importante fator na constituição de astros é o que se refere a seus campos magnéticos. Estes campos são os espaços ao redor de uma corrente elétrica qualquer. A Terra por exemplo tem um campo magnético gerado pela camada externa de seu núcleo que é composto de uma magma quase liquido altamente incandescente ( lembre-se de como ele surge na superfície em forma de lavas vulcânicas) e cujo “liquido” se move como uma corrente elétrica devido a rotação do planeta. E como então fica essa questão de campo magnético nas “luas”?

Pelo modelo cosmológico da Matrix/DNA publicado e registrado desde a selva amazônica à 30 anos atrás, deduz-se logicamente que as luas apresentaram nos seus primeiros tempos um próprio campo magnético, ora na sua origem quando saiu do vórtice criador e ora nas vezes que quase-despertou pelo recebimento de maior quantidade de energia estelar. Deduz-se ainda que, uma vez estabelecida a morte do “feto” interno destas “luas”, se extingue para sempre seu campo magnético. Isto sugere o modelo. E o que dizem os dados científicos realmente comprovados?

Leia-se o artigo com link acima e estaremos bem informados. Ou seja, o assunto de campos magnéticos de luas ainda não foi resolvido pelo modelo padrão acadêmico ( o Standard Model), mas foram obtidos fortes indícios que ao menos a Lua da Terra já tece em priscas eras um campo magnético, e agora sabe-se com certeza que não tem mais. Estes indícios vem principalmente de asteroides reminiscentes da Lua que apresentam ainda campos magnéticos.

Mas ainda tem um detalhe muito importante a considerar aqui. Dias atrás inserí neste website o artigo:

” A Lua Está Viva… Mais Uma Acertada Previsão da Minha Teoria a 30 Anos Atrás?!” – See more at: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?paged=2#sthash.fdZ4v3FC.dpuf

Imediatamente o leitor desavisado vai pensar: “Mas então agora tudo o que se descobre ora que a lua é um astro morto ou ora que a Lua está viva – estava previsto por uma unica teoria? Ou uma coisa ou outra…”

É por isso tambem que me desgosta o fato de que a Matrix/DNA, construída dentro da Biologia,  entra inevitavelmente no campo da Astronomia ( pois para mim a Biologia é mera sequencia evolutiva de uma linhagem que passou pela Astronomia), pois a Cosmologia Astronômica ainda é um assunto que beira a metafisica. Ou seja, o Cosmos é tão desconhecido que suas possíveis explicações podem mudar da água para o vinho de um dia para o outro. Tudo ainda é possível em termos de Cosmologia, e isto não apenas em relação ao acadêmico “Standard Model”. Então se num dia sou informado que foi detectado vulcão ativo na Lua e imediatamente corro à fórmula da Matrix/DNA para tentar captar o que ela indica sobre isto, localizo o evento como sendo a Função 3, o que indica que a Lua está em processo vital, portanto, ela ainda está viva. mas no dia seguinte sou informado que a Lua não tem mais o campo magnético que tinha no passado, então corro novamente à fórmula e localizo o evento na Função 2, mas com o corpo saindo fora do circuito vital… e isto indica que a Lua é um feto morto e abortado prematuramente. Nos dois casos o modelo previu uma consequência que foi corroborada pelo pessoal da área cientifica. Como pode ser isto?! Ora a explicação é simples: “Lembre-se que digo aqui que ” o novo astro cairá nessa órbita do planeta. Passará metade de sua vida sem a luz da estrela, pois terá neste meio-tempo, entre ele e a estrela, um planeta impedindo a passagem da energia da estrela. Assim o germe fica entre desperta ou não desperta, como que morrendo varias vezes, até finalmente morrer de vez e tornar-se uma Lua do planeta.” Então, o germe dentro da Lua pode ou estar morto ou ainda com potencial de vida latente, não tenho dados confirmados para decidir isto. Pode estar ainda na fase do “morre durante suas noites e ressuscita durante seus dias”, sendo estes intervalos determinados pela distancia que a Terra esteja do Sol em sua órbita elíptica.

Enfim, meu objetivo não é provar que o modelo que desenvolvi está certo e o concorrente esteja errado. Nosso supremo objetivo é a busca da Verdade. Eu até prefiro ser o perdedor nesta disputa, pois se o modelo em que se estrutura hoje todo nosso empreendimento cientifico e fundamenta a visão de mundo do homem moderno, estiver errado, a Humanidade será prejudicada e mais uma vez atrasada em sua evolução pois teremos que retornar a um ponto no passado, limpar tudo o que fizemos depois pois estará tudo errado, e recomeçar de novo a partir daquele ponto. Como aconteceu quando Copérnico surgiu com o modelo heliocêntrico e tivemos que desmanchar tudo o que fizemos em dois ou três mil anos de crença no modelo geocêntrico. Até hoje ainda não conseguimos limpar os cérebros de muitos humanos de toda aquela falsa mitologia religiosa principalmente para retornar estes cérebros à sua saúde e desenvolvimento sadio de acordo com o que é a realidade natural, do mundo em que existimos e temos de lutar para sobreviver e melhorar a nossa qualidade de vida.

Mas… na ultima possibilidade que o modelo universal acadêmico esteja errado, e portanto as escolas estejam encaminhando os cérebros de nossas crianças para uma equivocada visão do mundo, para que engrossem esta louca corrida que já hoje está sugerindo que podemos estar indo rumo à nossa total extinção, então é melhor que tenhamos agora um pequeno prejuízo, como uma espécie de cirurgia de autocura, para nossa salvação.  E por incrível que pareça, são pequeninos e quase não notados detalhes como esta aparente alienada questão de campos magnéticos de luas, que juntos podem serem nossa salvação, pois o simples fato de estremecer-mos as certezas da visão de mundo estabelecida é uma forma de começar a corrigi-la em seus equívocos. Pois quer queiramos ou não, e depois que vencemos a necessidade de empregar a totalidade da vida apenas na busca de alimentos, todos os comportamentos e atitudes humanas são como ondas disparadas por uma fonte central: a nossa interpretação do mundo total, a imagem pessoal que temos do mundo que domina nossos cérebros e principalmente os cérebros dos humanos que estão no poder e escolhendo os caminhos para nossa grande caravana humana.

xxxx

Textos importantes do artigo: 

– “According to the researchers, the moon once had a magnetic heart, which helped the moon produce a magnetic field stronger than Earth’s now have.”

Matrix/DNA: Sim, todos os astros quando nascem e ainda não tem seu germe nuclear coberto por camadas de fria poeira estelar, emitem forte campo magnético. Ao flutuarem vagando no espaço interestelar têm seu germe nuclear coberto por matéria cada vez mais congelada, o que diminui a intensidade externa deste campo magnético pois o abafa internamente. Este é o estado de planetas como a Terra agora. Porem, à medida que o germe cresce dentro do planeta se aproximando da cobertura superficial, o campo magnético retorna a ser emitido com maior intensidade, alcançando seu climax quando se torna pulsar e depois uma estrela.

– “Though, numerous riddles linger about the magnetic field of the moon, for example, what fueled it and when it’s finished, the researchers added.”

Tradução: ” Apesar da informação na frase anterior, pensa-se nos numerosos enigmas que ainda adiam o conhecimento se, por exemplo, o que alimentou o campo magnético e quando ele se extinguiu…”

– “The moon today does not have an inclusive magnetic field. Nonetheless, asteroids that space explorers gathered amid the Apollo missions proposed the moon once had a magnetic field billions of years back.”

Matrix/DNA: Isto foi dito e registrado à 30 anos atrás pelo que os acadêmicos e estudantes universitários chamaram de semi-macaco troglodita vindo das selvas, quando leram um artigo escrito pelo macaco no jornal “Fôlha de Londrina”.  O macaco não tinha nenhum asteroide para dele tirar sua conclusão, mas esta despontou de seus simples cálculos macáquicos desenvolvidos na sua observação da biosfera amazônica e calculando quem ou o que teria criado sua tataravó biosfera.

– “However, researchers were unsure whether the moon created a magnetic field the same way Earth does, or if the magnetic fields seen on the moon were rather generated by external powers. For example, celestial effects on the moon could have flickered super-heated plasma that produced solid, concise magnetic fields, clarifying the charged rocks the space travelers found.”

Matrix/DNA: Todos os astros são formados com um inicial latente campo magnético, mas são os poderes externos de outras estrelas ou planetas que podem deflagrar ou extinguir tais campos magnéticos.

–  “The crucial inquiry of lunar science for more than four decades, even before the Apollo missions, is to what degree is the moon an unmelted primordial body like numerous space rocks, instead of a dissolved developed body with a multilayered structure, which can have a metallic center with a magnetic field.”

Matrix/DNA: A segunda alternativa está quase correta, salvo pelo indicio de que a Lua não deve ter mais seu campo magnético, ou ainda pode estar em vias de sua extinção.

– “… a few models say the moon began off frosty and unmelted, while others propose it was made from a monster affect and foresee it ought to have been scorched.”

Matrix/DNA: A Lua começou congelada na sua superficie e incandescente no seu nucleo.

– “confirmation that the moon had a magnetic field 4.25 billion to 3.56 billion years back, no less than 1 billion years after the moon created.”

Matrix/DNA: Então o Standard Model sugere que a Lua tem a mesma idade dos planetas do sistema solar. Claro isto é devido a sua teoria da formação destes sistemas, quando todos teriam nascido de uma mesma nebulosa de poeira estelar. Este tópico é ainda um problema para o modelo da Matrix/DNA, que ainda não resolveu se este sistema estelar foi formado pelo processo da primeira geração ou pelo processo das gerações subsequentes.

– ”  Weiss said, “Earth’s magnetic field is presently 50 microteslas in potency. The early moon may have had a magnetic field that was greater, perhaps up to more than 70 microteslas.”

Matrix/DNA: Justamente isto é o que indica o modelo da Matrix/DNA, mas acrescentando que tambem a Terra teve outrora um campo magnético mais potente.

– “It stays questionable what may have fueled this shockingly exceptional lunar magnetic field. “It’s difficult to see how the moon’s magnetic field could be as tough as it appeared given how the moon has a little center,” Weiss said. “The moon’s center is perhaps 1/5 to 1/7 the radius of the moon, while the Earth’s center is possibly one-half the planetary range. This implies the surface of the moon is much far from its center than you see with Earth. Since magnetic fields fall quickly in force with distance, it’s tricky to see how the moon could have had a magnetic field that was that that tough throughout its surface.”

Matrix/DNA: “Minha Santa Erotilde dos torresmos fritos!”. Isto é tão fácil de resolver! Claro, é facil quando temos o modelo da Matrix/DNA como base. Todos os astros no céu, quando nascem, são ancestrais dos bebes humanos que nascem na Terra. E todo mundo sabe que bebes nascem pequeninos e se tornam adultos grandões. Nos bebes a distancia entre seus coraçõezinhos e sua pele superficial é menor que nos adultos a distancia entre seus “coraçãozões” (Arre! Este português me obriga a fazer cada ginastica de língua que um dia ela se dá um nó e morro sufocado!)…, e sua pele superficial. Claro! Então tanto a Lua como a Terra, nos seus tempos de infância, que eram como uma semente, tinham seu nucleo-germe altamente concentrado e rotativo, gerando intenso campo magnético, que era externalizado com potencia porque tinham ainda poucas ou menos camadas geológicas abafando essa força que têm agora. À medida que o germe se expandia, diminuia a sua densidade e com isso a força de seu campo magnético.

– “Given the extent of the moon — just around a quarter of Earth’s distance — the moon ought to have cooled hastily…” 

Matrix/DNA: Temos um problema aqui, entre nossas teorias. Pelos meus cálculos, a Lua deve ter recebido menas camadas geológicas que a Terra e estas eram ainda mais quentes que as ultimas camadas da Terra. A Lua teve estas camadas esfriadas ou mantido a temperatura mais fria inicial devido ao mesmo motivo pelo qual a superfície do nosso planeta não pega fogo pelo bombardeio solar: quando ela se esconde do Sol por estar nas costas da Terra, o que o faz na metade de seu tempo de existência, funciona como as noites terrestres que esfriam o calor aumentado durante o dia.  Então não teria havido esfriamento rápido da Lua. Mas isto é um assunto onde não vejo muita importância para se discutir.

 “Though, novel models propose that the moon’s innards may have been less gooey than suspected, and that radioactive material inside the moon could have kept it hotter. These elements may have empowered a convection-fueled lunar dynamo to last until maybe 3.5 billion or 3.4 billion years ago.”

Matrix/DNA: Justamente o que sugere nosso modelo. Enquanto o germe se torna feto o campo magnético continua, mas quando o feto morre, o campo se extingue. Isto sugere que o feto “morreu” entre 3,5 bilhões ou 3,4 bilhões de anos atras. Eu vou calcular isso direitinho porque preciso saber a data, o dia exato que o feto morreu, para estabelecer a o dia da missa em sua sagrada memória…

Comentario publicado pela Matrix/DNA no artigo:

“… the moon once had a magnetic heart, which helped the moon produce a magnetic field stronger than Earth’s now have.”

It is just what was predicted by Matrix/DNA astronomic model, 30 years ago. All astronomical bodies have stronger magnetic fields at its formation and it decreases till these bodies becoming old planets or, like moons, are aborted as died fetuses. But, accordingly to this model, the body’s nucleus is seen as a germ, not as a heart.

Though, numerous riddles linger about the magnetic field of the moon, for example, what fueled it and when it’s finished, the researchers added.”

It is the same cause that fueled the magnetic field of Earth at its infant times. These nuclei are formed with degraded mass as stellar dust from a died system plus highly energetic concentrated ironess magma coming from neighbours system or pulsars. The nucleus emits stronger magnetic field forces while the astro-baby is crossing the dust, which are aggregated upon the nucleus building the geologic layers. Which makes the decrease of that superficial force and if the astro does not fall directly into a star’s orbit and does not receive its energy, the germ dies, finishing the magnetic field.

“… if the magnetic fields seen on the moon were rather generated by external powers.”

Astronomic bodies, while at their formation, are the ancestors of vegetable seeds. Or does you think that vegetable seeds were created by magics from a divine superpower or by magics of an ex-machine-maker randomness? It is all about a unique line of evolution, from cosmological to biological. So, when we have a question about these emerging astros we can search the answer observing a vegetable seed or human embryogenesis. There is a potential magnetic field freezed at the germ, which is triggered by the energy of a star. But if instead a star, the “baby-astro” falls into a planetary orbit, the germ is waked up during the day and almost dues during the night, or when it is at the other side of the planet.

Ok, by while it is theory against theory, only time and more data will be judge about which model is less wrong.