Posts Tagged ‘Átomo’

Entropia é argumento contra evolução, como alegam os criacionistas? Matrix/DNA sugere que não.

terça-feira, setembro 5th, 2017

xxxx

Desde que a Matrix/DNA produziu o único modelo teórico sobre completo e funcional sistema natural, ela sugere uma diferente perspectiva sobre o fenômeno “entropia” em sistemas fechados. Agora uma questão postado por um leitor no link abaixo, suscitou uma ampliação dessa perspectiva, explicada no meu comentário abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ&lc=z132epexbkupgxdkp23xelpwrzq4gt2sc.1504663455599985

Louis Charles Morelli – posted 9/5/2017

Hi there says: “Given that entropy means lack of order or predictability; gradual decline into disorder, how does entropy contribute to the stability of the atom?

Matrix/DNA Theory suggests a solution. Atoms’ systems are ancestors of biological systems and also has different species. The natural mechanism of entropy is part of a big process, evolution of systems. So, if the species at the top of evolution ( the most complex) has reach its limits for searching/absorbing/developing new information, begins its entropy, the species is discarded by evolution which goes back in time searching a less complex species still able to evolve. This species is like the flow of order that lift up from chaos. So, entropy does not destroy a kind of system, does not acts upon individuals neither species of a system, it purifies the system, as did with atomic systems. But, remember, it is a theory… although we are based on historic events that can be evidences.

Carbono: Nova tese da Matrix/DNA

sexta-feira, junho 23rd, 2017

xxxx

Um aspecto do Carbono que eu ainda nao havia reparado e’ o fato dele ter um limite de ligacao com outros. Este limite estabelecido e’ as ligacoes com no maximo 4 outros atomos. Átomos formam moléculas compartilhando elétrons. O carbono tem quatro elétrons que pode compartilhar com outros átomos.

Imediatamente a formula da Matrix aponta:  4 sao as funcoes universais intermediarias (F2,F3,F6 e F7).

Desde que o carbono tem seis eletrons, isto significa que sobram duas que nunca se ligam – as quais provavelmente devem ser as ditas funcoes sexuais, ou seja, F1 e F4.

Segundo a Matrix, dentro dos eletrons estao os fotons-genes que vem do ancestral astronomico. Os atomos selecionados naturalmente para formarem um sistema biologico sera tao mais importante quanto mais proximo estiver da formula da Matrix, ou seja, que tenha um numero de eletrons mais proximo de seis, e que cada um destes 6 eletrons esteja ocupado por um dos seis diferentes fotons-genes. Se tiver mais eletrons que seis, pode ter os seis fotons-genes, porem sera mais dificil para os fotons controlarem a maquinaria total do atomo e conseguirem a network matricial combinando-se com exatos outros atomos que dupliquem mais complexamente a formula, como foi requerido na evolucao biologica.

E isto faz enorme sentido logico. No building block do DNA – que tem seis moleculas  as quatro moleculas com funcoes ligantes sao as bases. Estas sao as variaveis abertas ao meio externo, que trabalham, travam relacoes com externos, obtem assim mais informacoes externas, e toda essa funcionalidade e’ enviada aos dois acucares nas hastes, para serem registradas, memorizadas. A Matrix diz que as quatro funcoes intermediarias funcionam como genotipo, enquanto as duas fixas nas hastes seria o fenotipo.

Entao preciso desenhar o atomo de carbono colocando os nomes das funcoes nas seis particulas, claro, sendo que das quatro ainda nao sei qual e’ qual. Tambem nao sei qual acucar da haste executa F1 ou F4.

A partir daqui devo novamente puxar as formulas quimicas dos aminoacidos, para acompanhar a sequencia de suas origens e ver se capto mais alguma informacao que leve `a identificacao mais precisa.

O artigo com link abaixo traz uma figura surpreendente do carbono: exatamente na forma em tres dimensoes de como deve ser a formula da Matrix:

molecule-800x684

Esta molécula de carbono em forma de pirâmide e’ o cation hexametilbenzeno, C6(CH3)62+,  que contradiz uma das lições básicas de química que aprendemos na escola e foi descoberta agora. Ela contém um átomo de carbono que se liga a seis outros átomos em vez dos quatro que nos foi dito para os quais o carbono está limitado.

xxxx

Na continuidade desta pesquisa devo puxar para ca’ as formulas quimicas dos aminoacidos para tentar captar a logica evolucionaria na origem da vida. Devo tambem reler o artigo e procurer o paper, estudando os nomes tecnicos, etc.

Artigo:

http://socientifica.com.br/2017/01/carbono-visto-em-ligacao-com-seis-outros-atomos-pela-primeira-vez/

Carbono visto em ligação com seis outros átomos pela primeira vez

 No artigo tem dois comentarios criticando o fanatismo pelas teorias que vem bem a calhar na minha argumentacao na defesa da Matrix/DNA:
Imagem

“O medo do carbono com 6 ligações e uma preguiça epistemológica que eu tenho de alguns cientistas
Saiu a famigerada notícia do carbono com 6 ligações e vi alguns dos meus alunos e colegas de química orgânica desesperados achando que o mundo tinha acabado e que a orgânica iria ser transformada
Alguns orgânicos com palpitação no coração correram para ver o artigo original e dormiram tranquilos ao perceber que a valência do carbono continuava 4 e que o índice por átomo de carbono não excede 1! (Neste composto está em torno de 0,54). A regra do octeto não foi violada! UfA!

Fico feliz e acho importante que os químicos tenham a paciência de ir no artigo original e esclarecer as coisas, mas parece assustador esse desespero epistemológico de manter o carbono com valência 4 e achar que se achássemos um carbono com valência 6 toda a ciência iria mudar! Não iria! A Ciência resiste, coloca como um único caso, uma exceção da regra e seguiria feliz da vida fazendo seus experimentos e suas composições pensando no carbono com 4 ligações. Lá no futuro, talvez,alguma coisa mudasse quando os outros exemplos se avolumassem.
Esse desespero epistemológico se reflete no ensino. Bastou um erro no laboratório e os resultados aconteceram diferente do esperado, que os alunos precisam apagar pontos, forjar dados, uma vez tem que dar o que a teoria previu, porque tem que seguir a regra! O professor não discute isso! Naturaliza as teorias! ( Justo o que venho denunciando: teorias, como abiogenesis, Big Bang, ainda sao teorias, porem os livros escolares estao passando aos alunos que elas ja sao verdades sacramentadas.) 
No fim das contas, é só a tentativa humana de apreender o real, com medo que a realidade surpreenda. Não foi dessa vez que o carbono teve sua valência alterada. Mas, que tal abrir a cabeça para essa realidade e discutir isso na sala de aula? Que tal, como exercício, colocar, de vez em quando, as explicações do mundo em suspensão e não ficar desesperado quando aparecer um fato supostamente novo! Que tal lembrar que a prática é critério de verdade e podemos não ter apreendido o mundo direito ainda.. Que tal discutir epistemologia…”

Imagem

Boa tarde Diógenes. Como químico e mestre em ciências percebo que os modelos científicos estão sempre em um constante devir, fato esperado, pois a Química é uma Ciência baseada em modelos que surgiram para explicar evidências experimentais. É exatamente a não certeza da verdade que torna a Química uma Ciência fascinante. O problema é que muitos químicos veem a Química baseando-se no modelo filosófico positivista, o que é um equívoco! Bachelard e Marco Antonio Moreira, teóricos do conhecimento, enfatizam a não certeza do conhecimento das Ciências.

E a seguir o meu comentario que foi publicado no artigo:

Imagem

Porque, dentre todos os tipos de atomos, justamente o Carbono foi selecionado naturalmente para iniciar a quimica organica e ser o pilar dos sistemas biologicos? A Teoria da Matrix/DNA tem uma explicacao que os quimicos nao vao entender, muito menos tentar entende-la. Os comentarios lucidos aqui do Luciano e do Victor ilustram bem a situacao de uma visao do mundo diferente da academica desta era. A cosmovisao denominada Matrix/DNA sugere um modelo teorico do que seria um elo entre a evolucao cosmologica e a biologica. Pronto!… Dizer isto para os academicos ja seria uma blasfemia da pseudociencia. Mas continuemos…
O elo e’ formado por sete diferentes tipos de astros, compondo um functional sistema astronomico. Portanto, o tao procurado LUCA – the Last Universal Common Ancestor – nunca existiu na superficie da Terra, e sim seria o building block desta galaxia que foi a real geradora da vida aqui e a gerou dentro dela. Em seguida a teoria descobriu que deste sistema astronomico se pode extrair uma formula natural, e esta formula esta presente em todos os sistemas naturais conhecidos, de atomos a galaxias, a celulas, etc. ( ver uma das representacoes da formula na figura abaixo). O mais surpreendente e’ que esta  simples mas super-complexa formula nas suas entrelinhas, tambem esta presente como o building block do… DNA! A conclusao e’ imediata: o DNA nao e’ apenas o denominador comum e criador de todos os seres vivos, mas tambem de todos os sistemas nao-vivos da evolucao cosmologica. Como ele muda de material em cada fase evolutiva, o que existe entao ‘e uma Matrix universal. DNA e’ apenas a sua forma quimico-biologica.
Acontece que esta formula e’ composta de seis funcoes sistemicas, mais uma setima que e’ responsavel por sua reproducao. Entao o que gerou a primeira celula completa viva foram bits-informacao decorrentes da entropia e fragmentacao galactica, irradiada pela luz de estrelas, reacoes nucleares dos nucleos de planetas, e radiacao cosmica. Como descobriu-se que esta formula apareceu junto com o Big Bang como as simples ondas de luz natural, deduz-se que estes bits-informacao sao fotons. Estes fotons-genes alcancam a superficie de planetas, adentram seus atomos, penetram nos eletrons e assume a maquinaria do atomo assim como viruses fazem numa celula. Com sorte, se reunir num atomo seis fotons, cada um representando uma das seis funcoes sistemicas, este atomo vai ser uma copia fiel da formula Matrix/DNA. E qual o atomo tem o numero atomico seis? Carbono. Esta a razao porque foi selecionado.
Na formula tem 4 funcoes que sao flexiveis, operantes abertas ao mundo externo, funcionam como variaveis; e duas funcoes que sao fixas, servindo mais como memoria registrando o resultado das operacoes das quarto variaveis. No building block do DNA, as duas fixas sao os dois acucares das hastes ( responsaveis pelo fenotipo), e as quatro variaveis sao as bases, responsabeis pelo genotipo. A setima funcao e’ executada esporadicamente pela uracila.
Entao porque em situacoes normais o carbono esta limitado a quatro liogacoes com outros atomos? Porque apenas 4 eletrons tem os fotons genotipicos variaveis.
Surprendeu-me com alegria a nova formula com seis ligacoes porque o carbono https://uploads.disquscdn.com/images/964cfccd7de1aa646f69466701e71c0623f15ec0f1111d2839c25587c28882dd.jpg esta ali na forma de 3 dimensoes exatamente como e’ a Matrix quando representada por algoritmos, como num diagrama de software. Isto sugere que devemos prestart atencao as condicoes extremas inusitadas criadas no laboratorio, porque podem ser exatamente as condicoes iniciais da Terra nas origens da vida. Se alguem tiver interesse na Teoria da Matrix/DNA, que foi desenvolvida por mim, quando estudava sistemas naturais e suas conexoes formando a biosfera na selva amazonica, digite: http://theuniversalmatrix.com E um abraco bem brasileiro ao Diogenes ( elogiavel trabalho o difundir a Ciencia no Brasil ) e todos que venham a ler isto…

Miniatura

xxxx

Referências:

  1. American Chemical Society, Six bonds to carbon: Confirmed (volume 94, n. 49, p. 13, 19 de dezembro de 2016). <http://cen.acs.org/articles/94/i49/Six-bonds-carbon-Confirmed.html?type=paidArticleContent>
  2. Site da New Scientist. “Carbon seen bonding with six other atoms for the first time”, de Rebecca Boyle. Acesso em 11 de janeiro de 2017; matéria publicada também na versão impressa da revista New Scientist (issue 3108, 14 january de 2017).
  3. PaperCrystal Structure Determination of the Pentagonal-Pyramidal Hexamethylbenzene Dication C6(CH3)62+”, DOI: 10.1002/anie.201608795.
  4. Site da ScienceNews. “Carbon can exceed four-bond limit” <https://www.sciencenews.org/article/carbon-can-exceed-four-bond-limit>. Acesso em 11 de janeiro de 2017.

 

 

Um átomo gigante para capturar partículas de universos paralelos?!

quarta-feira, janeiro 11th, 2017

xxxxx

Humanos são quase cegos e insensíveis. So’ vemos uma das sete faixas reveladas pela luz universal, sentimos apenas os objetos que vemos, o que significa que aqui onde estamos existem mais seis universos, cada qual um mundo próprio igual ao nosso. Dizem que 95% do universo é composto de dark matter e dark energia… mero engano. E’ dark, é escuro, porque nada vemos. Mas não existe dark matter, existem sim, mais seis tipos diferentes de substâncias, digamos materiais, ocupando estes 95%. Mas como no final, depois de percebido que as ultimas partículas do nosso Universo são coisas também vazias, todos estes sete universos no final são vazios… o que restam são forças.

Claro, nos temos que nos esforçar-mos para tentar captar estes outros universos, ao menos por enquanto, os dois vizinhos nossos. Para isso tenos que desenvolver mais os nossos atuais cinco sensores e adquirir sensores novos. E temos que desenvolver estes instrumentos que são extensões dos nossos sentidos.

Mas agora um grupo de cientistas vieram com uma ideia nova, nunca pensada antes: construir um átomo gigante que seja capaz de absorver partículas de outros universos. Trata-se do átomo de Rydberg, chegando a ser 4.000 vezes maior que o átomo comum! Sera’ mesmo? Na cosmovisão deles – em que os 95% estão ocupados por dark matter – estão atras de capturar partículas de dark matter.

Vamos ver a noticia e registra-la aqui para posterior pesquisa:

How Giant Atoms Can Help Unlock Secrets of Dark Matter

http://www.msn.com/en-us/news/technology/how-giant-atoms-can-help-unlock-secrets-of-dark-matter/ar-BBy2Sda?ocid=wispr

Pesquisa:

espectro-eletromagnetico

 

Rydberg atoms –

http://www.phys.uconn.edu/~rcote/Projects/Rydberg/Rydberg.html

13,8 bilhões de anos lutando, trabalhando, evoluindo, para agora ir para o lixo e morrer?!

domingo, janeiro 8th, 2017

xxxx

Eu desafio qualquer ser humano a encontrar um erro qualquer na logica deste raciocínio que conclui sem outra alternativa, que nossa auto-consciência é imortal. Se encontrares por favor, me avise, pois eu quero a Verdade e não fantasias. Então, vamos la’…

O DNA já existe na Terra a 3,5 bilhões de anos, mas ele avança dividido em enxames, não como um, individual. Ele não vem como uma arvore da vida, em que o tronco cresce e emite galhos a sua volta. Ou existiria uma família secreta oriunda diretamente do cepo primitivo original (ou Adão e Eva?) que continua até hoje carregando o exemplar essência, enquanto todas as outras famílias seriam meros suportes? Não creio.

Este enxame vem se afunilando ao mesmo tempo que se alargando. No bico do funil estão as copias de DNA carregadas pela especie humana, as quais vem aumentando, se alargando, enquanto as copias que vem nas demais especies estão diminuindo,… assim parece. Neste enxame das copias humanas, muitos exemplares não se reproduzem, e assim terminam a historia de sua existência, de 3,5 bilhões de anos, lutando uma luta apenas comparada `a incrível e tortuosa saga dos espermatozoides para alcançarem o ovulo antes de morrerem. A maratona locupleta de obstáculos mortais do espermatozoide demora algumas horas, enquanto a destas copias humanas que estão indo para o lixo, levaram 3,5 bilhões de anos!

Mas… isto não é nada! O DNA que surgiu na Terra veio de outro enxame, constituídos por seus tijolinhos básicos: fótons-genes vindos dos corpos astronômicos. Se denominamos aqui o conjunto de todas estas copias com o nome de “DNA”, devemos denominar o conjunto de todas aquelas copias que vieram dos astros com o nome de Matriz/DNA. Porque o que existe mesmo é a matriz universal, sendo o nosso DNA apenas uma das diferentes formas que essa matriz tem assumido, a forma “biológica”.

( Um aviso: alguém pode argumentar que aqui sai do raciocínio logico. Um grupo dirá que o DNA foi criado por magica por um Deus, e outro grupo vai dizer que o DNA foi criado pelo acaso absoluto, por acidente. Os dois grupos saíram da linha evolucionaria natural que produz sua razão pura, bruta, natural, fria e calculista. Ambos apelam para imaginações e fantasias, pois eu nunca vi sobrenaturais, nunca vi magicas, e nunca vi acidente algum construindo algo complexo. Todos os acidentes que vi destruíram algo complexo reduzindo-os a partes mais simples. Por outros lado, a evolução não foi criada pela matéria estupida e deste planeta, ela veio da historia cosmológica, onde a evolução existe e com os mesmos mecanismos nas suas formas evolucionarias mais simples. Os astros como as estrelas emitem luz, cujas partículas são fótons. Os astros escuros como os planetas possuem estes fotos na matéria incandescente de seus núcleos. estes fótons carregam as informações de onde vieram. Nosso modelo teórico astronomico não deixa duvidas quanto a isso. os dois grupos com amente povoada de fantasias deveriam tomar um banho se de selva bruta, a natureza pura, virgem real, como eu tomei por sete anos. E’ um banho mental muito saudável pois limpa as sujeiras desta cultura milenar que impregna e entorpece nosso raciocínios naturais).

E da mesma forma que todos os DNA’s habitando a superfície do planeta Terra vieram de um único individuo que se formou primeiro aqui como síntese daquele enxame de fótons-genes, assim também todos os DNA’s astronômicos habitando todos os sistemas astronômicos vieram de um cepo primitivo comum, dentro da primeira estrela que se se formou no Universo. E vamos calcular que este cepo primitivo astronomico existiu a 10 ou 12 bilhões de anos atras! Mas a Historia da Matriz/DNA não começou nem ai…

Ela veio dos átomos, ou mais exatamente, do sistema atômico. O Universo era apenas uma nuvem de átomos leves, gasosos, o que significa que os fótons-genes constituíam também um enxame de copias, que se afunilaram gerando a primeira estrela. Então este enxame de DNA’s na forma eletromagnética vieram também de um cepo primitivo comum, o primeiro átomo de hidrogênio que foi formado a partir de partículas simples. Podemos calcular que este cepo do ancestral do nosso DNA moderno existiu a 13 bilhões de anos atras!

Mas… a historia do nosso DNA moderno também não pode ter começado dentro de partículas. Se a unidade fundamental de informação, o verdadeiro tijolinho básico de todas estas formas de DNA, é um bits-informação gravado num fóton, e fótons são partículas de ondas de luz, o cepo primitivo comum na origem do Universo deve ter sido uma onda de luz,… emitida pelo Big Bang, ou mesmo o próprio Big Bang em si. Não é por coincidência que os poucos fatos reais que a Ciência tem para conjecturar que houve um Big Bang, tem seus processos exatamente imitados, ou reproduzidos, no ato da fecundação de um ser humano. Cada corpo humano nasce de um mini big-bang que ocorre no centro de um ovulo quando “explode” a membrana que envolve um espermatozoide e libera a cavalaria montada pelos genes. Ai tem um momento de caos, começam a se formar as bolotas de morula de células que imitam a forma de nebulosas de átomos, depois as maiores chamadas de blástulas, que imitam as formas de galaxias… tudo igual aqui como la’ em cima a 13,8 bilhões de anos!

Mas dessa que pode ser chamada de a mais incrível historia do mundo, o que realmente me deixa indignado e’ saber que algumas copias destas entidades que vem lutando pela vida e pela sua evolução a 13,8 bilhões de anos, de repente interrompem tudo e morrem para sempre! E aqui na Terra, e neste curto lapso de tempo da historia biológica! Realmente, não faz sentido.

O que produziu o big-bang que produziu o seu corpo foi um casal de humanos, a especie humana. E dentro de seu minusculo universo de 9 meses, surgiu este fenômeno denominado “auto-consciência”. Mas não foi seu cérebro embrionário que inventou a auto-consciência pela primeira vez no outro  maior universo que envolvia seu pequeno mundinho. Não pois ela já existia la fora. O fato é que ela existia no DNA que veio daquele casal, de forma inerte, oculta, dormindo, e atravessou suas fases de morula, blastula, feto, dormindo, para só acordar quando um cérebro formado a acordou.

Ora, já vimos que nossa embriogênese imita tudinho o que aconteceu na origem do nosso grande universo. Então, aquela onda de luz composta de fótons-genes presente no momento do Big Bang só pode ter vindo de quem a emitiu, tenha sido esse “quem”, um par-casal ou um sistema hermafrodita. E se no seu minusculo universo embrionário de 9 meses, a auto-consciência que veio de seus pais despertou por volta dos 7 ou 8 meses, no universo grande, cuja escala de tempo é astronômica e não humana, estes 7 meses significam 13,8 bilhões de anos. Não importa, a medida de tempo é relativa a cada tipo de observador: o tempo de um observador microscópico como o humano é muito menor que o tempo de um observador do tamanho deste universo. Então, para o casal – ou hermafrodita – de “nem-posso-imaginar-que forma-e-feito”, que emitiu aquela Matriz/DNA constituída de luz, e que existe antes e alem deste grande universo, estas bolhas de auto-consciência que cada humano traz dentro de suas cabeças nada mais são que embriões de uma ninhada… ou genes para auto-consciência. Que estão se desenvolvendo dentro do tempo normal, para quem é maior e mais velho do que o grande universo.

Mas uma coisa esta’ pegando ai, nessa historia toda… Da mesma forma que a sua auto-consciência surgiu dentro de seu minusculo universo embrionário apenas porque ela já existia antes e fora dele, a auto-consciência só foi expressada pela Matriz/DNA e surgiu dentro do grande Universo, porque existia antes e fora dele. Claro! E’ tudo igual, assim como é embaixo, é em cima. Se não fosse assim, estas incríveis coisas que existem embaixo, aqui e agora, perante nossos olhos, teriam sido criados por magica por este grande Universo, e magicas não existem. Então, seja o casal, ou seja um hermafrodita, o emissor do genoma denominado Matriz/DNA tinha que ter, obrigatoriamente, auto-consciência!

Mas nossa auto-consciência ainda esta na fase embrionaria, ou talvez seja uma recém-nascida, ainda nos últimos minutos do tempo universal. Prova disso é que nossa auto-consciência nem abriu seus olhos próprios de ver as coisas de sua dimensão, de seu mundo, pois nem viu ainda a substancia que constitui seu corpo e a forma de seu próprio corpo. Assim, não temos como imaginar o que realmente é o poder dessa auto-consciência desenvolvida dentro do grande Universo. Deve ser algo muito, mas muito grande, poderoso, deve saber tudo de tudo. E se sabe tudo de tudo, o casal ou o hermafrodita que a possui tem que saber que esta gravido, que carrega em si um ovo fecundado, este nosso Universo. E por isto teria que estar tomando todo cuidado para que seu bebe, que vai nascer na forma de auto-consciência – sem essa matéria pegajosa e incomoda – se desenvolva de forma perfeita.

Ora, como é isso se tem genes deste baby morrendo e indo para o lixo?! Se estes genes dentro do embrião estão sujeitos a todos tipos de tragedias, de predadores, etc.? Decididamente algo ai não faz sentido,… a não ser que o tal casal viva continuamente embriagado, largando tudo ao deus dará…  Mas ainda assim tem um porem…

Sabemos que na evolução biológica, houve uma fase dos ovos botados fora e a prole abandonada a própria sorte, sujeita a todo tipo de tragedias e predadores. Foi no período desde o cepo primitivo biológico ate os repteis. Depois desta fase se seguiu uma fase em que a prole é mantida dentro, a prole nutrida e protegida até sua maturidade. E’ a fase que começou com a forma de mamíferos e vem até os dias atuais. Mas este processo não foi inventado na Terra. O nosso modelo astronomico mostra claramente que no cepo primitivo comum astronomico aconteceram as duas fases. Um “vórtice/panela de cozinhar” dentro do núcleo emite seus ovos de astros para o espaço, onde enfrentam os diabos, como a possibilidade de se congelarem no espaço frio interestelar. Mas depois de muito rodar, cada ovo encontra sua estrela quentinha e nutridora de energia onde se encosta até obter sua maioridade. Então isso deve ter acontecido ainda antes também, quando o cepo primitivo era apenas ovos de átomos. Então isto é uma lei geral, natural, universal, e o tal casal deve saber dela, e a respeita.

Mas ainda assim isto não me satisfaz. Se sou um pai ou uma mãe toda poderosa, ao diabo as leis da matéria, aos passos necessários para obter meus babies, se estas leis torturam e ameaça a perfeição de meus babies, eu as mudaria imediatamente, com uma medicina avançada. Porem,…

Algo interessante que se observa no caso astronomico, é que a fase dos ovos botados fora, na realidade não existe. Os ovos são botados fora pelo núcleo do sistema, mas nunca fora do total sistema. Deste, os ovos nunca saíram, sempre estiveram nutridos e protegidos dentro dele, portanto, o sistema determina que destes ovos surja apenas a perfeição.

Agora estou tentando projetar este processo sobre a evolução biológica, mas esta’ difícil de resolver o caso. Pois vejo indivíduos morrendo sob tragedias, etc., e não vejo estes corpos continuarem existindo sãos e salvos.

Ah…!!! Ah…., espera ai! Eu estava mentindo! Pois já disse la’ atras que meu ovo-cabeça carrega e desenvolve o embrião de um ser denominado “auto-consciência”, o qual ainda não abriu seu “terceiro-olho”, ou melhor, seu olho próprio, para ver seu próprio corpo. Então como posso dizer que estou vendo estes corpos sendo esmagados por tragedia, ou morrendo e indo para o lixo?! Se a lei universal mostra que ela determina que eles se desenvolvam e alcancem sua forma madura? Se vemos que do nosso minusculo universo, o genoma material de “carne e osso,.. iac” doado pelos nossos pais aflora para fora de nosso mundinho para encarar o grande Universo, então aquele genoma de onda de luz que foi esta especie de alma do mundo denominada Matriz/DNA também terá que aflorar para fora do grande Universo e encarar seja la’ que tipo de reino exista la’ fora! Claro! …. O que aflora fora do nosso universo embrionário não é a forma do genoma inicial, nem as formas do passado de blastula, peixinho, sapinho, feto,… o que aflora é a forma terminada igual `a da espécie que emitiu o genoma. E no caso do grande Universo esta ultima forma é a forma da auto-consciência! Nunca nenhum humano viu o corpo desta forma, portanto ninguém a viu morrendo, indo para o lixo…  As vezes cometo cada erro infantil que fico com vergonha de mim mesmo, raios!

 

O Novo Modelo Teorico Atomico Sugerido pela Matrix/DNA Theory

sexta-feira, dezembro 30th, 2016

xxxx

Em outra parte deste website, explico como a Matrix/DNA ve o atomo, bastante diferente de todos os modelos conhecidos. Enquanto o átomo nos modelos conhecidos (ditos científicos, como o de Rosemberg,de Bohr, ou o modelo quântico) sao inanimados, sem vida, o modelo da Matrix/DNA e’ um sistema natural construido pela formula da Matrix, e se nos chamamos um ser humano de “sistema vivo” então temos que dizer o mesmo do átomo, apesar de que este apresenta um tipo de vida muito primitivo, rudimentar.

Agora me deparo com uma pergunta no YahooAnswers que me fez pensar mais no modelo e perceber coisas que nao havia percebido. Estas coisas estão na minha resposta àquela pergunta, copiada a seguir:

Why does an electron inside an atom not fall into the nucleus?

category: Science & Mathematics Physics

Some Atom’s orbitals

TheUniversalMatrix  TheUniversalMatrix · 12/30/2016

Why our heart does not fall into the stomach? Why Earth does not fall into the Sun? Why the eyes does not fall into the brain? Answer: because the space between them is not empty. The space can be fulfilled with meat, fat,blood, or with non-visible gravitational force, or electromagnetic force… be sure the space inside atoms are fulfilled by some force.

But, my Matrix/DNA Theory would ask you: ” Why a human at adult shape can not fall into its own teenager shape? What separates the adult from the teenager is only time, and time is not a substance filling space. The answer is that atom is a system. And systems are built by the process of life’s cycles. If you could fix the seven shapes of a human body during its lifetime, you would get a new system, the familiar system. Systems are formed by those seven different shapes fixed at the same momentum, keeping the dynamic link of time among them. See my avatar, showing how the building block of galaxies are formed by same life cycle of human beings. of course: galaxies are our ancestrals, like reptiles and bacteria…
So, the atom has a nucleus and seven orbitals. Each orbital is a shape of the system during its lifetime. Electrons are merely the energy that express an orbital. That’s why we didn’t know if electron is particle or wave. It is the energy of the orbital.
So, atom is our ancestral system, but, so primitive that it does not express all organs, all parts at same time. When you see an atom with two electrons/two orbitals is like you see walking in the street only a stomach and a heart of a human body. The others parts of a human body system are not expressed. Atoms are our ancestrals, they are alive, in their primitive way. But… remember that Matrix/DNA Theory is a new world view being tested against facts (http://theuniversalmatrix.com)

Your human actual shape is your self momentum/vibrational state. It is different of yours past baby systemic state, teenager state, etc. That’s why in the first answer above the commenter told that the reason is that the electron vibrates in different scale.

xxxx

E por ser importante ( toca no tema “vibração dos corpos”), copio outra resposta aqui:

ElizabethElizabeth · 17 hours ago

Let’s imagine that you have a guitar and when you pluck one of the strings, you hear a particular note. If you do it again, guess what? You hear the same note. The point I’m making is that the guitar string cannot vibrate in any old way. It can only vibrate in a set pattern determined by its physical properties. If you shorten the string length it’ll produce a higher note. If you lengthen it, it’ll produce a lower note. If you apply more tension to it, it’ll produce a higher note. And so on …

An electron behaves in a similar way to a string. It is not a particle like a little sphere but a fuzzy object described by probabilities. And those probabilities are described by a wave equation. So what happens in an atom is that you have an electron described by a probability wave. Because of the dimensions of the atom, the forces acting on the electron from other electrons and from the nucleus itself, the electron probability wave can’t vibrate in any old way. Like the guitar string it can only vibrate in certain ways.

So let’s imagine an electron as a wave. To be in the nucleus the wave would have to be smaller than the nucleus. It would have to be unchanging so the electron probability of being inside the nucleus would be 100%. And what you find is that this would mean that the electron wave has to vibrate in a way that isn’t allowed by the physical system, in a similar way to you tightening a guitar string and finding the note gets much lower … that’s not allowed!

And if you do the maths very carefully and look at the ways in which electron waves ARE allowed to vibrate then you find you get interesting 3D shapes. Some are shaped like spheres (the probability of finding the electron on that sphere is high), some are shaped like dumbbells, some are close to the nucleus, some are further away … these are the electron orbitals of an atom that allow chemical bonds (s-orbitals, p-orbitals, etc).

So, the reason electrons don’t fall into the nucleus is because they act like waves and can only ‘vibrate’ in particular ways, none of which allow them to be inside the nucleus!

Átomo Oxigênio e a Entropia na Formula da MatrixLight/DNA

sexta-feira, abril 22nd, 2016

xxxx

Pesquisar isto. lembrar que na formula do RNA-ribose, a entrada de 3 átomos de O na face direita indica que o átomo ‘e buscado quando inicia a entropia. Se eme ‘e um  receptor de electrons, quer dizer que a entropia esta se esvaindo através de elétrons.

“… oxygen is the terminal electron acceptor.”

666 Decodificado ! E’ o Numero do Carbono no Centro dos Humanos e da Formula da MatrixLight/DNA!

terça-feira, abril 19th, 2016

xxxx

Veja bem a figura abaixo e recorde-se do que e’ o Carbono:

666 Decodificado ! O Carbono, o Atomo Mais Fiel`a Matrix Fechada

666 Decodificado ! O Carbono, o Atomo Mais Fiel`a Matrix Fechada

Agora veja bem a formula da Natureza para todos os sistemas naturais, como organismos, galaxias, células, arvores, etc., porem tenha em nota que esta ‘e a face da formula como sistema fechado em si mesmo:

The Universal Formula of MatrixDNA as Software/Closed System

The Universal Formula of MatrixDNA as Software/Closed System

E esta ‘e outra maneira de representar a mesma formula no seu aspecto de fechada em si mesmo e quando construiu os building blocks dos sistemas astronomicos:

Matriz DNA Universal E a Forma dos Sistemas Naturais

Matriz DNA Universal E a Forma dos Sistemas Naturais

E agora então vamos para o tópico.

Os autores da Bíblia iniciaram esta longa e incansavelmente repetida historia mistica sobre o numero 666.Segundo o que escreveram, ” 

666 e sua origem mistica

666 e sua origem mistica

” Deixe ao que tem entendimento reconhecer o numero da besta, pois ele e’ um numero humano, e este numero e’ 666 “

Qual a minha interpretação disto tudo, quando consulto a formula da MatrixLight/DNA?

A formula da Matrix foi obtida de pois de dezenas de anos pensando e calculando o que teria criado o primeiro ser vivo na Terra, que foi o primeiro sistema celular completo. A minha intuição me conduzia a crer que o seu criador tinha que ser um “sistema” ainda, um “sistema funcional”, acima de tudo. Pois observando tudo o que se vê de fenômenos vivos depois daquela célula, é que cada nova criatura sempre imita a estrutura física de seu produtor. Não poderia ter sido diferente com a primeira célula, pois a Natureza funciona como uma longa cadeia de 13,7 bilhões de anos que vem rolando naturalmente pelo processo de causas e efeitos.

Então naquela sopa primordial, teorizada por Oparin e experimentada tantas vezes a começar por Miller/Urey, e ainda acreditada no meio cientifico moderno, tinha que ter existido o sistema criador procurado. Mas como? Se naquela sopa, o único tipo de sistema que havia com certeza, era o átomo? E o átomo não pode ter sido o sistema criador porque a diferença entre a cria – a primeira célula viva – e um átomo é brutal, a Natureza não pode dar estes tipos de saltos mágicos. Então como aquele sistema estava ali e quem foi ele?

Ora, a inteligencia sempre avança e assim sempre encontra uma maneira de continuar suas investigações. Então me surgiu um método plausível para identificar o sistema. Anatomia comparada entre o sistema celular e o atômico. Mas quando experimentava este método me lembrava que na historia da evolução existe um outro sistema que é mais evoluído que um átomo e menos involuído que uma célula: o sistema astronomico, seja o estelar, o galáctico, o universal, etc. Então este parecia o mais indicado para se fazer a anatomia comparada.

Para encurtar tudo e resumir dez anos de buscas, no final cheguei ao que deve ter sido o elo entre os sistemas dito inanimados e os sistemas animados, ou vivos: os building blocks dos sistemas astronômicos, que são uma forma mais evoluída dos building blocks dos sistemas atômicos. Os átomos da Terra teriam tomado um banho fotônico solar de organização sistêmica galáctica e com esse banho e naquela sopa, se organizaram de forma inédita apenas obedecendo os mecanismos da genética e seus processos de auto-reprodução, constituindo os primeiros aminoácidos já contendo os próximos passos de sua evolução. E estes building blocks podiam ser representados por uma formula que torna mais fácil seu entendimento, principalmente se for o estado mais evoluído e perfeito desta formula, o estado de sistema fechado em si mesmo. Eis a razão da formula da MatrixLight/DNA. Light esta’ aqui inserido porque mais tarde, acabei descobrindo que antes de ser o building block de átomos e galaxias, esta formula já estava codificada na primeira onda de luz que emanou do Big Bang, ou de qualquer onda de luz natural hoje em dia.

Desde a a descoberta da formula, e agora tentando trilhar o segundo passo da investigação, que e’ tentar provar ou desaprovar a existência da formula, e enquanto não se consegue isto, vai se reunindo todas as evidencias a favor da existência da formula ( pois um so’ fato provando que a formula esteja errada seria o suficiente para jogar a a formula no lixo),  todos os dias sou maravilhado pela descoberta de mais evidencias e um mais profundo entendimento dos fenômenos e eventos naturais que de outra forma nenhum humano conseguiria. Mas um destes acontecimentos que me causam grandes surpresas foi o de um dia, quando de repente notei que a formula estava como base primordial de todos os mitos básicos das grandes religiões. Basta trocar os nomes e símbolos nas descrições dos mitos, por uma linguagem naturalista cientifica, e tudo se encaixa como uma luva! Seja a figura descritiva do Eden no Paraíso, seja o simbolo do I Ching, ou seja as sete rodas de espíritos em volta do turbilhão ígneo da doutrina secreta ocultista,… é sempre outra maneira metafórica de descrever a formula!

Apenas para ilustrar, observe na formula que o fluxo de energia/informação que se inicia em F1, faz um circuito esférico e termina em F1 para se auto-reciclar, pode ser desenhado da mesma maneira como uma serpente engolindo a própria cauda. Que é o simbolo mistico de Oroboro. Mas na verdade, a formula acima não é  assim esférica, ela é uma espiral, apenas a fiz assim porque ficaria confusa a espiral desenhada num papel em duas dimensões. E quando a vemos na forma espiral ela se parece uma arvore, com tronco, galhos, folhas e frutos, exatamente na forma da Via láctea que foi quem criou a arvore, mas ai você tem a arvore, a serpente, a fruta, etc. E quando inseres F4 e F1 tens a exata função dos cromossomas X e Y, ou seja, Adão e Eva. Assim por diante, a formula é como o bau de Pandora, onde sen encaixam todos s mitos criados pela Humanidade.

Atônito e surpreso por esta descoberta, a primeira pergunta logica é:” Raios! Eu pensei que tinha sido o primeiro a descobrir a formula, mas antigos analfabetos de milhares de anos atras já tinham conhecimento dela! Mas como se não sabiam de DNA, de galaxias, etc.?!

A conclusão logica por ora, e racional, é de que a causa desse conhecimento consiste no fato de que esta formula ser a mesma formula dos building blocks do DNA que esta nos centros dos neurônios do cérebro, tornando-os também o building block do cérebro que produz a mente, que envia a visão da formula ao cérebro. Não da formula em si, mas dos objetos reais, os sistemas, criados por ela. Os antigos – tendo uma mente muito mais fresca do que a nossa hoje, e portanto uma memoria mais próxima da historia de nossos ancestrais, inclusive os não-vivos, tinham flashes dessa visão. Ou ao menos alguns deles, em algum estado de cérebro alterado, por alguma droga química, ou algum fator estressante, etc.

Então o 666 coincide surpreendentemente com o numero que e se extrai de um átomo de carbono, que é o building block atômico essencial dos corpos vivos como o humano, e o carbono é o átomo essencial dos sistemas biológicos porque é o átomo que melhor imita e completa sem exceder o numero de seis funções sistêmicas da formula, dando a entender que cada partícula no átomo esta’ desempenhando uma função sistêmica.  Apenas lhe falta uma função, a de numero cinco ( F5) porque na verdade esta função é externa ao sistema, apenas existe em potencial latente da formula, já que ela so’ entra em ação nos eventos de auto-reprodução do sistema.

E assim explicamos mitos, religiões, galaxias, átomos e até a mente humana… por uma razão que ainda esta na sua infância, mas ao que ao menos fica temporariamente satisfeita com tal explicação.

 

 

 

 

Corpo Humano: Quadro Animado da Respiração

sábado, outubro 25th, 2014

xxxxxxx

Registrado para pesquisa:

https://plus.google.com/u/0/explore/scienceeveryday

http://tabletopwhale.com/

Porque os seres vivos foram feitos “respiradores”?! Ou,… porque os seres vivos “se fizeram” respiradores?! Parecem uma bomba funcionando, até mesmo enquanto estão inertes, dormindo! A respiração deve ser algo de tremenda importância para que um composto de matéria tenha vida, pois bastam uns poucos minutos sem respirar e o corpo morre! Se tem tanta importância para nós, precisamos conhecer bem esse negócio. Tentei encontrar respostas nas Ciências, mas não encontrei. Isto porque a Ciência descreve o que vê, mas não menciona de onde vem o fenômeno, e qual o significado existencial do fenômeno.

Porque a cada segundo um sistema natural denominado “corpo humano” realiza um ciclo em que absorve do ar muitos átomos de oxigênio e emite todos aqueles átomos de oxigênio acompanhados por átomos de carbono que estavam dentro do corpo?! É como se cada átomo de oxigênio que entra na inalação, vai dentro do corpo, agarra um átomo de carbono e carrega-o para fora. Porque os átomos de carbono do meu corpo tem que serem expulsos a cada minuto?!

Tenho encontrado as explicações do porque e os significados existenciais de cada fenômeno da natureza sempre quando consulto os mapas, a fórmula da Matrix/DNA. E aqui, mais uma vez ela não me deixou na mão, vindo mais uma vez com uma resposta surpreendente, que nunca fora imaginada antes. No final, resumindo, é o seguinte: partes do seu corpo morrem a cada minuto, e a cada minuto renascem. Isto no seu nível atômico. Seu corpo, no nível dos seus átomos, parece-se com uma galaxia. Formada de bilhões de sistemas estelares. E assim como no céu, a cada momento morre um sistema estelar e nasce outro, assim no seu corpo morre uma aglomerado de átomos e são substituídos por outros vindos pelo ar! Na respiração.

O corpo humano é um sistema natural que tem uma vida de, digamos, 80 anos. Este sistema é composto de sistemas celulares, cada célula tem uma vida de alguns dias. Os sistemas celulares são compostos de sistemas atômicos, que tem uma vida de algumas horas. Os sistemas atômicos são compostos de sistemas-partículas, as quais tem uma vida de 17 bilionésimos de segundos. Então durante uma vida de um corpo humano, surgem e desaparecem milhões de gerações de células,  surgem e desaparecem bilhões de gerações de átomos, trilhões de gerações de partículas. Nós morremos apenas uma vez, mas assistimos quatrilhões de mortes ocorrendo dentro do nosso corpo. Se não morremos em 17 bilionésimos de segundo como as partículas que são os tijolinhos básicos do nosso corpo, morrem, é graças à hierarquia dos sistemas. E isto se descobre apenas observando e se perguntando o que é a… respiração.

Vamos tentar conhecer este fenômeno da respiração levantando tudo o que a Ciência descobriu, mas antes, vamos dar uma olhada na fórmula da Matrix/DNA para explicar detalhadamente o que ela disse acima.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

O desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Bem,… aí está a formula universal para todos os sistemas naturais e o meu, o seu corpo, é um sistema natural. De chofre, já vemos que a fórmula tem uma “bomba”, que é F1. Em seguida procuramos se este sistema respira, mas não vemos onde e como. É compreensível pois esta figura retrata apenas a fórmula no seu estado de sistema fechado em si mesmo, e não no outro estado, que é o aberto a trocas com o mundo exterior. No sistema fechado nada entra ou sai, portanto, não respira. Mas tambem é quase certo que quando uma ou mais peças do sistema se abre para relações com algo do mundo externo, o sistema ainda continua sem respirar. Então porque os sistemas biológicos foram feitos “respiradores”?

Voltando ao infográfico acima, e observando o movimento, temos a impressão que o sistema nasce e morre continuamente. bem agora começamos a perceber os princípios da respiração, na fórmula. Pois a fórmula faz com os sistemas fechados sejam auto-recicláveis. Toda vez que o fluxo de energia/informação chega a F7, a peça que representa o estado de “cadáver” do sistema, o sistema morre. Mas sua massa degradada se une com F5, que é energia nova, crescente, e constrói F1, de onde o sistema renasce.

Bem,… já sentimos que a respiração está relacionada com o ciclo continuo de nascimento e morte. Mas no sistema fechado isto não é respiração, pois entre a morte e o renascimento nada entra de fora, enquanto entre a inspiração e exalação, entra o O2 e sai CO2.

Esperem aí…! Uma intuição, uma novidade nunca pensada antes está pintando agora por aqui.

Porque os átomos de oxigênio e carbono?

E não outros quaisquer?

Estes dois átomos são de extrema importância para a fórmula da Matrix/DNA.

O Carbono é numero atômico 6, tem 6 prótons e 6 elétrons. É o único átomo no mundo que é 6. E uma breve olhada na fórmula, vemos que ela tem 6 peças, cada qual representando uma função sistêmica universal. Já há 30 anos, desde quando ví a fórmula pela primeira vez, e me perguntei porque o Carbono foi o escolhido para iniciar a Vida, iniciando as primeiras moléculas orgânicas, colocando-se no centro de todos os aminoacidos, obtive o parecer das Ciências: é porque o Carbono é um átomo “amigável”, flexível, ele se combina com os outros átomos, facilmente. Ora, mas porque o Carbono é mais amigável que os outros? Qual a propriedade especial que ele tem, que os outros não tem? Ninguem respondeu, ninguém sabia.

Comecei então a olhar o átomo de maneira nova. Por exemplo, é possível que cada par “proton/neutron”, ou mesmo cada trio “proton+neutron+1 eletron”, seja no sistema atômico, a ferramenta material em que se encarna uma função sistêmica.

Para quem não está treinado a pensar o mundo tendo como base a Matrix/DNA, vou informando que a matéria no inicio era uma só. Digamos, era a dark matter, ou o eter, ou a massa inerte do campo de Higgs, ou seja lé que outro nome queiram dar, não importa: o que entendo por matéria é a substancia que preenche o espaço. é a substancia do espaço. A matéria era uma só, igual em todas as regiões do Universo. Mas ela foi invadida, penetrada, pela LUZ. Talvez ondas de luz emitidas pelo Big Bang. E a LUZ, não é uma só. Ela tem um numero infinito de formas, porem, nós, para facilitar nosso trabalho, classificamos todas estas formas em apenas sete grandes grupos, aos quais chamamos de frequências. Então temos a frequência que vemos como sendo ultra-violeta, outra vemos como infra-vermelha, etc. Ora, cada frequência tem seu estado vibratório diferente de todas as demais.

Então quando uma onda de luz penetra a matéria, a substancia espacial inerte, ela vibra, sacudindo essa substancia. E então a substancia se quebra em pedaços, porções, porque ela não pode ter uma parte vibrando forte como na frequência do raio gama e outra parte vibrando fraco, como na frequência do radio. Cada pedaço, cada porção se divide do todo vibrando na sua intensidade especifica. Se são sete principais tipos de vibrações, já temos aí a matéria se diversificando, se apresentando em sete formas diferentes.

E o que aconteceu a seguir, nas origens deste mundo?

Vamos trazer para cá a “figura” da LUZ, segundo o que tenho interpretado dela:

Light - The Electro-Magnetic Spectrum

Creio que uma onda se luz se expande em ondas circulares concêntricas, como aquelas que vemos quando uma pedra bate na água parada de um lago. Mas isso não aparece na tela do medidor e do computador, apenas vemos ela na forma dessa linha ondulatória. Então, à direita, a vibração é a mais forte, depois vai enfraquecendo à medida que avança para a esquerda… na figura. Ora, isto significa que a fonte da onda está à direita. É como se pedra que bateu na água estivesse à direita. Apenas menciono isso para notar algo muito importante: a onda obedece uma sequencia de frequências/vibrações. Toda onda em qualquer lugar e tempo obedece sempre a mesma sequencia, onde o 1 é gamma-ray, o 2 é X-ray, e assim por diante. Então o 3 vai sempre ser vizinho do 2 e do 4. Isto faz com que, se a onda for quebrada em sete partes, cada parte com uma frequência, e depois estas partes se encontrarem em algum lugar, o 3 vai ter uma força de atração com o 2 e o 4, mais que com o 5, o 1 o 7.

Isto foi repetido nos movimentos migratórios humanos, fato que serve para ilustrar o que ocorria com nossa ancestral onda de luz nas origens do Universo. Pegamos como exemplo, a cidade de New York. para ali vieram povos de muitos lugares do mundo, mas eles se misturam mais no centro da cidade, enquanto se dividem mais nas periferias. Existem os bairros chinês, o hispano, o italiano, o irlandês. Porque? Ora porque ao chegar de mala e cuia em New York e ao encontrar pessoas vindas do mesmo lugar, o chines tende mais a se juntar a outro chines que a um italiano. Primeiro fator é porque falam a mesma língua. Existe uma mais forte atração mutua entre dois chineses de New York porque eram vizinhos de onde vieram. E antes que se misturem com alemães, mexicanos, a tendencia é antes se misturarem com vietnamitas, coreanos… porque tem os mesmos olhos apertados e costumes, culturas , mais similares. O pedaço de ultra-violeta, ao se encontrar numa região distante, tende se emparelhar com outros ultra-violeta, mas antes de se misturar com microwave ou radio, ele prefere se relacionar com X-ray e Visible, porque é mais fácil ligar uma ponta de sua vibração com a destes dois. Cada dois vizinhos tem entre si uma continuidade da intensidade de vibração. Isto é muito importante para entender porque o mundo de hoje ficou assim.

É importante porque uma onda de luz original trouxe para o Universo o requisito fundamental para que existam sistemas naturais e a Vida. Pois cada sistema natural – para ser realmente um sistema e completo – tem que ter no minimo seis partes, seis peças, seis órgãos. Isto é fácil vendo-se a fórmula da Matrix acima. Não existiria F2, que representa, por exemplo, a forma da semente, se não existisse F1, que representa a fonte criadora inicial do sistema. Cada peça é a soma de uma cópia da peça anterior mais alguns acréscimos de complexidade, ou seja, cada peça é o mesmo que a peça anterior transformada. Não existiria uma criança se não existisse um bebê: cada criança é a soma de uma cópia de um bebê mais o acréscimo de alguma complexidade, ou seja, cada criança é um bebê transformado. Assim, cada frequência da Luz é uma forma continua de uma frequência anterior. E assim chegamos à definição literal, genuína, do que é um ciclo vital.

O que mais diferencia um corpo vivo de uma pedra é que o vivo se move, enquanto a pedra é estática. A Luz se move, portanto… não é como a pedra estática. Este movimento é relacionado com a dimensão “espaço”. Mas tem tambem o movimento relacionado com a dimensão “tempo”. Aqui tambem apenas os vivos se movem, as pedras não. É um movimento sem deslocamento no espaço. É o movimento de um corpo pequeno se tornando grande, jovem se tornando adulto. Este movimento em relação ao tempo é o ciclo vital.

O ciclo vital aplicado a um corpo gera um interessante efeito: ele faz o corpo mudar suas formas, ele transforma o corpo, e depois transforma o que foi transformado… Isto vem da onda de luz: a inicial forte vibração gamma-ray apresenta uma forma de espectro, mas o gamma ray se transforma em X-ray, que tem outra forma no espectro… Em outras palavras, foi a onda de luz original que trouxe para este mundo o código do processo do ciclo vital, o qual é o código da Vida.

Se cada porção da matéria penetrada pela luz se se separa das outras porções porque vibra diferente das outras, e se depois todas estas porções são misturadas, cada porção vai procurar primeiro se relacionar com seu vizinho antes das separações. A porção vibrando em gamma-ray vai se unir com a porção X-ray, e mais acolá a porção Infrared vai se relacionar com a porção em microwave… Nunca o infrared vai cair de amores primeiro com um Radio antes de cair pelo microwave. Dentro de um navio, o chinês só vai conseguir falar bem com outro chinês, e não com um alemão.

É nessa sequencia de vizinhos que as partes vão se juntando, primeiro, dois a dois, depois três, depois grupo de quatro. No final, todos se unem formando um grupo de sete, porem podes ver, que o chines ficou perto do coreano que ficou perto do indiano que ficou perto do inglês que ficou perto do americano… Assim a Natureza montou o primeiro sistema natural perfeito de matéria. Imitando a onda de luz perfeita. E assim o sistema funciona, adquire vida. Portanto, a fórmula da Matrix/DNA para sistemas naturais é ao meso tempo, a mesma figura acima do espectro de uma onda de luz. isto porque a fórmula da Matrix tambem está sob as regras da evolução, do ciclo vital, e sua primeira forma neste mundo foi na forma de uma onda de luz.

Bem,…

Começamos a falar de respiração e acabamos dando uma volta pelo Universo inteiro, não apenas em relação a seu espaço, mas tambem em relação aos seus 13,7 bilhões de anos, seu tempo total. E porque demos essa volta? Nós estávamos nos perguntando porque o átomo de carbono foi o escolhido para ser o eixo central da Vida. E mencionei que fiz a pergunta a alguns experts na época, sobre qual a propriedade especial do carbono, e ninguem sabe. Mas existe uma resposta, porem ela está na fórmula da Matrix/DNA.

A vibração parece ser o primeiro tipo de movimento que surgiu neste espaço onde hoje se assenta o Universo. O pessoal que lida com a quântica está tambem chegando a esta conclusão, quando sentem ver que do vácuo total brotam vibrações, que geram as primeiras partículas, etc. Em outras palavras – e se trouxéssemos Darwin para definir com suas palavras o que é vibração – vibração é o LUCA, o ultimo ancestral comum a todos os tipos de movimentos existentes no mundo hoje. Ela parece ser a origem de todas as forças naturais. Ela parece ser a origem do que entendemos por “trabalho”. Mas existem sete grupos de vibrações. É o mesmo que dizer que existem sete tipos de “trabalhadores”. De forças. Estes trabalhadores, estas forças, na formula da Matrix/DNA ganha um nome: função sistêmica. São a F1, a F2, e assim por diante. São as vibrações gamma-ray, X-ray, e assim por diante.

Com isso podemos agora argumentar do porque penso que o carbono é, dentre todos os 100 ou 200 tipos de átomos que existem, o único que representa fielmente a Matrix/DNA. É porque um sistema completo tem que ter no minimo e não mais que seis funções universais. Mas estas funções metafisicas, invisíveis, sempre fabricam uma ferramenta para poderem operar num determinado ambiente, essa ferramenta é o corpo em que ela encarna para executar um trabalho. O átomo é um sistema formado por partículas, portanto as funções encarnam partículas quando precisam atuar no meio dos átomos.  Você se lembra daquelas fórmulas aprendidas ainda na escola elementar, quando os átomos tinham aquelas ondas concêntricas que se chamavam camadas eletrônicas e cada uma tinha um simbolo: S1, P2, d3, etc. até a ultima, que era 7. Pois eu tive que fazer um novo modelo do sistema atômico quando encontrei a fórmula da Matrix/DNA. Sendo um sistema natural, o átomo é um nosso ancestral primitivo, pois nós somos sistemas naturais mais complexos. O átomo é tão ancestral nosso quanto foi a bactéria, os repteis, os mamíferos de quatro patas. Se nós somos vivos, é porque no átomo já existiam os os princípios da Vida. E os modelos atômicos feitos pelas Ciências – seja o antigo de Rutherford, ou o moderno da quântica – são átomos mortos, eu preciso de dar vida aos átomos, eu preciso de modelos onde os átomos tem direito à vida. A forma que encontrei foi um modelo onde cada camada eletrônica é um campo de uma função sistêmica universal. Cada camada é uma parte do sistema. Um órgão. Então, no meu modelo, o átomo é um sistema primitivo que pode ou não expressar um órgão. Ele expressa quando tem ao menos um elétron, o qual traz atividade de órgão. Nós temos sete sub-sistemas, cada qual com um órgão central. Então o átomo é um ser vivo tão primitivo que as vezes ele só tem um coração ( o núcleo) e um figado funcionando ( a camada 4). Esse é o hélio, meu grande amigo de outrora, das noitadas à beira da fogueira. Outro átomo é um sujeito ambulante que anda só expressando o coração, o figado e o estomago. Este é o átomo com numero atômico 3. E assim por diante. tem átomos que expressam exageradamente um monte de órgãos repetidos, como o Uranio214.  Mas tem apenas um átomo que representa todos os seis órgãos e apenas eles sem repetição, criatura fiel da Matrix/DNA. É o átomo do Carbono. Por isso foi escolhido para ser o primeiro e mais importante no corpo do senhor da Terra.

Você ainda pode estar com um grilo incomodando-o. “Mas… podes pensar – “vejo na fórmula sete funções e não seis.” Um momento. Estamos falando do sistema em sua estrutura existencial num determinado momento. A F5 apenas reproduz um sistema em outro. Ela faz o sistema se propagar no tempo. Mas fixe o sistema num momento para estuda-lo, sem estar movendo-se auto-reciclando-se, e a F5 desaparece. A prova disso está no núcleo celular. A unidade fundamental de informação no DNA é composta dos dois açucares laterais mais as 4 bases nitrogenadas. São seis funções. A sétima, que é a uracila, apenas tem no RNA.

Bem, nós falamos muito do Carbono. O outro átomo da respiração é o Oxigênio. Porque o oxigênio? Vamos á fórmula da Matrix/DNA.

O Oxigênio é numero atômico 8, significando que tem oito prótons, oito elétrons. Isto significa que quando a fórmula da Matrix formou se reproduziu completa no nível atômico, na forma do carbono, ela continuou a evoluir os átomos, para formar a natureza diversificada que temos hoje. Do carbono 6 veio o átomo 7, depois o 8, depois o 9… Isto significa que cada par de próton/elétron acrescentado reforçou uma das funções sistêmicas. Se a F3 tiver duas partículas ao invés de uma como as demais, a função o que ele representa vai ser a dominante no sistema. É a propriedade principal, dominante de cada tipo de átomo que revela qual a função está reforçada. Ora o oxigênio é oxidativo, ou seja, ele corrói os materiais. Portanto deve ser um agente entropico. Na formula, existem dois agentes entrópicos, que são F6 e F7, todos os da face direita. A face onde o sistema entra em degeneração e leva à morte. Então o oxigênio 8 entrou ali naquela faixa entra F7 e F1. É o agente da morte, por isso é corrosivo. Mas lembre-se que em termos de fórmula da Matrix/DNA,  a morte não é pior que o nascimento, a morte não é algo ruim, negativo, pois sem ela, o sistema teria apenas uma vida curtíssima. Ela mantem o sistema existindo quase eternamente, pois ela é necessária para a sua auto-reciclagem. Estamos falando de sistema fechado em si mesmo.

Para finalizar, entendi porque a respiração utiliza C2 e O2. Sabemos que o nosso corpo tem vários diferentes níveis de realidade, varias diferentes dimensões, formadas por diferentes tipos de organização da matéria. Tem a dimensão atômica, a dimensão celular, a dimensão dos órgãos… Sabemos que na dimensão celular, as células tambem nascem e morrem. As células nascem e morrem, o corpo inteiro nasce e morre… todos os sistemas nascem e morrem. Isso inclui os átomos. Sabemos que as células que morrem são substituídas por novas porque as células se dividem, auto-reproduzindo-se. Mas e os átomos? Como a estrutura do corpo humano no nível dos átomos substitui os átomos que morrem por átomos novos? Eles não se dividem auto-reproduzindo-se. Ora, assim como o corpo é formado de partes, órgãos, que são grupos de células, assim tambem no nível atômico, e formado por regiões de átomos, que são grupos de átomos. Cada região tem como unidade fundamental a formula da Matrix que é um átomo de carbono, e depois a ele se acrescenta mais átomos com mais ou menas partículas. Se quisermos desintegrar um figado para renova-lo, vamos separar suas células; se quisermos desintegrar uma região de átomos para renova-la, vamos separar seus carbonos. Para separar um carbono de outro, só mesmo matando-os. Isto faz o matador Oxigênio. Então o oxigênio entra no corpo vindo com o ar, cada qual se atrela a um carbono, mata-o, separa-0, e leva-o embora, para fora do corpo. Por isso na respiração entra O2 e sai CO2. Cada oxigênio é como um caixão de um defunto carbono. E como se repõe cada carbono retirado? Ora, o carbono tambem é o centro da vida vegetal. Nós adquirimos os carbonos substitutos quando nos alimentamos.

Sabemos que o corpo humano é um macro-sistema biológico que respira, inalando O2 e eliminando Co2. Este macro-sistema é composto de níveis de sistemas químicos, atômicos celulares. Sabemos que no nível celular a respiração libera energia, no nível químico ativa o metabolismo das moléculas ricas em energia como a glicose. Então é como se um evento de inspiração/inalação começa num patamar de complexidade superior e vai se desdobrando, alcançando os patamares inferiores, menos complexos, até chegar ao nível atômico. Acabamos de teorizar o que realmente ocorre no nível atômico, apenas.

Outro fato que precisamos mencionar apenas rapidamente aqui, é que a Matrix nunca para em ponto nenhum dentro do Universo quando quer explicar o significado existencial de um determinado fenômeno natural. Ela sempre faz o serviço completo, indo do Alfa ao Omega e depois retornando do Omega ao Alfa. Ou seja, ela conta a história da evolução de 13, 7 bilhões de anos de cada objeto, cada fenômeno apresentado aos nossos olhos pela Natureza. Então, se descobrimos o que é a respiração ao nível do corpo humano, ao nível do átomo, como estava ela antes do átomo? Chegamos assim nas origens do Universo e vemos a respiração acontecendo entre os balões de Yukawa. Mas isto é outra longa história…

Bem,…

Eu nunca tinha pensado nisso…

Foi a imagem, o infográfico da respiração, visto por acaso na Internet, que começou tudo isso. Ele é o culpado, se tudo aqui estiver errado, não eu,…

Mas existe a possibilidade de que esteja quase tudo certo… e nesse caso, um ato de louvor ao artista do infográfico.

Agora, só nos resta pesquisar mais, testar esta nova teoria. A qual abriu minha mente para detalhes intrigantes da Natureza, do meu próprio corpo, que nunca percebera antes… E mais uma vez a fórmula da Matrix/DNA mostrou que ela pode impregnar as coisas com sua lógica impecável.

xxxx

Pesquisa do Fenomeno da Respiração, em Todos os Niveis de Organização da Matéria:

Respiração ( breathing)

Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Breathing

Co2, Gas Carbonico 

( em andamento)

Fótons Realmente Vistos? Muitas Informações a Pesquisar Aqui

segunda-feira, dezembro 2nd, 2013

Photons Seen Without Being Destroyed For First Time Ever

http://www.huffingtonpost.com/2013/11/25/photons-seen-not-destroyed-first_n_4337029.html

HUFF POST SCIENCE

LiveScience  |  By Jesse Emspak – Posted: 11/25/2013 8:50 am EST

photons seen

Scientists have used a single atom trapped in an optical resonator to detect the presence of a reflected photon without destroying that packet of light. | MPQ, Quantum Dynamics Division

Eliminar todas as doenças que torturam humanos: Método Acadêmico e Método da Matrix/DNA

quinta-feira, novembro 28th, 2013

Tema baseado no seguinte artigo:

BBC. Com Future

Preventative genetics: The ultimate way to halt disease

http://www.bbc.com/future/story/20131107-predict-illness-before-it-strikes – (clique na figura do artigo e veja interessante video)

Se você entendesse o que estou querendo dizer aqui, certamente se juntaria comigo nesta luta. O mundo cientifico acadêmico, vem, desde Hipócrates a 2,000 anos atras, gastando o tempo de milhões de cientistas e profissionais e bilhões de dólares na tentativa de eliminar doenças mortais, como câncer, diabetes, Alzheimer, etc., mas ainda não conseguiram, as doenças continuam ai e podem pegar qualquer um de nos desprevenido… A pergunta que faço é: porque não conseguem? Doenças não são algo sobrenatural, elas são produtos dos movimentos na Natureza, portanto, isto significa que não entendemos ainda o que é e como funciona a Natureza. Ninguem esta autorizado a afirmar que estas doenças mortíferas tradicionais são produtos de disfunções dentro dos corpos humanos ou afirmar que doenças são produzidas por forcas e elementos naturais externos aos corpos, vindos do meio-ambiente. Se tivessem certeza… porque ainda não as eliminaram?

No presente artigo com link acima, um cientista que sabemos estar honestamente empenhado nessa luta, sugere que se invista mais no método aplicado pelas ciências acadêmicas, a qual, nas ultimas desadas passou a acreditar que todas as causas estão nos genes. Assim ele resume sua sugestão: “A grande ideia é genética preventiva: observando nosso genoma desde a infância de maneira que possamos evitar que a doença se instale, ao vez de atuar sobre a doença depois que ela se instalou no corpo”.

Mas as doenças continuam aparecendo, isto significa que ainda não aplicaram o método correto, e se não o aplicaram, não se pode saber de antemão se este realmente é o método correto. E se não for? Entes queridos nossos, familiares ou não, e talvez nos mesmos, continuaremos a ser torturados e morrer porque o método correto não foi aplicado…

Então faço outra pergunta: “Se tiver algum ser humano sugerindo que se experimente outro diferente método, que ele esta convencido que vai funcionar, que não vai custar tao caro, que pode ser feito,… porque não tentar?” Existe outro tema mais importante hoje para os seres humanos? Va ao hospital e pergunte para os que la estão.

O pensamento acadêmico sobre as doenças esta cegamente centrado nos genes. De repente passaram a acreditar que aqueles amontoados de átomos formando diferentes moléculas atuam por conta própria, parecem ter personalidade própria, força autônoma própria. Gastaram bilhões de dol ares na busca de mapear o genoma porque acreditavam piamente no celebre axioma que emergiu deste tipo de crença: “Cada gene, cada doença!” Ao fim do projeto, tendo o mapa total em mãos, o Craig Venter e seus correlegionários caíram sentados em suas cadeiras desanimados: não era assim, são muitos e vários genes envolvidos em cada doença. Praticamente voltamos a estaca zero. Mas a obsessão em cima da genética não foi curada tambem. Prova disso é a própria sugestão do cientista neste artigo.

O método diferente que estou sugerindo resulta da minha pessoal leitura e interpretação dos modelos, formulas e mapas da Matrix/DNA Theory. Pois ali se deduz que tudo o que existe no corpo humano pertence a sistemas, os quais, as centenas ou milhares, se juntam formando um ultimo sistema final: o corpo humano. Acontece que temos a formula para um sistema natural perfeito, funcionando perfeitamente, sem qualquer disfunção, como são os casos das doenças. E esta formula é aplicada pela Natureza para organizar a matéria em sistemas, funcionais. Ora… então basta identificar-mos todos os sub-sistemas do corpo humano e compara-los com a formula para detectar onde esta o ponto diferente no sistema doente. Assim como fiz com o caso do ciclo do colesterol cuja figura esta na primeira pagina deste website.

A formula da Matrix/DNA esta sugerindo que doenças não tem como causa fundamental os genes. Não! Estes são apenas marionetes manipulados ao sabor de uma força muito maior que eles. Esta força é gerada nos atritos entre dois poderosos elementos: o sistema planetário dentro do solar em que tudo funciona como um relógio, um sistema perfeito, fechado em si mesmo, e suas crias, sistemas biológicos que funcionam diferente, são sistemas abertos e,  se movimentam por direções contrarias entrando em choque com os eflúvios do sistema estrutural. É este atrito que atua no genoma causando erros nas operações do DNA e defeitos nos genes que eram “saudáveis”. Vou tentar explicar isso pois pé muito fácil de entender. Não tem nada de astrologia, superstição, metafisica, aqui, tudo é muito simples resultado do trabalho de um filosofo naturalista cuja missão é buscar conhecimento das informações obtidas pelas Ciências Oficiais com seu método reducionista e ficar tentando conectar todas estas informações para tentar obter um grande quadro, e assim entender o significado, o motivo, da existência dos fenômenos que compõem a totalidade da Natureza, o Universo.

Porque é que de repente um sistema natural atrela a si mesmo, bombas, vai a uma praça publica e se explode?! Ora, a principio, a meta suprema de todo sistema natural, de átomos a galaxias a lagartixas a células, é conseguir o estado confortável e eterno do equilíbrio termodinâmico. O sistema corpo humano, assim como formigas e abelhas, dedica a vida a luta para conseguir um palácio, depois o mais vasto território em volta deste palácio, onde tudo funcione como num paraíso e ele é o senhor ou a rainha absoluta.  Bilhões de anos de evolução desde a primordial nebulosa de átomos não mudaram essa meta suprema, ela continua no ultimo sistema ápice desta evolução aqui nestas regiões do Universo, que é o ser humano. Então porque de repente um sistema sai totalmente fora desta longa cadeia de causas e efeitos que vem desde o Big Bang e faz algo totalmente sem sentido? A resposta esta na existência de um sistema, invisível, denominado sistema religioso cultural. Ele manipula seus sub-sistemas como marionetes. Assim como os genes são manipulados. O terrorista não atua mais por si mesmo, independente, ele é conduzido, pois caso contrario todas suas atividades visariam sobreviver e enriquecer.

Ate os 30 anos eu tive varias perigosas doenças. Aos sete anos peguei uma que não sei o nome ouvido na infância (tufo, tifo?), que fecha a garganta e se não correr ao hospital morre em 24 horas. Depois tive ulcera gástrica com cirurgia aos 28 anos. Depois duas malarias na selva aos 30 anos. Mas na selva elaborei as formulas da Matrix/DNA, resultou uma visão diferente de um quadro geral diferente, conclui que a vida surgiu aqui pela aca o de fótons-genes formando um software emitido pela galaxia, estas loucuras todas, que sugeriam que com meu cérebro apenas eu poderia captar certas parti culas de fótons-energia voando no espaço a minha volta, e que podia conduzir mentalmente estes fótons por canais de um complicado desenho do corpo humano… e passei a experimentar isso, sessões de 15 ou 60 minutos diários. Nunca mais, nos outros 30 anos precisei tomar nenhum comprimido para nada. Uma saúde e energia de ferro! Voltei a selva temendo pegar a terceira malaria que poderia ser fatal, mas que nada, gozei na cara dos mosquitos transmissores. Mera coincidência? Tambem as vezes penso que sim, mas… por via das duvidas, continuo de vez em quando praticando o método, pois em time que esta ganhando, não se mexe, por mais estupido e desmiolado que pareça ser o técnico do time. Eu estou com a mente cegamente centrada em “SISTEMAS”, uma grande diferença do meio acadêmico centrado cegamente em genes, nos estamos abordando este assunto das doenças vindos por caminhos diferentes.

O corpo humano é um sistema natural, produto de uma evolução que começou com o primeiro sistema celular, a qual foi produzida num longo processo de embriogênese e não abiogeneses, pelo sistema astronômico que nos envolve. Ou se encaixa nele… e tenha uma vida saudável,… ou não se encaixe nele, que sistemas equivocados pairando no ar te agarram, te inocula suas errôneas tendencias, e te leva a se explodir em praça publica, ou melhor, levam seus genes a aniquilar seu corpo inteiro.

O grande intelectual que foi uma antena da nossa especie, o ex-presidente da Checoslováquia, Vaclav Havel, uma vez disse: “Hoje entendemos os fundamentos da matéria em nosso corpo, nos mais microscópicos níveis. Sabemos tudo sobre nossos a tomos, nossas moléculas, nossas células. O método reducionista realizou um heroico e brilhante trabalho. Mas no entanto alguma coisa esta nos escapando. prova disso são as doenças milenares, cujas causas primeiras e suas curas continuam desconhecidas. Penso que esta coisa desconhecida esta numa outra dimensão, mais difícil de enxergar: a dimensão dos sistemas, mais exatamente, do corpo humano como sistema”. Na selva eu acho que entendi melhor o que ele quis dizer. Mas o problema é que o meio cientifico acadêmico, nossa cultura geral, esta se esquecendo, ignorando, a existência dos sistemas naturais. Tivemos a décadas atras algumas iniciativas tímidas, com Fritjof Capra tateando os sistemas na escuridão sem conseguir vê-los direito, no seu “O Tao da Física”. Tivemos a Margullis sondando as origens da célula sob uma tentativa de perspectiva sistêmica, em sua teoria simbiôntica. Depois um longo período de recesso ate que Bertalanffy surgiu com uma gigante obra, “A Teoria Geral dos Sistemas”. Uma grande quantidade de argumentos e evidencias, porem sem ainda explicar ou mostrar o que realmente é um sistema natural. Então alguns físicos e matemáticos como Rosemberg, Wiener, descobriram a cibernética, e desviaram a teoria dos sistemas naturais para a teoria dos sistemas artificiais. E neste ponto estão parados ate hoje. Se as doenças forem realmente produzidas pelo contexto das operações de sistemas, não esperem ajuda nos hospitais para doenças mortais por muito tempo ainda. A unica tímida tentativa que conheço estar militando no momento com uma proposta nova mostrando o que realmente é e como funcionam os sistemas naturais, esta vindo com um semi-macaco do meio da selva amazônica, num calhamaço de papeis sujos para embrulhar pão…  O macaco esta sozinho gritando nas ruas de New York e tentando mostrar os papeis para os transeuntes, mas ninguém para e ouve. Mas… é pegar ou largar… e aceitar a convivência com estes terroristas malignos dentre nos, porque o método da academia oficial não vai funcionar. Raios! Genes são punhados de átomos! O Richard Dawkins e sua turma ficaram malucos, perderam o controle de suas faculdades mentais, acreditando em coisas como “o objetivo supremo dos genes é se reproduzirem”. Átomos, moléculas, não podem possuir objetivos a serem alcançados no futuro por acoes deles aplicadas aqui e agora. Estão loucos?!!! E nos vamos ficar passivos, pagando caríssimo o preço desta loucura?! Por favor, de uma oportunidade ao macaco, ele não quer e não precisa de palácios, o que ele sonha é ver que as futuras gerações cantarão o nosso sucesso ao invés de chorarem o nosso fracasso! mexam-se comigo! Agora! Ja! Cada voz ecoando um pequeno murmurio inicial faz o murmurio se tornar conhecido! tens duvidas? Claro, eu tenho mais ainda! não acredito na Matrix/DNA, sou um filosofo, como Sao Tome, quero ver, apalpar, para acreditar. mas a coisa faz sentido. basta tentar conhece-la e entende-la.

Temos muito trabalho a fazer em equipe, mas a base de tudo é colocar os mapas da Matrix/DNA sobre a mesa e do lado os mapas de todos os sub-sistemas do corpo humano. Dentre os mapas da Matrix esta a formula da infra-estrutura de tudo isso que aqui esta, que é esta galaxia, por inteiro. A qual é a formula de um sistema perfeito fechado em si mesmo. E podemos consertar qualquer defeito em qualquer sub-sistema defeituosos tendo ao lado o desenho para um sistema funcionar perfeitamente. vamos assim identificar os pontos das disfunções, vamos rastrear os elementos externos que chegam aqueles pontos, vamos chegar a causa primeira, a raiz de tudo, e mandar para o inferno de uma vez por todas estes inimigos terroristas que tanto tem flagelado nossos irmãos de especie, aos quais damos os nomes de câncer, Alzheimer, diabetes, etc. Porque não participar desta causa, lutar por ela, convencer os que estão no controle dos instrumentos científicos, a apontarem-nos nesta outra direção? Se o método der certo, prometo que pago cerveja pra todo mundo!

( Obs: Devo continuar isto comentando cada item do artigo da BBC)