Posts Tagged ‘Biologia Celular’

Bomba: Um Corpo Humano não tem apenas um DNA, mas muitos deles! Foi Previsto na Matrix/DNA 30 Anos Atras!

sábado, setembro 21st, 2013

DNA Double Take

http://www.nytimes.com/2013/09/17/science/dna-double-take.html?pagewanted=all&_r=0

By CARL ZIMMER – Published: September 16, 2013 118 Comments

DNA sequencing elements displayed on a monitor. – Noah Berger for The New York Times
Modéstia a parte, eu fui o primeiro ser humano na Terra a dizer varias coisas que iam completamente contra tudo o que foi dito e imaginado. Por exemplo, como provam meus direitos autorais, a 30 anos atras, eu escrevi: “O DNA não é um código genético, e sim apenas uma pilha de diferentes variações de um único sistema, encriptado num par lateral de nucleotídeos”, ou ” nunca houve origens da vida, desde que os sistemas biológicos nada mais são que produto evolutivo de uma unica linhagem evolucionaria universal que vem desde o Big Bang, unindo a Evolução Cosmológica a Evolução Biológica”, ou então… ” De átomos a galaxias a seres humanos, tem existido uma unica formula usada pela Natureza para criar estes sistemas, derivada de uma onda de luz, a qual denomino Universal Matrix/DNA”. E etc. foram varias propostas totalmente fora de tudo que se havia imaginado, porque, como um filosofo naturalista por nascimento, curioso pelos mistérios sobre nossa existência, fui buscar alguma resposta no meio da selva amazônica, onde sofri um colapso cultural, desci ao mais fundo poç0, regredindo quase ao estagio semi-símio, para captar o espirito da natureza selvagem e ouvir o que ela tem a nos dizer, a mim, desta geração fabricada no asfalto que perdeu suas raízes com sua mãe Natureza. Claro que ninguém ouviria como ninguém ouviu um semi-macaco maltrapilho e andarilho recém saído da selva, e os poucos que ouviram julgavam estarem perante um louco balbuciando coisas incoerentes. Claro. Mas como um cético por Natureza eu nunca acreditei também no que pensei ouvir da selva, porem mantive sua voz escrita e comparando seus anúncios com o que a Ciência ia descobrindo de novidades. E passados 30 anos, ao invés de ter jogado toda a teoria no lixo, só a vejo sendo confirmada dia a dia, como hoje, em mais esta noticia que derruba tudo o que os especialistas sempre pensaram, publicada no New York Times, mas que já era uma conclusão obvia na visão de mundo que arranquei das selvas. Na selva é o único lugar onde existem intactas algumas testemunhas das origens da Vida que ainda tem na memoria o estado do mundo de onde ela veio. Sei que ela não disse tudo e contou algumas mentiras, mas não tem como negar que ela foi a primeira a dizer estas surpreendentes verdades!
XXXX
Do artigo no New York Times:

From biology class to “C.S.I.,” we are told again and again that our genome is at the heart of our identity. But scientists are discovering that — to a surprising degree — we contain genetic multitudes. But scientists are finding that it’s quite common for an individual to have multiple genomes. Some people, for example, have groups of cells with mutations that are not found in the rest of the body. Some have genomes that came from other people. “There have been whispers in the matrix about this for years, even decades,

xxxx

Meu Comentario no New York Times que não foi postado devido comments closed:

DNA is not a genetic code, but, it is merely a pile of different variations from a unique system. This is the next surprise waiting for us to know. So, since that multicellular organisms are result of multi-building blocks, their genome are diversified. This is a prediction from Matrix/DNA Theory, 30 years ago. The primordial system is a lateral pair of nucleotides, as the fundamental unit of information in DNA, and this microscope system is a process of nanotechnologycal reproduction of the building blocks of primordial galaxies, revealing that there is a unique universal evolutionary lineage linking Cosmological Evolution and Biological Evolution. The force driven this evolution is a wave of light called Universal Matrix/DNA and it works as living fractals, where, at any given new shape of system, the internal structure is kept, but the periphery is under variation modeled by environment, struggle for light expansion or biological survivor, and adaptation. The Matrix/DNA is coming from the Big Bang under evolution and is the formula used by Nature for to build natural systems, from atoms to galaxies to human beings. Then, there is no origins of life, since that all properties of a human body already were present at those mistakenly called non-living systems, expressed or not.

Estão Imitando A Natureza Quando Ela Aplicou Simbiose Entre Organelas para Construir a Primeira Célula Viva?

terça-feira, setembro 10th, 2013

Programmable glue made of DNA directs tiny gel bricks to self-assemble

http://phys.org/news/2013-09-programmable-dna-tiny-gel-bricks.html

COLA PROGRAMÁVEL FEITA DE DNA DIRIGEM MINÚSCULOS TIJOLOS DE GEL A SE AUTO-ORGANIZAREM

Programmable glue made of DNA directs tiny gel bricks to self-assemble

Tijolos de gel menores que um grão de areia (acima a esquerda) podem serem programados para se auto-organizarem em estruturas complexas. A chave é unir um par de cubos conectores nos quais foram inseridos uma cola imitando o DNA. ( Gel bricks smaller than a grain of salt (top left) can be programmed to self-assemble into complex structures. The key is to attach a pair of connector cubes coated with matching DNA glue on the gel bricks that are meant to pair up. Credit: Peng Yin, Wyss Institute)
Read more at: http://phys.org/news/2013-09-programmable-dna-tiny-gel-bricks.html#jCp

Segundo sugerem os modelos teóricos da Matrix/DNA, quando a ultima forma mais desenvolvida do sistema natural universal que vem evoluindo desde o Big Bang alcança seus últimos limites como hardware para absorver mais informações naturais, ele sai do tronco da arvore da evolução e se torna um galho que seca e se extingue. Mas antes de ser extinto, o sistema em sua meia-vida emite um ramo lateral para fora de si mesmo, contendo suas informações. Isto é observável no fenômeno sexual, quando um humano em sua meia-vida gera filhos, ou numa arvore, quando cai uma fruta madura de um galho carregando sua semente para se tornar nova planta. E assim foi com a galaxia Milk Way (segundo o que deduzi na minha investigação na selva amazônica e que forma o conjunto da Teoria da Matrix/DNA), quando, através de seus astros como as estrelas, começou a emitir suas informações na forma de luz ou energia estelar, para criar a nova forma dos sistemas biológicos na superfície de planetas que apresentem boas condições.

Esta equipe de cientistas estão descobrindo a cola programável. Trata-se a grosso e rápido modo, de inserir numa peça uma substancia sintética que imita um pedaço do DNA, e noutra peça, numa determinada posição, inserir a substancia que imita o pedaço seguinte do DNA. Como estes dois pedaços tendem naturalmente a se atraírem e colarem, as duas peças ficam coladas!

Segundo a Teoria da Matrix/DNA eles nada mais estão fazendo que imitar o que a Natureza fez aqui nas origens da Vida. Existe uma diferença entre macro-evolução universal e a micro-evolução biológica: na micro, o pacote genético de informações é transmitido encerrado dentro de um involucro, como no caso humano, os genes masculinos vão dentro de uma capsula como o espermatozoide; mas no caso da macro-evolução os bits-informação não são contidos dentro de capsulas, portanto são emitidos espalhados para o espaço exterior. Quando bits se reencontram em alguma superfície de astro favorável, eles automaticamente se atraem mas apenas na mesma sequencia que estavam ao constituírem o sistema galáctico, quando se colam, dois a dois, depois se colam entre pacotes, pedaços, etc. As vezes o refazimento de um trecho do circuito sistêmico já reconstrói algumas estruturas funcionais que apresentam meia-vida, como no caso dos vírus. Mas a tendencia de todo pedaço é procurar seus antigos vizinhos e reconstruir o circuito sistêmico inteiro, mutado devido as diferentes circunstancias nas superfícies planetárias. Por isso surge a diversidade de especies de vida na Terra e suspeitamos que o macaco foi a ultima especie que finalmente absorveu todas as informações genéticas da galaxia. E assim a Natureza construiu a primeira célula viva, quando, inicialmente fez moléculas, depois as uniu formando organelas, e depois, como sugere a teoria simbiótica de Margullis, uniu organelas num sistema final.

Este processo astronômico de emissão de suas informações genéticas espalhadas no tempo e espaço esta inserido no fenômeno dos seres aquáticos que botam ovos ou emitem espermatozoides na água. Estou citando este detalhe para lembrar que na elaboração da teoria eu nunca dei um salto no escuro, nem mesmo levado pelo excesso do exercício na Matemática, pois cada passo dado teve antes que procurar na natureza um fato, um parâmetro real comprovado para embasar a conclusão do passo anterior. Se não vejo buracos negros aqui no sistema solar, não posso acreditar que dentro de nuvens de poeira em galaxias distantes existam tais fantasmas, só porque o Stephen Hawkins não controlou seu excesso matemático o qual sugeriu a existência de tais fantasmagóricas estruturas. PAGE preciso alternar o exercício intelectual com iguais intervalos de tempo dispendidos na pesquisa de campo, arregaçando as mangas e pondo as mãos na massa, inclusive indo la no meio da selva onde ainda jazem intocados os testemunhos das origens da Vida, senão nossa mente saindo voando sem controle. Mas entendendo que devido sua doença, Stephen não pode fazer isso. Na Matrix/DNA o que esta escondido naquelas regiões são vórtices rotativos, como os tornados que vejo se formarem aqui, uma vez que ao calcular botando-os la, se obtém todos os efeitos que vemos nas suas redondezas. Isto é logica formal estrutura em parâmetros naturais. Mas ainda assim tenho certeza que a Teoria da Matrix/DNA esta incompleta ou pode ate mesmo estar errada, pois continuo levantando o tapete da Natureza e descobrindo a cada dia que existem mais e mais importantes e decisivos detalhes por trás de todos estes fenômenos naturais, como foi a recente descoberta ” teórica” aqui que a Luz Natural é a força inicial que imprime o processo do ciclo vital na matéria inerte. O que me levou imediatamente a reconstruir meu modelo do Sistema Solar, acrescentando a ideia de que a magnetosfera do Sol imita a eletrosfera dos átomos, e então cada planeta em sua orbita esta situado numa especifica faixa de vibrações… A logica diz ser assim pois os sistemas estelares foram construídos pelos átomos, e devem te-los feito a sua imagem e semelhança, como todo pai faz seus filhos. Mas aqui estou fugindo do assunto e tornando a coisa mais complicada…

Alguns misticos religiosos insistem no argumento do “watchmaker”, ou fabricante de relógios, para justificarem sua crença de que um Deus teria estado aqui fabricando as organelas e depois juntado-as num sistema funcional. Enquanto isso a Teoria da Matrix/DNA sugere outra explicação para a origem da Vida, porem não descarta totalmente a possibilidade do argumento mistico quando ela aponta para o sistema que gerou o Universo com uma serie de dados sugerindo que tal sistema era ou ainda é auto-consciente. Afinal, uma entidade maior que este Universo não precisaria descer em cada planeta para fazer um trabalho que qualquer ser mais inteligente poderia ter programado desde sua posição alem deste Universo. Mas o que me interessa aqui nesta noticia é que alem de mais uma vez a logica racional da Matrix/DNA resistir e ser confirmada por mais uma informação cientifica, tal tecnologia pode alavancar nosso poder sobre as condições materiais da nossa existência. Imagine por exemplo, que você, dentro de um tanque cheio de água, ponha separadas todas as peças de um automóvel, e deixe la, como se fazem nas culturas dos laboratórios. Algum tempo depois as peças se juntarem nas posições desejadas e surgiu o automóvel pronto! Se a Natureza fez isto com algo mil vezes mais complexo que é a célula viva, porque não podemos fazer com nossas meras bugigangas tecnológicas?

Alguém ai poderia fazer o que estou tentando fazer aos trancos e barrancos apenas tendo gastos sem lucro material algum, ou seja, ajudar a divulgar uma noticia no Brasil que serve como estimulante ao marasmo cientifico e tecnológico em que o Brasil caiu porque os colonizadores botaram na cabeça dos brasileiros um complexo de inferioridade dizendo que não são capazes de criar nada útil tecnológico? Alguém que saiba traduzir esta noticia para o português? Meu tempo hoje não me permite faze-lo. Observe que estes cientistas estão descobrindo um novo produto, um novo tipo de cola, que vão patentear e amanha poderá estar nas prateleiras dos supermercados rendendo bilhões de dólares! A Teoria da Matrix/DNA esta sugerindo através de seus modelos que tem muito trabalho ainda por fazer nas áreas cientificas e tecnológicas, que não fizemos nem uma minima porcentagem ainda das imensas possibilidades que a Natureza oferece. Quem tivesse lido os originais desta teoria a 30 anos atras poderia ter tido a ideia de fazer essa cola, a teoria dava a formula de graça!

XXXXXXXX

Paper publicado em Nature.com

DNA-directed self-assembly of shape-controlled hydrogels

http://www.nature.com/ncomms/2013/130909/ncomms3275/full/ncomms3275.html

Abstract

Using DNA as programmable, sequence-specific ‘glues’, shape-controlled hydrogel units are self-assembled into prescribed structures. Here we report that aggregates are produced using hydrogel cubes with edge lengths ranging from 30 μm to 1 mm, demonstrating assembly across scales. In a simple one-pot agitation reaction, 25 dimers are constructed in parallel from 50 distinct hydrogel cube species, demonstrating highly multiplexed assembly. Using hydrogel cuboids displaying face-specific DNA glues, diverse structures are achieved in aqueous and in interfacial agitation systems. These include dimers, extended chains and open network structures in an aqueous system, and dimers, chains of fixed length, T-junctions and square shapes in the interfacial system, demonstrating the versatility of the assembly system.

XXXXX

Meu Post no artigo da Phys.org 

A Natureza aplicou este processo a 4 bilhões de anos atras. Isto é tele-transporte de sistemas naturais. Quem leu os originais da Matrix/DNA Theory a 30 anos atras poderia ter tido esta ideia de imediato. Ela explica como a Natureza aplica exatamente este processo, utilizando fótons, nas origens da matéria orgânica e moléculas, e depois na simbiose das organelas que formaram a primeira célula viva. Na macro-evolução universal, quando o mais evoluído sistema astronômico, como a Via Láctea atinge seu limite de evolução, emite suas informações através de radiações estelares que são espalhadas no tempo e espaço. Ao se re-encontrarem na superfície de planetas, cada bit-informação procura seu antigo vizinho no circuito sistêmico para juntar-se, formar pedaço, pacotes de pedaços, ate obterem um arquitetura que seja copia química/biológica do ancestral astronômico ( e no meu website mostro como a célula é copia exata do building block das galaxias. O mesmo processo foi aplicado quando organelas separadas foram unidas para formarem o primeiro sistema celular. Se estão usando um elemento químico, saibam que existe o próximo passo para a pesquisa usando luz natural, pois a cola por fótons deve ser muito mais eficiente, como sugere os modelos, Todos os sistemas naturais tem um circuito interno e quebrando-o em pedaços, levando-o para outro local, o sistema se auto-organiza novamente.

Em Ingles: 

Na Phys.org

Anyone who has read the original Matrix / DNA Theory 30 years ago could have had this idea immediately. Its models explains exactly how Nature applies this process using photons, at the origins of organic matter and molecules, and then the symbiosis of organelles that formed the first living cell. In macro-universal evolution, when the more evolved astronomical system, like the Milky Way reaches its limit of evolution, it sends its information through stellar radiation that are scattered in time and space. Upon re-encounter at the surface of planets, each bit-information seeks his former neighbor in that systemic circuit to join, form pieces, packs of pieces until obtaining an architecture that is the chemical/biological copy of the astronomical ancestor (and on my website is showed as the cell is an exact copy of the building blocks of galaxies. The same process was applied as separate organelles were united to form the first cellular system. If you are using a chemical element, know that there is a next step for research using natural light/photons as glue, which  should be much more efficient, as suggested by the master Nature.

xxxxx

Postado no :

NEXTBIGFUTURE

http://nextbigfuture.com/2013/09/dna-glue-could-help-reconnect-injured.html

MASHABLE

http://mashable.com/2013/09/10/programmable-dna-glue/?utm_campaign=Mash-Prod-RSS-Feedburner-All-Partial&utm_cid=Mash-Prod-RSS-Feedburner-All-Partial&utm_medium=feed&utm_source=rss

NEWSVINE

http://louismorelli.newsvine.com/_news/2013/09/10/20427400-dna-glue-could-help-reconnect-injured-organs-or-build-functional-human-tissues

R&D MAGAZINE

http://www.rdmag.com/news/2013/09/dna-glue-directs-tiny-gel-%E2%80%9Cbricks%E2%80%9D-self-assemble

Nature applied this process since the Big Bang: it is about reproduction and tele-transportation of light waves and natural systems. Anyone who has read the original Matrix / DNA Theory 30 years ago could have had this idea immediately. Its models explains exactly how Nature applies this process at the origins of organic matter and molecules, and then the symbiosis of organelles that formed the first living cell. In macro-universal evolution, when the more evolved astronomical system, like the Milky Way, reaches its limit of evolution, it sends its information through stellar radiation that are scattered in time and space. Upon re-encounter at any ” soup” at the surface of planets, each bit-information seeks his former neighbor in that  astronomical systemic circuit, for to join, forming  pieces, packs of pieces, until obtaining an architecture that is the chemical/biological copy of the astronomical ancestor (on my website is showed how  the cell is an exact copy of the building blocks of galaxies). If you are using a chemical element, you must know that there is a next step for research using natural light/photons as glue, which  should be much more efficient, as suggested by those models. All natural systems have an internal circulatory circuit, which, when breaking it into slices can be self-assembled at other place. Since that systemic circuits were created from action of light waves upon inertial mass, if we breaks light waves into slices of frequencues or smaller slices, they can self-assembly the whole wave at other place.

POST ACRESCENTADO EM:

http://phys.org/news/2013-09-programmable-dna-tiny-gel-bricks.html

http://nextbigfuture.com/2013/09/dna-glue-could-help-reconnect-injured.html

Avatar

TheMatrixDNA  TheMatrixDNA

Nature has applied this process not from life’s origins but since the Big Bang! The circulatory internal circuit of natural systems were created by light waves emitted at the Big Bang. Any wave is shared into frequencies, the slices continues having its own dynamic force and when the slices are transported to other place they has the tendency to re-build the whole wave.The Matrix/DNA models are suggesting that any light wave is the first code that imprints dynamics, coordinated movements, to inertial mass like dark matter, ether or other thing that fits spaces.The different shapes of frequencies/vibrations are the original cause that produces bodies being transformed into several shapes during its life’s cycles. Congratulations to Peng Yin and his team at the Wyss Institute, this discovery is a great breakthrough that will open a vast new field in Science and technology

(PARA ENTENDER MEU POST, VEJA O MODELO DA MATRIX/DNA SOBRE O ESPECTRO DE UMA ONDA DE LUZ)

Light - The Electric-Magnetic Spectrum by Matrix/DNA

Como as células regulam e controlam seus comportamentos? A formula da Matrix/DNA é a unica que explica.

sexta-feira, julho 19th, 2013
Baseado no artigo:

Unraveling bacterial behavior

Michael Laub studies the complex interactions that underlie cells’ responses to their environment.
That’s the classic problem I’m most interested in: How do cells regulate their own behavior?” says Laub, an associate professor of biology.
E meu comentario postado no Facebook MIT News:
Cells has no nervous system integrating and sensing the whole, then cells does not regulate its behavior. If Michael Laub see the matrix formula of all natural systems, he will understand how behavior is controlled. I will help a little bit how the formula do it. The two proteins, kinases, represents two different slice of its circuit system. One is the left and other is the right side of the Matrix. As any other slices, they have an energetic flow which naturally absorbs the bits-informations that are sequential continuation for building the whole circuity. Then, when the kinases detects any sequential bits at the external environment, the bits is aggregated into the line. The movement is towards re-building the whole circuit.These bits are photons as particles of sun’s energy and Earth nucleus emitted radiation which are inside atoms and spaces of organic elements. The entire cell keeps the absorbed elements by the same mechanisms that the womb keeps regulated the fetus and embryos. Those bits from Sun and Earth’s nucleus fits as sequential information because they are the informations flowing among the elements of these stellar and galactic systems, which are made by the same natural formula. I know that nobody will understand this because it is very complex and without seeing the formula, and written in this poor English, it is impossible

Pesquisa para usar Vírus na produção de Energia de Plantas

terça-feira, julho 2nd, 2013

(Pesquisa em andamento)

How synthetic viruses can boost green energy production

By Tom McKeag
Published July 02, 2013
http://www.greenbiz.com/blog/2013/07/02/how-synthetic-viruses-boost-green-energy
– – – – – – –
Destaques do artigo:
– They are, especially, survivors, but they need a host in order to pass on their DNA. One key to their success, therefore, is the ability to selectively bind to this host. A science team at theMassachusetts Institute of Technology (MIT) is studying this capability to improve the performance of green energy technologies.
Matrix/DNA: O mecanismo do virus para captar e agarrar um hospedeiro deve estar baseado na sequencia de pontos do circuito sistemico, observavel na formula da Matrix:
E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Mas a origem universal desta formula, ou seja, a forma como ela surge e se manifesta neste universo material, ev qualquer onda de luz natural, representada neste grafico:

Light - The Electric-Magnetic Spectrum by Matrix/DNAEnquanto as duas gravuras acima sao simbolicas representacoes humanas de fenomenos naturais invisiveis, a gravura a seguir mostra como eles influem nos meios materiais. A formula da Matrix esta acima representada na forma de um diagrama simples de software computacional, e o desenho a seguir representa tipos de reais hardwares materiais criados pela formula:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Entendo que virus sao resultantes de uns poucos bit-informacao vindos de algum pequeno trecho do circuito sistemico – em relacao ao aspecto diagrama – que seria um trecho da onda de luz. Devido suas propriedades, principalmente a fundamental atividade de apenas auto-reproduzir-se quando inserido num hospedeiro, deduzo que o virus ev um emissor de bits-informacao buscando outro receptor de bits-informacao, o ual seria os pontos seguintes a sua localizacao no circuito. Devido a conexao disparar um mecnismo de reproducao, deduzo que estes bits estejam relacionados a funcao sexual na formula, entao me dirijo ao trecho do circuito entre funcoes 4 e 1, para encontrar a forte hipotese de que virus sejam constituidos por informacoes da Funcao 5. E a partir desta hipotese, tenho estudado muitas caracteristicas dos virus e ate agora todas indicam que esta hipotese ev forte e faz sentido. Uma evidencia ev de que a F5 se representa na celula vital na forma do RNA, ela construiu o RNA, os primeiros virus eram puro RNA e proteina, dentro da celula ev o RNA que viaja e transporta entre o citoplasma e o nucleo onde se encontra com o DNA, portanto, as primeiras manifestacoes da vida biologica foram viruses. Outra indicacao importante ev notar que nos sistemas astronomicos a F5 produz os cometas, o que parce sugerir que cometas ou pedacos de cometas tem a possibilidade de produzirem e trazerem viruses a Terra. A segunda gravura, do espectro da luz, indica que virus encontram seu ponto geografico ideal onde impere materia sob vibracao produzida pelas frequencias infra-vermelho e micro-ondas. E bom lmbrar tambem que estas conexoes podem se darem ao nivel de fotons.

O receptor no hospedeiro para viruses deve ser informacoes sobre a F1 e/ou F6, sendo que prefiro por hora suspeitar que sao apenas relativas a F1, a qual representa a funcao feminina reprodutora nos sistemas. Nas celulas, a regiao mais provavel para conter estas informacoes receptoras seria o nucleo, que representa a F1, mas dentro deste, o DNA. A F6 na celula vegetal ev representada pelos cloroplastos, e na celula animal, pelas mitocondrias. Talvez haja alguma relacao entre uma possivel atividade feminina da eva mitocondrial e os virus, mas ev uma possibilidade meio incomoda, que nao oferece muito sentido racional.

Se tiver-mos uma tecnologia que consiga identificar e observar uma celula separada entre suas sete diferentes regioes vibracionais, devemos focalizar-nos nas regioes de coloracao infra-vermelha e miro-ondas, na busca do receptor ideal para virus.

– – – – –  —  –

Angela Belcher leads the team and is an all-star of bio-inspired design.

Research by Angela Belcher and her team (relacionada a biomimicry) :

About 500 million years ago organisms started growing hard materials like calcium carbonate and silica, bone and glass.  For billions of years before the Cambrian geological period, organisms in the ocean were just soft bodied.  Then, over the course of about 50 million years, there was an explosion of hard bodied creatures due to increased ions in the ocean.  These organisms evolved to make exquisite nanostructures like shells and glassy diatoms. Organisms were limited in the types of elements they could use to build hard materials.  In the Biomolecular Materials Group, we are evolving simple organisms using directed evolution to work with the elements in the rest of the periodic table.  We encourage these organisms to grow and assemble technologically important materials and devices for energy, the environment, and medicine.  These hybrid organic-inorganic electronic and magnetic materials have been used in applications as varied as solar cells, batteries, medical diagnostics and basic single molecule interactions related to disease.  In doing so, we have capitalized on many of the wonderful properties of biology–using only non-toxic materials, employing self-repair mechanisms, self-assembling precisely and over longer ranges, and adapting and evolving to become better over time.

– Belcher is continually asking two questions: How can we impart (transmitir) genetic information coding for materials? Can we get living organisms to work with more of the periodic table?

– The viruses’ ability to recognize and bind to specific inorganic substances allows carbon nanowires to be connected to the carbon nanotube network, thus boosting the electrical conductance of the device.

 

( Pesquisa temporariamente interrompida aqui. Primeiro proximo passo urgente é elaborar um post para publicar no artigo. Corrigir o portugues, traduzir para ingles e deixar o artigo como primeiro na parte inglesa, pois ev bastante tecnico, util e divulga as imagens da Matrix) 

 

Grande Descoberta Cientifica Sobre Origens da Vida Reforça a Teoria da Matrix/DNA

terça-feira, junho 4th, 2013

Scientists resolve a 3.5 billion-year-old mystery of life

http://www.washington.edu/news/2013/06/04/scientists-resolve-a-3-5-billion-year-old-mystery-of-life/

UNIVERSITY OF WASHINGTON

e…

Solving a 3.5 Billion-Year-Old Mystery

http://news.usf.edu/article/templates/?z=123&a=5477

USF – UNIVERSITY OF SOUTH FLORIDA

(obs. para mim: ver o comentario abaixo na Physorg onde descargas eletricas deve mudar meus escritos aqui)

O átomo denominado “fosforo” é um elemento químico que foi de crucial importância nas origens da Vida, pois sem ele jamais aminoácidos se uniriam para formar o RNA e DNA. Portanto hoje ainda é de vital importancia para a existencia e boa manutenção da saude em nossos corpos, pois este heroico átomo constitui trilhões de pontes inseridas dentro de cada nucleo de cada uma de nossas células, alem de contribuir para a composição das membranas e carregar as energias celulares denominadas ATP. Mas havia um problema para as Ciências resolver: este átomo não parece ser formado normalmente pela matéria terrestre e todas as pistas indicam que ele não devia existir aqui na época das origens da Vida. Como explicar o mistério de que o fosforo foi crucial na formação das primeiras moléculas da Vida… se ele não existia aqui?!

Agora cientistas descobriram uma teoria que parece muito logica e talvez já não seja mais teoria, pode ser um fato real: fosforo esta sendo encontrado nos meteoritos sobre a superficie da Terra! E meteoritos vieram do espaço sideral! Isto tudo foi motivo de grande excitamento para mim como defensor e autor da Teoria da Matrix/DNA, pois essa noticia vem bem a calhar com o que havia predito meus modelos teóricos. Os modelos teóricos da Matrix/DNA sugerem que todas as forças e elementos desta galaxia, nos seus aspectos de positiva e negativas,  convergiram ao mesmo tempo  nas praias da Terra onde oceanos se encontram com os continentes – para que o projeto da Vida aqui se realizasse. Se na galaxia haviam elementos necessários para a formação da Vida que não estavam na Terra… agora o sabemos… a Terra esperou que meteoritos os trouxessem! Mas para entender melhor essa teoria e o que significa a função sistêmica efetuada pelo elemento fosforo, sera necessário ao leitor ler o artigo aqui logo a seguir sobre a Tabela Periódica dos Elementos Químicos revelando uma das grandes descobertas patrocinadas pela formula da Matrix/DNA.

Vamos ao comentario que a Matrix/DNA publicou no artigo da University of Washington:

Porque a Natureza necessitou e selecionou o átomo de fosforo para ser a ponte ligando os building blocks dos RNA/DNA? E porque não havia fosforo na Terra antes das origens da Vida? A Matrix/DNA Theory tem uma explicação. Mas para entender é preciso saber da descoberta que a Matrix/DNA fez a respeito da Tabela Periódica e conhecer a formula que a Natureza usa para organizar a matéria em sistemas naturais, a formula Matrix dos sistemas. A explicação é longa, precisa de mais espaço que o permitido aqui, e para quem quiser vê-la (em Português), search no Google o artigo ” Grande Descoberta Cientifica Sobre Origens da Vida Reforça a Teoria da Matrix/DNA” . Com esta grande descoberta do time da U.W. aprendemos que um dos ingredientes faltantes na experiencia de Miller/Urey é o fosforo, porem, existem outros elementos e mecanismos ainda a serem descobertos, mais difíceis, porque estão nos níveis mais abstratos dos fótons e da luz. Cantdrive85  postou um comentário aqui dizendo que ” descargas  elétricas são as respostas para a fonte de phosphite”. Quase certo porque matéria inerte na Terra pode ser energizada pela energias que vem do espaço, mas raios súbitos de nuvens não poderiam conduzir o phosphite a solidas novas combinações com outros materiais. Para isto foi necessário uma energia contendo informações que conduziram o phosphite a se integrar na formação de um sistema, ou seja, a formula da Matrix.  

 

AvatarTheMatrixDNA •

Why Nature needed and selected the phosphorus atom to be the bridge connecting the building blocks of RNA / DNA? And why there was no phosphorus on Earth before the origins of life? The Matrix/DNA Theory has an explanation.  But for understand the explanation you need to know the discovery that the Matrix / DNA made ​​about the Periodic Table and know the formula that Nature uses to organize matter into natural systems, the Matrix formula for systems. The explanation is long, need more space than allowed here, and for those who want to see it (in Portuguese), search on Google the article ” Grande Descoberta Cientifica Sobre Origens da Vida Reforça a Teoria da Matrix/DNA” (Great Discovery About Scientific Origins of Life Strengthens Theory of Matrix/DNA).  With this great discovery from he teams of U.W. and USF we learned that one of the missing ingredients in the experience of Miller/Urey is reactive phosphorus, however, there are other elements and mechanisms remain to be discovered, more difficult, because they are the most abstract levels of photons and light. Cantdrive85 posted a comment here saying that “lightning are the answers to the source of phosphite.” Almost certainly because inert matter on Earth can be energized by the energy coming from space, but sudden ray of clouds could not drive the phosphite to solid new combinations with other materials. For this it was necessary energy containing information that led the phosphite to integrate in the formation of a system, ie, the formula of the Matrix.

( postado em http://phys.org/news/2013-06-billion-year-old-mystery-team-life-producing-phosphorus.html

postado na U.W. )

– – – – – – – – – – – –

 

Por enquanto – devido meu tempo escasso agora – vou deixar o artigo cientifico aqui registrado com o link acima para voltar a ler, pesquisar e terminar este artigo.

– – – – – – – – – – – – –

Bem,… estou voltando, vamos continuar o assunto. Enquanto estive trabalhando como limo-driver, pensei no assunto e me veio mais duas ideias:

1) O fosforo é elemento químico numero 15. Isto significa de chofre que é o ultimo elemento da segunda sequencia ou segunda onda dos ciclos vitais da Tabela Periodica. E isto é logico, tinha que ser assim, pois o ultimo elemento de uma onda forma a ponte com o primeiro elemento da onda seguinte… e é justa essa a função do fosforo nos RNA/DNA. O fosforo faz as pontes entre os nucleotideos (fosfato).

2) A função de “ponte”, ou elo de ligação, foi o que fez o fosforo ser necessário e ser o escolhido dentre os minerais. Depois que os RNA/DNA se formaram e estes passaram a construir organelas e novos sub-sistemas dos organismos, o elemento para a formação de pontes  não podia ser mais um mineral, pois agora tratava-se de um meio organico, que precisa de material mais versátil, mole, suave. E para isto vieram as proteinas. Então o fosforo é o ancestral não-organico direto das proteinas.  Só mesmo a formula da Matrix para nos fazer perceber estas coisas, muito logicas, por sinal.

Vamos puxar aqui algumas figuras para facilitar nosso estudo:

The Universal Formula of MatrixDNA as Software/Closed System

The Universal Formula of MatrixDNA as Software/Closed System

DNA_Destaque para Pontes de Fosfato (P)

,  DNA_Destaque para Pontes de Fosfato (P)

Ok. Observe na Fig.2 onde esta o P, constituindo nas hastes do DNA as pontes que ligam os nucleotideos.  E observe na Fig. 1 as setas no circuito esférico como linhas azuis e vermelhas, que fazem as pontes entre as peças do sistema.  E lembre-se que a Fig.1 é uma das formas da formula da Matrix/DNA. Esta forma na figura se refere a quando a Matrix organizou a matéria no primeiro sistema galáctico escolhendo ser um sistema fechado em si mesmo. E que a Fig.2 foi o passo evolutivo seguinte da Matrix, tomando a forma de DNA biológico, aqui resumida a dois pares de nucleotideos, o qual é a unidade fundamental de informação do DNA.

Observe que a formula da Matrix é constituída por 7 peças, porque são sete as funções universais suficientes e necessarias para se ter um sistema natural completo. Dependendo da situação damos nomes diferentes as funções, mas o mais usual seriam estes:  gestação, nascimento, crescimento, amadurecimento, reprodução, equilíbrio, decaimento. Claro, isto é arbitrário, apenas para facilitar nossos conceitos pois as formas não possuem limites definidos onde começa uma e termina a outra. do mesmo jeito que não existe um dia fixo para se determinar quando termina a adolescência e começa o adulto num corpo humano. E agora vamos buscar a Tabela Periódica dos Elementos Quimicos:

Tabela Periódica dos Elementos Químicos

Tabela Periódica dos Elementos Químicos

Observe onde esta o P 15, fosforo, na faixa de cor verde. Desde que a formula da Matrix no seu aspecto de sistema perfeito foi obtida pela Natureza quando Ela conseguiu fixar as sete formas de um só corpo ( no caso, um astro cósmico) num unico circuito fechado, e estas sete formas são produzidas por um unico ciclo vital, a produção de atomos pela Natureza obedeceu ao mesmo processo rítmico dos ciclos vitais. Então a primeira onda de produção, ou seja, o primeiro ciclo vital, produziu os primeiros sete átomos, de 1 a 7. A segunda onda produziu os seguintes sete átomos, a começar pelo oitavo. Então esta onda foi de 8 a  14.  O que prova isto é o fato de que o atomo 8 repete todas as propriedades e caracteristicas do 1, apenas muda a quantidade de particulas, mas não a qualidade e significado. A terceira começa de 15 e vai ate 21, o Silicio. Mas o que nos interessa aqui é o 15, Fosforo. Porque o Fosforo seria o elemento mineral escolhido pela evolução na fase pre-biótica? A resposta estara por aqui:

O próximo átomo,  15,  que é justamente o P (fosforo), repete as propriedades do Oxigênio  Acontece que a ponte no DNA é feita com um Fosforo e três Oxigênios, o Phosphite, P3 O -3.  A impressão que tenho é a de pão  Oxigênio pode ser aquela faixa da formula que vai de F7  a F1. Nesta faixa existe o canal de massa, poeira, detritos, enfim, matéria degradada da estrela (isso seria a massa de trigo para fazer o pão . Então no pão é adicionado fermento a massa de trigo, e na química natural é adicionado o energético fosfato a massa degradada, obtendo assim o concreto eletrificado para construir a ponte. Tem que ser uma ponte eletrificada, pois na haste do DNA tem que correr energia.

Se estes meteoritos vem do cinturão de poeira e detritos do sistema solar, eles estariam para o sistema solar assim como a massa de trigo esta para o pão  Se este cinturão é bombardeado com fosforo, de onde vem estes e qual o proposito do sistema em relação ao cinturão?! Esta questão é muitíssimo importante. Estamos aqui tocando no grande problema de resolver como os sistemas astronômicos passaram da fase de formação por simbiose para a fase de formação por auto-reciclagem. E tem tudo a ver: o processo de formação dos sistemas astronômicos devem ser semelhantes ao processo de formação dos sistemas biológicos. 

Porque não havia fosforo na Terra na época das origens da Vida? Para esta resposta temos que puxar aqui outra formula da Matrix/DNA: 

Onda de Luz segundo a Matrix/DNA - Eletro-Magnético Espectro de Onda.

Onda de Luz segundo a Matrix/DNA – Eletro-Magnético Espectro de Onda

Segundo sugerem os modelos da Matrix/DNA, na época que ocorreu o Big Bang já existia um espaço e ocupado por uma substancia a que denominamos “massa etérea amorfa”. Esta substancia está  para o Universo assim como está a substancia amniótica para um ovulo. Pode-se chama-la de outros nomes, como por exemplo, eter, dark matter, etc. O Big Bang foi uma especie de fecundação no meio desta substancia, no qual o código genético estava inscrito na onda de luz natural. Nesta época o código genético era de uma simplicidade absoluta: ele apenas transmitia o processo do ciclo vital. Este processo é o que faz um corpo mudar de forma a cada segundo, como muda o nosso corpo toda vez que morre uma célula e outra é produzida ocupando seu lugar, pois a nova célula sempre terá algum minimo detalhe diferente da que morreu. Então o Big Bang espalhou no espaço a luz, ondas de luz, que invadindo aquela massa, cada uma de suas diferentes vibrações fazia a massa em sua região vibrar na sua intensidade. Com isso a massa começou a se separar em diferentes porcões, e depois, reunindo-se estas porcões na mesma sequencia vibratória da luz, se obteve os sistemas, de atomos a galaxias. Acontece que a emissão de ondas de luz não parou na primeira, o Big Bang é um processo pulsante, cada pulsação continua emitindo ondas de luz (para nos, as ondas de luz são as responsáveis pela radiação cósmica, e são imperceptíveis aos nossos sentidos, principalmente as nossas vistas, pois são de tal intensidade que cegam nossos olhos, tornando o fundo do espaço sideral escuro, o que pode ser percebido intelectualmente pelas calculações, como estas que nos levaram a supor que 95% do Universo é constituído pela “dark energy”). E cada região do espaço, cada galaxia, cada sistema estelar, cada planeta, vibram em especificas intensidades conforme a intensidade de vibração da luz que subjaz aquela região. Mas sera muito difícil para nos um dia obter a exata cifra do nivel de vibração do planeta terra hoje, porque estas ondas de luz do Big Bang se misturam com as ondas de luz emitidas pelos nucleos atomicos, pelos nucleos das galaxias e pelas estrelas como o Sol. O numero que encontraremos sera o resultante da interação destas varias ondas. E ainda, um planeta varia sua vibração de acordo com a variação de sua idade. Então as variações nas origens da Vida, a 3,5 bilhões de anos atras, eram diferentes da Terra agora. Isto significa que o planeta em cada época produzira certos elementos em abundancia, em outras estara em estados que fazem outros elementos de reações contrarias a vibração reinante, desaparecerem. Então, a 3,5 bilhões de anos atras não havia o elemento fosforo na superficie da Terra. That’s it! Claro, precisamos conhecer melhor tudo isso para detalhar melhor porque ele foi excluido daqui.

O DNA ev uma pilha de nucleotideos. Cada par de nucleotideo forma a formula da Matrix. São sete elementos, sete moléculas constituindo cada par de nucleotideos, cada elemento executa uma das sete funções sistemicas universais. Os nucleotideos são os tijolinhos do DNA. Mas como vemos, estes tijolinhos estão ligados por uma ponte. Isto significa que no DNA a Matrix foi repetida na forma dos tijolinhos, mas assim como ao fazer uma parede de uma casa precisamos por cimento para ligar os tijolos, no DNA foi preciso uma especie de cimento para ligar os nucleotideos. Ora, a Natureza não tinha cimento, tinha apenas atomos. Então se prevê que a os atomos nas pontas das sequencias possuem a propriedade de ligação. Descarta-se o primeiro atomo de cada onda porque na formula vemos que é a ultima peça de cada onda que se desfaz em fragmentos os quais são conduzidos para formarem a nebulosa de poeira que gera a primeira peça do próximo sistema. No caso da formação da Vida, quando se formou o primeiro building block, o primeiro par de nucleotideos, essa nebulosa seria o numero 8. Mas o atomo como numero 8 é o oxigênio, o qual é o átomo da morte, que esta no local onde ocorre a morte, por isso o oxigenio é oxidante, ou seja corrosivo, destruindo tudo. O primeiro atomo com função de ponte só teria sido escolhido se o DNA fosse uma mera repetição de um unico sistema, mas  sabemos que não e’. Cada nucleotídeo e’ diferente num minimo detalhe, uma minima sub-particula com alguma peculiaridade, diferente de todos os demais bilhões de nucleotideos. O DNA é uma pilha de fractais porque todas suas unidades conservam a mesma formula interna, porem cada fractal difere em algum minimo detalhe. E isto acontece porque quando a Matrix caiu na Terra ela veio como sistema fechado, mas apenas se levantou porque se tornou sistema aberto. E sistema abertos nunca se reproduzem em copias fieis, sempre sua cria se difere em algo. Sistemas fechados são portas fechadas a evolução enquanto sistemas abertos abrem as portas para a continuidade da evolução… porque eles são versáteis e podem diversificar suas formas. Então o oxigenio repetiria o que a galaxia faz no céu, ou seja, se reproduz por auto-reciclagem, é preciso uma morrer para a sua matéria iniciar outra copia. E isto não poderia se repetir na terra com sistemas biologicos abertos. Era preciso um atomo com função de ligação entre as unidades, mas não poderia ser o reciclador oxigenio, que foi o primeiro da segunda onda.. Então restou a Natureza buscar na onda seguinte, o atomo com essa função e encontrou o… FOSFORO.

Bem, vamos continuar a buscar mais informações da sagrada ciência reducionista acadêmica, pois só ela nos salva quando estamos chegando num limite e precisamos continuar alem dele. Vamos ao artigo da Washington University.

(Parei aqui)

– – – – – – – — — — –

Comentario na Phys.Org

Cantdrive85 – 1 / 5 (7)Jun 04, 2013

Other natural sources of phosphite include lightning strikes, geothermal fluids and possibly microbial activity under extremely anaerobic condition, but no other terrestrial sources of phosphite have been identified and none could have produced the quantities of phosphite needed to be dissolved in early Earth oceans that gave rise to life, the researchers concluded.

The answer is right there, lightning strikes. It is due to the researcher’s lack of understanding of the scalability of electric discharge that allows them to conclude such a thing. Electric discharge on a much larger scale happens on a daily basis within our solar system, such a realization will solve many “mysteries” in science.

Read more at: http://phys.org/news/2013-06-billion-year-old-mystery-team-life-producing-phosphorus.html#jCp

Morelli  – not rated yetjust added

The answer is right there, lightning strikes. It is due to the researcher’s lack of understanding of the scalability of electric discharge that allows them to conclude such a thing. Electric discharge on a much larger scale happens on a daily basis within our solar system, such a realization will solve many “mysteries” in science.

Very good! Phosphite is an element that was missing at Miller/Urey experiment. It works as catalyst and bridge that should driven the aminoacids to formations of peptides. But, the Urey kind of electric discharges did not work as well, because the energy used at lifes origins should coming from our Last non-biological ancestor system, which was the entire astronomical system. (Ok, this is what is suggesting Matrix/DNA models)

Read more at: http://phys.org/news/2013-06-billion-year-old-mystery-team-life-producing-phosphorus.html#jCp

– – – – – – – –

Outro comentario muito interessante:

katesisco

1.7 / 5 (3)Jun 05, 2013

Science tells us water was present from almost day 1 on Earth and I am thinking: how could this phosphorous from deep earth have been expressed? I am thinking core heating.

Read more at: http://phys.org/news/2013-06-billion-year-old-mystery-team-life-producing-phosphorus.html#jCp

Morelli

not rated yetjust added

Science tells us water was present from almost day 1 on Earth and I am thinking: how could this phosphorous from deep earth have been expressed? I am thinking core heating.

From Matrix/DNA worldview you are pretty smart. The informations for driving phosphite to new combinations that leads towards systems formation comes from stars and planetary nucleus because they are germs of new stars. But, since phosphorus is atomic number 15, it is a bridge between the second and third waves of atoms formation seen at the Periodic Table, so, we don~t know if it is the begining or the end of a wave. If it is begining, the informations in shape of photons came from Earth nucleus, if it is the end, came from our Sun.

Read more at: http://phys.org/news/2013-06-billion-year-old-mystery-team-life-producing-phosphorus.html#jCp

– – – – – – – – – –

Meu Ultimo comentario agora:

http://www.washington.edu/news/2013/06/04/scientists-resolve-a-3-5-billion-year-old-mystery-of-life/

Avatar
TheMatrixDNA • 4 minutes ago

Ok. In the last three days I have thought on this important discovery and searching explanations at the Matrix formula. Her suggestion is:

Phosphite (P3 O-3) is identical to bread. In bread there is the mass of wheat and the energetic yeast. In phosphite the 3 oxygen atoms are the mass and P atom is the yeast. You understand it better if seeing the Periodical Table plus the Matrix formula (oxygen is the slice in the circuitry from F7 to F1, which is constituted by dust as degraded mass). P plus 3 oxygens makes an electrical bridge. Why the bridge need be electrical? Because it is used at the DNA/RNA streams, where is running electric current. Same thing for membrane’s wall. The question now is… These meteorites must coming from the meteors belt. Because it is the solar system parameter for biological systems. Then, why the meteors belt are being bombarded with P? The P must came from the star. But, what is the purpose of solar system doing it? The answer will help Matrix/DNA solving the puzzle about how astronomical systems evolved the process of formation by symbioses towards the process of formation by self-recycling. I will continuing this research… it is very important.

– – – – –  – – – –

dfuller56 • 3 days ago ( 

“For the scientist who has lived by his faith in the power of reason, the story ends like a bad dream. He has scaled the mountains of ignorance; he is about to conquer the highest peak; as he pulls himself over the final rock, he is greeted by a band of theologians who have been sitting there for centuries….
the astronomical evidence leads to a biblical view of the origin of the world. The details differ, but the essential elements in the astronomical and biblical accounts of Genesis are the same: the chain of events leading to man commenced suddenly and sharply at a definite moment in time, in a flash of light and energy.
Some scientists are unhappy with the idea that the world began in this way. Until recently [this was written in 1978] many of my colleagues preferred the Steady State theory, which holds that the Universe had no beginning and is eternal. But the latest evidence makes is almost certain that the Big Bang really did occur.”
–Robert Jastrow, “God and the Astronomers”

– – – – – – –

RESPOSTA DA MATRIX/DNA PARA dfuller56

heMatrixDNA  mdfuller56 • 5 minutes ago

Theologians were sitting there for centuries and doing nothing. By them, we should travelling by carriages and horses, with Science we are travelling by airplanes and International Space Station. The History is not ending for natural philosophy, it is merely beginning now. The Universe’s Big Bang has the same meaning of a spermatozoon bigbang inside an ovule, when exploding the spermatozoon envelope. So, before the Universe’s Big bang must have existing a kind of natural and conscious system like yours parents are here, who made yours own “bigbang”. We are discovering that lightwaves has the code for life’s cycle, which means that natural light imprints life into inertial mass (photons and Higgs bosons). So, the conscious natural system that triggered the universal bigbang has his/her genome in shape of natural light. We are discovering that the biblical genesis account is accurate as metaphor describing the galactic state of the world minutes before the risen of biological systems here. But no Gods neither aliens told it… it is Natural History registred at our DNA, our memory. Those ancient authors of Genesis had fresh memory about our non-n biological shapes as ancestors. Wait that a lot of novelties are coming from the best method of applied Science.

– – – – – – – –

PESQUISA PELA MATRIX/DNA:

PHOSPHITE

PHOSPHITE :  O3P -3

Synthesis and crystal structures of aluminum and iron phosphites (paid paper)

http://link.springer.com/article/10.1007/BF01833673

Abstract

The hydrated forms of aluminum and iron phosphite were prepared and their structure was solved using X-ray powder diffraction data. The diffraction data for the aluminum phosphite powder sample was collected using synchrotron radiation(λ=1.3087 Å) while that for iron phosphite was obtained from a rotating anode X-ray source. Both compounds crystallize in the monoclinic space group, P21. Unit cell parameters for the Al compound:a+8.0941(1),b+9.9137(1),c+7.6254(1) Å, β=111.95°; Fe compound:a+8.2548(1),b+10.1814(1),c+7.7964(1) (Å), β=111.94(1)°. The Rietveld refined formula is M2(PO3H)3·4H2O (M=Al, Fe). There are two independent metal atoms in the structure and both are six-coordinated. One of them is coordinated by two water molecules and four phosphite oxygens. The other atom is surrounded by one water molecule and five phosphite oxygens. All the phosphite oxygens are involved in bridging the Al atoms. The geometry about Al, Fe, and P atoms is normal and they display, expected bond parameters. The Lattice water is located in the cavity and is hydrogen bonded to phosphite oxygen and water molecules.

– – – – – – – – –

Synthesis and Crystal Structure of Acid Phosphites RbH2PO3, CsH2PO3, and TlH2PO3

http://link.springer.com/article/10.1023%2FA%3A1011377229855

Abstract

The reaction of Rb, Cs, or Tl carbonates with a solution of phosphorous acid gave crystalline acid phosphites RbH2PO3(I), CsH2PO3(II), and TlH2PO3(III). The crystal structures of the compounds were studied by a single-crystal X-ray diffraction analysis at 150 K: I, monoclinic system, a= 7.530(2) Å, b= 8.634(2) Å, c= 12.426(2) Å, β = 102.46(3)°, V= 788.8(3) Å3, Z= 8, space group P21/c,R 1= 0.0409; II, monoclinic system, a= 7.930(2) Å, b= 8.929(2) Å, c= 13.163(3) Å, β = 104.84(3)°,V= 900.9(4) Å3, Z= 8, space group P21/cR 1= 0.0239; III, orthorhombic system, a= 6.603(1) Å, b= 6.785(1) Å, c= 8.836(2) Å, V= 395.9(1) Å3, Z= 4, space group Pna21, R 1= 0.0350. The PHO3tretrahedra in structures IIIIare joined via hydrogen bonds into infinite zigzag-like chains [HPHO3] n– n, which form layers alternating with layers of metal cations. The layers of anionic chains are wavelike in Iand IIand planar in III. Apparently, IIIis not isostructural to Ior IIdue to the fact that Tl(I) has a stereochemically active pair of electrons.

– – – – – – – – – – –

 

 

Junk-DNA: Importante Informacao sobre codigo genetico e evolucao cosmologica inserida nele

terça-feira, maio 14th, 2013

Isto precisa de uma investigacao profunda. Sugere a possibilidade de provar a tese de que o DNA-Lixo contem o registro da Evolucao Cosmologica.

New Layer of Genetic Information Discovered

http://www.scienceworldreport.com/articles/2314/20120328/new-layer-genetic-information-discovered.htm

(Importante notar: … which strongly supports the connection between mRNA and the corresponding protein structures and indicates that there is protein folding information in nucleic acids that is not present in the genetic code. This might give some additional explanation of codon redundancy.)

 

A hidden and never before recognized layer of information in the genetic code has been uncovered by a team of scientists at the University of California, San Francisco (UCSF) thanks to a technique developed at UCSF called ribosome profiling, which enables the measurement of gene activity inside living cells – including the speed with which proteins are made.

By measuring the rate of protein production in bacteria, the team discovered that slight genetic alterations could have a dramatic effect. This was true even for seemingly insignificant genetic changes known as “silent mutations,” which swap out a single DNA letter without changing the ultimate gene product. To their surprise, the scientists found these changes can slow the protein production process to one-tenth of its normal speed or less

As described today in the journal Nature, the speed change is caused by information contained in what are known as redundant codons – small pieces of DNA that form part of the genetic code. They were called “redundant” because they were previously thought to contain duplicative rather than unique instructions.

This new discovery challenges half a century of fundamental assumptions in biology. It may also help speed up the industrial production of proteins, which is crucial for making biofuels and biological drugs used to treat many common diseases, ranging from diabetes to cancer.

“The genetic code has been thought to be redundant, but redundant codons are clearly not identical,” said Jonathan Weissman, PhD, a Howard Hughes Medical Institute Investigator in the UCSF School of Medicine Department of Cellular andMolecular Pharmacology

“We didn’t understand much about the rules,” he added, but the new work suggests nature selects among redundant codons based on genetic speed as well as genetic meaning.

Similarly, a person texting a message to a friend might opt to type, “NP” instead of “No problem.” They both mean the same thing, but one is faster to thumb than the other.

How Ribosome Profiling Works

The work addresses an observation scientists have long made that the process protein synthesis, so essential to all living organisms on Earth, is not smooth and uniform, but rather proceeds in fits and starts. Some unknown mechanism seemed to control the speed with which proteins are made, but nobody knew what it was.

To find out, Weissman and UCSF postdoctoral researcher Gene-Wei Li, PhD, drew upon a broader past effort by Weissman and his colleagues to develop a novel laboratory technique called “ribosome profiling,” which allows scientists to examine universally which genes are active in a cell and how fast they are being translated into proteins.

Ribosome profiling takes account of gene activity by pilfering from a cell all the molecular machines known as ribosomes. Typical bacterial cells are filled with hundreds of thousands of these ribosomes, and human cells have even more. They play a key role in life by translating genetic messages into proteins. Isolating them and pulling out all their genetic material allows scientists to see what proteins a cell is making and where they are in the process.

Weissman and Li were able to use this technique to measure the rate of protein synthesis by looking statistically at all the genes being expressed in a bacterial cell.

They found that proteins made from genes containing particular sequences (referred to technically as Shine-Dalgarno sequences) were produced more slowly than identical proteins made from genes with different but redundant codons. They showed that they could introduce pauses into protein production by introducing such sequences into genes.

What the scientists hypothesize is that the pausing exists as part of a regulatory mechanism that ensures proper checks – so that cells don’t produce proteins at the wrong time or in the wrong abundance.

A Primer on DNA Codons

All life on earth relies on the storage of genetic information in DNA (or in the case of some viruses, RNA) and the expression of that DNA into proteins to build the components of cells and carry out all life’s genetic instructions.

Every living cell in every tissue inside every organism on Earth is constantly expressing genes and translating them into proteins-from our earliest to our dying days. A significant amount of the energy we burn fuels nothing more than this fundamental process.

The genetic code is basically a universal set of instructions for translating DNA into proteins. DNA genes are composed of four types of molecules, known as bases or nucleotides (often represented by the four letters A, G, T and C). But proteins are strings of 20 different types of amino acids.

To code for all 20 amino acids, the genetic code calls for genes to be expressed by reading groups of three letters of DNA at a time for every one amino acid in a protein. These triplets of DNA letters are called codons. But because there are 64 possible ways to arrange three bases of DNA together – and only 20 amino acids used by life – the number of codons exceeds the demand. So several of these 64 codons code for the same amino acid.

Scientists have known about this redundancy for 50 years, but in recent years, as more and more genomes from creatures as diverse as domestic dogs to wild rice have been decoded, scientists have come to appreciate that not all redundant codons are equal.

Many organisms have a clear preference for one type of codon over another, even though the end result is the same. This begged the question the new research answered: if redundant codons do the same thing, why would nature prefer one to the other?

The article, “The anti-Shine-Dalgarno sequence drives translational pausing and codon choice in bacteria,” by Gene-Wei Li, Eugene Oh, and Jonathan S. Weissman, was published by the journal Nature on March 28.

XXXXXXXXXXX

NATURE – Artigo so pode ver o abstracto.

http://www.nature.com/nature/journal/v484/n7395/full/nature10965.html

The anti-Shine–Dalgarno sequence drives translational pausing and codon choice in bacteria

Nature -484, 538–541 doi:10.1038/nature10965 – Published online – 28 March 2012

 Protein synthesis by ribosomes takes place on a linear substrate but at non-uniform speeds. Transient pausing of ribosomes can affect a variety of co-translational processes, including protein targeting and folding1. These pauses are influenced by the sequence of the messenger RNA2. Thus, redundancy in the genetic code allows the same protein to be translated at different rates. However, our knowledge of both the position and the mechanism of translational pausing in vivo is highly limited. Here we present a genome-wide analysis of translational pausing in bacteria by ribosome profiling—deep sequencing of ribosome-protected mRNA fragments345. This approach enables the high-resolution measurement of ribosome density profiles along most transcripts at unperturbed, endogenous expression levels. Unexpectedly, we found that codons decoded by rare transfer RNAs do not lead to slow translation under nutrient-rich conditions. Instead, Shine–Dalgarno-(SD)6-like features within coding sequences cause pervasive translational pausing. Using an orthogonal ribosome78 possessing an altered anti-SD sequence, we show that pausing is due to hybridization between the mRNA and 16S ribosomal RNA of the translating ribosome. In protein-coding sequences, internal SD sequences are disfavoured, which leads to biased usage, avoiding codons and codon pairs that resemble canonical SD sites. Our results indicate that internal SD-like sequences are a major determinant of translation rates and a global driving force for the coding of bacterial genomes

XXXXXXXXX

http://en.wikipedia.org/wiki/Shine-Dalgarno_sequence

The Shine-Dalgarno sequence (or Shine-Dalgarno box), proposed by Australian scientists John Shine (b.1946) and Lynn Dalgarno (b.1935),[1] is a ribosomal binding site in the mRNA, generally located 8 bases upstream of the start codon AUG. The Shine-Dalgarno sequence exists both in bacteria and archaea, being also present in some chloroplastic and mitochondial transcripts. The six-base consensus sequence is AGGAGG; in E. coli, for example, the sequence is AGGAGGU. This sequence helps recruit the ribosome to the mRNA to initiate protein synthesis by aligning it with the start codon. The complementary sequence (UCCUCC), is called the anti-Shine-Dalgarno sequence and is located at the 3′ end of the 16S rRNA in the ribosome. The eukaryotic equivalent of the Shine-Dalgarno sequence is called the Kozak sequence.

Mutations in the Shine-Dalgarno sequence can reduce translation. This reduction is due to a reduced mRNA-ribosome pairing efficiency, as evidenced by the fact that complementary mutations in the anti-Shine-Dalgarno sequence can restore translation.

The Shine-Dalgarno sequence GAGG dominates in bacteriophage T4 early genes, whereas the sequence GGAG is a target for the T4 endonuclease RegB that initiates the early mRNA degradation.[2]

When the Shine-Dalgarno sequence and anti-Shine-Dalgarno sequence pair, the translation initiation factors IF2-GTPIF1IF3, as well as the initiator tRNA fMet-tRNA(fmet) are recruited to the ribosome.

The ribosomal S1 protein in Gram-negative bacteria [edit]

In Gram-negative bacteria, the presence of a Shine-Dalgarno sequence is not obligatory for the ribosome to locate the initiator codon. Numerous prokaryotic mRNAs don’t possess Shine-Dalgarno sequences at all: ribosomal protein S1, which binds to AU-rich sequences found in many prokaryotic mRNAs 15-30 nucleotides upstream of start-codon, can instigate translation initiation in the case of these mRNAs.

SD-Sequences in Chloroplasts [edit]

Although plastids are prokaryotic descendants and still have their prokaryotic translational machinery, SD-like sequences are not required at least in green alga Chlamydomonas reinhardtiichloroplasts according to a study.[3]

See also [edit]

The Kozak consensus sequenceKozak consensus or Kozak sequence, is a sequence which occurs on eukaryotic mRNA and has the consensus (gcc)gccRccAUGG. The Kozak consensus sequence plays a major role in the initiation of the translation process.[1] The sequence was named after the person who brought it to prominence, Marilyn Kozak.

The sequence is identified by the notation (gcc)gccRccAUGG, which summarizes data analysed by Kozak from a wide variety of sources (about 699 in all)[2] as follows:

  1. a lower case letter denotes the most common base at a position where the base can nevertheless vary;
  2. upper case letters indicate highly-conserved bases, i.e. the ‘AUGG’ sequence is constant or rarely, if ever, changes, with the exception being the IUPAC ambiguity code [3] ‘R’ which indicates that a purine (adenine or guanine) is always observed at this position (with adenine being claimed by Kozak to be more frequent); and
  3. the sequence in brackets ((gcc)) is of uncertain significance.
Como a Matrix une evolucao do macrotempo cosmologico com o microtempo biologico no DNA

Como a Matrix une evolucao do macrotempo cosmologico com o microtempo biologico no DNA

Kozak’s paper was limited to a subset of vertebrates (i.e. human, cow, cat, dog, chicken, guinea pig, hamster, mouse, pig, rabbit, sheep, and xenopus)

xxxxxxxxxxxxxxxxxx

Original Paper em PDF

The anti-Shine–Dalgarno sequence drives translational pausing and codon choice in bacteria

http://www.rpgroup.caltech.edu/courses/PBoC%20CSHL%202013/files_2013/articles/Li%20etal%20Nature%202012.pdf

Gene-Wei Li1 – , Eugene Oh1 & Jonathan S. Weissman1

Protein synthesis by ribosomes takes place on a linear substrate but at non-uniform speeds.Transient pausing of ribosomes can affect a variety of co-translational processes, including protein targeting and folding1

– These pauses are influenced by the sequence of the messenger RNA2

-. Thus, redundancy in the genetic code allows the same protein to be translated at different rates

– Unexpectedly, we found that codons decoded by rare transfer RNAs do not lead to slow translation under nutrient-rich conditions.

– Instead, Shine–Dalgarno-(SD)6 -like features within coding sequences cause pervasive translational pausing

– Using an orthogonal ribosome7,8 possessing an altered anti-SD sequence, we show that pausing is due to hybridization between the mRNA and 16S ribosomal RNA of the translating ribosome

– In protein-coding sequences, internal SD sequences are disfavoured, which leads to biased usage, avoiding codons and codon pairs that resemble canonical SD sites.

–  Our results indicate that internal SDlike sequences are a major determinant of translation rates and global driving force for the coding of bacterial genomes.

established that different mRNAs could be translated with different elongation rates

– there was a clear correspondence on individual transcripts between SD-like sequences and pauses.

xxxxxxxxxxxx

Editor’s summary

Keeping protein synthesis on track

The rate of protein synthesis by the ribosome can be influenced by various intrinsic and extrinsic factors, such as structure in the messenger RNA and the actions of RNA binding proteins. As a result, translation is subject to transient pausing. This study provides a genome-wide view of the locations of ribosome pausing in bacteria. The most common origin of pausing is found to be hybridization between the ribosomal RNA and internal sequences of the mRNA that are similar to the Shine–Dalgarno element that serves as the entry point for the ribosome. To prevent their interference with translation, such Shine–Dalgarno-like elements are underrepresented in protein-coding sequences, accounting for some of the observed bias in codon usage. These results have implications both for our basic understanding of protein synthesis and for practical efforts to express recombinant proteins.

Micro-computadores dentro de celulas vivas: Veja como os modelos da Matrix/DNA podem ajudar nisso

segunda-feira, abril 1st, 2013

Biological Transistors Could Revolutionize The Future Of Medicine

http://www.redorbit.com/news/technology/1112813359/biological-genetic-computing-by-stanford-biobricks-033113/

REDORBIT – March 31, 2013

Micro-computadores feito de material genético (enzimas) poderão serem inseridos dentro de células vivas e funcionarem como transistores biológicos. Os transistores comuns dos computadores controlam o fluxo de elétrons  porque são construídos de maneira que um tipo imita uma  porta aberta deixando o fluxo passar e outro tipo imita uma porta fechada. Dá-se o símbolo “zero” para um tipo e “um” para o outro tipo, e assim podemos construir formulas, linguagens para cálculos, o que é chamado “código binário”, a mais básica linguagem mecânica. Unindo linearmente múltiplos transistores se obtém o que é chamado “portal logico”, ou logic gate. Os quais servem como os básicos tijolos de todas as operações computacionais realizadas.

Por outro lado, os transistores genéticos, que são chamados de “transcriptors”, usam enzimas para controlar os fluxos das proteínas de RNA que correm ao longo de uma haste do DNA, similar ao modo que computadores usam transistores de silício. Usando 150 letras do código genético, os pesquisadoes estão tentando fazer com que estes transistores genéticos possam tomar  decisões de “sim-ou-não”, tais como determinar se mercúrio estiver presente dentro de uma célula. E mais, como diz o pesquisador: ” Any place you want a little bit of logic, a little bit of computation, a little bit of memory — we’re going to be able to do that ”.

As primeiras coisas que podem serem feitas seriam ter mais sensibilidade para sentir e entender as células. O chamado “biosensing”. Você poderia ver se uma célula tem sido exposta a diferentes compostos químicos, e obter um sinal especifico somente quando um mesmo padrão interessante se revela, como por exemplo, glicose e cafeína. A longo prazo nos esperamos que biocomputadores possam serem usados para estudar e reprogramas sistemas vivos, e otimizar a terapêutica celular, a qual é o campo da medicina que usa genômica e biologia celular para regenerar tecidos e órgãos.

Estes biocomputadores são o terceiro e final componente de um trabalho de 10 anos na pesquisa de construir computadores biológicos. No ultimo ano, a equipe desenvolveu os outros dois principais componentes de um computador: um método para estocar dados reescritos dentro do DNA e um mecanismo para enviar informações genéticas de células para outras células. Pode-se detectar mais cedo sinais de câncer, por exemplo.

Sugestão da Matrix/DNA:

Nós temos a formula de um sistema perfeito. Comparando qualquer outro sistema existente com esta formula, podemos identificar o ponto onde esta algo errado, sendo esta uma abordagem nunca tentada antes. Nos estamos buscando identificar cada proteína, qual a sua posição e função no circuito do sistema perfeito. Se isto for feito, poderemos construir um bio-computador de proteínas que represente o sistema perfeito, inseri-lo dentro das células e os resultados serão muito maior eficiência para  a atual Ciência. Os cientistas interessados nestas pesquisas teriam que conhecer a formula da Matrix/DNA, um novo mundo de possibilidades lhes surgirá .

Comentário postado no RedOrbit :

We have the formula of a natural perfect system. Comparing any other existing system with this formula, we can identify the point where something is wrong, and this is an approach never before attempted. We are seeking to identify each protein, which its position and function in the circuit of perfect system. If this is done, we can build a bio-computer proteins that represents the perfect system, insert it into the cells and the results will be much more efficient for the current Science. Scientists interested in these surveys would have to know the formula of Matrix / DNA, a new world of possibilities will arise.

Outros links para esta noticia:

http://www.newscientist.com/article/dn23337-dna-transistors-pave-way-for-living-computers.html

Do Video “Inner Life Of a Cell”: Pesquisa Pela Matrix/DNA

domingo, março 10th, 2013

http://www.youtube.com/watch?v=yKW4F0Nu-UY&NR=1&feature=fvwp

Inner Life Of A Cell – Full Version.mkv

1) A existência do sistema imunológico é um mistério

Leucócitos – são células brancas do sangue com a função de imunização, devorando corpos estranhos. São criadas pelas células hematopoiéticas e aqui me recordo de um grande enigma para resolver: Como os sistemas biológicos criaram o fenômeno da autodefesa, ou imunização ! De onde a matéria burra da Terra tirou essa ideia!  O que havia antes das origens dos sistemas biológicos que executavam tal função! Nos átomos, nas galáxias…

Bem…LUCA era um sistema fechado em si mesmo, não permitia nada de fora entrar. Mas acho que essa propriedade era obtida colateralmente, sem uma forca ou mecanismo dirigido diretamente para isso. A autodefesa era uma consequência da velocidade de giro do circuito externo, o qual criava uma espécie de casca compacta, impedindo a entrada de elementos externos. Se nossos planetas girassem a mesma elevada velocidade, o Sol seria defendido. Mas nos sistemas biológicos esse mecanismo, essa forca com essa função, é especifica, dirigida, autônoma. Tem uma possibilidade, mas que é demasiado grandiosa, e se verdadeira, revelaria que falta muito ainda para entendermos da Natureza e LUCA. A possibilidade de que a autodefesa seja criada por uma psicologia sistêmica, que remonta aos sistemas astronômicos, atômicos e vai ter suas origens na Luz! Seria mais um indicio de que a “alma” surgiu aqui a bordo da Luz, dormiu nos sistemas não biológicos e começa a acordar nos biológicos. Mas se isto for a resposta, significa que essa alma não estava inerte nos ancestrais. Por enquanto não vejo outra explicação para a existência desse mecanismo aqui. Por enquanto, o primeiro elemento onde esse fenômeno se manifestou são as hematopoiéticas… devemos continuar a busca antes delas…

Epa!… A lampadinha das grandes descobertas parece que acendeu outra vez dentro do meu cocuruto! Estou vendo mentalmente as imagens rápidas de onde estavam em LUCA os mecanismos e como eles geraram a medula óssea, os ossos, e as células do sangue… o próprio sangue! Foi tudo copiado da região do circuito, inclusive o “cabo” que contem o circuito corrente, numa espécie de campo eletromagnético.

2) Descoberta pela Matrix/DNA das origens da Medula Óssea (Tutano), Ossos e Sangue!

Qualquer corpo externo a um sistema solar que tivesse seus planetas em alta velocidade giratória precisaria muita potencia para sequer atingir um planeta. Pois todo planeta tem uma cobertura de repulsão (basta ver como o campo magnético da Terra segura as radiações solares) e se em alta velocidade essa forca de repulsão deve aumentar. Pois esse envoltório rígido, árduo de ser penetrado se tornou ossos, nos sistemas biológicos. Em LUCA não era apenas planetas que carregavam esta cobertura repulsiva e sim todas as seis formas de astros. E seu circuito era relativamente as suas proporções, veloz, frenético, pois LUCA existia em constante estado orgástico, o que denuncia a fricção rápida.

O circuito de LUCA nunca era alcançado por invasores externos. Mas o circuito era composto dualmente: no seu aspecto “espaço”, representado pelos corpos dos astros, e no seu aspecto “tempo” pelas setas intermediarias entre duas formas. Pois os corpos se tornaram as células hematopoiéticas da medula, e as setas s tornaram as células do sangue, ou o próprio liquido do sangue. E as células da medula óssea não são também atingidas por invasores externos, pois estes teriam que penetrar os ossos, que são os representantes do que fora outrora o campo, ou cabo, magnético. Sensacional! Isto merece um artigo a parte, e a partir daqui vamos entender melhor como tratar ossos, medulas e sangue e entender as causas de suas doenças. Por exemplo, os componentes do sangue são renovados continuamente e a medula óssea é quem se encarrega desta renovação. Porque! Porque ela veio de um ancestral que auto-reciclava todos seus componentes…

Wikipédia: Medula Ossea 

A medula óssea, também conhecida como tutano, é um tecido gelatinoso que preenche a cavidade interna de vários ossos e fabrica os elementos figurados do sangue periférico como: hemácias, leucócitos e plaquetas.

A medula óssea é, um órgão hematopoiético. Ela é constituída pelas linhagens que originam os três elementos citados acima, de células que tomam parte na fabricação do osso (osteoblastos e osteoclastos), de células e fibras que compõem uma malha para sustentar todas as células referidas (fibras e células reticulares). É onde estão as células progenitoras das células sanguíneas. Ali também têm origem as alterações que vão ser responsáveis por inúmeras doenças. No homem adulto sadio produz cerca de 2,5 bilhões de eritrócitos, 2,5 bilhões de plaquetas e 1,0 bilhão de granulócitos por kg de peso corporal.[1]

A medula óssea é constituída por um tecido esponjoso mole localizado no interior dos ossos longos. É nela que o organismo produz praticamente todas as células do sangue: glóbulos vermelhos (Eritrócitos), glóbulos brancos (Leucócitos) e plaquetas (Trombócitos). Estes componentes do sangue são renovados continuamente e a medula óssea é quem se encarrega desta renovação. Trata-se portanto de um tecido de grande atividade evidenciada pelo grande número de multiplicações celulares.

xxxx

Estou fugindo do tema deste artigo que era o vídeo, mas isso é assim mesmo, por se tratar de sistemas a Matrix/DNA começa por pesquisar um especifico fenômeno e acaba sempre tendo que dar a volta no Universo inteiro. Mas depois devo separar os tópicos em vários artigos.

Ainda falta explicar de onde e como a matéria burra da Terra obteve a ideia para o sistema de autodefesa dos organismos! Acho que não: o mecanismo existia dentro de uma função, ele apenas adquiriu vida própria e na forma de guerreiro, predador.

xxxx

 

 

Vídeo Sôbre ATP Synthase Sendo Usado por Criacionistas e a Versão da Matrix/DNA

quinta-feira, janeiro 24th, 2013

Quando observamos como funciona a extraordinária engenharia do motor que produz energia ATP para as células, e comparamos com o modêlo cosmológico da Matrix/DNA entendemos que tudo foi produto de uma evolução que vem desde ou antes do Big Bang. Então apresentamos um artigo que está no website explicando detalhadamente a mesma máquina existindo a nivel astronomico e a nivel celular. Mas o assunto continua gerando polêmicas entre criacionistas e ateus.  E agora saiu mais um vídeo a respeito no Youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=XI8m6o0gXDY&feature=youtu.be

(Artigos  da Matrix/DNA relacionados a êste tópico:

ATP Sintase: Como a Terra Copiou do Céu esta Extraordinária Engenharia!

http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=333

The Cellular ATP Motor came from the Galaxies’ Rotational Motor?!

http://theuniversalmatrix.com/en-us/articles/?p=15

Menções Sôbre êste vídeo na Mídia:

Design Inteligente ( Brasil)  http://designinteligente.blogspot.com/2013/01/atp-sintase-video.html#mais =

Comentario postado pela Matrix nêste site (aguardando aprovação):

Se fôr produto de Intelligent Design, essa inteligencia não precisou vir aqui criar essa engenharia. Se uma Supernatural Inteligencia criou isso, ela o fêz antes e alem do Universo, do Big Bang. Pois na Matrix/DNA Theory foi descoberto que essa engenharia, êsse motor, essa rotação e tipo de produção de energia existe no sistema astronomico ao qual a Terra pertence, e muito antes das origens da vida aqui. Vide no artigo “ATP Sintase: Como a Terra Copiou do Céu esta Extraordinária Engenharia!” em http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=333. Veja como é essa estrutura no céu e como foi copiada aqui na Terra, quimicamente. Acho que o Criacionismo está precisando devolver a Deus ( se podemos fazer alguma idéia do que será isso), a sua verdadeira grandeza e magnitude, um ser acima de muitos universos, muitas diferentes formas de vida em outros mundos, e com uma inteligencia que jamais poderíamos entender com êsse nosso pequenino e primitivo cérebro. É por essa recusa dos Criacionistas que os mais educados estão se tornando indevidamente ateus.

XXX

YOUTUBE – http://www.youtube.com/watch?v=XI8m6o0gXDY&feature=youtu.be

ATP Synthase: New Video Shows Intelligent Design of Molecular Machines in the Cell

Comentário postado pela Matrix:

Louis Charles Morelli

Louis Charles Morelli 1 second ago

We have shown where this whole mechanism exists at astronomical level, how it works, how it was copied chemically and microscopically here at organic/biological level. Everybody can see the pictures showing steps by steps, detailed, Googling “The Cellular ATP Motor came from the Galaxies’ Rotational Motor?!” If there is a supernatural creator intelligence, it does not need come here for creating these things, since we are seen that it was existent before life’s origins.

XXX

Evolution News and Views

http://www.evolutionnews.org/2013/01/spectacular_new_1068501.html

Spectacular New Animation Demonstrates Intelligent Design of a Molecular Machine in the Cell

XXX

Outro video:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=XI8m6o0gXDY#!

ATP Synthase: New Video Shows Intelligent Design of Molecular Machines in t

Célula: Retículo Endoplasmatico – O Horizonte de Eventos – Pela Matrix/DNA

domingo, janeiro 6th, 2013
Compartmentalization of Endoplasmic Reticulum QualityControl and ER-Associated Degradation Factors

http://online.liebertpub.com/doi/pdf/10.1089/dna.2012.1889

Recent studies are delineating a detailed picture of the architecture and function of the endoplasmic reticulum (ER) and the early secretory pathway, showing the existence of dynamic compartmentalization of ER quality control and ER-associated degradation (ERAD) factors. The compartmentalization is regulated by ER protein load and in turn regulates protein processing and cell fate. This compartmentalization is intimately linked to the protein quality control processes, protein disposal through ERAD, the unfolded protein response, and the initiation of apoptosis. It includes novel compartments, the ER-derived quality control compartment (ERQC), vesicles implicated in “ERAD-tuning,” and the mitochondria-associated membranes (MAMs)