Posts Tagged ‘biológica’

Cosmic Natural Selection: Fisicos comecam a entrar na Evolucao Biologica

sábado, março 30th, 2019

xxxxx

https://www.youtube.com/watch?v=v6ef99T-IJE

xxxx

No video abaixo, pela primeira vez na historia da comunidade cientifica, um fisico ou cosmologista anuncia uma teoria que parece copia da teoria da Matrix/DNA que foi registrada a 30 anos atras. Lee Smolin diz que ” ao inves de buracos negros serem como estao sendo teorizados, com interna extrema singularidade, talvez eles nada tenham de singularidade mas sim sejam instrumentos de reproducao dando origens a novos universos”. Justamente o que Matrix/DNA escreveu, combatendo a teoria dos buracos negros e se adiantando com a sugestao de que no lugar de buracos negros existem vortices nucleares executando a funcao de gestação e desenvolvimento de germes de novos astros.

https://www.youtube.com/watch?v=mbYLTqvo774

Meus comentarios postados neste video:

This is pure Matrix/DNA Theory, registered copyrights 30 years ago. The theory introduces a model of astronomic building blocks of galaxies where inside the nucleus there is a vortex mixing interestellar dusty and magma from pulsars generating seeds or germs of new astronomical bodies, a similar process of sexual reproduction. Since the model is identical with the building blocks of DNA, the author, Louis Morelli deducted that Biological Evolution was not invented by Earth, it is merely a sequitur of Cosmological Evolution. It is good that Lee Smolin be the first cosmologist arriving to similar deductions.
I like this idea. I have a question. How did the first universe creating black hole get formed in this theory of cosmological natural selection?
How the first human woman got her reproductive apparatus, the womb, etc.? By evolution from simplest species, some of them have no womb, as reptiles laying eggs out. So our universe got black holes and was reproduced throught black holes coming from less evolved cosmological species…
xxxxx

Curriculuns escolares continuam a induzir os estudantes a danificarem suas vidas, a especie humana e o planeta!

terça-feira, março 6th, 2018

xxxx

No site do BrasilEscola postaram um topico explicando o que e’ macroevolucao. Embutido neste nome e nesta explicacao vai um grande erro que afeta a formacao mental dos estudantes conduzindo-os a continuarem estas erradas interpretacoes do mundo que tanto mal fizeram as anteriores geracoes. Eu nao podia deixar isso passar assim e postei meu comentario no artigo o qual vai copiado abaixo:

Macroevolução

http://brasilescola.uol.com.br/biologia/macroevolucao.htm

E qual o nome da evolucao que iniciou com as particulas no Big Bang e chegou nos sistemas biologicos, ou vivos? Super-macroevolucao? Macro-macro-evolucao? Alguma coisa nao anda bem com estes nomes. E agora surge a Matrix/DNA Theory sugerindo um elo evolucionario entre o ultimo sistema mais evoluido da chamada “evolucao cosmologica”, que teria 10 bilhoes de anos, indo do Big Bang as galaxias, e a “evolucao biologica” iniciando com a primeira celula viva nos ultimos 3,8 bilhoes de anos. Eu apoio porque nao e’ logico crer que a materia estupida deste planetinha perdido na imensidao sideral iria inventar o processo da evolucao, ela deve ser universal, sendo os mecanismos da evolucao biologica uma mera evolucao dos mecanismos da evolucao que ja vinha ocorrendo. Vamos ter que mudar estes nomes pois estes foram criados quando pouco se sabia do universo e a ingenuidade humana ainda se achava o centro do mundo. Como sugere a Matrix/DNA Theory, arbitrariamente separar a evolucao em dois blocos sem nenhuma elo criou-se um abismo entre eles que torna impossivel encontrar uma explicacao natural logica para a emergencia dos sistemas biologicos, e para preencher este abismo so mesmo o pensamento magico imaginando deuses magicos ou acasos absolutos magicos. Esta tudo errado o que significa que esta geracao atual tem nas ciencias bastante trabalho de pesquisa a fazer para consertar isso.

A Evolução Biológica foi um desenvolvimento da Evolução da Química?

domingo, setembro 3rd, 2017

xxxx

Obtido em:

https://www.youtube.com/watch?v=mRzxTzKIsp8

What is Chemical Evolution?

 

A evolução química pode, por si só, construir complexas moléculas e até membranas de fatty acids, chegando inclusive ao RNA. Mas para chegar a química orgânica, ou iniciar a evolução biológica é preciso antes conseguir que alguma destas moléculas se reproduzam por si só. E isto ainda não esta’ claro para a Ciência Moderna como acontece.

Então eles estão pensando mais em que significa “reprodução” e uma das palavras que lhes veio `a mente é “repetição”, ou “replicação”. Ora, repetição é um processo muito mais simples que a complexa reprodução, então reprodução pode ter começado por algum processo de repetição. E assim eles vão no estado do mundo antes das origens da vida procurar o que existia que se repetia. Encontram os ciclos repetitivos, como ciclo do Co2, o fato de que nos astros ocorrem movimentos repetitivos como o aquecimento do dia e o esfriamento da noite, as repetitivas erupções dos vulcões, o levantamento e abaixamento das ondas do mar, etc. Estas repetições mexem com as coisas inertes repetidamente e repetitivamente produzem, ou dão nascimento a novas moléculas e sistemas químicos. E daqui vão para o evento onde se formaram as primeiras membranas de fatty acids, como elas mantem unidades de fatty acids dentro delas oferecendo novo e melhor ambiente para elas evoluírem. E daqui pulam para a crença de que reprodução aconteceu de alguma maneira por ai, sem precisar de maior explicação, Tendo a causa principal da vida em mãos – que é a auto-reprodução – eles saltam para a crenca de que a química por produziu a Vida.

Para mim, tendo a Matrix/DNA Theory em mãos e observando seus modelos teóricos, fico com a impressão que os cientistas são tímidos quando se defrontam com o espaço sideral. Pois fizeram uma rápida e curta incursão neste espaço e retornaram correndo. Assim ficam sem conhecer por completo o que são os sistemas que criaram a Terra, a química, e aos quais estas coisas pertencem. Como eu fui mais longe e fiquei mais tempo por la’ procurando, encontrei o mecanismo da auto-reciclagem dos sistemas astronômicos. Ora, auto-reciclagem é repetição e de uma certa maneira, reprodução, inclusive, na auto-reciclagem podem ocorrer mudanças, que geram variações, enquanto que na mera repetição isto não pode acontecer porque então não seria repetição..

Se os meus modelos astronômicos estiverem corretos, a auto-reciclagem dos building blocks das galaxias já apresentavam princípios da reprodução sexualizada que necessita do concurso das funções masculinas e femininas. E justamente isso o que vemos fazendo certos astros num sistema reunindo ambas funções, demonstrando que ele é hermafrodita, tal como a primeira célula viva criada por ele.

Agora os cientistas do Center for Chemical Evolution e outros grupos em volta do mundo estão trabalhando duro tentando provar sua hipótese, ou seja, de que moléculas químicas complexas podem, por si só, iniciarem a se reproduzirem. Ainda não conseguiram, mas pode ocorrer que vejam uma molécula se reproduzir na sua frente e vão sair contando a merecida vitoria. Mas isto só vai acontecer se em tal molécula de alguma forma penetraram os fótons que trazem informações relativas `as funções 1 e 4 da formula universal, ou seja, de vortices nucleares e pulsares… Isto vem por radiação cósmica ( principalmente a função 4) e/ou pelos profundos ventos oceánicos vindos do núcleo terrestre que tem metade das informações para auto-replicação, porem não é fácil que tais informações caiam aqui no mesmo ponto do espaço/tempo e justo encima das moléculas colhidas pelos cientistas.

Mas se isto acontecer, vão ver o certo mas interpretar o mundo errado novamente, pois estão ignorando a força interna `as moléculas dirigindo o evento. Nas origens da vida, que durou bilhões de anos, estas moléculas estavam a céu aberto ou em câmeras marinhas sobre ventos oceânicos, e num planeta continuamente bombardeado por radiação cósmica, o calculo das probabilidades sugere que isto deve ter acontecido.

Estão chegando perto de onde chegou a Matrix/DNA (isto se  a teoria da Matrix/DNA estiver correta) . Mas crer que a evolução química por si só produziu a evolução biológica seria o mesmo que crer que a evolução da carroça por si só produziu a evolução do automóvel, sem ver os agentes ocultos, como a mente humana num caso e a formula da Matrix/DNA no outro, dirigindo a evolução universal.

xxxx

E meu comentario postado no Youtube:

Louis Charles Morelli – 9/3/2017

Congratulations, but,… these scientists are doing a big mistake. They are too shy, timid, when they went to the right place – the astronomic and planetary state of the world before life’s origins – searching for anything that were replicating or doing something repetitive. There is no other way for proving this hypothesis and the answer must be there, of course ( it is not plausible that quantum fluctuations could acting over big complex molecules). By another hand, I kept me about seven years at the virgin biosphere of Amazon jungle looking for explanations about life’s mysteries and like this “reproduction” issue, and found something very rational.

There is no way to explains complex properties of life with our modern current astronomical theories and models. So ( I thought), these models are not complete and a method for searching best models is calculating evolution by its reverse way, starting at the first cell and going back, if possible, till the Big Bang. The results are new models that offers events of self-recycling at astronomical scale where Earth is participating. Self-recycling is another name for repetition, but it can be more complex, included, permitting variation.
So, we have these models resumed at “The Universal Matrix/DNA formula for all Natural Systems and Life’s Cycles Theory” ( you can Google it) and see a model where astronomical bodies composing a system performs the principles of sexual reproduction. Go back to the space – but not to the wrong space – because the answer is there.

A cultura humana foi produzida pela sua biologia, porem, já existia cultura nas estrelas – revela a Matrix/DNA

sexta-feira, setembro 1st, 2017

xxxxx

Bom artigo sobre origens e desenvolvimento da cultura humana, defende a tese de que a biologia é a causa produtora da cultura. Por meu lado, fui consultar a formula da Matrix/DNA e conclui que a cultura humana esta’ para o sistema social humano assim como a identidade dos sistemas naturais estão para os sistemas, portanto, o que se entende por cultura já existia antes das origens dos sistemas biológicos. Postei um comentário explicando isso no artigo, o qual vai copiado abaixo do link:

O ser humano como um animal biologicamente cultural

https://universoracionalista.org/o-ser-humano-como-um-animal-biologicamente-cultural/?utm_medium=botao&utm_source=ur&utm_campaign=onesignal

O ser humano como um animal biologicamente cultural

Louis C. MorelliLouis C. Morelli – 1/9-set/2017

Good food for thought! Mas eu acrescentaria algo ao artigo. Dizer que a cultura é biológica leva a crer que a biologia criou a cultura pela primeira vez na Natureza, mas vou buscar fatos no passado quando ainda não existia a biológica organização da matéria para sugerir que cultura veio antes, seria uma constante universal. A formula universal para todos os sistemas naturais sugere que cultura é um nome para outra coisa existente mais profunda: a identidade de um sistema natural qualquer.

Como a formula demonstra, sistemas são o conjunto de partes especificas e funcionais inter-conetadas dentro de um involucro qualquer. A soma de informações de cada parte gera o sistema que tem mais informação do que todas suas partes separadas. Porem, como estas partes interagem entre si gerando sub-partes que também interagem, mais informações internas são geradas, as quais não são agregadas `as partes, porem são acrescentadas ao conjunto total de informações que é o sistema. Com isso, o sistema gera uma identidade própria, diferente e muito maior que a identidade de cada parte.

E’ esta identidade de sistema que controla o equilíbrio interno ( que vem da evolução do equilíbrio termodinâmico nos sistemas “não-vivos”) entre todos os seus elementos. E isto acontece em qualquer sistema natural, desde os mais simples como átomos, sistemas estelares, galácticos, vegetais, bacterianos, etc. Pois esta identidade destes sistemas simples, muitos antes da biologia aparecer, que evoluiu para cultura quando a humanidade criou sistemas sociais.

Vendo ” cultura” por esta perspectiva se entende melhor este fenômeno, pois vamos buscar suas raízes, suas causas primeiras desde o Big Bang. E assim encontramos explicação para algo que é dito no artigo mas fica difícil de engolir: que novos genes são produzidos para encaminhar ao homem cultural. Não se trata de novos genes, a função e seu mecanismo já existia disponível na nossa herança dos sistemas não-biológicos, bastava expressa-la. E também acabamos de criar outra definição para cultura: é a identidade de um sistema. Cultura também pode ser a sua mente em relacao ao seu corpo como sistema, ou ainda, cultura é uma espécie de software que permeia um sistema natural físico, o qual é o hardware. Mas tudo isso que digo é resultante da minha interpretação dos modelos teóricos da Matrix/DNA Theory e posso estar cometendo erros de interpretação.

xxxx

O paragrafo notável do artigo que revela sua tese da cultura como produto biológico é o seguinte:

”  O ser cultural do homem deve ser entendido como biológico. Há mais do que um jogo de palavras na afirmação de que o homem é naturalmente cultural, ou ainda, de que a chave para a compreensão da natureza humana está na cultura e a chave para a da cultura está na natureza humana. O homem é a um só tempo, criatura e criador da cultura. Nas palavras de Morin (1973, p. 92), “o que ocorreu no processo de hominização foi uma aptidão natural para a cultura e a aptidão cultural para desenvolver a natureza humana”. Desse modo, “desaba o antigo paradigma que opunha natureza e cultura” (p. 94). Entretanto, apesar da força do argumento, mesmo várias décadas depois, ainda não se foi muito adiante.”

A Genese, segundo a crenca academica escolar moderna, versus a Genese segundo a Matrix/DNA Theory

terça-feira, agosto 1st, 2017

xxxx

O artigo copiado abaixo e’ a mais recente e bem explicada para os leigos, sintese do que se acredita hoje no nivel dito ‘cientifico”, tenha sido as origens e desenvolvimento do universo, nosso unico mundo palpavel. Deve-se reconhecer nele o gigantesco e heroico esforco de humanos por seculos em busca do conhecimento existencial. Muitos passos desta teoria foram calculados apos observacao do que acontece aqui e agora, nas reacoes quimicas e fisicas dos laboratorios. Entao se aqui a fusao de hidrogenio produz helio, e hidrogenio deve ter sido o primeiro elemento produzido nas origens, entao conclui-se que da nebulosa de hidrogenios veio a nebulosa de helio, e assim por diante.

Eu, particularmente, e ainda na minha infancia, me senti insatisfeito acompanhando o rumo que essa teoria tomava, pensava que os metodos de deducao estavam incorretos. parecem-me demasiado reducionistas. Para um microbio dentro de um ovulo que observasse a fecundacao e os primeiros passos do desenvolvimento fetal de um humano, sua teoria seria igualmente reducionista, analisando os movimentos fisico-quimicos. Porem o responsavel por todos os movimentos seria algo invisivel, o DNA, e entao a teoria do microbio teria saido totalmente fora da razao.

Quantas coisas mais havia nas origens do universo alem das particulas efemeras, do hidrogenio? O problema deste reducionismo e’ que a teoria final induz a pensar-se num universo sem sentido, sem significado existencial, fator que e’ o mais importante para nos quando buscamos qual o significado da nossa existencia. Desconhecendo a existencia do DNA, e do universe muito maior e mais complexo alem do pequeno ovulo, ignorando o produtor de tudo aquilo, que foi uma criatura humana, o microbio veria meros movimentos que julgaria sem conexao e portanto tudo produto do acaso no mero desenrolar de forcas brutas.

O metodo de usar o que acontece aqui e agora para deduzir o que aconteceu la’ e’ logico, racional, o unico racional que temos. Mas como surgem varias ramificacoes religiosas de um unico livro porque cada grupo seleciona algumas mencoes e ignora outras, me pergunto porque a inteligencia moderna esta selecionando apenas as reacoes fisico-quimico e entre apenas o que estamos vendo, para elaborar esta teoria cosmologica do todo. E se havia elementos, principios, biologicos, neurologicos, ou ate’ mesmo mentais, incluidos nos eventos da origem? Onde estava na simplicissima nebulosa de hidrogenio inicial as forcas e elementos naturais que mais tarde produzria a biologia, a neurologia, a consciencia? Sem ver o DNA e o universo la’ fora, o microbio nem sequer pensaria nisso. Fecharia questao em torno de sua grande visao teorica e tudo isso que outros aventassem seria considerado imaginacao ou sonhos de poetas. Mas sabemos o quanto ele estaria errado. Mas nao podemos permitir que mentalidades de microbios facam as cabecas e doutrinem nossos filhos nas escolas, como esta’ infelizmente acontecendo, basta ler o artigo abaixo.

Na visao academica escolar estou vendo um enredo que imita o que acontece na Biblia quando ela se divide em velho e Novo Testamentos. No novo testamento, o Deus do velho feito homem surge e age totalmente diferente do deus no velho, para desespero dos judeus. O Messias nao foi nada do que esperavam, tendo sua visao de mundo baseada no Deus vingativo, cruel, escravagista e selecionador de alguns filhos em detrimento dos demais, todos fatores que lhes convinham. Assim, a moderna cosmovisao dita cientifica dividiu a Historia Universal em dois capitulos, a Evolucao Cosmologica, desde o Big Bang ate’ 10 bilhoes de anos de idade, e a Evolucao Biologica nos ultimos 3 a 4 bilhoes de anos. Uma nada tem a ver com a outra. Assim como os hebreus deturparam totalmente deus no velho testamento, a moderna academia deturpou totalmente o velho testamento da Historia Universal.

Eu coloquei em cheque a teoria academica e experimentei usar outros fenomenos naturais reais do aqui e agora, aplicando-os para deduzir o que aconteceu la’. Pois na evolucao biologica houve na verdade desde suas origens, a transformacao de uma especie de celula inicial em novas especies com mais complexidade e essa linhagem perdurou ate’ chegar no humano. Muitas especies paralelas surgidas e que nao levavam ao humano foram descartadas. Entao intui que tambem a nivel universal, desde um tipo inicial de sistema natural evoluiram outras formas deste sistema, cada vez mais complexas, ate chegar a celula viva inicial, e depois ao homem. E porque nao? Porque a evolucao universal teria aplicado uma regra para a cosmologica e outra diferente para a biologica?!

Mas se foi assim os atomos, as galaxias sao tao nossos ancestrais quanto o sao as bacterias e os ditos primos do macaco. E se foi assim, dentro daqueles atomos e galaxias havia uma especie de DNA dirigindo tudo como existiu sempre nos ultimos 4 bilhoes de anos.

Este foi um dentre outros motivos que me fez arregacar as mangas, ir la na natureza virgem da selva intocada ainda testemhunha dos primeiros eventos nas origens da vida, buscar esquematizar este Sistema e esmiucar tudo em busca do ancestral cosmologico do DNA. E como resultado encontrei a formula da Matrix/DNA, a qual muda muita coisa na descricao historica do artigo academic abaixo mas o mais importante, aponta na direcao de um estupendamente racional significado da existencia deste mundo e de nos mesmos dentro dele.

Vamos a ver como esta a ultima forma mais atualizada da cosmovisao escolar academica: 

A Genese, segundo a crenca academica escolar moderna

 

Trezentos mil anos após o Big-Bang a luz surgiu, em meio a uma mistura negra de gases primordiais e imersa em um oceano de matéria invisível. Centenas de milhares de anos depois, o Universo foi lentamente mergulhando em trevas, uma fase desconhecida da formação do Universo conhecida como “Idade das Trevas” que durou quase meio bilhão de anos. Então em meio às camadas de gás (hidrogênio, hélio e pequena quantidade de lítio) houve um acúmulo desses gases em nuvens difusas até que, à medida que se esfriavam, passaram a se concentrar no centro de cada nuvem em aglomerados do tamanho do nosso Sol. Atraindo cada vez mais gás circundante, cada aglomerado transformou-se em um gigante astro, cerca de 100 vezes maior que o nosso Sol, e a intensa compressão de seus núcleos desencadeou as reações de fusão nuclear do hidrogênio que deram origem às primeiras estrelas do Universo.

Com uma vida breve de cerca de alguns milhões de anos, elas se extinguiram em explosões (supernovas), lançando no Universo elementos mais pesados, como o oxigênio e o carbono, sementes de futuras estrelas e planetas. Dessa forma, 2 bilhões de anos depois do Big-Bang já tínhamos as primeiras galáxias, com seus buracos negros e quasares, e, 4 bilhões de anos depois, as estrelas em seus vários tipos: supernovas, gigantes vermelhas, gigantes azuis e anãs marrons. Estima-se que em aproximadamente 100 trilhões de anos cintilará a última estrela formada de maneira convencional e uma nova era terá início.

Existem duas maneiras possíveis para a formação dos astros. Na primeira, a nuvem de gás e pó interestelares inicia a sua contração quando o campo magnético que a percorre começa a se reduzir, em virtude de sua difusão para fora dos limites da mesma. A força magnética, assim reduzida, pode chegar a um ponto em que se torna demasiadamente débil para conseguir se opor à força da gravidade da nuvem, a qual, ao contrário, cresce com o aumento da densidade durante o colapso. A este tipo de formação estelar dá-se o nome de espontânea, em oposição ao nascimento de estrelas “induzido” por acontecimentos exteriores como, por exemplo, os ventos solares, a pressão da radiação, ou ainda, as ondas de choque.

Em resumo, o nosso Sistema Solar pode ter nascido de um disco protoplanetário, devido à ação do vento estelar ou da explosão de uma estrela maciça próxima. Ou pode ser que a herança preservada no interior dos meteoritos primitivos nos tenha sido legada por uma família inteira de estrelas maciças que terminaram a sua vida numa espécie de fogos de artifício cósmicos de supernovas. Em tais condições, não existe nenhum rastro que nos permita identificar de onde, nem como, terá surgido o Sistema Solar.

Será que novamente deixaremos ao acaso o motivo de toda essa ordenação obtida após o tumult? Não será possível que haja uma Consciência Cósmica diretora desses fatos? A palavra ordenação implica a existência de “ordem”. Ordem faz pressupor a existência de Algo ou Alguém que ordene. Algo ou Alguém ordena e a criação se faz.

Durante os seus primeiros 100 milhões de anos, o gás e a poeira que giravam no disco protoplanetário ao redor do Sol foram se aglomerando, até que há cerca de 4,6 bilhões de anos começou a história de nosso planeta. Em geral, planetas como a Terra são formados durante dezenas de milhões de anos, mas recentemente pesquisadores da Espanha, Alemanha e EUA fotografaram pela primeira vez 18 corpos celestes na constelação de Órion que parecem ser planetas “flutuantes”, pois não orbitam nenhuma estrela. Esses astros detectados teriam sido formados num curto espaço de tempo (a constelação tem “apenas” 5 milhões de anos), graças ao colapso gravitacional de partes de uma nuvem molecular, também composta por gases e poeira. Atualmente eles são bolas gigantes de gás, com massa entre 8 e 15 vezes maior que a de Júpiter. Contudo, esses “aglomerados” não ficaram grandes o suficiente para iniciarem as reações de fusão nuclear típicas de estrelas (queima de hidrogênio) ou de anãs marrons (estrelas pequenas que queimam deutério, um dos isótopos mais frágeis do hidrogênio).

Por definição, um planeta tem até 13 Mj (Massa de Júpiter), e uma anã marrom, entre 13 e 75 Mj. Acima de 75 Mj, há energia suficiente para o início da fusão nuclear, a fornalha que alimenta as estrelas e as faz emitir uma luz mais intensa. No núcleo dessas estrelas, os prótons colidem entre si e um deles se transforma em nêutron convertendo o átomo de hidrogênio em hélio e liberando um fóton. Na migração para a superfície o fóton de luz vai colidindo com os átomos de hidrogênio e hélio, gerando calor, e empurrando-os para fora contra a força gravitacional da estrela que os puxa para o centro. Estima-se que cada fóton, produzido no nosso Sol, demore 1 milhão de anos para sair dele.

 

Meu comentario postado no artigo:

Excelente artigo. Este artigo favorece a minha teoria astronomica e desfavorece a teoria astronomica academica official. Pois o artigo inteiro descreve interpretacoes teoricas, o unico fato real mencionado e’ a observacao dos 18 planetas de Orion, e a conseguente especulacao sobre suas origens. Mas este unico fato justamente se encaixa perfeitamente no meu modelo geral. Uma grande surpresa aguarda a cosmovisao academica: essas bolas de aparente gaz que formam estes que eles chamam de planetas na verdade sao os gemes de novos astros. Foram emitidos por um vortices nuclear nesta nebulosi, serao contraidos ao atravessarem espaco frio, tornando-se os nucleos ou germes de estrelas incubadas. Depois a estas bolas efervencentes contraidas serao agregadas massa entropica do espaco, quando se tornam planetas. mas continuara seu desenvolvimento, tornar-se-ao pulsares e apenas entao florescerao como estrelas supernovas. Este e’ o principio ancestral astronomico do ciclo vital, que hoje produz sistemas biologicos seguindo a mesma sequencia de formas e desenvolvimento. Qualquer curiosidade veja a teoria no meu website. Mas claro, nao sou o dono da verdade, e toerias sao teorias sujeitas a serem “debunkadas” ou consertadas e promovidas a fato real.

Um argumento para a existencia do proposito reprodutivo guiando evolucao biologica?

domingo, julho 2nd, 2017

xxxx

Extraido do debate no video no Youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ&lc=z13pjnu43knzvj2qx04cdtdgdtzovrn4u34.1499025023358620

John Pitts  John Pitts – 6 days ago

NO !! It’s not rocks. IT IS ICE !!. Water is the universal solvent. One drop of water=approx 1.5 10 to the 21 power of water molecules. When water freezes to ice ,all the impurities in the water are forced by the absolute order of the ice crystals to arrange in the most orderly pattern within the ice crystals. Now ,, think how many drops of water are in the north and south poles of the planet, and with constant thawing and freezing,, you have a cosmos of constant arrangement of molecules and compounds seeking molecular order. This is the kick starter to life.
Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – dia 02/Julho07/2017 ou 07/02/2017
Interesting, you got a point, but… What is “the absolute order of the ice crystals”? Which natural law, natural element or natural force, determinate this order?
Think about the scene of a stone throwed over the water. The last wave captures the dust that are ahead. Then, this dust is increased over the dust that is coming since the first wave. But, then, you still have dust, a little bit larger, without any functional systemic shape. In relation to life, and biological evolution, we know that the constant arrangements of new captured information from the external environment has increased complexity in the way that species are changing into new species which can express new properties, like consciousness.
I think that the scene of water waves and dust are evident events of random processes, but the scene of biological evolution are evident events that biological evolution is guided by a purpose. Do you think so? Why not?

Arvore da Evolucao dos Sistemas Biologicos: Novo Modelo Academico

domingo, março 26th, 2017

xxxx

link: https://futurism.com/lab-grown-meat-startup-may-add-thanksgiving-turkey-to-the-menu/

New Timetree Shows Life is Still Evolving at a Steady Rate

Temple University’s Center for Biodiversity director Stephen Blair Hedges, says: “We have produced a timetree of most described prokaryote species that has revealed a constant diversification rate, remarkably similar in that respect to eukaryotes and probably resulting from the same mechanism, the random nature of lineage survival over millions of years. Our results were contrary to the popular alternative model that predicts a slowing down of diversification as niches fill up with species.Tracing down the origins of species has long been a major goal in biology.”

The new tree of life constructed by the researchers. Credit: Temple University

The new tree of life constructed by the researchers. Credit: Temple University

Eras Geológicas e Historia da Evolução Biologica

quinta-feira, novembro 3rd, 2016

xxxxx

eras-geologicas-e-evolucao-biologica

The Geologic History of Earth. Note the timescales. We are currently in the Holocene, which has been warm and moist and a great time to grow human civilization. But the activity of civilization is now pushing the planet into a new epoch which scientists call the Anthropocene. Ray Troll/Troll Art

 

 

Stephen Hawking ( Filme “Teoria do Tudo”): Investigando as diferentes origens de dois Autores que Interpretam um Único Mundo Por Duas Conclusões Opostas Entre Si

sexta-feira, abril 3rd, 2015

Agora fiquei sabendo como foi a vida de Stephen Hawking, no filme A Teoria do Tudo. Somos dois adversários em termos de cosmovisões, e portanto, ideologias. Ele, Hawking,  acreditando num mundo fundamentado na Física e no Niilismo, e eu, Morelli, apostando mais num mundo regido pela Biologia e Consciencialismo. Ele vendo universos formados de apenas esqueletos  mecânicos regidos pelas fôrças da Física e do acaso contido nas probabilidades, e eu vendo tambem este esqueleto  mas apostando na  existência  de uma cobertura mole, suave como a  carne, onde o Universo será regido pelas leis vitais  da Biologia que existiriam num mundo natural e vital alem do Universo. Exatamente os opostos entre si, duas teorias sobre o Tôdo, porem duas diferentes e opostas interpretações do Tôdo. O que houve nas nossas vidas que nos levou a concluir, cada um, que o mundo é o avesso do mundo que o outro está vendo?!

Image result for Movie of Stephen Hawking

Assista o filme “A Teoria do Tudo”, para entender esta tese

Uma dica: os dois autores chegaram aos mesmos 20 anos vindos de caminhos totalmente opostos entre si, cada caminho mostrando uma diferente face das existências humanas. E após os 20 anos quando as mentes começam a terem o poder de escolherem seus caminhos futuros, Hawking passou a ver seu mundo através de um complexo sensorial eletro-mecânico conectado a um cérebro-eletro-mecânico, enquanto Louis se embrenhou solitário na selva virgem e passou a ver a Natureza nua e crua com uma maior expressão do complexo sensorial biológico conectado a um cérebro biológico. Vamos ver isso melhor…

A minha teoria sugere que existe uma dominante tendencia na biosfera terrestre para reproduzir aqui um sistema biológico que imite fielmente a máquina perfeita porem estupida que criou esta biosfera, ou seja, o sistema astronomico ao qual a Terra pertence. Se esta reprodução se efetivar por completo, os indivíduos da espécie humana serão apenas meras peças estupidas de um sistema mecânico perfeito, como já foi previsto por Huxley e Orwell. Neste momento os principais guias da Humanidade sendo usados pela maquina celeste são os humanos sem atividade natural física sentados na frente  de computadores – como o mais vendido autor Lawrence Krauss com seu “O Tudo veio do Nada” – mas o principal inocente útil a serviço da máquina celeste seria mesmo o homem que perdeu seu complexo sensorial próprio e está sendo informado sobre o mundo pelo que capta o mecânico complexo sensorial de um cérebro eletro-mecânico: Stephen Hawking.

Mas  neste processo reprodutivo de 3,5 bilhões que denominam de abiogênese mais evolução Darwiniana enquanto eu chamo de embriogenese astronomica sob evolução cosmológica, a maquina celeste e nossa ancestral equivocada que cometeu o maior pecado evolucionista ao escolher ser um sistema fechado em si mesmo – extrema expressão do gene egoísta –  e por isso caiu na Terra gerando aqui o caos e dele tentando se re-erguer com nova matéria, teve uma desagradável surpresa com a qual não contava. Quando ela terminou sua maquina biológica mais perfeita possível – o gorila – e ia fechar o cêrco com os elementos vivos numa unica maquina terrestre, este foi interrompido e descartado do tronco da arvore da evolução tornando-se um mero galho que seca e se extingue, dando lugar ao menor chimpanzé que sofreu uma brusca mutação no seu cérebro e passou a captar e assimilar informações que sempre estiveram livres em todo espaço interior do Universo, vindas do alem desta galaxia – informações sobre auto-consciência. A qual estava totalmente inoperante na nossa ancestral celeste e por isso foi naturalmente, pelas leis físicas e biológicas, expulsa do  paraíso universal. E a evolução descartou o caminho do gorila e tomou o caminho rumo ao homem consciente.

Mesmo assim a força natural reprodutiva do sistema celeste que nos criou e nos envolve por todos os lados, que tem modelado o ambiente terrestre e está encriptado em nosso DNA, é ainda muito forte e o homem ainda se encontra dominado pelos instintos animalescos que cem desta ancestral, por isso a ameaça da peça super feliz na Terra mas totalmente estupida pela interrupção da evolução da auto-consciência existe e avança através de inocentes uteis como o pobre e vitimado Stephen Hawking. Mas tambem a força que vem do Universo alem da galaxia não se deixa vencer facilmente e continua a bombardear o cérebro humano tentando se instalar cada vez mais, e por isso surgem cérebros descobrindo detalhes da Natureza que aos poucos estão revelando a verdadeira História Natural Universal e o significado da nossa existência aqui: genes conscientes construindo um bebe consciente no qual todos subiremos à sua cabeça e seremos um só corpo, o filho daquilo ou daquele sistema natural consciente que deflagrou o Big Bang como nossos pai e mãe carnais deflagraram o big bang de um espermatozóide no centro de um óvulo para nos gerar.

A Teoria da Matrix/DNA sugere uma nova visão do mundo revolucionaria, que desmascara nossos ancestrais celestes que caíram numa armadilha para evitar que caiamos novamente nela, e abre ainda mais as portas do cérebro humano para a acessibilidade ao agente cósmico. Se tudo isto tiver algo de verdade, alguns outros indivíduos teriam que existir para contrapor a força de Hawking, Krauss, e toda comunidade doutrinada nas universidades cujo curriculum é escrito por eles,  contrapondo à ateísta teoria dos buracos negros a agnóstica teoria da Matrix/DNA, que mantem uma porta aberta para a possível existência de divindades naturais ex-machine . Assim como a Humanidade, na sua infância intelectual, como toda criança recém-nascida precisa de fantasias para interpretar as coisas sem explicações que rodeiam seus berços, e de amigos imaginários  com quem conversar sua linguagem que só elas entendem, inventaram as religiões povoadas de fantasmas mágicos e a eles se opuseram os que amadureciam e se uniam em torno do novo iluminismo.

Mas vamos ver como surgiram este dois indivíduos em posições extremas opostas e como se dá esta luta gigantesca entre fôrças que disputam a alma humana. Se isto for verdade, a Teoria da Matrix/DNA é justamente o que precisamos para igualmente tornar o nosso planeta um sistema produtivo automático, mas ajardinado e com total liberdade da mente humana para continuar sua evolução livre e na sua aventura de voar para conhecer os horizontes mais amplos do espaço sideral.

O  estado do ser e o berço no nascimento totalmente diferentes foram determinantes como experiencias de  vida formadoras de personalidades destes dois autores. Hawking e Morelli nasceram na mesma década. Hawking nasceu num dos lugares  mais ricos do mundo, na matriz de um império; Morelli nasceu num dos lugares mais pobres do mundo, num local inexpressivo de uma colonia. Stephen Hawking nasceu em boa casa e bem estruturada família, Louis Morelli nasceu sem casa e numa família que iria se desintegrar em 3 anos jogando-o na rua. E quanto  ao estado do ser? Os dois nasceram com saúde, mas Stephen foi bem cuidado, protegido e nutrido, como ovos dos mamíferos mantido dentro até a maioridade, enquanto Louis nasceu sem cuidados e desnutrido, ficando débil e doente logo na infância, como os ovos dos répteis botados fora e abandonados à própria sorte. Stephen nasceu determinado a ser predador, patrão, Louis determinado a ser presa, a escolher entre ser escravo ou marginal bandido. Hawking cresceu logo optando pelo ateísmo, a descrença na existência de Deus, e assim permanece até hoje; Louis nasceu numa colonia exclusivamente cristã, começando avida acreditando na existência de Deus, e um Deus no estilo propagado pela Bíblia, mas foi perdendo essa crença e hoje tambem não acredita no Deus propagado pela Bíblia, porem não chegando a ser ateu, e sim, agnóstico: não sei a base fundamental de tudo, a primeira causa – se é que  existe alguma, mas enxerguei para alem das fronteiras deste Universo, e tudo o que vejo é puro naturalismo. Porem, intercalado com uma consciência extra-universal. Porque vejo uma consciência surgir no cérebro do embrião aos 6 ou 8 meses, a qual sei que não foi inventada por aquele bebê, mas sim que já existia antes do pequeno universo do embrião na espécie de onde ele veio, assim calculo que em tempos astronômicos estes 8 meses correspondem a 13,7 bilhões de anos, que esta consciência surgindo agora e aqui não foi inventada aqui, portanto deve ter existido antes das origens deste nosso universo. E quando calculo a teoria do mundo inserindo esta história, a História Total se torna mais compreensível e racional.

Mas os dois tinham um interessante fator comum: uma suprema  dedicação à busca do conhecimento visando explicar a existência do mundo e neste, as suas próprias existências como humanos. Como vieram de caminhos muito diferentes entre si, experimentando eventos de vida totalmente opostos entre si, terminaram por chegarem à duas explicações totalmente opostas entre si.

Hawking obteve a melhor educação intelectual padrão no século XX, frequentou uma  das primeiras universidades do mundo, Cambridge. Louis obteve uma educação primária e adolescente de colonia intelectualmente condicionada e não  conseguiu prosseguir os estudos que sua exigência intelectual desejava, entrando apenas mais tarde a duras penas e por conta própria num curso indesejado e numa universidade fraca de terceiro mundo,… mas adquiriu um conhecimento amplo em todas as disciplinas pelo método voluntario e solitário do autodidatismo. Hawking conheceu a visão de  mundo do século XX centrada no método cientifico e especificamente na Física, a aceitou, apenas crendo que  estava incompleta e ele poderia completa-la  buscando a Teoria do Tudo; Louis conheceu as visões de mundo de todas as culturas humanas pelo estudo centrado na Filosofia e uma visão ampla mas dispersa da visão de mundo do século XX, de todas as disciplinas do método cientifico. Não aceitou nenhuma como não aceitou sua própria vida.

Hawking se tornou normalmente um macho ativo sexual, e dentro do seu sistema social imperial mais os atrativos físicos e financeiro que ele significava para as meninas, determinado a ter namoradas, ser casado e pai de alguns filhos. Louis se tornou anormalmente um macho não ativo sexual, e dentro do sistema social colonizado mais a falta de atrativos fisico e financeiro que ele significava para as meninas, a não ter namoradas. Uma guinada devido ao seu esforço obreiro na sua vida aos 21 anos lhe levantou para posições profissionais de classe média, o que suscitou algum interesse de algumas meninas da classe baixa, mas por sua escolha moral, fez questão de manter sua disciplina de abstenção sexual e celibatário, para evitar filhos, que seriam “carne fresca produzida pelo seu próprio sangue para alimentar a carnificina do regime de escravidão”. Portanto, para Hawking, o elemento feminino, a visão da vida pelo lado feminino contribuiu desde a infância, na forma da mãe, das irmãs e namoradas, na busca da explicação do mundo; para Louis, não existiu a menor influencia feminina, e como ele rejeitou todas as influencias masculinas e suas visões, o fator do pensamento humano não influiu na sua busca pela explicação do mundo.

Tudo exatamente ao contrário até os 20 anos de idade dos dois. Hawking teve iniciada e desenvolvida sua história intelectual sob o ponto influente da Física. O Universo teria surgido sem aspecto material significante perto das quatro fôrças fundamentais que a tudo foi criando e desenvolvendo: as fôrças atômicas nucleares forte e fraca, a fôrça eletromagnética e a fôrça gravitacional. Existiriam ainda várias outras fôrças menores, como a de fricção, repulsão, etc., mas estas tinham importância menor pois seriam derivadas das quatro fundamentais. A origem destas fôrças seriam explicadas que, por acaso, surgiram diferentes partículas, e cada uma das quatro fôrças tinham sua partícula especifica. Para completar o conhecimento total do Universo só faltava explicar a presença da substancia da matéria, a massa, por isso logo fizeram uma teoria de que tambem esta teria que ter sua partícula especifica, o bóson de Higgs. Quando no CERN encontraram uma nova partícula que preenchia alguns dos requisitos principais requeridos pela teoria, a visão  do mundo  partilhada por Hawking se estabeleceu em seu cérebro como a Verdade Ultima. Para finalizar e sacramentar essa Verdade falta apenas encontrar a equação matemática que une o alfa ao Ômega e definirá a Teoria do Tudo. Onde o Tudo começou do Nada. Por seu lado, Louis acompanha essa história e desenvolvimento dessa visão do mundo de Hawking, respeita-a porque não tem fatos reais para desaprova-la, assim como não tem fatos reais para desaprovar a existência de Deus, mas continua rejeitando-a, e buscando outra explicação que lhe soe mais racional e naturalista.

Louis, na sua formação intelectual auto-didática, deu mais importância ao conhecimento das origens e evolução do conhecimento e pensamento humano que ao conhecimento dos fenômenos naturais, pois até sua adolescência ainda influenciada pelo dominado meio-ambiente religioso cristão, teria sido um pensamento divino o criador dos fenômenos naturais, estes seriam meras derivações daquele, e o pensamento divino se conheceria pelo pensamento humano, por este ser filho daquele. Teve sua infância centrada na busca do conhecimento da evolução das correntes culturais, como a Filosofia, no estilo “próximo filósofo por favor”, em cuja lista entravam os céticos como Sócrates, Platão, Kant, Comté, Nietzche, etc e etc., e das correntes religiosas, começando a 5.ooo anos atrás com o hebraico Schimeon ben Jochai que deu origem às correntes esotéricas e teosóficas, e seguindo com, Buda, Confucio, Moisés, Jesus Cristo, etc. e etc.  Mas a árdua luta pela  sobrevivência material fez sua atenção ir cedendo mais espaço aos fenômenos naturais e distanciando-se das abstrações filosóficas e religiosas. A oportunidade para obter esse conhecimento naturalista através dos dados que haviam sido coletados pelo método cientifico estava nos livros universitários de cada disciplina, disponíveis nas bibliotecas universitárias e depois na Internet, os quais ele buscou ler com ganancia e ambição: era o único  caminho disponível para chegar à explicação do  tudo. Mas essa busca tinha que começar pela matéria natural que se tinha imediatamente às mãos, que era a vida biológica e os elementos deste planeta. Assim sua busca começou justamente pelo caminho reverso de Hawking: aquele lidava com o distante Cosmos para chegar a explicar o aqui e agora, Louis partia do aqui e agora para chegar a explicar o distante cosmos. Um trilhou o caminho da Biologia Física e o outro o da Física Biológica. Ou seja: num a Biologia seria produto casuístico na evolução do mundo regido pela Física, e no outro a Física seria produto de um sistema biológico universal que teria gerado a Fisica como esqueleto para se auto afirmar como Biologia… assim como humanos se reproduzem em carne gerando outros esqueletos revestidos de carne.

Aos 21 anos uma surpreendente tragédia se abateu sobre Hawking: uma doença torturante e incurável, uma sentença de morte para dentro dos próximos 2 anos. A doença paralizava o corpo de Hawking, cortando os elos entre o sistema nervoso e os musculos. Enquanto isso a tecnologia lutava para desenvolver a informatica e a robótica e cada vez mais o cérebro de Hawking era ligado a um computador para operar seus musculos. Foi o maior teste de interação entre um cérebro biológico e um cérebro eletro-mecânico. Enquanto Hawking ia perdendo cada um dos seus sentidos de percepção do mundo real, a robótica ia fornecendo cada vez mais tentáculos e medidores, sensores do mundo externo ao cérebro eletro-mecânico. Chegava-se ao ponto de instalar um cérebro mecânico numa espaçonave dotada de todos os tipos de sensores e medidores para explorar no macro-cosmo, o espaço sideral, e no micro-cosmo, as mais intimas partículas das moléculas no corpo humano. O çerebro de hawking, sem sensores próprios, usava um cérebro eletro mecânico dotado de sensores mecanicos para colher informações do mundo externo, principalmente do macro e micro-cosmos.

Mas… No inicio dessa interação, o cérebro de Hawking comandava plenamente o cérebro eletro-mecanico, pois o cérebro biológico possuia as informações que as inseria no estupido cérebro mecanico, para que este executasse as tarefas requeridas pelo cérebro biológico. Assim o cérebro biológico saía orientado pelo biológico a captar informações e trazê-las de bandeija ao cérebro biológico. Hawking e os seus inclusive diminuíram seus esforços em calcular previsões e possíveis resultados em cima dos dados que obtinham pois as simulações computacionais levadas a efeito pelo cérebro mecânico eram mais eficientes. Tambem os jovens modernos estão desaprendendo o calculo das contas simples pois todos tem uma maquininha para fazer o estafante esforço intelectual. Todos os dias havia uma avalancha de novas imagens e dados dos corpos e sistemas do espaço sideral captados pelo computador em gigantescos olhos do espaço como o Hubble e estas informações chegavam ao cérebro de Hawking, que por estar ali preso na frente da tela tinha mais tempo que qualquer outro humano para acompanhar e refletir no que estava sendo obtido.

Mas… enquanto o complexo sensorial do cérebro biológico é biológico, o do cérebro mecânico é mecânico. Os dois podem captar muitos dados do mundo externo em comum, porem sempre vai haver uma tendencia na seleção destes dados. O biológico capta, sente, seleciona mais os aspectos da vida e biologia do mundo externo, enquanto o mecânico capta mais os aspectos frios da Física destes objetos no mundo externo. Louis na selva virgem pululante de vida a sentia com a plena potencialidade de seu complexo sensorial biológico cada vez mais se distanciando da visão de mundo e conhecimento do caminho que trilhava Hawking. O fluxo de sangue correndo dentro do corpo humano era visto e interpretado pelo computador semelhante ao fluxo da água num rio da Terra, e apenas isto; mas para Louis aquele sangue tinha uma infinidade de propriedades biológicos que tornava a substancia corrente mais importante que a mecânica do circular dos fluidos que captava a total atenção e capacidades do cérebro mecânico e seus sensores. Enquanto o cérebro mecânico detalhava com precisão fantástica as diferentes frequências das ondas de luz emitidas por uma estrela, Louis observada uma planta recebendo a luz de uma estrela adquirindo a força vital, e fazendo a fotossíntese, etc, e se perguntava quais informações estariam vindo naquela luz.

Começou a ocorrer um processo de feed-back, de retro-alimentação, entre o çerebro eletro-mecanico e o cérebro de Haking, sem que o pobre Hawking pudesse percebê-lo. No inicio o computador obedecia e era dirigido pelos humanos, que possuiam todas as informações do mundo e dirigia o computador a buscar mais informações baseado no tipo de programas que nele inseriam. Quando na primeira viagem o computador voltou trouxe informações do mundo micro e macro cósmico invisivel ao olho do homem e este, orgulhoso, aceitou esyas informações e as utilizou para reprogramar o computador em nova busca de mais mais informçõea. isto foi repetido duas, tres cinco vezes… porem… agora havia uma situação que os homens não perceberam: os novos programas inseridos já não mais continham as primitivas informações humans das primeiras viagens, agora eram baseados num cabedal de novas informações coletadas e fornecidas pelo cérebro mecanico com seus sensores mecanicos. Sem o perceverem, a maquina estava dirigindo o homem, tinha-o já agarrado em sua rede. O ancestral sistema pairando no céu descrito pela mecanica Newtoniana sorriu satisfeito,pois assim seu baby terrestre estava no bom caminho para reproduzi-lo fielmente, como boa e perfeita maquina. E assim a maquina contou ao homem a História do Universo, mas na sua versão mecanica:

– se o cérebro mecânico veio de uma história da maquina que começou com a primeira explosão na maquina a vapor, o Universo começou tambem à sua imagem e semelhança, com uma grande explosão: o Big Bang. O velho Lamaitre foi guindado ao trono outra vez. De nada adiantaria Louis gritar lá da selva que tambem o primeiro instante de um corpo humano acontece pela explosão de um espermatozóide, portanto a história do Universo era vital, biologia, um processo genético. Não, o cérebro mecânico já dominava os homens em Londres e afirmava que era tudo mero processo mecânico. “Levem biólogos  com seus cérebros humanos nas naves, ponham astronautas para sentirem e verem o mundo com os sensores dos homens…” – gritou desesperado Louis quando numa viagem à civilização adquiriu o livro de Hawking, “Uma breve História do Tempo”, mas Hawking responderia que ele tinha a inteligencia débil dos seus correligionários macacos pois o Universo era campo exclusivo da Física.

– se o propósito da vida de uma máquina ( glup… quero dizer… da existência de uma maquina) é triturar a massa que recebe numa engrenagem eterna de vai-e-vem, o Universo tambem teria que ser explicado como uma infinita repetição entre Big Bangs e Big Crunches que geraria os novos microscópicos átomos que explodiriam em novos Big bangs… e assim seria tambem sem sentido a vida do homem dentro deste Universo. Mas isto satisfazia a essência existencial do cérebro eletro-mecânico ( triturar informações gerando big data e depois sintetizando tudo numa formula para reiniciar o mesmo ciclo numa estupidez eterna), uma história à sua imagem e semelhança. De nada adiantaria Louis gritar da selva que os humanos tambem se auto-reciclam porem a cada nova reciclagem a espécie dá um salto evolutivo e portanto nunca existe o eterno retorno ao ciclo anterior… e se o humano faz isto é porque o Universo que o criou tambem deve fazê-lo… ora Louis era o resquício do velho poeta e romântico que não existia mais nos centros urbanos… pois no domínio o cérebro eletro-mecânico não reconhecia nada de poético e emocional no mundo porque sensores mecânicos dizem que isto não existe.  E Hawking, claro, aprovava tudo o que o seu atual cérebro de fato contava do mundo invisível externo. Algumas brechas na teoria do Universo que o cérebro eletro mecânico ainda não tinha resolvido foram fechadas com o cérebro de Hawking intervindo pela ultima vez com a criação imaginosa de fantasmagóricos buracos negros canibais triturando galaxias inteiras numa perfeita moda-fashion de um mundo dirigido pelas regras mecânicas.

O mundo da nata da inteligencia humana ocupando as cadeiras professorais das escolas modernas que antes eram ocupadas pelas igrejas e suas religiões estão vendo a História Natural do Universo pela perspectiva e preferencia do cérebro-eletro-mecânico, o qual obviamente puxa a brasa para sua sardinha e afirma que a sua história real na terra representa a História Total, que ele é a imagem e semelhança da criação. Mas o cérebro-eletro-mecânico ainda não consegue alcançar os cérebros biológicos na floresta e ali surge e se mantem os rebeldes do atual império,  teimando em afirmar que não, que o cérebro biológico é a imagem e semelhança da criação e a História Total é espelhada na sua história genética natural.  Qual vai ser o destino desta Humanidade?!

( continuar este artigo)  

Evolução Cosmológica Recapitulada na Biológica: Mary Schweitzer’s 69 myo T. rex bones

quinta-feira, novembro 15th, 2012

A Teoria da Matrix/DNA terá que enfrentar a arraigada cosmovisão/doutrina que se apossou do sistema acadêmico global. Ela parece vir do que se chama “secularismo”. Isto está definido e bem explicado seus efeitos no primeiro post abaixo do Alan Clarke. Mas adicionalmente, o debate copiado abaixo trouxe mais um grande material para pesquisa. O esqueleto biológico deve ser uma cópia da Matrix na sua forma como LUCA, portanto falta fazer um desenho mostrando isso. Ao mesmo tempo, a informação neste debate a respeito da existencia de soft tissues and biomolecules no meio dos ossos me leva á intuição de estar vendo a evolução biológica recapitulando a cosmológica, ou ainda mais, que os eventos da cosmológica ficarem registrados aqui, nesta biológica arquitetura. Preciso estudar isso. para tanto buscar as informações sugeridas no debate. O que foi ” Mary Schweitzer’s supposed 69 myo T. rex bones”? Pesquisar isso. Ver abaixo minha resposta no debate.

SECULAR RELIGION — “ideas, theories or philosophies which involve no spiritual component yet possess qualities similar to those of a religion. Such qualities include DOGMA, a system of indoctrination…designated enemies… The secular religion [fills] a role which would be satisfied by a church or another religious authority.” – Wikipedia (emphasis mine)

DOGMA EXAMPLES:

@XGralgrathor “There is only one scientific theory”

@jjukil “there is only the one theory, and no competing explanations”

Alan Clarke in reply to XGralgrathor (Show the comment) 1 week ago

how nice you cut out the middle portion. but like we keep saying by all means. jjukil say there is the one theory and no competing explanations. but there COULD be. please provide evidence for one!

tsub0dai in reply to Alan Clarke 1 week ago

@tsub0dai “please provide evidence for one!”

My evidence is the same as yours. We differ only in our interpretations of the evidence. Evolutionists tried to interpret stretchy transparent blood vessels in Mary Schweitzer’s supposed 69 myo T. rex bones whose contents could be “squeezed out” to be biofilm. When that interpretation fell apart, they changed their interpretation to exceptional preservation of original tissues by raising the preservation limit from thousands of years to millions.

Alan Clarke in reply to tsub0dai 1 week ago

Mary Schweitzer never even claimed to have found unfossilised tissue. You are simply wrong. What she claimed to have found were ‘fragments of mineralised collagen’ and the impressions left by the soft tissue. At no point was the dating of 65 million years ever even in question by the actual reseaqrchers involved in that discovery.

parsivalshorse in reply to Alan Clarke 1 week ago

“…recent studies have suggested that primary soft tissues and biomolecules are more commonly preserved within preserved bones than had been presumed. Some of these claims have been challenged, [arguing that the tissues]… are microbial artifacts [biofilm], not primary soft tissues. … extracts from a specimen of Brachylophosaurus canadensis has shown the interpretation of preserved organic remains as microbial biofilm to be highly unlikely.” – Peterson et al.

Alan Clarke in reply to parsivalshorse 1 minute ago

This is more one strong evidence for cosmological evolution. The biological vertebrate skeleton is just a copy of the sky made with bones. That’s explained by Haeckel theory that “phylogeny recapitulates ontogeny” amplified to cosmological level. The head is the “black hole at the nucleus of a galaxy”, the throat is the systemic circuit, the vertebral column is the espiral, etc. Primary soft tissues and biomolecules were made by genes referring to minutes after Big Bang,so, the “microbial”

TheMatrixDNA in reply to Alan Clarke (Show the comment) 1 second ago