Posts Tagged ‘Brazil’

Boa Leitura Para a Juventude Brasileira ser Diferente dos Pais e Finalmente Aparecer na Humanidade

terça-feira, junho 19th, 2012

É uma das raríssimas excessões, uma brasileira jovem que não tenha o cérebro atrofiado e preguiçoso por ter eleito o fenômeno sexual animalesco como prioridade em seus pensamentos. Bel Pesce aos 19 anos liderava equipes de especialistas no desenvolvimento de projetos na gigante e sofisticada Mucrosoft, tinha um diploma do MIT e versada em várias áreas das Ciências e das Tecnologias! Mas como golpe fatal no nosso deslumbramento, vem a informação que a jovem nasceu no Brazil!!!

Caí da cadeira e enquanto arrumo os fios de teclado e monitor que arrastei para cima de mim vou dando uma olhada no seu website. Ela publicou um e-book com dicas e regras de disciplina para quem procura ter iniciativa de criar mais uma unidade capitalista e ficar burgu6es rico, para ser baixado gratuítamente! Em português! Sabendo-se que a secção de português da Wikipedia é uma das mais pobres do mundo, os ítens são escandalosamente curtos quando comparados com a secção em Inglês, e que os autores da Wikipedia são voluntários que não recebem dinheiro pelo trabalho, essa realidade constatada mostra que no Brazil e Portugal não existem universitários, professores, profissionais, dispostos a conceder nada gratuítamente para uma Grande Causa da Humanidade. E agora aparece um livro distribuído gratuítamente porque a autora se viu muito procurada devido seu conhecido suscesso, por brasileiros pedindo dicas, e na impossibilidade de responder a todos, decidiu botar tudo num livro e deixar à disposição de quem a procurar!

Outra coisa impressionante é que o tema do livro é sôbre uma qualidade humana que no Brazil nem existia a dez anos atrás porque a cultura brasileira e a educação da familia brasileira orienta as crianças contra essa qualidade: a de ser criativo por estudar a fundo a situação mercadológica atual, ter a disposição de servir pessoas humildemente – no caso, a clientes – e ter a vontade de procurar uma solução para resolver algum problema atual dos outros. Eu passei 20 anos, nas décadas de 70 e 80, procurando essa qualidade em alguém no Brazil e não encontrei um só… No entanto essa qualidade abunda, prolifera, impregna o ar que se respira, nos Estados Unidos, e por isso a 100 anos todos os dias são patenteados novas descobertas pelos americanos, algumas por outros povos e do Brazil… não existe nessa área.

A autora está mal encaminhada na Vida, segundo a minha visão de mundo, porem, é claro, ela estaria certa segundo a cosmovisão de muitos. Na minha visão, ela entrou num sistema, numa máquina, denominado capitalismo selvagem, que se rege por regras copiadas do reino selvagem animal, contra o destino do reino mental, mas ela entrou por não conhecer um maior horizonte a mais longo prazo da realidade natural. Porem, dotada de nascimento pelas boas intenções, ela se entrega de corpo e alma para aprimorar essa máquina defeituosa e sem futuro, e fazer êste sistema crescer, entendendo que assim estará de bem com os humanos  e com Deus. Em relação a mim ela é uma predadora parasita pois enquanto estou carregando pedras para construir os edificios que ela habita e enquanto estou estragando os tendões dos dedos por ter que agarrar com fôrça até 12 horas num dia os cabos de uma enxada e produzir os alimentos que ela está comendo no Vale dos Silicios, ela nunca desce do seu pedestal para fazer a massa e instalar um tijolo de suas casas e nem para pegar na enxada e produzir um quilo do que consome.  E alem disso está atuando para fortalecer as fôrças opressoras. Ela não está nem aí para o fato que Steve Jobs pagava uma quadrilha de predadores na China que escravizam o povo chinés e assim receber os sujos aparelhos de IPAD. Não, ela ainda diz que Jobs para ela é digno de admiração: era uma emergente grande mente humana, mas que por alienação ou ambição foi uma fôrça contrária ao propósito da Evolução Natural, que é o de libertar todos os cérebros humanos para que aprendam sôbre a Natureza e transformem a Natureza no seu aspecto material em imagens e informações abstratas que vão compor a evolução da substância abstrata que está se organizando nêste novo sistema natural que é denominado “auto-consciência”.  Podem dizer que a minha cosmovisão está errada e estou errado em ter essa imagem da autora, mas nada podem, com nenhum de seus argumentos e justificativas, contra a realidade dêstes fatos, e claro, denuncio, grito, porque estou em guerra pela minha liberdade. Mas tangencialmente, casualmente, tocando de leve numa das arestas da Grande Causa, e insconscientemente, a autora produz algo util à Grande Causa: incentiva e estimula na juventude brasileira a atitude da iniciativa empreendedora, indo contra a cultura religiosa e elitista perniciosa que ainda domina a mentalidade brasileira. Êsse estímulo deveria ser no sentido de orientar a juventude brasileira a prestar atenção nos fenomenos e eventos naturais para aí descobrir mecanismos e processos , os quais, dirigidos pela capacidade de iniciativa, serem transformados em produtos cientificos tecnológicos uteis à Humanidade.  Mas esperar isso seria perder tempo e então se aproveita o lado bom de seu projeto. Apenas por isso entendo que é meu dever moral entrar no trabalho da autora para tentar inserir minha quase insignificante fôrça livre no reforçamento do estimulo que ela lançou divulgando aqui e incentivando sua leitura.

O website, onde tem um vídeo e o link para download do livro é:

http://ameninadovale.com/

O resto é contigo.

Como e Porque as Religiões Cristãs Prejudicam o Brazil

sexta-feira, março 18th, 2011

Enquanto eu viví no Brazil comí o pão que o diabo amassou e tive minha vida perdida, inutilizada, portanto, êsse desabafo é o efeito inevitável. Se a terra era rica qual era a fôrça negativa, causa da minha maldição? O povo, as pessoas que ali habitavam. E quando saí do Brazil comecei a perceber os tipos de comportamentos que foram meus algozes e inimigos, naquêle povo. Dôa a quem doer, contra fatos não há argumentos: ninguém vai me devolver a vida perdida com as teorias em que acredita. Aquilo para mim está tudo errado e como ainda sou tambem um brasileiro, cujos antepassados trabalharam na construção da nação, tenho o direito de lutar para que as causas que produzem milhões de desafortunados como fui, sejam eliminadas. E êsse artigo foi inspirado numa frase que acabei de ler:

” A “master” can only be a master, if the slave acts, thinks or believes he is a “slave”.

Um “grandão” sómente pode ser o “patrão” se o escravo atua, pensa ou acredita que é escravo”. E a maioria da população brasileira tem um complexo de inferioridade que foi impôsto por desumanos com uma cruel e equivocada visão do mundo. Começa-se a condicionar uma criança a ser escrava passiva se a fizer acreditar que existe um “Senhor” sobrenatural e que êsse “senhor” o quer como “Seu” servo. Eu daria um murro na cara de tal Deus se me aparecesse na frente me dizendo que quer isso! Estudante desejoso de aprender e grato ao professor é uma coisa, servo é outra muito diferente! Sócio, sim, vamos até o inferno para fazer algo junto, mas empregado… nunca! Fazer sacrifícios na vida para receber recompensa no céu, só se me levar no céu e eu ver com meus olhos. Empatar, fazer trocas justas, sim, mas só perder, nunca! Êste é meu código moral: bom respeitador dos ensinamentos e leis que aprendí e as aprovei; trabalhador no pesado repartindo as agruras da vida com todos em igualdade; ao invés de masoquismo aqui, ao invés de sugerir aos outros que sofram na vida, aconselho que usem e usufrutem dos seus direitos até onde começa o espaço dos outros.Igualdade ou Morte, aqui e agora! 

A resposta que mais me irrita quando puxo conversa com pessoas comuns do Brazil é…

 “O mundo está feito assim, Deus quis assim, o que vamos fazer?”

“Êles são ricos, tem dinheiro, podem tudo. O que vamos fazer?”

Ora! E quem fêz, quem faz as coisas do mundo com o qual os humanos se relacionam aqui e agora? Quem faz as sociedades, o carro tocado a petróleo e não o carro elétrico, a terra dividida em fazendas ou favelas, os parasitas simbolos sexuais da tv, etc. e etc., senão o ser humano, como você? Por acaso foram os macacos?… Espíritos?… As girafas?… Jesus Cristo?! 

Quem agora está dominando êste planeta? Os mosquitos? O oxigênio? As cadeiras? Ou você, sua espécie, humano?! Quando você responde assim, pensando assim, pensando assim eu pergunto: “quando foi, o que aconteceu, quando você deixou de ser um humano? E como pode ter isso acontecido, se você continua com a forma de humano?! Porque você cedeu seu lugar de dominante do planeta para outro igualzinho a você?! Como podes confiar que outro vai saber tudo o que é melhor para sua vida, de seus filhos, de sua cidade, do que você mesmo?! Quando entrou na sua cabeça que você vai ter sua parte no bolo se as decisões sôbre o bolo forem tomadas por um ou meia duzia representando você, quando a unica forma inteligivel de lidar com decisões é através da eleicão de cada um em assembléias nos finais de semana? Se seus pais e avós dormiram no ponto e deixaram monstros crescerem dessa maneira, quando você vai acordar em seu nome, em nome de seus filhos, dos amigos de quem gostas e começar a chamar todos os escravos para confabular nos domingos mesmo que seja aproveitando os prédios que você construiu como igrejas, para traçarem estratégias de ir cortando as cabeças dos monstros?!

Certa vez eu era um dos líderes na revolta de Serra Pelada contra o roubo da mina dos garimpeiros e a intenção dêles de entrega-la aos “grandões”. Era três horas da madrugada, tínhamos cercado tôda a região do sul do Pará, sul do Maranhão, norte de Goiás, a Belém-Brasília, e três mil homens armados com picaretas rodavam a noite tôda vigiando a vila. De repente no rádio amador entrou uma voz dizendo ser de Brasília e ameaçando que se não saíssemos da Serra até o amanhecer iam mandar cinco aviões Buffalos carregados de paraquedistas que iriam descer metralhando quem ficasse. O sangue subiu-me à cabeça na hora, mas como sempre conseguí me controlar e ser diplomatico. Peguei o microfone e respondí:

– “Olha, seja quem está falando aí, eu tenho a dizer que construí uma casinha simples ao lado da mina, cerquei um terreninho de meio-metro à volta de maneira que resta terra prá todo mundo que quizer fazer seu barraquinho e vir trabalhar aqui. Devido sua ameaça estou correndo prá minha casinha agora pegar minhas carabinas e encher de bala enquanto estiver vivo qualquer passaro de ferro que passar aqui e todo fp mercenário que vier caindo do céu na direção da minha casa. Entendido?! Estamos aqui à espera!”

Êles apareceram? Nunca. Mas ali, com índios, a maioria nativos da Amazônia, 50.000 dêles, foi a unica vez no Brazil que conseguí reunir pessoas para uma causa social.    

 Com brasileiros não se consegue fazer nenhum tipo de sociedade para coisa alguma útil, social. É o povo mais egoísta que já vi nas minhas andanças pelo mundo. É incrível a apatia do povo brasileiro. Cada um é um bloco fechado em si mesmo cujo centro do mundo é o seu próprio umbigo. Agora espremo os miolos me perguntando: “Qual a causa disto? Como isto começou?”

Bem primeiro foi a colonização portuguesa e a raça que aqui existia, de aborígenes. Todo mundo que conhece e sabe como se comportam ainda hoje a maioria dos portugueses (com raras excessões, como conheço alguns), os portugueses são demasiado burgueses, querem ser ricos porque adoram a luxuria, e talvez por isso, não querem trabalhar no pesado, odeiam quando tem que o fazer e ficam furiosos no trabalho. Eu discordo no tocante a ser burguês, mas quanto a não apreciar o trabalho rotineiro pesado, concordo plenamente. Acho que a grande massa de povos que passam a vida nisso sem mostrarem revolta e ainda quando perguntados dizem que “está tudo bem, graças a Deus…”, não possuem intelecto, são zumbís, mortos-vivos. Como a terra virgem do Brazil era sofrível para europeu, êles vieram para saquear e levar para viver a boa vida na Europa. Portanto nunca foi iniciada no Brazil uma educação voltada para o entendimento do que é uma nação, para a dedicação a uma pátria. Podes reparar que todo brasileiro, principalmente os imigrantes trabalhando duro no exterior quando falam a palavra Brazil seus olhos iluminam “Não há país como o Brazil!”dizem. Mas não se iluda, quando êle pensa no que está por trás dessa palavra ele não está pensando em pessoas, em sociedade brasileira, mas apenas sua mente está revendo a paisagem geográfica, o clima, e as coisas que lhe ocupam a mente criadas para reinar s6obre escravos: futebol, novela, carnaval, as modêlos poposudas ou os “gatos” lindos e romanticos cantantes namoradinhos do Brazil. 

O outro denominador comum que foi a segunda causa são as religiões cristãs que foram enfiadas à fôrça, goela abaixo pelos emissários europeus para angariarem fundos para a Europa incutindo o mêdo e a submissão. O Brazil é notadamente uma nação católica, mas hoje assiste-se a praga do evangelismo se dividindo em posições mais ferventes e radicais.

Jamais vou entender como um brasileiro se deixa influenciar por religiões, mitologias importadas. A Biblia é um livro da história do povo judeu, nada tem a ver com a história do Brazil, nem mesmo das Américas! Foi escrita ainda na época que em todos os países era moda os contos com fantasias mitológicas. mas os brsileiros não se dividem naqueles que gostam da mitologia grega, dos que gostam da hindu, ou germãnica, etc. Êles nem conheceram as outras, os deuses dos outros. É só a do povo judeu de três mil anos atrás, e tomam aquilo não como obra literária baseada no contexto histórico de um lugar desértico, muito diferente do Brazil, mas sim como se realmente tivesse acontecido! Seria como se daqui a mil anos houver um povo acreditando que no passado a América era a terra de Harry Potter e que ele viveu realmente!

Ora, eu não quero saber de histórias dos outros, nada mais do que a simples curiosidade literária. Deus pessoal que vem falar com humanos e mandando passar ao fio da espada mulheres e crianças de outros povos, eu mando para o inferno! Meu negócio é o Deus brasileiro, aquilo que imagino seja a melhor explicação para as coisas ainda não respondidas sôbre a existência e tendo por base as experienças na História Brasileira, na qual não consta nenhum tipo de Deus falador a humanos. Minha idéia do que é a causa disso tudo, essa desconhecida a que nada tenho contra se alguem falar a palavra portuguesa “Deus”, fala e se relaciona sutilmente com cada pessoa em particular, e muda a cada vez que uma nova experiência acontece. Eu não me admito indo a templos onde as mentes de todos escapam de suas cabeças e ficam flutuando num reino que nunca ninguem têve o menor fato para dizer que existe. Quando ali, aquela reunião de pessoas seria ótima oportunidade para cada qual colocar os assuntos de interêsse da vida aqui e agora e ser partilhada e debatida por todos, elegendo os assuntos que são mais comuns à maioria e montando os alicerces para a açào pela união. Mas não: fora das igrejas só tenho oportunidade de ver brasileiros reunidos falando nada, conversa perdida, que nunca vai dali criar um grupo para atuar em alguma coisa.

Não concordo com muitas coisas que Nietzche acreditava e defendeu mas sua frase de que o cristianismo foi a maior fôrça criada intelectualmente por uma raça para tornar as outras fracas e escraviza-las pelas suas próprias inércias e convites penso que foi certeira. O pior é que os cristãos do Brazil não tem nada de Jesus Cristo, ou seja, em nada imitam o personagem da fábula. Quem vive como profissional independente sem se deixar ser empregado de ninguem como jesus fêz na fábula? E dos profisssionais independentes, quem rejeita a andar de sandálias e sem luxo ou vaidade alguma, rejeitando até ser dono de alguma propriedade? Quem vive 24 horas por dia atuando na praça publica convocando pessoas para serem contra os senhores, os escribas, os fariseus? cad6e algum revolucionário que seja a metade do que Jesus foi na fábula? E quem resiste ao sexismo desenfreado na cabeça do povo de maneira a não cair no casamento anti-cristão, a não continuar essa extrema aberração escravagista e suicida levando á superpopulação que é a institucionalizada familia nuclear? Quem se lembra das palavras… “minha familia? quem é minha familia, senão tôdas as mães do mundo, todos os filhos, todos os irmãos… Minha familia é a Sagrada familia, Universal, que nada tem a ver com essa aberração causadora da maioria dos conflitos humanos denominada familia nuclear. Existem tantas outras alternativas mais inteligentes de sistemas sociais onde todos recebem igual ajuda e proteção da sociedade, mas falar isso a brasileiro é causar um olhar enrugado e surprêso como se tivesse na frente de um marcuiano, pois êle nunca pensou sequer numa alternativa, êle não tem inteligência para tanto, a religião o amordaçou em todos os sentidos, até no fato dêle se acreditar que já está eleito para o céu… o maior egoísta, individualista, anti-socializante, acha que enganaria a um Deus!

Os Estados Unidos tem um clima que torna a vida muito dificil e tem consumido muito do trabalho da sociedade. Israel é um pequeno naco de terra desértico. mas a diferença do porque estas nações progrediram a ponto de dominarem a economia do mundo é que nos estados Unidos por exemplo, o povo tem uma normal e inteligente capacidade para se associarem. Existe associações para tudo, começando pela associação de cada vila ou bairro, de cada cidade, estado e aí se deriva para associações dos com-bigode, associação dos sem-bigodes, dos veternanos de gureesrra, e por aí afora. A Sears Roebuck foi iniciada por um grupo de donas de casa que ao invés de ficarem nas cêrcas fazendo fofoca quando sobra o tempo depois de ficarem esfregando o chão com a tv ligada numa novela queriam juntar fôrças e buscar sua liberdade. Quando isso aconteceria no Brazil?! E Israel, bem aquilo não é um aglomerado de associações, o país inteiro é uma associação dos eleitos por Deus para exercerem o govêrno da moralidade sôbre o resto do mundo pagão pela atuação felina sôbre a economia do mundo. Na qual os brasileiros entram direitinho depois que foram amansados por um livro condicionador psicológico, como era a técnica de Pavloc para condicionar cães a ralizarem suas vontades.

Mas porque digo isso? Porque a cosmovisão da Matriz/DNA sugere que para tornar êsse mundo melhor para todos os seres humanos sem deixar um só como empregado escravo, primeiro é preciso aplicar a fórmula da Matriz para instalar a produção mecanica automática, mas em paralelo, pois de nada adiantaria deixar êsse povo rico e ocioso sem uma vontade ideológica, é declarar  guerra à dominante expressão do gene egoísta e fazer emergir à tona o agora aprisionado gene altruísta.

Veja vídeo de tiroteio em escola e analizemos as causas

segunda-feira, novembro 15th, 2010

Nós temos um perigoso inimigo em comum, que fere, mata, tortura, rouba. A qualquer momento podemos ser a próxima vítima e nossa vida será mudada para pior, para sempre. A êsse inimigo que os crentes chamam de “demônio”,  nós vamos chama-lo de… “Deformidades da Mente Humana”, e como temos que prestar atenção a êle, investiga-lo, procurar conhecê-lo em seus detalhes, para tentar elimina-lo o mais rápido possível, vamos reunir casos aqui nesta categoria e abrir um debate.

Temos visto mesmo no Brazil que está aumentando os casos de pessoas em lojas ou caminhando na rua de repente serem atacadas por estas mentes defeituosas. O primeiro caso com o impressionante vídeo abaixo (há vários outros que podes procurar através de Google videos), foi de Clay Duke que de repente entrou numa escola da Florida armado e deflagrou um tiroteio. Abaixo está um texto com bom material informativo da personalidade e história de vida de Clay, do qual podemos partir para analise (traduzirei o texto se alguem pedir). Um principal paragrafo que destaco é este:

Duke escreveu uma nota de suicidio:

 “Meu testamento: Algumas pessoas ( a mídia controlada pelo govêrno) dirão que eu sou um demonio, um monstro, obcecado com a idéia de vingança por destacar a letra “V”,,,. de Vendetta.  Mas não… Eu apenas nascí pobre num país onde os Ricos manipulam, usam, abusam, e economicamente escravizam 95 por cento da população. Ricos Republicanos. Ricos Democratas… tudo o mesmo… ricos…, eles se revezam para tomar nossos poucos dollars… piramidizando a riqueza para eles mesmos.”

Tendo em vista este testamento, você acha que esse individuo já tinha nascido com deformação mental tipo paranóia, como diagnosticaram os doutores que o trataram? Ou nasceu normal mas chegou à deformação mental na ocasião do ataque à escola causado pela torturada experiencia de sua vida? Você acha que o ambiente inóspito que o rodeou durante sua vida tem como causa o caótico mundo externo que nos rodeia dentro dos limites desta biosfera caótica? Ou a principal causa seria o sistema social feito pelos homens o qual seria ainda baseado nos valores e instintos animalescos herdados da recente ancestralidade animal, onde reina a força  bruta, a esperteza felina, que gera esse capitalismo selvagem e essa elite anumalesca? Ou que a causa é supernatural, como castigo divino, pagamento de carma, expiação espiritual, etc.?

US gunman caught on film shooting at school board only to miss

A US gunman has been captured on video entering a school governors’ meeting and opening fire on them at short range, only to miss everyone and then kill himself.

Fla. school board shooter had turbulent life

(AP) – 6 hours ago PANAMA CITY, Fla. (AP) — The burly, bipolar man who held a Florida school board at gunpoint was frustrated and broke. He was a troubled ex-con with an interest in anarchy, and when his wife was fired from her teaching job and their benefits ran out, he went to the board meeting and said he was prepared to die.

Clay Duke killed himself Tuesday after firing at the board members, missing them by mere inches, and exchanging a volley of gunfire with a security guard. A day later, his wife tearfully talked about the man she loved, calling the 56-year-old father a “gentle giant.”

“The economy and the world just got the better of him,” Rebecca Duke said in a rambling press conference.

In the moments prior to the shooting, Duke spray painted a circle and a large, red V inside of it on the meeting room wall and muttered about rising taxes and how his wife was fired from the school district. The school superintendent begged Duke not to shoot, but he did. A school board member crept up from behind and hit Duke with her purse — and Duke only called her a name, but didn’t shoot.

Rebecca Duke said her husband was an excellent marksman who probably intentionally missed the five board members who were sitting just steps away.

“He didn’t want any one to get hurt but himself,” she said.

No one but Duke was injured; a school security guard fired several shots and hit Duke three times in the back. In the end, Duke took his own life by shooting himself in the head.

Police said the attack wasn’t some spur of the moment idea. At his mobile home in the woods, they found Dec. 14 circled on a calendar. And police said he had at least 25 more rounds of ammunition in his pocket.

The entire shooting was captured by local television stations, and the video was posted on the Internet and broadcast on TV throughout the day. His Facebook page, which was public until late Wednesday afternoon, revealed a man who was fascinated with the movie “V for Vendetta” — which depicts the same symbol that Duke spray painted onto the wall just before he took out his gun.

As board members gave television interviews about the harrowing experience, a sad and troubling portrait of Duke emerged.

Born in Ocala, Fla., Duke graduated from high school in Tampa. Little is known about his early adult years — family members claimed he was in the Air Force for eight years, but that could not be confirmed.

In the mid-1990s, Duke had drifted to the Florida Panhandle — not the spring break-filled sugar sand beaches, but the remote and wooded inland.

The ’90s were a blur of court hearings and personal conflicts.

He divorced a woman named Anita in 1995 and at some point, had a daughter. He was sued by a property management company in 1999. In 2000, he was convicted for waiting in the woods for ex-wife with a rifle, wearing a mask and a bulletproof vest. She confronted him and then tried to leave in a vehicle, and Duke shot the tires. His second wife, Rebecca, said the incident was a misunderstanding and that he went to his ex-wife’s house because the ex-wife “wouldn’t leave them alone.”

Duke’s attorney on the case, Ben Bollinger, remembered Duke as especially paranoid about the new millennium.

“He was one of these Y2k people,” he said, referring to a computer bug that some people thought was going to cause massive problems and economic chaos Jan. 1, 2000. “He was one of those believers that the world was going to turn for worst and he was stockpiling weapons, assault weapons.”

Bollinger said Duke took a plea agreement: Five years in prison followed by 10-years probation. He sought psychiatric help and took his medications as ordered and completed his probation, his lawyer said.

“He was competent but he was one of those people had a mood disorder where they could be depressed one day and all excited another day. I just remember the doctor saying he had a personality disorder,” Bollinger recalled.

While in prison, Duke filed for bankruptcy.

He was released in January 2004. About a year later, he sued the Social Security Administration, which had denied his application for disability benefits and health insurance.

“He couldn’t work. He just mentally couldn’t make the connection for eight hours a day,” said David Evans, the attorney who represented Duke.

Evans said Duke had been diagnosed by several doctors as bipolar, but didn’t have enough money to buy the needed medication. “He was clearly in need of help,” Evans said.

They filed at least five appeals to the denials.

“The judges adjudicating the claims didn’t feel the claim was significant enough,” Evans said. “All he was asking for was $500 or $600 a month and medical insurance.”

Duke withdrew the suit in 2006.

He and Rebecca had married in 1999, just before his prison sentence. She said Wednesday that Duke faithfully took his medication for his bipolar disorder, but that he was under a lot of stress — she had been fired from the school district and her final unemployment check was due this week.

Tommye Lou Richardson, the executive director of human resources for the Bay District, said Rebecca Duke was hired in September 2009 as a primary school teacher for students with special needs. She was given a 97-day probationary period, and was terminated.

“She was not performing appropriately, we thought, the principal thought, and so she was let go,” Richardson said.

She wasn’t able to go into any further detail.

Richardson said Rebecca Duke had “indicated that she felt like there was a violation of her employment rights,” though she never filed a lawsuit.

About a week ago, Clay Duke joined Facebook. Over the past several days, he added photo stills from the movie and graphic novel “V for Vendetta,” a nihilistic account of a masked man who fights against a totalitarian government. The movie’s predominant symbol — a red “V” inside of a circle — was posted several times on Duke’s page.

He also quoted the final passage from Percy Shelley’s “Masque of Anarchy”: “Rise like lions after slumber/In unvanquishable number/Shake your chains to earth, like dew/Which in sleep had fall’n on you/Ye are many-they are few.”

Duke had no Facebook friends — although by Wednesday afternoon, thousands of people responded to his earlier postings, many of them critical of Tuesday’s shooting. Others were more sympathetic, saying that Duke was driven to madness because of the difficult economy.

Duke had written something of a suicide note in his “About Me” section:

“My testament: Some people (the government sponsored media) will say I was evil, a monster (V) … no … I was just born poor in a country where the Wealthy manipulate, use, abuse, and economically enslave 95 percent of the population. Rich Republicans, Rich Democrats … same-same … rich … they take turns fleecing us … our few dollars … pyramiding the wealth for themselves.”