Posts Tagged ‘Cometa’

Cometa em explosao?! E’ possivel, pela Matrix/DNA Theory

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

Foto de um cometa emitindo uma erupção? Explosões em cometas?

Comest PANSTARRS explodes in night sky

Comet PANSTARRS: Astronomer Michael Jager snapped this incredible photo

Cometa 16 vezes mais brilhante estará visível a olho nu em agosto

http://noticias.band.uol.com.br/ciencia-e-saude/noticias/100000923040/cometa-16-vezes-mais-brilhoso-estara%A1-visa%ADvel-a-olho-nu-em-agosto.html?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral

Louis Charles Morelli em julho, dia 12 de 18:

” Cometas – no corpo deste nosso ancestral sistema astronomico que produziu a vida aqui e dentro dele – são produzidos pela erupção de gigantescos vulcões em pulsares e tem como destino ( guiados pela espiral galáctica) o buraco negro no centro do sistema, onde vai influenciar na produção de um novo germe de astro sideral. Portanto a função dos cometas e’ idêntica a dos espermatozoides nos sistemas biológicos. Por isso também a coincidência de suas formas. Cometas que vagam no espaço como este entrando no sistema solar são espermatozoides mortos que não alcançaram seu destino, não fecundaram.” Bem… isto e’ o que sugerem os meus modelos astronômicos na Teoria geral da Matrix/DNA, e, claro, posso estar errado, apesar de já ter muitas evidencias e previsões acertadas. Mas como poderia ocorrer explosão dentro de um cometa? Tenho que investigar como a teoria acadêmica explica isso pois pelo que dizem da constituição interna, nada ha’ para explodir. Na minha teoria e’ possível ocorrer explosão pois a carga “genética” carregada no núcleo de cometas ( que são magmas vulcânicos) age como germes comendo a matéria envolvente e com isso gerando enorme pressão de gás interna.

xxxx

Sobre “comets explosion”( os academicos nada sabem sobre as causas das explosões, as teorias são muito incipientes):

EXPLODING COMET COULD HAVE BLOWN UP WITH CARBON MONOXIDE

Meu comentario postado na Wired em 7/12/18

The astronomical models of Matrix/DNA Theory explains why comets shows eruptions like volcanos: their nucleus are made off magma from giants and olds planets in shape of pulsars. Covered by star’s dusty this magma continuing its reactions, devouring the surround matter. it creates internal gas and pressure. But… The Matrix/DNA does not separates cosmological from biological evolution, where it gets data for its models, and this is weird for official academic astronomic theory…

  • Tijolinhos da Vida Encontrados na Atmosfera de um Cometa! E a versão da Matrix/DNA

    quarta-feira, junho 15th, 2016

    xxxxx

    Building Blocks of Life Found in Comet’s Atmosphere –

    http://www.space.com/33011-life-building-blocks-found-around-comet.html#sthash.27hESCWY.dpuf

    Instruments on the Rosetta spacecraft have detected compounds critical to life, including the amino acid glycine and the element phosphorus, in the shroud of gases surrounding Comet 67P/Churyumov-Gerasimenko. Credit: ESA/Rosetta/NAVCAM – CC BY-SA IGO 3.0 – See more at: http://www.space.com/33011-life-building-blocks-found-around-comet.html#sthash.27hESCWY.dpuf

    Notas: (os grifos denotam importantes informações para a Matrix/DNA Theory )

    “With all the organics, amino acid and phosphorus, we can say that the comet really contains everything to produce life — except energy,” said Kathrin Altwegg of the University of Bern in Switzerland, the principal investigator for the Rosetta mission’s ROSINA instrument.

    “Energy is completely missing on the comet, so on the comet you cannot form life,” Altwegg told Space.com. “But once you have the comet in a warm place — let’s say it drops into the ocean — then these molecules get free, they get mobile, they can react, and maybe that’s how life starts.”

    xxxx

    Amino acids form the basis of proteins, which are complexly folded molecules that are critical to life on Earth.

    Aminoácidos são a primeira onda evolutiva para a formação de sistemas com organização biológica da matéria. Proteínas são pedaços de trechos do circuito esférico da formula da Matrix, portanto são a segunda onda no mesmo sentido evolucionário. Ou seja: proteínas tendem a formar uma copia maior da formula, enquanto aminoacidos são pedaços de uma copia menor e mais primitiva.

    Altwegg’s team searched for other amino acids around the comet as well, but located only glycine — the only one that can form without liquid water (as in the frigid reaches of space).

    The glycine probably didn’t form on the comet itself, Altwegg said, but rather in the broad stretches of dust and debris that made up the solar system before planetary bodies formed.

    “The solar system was made out of material which formed in a disk, in a solar nebula,”

    Porem, este material pode ter sido formado na galaxia a partir de nébulas de átomos mais os átomos pesados recebidos de estrelas, ou pode ter vindo da morte de um anterior sistema estelar, e neste caso, estaria ocorrendo apenas a reciclagem do sistema anterior. Mais provavelmente teria vindo pela segunda alternativa, pois apenas sistemas astronômicos complexos podem produzir os building blocks da vida.

    Altwegg said. “In these clouds, it’s pretty cold, so the chemistry you do there is catalytic chemistry on the dust surfaces. And these very small dust grains [1 micron in size] are very good to lead to organic chemistry. This is also done in the lab.” Earth itself was far too hot for similar delicate amino acids to survive its formation, Altwegg said; only the smallest solar system bodies stayed cold.

    So glycine formed during that time could have provided a boost to newly forming life if it was delivered to Earth by comets.

    “It’s not that it couldn’t have formed on Earth — it certainly could — it’s just that it didn’t have to,” A’Hearn said. “Basically, the Earth got a head start.”

    De acordo com o modelo astronomico da Matrix/DNA, se a Terra vem da primeira geração de galaxias, ela realmente teve um inicio nas altas temperaturas de um vortex central, porem logo teria resfriado ao ser expelida para o espaço sideral e antes de cair na orbita do Sol. Não estou entendendo porque a cientista tem que afirmar que os aminoacidos da vida na terra foram formados quando a Terra era quente, se, mesmo pela teoria astronômica acadêmica,  a Terra começou a esfriar a bilhões de anos atras.Talvez ela esteja querendo situar a data calculada pelos químicos para as origens da vida na data calculada dos geólogos para a formação e evolução do planeta.

    Other, more complex amino acids require liquid water, and so would have likely formed on Earth itself, Altwegg said. This idea is supported by the fact that Rosetta has not identified any amino acids other than glycine near Comet 67P

    Phosphorus is also vital to life as we know it. Among other things, the element is a key constituent of DNA and adenosine triphosphate (ATP), a molecule that stores the chemical energy used by cells.

    But in the meantime, the team is still working on understanding all the organics they found and analyzing them further. “And I think the next step goes to the biochemists, how to make something meaningful out of this,” Altwegg said

    The discovery is also significant to researchers trying to understand the conditions of the early solar system, when the comet’s nucleus first came together,

    Aqui pode estar um  problema. O modelo astronomico acadêmico sugere uma diferente origem para cometas, enquanto a Matrix/DNA sugere esta origem como sendo massas de magma vulcânica expelida por gigantes vulcões em planetas velhos tornando-se gasosos. Se o modelo astronomico estiver errado, os dados bioquímicos não vão se encaixarem neste modelo.

    “For astrobiology, it’s a very important measurement,” Altwegg said. “And it’s not only life on Earth; the material in comets has been formed in a protostellar cloud, and what could have happened here in our protostellar cloud could have happened everywhere in the universe.”

    Aqui esta o problema citado acima. de acordo com meus modelos cometas não foram formados em nuvens proto-estelares.

    “Then you can ask yourself the question: How many Earths are there, how many evolved life or re-evolved life?” she added

    Bem,… a diferença de teorias na formação de cometas e origens da vida não impediu que as duas teorias sugiram que a vida pode estar espalhada por todo Universo. 

    xxxxx

    Pesquisa:

    Glycine:

    Glycine (abbreviated as Gly or G) is the smallest of the 20 amino acids commonly found in proteins, and indeed is the smallest possible (having a hydrogen substituent as its side-chain). The formula is NH2CH2COOH. Its codons are GGU, GGC, GGA, GGG of the genetic code.

    Glycine is a colorless, sweet-tasting crystalline solid. It is unique among the proteinogenic amino acids in that it is achiral. It can fit into hydrophilic or hydrophobic environments[citation needed], due to its minimal side chain of only one hydrogen atom.

    It is ambivalent, meaning that it can be inside or outside of the protein molecule.

    Glycine is a non-essential amino acid. It is found primarily in gelatin and silk fibroin and used therapeutically as a nutrient. It is also a fast inhibitory neurotransmitter.
    Glycine is a non-essential, non-polar, non-optical, glucogenic amino acid. Glycine, an inhibitory neurotransmitter in the CNS, triggers chloride ion influx via ionotropic receptors, thereby creating an inhibitory post-synaptic potential. In contrast, this agent also acts as a co-agonist, along with glutamate, facilitating an excitatory potential at the glutaminergic N-methyl-D-aspartic acid (NMDA) receptors. Glycine is an important component and precursor for many macromolecules in the cells.

    Importante informação de wikipedia:

    One example is the chiral amino acid alanine, which has two optical isomers, and they are labeled according to which isomer of glyceraldehyde they come from. On the other hand, glycine, the amino acid derived from glyceraldehyde, has no optical activity, as it is not chiral (achiral).

    Glyceraldehyde:

    Glyceraldehyde (glyceral) is a triose  (A triose is a monosaccharide, or simple sugar, containing three carbon atoms) monosaccharide (Monosaccharides, also called simple sugars, are the most basic units of carbohydrates. They are fundamental units of carbohydrates and cannot be further hydrolised to simpler compounds. The general formula is CnH2nO
    n
    .with chemical formula C3H6O3. )
    Glyceraldehyde is the simplest of all common aldoses (An aldose, like a ketose, is a monosaccharide (a simple sugar) that contains only one aldehyde (−CH=O) group per molecule, The chemical formula takes the form Cn(H2O)n..) It is a sweet, colorless, crystalline solid that is an intermediate compound in carbohydrate metabolism.

    xxxxx

    • Glycine

    http://www.lifeextension.com/Vitamins-Supplements

    Glycine is a conditionally essential amino acid that serves as both an inhibitory and excitatory neurotransmitter.236-238 It is the chemically simplest and most omnipresent of all the amino acids. It combines with many toxic substances, converting them to harmless forms which are then excreted.239,240

    This amino acid has a calming effect on the brain and is also involved in growth.241-250 Research suggests that glycine may help promote deeper sleep.238,242,243 Glycine also has a positive impact on attention and memory in adults.241-254 Glycine may also help boost the immune defense system and has oxidative stress regulating effects.

    Natural Occurring Sources: Occurs in many proteins and is especially abundant in silk fibroin, gelatin, and sugarcane.

    Evolution of threonine aldolases, a diverse family involved in the second pathway of glycine biosynthesis.

    “… we show that horizontal gene transfer may occur frequently during the evolution of both L-TA families.

    ” …. a diverse family involved in the second pathway of glycine biosynthesis

    ” …. Interestingly, L-TAs can be further grouped into two evolutionarily distinct families, which share low sequence similarity with each other but likely possess the same structural fold, suggesting a convergent evolution of these enzymes”

    xxxx

    Phosphorus is a chemical element with symbol P and atomic number 15

    xxxxx

    Comentario

    Two different astronomical models, two different interpretations of a unique fact. You described the academic standard theoretical interpretation. By another hand, Matrix/DNA Theory suggests:

    1. Glycine, is derived from glyceraldehyde, so, my question is if this precursor compound was found in the comet. If there is no glyceraldehyde, glycine was not formed in the comet. Is it right?
    2. ” … the next step goes to the biochemists, how to make something meaningful out of this,” Altwegg said. While I am not biochemist -merely a dedicated phylosopher trying to connect the data got by reductionist scientific method in a manner that results in rational meaningful big picture of live origens and evolution – I think biochemists will have a hard work here. Based on a paper (Evolution of threonine aldolases, a diverse family involved in the second pathway of glycine biosynthesis. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25644973) there are two evolutionary pathways for glycine synthesis. Glycine is the unique achiral aminoacid linked to life.   And the paper found that glycine could be at proteins due horizontal gene transfers.   At another paper we see that glycine is ambivalent, what means that it can be inside or ouside proteins. All these weird things related to glycine leads to the suspicion of it being really a precursor of macromolecules as proteins.
    3. Phosphorus is not an active agent of RNA/DNA. Since its atomic number is 15, it means that it repeats the properties of hydrogen, which are merely constituting bridges among atoms.

    Os Espermatozoides do Espaço, Que Previ a 30 Anos Atras na Selva Amazônica, Foram Encontrados!

    sábado, agosto 1st, 2015

    xxxxx

    http://triblive.com/usworld/world/8841751-74/comet-philae-molecules#axzz3hYYEzLFL

    http://i2.cdn.turner.com/cnnnext/dam/assets/150124162009-rosetta-comet-activity-jan-15-2015-exlarge-169.jpg

    Fantástica noticia divulgada pela sonda que os europeus aterrizaram em cima de um cometa e analisou quimicamente o material encontrando as sementes da Vida simplesmente repetiram minhas palavras escritas e registradas com direitos autorais no Brasil e nos Estados Unidos: ” Cometas executam a Função sistêmica universal numero 5, a qual esta relacionada com a auto-reprodução dos sistemas naturais, e eles transportam as informações do cromossoma Y, a parte masculina dos  sistemas, através das linhas magnéticas espirais das galaxias, para leva-las onde houver boa seara para estas sementes germinarem. E assim, nossa ancestral e criadora galaxia inicia sua reprodução a nível microscópico…”

    O funcionário da Biblioteca do Congresso Americano me telefonou fazendo algumas perguntas antes de ceder o numero de direitos autorais, tais como: “Você considera sua obra uma obra cientifica?” E eu respondi:

    – ” No way! De maneira alguma! Por isso no campo das categorias eu escrevi “ficção cientifica”. Eu queria evitar que, se alguém lesse o manuscrito, tivesse a reação normal e logica de rir na minha cara. Como eu próprio teria reagido antes de ir para a selva.

    Mas para que a minha previsão se confirme 100% só falta agora confirmar que os compostos orgânicos encontrados na superfície do cometa existem em maior profusão e num estado evolucionário mais simples no interior do cometa, enquanto a teoria dos astrônomos esta supondo que o cometa, em suas andanças pelo espaço colheu materiais que entraram em reação químico-orgânica ao serem bombardeados por alguma radiação ultra-violeta. Em todo caso, os meus modelos astronômicos teóricos tambem sugeriam que o florescimento destes compostos na superfície seria possível.

    E na foto abaixo esta o engenhoso monstrinho feito pelos europeus que me deu uma das maiores satisfações da minha vida ao saber ainda enquanto estou vivo que o que o espirito da Natureza na sua forma selvagem da Amazônia sussurrava aos ouvidos de um moribundo agonizante era a pura verdade!

     

    http://blogs.esa.int/rosetta/files/2014/09/Philae_on_the_comet_Front_view.jpg

    Mesmo sob as tremedeiras tipicas da febre elevada pela malaria e já conformado que apenas um milagre me tiraria vivo da selva, ainda me ajoelhava a beira de um pântano com um microscópio procurando um micro-organismo cuja forma se encaixasse na formula extraída da anatomia comparada entre os sistemas vivos e os não-vivos. Mas a luz infernal daquele sol tórrido dos trópicos me cozinhava os miolos, tanto que de repente não consegui de pensar o logico:” Não existe vida completa sem a luz do Sol. Porque?! O planeta sozinho não consegue criar a vida? Então a vida é produto de um sistema, e não de uma mera parte, como a Terra é mera parte do sistema solar? O sol forneceu o calor, o fogo, para cozinhar a sopa primordial, ms quem forneceu a receita da sopa? O sistema?!… Ao qual o Sol e a Terra pertencem?”

    Mas algo dentro de mim dizia para abandonar aquela ideia. Esse algo era a ideologia que eu havia absorvido lendo os livros dos químicos positivistas, os quais, estavam como eu espalhados no planeta, a beira de pântanos, mergulhando no fundo dos oceanos, procurando a mesma coisa que eu procurava: Luca – the Last Universal Common Ancestor! A teoria da abiogênese fizera a cabeça de todo mundo no meio acadêmico, e ela afirma que o cepo original primitivo que deflagrara a vida na Terra tem que ser microscópico, e seu rastro ou marca ainda pode ser encontrado na sopa certa. Era uma competição, uma corrida dos diabos. Nos já devíamos ter aprendido a lição com três ou quatro gigantes em cujos ombros nos apoiávamos. Darwin encontrou sua fantastica ideia da evolução apos o sacrifício de tambem se ajoelhar em solo tórrido para observar lagartixas e bicos de pássaros. Mendell teria sido coroado apos sua morte porque passou anos ajoelhado cruzando ervilhas lisas com rugosas. Copérnico para revolucionar o mundo teve tambem que se ajoelhar no solo medindo sombras de uma marquise que se moviam porque eram movidas pelo Sol. Entre nos todos, os gigantes, os quimicos positivistas ou materialistas, e eu, havia apenas uma pequena diferença: os químicos tinham PHD de cientistas, enquanto eu e os gigantes eramos todos apenas filósofos naturalistas. Junto com o PHD vinha uma doutrina, uma certeza absoluta, de que a Via na Terra surgira por sua própria conta e risco, nada tinha a ver com o passado da evolução cosmológica. E eu quase me deixara pegar por essa ideologia, por isso ali ajoelhando na beira do pântano resistia a pensar no que ia contra essa visão do mundo acadêmica. Luca tinha que ser microscópico, pensar que ele era astronomico seria uma aberração, uma heresia cientifica.

    Mas o Sol continuou a mandar sua luz carregando energia quente a penetrar pelos ossos do meu cranio e cutucar a minha mente. Com isso ele conseguiu desconfigurar as conexões neuroniais promovidas pelos livros acadêmicos, uma lavagem cerebral. E por isso delirando já quase caindo de vez uma mente limpa entendeu seu estado de infância e levantou os olhos humildes para ver o rei e continuar prostrado perante ele. O contacto se deu a nível de Natureza pura quando o Sol teve a oportunidade de produzir nessa mente um pensamento como se fosse sua voz:

    – ” O que estas procurando ajoelhado ai? Suas origens? Seu criador? Mas porque procuras um ser microscópico na matéria insensível e estupida de um planetinha perdido na imensidão cósmica? Por acaso não podes imaginar a grandiosidade do criador quando observas a grandiosidade da engenharia que é a sua vida? Procuras quem forneceu o fogo e a receita da sua sopa? Mas porque procuras no chão se estou aqui em cima? Levante seus olhos, homem! Levante-se do chão e ponha-se de pé, no seu estado de grandeza que mereces por seres o filho da grandiosidade! Levante seus olhos e olhe para mim! Eu sou a sua resposta!”

    Coisas alucinante das mentes em delírio dos torturados e miseráveis. Mas Henry Ford certa vez já mais ou menos o disse: ” O sucesso vem de 95% de transpiração e 5% de inspiração. Quando a Natureza quer, ela pega um homem, testa-o de todas formas possíveis, expõe-no a todas as provas torturantes, como no ritual dos nativos fazem ao jovem que pleiteia ser guerreiro. Se o homem resiste e teima em continuar na busca de seu objetivo, então a Natureza prazeirosamente se submete e passa-lhe seus segredos, seus métodos, mecanismos e processos, os quais conferem poder `a Humanidade ao se tornarem novas tecnologias…”

    O trabalho de observar e esmiuçar os elementos que compõem a biosfera amazônica, tentar identificar as conexões destes elementos com outros elementos na longa cadeia de causas e efeitos, identificando e isolando assim os micro sistemas que formam, e depois juntar todos os micros num macro, para então resumir e desenhar este macro numa planta de papel que caiba sobre uma pedra ou no chão da barraca, tudo isto porque o objetivo é ver neste quadro inteiro um fiozinho perdido que teria produzido o microscópico Luca, era uma missão impossível, como dissera rindo a diretora de relações da universidade a um rapazinho sujo que se atrevera a adentrar seu escritório pedindo ajuda para seu projeto, em 1980. E eu não a condeno, de fato eu estava já saindo fora do normal devido passar dias e noites como rato na sua biblioteca universitária, lendo aqueles livros pesados porque como esfarrapado eu não podia sentar no banco escolar e aprender com a voz do professor que ensinava a matéria daqueles livros. Digo isso para explicar que a certeira profecia não veio de graça por uma voz divina, ela foi cavada com unhas sangrando. Ela se exprimiu no resultado desta missão, uma simples formula, simples mas que contem nas suas entrelinhas toda a complexidade da vida e do Cosmos. E` a formula da Matrix/DNA onde se vê o espermatozoide do espaço desempenhando sua função criadora:

    Circuíto Sistêmico ou "Software" extraído da fórmula da Matrix/DNA, Revelando o aspecto Hermafrodita

    Circuíto Sistêmico ou “Software” extraído da fórmula da Matrix/DNA, Revelando o aspecto Hermafrodita

    Cuja formula expressa o circuito de energia/informação que quando se materializa produz todos os sistemas naturais, como por exemplo, nos dois sistemas reproduzidos na figura a seguir:

    Human and Earth Life Cycle by MatrixDNA

    Human and Earth Life Cycle by MatrixDNA

    E para explicar ajudando a entender este assunto:

    A formula acima se obteve ao comparar anatomicamente e funcionalidade os sistemas naturais vivos como as células animal e vegetal, as plantas, os vírus, as bactérias,  insetos e animais, a biosfera como ecossistema, aos sistemas ditos “não-vivos” como átomos, estelares e galácticos. A formula descreve a trajetória de um só corpo rolando sob o processo do ciclo vital, o qual faz o corpo mudar de formas, cujas formas se tornam as peças de um sistema final funcional. Este sistema se torna o template, a fôrma, pela qual a Natureza organiza a massa e energia neste Universo em sistemas. Todos os sistemas naturais cabem em cima dessa formula, apesar das varias deformações causadas por precariedades dos ambientes e dos ingredientes disponíveis. Esta formula pode estar dispersa no tempo e no espaço na forma de seus fragmentos, cada qual consistindo em um bit-informação do sistema do qual vieram. Assim um sistema astronomico irradia-se em fragmentos ao chegar na Função 6 que representa as estrelas como o Sol, sendo este fragmentos na forma de partículas fótons que adentram as partículas dos átomos terrestres assumindo sua maquinaria como um vírus assume a maquinaria de uma célula, e conduzem os átomos a novas configurações, sempre buscando recompor o sistema de onde vieram. Esta era a receita que estava oculta na sopa primordial. Porque Luca era macroscópico,  ele era um sistema galáctico inteiro que se projetou por nanotecnologia na superfície da Terra e se levantou do solo na forma de célula vital, a qual é uma copia do céu como se pode ver através da formula.

    Na formula, a Função 3 representa um planeta como a Terra. A Função 4 representa este planeta mais velho, já não mais suportando a vida em sua superficie, com sua superficie pontilhada de gigantescas crateras vulcanicas com erupções gigantescas cujas lavas ou magma vencem a fraca gravidade do astro e caem no espaço interestelar. Neste momento, este magma tornado um cometa se localiza como Função 5, mas como tal ele carrega em seu bojo as informações da metade esquerda do sistema, ou da formula, e se encontrar um astro cuja matéria tenha todas as informações do sistema, ele criada as moléculas orgânicas ” left-handed” ou seja, com spin a esquerda, as quais sao selecionadas pela natureza para iniciar os sistemas biológicos, quer dizer, a Vida biológica. Porque a Vida universal já vinha do espaço a 13,7 bilhões de anos, e quiça, antes mesmo disso.

    30 anos depois desta formula – uma missão impossível segundo a voz que emana das universidades – a nave Rosetta produzida pela secular e incansável ciência carregada a duras penas por essa mesma universidade, desembarca no solo de um cometa o robot Phyllae o qual encontra e confirma o que o trabalho de um filosofo naturalista tinha calculado e esperava ansiosamente sua confirmação. Assim a Humanidade tem realizado proezas incríveis que nos enchem de orgulho e alimentam nossas esperanças de que continuaremos a progredir no futuro, mas essa mesma Humanidade tem uns vícios incorrigíveis. Como o das universidades nunca apoiarem os lobos solitários da Ciência travestidos de filósofos naturalistas que batem as suas portas pedindo ajuda e a negam. Ainda bem que nos ultimos tempos melhorou um pouco pois a universidade medieval queria fazer churrasquinho de individuos como Darwin, Copérnico, Mendell. Estes aprenderam e não querendo virar churrasquinhos ou serem gozados eternamente avisam de antemão: ” Não, esta obra não é cientifica, é mera ficção…”

    O que os Virus tem a verem com Pulsares e Cometas? Herança Genética?

    quarta-feira, dezembro 3rd, 2014

    A visão de mundo, ou a “cosmovisão”, denominada Matrix/DNA é o estado do ser pensante, como filósofo naturalista, em que todo fenômeno natural detectado, observado, leva imediatamente às perguntas: “De onde a Natureza obteve a “idéia” para fazer isto e justamente aqui, agora?! Onde estavam as forças, os elementos, os mecanismos e processos, que foram usados aqui para construir este fenômeno, em toda a História da Evolução Natural, Universal, nos nossos sistemas ancestrais atômicos e astronomicos? Porque?”

    Este estado de ser pensante é baseado na “crença” de que não existe e nunca existiu mágicas ao menos neste universo material alcançavel pelos sensores dos nossos cérebros, nem mágicas de alguma divindade não-natural, nem mágicas de acidentes por acasos absolutos. Se existem tais coisas, elas atuaram antes e fora deste Universo. O Universo, ou melhor, a Natureza Universal, não pode criar novas informações vindas do Nada, portanto, tudo o que existe aqui foi feito com informações presentes nas origens deste Universo. Existe uma longa cadeia ou fluxo de causas, efeitos, que se tornam causas de novos efeitos, sem interferencias sobrenaturais, na qual vão entrando informações que estavam no ar disponiveis assim como existem os genes retrógrados que só entram em atividade depois que um corpo tem formada certa arquitetura, ou na qual as informações originais se fundem, se misturam, criando sub-informações, no que é conhecido como “fuzzy logics”.

    Então, todo novo detalhe natural observado tem que ser esmiuçado no confronto com a História da Evolução Universal, tem-se que buscar suas antecessoras até chegar no Big Bang, nas ondas de luz codificadoras que resultam dos desmanches dos ex-machines vortices quanticos – os quais já possuem em si as sete forças brutas naturais e as propriedades vitais. Os quais foram os primeiros “genes” dentro deste Universo. Assim, neste universo-ovo está ocorrendo um mero processo de reprodução genética do sistema ex-machine que deflagrou o Big Bang, e nós, humanos, observando os passos desse desenvolvimento genético pensamos estar vendo “evolução”.

    Esta crença intuitiva que vem inata desde a infancia em certo tipo de configuração das conexões neuroniais dentro de um cérebro humano, e que conduz um ser humano a ser inevitavelmente um filósofo naturalista, agnóstico, pode ser uma crença longe da Verdade Ultima e pode estar parcialmente ou toda errada. Se for assim, todo o castelo da matrix/DNA ruirá por Terra quando algum fato natural devidamente comprovado, derruba-la totalmente. Sabendo disso, e não sendo o supremo objetivo do filósofo provar que sua cosmovisão é melhor, mas sim não ser enganado nem por sua teoria predileta e sua obra, a meta suprema de buscar e encontrar a Verdade – ou provar que não existe uma Verdade Ultima – o próprio filósofo busca cuidadosamente o fato mortal que tiraria sua cosmovisão de seu caminho.

    Voltando agora com os pés no chão e para o assunto inspirador deste artigo, vamos trazer para cá esta imagem:

    xxxxx

    HIV

    The human immunodeficiency virus (HIV) attacks the immune system (AIDS)

    Isto aí são os virus da AIDS. De onde a Natureza obteve a idéia, os mecanismos, para fazer isto aqui?!Por que o faz, para que? Precisamos saber disto urgentemente, é uma questão de vida ou morte o maior conhecimento possivel destas criaturas, estas terroristas que ameaçam e torturam humanos até leva-los à morte. Penso que são nossos inimigos numero um, hoje. Meu sonho agora seria reunir recursos para ir à região do Rio Ébola com medidores “geiseres” porque a informação que tenho é que os virus vieram de morcegos. Então isto bate com a teoria da Matrix/DNA: deve ter caido algum fragmento de meteoro, de cometa, naquela região, que abriu uma cratera, que se tornou uma caverna que está sendo habitada por morcegos. Ali, no fundo daquela caverna, está o material que irradia emitindo sinais que penetram DNA’s de plantas ou animais fazendo expressar nestes DNA’s os genes que estão inertes na região do DNA-lixo, a qual é o registro de toda a história cosmológica antes das origens da vida, e cujos genes expressados e reunidos produzem os virus. Os morcegos seriam os originadores dos virus apenas de forma indireta. Mas se não for assim, senão tiver um meteórito por tras de cada virus na Terra, ainda assim a teoria continua de pé, pois ela diz que a Terra é bombardeada continuamente por bits-informações vindas da irradiações de astros, na forma de fótons ou outra particula elementar, os quais são informações que podem codificar moléculas viróticas.

    Uma primeira olhada na imagem acima, passou-me a impressão que estava vendo o céu, alguma estranha galaxia com aqueles tipos de astros flutuando no espaço. A ausencia da gravidade espacial no meio liquido, e talvez a ação de sutis campos magnéticos destas criaturas biológicas seriam a causa dos astros-virus estarem mais próximos, mais amontodaos que os astros no céu. E isto me leva imediatamente ao modelo teórico cosmológico construído pela fórmula da Matrix/DNA. Neste modelo, pulsar é o nome que dei a astros na idade de planetas velhos locupletados fe gigantescos vulcões dos quais são emitidos lavas, magmas, que caem como bolotas chamejantes no espaço sideral, ou seja, os cometas nasciturnos que ainda não morreram por não terem atingido o seu alvo, o astro a ser fecundado. Daqui, deste passado, a Natureza tirou e evoluiu o mecanismo aplicado pelos virus. Desvendando suas origens, temos mais dados para nossa grande meta que é a de destruí-los antes que eles nos destruam. Os virus possuem aqueles “esporos” que atraem e são atraidos a certos receptores na superficie das células porque no Cosmos os vulcões são confeccionados para se conectarem à distancia com receptores no nucleo dos sistemas. Os virus expelem o material genético que está em seu nucleo central porque os vulcões ejetam o magma que vem do nucleo central dos astros. Estamos assistindo a nivel microscópico uma cena “fractal” de uma cena a nivel macrocósmico. Estamos assistindo aqui uma cena que é o futuro da cena do passado no Cosmos.  Nada de magicas nem de demonios criadores de virus para nos atormentar.

    Que aconteça este fenomeno natural na Terra, é inevitavel. Faz parte das projeções de um corpo reprodutor para formar outro corpo que é sua reprodução. Sendo aqui o reprodutor este sistema astronomico que nos envolve e o corpo reproduzido os primeiros sistemas moleculares organicos. Mas isto não deve nos desanimar, devemos continuar a busca até o fim, desvendando cada vez mais o fenomeno a nivel cada vez mais microscópico, chegando ao nivel das forças naturais quase abstratas como são as força do magnetismo, nucleares fortes e fracas, etc. Deve existir uma maneira de ao menos desviar este fenomeno para longe de nossos corpos, ou tornar nossos corpos não-hospedeiros deste fenômeno. Afinal, até os virus podem se tornarem resistentes a forças que aplicamos neles e os aniquilamos antes. Tenho umas idéias para fazer isto, a nivel de identidade de sistemas, pois o sistema imunológico de defesa humano é uma reprodução da identidade circuital dos sistemas naturais.

    Para se entender isto vamos trazer para cá, esta figura:

    Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

    Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

    O primeiro ser realmente vivo, completo, foi a primeira célula, formada com um núcleo e todas as organelas. Mas de onde a Natureza tirou a “idéia” para fazer uma célula biológica pela primeira vez? Simples evolução universal: o building block sos sistemas astronômicos se “projetou” por inteiro, reproduzindo-se, assim como temos um filho, nosso corpo se projeta por inteiro, se reproduzindo. Vamos esquecer por ora os motivos que causaram a grande mutação em termos de tamanho, substancias, etc. , o que está explicado em outro capitulo. O período de mais ou menos 3 bilhões de anos que durou essa reprodução – desde as primeiras formações de moléculas até chegar à célula final – foi a embriogênese de um novo rebento astronomico, em dimensões microscópicas.

    O building block dos sistemas astronômicos tinha sua “matriz genética”, a qual evoluiu para a forma do DNA biológico. Mas essa matriz não era como o DNA, um composto especifico que fica dentro da célula que contem as informações do inteiro sistema celular; ela era o sistema inteiro, assim ela continha todas as informações do sistema. Ela era mais externa que interna.

    Aqui dentre os sistemas biológicos, os filhos são em tudo muito semelhantes aos pais, porque o DNA é transmitido de geração a geração encerrado dentro de um pacotinho cromossômico, o que evita bruscas mutações. Mas os building blocks astronômicos se fragmentam em seus bits-informação ( que é toda sua matéria e energia degradada) e não são ejetados cerrados dentro de algum envoltório fechado e sim são espalhados no espaço e em tempos na escala astronômica. Quando tais bits que eram vizinhos próximos no sistema astronomico se encontram na superfície de um astro em boas condições de cultura, eles se juntam na mesma sequencia que estavam e, às vezes, um pequeno pacote de bits já apresenta uma quase vida. Foi isso que fez um único ancestral se diversificar nas milhares ou milhões de espécies biológicas.  Até que finalmente todos os pacotinhos se juntaram num só corpo, e assim surgiu o primeiro sistema biológico completo, a tal da primeira célula.

    Bem,… vemos na figura acima do building block astronomico que pulsares e cometas ocupam as posições F4 e F5. Mais tarde F4 foi a função que criou o sistema reprodutor masculino, e F5 a função que criou o espermatozoide. Portanto, os dois ligados ao sistema reprodutivo.

    Quando comecei a estudar mais detalhadamente os vírus porque a formula da Matrix/DNA vinha sugerindo novas explicações para tudo que existe em Biologia, e virus – devido seu poder maligno mortal – é algo muito importante para se buscar conhece-los melhor, um primeiro fator me chamou atenção: eles não podem se reproduzirem sozinhos, precisando para isso da maquinaria reprodutora existente dentro de um sistema celular. Mas no momento que penetram uma célula, passam a reproduzirem desvairadamente, como se essa fosse a suprema função de sua existência. Ora… isso era justamente o que faria F4 e F5 na formula da Matrix/DNA. Então surgiu a forte suspeita que virus são pacotinhos genéticos incompletos semeados na superfície da Terra correspondentes aos trechos que vão de F4 a F5, os quais, no building block astronomico são pulsares e cometas.

    Um detalhe interessante da Matrix/DNA é que uma função sistêmica universal parece-se com um artista ou trabalhador que seu estilo especifico, unico, de fazer seu trabalho, seja em qualquer ambiente e quais materiais estiverem disponíveis. Cada função sempre modela o seu “corpo”, a sua ferramenta material, da mesma forma, variando apenas em detalhes que não são possíveis manter o modelo original devido muitas diferenças no novo ambiente. Sendo assim, os virus teriam que ter uma forma semelhante ao do pulsar, pois a mesma função, a mesma artista modelou os dois. E quando bato o olho agora numa figura do virus da Aids imediatamente me lembro da forma do pulsar feita na minha figura. Aquelas extensões que mais parecem crateras no corpo do virus imitam exatamente os vulcões dos pulsares. É mais um indicio ( claro, nada mais que mais um indicio apenas) de que a fórmula da Matrix/DNA pode de fato existir e que está – do jeito que a calculei – bem próxima da fórmula real. Por isso vamos manter este registro para engrossar esta longa busca de mais dados sobre virus e pulsares…

    Me surge agora a idéia de que uma coisa urgente a fazer aqui é tentar desvendar porque o virus desativa o sistema imunológico de defesa. Este sistema é imitação do circuito inteiro da fórmula, o qual produz a identidade do sistema, o qual deve controlar e manter o sistema existente, como no caso da Matrix fechada, nada de fora pode entrar, o que significaria a morte do sistema. Parece até o caso quando um casal se morre por amores e atração mutua que se fecham num quarto e deixam o mundo acabar lá fora. De dentro do quarto só vai saindo filhos. A casa, o sistema familiar se desorganiza todo. Parece que isto acontece quando a parte masculina representada pelo virus se encontra com a parte feminina que é o nucleo celular. A função masculina reprodutiva é na célula, feita pela mitocôndria, mas de alguma maneira o virus tira a mitocôndria para escanteio. Mas isso será mais uma pesquisa para quando tiver tempo…

     

    Visita de Cometa ao Nosso Sistema Solar é Oportunidade para Repensar Nossas Origens

    segunda-feira, outubro 20th, 2014

    Comet makes rare close pass by Mars as spacecraft watch

    http://news.yahoo.com/comet-makes-rare-close-pass-mars-spacecraft-watch-194444215.html

    Yahoo: “Comets are believed to be frozen remnants left over from the formation of the solar system some 4.6 billion years ago.”

    Matrix/DNA: ” This is the hypothesis in relation to the Academic Astronomic Nebular Model, is not thru in relation to Matrix/DNA astronomic model.  And I prefer the Matrix model here because I can’t see at the larger theoretical picture of stellar systems formation from the Nebular Theory how the initial cloud of gas/dust that makes stable bodies circling at regular orbits could produces a body that never stops moving and going outside the system.

    Accordingly to Matrix/DNA model, comets are produced by olders planets with magma of emissions from giant volcanoes, planets becoming pulsars. So, comet Siding Spring didn’t comes from the Oort Cloud, only have passed through it, coming from outside this Solar System. 

    The biggest problem for Academic Nebular theoretical model is the belief that life at Earth and biological evolution has nothing to see with our surroundings astronomical systems and cosmological evolution. The model has shared Universal Natural History into two separated blocks of histories without an evolutionary link between them. The Matrix/DNA model was calculated doing the reverse way, focusing upon the final product ( biological systems) and going back wards for calculating the initial creator ( an astronomical system). Doing that I have discovered that all life’s properties were there, 10 billions years ago, at its primitive states and shapes, hidden in these astronomical systems. So, the big boards we see here today, like sexual reproduction, metabolism, digestion, and till the formation of familiar systems, were not created by the stupid matter of this lost planet, but by the entire Cosmos. Comets, for instance, makes in the sky the same systemic function for creating seeds of new stars as makes spermatozoids here for creating germs of new biological creatures. Siding Spring is a kind of spermatozoon that did not fecundate the ovule ens then, will falling and moving till be totally fragmented. But… how and why a comet does not fall into any regular orbit around the big bodies like Mars? Because its nucleus has a magnetic field drawn for to be synchronized with the spiral lines of this galactic systems which pulls the comet towards its nucleus. When the comet goes out this trajectory it becomes uncontrolled till dying, as any non fecundating spermatozoon. At last, Matrix/DNA models does not needs magics from gods and absolute chances.

    Mr. Flibble 4 minutes ago

    Never seen so much gibberish purporting to be a viable hypothesis in my life.

    Louis

    Mr. Flibble: If my brain was hard-wired by the western modern world view I should think like you ( that the above hypothesis seems merely gibberish), so, as I know how yours brain was configured, I understand yours negative reaction. Adding to the big problem facing an alien world view,
    the problem of non-native English language, and I understand you will not understand a bit of my hypothesis. Remember: between my hypothesis and yours hypothesis only more data and time will be the judge. I don’t know if the results of my own method of investigation are right, they are under testing against real facts. Another hypothesis are not authorities for testing it…

    Mr. Flibble 2 minutes ago

    Except that data already collected in no way supports anything of what you claim. You ask why the comet doesn’t “fall into any regular orbit”, well, what about all the scads of comets that are in nice, regular orbits? There are hundreds known. There is zero evidence whatsoever of cometary magnetic fields being drawn anywhere, and it’s not because we just can’t detect them.

    Louis

    Mr. Fibble: astronomical bodies like comets are under continuing changes ( at astronomical dimension of time, of course). Like we don’t have a fixed line separating the states and shapes of an adult and a kid human body, we don’t have fixed limits separating what astronomical body is at a determined shape. A comet recently falling from galactic magnetic field like Siding Spring is not like those remains of olders comets that “seems to us” to be in regular orbits. How much time have yours data for saying that they are under “astronomical regular orbits”?! If astronomical time necessary for establishing if any orbit is regular counts by millions of years? Which else proved real data do you have for debunking the Matrix/DNA astronomical model?

    So, planets, stars, moons all of them have magnetic fields, but accordingly to the official academic model, comets does not have it?! Explains, please…

    Mr. Flibble 22 minutes ago

    Because they have no dense core of conductive material in motion. The only magnetic effects observed in comets are from positively ionized gases inducing faint magnetic fields when they approach the sun.

    Louis

    Even that yours informations are thru, they does not debunks Matrix/DNA hypothesis. But…First: Of course, comets are becoming olders, going into fragmentation, so, losing the initial magnetic field, and we does not know what is the real age of Siding Spring for establishing how is its magnetic field just now. Second: I don’t know when and how and which people got material from comets nucleus at its early stages ( or even at older shapes). If you have any link, I will appreciate it.Third: why not the motion of the comet through the sky could not be the projection of the inner motion of its own nucleus?

    And please, think about this hypothesis: bodies moving in the sky can be under two drivers magnetic field: one from the stellar system and other from the galactic system. So, if a body shows incoherence of orbits in relation to the solar system it is crossing just now, it must be because it is driving by the hidden field of the galaxy…

    But, if want to know the foundations of Matrix/DNA hypothesis you need see the Matrix/DNA formula for natural systems, and understanding that comets are about the systemic function number F5. If the model is right… the comets’ nucleus have big surprises waiting for us…related to biological systems. Surprises that will explains those organic molecules found at their fragments, the meteors…

    Louis 4 minutes ago

    Btw: To Mr. Flibble: I am very grateful that you are spending yours time talking with me here, because I need to know how other people think, it is very good for testing and pointing out new niches that I have not thought before. Thanks a lot…

    x

    x

    Capn 7 hours ago

    If, in the course of a thousand or two thousand years, science arrives at the necessity of renewing its points of view, that will not mean that science is a liar. Science cannot lie, for it’s always striving, according to the momentary state of knowledge, to deduce what is true. When it makes a mistake, it does so in good faith. It’s Christianity that’s the liar. It’s in perpetual conflict with itself.

    Louis

    Capri, I think you have a good point, but listen the post from Kevin. Scientists needs never forget that all general theories changes overtime, so, our modern world view will change drastically, accordingly to real History of all general theories. There is just now a recently new born theoretical astronomical model suggesting a different interpretation of the systemic organization of astronomical bodies, so different as it was different the heliocentric and the geocentric astronomical models. The new model ( The Matrix/DNA Universal Formula for All Natural Systems and Life’s Cycles), suggests that this galaxy is covered by a primitive state of biological properties, hidden from our knowledge till today. So, even that the new model could be wrong, it works rationally, showing that we still can face big revolutions like that occurred when Copernicus announced the heliocentric model. What we are seeing as the beginnings of stars and black holes formations, are just the opposite, it is their ends… Really Science does not lies when referring the real collected proved data, but people working with scientific method always makes errors when interpreting those data and trying to see the big picture…

    Mr. Flibble 14 minutes ago

    Well, it’s not for others to spend their time debunking every hypothesis that pops up, it’s up to the person presenting it to create a model and then provide hard, demonstrable evidence for it. From what I can see, the “Matrix/DNA” model exists only on a website and in replies on comment boards. Terms like “systemic function number F5” are meaningless to virtually everyone.

    Bodies moving in the sky are under one primary driver over anything else: gravity.

    The Rosetta spacecraft is attempting to land a probe on a comet next month, I don’t expect it to find anything that isn’t what is already easily discernable through spectroscopic observation, but we’ll see!

    Louis

    Yes, I am also excited waiting for Rosetta news. Cheers…

    Cometas: Com Nucleos Elétricamente Carregados? Confirmando os Modêlos da Matrix/DNA?

    quinta-feira, outubro 4th, 2012

    Ví isto rapidamente e copio aqui para posterior investigação. Será verdade?

    http://endgametime.wordpress.com/about/

    UPDATE JUNE 25, 2011

    THE DATES ARE NOW KNOWN.

    Nasa’s facts are wrong.  Here are the facts that Nasa doesn’t want you to know.  COMET ELENIN is an extinction level event coming out of constellation LEO.   Discovered by Leo Elenin?

    Elenin is a very dangerous comet because it is a long period comet whose tail the Earth will pass through. Comets are not balls of ice and dust like Nasa states, but are charred metal electrical super-capacitors that recharge a star. Nasa will not release this information because there is absolutely nothing anyone can do about it except panic.

    Comets are electromagnetically connected to the sun and planets by EM ropes (JPL, 2005). Extreme EM can cause earthquakes. This is what HAARP research is based upon. EM energy lubricates fault lines. The reason Elenin is causing quakes when others comets do not is because Elenin has been in deep space a long time gathering electrons to energize the sun by discharging its capacitance.

    Comets pick up electrons as they fly through space. The more massive the comet nucleus and the longer in space without discharging, the more electricity is stored in the comet. When the comet approaches the sun, it begins to glow because the electric circuit is energized by the sun’s proton wind. When we see a comet suddenly brighten, this is because the comet is discharging electricity to the sun through EM ropes which produces an extraordinary burst in brightness. The sun provides the positive charge and the stored electrons surrounding the comet provide the negative charge to complete and electric circuit and fire up the photon tail. The metal comet nucleus behaves similar to the filament on a lightbulb when positive and negative wires are attached. The bulb glows. The brightness is proportional to current flow.

    Comets do the same thing. They start off far away with just the solar wind causing a faint glow until the comet gets close enough to the sun for the comet to discharge its stored capacitance to the sun. The infrared signature for comet Elenin suggests the charge Elenin is carrying is so large that when the comet dumps its capacitance, the resulting photon eruption (comet tail) will engulf the Earth as the Earth passes through the tail around September 26th and then through the EM ropes on November 22nd.

    When Elenin was 14 AUs away on June 14, 2007, Nasa photographed the comet when they took the infrared image for google sky. The infrared image indicates Elenin’s infrared electrical signature is 17 million miles across with xray jets extending over 100 million miles from Elenin. When Elenin flares and dumps its electron load (electricity), the photon flash will be so great that it will instantly turn the earth’s surface into light energy.

    The reasons other comets do not present the same threat is that most comets do not pass between the earth and the sun putting the earth in the tail. Also, comets with periods of a hundred years or so are able to dump their charge more frequently which keeps the IR signature low.

    Elenin is different. There is no other object is space that humans have identified that has an electric signature in infrared like Elenin. God is light and He is coming for you. See you all on the other side.

    Cometa Wild 2 a favor da Teoria da Matriz e contra a Teoria Nebular?

    sábado, fevereiro 6th, 2010

    Comet Wild2’s ParticlesAs partículas do cometa sendo analizadas por técnicos da NASA

    Eu não quero acreditar que um individuo nascido raquitico e miserável, tendo sido menor abandonado e quando adulto tornou-se um homem das cavernas vivendo isolado na selva amazônica, tenha descoberto o segrêdo do mundo, o código do Universo. Eu retornei da selva porque fui de lá retirado em estado de coma malárica por nativos que chegaram à fronteira e me entregaram à civilização do homem branco num vilarejo. E quando acordei no hospital a primeira coisa que fiz foi arrancar do cós da bermuda um amarrotado papel contendo um tôsco desenho e bramando para a enfermeira:– “ Ei… o espirito da selvas me contou… eu descobri… uma coisa muitissimo importante que está nesse papel, se eu morrer você entrega ele na universidade prá mim?”Vendo que eu estava no delirio do estado de coma a enfermeira condescendente perguntou: – “E o que você descobriu, senhor Luís?”– “ É a formula que a Natureza vem usando a bilhões de anos para produzir a matéria e organizar essa materia nos sistemas, desde universos a corpos humanos,.. o nosso corpo! Isso é a mão do seu Deus que você acredita, é o código genetico do Universo! Isso vai nos a dar… – `a nossa espécie humana – o maior poder sobre o mundo para resolver todos estes problemas bêstas tal como aniquilar com estes virus que me pegaram. Isso é muito importante, eu fiz minha missão, faça a sua, apenas entregue êsse papel a um professor qualquer na Universidade.”A selva é o inferno e a gente sai de lá delirando mas já é passado o tempo para eu acordar e perceber que essa descoberta e naquele lugar seria impossivel, que o mapa do tesouro não vale nada, tenho me esforçado ao maximo para esquecer a matriz e ter a cabeça pronta e eficiente para sobreviver neste mundo, mas o que fazer se tenho o vício irrestivel de todo dia logo ao acordar correr ao computador e checar as novidades do Journal Nature, do website da NASA, da AAAS, e todo dia ver que um novo fato descoberto vem acompanhado das frases – “ este fenômeno não é ainda bem conhecido em seus mecanismos”, ou,  “o novo fato tem provocado controvérsia nos meios cientificos necessitando rever-se a teoria”, etc. – enquanto, por meu lado, imediatamente que vejo o fato entendo-o perfeitamente, vejo seu significado, vejo os mecanismos que o suportam, vejo sua inteira história desde suas ancestralidades nas origens do Universo até seu estado atual e ainda faço as previsões do que ele será no futuro? Bem, na verdade não é bem assim, os mapas e modelos da Matriz ainda não tão poderosos, mas quase… Se forem provados como sendo verdadeiros, eles lançam uma mente humana a milhares de anos a frente! Por exemplo, essa noticia no site da NASA, missão Stardust. Descobriram que num cometa existem partículas muito velhas, tão velhas que remontam às origens do nosso sistema solar ( e quando vejo essas palavras “origens de sistemas” minhas orelhas já pulam e ficam de pé, atentas para o que vem a seguir) mas que tais partículas só poderiam ter sido produzidas num ambiente sob elevadas temperaturas, contrariando totalmente os modelos da teoria official acadêmica sobre origens de cometas, mas caindo como uma luva linda de morrer sobre meus modelos… como saio dessa? O que você faria sob esse bombardeio todo dia, todo dia, e jà vem isso acontecendo a 25 anos? Pô, coincidencias existem, mas milhares de repetições do mesmo tipo de coincidencia?! Um modelo de algo impossivel existir porem engolindo tudo o que existe, e suavemente goela abaixo!? Bem, vamos lá a ver mais essa nova descoberta e ver a controvérsia entre os modelos teóricos feitos pelos espiritos do asfalto e pelo espirito selvagem da Amazônia:         A ORIGEM DOS COMETAS REVISITADAUma poeira invisível a olho nu e que pesa menos de um centésimo de miligrama está ajudando a reescrever a história do Sistema Solar. Essas partículas foram recolhidas do cometa Wild 2, visitado pela nave Stardust há quase três anos. Os primeiros resultados da análise desses fragmentos, feita com os mais modernos equipamentos disponíveis no planeta, acabam de vir a público, e estão surpreendendo os astrônomos. Esta é a primeira vez que material de um astro que não a Lua é trazido para análise na Terra. O estudo das amostras envolveu quase duzentos cientistas em nove países.“As partículas coletadas pela Stardust devem ser do mesmo material que se aglutinou com gelo para formar os cometas há 4,57 bilhões de anos, quando o Sol e os planetas estavam se formando”, afirma o artigo principal que apresenta os resultados. O estudo dessas partículas diminutas mobilizou uma vasta gama de instrumentos de alta tecnologia na Terra, alguns dos quais chegavam a ter quilômetros de diâmetro. E os resultados preliminares mostram que é preciso rever algumas teorias sobre a origem dos cometas. Acreditava-se, por exemplo, que os cometas de período curto, como o Wild 2, eram constituídos de rochas formadas no gélido Cinturão de Kuiper, situado além da órbita de Netuno (o Wild 2 se formou nos confins do Sistema Solar e depois teve sua trajetória desviada para regiões mais centrais).No entanto, as análises das amostras trazidas pela Stardust revelaram a presença de um tipo de mineral cuja formação só seria possível em altas temperaturas, nas regiões mais próximas do Sol. Esse resultado indica que materiais formados perto do Sol foram transportados até o Cinturão de Kuiper, onde foram incorporados aos cometas que ali se formaram.
    O artigo pode ser visto em português em: Ciência Hoje On-line 14/12/2006 por Bernardo EstevesOu no site da NASA, Stardust Mision http://stardust.jpl.nasa.gov/science/index.htmlComentário da Teoria da Matriz/DNA(obs. – êste comentário foi feito baseado numa rápida e precária consulta aos modelos e por isso podem conter erros de interpretação  e ser revisado)Estamos observand0o que toda vez que se obtem dados novos, concretos, sem serem interpretações de imagens e sensores do cérebro eletro-mecânico, os acadêmicos se surpreendem, porque os modelos da Teoria Nebular não sugeriam que as coisas fossem assim. E sempre ocorre a mesma reação, nas palavras deles: “As teorias terão que serem revisadas.” Mas com algum tempo, como não conseguem transpor a barreira do materialismo místico magicista que povoa e domina a mente do racionalista moderno, os mais fervorosos defensores da Teoria Nebular acabam arrumando um jeito de torcer as interpretações e encaixarem apertadamente o novo fato no modelo da Teoria Nebular, a qual torna-se assim uma espécie de Leito de Procusto, a que tudo aceita.Os modelos da Matriz absorvem mais este fato com um sorriso aquiescente, piscando furtivamente um olho matreiro para a dona natureza que a tudo testemunha. A presença num cometa de um tipo de mineral cuja formação só seria possível em altas temperaturas, é exatamente o que se deveria deduzir da teoria da Matriz sôbre as origens e constituições dos cometas: quando um planeta cai na órbita de uma estrêla, ocorre com ele a mesma coisa que ocorre com uma semente quando semeada em solo fértil (aliás, na Terra só existe este fenômeno de sementes e sendo semeadas e desabrochando porque tudo isto é mera reprodução de um processo que já ocorria nos céus a bilhões de anos anters das origens da vida). A radiação da luz da estrêla acaba alcançando o germe dormente no nucleo do planeta. Tem inicio as reações nucleares, estas vão se alimentando do material à volta que constitui as camadas geológicas ou placas têctonicas, a pressão interna dos vapores aumenta, cria-se valvulas de escape que se tornam vulcões, os quais vão se tornando cada vez mais poderosos, as erupções cada vez maus violentas, de maneira que o magma acaba sendo lançado no espaço sideral quando a diminuição da massa do planeta o faz ir-se distanciando, escapando da gravidade da estrêla, e este magma na forma de esferas tornam-se os cometas, enquanto tal planeta, mais esburacado por vulcões que um queijo suíço, torna-se um pulsar. No interior dos cometas portanto vai o material incandescente formado na alta temperatura interna ao pulsar e portanto momentos antes das origens de um novo astro, que vai constituir um novo sistema estrelar. Não temos o menor problema com a nova informação, esta sim, real, concreta, e a qual, muito pelo contrário, vem nos alegrar por ser mais uma das evidências que vamos acumulando em favor dos modelos da Matriz/DNA.No entanto, não quero cair no mesmo ardil que parece estarem caindo os estudiosos modernos, não quero também torcer este fato e acomodá-lo em nenhum falso Leito de Procusto, a teoria continua sob suspeita e sendo testada. Poderemos amanhã voltar aqui e retificar isso. Mas que parece mais uma brilhante vitória no sentido de confirmar nossos modelos, isso ninguém pode negar , certo?E o novo dado é suculento material para novos desenvolvimentos dos modelos pois algo aqui mostra que não tratamos ainda desse detalhe: como (?), no conserto das galáxias, se comportam cometas que não fecundaram o vórtice no centro da nébula de poeira resultante de uma estrela morta, de maneira que continuam a perambular no meio dessa nébula mesmo até depois que já se formou novo sistema? Isto aqui está precisando de mais “hard work”.  “A Stardust trouxe-nos muito alimento para o espírito”, afirma em comentário na Science o astrônomo Michael A’Hearn, da Universidade de Maryland (EUA). Para eu, solitáriamente e daqui do meu pequeno lado do mundo, também. Claro que eu gostaria de estar lá excitado e comemorando esta nova grande façanha da NASA, mas eu iria causar muito ruído sendo uma voz única a defender uma idéia estranha para eles e sugerindo novas maneiras de avançar nesta pesquisa.