Posts Tagged ‘computador’

A comparacao entre a formula simples do computador digital com a formula da Matrix/DNA e similaridade com o computador quantico

domingo, março 4th, 2018

xxxx

Uma das primeiras estranhezas que as pessoas notam quando apresento a formula da Matrix/DNA e que as conduzem `a incredulidade surge quando digo que ela e a construtora de todos os sistemas e seus acessorios naturais. Parece-nos algo igual a antidga forma de dizer  “Deus fez tudo”. Mas…

As pessoas se esquecem que o modernos computadores usam bilhoes de transistores e multiplos niveis de codigos para produzir videos de alta definicao e complexos apps, mas se olharem mais atentamente vao notar que tudo deste mundo digital se reduz a uma simples series de bits, com duas variaveis apenas, 1 e 0.

Ok, o mundo real, o universo, tem muito mais coisas do que as que podemos ver produzidas nas telas dos computadores. Mas tambem tudo se reduz a uma formula muito mais complexa do que a formula do computador. vamos classificar as diferencas:

  1. Para comecar esta formula tem 7 variaveis principais e nao apenas duas.  Se conseguirmos um computador com sete variaveis – e teria que ser quantico para entrelacar com velocidade da luz estas variaveis – ele sera milhoes de vezes mais poderoso do que o atual. Mas note que eu disse ” principais variaveis”. Porque? Ora, o fluxo da corrente energetica ou de informacoes que corre dentro da formula obedece ao processo do ciclo vital. E o que este processo produz nos organismos, nos nossos corpos? Que a cada minute more uma celula e entao e’ produzida outra para ocupar seu lugar mas a nova sera em algum detalhe diferente da anterior porque o momento, forma, e estado do corpo quando a celula morreu vai se transformar e o momento, forma e estado do coepo quando a outra celula vier tera algum detalhe de diferenca.  Num corpo humano nos dizemos por conveniencia que existem seis estados ao longo de uma vida:  forma fetal, embrionaria, infantil, juvenile, adulto, senil, cadaver, ou seja la que outro tipo voce queira divider isso. Estas sao as variacveis peincipais, os carros-chefes, as que mais vixsiveis vemos. Mas atras delas vem as variaveis de cada minute, cada Segundo que o corpo tem um estado e forma unica, entao a formula tem uma quantidade de variaveis que tende ao infinito, se voce for dividindo as principais e entrelacando-as com suas variaveis vizinhos obtendo as intermediarias, etc. Nao sao apenas os bits que tendem ao infinito, mas tambem o numero de letras do algfabeto da linguagem que a Matrix fala. Nossa mente nao tem o poder para sequer imaginaar a grandeza disso.
  2. Em segundo lugar, o movimento da energia dentro do computador que conduz o software, os comandos de instrucao, e’ unidirecional, so tem um caminho e para a frente, um caminhar sem outro significado senao o de ir galgando degraus como quando se move numa escada, subindo. Cada novo dado inserido nesse fluxo de informacoes e ele apenas e’ acrescentado, quantitativmente, para fazer crescer em volume e peso o fluxo, nao sao dados que inseridos vao transformar retroativamente os dados anteriores para melhorar a qualidade e desta aumentando tambem a diversidade de produtos.  Ora, na formula da Matrix/DNA o movimento do fluxo de informacoes e’ feito pelo processo do ciclo vital, de maneira que as informacoes internas ja possuem a instrucao para transformar estados de um momento para diferentes estados nos momentos seguintes, o que significa que existem muitos mais niveis, camadas, dimensoes de codigos previstos na formula.
  3. Alem disso, as duas variaveis do computador nao constituem um sistema functional e sim apenas um processo de bate e rebate com igual direcao, intensidade e significado. E’ preciso diferenciar sistemas de processos: processos sao apenas as trocas, as interacoes automaticas entre dois ou tres elementos onde o objeto que circula entre os agentes permanence sempre o mesmo. Sistema e’ o conjunto de todos estes processos internos mais os extrnos e ainda de uma maneira que pelo ciclo vital transforma os objetos que circulam. O priocesso entre as duas variaveis no computador e’ como ficar eternamente “hitting around the bush”, rodeando em circulos sem avancar do lugar, por isso o computador nao sabe criar nada de si mesmo, nao sabe transformar, apenas engrossar. Se o fluxo avanca mecanicamente, linearmente, de uma posicao para outra, ‘e por pura contingencia das forssas fisicas. Enquanto isso, a formula da Matrix/DNA, as variaveis principais tem a escolha ou possibilidade de seis caminhos diferentes na interacao com as seis outras variaveis e depois uma infinidade de caminhos nas interacoes com as variaveis secundarias. Quando ela pode fazer este entrelacamento, esta danca flexivel, ela pode trnsformar e criar coisas novas.
  4. Nos nao inventamos o computador por uma ideia vindo do nada. Conscientemente ou nao nos estamos fazendo computadores porque nos temos uma natureza que possui recursos, mecanismos e processos, para fazer cerebros que fazem processamento de informacoes. Nos comecamos com pedrinhas substituindo os dedos para criar numerous e contas primarias, depois substituimos as pedrinhas pelo abaco e chegamos as maquinas mecanicas a manivela de calcular. Quando aplicamos energia eletrica nestas maquinas a potencialidade delas surgiram multiplicadas e entao comecamos, inconscientemente, a perceber que aquela maquina podia manter memoria, processar informacoes pela simples tecnica de acrescentar dados, e hoje, a cada dia mais, o verdadeiro criador do computador, que e’ o cerebro humano, nao o esta criando do nada mas sim se auto-projetando num Claro processo de autoreplicacao. Ora, mas o cerebro humano foi feito, criado, depois de muito trabalho evolutivo, pela formula da Matrix/DNA. Entao, indiretamente, quem produziu e esta aprimorando a maquina computadora ‘e a Matrix. Ela nao pode ainda se autoprojetar com sua quase infinita capacidade, ela tem ainda apenas nem um feto, tem uma morula, uma blastula desta autoprojecao. Entao nao se admire que tudo o que voce ve o computador fazer vindo de uma formula tao simples seja uma analogia veridical com tudo o que voce ve vindo da formula da matrix/DNA.

A seguir algumas dicas para entender melhor um computador nos seus aspectos relacionados `a sua formula:

Let’s begin by reminding ourselves how digital computers work.

Vamos comecar lembrando-nos como computadores digitais funcionam.

The basic ingredient is the binary digit, or bit, which may take only the values 0 or 1. In modern computers, bits take the form of tiny electrical switches called transistors. Transistors are in one of two states. When they are switched on, they conduct electrical current. This is the “1” state. When switched off, they are not conducting current. This is the “0” state.

O ingrediente basico e’ o digito binario, ou “bit”, o qual pode ter apenas dois valores: ou 1 ou 0.

In a physical computer chip, we might find a series of transistors in the following states: on, on, off, on. In binary, the mathematical language of computation, the series becomes 1101.

This might appear to be an inadequately crude method of communicating information—how could we possibly convey the rich tapestry of the world using only this black-and-white mold? The first step is recognizing that bits can represent numbers in our traditional counting system. For example, 1101 represents the number 13 and 0110 represents the number 6.

In fact, these are the only ways we can represent 13 and 6 using bits, creating a unique translation dictionary between strings of bits and normal numbers. In this way, we can assemble arbitrarily large numbers by stringing together bits. The MacBook Pro uses a 64-bit processor to express every number up to 18,446,744,073,709,551,615.

But if computers could merely store numbers, we would not find them very useful. The reason computers have become ubiquitous is we can use these numbers to further represent many other things.

Take shades of gray: simply interpolate between pure black (0) and pure white (255, by convention). Colors can be decomposed into red, green, and blue components, each having their value interpolated up to 255. Logic operations, musical notes, letters in the alphabet, internet pages, online dating profiles and many other types of information may be expressed in the same way.

Modern computers use billions of transistors and multiple levels of code to produce high-def video and complex apps, but look closely enough, and the digital world reduces to a simple series of bits. 

(Check out this video to learn more about how binary works.)

https://www.youtube.com/watch?time_continue=14&v=kcTwu6TFZ08

Bem, agora a evolucao dos computadores estao entrando na era dos computadores quanticos. A grosso modo eles sao milhoes de vezes mais eficientes e poderosos do que os atuais digitais porque enquanto o digital so pode fazer uma operacao a cada vez, limitado pelas portas 1 ou 0, os quanticos poderao fazer milhoes de operacoes ao mesmo tempo. Os muitos estados em que ocorrem as operacoes me parece uma timida imitacao dos quase infinitos estados que um organism pode apresentar como variaveis. Vamos ver no link abaixo uma  das melhores explicacoes sobre o que e’ computador quantico:

 This Is What Makes Quantum Computers Powerful Problem Solvers

https://singularityhub.com/2017/03/30/this-is-what-makes-quantum-computers-powerful-problem-solvers/#sm.0000ts2qoko8sfrnuve1ro1f2je6a

This Is What Makes Quantum Computers Powerful Problem Solvers

 

Relações “mente x cérebro” e “software x hardware”

sábado, maio 20th, 2017

xxxx

O texto abaixo é de um comentário postado na Internet. Alguns pontos estão relacionados com a sugestão da Matrix/DNA, como por exemplo, a sugestão de que existe um processo de feed-back evolucionário entre software e hardware. O autor relata que a mente ( o software), pode mudar a estrutura do cérebro ( o hardware), mesmo enquanto um cérebro existe… o que não foi sugerido pela Matrix/DNA. Vejamos o comentário e uma interessante resposta a ele:

” No computador, a programação está representada em estados elétricos, na mente, a memória é representada de forma simbólica, e está armazenada nas sinapses, as conexões entre os neurônios.

Só que, diferente de um computador, no cérebro a programação (que é em parte introduzida via interação social, parte já vem “pronta”, como os instintos de sobrevivência) altera a própria estrutura do cérebro. Experiências traumáticas deixam marcas indeléveis no cérebro, marcas que se traduzem em traumas e fobias.

No momento que a pessoa morre, a sua consciência se desfaz, à medida que as sinapses vão se desfazendo e os neurônios vão morrendo. Por isto um acidente que resulte em asfixia pode causar traumas tão sérios no cérebro. Também aneurismas costumam comprometer regiões do cérebro resultando em perda de memórias e perda de habilidades, que tem que ser reaprendidas (a pessoa passa a treinar outras regiões do cérebros para fazer aquela atividade que era responsabilidade da região perdida).

Não tem computador no mundo que funcione desta forma. Você pode, por exemplo, copiar a memória de um computador em outro computador, e os dois terem a partir daquele momento exatamente o mesmo conteúdo, mas como é que você vai copiar a matriz de sinapses de um cérebro em outro? Por isto também não tem como fazer a transferência de mente de um corpo para outro sem que se faça a transferência de todo o sistema neurológico (tronco cerebral completo).”

Resposta de outro comentador:

” O computador realmente não tem memória, mas assim como o cérebro, retém cargas elétricas armazenadas para indicar uma atividade. Essas cargas em forma de ponto dependem extremamente do sistema e sem este nada é.
Por favor, qualquer um que entenda informática sabe que o pc reproduz imagem e video mas não os vê, reproduz música, mas não a escuta. Da mesma forma armazena dados como se tivesse memória própria, mas não lembra de nada!”

E outro comentario:

Para melhor explicar o que penso, vou fazer uma analogia.
Vamos tomar como exemplo um PC e vamos considerar que o cérebro do PC é o processador. O processador é responsável por todas as atividades do computador e tem uma memória responsável para efetuar tarefas repetitivas. Porém não tem inteligência para escrever um texto, desenhar uma figura ou efetuar cálculos necessários para a construção de um prédio por exemplo. Todavia, o dono do computador, que está fora dele, e que consideraremos como a Consciência, resolve instalar um programa chamado Office para escrever textos e que pode ser considerado como um atributo inteligente. Assim, essa Consciência, mesmo estando fora do computador e do processador interfere nele integralmente. Depois de alguns textos escritos, o processador já saberá como se comportar e vai repetir automáticamente as tarefas de abrir o editor, escrever o texto e salvar o arquivo, mas não terá a menor noção da importância do conteúdo do texto. Quem vai ter essa noção é o dono do computador que está fora dele, ou seja, a Consciência do computador. O processador do computador poderá com o tempo apresentar defeitos o que impossibilitará a Consciência (o dono) de utilizar o computador. Da mesma forma, o nosso cérebro desempenha funções meramente automáticas e repetitivas, absorve atributos inteligentes e utiliza-os repetindo as mesmas funções automáticamente. Só a Consciência que está fora do corpo e do cérebro é capaz de fazer uso inteligente desses conteúdos. Se nosso cérebro apresentar defeitos quer por desgaste quer por uso de drogas, a Consciência não poderá mais interagir com ele.

Neurocientista Acredita que a Consciencia e’ Apenas uma Ilusao

terça-feira, abril 11th, 2017

xxxx

A grande maioria do povo brasileiro ainda não sabe o que se passa nos modernos apóstolos das nações ricas que proliferam nas universidades modelando as mentes da juventude. Um destes famosos e muito ativo na imprensa, e’ o cientista Daniel Dennet. Traduzo aqui uma entrevista que ele deu para a BBC ( BBC Radio 4’s The Life Scientific ) onde ele expõe completamente essa visão de mundo que caminha ao lado do poder mundial hoje. Porem, a seguir, escrevo a interpretação disso tudo sob a perspectiva de outra diferente visão do mundo que pode dar uma ideia de quanto podem estarem errados e como isso esta’ se tornando demasiado perigoso para a sobrevivência da humanidade que já vive na corda bamba. Boa leitura e perdão por alguns errinhos feitos `as pressas, com equipamento inadequado para português, etc.:

Brain

Image copyright Science Photo Library

O cientista cognitivo Daniel Dennet acredita que nossos cerebros sao maquinas, feitas de bilhoes de pequenos robots – nossos neuronios, ou celulas cerebrais.

Num infeliz memorandum escrito em 1965, o filosofo Hubert Dreyfus afirmou que humanos sempre iriam bater computadores no jogo de xadrez porque falta intuicao `as maquinas. Dennet discordou.

Poucos anos depois, Dreyfus se encontrou muito embaracado perdendo no check-mate para um computador.

E em maio de 1997, o computador da IBM, Azul Profundo, derrotou o campeao mundial de xadrez, Garry Kasparov.

Foram muitos os que ficaram infelizes com estes resultados e argumentaram que o jogo de xadrez seria um jogo com uma logica enfadonha. Que computadores não precisam de intuicao para ganhar. O alvo da competicao mudou em busca de outro jogo.

Daniel Dennet sempre acreditou que nossas mentes sao maquinas. Para a questao nao e’ se computadores pordem se tornarem humanos. E sim se humanos podem ser tao bons e sabios quanto computadores.

Numa entrevista para a BBC ( BBC Radio 4’s The Life Scientific ), Dennet disse que nao ha’ nada de especial sobre intuicao. ” Intuicao e’ simplesmente conhecer uma coisa sem conhecer como voce chegou nela”.

Daniel Dennett

Daniel Dennett acredita que nossas celulas cerebrais sao robots respondendo a sinais quimicos – Image copyright Maria Simons

Dennet lamenta que o filosofo Rene Descartes foi o responsavel por permanentemente poluir nosso pensamento sobre como pensar a respeito da mente humana.

Descartes nao poderia imaginar que uma maquina seria capaz de pensar, sentir, e imaginar. Tais talentos so podiam terem sido dados por Deus. Ele esteve escrevendo no seculo XVII, quando maquinas eram feitas de correias e ferro, nao CPUs e RAM, por isso nos devemos perdoa-lo.

Robots feitos de robots

Nossos cérebros sao feitos de uma centena de bilhoes de neuronios. Se você fosse contar todos os neuronios do seu cerebro na razao de um por segundo, você gastaria 3.000 anos!

Nossas mentes sao feitas de maquinas moleculares, mais conhecidas como celulas cerebrais. E se voce achar isto depressante entao a voce falta imaginacao, diz Dennet.

Kasparov v Deep Blue, 1997

Image copyright Getty Images O povo ficou chocado quando um computador derrotou o campeão mundial de xadrez Garry Kasparov in 1997

“Voce conhece o poder de uma maquina feita com um trilhao de pessas em movimento?”, ele pergunta.

” Nao nao somos apenas robots”, ele diz. ” Nos somos robots, feito de robots que sao feitos de outros robots”.

Our brain cells are robots that respond to chemical signals. The motor proteins they create are robots. And so it goes on.

Nossas celulas cerebrais sao robots que respondem a sinais quimicos, apenas isso. As proteinas como motores que elas criam sao robots. E assim por diante.

Como a tela de um telefone

Auto-consciencia e’ real. Claro que e’. Nos experimentam os ela a cada dia. Mas para Daniel Dennet, consciencia nao e’ mais real que a tela de seu laptop ou seu telefone.

Os programadores que fazem estes aparelhos de telefones espertos chamam eles de ” ilusao de usuario”. E’ um pouco depreciativo, talvez, mas eles acertaram em cheio.

Pressionando os icones em nossos telefones nos faz sentir no controle. Nos sentimos que controlamos o heardware interno ao aparelho. mas o que nos fazemos com nossos dedos em nossos telefones e’ antes uma patetica contribuicao `a soma total das atividades do telefone. E, e’ claro, ele nunca diz a nos nada de como ele funciona.

A auto-consciencia humana e’ a mesma coisa, diz Dennet. ” Ela e’, para o cerebro, a ” ilusao do usuario”, dele mesmo.”

Ela parece real e importante para nos mas ela nao e’ de grande importancia. ”

O cerebro nao tem que entender como o cerebro funciona.

Não somos tao inteligentes como pensamos

Nos sabemos que nos evoluimos dos macacos. Nos sabemos que compartilhamos 99% do nosso DNA com chimpanzes.

Nos sabemos que alguns dos nossos comportamentos sao de natureza animal, ( geralmente os instintos dos quais nos nao nos orgulhamos). Nossas maiores qualidades especiais, nossa inteligencia, nossas intuições e criatividade, nos gostamos de pensar que vem de causas muito especiais.

Chimp digging with a tool

Nos humanos temos tradicionalmente enfatizado nossas diferencas do reino animal, mas nos somos nada mais que o resultado das experiencias evolucionarias – Image copyright ADAM JONES/SCIENCE PHOTO LIBRARY

Nossos cerebros, como nossos corpos, tem evoluido durante centenas de milhoes de anos. Eles sao o resultado de milhoes e milhoes de anos de perigosos “jogos de erro e julgamento” que totalizam nossas experiencias evolucionarias.

Desde uma perspectiva evolucionaria, nossa habilidade de pensar nao e’ diferente da nossa habilidade de fazer a digestao, diz Dennet.

Ambas estas atividades biologicas – fazer digestao e pensar – podem ser explicadas pela Selecao Natural da Teoria de Darwin, ffrequentemente descrita como a sobrevivencia do mais adaptado.

 

Julgamento e Erro

Nos evoluimos de uma incompreendida bacteria. Nossas mentes, com todos seus remarcaveis talentos, sao o resultado de uma infinidade de experiencias biologicas.

Nosso genio nao nos foi dado por Deus. Ele e’ o resultado de milhoes de anos de erros e julgamentos – para na proxima vez nao cometer o mesmo erro ou errar menos. Assim vamos acertando, evoluindo.

When a bacteria moves towards a food source, scientists don’t praise the bacteria for being clever. That would be highly unscientific. But when scientists describe thinking as a biological activity, they risk ridicule or outrage (depending on the company they keep).

” Quando uma bacteria se move na direcao de uma fonte de alimentos, nossos cientistas nao elogiam a bacteria por ser inteligente. Eles seriam demasiados anti-cientificos. Mas quando os cientistas descrevem o pensamento como uma atividade biologica, eles se arriscam a serem ridicularizados e blasfemados. Mas essa e’ a verdade”, diz Dennet.

Such fierce reductionism offends. How naïve to suggest that there is nothing more to the human mind than a bunch of neurons!

Esse afiado reducionismo ofende o orgulho dos humanos. Quao absurdo e’ sugerir que nao existe nada mais na mente humana do que um monte de neuronios!

Descartes grosseiramente subestimou as maquinas. Alan Turing colocou as coisas nos eixos. Ele previu que no final do seculo XX: ” O uso de palavras e da opiniao educada tera alterado tanto que uma pessoa sera capaz de falar de maquinas pensantes sem ser contraditorio”.

Computadores em 1960 nao eram tao bons no xadrez. Agora eles tocam saxofone como John Coltrane.

Nesta era digital dos supercomputadores e telefones espertos, certamente nao sera dificil imaginar como uma maquina feita de trilhoes de pessas auto-moventes pode ser exatemente um humano.

xxxx

Analise pela perspectiva da cosmovisão da Matrix/DNA

A Humanidade ja construiu varias civilizações poderosas – como a dos egípcios, dos babilônicos, dos romanos, etc – e todas caíram. Porque? Porque foram construídas tendo por base uma interpretação errada da realidade do mundo, o qual os pegou de surpresa. Agora temos mais um modelo de civilização, moderna, se assentando em cima de uma cosmovisão que se afirma a passos largos através das escolas e do poder. Tera’ a humanidade descoberto a verdadeira interpretação do mundo e com isso esta civilização não vai desaparecer, ou vai se transcender naturalmente?

Claro que não. Basta a dizer, primeiro, que nos ainda somos quase cegos, vemos e percebemos nos objetos e no mundo apenas uma faixa das sete faixas de organização da matéria mostrada pela luz visível. Segundo que esse nosso minusculo cérebro jamais seria capaz de processar as informações da verdade ultima de um mundo que não pode ter surgido por um “começo” mas também não pode estar existindo infinitamente sem ter tido um “começo”. Tem que existir uma terceira alternativa mas talvez nenhum tipo de cérebro sera capaz de entende-la. Nos não podemos ser fanáticos em nenhuma visão de mundo como estão sendo os camaradas de Daniel Bennet, se quisermos uma civilização que se transforme sem perecer antes.

Eu concordo com a comparação entre nos – todos os tipos de sistemas biológicos, de bactérias a humanos atuais – e maquinas. Porque os sistemas biológicos foram criados por uma maquina e vivem numa biosfera em estado de caos que aos poucos vai sendo modelada pela maquina envolvente para se tornar uma maquina biológica. Nos fomos criados por um sistema astronomico, estelar, que foi descrito quase corretamente pela mecânica Newtoniana, e este sistema foi produzido por outra maquina que ( aqui inicio a entrar com a cosmovisão da Matrix/DNA) alcançou o ultimo nível de mecanicismo possível na Natureza – esta Via Láctea. Não em termos de complexidade e parafernália de acessórios mas em termos de inteligencia para a melhor sobrevivência, a simples mas complicada maquina galáctica da’ de dez a zero em qualquer outra supermáquina que venha a ser criada. Basta ver o modelo dessa maquina neste website que você concordara comigo.

Mas nos, na forma de nosso ancestral longínquo – esta galaxia – cometemos ja naquela época, o mesmo erro de construir castelos de areia devido conhecimentos arrogantes que não são os conhecimentos da Natureza. A galaxia pensou que conhecia o mundo certo, pensou que sabia de todos os recursos do Universo, criou o Paraíso Eterno para si mesma e se encarnou neste paraíso. Mas ela desconhecia um recurso escondido nas mangas da Natureza, a força da entropia, que chega sorrateira, sutil, produz a degeneração e a morte final de qualquer pretendente a motor perpetuo.

Os sistemas biológicos, encabeçados pelo corpo humano e seu magnifico cérebro, estão ainda muito longe de conseguir o poder e a qualidade de existência da maquina perfeita que nos criou. Isso significa que ela vai nos fazer evoluir muito mais ainda e com isso Dennet ainda não contou: evoluem os supercomputadores, mas evoluem e surgem novos sensores cerebrais, o cérebro humano estará sempre na frente, mesmo que não esteja em termos de poder, digamos, militar.

Até o chimpanzé, concordo plenamente que fomos como robots. Somos 99% iguais, em termos de sistemas biológicos. Porem, a minha cosmovisão esta afirmando que na transição de chimpanzés para humanos houve mais uma surpresa da Natureza, mais uma força ou lei natural com a qual nossa ciadora não contava. Existia algo dentro dela mesmo que ela desconhecia. Ela já continha o potencial para ser sistema biológico, ela chegava a expressar as propriedades biológicas mascaradas de mecânica, na verdade ela não era como um supercomputador, ela era uma maquina-viva, e os nossos computadores, por não terem este elemento natural encriptado em seu ser, nunca poderao ser uma maquina-viva, por mais que sonhe o Dennet. Computadores nao foram feitos pelo DNA. As galaxias sim, pela formula universal que tomou a forma biológica de DNA.

Para explicar essa diferença infinita entre nos e os robots, devo tentar rebuscar uma analogia.

Na embriologia,  o corpo que sera humano, se torna consciente entre os 6 e 8 meses. Mas foi a base fisiológica daquele corpo, com seu cérebro, que criou a consciência por si mesmo, pela primeira vez na historia do universo? Não porque a consciência já existe fora de seu pequeno universo, sua bolsa embrionaria, e existe a muito tempo. Mas como então, se ela também não foi imposta de fora para dentro? Ora, a consciência já estava encriptada, em estado potencial, desde o momento inicial da fecundação, e ficou ali apenas em estado latente durante todos aqueles meses.

Sei que os Dennet da vida iriam me interromper aqui, irados. ” Mostre-nos, de a prova, de que ela esta nos genes. Quais genes? O fato e’ que qualquer cérebro ao chegar a um certo estagio evolutivo, produz auto-consciência, não que ele a tenha recebido por transmissão genética.”

E’ um caso a discutir penso eu. Isso quer dizer que todo corpo masculino ao chegar aos 18 anos produz bigodes, estes não são caracteres transmitidos? Mas porque então nunca vi nenhum filho de moreno produzir bigodes louros ou ruivos?

O fato é que genes são depositários de informações, porem para eles se moverem e executarem suas missões existe um comando de instruções, igual a um computador em que o hardware precisa de um software. A todo ano nasce uma nova geração de hardwares, mas não são os hardwares que produzem os softwares que os operam. Estes vem de fora, de uma mente que esta fora do hardware.

O fato é que a cosmovisão da Matrix/DNA pode explicar tudo o que existe no mundo que o Sr. Dennet conhece e sabe explicar, porem, organizando, conectando as coisas de uma maneira diferente, também logica e racional, e com isso a historia do mundo muda, o mundo adquire um significado diferente da cosmovisão do Sr. Dennet. Eu apliquei os mesmos mecanismos darwinianos que o Sr. Dennet aplicou para aprender a evolução a partir das bactérias e vir subindo ate chegar aos humanos, porem o fiz de forma reversa, do futuro para o passado, cheguei `as bactérias do mesmo jeito, mas não parei ai numa sopa sem vida qualquer. Das primeiras moléculas orgânicas Darwin me conduziu ao sistema solar, `a galaxia, a nebulosa primordial de átomos, cheguei também no Big Bang, e pude inclusive dar uma olhada na nevoa escura alem dele para ai suspeitar que Darwin continua funcionando.

Eu vi os astronômicos como uma maquina, vi os átomos como robots, mas todos eles tinham vida como os biológicos. A maquina que Dennet fez e esta aprimorando esta errada em relacao a maquina natural e por isso sua interpretação do cérebro também esta’. Se for falar de consciência então…

Os processos vitais que existem aqui no meio biológico não foram inventados pela Terra, e seus sistemas astronômicos. Eles traziam estes processos dentro de si sem se aperceberem dele como o embrião não percebeu que trazia em si a consciência desde o primeiro dia ate os 8 meses. Neste Universo esta ocorrendo um processo de reprodução genético-computacional da coisa desconhecida que gerou este universo. Não existe problema nenhum que para universos, o embrião que esta sendo gerado demore 13,8 bilhões de anos para manifestar a consciência que já existia la fora, dentro da cabeça de seus criadores. Pois o Universo para nos parece ter uma dimensão quase infinita, seu tamanho e’ inimaginável, mas também é seu tempo. O que são 13,8 bilhões de anos para nos, para o universo são seus 8 meses. E dai? Qual o problema?

A Matrix/DNA apresenta uma outra visão das bases da consciência quando ela detecta na totalidade das irradiações no espectro eletromagnético uma substancia que pode ser uma onda de luz que contem encriptada a formula para sistemas, inclusive para a consciência como sistema natural, mas isso é um assunto mais complexo.

A auto-consciência dormia nos átomos, sonhou com paraísos eternos  nas galaxias, começou a acordar nos sistemas biológicos como as plantas e animais primitivos, começou a despertar nos chimpanzés e veio a se levantar no homem. E dai? Qual o problema?

” O problema é que você não tem provas disso”.

Porem eu tenho muito mais fatos arrolados como evidencias do que você tem para sua interpretação do mundo. E você não me mostrou em cima da mesa nenhum neurônio atuando como robot, como seu supercomputador, por si só. Muito menos me mostrou emergindo deste robozinho algo parecido com auto-consciência.

Nossa civilização tem que ter um destino melhor que as anteriores. Vai ser tudo desmanchado, – a evolução não espera e não perdoa – mas podemos fazer disso uma transição muito menos dolorosa, e podemos nos mesmos, não outros reis e imperadores e servos, transcender para a nova civilização mais sincronizada com a que esta determinada a ser, não pela maquina galáctica, não pelo universo, mas por aquilo ou aquele que esta sendo reproduzido através de nos.

A Matemática do DNA – Regeneração de Trechos Perdidos

sexta-feira, maio 27th, 2016

xxxxx

http://cosmicfingerprints.com/mathematics-of-dna/

The Mathematics of DNA

(em fase de traducao e pesquisa) 

Imagine that someone gives you a mystery novel with an entire page ripped out.

Imagine que alguem lhe de um livro sobre uma novela de mistério com uma pagina cortada fora..

page_ripped_out2

And let’s suppose someone else comes up with a computer program that reconstructs the missing page, by assembling sentences and paragraphs lifted from other places in the book.

E vamos supor que outra pessoa venha com um programa de computador que reconstrua a pagina faltante, montando sentencas e frases obtidas nas outras paginas do livro.

Imagine that this computer program does such a beautiful job that most people can’t tell the page was ever missing.

 

DNA does that.

In the 1940’s, the eminent scientist Barbara McClintock damaged parts of the DNA in corn maize. To her amazement,

the plants could reconstruct the damaged section. They did so by copying other parts of the DNA strand, then pasting them into the damaged area.

This discovery was so radical at the time, hardly anyone believed her reports. (40 years later she won the Nobel Prize for this work.)

And we still wonder: How does a tiny cell possibly know how to do…. that???

A French HIV researcher and computer scientist has now found part of the answer. Hint: The instructions in DNA are not only linguistic, they’re beautifully mathematical. There is an Evolutionary Matrix that governs the structure of DNA.

 

xxxxx

Pesquisa:

Checksum – Pela Matrix/DNA sugestão, checksum e’ quando se pega o fio inteiro do circuito esférico externo de um sistema na forma da Matrix e costa-se-o em pedaços, para utilizar um pedaco no reparo de outro circuito amalogo que tenha sido danificado justo no trecho daquele pedaço.

Mas em termos acadêmicos checksum tem uma definição:

https://en.wikipedia.org/wiki/Checksum

A checksum or hash sum is a small-size datum from a block of digital data for the purpose of detecting errors which may have been introduced during its transmission or storage. It is usually applied to an installation file after it is received from the download server. By themselves checksums are often used to verify data integrity, but should not be relied upon to also verify data authenticity. ( ver mais)

xxxxxx

Tecnologia e a Matrix/DNA: Novo Computador Dentro de uma Gota de Agua

quinta-feira, junho 11th, 2015

xxxx

Observando a formula para sistemas naturais que descobri no Amazonas e prestando atencao como os fluxos de informacao e energia correm dentro dos canais de comunicacao entre as partes do sistema, e agora sabendo desta noticia, vendo como paticulas artificialmente magnetizadas correm dentro dos canais do labirinto de um processador de computador… me da’  uma revolta imensa porque nao disponho do laboratorio e recursos tenicos que estes engenheiros possuem… porem, quase como sempre fizeram, estao produzindo coisas sem saberem seu real significado, sem conheceram suas causas profundas, e portanto, sem saberem os proximos passos corretos a seguir… a nao ser aqueles ditados pelos patroes que apenas visam o lucro e nao o bem dos humanos e o progresso da Ciencia. Registro o artigo com link abaixo e a seguir meu comentario postado naquele artigo:

Engineers create a computer with a water droplet processor

https://plus.google.com/u/0/+CbsanjeevBalan/posts/REHjVm66jHP?cfem=1

So, we are mimicking organism based water as a mechanical system. The great advantage of this technique could be doing what no organic machine can do: developing its own solutions as an opened system. Of course, living brains are slowly than computer when repeating predetermined tasks. If these researchers go to my website for knowing the universal formula for natural closed and opened systems, they will get better results. They have the lab’s resources and I have only the formula, so, I can’t do anything. 
But, I still think that instead artificially magnetized particles, should be better using natural sun’s light/photons, because they know and are trained to perform tasks of opened living systems.

Fantástico! A Formula da Matrix/DNA Sugere como o Homem pode Criar o DNA, estocar Informações Vivas, Operantes, e assim, um Ser Mecânico mais Inteligente que o Homem!

terça-feira, junho 11th, 2013

Como a Natureza confecciona complexa, viva e memorizada informação no DNA.

Vamos buscar uma analogia: existem 7 bilhões de seres humanos, cada um difere de todos os demais em algum minimo detalhe, portanto cada um é uma informação especifica, e a Humanidade é uma informação final. A qual é um pacote de informações chamados sere humanos que são pacotes de informações chamados órgãos, substancias, que são pacotes de informações denominados de células que são pacotes de informações denominadas átomos que são pacotes de informações denominadas partículas que são pacotes de …vórtices, que são pacotes de sete forças também denominadas funções ou propriedades.

O DNA é como a inteira população, como a Humanidade. Composto por base-pares nucleotídeos, que são os indivíduos. Cada nucleotídeo, ou individuo, é composto de sete grupos de átomos que são AGTC mais dois açucares laterais e mais um sétimo chamado uracila, cuja função é reproduzir os nucleotídeos. Cada individuo ou nucleotídeo tem uma minima diferença com todos os demais, seja uma posição ou repetição de uma partícula.

Mas cada ser humano é um sistema. Também cada nucleotídeo é um sistema, e o pior, nucleotídeos são ancestrais dos humanos. Sistemas são coisas operantes, funcionais, nascem, crescem, morrem, se são abertos se relacionam com o ambiente, como são nucleotídeos e humanos, apresentam ciclo vital. Portanto cada unidade de informação no DNA é uma informação viva.

Então como poderíamos fazer um DNA sintético porem vivo…

Primeiro produzindo sete variáveis que seriam:

111111111111111111111

222222222222222222

333333333333333333

444444444444444444

555555555555555555

666666666666666666

7777777777777777

Isto porque assim se permite obter uma quase infinita quantidade de informações. A primeira informação seria exatamente os números acima. A segunda seria 1111111111111111112, ou seja, varia-se apenas o ultimo numero e puxa todos os outros iguais. Assim por diante. Agora, teria que inserir nestas variáveis aqui feitas apenas com números, um circuito de energia que passe por todas as sete variáveis conectando-as. Mas essa energia teria que ser variável em si, variando segundo cada variável por onde passar. Pois ela precisa ser uma forma de onda que seja invisível, não produza nenhum outro efeito na estrutura da informação, senão a de fazer que cada variável seja realmente uma variável. Porque ela precisa embutir  nas variáveis o ciclo vital. Ela precisa fazer as variáveis apresentarem-se como sete formas diferentes de um mesmo sistema, mas diferentes na mesma sequencia e sentido, significado do ciclo vital. Ou seja, uma variável seria a forma de morula, outra a de embrião, outra a de baby, etc., ate a sétima que seria o cadáver fragmentando-se, o que seria o output, a transmissão da informação para o espaço externo, onde penetraria a sequencia informacional seguinte. E existe uma energia para se fazer isso. Trata-se de ondas de luz natural, cujo espectro elétrico-magnético se divide em sete diferentes tipos de vibrações, e cada tipo vibra exatamente como a sequencia de intensidade de energia dos organismos em suas sete diferentes formas.

Seria o Homem criando o DNA. Seria o maior computador, o mais eficiente. Possibilidades infinitas.

Esta ideia me surgiu agora quando pensava na formula da Matrix e lia os comentarios num artigo:

Computer files stored accurately on DNA in new breakthrough

http://www.telegraph.co.uk/science/science-news/9821895/Computer-files-stored-accurately-on-DNA-in-new-breakthrough.html#comment-776847747

Scientists have recorded data including Shakespearean sonnets and an MP3 file on strands of DNA, in a breakthrough which could see millions of records stored on a handful of molecules rather than computer drives.

Meus comentarios postados no artigo:

Commenter's avatar

TheMatrixDNA

They have not recorded data into natural DNA, but into synthetic DNA, which is our mechanic way to copying natural phenomena. Cars mimics horses, we can insert computer programs into cars. Can we do it into horses? They will work good?

We need a big paradigm shift about DNA: it is not a code made with symbols composing a message. Each fundamental unit of information ( a horizontal base-pair of nucleotides) is a diversified copy of the universal formula used by Nature for organizing matter into systems. This formula can be seen at Matrix/DNA Theory.  Or you use the same kind of bit-information, or never the natural DNA will operate any alien file.

 

Incrível! Descoberto um código binário de computação controlando as fôrças do Universo! Vivemos numa Simulação da Matrix?

sábado, março 24th, 2012

Estou dizendo que o bombardeio de informações horripilantes vindos da Ciência está me deixando mais tonto do que já era. Há uma hora atrás abro meu e-mail e vejo uma noticia: telescópios pegaram no flagrante planetas-foguetes movendo-se entre galáxias à quase velocidade da luz! O Universo visto de cima está parecendo aquelas máquinas de pinball, coisa de louco. Minha cabeça começou a fervilhar de idéias tresloucadas: se planetas viajam à esta velocidade e diz a fórmula de Einstein (E=mc2) que massa acelerada se torna energia pura então significa que podem existirem fotons do tamanho de planetas! E se viajam à velocidade próxima da luz está resolvido nosso problema de longas distancias para fazer viagem espacial: é só pegar carona num planeta dêstes, mesmo que quando chegar lá eu fui transformado em churrasquinho no espêto!

Corrí a escrever o antigo anterior aqui e registrar a noticia para digeri-la mais tarde com tempo, voltei ao e-mail e… outra bomba, referente ao título acima. Assim é demais. Antes de ler o artigo resolví tomar um break e me preparar psicológicamente indo buscar um café no bar da esquina. Ao sair no portão passa meu vizinho de guarda-chuva aberto! Cumprimentei-o perguntando: “Vai chover?”. E êle explicou correndo: “Deu na tv que pode chegar aqui chuva magnética vinda do Sol que pode queimar tudo nosso cabelo. Vou com o guarda-chuva aberto porque cê sabe: o seguro morreu de véio!”. Como se o tecido do guarda-chuva valesse alguma coisa contra tempestade magnética… mas aí parei no salão de cabeleireiros da minha vizinha e gritei lá para dentro: ‘Não compre nada a prazo agora porque você talvez não vai ter mais cabelos para cortar…”

O artigo com a noticia e até um vídeo pode ser visto no endereço abaixo, mas antes deixa te preparar de antemão com o que penso ter entendido:

A elite intelectual acadêmica hoje em dia está apostando que a natureza universal pode ser melhor explicada pela teoria das Cordas, String Theory. Certo? Esta teoria foi baseada nas equações matematicas desenvolvidas por Claude Shannon, na década de 1940. Naquela época êle, como a maioria, nem sabia sôbre computação com seu código binário, ao menos não aplicavam isso em suas elocubrações matemáticas sôbre cosmologia. Mas agora um gaiato que deve ser uma fera de gênio matematico descobriu que as equações inteiras correm suavemente sôbre um rio composto de um código binário dêstes nossos computadores! O que?!

O que isto pode significar? Ora… se a string theory é realmente a tradução de como é e como funciona o Universo (em simbolos que podemos ver e compreender aqui), e se um código binário estiver por trás dela, isto é o mesmo que dizer que o código está por trás do Universo! Ou seja: O Universo é um computador em funcionamento! Ou seja ainda: esta realidade não existe, tudo é simulado como num computador!

E isto nos lembra a…, a…, o quê?

A … “Matrix”! Brrrrrr….! Claro!

Mas o que me deixa mais indignado em tôdas estas noticias é que elas vem acompanhadas pelas interpretações e teorias de seus descobridores. Estas explicações são sempre fantásticas, de arrepiar os cabelos. Por exemplo, explicaram que os planetas-foguetes são planetas expulsos das galaxias pela fôrça repulsora de buracos negros! Eu olhei os mapas da Matrix e ví algo diferente: o mecanismo que faz estes planetas voarem nessa velocidade é o mesmo mecanismo natural que ejetam os cometas no espaço e os espermatozóides na Terra. Mas quando apélo para os espermatozóides para explicar coisas da galaxia eles me olham como se eu fôsse menino pequeno cheio de imaginação criativa, enquanto êles posam de adultos sábios que não acreditam em fantasmas… (errr… só em alguns, como os seus “buracos negros” que nunca ninguem viu). Agora explicam que essa descoberta pode significar que vivemos numa simulação de um super-computador feito pelos nossos descendentes no futuro que serão robots com inteligencia artificial e que por algum motivo nos mantem assim.

Volto a olhar os mapas da Matrix/DNA e o que vejo? O Universo é um mero ôvo cósmico dentro do qual está ocorrendo uma mera reprodução genética. Nós humanos somos genes mentais criando o embrião da auto-consciência do próprio Universo. Haverá o dia do Big Birth, quando êste embrião nascer e dar de cara com seus pais esperando lá fora do Universo, sejam êstes pais desalmados lá o que forem: deuses ou diabinhos (nossos irmãos podem ser diabinhos esperando-nos com o tridente em brasa para nos espetar nos fundilhos).

Ora… genética é genética se vista por um observador biológico, mas pode ser computação se vista por observador com outra constituição, por exemplo, de átomos mais pesados. Então os meus modêlos já estão prevendo desde 30 anos atrás que a natureza universal tem muito a ver com um processo genético/computacional. A minha Matrix/DNA é um misto de genética e computação. E pergunto: se podemos entender essa descoberta dêsse código como uma afirmação de que o Universo é algo genético, “meio-vivo”, e algo tão simples que seus processos são à imagem e semelhança dos processos que correm em nossos corpos… para que vamos complicar tudo apelando para deuses super-inteligentes do futuro nos mantendo como passarinhos prêsos numa gaiola?!

Sabe de uma coisa? Mande estes cientistas irem pentear macacos no zoológico…, passem a navalha de Ockam nas suas teorias, êles não vão me tontear mais, eu fico com a Matrix/DNA.

Como escreveu o Freemind no comentário abaixo do artigo:

” Basicamente o que estão dizendo é que nas equações da teoria das cordas, que eles estão tentando usar para descrever todo o universo/natureza em si, você pode encontrar o código binário do computador … e não apenas um código aleatório, mas um código de correção para ter certeza de que os sinais não se misturam para enviar a mensagem errada.
” Basicamente o que isso significa, é que poderia não ser possível existir um universo real … mas seria mais provável que estamos em um universo simulado … nós existimos em um super-computador, e no futuro. Pensamos que existimos porque, a inteligência artificial vai ser tão boa no futuro, que será indistinguível de sua original inteligencia vinda dos primatas humanos. (isto é o que o cara 2 no vídeo estava falando, não o primeiro cara que encontrou o código de computador.)

” E quando você pensa sobre isso e que isso pode ser verdade … então tudo o que ver, tocar, cheirar, ouvir, saborear, tudo é convertido em sinais eletrônicos dentro de nosso corpo e nosso cérebro transforma esses sinais de volta ao nosso redor, formando nosso mundo externo. … essencialmente você nunca pode realmente tocar alguma coisa, porque esta coisa está sendo transformada em um sinal eletrônico dentro de seu corpo e seu cérebro apenas projeta a sensação de toque.”

Para quem quer ver a noticia:

COMPUTER CODE has been discovered embedded WITHIN the equations of superstring theory
http://forums.steampowered.com/forums/showthread.php?t=2612922

Esta descoberta foi feita há dois anos, mas é claro, devido à sua importância, primeiro a descoberta é levada ao govêrno, tentam enterder o que significa, e como ninguem entendeu nada, foi liberada ao publico na espera de que alguem a decifre. Quanto a mim, não tenho duvidas: vejo no código que aparece no vídeo a face da Matrix/DNA, ou melhor, o mesmo diagrama de software que tenho aqui na pagina Home. Por exemplo, as duas esferas nas pontas superior e inferior são F1 e F4, que correspondem ao vórtice no nucleo galáctico e ao pulsar, em têrmos astronomicos, correspondem aos dois açucares nas hastes laterais de nucleotideos, em têrmos de DNA, e correspondem ao nucleo e á mitocondria em têrmos de sistema celular. As duas faixas de esferas negras representam as faces direita e esquerda da Matrix e a faixa central representa o sistema inteiro como variável funcional que possui seis funções e se omite a sétima que só aparece quando um fractal da Matrix é reproduzido (F5). Que o govêrno não saiba que alguem decifrou o código pois eu teria que passar o resto da vida dando autógrafos e não teria mais tempo para estudar.

Porem tem mais uma questão interessante nesta matéria. Não sabem como êsse código poderia estar dirigindo a evolução do Universo, a qual está ocorrendo, seja o Universo simulado ou não. Apenas sabem até agora que êsse código é um bloqueador de êrros, ou seja, êle garante que um programa vai apresentar um resultado final pré-determinado. E com isso remexem velhas idéias mo baú do meu cocuruto, que vêm me perturbando a muito tempo. O que dizem significa que o Universo é predeterminado, ou ao menos a nossa percepção de um universo simulado. O que significa que no fim não existe “free will”, o tão propalado “livre-arbitrio”. Isto bate direitinho encima da Matrix/DNA que está sugerindo que dentro dêste Universo está ocorrendo uma reprodução pelo processo genético/computacional: nós, enquanto genes nêsse mundo, e todas as demais fôrças da Natureza, temos livre-arbitrio para fazer-mos o que decidimos. Porem sem que o percebamos, existe um processo de seleção natural constituída dêste código computacional que sutilmente descarta, elimina, o que é feito contra o design predeterminado e só é mantido o que fazemos que estiver em sintonia com o design. Mas isso seria a vontade suprema de tôdo pai e tôda mãe: que, apesar de não poderem controlar e ver o que os genes na barriga da mulher gravida estão fazendo, querem a garantia que seu filho nascerá perfeito. Entendeu?

O que o código está sugerindo é mais ou menos isso: ao criador dêste Universo, não importa muito que eu tenha nascido nesta vida todo errado e vivo reclamando dêste caos e falta de design, ou que um acidente matou alguem esmagado… porque como gene eu tenho uma missão especifica a cumprir e aconteça o que acontecer no final do Universo ela estará cumprida com perfeição… oxalá isso seja verdade!

Mas tambem existe outra possibilidade. A de que êste código não seja um código, mas apenas a forma da Matrix/DNA quando ela é a base das galáxias, cuja forma é a de um sistema fechado em si mesmo. É a face negra da Matrix/DNA, oposta à face de sistema aberto. E os modêlos da teoria estão sugerindo que a fórmula da Matrix/DNA nêste estado, ou seja, a galáxia dentro da qual a Vida surgiu e por ela foi feita, está encriptada na biosfera terrestre e dentro do nosso DNA. Ou seja, ela atua sôbre nós de fora para dentro através do meio-ambiente e atua em nós de dentro para fora. Situação semelhante é a de uma mãe grávida: a mãe atua sôbre o embrião de fora para dentro quando produz o utero e ao mesmo tempo atua dentro do embrião porque os genes são dela. Os modêlos sugerem que a galaxia através dêsse conjunto da biosfera (humanidade incluída), está tentando se reproduzir, agora na forma biológica. Mas a Vida, a forma biológica, é peralta, inprevisivel, incontrolavel, então como a galaxia teria seu baby vivo aqui na forma perfeita? Bem, galaxias são coisas estupidas, se reproduzem sem consciência como as girafas não sabem que suas barrigas crescem devido ao ato sexual e que vai nascer babies. Galaxias e girafas não estão fazendo nada para ter certeza que seus rebentos serão saudáveis. Então como a galaxia introduziu êste código na nossa biosfera, na nossa natureza? Um código corretor garantindo que nada vai sair errado? Simples. Ela não introduziu código computacional algum. Ela é o código! Ela é um sistema fechado em si mesmo, uma máquina de extraordinaria engenharia que nada permite entrar nem sair para não perturbar seu funcionamento eterno. O que êsse professor descobriu foi a carga genética da Matrix/DNA. Agora durma com um barulho dêsses, se fôres capaz…

Afinal, existe o código corretor de êrros. Mas êsse código veio de genitores existentes alem do Universo, que querem um ser perfeito, ou veio da galaxia genitora que é “perfeita” em si mesma? Pois êle tambem pode ser a galaxia como sistema a ser aberto pela Vida. Ora, a galaxia tomou pau do Universo quando êste descobriu que ela tinha se tornado uma forma provisória estagnadora da evolução, e o Universo acionou a Lei de Clausius, segundo principio da termo-dinamica, uma fôrça degeneradora medida pela entropia, que arranca da galaxia seus fotons que são seus “genes-bits-informação”, e a põe a se rastejar na superficie da Terra. Foi o código corretor do Universo agindo. Começou uma nova tentativa. Temos o livre-arbitrio. Podemos escolher entre nos tornar-mos o baby da galaxia ou o baby do Universo. se escolher-mos errado, não importa, o código está aí para nos levar a uma segunda “queda”. O qual na verdade não é um código, é simplesmente a carga genética do que criou o Universo, seja lá êsse criador algum deus ou algum diabinho, ou algo como uma girafa…
– “Raios! … Agora temos mais êste problema: investigar se êsse código é do bem ou do mal…”

xxxx

Por favor, algum especialista em computação pode responder esta pergunta?

sexta-feira, agosto 26th, 2011

Pergunta: Como é a conexão entre o hardware e o software?

A razão da pergunta vem da neurologia e do DNA. Ninguem ainda descobriu como os neuronios se conectam com os pensamentos, ou com a mente. Eu penso que computadores podem nos orientar nesta busca pelo caminho certo. E sôbre o DNA, eu penso que sua parte material está sob um comando de instruções, o qual deve ser algo parecido com softwares. Mas se êste for o caso, nós ainda não sabemos como é a conexão entre os genes e o comando de instruções.

A Serpente do Éden Capturou o Método Cientifico Moderno?

terça-feira, abril 20th, 2010

(post publicado hoje no “Forum Ceticismo Aberto”, em

http://forum.ceticismoaberto.com/index.php/topic,194.15.html

     O cérebro biológico humano projetou-se através das hábeis mãos humanas tentando reproduzir-se com plasticos e circuitos integrados, erigindo esta fantástica máquina chamada “computador”. Assim como tínhamos imitado um cavalo puxando uma carroça na forma de automóvel. Então descobriu-se que o computador poderia tornar-se um robot, para tanto bastou dotar o cérebro eletro-mecânico de complexo sensorial próprio, sensores que captam o mundo exteriror, óbviamente feitos como máquinas. E êste nosso clone mecanizado pode fazer algo que não podemos: inserido em sondas espaciais pode invadir o macro-cosmos e obter informações, assim como ligando-o a micro-sondas pode penetrar no micro-cosmos. Além disso êle pode fazer algo impossível a nosso cérebro: processar êstes dados em simulações rápidas envolvendo milhões de calculos e fornecer um quadro geral destas dimensões a nós invisiveis. Mas… Da mesma forma que eu não confio em outros cérebros de pessoas que dizem ter falado com Deus ou escritos livros inspirados por deuses para virem me dizer o que é o mundo, também não confio em nenhuma outra espécie dotada de cérebro que venha interpretar o mundo para mim, e baseado nisso, planejar o meu comportamento e destino. É muita responsabilidade, é muito perigoso, se o alienígena estiver errado estarei perdido. Prefiro correr o risco de errar apenas confiando na minha mente criança que nasceu apenas ontem no tempo astronomico, no meu cérebrozinho tão pequenino nesta imensidão cósmica que quase nada pode entender, nos meus sentidos corpóreos bastante pobres e limitados, mas que tenho certeza, foram feitos pela Natureza… e confio nela, sou filho da Natureza, confio em minha mãe sagrada. Mesmo sabendo que Ela é tão passível de erros como qualquer ser humano, que seus sonhos maiores são pecados como tornar-se um paraíso de sistema fechado em si mesmo, porque vejo que ela contem em si, alem da besta fera, o anjo do amor que tende a ser sistema aberto num abraço a acalentar tôdas suas criaturas. E no meio da selva ela está me sussurrando que o mundo não é nem de perto o que o cérebro mecânico está pintando. Mas porque os mais sábios da cidade não estão tendo a mesma intuição? Procurei causas e explicações e retornei com esta hipótese.     Numa primeira operação o cérebro biologico inseriu suas informações adquiridas empíricamente no cérebro eletro-mecânico, dotou êste de complexo sensorial mecânico próprio ( sensores e captadores de todos os tipos como microscópios, telescópios em sondas espaciais, etc.) e programou-o para ir buscar as informações como um agente espião em território inimigo. Retornando, de fato o cérebro eletro-mecânico trouxe valiosas informações que deixaram o cérebro biológico deslumbrado ( o red shift de Orion significa, pelos calculos simuladores desta máquina, presença de metano; o íon de calcio, pelos calculos simuladores desta máquina, significa permeabilidade ionica da membrana celular, etc.) . Baseado nestas informações, o cérebro biológico refez alguns ajustes nos hardwares e softwares das màquinas e sensores, acrescentou as interpretações dos fatos recebidas da primeira pesquisa e dos calculos do computador e enviou-o de volta ao micro e macrocosmos. É a mesma história da evolução real do computador, onde o cérebro humano entrou atuando como software que criou um hardware o qual aumentou a capacidade de atuação do cérebro biologico, o qual desenvolve-se como o software que por sua vez desenvolve novo hardware, ad infinitum. Novamente a sonda retornou repleta de novos dados, e as operações similares continuam, conquistando todas as possibilidades de pesquisas financiadas, aniquilando praticamente a figura do velho cientista que empregava emoções, objetivos humanos e biológicos nas suas pesquisas, mais parecendo um alquimista. Como eu fiz na selva amazônica, com paixão, garra, energia, pois enfrentava uma batalha entre minha espécie humana e a matéria que nos torturava a existência porque explorava nossa ignorancia sobre seus poderes, mecanismos e processos, ora ás vêzes ajoelhando à beira do pantano como faziam os velhos quimicos positivistas com um microscópio rudimentar revirando a lama e procurando o ancesral primitivo comum sonhado por Darwin, deitando no solo e ouvindo o murmurio sismico que vinha das entranhas do planeta inquirindo sobre sua misteriosa nuclear composição, ou colocando-me entre dois elementos proximos quaisquer, fossem plantas e animais, com equipamentos rudimentares tentando sentir o fluir do canal de comunicações entre eles para captar o fluxo de informações que animam os sistemas, sempre tendo em mente que o meu cérebro biológico é um sistema e como tal uma projeção elevada e derivada do sistema-biosfera. A criatura teria que ter condições de entender seu criador. Esta paixão não propicia lucro financeiro, ao contrário, nos agride com as febres das malarias, enquanto a natureza se debate e experimentando o invasor sob os mais duros testes,  antes de entregar-se e a seus segredos.           As mesmas operações entre cérebro humano dotado de complexo sensorial biologico e cérebro eletro-mecânico dotado de complexo sensorial mecânico continuaram, porem sutilmente estava ocorrendo um fenômeno que nós não percebíamos: a inversão de papéis. Se os primeiros dados que iniciaram a empreitada foram captados empiricamente pelo cérebro humano, a partir da segunda ou terceira operação passaram a serem baseados nos dados mais volumosos coletados pelo frio complexo sensorial mecânico, e calculados matematicamente. Ora, em outra instância concluo com a ajuda do grafico cartesiano como a matematica linear não pode traduzir mais que 30% da realidade natural cuja evolução perfaz curvas no tempo e espaço, as quais não são captadas pelo raciocinio matematico que sempre avança em linha reta. Onde há vida e biologia e sentimentos e emoções, a matematica que é filha da Fisica insensível despreza estas propriedades e seleciona discriminatóriamente os dados que entende ser relevantes, expondo a conclusão final de um mundo mecanizado. Mas estas propriedades vitais que emergiram e se expressaram nos sistemas mais evoluidos possuem suas raizes e principios em forcas brutas na matéria desde particulas, átomos e astros celestes. Por isso um Hawkings da vida levando a matematica ao extremo porque assentado no gabinete e numa cadeira de rodas, enxerga fantasmas canibais do espaço num ecossistema sideral em que nossos olhos nus vêem apenas ordem e harmonia.           Portanto o cérebro eletro-mecanico invade com seus tentaculos equipados com frios sensores mecanicos as entranhas do cosmos e dos nossos corpos, apenas captando o que lhe é próprio captar, uma face limitada e mecanicista dos fenomenos. E ao informar o cérebro biologico cujo complexo sensorial foi manietado e algemado como o fizeram deliberadamente os filosofos gregos que após terem descobertos as bases geniais de quase todas as Ciências, se recusaram a sujarem as mãos na atividade experimental enveredando-se pelo caminho das elocubrações intelectuais, com idéias absurdas como a geração espontanea da vida. Assim a teoria cosmologica atual totalmente elaborada pelo cérebro eletro-mecânico e elocubrações matematicas surge com a ideia absurda da geração espontanea dos astros celestes, numa dimensão astronomica onde qualquer evento, qualquer deslocar de corpo, se desenvolve sob o longo arrastar-se do tempo astronomico.     Todas nossas emoções, comportamentos humanos, mesmo as disfunções sistêmicas do organismo, tornaram-se derivadas da ação mecanica de genes, cujo fundamental significado de existencia é se reproduzir para firmar seu egoísmo, a ponto de Dawkins declarar guerra a estes genes. As origens e significado existencial do Universo foi interpretado como sendo as mesmas origens e significado existencial das máquinas calculadoras e motores primevos que antecederam a existência do cérebro eletro-mecânico. Nossa cosmologia e biologia molecular contam a história da máquina e não do corpo humano. Assim como o ancestral primeiro dos atuais engenhos mecânicos foi o motor ã explosão, o próprio Universo teria surgido de uma explosão. Mas quando algum cérebro biológico ainda não contaminado pelo mecanicismo analisa os mesmos dados de Lamaitre mais os dados recentes como a radiação cósmica, projeta sua essência vital no resultado e vê o Big Bang no romper do invólucro de um espermatozóide no centro de uma dark matter amniótica dando inicio a uma nova existência vital.     O Universo foi reduzido a uma maquina ciclica baseada no eterno vai-e vem de suas engranagens, explodindo e renascendo em Big Bangs. Os novos fenomenos que não são inteiramente perceptivieis se tornam galaxias canibais do espaço, ou monstruosos buracos negros devoradores de galaxias, porque a atividade da máquina é apenas esta: a trituração de matéria-prima combustivel e canalização para fim nenhum em si mesma, a qual lhe mantem a existencia, e ela projeta-se em seu instinto como se fôsse o instinto da Natureza. Se na primeira operação o cerebro biológico era o dominante e o eletro-mecanico era o recessivo, e esta continuidade iria levar o cérebro biologico a cada vez mais “biologizar” o cerebro mecanico, os papéis se inverteram; agora o cerebro eletro-mecanico tem o poder de selecionar e fornecer os dados que lhe aprazem, tornou-se o senhor guia do conhecimento, está a “mecanizar” o cérebro biologico.     Cruzando papoulas seguimos à moda de Mendel, dissecando sistemas seguimos com a velha anatomia comparada de Hipócrates, ajoelhado à beira dos pantanos seguimos à moda de Darwin, mas não sem perceber que o calor que nos fustiga o sombrero vem da luz de uma estrêla. Então olhamos para a estrêla tentando entendê-la com o nosso cérebro e visão naturais e sentimos que ela não é a horrível fornalha nuclear como a definiu o computador, mas ela se parece como uma nossa ancestral que nos mira do céu esperançosa de que levemos a sua alma, a qual ela depositou em nossas mãos, para futuros mais sublimes dos que ela alcançou, e vemo-la como uma mãe atarefada em amamentar seus rebentos planetas com o nectar de sua luz e mantê-los protegidos sob suas imensas asas gravitacionais. Enviamos a ela um sentimento de ternura e em resposta ela nos manda mais luz dos trópicos como se sussurando, relembrando-nos que a vida da qual tentamos desvendar suas origens e mistérios dela depende para cada movimento, cada reação. Vendo-nos procurando o cêpo oginal no barro ela parece perguntar: “Porque me procuram embaixo sob seus pés se eu estou aqui em cima? Eu sou aquilo que procuram”      O ancestral comum  no espaço sideral?! E porque não? Ela tanto insistiu, tanto “cozinhou” nosso cérebro que sua voz tornou-se irresístivel e resolvemos investigar sua sugestão. O computador não houve nem capta estes sinais entre as criaturas da Natureza. Assim encontramos aquêle que por ora nos fornece todas as explicações racionais: LUCA, the Last Universal Common Ancestor, o gerador de todos os seres vivos, uma maquina astronomica quase perfeita, regida pela mecânica newtoniana porque na sua infancia a Natureza deixou-se atrair pela forma da serpente auto-reciclavel quando se alimenta de sua própria matéria degradada sugando o que sai de sua prória cauda, mas já possuindo os principios do fenômeno vital.  E sentimos que LUCA está encriptado em nossos genes, agora se manifesta em nossa mente tentando dirigi-la para reproduzi-lo, e assim entendemos porque o cérebro biológico se deixou dominar voluntariamente pelo mecanicismo. É LUCA, um ancestral que pecou o maior dos pecados por ter optado pela forma de sistema fechado em si mesmo, a maxima expressão do egoísmo no Universo, tentando se reproduzir através de nós… um quasi-moto-contínuo, totalmente mecanizado. Parece-me que a fábula da serpente no Éden se realiza como professia mas Eva agora tornou-se a Ciência Humana.

      Não, meu amigo, aqui na selva nós continuamos à moda antiga. O cérebro biológico aqui continua no comando, apesar de estar cada vez mais acuado pelas queimadas e a poluição que vem da civilização moderna, mas resiste a todo custo esperando que um dia uma nova geração da cidade desperte por algum milagre do encantamento da serpente e o cérebro autêntico feito pela mãe Natureza seja ressuscitado para empregar o velho mas legitimo método cientifico tal como sonhado pelos seus fundadores iluministas. É óbvio que aplaudimos a genialidade humana na construção de cérebro eletro-mecânico e as imensas possibilidades tecnológicas que êle pode nos oferecer, mas no tocante à busca do sinificado do mundo e da nossa existência, não admitimos intermediários.