Posts Tagged ‘conhecimento’

Os Fotons Escuros Luminosos: E a Dadiva do Poder do Mais Elevado Conhecimento

sexta-feira, maio 12th, 2017

xxxxx

A posição humana em relação `a busca do conhecimento sera’ melhor entendida se imaginar-mo-nos agora situados no centro da Terra. O conhecimento nos espera nos quatro quadrantes a partir do centro: a sudeste e sudoeste, a noroeste e nordeste. Para o sul vamos  cada vez mais descendo no microscópico e para o norte vamos subindo no macrocosmos.

No momento que pensei nesta analogia, descobri algo muito curioso: o cérebro humano esta’ construído exatamente nesta configuração dos quadrantes, como se fosse previamente desenhado para conquistar e armazenar todo o conhecimento universal.

Senao, vejamos: se nos situar-mos no centro do cérebro, mais próximo ao hipocampo, vemos a nossa esquerda o hemisfério esquerdo, que corresponde ao lado geográfico compreendido por sudoeste e noroeste; e vemos a nossa direita o hemisfério direito, que corresponde ao lado geográfico compreendido por sudeste e nordeste. Acima da nossa posição geográfica esta’ o Polo Norte, abaixo o Polo Sul. Tambem no cérebro, na parte baixa esta’ o cerebelo, a morada dos eus inferiores que herdamos dos instintos animais; enquanto na parte alta do cérebro esta’ o córtex, a região de onde emana a auto-consciência e se constrói o nosso eu superior.

Depois de dar a volta por todo Universo e chegar a suas ultimas fronteiras desvendando os segredos do mundo físico material, a cosmovisão da Matrix/DNA esta’ agora parada nas duas regiões fronteiriças, a de cima, e a de baixo. A microscópica e a macrocósmica. Na macrocósmica paramos no oceano escuro de matéria negra e na onda de luz original que banha este oceano, a radiação cósmica de fundo. Nas regiões microscópicas estamos parados nas partículas ultimas desta onda de luz, os fótons.

Porque já sabemos que a onda universal carrega em si as sete funções de todo sistema natural completo e funcional, e como ela gera o atrito ao passar pela matéria negra criando as energias, e dividindo tudo nestas sete funções para gerar todos os sistemas naturais. Enquanto não desenvolver-mos os nossos atuais sensores naturais e tecnológicos sera’ difícil avançar no conhecimento desta quase abstrata entidade cósmica. Nossos olhos então estão mais voltados para as regiões microscópicas, as partículas fótons.

Partindo do nosso campo visual normal, fomos avançando pelas ondas na hierarquia das dimensões escalares, descendo pelo nível das minusculas células, dos átomos, e depois de suas partículas, chegamos `a dimensão quântica. Mas nessa dimensão a realidade novamente se dobra e escurece as regiões abaixo onde estão os fótons. Podemos imaginar o mundo físico boiando sobre um oceano de pontinhos escuros moventes, e só’. A unica coisa que podemos inferir e’ que estes corpúsculos escuros são fótons, de intensa luminosidade, tao intensa que seu brilho nos cega e vemos a escuridão. Mas ai esta’ o segredo mais poderoso para a especie humana hoje, pois se conseguíssemos adentrar o mundo dos fótons, dominaríamos todos os aspectos da matéria, da energia, do mundo físico.

Sabemos que cada fóton e’ a copia completa da onda de luz universal. Portanto eles são sistemas em si, e funcionais. Em si mesmos são ondas comprimidas no microcosmos, portanto constituídos de sete faixas de frequências/vibrações diferenciadas entre si. E o mais importante: sabemos que eles se conectam em redes, networks, que eles adentram os elétrons dos átomos e assim – como os vírus fazem com as células – eles assumem a maquinaria e administração dos átomos, conduzindo-os a se combinarem para formarem sistemas, sempre modelados pela formula da Matrix/DNA, que e’ a forma da onda de luz universal.

Precisamos de alguma maneira limpar o negrume que esconde estes fótons, precisamos ver como estão formando o tórax humano, o sistema galáctico, o cérebro, cada célula, cada molécula, etc. e etc. Assim podemos ajuda-los a vencer os obstáculos que causam os defeitos nestes sistemas. As doenças nos humanos. As intempéries nos planetas e sistemas astronômicos…

Quando dois fótons se conectam devem criar uma ponte entre eles. De que sera’ feita esta ponte? Da mesma substancia deles? Serão extensões deles? Nas moléculas orgânicas os átomos se conectam através das pontes do semi-átomo, o primeiro a se formar como protótipo de átomo, o mais primitivo, o hidrogênio. Existira’ um tipo de fóton mais simples, mais primitivo, disponível no meio da material, que e’ capturado entre dois fótons superiores para formar seus elos de conexões?

As boas teorias sempre vão na frente das grandes descobertas. Elas tem guiado os humanos para as descobertas. Porque uma teoria gera uma vontade incansável na mente humana de buscar sua confirmação, de encontrar o objeto teorizado. Quando Lemaitre iniciou a teoria do Big Bang, tanto ele como a mente de muitos sentiram o desejo enorme de encontrar algo que fosse evidencia, e este desejo oculto na mente de dois radiotécnicos fê-los perceber que o ruido nos seus aparelhos estariam relacionados com o Big Bang. Quando Einstein elaborou suas teorias fantásticas mencionando espaços curvos encurvando a luz ele guiou mentes sedentas de encontrar evidencias a mentalizar uma experiencia e aproveitar a oportunidade unica de uma eclipse, para verem o objeto dos sonhos, a luz se encurvando.

Mas existem as teorias erradas, e nao sabemos se esta e’ uma boa teoria ou uma errada. Mas mesmo assim, quando se trata da evolução do conhecimento humano, melhor uma teoria errada do que teoria nenhuma. Os índios não formulavam estas teorias, e vemos no que deram. Quando uma teoria esta’ errada ela serviu de grande beneficio para nossa evolução, pois nosso conhecimento tem evoluído na base da tentativa e erro. Cada erro sofrido vai sendo eliminado das possibilidades e assim vamos cada vez mais nos aproximando do acerto.

Portanto, temos uma teoria, e temos agora uma vontade incansável de alcançar o reino fantástico dos fótons, um reino que revela os calcanhares da onda de luz original que veio junto ou deflagrou o Big Bang. Que extrapola as fronteiras do nosso universo perceptível e nos leva aos limiares da Criação… e talvez aos calcanhares do Criador. Estamos procurando agora uma maneira de mergulhar-mos nas trevas que antecede o reino dos fótons, isto nos ocupara’ a mente dia e noite, premissa necessária e suficiente de que vamos chegar la’.

 

Porque as Religiões Tentam Impedir a Busca do Conhecimento

domingo, outubro 23rd, 2016

xxx

( Esta nova tese foi inspirada pelo video no Youtube, em:

https://www.youtube.com/watch?v=uQ7GvwUsJ7w

O infantil e terrorista livro sagrado do Islamismo diz: “Mate o infiel em você”. Isto é a mesma coisa que dizer: ” Mate a busca pela verdade. Mate a parte de você que questiona e quer o conhecimento”. Alias, o sagrado infantil e terrorista livro dos judeus também nega o paraíso e joga no inferno aquele que quer o conhecimento, que se atreve a comer o fruto da arvore do conhecimento. E então é exatamente isto que toda pessoa religiosa faz. Eles matam aquela parte deles mesmos que quer respostas. Mas a fonte desta crença veio de primitivos humanos de milhares de anos atras que disseram estes absurdos – que expressam ódio, violência e homicídio – e alguns outros primitivos o escreveram.

Porem, é preciso buscar a fonte da fonte, ou seja, a causa anterior a qualquer evento ou fenômeno. E de onde então veio  o estado mental, psicológico, dos primitivos que disseram isto? Bem, eles vieram de animais irracionais. E a característica obvia do animal irracional é ser super pratico na manutenção da sua sobrevivência e para tanto, é preciso ser eficiente no imediatismo do aqui e agora. Não existe para eles motivo algum para fazer uma pausa no curso normal dessa sobrevivência para buscar conhecimento  sobre o que não esta’ presente e não é visto atuando aqui e agora sobre suas vidas. Assim localizamos uma causa do primitivo humano ter sido a causa desta crença religiosa.

Mas existem mais causas que convergiram juntas sobre aquele primitivo humano que disse isso. Se o que ele disse foi escrito e respeitado, é porque ele tinha algum poder social maior que os ouvintes. Se ele tinha esse poder, ocupava a posição de predador, enquanto os ouvintes eram as presas. Sentados em volta do fogo e na caverna, ele tinha a primazia da palavra e falava mais alto, provavelmente por ser o mais forte fisicamente e ser violento, temido. E quando ele falava, inconsciente e intuitivamente, ele almejava apascentar as ovelhas dentro de seu território. Ele era o porta-voz de um tipo de sistema social humano, que imita o tipo de sistema divisor de poderes na selva. Assim começou esta cultura de 15.000 anos que hoje se sofisticou e desenvolveu aquele sistema para os tipos de sistemas sociais posteriores, como o comunismo, capitalismo, fascismo, feudalismo e até a falsa democracia. O paradoxal aqui é que o super-pratico na experiencia da existência e relações com o mundo real, foi quem criou as religiões misticas, metafisicas.

Porque? Como o leão da colina e sua estrategia natural sem emprego de inteligencia para manter seu rebanho apascentado em seu território, se transformou no humano com tendencia a predador aplicando a inteligencia que é necessária para criar um sistema de controle mental sobre seres mentalizados e manter estes apascentados em seu território?!

Não posso evitar aqui um desvio da historia natural humana para recorrer a historia natural universal. Pois suspeito que por traz desta transformação para a estrategia inteligente houve a influencia de algo maior, mais sutil, incluído na genética animal e humana, que e’ a historia natural universal. E não posso evitar aqui cair na minha visão de mundo que é uma teoria. Recorrer aos modelos e formulas desta visão, pois pressinto nos modelos ( teóricos, sempre é necessário lembrar isto), a causa anterior e primeira que norteou o cérebro do predador humano a agir assim.

Pois estes modelos teóricos sugerem que a historia da biologia na Terra (é errado dizer “a historia da vida”) tem um proposito: o de reproduzir geneticamente o nosso criador. E o nosso criador foi esta galaxia, ou mais exatamente, o DNA desta galaxia, que é o building block dos sistemas astronômicos. E acontece que esta galaxia – como devem ser todas as demais – cometeu o grande pecado de se tornar um sistema fechado em si mesmo. Cortando relações com o resto do mundo. Ora, para tal entidade, não existe motivo algum para buscar o conhecimento, nem de si mesma ( pois que ela é um fim em si mesma), nem sobre nada do mundo externo. Alias, buscar o conhecimento é característica fundamental dos sistemas abertos, ou seja, o inimigo eterno e mortal do sistema fechado. Para o nosso criador, matar o sistema aberto é questão de sua sobrevivência. Como o inimigo busca e cresce pelo conhecimento que adquire, é preciso mata-lo. E esta característica do criador paira acima do processo de sua reprodução, ou seja, norteia toda a historia biológica na Terra. Dai vem a fonte inconsciente dessa transformação do irracional para o inteligente no individuo predador. E, desde que a presa também  é uma criação do sistema fechado, tambem tem a tendencia a ser sistema fechado, fica fácil entender porque ela é dócil e se atira voluntariamente a este tipo de crença religiosa. A presa tambem já foi geneticamente modelada pelo Cosmos para não querer buscar o conhecimento.

Então, hoje buscamos o conhecimento mais uma vez – a busca de entender, de conhecer – porque a maioria dos humanos não quer o conhecimento. O fato das religiões combaterem o que questiona e busca o conhecimento é apenas o efeito. A causa deste efeito chama-se “tendencia a sistemas fechados”. Elimine-se essa tendencia, e o efeito maligno religioso desaparecera’. E encontramos o conhecimento, porem, tem ele alguma validade, ou é um conhecimento inútil?

Bem, nos últimos dias, tenho raciocinado que precisamos exorcizar da psicologia humana esta herança dos instintos animais. Compreender o processo desta herança e o que consiste estes instintos e’ o primeiro passo para realizar aquele objetivo. Este conhecimento adquirido hoje devera’ ser somado aos outros que vamos obtendo para se chegar a uma estrategia eficiente de como realizar este exorcismo.

xxxx

Ensaio para o post no Youtube:

Dawkins faz um bom e mal trabalho ao mesmo tempo. Ele nunca vai conseguir exorcizar da psicologia humana a religião, porque não sabe a estrategia eficiente. E não sabe porque o seu conhecimento sobre as causas mais profundas da religião não surgiram no limitado período de 4 bilhões de anos e no limitado espaço terrestre que ele estuda. Sem conhecer por completo o inimigo, não se obtém a melhor estrategia para combate-lo.

Tambem a religião judaica diz para matar em nos aquela parte que não crê, portanto questiona e busca o conhecimento: ela negou o paraíso e jogou no inferno quem comeu do fruto da busca do conhecimento. Esta ideia não se limita ao islamismo, ela é mais geral e profunda na Humanidade. Essa necessidade de matar o que busca o conhecimento e que é rebelde ao sistema que se quer implantar, não surgiu na especie humana e nem mesmo nos seres biológicos da Terra. Ela vem de uma propriedade cósmica dos sistemas naturais com tendencia a serem sistemas fechados em si mesmos, em contraposição ao seu oposto, que são os sistemas abertos. E’ preciso conhecer e entender o verdadeiro criador dos sistemas biológicos na Terra ( aka “vida”), para se obter a melhor estrategia para exorcizar da psicologia humana o mal destas religiões. Este criador foi esta galaxia, a qual é um sistema fechado e a qual gerou os sistemas biológicos num mero processo natural de reproduzir-se a si mesma. Porem. tal como acontece com os religiosos, a interpretação deste céu pela qual o Sr. Dawkins foi doutrinado na escola, tambem é falsa. E’ preciso antes subir aos céus, Mr. Dawkins, conhecer sua realidade, para se combater as falsas ideias irreligiosas sobre este céu. Os modelos astronômicos da Matrix/DNA Theory sugere este conhecimento. O qual exorciza não apenas as religiões dos deístas, mas tambem exorciza a mistica ateísta que acredita ser o acaso um criador de evolução e complexidade.

xxxx

Dawkins is doing a good and bad work at the same time. He will never be able to exorcise religion from the human psychology because they do not know the efficient strategy. And I do not know why their knowledge about the deeper causes of religion did not appear in the limited period of 4 billion years and limited land space he studies. Without knowing completely the enemy, you do not get the best strategy to combat it. Also the Jewish religion says to kill us in the part that does not believe, so questions and seeks knowledge: she denied heaven and threw in hell who ate the fruit of the knowledge search. This idea is not limited to Islam, it is more general and deep in humanity. This need to kill the seeker of knowledge and that is rebellious to the system that want to deploy, did not appear in the human species and even in biological beings on Earth. It comes from a cosmic property of natural systems with tendency to be closed systems in themselves, as opposed to its opposite, which are open systems. It is necessary to know and understand the true creator of biological systems on Earth (aka “life”) to get the best strategy to exorcise the evil of human psychology of these religions. This creator was this galaxy, which is a closed system and which generated biological systems in a mere natural process of reproducing herself. However. as with the religious interpretation of the sky in which Mr. Dawkins was indoctrinated at school, it is also false. It is first necessary to ascend to heaven, Mr. Dawkins, know their reality, to fight false irreligious ideas on this sky. Astronomical models of the Matrix / DNA Theory suggests that knowledge. Which exorcises not only the religions of deists, but also exorcise the atheistic mystic who believes he is the chance a creator of evolution and complexity.
Google Translate for Business:Translator ToolkitWebsite TranslatorGlobal Market Finder

Paradigma do Pensamento Sistemico: Artigo Favoravel

domingo, novembro 22nd, 2015

xxxx

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1–1935-20151122&tit=espaco+aberto+conexoes+invisiveis

Luís Miguel Luzio dos Santos

Conexões invisíveis

Só conseguiremos reverter a atual crise civilizatória se mudarmos o paradigma de conhecimento

 Desde o início da vida humana, há aproximadamente quatro milhões de anos, a nossa evolução como espécie sempre esteve condicionada à capacidade e qualidade dos relacionamentos que conseguimos estabelecer com nossos semelhantes e com o meio que nos rodeia. Nossa espécie nunca teve na força física ou mesmo no número de indivíduos o seu ponto forte, mas, antes, notabilizou-se pela capacidade de se organizar em grupos e de forma cooperativa desenvolver soluções para superar as adversidades e garantir a sobrevivência ao longo do tempo. Contudo, nos últimos tempos, parece termos nos afastado desse modelo ao privilegiar o autointeresse e o isolamento de cada um em relação ao bem coletivo.
Como alerta Fritjof Capra, ao se procurar compreender as multicrises que afligem o nosso tempo – ética, ambiental, social, econômica – constata-se que estamos, antes de tudo, diante de uma crise de percepção, em que o paradigma clássico – cartesiano-newtoniano – que continua a nortear a racionalidade ocidental, baseado na divisão, no isolamento das partes e na hiper-segmentação como forma de reduzir a complexidade, deixou de ser a solução para se tornar um problema. 

Se por um lado, a divisão da realidade em partes cada vez menores nos fez avançar no aprofundamento dos conhecimentos, o seu dogmatismo criou uma cegueira em relação ao todo e aos desdobramentos de cada ação ao longo do tempo e do espaço, resultando numa grave crise de responsabilidades em que a culpa tende a ser sempre transferida para os outros.

Um exemplo sintomático da incoerência de nossa perspectiva de conhecimento tem sido dramaticamente sentido no Brasil nos últimos anos. Ao se ampliarem indiscriminadamente as zonas de pastagem, nas últimas décadas, grande parte das vezes às custas do desmatamento intensivo de florestas através de grilagem e outros métodos ilegais, provocou-se um agravamento da questão climática, nomeadamente com a redução na quantidade de chuvas em boa parte do país, o que compromete o abastecimento de muitas cidades, reduz a produção de energia que, por consequência, leva ao encarecimento de toda a cadeia produtiva, alimentando a inflação que, por sua vez, tenta ser combatida com o aumento progressivo das taxas de juros, comprometendo o crescimento econômico e ameaçando as conquistas sociais. Além do mais, a expansão ilimitada de áreas de pastagem para a produção de gado vem na contramão das pesquisas que atestam os malefícios para a saúde humana de uma dieta alimentar com excesso de carne vermelha. Estas são apenas algumas das infinitas relações que se estabelecem, impossíveis de serem entendidas na sua totalidade, mas que qualquer esforço no sentido de ampliar a percepção da realidade enriquece as possibilidades de intervenção.

O nosso pensamento mutilado conduz a ações mutilantes, ninguém se sente responsável pelo que não é imediato e não o impacta diretamente, o que demonstra uma profunda miopia diante do contexto que nos cerca. Só conseguiremos reverter a atual crise civilizatória se mudarmos o paradigma de conhecimento, da centralidade atribuída aos elementos separados e assumirmos as relações como referência, em vez de elementos independentes, privilegiar a ideia de teia, considerando que cada fio está imbricado numa cadeia interminável de conexões interdependentes, em que o que afeta qualquer uma das partes inevitavelmente gera impactos sobre as demais. Tudo o que existe, galáxias, estrelas, planetas, seres orgânicos e inorgânicos, até as partículas mais elementares que compõem a matéria participam de um conjunto de inter-retro-relações sem fim e só assim pode-se assegurar as condições propícias ao desenvolvimento da vida nas suas diferentes formas, é bom lembrar: não existimos, mas coexistimos.

Epistemologia: Desde que Entrei Na Guerra sobre “Conhecimento Real”, Tem-se que Decorar e Criticar Isto

segunda-feira, julho 6th, 2015

xxxxx

https://pt.wikipedia.org/wiki/Epistemologia

O conhecimento como um conjunto de crenças verdadeiras e justificadas.

Epistemologia (do grego ἐπιστήμη [episteme]: conhecimento científico, ciência; λόγος [logos]: discurso, estudo de) ( entao a raiz grega da palavra é ” estudo do conhecimento cientifico”)  o ramo da filosofia que trata da natureza, etapas e limites do conhecimento humano, especialmente nas relações que se estabelecem entre o sujeito e o objeto do conhecimento. Nesse sentido, pode ser também chamada teoria do conhecimento ou gnosiologia. Em sentido mais restrito, refere-se às condições sob as quais se pode produzir o conhecimento científico e dos modos para alcançá-lo, avaliando a consistência lógica de teorias. Nesse caso, identifica-se com a filosofia da ciência.

Relaciona-se também com a metafísica. A sua problemática compreende a questão da possibilidade do conhecimento – nomeadamente, se é possível ao ser humano alcançar o conhecimento total e genuíno-, dos limites do conhecimento (haveria realmente uma distinção entre o mundo cognoscível e o mundo incognoscível?) e da origem do conhecimento (por quais faculdades atingimos o conhecimento? Haverá conhecimento certo e seguro em alguma concepção a priori?).

( Ler o resto na Wikipedia)

Ver também;  

Em Medicina, Como o Capitalismo está Bloqueando o Avanço da Ciência. Êrros Contra Matrix/DNA Objetivos

domingo, novembro 25th, 2012

How Drug Company Money Is Undermining Science

Scientific American

Ciência é o nome de uma atividade humana buscando sua liberdade contra a ignorancia existencial, contra a ditadura do mundo externo,  uma busca de conhecimento mais profundo da Natureza, para aprender novos mecanismos e processos que possam serem transformados em tecnologia e assim melhorar as condições da vida humana. Esta é a meta da Ciência, segundo os ideais do inteiro corpo da Humanidade, os quais renasceram com o Iluminismo contra as idéias religiosas que mantinham os humanos passivos aceitando todas as torturas do mundo externo (como a lepra, a febre amarela, a falta de prévio aviso sôbre catastrofes ambientais, etc.)  Mas dentro da Humanidade existe o demonio tambem, ou seja: os interesses de um individuo ou grupos de individuos são maiores para eles do que os interesses da Humanidade como um todo, o que muitas v6ezes prejudica esta Humanidade. Por isso muitas áreas da Ciencia tem sido desviada dos ideais dos fundadores, o que prejudica a Matrix/DNA Theory, a qual tenta ser a busca e a pratica da Ciência Pura, e procura continuar estimulando a “Ciencia como busca de conhecimento pela Humanidade”. Vem a calhar então o artigo mensionado abaixo:

http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=how-drug-company-money-undermining-science

By Charles Seife – November 21, 2012

“Yet at the same time, Campbell argues, some of these liaisons co-opt scientists into helping sell pharmaceuticals rather than generating new knowledge.”

Vale a pena ler, como eu voltarei ao artigo para ler inteiro se tiver tempo.

Porque nos nao conhecemos e nao podemos conhecer nenhum objeto no mundo.

sábado, abril 25th, 2009

Este tema e’ muito importante para nos, agnosticos e relativistas, combater-mos o fundamentalismo de qualquer especie, esta coisa que faz homens e milheres acreditarem serem os donos da verdade e tomartem decisoes as vezes mortais pensando que sabem o que fazem.

Estou agora apenas iniciando-o, e preciso reler The User Illusion o qual tem a materia sobre o teorema de Godel, o maior pensador nesta area ( “nao podemos provar tudo sobre um sistema estando dentro do sistema”, ou “nao existe o conhecimento total ao nosso alcance devido a impotencia da logica”) e outros importantes pensadores. Mas e’ simples entender isto:

Qualquer objeto e’ uma parte de um sistema ( a nao ser objetos extraidos em estado de putrefacao) ou um sistema completo. Mas qualquer sistema contem sub-sistemas ao mesmo tempo que esta dentro de outros sistemas maiores, mais complexos… nesta eterna danca da hierarquia de sistemas. Ora, desde que um objeto/parte ou mesmo um objeto/sistema esta dentro de outro sistema, o qual esta dentro de outro sistema ainda, as forcas dos sistemas maiores revertem sobre o objeto, influenciando seu comportamento. Estas forcas trazem principalmente as novidades da nova complexidade pertencente ao sistema superior, do mais elevado nivel de organizacao sistemica, e forcam o objeto inclusive a se comportar mais como o sistema superior do que se comportar tal como seria normal de sua propria identidade. E desde que geralmente nos nao vemos o sistema superior envolvendo o objeto, nao vemos as forcas e as vezes nem o resultado delas, nao podemos prever/entender com exatidao o objeto. Qualquer objeto, seja como parte ou como sistema, abre-se para um leque infindavel de outros sistemas e por isso nao podemos abranger tudo o que se relaciona a ele.

Bem, o melhor exemplo disso, poderia ser o “conhecimento do povo ocidental sobre o (objeto) ser humano”.  segundo este conhecimento, o ser humano tem milhoes de atributos, mas um dos principais e’ sua obsessao pela luta pela sua sobrevivencia. Sendo um corpo fisico, material, e sustentado sobre os genes, os quais tem como objetivo supremo a replicacao e sobrevivencia, a logica determina que todas as forcas internas do ser humano determinem que ele sobreponha o desejo de sobrevivencia acima de todos os outros desejos. Mas… contrariando toda essa logica derivada de um “conhecimento”, existem os homens-bombas. Selecionam a morte em detrimento da sobrevivencia. Porque? Porque o ser humano e’ um sub-sistema como parte de um sistema maior, o social, o qual, possui como um de seus ramos os sistemas religiosos, os quais sao produtos de um sistema mais complexo que o corpo humano que  e’ o sistema mental, etc. Sobre aquele homem paira um sistema invisivel, mas com forca capaz de atuar na materia e mudar seu comportamento. Por isso o rsultado final prova que o nosso conhecimento nao era completo: todos os planos e estrategia militar de uma guerra rapida e facil foram erros, a guerra se alastra interminavel, porque nao foi considerado o fator sistemas invisiveis…

Muitos outros exemplos na Historia servem como evidencia de nosso sempre e eterno falho conhecimento, e oxala’ o homem amenize a rudeza de seu carater quando entender isto. (mas devemos voltar aqui com mais tempo e reescrever isto, alem do que, qualquer colaboracao aqui sera’ welcome…)