Posts Tagged ‘córtex’

Explicando uma cabeça rodando

sexta-feira, junho 7th, 2019

xxxxx

O segundo desenho pode representar o pensamento quando estamos sentindo o mundo girando a nossa volta, ou com a cabeça rodando. Basta trocar a palavra objectivity por hipocampo, e a palavra subjectivity por córtex. Então o fluxo do pensamento sai do hipocampo pela esquerda, sobe pela esquerda, chega a tocar na esquerda do córtex e imediatamente cai de volta na direção do hipocampo transversalmente de maneira que o toca na direita e então sobe pela direita, chega no córtex tocando-o na direita e imediatamente cai na direção do hipocampo transversalmente tocando-o pela esquerda, e volta a subir pela esquerda…

Refazer esta imagem no power point, como mero humor e curiosidade.

 

A causa criadora do córtex e a volta do ciclo de domínio do hemisfério direito.

domingo, março 4th, 2018

xxxx

E a sugestão para uma técnica para desenvolver nosso equilíbrio e maior eficiência cerebral

Acho que acabei de encontrar a solução para outro intrigante mistério. Porque nas origens da historia humana houve tata produção de religiões e mitologias? E porque o cérebro ou mente humana mudou de maneira que hoje não existe mais esta grande produção?

Bem, o que acabei de perceber e’ que isto foi uma feliz ocorrência. A principal diferença entre cérebros humanos e primatas e’ que nosso cérebro cresceu mais e o que mais cresceu dentro dele foi o cortex. O córtex e’ a região centralizada no topo do cérebro, na região da testa. Não tendo este cortex, os primatas mesmo assim já tinham o cerebro dividido verticalmente em hemisférios direito e esquerdo. E’ sabido que o esquerdo lida com o mundo pratico real, e’ frio e calculista, talhado para a sobrevivencia, a competição, etc. O direito e’ mais zen, holístico, imaginativo, querendo existir no mundo da lua, ou talvez direcionado a entrar em ocultas dimensões da realidade para expandir nosso alcance e conhecimento. Portanto seria logico inferir que religiões e mitologias venham do hemisferio direito.

Image result for brain cortex

Então a grande produção delas nas nossas origens indicaria que o direito estava bem ativo, e a grande evolução na vida pratica com a tecnologia na modernidade indicaria que o esquerdo passou a dominar o direito. E isso tem mais uma logica:

Os nossos ancestrais animais, insetos, bactérias, aves, peixes e sei la mais o que, tinham antenas desenvolvidas que captam coisas como o campo magnético da Terra, e como a Matrix/DNA esta sugerindo que inclusive corpos humanos tem um campo magnetico e funcional, complexo como um sistema, talvez animais captam algo disso nos nossos corpos. Lembro-me de vários casos como evidencias para esta hipótese.  Essa antena foi encolhendo com a evolução do resto do corpo e do cerebro, o que e’ um grande mistério, pois se era tremendamente útil, porque se atrofiou? Pensa-se que hoje no cerebro humano esta antena se encolheu tanto que não passa de uma pequena glandula do tamanho de uma ervilha, a chamada glândula pineal. A pineal tem cristais de apatita, os quais reagem ao magnetismo ou outros efeitos de campos magneticos. Tudo bate…

O importante aqui e’ a beleza e elegância que se destaca deste processo evolucionário. Se num individuo um dos hemisférios domina totalmente e o outro se encolhe recessivo, esse cara caminha pendendo inclinado pendendo sob o sobrepeso de um lado e deve  fazer muitas besteiras. Mas se houver estas trocas de ciclos de dominância/recessividade, a natureza vai aos poucos corrigindo os atritos do conflito. isto significa que sempre nestes ciclos existiria uma fase em que o conflito esta quase controlado, existe uma época de ceta paz, quando os dois se unem e trabalham juntos e quando isso acontece, produzem uma grande novidade e muito benéfica, que e’ o alimento que se colocara no meio das duas fazendo crescer o… cortex. Assim evoluiu o cérebro inventando esta novidade que e’ o cortex.

Image result for brain cortex

Isso indica que os nossos primatas, que estavam mais próximos dos ancestrais com antena, tinham maior capacidade que nos de captar o culto a nos hoje. Como nada entendiam de planetas, astronomia, biologia, DNA, etc, faziam uma confusão dos diabos com as visões e indícios que captavam e estas confusões criaram as lendas mitológicas. Então, se isso for verdade, nestas lendas devem existir elementos reais da verdade. La vou eu novamente me lançar a mais um oceano de informações e mistérios, como se já não chegasse os milhares em que estou dentro e atolado ate o cocuruto…

 

Sugestão de técnica para desenvolver o cérebro:

Para entender isso e’ preciso observares neste site a formula da Matrix/DNA. Ela e’ o template de todos os sistemas naturais, o cérebro e’ um deles, então a anatomia do cérebro e’ a anatomia da formula. de fato a formula tambem tem duas meias-faces. O fluxo energético de informações começa na base de baixo em F1 e se dirige para a esquerda no sentido horario, alcançando F2. Quando chega a F4, o fluxo se bifurca e tem duas alternativas: ou continua em frente desenhando a esfera ou despenca com velocidade retornando rumo a base, a F1. Pois bem…

Nas época dos ciclo alternativo de dominância/recessividade entre hemisférios direito e esquerdo, depende exatamente do que faz o fluxo de informações. Quando o esquerdo esta dominante, significa que o fluxo chega no topo de F4, onde se representa pelo córtex cerebral e ao invés de continuar adentrando o direito, ele retorna imediatamente para a base. Apenas o esquerdo fica funcionando, enquanto o direito fica em dormência, em estado potencial apenas. Mesmo quando o ciclo entorna, como no caso dos primatas produzindo mitologias, o direito não funciona bem, pois ele depende sempre que o fluxo passe pelo esquerdo primeiro.  Não vejo como o fluxo poderia iniciar em F4 e não vejo como, ao chegar em F1, o fluxo pudesse subir em linha reta direto para F4 mantendo apenas o direito em atividade. Infelizmente o cérebro ainda esta num estagio intermediário de sua evolução, as dimensões ocultas estão ainda distantes do nosso alcance normal, vamos ter que assistir este levantar do direito porem, um levantar muito tímido. mas ai e’ que entra a nossa engenhosidade. Podemos acelerar essa evolução e começar desde já a ter bons lucros. pela meditação. Eu tenho esporadicamente me lembrado disso e de vez em quando aplicado essa técnica. Ela consiste em você se lembrar da formula, fixar imaginariamente F1 na região do hipocampo que e’ a base central do cérebro atras da boca ou do nariz, imaginar o turbilhão do qual sai o fluxo lhe percorrendo o cérebro pela esquerda de baixo para cima esfericamente, e quando o fluxo chega em F4, no cortex, faça um esforço para evitar que caia, imagine-o seguindo em frente, atravessando a ponte sobre a massa do corpo caloso e entrando no direito… Aviso urgente: não torne isso uma obcecação, não faça muito este exercício pois le pode comprometer sua eficiência neste mundo mundano na competição pela sobrevivência e apego as coisas reais do aqui e agora. Mas tambem não deixe de faze-lo de vez em quando pois o nosso horizonte mental deve crescer para o lado das dimensões ocultas e isto só se o direito for livre e estimulado a trabalhar. não me vá’ agora ficar produzindo novas mitologias como a hidra de lerna com varias serpentes na cabeça, super-heróis como Hércules e Aquiles, imaginar cobras falantes no paraíso, ou ficar desenhando discos voadores nas pardes da casa/caverna…  Vão te olhar estranho achando que ficastes lele’ da cuca… quase como eu…

Image result for brain cortex

A proposito, estou acompanhando e dialogando com um pessoal que esta revelando coisas muito estranhas sugerindo que estão captando estas coisas por meio do paranormal ( o que seria um retorno ao nosso primitivo ou uma reviravolta nos ciclos pondo agora o hemisfério direito novamente no domínio do cérebro. Se alguém tiver curiosidade o debate esta acontecendo no Google+, tente este link:

https://plus.google.com/+RickKaneAccidentalScientist/posts/fb9UffrBPvw

Cérebro, Memoria: Hipótese da Consolidação dos Sistemas – Mais Uma Previsão Acertada da Matrix/DNA

terça-feira, fevereiro 14th, 2017

xxxx

Uma nova experiência laboratorial está exigindo uma mudança no paradigma da Neurologia e gerou a Hipótese da Consolidação dos Sistemas: memorias de curto-prazo envolve o hipocampo, mas memórias de longo prazo é de algum modo desconhecido transferida para outras áreas, como o córtex.

Os cientistas dizem que o mecanismo é desconhecido, mas tendo a formula que montou o cérebro humano, posso ver claramente qual é e como funciona o mecanismo.

A evidência é que numa experiência recente, no laboratorio alguém tentou ativar a memória através de neurônios do córtex um mês mais tarde, e de fato a memoria foi reativada. ( ver a fonte desta notícia no link abaixo e nos próximos dias farei novo artigo sobre os “papers” oficiais publicados)

Isto é importante porque como os cientistas, eu sempre pensei que a memória existisse no hipocampo, ou na região central do cérebro, mas com esta informação ela pode estar em muitas regiões, parecendo que é espalhada.

Mas então apenas agora me lembro que a formula da Matrix/DNA (mostrada na figura abaixo) sugere isso claramente, ou seja, eu já sabia disso, sem saber que sabia, porque nunca raciocinei a formula em relacao a memoria. O cérebro é um sistema em si mesmo, vendo-o separado do resto do corpo. Ele tem núcleo (a região central onde está o hipocampo), tem partes ( as diversas glândulas, regiões cerebrais, etc.), tudo interconectado, funcionando. O cérebro é mais uma cópia da formula da Matrix/DNA, ou seja, esta formula monta todos os sistemas naturais `a sua imagem e semelhança, na medida que permite o ambiente e os materiais do ambiente, o estágio evolutivo, etc. Podes ver que o cérebro tem hemisférios direito e esquerdo como a formula tem suas faces esquerda e direita dividida pelo circuito F5, que no cérebro se torna o corpus callosum. E a formula monta cada sistema a partir de um objeto inicial, um corpo, aplicando nele o ciclo vital que o faz se diferenciar em várias formas/funções e depois conecta estas diferentes formas como suas partes. Assim se formou o cérebro desde os primeiros rompantes de sistema nervoso nos seres primitivos como as bactérias.

Na formula está claro que o sistema-cérebro possui memória em F1, onde começa o circuito do sistema, ou seja, mais um ciclo vital. O circuito nada mais é que o fluxo de informações avançando, ou seja, um corpo crescendo em idade, como o corpo humano faz após nascer. Em F1 ocorre a gestação de novos sistemas, como o corpo humano, onde F1 é representado pela mulher grávida. Ora, um novo ser começa a ser formado com informações memorizadas que vieram de seus genitores. Por isso a memória já está em F1.

Então quando o fluxo sai de F1 e vai para F2, ele está sendo a informação do corpo inteiro, está levando o corpo inteiro, e com isso, claro, vai a memória do corpo. A nossa memória quando estamos na forma de adulto ( que na formula e’ F4), veio da memória na nossa forma como adolescente (F3), com mais alguns acréscimos.

Então quando transportamos a formula para o sistema “cérebro” e vemos F1 representada pelo hipocampo, notamos que o circuito sobe pelo hemisfério esquerdo em direcao ao córtex, e com isso ele está levando a memoria. Quando o circuito perfaz-se totalmente, a memoria está presente em todo lugar que ele passou, e se fixou. Assim conhecemos o mecanismo que transporta a memória pelo cérebro.

Mas estamos aqui pensando na formula quando ela desenvolve e estrutura a forma do cérebro, e se torna o template do cérebro. Outra coisa é mais tarde na evolução biológica chegando ao ser humano quando a formula retorna para criar os pensamentos, igualmente a sua imagem e semelhança.

Cada pensamento nasce vive e morre pela mesma configuração da formula, porém, os pensamentos são muitos, ocorrem em sequências, nunca dois ao mesmo tempo, e tem duração de vida brevíssima, muito menor que a do cérebro. Além disso, pensamentos não se fixam nem se auto-reciclam idênticos. Pensamentos são micro-ciclos abstratos ( softwares) de e dentro de um macrociclo concreto (o hardware) que é o cérebro. Isto significa que em relacao a pensamento, a memória está sempre em movimento, pulando de região para região, é impossível fixá-la em algum ponto, e depois que ela passa por uma região, desaparece daquela região. E as partes da memória carregadas por cada pensamento morrem com os pensamentos, ou, quando o pensamento for importante, quando ele foi contaminado por informação nova que não existia antes, ele chega ao córtex e perfaz a trajetória de F5, retornando diretamente do córtex (F4) para o hipocampo e registrando-se ali definitivamente como mais um acréscimo da memória estrutural.

Então existe a memória estrutural e a memória abstrata mental, ou memória dos pensamentos, segundo a Teoria da Matrix/DNA.

Muito simples entender isto quando se tem a formula, concorda? Porém, o maior absurdo disto e’ que os cientistas não conhecem e nem entenderiam a formula. para explicar de onde ela veio eu teria que montar um curso universitário de alguns anos e isso me e’ impossível. Então, infelizmente, vão continuar gastando bilhões e dólares para descobrir coisas por acaso quando uma teoria dirigindo as experiências ficaria muito barato e com melhores resultados.

Vamos trazer a formula para ver isso melhor:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

 

Fonte da informação sobre a experiencia cientifica:

Think you’ve got a terrible memory? You don’t know the half of it

http://ideas.ted.com/think-youve-got-a-terrible-memory-you-dont-know-the-half-of-it/?utm_campaign=social&utm_medium=referral&utm_source=facebook.com&utm_content=ideas-blog&utm_term=social-science

Observe no artigo que o entrevistador pergunta aos neurologistas porque a memória é tão maleável?

Eu vou ter que procurar porque eles pensam que a memória é maleável, ou seja, maleável em que sentido, em relacao a que? A formula está sugerindo claramente que a memória é tão maleável como um corpo humano, mudando ou desenvolvendo-se em diferentes formas, etc. Mas as respostas dos cientistas foram muito nebulosas e acho que não responderam a pergunta. Um deles citou o fato de que tendemos a esquecer um evento de extrema agonia e para explicar isso ele diz que nosso cérebro faz isso para nos poupar de dolorosas recordações inúteis, etc. Ora, o cérebro por si só não tem propósitos, não pode saber que mentalmente sofremos ao recordar, ele não faz nada disso, e como “o cérebro é eu” e “eu sou o cérebro”, ele estaria apagando, extraindo uma parte de si mesmo, o que penso ser impossível. Combatem o dualismo de Descartes em corpo e alma porém criam o dualismo cérebro e o eu como se fossem duas coisas distintas? O que acontece – segundo a minha cosmovisão – em relacao aos “pânicos esquecidos, apagados da memória” é o mesmo que acontece quando nosso corpo é ferido ou uma perna quebrada. A ferida se cura, cicatriza e desaparece, a perna volta ao normal, etc. Falta de entender que a memoria em si é um sistema, um sub-sistema do cérebro, e como tal deve ser vista como um organismo, com mesmas propriedades. A  seguir copia do trecho desta pergunta:

Entrevistador: “A question for the group: Why is human memory so malleable?”

Elizabeth Loftus: Whatever your theory is, why would Darwin or God or whoever have made us with memories that are so malleable? That must serve some sort of function, and one of the functions that malleable memories can serve is to be able to correct errors that creep in. You can update your memory with accurate information, and that is certainly a benefit. ( obs.: sim, porém neste caso, quem “update” ou corrige erradas informações na memória são nossas experiências afrontando a realidade do mundo externo, o qual atua como um medico, e as corretas informações inseridas são como os remédios ou cirurgias ministrados pelo medico-realidade).