Posts Tagged ‘Craig Venter’

Genoma Projeto, Craig Venter, Causas das Doenças e as Sugestões da Matriz/DNA

segunda-feira, novembro 22nd, 2010

http://www.spiegel.de/international/world/0,1518,709174,00.html

Der Spiegel

No site acima o magazine Der Spiegerl entrevista Craig Venter sôbre os dez anos que ele investiu sequenciando o genoma humano, onde Venter explica que temos aprendido muito pouco e o montante de dados obtidos não explicam quase nada. A Teoria da Matriz/DNA insiste que a chave do segrêdo para começar a entender tudo o qie precisamos está na fórmula da Matriz. Não só porque ela revela as origens e a história do genoma mas principalmente porque o genoma é composto de unidades –m os genes – que se juntam para formar sistemas e sub-sistemas, só então expressam funções e portanto tem que haver uma visão holistica sistêmica para entende-los, o qual é justamente o que nos fornece a formula sistêmica da Matriz.

Interview conducted by Rafaela von Bredow and Johann Grolle

 

Vejamos alguns iniciais e breves comentários da Matriz sôbre trechos desta entrevista:

1) SPIEGEL: How much would you be able to learn about us by doing so?

Venter: If anything, we don’t really know how to read the genome and it can’t tell us very much right now.

Matrix/DNA: O conhecimento da formula da Matriz é o que está faltando aos pesquisadores de campo para começarem a entender os genes.

2) SPIEGEL: The decoding of your personal genome has so far revealed little more than the fact that your ear wax tends to be moist.

Venter: That’s what you say. And what else have I learned from my genome? Very little. We couldn’t even be certain from my genome what my eye color was. Isn’t that sad? Everyone was looking for miracle ‘yes/no’ answers in the genome. “Yes, you’ll have cancer.” Or “No, you won’t have cancer.” But that’s just not the way it is.

Matrix/DNA: Chegou-se à conclusão que o cancer é causado por uma variação genética. Se não sabemos o que causa a variação e o que significa a variação, ficamos sem poder de ação. A formula da Matriz é capaz de identificar os genes a nível de átomos. A posição e o tipo de um átomo pode identificar a sua função na formula. Tendo todos os átomos identificados pode-se montar o gene segundo a formula de sistema. E tendo esta montagem pode se compara-la com a formula de sistems perfeito da Matriz e identificar onde está om defeito, porque o defeito ocorreu. Bem isto é o que penso, sem ter visto a coisa real no laboratório. Mas pode haver muitas outras possibilidades tendo-se conhecimento da formula.

3) SPIEGEL: So the Human Genome Project has had very little medical benefits so far?

Venter: Close to zero to put it precisely.

Matrix/DNA: Importante anotar isto.

4) SPIEGEL: Did it at least provide us with some new knowledge?

Venter: It certainly has. Eleven years ago, we didn’t even know how many genes humans have. Many estimated that number at 100,000, and some went as high as 300,000. We made a lot of enemies when we claimed that there appeared to be considerably fewer — probably closer to the neighborhood of 40,000! And then we found out that there are only half as many. I was just in Stockholm for the 200th anniversary of the Karolinska Institute. The first presentation was about the many achievements the decoding of the genome has brought. Then I spoke and said that this century will be remembered for how little, and not how much, happened in this field.

Matrix/DNA: Portanto são cerca de 20.000 genes responsáveis por milhões de funções, como as caracteristicas físicas. e produções, como as proteinas. É preciso ver o DNA como uma network constituída de individuos, onde os individuos são sistemas. Eles se juntam em diferentes grupos para produzirem algo ou se desviam em grupos causando doenças. Imagine a grande sociedade humana, como um unico individuo que è em si mesmo um sistema, se junta a um grupo de bairro, depois a um grupo nacional, variando para grupos de religião, ideologia, tipos de hobby, esportes, preferencias de alimentos, roupas, etc. Alem disso tem a variação localizada no tempo, por exemplo, os grupos ora compõem um sistema feudal, ora um sistema capitalista ou marxista. Essa variação no tempo dentro do DNA é demarcada pela posição do gene e do grupo na escala cronológica da fita de registros. Sem identificar cada individio como sistema seria como tentar entender a população e as produções de New York sem saber que certa pessoa é americana, outra chineza, outra cristã, outra é gorda, ou branca, etc. Mas o desafio para o conhecimento é sempre o mesmo e nós temos avançado nos conhecimentos. A principio um dado quadro natural parece muito complexo e insolivel mas com persistencia e método acabamos identificando chavers, denominadores comuns,significados, o que nos levaa então a de imediato compreender o todo. Imagine um nativo da Amazônia da primeira vez que vê um automovel. Parece simples por fora, como parecia fácil para os cientistas entender o DNA e detectar as causas das doenças. Mas quando abre o capô e se depara com aquela cena da parafernália de fios e peças, o nativo pode pensar que jamais irá entender aquilo tudo. Porem nós que já temos experiencia de muitos anos com automoveis temos um completo entendimento da coisa toda. Assim será na nossa busca de entendimento destas networks complexas como a dos genes, dos neuronios no cérebro, etc.

 5) SPIEGEL: There are hundreds of hereditary diseases that can be traced to defects in individual genes. You can determine a lot more than just probabilities through them. But that still hasn’t led to a flood of new treatments.

Venter: There were false expectations. Take Ataxia telangiectasia, for example, a horrible disease. The nervous system degenerates, and people who have it often die in their early teens. The cause is a defect in a single gene, but it is a developmental gene. If your body is built in the wrong way, then you can’t just take a magic pill to rebuild it. If your brain is wired wrong, then it is wired wrong.

Matrix/DNA: Temos que por cada gene desenhado numa folha transparente e por esta folha sobre a fórmula da Matriz, para saber quem é aquele gene. Se é um arabe, muçulmano e portanto faz as coisas à sua maneira, ou se é um russo ortodoxo, etc. Tendo a posição dele na fita quimica do DNA saberemos o que sua versão matricial produzia na nebulosa de atomos, depois o que produzia nas galaxias, e o que tenta produzir no corpo humano. Temos de mudar certos conceitos atuais. Por exemplo quando Venter diz “it is a developmental gene” temos que entender que o gene expressa um certo momento e forma dentro de um ciclo vital, ou seja, um gene que atua mais em determinada fase de um processo. E tendo seu mapa é possivel localiza-lo numa das sete funções do ciclo vital da Matriz.  

 6) SPIEGEL: Who is to blame for those false expectations?

Venter: We were simply always looking at single genes because they were the only genes we had. When people lose their keys at night, they look under the lamp post. Why? Because that’s where you can still see something.

SPIEGEL: But the keys are really located in the dark?

Venter: Exactly. Why did people think there were so many human genes? It’s because they thought there was going to be one gene for each human trait. And if you want to cure greed, you change the greed gene, right? Or the envy gene, which is probably far more dangerous. But it turns out that we’re pretty complex. If you want to find out why someone gets Alzheimer’s or cancer, then it is not enough to look at one gene. To do so, we have to have the whole picture. It’s like saying you want to explore Valencia and the only thing you can see is this table. You see a little rust, but that tells you nothing about Valencia other than that the air is maybe salty. That’s where we are with the genome. We know nothing.

Matrix/DNA: A formula da Matriz neste caso é a lampada luminosa. The whole picture não é concernente a partes ou seja, genes, mas sim concernente ao sistema que as partes compõem.

7) SPIEGEL: Will that lead in the end to the kind of personalized medicine that genetic researchers have always touted? Each person would get his or her own personal treatment that is tailored precisely to that person’s genetic make-up?

Venter: That was another one of these silly naïve notions that was out there. It’s not, ‘Oh, we know your genome, we’re going to make this drug for you.’ That will never happen. It is more important that you use the information in the genome about your personal risks and reduce them through intelligent behavior.

Matrix/DNA: É isto aí. Comportamento inteligente anulando os riscos de variação genética as quais causam doenças e podem transmiti-las hereditariamente. Mas o que siginifica comportamento inteligente? Senão uma perfeita sintonia do corpo humano com o ritmo da Natureza ao redor, as vibrações, as composições das substancias, o momento evolucionario, etc.? É claro que o ser humano não é uma maquina que se auto-controla como um relógio tem seu todo controlado por uma disciplina severa de ritmo. O ser humano não consegue muita disciplina, mas principalmente porque ele foi gerado e vive num meio ainda selvagem, caótico, como o é a biosfera. Mas antes de desenhar o perfeito comportamento inteligente precisamos conhecer a fundo a natureza do meio-ambiente, saber qual seu ritmo e tendencias. Para isto precisamos conhecer a História Universal Natural e localizar nosso ambiente no devido ponto do espaço-tempo desta história. Nada melhor para isto que a história revelada pela Matriz. Tendo consciencia de como a natureza quer que nos comportemos a cada momento e evento e sabendo maneiras de contornar os nossos vicios vamos nos aproximando do comportamento que não produz variação genética.

8) SPIEGEL: When can we anticipate seeing the next tailor-made microbes from your laboratory?

Venter: Well, the goal is multifold. We have to start by creating minimal cells. A human cell is too complex — we have no idea how any human cell works. We don’t even know how the simplest bacterial cell works. We want to learn what the minimum cellular components are, so we’re going to be taking out all the non-essential genes. But we’re also trying to design new life forms for energy production, capturing carbon dioxide or to produce chemicals.

Matrix/DNA: Com a formula da Matriz nós temos melhor entendimento como uma célula trabalha. Por exemplo sabemos alinhar as organelas de acordo com o alinhamento sistêmico, o que revela entre outras, alguns mecanismos e invisiveis formas de interações entre as organelas. Reduzir a célula a seus componentes mais simples precisa antes entender que muitos dos componentes são resultantes da fuzzy logic, ou seja, resultam das interações entre os componentes essenciais. E tendo a célula desenhada numa folha transparente sobreposta à formula da Matriz torna-se facil ver o que é essencial ou não.

9) SPIEGEL: ExxonMobile, at the very least, appears to be convinced by your vision …

Venter: … yes, they are investing $600 million in the project, with half going to our partnership. It’s a good round number. It’s the same money that PerkinElmer gave me to decode the human genome. With it, we sequenced the human genome in nine months instead of many, many years. The public money that flowed into the Human Genome Project, above all, created an enormous, inflexible bureaucracy. And it is only because of private money that we can now sail across the ocean with this sailboat and discover 40 million genes — there are only 41 million genes known to all of science. All you need are a few innovative ideas and independent funding to allow you to do things that other people can only dream about.

Matrix/DNA: Craig Venter é a mente ideal para esta tarefa por ser brilhantemente pratica, pragmatica, realista, onde a fé e seus desvios misticos, se existe alguma, é deixada do lado de fora da porta do laboratório, ou do escritório da administração. Por isso ele nos surpreende com tantos rapidos e eficientes progressos. Falta a ele e sua equipe conhecer a formula da Matriz e entender que ela nada tem de pessoal imaginação humana mas sim é resultado do mais materialista e naturalista método conhecido, que é a anatomia comparada entre duas coisas diferentes anotando semelhanças e diferenças e tentando, experimentando previsões baseadas nos dados. Esta formula é a fonte de idéias inovativas que essa pesquisa está precisando, uma avalancha delas que nos ocorrem a todo momento que vemos os dados na banca do laboratório. Seria um minimo custo com uma recompensa inimaginavel se alguem que entende a formula como eu tenho estudado-a por 30 anos pudesse estar presente no laboratório, de inicio apenas como simples observador e aprendiz, para em seguida começar a expor as sugestões.     

O Fim do Sexo e os Filhos Sintéticos

sábado, julho 17th, 2010

Com a fantástica façanha do Venter Institute produzindo uma nova espécie da vida, a partir de agora, se você quiser ter um filho com alguém especial para você, digamos, com a Jennifer Lopes ou Tom Cruise, bastar dar uma gorjeta para o garçon que os servir no restaurante para que êle lhe dê o garfo que usaram. Junte ao garfo uma amostra de seu DNA, leve a um laboratório e em 9 mêses terás vosso filho.

Depois de milênios da tortura massacrante e enfadonha do velho método de fazer bebês, os humanos tanto reclamaram que foram atendidos. Acabou-se aquela ginástica forçada, cansativa, aquela huminhação animalesca, estamos na era dos filhos sintéticos. Mas vou explicar o método do laboratório:

Tendo um exemplar do DNA, os cientistas os põe numa substância que colore cada elemento, cada base ou aúcar da haste, com uma cor diferente. Depois passa um foco de raio laser na fita do DNA e as cores vão sendo registradas num computador. Desta maneira, no final o computador copiou o DNA, o qual é jogado no lixo. Agora o código da vida da Jennifer ou do Tom está na forma de software dentro de um computador. Basta trazer quatro garrafas contendo bases e açucares feitas sintéticamente e ir lendo o código no monitor, arranjando as bases como manda o computador e pronto: temos dois DNA’s sintéticos, artificiais.Em seguida cruza os dois, bota o resultado numa garrafinha de proveta e espera nove meses…

Semana passada o Presidente Obama pediu uma investigação urgente sôbre o feito do Venter Institute, houve uma reunião do Committee on Energy and Commerce, iniciando a operação chamada “Effects of Developments in Synthetic Genomics”, onde um membro do Comitê disse ao Dr Venter:

– “I kind of like the traditional way of making human beings. It is fun and it is recreational, therapeutic, and there are a lot of positives and you have these little babies that you get to let your wife raise. I mean, it is a fun thing. I am trying to understand the significance of what has transpired.”

Tradução: “Eu sou do tipo que ainda gosta do jeito tradicional de fazer seres humanos. É divertido, prazeiroso e é recreacional, terapêutico e há muitos fatôres positivos, além de você ter êstes pequenos bebês que deixam sua espôsa feliz. Quero dizer, esta é uma coisa boa. E eu estou tentando entender a significância do que tem sido noticiado.” 

 Outro político que é republicano perguntou:

– “Quer dizer que o senhor não apenas criou uma nova espécie de seres vivos, mas também excluiu os genes que faziam os bichinhos produzirem coisas ruins e inseriu outros programando-os para fazerem o que o senhor quis?! Isso quer dizer que podemos programar os novos bebês americanos que vão nascer para votarem no Partido Republicano?!”

 Assistindo isso o LULA pulou da cadeira e ordenou: “Corram lá, comprem a fórmula, o computador dêsse homem, quero aqui todos os bebês votando no PT!”

 Brincadeiras a parte, não tenha dúvidas que a vida humana mudou na semana passada e partiu para um destino jamais imaginado antes. O que vem ainda por aí… apenas agora os futurólogos estão acordando, se recuperando do choque e começando a digerir a coisa…Mas tenha certeza: nunca mais nossa vida será a mesma! A nova espécie é filha de um computador!

Craig Venter

 

FIM

Vida Sintética: Ressuscitem Pasteur para pegar o Craig Venter!

sábado, julho 10th, 2010
Synyhetic Biology

Synthetic Biology

Fonte: http://scicollege.net/archives/120

Veja artigo no Guardian.co.uk

http://www.guardian.co.uk/science/2010/may/20/craig-venter-synthetic-life-form

Craig Venter creates synthetic life form

Grande marco na história da Ciência e gigantesco passo para a Humanidade!

Na minha opinião, o que Venter fêz foi pular o capitulo iniciado teóricamente por Oparin e experimentado por Mulley/Urey que consiste na busca da redução da atmosfera e condições terrestres ao nível do que era a 4 bilhões de anos atrás para ver se da matéria abíotica obtem-se os componentes básicos da Vida. Esta pesquisa está meio abandonada porque tudo o que produz não dá os passos seguintes sózinho, ou seja, os aminoácidos surgidos na experiência de Urey ficam inertes e não se ligam em polímeros para formar o próximo passo, que seria as proteínas. Alem disso os aminoácidos de Urey não são os aminoácidos usados pela Vida. Então Craig preferiu observar um genoma pronto e copia-lo, pegamdo átomos, combina-los na forma de aminoácidos e outros componentes, etc. Inserindo isso numa bactéria ela se reproduziu passando o genoma sintético de Craig para os filhos, os quais agora devem ser filhos da mãe bactéria e do pai Craig. Estes filhos terão outros filhos indefinidamente, portanto uma nova espécie surgiu na Terra, carregando um sinal de Caim na testa, que são as quatro marcas d’àgua no genoma. Fantástico! Mas…

A maioria dos ateus e críticos das religiões vieram correndo à midia perguntando: “E como fica o criacionismo agora? Hein?”

No meu caso me perguntei imediatamente: “E como fica a Teoria da Matriz/DNA Universal agora”? Hein? Será que chegou a hora de por tudo no lixo e retirar-me de cena?”

Claro que êste evento vai me obrigar a reestudar a Teoria e compara-la com a nova situação. Mas já de antemão parece-me que a teoria não sofre nenhum abalo, ao contrário, parece que ela sai do episódio mais reforçada. Ela sugere que os átomos na superficie da Terra estão acessíveis a serem penetrados pelos fótons que vem da energia solar, que tais fótons são bits-informação de LUCA. O objetivo supremo dos fótons-genes é reproduzir o sistema de onde vieram, assim como se os chineses imigrantes em New York, tivessem dinheiro e material suficiente, criariam um bairro para morar reproduzindo o ambiente da China, na medida que permitisse os materiais e condições de New York. Ora, Craig Venter usou átomos da superfície terrestre, que contem imigrantes vindo de LUCA – o qual é a própria Terra mais o Sol formando um proto-sistema. O que êle fêz foi apenas substituir o grande meio ambiente – que é produzido por LUCA,  assim como nós produzimos tôda a medicina no acompanhamento da gestante e depois a sala do parto. Craig fêz em 10 anos o trabalho que a Natureza demorou bilhões de anos para fazer no período ultimo da biogêneses, quando ela já tinha feito os ingredientes.

Mas acho que poderíamos pregar uma peça no Craig, da mesma forma que Louis Pasteur pegou de jeito os defensores da teoria da geração espontânea. Pasteur esterilizou e lacrou herméticamente os frascos contendo a matéria que diziam gerar formas de vida como micróbios. Não foi gerado nada, provando que os principios vitais vinham pelo ar ou algo mais. Da mesma forma poderíamos tentar colher átomos de uma certa região profunda da Terra, que não têve contacto nem êles nem seus vizinhos, com a energia solar mas que também não foram de alguma forma alcançados pelas substâncias que sobem desde o nucleo do planeta. Na nossa linguagem da Matriz seriam átomos estéreis, os principios vitais vem de algo mais. Daríamos estes átomos a Craig e pediria para ele repetir a experiência . Se a Teoria da Matriz/DNA Universal estiver correta, êle jamais conseguiria copiar o genoma. Teria o mesmo problema dos pesquisadores no laboratório que tentam acrescentar pedaços de polímeros ou proteínas às  pequenas moléculas que se formam na Natureza e que deveriam evoluir para RNA ou DNA mas ao invés disso, quando chegam a certo ponto, suas duas pontas se atraem, se curvam e se conectam formando uma anel fechado para sempre. Porque? Porque átomos simples tem suas próprias fôrças de atração que os leva deterministicamente a se conectarem a átomos específicos tambem simples e constituirem arranjos que resultam em rochas, àgua, coisas inorgânicas. Mas os átomos usados por Venter são especiais, eles contem o principio vital. Nós teríamos fechado o frasco, provando que a matéria de Craig é estéril. Daria Pasteur na cabeça!

No entanto, vamos continuar analizando isso tudo, é muito recente para conclusões definitivas.

Abraços,

Louis Morelli