Posts Tagged ‘cristal’

Do Caos para a Ordem: Mecanismos de Auto-organização

terça-feira, setembro 13th, 2011

Nós somos filhos do Caos, porem netos da Ordem, mas bisnetos do Caos, emquanto somos tataranetos da Ordem…

Em ultima instância somo produtos da biosfera terrestre. E basta ver essa biosfera no seu estado inicial, ainda crua, na selva amazônica, para concordar que isso é uma produção caótica. Mas nossa biosfera foi produzida e está dentro de um sistema tão ordenado que funciona precisamente como um relógio: o Sistema Solar. Mas basta dar uma olhada numa noite estrelada, para alem do sistema solar e ver a caótica profusão de estrêlas, constituindo a galáxia. A História de nossos ancestrais, das partículas às galáxias aos trogloditas, é uma História dos Ciclos Alternados Entre Ordem e Caos.

Porque é assim? Porque tivemos que existir assim, dentro de um ciclo que parece interminável e vai de um extremo ao outro extremo no tocante ao estado termodinâmico do equilibrio de sistemas?

A explicação vinda dos modêlos da Matrix/DNA é meio mística, entra nos reinos da metafísica. Ela explica com um exemplo:

Se eu fôsse um professor com uma ideologia que tivesse como supremo objetivo manter o livre-arbitrio dos alunos, eu deixaria êles planejarem a sala de aula, o curfriculum, etc. Mas suponha que êsses alunos fôssem muito rebeldes, ou seja, olharam para a sala de aula que nossos pais construíram, esboçariam um olhar de desdem e concluissem que não queriam estudar daquela maneira, diriam que existiria outros modêlos melhores para escolas, e que êles seriam capazes de elaborar tais novas escolas. Bem… desde que eu tenho que respeitar-lhes o livre-arbitrio, só me resta disponibilizar o material e permitir que façam como quiserem. Enquanto fico assistindo confortavelmente sentado no meu camarote

Os alunos constróem o primeiro modêlo, me chamam para dar as aulas, vão nêle estudar, mas por um monte de razões não o aprovam, desmancham-no e partem para o segundo modêlo. Depois de um tempo nêle estudando concluem que não é mais possivel suporta-lo, destroem-no e partem para um terceiro modêlo…

Isto evidencía muito bem o que é um filme apresentando o ciclo entre caos e ordem: um modelo construido é uma nova ordem que se levantou de um caos que foi o desmanche do modelo anterior.

Um nosso ancestral, LUCA, construiu um meio-ambiente e um corpo que era um extremo perfeito paraíso – o building block dos sistemas astronomicos, e nêle viveu como Adão e Eva. Mas a entropia atacou este sistema, degradou-o nas suas menores peças-informação, dirigiu-as a lugares como a Terra, e aqui, inicialmente se conflitando e gerando o caos, estas particulas-genes se levantam num estado de ordem, processo êste que nós, os ultimos herdeiros atuais, ainda estamos levando para a frente.

Será que Deus está agindo conosco como êsse professor?… pergunta a Matrix/DNA.

Eu particularmente não concordo com essa idéia de Deus sentado no camarote assistindo impassível enquanto me esburracho todo aqui. Pô, se erramos, errar é humano, dê-nos uma chance né? Uma mãozinha aí para amenizar êste caos…

Mas o mundo não é como eu quero que seja, êle é como é… e essa história dos ciclos existe e é fato.

Seja como fôr, o processo da Natureza em qualquer lugar e época estar se levantando do caos e partindo para a ordem, é interessante e precisa ser conhecido. Aqui vai um dos mais importantes, porque o autor está defendendo a idéia de que simples fôrças brutas físicas na geologia terrestre teria iniciado o fenômeno da auto-organização de sistemas e chegado assim a produzir a vida. Na Matrix/DNA a teoria é outra, defendendo a idéia do Universo como hardware e software que organiza a matéria em sistemas. Mas o processo abaixo apresentado está sutilmente sugerindo algo, enquanto sabemos que a solução super-saturada onde surgem e crescem os cristais, é o habitat preferido dos genes de LUCA quando aqui chegam. Não serão êles em ação nas origens da vida? Êste exemplo de auto-organização foi descoberto no seguinte link:

http://originoflife.net/error_correction/

Origin of Life – da teoria de Cairn 9?) Smith, da qual já tem um outro artigo nêste website.

A grosso modo as figuras dizem o seguinte. Primeiro existe um cristal grande já formado, numa solução saturada, que pode ser a àgua quente de um oceano. Ao seu lado vai se formando uma nova unidade de cristal, de alguma maneira na solução ela é aproximada do cristal grande, e forças de atração fazem com que ela seja agregada. Mas ela tem o livre-arbitrio de escolher entre seis direções possiveis, inclusive de sair fora do cristal maior. Se ela se fixar numa posição do cristal que não bata com sua geometria, o cristal vai dar um jeito de expulsa-la. Isto é usado pelo autor para defender a idéia de que o formidavel fenômeno da auto-correção de êrro na duplicação genética teria vindo deste processo dos cristais. Pois aqui realmente o cristal corrige êrros em sua geometria inicial. Mas na Teoria da Matrix/DNA acho que estábem explicitado que auto-correção de êrro só existe quando executada pela identidade de um sistema, as partes não tem como fazer uma correção de sistema, apenas de partes. Por isso suspeitamos que o sistema da fórmula da Matrix está infiltrado nas soluções saturadas e influenciam na modelação dos cristais. Em todo caso…

Vamos lá:

Cristal em Crescimento - Fase 1 - 6 graus de Liberdade

Cristal em Crescimento - Fase 2 - 2 graus de Liberdade

Cristal em Crescimento - Fase 3 - 1 grau de Liberdade

Cristal em Crescimento - Fase 4 - 0 grau de Liberdade

Eu preciso de mais tempo para estudar melhor isso aqui, que não está me agradando. O que penso ver aqui é a ação de uma energia magnética maior do cristal grande atuando, sem liberdade de escolha pela unidade menor. Me lembro do modêlo da Matrix/DNA quando mostra um planeta errante caindo na área gravitacional de uma estrêla. Não acho que é o planeta que vai escolher o tipo de órbita nem o local onde vai ficar, e sim a estrêla.
A unidade recem-nascida nasceu de uma solução onde os ingredientes não formam sistema ordeiro algum, estão em estado caótico. Ela é empurrada para existir agregada a um estado de ordem. Significa que as unidades do sistema não possuem livre-arbitrio. De fato, desde que eu nascí, dentro de um sistema social que só me f… eu nunca vi meu livre-arbitrio. Mas acontece que essa unidade recem-nascida veio como software de outro lugar: onde ela era um sistema e justamente o sistema que foi degradado e gerou o estado em que ela se encontra agora. Eu fui o LUCA que um dia construiu aquêle paraiso apenas bom para macacos para eu viver nêle. Como sistema anterior ela tinha livre-arbitrio, agora como unidade ela não tem, mas quando se tornar o sistema total ela recuperará o livre-arbitrio… e assim vamos descobrindo um novo ciclo: o livre-arbitrio tambem é ciclico?! Ou seja: temo-lo quando somos o sistema, e não temo-lo quando somos apenas individuos de um sistema?!

Fica aqui registrado para retornar ao tema.

Um “cristal” criou a Vida?! Então está nos cristais o segrêdo da saúde e harmonia física?

sábado, setembro 10th, 2011

Fantástico! Como se não bastasse a dois dias atrás um artigo cientifico me conduzir à mais uma surpreendente descoberta ( sôbre a ancestralidade inanimada no Cosmos dos tecidos adiposos, vulgos “gorduras”, e os mecanismos da obesidade… – ver meus ultimos artigos aqui), hoje descubro que existe tôda uma linha de pesquisa da qual se sobressai um cientista, Carin Smith’s , sôbre a possibilidade de que cristais são coisas semi-vivas, porque estocam informações, se modelam, se separam como replicantes, e dêles teriam se desenvolvido as primeiras moléculas da Vida! Eu não tinha conhecimento dêsse pessoal, apesar de meus modêlos da Matrix/DNA várias vêzes me terem empurrado na direção do estudo dos cristais (pena que os papéis daquela época foram perdidos nas águas do Amazonas… agora não me lembro quase nada do material que já tinha levantado pesquisando cristais), quando procuro como a Matrix/DNA se fixou na matéria terrestre!

Sim, é por aí mesmo, a porta aberta para a solução do fundamental segrêdo da nossa existência, diz a Matrix/DNA. Porem, basta uma rápida olhadela na introdução dos “scientific papers” dos autores, para ficar com pena dêles e subir nas paredes de indignação: êles desconhecem totalmente o passado semi-biológico da matéria antes das origens da Vida, e como êsse passado, na forma de photons-bits-informação, se infiltrou nos cristais porque os cristais são como discos ou fitas para gravação de informações, por isso, abordam os cristais como se estes, apenas por si mesmos, em suas puras formações geológicas, já tivessem as fôrças e elementos que foram necessarias como propriedades vitais.

Fazer o que? Eu não tenho voz para comunicar a existência da Matrix/DNA desde o buraco e isolamento em que estou por isso a indignação de vê-los perdendo tanto tempo e recursos sem a fórmula da Matrix/DNA. Se a Matrix/DNA realmente for comprovada, eu estaria agora fazendo o papel de Copérnico e Mendell, isolados, sem comunicação exterior e com uma bomba nas mãos. Falta aparecer um Galileo que exista dentro de uma universidade, ou alguem como o estudante que descobriu as teses de Mendell num porão empoeirado de uma biblioteca 60 anos depois que Mendell tinha falecido, que capte o valor da coisa e venha a publico anuncia-la. Mas isto, se a fórmula da Matrix/DNA estiver tão correta como estavam o modêlo heliocêntrico e a hereditariedade da genética de Mendell.

By the way, como sempre, só me resta estudar a fundo o trabalho destes cientistas e para isso já vou aqui copiando e registrando o material que for encontrando seguido de minhas análises e anotações sob o ponto de vista da Matrix/DNA.

Não apenas eu, mas a Humanidade necessitada e torturada justamente agora, necessitaria de pessoas trabalhando nesta busca e por êste arriscado mas inédito caminho da Matrix/DNA, como estou fazendo. Pessoas que tivessem conhecimento e ter entendido a fórmula da Matrix/DNA, para ir procurando e estudando o material relacionado e se comunicando conosco para troca de informações e diálogos. Alguem se habiilita?

Vamos lá…

( De cara, uma informação que não pode ser esquecida: “Crystal growth requires a power supply. The potential energy in a super-saturated solution is degraded and partilly converted into heat while being used to generate an ordered crystal.” Acho que esta super-saturada solução, na terra primitiva, era o habitat preferido dos genes de LUCA)

1) Eu descobri esta valiosa novidade através de um tópico num forum:

Biology Online – Forum

http://www.biology-online.org/biology-forum/about14351.html

Theories – Origin of Life
by chilipanda » Sat Sep 20, 2008 5:35 pm

Hey guys,

I’m writing a paper on the origin of life, and I need some suggestions about which theories to write about. Obviously there are tons of them, so any suggestions, information, or references you guys can give me would be great.

xxxxx

E então esta resposta:

by YashArya » Thu Sep 25, 2008 2:33 pm

Guyz, has anyone here heard of “Carin Smith’s” theory on the Origin of life?
It tries to prove that the initial replicators was not RNA or some other molecule, but actually “clay replicator”.

Check this website dedicated to the theory.
[http://originoflife.net/crystals/index.html]

I haven’t read Carin Smiths book but I’ve been reading Richard Dawkins – “The Blind watchmaker” (currently in Ch:8)

I was quite impressed by the theory, it is logical. However I don’t know if there is much evidence for it.

xxxxx

Quando então “googlei” o link acima e cheguei aqui:

http://originoflife.net/crystals/index.html

The Origin of Life – Crystals

A. G. Cairns-Smith

E lendo a introdução:

This page is about crystals, and the possible role they played in the origin of life.
I think that the process most likely to be responsible for the origin of life is the process of crystalisation.

The idea that crystals were the first living organisms was first proposed – and eloquently advocated – by A. G. Cairns- Smith, the Scottish chemist. The idea was first publicly proposed in a paper in 1966…

Introduction

Essentially, the idea is that the first organisms were “naked replicators” – rather than cells. A search for the most suitable candidates for such replicators strongly suggests that clay minerals are the most likely players. Other carbon-based alternatives based on carbon compounds appear to be unattractive by comparison.
The crystals would have grown using conventional crystal growth processes, and would have divided when mechanical stress causes them to break into pieces.

Comentário da Matrix/DNA:

Não acredito que êste processo foi o defragrador original do processo mais complexo de replicação biológica. Podemos assistir uma pedra que, ao invés de erosão estivesse aumentando de tamanho devido suas propriedades magnéticas agregando sempre mais matéria circundante em si mesma, e que pelo seu pêso e posição fôsse se quebrando e dividindo. Êste tipo de divisão mecânica pode ser visto como replicação? Acho que não, mesmo porque qualquer dos pedaços separados jamais seria a exata cópia do pedaço original que restou. Replicação implica cópia e em “cópia exata”, não?

Acontece que existia uma forma de replicação na matéria, a qual o autor desconhece. Isto porque êle foi formado na brava e heróica escola reducionista, e portanto focaliza sua atenção nas partes, pedaços, e não se desperta para ver o quadro mais amplo envolvente, o sistema a que pertence tais partes, cujas propriedades retornam sôbre as peças mudando seus comportamentos. Esta forma de replicação só acontecia quando a matéria se organizava em sistemas. Por exemplo – segundo os modêlos da Matrix/DNA – um sistema astronomico se replica em cópias exatas, mas por reciclagem, quando um sistema existente tem que morrer para que sua cópia se origine. Que êste processo tenha se fixado na matéria terrestre sem necessitar da morte do original, é possivel, e os modêlos explicam porque. Smith vai ficar patinando aqui como Urey e seus seguidores estão até hoje patinando sem sair do lugar com seus aminoácidos que não conseguem dar o passo seguinte na formação das proteinas. Falta a êles saber da existência de uma fôrça que funciona como a variavel escondida e gravada nestes cristais, que é a fórmula da Matrix/DNA.

(clique na figura para vê-la)

Cristal: Quebra e separação naturais

Crystal breaking

Information is replicated across the layers of crystals during crystal growth. Specifically, the fault structure, domain structure and cross-sectional shape are all copied.

Cristal Caulinita - corte transversal

Kaolinite crystal – showing copied cross section

Uma breve pesquisa para saber o que é kaolinite:

WIKIPEDIA: CAULINITA – A caulinita ou caolin é um argilo-mineral de alumínio hidratado, 1:1, formado pelo intemperismo gerado pela hidrólise parcial, em condições de drenagem menos eficientes, onde todo o potássio é totalmente eliminado pela quebra pela água, e 66% da sílica permanece no mineral, formado através da seguinte reação:

2 KAlSi3O8 + 11 H2O → Si2Al2O5(OH)4 + 4H4SiO4 + 2K+ + 2OH-

A caulinita é utilizada na fabricação de porcelana, cerâmica, comprimidos e, se apresentar um grau de pureza muito alto, apresenta uma coloração muito alva, o que possibilita seu uso pela indústria de papel.

Voltando aoartigo:

When the crystal breaks, the information is exposed at the ends of both the resulting crystals.

It is this information that forms the heritable information of the crystals, and acts as the basis for genetic evolution.

Physical aspects of the crystal acted as the phenotype – and caused selection to choose between different genotypes. Prominent targets for selection would have included brittleness, weight and speed of growth. Also, the surface grooves of the crystal would have played a role in catalysing reactions among other compounds in the solution.

More information about how information storage in a crystal can take place is available here.

Heredity in crystals appears to be a simple, natural and common occurence. Consequently, crystals appear to be the most obvious and plausible self-replicating agents in a pre-biotic environment.

Crystals grow best in a solution which is just super-saturated. On another page I describe why these conditions arise frequently.

If the correct conditions are present, crystal growth enjoys a form of natural error correction. This is the only type of error correction known to occur naturally outside of modern biology.

The resulting high fidelity with which crystals can transmit information between their layers makes them the most obvious and natural candidates for the first living organisms.

Takeover

If our ancestors were crystals, how come our genes are not crystalline?
The answer to this question involves a genetic takeover. More information about genetic takeovers can be found here.

The transition to cellular, nucleic acid-based life can only have happened a considerable time after the origin of life.

Cells and nucleic acid represent high-technology devices that are extremely unlikely to have formed by chance – and consequently must have been constructed by an evolutionary process based on existing lifeforms.

Neglect
Cairns-Smith’s work appears to have been neglected in modern times. Most books on the origin of life cite his work in their first chapter – point out the lack of any evidence supporting it – and then continue to other matters.
For example, Paul Davis (in The Fifth Miracle) states: “It has to be said that there is very little experimental evidence to support Cairns-Smith’s clay theory.” (p.117). J. Maynard Smith’s cursory treatment in The Major Transitions in Evolution is also fairly typical. He says: “Heredity has not been convincingly demonstrated”.

I have a page devoted to why I think the neglect has happened, and what the prospects are for doing something about it – here.

Criticism
A page of criticism of the theory is available.

The most plausible theory – by far
Cairns-Smith’s theories remain by far the most plausible account of the origin of life I’ve ever encountered. The extent to which his ideas have been neglected appears almost tragic. I believe his work should receive much more serious attention – and expect that it will eventually become the accepted theory of life’s origin.
The reasons for Cairns-Smith’s rejection of “protocells” and organic materials (as described in “Genetic Takeover”) remains instructive reading today.

Modern significance
The theory has very significant implications for modern attempts to create living organisms from inorganic materials. If Cairns-Smith is correct, creating primitive evolving physical systems may be fantastically simple – and indeed they may even be forming continuously all around us.
Certainly – even if we ignore his theory of the origin of life – Cairns-Smith’s work is of pivotal importance – because it indicates a mechanism by which genetic takeovers may occur in established living systems.

As life may shortly be facing the first genetic takeover for billions of years, this theory has a special relevance today.

References
For a page of references to Cairns-Smith’s theories see here.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

E aqui os links sugeridos pela pagina acima:

Crystals and information

Crystal information storage

Crystal growth processes preserve aspects of their structure on macroscopic scales as they grow.
They do this by using template-based copying processes, and error correction.

You can see the results rather easily by looking at many common crystals.

Quartz, Tourmaline and Emerald grow into long, relatively narrow crystals that tend to preserve their cross sectional area as they grow.

Micas grow in thin sheets, that preserve information relating to their layer order and orientation as they grow.

There are several different ways in which information can be stored in crystals:….

Cristal Information Storage in 3D

Saturation

Wikipedia = Saturation –
Saturation (chemistry)
In chemistry, saturation (from the Latin word saturare, meaning to fill[1]) has six different meanings, all based on reaching a maximum capacity
1.In physical chemistry, saturation is the point at which a solution of a substance can dissolve no more of that substance and additional amounts of it will appear as a precipitate.[3] This point of maximum concentration, the saturation point, depends on the temperature of the liquid as well as the chemical nature of the substances involved. This can be used in the process of recrystallisation to purify a chemical: it is dissolved to the point of saturation in hot solvent, then as the solvent cools and the solubility decreases, excess solute precipitates. Impurities, being present in much lower concentration, do not saturate the solvent and so remain dissolved in the liquid. If a change in conditions (e.g. cooling) means that the concentration is actually higher than the saturation point, the solution has become supersaturated.
Geology
In the earth sciences, saturation generally refers to the water content in the soil, where the unsaturated zone is above the water table and the saturated zone is below.

(ver mais definições de saturation na wikipedia)

The edge of super-saturation

Crystals grow best when the solution they are in is on the edge of super-saturation.
If a solution is too saturated spontaneous seeding can occur, and crystal growth is rapid, but haphazzard.

On the other hand, if a solution is insufficiently saturated, crystals dissolve, rather than form.

Migration to the edge of super-saturation
Fortunately, natural forces conspire to take naturally-ocurring bodies of water to the edge of super-saturation.
In particular, finely-ground rocks are continuously added by the processes of erosion – and then any excess of crystallisable material is rapidly removed by crystallisation.

The larger the body of water in question the better this process works – and the less likely it is to be susceptable to being caught out by local fluctuations.

When a solution is on the edge of super-saturated, crystals are most likely to develop without flaws. The process depends on the dissolving point of crystal formations being lower if they are not properly aligned with the rest of the crystal.

The oceans today are super-saturated with respect to various mineral compounds.

For example the rate of coral reef growth is known to be proportional to the extent of the calcium carbonate super-saturation.

Almost any lake can become super-saturated through the process of evaporation – which can cause extreme concentrartions of minerals, such as those that occur in the Dead Sea.

( Bem, aqui tenho de parar por ora e voltar ao trabalho. Mas antes de prosseguir nêste artigo estou voltando ao tópico do forum acima porque é muito interessante e vou tentar participar…