Posts Tagged ‘dark matter’

O planeta Terra teria cabelos invisíveis de dark matter?! E quem faz seus penteados?

terça-feira, novembro 24th, 2015

xxxx

Could dark matter make Earth ‘hairy’?

(Poderia a matéria escura fazer da Terra, uma cabeluda?)

When streams of dark matter interact with planets like Earth, dense hairlike filaments form, according to new research.

( Quando fluxos de matéria escura interagem com planetas como a Terra, formam-se densos filamentos parecidos com cabelos, segundo uma nova pesquisa)

Se a Terra for feminina, este e’ o dia que ela corta o cabelo curto, mas se o planeta for masculino, este e’ o dia que ele não fez a barba…

Na calada da madrugada, quando todo mundo esta’ dormindo e ninguem olhando, a Terra da’ uma escapadinha e vai no salão de beleza dar um capricho na sua cabeleira…  Acho que estou descobrindo quem anda sumindo com meu shampoo. Alias, `a noite acontece muita coisa que vocês não sabem. Por exemplo, um dia fiquei a noite toda acordado nas areias de uma praia no Rio e descobri algo: Quando a cidade apaga suas luzes e todo mundo dorme, o Cristo Redentor se mexe, vira os olhos pra la’ e pra ca’, certifica-se que todo mundo esta dormindo, e então senta para descansar as pernas, que ninguem ‘e de ferro…

Brincadeiras a parte, vamos ao trabalho:

Um cientista acredita que exista a matéria escura e que ela se move. Quando se aproxima de planetas como a Terra, ela pode passar por dentro de sua matéria, como as rochas e o denso efervescente núcleo, mas pode criar um efeito interessante ao redor do planeta, formando caminhos de partículas que se parecem com fios de cabelos. Veja o artigo no link abaixo e a imagem obtida por uma simulação de computador.

Para a Matrix/DNA, este tópico, se for provado verdadeiro, serve para reforçar nossa sugestão de que as imagens que estamos tendo dos cosmos e suas estruturas, através de reduzidos espectros de luz de nossos instrumentos, não revelam tudo e portanto poderíamos estar vendo manchas disformes de gazes onde na verdade pode ter uma estrutura funcional de um sistema astronomico que ainda desconhecemos. Afinal, imagino que um hipotético microbio inteligente vivendo num ribossomo dentro de uma célula dentro de um corpo humano poderia apontar seu telescope para o mundo a sua volta e ver distantes ” galaxias” de gazes disformes quando na verdade estaria vendo o figado…

http://www.csmonitor.com/Science/2015/1124/Could-dark-matter-make-Earth-hairy

 

 

 

 

 

O Universo Inteiro é Feito de Matéria Escura, Invisivel. Veja as Diferentes Teorias do Modelo Academico e do Modelo da Matrix/DNA

segunda-feira, novembro 3rd, 2014

O artigo com link abaixo expõe como ainda estamos engatinhando na busca do conhecimento do que é essa misteriosa substancia preenchendo todo o fundo do Universo, do qual temos evidencias e até observamos alguns de seus efeitos, mas não conseguimos vê-la, nem toca-la, nem mesmo com nossos modernos equipamentos cientificos.

Há 30 anos atrás, quando na selva montei o modelo astronomico baseado no que aprendi no estudo dos sistemas na biosfera amazônica ( apostando na idéia de que esta biosfera é mera continuidade da evolução desta galaxia, a qual foi a real criadora da Vida e dentro da qual a Vida existe), meu modelo apontava a necessidade de haver uma substancia do espaço, tal como vários pensadores já tinham calculado antes e deram vários nomes, tais como universal éter, etc. Matéria escura, ou Dark Matter é o nome dado pelos modernos pensadores, mas no fundo teria o mesmo significado.

Mas se meu modelo estiver mais próximo da realidade que o modelo acadêmico, vai ser difícil e vamos demorar muito para resolver este mistério, pois o método sendo usado pelos cientistas não nos trará a real compreensão dessa substancia. Meu modelo sugere outro método de abordagem e pesquisa.

O problema todo, como explico no post abaixo, é que a dark matter está sendo abordada pelos experts em Física e Matemática, os quais tem seus limites, pois apenas alcançam os níveis de organização da matéria relacionados aos esqueletos das estruturas, e portanto, ao esqueleto composto de átomos e galaxias deste Universo. Se lidassem com o corpo humano, estes experts seriam capazes de descrever completamente o esqueleto ósseo, mas começariam a falhar quando adentrasse o reino de complexidade que reveste o esqueleto, o reino das substancias, órgãos, fluidos, que compõem a parte mole, suave, do corpo. E não alcançariam o nível de organização neurológica do cérebro em tal corpo.

Por outro lado, quando o meu método foi justamente o reverso – partindo da parte suave e mole para tentar entender o esqueleto e daí as origens do todo – a necessária substancia universal do espeço ganhou conotações de funções biológicas e fui obrigado a considerar que a dark matter está para o Universo assim como o amnion, a placenta, estão para um ovo fecundado. A partir daí entendi que para calcular como essa substancia espacial foi se transformando em matéria ordinária e formando os sistemas naturais era necessário considerar a atuação das ondas de luz, as quais, como explico em outros capítulos aqui, contem o código para organizar essa substancia inerte em sistemas como átomos e galaxias e depois em sistemas biológicos, ou seja, a Vida. Mas essa briga entre teorias vai continuar, por enquanto você pode ficar assistindo-a de camarote… enquanto eu me arrebento todo tentando como o pequeno Davi enfrentar o gigante Golias…

SIMPle Dark Matter

https://plus.google.com/+BrianKoberlein/posts

Dark Matter?

Dark matter remains an enigma of modern cosmology. We have indirect evidence of its existence, and even some evidence of its characteristics, but we have yet to detect dark matter directly. This puts us in a kind of middle ground where there’s enough evidence to support dark matter, but not enough to define it, which is the perfect playground for theorists to try new ideas. This week in Physical Review Letters, just such a new idea has been presented.

The most popular model for dark matter is the WIMP model, or Weakly Interacting Massive Particles. They are so-named because they would have a much larger mass than protons, but would only interact through the weak nuclear force. This means they wouldn’t interact with light much (hence they would be “dark”), and they wouldn’t interact with each other so strongly that they can’t create a halo of dark matter around galaxies. But even weakly interacting particles would occasionally interact with regular matter. Given current observations, there should be about 5 times more dark matter than regular matter in the universe, so we should be able to detect some interactions directly. However despite several ongoing searches, there’s been no clear evidence of it.

So this new paper proposes a new model, known as Strongly Interacting Massive Particles, or SIMPs. In this model, dark matter particles have about a tenth the mass of a proton, but they strongly interact with both regular matter and themselves. That might seem contradictory to the nature of dark matter, but so long as they interact in the right way, it could all work out. Basically, SIMPs would tend to clump to mimic more massive WIMPs, and they would interact weakly with light, as dark matter should. But because of their smaller mass, they would interact with electrons more strongly than nuclei. Since dark matter searches have focused on nuclei interactions, this would explain why we haven’t detected them.

In the paper the authors show that the SIMP model agrees with current observations of dark matter, and it shows where future experiments could support or invalidate the idea. But based upon current evidence it is no more compelling than the popular WIMP models. Still, at this point we need new ideas like this one. Dark matter has been frustratingly difficult to pin down.

Image: The Marenostrum Numerical Cosmology Project

Reference: Hochberg Y., Kuflik E., Volansky T. & Wacker J.G. (2014). Mechanism for Thermal Relic Dark Matter of Strongly Interacting Massive Particles, Phys. Rev. Lett., 113 (17) DOI: .org/10.1103/PhysRevLett.113.171301

Meus comentarios no artigo:

Louis Charles Morelli – November, 03, 2014
Maybe this mystery remains only due we had tried wrong approaches due wrong standard model. The Matrix/DNA model points out towards the necessary existence of something like dark matter, universal aether, or other names. It is merely the substance that fits space, everywhere, the space substance. And this model suggests the following idea: substance space has the same function in relation tho the Universe that the substance called amnion have in relation to eggs – despite the different levels of complexity.
How a hypothetical microbe living inside a recently fecundated egg could see and understanding amnion? Should it beginning the search for understanding it by analysing its smallest structures or observing its “universal” function inside their ovular universe? The answer must be: all ways are valious. So, the Standard Model based on Physics and Math deals only with the level of structures, not the level of systems as a whole. Like when studying a human body, Physics and Math applies well for describing the bone skeleton but begins to fail when reaching the coverture of soft meat and beyond it, the complexity of neurology. Something for this Universe? Physics is seeing the universe’s skeleton, but could be there lots of complexity covering and acting over this skeleton?
Matrix/DNA model is the reverse approach, starting from biological systems, the soft level and going back to the skeleton ( galaxies, atoms) till the Big Bang. Then we noticed that any light wave has the code for life since its sequence of vibrations/frequencies are the same of a living body sequence of shapes under a vital cycle. And calculating how lights waves could imprint this code and its dynamics upon inertial substance space for creating ordinary material systems,  we are investing how the DNA of father and mother chromosomes acts among the amnion for formation of a new system.
My two cents here is: we never will understand dark matter while only Physics and Math is dealing with the issue: we need the collaboration of Biology, Neurology, Chemistry and something else.
Luis Alberto  and Nick Alcock have the posts more next to the jackpot here, I think.
xxxxx

Interessante posts no artigo:

Is it possible that we are trying to explain through dark matter or energy , a phenomenon that happens in our universe, due to physical laws that our current model fails to address or acknowledge?. That is, is it possible that there is no dark matter or energy, and that the phenomena attributed to this is caused by something else entirely not accounted for in our standard model of the universe?.
I apologize for the ignorance in relation to the subject in advance.
xxxxxx
+Luis Alberto Rodriguez Goff, yes, of course. This is always a possibility. Our model of the universe is a model: there is always the possibility of something it doesn’t explain which contradicts it coming up, and requiring refinements or even a whole new model.Science is not about discovering absolute truth, merely better models of reality. (Some bad science teachers overinterpret this and say that the only job of science is to produce correct predictions, but this is very much not true: the point of those predictions is not the predictions themselves, though they are useful, but the model of the way the world works from which they come: the predictions are just the way those models are tested against reality. A neural net which spat out correct predictions when nobody knew what it was doing or why would not be generally considered an acceptable replacement for a scientific theory.)
xxxx

 

Dark Matter: Noticias Sugerem Que Ela Não Existe. Qual é a Placenta do Universo, pela Matrix/DNA Theory?

quarta-feira, novembro 28th, 2012

O controvertido criaciomista website de Eric Hovind, “Creation Today”, aproveita mais uma oportunidade para criticar as teorias cientificas, apelando para o quase mitológico tema da matéria e/ou energia escura que teria de estar existindo como 86% da matéria do Universo segundo indica os calculos matematicos da teoria do Big Bang. Êstes temas cosmológicos nãom deveriam tomar nosso tempo dentro da matrix/DNA, desde que os modêlos estão sugerindo mil experimentos e testes que podem produzir resultados práticos uteis à humanidade aqui e agora. Mas desde que estou ainda sósinho nesta empreitada gigantesca e de mãos atadas, nada podendo fazer por enquanto, fico acompanhando todas as noticias que de alguma maneira se relatam à cosmovisão da Matrix/DNA. Os modêlos sugerem que dentro dêste Universo está ocorrendo um simples processo de reprodução genética/computacional do sistema que gerou 6este Universo. Se usto estiver correto. é de seesperar que o Universo contenha a matéria ou substancia correspondente á palacenta e ao liquido amniótico. Seria o éter dos alquimistas?  A monada de Leibniz? Não faço idéia, por isso nos chamou a atenção esse assunto da “dark matter”: pode ser ela? E por isso – para usar o tempo agora – registro êste artigo contendo informações sôbre experimentos cientificos e por ser a versão do ponto de vista que tenta negar sua existência apenas para espetar os ateus.

WE CAN’T SEE DARK MATTER

http://www.creationtoday.org/we-cant-see-dark-matter/

CREATION TODAY. ORG



Falhas na Inteligencia Humana devido a Relatividade do Tempo e Espaco

quarta-feira, abril 8th, 2009

No’s vamos nos tornar muito mais “inteligentes”, isto e’, nos posicionar mais confortavel, saudavel, poderosos e ricos na Natureza, `a medida que vamos corrigindo nossos erros de raciocinio devido `as ilusoes relativisticas  produzidas pela nossa pobre percepcao da realidade. Este artigo comeca assim, baguncado, citando os primeiros itens que precisam serem corrigidos e os quais serao desenvolvidos `a medida que nos desenvolvemos. Portanto:

1)Proporcionalmente ao tamanho dos astros no Cosmos, os seres humanos sao bilhoes de vezes menores que os eletrons no atomo; 

A nossa mente tem tido muita dificuldade em aprender sobre as causas e origens dos fenomenos naturais na superficie da Terra porque tem dificuldade em ligar estes fenomenos aos seus correpondentes fenomenos no Cosmos. Nao conseguimos fazer eficientemente os calculos de proporcoes e medidas de tempo e espaco. Com isso ficamos criando misticas fantasiosas como criancas e quebrando a cara porque erramos na interpretacao dos sentidos, significados e objetivos da existencia de tais fenomenos. Desde ha’ muito existe a controversia se o espaco e’ vazio ou possui alguma substancia, e tem-se falado em eter, e os positivistas tem desmentido isso, e agora surgem com a ideia do espaco ser preenchido com a tal “dark matter”, como se voltassem atras e para nao darem o braco a torcer renomearam o eter.  O principal obstaculo para nos aceitar-mos que o espaco seja preenchido por algo vem do fato que podemos mover nosso corpo nele sem encontrar resistencia, e isso nos da’ a sensacao de estarmos nos movendo no vazio. Porem, quando vemos varias estruturas materiais movendo-se ou sendo movidas dentro da celula, cujo espaco e’ preenchido por uma substancia, podemos suspeitar tambem dessa quase certeza.

Vamos assistir um filme sobre as coisas se movendo dentro de uma celula? Veja por exemplo, http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/photosystemII/photosystemII.htm , onde moleculas, proteinas, e ate’ mesmo as gigantescas organelas se movem naquele espaco. Para nao falar da facilidade dos protons, eletrons, fotons…  Agora vamos sair da celula e pensar em termos de Cosmos.

O sistema solar pode ser, em relacao `a Via Lactea, de um tamanho proporcional ao que um atomo e’ em relacao `a celula. Portanto, cada planeta do sistema solar pode ser comparado a cada particula do atomo. E como existem seis bilhoes de humanos agarrados na superficie de um planeta, podemos agora ter uma nocao de qual o nosso tamanho em relacao ao tamanho do Cosmos: e’o mesmo tamanho de seis bilhoes de coisinhas que cabessem agarradas num eletron!

– “VATAPA’ SARURU… O DIABO QUE O CARREGUE! VAI SER PEQUENO ASSIM NA CASO DO C…!!!”

Acho que somos, nestas proporcoes, menores ainda que os fotons, pois um foton pode energizar e excitar um eletron, e um ser humano nao consegue sacudir e mover um planeta.

Ora, com esse tamanho, com essa “minusculidade”, nos podemos nos mover dentro do Universo, ou seja, dentro do corpo do Cosmos, passando por dentro de seus atomos, e ainda desviando-nos de suas particulas… que sao astros celestes.

Mas quando vamos nos mover neste espaco, somos atraidos pelos corpos densos materiais e neles ficamos presos. isso nos da’ uma ideria do porque a luz nao atravessa corpos mateiriais. Voce pode ver que a luz do sol chega numa arvore ou num telhado, mas os fotons de luz se perdem dentro deles tanto quer do outro lado tem sombra. Acho que os fotos sao atraidos e ficam agarrados nos objetos como nos ficamos agarrados no planeta ao inves de boiar no espaco. 

Portanto, o fato do nosso corpo atravessar livremente o espaco nao significa que o espaco seja vazio, assim como particulas se movem dentro de atomos e mesmo organelas se movem dentro de celulas, como se o espaco dentre elas fosse vazio, sem  precisarem nadar. Pois temos a impressao que se o espaco fosse preenchido por alguma substancia, para nos mover-mos atraves dela teriamos que ter nadadeiras ou bater os bracos, nadando. Particulas, atomos, moleculas e mesmo organelas sem cilios movem-se no liquido sem precisarem nadar. 

Mas disso decorre ja’ outro problema: o que e’, qual a forma do Universo? Ora, vamos supor que um eletron mova-se em toda area dentro do atomo e com isso possa saber a forma do atomo. mas esta’ dentro de um atomo que junto com outros milhoes formam uma celula, e se o eletron nao sai ou nao tem telescopio para ver la’ fora, nao tem a menor ideia da existencia de celulas. Mas ele esta’ dentro de uma. Nos, menores que eletrons ja sabemos a forma do eletron a que estamos agarrados, do atomo em que nosso eletron esta dentro, e ate mesmo da celula que nosso atomo esta, ou seja, a Via Lactea. E fomos mais longe… ja estamos vendo as celulas vizinhas, como Andromedra, Orion, etc..

Mas… quando e’ que aquele eletron movendo-se dentro do atomo que poderia saber que seu atomo esta dentro de uma celula, iria saber que sua celula esta dentro de um figado? Assim, nao sabemos o que forma as galaxias que estamos vendo proximas a nos. Vai ser preciso ver muitas bilhoes de galaxias, andar por dentro de todas, e ve-las do lado de fora para saber que tipo de forma ela tem. E claro, e’ bem possivel que ai’ ainda estejamos vendo apenas um orgao, de algum corpo… Talvez o Cosmos tenha um corpo, talvez este corpo esteja neste momento jogando futebol… nos nao temos, cientifica e espiritualmente nenhuma autoridade para contestar esta racional possibilidade.

E’ triste, e’ deprimente, ter consciencia da nossa pequenez e debilidade, mas e’ preciso suportar e manter essa consciencia. Pessoas existem que estao captando alguns fluxos de substancias e e expansoes dentro de um orgao do Universo e ja estao achando que entendem de Universo, a forma de seu corpo, suas origens, etc.. E essa ilusao de entendimento os levam a se comportarem e tomarem decisoes que os farao quebrarem a cara, pois a Natureza fatalmente sempre corrige os ruidos dentro de si mesma.

Um destes comportamentos falhos de inteligencia produz o irracional ceticismo e desaprovacao da Teoria da Matriz por parte de alguns. Irracional porque nao existem fatos para embasarem  a predisposta negativa rejeicao asim como o desconhecimento do orgao que estou dentro e a pior ignorancia sobre o que exista alem desse orgao certamente me fez fazer uma teoria cheia de erros, se nao estiver tudo errado… O IMPORTANTE E’ TER CONSCIENCIA DA NOSSA PEQUENEZ EM RELACAO AO COSMOS, POIS ASSIM VAMOS AUMENTANDO O TAMANHO DESSA CONSCIENCIA, OU SEJA, DIMINUINDO A DIFERENCA ENTRE O MICRO-TAMANHO DA NOSSA INTELIGENCIA E  O MACRO-TAMANHO DO COSMOS. 

(Dos muitos erros que fiz neste pensamento, voce pode detectar algum? Tens algo a acrescentar? Por favor, informe, pois quero que a minha consciencia cresca. Uma boa tatica para fazer cada consciencia crescer e’ trazer `a mesa o produto da colheita de informacoes que cada consciencia faz no seu campo de atuacao. Assim soma-se tudo  e todas as conciencias presentes crescem juntas. Note que a informacao e’ algo inusitado: pode-se come-la quantas vezes quiser, passar o prato com elas para todos da mesa,  que elas sempre continua ali no prato!… ).