Posts Tagged ‘Deus’

Deus existe? Melhor artigo sobre o argumento ontológico

domingo, outubro 14th, 2018

xxxx

https://www.iep.utm.edu/ont-arg/

Anselm: Ontological Argument for God’s Existence

Sobre: Religiao

A Matrix/DNA é atéia? Qual o tipo de Deus deduzido da Filosofia Naturalista?

quinta-feira, setembro 20th, 2018

xxxx

Não. Ateu é o individuo que entra na imaginaria metafisica para dizer que lá não existe Deus. A Matrix/DNA lida apenas com fenômenos e eventos naturais, e perseguindo estes ela chega ate’ as ultimas fronteiras do Universo, o tempo vai até o instante do Big Bang, mas sempre para ai’, e dai’ retorna, revendo o que viu. Então ela não poderia ser deísta – do tipo de deísmo sugerido pela Bíblia – porque em toda essa caminhada ela nunca viu nada metafisico, nenhum Deus sobrenatural. Inclusive acho um contra-senso os deístas imaginarem que exista um Deus “que não é deste mundo”, que é “espirito”, um ser sobrenatural, que faça magicas fazendo coisas aparecerem do nada. Um deus desse tipo seria inútil para humanos. A forma de funcionar sua consciência, sua inteligencia, seus pensamentos, seriam totalmente diferentes dos pensamentos, sentimentos, desejos e emoções dos humanos. Se para um humano é insuportável assistir uma fera predadora comendo uma ovelha viva, para esse deus isso ignorável, sem importância.  Esse deus teria que se vestir de natural quando quisesse se relacionar com humanos, viver no meio de humanos, assistir e interferir na vida de humanos. Teria que comunicar-se nos idiomas dos humanos e ter a voz captável pelos ouvidos humanos. Mas ele não precisa disso, pelo mesmo motivo que a mãe gravida não se comunica com os genes que constroem seu filho. Basta ele ter a certeza que de uma maneira ou outra os genes construirão seu filho e perfeito.

Mesmo que esse Deus fosse metafisico – para entender e se envolver na vida humana, ele não pode ser metafisico. E aqui então, apenas aqui, a Matrix/DNA, tem a sensação, durante sua caminhada, e na analise do que vê, que exista ao menos um deus. Mas é um deus natural, que gera filhos e não cria do Nada. Que gera pelo mesmo processo genético. Que só recebe o nome de deus porque não tem outro nome adequando para algo natural que já existia desde antes do Big Bang, que deflagrou o Big Bang num mero ato de fecundação como meus pais deflagraram o microscópico big bang ao romper da membrana de um espermatozoide no centro do ovulo e deu inicio ao meu corpo num ato de fecundação.

Que só recebe esse nome porque em toda essa caminhada se sentiu uma estrela sempre indicando o norte, e quando chegamos na ultima fronteira, a estrela continua lá, indicando o norte, o mesmo caminho natural. Com esse deus natural ainda seria quase impossível a nos comunicar-mos, pois o resultado aprendido na caminhada indica que esse deus, é hermafrodita, está gravida, e nem uma mãe nem um pai pode se comunicar com os genes que constroem o embrião de seu filho. Talvez a oração fervorosa, de um tipo realmente emocional, especial, seja captada e ouvida e até atendida pelo pai e a mãe, porque ela pode funcionar como quando o embrião chuta a barriga, reclamando que algo vai mal.

A Matrix/DNA nunca se esquece, nos seus estudos, de seu Deus. Porque ela nunca se esquece da Natureza em sua totalidade atuando sobre o minusculo objeto que ela estuda, e isto é seu Deus. Mas ela nunca percebeu nenhuma força atuando nos fenômenos e eventos que não tenha sido detectada como natural, e nunca vê deus influenciando no objeto e nos eventos ao redor dos objetos, então, porque se preocupar ou ocupar-se com sua existência? Basta ‘a Matrix/DNA que ela procura aprender tudo e agir correto para contribuir com o processo da embriogênese, ou seja, com a evolução natural. Alias, em algum lugar foi escrito: ” Se queres conhecer a Mim, se queres saber como penso, observe e estude a Minha Obra!” Todo artista se revela em sua obra. E qual o elo entre um deus, mesmo que fosse metafisico, e o homem? Senão a Natureza?

Porem, não se deve esquecer que a biosfera terrestre, e mesmo esse sistema solar, são partes da natureza mais imediatas e próximas a nos, ao alcance do nosso tato e visão. Mas a Natureza é universal, é o Universo, e este – as fotos do Hubble estão avisando – é de uma dimensão estonteante, parece não ter fim. O ambiente e essa biosfera que nos cerca está em estado de caos, o que é apenas 33% da Natureza, ou de um ciclo da evolução. Depois de conhecido este estado de caos pelo qual nossos corpos físicos foram criados, vem o estado da ordem, já vislumbrado ao se levantar os olhos e ver a perfeita sincronia da mecânica do sistema solar. Para entende-lo temos que superar o pensamento reducionista e entrar no pensamento sistêmico. Mas mesmo depois do estado da ordem ainda temos apenas 66% da Natureza Universal. Os outros 34% por cento vem da comparação entre caos e ordem, de onde emerge seu nome, a SABEDORIA.

Se a Matrix/DNA tem o desejo e a necessidade de ser eterna, infinita, de não morrer com tão pouca vida, ela não precisa de um deus sobrenatural para lhe dizer que ela tem uma essência infinita. Ela aprendeu que todo sistema natural é composto de hardware e software, que sua mente, ou auto-consciência, e o software em seu cérebro. E ela sabe que a copia do cérebro, chamado de computador, tem suas gerações e mais gerações de hardwares abandonados, desaparecidos. Ela sabe que uma copia de um software foi inserida em uma unidade do hardware, que essa copia de software se foi quando o hardware se foi.  Mas ela sabe também que o verdadeiro software nunca foi totalmente colocado num computador. Em cada unidade, em cada geração, o software emitiu uma copia e a destacou para tal lugar, para tal unidade, para executar sua função. Quando aquela copia se vai com o hardware, a função executada, os obstáculos enfrentados, a aprendizagem adquirida, tudo isso é incorporado ao software total que de longe observou.

Assim como o DNA primordial teve trilhões de copias materiais divisíveis e todas morreram ou estão para morrer, mas o DNA primordial continua vivo, apenas evoluiu nestes 3,5 bilhões de anos. Como?  Porque?  Ora porque DNA visível é hardware, mas ele apenas funciona sob um comando de instruções, o qual é invisível, é o seu software, o seu projeto primordial que mais tarde se tornara mente no cérebro e auto-consciência da luz. Um software que não é apenas DNA, mas sim uma Matrix que apenas aqui neste Universo já conta 13,8 bilhões de anos e nunca morreu. E como tudo indica, esse software já tinha muito mais de 13,8 bilhões de anos quando se inseriu aqui.

Em certo momento de sua investigação, a Matrix/DNA flagrou o instante em que o software vem do espaço sideral e se insere num hardware. Foi quando a semente da galaxia chegou a Terra e gerou esta Vida. Nesse flagrante a Matrix descobriu  muito rapidamente, num relance, qual a substancia do software: fótons. Fótons vieram da luz primordial, a 13,8 bilhões de anos atras. Então a Matrix aprendeu que este software entra e sai de corpos hardwares a todo momento, ele continua inteiro, vivo, evoluindo, crescendo. Ele entrou no meu cérebro, ele vai sair, e vai para outro hardware. Isso é o que me interessava saber. Estou realizado.

” No principio, tudo era escuridão, e então a luz surgiu. E dessa luz tudo o mais foi feito”. Se existe deus, de qualquer forma, seus bracos e suas mãos que criam coisas são de luz. Ou a luz é a sua ferramenta. Na luz, todas as informações podem ser gravadas, e como a onda de luz funciona pelo ciclo vital, as informações se tornam vivas.

Todo galho pensa que é a arvore. Mas seus suportes e seus alimentos químicos vem do tronco de uma arvore. A arvore verdadeira tem suas raízes ocultas em algo que o galho nunca conheceu, o solo da Terra. Jamais um galho vai conseguir se agir e se entender como uma arvore. Quanto ‘a arvore, apenas emite cílios, extensões, para realizar certas tarefas, como captar mais luz do sol, etc.. Perdendo um galho, apodrecendo um galho, a arvore continua.

A ideia mais próxima do conhecimento humano que uso como analogia para explicar o que é a mente de um humano é a do lago de água produzindo bolhas contendo água em forma de vapor que sobem, flutuam, e voltam a cair no lago desfazendo-se, seus conteúdo de água misturando-se na água do lago, retornando ao lugar de onde veio. A bolha também pode ser chamada de ego humano, enquanto ela flutua separada do lago. O ego é descartável, o conteúdo da bolha, a auto-consciência, é eterna, volta porque pertence ao lago, o alicerce sempre solido. Mas na verdade não deve e não pode existir nada que possa ser conhecido pelo cérebro humano que sirva de analogia exata ao que seja auto-consciência e o mundo a qual ela pertence. O cérebro humano e o ego não teriam capacidade para processar tal informação.

Sabemos que o Windows existe em cada computador que compramos e jogamos fora, mas sabemos que o Windows continua numa mente fora do computador, na mente do Bill Gates, do pessoal da Microsoft, e continuará na mente humana depois que o Bill Gates morrer.

Agora, como entender que o EU, o EU que é software, não é apenas a copia no meu corpo, e sim algo muito maior que está fora e alem do meu corpo, que quando meu corpo hardware se for, o Eu continuará sendo o mesmo software que terá evoluído, crescido, um pouco mais, eu concordo que é difícil entender isto. Pois a mente do Bill Gates não está dentro do meu computador, aqui só está uma criacão, uma emissão produzida por ela. O Bill Gates não tem a menor idéia da existência deste computador ‘a minha frente. Então como o Eu tem ideia, sabe da existência do meu corpo? Ora, nem precisa saber. Ele só utiliza daqui os efeitos, os resultados, os obstáculos reclamados, para ele aprimorar-se.

Eu não vejo a mente do Bill Gates. Mas nem por isso eu a classifico como metafisica, ou como de outro mundo. Sei que ela existe aqui, agora, e em outros lugares. Por eu não ter acesso a essa mente, não vou nem tentar entende-la na sua substancia, na sua razão de existência, não adiantaria, eu nunca conseguiria. Assim acontece com Eu. Eu não existo aqui neste corpo, este corpo não sabe e não pode dizer o que é o Eu. Não tem capacidade para processar esta informação. A sede do software total, original, real, é onde existe o Eu. Não a copia. O resultado da existência do meu corpo não será inutilizado, ele será absorvido pelo Eu. Ele será sacramentado, entrará no tronco da arvore da evolução, ficará ali registrado para toda eternidade, como base do EU que não é apenas a arvore total, mas a forma transcendental em que ela estará se transformando na sua transcendência.

Talvez o Eu não seja material, não seja natural, talvez seja metafisico. De que me valeria saber isso agora? Nada, ou melhor, só atrapalharia, pois imediatamente eu deixaria de agir naturalmente, a copia do software num computador começaria a dar pane, fazer tudo errado. A copia tem que agir como copia, esta sua função, não querer ser o original. Como disse Don Juan a Carlos Castaneda: ” Estás na Terra como homem, então atue, exista, como homem”.

A copia é a imagem no espelho quando o original mira-se a si mesmo. O espelho se quebra, a copia, a imagem se vai, o original em nada será afetado por isso. A imagem do espelho não pode sair do espelho para ver o mundo do original. Por isso a ultima fronteira do Universo material é – para a Matrix/DNA – o bate-e-volta: dali não posso e nem quero passar agora. Deixei muitos problemas urgentes a serem resolvidos antes.

O Genoma de Deus sendo insuflado no Universo por Ele respirar Ondas de Luz

sábado, julho 21st, 2018

xxxx

Universo em Expansão

Universo em Expansão

A imagem acima é utilizada pelos físicos para explicar como o Universo esta’ se expandindo. Agora percebi que a mesma imagem pode ser usada para explicar o process o da evolução universal, que ocorre com os sistemas naturais dentro deste universo movida por uma essência comum criadora que representei na forma da formula Matrix/DNA. Cuja função pode ser comparada ao genoma transmitido pelos pais na geração de filhos.

Imagine que o balão menor é um ovulo. O ar que entra para expandi-lo é o espermatozoide fecundador.

Agora imagine que o balão cheio esta’ fixo. Ele não se expande, nem contrai. No lugar da face do homem imagine que esta’… Deus!

Mas ao invés de Deus estar soprando, Ele esta’ assim com a boca no balão porem, respirando e expirando. E ao invés de sua boca soprar o ar para o balão, sopra ondas de luz. Sabemos que a ondas de luz saem de sua fonte emissora em alta frequência e na forma de ondas curtas, e a medida que vai avançando no ar esta frequência vai diminuindo enquanto as ondas vão se tornando cada vez mais compridas. De maneira que quando as ondas alcançam as paredes do balão elas já estão fragmentadas em suas partículas, os fótons. Estes fótons espalhados começam a fazer o caminho de retorno, na direcao contraria a que veio a onda de luz, dirigindo-se para o bico do balão, e a maioria deles retorna para a boca de Deus com alguns poucos que ficam vagando no balão. Alguns cientistas estão pesquisando estas estranhas ideias de “energia e luz negativas”, opostas as positivas. Alguns suspeitam que essa misteriosa dark matter que preenche 95% do universo seja “massa negativa”. Pois ha 30 anos atras estes meus modelos teóricos sugeriram estes fótons escuros, os quais seriam a base destes negativos, e o universo assim como nossas vidas podem ser constituídos destes negativos. Quando os fótons retornam desde as paredes do balão, reconstroem a onda de luz, porem no sentido inverso. Quando saiu da fonte divina era como uma criança cheia de energia e termina por morrer como pó, que são os fótons; agora no sentido inverso, negativo, a onda começa com o pó e pouca energia e vai refazendo as sequencias seguintes de maneira que quando chega a Deus nasce como a criança cheia de energia. Quando o nascimento vem de Deus, a criatura vem no estado harmônico de ordem; quando vem das paredes do balão, vem no estado de caos. Por isso, por estes fótons-informação estarem modelando nossa biosfera sob estado de caos, estamos sujeitos a todo tipo de predadores, tempestades, etc.  como acontece com as especies que botam os ovos fora abandonando desde antes do nascimento a prole ‘a própria sorte. Mas não se preocupe, o grande plano determina que isto e uma fase temporária, a seguir veremos que na verdade nunca formos ovos botado fora porque não saímos do grande plano que se constitui de ovos mantidos dentro e protegidos, nutridos ate o nascimento.  Eu reclamo porque Deus não esta’ assistindo a miséria do mundo e evitando estas tragedias com animais e humanos, mas eu devia lembrar que os pais não podem estarem presentes assistindo os genes construindo seu filho dentro do útero materno, e como estamos também num processo de aprendizagem para a vida na casa que vamos nascer, estamos cursando uma escola, e esta época de ovos fora corresponde a quando estamos fazendo os deveres escolares, onde os professores não devem os exercícios por nos. Senão, não vamos aprender nada e chegar na casa dos pais bagunçando e quebrando tudo…

Puro e simples processo de respiração, pensara’ um observador desatento. Ai’ esta’ encoberto todo o segredo da evolução universal. Fótons, energias negativas? Na verdade, se considerar-mos que são estes fótons e energias que constroem e movem nosso mundo material, eles são os positivos, negativa seria a luz invisível que vem de Deus e não vemos. Fato é que aqui mesmo perante nossos olhos esta cena descreve exatamente como acontece a criação dos corpos humanos, a perpetuação da especie e sua evolução.

A cena pareceria um exemplo rebuscado pela teoria do eterno retorno, o universo cíclico, expandindo-se e contraindo-se eternamente por que Deus respiraria eternamente. Porem, o pequeno detalhe dos fótons espalhados que não retornam ao bico do balão faz a grande diferença que transforma um universo em eterno retorno num universo onde ocorre um processo de evolução, de maneira que num dado ponto, no final da evolução, mudou a substancia que sai da boca de Deus: ao invés de retornar a luz exalada, ela retorna transformada em uma auto-consciência. Assim como ao invés de retornarem óvulos e espermatozoides emitidos pelos pais, eles retornam transformados num lindo baby.

Os fótons que não retornam fazem exatamente as funções do espermatozoide+ovulo emitidos por um casal que criam novos exemplares humanos com mutações onde são acrescidas os graus de complexidade. No processo universal estes fótons transformam a simples luz emitida por Deus ( que pode ser uma super-auto-consciência) em uma especie de filho na forma de uma nova auto-consciência.

Basta lembrar do que acontece no mundo real segundo as mais modernas teorias da Física. E por curiosidade lembrar-se que Jesus cristo, numa brilhante intuição, nunca falou a palavra “Deus”, mas sim Ele olhava para o solo embaixo e dizia “o Filho”, e tronava os olhos para o céu dizendo “o Pai”. Com isso ele sugeria que a criacao não se da’ por magica com Deus criando mundos e vida por magica, os nomes pai e filho implica que o método da criacao é simplesmente um processo genético, natural.

Os homens sempre suspeitaram que este espaço sideral é uma substancia, e a cada época deram-lhe nomes diferentes e definições diferentes. Ora era a alma do mundo, ora o éter infinito, e na Física moderna pensa-se nos nomes dark matter ou até na espuma quântica vibracional que aparece no vácuo surgindo do nada, e da qual pensam emergir a matéria. No nosso balão acima, essa substancia que o preenche todo é o ar. Agora imagine o evento do Big Bang como sendo a primeira exalação de luz na respiração de Deus se expandindo no meio desta substancia espacial. Ao se propagar no meio da substancia ocorre normalmente um atrito, uma fricção, e essa fricção se torna a energia. Temos então um universo contendo a massa ( a substancia espacial inerte), a energia, e a luz… e apenas isso. Estamos nos primeiros momentos logo apos o Big Bang,

Não teria qualquer efeito criador se as ondas de luz emitidas no momento da criação, do Big Bang, fossem de uma luz igual a que vemos emitida pelas estrelas. Acontece que a luz das estrelas são a segunda geração, mais fraca, derivada de objetos – as estrelas – que foram geradas quando a luz era pura e mais intensa. Tão intensa que apesar destas ondas hoje estarem presentes em todo o universo, não a vemos porque sua claridade nos cega os olhos para ela. Nossos olhos apenas suportam os tipos derivados da luz de segunda geração em diante.

Acontece que a luz original era o genoma de Deus, contendo o código da vida, como se grava uma musica num disco de vinil, ou como ele esta gravado na fita do DNA. O código da vida modela um simples facho continuo de luz em ondas de luz composta de sete faixas diferenciadas entre si, porque em cada faixa existe uma especifica intensidade vibratória, frequência, comprimento de onda, etc. Assim estas ondas modeladas pelo código da vida e propagadas na substancia espacial produzindo a energia faz com que esta energia seja absorvida pela substancia. Ora, uma corrente de energia é ‘a imagem e semelhança da onda de luz que a criou, portanto também a energia se diferencia em níveis de faixas especificas. Aprisionada na massa da substancia espacial a energia faz esta massa se diferenciar por regiões porque cada local do espaço tem uma intensidade de vibração diferente das outras regiões. Com isso a substancia espacial mais a energia se separam em blocos que mais tarde vão se tornar corpos materializados.

Contendo o código da vida, significa que a onda de luz primordial se propaga pelo processo do ciclo vital. Aquele mesmo processo que faz um corpo humano mudar de formas ao longo de sua existência: surge na forma de morula, se transforma para blastula, depois feto… e assim por diante. Podemos resumir o quase infinito numero de minusculas  transformações que ocorrem a cada segundo num corpo humano em sete classes, sete formas principais, por isso apenas citamos a forma de morula, de blastula, omitindo as formas intermediarias, para facilidade de comunicação entre nos. Então o ciclo vital na onda de luz se projeta para a cria resultante da união entre massa e energia gerando corpos diferenciados em sete formas diferentes, com seus específicos estados vibracionais. Assim como existe um elo abstrato do tempo conectando a forma de jovem humano ‘a sua forma anterior de adolescente e ‘a sua forma posterior de adulto, se estes aglomerados separados de massa-energia se tocarem, podem-se conetar pela mesma linha do tempo.

Como analogia lembramos que dentre os humanos, os jovens procuram e fazem suas turmas com outros jovens mas se relacionam mais com adolescentes e novos adultos que com idosos, porque seus assuntos (vibrações), suas energias e  comportamentos são mais próximos uns dos outros. Assim, no espaço sideral algum tempo depois do Big Bang, um corpo de gaz leve da quarta faixa paira próximo a corpos da terceira e quinta faixa, o corpo de quinta faixa se põe no meio de corpos de quarta e sexta faixa, etc. Isto resulta num efeito fantástico e surpreendente, quando esta conexão se da’ por campos magnéticos dos corpos alinhando-os na exata sequencia das formas do ciclo vital, criando um circuito retilíneo que avança da forma mais nova para a mais madura, e como no ciclo vital a interação entre corpo humano e planeta, o ciclo vital faz com que o corpo cresça porque absorve o pó do planeta e volte a ser o pó quando morre. Com isto o circuito retilíneo se encurva fazendo a ponta inicial se ligar a ponta final de onde surge uma esfera, o circuito esférico. E assim surge um sistema completo, funcional, fechado. E desse sistema se derivaram todas as formas de sistemas naturais, de átomos a cérebros humanos. E agora esta’ se desenvolvendo aqui, dentro da cabeça de cada ser humano e de cabeças que podem aos trilhões estarem espalhadas por esse universo afora e que são, em síntese, nossos irmãos genéticos, esta próxima forma desse sistema, que talvez pode ser a ultima: o sistema auto-consciente. Por isso existem sete formas principais de astros no sistema galáctico, sete tipos de órgãos principais no sistema corpo humano, sete organelas principais no sistema celular, sete camadas diferenciadas de energia no sistema atômico, etc. Quando a teoria cientifica moderna esta’ crendo que estes sistemas surgem por auto-organização espontaneamente, na verdade são montados pelo processo do ciclo vital.

E quem é o comando de instruções para todas estas operações? Ele esta’ projetado na energia, desta se infiltra na massa, mas ele permanece acima das duas, altaneiro: é a onda de luz primordial. E nela vem o genoma de Deus.

Na morte a bolha de consciencia retorna a nuvem de Gaia

O que sai do corpo natural do elemento, da coisa desconhecida, que existia um minuto antes do Big Bang e produziu o Big Bang foi uma onda de luz carregando um código, o DNA desse elemento desconhecido. Esse DNA se envolve numa longa cadeia de causas e efeitos que se tornam as causas de novos efeitos e que já perdura por 13,8 bilhões de anos e neste momento desta historia, aqui nesta região do universo, o ápice de seu estado, de sua evolução é a mente humana, uma espécie de feto da super-auto-consciência que forçosamente tem que ter existido no corpo daquele elemento desconhecido pre-Big-Bang. Não é eterno retorno porque a coisa que começou com o Big Bang retorna transformada em outra coisa diferente. Assim como a espécie humana não paira num eterno retorno de reprodução de indivíduos copias iguais porque o que inicia a geração de um corpo humano é que sai da especie humana na forma de um genoma, na sua forma microscópica, e o que retorna para a especie humana não é a mesma forma do genoma, e sim o genoma na forma de um baby humano.

Podemos então mudar as teorias do eterno retorno, do universo inflacionário, etc, que acredita num inicio por um Big Bang e prevê um final como um Big Crunsh, onde talvez o eterno retorna a ser o ponto minusculo inicial. Agora nossa historia universal pode se chamar “Do Big Bang ao Big Birth”, porque enquanto toda a matéria é descartada como a placenta no nascimento, o que retorna ao desconhecido criador é uma auto-consciência, algo ‘a sua imagem e semelhança, portanto, um filho, e onde ha filho podemos sempre comemorar um grande nascimento. Do Big Bang ao Big Birth! Certo? Então, congratulações, pois isto significa que ao invés de porcões dessa auto-consciência como essa que é você, o seu verdadeiro Eu, não perece nas sucessivas mortes do corpo, mas sim esta num processo longo caminhando para um destino sublime. Meus parabéns!

Apenas para terminar, e voltando a observar a imagem acima, me lembro de uma ocorrência numa sala de aula que fez os alunos irromperem numa gargalhada quase fazendo o teto vir a baixo. O professor, um idoso excêntrico cientista físico sempre de guarda-pó branco e com aquele cabelão espetado do tipo de Einstein, explicava a teoria inflacionaria usando uma varinha para apontar os pontos dessa imagem refletida numa tela. Quando ia terminando a aula ele disse ” Resta ainda um grande mistério a ser resolvido nesta teoria, o qual me tem tirado muitas noites de sono e não vai me dar paz enquanto não resolve-lo. Pois fico olhando esse balão nessa imagem, refletindo em tudo o que ele transmite e significa, o universo inteiro e sua historia, se expandindo e se contraindo em ciclos eternos, mas uma pergunta crucial fica ribombando na minha cabeça”…

A classe toda paralisou, e claro, todo mundo olhando o balão e esperando o professor anunciar o grande mistério do balão.

E parando na frente da imagem, o professor repentinamente apontou a varinha para onde ninguem esperava, ninguem observava, que era a face do jovem que assopra, e clama em voz alta desesperada:

” Quem é este gajo!?”

” Por favor, alguém me responda, quem é esse gajo, onde mora, que idade tem, porque sopra o balão?”

Claro, a classe explodiu em gargalhada.

Mas esta realmente é a grande questão filosófica, cientifica…: do que, ou de quem, vem o genoma?

O jogo do empurra-empurra entre Deus e humanos

sexta-feira, junho 22nd, 2018

xxxx

Estou pensando como é engraçado o jogo de empurra-empurra entre alguns humanos e seus deuses. Quando chamo humanos para iniciar-mos uma cooperativa e/ou unidade de produção explicando que essa é a unica alternativa para saírem da pobreza e salvarem essa Natureza, a maioria diz que não cabe a nos resolver estes grandes problemas humanos e sim a Deus. Mas os fatos nos mostram que os deuses estão ausentes na solução destes problemas e parecem dizer que deixam as soluções ao livre-arbítrio dos humanos. Fica um empurrando para o outro… Raios,… nesse empurra-empurra ninguém vai fazer nada até que seja tarde demais…
 
E’ como a outra historia da segunda vinda:
– ” Jesus volte logo, me leve daqui…”
– ” Mas antes de Eu voltar e para Eu voltar e’ preciso que vindes a Mim…”
– ” Mas como vou a ti se nao voltas aqui?…ir ai eu nao vou, nao posso…”
– ” Então se você não vier a Mim eu não vou a você…”

Debate entre experts em Ciencias e Religiao. Questao: Ciencia refuta Deus?

sexta-feira, junho 8th, 2018

xxxx

Nos, agnosticos da cosmovisao da Matrix/DNA, somos “indecisos” nesta questao. Para nos o problema todo esta’ na palavra “Deus”, “God”. Suspeitamos que o atual conhecimento cientifico de fato – sem as teorias dos trabalhadores das ciencias, conhecidos como “cientistas” – desaconselha a fe’ num tipo de Deus tal como e’ descrito na Biblia. E provavelmente todos os outros tipos de deuses descritos nos livros sagrados das outras religioes. Mas os nossos modelos e calculos nos levaram a suspeitar que existe uma especie de “superconsciencia” em outra dimensao alem da que podemos captar com nossos sensores e alem do que tem captado o conhecimento cientifico atual. Esta suspeita superconsciencia seria diferente de todas as descricoes de Deus, portanto evitamos denomina-la Deus ou por outro nome alegorico qualquer.

Esta suspeita surge principalmente de um calculo muito simples dentro dos nossos modelos:

Neste Universo existe, internamente, um sistema natural, que surgiu a 14 bilhoes de anos atras e vem evoluindo, no sentido de que ele surgiu no estado de extrema simplicidade e atraves da Historia Natural Universal tem ate’ agora se transformado no sentido de cada vez mais complexo. Varios outros indicios notados nos nossos modelos resultam na sugestao de que neste Universo esta’ ocorrendo um processo evolutivo pelo simples metodo genetico. Entao nos voltamos para observar a Natureza que conhecemos e procuramos alguma situacao onde um sistema surge em extrema simplicidade, evolui do simples para o mais complexo, e pelo metodo do processo genetico. Isto porque nossas conclusoes teoricas so’ se tornam reais teorias da cosmovisao se encontrar-mos na Natureza real um parametron Comprovado e conhecido por todos. A Teoria de Hawkings sobre uma hipotetica existencia de buracos negros nao passaria neste crivo, pois nao encontramos em nenhum outro lugar um parametron Comprovado real que nos avise que a Natureza e’ capaz de fazer tal objeto.

Encontramos uma situacao comprovada e conhecida por todos que se encaixa perfeitamente como parametro real: trata-se da fecundacao, gestacao e desenvolvimento de cada novo ser vivo. Eles surgem num estado de extrema simplicidade ( uma celula dentro de um ovo); eles evoluem dp mais simples para o mais complexo: e eles sao feitos pelo metodo genetico. O achado nao foi surpresa, pois como nao cremos em magicas sobrenaturais, e portanto este Universo nao poderia criar por magica informacoes que ele nao continha na sua origem, entao ele nao poderia ter inventado outro processo para criar coisas como sistemas vivos que nao fosse o mesmo processo pelo qual ele foi criado.

Encontrado o parametro real, comprovado que a Natureza pode fazer e realmente fez o que pressupoe a teoria, passamos ao estudo comparativo entre a historia do corpo vivo criado e a historia do sistema universal criado. Assim vamos projetando o que conhecemos da micro-historia visivel aqui e agora sobre a macro-historia nao visivel do passado, pressentida no presente mas tambem nao visivel no futuro; e fazemos o exercio contrario ou seja, projetando o que se conhece cientificamente do macrocosmo sobre este evento microcosmico. Assim vamos encontrando num as respostas que faltam mas estao no outro, o que ajudou-nos a aprimorar as duas narrativas destas historias.

Mas um detalhe fragrante salta ao0s olhos, o qual parece sr uma crucial diferenca: em certo momento ( dos 6 aos 8 meses de gestacao) o cerebro do ser vivo humano apresenta a propriedade da consciencia. Isto significa que na evolucao do sistema dentro deste Universo, esta propriedade surgiu nos seus 14 bilhoes de anos. Nao ha’ nenhuma dificuldade aqui porque estamos contando os dois tempos sob a perspectiva humana, entao o que e’ feito em 7 meses na micro-escala humana pode corresponder ao que e’ feito em 14 bilhoes de anos na macroescala do universo.

Mas.… sabemos que nao e’ cada novo cerebro recem formado humano que inventa pela primeira vez no mundo a propriedade da consciencia, porque sabemos que ela ja existia antes, na especie humana, que esta fora e alem do pequeno universo oval do feto. A consciencia ja existia desde o momento da fecundacao na heranca genetica recebida, portanto nos 6 meses  – desde as formas de celula inicial, morula, blastula, feto, e ate a de embriao – ela existiu no estado potencial, nao expressada. Em relacao a historia universal nao temos nenhuma evidencia ou pista para concluir se foi este universo que inventou pela primeira vez no mundo a consciencia, ou se ela ja existia antes e alem dele. mas esntao aplicamos o mesmo metodo de projetar o conhecido da micro-historia sobre seu espelho que ‘e a macro-historia e chegamos a nova teoria de que nestes 14 bilhoes de anos – desde a forma de sistema atomico, estelar, galactico, celula vegetal, e animal irracional – a consciencia esteve no estado potencial, sem ser expressada. E por conseguinte temos que transportar a fonte desta consciencia no fato observado aqui e agora como fonte para o fato existente mas ainda nebuloso da macro-historia, e chegamos a teoria de que a consciencia humana nao foi inventada dentro deste Universo, mas sim ja deve ter existido antes das origens e alem do Universo.

Entao o que denominamos como superconsciencia cosmica em nada se compara com as definicoes de deuses de todas as religioes conhecidas. Pelo que conhecemos da Ciencia humana – seus fatos comprovados – ela nao pode refutar esta teoria, muito pelo contrario, por ser uma teoria intrinsicamente naturalista, ela deveria aceitar como a mais provavel teoria que ela pode produzir sobre tal assunto. Ela ‘e mais consistente do que a teoria de que do nada veio tudo, pois nao existe aqui e agora nenhum parametro conhecido onde um Comprovado nada gera alguma coisa. O fato teorico que embasa a teoria do nada ‘e o resultado zero da energia do universo, mas isto feito equivocadamente, porque a existencia do sistema natural universal nao tem como essencia primeira a energia, ela veio encriptada como codigo em algo que sobra quando as energias se auto-anulam: a luz. Em outras palavras, seja como for, o reino alem deste universo nao nos enviou nenhuma energia, mas sim um a onda de luz, a qual, ao avancar, no seu atrito com a substancia especial que pode ser um eter ou a materia escura, produz a energia positiva, e na sua volta `a fonte, produz a energia negativa. As duas devem ser descartadas quando o universo, como qualquer ovo, com sua clara formada de galaxias fazendo o papel da placenta, e’ descartados ao nascer da criatura.

Vamos entao ao debate no video, e a seguir tentaremos assinalar e analizar cada ponto fundamental citado por ambos lados:               

DEBATE: Atheists vs Christians (Krauss + Shermer vs D’Souza + Hutchinson)

8:24 Lawrence Krauss (Atheist)

15:45 Ian Hutchinson (Christian)

23:34 Michael Shermer (Atheist)

31:02 Dinesh D’Souza (Christian)

 

A Bíblia versus O Livro das Leis: O Deus dos ricos e o Deus dos pobres: apenas um cenário idêntico `a selvagem divisão entre predadores e presas

quarta-feira, maio 16th, 2018

xxxx

Os leões acabaram de atacar o rebanho. Quando desceram das sombras da elevada colina e apareceram nos campos foram notados pelas ovelhas, que se puseram a correr desesperadas. Então o leão mais velho e líder deu o urro do horror, anunciando a sua gang que ia começar a festa. Como sempre, dentre as ovelhas as novilhas ainda quase babies, com pernas mais curtas ficam para traz na correria, estas são as presas mais fáceis para os leões, e as preferidas, pois tem a carne suculenta de sangue, tenra, e ouvir seus gritos de infante no momento em que são estraçalhadas vivas, e’ o momento de orgasmo máximo dos leões. O momento em que expressam seu poderio, sua força invencível, e seu ódio, desprezo pelo fraco. As ovelhas adultas vão parando de correr, pois ouviram os gritos dos infantes, sabem que os leões não virão por mais algum tempo, sentem-se salvas porque o ritual, de conceder seus rebentos para o altar dos sacrifícios aos deuses da montanha, foi cumprido.

Quando os leões festejam cada qual arranca um pedaço, um órgão preferido, e um sai com o figado na boca, outro o coração e uma parte das costelas, e se riem uns para os outros, assim como moleques na escola se divertem com maliciosidade fazendo o bullying do feio e fraco no meio da roda. Tal pode ser o êxtase dos leões que acontece algo que os humanos não sabem, apenas os ocultistas podem ver, o inicio de um ritual.  De seus cérebros crescem como que nuvens plásmicas invisíveis com rápidos clarões devidos repentinos raios e relâmpagos, que são extensões das sinapses entre seus neurônios. Estas “nuvens” crescem tanto que se encontram umas com as outras, se amalgamam, formando uma só imagem como um holograma no centro da roda dos leões em algazarra e êxtase. E essa imagem se transforma numa entidade fantasmagórica, com cabeça de serpente mas juba de leão, corpo espiral serpenteante e comprido mas com membros e garras de leão. E essa entidade fala aos leões quando estes se aquietam e se debruçam sob a sombra das arvores no alto da colina:

” Esta cumprido! Eu sou a serpente dos Céus, do Éden, eu prometi que lhes daria a força, a vitoria sobre os cães inúteis, os sem classe e estirpe, os filhos do caos e da desordem, vocês são os meus 1% mais os 4% de lobos e hienas escolhidos, vocês são estrelas, cada um e’ uma estrela, e estrelas tem toda a abundância do espaço e do tempo, as farturas como dadivas desta Natureza sem fim e locupleta de riquezas mil, existem planetas de ouro, outros de diamantes e as mais lindas perolas, outras de relva e flores tao belas jamais imaginadas, tudo a sua disposição porque vocês são os únicos desbravadores científicos e criadores das tecnologias, as estrelas são livres para moverem-se para onde quiserem e podem praticar todos os seus desejos, pois o espaço e’ infinito, as abundancias são ilimitadas, por isso seus desejos não se chocam, não criam conflitos entre vocês, e por isso devem ser unidos contra os que não querem ser estrelas brilhantes, que preferem apagar as estrelas em si próprios. Festejem como lhes aprouver, este e’ o privilegio meritório aos fortes que me seguem!”

Enquanto isso nos campos de relva verde as ovelhas estão cabisbaixas, tristes e incomodadas pelo choro das mães das novilhas que estão sendo estraçalhadas, ouvindo seus gritos, e as mães rolam no solo árduo, correm atabalhoadamente em círculos, se jogam nos troncos das arvores, pois qualquer dor física sera’ menos sofrível que as ajuda a suportarem a dor dos sentimentos, emotiva. Assim com o rebanho paralisado em torpor enquanto as mães se torturam e gritam de dor, igualmente inicia um ritual, de seus cérebros crescem e emanam nuvens plásmicas que se encontram e se amalgamam no meio da roda do rebanho, formando uma imagem, um holograma que compõem uma figura, e levanta-se uma entidade fantasmagórica. E esta entidade se dirige as mães perante os olhos do rebanho, e enlaça as mães num abraco fraternal, carinhoso, e diz em voz baixa e suave: ” Eu vim para apascentar-lhes e ajudar-lhes a curar suas feridas. Eu sou quem sou e no Éden eu lhes dei tudo e lhes prometi que de vocês sera o reino dos céus. Vocês vieram para conhecer, amar e servir!…

Mas nisso surge o bode azul com chifres, um deformado nascido dentre o rebanho, que salta violentamente ao centro da roda querendo empurrar e expulsar o holograma da divindade enquanto vocifera em alta voz:

  • ” Não ouçam este mentiroso e enganador! E derrotado ate pelos lobos judeus aliados e servis aos leões romanos, pagando com sangue na cruz pela sua fraqueza! Aquele que não apareceu para empunhar armas e lutar defendendo as mulheres, idosos e criancinhas devorados em seu nome na arena de Nero! Este e’ o grande ausente que esta mancomunado com o deus dos leões, este e’ a outra face de Satan, o eterno ausente nas suas necessidades e sempre presente nos discursos prometedores que nada mais visam que os seus filhos, os seus corpos e sangue a serem entregues ao grande Satan do alto da colina.”
  • -” Não, meu filho… – interrompe a divindade fantasmagórica…
  • – Não me chame de filho, não sou filho dos fracos e covardes… Onde estavas antes dos leões atacarem? Não dizes que podes ver os tempos, o passado e o futuro, como não prevês as tragedias para evita-las aos seus filhos? Onde estavas para impedir mais esta tragedia aos que você diz serem seus filhos? E seus irmãos, suas irmas, seus pais, suas mães? Enviando sinais de paralisia mental para entorpecer o rebanho exigindo o sacrifico da vitima no seu altar?
  • – Não, meu filho, eu estava no meu reino que não e’ deste mundo, o reino dos meus filhos, para onde vão os meus escolhidos, e você nunca vai entender com sua mente e razão humana ( glup, eu quis dizer “razão bodifera”), pois as respostas e explicações estão na dimensão espiritual, não são para o vosso entendimento…”
  • – “Sei, sei – interrompe o bode chifrudo azul – e só nos resta ama-lo temendo-o e obedecendo não e’? E nos conformarmos em viver esta vida estupida sem sentido de ficar 24 horas trabalhando transformando grama em suculenta e nova carne para pastejo dos demônios, não e’? Eu acabei de assistir agora qual o destino de seus escolhidos, de suas criancinhas…  Meus amigos, – diz o bode voltando-se para fitar o rebanho `a volta – eu sou seu amigo, eu sou seu irmão, eu sou sua especie, eu sou forte porque os leões nunca me pegaram, pois sou planejador, cauteloso, vigilante, e se preciso for, eu posso morrer mas caindo de pé, ferindo a fera com meus chifres pontiagudos. Deixem de ouvir esta falsa divindade que nada mais e’ que um fantasma projetado pelas suas mentes, vocês são em muito maior numero que as feras na colina, vocês são 90% ou ate 95%, vocês tem a força e o poder, a qual lhes e’ usurpada pelas mentiras deste Satan que se faz passar por santo dos santos…. Deixem de serem como estas mães choronas mas inertes, passivas, que por preguiça mental e não por fraqueza física não tomaram as providencias possíveis antes de gerarem seus filhos.”
  • “No alto da colina – continuou o bode azul – neste momento, o deus dos predadores, Satan, festeja comemorando com seus filhos mais esta vitoria de guerra. Tambem as feras são enganadas sem o saberem, pois acima de todos os deuses esta a realidade desta Mãe Natureza Universal e a força de Suas Leis. E uma destas Leis, assim como revela o conhecimento da Historia Natural e não as falsas versões da Historia para incluir seleções de escolhas convenientes aos desejos, mas inexistentes na realidade, sempre determinou que todo grande predador, se acomodou no leito dos privilégios e conforto, tornou-se um beco sem saída para a evolução, tornou-se gordo, e pesado incapaz de se defender, e com isso foi extinto. Ondes estão os dinossauros, reis dos continentes, a águia, rainha dos ares, as orcas, rainha dos oceanos? O que restam deles sabem que não tem outro futuro senão a extinção de sua especie e herdeiros para toda a eternidade. Por isso vocês não podem aceitar passivamente este estado de coisas em que ficam cedendo, dando de seu trabalho, energia e suor, para alimentar e fazer crescer os monstros sem futuro, que serão maior peso para as costas de seus filhos. Eles dizem que vocês são bárbaros causadores da desordem, os que perturbam a ordem… mas que ordem? Ora a ordem segundo o sistema que lhes satisfaz, que mantem seus territórios e direitos sobre os rebanhos, ao qual tentam se agarrar e defender com a coragem dos suicidas, pois preferem a violência, a guerra total, a própria morte, que não ter como satisfazer seus caninos da boca e os abstratos da psique, que foram feitos pelos deuses com o único intuito de matar, estraçalhar, devorar. Mas vocês são sim, na sua ignorância e preguiça mental contra as ciências da natureza, agentes da desordem e da destruição do reino vivo mais baixo que e’ a vegetação, e devido seu descontrole na sua multiplicação como ratos, vocês também estão condenados a desaparecerem quando extinguirem esta vegetação. Eu não quero vocês no poder, no alto da colina, pois para a minha suprema meta, que e’ a transcendentalidade destas formas animalescas, a exorcização destes instintos repugnantes, vocês no poder seriam igual obstaculo como o são os predadores de hoje. Minha unica chance de sucesso e’ agora animar e buscar nos vencidos, a força para não deixar crescer os dominantes. Por isso tenham a certeza de que neste momento estou alinhado ao vosso lado, sem pertencer a sua ideologia e comportamentos e sem aceitar seus deuses. Todos os deuses são fantasmas, auto-projeções dos desejos inconfessáveis do inconsciente, projetados como hologramas que são vistos pelo consciente enganado. A palavra dos deuses e’ elaborada, polida, mas com frases roubadas ou emprestadas do consciente.
  • Vocês podem se defenderem e ate eliminar os lobos e os leões se quiserem, e devem querê-lo, senão por vocês mesmos, façam-no em nome de sus filhos. Sei que são desajeitados, que tem cascos nas mãos e pés ao invés de garras, que só sabem e preferem trabalhar com a boca ao invés das patas e com a cabeça buscando soluções técnicas para eliminar a escravidão ao trabalho rotineiro, mas mesmo com os cascos, se deixarem se manifestar a força que em vos dorme como potencial latente, mesmo os cascos, mas com a vontade e a inteligencia vocês podem preparar artefatos e armadilhas que combatem as feras. Mesmo com cascos mas com a boca podem colher e afinar galhos, esticar cipos, construírem arcos e flechas que ferem e matam as feras `a distancia e de surpresa. Com seus cascos e bocas agarrando traves pontiagudas podem cavar buracos imensos em volta do campo de relva verde, cobrindo os buracos com folhas e colhendo assim de surpresa as feras em celas das quais nunca mais poderão sair. Sigam amim, que eu estou sempre ausente do rebanho tentando cavar estes buracos com meus chifres, tentando fazer meus arcos, eu lhes ensinarei as estrategias de defesa e ataque, pois temos que responder a agressão da guerra que eles nos promovem, não tem como salvar nossos filhos desta carnificina se não for com uma carnificina preliminar, onde alguns de nos sera certamente sacrificados, mas somos o grande número, e os que se salvarem vitoriosos herdarão a Terra!

                                                                         INICIO do FIM 

Moral da historia. Os dois lados tem seus deuses, o deus vermelho das feras predadoras e ricas, e o deus  violeta/purpura das escravas presas e trabalhadoras pobres. Ate a classe media dos lobos e hienas deve ter seu deus, apesar de que me ‘e evidente que cultuam o mesmo deus vermelho dos grandes predadores de quem vivem a se aproveitarem das sobras da carnificina. Somente o bode chifrudo azul, um meio-carneiro, meio-lobo, produto de rara mutação da evolução, não tem seu deus azul. O bode sabe de onde vem, qual a causa primeira que produziu predadores e presas. No inicio dos tempos deste mundo, la’ pelas eras do Big Bang, no meio do infinito espaço escuro de dark matter inerte, massa pura, houve a emanação e explosão de uma fonte de luz branca, tao forte que nos cegaria as vistas, e por isso quando olhamos para ela nossos olhos se cegam e vemos no seu lugar a escuridão. E o bode racional e cientifico observou – não com os pobres e limitados olhos humanos de ver, não com os pobres e poucos sensores dos cérebros humanos, mas com o exercício de sua inteligencia matemática – o espectro dessa luz fantasmagórica que a tudo deu inicio, que trouxe o movimento onde nada se movia, que fez o infinito borbulhar como espuma quântica, assim como o espermatozoide invade um ovulo de oceano amniótico inerte e alojando-se no seu centro, explode sua membrana e libera a força que move e traz a vida a um novo rebento. O bode observou com a inteligencia, calculou por anos e seculos de geração a geração os segredos dessa luz e por fim conseguiu enquadra-la numa figura alojada no gráfico cartesiano, `a qual denominou ” o espectro total eletromagnético”. E percebeu que esta luz se propaga e se espalha no espaço como ondas, e que cada onda e’ composta por sete diferentes estados, cada qual com um nível vibratório, um comprimento e uma frequência própria, especifica. E viu que do ponto onde a onda se explode ela tem a maior força, a maior energia, a a maior vibração, as quais vão diminuindo a medida que a onda se propaga, ate as ultimas faixas se tornarem um fio contínuo que por fim se desintegra em partículas, os fótons… E viu que os fótons criam o mundo manifestado do retorno a fonte, este nosso mundo materializado onde vão recompondo a onda de luz do fim para o inicio, para chegarem e retornarem a fonte de onde foram criados. Um simples e conhecido processo de reprodução genética rege este mundo, porem, reprodução de não se-sabe-o-que, seja la o que tenha criado este Universo através de espalhafatosos eventos de Big Bangs.  E o bode azul viu que a faixa inicial com força vibratória e elevada energia era a substancia do deus das feras, dos leões predadores no alto da colina. E também viu que a substancia do deus do rebanho era a ultima faixa de linha continua mais as suas partículas a serem dispersadas individualmente no espaço. E com isso entendeu porque todas as partículas dos rebanho, porque todas ovelhas são fracas e jamais conseguem se unirem, porque se tornam partículas individuais, separadas em carne e espirito de sua especie, num extremo ato de egoismo individualista. E o bode azul entendeu todo o resto dos mistérios deste mundo. Viu que a onda universal e’ da cor de uma brancura purina, mas aos cegos olhos do bode ela se divide em sete cores, começando pelo vermelho energético e super-vibrante, a cor do deus dos predadores sanguinários, e depois vem a cor laranja, a amarela, a verde, a azul, violeta e por fim aquela que e’ confundida entre negra e branca, na mesma sequencia do arco-iris e da aura bodifera. E viu sua própria substancia azul fluindo de uma das faixas intermediarias próxima da faixa da luz que os humanos chamam de “visível”. Ele era o meio-termo, o ponto de equilíbrio entre o extremo predador e o extremo inerte, e descobriu que ambos os extremos, opostos em tudo entre si, são ambos expressões do extremo egoismo, e que a unica salvação para os vivos na Terra sera’ a exorcização destes instintos extremos incrustados na psique. E assim, como bode chifrudo azul eu existo neste meio, e para isso eu me mantenho vivo, para lutar por este exorcismo. Eu não sei o que ou quem esta por traz da fonte emanadora daquela luz que vem do alem deste Universo. Não entendo porque ela tem que vir na sua forma dual, sempre manifestando tudo em opostos entre si, se isto sempre causa os conflitos, o sofrimento, o choro e ranger de dentes, apresar de que também esta’ evidente que se as especies vencem os extremos em si, elas transcendem para uma forma e um destino mais sublime. Mas não interessa por enquanto buscar a resposta deste grande e maior mistério, cujas informações estariam alem da capacidade do meu pequeno cérebro em process-las e entende-las, o que interessa agora e’ lutar aqui como homem e vida, dentro dos limites deste Universo, para erradicar os extremos e alcançar a transcendência. Suspeito que com ela, poderemos ultrapassar as fronteiras ultimas deste mundo e então nos depara frente a frente com a solução do grande mistério.

FIM

Estou muito ocupado fazendo uma investigação comparativa entre o povo do “Deus dos Pobres” e o povo do “Deus dos Ricos”. Para isso primeiro coloquei sobre a mesa ” O Livro Cientificista Materialista Evolucionista da Historia Natural” porque para qualquer conclusão eu tenho que me ater aos fatos reais comprovados por mim e mais os fatos que eu não vi porem são sugeridos pelos trabalhadores que escreveram o livro cientificista e que são testáveis, muitos deles eu assisti os testes e os aprovei. Tendo sobre a mesa a coleção dos fatos reais avistados na minha experiencia de vida, agora vou por sobre a mesa os livros destes deuses, que a meu ver são a maneira que cada qual conecta os fatos e dai extrai sua visão do mundo, e cuja visão geral funciona como feed-back retroalimentando o tipo especifico de interpretação de cada grupo sobre um mesmo fenômeno ou evento natural, real. Então de um lado tem os livros dos deuses dos pobres, a começar pela Bíblia, o Kuran ou Alcorão, o Talmude, o Budista… e do lado dos deuses dos ricos inicio com o “Livro das Leis” da filosofia thelemita no qual a divindade espiritual que ditou e inspirou o livro fala tudo exatamente o oposto do que fala por exemplo, a Bíblia.

Se algumas pessoas disseram que viram seu Deus e este disse que “tenha compaixão e ajudai os fracos e humildes pois eles são meu rebanho, eles herdarão os seus, e blá-blá-blá…”, outras pessoas disseram que viram seu Deus e este disse: ” Vocês, menos de 5%, são os meus escolhidos e eleitos, porque vocês são as estrelas que brilham e a sabedoria, a vocês darei todo o poder porque os outros 95% são como cães, então unam-se e massacrem, escravizem, tratem como cães sem futuro os outros 95% e blá-bla-blá…”.

Ao ver isso retorno ao livro cientifico e me certifico de que de fato desde suas origens a humanidade em todas as nações e civilizações tem apresentado esta divisão de 5% de fortes dominantes e 95% de fracos dominados, fracos porque tendo maior força em numero, se deixam escravizar e torturar e morrer pelos 5%. Contra a historia real visível não existem argumentos e esta tem sido a historia real e ainda nos dias de hoje.

Então volto aos livros religiosos procurando qual a justificativa que cada Deus forneceu para fundamentar o seu conselho. `A primeira vista, a justificativa fornecida pelo Deus dos ricos e’ mais humanamente racional, mais sincronizada com a logica natural que temos observado. Diz o Deus dos ricos que cada humano tem uma estrela em si, e’ uma estrela, e estrelas são livres para satisfazerem seus desejos, pois o espaço e’ infinito, elas não se chocam, as dadivas da natureza são abundantes, tem para todos. E assim devia ser na Terra, cada um satisfazendo seus desejos sem escrúpulos, porem os 95% não querem assim, eles causam a desordem e por isso os choques, os conflitos. Então, que massacrem os 95%! Enquanto isso, a justificativa do Deus dos pobres para seus mandamentos e’ que os humanos devem serem bons e deixar as questões, as soluções, para o mundo espiritual, pois humanos não podem conhece-las. Ora, se os dois deuses se manterem com estas mesmas doutrinas, este atual estado da humanidade deveria perdurar ate’ o infinito, o que não vai acontecer porque sabemos que o sistema solar esta’ mudando, se transformando e vai varrer fora todo traco de vida neste planeta. A cosmovisão da Matrix/DNA sugere que existe um processo natural que pode ser considerada uma lei universal:

1 – Quando uma forma de sistema natural que se constitui no mais complexo de um dado ambiente, chega aos limites de sua capacidade de evolução, a especie colapsa-se ou estagna-se, suas informações se desintegram, retorna no tempo ate a sua forma que ainda era aberta `a evolução, geralmente tendo seu próprio corpo como o novo ambiente mutado. Obedecendo a lei da dualidade universal, no novo ambiente as informações se juntam em dois grupos distintos, digamos, a face branca e a face negra. Em tudo um grupo e’ exatamente o oposto do outro, apesar de suas formas serem iguais. Ou seja, o fenótipo e’ um só, porem o genótipo são dois opostos entre si. Devido a esta oposição entram em conflitos, geram o caos a volta, o caos os maltrata somando-se aos mal tratos dos conflitos, ate’ que ambos se enfraquecem e caiam. Na queda se avaliam em suas diferenças, pesam os porquês de cada um, percebem que podem haver acordos, e assim se levantam tornando novamente um só em prosperidade. Assim caminham o sistema para a maturidade onde atinge as limitações de suas capacidades evolutivas, porem, deram um passo transcendente em complexidade, em relacao ao ultimo ancestral que era o mais complexo. E novamente outro ciclo evolutivo tem inicio. Mas existe a outra alternativa em que as partes conflitantes nunca entram num acordo, então se tornam um beco evolutivo sem saída, são ambos descartados e a evolução recomeça onde parou no ultimo.

O que vai acontecer com o sistema “especie humana” se esta divisão e estes deuses continuarem, e’ justamente a pior alternativa, a extinção. Por isso temos que arregaçar as mangas e lutar urgente, na busca deste exorcismo destes dois instintos. nem rico nem pobre, nem esquerdista nem direitistas,nem comunista nem capitalista… simplesmente humanista transcendental.

xxxx

Coletar agora cada mandamento, cada frase, do Livro das Leis e procurar sua oposta na Bíblia:

( a continuar)

Como e porque os Humanos inventaram o fantasma ” Deus Magico e Perfeito”

sexta-feira, junho 16th, 2017

xxxx

O Deus desse nosso Universo perceptivel nao e’ um “ser perfeito”, e “magico todo-poderoso”, como o definem os crentes apelando ao argumento ontologico (explicado abaixo). O gerador ( e nao criador, pois a palavra criacao nao cabe aqui) deste Universo perceptivel e’ um ser extra-universal, com uma auto-conciencia madura, enquanto a nossa e’ ainda embrionaria. Porem ele e’ totalmente natural, um Sistema auto-consciente natural, que gera universos e vida pelo processo natural genetico, assim como nos geramos ovos e neles os nossos filhos. Deus gera universos para se reproduzir, como nos nos reproduzimos. Sem magicas e sem total poder sobre suas geracoes, como os pais nao tem poder total sobre o que fazem os genes que constroem seus filhos.

Bem, isso ‘e o que estao sugerindo os modelos teoricos da Matrix/DNSA Theory. E isso entra em conflito com a crenca deista supernatural. Entao devo procurer explicar onde esta o erro nos adversaries.

Acontece que – representando a vida na Terra – somos herdeiros diretos desta galaxia que nos cerca, ela foi nossa ancestral e hoje o fossil desse ancestral. E quando estavamos na forma deste nosso ancestral cometemos um erro imperdoavel para as leis naturais. Decidimos ser Sistema fechado em si mesmo. Fizemos de nosso corpo a maquina mais perfeita possivel de existir, um complet0 eden paradisiaco, e nele nos fechamos cortando relacoes com todo o resto do mundo, esperando viver assim em gozo por toda eternidade. Interrompemos nossa evolucao. E nos demos o nome de “Via Lactea”.

Mas galaxias nao sao as maiores estruturas do mundo. Acima delas tem os universos, que, inclusive, as contem. E o Universo possui um recurso contra esta rebeliao, chamada de “Lei de Clausius” a qual provoca a degeneracao e morte de tudo que entrar por este caminho errado. esta lei esta descrita no Segundo principio da termodinamica e seu processso e’ medido pela entropia.

Com isso, nos, na pele do nosso ancestral, caimos, fragmentados em milhares, bilhoes, como sistemas abertos a evolucao, tendo que recomecar tudo de novo. Mas enquanto ainda estamos nessa fase inicial, somos mais reproduzidos como filhos da galaxia que filhos do deus extra-universal e com isso herdamos e ainda mantemos a tendencia aquele erro colossal, de ser perfeito na forma de eden paradiasiaco mecanizado. Devido a esta tendencia oculta, claro, ao imaginar-mos um deus, o imaginamos 1`a imagem do nosso sonho supremos, ou seja, a de um ser perfeito, unico, todo-poderoso, etc.

Deus nao e’ assim ( e apenas isso explica estes 50% de pessimo desenho desta natureza, da existencia de caos, carnificina, torturas, etc.). Deus e’ um ser superior a nos como os pais sao superiors ao feto do filho que a mae traz na barriga, mas nao e’ magico capaz de fazer aparecer um aviao do nada.

Argumento ontológico ( Wikipedia)

Um argumento ontológico é qualquer argumento que defende a existência de Deus através da ideia de que Ele é obrigatoriamente um ser perfeito e, portanto, deve existir. Os critérios para a classificação de argumentos ontológicos não são exatos e amplamente aceitos, mas eles geralmente partem da definição de Deus e chegam à conclusão de que a sua existência é necessária e certa. Esse tipo de argumento é unicamente um raciocínio a priori e faz pouca ou nenhuma referência a posteriori, de cunho empírico.

Acredita-se que o primeiro argumento ontológico foi proposto pelo teólogo Anselmo de Cantuária. Anselmo definiu Deus como sendo a maior coisa que a mente humana pode conceber e defendeu que, se o maior ser possível existe na imaginação, ele também deve existir na realidade. Ele colocou em seu argumento que uma das características de tal ser, o maior e melhor que se pode imaginar, é a existência. No século XVII, o filósofo René Descartes propôs argumento similar. Descartes publicou diversas variações de seu argumento, cada uma centrada na ideia de que a existência de Deus é imediatamente deduzida de uma ideia “clara e nítida” de um ser supremo e perfeito. No início do século XVIII, o matemático Gottfried Leibniz retoma as ideias de Descartes para tentar provar que uma “supremacia perfeita” é um conceito coerente. ( cont. a ler)

O Grande Segredo Oculto na Luz Original (Divina?)

domingo, abril 2nd, 2017

xxxx

Eu tenho que dar o braço a torcer. Sou anti-religioso e principalmente anti-bíblico, mas descobri algo fantástico na Luz que a Gênesis bíblica revelou a dois mil anos atras, na forma de metáfora e muito resumida. Em outras palavras, a Gênesis diz que no principio era apenas a escuridão. Então no terceiro – ou sei la’ que dia – Deus fez a Luz e a partir dai começou a Criação… a qual conduziu o nosso mundo ao jeito que estamos hoje.

Quando descobri que uma onda de Luz original é dividida em varias partes e tem uma sequencia de movimentos tal, descobri que tudo isso imita exatamente uma unidade fundamental de informação do nosso DNA. Mas também imita exatamente a estrutura fundamental das galaxias e dos átomos. Enfim descobri que a Luz Original é  a unica coisa que se precisa para criar o mundo que hoje ai’ esta’. A Luz contem o código da Vida! O código da Criação. A Onda de Luz Original que se propagou no espaço escuro continha a formula a  que denomino de “Matrix/DNA”.

Vou explicar os detalhes do que descobri, no final deste texto, quando puxar para cá a formula da Luz. Por enquanto vou apenas abordar alguns dos conceitos que aprendemos com essa nova visão da Luz. Por exemplo:

Pessoas dizem que quando acordam de manha a primeira coisa que lhes acontece é ver ou sentir uma luz nos olhos, mesmo ainda fechados. Eu não tenho estes talentos que levam as pessoas comuns ao mistico, se tivesse eu não teria sido tao materialista necessário para entender a matéria. Apenas ouço pessoas simples e que não teriam qualquer motivo para mentir isso, e procuro explicações. Nesse caso da luz matinal, a explicação é muito complexa, mas muito interessante, nela se aprende grande parte do que somos e do que é este mundo.

Nossos cérebros tem uma camada de sistema nervoso que cuida de tudo o que é automático no corpo. Não precisamos pensar em criar anti-corpos para atacar um invasor, não precisamos parar nossos pensamentos para pensar em mandar o corpo fazer a próxima respiração Acima desta acamada existe outra camada de neurônios que processam os pensamentos. Estes acontecem pelas sinapses, descargas químico-elétricas. Então imagine que você esta’ no seu jardim vendo uma nuvem escura e nesta nuvem contínuos raios e relâmpagos. Esta imagem é semelhante ao que se veria se estivéssemos dentro do cérebro. Com a diferença de que no cérebro os raios pipocam em todos os lugares em grande numero e sem pausas. Ora, se isso acontecesse na nuvem escura de chuva, veríamos um clarão continuo abrangendo todo o firmamento.

Esse clarão continuo como reflexo das sinapses no cérebro criou uma substancia plásmica muito sutil que fica clara, iluminada o tempo todo. para quem a visse de fora diria que esta vendo uma luz normal. Não vemos essa nuvem de luz no cérebro ou ate ao seu redor nem com os poderosos instrumentos científicos porque não captamos esse plasma que é a substancia da Luz. Em outras palavras, mente é Luz, mas vou mostrar como a Luz é uma coisa muito complexa, um sistema em si mesma e funcionando. Essa Luz que surgiu aqui na Terra na forma de mente humana é a mesma Luz original nas origens do Universo.

Então durante o dia, você pensa constantemente, os relâmpagos são muitos e contínuos, essa nuvem iluminada esta’ a todo vapor. Quando adormece o cérebro se aquieta, a luz fica mais fraca apenas como uma chama la’ no fundo do cérebro. Esta chama e suas propriedades produz seus sonhos. Quando você acorda os neurônios voltam a agitarem-se, a luz refloresce, bate nas pálpebras que estão fechadas e seu olho vê um clarão. Quando abre o olho, a luz não-original do Sol apaga passa a comandar sua visão. Esta’ explicado? Mas não acredite nisso e em nada do que digo na minha teoria, ainda não testei isso cientificamente portanto eu não acredito. Naturalismo – a minha abordagem do mundo –  não é campo para se acreditar ou não, é campo apenas para caminhar avante, e teorias apenas nos guiam para qual caminho escolher. O caminho é o teste cientifico: se foi o caminho certo então deixa de ser teoria e agora sim, podes acreditar. Por enquanto, como disse Einstein quando diziam que sua teoria da relatividade geral era impossível, inútil, etc.: ” Eu não tenho que provar que a minha teoria é a certa, apenas mostrar que ela faz sentido racional”.

A Luz da criacao, a Luz original lancada pelo Big Bang, queria apenas ser o corpo de algo que ela criaria e suportaria: a Consciência Cósmica. Para chegar ao bolo final ( `a Luz Consciente) temos que fazer os ingredientes, misturar as massas, bater a clara de ovo em outros pratos ou tigelas para depois os bíblicos do Intelligent Design ficarem dizendo a besteira de que não teria havido evolução porque existe a complexidade irredutível,…

Ou seja, são muitas fases intermediarias fazendo coisas que depois desaparece tudo quando o bolo esta prontinho em cima da mesa. Assim a Luz original teve que se propagar como ondas através da substancia inerte do espaço, a massa com os Higgs bosons, teve que criar ingredientes como partículas átomos, mistura-los na forma de estrelas e galaxias, levar ao forno com fermento ( que foi ela a própria, a Luz), e fazer células, macacos, corpos humanos,… para ela começar a ressurgir límpida e pura mas agora consciente  e ainda fragmentada em bolhas de plasma luminosas que estão dentro das cabeças dos humanos! Cada humano é um gene de consciência com uma informação especifica, unica, e todos em conjunto podem gerar o grande baby divino que serão no futuro. E mais uma vez a danada da odiosa bíblia acerta quando ela nunca diz que Jesus falava a palavra Deus mas sim, olhando para o chão onde existimos, e apontando para o céu alem deste Universo dizia: “O Pai e o Filho!” Foi exatamente o que descubro agora, tudo genético, natural, sem magicas mirabolantes.

Mas o bolo ainda não esta’ pronto para o dia do Big Birth, quando ela na forma de baby vai nascer alem deste ovo cósmico que denominamos universo na casa ou no reino de quem a gerou e a mandou para cá na forma inicial que não imita o DNA, pois é o DNA que imita a Luz e a reproduz num estagio materializado avançado da evolução… ou da Criação se preferes.

Infelizmente não posso continuar hoje pois o trabalho duro la fora me chama – para explicar agora o que já esta explicado em outros artigos neste website. Tenho tempo apenas para mostrar a forma inicial da formula da Luz, e se você tem tempo, olhe-a e procure descobrir por si mesmo como o código da Vida esta ali encriptado. E’ muito fácil…(clique na figura para expandi-la). Apenas uma ressalva inicial. Dou o nome de Onda de Luz Original ao conjunto dos sete tipos de radiações no espectro eletro-magnético:

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

E que a Força da Luz Divina esteja convosco. Amem! ( isto digo porque sou extremamente materialista, anti-religioso. O deus não-existente tem um profeta,… que por acaso… to desconfiado que sou eu…. pois não sei como cargas d’águas estou descobrindo tudo isso… yac… yac…. Mas se Deus que não existe e não me escolheu para ser seu profeta, sou seu profeta moleque e rebelde que não acredita nem nas minhas descobertas… e por isso passo a vida a testa-las e gastar meu pobre dinheirinho em estudos e mais estudos, viagens loucas no meio da selva onde estão a maioria das respostas, tentando montar meu laboratorio para testa-las…)

 

 

 

 

O Tamanho do Espaço do Universo e o Tamanho de Espaço Cedido a um Humano

segunda-feira, outubro 31st, 2016

xxxx

(Post no Facebook em 10 (out)/31/2016)

 Em que estou a pensar?
Em que existem alguns humanos dizendo que um Deus desenhou, projetou, o mundo…!!!
Acabo de ler a reportagem de uma menina de 10 anos que vive como outras milhões na Índia. Ela sai ao amanhecer com uma cesta pesada na cabeça para vender paezitos no cais do porto e volta ao anoitecer, para um caixote de madeira onde estão sua mãe e mais três irmãos… e ela a unica a ganhar para sustentar todos.
Mas eu sei (porque já passei por isto) que milhões, ou bilhões, de humanos vivem em quartinhos de 2 metros quadrados, e só. Então olho para este imenso Universo, com bilhões de galaxias com zilhões de quilômetros quadrados, trilhões de estrelas e planetas, e muito mais ainda espaços vazios… e olho para um humano a quem apenas se concede 2 metros quadrados….
Claro, o mundo esta’ gozando na cara destes humanos. Isto e’ o extremo do masoquismo, da crueldade, e’ um chamado para a guerra, e’ um projeto de porco feito para porcos.
Eu nem quero pensar quem criou ou planejou isto. Não quero suspeitar que foi alguem com um minimo de inteligencia, de consciência, de sentimentos tais como os humanos os conhecem. Pois se fosse algo ou alguem com alguma mentalização, seria o mais terrível inimigo e torturador da nossa especie, dos meus irmãos. Nem tanto em nome da minha vingança, mas no pensar o que esta criatura odiosa fez ou faz com meus irmãos, eu a mataria lentamente, cortando os pedaços pouco a pouco, e ainda seria pouco.
Se existisse um Deus como mente aquele livro repugnante chamado Biblia – escrito por um povo parasita e ladino – ele não seria para ser amado ou temido, mas para ser odiado.
Trilhões de espaços entre galaxias… tudo inútil, desperdiçado,e humanos não tem 2 metros quadrados para viverem…. pois ainda estão ameaçados de serem expulsos senão pagarem o aluguel…
Por isso entrei de corpo e alma na selva virgem procurando a causa maldita da origem da vida aqui. Encontrei. E quando encontrei comecei a segunda etapa, a entrar mentalmente no espaço cósmico, a gora a busca do que causou a origem deste Universo. Acho que encontrei. Agora me resta também entrar de corpo total como astronauta para virar este Universo de pernas pro ar em busca do que penso ser o culpado. Não terei tempo para faze-lo mas deixo conhecimentos que ajudarão as próximas gerações a perseguirem esta meta. E quando o encontrarem, lembrem-se dos bilhões de irmãos que aqui foram torturados e façam a guerra sem piedade! Contra aquilo que não possui sentimentos, nos devemos esconder os nossos tambem.
Por enquanto, toda vez que ouço um humano dizer que ama ou teme um Deus, que existe como onipotente, onipresente, e bla-bla-bla… me da vontade de lhe dar um murro na cara! vai ser burro assim na cochinchina!
 
O mundo vai continuar assim e aquela menina vai continuar a ficar com a coluna torta e os dentes estragados justo porque estes burros tornam-se totalmente inúteis para a energia e persistência que exige a guerra para desenhar para ela um mundo melhor, digno de humanos.

Mente Errada>Corpo Doente>Biologia em Caos>Galaxia Errada>Galaxia Doente>Mecanica em Caos>Universo Errado>…Lucifer?!

quarta-feira, abril 6th, 2016

xxxxx

Deus não esta assistindo o que acontece no mundo dos vivos, não sente os horrores nas torturas dos vivos, porque Deus não e’ deste mundo, Ele existe num mundo separado e nada tem a ver com isso aqui… Este mundo aqui foi criado pelo sei “filho prodigo” que não estava feliz no paraíso divino porque não era o Deus, o qual eram seu pai e sua mãe, e por isso avisou que iria sair e viajar para terras longínquas e criar o seu mundo onde ele seria Deus. Esse filho chama-se Lucifer, o filho da Luz, que nada tem a ver com os diabos humanos que não existem. Deus, o Pai e a Mae, se entristeceram mas tinham que respeitar a vontade e livre-arbítrio do filho e apesar de saberem que ‘e impossível criar um mundo melhor do que criaram, tiveram que ver seu filho amado partir, criar e desmanchar mundos, um atras do outro, ate que já esquecido do mundo dos pais, criasse um mundo igualzinho, se assentaria como Deus e depois mesmo assim, sentir que não era feliz, que faltava algo, algo como uns pais a quem amar e sentir conforto, então ele criou os pais e pediu-lhes para sentarem-se no trono a seu lado, a sua direita e esquerda. Apenas assim foi feliz para a eternidade, enquanto no aposento de dormir dos pais e na calada da noite se ouviu a seguinte conversa:

  • ” Agora nosso filho e’ feliz… Mas tanto trabalho, tanto sofrimento, para fazer exatamente aquilo que ele tinha de graça…”
  • ” Psiu… nunca deixe-o ouvir isso. Deixe-o sem recordar as memorias de vidas passadas, do paraíso que vivia, dos pais que tinha…”
  • – ” E tem… pois ele não sabe que quando redesenhou o nosso mundo simplesmente os dois paralelos iguais se fundiram, E neste paralelo estávamos nos dois, e quando ele pensa que nos criou… na verdade apenas retornou para nossa casa. Deixe-o pensar que e’ Deus, já que nos não pensamos que somos deuses, isso de nada nos serviria. O importante e’ que todos estamos iguais como antes dele partir, agora ele esta’ feliz totalmente… e tudo se ajeitou.”

Um agnóstico como eu não gosta e não admite perder tempo com metafisicas, misticismos, mas a insistência dos humanos ao meu redor em repetirem a exaustão suas superstições, me torna incapaz de resistir a fazer uma incursão rápida no campo da metafisica e buscar coloca-la dentro de uma logica que me satisfaça o meu racional, e assim me evita ficar buscando explicações toda vez que me assediam fazendo perguntas metafisicas. Então busquei e encontrei uma logica metafisica que inclua deuses, diabos, paraísos e infernos, tudo ajeitado para caber dentro do meu racional. E assim surgiu a fabula acima. Ainda não vou acreditar nesta fabula porque sei que o meu cérebro humano não pode saber o que existe alem das fronteiras deste universo perceptível a estes meus primitivos sensores cerebrais… mas e’ uma logica errada e primitiva proporcional ao meu estado evolucionário primitivo. Esta’ tudo em casa, eu estou em paz com o mundo assim – todo errado porque construído por mim mesmo, um cara ainda todo errado – mas continuando a trabalhar incansavelmente, tentando desmanchar tudo o que ai esta, porque esta’ tudo errado, e em cima disso tentar outro modelo de mundo, ate que um dia vou construir o mundo que me satisfaça plenamente. E ai chamo meus adorados pais, e  entrego este mundo de graça para eles e digo: ” Por favor, eu não quero ser Deus. E’ muito triste, solitário, ser sozinho no mundo. mesmo rodeado de servos, pois seria o único da minha especie, não teria um semelhante com quem nem conversar.  Por favor sejam meus deuses,  pois confio em que me amam como eu vos amo, eu me ajoelho a seus pês e imploro que fiquem…”

Este povo que imagina e crê na existência de um deus único, não se conscientiza da sua maldade, a obrigar tal deus existir sob tal sofrimento. Bem,… considerando-se que o caráter deste povo criou um Jesus Cristo para tortura-lo e sacrifica-lo na cruz  assim se sentir melhor, aliviado… como a fera que mata, sacia-se, e depois vai descansar aliviada,… tudo se pode esperar. Se viemos das selvas não e surpresa que projetemos nosso caráter da herança felina na construção de nossos mártires e deuses.

Mas ainda assim não me deixo enganar assim, crendo que sou um poco de virtudes e um bom filho arrependido, dos deuses, e que daria tudo por eles, etc. Não me deixo enganar porque sei que isto e’ produto egoísta de um ego psicológico, uma outra versão do mesmo caráter desviado daqueles que criam deuses para descarregarem nele seus venenos internos inconfessáveis. E’ projeção dos meus traumas de infância. Eu perdi os pais aos 2 ou 3 anos de idade, cai’ no mundo sem nada e por isso fui escravizado ate’ pelas famílias ditas cristãs, com isso apesar de ser macho e duro na queda, de ter tido a coragem de fugir da senzala para viver solitário na selva enfrentado feras e matando o escorpião que me picou na canela, em silencio chorei todas as noites a falta dos pais que teriam no minimo me livrado da escravidão,  e com isso projeto este trauma de infância na minha metafisica criada por mim mesmo, pondo como foco central a sonhada existência dos pais. O meu mundo metafisico ideal e’ projeção de um tipo especifico de experiencia de vida, outra pessoa com outra experiência diferente deve criar para si um outro tipo de mundo ideal com outra historia logica que satisfaça seu diferente racional. Assim, toda vez que saio na rua e preciso tomar uma decisão, minha metafisica e’ esquecida, reduzida a zero e volto a ser o macaco melhorado agnóstico analisando os fatos de forma fria, calculista, real como e’ a realidade do mundo a minha volta. Este mundo real onde tem escorpiões traiçoeiros tentando me inocular seus venenos, inclusive estes venenos religiosos que visam entorpecer minha mente e me tornar escravo dócil, contra os quais tenho que me manter vigilante e armado como um guerreiro, porque acredito que deva defender a sobrevivência da minha existência porque acredito que a minha existência tem como objetivo supremo o desmanche deste mundo errado e a construção de um mundo melhor porque acredito que um dia vou conseguir acertar e fazer o paraíso onde terei meus pais… e assim percebo que no final de todas as contas, um agnóstico que não acredita e odeia a metafisica, também e’ uma mentira, so existe em função da sua própria metafisica. tanto e’ que ai atras eu repeti três vezes ” eu acredito porque acredito”… ora um agnóstico real e de fibra não acredita em nada, mas este não existe senão já teria se suicidado.

Raios, eu não consigo me entender… Mas aceito que eu não consiga me entender porque eu sou um cérebro primitivo, porem mesmo assim sou a coisa mais complexa que conheço neste Universo porem que não pode querer ou acreditar que tem uma logica impecável porque esta so’ poderia ser alcançada por um cérebro que botasse sua cabeça para fora deste universo e vendo la fora, descobrisse a final Verdade. Eu não tenho apenas que desmanchar mundos e fazer outros, eu tenho que me desmanchar a mim mesmo e fazer outros de mim, melhores e mais lógicos, mais racionais, mais de acordo com a Verdade Ultima… o que significa que eu estou todo errado, igual ao mundo.

Assim, eu tenho que desmanchar, que ” debunkar” a minha cosmovisão, a teoria da MatrixLight/DNA. Tenho que encontrar o fato, as evidências que a desmanchem, ela existe para ser desmanchada, em parte ou na sua totalidade, e por isso fico pensando nela, testando ela e falando nela para os outros, para ver se alguém aponta o fato que a derrube, assim como eu aponto os fatos que derrubam as metafisicas dos outros senão eles não me ajudam a desmanchar este mundo e fazer outro melhor. Derrubam para mim, porque para eles, os fatos apresentados não derrubam suas metafisicas, me parece que eles não querem se desmancharem e se refazerem, talvez acreditam que já são o máximo e conhecem a Verdade Ultima?…

Mas então vamos abandonar a metafisica introdutória  e entrar no assunto do titulo deste artigo, que e’ mais um inicio de mais uma tese a desenvolver.

Quando um sistema natural se fecha em si mesmo, e’-lhe impossível manter todas as partículas de energia/informação fluindo certeiras dentro de seus canis sistêmicos internos. Isto porque estas partículas são sub-sistemas que por sua vez querem ser independentes. No sistema corpo humano chamamos estas partículas de ” radicais livres”. Então o sistema existe e parece que dentro de uma ordem controlada, aos poucos e sorrateiramente partículas vão escapando dos canais e entrando para dentro do corpo, de outras partes, outros órgãos. Isto começa a desestabilizar estes órgãos, aparece o que se denomina “doença”, ou falha mecânica no sistema. A medida a que órgãos pioram, o sistema inteiro enfraquece a vigilância e controle e então cada vez mais partículas vão escapando do seus canal de escravidão como corrente continua, e vão se dispersando no espaço a volta. Isto e’ o principio do caos, da degeneração e morte de um sistema fechado em si mesmo. Eu conheci a selva, que ainda mantem as imagens das origens da vida, e la’ vi que reina o caos, portanto sei que este mundo biológico, ou seja, a Vida, e’ produto do caos… e neste sistema estelar, cuja estrela se chama Sol. Mas quando analiso o estado atual deste sistema solar ainda vejo a mecânica celeste Newtoniana funcionando e tão bem como um relógio. Então sou obrigado a sentir que este sistema estelar esta’ sendo invadido por partículas desregradas vindas de um sistema fechado maior, que e’ a galaxia. Se a galaxia esta’ em caos e’ porque fez a coisa errada de se tornar um sistema fechado em si mesma. Mas ainda talvez não. Talvez ela ainda tente por si mesma funcionar como um relógio. Talvez ela esteja sendo invadida por partículas degradadas vindas de um sistema maior, que a contem, denominado Universo. Se for assim, o sistema que produziu o Universo esta errado em si mesmo…

Se isto tudo estiver correto, o Universo esta doente. Se esta’ doente e’ porque foi feito como mundo errado. Se foi feito como mundo errado, seu desenhador inteligente ou não e’ tão inteligente ou e’ um incapaz de fazer mundos mais perfeitos. E se assim for… procuro o significado racional nisso tudo dentro dos limites empíricos e científicos, não encontro, e então deixo minha mente vagabundear na metafisica como fazem a maioria dos humanos, e me saio com a metafisica acima. Entendeu porque um assunto pretendendo ser racional, cientifico, começou apelando pela heresia da metafisica? Entendeu, meu irmão de sangue espiritual e ideias erradas em Lucifer? Mas tem nada não, vamos aguentar o tranco, porque vamos retornar ao nosso paraíso, e seremos felizes para sempre… juntos com nossos saudosos pais. Bola pra’ frente…

Assinado: “The Voice of The Everything Wrong” (A voz do Todo Errado) …