Posts Tagged ‘dimensão’

Como a Matemática salta entre os diferentes estados da luz

segunda-feira, fevereiro 27th, 2017

xxxx

Antes, os fenômenos pertinentes a relatividade geral de Einstein eram vistos separadamente dos fenômenos pertinentes ao electromagnetismo. Então Kaluza teve uma ideia. Experimentou adicionar uma nova dimensão imaginada (falava-se apenas em três dimensões, Einstein sugeriu que o tempo seria uma quarta dimensão. Então se e’, Kaluza adicionou a quinta dimensão pensando que era a quarta e sem ter ideia do que ela significaria), para calcular as equações de Einstein. E para sua surpresa, surgiram espontaneamente as equações de Maxwell, que descreviam o magnetismo (ver historia de Kaluza no link abaixo). Kaluza escreveu para Einstein que incentivou-o a publicar sua teoria, em 1921.

Quando eu calculei num gráfico cartesiano os passos dados pela evolução universal, desde o instante zero do Big Bang até o momento presente e aqui, deu como resultado que a evolução é curva, e não linear. Isto é logico e racional, pois a evolução de um tipo de sistema, partindo de um ponto, encurvando-se ate retornar ao ponto de partida, significa que o sistema evolui até seu máximo e se transformou, transcendendo-se. Então, o sistema universal que começou como uma partícula, se tornou átomo, depois galaxia, depois célula, depois cérebro, depois embrião de super consciência, e esta’ indo para seu fim, significa que todas estas formas materiais do sistema funcionaram como a placenta que se descarta e dela nasce uma transcendente forma: a superconsciência.

Suspeitei também que se a evolução for realmente curva – se os resultados no meu gráfico estiverem corretos – e sabendo-se que a evolução da matemática é linear, então chegaria a um ponto que a matemática sairia fora do caminho da realidade para se perder no reino da imaginação. Assim como a imaginação sai da realidade quando produz as misticas religiosas. Pois enquanto a linha da evolução vai se encurvando, a linha da matemática que começou paralela a essa linha, continua reta e assim, perde o bonde da realidade. De fato – penso eu que não sou matemático – acho que os matemáticos tem produzido toneladas de cálculos e equações que se tornam papeis amassados e jogados no lixo porque não encontram aplicação pratica.

Mas acontece em muitos casos que um calculo e equações que não encontram tradição pratica agora, passado um tempo, despontam acertando com a realidade. exemplos clássicos pode ser a teoria na matemática da curvatura da luz, de Einstein, que depois mais tarde foi comprovada por um experimento, a ideia da antimatéria de Dirac, até a quântica de Plank. Isto significa que a reta linear da matemática que saiu momentaneamente da sintonia com a linha curva da evolução, de alguma maneira, também se encurvou e retornou a se emparelhar com a evolução, re-embarcando no bonde la na frente.

Esquisito! Porque isso acontece? Como? Como encurvar a logica linear da matemática? A resposta esta na… luz!

Nos somos quase cegos, mudos, surdos, insensíveis. Pois o mundo total se expressa na sua inteireza apenas quando e’ observado por uma visão que vê as sete frequências do espectro eletromagnético, cujo conjunto eu digo que é ( mas posso estar errado) uma onda de luz natural. Não luz estelar, que é uma segunda forma mais grosseira da luz, e sim aquela ou aquelas ondas de luz emitidas com o Big Bang. E nesta figura esta a interpretação de uma onda de luz segundo a Matrix/DNA:

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

São sete faixas de luz necessárias para se ver qualquer objeto material na sua inteireza, mesmo que seja uma pedra. Porem, nos só vemos uma faixa – a chamada faixa da luz visível – por enquanto. Ajudados por alguns instrumentos tecnológicos que funcionam como extensões da nossa visão biológica, vemos sombras, contornos, de algumas coisas, mostradas pelas duas faixas vizinhas, a da direita e a da esquerda. Mas não percebemos esta alguma coisa apenas em relacao a visão, estes objetos nos estão ajudando a sentir o tato, a ouvir estas coisas também. Estamos percebendo diferentes estados vibratórios dos objetos, ainda ocultos aos nossos cinco sentidos. Então nossa inteligencia se ocupa destas sombras e contornos e elabora teorias. Sobre o que existe nas dimensões das faixas vizinhas.

Um dos métodos de elaborar estas teorias avançadas é justamente a matemática. Existem outros, tal como o que apliquei para elaborar a teoria geral da Matrix/DNA, que é uma tateação cega dos aspectos biológicos invisíveis dos objetos. Se estas teorias não alcançam a evolução do conhecimento humano até chegar onde elas chegaram, la’ na frente, os autores morrem sem saber se são validas ou não. Se algum novo conhecimento prova que os cálculos da teoria estão errados, ela vai para o lixo. Mas se algum experimento ou descoberta nova lembra equações teóricas, a matemática retorna a pauta do dia. Então, de alguma maneira, o autor da equação adicionou algo novo na sua teoria, algo inusitado, fora da linha normal do pensamento escolar, algo que encurvou a matemática. Acho que a ideia maluca do Dirac sobre raiz quadrada negativa, ou do Einstein de que a energia é apenas massa acelerada, deve ser exemplos destas adições encurvadoras, que fazem a matemática dar um salto saindo da realidade aqui e agora, mas entrando no reino abstrato da imaginação humana, para se retornar a realidade anos, ou seculos depois,

Então, a ideia do Kaluza seria mais um exemplo disso. Quando ele publicou suas equações, ninguém lhe prestou muita atenção, principalmente porque na época as cabeças pensantes do ramo estavam interessadas na teoria quântica. As equações de Kazula foram retiradas das prateleiras dos porões empoeirados das bibliotecas quando emergiu a teoria das cordas. Pois aqui Kazula se encaixava na realidade – ao menos na realidade provável sugerida pela teoria das cordas. mas o que acho mais admirável em Kaluza é que ele foi o primeiro humano a pensar – ao menos o primeiro a publicar este pensamento – que o nosso mundo seja composto de mais dimensões do que as três que ordinariamente percebemos. Ora, ele estava prevendo o que agora descubro estar embutido na onda original da luz.

A ideia de Kaluza era arrojada e bizarra na época, mas apenas isso, pois parecia não ter nada a ver com o mundo em volta de nos. Mas esta particular ideia – embora ainda não sabemos se esta certa ou errada – teve um enorme impacto na Física do ultimo seculo e continua a guiar muito da pesquisa de ponta.

Dentro destas sete faixas da luz, existe a divisão em sete micro-faixas, penso eu. Então, a percepção de fenômenos como a gravitação universal, a curvatura da luz, etc., mais atinentes a relatividade geral, seria uma destas microfaixas.  E o electromagnetismo estaria numa outra microfaixa, não vizinha da relatividade. O que Kaluza fez foram as equações pertinentes a microfaixa situada como elo entre as duas. Sensacional. Assim como o meu método me levou a produzir o modelo teórico do elo entre a evolução cosmológica e a biológica.

Nos temos que fazer todos os esforços possíveis para acelerar o desenvolvimento dos nossos cinco sensores naturais e fazer emergir mais alguns. Exemplo clássico é a antena externas dos insetos capaz de detectar algo dos campos magnéticos que no nosso cérebro esta atrofiada no interior do cérebro a ponto de se tornar um mero caroco – a glândula pineal. Temos que continuar a forçar o desenvolvimento tecnológico dos instrumento s de percepção, como Galileo fez ao pegar o instrumento óptico mais potente da época – uma simples luneta – e ficar polindo, engrossando, experimentando, na tentativa de aumentar o poder da lente. A recompensa vem, como veio para ele, ao ser o primeiro homem da historia a ver coisas no céu que seus vizinhos jamais imaginaram. E temos que respeitar e guardar qualquer nova equação, por mais absurda que seja, nunca deita-la ao lixo, pois ela pode estar cem anos a nossa frente, e com ela, podemos reduzir estes cem a cinquenta. As vezes a matemática rígida é tao saltitante como uma cabrita. Mas estes saltos são ótimos para acelerar a evolução da nossa vindoura superconsciência.

https://en.wikipedia.org/wiki/Theodor_Kaluza

 

 

Espetacular Video sobre a Divisão Celular, revela também a Posição dos Seres Vivos entre Diferentes Dimensões

sábado, junho 11th, 2016

xxxx

https://www.facebook.com/biologicasemacao/videos/1130516543635328/

E possível ao ser humano, com seu atual estagio de inteligencia, encontrar respostas para as antigas perguntas do ” quem somos?”, “o que somos?”, “para que e porque estamos aqui?” Eu encontrei mas não vou dar as respostas, pois elas so serão acreditadas se a pessoa encontra-las por si própria. Existe um método de pensar, raciocinar, que nos leva de encontro as respostas aquelas perguntas, o que vou fazer e’ explicar este método. Vamos começar com uma analogia:

Em um oceano muito grande existem duas ilhas, uma ao norte e outra, a milhares de quilômetros, ao sul. De repente nossos satélites informam que as duas ilhas estão se mexendo, se transformando. Depois de algum tempo, uma ilha se tornou uma fechadura e a outra, uma chave. Então as ilhas começaram a se moverem uma na direcao da outra e… a chave encaixou perfeitamente na fechadura!

Raios! Inacreditável! A primeira incógnita ocupando a cabeça dos humanos sera’: quem fez isso? E porque se perguntara’ quem fez isso? Porque sera’ evidente a todos que as ilhas não fizeram isso por si mesmas. As ilhas não tem inteligencia e não se comunicam para planejarem uma atuação visando um objetivo comum `as duas. Esse objetivo comum tem que ter vindo de um terceiro, oculto elemento.

Seria inacreditável, porem isso esta ocorrendo a todo momento na Terra e debaixo de nossos narizes. Quando um feto tem 3 meses ele não tem a genitalia sexual. São todos iguais, não se pode dizer que um e’ feminino e outro e’ masculino. Porem depois cada feto se desenvolve para um lado sexual. E um baby nasce na America do Norte como uma mulher ( a fechadura) enquanto ao mesmo tempo outro baby nasce na America do Sul como homem ( a chave). Tanto que em todas as populações, o equilíbrio entre números de machos e fêmeas e’ comum, e ninguem sabe explicar como os genes produzem estes números iguais. Ora, fetos não se mexem e desenvolvem aparatos sexuais por si próprios e muito menos aparatos que vão ser a metade exata complementar de outro feto que ele  não sabe existir. Isto foi feito por alguém escondido, oculto, um terceiro elemento, com certeza. Mas quem?

No caso sexual, a universal dicotomia entre opostos simétricos ocorre a olhos vistos. E sabemos a causa dessa dicotomia: aconteceu que a primeira célula, o primeiro ser vivo era hermafrodita, continha os dois sexos. depois este organismo se dividiu, ficando cada parte com um lado do sexo. Como o hermafrodita era um organismo de um único tamanho, peso, etc., e’ claro que suas partes sexuais tinham as mesmas dimensões, ou seja, eram perfeitamente complementares,. E essa complementaridade passou para os herdeiros divididos. Então aqui o mistério foi resolvido, o elemento oculto que tinha o plano da transformação e complementaridade foi o antepassado hermafrodita.

Mas existe um outro caso onde isso tambem ocorre… todo mundo o conhece. Porem, ninguém la fora desta sala sabe quem e’ o terceiro elemento oculto. So o descobrimos depois da formula da Matrix/DNA. Em dado momento, dentro do núcleo de uma célula, uma especie de linha chamada cromátide, começa a se transformar, a se espiralizar. Para um observador vivendo no oceano nuclear, aquilo não faria sentido, afinal, esta se espirilarizando para que? Porem, ao mesmo tempo, muito distante do núcleo ou ilha celular, tem outra ilha que tambem começa a se transformar. E’ o centríolo. De repente ele começa a desenvolver tentáculos, chamados de fusos. Outro observador ali por perto tambem ficaria sem entender nada.

Mas passa-se algum tempo, estas duas ilhas começam a se moverem uma na direcao da outra, os fusos agarram uma haste e puxam-nas separando em duas, que serão a razão dos organismos se reproduzirem, crescerem e reporem células perdidas, um fundamental e muito importante objetivo comum aqueles dois corpúsculos.  Ora, centríolos são meramente um punhado de átomos, eles não tem a menor inteligencia, atuam automaticamente. O mesmo acontece com os cromossomos. Um não tem a menor consciência da existência do outro. Então, quem foi o terceiro elemento oculto?

Hein?!

A resposta a este mistério vai elevar o ser humano `a capacidade de encontrar no Cosmos – num nível de tempo e de espaço na escala astronômica – talvez 70 ou 80% da resposta aquelas perguntas de ” quem somos?”, ” o que estamos fazendo aqui, para onde vamos?”

Pois vejamos.

A dez bilhões de anos atras, começou a se formar no espaço celeste, esta galaxia denominada por nos de Via Láctea. Existia uma nebulosa esparsa de átomos. Devido a rotação de outras galaxias e talvez do Universo, esta nuvem de poeira e detritos começou a girar em si mesma. Isto fez com que aparecesse no centro uma especie de ralo, ou rodamoinho, como forma a água rodopiando na pia. Com o tempo, este tornado foi se ampliando de maneira que toda a nuvem era um so rodamoinho. Mais algum tempo, e este cone espiral foi se dividindo internamente em dois cones – o cone central e o cone formado pela região periférica – devido ao jogo de forças centrifuga e centrípeta do sistema, e as linhas circulares ou forças desse rodamoinho se quebravam, separando-se formando uma especie de aranha com pernas, ou tentáculos. Ou seja, a forma da galaxia hoje com seus bracos espiralados. Mas podemos dizer que hoje a espiral, o ralo esta no centro, enquanto a sua volta estão os… fusos. O mais interessante que e’ que da interação entre a periferia com estes fusos e outros elementos e o centro com seus elementos produzem tambem a reprodução, ou auto-reciclagem, das galaxias. Portanto, vemos um único processo ocorrendo tanto numa célula como numa galaxia, e nos dois casos o processo tem a mesma finalidade. Claro, pela logica tinha que ser assim.

Acerca de 3,5 bilhões de anos atras, essa galaxia atacada pela entropia começou a se fragmentar e radiar seus bits-informação que cairão na superfície de planetas como a Terra. Estes bits trabalharam como genes tentando reconstruir ou reproduzir o sistema de onde vieram, a galaxia. Porem, aqui era tudo diferente do espaço celeste e a galaxia se saiu na forma de uma célula viva. Isto tudo esta’ detalhadamente explicado neste website.

Nos viemos – o DNA veio – de um ancestral que tem a imagem de algo espiralado no centro e envolvido por fusos que puxam esta espiral devido a força centrifuga do núcleo que ao alcançar o cone periférico se torna uma força centrípeta.  O jogo entre estas forças se torna a homeostase, o equilíbrio do sistema. E’ a mesma cena que vemos acontecendo entre as cromátides e os centríolos. Então quem foi aqui neste caso, o terceiro elemento oculto? Novamente, foi um nosso ancestral. Centríolos e núcleos celulares podem ser um mero punhado de átomos, separados, porem fazem parte de um único e mesmo sistema, um sistema celular, a identidade abstrata dos sistemas que coordena os movimentos complementares de suas partes internas. Mas sabemos que um mero estupido sistema celular não teria se inventado sozinho e com toda essa complexidade. E para que pensar e apelar a magicas, quando agora conhecemos o sistema ancestral do celular, e como os dois se assemelham em quase tudo? No céu existem partes da Matrix/DNA na forma espiral nos núcleos, e fusos nas periferias, também. Ai esta’ o elemento oculto.

Um detalhe a ser lembrado aqui e’ que esta nova maneira de ver a coisa toda esta’ sugerindo que dentro de uma célula existe um campo de forças e uma identidade abstrata de sistema que atuam na reprodução celular, como sendo um campo eletro-magnético semelhante ao do planeta. Nosso atual conhecimento cientifico nada captou disso, não tem conhecimento desta dimensão de eventos dentro das células. Por outro lado temos doenças milenares que continuam incuráveis, sendo produzidas por defeitos nas operações destas células, ou do organismo inteiro como sistema. Estes elementos sendo apontados agora estão envolvidos no fantástico fenômeno de um corpúsculo se transformar ao mesmo tempo que outro para os dois atingirem uma meta comum futura. Estão envolvidos nas raízes mesmas destas doenças. Então não se admire que ate agora estas doenças não foram definitivamente eliminadas. Ainda existem elementos desconhecidos pela Ciência dentro das células.  Mas a formula da Matrix/DNA nos fornece agora um mapa muito mais nítido da célula. Com um mapa melhor, estaremos melhor equipados para localizar o que precisamos.

Com isso a mente humana deu um salto gigantesco na direcao das respostas a suas questões existências. Ja não e’ mais ” quem somos’, de onde viemos”, etc., limitando esta pegunta a um individuo existindo aqui e agora. A Ciência já andou ampliando essa pergunta para ” o que e’ a vida, de onde ela veio, para onde vai?”

Agora já não faz mais sentido perguntar o que e’, de onde veio, para onde vai,… os corpos humanos, ou a vida. Agora estas perguntas se aplicam a “sistema, natural”. E não são perguntas aplicadas a quem são ou o que são todos os sistemas naturais. As perguntas se aplicam a um único ” sistema natural”. Um sistema que começou com o Big Bang, passou pela forma de átomo, de sistema estelar, de galaxia, de vegetal, de réptil, de humano e agora esta entrando na forma de auto-consciência. Não interessa que em cada uma destas formas ele se multiplicou em muitas copias, formou especies, etc. O que interessa e’ que neste Universo esta existindo um único sistema “universal”, que esta evoluindo sob as regras do ciclo vital, tal como nossos corpos passaram por varias formas – desde a forma de morula, blastula, feto, criança, adulto, etc. E nos humanos, ao menos aqui nesta região do Universo e nesta idade do Universo, somos a forma ápice, a mais evoluída deste sistema universal. Foi ou não um gigantesco salto na direcao das respostas finais? E nossa inteligencia avança-se para ainda mais proxima da resposta ultima quando percebemos que todo este processo pelos qual tem evoluído este sistema universal e’ semelhante ao processo que ocorre nos 9 meses da gestação de um ser humano. Neste Universo esta’ ocorrendo meramente um processo de reprodução genética – ou computacional, que e’ quase a mesma coisa – e esta’ sendo reproduzido aquilo ou aquele – ainda desconhecido – sistema que existia antes e alem deste Universo, e o gerou. As galaxias que vemos no espaço sideral preenchendo este Universo não deve ser muito diferente da cena que veriam micróbios inteligentes situados dentro de um ovo ou saco embrionário e observando a placenta.

Então já temos quase certeza, podemos dizer mesmo que já sabemos, para onde vai esta ultima forma deste sistema universal, que ‘e a auto-consciência. Ela veio do dia do Big Bang e vai nascer no dia do Big Birth para ser o filho, a filha, daquilo ou daquele que esta alem deste Universo. Claro!

-” E’,… mas isto não ajuda muito em termos de esperança para nossas vidas. Pois todos vamos morrer e então de que nos vale saber que la no futuro ma forma que veio de nos e’ quem vai viver eternamente…”

-” Hummm… Quando você estava na forma de morula, você morreu para se tornar uma blástula? Na forma de criança, você morreu para se tornar um adolescente? Ou a morula estava viva dentro da blástula? A criança estava viva dentro do adolescente? Assim, o sistema universal que agora e aqui esta’ na forma deste feto de auto-consciência e ele e’ você, nunca morreu nestes 13,7 bilhões de anos… a qual e’ a sua idade real.”

-” Assim já esta melhor, porem ainda fica um resquício de duvida. Toda a logica do mundo não e’ suficiente para me fazer ver eu como este sistema universal, e nada ha’ provando que nossa morte como humanos não seja a morte definitiva…”

-” Então vamos tentar se por outro lado você consegue ver. Na fase da embriogênese, todo feto ou embrião humano começa a manifestar a consciência nos sete ou 8 meses, depois que o cérebro esta formado, certo? Mas sera que cada embrião humano inventa, cria por si mesmo, esta coisa denominada ” consciência”? Segundo a moderna neurologia materialista, seria mais ou menos isto que ocorre, pois eles acreditam que não existe esta coisa de mente, consciência, que tudo não passa de circuitos químicos-elétricos produzidos pelo cérebro humano. Mas, voltando ao feto… Foi o seu cérebro que criou, produziu esta faculdade de consciência pela primeira vez na historia do Universo? Ou já existia antes dele a consciência em algum outro lugar, fora do seu pequeno universo intra-oval? Claro que sim, sabemos que alem de seu pequeno universo existia e existe a especie humana e com ela existe a consciência. Então como e’ que a consciência existe agora dentro do cérebro do feto isolado dentro de seu pequeno universo e ao mesmo tempo existe fora de seu universo? Sem nenhum contacto entre as duas? Ora, a resposta e’ que a consciência já existia no primeiro instante da fecundação, ela sempre esteve presente em todas as formas anteriores do feto, desde a primeira célula, da morula, da blástula, ela estava la’, oculta, apenas em estado potencial, esperando a evolução aprontar  a forma adequada de cérebro para ela florescer e vir `a luz do mundo.

Mas vamos agora falar do Universo dentro do qual estamos. Ele e’ gigantesco, suas escalas de tempo e espaço são enormes, inimagináveis para nos.  Sete meses da nossa existência corresponde a 13,7 bilhões de anos do Universo. E’ nesta idade dos universos que a evolução apronta o feto do sistema universal para iniciar a manifestar a sua forma de consciência. Como já disse o famosos guru a milhares de anos atras: ‘ A alma dormia nos átomos, sonhava nas galaxias, começou a acordar nos vegetais, a despertar nos animais, para começar a levantar-se no homem…”

-” Agora sim, a logica e’ incontestável. Porem não foi isso que o guru disse. Ele falou que a alma dormia nos vegetais, despertou nos animais…”

-” Porque nos hoje sabemos muitas coisas que ele não sabia, como sobre átomos, DNA, galaxias. Então agora tivemos que expandir a sua fala, amplifica-la para as dimensões universais. E’ assim que vamos explicar a coisa mais complexa que existe no mundo, que e’a resposta final aquelas questões. Se o guru não disse a coisa completa, agora estamos dizendo,… uai “.

Mas vamos continuar com mais surpreendentes exemplos nesse método de raciocinar, que vão nos levar ainda mais perto das sagradas respostas, agora melhor ajudados por um video.

Entendendo o significado universal de cada cena vista aqui.

Por exemplo, observe quando as duas forças laterais de estrias marrons puxam as duas cordas roxas, separando-as. As cordas formam uma especie de parede e no meio fica um espaço vazio. Porque e para que a natureza faz isso, essa tal de meiose, mitose, etc.? E’ para emparelhar, misturar, cada informação que vem do pai com a mesma informação que vem da mãe, e assim produzir um filho que seja um meio-termo entre os dois. O DNA so pode ter duas hastes e não três ou quatro. Então como fazer um DNA contendo todas as informações vindas de dois DNAs, sem  aumentar tamanho, volume, etc? Não se poderia adicionar a cada trecho do DNA do pai um trecho do DNA da mãe, pois isto resultaria num DNA defeituosos com mais hastes. Então a solução inteligente foi, primeiro duplicar as informações de um DNA. Assim, no caso da espécie humana, as células normais possuem 46 pedaços do DNA, chamados cromossomos. Mas quando ocorre a fecundação, 23 cromossomos presentes no espermatozoide juntam-se com os 23 cromossomos presentes no óvulo, pelo que os 23 cromossomos do espermatozóide são homólogos aos 23 cromossomos do óvulo.
Então o que a Natureza faz e’ separar um DNA em suas duas hastes e colar em cada uma outra haste vinda da mãe. De um lado, uma parede, seria o masculino, do outro, a outra parede seria o feminino. Mas note que o trabalho que constrói o novo baby se da’ apenas no espaço entre as duas hastes, feito pelas moléculas citosina, timina, etc.  A molécula que fica fixada formando as hastes são apenas o depositário da memoria, guardando os resultados do trabalho efetuado no espaço central. Em outras palavras, os eventos biológicos ocorrem como um fluxo avançando pela avenida entre dois muros.  
Este processo e esta mesma cena revela a situação da vida biológica como uma dimensão especifica, com sua frequência e vibração tipicas, existindo no meio de duas outras dimensões com vibrações diferentes, sendo um lado com vibração nais forte e o outro com vibração mais fraca. Assim o mundo que nossos sensores cerebrais percebem, a unica faixa de luz que vemos, e’ apenas uma dimensão entre outros mundos com outras faixas de frequência/vibração. A nossa biosfera significa apenas mais onda circular das outras seis deste planeta, um a onda circula que rodeia a superfície da Terra e tem apenas uma faixa de alguns metros de largura.
Tambem esta cena de um corredor vazio entre duas paredes e’ a mesma cena revelando a avenida curva em volta do Sol por onde orbita nosso planeta. Isto porque o Sol emite radiação em ondas circulares e cada onda tem sua vibração especifica, então os planetas que cada qual tambem tem uma vibração especifica diferenciada dos outros, se alinha na onda adequada e com isso não se perde no espaço. Observamos assim que ” o que vemos embaixo, aqui e agora, inclusive a nível microscópico, e’ igual ao que acontece em cima nos tempos/espaços maiores da historia cósmica universal.” Foi com essa intuição, projetando o que sabíamos aqui e agora sobre o que não sabíamos dos átomos, galaxias e universo, que descobri a formula da matrix/DNA e re-escrevi a historia universal, na qual emerge um significado e um futuro sublime para nossa existência. Nos somos uma ponte entre duas realidades, uma perigosa travessia. Não nos ‘e permitido saltar para uma dimensão de vibração superior enquanto não tiver-mos o corpo e a consciência física adequada para suporta-la. Mas podemos errar em nossa missão de vida nos acomodar num falso paraíso nesta atual dimensão, quando então pode acontecer o que ja aconteceu com todas as especies que foram por este errado caminho, como dinossauros, leões, baleias, águias, são becos sem saída que fecharam as portas da evolução para si mesmos.
xxxxxxxxxxxx
 
No nosso Facebook e website somos chatos, não publicamos assuntos de futebol, esportes, relacionados a sexismo, etc. Apenas assuntos que sentimos são necessários para o conhecimento elevar a consciência uma forma transcendental, pois quem não evolue mentalmente não tem futuro, por mais rico e posses materiais que obtenha.
Este video revela as imagens de como ocorrem importantes processos a nível microscópico dentro das cellulars. Para quem não e’ profissional em Biologia ou Bioquímica, a voz da apresentadora estraga tudo, pois ela nada explica quando fala o linguajar técnico com nomes e palavras desconhecidas fora do meio especializado e os assistentes tem sua atenção desviada para captar nomes e jargões técnicos perdendo a atenção no evento de fato. Para ajudar teria o link abaixo de um artigo sobre o processo, mas também na verdade ao invés de ajudar atrapalha mais ainda pelo mesmo problema de fazerem uma confusão de jargões técnicos que acaba impedindo que o não-profissional entenda e memorize o processo.

Etapas da mitose: I ao III prófase, IV metáfase, V e VI anáfase, VII e VIII telófase.

A Física Declara: Não Existem Outras Dimensões Sonhadas Pelos Místicos. Estamos Condenados à Solidão Eterna. Será?

sábado, abril 7th, 2012

Todos nós estamos tendo nossos pensamentos voltados a todo tempo para a procura de dinheiro, satisfação das necessidades materiais e consumo da enorme gama de atrativos para divertimento. Porem, uns menos, outros mais, não conseguem evitar aquêles momentos de pensamentos voltados para o mistério das existências das coisas do mundo e as indagações sôbre a nossa própria existência. Estamos nos comportando como uma boiada cega em louca disparada mas a Natureza nos faz às vêzes parar, fazer uma pausa, colocando obstáculos, rios a atravessar, noites de insônia quando o pensamento é convidado a tentar enxergar horizontes mais alem que o usual imediatismo.

Como estivemos lidando apenas com o imediato, correndo apenas dentro dos vales estreitos, não subimos às montanhas à margem dos vales para tentar enxergar mais longe, nos situar e pensar em nosso estado existencial, então naquêles momentos de pausa nossa memória corre a tentar se lembrar do que foi lido rapidamente numa manchete ou visto superficialmente nas telas de uma televisão quando os excêntricos e anormais homens dos picos das montanhas relatam o que estão vendo em horizontes desconhecidos.

Êstes formadores de mentalidades e visões de mundo costumavam serem os ascetas religiosos, mas perderam espaço para os cientistas. São êles quem, agora, como se estivessem nas montanhas gritando em megafones e mal ouvidos pelas pessoas da caravana ruidosa que corre disparada pelo vale, informam o que existe e o que acontece nas regiões à frente, e assim, bem ou mal vão tentando orientar a Humanidade para se dirigir pelos melhores caminhos. O que os cientistas precisam se conscientizar é que isso envolve muita responsabilidade, pois estão determinando, de certa forma decidindo, o futuro não só dêles próprios, como o de seus filhos e próximas gerações. Foram os cientistas que gritaram alertas para o aquecimento global nos aguardando depois da curva do vale e são êles que estão revelando as imagens que vêm desde seu ponto situado fora da caravana sôbre nós. Mas cabe a nós, normalmente simples mortais empurrados ao sabor da caravana e das trilhas dos caminhos, se vamos ouvir seus conselhos e nos inclinar em alguma direção tentando influenciar o destino da caravana, ou simplesmente ignorar tudo o mais e simplesmente continuar sendo levados pelas fôrças das circunstancias e necessidades animalescas. E são as manchetes pregadas pelos repórteres nas paredes rochosas dos vales estampando as ultimas palavras proferidas nos megafones que, nêstes momentos de pausa respiratória para os nossos pensamentos, influenciam inconscientemente nossos comportamentos quando encetamos diuturnamente nossa jornada desvairada. O que ainda mais realça a responsabilidade dos homens dos altos das montanhas, mesmo os profetas não cientistas que ainda conseguem terem suas palavras nas manchetes, como o Papa, o Dalai Lama e outros como Depak Chopra, o qual diz estar vendo imagens de uma consciência cósmica subjazendo tôda a matéria do Universo.

Nesta noite quando o cansaço me venceu e fiz a loucura de diminuir a minha velocidade na vanguarda da caravana, pois assim vou perder dinheiro, e caí na cama sem sono imediato com o pensamento se libertando do corpo animal e pensando em si próprio, me veio à mente a ultima leitura feita num trajeto do trem do Metrô. Trata-se do artigo:

Particle accelerators’ search for nature’s hidden dimensions comes up empty
Tradução? – A Busca no Acelerador de Partículas pelas Dimensões Ocultas na Natureza Retorna Vazia.

Por: Chris Lee

ARS TECHNICA.COM – NEWS/SCIENSE

http://arstechnica.com/science/news/2012/04/search-for-natures-hidden-dimensions-continues.ars

Pensando bem, existe uma mensagem existencial tão profunda no artigo que se agarrou ou se infiltrou no meu subconsciente de maneira que não conseguí afasta-la ao alienar-me no meio do espirito imediatista da caravana nos ultimos dias. Esta mensagem é incomôda como um jato de água fria nas minhas inconfessáveis esperanças que me fazem sonhar que serei algo importante no Universo. O artigo começa dizendo:

“… the people who run the CMS detector at the LHC have just released their most recent results. Apparently, if there are extra dimensions, they haven’t been hiding anywhere the LHC can find them. To add to the misery of extra dimension hunters, the data from Fermilab’s D0 collaboration has also been used to not find extra dimensions…)
Tradução? Algo como: “…as pessoas que operam o Detector CMS do LHC acabaram de comunicar seus mais recentes resultados. Aparentemente, se existem extra-dimensões, elas não têm estado se escondendo em algum lugar onde o LHC pode acha-las. Para acrescentar ao infortunio dos caçadores de extras dimensões, os dados provenientes da colaboração do DO do Fermilab tambem não indicam a existência de extra-dimensões…”

Hein?! Somos meros animais melhorados e com uma mente solitária no Universo, caminhando para lugar nenhum? Mas nem mesmo o mundo do fantasma Gasparzinho, nem ao menos o purgatório das almas penadas? Que noticia deprimente!

Ainda bem que conheço a teórica cosmovisão da Matrix/DNA alem da téorica cosmovisão dos Físicos, pois ela ainda me alimenta estas esperanças, interpreta diferente os resultados do LHC e pode ser que ela esteja mais certa. Antes de nossa análise disso sob a luz dos modêlos e fórmula universal da Matrix/DNA, vamos mencionar mais alguns trechos importantes do artigo:

“…they have now eliminated a large range of possibilities when it comes to hidden dimensions, which puts some limits on the imagination of string theorists…)
Tradução? – “…êles eliminaram uma ampla gama de possibilidades em relação a dimensões ocultas, cujos dados impõe limites à imaginação dos teóricos adeptos da Teoria das Cordas…)

“The two detector teams looked for the same signature of extra dimensions using the wave-like nature of particles. Every particle has a wavepacket, which is the wave-like nature of a particle that is confined by the particle’s mass and motion to a region surrounding the particle’s current location. When a particle is confined in a box that has dimensions about the same size as its wavepacket, the reflections of the waves from the edges of the box will interfere. This interference pattern means that the particle will only be found in certain places and with certain energies. If there are extra dimensions (such as in string theory and some other ideas), then the wavepacket should extend into those. If a dimension is curled up on itself, then it will act a bit like a box: any wavepacket that is longer than the dimension will also interfere with itself. Since the particle will only exist in places the wavepacket constructively interferes with itself, only certain particle masses are permitted.”

Tradução? – ” As duas equipes dos detectores procuraram pelos sinais de extra-dimensões usando a natureza no estado de ondas, das particulas. Cada particula tem um pacote de onda. o qual é a natureza ondulatória de uma particula que é confinada pelo movimento e pela massa da particula a uma região nas redondezas do local onde se encontra a particula. Quando a particula é confinada numa caixa que tem as mesmas dimensões de tamanho do seu pacote, os reflexos das ondas desde as margens da caixa vão interferir no espaço à sua volta. Êste padrão de interferencia significa que a particula irá ser encontrada apenas em certos lugares e com certas energias. Se existem extras-dimensões ( tais como sugeridas pela Teoria das Cordas e outras idéias), então o pacote de ondas deveria se estender a elas. Se uma dimensão é espiralada ou curvada sôbre si mesma, então ela atuará como uma caixa; qualquer pacote de onda que for maior que tal dimensão irá interferir tambem em si mesma. Desde que particulas sómente existem em lugares que o pacote de ondas interfere construtivamente consigo mesmas, sómente particulas com alguma massa serão permitidas…)

Bem… você entendeu? Eu, como o ignorantão em Fisica das Partículas que sou, mas por ter sido metido a bêsta de elaborar uma teoria que mexe com tudo, vivo trombando com esta disciplina e tendo que expremer os miolos buscando entender tudo e sózinho. O que entendí, muito resumidamente, é que de um containner contendo uma particula saem reflexos de ondas que deveriam revelar a presença de alguma coisa, de outras particulas ou pontinhos, que constituissem alguma coisa invisivel nas imediações do container. Isto revelaria que existe um outro aspecto do mundo onde ocorrem eventos aqui mesmo próximo a nós, mas que nem nós nem nossos poderosos tentáculos sensoriais cientificos somos capazes de detectar. E a experiencia com os instrumentos cientificos mais modernos que possuímos, os quais teriam que forçosamente revelar tal dimensão, revela que ela não existe, que o espaço que nos parece vazio, é de fato, vazio. Se estou errado, por favor me corrija, pois preciso levar essa história da Matrix avante com seriedade a qual depende do correto conhecimento da Natureza.

Qual o efeito de tal noticia em seus pensamentos? Para mim são péssimos. Ela sugere que nada mais sou que um mero macaco melhorado, uma verruga incongruente que nada tem a fazer no Universo. Esta noticia é um banho de água fria na minha esperança de ter agraciado com a imortalidade. A revelação de que o mundo frio, mecânico, ao sabor do acaso, sem sentido ou significado existencial, que captamos com nossos sensores, é tudo o que existe. Adeus imaginações de mundos de espiritos irmanados vivendo em paraísos ao redor do trono de Deus: suas dimensões nunca existiram, apenas em meus sonhos.

Mas… espera aí. Quem está dizendo, quase mesmo afirmando, que não existem outras dimensões? O método da busca de conhecimentos da Natureza denominado “Flisica Cientifica”. É o mais concreto e real método que nossa debilidade humana conseguiu na busca do conhecimento da Natureza primitiva e bruta, mas êle tem se revelado capaz? Eu tenho pensado ultimamente que não, e vou explicar porque recorrendo a uma imagem, a uma analogia:

“Imagine que você está fora do planeta Terra, dentro da Estação Espacial internacional. Dentro dela foi criado um viveiro que imita as condições atmosféricas terrestres, onde até as plantas conseguem germinar e crescerem normalmente. Numa bela madrugada de insônia você se senta num ponto que à sua frente esteja a enorme janela de onde vês ao longe o nosso planeta azul, e ao seu lado vês o viveiro. Dentro do viveiro existe uma planta que apresenta na ponta dos galhos umas espécies de caroços esféricos, duros, marrons. Seus olhos zigue-zagueiam ora focalizando o caroço na planta, ora o planeta azul. A certo momento você está dizendo aos seus botões: “É tudo caroço!” Passas horas ali, e vês o caroço da planta começar a estalar, as cascas se abrem como um leque, aparece uma flor branca que abre suas pétalas. Enquanto isso o planeta azul que se parece um caroço ao longe, continua como estático, inerte, no meio do espaço sideral. Então te lembras que na superficie da Terra está ocorrendo um borbulhar de vida, uma turbulencia de movimentos, transformações, nas selvas, nas cidades. Em muitos lugares flôres estão se abrindo, desabrochando, bebês estão nascendo. Do seu ponto no espaço, nada disso podes ver, apenas o distante, quase esférico, frio bólido massivo quase inerte, eterno planeta. E uma pergunta aflora à sua mente:

– “Como isto foi possível? Como aconteceu as origens dessa cena incrivel de vida na superficie dêsse corpo sideral inconsequente, inconsciente?! Que parece estar apenas ao sabor das fôrças fisicas dentro do Sistema Solar, o qual é outro corpo frio, inerte, mecanico?! Não, não é possivel explicar isso racionalmente. A pura e natural longa cadeia de causas e seus efeitos que se tornaram as causas dos efeitos seguintes, que veio desde o Big Bang há 13,7 bilhões de anos, deu aqui um salto evolutivo irracional! Algo mais tem que existir no mundo, algo invisivel, imperceptivel aos meus sentidos e modernos instrumentos cientificos, algo atuando na matéria para ser possivel explicar a existência da biosfera terrestre. Não estou sendo mistico nem apelando para algo sobrenatural: o fato nu e cru é que tem de haver êsse algo oculto. Algo que ou veio de fora dêste sistema astronomico ou estava aqui mesmo sorrateiramente infiltrado no meio da matéria que moveu esta matéria do planeta durante êste salto evolutivo. O que será êsse “algo”, meu Deus?”

Seus olhos vão da flor que recente desabrochou para o distante e silencioso bólido azul no espaço. Foi a Terra sózinha que produziu isto tudo? Então ela contem em si êsse algo misterioso? Foi o sistema solar que atuou por completo na superficie da Terra? Então essa força, êsse algo, está infiltrado e contido dentro do sistema solar? Terá vindo da galaxia? Do Universo? Ou de algo alem do Universo?!

Seja qual for a resposta, você, como astronauta, exímio conhecedor de todos os dados colhidos pelo método da Física, está observando o planeta Terra como os cientistas no laboratório estão observando a particula. Igualmente de dentro do planeta, do seu nucleo ferroso, vem fôrças magnéticas que são projetadas para o espaço. Com uma magistral diferença. Você tem certeza que existe uma outra dimensão de fenômenos naturais no espaço à volta da superficie do planeta, mesmo sem estar vendo-a: é a dimensão onde a matéria se organiza pelos processos biológicos, diferentes dos processos mecanicos e magnéticos na dimensão dos planetas. E os cientistas observando a particula no laboratório estão afirmando que não existe outra dimensão de fenomenos naturais no espaço à volta da superficie do container da particula. Mas êles estão procurando certo? E se as forças que se refletem das particulas caem numa dimensão da matéria organizada de forma diferente das particulas? Como acontece sob nossas vistas na Terra?

Entendeu o que eu queria dizer? O que está se passando nos meus pensamentos esta noite lá nas profundezas do meu cocuruto? Você acha que estou com a razão ou mais por fora que umbigo das meninas que usam mini-blusa?

Diga para os Físicos pegarem todas as fôrças materiais que conhecem ( as eletromagnéticas, as fôrças nucleares fortes ou fracas, a fôrça gravitacional, etc. e etc.) e mostrarem para você como elas, quando projetadas desde o interior da Terra para sua superficie, revelam a existência da dimensão dos fenomenos biológicos que movem a Vida, que você vê e tem certeza que existe. Peça para lhe mostrarem como as fôrças da Terra que se projetam em sua atmosfera interagem e revelam a existência dos passaros voando, do pombo-correio que agora está levando no bico uma carta minha aos cientistas pedindo mais explicações. Não podem. Tôdas as fôrças fisicas conhecidas e todos os elementos materiais fundamentais conhecidos já foram reunidas em containers dentro de laboratórios centenas de vêzes depois que Muller e Urey realizaram sua famosa experiencia pioneira, e tôdas estas experiencias retornaram de mãos vazias, não conseguiram sequer produzir um dos 20 aminoacidos que a Vida usou aqui, quanto mais a façanha de fazer êstes aminoacidos darem por si mesmos os passos evolutivos seguintes que certamente foram dados aqui na Terra a 3,5 bilhões de anos atrás.

Os Físicos podem estarem felizes porque vivem em ricos ambientes e ganham bons salarios, mas eu aqui desde meu gueto miserável me sinto como que abraçado a êles e chorando nosso fracasso de humanos em busca deseperada pela nossa liberdade dêste estado insuportavel de ignorancia existencial. Eu os apecio no mais intimo do meu coração, dependo mortalmente dêles nesta busca desesperada, dos dados que colhem com seu trabalho árduo e me fornecem gratuítamente para ir tentando montar o quebra-cabeças, como o caso de mais esta sensacional experiencia ocorrendo no LHC.

Mas respiro um profundo ressentimento, uma necessidade de gritar-lhes ao ouvido, pois acho que estão fazendo algo perigoso e muito errado. Estão gritando ao megafone, descrevendo imagens e acontecimentos que na realidade não viram nas regiões alem das curvas dos vales por onde avança a caravana dos humanos. Estão falando de suas interpretações tambem, e não apenas dos fatos e dados reais que coletam. Mas os comuns mortais, atarefados em avançar e sobreviverem, ouvem tudo como se fôssem fatos reais. E quando chegam nas bifurcações do caminho, que têm de escolher dentre várias trilhas e destinos, uma ao acaso, o fazem pela intuição que povoa seu subconsciente coletivo, a qual é formada pelos buscadores avançados. Informações erradas podem interferir na escolha do caminho errado, a ponto da caravana toda estar se dirigindo a um precipicio ou pantano de areias movediças. Em nome de nossos filhos, em nome dos que vamos deixar em nosso lugar, para um dia realizarem nossos sonhos de chegar ao conhecimento libertador, parem com isso!

Por acaso não são vocês mesmos que não se cansam de lembrar aos humanos o enorme e doloroso efeito por terem ouvido os misticos religiosos mentirosos durante milhares de anos?

Sei que na maioria a culpa não é dos pesquisadores, mas sim de repórteres inconsequentes e alienados que só se justificam na sua luta pela sobrevivência. Mas temos que manter uma patrulha vigiando o que sai nas manchetes. Temos urgente que mudar os textos do curriculum escolar que está claramente passando uma cosmovisão niilista às nossas crianças, quando claramente transformam teorias, como a do Big Bang, da Biogênese, em verdades comprovadas, e formando visões do mundo nestas mentes inocentes ainda. Como dizia Pink Floyd: “Teachers, leave our kids alone… no que se refere à interpretação dos fatos. Deixem-nos com o seus pensamentos livres para escolherem seus destinos.

As interpretações que impregnam os fatos reais nêstes artigos não me enganam mais. As cenas que estão sendo vistas nos aceleradores de particulas não me dizem se existem ou não outras dimensões de fenomenos naturais alem dos que percebemos. Só sugerem que não será pelo método e recursos da Física que as iremos encontrar, se existirem. Assim como nossos modêlos da teoria astronomica oficial não consegue captar as forças certamente existentes no planeta Terra, ou no sistema galáctico, desde 3,5 bilhões de anos atrás, que produziram esse fantastico espetáculo da Vida na Terra, tambem devem existir dentro daquele minusculo pacote de ondas, forças que produzem reflexos para fora da caixa que podem estar revelando coisas, mas como não se capta tais forças, não se capta o que possa ser revelado. Não vou agora me resumir ao que de animalesco existe em mim, eliminando todas as esperenças de que talvez possua algo imortal como uma alma em outras dimensões, por causa de tais artigos. Mas muita gente, principalmente os jovens aculturados nas universidades, estão deixando se impressionar.

Para quem estiver intereessado em conhecer uma outra interpretação ( muito mais pobre e sem os recursos dos interpretadores nos artigos), veja o que pode sugerir aquelas cenas no LHC:

Existe a grande possibilidade de que existe uma fôrça permeando a matéria que esteja criando a Vida e a qual não é percebida pelo nosso complexo sensorial. Esta possivel força está desenhada na figura abaixo:

A Luz Como Código Criador da Vida
xxxx

E mais esta figura:
xxxx

The MatrixDNA as Closed System

The MatrixDNA as Closed System

xxx

As duas figuras são duas formas de uma unica e mesma entidade. A primeira é a forma desta entidade, desta fôrça misteriosa, como ela surge originalmente no meio da matéria. São ondas de luz natural, pura. Devido à sua incrivel velocidade (300.000 km/s) e devido sua ampla expansão no espaço a luz atravessa corpos materiais sem interferir quase nada nêles. Mas acontece que já se vão 13,7 bilhões de anos de emissões continuas destas ondas, e essa insistencia de uma força etérea muito fraca, acaba pelo tempo exercendo influencia determinante na matéria. Acontece que essa fôrça não é algo simples. Ela é um código, uma mensagem, uma informação! Contendo sete espécies de vibrações continuas num unico processo, ela transmite à matéria o processo do ciclo vital! Ela imprime movimento e formas na matéria, modelando as sete partes que constituem qualquer sistema natural, desde átomos a corpos humanos. Ela faz a matéria inerte se mover, evoluir. Como fêz a matéria inerte na superficie da Terra se mover elaborando novas combinações, as mesmas nas sequencias do código impresso na luz, e que levou esta matéria a realizar o espetacular salto evolutivo para construir essa estupenda diversidade da nossa biosfera. O código é simples: apenas o moveimento normal de im ciclo vital. Num periodo, num processo de ciclo vital está tudo o que é necessario para conduzir, modelar, a matéria amôrfa e informe, organizando-a num sistema natural funcional. dinamico. Mas essa luz dessa maneira jamais seria captada e entendida dentro dos laboratórios do LHC com os atuais instrumentos que temos lá. Para capta-la seria preciso um outro observador com outra mentalidade, situado num outro ponto do espaço/tempo.

A segunda figura é a mesma onda de luz, porem dentro de um corpo muito denso, massivo, de maneira que ela não pode atravessa-lo e continuar sua espansão. Como ela apresenta ao mesmo tempo as imagens de onda e de raio, dependendo da natureza do observador, no seu aspecto onda circular esférica ela se assenta e se estabelece como está na segunda figura. Se vista na forma de raio, ela une suas duas pontas extremas formando o mesmo circuito esférico e assim vibra dentro do corpo massivo criando regiões internas diferenciadas e especializadas como são as diferentes frequencias e periodos de suas vibrações.

A esta possivel existente entidade estou achando de bom senso denomina-la de Matrix/DNA Universal. De onde ela vem, qual a fonte dessa luz original? Não sei. Não faço a minima idéia, apesar que que ela mesma está sugerindo de onde vem. Pode ser que ela surja pipocando no Universo como bolhas quanticas que estouram formando as ondas. Pode ser que surja devido circunvulações na matéria ou energia escura, que pode criar vórtices, tornados, os quais se desmancham emitindo-a como ondas. Ela está sugerindo que êste Universo é à nossa imagem e semelhança em têrmos de processo da criação, ou seja, que êste Universo é um tipo de Ovo Cósmico onde está ocorrendo um processo de reprodução genética, o qual estamos pensando que é evolução. Se for isso,… a auto-consciencia em cada ser vivente neste cosmos é um gene que está construindo um grande embrião mental, o seu próprio corpo, desde o Big bang, para o dia do seu Big Birth! Não sei. Apenas isto me mantem com esperanças, mesmo que não acredite nela, porque ainda não pude comprova-la em meus testes e nesta longa busca.

É isso que está faltando aos cientistas e aos veiculadores de noticias. Foi isto que faltou aos misticos religiosos que condenaram a Humanidade no espaço de mais de dois mil anos a sofrerem as agruras do atraso cientifico e tecnológico. Falta mencionar as palavras “teoria”, “incerteza racional”, “excessões à lógica natural”, etc. Existe um forte motivo para êste meu esforço em comunicar meus pensamentos nesta noite. Quando leio os mapas da Matrix e tento interpreta-los, penso estar vendo que a Matrix tem duas faces, duas tendencias. Uma construtôra e outra destruidora. Uma boa para nós, outra maligna para nós. Assim como certas bactérias são imprescindiveis e úteis à nossa existência, mas se tratadas errado, podem se tornarem malignas e nos levar à morte.

Relato em outro artigo, como a Matrix se assentou com sua face negra na formação das galaxias originais, e como a nossa ancestral forma da nossa auto-consciencia, ainda ingênua na época, se deixou atrair por ela e caiu no conto do paraiso termodinamico, resultando na queda que nos trouxe a rastejar na Terra. E penso estar vendo essa face tentando se reconstruir aqui agora, atuando de dentro de nós, porque está inscrita em nosso DNA, e atuando sôbre nós, vinda do ambiente externo o qual ela mesmo, como galaxia, tem modelado. Ela está tentando se reproduzir na forma que era no céu, uma incrivel máquina quase-eterna de extraordinaria engenharia existindo como num paraiso para si mesma. Ela parece-me estar se assentando na Terra, a biosfera tôda teria sido apenas mais um produto da genética, e nós humanos, estaremos perdidos dentro dela, existindo apenas como meras peças, felizes mas estupidas, num Admiravel Mundo Novo.

Mas para essa reprodução se concretizar ela precisa aprisionar, algemar, anular a fôrça da auto-consciencia que floresceu aqui. Ela precisa fazer isso começando por fazer essa auto-consciencia desacreditar que ela existe soberana e carregando um propósito para um destino alem deste Universo. E uma das estratégias dêsse processom de reprodução seria matar em nós as buscas pelas dimensões que existem à nossa altura e que aguardam por nós. Se esta estranha teoria estiver correta, os cientistas e os repórteres de tais artigos estão inconscientemente sendo usados como inocentes uteis, rumo à sua própria perdição. Seja como for, errado ou certo, o que resta no final é uma verdade incontestável: as testemunhas de qualquer evento devem se limitarem a descreverem exatamente o que viram ou tocaram. As interpretações ficam a cargo do povo no papel de Juíz.

Mantenho as minhas perguntas:

Quando estou na estação espacial, porque as ondas que se refletem nas paredes superficiais rochosas desta “caixa” contendo a partícula Terra não está revelando aos meus olhos os corpos vivos que sei existirem na dimensão biológica, e a qual cobre como uma capa o espaço à volta dêste planeta? Porque meus olhos e demais sensores apenas captam a dimensão dos fenomenos biológicos quando sou um observador infiltrado dentro desta mesma dimensão?

Porque as ondas que se refletem nas paredes da caixa craniana não revelam aos meus olhos e demais sensores as substancias dos pensamentos, os quais tenho certeza existirem porque existo como uma auto-consciência infiltrada dentro de sua mesma dimensão?

Então porque os Físicos com seus métodos e recursos sensoriais tecnológicos esperam verem dimensões de fenômenos onde êles não estão infiltrados de maneira alguma?! Porque a Física ainda não identificou ou não percebeu as fôrças naturais que produziram a Vida e os pensamentos, eu deveria sair por aí afirmando que as dimensões da Vida e dos pensamentos não existem?! Mas onde estaria a minha ética profissional de homem observador no pico das montanhas? A minha responsabilidade pelo destino da minha própria espécie? O meu respeito pela autonomia e liberdade de pensamento das nossas crianças?

xxxx

Posts e Comentários da Matrix/DNA divulgados pela ARS TECHNICA na seção dos comentários que seguem abaixo do artigo:

TheMatrixDNA | about 2 hours ago | permalink | reply | edit

What’s going on here?! Everybody forgot the Relativist Universe revealed by Einstein’s Cosmo vision?! It is probable that has other dimensions composed by unknown organization of matter, but each observer can see only the levels equal or under his feet. The observers at LHC are seeing reflections of waves into the surrounding space out of the box, trying to see a new state of matter? But…but… what about the observer that is a deep rock seeing the reflections of waves from this big spatial particle that is Earth into the space surrounding the planetary surface?

This observer never could see the dimension of biological phenomenon. That’s the reason the observers at Fermilab and LHC never will see tiny blips of another dimension.

Our solar system, organized in a mechanic fashion, is hidden the forces and elements that produced the dimension of our biosphere. Hundreds of experiments, since Miller and Urey has turning back with empty hands. Same way we don’t know the forces and elements inside particles (or its environment) that could produce or interacting with a surrounding dimension with different order of phenomena.

The models of Matrix/DNA Theory have a suggestion here: search the light for another dimension, not the particles. The models show how any electro-magnetic spectrum from a light wave/ray contains the code for life and works organizing matter at different order of phenomena.

Resposta ao Meu Post:

Joe and the rabid monkeys | 3 days ago | permalink | reply
TheMatrixDNA wrote:
What’s going on here?!…

Not sure if troll, but anyway!
It sure is important to take into account the perceptive faculties of rocks. What are ethologists doing with animals and crap, one may simply wonder. Yes, we should all take a step back and contemplate in awe with our friend Descartes at how many new dimensions may appear if we accept solipsism as our main mehod of deduction. It’s all in the head, man! What can particles tell us about life or emotions anyway, if we can simply include everything we can conceive in our new set of theories. In fact, let’s propose this new theory: monkeys are of a higher cognitive order because they are not limited to abstract thought—since they feel the things around them without needing a multilayered semantics as humans, they are better suited for giving a complete picture of the universe. We don’t need to test particles for other dimensions—particles are limited by their reality and our scientific methods—we just need to ask monkeys, as they may have all of the information we need in their own minds.

Obs.: Ethology (from Greek: ἦθος, ethos, “character”; and -λογία, -logia, “the study of”) is the scientific study of animal behavior, and a sub-topic of zoology.

Solipsismo (do latim “solu-, «só» +ipse, «mesmo» +-ismo”.) é a concepção filosófica de que, além de nós, só existem as nossas experiências. O solipsismo é a consequência extrema de se acreditar que o conhecimento deve estar fundado em estados de experiência interiores e pessoais, não se conseguindo estabelecer uma relação direta entre esses estados e o conhecimento objetivo de algo para além deles. O “solipsismo do momento presente” estende este ceticismo aos nossos próprios estados passados, de tal modo que tudo o que resta é o eu presente. Com o intuito de demonstrar como considerava ridícula esta idéia, Bertrand Russell refere o caso de uma mulher que se dizia solipsista, estando espantada por não existirem mais pessoas como ela.[1]
A neoescolástica define solipsismo uma forma de idealismo, que incorreria no egoísmo pragmático, que insurge pós proposição cartesiana “cogito, ergo sum”; solipsismo é atribuída por Max Stirner como uma reação contra Hegel e sua acentuação do universal; o solipsismo somente tem por certo, inconteste, o ato de pensar e o próprio eu. [2] Assim, tudo o mais pode ser contestado ou posto em dúvida.

xxx

TheMatrixDNA | about an hour ago | permalink | reply | edit

Chuckstar wrote:
“Imagine how far we might get on unifying gravity and quantum mechanics if so many great minds were not wasting their time on vibrating strings.”

I think so many great minds are wasting their time trying to go far supported by gravity and quantum mechanics. Different dimensions are about different state and order of matter organization. With Physics we know the dimension of electro-magnetics, mechanics, and with Biology we know the biological model of organization. We need another scientific method now, another angle of observation, for detecting possible more complex dimensions.

See the tentative at Matrix/DNA Theory: we are trying to see the revelations from reflections of natural light, after discovering that any electro-magnetic spectrum has the code that imprints the dynamic and transformations of life into matter. There is the dimension related to the state of consciousness, also. But, it is not with Physics, which studies the dense skeleton of the Universe, that we will found the meat and the substances of our thoughts.
Last edited by TheMatrixDNA on Sat Apr 07, 2012 4:51 am
xxxx

TheMatrixDNA | about an hour ago | permalink | reply | edit

n7zzt wrote:
it could be that the physics behind these alleged extra dimensions are so unlike ours that they will not be detectable within the confines of our universe. there might have to be the development of more exotic equipment.

I think you are pretty right. But you said the “physics behind…” Why it must to be Physics as we know it, everywhere?! Which are the Physics in the realm of emotions, feelings, hate and love? How works the Physics’ laws in the processes like the gestation of an embryo? Or about the relations between predator and prey? So, I think we need the development of more exotic equipment and searching to figure out at which point at time/space we need to locate ourselves for to grasp something from another possible dimension. For instance: we have applied a different method for calculating the events of life’s origins: comparative anatomy between living and non-living natural systems. We tried a different point as observer. Our results are suggesting that our galaxy has a covertures of primitive biological processes, which cannot be detected by Physics and modern Astronomy, also Physics based. Astronomic systems must be studied by Biology also. I will not believe in any world vision described by Physics alone.

xxxxx

Continuação da Pesquisa relacionada a êste artigo:

O meu primeiro problema com a linguagem acadêmica é sôbre a definição da palavra “dimensão” e do seu uso nêste artigo. Vejamos uma figura onde não só a palavra “dimensão” se aplica como esclarece a nós desavisados o que são as três dimensões dêsse mundo visiveis aos nossos olhos:

As Três Dimensões Do Visual Humano em Relação ao Cérebro

As Três Dimensões Do Visual Humano em Relação ao Cérebro

:

E agora vamos buscar definições oficiais:

Wikipedia, português: Dimensão… Meu Deus, os estudantes brasileiros que não lêm Inglês estão perdidos quando precisam fazer trabalhos, pesquisas escolares. Compare a pagina sôbre “dimensão” na Wilipedia em português com a pagina “dimension” em inglês. Não existe um brasileiro ou português que tenha a vontade e algum tempo sobrando para traduzir a pagina para o português?!

Wikipedia, inglês: In physical terms, dimension refers to the constituent structure of all space (cf. volume) and its position in time (perceived as a scalar dimension along the t-axis), as well as the spatial constitution of objects within – structures that have correlations with both particle and field conceptions, interact according to relative properties of mass, and which are fundamentally mathematical in description. These or other axes may be referenced to uniquely identify a point or structure in its attitude and relationship to other objects and occurrences. Physical theories that incorporate time, such as general relativity, are said to work in 4-dimensional “spacetime”, (defined as a Minkowski space). Modern theories tend to be “higher-dimensional” including quantum field and string theories. The state-space of quantum mechanics is an infinite-dimensional function space. The concept of dimension is not restricted to physical objects. High-dimensional spaces occur in mathematics and the sciences for many reasons, frequently as configuration spaces such as in Lagrangian or Hamiltonian mechanics; these are abstract spaces, independent of the physical space we live in.
xxxx

Bem, agora percebo que estamos falando a mesma linguagem. E me pergunto: Como poderia uma suposta rocha inteligente existente em Marte e observando a Terra e vendo com olhos de ver ondas/particulas relacionadas a corpos inanimados, os reflexos das ondas que vem do interior da Terra revelando os corpos dos seres vivos? Certamente ela os veria, e em movimento, mas jamais se atinaria que são corpos vivos, e sim pensaria que são como pedras moles rolando na superficie ao sabor dos ventos.

Agora vamos aos humanos. Seria possivel aos nossos olhos ver corpos em ocultas e desconhecidas dimensões iluminando-as com nossas lanternas, ou seja, com a faixa de onda da luz que nós enxergamos? Ou então, ao menos, perceber que nossa luz bate em vultos invisiveis, ou desviam-se dêles, como está acontecendo em nossa observação da luz de estrêlas distantes? Por exemplo, não vemos os buracos negros, mas supomos existirem devido a uma série de fenomenos que estamos vendo no espaço. Da mesma forma, os observadores no LHC deveriam notar que existe alguma coisa no espaço se vissem algum comportamento anormal das ondas refletidas. Mas nessa escala do extremamente pequeno, nessa ainda nebulosa visão de ondas emitidas por particulas, seria possivel notar qualquer comportamento anormal?

São questões que vão ocupar nossos pensamentos.

xxxx

Post respondido por Matrix/DNA:

NCoppedge | 2 days ago | permalink | reply
I have an interesting theory about basic physics, that momentum may be possible without velocity, as in the case of an object tethered on a slope.

If this is true, then momentum may be possible without force. That would be a revision of basic physics as we know it—-!

Feel free to e-mail me about this principle if it interests you. Obviously the implication is perpetual motion, which isn’t very possible according to all current experts. But it would be interesting if there were some exception, for the most ideal cases.

Momentum without velocity. It seems possible to me. In *certain cases* which is different from universal relativity, but perhaps not so different from the properties of quantum phenomenon. But quite different.

For example, it may be posited that something using the opposite of the properties of photons (that is, momentum without velocity, rather than velocity without momentum) may be a new type of physics. Consider the difference between momentum and force on that subject. Perhaps extra force is possible if momentum does not require velocity.

Resposta da Matrix/DNA:

TheMatrixDNA | about an hour ago | permalink | reply | edit
NCoppedge wrote:
I have an interesting theory about basic physics, that momentum may be possible without velocity, as in the case of an object tethered on a slope.

Hay, NCoppedge,

I think you have a very good point and you should developing it. Physics is missing this issue which could be useful for us developing working static systems, or self-sustained factories.
This issue is not off the topic here because maybe we are inside a dimension of an unknown order of natural phenomena. I ask you to see my theoretical model of a perpetual systemic circuit, called “The Matrix´s Software at the Evolutionary Stage of Closed System” (Google it) and your opinion about. Before doing it, try to think about this:

There is one or more natural forces behind and supporting the known forces by Physics. Maybe the fluctuations in a vacuum, etc. One force could be broken into slices and its fragments still working as a force. Then, this segment of force can become a flowing circuit. If this segment is like a electro-magnetic spectrum of a light wave, it has seven different kinds of vibrations, from gamma-ray to X-ray to…radio. Inside any portion of unanimated matter these different vibrations can model matter as pieces of a system. Then, we have a natural material closed system, as a perpetual motor.
But Nature does not permit the existence of eternal natural systems, because there is entropy. Then, as my theory is suggesting, when this force organized matter as the first galactic systems and they were destroyed by entropy, those systems learned how to recycling itself…as pictured into my model. Final result? The almost eternal Universe. What do you think? I am away off the beam?

But… if the first original galaxies were self-organized as these theoretical models, Physics alone never will grasp the right cosmological model. These models are suggesting that galaxies are half-mechanical/half-biological. It is a new dimension of natural systems which need the Biologists approach and knowledge, also.

xxxx

Post da Matrix/DNA:

TheMatrixDNA | 6 minutes ago | permalink | reply | edit
Joe and the rabid monkeys wrote:
TheMatrixDNA wrote:
What’s going on here?! Everybody forgot the Relativist Universe revealed by Einstein’s Cosmo vision?! It is probable that has other dimensions composed by unknown organization of matter, but each observer can see only the levels equal or under his feet. The observers at LHC are seeing reflections of waves into the surrounding space out of the box, trying to see a new state of matter? But…but… what about the observer that is a deep rock seeing the reflections of waves from this big spatial particle that is Earth into the space surrounding the planetary surface?

This observer never could see the dimension of biological phenomenon. That’s the reason the observers at Fermilab and LHC never will see tiny blips of another dimension.

Our solar system, organized in a mechanic fashion, is hidden the forces and elements that produced the dimension of our biosphere. Hundreds of experiments, since Miller and Urey has turning back with empty hands. Same way we don’t know the forces and elements inside particles (or its environment) that could produce or interacting with a surrounding dimension with different order of phenomena.

The models of Matrix/DNA Theory have a suggestion here: search the light for another dimension, not the particles. The models show how any electro-magnetic spectrum from a light wave/ray contains the code for life and works organizing matter at different order of phenomena.

Not sure if troll, but anyway!
It sure is important to take into account the perceptive faculties of rocks. What are ethologists doing with animals and crap, one may simply wonder. Yes, we should all take a step back and contemplate in awe with our friend Descartes at how many new dimensions may appear if we accept solipsism as our main mehod of deduction. It’s all in the head, man! What can particles tell us about life or emotions anyway, if we can simply include everything we can conceive in our new set of theories. In fact, let’s propose this new theory: monkeys are of a higher cognitive order because they are not limited to abstract thought—since they feel the things around them without needing a multilayered semantics as humans, they are better suited for giving a complete picture of the universe. We don’t need to test particles for other dimensions—particles are limited by their reality and our scientific methods—we just need to ask monkeys, as they may have all of the information we need in their own minds.

Joe and the rabid monkeys… your post is funny, but I think yes, we need to continue testing particles for other dimensions. But we need a new method. First of all, we need a theory different from String theory suggesting the kind of system should existing in a superior or inferior hierarchy of complexity, compared to the complexity inside the particle as wave packet. Then, we need to calculate how to mutate the behavior/properties of that waves having as target, the hypothesized hidden dimensions. And, finally, observing the effects. Do you know why?

Each different observer has a problem: he/she will select some natural data and will ignore others important data of any given object. Then, when the men tried to figure out how could be the image of God, in another hidden dimension, they were based in their set of selected data for to calculating the final picture of God. And their picture suggested a God as the image of man. The same is happening with Physics scientists. We are projecting the data known by Physics over time/space surrounding us. String theory made the same mistake, I think. If are there something… we will not find it by this method, as those men never will meet their imagined gods.

Do you want a sample? It is a hypothesis, but I have a lot of evidences for it. Our cosmological model is wrong, non complete. Stars does not arises how suggested by this model, black holes are totally different than the currently model, etc. Because besides mechanic/gravitational kind of systemic organization, astronomic system are organized also by a primitive biological level of matter organization. Witch does not works in a particle as wavepacket. So, there is a new hidden dimension at here, at our galactic system, which are not being grasped by Physics.

Other sample? Our brain is a evolutionary development from a single physic thermodynamic system. Alzheimer disease is a mal-functioning of entropy that attacks any thermodynamic system. But our medicine does not grasp the fundamental causes of Alzheimer because Biologists, Biochemistries, etc., does not applies Physics in this way. Everybody is projecting his/her own world over unknown worlds… it does not works in this way.

Monkeys cannot giving a complete picture of the Universe, but they can give a better picture of those detail in the jungle related to survivor, better than me. I have learned it living seven years in Amazon jungle, studying natural systems and animals like monkeys. I have learned that I never will be able to grasp details in that natural niche as a monkey does. Like when seeing another animal and knowing if it will attack or not, and when. Maybe the images grasped by eyes able to see only two dimensions are not grasped by eyes able to see three dimensions. Because like those men picturing God, we are mentally projecting the three world dimension over everything else. But, with our intelligence we can discover the right method, as the above, for fixing this kind of problem. What do you think?

xxxx