Posts Tagged ‘Dyson sphee’

Dyson Sphere – Uma Tecnologia a ser Pesquisada pela MatrixLight/DNA

domingo, maio 8th, 2016

xxxxxxxx

https://en.wikipedia.org/wiki/Dyson_sphere

Com o desenvolvimento tecnológico da Humanidade, calcula-se que chegaremos a um ponto quando toda energia captada na Terra sera insuficiente para manter a estrutura instalada e muito menos permitir a continuidade deste desenvolvimento. Pensadores já tem percebido essa questão a longo tempo e de todas as alternativas imaginadas surgiu a ideia da Esfera de Dyson: seria mais ou menos a ideia de construir estacoes espaciais orbitando rente em torno do Sol, absorvendo toda sua energia e re-emitindo-a para a Terra. Seria como fazer uma cela para enclausurar o Sol.

A Dyson ring — the simplest form of the Dyson swarm — to scale.

Depois de Dyson alguns pensadores tem imaginado uma especie de esfera material completa em volta do Sol, mas o mesmo Dyson achou a ideia tao infactível que solicitou não usarem o nome dele nestas ideias.

Esta ideia esta tao atuante na mente dos ficcionistas e astrônomos que recentemente, uma estrutura altamente energética captada pelo Hubble numa galaxia distante, sem que os astrônomos encontrem uma explicação racional para sua existência, ter sido aventada a hipótese que se trata de algo como a Esfera de Dyson construída por alguma civilização de alienígenas mais desenvolvidos. ( veja:  http://www.theatlantic.com/science/archive/2015/10/the-most-interesting-star-in-our-galaxy/410023/

A cut-away diagram of an idealized Dyson shell, a variant on Dyson’s original concept, with a radius of 1 AU

Por nosso lado, esta ideia nos remete `a formula da MatrixLight/DNA para vê-la por essa diferente perspectiva. Estrelas estão localizadas na função 6 e ate’ 7 da formula – o que e’ uma região entropica na face direita da formula – e sua energia degradada tende a formar uma nuvem junto com a massa degradada no fim do sistema para serem reciclados. Mas seria possível tratar esta energia como ela e’ na realidade – uma energia perfazendo um ciclo vital – e dai encontrar uma maneira de mudar seu processo natural, dirigindo-a para a Terra ao invés de ser dispersa como nuvem no espaço?

Vamos começar a pensar no problema, e não tem como começar senão trazer a formula para ca’:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Um método seria mudar a seta vector em F6: ao invés dela continuar na direcao de F7, mudar seu curso na direcao de F3 -que ‘e a posição dos planetas na formula. Claramente isto e’ impraticável pois teríamos que atuar no núcleo genético da estrela com uma re-engenharia genética. E’ preciso ao leitor entender que este desenho da formula esta’ num plano de duas dimensões, quando na verdade a formula acontece como uma espiral, a qual não da para ser desenhada numa folha plana. E desde que a espiral e’ rotativa, a seta/energia que sai de F6 e vai a F7 na verdade se dirige na sua maior parte internamente para todo o sistema formando a nuvem entropica. O que resta e vai para F7 ‘e o núcleo esquelético da estrela já quase inteiramente sugado em sua energia.

Uma estacão espacial que funcionasse como um ralo rotativo chupando essa nuvem seria uma solução. mas tambem poderia ser a extinção da vida pois alteraria o sistema estelar inteiro.

Bem… geralmente, novos problemas a serem resolvidos surgem e logo cansam nosso cérebro devido sua complexidade, nos obrigando a retira-los da nossa frente. Mas o problema foi levantado, registrado na memoria, e vai voltar sempre a memoria quando raciocínios abordam temas relacionados. Geralmente deixo o problema e vou dormir, e nalgum dia depois, sem querer, acordo com uma solução na mente. Sera  caso deste problema aqui… vamos deixa-lo de molho, por ora.