Posts Tagged ‘enzima’

Nova Descoberta Sobre os Building Blocks da Vida e sua Relacao Com os Processos da Matrix/Negra

sábado, setembro 17th, 2016

teoria-artistica-de-uma-proteina-ou-enzima-numa-flor-modelando-e-imitando-a-formula-da-matrix

Obs 1: Esta figura “parece” sugerir como uma proteina ou enzima acontece num organismo. O formato da proteina e’ similar ao formato da formula da Matrix, o que seria logico: apesar de que cada proteina representa uma informacao unica e diferente de todas as outras, este detalhe diferencial esta’ na periferia, na copia diferenciada, porem a infra-estrutura, o esqueleto basico de todas, seria uma reproducao da formula. Aqui nesta proteina vemos a formula com 5 partes/funcoes expressadas, sendo que a sexta nao se expressa, por isso e’ apenas um ramo amarelo. Isto ja e’ uma sua diferenca especifica. Mas esta diferenca cresce e esta’ inscrita tambem nos filamentos amarelos da periferia da proteina.

Obs 2 : Este artigo tambem se relaciona com a tese da Matrix no super-organism

de Gaia

 

xxxxx

New knowledge about the building blocks of life

September 2, 2016

Read more at: http://phys.org/news/2016-09-knowledge-blocks-life.html#jCp

 

A study of an enzyme that helps build and repair DNA in living organisms increases our understanding of how these processes are controlled and how we can use this to combat infections.

Louis Morelli: Leio isto nao apenas com o interesse patente de aprender mais de genetica, mas tambem leio enquanto tento projetar as informacoes da dimensao genetica humana na “suposta” dimensao genetica do super-organismo de Gaia – o processo de reproducao do ancestral astronomico na forma biologica na superficie da Terra, ou seja, a Matrix para um sistema fechado em si mesmo. Nessa intencao e’ muito importante descobrir como  sao os processos controlados por essa Matrix Negra (porque existimos sob a outra face da Matrix tambem, a Matrix Branca, relacionada `a emergencia da auto-consciencia e tendente a sistema aberto), sobre os humanos e a biosfera terrestre em geral.

Chemists at the Faculty of Science at Lund University in Sweden, together with their colleagues in Umeå and Stockholm, have studied the enzyme ribonucleotide reductase, (RNR).

Matrix/DNA: Pesquisar o que e’ RNR – a enzima ribonucleotide reductase. The RNR enzyme that the researchers have studied derives from the bacterium pseudomonas aeruginosa, which is associated with nosocomial infections.

By using synchrotron radiation, including at MAX IV Laboratory in Lund, they are able to show the three-dimensional structure of the enzyme and the of DNA. They have thereby discovered how the building blocks bind to each other and how this is used to control the function of the enzyme.

Matrix/DNA: Bem,… existe uma diferenca entre o que a Ciencia Academica teoriza ser o building block do DNA e o que a Matrix/DNA teoriza. Para nos, o building block nao e’ apenas um nucleotideo mas sim os 4 juntos, vizinhos, tanto na posicao horizontal – dois nucleotideos de duas hastes formando um degrau – mais dois nucleotideos consecutivos nas hastes do DNA, na posicao vertical. Isto porque somente assim vejo a formula completa da Matrix repetida. Descobrir como os nucleotideos se conectam ja e’ um problema resolvido pela Matrix ( mesmo processo da formula, sendo que para isso tem que entrar em acao a base uracila), pois a conexao ja e’ determinada porque o nucleotide anterior e’ quem se reproduz no posterior, mantendo o elo ou cordao umbilical entre eles, que sao as pontes de fosfato nas hastes. Mas aqui fica uma duvida. O artigo vai dizendo que eles descobriram como os building blocks se conectam uns aos outros e ” como isto e’ usado para controlar a funcao da enzima”. Entao nao estao falando das conexoes que acontecem normalmente na formacao e no crescimento do DNA, e sim quando os building blocks comecam a fuzzy logic, ou seja, estabelecendo segundas interconexoes entre nucleotideos esparsos na haste visando montar um novo diferente pacote de informacoes, o qual se torna o codigo para produzir certa enzima. Mas isto seria um gene.

A challenge in the development of drugs against these pathogens is that their enzymes are often similar to ours. If you inhibit the foreign enzyme in order to kill the bacteria, there is always a risk that this will affect the person’s own enzymes, which leads to side-effects or even toxicity.

“However, we have discovered that the binding of molecules differs greatly between the human enzyme and the bacteria’s RNR , so the risk of side-effects is therefore considerably smaller”, says Derek Logan, senior lecturer at the Faculty of Science in Lund.

Matrix/DNA: Bem,… isto vem para membrar que o misterio que estou tentando elucidar e’ muito mais complicado. Uma coisa e’ investigar uma situacao fixa, estabelecida, e outra diferente e’ pesquisar uma situacao em movimento e se transformando. Isto e’ evolucao. A diferenca de como a Matrix controla o mundo das bacterias e o mundo dos humanos.

In the study, the researchers also discovered that RNR from the type of bacteria that causes the sexually transmitted disease chlamydia has the same type of binding to the DNA building blocks. Therefore, Derek Logan does not rule out the possibility that, in the future, these new findings could lead to a new treatment of chlamydia. However, he predicts that applications in the form of development programs for new drugs are at least ten years into the future

Matrix/DNA: Entao temos que pesquisar stas duas doencas: nosocomial infection, also known as hospital-acquired infection, e chlamydia. Comparando os dois casos, pois isso pode fornecer mais pistas de como estes processos de controle ou descontrole genetico acontecem.

xxxx

Inicio da Pesquisa:

RNR – a enzima ribonucleotide reductase. The RNR enzyme that the researchers have studied derives from the bacterium pseudomonas aeruginosa, which is associated with nosocomial infections.

 

 

A descoberta de uma super-enzima e sua relacao com a forca que controla a evolucao

sábado, setembro 17th, 2016

xxxx

Estou entrando numa nova dimensao da Natureza de importancia grandiosa. E o artigo copiado abaixo para ser pesquisado aqui em cada informacao, esta relacionado ao assunto.

Ainda nao fasso ideia de como seria nem o esboco dessa nova dimensao. Mas existem evidencias, ela e’ logica, esta escudada em parametro natural conhecido.

Quando na embriogenese esta sendo construido um novo ser, parece que existe algo como um commando de instrucoes invisivel no DNA coordenando as atividades dos genes. Parece um maestro dirigindo uma orquestra. Mas sao milhares de genes ( cerca de 30.000?), e cada qual tem uma informacao unica, especifica dele. Entao seria uma orquestra com 30.000 musicos mas cada um tem um instrument unico, especifico, que emite um som diferente de todos os outros. O maestro coordena de maneira que cada instrumento entre num dado momento, e que em cada momento existe um grupo selecionado tocando. O gene que tem informacao para fazer algo do nariz ja estara a postos no momento seguinte a fecundacao, como todos os demais, mas ele tera que esperar inativo, sem se expressar, ate que os outros genes fassam a cabeca. E o artigo abaixo sugere como e’ compost o commando de instrucoes (o maestro) do DNA. Enzimas catalizadoras.

Sim, mas onde esta a nova dimensao do conhecimento? Como escrevi num artigo aqui ontem, as vidas dos humanos estao sendo “controladas” a nivel de Humanidade, de sistemas sociais, ou talvez mesmo a nivel inconsciente, por um semlhante invisivel e desconhecido commando de instrucoes.nao apenas a vida dos humanos, mas sim, a evolucao biologica de bilhoes de anos tem sido dirigida por esse comando misterioso. E as regras sao as mesmas que ocorrem com os genes. Isso cheira `a metafisica, ‘e quase impossivel, mas uma serie de detalhes me levam a suspeitar que isso nao apenas seria possivel, como de fato, deve estar ocorrendo.

Uma das possibilidades seria explicada por outra sub-teoria dentro da geral teoria da Matrix/DNA: a de que os 8 bilhoes de humanos sao 8 bilhoes de genes inconscientes cada qual carregando em suas cabecas uma particular de informacao unica, especifica, diferente de todas as demais, na forma de sua mente, construindo aqui uma nova forma do sistema natural universal, a qual denominamos ” auto-consciencia”. Se isto for verdade, tem que ter um commando central invisivel tal como tem no DNA.

Mas tem outra situacao, uma quase identica situacao. A teoria geral da Matrix/DNA esta sugerindo que, em paralelo a esta funcao de genes para uma auto-consciencia, tambem somos genes cnstruindo uma replica do nosso criador imediato e ancestral sistema astronomico. uer dizer, nao apenas os humanos, mas sim todos os sistemas biologicos dessa biosfera. Seriam duas tendencias conflitantes entre si, uma imediatamente materialista, obedecendo a evolucao de um hardware que vem se complexificando desde o Big Bang, e a outra, apesar de ser perfeitamente natural tambem, tem uma conotacao mais metafisica, pois estariamos construindo uma reproducao de algo que jaz alem deste Universo. Neste caso, o maestro seria inimaginavel por nos.

No roteiro da nossa evolucao era imprescindivel que o homem descobrisse como fazer o fogo, para dai fazer os metais e sua tecnologia. Coube a uma lendasugerir como isso ocorreu, metaforicamente falando, claro. Ptometeu condenado junto com Sisifoa rolar uma pedra morro acima ate que conseguissem coloca-la no pico do Monte Olimpo. A certo momento Prometeu desiste de rolar a pedra e ao inves vai furtivamente pelo lado escuro da montanha, sobe-a, alcanca o pico, e nao tendo mais o que fazer ali, rouba a tocha do fogo do trono de Zeus. teria chegado o momento certo do maestro mandar o gene para fogo entrar em acao. Nao poderia ter sido antes porque a humanidade nao estava preparada e nao podia ser muito tarde porque a humanidade poderia sucumbir antes. Seja como for, as enzimas catalizadoras fazem jutamente isso com os genes na embriogenese.

E seja como for, ja esperando que va perder meu tempo e de em nada, eu vou procurar se existe um maestro oculto  e quais suas forssas catalizadoras atuando sobre o conjunto da humanidade. nao espero encontrar o maestro relacionado a reproducao da auto-consciencia, pois isto seria muita pretensao, porem, se houver um maestro dirifgindo a reproducao da galaxia a nivel biologico, nos podemos encontra-lo. E esta super-enzima mencionada neste artigo sera uma das pistas a serem investigadas.

(obs:v oltar ao artigo da phys.org e ver varios outros artigos relacionados a este tema)

http://m.phys.org/news/2016-09-scientists-super-enzyme-dna.html

 Scientists discover how ‘super enzyme’ speeds up DNA repair

September 5, 2016
Credit: Medical Research Council

Scientists from the University of Sussex have discovered how an enzyme, known as PARP3, helps to accelerate the repair of DNA.

In the body, mutations can arise from DNA damage that is not repaired properly, leading to disease, including cancer and neurodegenerative disease. New research funded by the MRC and Cancer Research UK, led by the laboratories of Professor Keith Caldecott and Professor Laurence Pearl at the University of Sussex’s Genome Damage and Stability Centre, has identified how the PARP3, short for poly(ADP-ribose) polymerase 3, recognises and signals the presence of broken DNA strands.

Research has shown that the PARP3 enzyme is involved in the DNA repair process and helps to maintain the integrity of the genetic code, but until now the precise DNA repair activation mechanism triggered by the enzyme was unclear.

Using multi-disciplinary expertise, Sussex scientists have identified the specific steps involved in activating the DNA repair process. When the PARP3 enzyme locates a specific site of DNA damage, it ‘marks’ the damaged DNA with a molecular signal.

This signal is created via a chemical change, involving the addition of a molecule called ‘ADP-ribose’ to the DNA. The DNA is packaged up in a complex called ‘chromatin’ which contains proteins; the team found that the PARP3 enzyme adds the ‘ADP-ribose’ molecule to one of these proteins – ‘histone H2B’.

By marking the precise site of damage the enzyme flags the problem up to specialised DNA repair enzymes that will move in to repair the damage, protecting the cell from potentially dangerous DNA breaks.

The researchers believe this is a vital step towards understanding how DNA breaks are detected, signalled, and repaired, which could in the future enable scientists to create drugs which can better target certain cancers.

PARP3 is one of a superfamily of enzymes that are targeted by PARP inhibitor drugs, a new class drugs used to treat hereditary cancer, including ovarian and breast cancer. Knowledge of how the PARP3 enzyme activates DNA repair will also contribute to improving the understanding, and targeting, of PARP inhibitor drugs.

The research, which took place over four years, also involved nuclear magnetic resonance expertise in Professor Steve Matthews’ group at Imperial College, London, proteomics in the lab of Dr Steve Sweet in Sussex and chromatin biology in the lab of Dr Alan Thorne at the University of Portsmouth.

Professor Keith Caldecott, who led the study, said: “This discovery highlights the value of multi-disciplinary collaborations, combining molecular and cellular biology with biochemistry and structural biology. As a result of working together, we have been able to identify how PARP3 recognises and flags the presence of broken DNA.

“This will be important for our understanding of how cells protect themselves from potentially dangerous DNA breaks. It will also help to provide insight into the mechanisms of action of a new class of PARP inhibitory anti-cancer drugs.”

Ver tambem este outro artigo relacionado ( mas estarei escrevendo outro artigo para isto pois se trata da origem da vida):

New knowledge about the building blocks of life

September 2, 2016

http://phys.org/news/2016-09-knowledge-blocks-life.html

Read more at: http://phys.org/news/2016-09-knowledge-blocks-life.html#jCp

Pesquisa:

PARP3, short for poly(ADP-ribose) polymerase 3

Enzyme (definicao em http://phys.org/tags/enzyme/

Enzymes are biomolecules that catalyze (i.e., increase the rates of) chemical reactions. Nearly all known enzymes are proteins. However, certain RNA molecules can be effective biocatalysts too. These RNA molecules have come to be known as ribozymes. In enzymatic reactions, the molecules at the beginning of the process are called substrates, and the enzyme converts them into different molecules, called the products. Almost all processes in a biological cell need enzymes to occur at significant rates. Since enzymes are selective for their substrates and speed up only a few reactions from among many possibilities, the set of enzymes made in a cell determines which metabolic pathways occur in that cell.Like all catalysts, enzymes work by lowering the activation energy (Ea or ΔG‡) for a reaction, thus dramatically increasing the rate of the reaction. Most enzyme reaction rates are millions of times faster than those of comparable un-catalyzed reactions. As with all catalysts, enzymes are not consumed by the reactions they catalyze, nor do they alter the equilibrium of these reactions. However, enzymes do differ from most other catalysts by being much more specific. Enzymes are known to catalyze about 4,000 biochemical reactions. A few RNA molecules called ribozymes catalyze reactions, with an important example being some parts of the ribosome. Synthetic molecules called artificial enzymes also display enzyme-like catalysis.Enzyme activity can be affected by other molecules. Inhibitors are molecules that decrease enzyme activity; activators are molecules that increase activity. Many drugs and poisons are enzyme inhibitors. Activity is also affected by temperature, chemical environment (e.g., pH), and the concentration of substrate. Some enzymes are used commercially, for example, in the synthesis of antibiotics. In addition, some household products use enzymes to speed up biochemical reactions (e.g., enzymes in biological washing powders break down protein or fat stains on clothes; enzymes in meat tenderizers break down proteins, making the meat easier to chew).

XXXXXX

Dados tecnicos e modelo deste gene no Genome Databank:

Human Gene PARP3 (ENST00000431474.5) Description and Page Index

http://genome.ucsc.edu/cgi-bin/hgGene?db=hg38&hgg_gene=PARP3

xxxxx

Wikipedia:

Poly [ADP-ribose] polymerase 3 is an enzyme that in humans is encoded by the PARP3 gene.

The protein encoded by this gene belongs to the PARP family. These enzymes modify nuclear proteins by poly-ADP-ribosylation, which is required for DNA repair, regulation of apoptosis, and maintenance of genomic stability. This gene encodes the poly(ADP-ribosyl)transferase 3, which is preferentially localized to the daughter centriole throughout the cell cycle. Alternatively spliced transcript variants encoding different isoforms have been identified.

Poly (ADP-ribose) polymerase (PARP) is a family of proteins involved in a number of cellular processes involving mainly DNA repair and programmed cell death. ( cont a ler)

 

 

 

Ribozima que Replica e Transcreve Um RNA Existente como Template, Para Entender o “RNA-World”

terça-feira, agosto 23rd, 2016

xxxxx

Scientists take big step toward recreating primordial ‘RNA world’ of 4 billion years ago

https://www.sciencedaily.com/releases/2016/08/160815185822.htm

Date: August 15, 2016 – Source: Scripps Research Institute

E’ preciso notar e nunca se esquecer que esta ribozima que sintetizaram no laboratorio nao produz RNA, como a noticia parece querer transmitir. Ela precisa de um RNA feito antes, ja pronto. Apenas entao ela pode se ligar a ele, usa-lo como template, para replica-lo e transcrever seu codigo na formacao de outras moleculas vitais, inclusive para fazer o RNA produzir copias de si mesma.

E’ um grande e respeitavel e louvavel passo para as Ciencias e nossa fundamental busca do conhecimento sobre as nossas origens. Porem, o grande problema permanece: Como surgiu, antes dessa ribozima, o primeiro RNA? Teria ele vindo de um outro template ainda invisivel e desconhecido por nos que teria existido a 4 bilhoes de anos atras? E’ o que a formula da Matrix/DNA sugere, e ela se mostra a si mesma como sendo este template.

O presente artigo suscita algumas pesquisas, o que sera’ feito aqui no prosseguimento: 

Pesquisa:

– ribozyme [a special RNA enzyme]

3D structure of a hammerhead ribozyme

                                                       Estrutura tridimensional de uma ribozima

Definicao:

Uma ribozima é uma molécula de RNA com capacidade auto-catalítica semelhante às enzimas. O termo ribozima, em si, deriva da combinação das palavras enzima de ácido ribonucleico. As ribozimas são moléculas de RNA que possuem a capacidade de atuar como catalisadores,ou seja, de diminuir a energia de ativação de uma reação de forma específica. Tal como as enzimas proteicas, possuem um centro activo que se une especificamente a um substrato e que facilita a sua conversão num produto. As ribozimas são menos versáteis que as enzimas protéicas

Questao: O que realmente e’ “catalizar”? Onde existem exemplos na nossa vida real deste tipo de evento? Porque na Natureza e’ necessario “diminuir a energia de ativacao de uma reacao, … de uma forma especifica?”

O que isto significa quando pensamos na formula da Matrix/DNA, apenas no estado de template abstrato, e sendo copiada, manifestada, no mundo material? Bem,… acho que basta pensar num humano-crianca, crescendo no ritmo do ciclo vital. Se ele crescer ( ou nao crescer) em outro ritmo errado, nao vai haver transformacao para adolescente, jovem, e adulto. Entao, a materia bruta do planeta nao tem relogio biologico… ( epa! Eureka?! Foi aqui que comecou este fenomeno de relogio biologico, ciclo circadiano., etc? Ribozimas seriam o ancestral primordial do relogio biologico?), e por nao ter relogio biologico e nenhum outro motivo para controlar reacoes em acordo com algum ritmo metodico, precisava existir as ribozimas que se impoe a essa materia bruta, exigindo, ou tocando, um ritmo e exigindo que os atomos se comportem movendo-se em sintonia com este ritmo. Esta bem… respondida a questao.

Centro Ativo … da riboenzima:

O sítio ativo (ou centro ativo) é a pequena região de uma enzima onde ocorrerá uma reação química. Provém de grupamentos de partes da sequência de aminoácidos. As enzimas são muito específicas para os seus substratos. Esta especificidade se deve à existência, na superfície da enzima de um local denominado sítio de ligação do substrato. O sítio de ligação do substrato de uma enzima é um arranjo tridimensional de aminoácidos de uma determinada região da molécula, geralmente complementar à molécula do substrato, e ideal espacial e eletricamente para a ligação do mesmo . O sítio de ligação do substrato é capaz de reconhecer inclusive isômeros óticos “D” e “L” de um mesmo composto. Este sítio pode conter um segundo sítio, chamado sítio catalítico ou sítio ativo, ou estar próximo dele; é neste sítio ativo que ocorre a reação enzimática.

Buscar outros termos no artigo para pesquisa e Googlar “riboenzyme” e continuar pesquisa.   

 

 

Estao no Caminho de Descobrir como a Natureza “inventou” as Proteinas e Enzimas

segunda-feira, agosto 15th, 2016

xxxx

Quando um gene que executa uma importante função esta faltando ou não funcionando, as chamadas “enzimas promiscuas – porque podem fazer mais funções que a especifica função dela), se juntam e aprendem a executar a missão do ausente gene. Esta descoberta levou os pesquisadores a sugerirem que talvez estas enzimas tenham executado estas funções no passado, em outras criaturas mais primitivas, Como diz o pesquisador: ” Tentar entender  como os novos trajetos surgem, que tipos de mecanismos subjazem as forças que modelam estas trajetórias, e’ essencial tanto para a medicina como para entender a evolução a nível molecular”.

Com isso, os biólogos estão – sem o saberem – tocando o Cosmos. Pois a formula da Matrix/DNA sugere claramente o que são e de onde vieram estas moléculas denominadas enzimas, proteínas, aminoacidos, e quais funções executavam no sistema dito “não-vivo” ancestral de todos os seres vivos e o grande administrador da historia da biogênese. A criatura mais primitive que eles estão procurando esta no céu que nos rodeia e nos estamos dentro dela, como as tais enzimas.  Por isso não pude deixar de dar meu piteco no artigo cientifico postando os dois seguintes comentários copiados abaixo:

‘Promiscuous’ enzymes can compensate for disabled genes

By Laurel Hamers – 12:03pm, August 12, 2016

https://www.sciencenews.org/article/%E2%80%98promiscuous%E2%80%99-enzymes-can-compensate-disabled-genes

xxxxx

AvatarLouis Charles Morelli – 08/15/2016

This research can lead to the jump of knowledge from biological to cosmological evolution. When Betul Kacar says that “the new role played by promiscuous enzymes could have once been its main job”, she is touching the very deeper dimension of evolution. But, this role may have been played in another ancestor system (LUCA) and not by enzymes as we know them today, but by their ancestors. That’s what is suggesting Matrix/DNA Theory.

What is enzymes and proteins? Which are the deep means for their existence? How and why Nature – having only the stupid matter of this lost planet – created these fantastic phenomenon? Answer: Nature has not created them here. They are merely the biological shape of ancestors elements that were performing their functions at the system that created this planet: this galaxy. The system is a spherical circuit where the pieces (astronomical bodies) are aligned just in same sequence that the different shapes of a human body during its lifetime are aligned due the vital cycle. Each protein represents a small slice of the spherical circuit, performing at molecular biological level the function corresponding to that slice. Enzymes are biological representations of astronomical catalysts that avoid, for instance, explosion of bodies. We are finding that the microscopic molecular level is just am exactly copy ( mutated reproduction) of the macroscopic level and we didn’t it before because the modern astronomical model is wrong.

“Trying to understand how novel pathways arise, what kind of mechanistic underlying forces shape those trajectories, is quite essential,” she says. It would be very good for her if seeing the new astronomical models and the Matrix/DNA’s formula for natural systems, like the building blocks of DNA and the building blocks of galaxies, at my website, because they are just equal. Sorry, but, Biology will need to go to Astronomy for really understanding the meaning of each biological phenomena.

Raj Kamal

Promiscuous enzymes appear to be mighty tool of nature to help survival of the living organism as a whole unit thus a dynamic boost for evolution to march forward.

Louis Charles Morelli – in reply to Raj Kamal

Yes, Raj, but their existence was designed in the stars and by Nature. They are the systemic biological counterpart from what we call “fuzzy logics” performed by non-biological systems, like atoms, galaxies… The universal natural formula for organizing mass, energy and light into working systems has seven fundamental functions performed by its seven parts ( as you can see the formula at my website). But at new environment/conditions these fundamental functions are mixed resulting in new sub-functions, this is fuzzy logics and promiscuous enzymes…

E meu post no Facebook:

Louis Charles Morelli –  New York  – 8/16/2016
Descobri agora que na selva eu tinha percebido mais um importante fenômeno que ninguem pensou ainda. Muitas doenças, anemias, são causadas pelo não funcionamento de algum gene. Por exemplo, suponha que o gene para testosterona não funcione, Acho que o cara fica “desinteressado por aquilo, em contraste com a maioria dos homens que só pensam naquilo – estes homens não prestam mesmo…”

Mas sua saude muitas vezes e’ salva porque existem as “enzimas prostitutas” – que os cavalheiros ingleses para disfarçar enganando, as chamam de “promiscuous enzymes”

Cada enzima e’ produzida pelo organismo para desempenhar uma nica e especifica função. Porem tem algumas que alem da sua função, se metem a se unirem com suas iguais quando o organismo esta padecendo pela inatividade de um gene e o grupo executa a função do gene faltante! Sao verdadeiras heroínas, como acho que tem sido na Humanidade as reais prostitutas voluntarias ( não aquelas coitadas que são obrigadas a isso por miséria), pois não e’ fácil sair de sua zona de conforto para fazer o trabalho sujo de outros.

Mas para um filosofo, a todo novo fenômeno descoberto surge logo as incomodas perguntas: como? porque? de onde veio isso? Como a Natureza (ou seja la mais quem for) inventou isso, do nada? E enquanto o filosofo não encontra as respostas ele fica com a cabeça na Lua, por isso já me chamaram nestas ocasiões de “desinteressado”. Não tem nada a ver!

Os cientistas descobriram as enzimas promiscuas recentemente, como digo no meu artigo publicado ontem em meu website, mas eu comemorei a descoberta porque eu já tinha previsto a existência delas a 30 anos atras, como esta garantido pelos meus copyrights!

Não foi a matéria estupida deste perdido planetinha na imensidão cósmica que inventou a profissão de prostitutas e nem a de enzimas prost…. quer dizer, promiscuas. Naaão,.. a existência delas já estava projetada nos céus a 10 bilhões de anos atras, muito antes das origens da vida neste planeta.
Isto e’ facilmente percebido quando você conhece e entende a formula simples que a Natureza sempre usou para montar todos os sistemas naturais, de átomos a galaxias a células a corpos humanos.

Observando a formula – que esta no meu website – nota-se que um sistema natural perfeito e’ composto de sete partes e cada uma executa uma especifica universal função sistêmica. A função numero 4 por exemplo e’ a responsável por criar as peças e coordenar as funções do elemento macho no sistema, então se ela esta fazendo galaxias ela produz cometas representando espermatozoides, gigantes vulcões nos pulsares para ejetarem estes cometas ( então o moderno herdeiro no corpo humano dos vulcões são os…coisa feia!),

Mas então a formula suprema para sistema perfeito ( que na verdade não pode existir pois isto seria o eterno moto continuo e ai terminaria a Historia deste Universo, ela apenas quase chegou perto da perfeição, da sua aplicação total, nos sistemas galácticos), que seria um sistema completamente fechado em si mesmo, se abre como copias diferenciadas para permitir a enorme diversificação de sistemas, especies, indivíduos, que são sistemas abertos em si mesmos. Ela faz isto acasalando duas diferentes funções universais e obtendo uma terceira função como meio-termo. Então se temos F3 e F4, a mistura das duas pode resultar em inúmeras copias de sub-funções, que seriam 3/4,01,ou 3/4,02, e assim por diante.
Assim surgiram os aspectos promíscuos das funções sistêmicas universais. Os físicos e matemáticos ao lidarem com logica descobriram este aspecto da Natureza e chamaram de “fuzzy logics”, que quer dizer elementos de logica difusa, ou confusa.

Graças a este golpe astuto da Natureza ( ou seja la de quem for tenha sido nosso criador), existe a evolução e estamos vivos aqui hoje, senão, o primeiro sistema perfeito estaria se reproduzindo a si mesmo ate hoje, o Universo ficaria patinando sem sair do lugar, e a evolução não aconteceria.

E sabe de uma coisa? Sempre quando o filosofo descobre mais um golpe astuto como este ele fica com os pelos todos arrepiados e não resiste a comemorar o fato. Então me deem licença que vou mandar a disciplina para a tonga da mironga e vou abrir uma cerveja, porque ser prostit…. quer dizer, ser promiscuo, as vezes e’ um ato heroico…….kikiki..

 

ATP Sintase: Como a Terra Copiou do Céu esta Extraordinária Engenharia!

sábado, fevereiro 8th, 2014

Um Motor na Célula Explica o Motor Rotacional das Galáxias?

(Versão dêste artigo em Inglês:  http://theuniversalmatrix.com/en-us/articles/The Cellular ATP Motor came from the Galaxies’ Rotational Motor?!)

Expressando sua admiração pela engenharia  apresentada pela Natureza no processo da ATP sintase o bioquímico e Prêmio Nobel  Paul Delos Boyer exclamou:  “Tôdas as enzimas são de uma engenharia maravilhosa, mas ATP sintase é uma das mais belas, como é também das mais importantes.”

Conhecer o complexo motor sintetizador de energia química que existe dentro da mitocondria na célula vital e assistir  um filme com ele funcionando (veja-o em http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/atpgradient/index.htm ) nos deixam boquiabertos! É um verdadeiro micro-motor, construído dentro da célula!

Veja tambem este excelente vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=XI8m6o0gXDY

Mas… construído por quem, ou pelo que?! Como?! De onde a matéria burra da Terra tirou a idéia para desenvolver tecnologia de motores? Se homens com inteligência existiram durante 10.000 anos fazendo fôrça como cavalos sem se despertarem para essa idéia? Estas questões nos atormentavam em nossa infância e bem antes de descobrir-mos a Matriz olhávamos para todo o Universo e seu passado antes da origem da Vida e não víamos em nenhum lugar nada existente parecido com as coisas que víamos na superficie terrestre, nem mesmo que fosse na forma de protótipos muito simples.  Teria a matéria da Terra inventado isto sózinha? Pelo método do “trial and error” onde todas as possibilidades possiveis de resultados emergentes das misturas ao acaso, num belo dia aconteceu a criação, pela primeira vez no Universo?! Ou haveria alguma fôrça paranormal inteligente atuando na matéria terrestre?! Hoje descobrimos que as duas alternativas são meio erradas e meio certas: a Terra produziu isto porem a Terra é muito mais complexa do que pensávamos e, sim, existe uma fôrça de procedência mentalizada atuando no meio da matéria terrestre, porém, não é uma entidade paranormal, mas sim tão natural como nós somos.

Observe a ilustração abaixo, um desenho artístico do Complexo Motor:

ATP Sintase

Claro que o instinto natural não pode construir arquiteturas tão polidas e perfeitas assim, pois a Natureza trabalha com matéria rebelde cujo intento é alcançar o eterno equilíbrio termodinamico e não ficar trabalhando como escrava produzindo energia para crocodilos e humanos existirem. Portanto a Natureza tem que forçar esta matéria a se especializar numa profissão,  trabalhar, e assim permanecer acessível ao desenrolar da Evolução que desenvolve um processo universal de reprodução genética. Veja como é na realidade, montado com moléculas rebeldes, o tal motor:

Estrutura do Complexo do ATP Sintase

Compare as duas figuras e perceba como a Natureza faz algo e o homem artista aplica sua estética ao representa-la num quadro ou num computador. A ATP sintase é o nome genérico dado a proteínas que sintetizam ATP (adenosina trifosfato) a partir de ADP (adenosina bifosfato) e de Pi (fosfato inorgânico), utilizando para isso alguma forma de energia. A sequência da reação, coordenada pela presença do íon magnésio, é a seguinte:

ADP + Pi → ATP

Mas acho que Paul Boyer subiria nas paredes de tanta emoção se tivesse descoberto que no passado, a bilhões de anos antes das origens da Vida e do ATP,  ainda nos tempos da  Evolução Cosmológica, nos céus ocorria o protótipo do mecanismo que viria a evoluir e construir essa engenharia! De fato ficamos estupefatos com a sugestão da Matriz de que êsse processo é uma cópia feita na matéria terrestre de processos astronômicos ocorrendo no espaço sideral!

A Teoria da Matriz faturou mais esta. Nos seus modelos da anatomia de LUCA – The Last Universal Common Ancestral – surge um motor (ver aqui artigo sôbre motor a vapor), e agora descobrimos, igualzinho ao motor da célula! Desde que LUCA é  um ser astronômico e existente muito antes da “Vida” aparecer na Terra, agora respondemos a pergunta acima: “A matéria burra da Terra – como não poderia deixar de ser – não inventou coisa alguma, e a Natureza tambem não criou nada que ela não tinha antes informação para fazê-lo. O motor molecular é simplesmente mais um normal e natural passo evolutivo que acontece dentro dêste enorme processo de reprodução genética que está ocorrendo desde que o Big Bang deflagrou a origem dêste Universo. Reprodução genética de um sistema natural, vivo e auto-consciente, extra-universal, é o que a Matriz está sugerindo.

Pois a forma e a funcionalidade do motor celular é a mesma forma e funcionalidade de um aparato que bombeia e perpetua os building blocks dos sistemas astronomicos. Mas se a matéria da Terra da superfície terrestre não cria nada do nada, ela presta um grande serviço à evolução porque ela aprimora as arquiteturas ancestrais! A Terra se parece com o japonês que diz: “Garantido japonês imita tudo que outros fazem mas japonês faz ainda melhor né? Sayonara!” Seus pais também fizeram o mesmo quando fizeram você e nossa geração também vai imitar o que fizeram, porém tentando fazer nossos filhos melhores do que fomos.

Na dimensão astronômica, a energia que sustenta o crescimento e maturação de um astro  fornecendo  a fôrça para a dinâmica que resulta no ciclo vital dos astros, é elaborada,  numa primeira fase e na infância dos astros, pela Função Sistêmica Universal N.1, através das ferramentas que ela construiu e constituem o nucleo (um quasar envolvendo um buraco negro), e numa segunda fase, na adolêscencia dos astros, pela Função 4, através de sua ferramenta naquela posição a qual é um pulsar emissor de corpos energéticos: os cometas.  Quando LUCA – o proto-sistema astronômico – tentou se reproduzir com a matéria da Terra houve um amalgama das duas funções, resultando na mitocondria para a célula animal. E como na célula vegetal êle têve maior sucesso reprodutivo, ligou às duas funções anteriores mais algumas propriedades da Função N. 6, através de sua ferramenta ali, que é o cloroplasto. De maneira que a produção de energia quimica ATP na célula nada mais é que uma reprodução das reações nucleares que ocorrem dentro de uma estrêla e de um pulsar, as quais produzem a energia estelar tal como a dadivosa energia do Sol que alimenta nossas vidas neste planeta.

Vejamos primeiro o modêlo teórico do que acontece e acontecia já antes das origens da vida no nucleo do proto-sistema astronômico. O desenho abaixo, feito a 30 anos em precárias condições na selva era o resultado do modelo obtido pela projeção das semelhanças e diferenças entre a primeira célula viva completa e o ultimo mais elaborado sistema natural que a Natureza tinha obtido até os momentos antes das origens da Vida, ou seja, a galaxia. Este modelo seria o link evolucionario que está faltando entre a galaxia e a criatura que ela gerou de si mesma.  Óbviamente este modelo não coincide com o modelo teórico acadêmico de uma galaxia, pois trata-se do building block de sistemas astronomicos assim como o DNA é constituido de building blocks denominados nucleotideos.

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Esta é a anatomia interna do criador que paira no céu. Vejamos como essa anatomia foi transmitida com algumas mutações devido ao novo ambiente para a criatura gerada na Terra:

ATP Sintase no Corpo de LUCA

Na primeira figura do lado esquerdo acima temos a região do corpo de LUCA construída e operada pela Função Sistêmica Universal N.1 que é a responsável pelo nascimento dos sistemas naturais (para ver melhor, por favor, clique na imagem. Prometo que assim que tiver tempo farei uma figura melhor). A poeira e o material degradado de uma estrêla morta sob a rotação da galáxia torna-se um vórtice espiral que denominamos “buraco negro”, circundado pelo material que sobra e que é iluminado pela fornalha nuclear, o qual denominamos “horizonte de eventos” ou “quasar”. Dêste complexo são emitidos os bebês astronômicos, os quais em linguagem literal são corpos energizados na forma de esferas incandescentes. Da segunda figura em diante tentamos dar uma idéia de como o motor que produz ATP dentro da mitocondria já tinha sua forma anatômica projetada na Era Astronômica. Impressionante, não? Como uma Função Universal é um artista que dá sempre o mesmo toque e apresenta o mesmo estilo em qualquer obra que cria, seja na Terra, no céu, ou dentro de uma pequenina célula! Assim como um chinês irá sempre construir sua casa com aquêles estilos de teto curvo piramidal, seja na Terra, na Lua, ou nalgum lugar além do Universo.

Mas se tivessemos os recursos técnicos da NASA ou eu fôsse um perito em web designer nossa figura ficaria mais parecida com esta:

Cosmos

– “Espera aí, não tente me enganar! Essa figura aí é sôbre o nascimento, as origens do Universo, não tem nada a ver com as origens de quasares e buracos negros…”

-“Amigo(a), aprenda a raciocinar com a Matriz. Essa figura tem tudo a ver, o denominador comum entre os dois eventos – seja do Universo ou de uma minhoca na Terra – é o significado sistêmico, ou seja, os dois representam “nascimento”: sempre quando vai haver um nascimento ou inicio de reciclagem de um sistema natural, a Função Universal N.1 entra em ação construindo seu corpo onde ela vai encarnar para operar naquêle ponto evolucionário do espaço tempo. Conhecer e entender a Matriz dos Sistemas Naturais e suas sete Funções Universais é a chave para entender tudo o que faz a Natureza, seja aqui na Terra ou nos tempos do Big Bang. Veja por exemplo como a Função N.1 constrói seu corpo numa outra situação, quando gera tornados na Terra:”

Tornado – Diagrama

Bem, vamos ver algumas ilustrações da parafernália existente dentro de uma mitocondria e dos processos envolvidos na produção do ATP. Fonte dos desenhos: http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/home.htm

Mitocondria

A  ATP sintese acontece dentro de uma mitocondria, uma espécie de usina como as bilhões que você tem no seu corpo. (Uau! Você é usineiro e eu não sabia! Além disso você é muito rico sendo o dono de bilhões de usinas produzindo energia química! Quer vender um milhão delas a um dolar cada?)

Complexo da ATP Sintase

Na figura 2 nós vemos o complexo da ATP sintase (aquela espécie de bomba ao lado direito) acompanhada de outros complexos, incutidos na membrana interna da mitocondria. Há mais um trabalho a fazer aqui: aquêles objetos à direita parecem representar o material degradado proveniente de uma estrêla morta (partes da Função N.7), por isso teremos que investigar o que são, como são formados, etc. (Quem se habilita a fazer isso?)

Proton Gradiente

Na figura 3 observe o Gradiente de Proton formado pela elevada concentração de íons de hidrogênio acima da membrana interna da mitocondria e a baixa concentração abaixo da membrana.  As partículas espalhadas em tôrno do motor não te lembram a massa de detritos formando o horizonte de eventos?

ADP e Pi em tôrno do Complexo de ATP

Na figura 4 vemos os outros elementos, ou substratos,  que vão compor o produto final: ADP e Pi. Justamente, estes elementos lembram a massa degradada que fica no fundo do buraco negro esperando os cometas carregados de energia nova para com eles comporem o astro-baby. É algo como os nutrientes que devem ter no líquido amniótico dentro de um óvulo esperando ser fecundado por um espermatozóide.

Proton entrando no Complexo da ATP Síntase

Na figura 5 vemos os primeiros prótons entrando no complexo da ATP Síntase, iniciando a linha de montagem. Aqui temos outro bom exemplo para entender como a Natureza funciona. Os protons são partículas com carga de energia positiva. Êles vem do espaço exterior, passam pela membrana e entram no motor. Esta cena é idêntica à cena onde cometas contendo energia radiante na forma de magmas expelidos pelos super-vulcões do pulsar se aproximam do nucleo, passam pelo horizonte de eventos e entram no buraco negro. Mera coincidência de cenas? Mas tôdas as cenas observadas dentro de uma célula corresponde a cenas observadas no ciclo vital de qualquer astro. Portanto não pode ser mera coincidência. O mais racional é aceitar a lógica da evolução. Isto é importante por que, além dos modêlos teóricos astronômicos nos ajudar a descobrir e entender as causas e mecanismos dos fenômenos naturais aqui na Terra, podemos utilizar os fatos aqui conhecidos para deduzir como são os elementos e os mecanismos dos fenômenos naturais astronômicos que não temos como observar. Por exemplo, diz a Teoria Nebular Acadêmica que “Os núcleos cometários são compostos de gelo, poeira e pequenos fragmentos rochosos.” (Wikipedia). Óbviamente esta afirmação está cientificamente errada, imprópria, pois a Ciência só pode afirmar fatos realmente constatados que podem ser demonstrados. E ninguém nunca viu ou ao menos fotografou o nucleo de um cometa. O texto devia dizer: “Segundo a teoria mais aceita hoje em dia, o nucleo cometário “deve ser”…”. Bem, a Teoria da Matriz já reuniu muitas evidências sugerindo que o nucleo de um cometa recém-formado, novinho em fôlha, é um bólido de magama energético. Acontece que cometas são os espermatozóides do espaço e dentre milhões de espermatozóides apenas alguns alcançam seu alvo final. A grande maioria que se perde no espaço sideral vai ficar vagando até se decompor. Ora, isto em têrmos astronômicos pode demorar milhões de anos. Nêsse meio tempo os cometas inférteis vagam no meio de poeira estelar congelada, a qual pode se agregar à sua superfície. O nucleo chamejante se apaga, magma torna-se rocha, provavelmente férrea, congelando quando se distancia de estrêlas e aquecendo-se quando se aproxima muito delas. Êstes cometas “mortos” batem com a descrição da teoria nebular, mas o desconhecimento da história tôda conduz a teoria tôda a erros crassos. E o pior: o ser humano está dias e noites, anos a fio, observando no microscópio o interior celular, vendo a cena da produção do ATP, mas chega ao absurdo de acreditar que tôda aquela engenharia fantástica é produto do acaso! Mas acho que quem está conduzindo-o ao êrro é a equivocada teoria astronômica, cuja descrição dos astros e suas funções equivocadas jamais vão permitir ao pesquisador descobrir o verdadeiro processo da evolução.

ATP e o Inicio da Rotação

A parte de cima do Complexo Motor da ATP Síntase gira quando cada novo próton entra no complexo. Justamente como calculei qual seria o segrêdo de manter o vórtice buraco negro em rotação no espaço sideral. É visível que o campo eletro-magnético dentro de uma galáxia rotatória faça com que todos os corpos girem também, porém, isto produziria uma velocidade de giro muito lenta, insuficiente para acender a fornalha e misturar os elementos. Restava apenas a alternativa de que quando os cometas energizados adentrem o vórtice imprimam mais uma fôrça rotatória elevando a velocidade de giro do vórtice, pois cometas vem conduzidos pela espiral rotatória da galáxia e em alta velocidade. Assim vamos transplantando os detalhes que vemos aqui na Terra para entender os detalhes do que acontece no céu.

ATP e a Combinação entre protons, ADP e Pi

 

O Complexo Motor gira como um liquidificador para misturar e combinar os ingredientes produzindo como que uma Vitamina!

Depois que a parte de cima do complexo girou três vêzes, os protons são combinados com ADP e Pi na parte de baixo do complexo para formar ATP. Exatamente como no espaço sideral nasce um novo astro!

É preciso entender que quando a Natureza faz um corpo completo dotado de energia e com autonomia de movimentos ela está inserindo um novo elemento energético pré-programado por ela para executar uma missão especifica num meio ambiente. Esta seria uma definição mecanicista para explicar a função por exemplo de cada novo bebê humano na biosfera terrestre. Mais tarde a Natureza vai precisar que êsse corpo receba mais uma carga de energia específica que é para se reproduzir e assim garantir a perpetuação de tôdo processo: por isso quando um bebê humano nasce ele já possui genes pré-programados para atuarem quando o corpo atinge a fase da adolescência e construírem todo o aparato da reprodução sexual. Assim devemos entender o significado da existência do ATP, uma molécula portadora de energia quimica para desempenhar uma missão no meio ambiente químico de uma célula animal.

Mas a Natureza não queria na Terra que essa molécula entrasse na segunda fase recebendo a segunda carga de energia, pois isto seria o mesmo que reproduzir o sistema fechado de LUCA, inibidor da Evolução. Ela conseguiu evitar essa eterna reciclagem na célula animal impedindo que os genes de LUCA relacionados com a segunda carga entrassem no DNA da célula animal. Mas não conseguiu isso com a célula vegetal onde os genes de LUCA construíram os cloroplastos, êstes fizeram a fotossíntese, que é a face química do processo reprodutor e assim fecharam às plantas as portas da Evolução.

A frase acima expressando a admiração de Boyer, se baseia nos fatos de que quase todas atividades celulares (como o metabolismo) que envolvem gasto de energia requerem ATP; a síntese de ATP é a reação química mais ocorrente no mundo biológico; ATP sintase é a mais abundante proteína na terra, tendo preservado mais de 60% de sua configuração da unidade ao longo da evolução; na escala molecular, sómente o flagelo bacteriano, além da ATP sintase, são conhecidos como motores rotatórios.

É incrível a capacidade de previsão da Teoria da Matriz. Juro que a 20 ou 30 anos atrás nada sabia do motor na célula, apenas sabia que na mitocondria era produzida energia ATP. Quem, não sendo bioquimico, se lembra daquelas aulas no primário? Naquela época no meio da selva sem ter consciência disso, sem jamais pensar em ATP, riscando papeis sobre joelhos na selva, a Matriz me conduziu a desenhar o motor, porém, flutuando no espaço sideral. Lá na selva a 30 anos atrás eu nem sonhava que existiria Internet, através da qual só vim a ver este motor celular pela primeira vez a 3 dias atrás naquele belíssimo filme que pode ser visto no link dado acima. Mas a teoria já havia pré-anunciado que existe uma arquitetura assim na Natureza!

(O tema ATP Sintase deve ser investigado em relação aos outros complexos para desenvolver este estudo)

FIM