Posts Tagged ‘escola’

Sobre a Educacao nas Universidades

quarta-feira, fevereiro 20th, 2019

xxxx

A universidade moderna confere o privilégio de discordar apenas aos que foram testados e classificados como potenciais homens de dinheiro ou detentores de poder. Ninguém recebe um centavo dos fundos fiscais para formar-se nas horas vagas ou para educar outros, a não ser que possa comprová-lo por um certificado. As escolas escolhem para os estágios seguintes aqueles que, nos primeiros estágios do jogo, provaram ser bons investimentos para a ordem estabelecida. Tendo o monopólio, tanto dos recursos de aprendizagem, quanto da atribuição de funções sociais, a universidade escolhe o descobridor e o dissidente potencial. Todo título sempre deixa uma indelével etiqueta no currículo de seu consumidor. Os formados por universidade se enquadram apenas num mundo que coloca etiquetas comerciais em suas cabeças, dando-lhes, assim, a faculdade de definir o grau de expectativa na sua sociedade. Em todos os países, a quantidade consumida pelos formados em universidades fixa o padrão dos demais. Se quiserem parecer civilizados, devem aspirar ao estilo de vida dos formados em universidades.” (Sociedade Sem Escolas, Ivan Ilich)

Educação escolar: Estes assuntos devem serem ensinados na escola?

terça-feira, novembro 20th, 2018

xxxxx

Sobre o Ensino Escolar

segunda-feira, janeiro 2nd, 2017

xxxxx

Penso que nossas escolas estão todas erradas, e tenho militado na tentativa de influenciar mudanças. Agora vejo um texto onde tem boas informações academicas – ensinadas por essa escola – as quais posso precisar mais adiante e por isso registro link para o artigo aqui. Porém, também acho que o artigo está fora de foco e por isso publiquei um comentário, o qual vai abaixo copiado. Já começa com este título muito estranho:

5 coisas terríveis sobre as escolas que você jamais pensou antes

E meu comentario:
Louis Charles Morelli · Fritador de batatas fritas na empresa Self employed – 1/1/2017
Excelente argumentacao e coletanea de fatos. Porem, nao entendo o porque de denunciar algo de forma inutil. O que a autora pretendeu com este texto? Chegar a voz aos pais para ensinarem suas criancas a questionarem? Jamais fariam isto pois eles seriam os primeiros a serem questionados. E nao saberiam como ensinar isto.
E qual o objetivo de uma critica que todo mundo sabe, sem apresentar uma solucao? No caso, o povo mudar a mentalidade dos funcionarios da educacao?
Nao sera’ este tipo de pratica jornalista em si mesmo um efeito da escola, da selecao da midia, tudo vindo da aristocracia dominante?
Creio que eu estou aplicando uma correta solucao, alias a unica que vejo no momento. Procuro questionar o pessoal (alunos e educadores) sobre a veracidade do que aprenderam. Porem, para isso, tenho que estar bem informado sobre os fatos que estudam e tenho que ter em mente uma visao de mundo que de outras explicacoes para estes fatos. A escola e’ a moderna projecao da cultura de 10.000 anos criada pelos humanos com instinto a predadores para manterem seus territorios e suas presas em ordem. Tem-se que combater este instinto e desconstruir esta cultura. Observe meu website e veja como tudo e’ questionado mas para tudo e’ oferecido uma diferente razao. Abracos, e’ bom ter este tema em pauta

Educação Escolar: 15 Minutos de Meditação Transcendental Para Crianças Melhorou Aproveitamento, Diminuiu Violência, Etc.

domingo, junho 5th, 2016

xxxx

Uma grande e oportuna sugestão para ser aplicada no Brasil. A experiencia feita em 4 anos em varias escolas de bairros pobres na California apresentou surpreendentes resultados. Entendo ser um assunto tao util que copio-o aqui para fazer a tradução quando tempo tiver. Com isso descobrimos uma interessanteorganizacao visando a melhoria na educacao, cujo website necessita ser visto:

http://www.cwae.org/ – Center for Wellness and Achievement in Education (CWAE)  

San Francisco Schools Transformed by the Power of Meditation

http://www.nbcnews.com/nightly-news/san-francisco-schools-transformed-power-meditation-n276301

Silence isn’t something people usually associate with middle school, but twice a day the halls of Visitacion Valley School in San Francisco fall quiet as the sixth, seventh and eighth grade students meditate for fifteen minutes.

And school administrators tell NBC News that the violence outside of the school, which is situated in one of San Francisco’s poorest neighborhoods, was spilling into the school and affecting the students’ demeanor.

“The kids see guns on a daily basis,” the school’s athletic director, Barry O’Driscoll said, adding, “there would be fights here three-to-five times a week.”

With a typical schools days filled with mayhem, O’Driscoll was skeptical when the San Francisco Public School District partnered with the Center for Wellness and Achievement in Education to introduce a meditation program, called “Quiet Time,” to four of its schools, including Visitacion Valley.

“I thought this is hippy stuff that didn’t work in the ’70s, so how’s it gonna work now,” O’Driscoll said. But he changed his tune, when over a four-year period, suspensions decreased by 79 percent and attendance and academic performance noticeably increased.

Blocks away at Burton High School, which was once dubbed “Fight School,” the results have been similar. Principal Bill Kappenhagen was skeptical at first, as well, and had to wrangle with the problem of when in the school day to grab a half hour for quiet reflection.

“I was like, ‘There’s no way I’m going to steal time from English instruction or math instruction in order to do that,” said Kappenhagen.

Instead, he decided to extend the school day by 30 minutes for meditation time, which resulted in better academic performance and a 75 percent decrease in suspensions. And students say they’re more conscious of their actions, calmer and less angry.

While Kappenhagen recognizes that “there is no magic wand in education, just like in life,” meditation has been found to increase focus and stimulate a sense of calm, not just during the quiet time, but also for the rest of the day, according to the Mayo Clinic.

Kappenhagen says he know’s he can’t change the environment the students live in when they’re not at school, but he’s glad he’s discovered a way to “help our students find ways to deal with violence and the trauma and the stress of everyday life.”

xxxxx

E como disse alguem nos comentarios:

“Wow, this is great!”, this is what I really wanted to say about this story. Such a simple and wonderful idea, that I think should be introduced in every school. Kids deal with too much pressure on a daily basis, not just in troubled neighborhoods, but *everywhere*. A little peace during the time at school maybe the only peace many of those kids may get all day. And having a peace of mind sometimes is all that is needed to keep on going..

Apesar da seguinte resposta… Mas penso que o tipo de tecnologia tambem e’ problema porque ela e’ discriminada e esta’ sendo produzida por uma ideologia.

BrainCandy-3328906 – 

Technology isn’t the problem. All the sh$t that’s marketed to sell technology is. Don’t blame the tech for what people choose to use it for the most.

xxxx

E esta excelente frase para os que criticaram a meditação nas escolas:

The highest form of ignorance is when you reject something you don’t know anything about.

Wayne Dyer

Tema de Hoje: A Urgente e Necessária Mudança nas Escolas Brasileiras

sexta-feira, fevereiro 6th, 2015

xxxx

Meu comentário postado no artigo com link abaixo:

LUIZ C. MORELLO, 

AUTONOMO, 

Eu não aceito a proposta pedagógica nacional para a escola brasileira que eu sustento e como cidadão sou sócio-proprietário e responsável. Ela falha na formação técnica e mental dos meus filhos para enfrentarem o mundo real. Mais da metade do conteúdo do curriculum educacional tem que ser trocado. Meus filhos estão sendo traídos por uma cultura milenar fabricada por predadores para continuidade de dominação social e o resultado são jovens alienados, interpretando equivocadamente os reais fenômenos naturais e inaptos a dirigirem seus hábitos e comportamentos na busca de melhores condições de vida. Fico pasmo com pais e mães ignorando os males existentes onde estão mandando seus filhos!

Artigo:

Por uma educação mais comprometida

http://www.jornaldelondrina.com.br/opiniao/ponto-de-vista/conteudo.phtml?tl=1&id=1527589&tit=Por-uma-educacao-mais-comprometida

  • *Andrea Pizaia Ornellas
  • 22/01/2015 00:42

Qual sua opinião?

Sindicato dos professores do Rio se mobiliza contra ensino religioso e eu ofereço minha participação

terça-feira, junho 26th, 2012

A matéria está no website do Paulo Lopes, cujo link vai abaixo.

http://www.paulopes.com.br/2012/06/sindicato-dos-professores-do-rio-se.html

http://www.paulopes.com.br/2012/06/sindicato-dos-professores-do-rio-se.html#ixzz1ywSSHMVE

Assim como Deus, se existe,  não apareceu e nada disse sôbre esta noticia, tambem a Matrix/DNA, se existe, nada disse aqui e não podemos mentir desonestamente dizendo que estamos transmitindo sua palavra. Mas assim como os crentes em Deus, e tambem os crentes na não existência de Deus, eu como eleitor da Matrix/DNA intervenho no debate mencionando o que penso ler e interpretar na face da Matrix/DNA, e qual seria sua palavra sôbre o tema. Primeiro vou copiar aqui os tópicos do artigo e dos comentários que se seguem ao artigo que acho interessantes e registrar meu comentário.

1) Artigo: … a entidade vai começar a realizar atos contra o ensino religioso que começa a ser ministrado no segundo semestre nas escolas do ensino fundamental da rede municipal.

R) Louis Morelli: Como?! Mas a constituição brasileira não é como a estadounidense que proíbe a influência de religiões nas decisões do Estado e portanto de qualquer instituição publica pertencente ao Estado? Que Estado é separado de religiões? Se está registrado êste ítem na Constituição Brasileira e alguem desobedeceu, tem que ser retirado do quadro de decisões do Estado e ser punido com multa em dinheiro e tempo de prisão. Não pode haver senões aqui. Se o juíz que for incumbido de julgar o caso tomar decisão diferente tambem estará agredindo a Constituição e deverá ser punido da mesma maneira.

Religiões (assim como visões do mundo, cosmovisões, filosofias, ideologias, etc.), devem serem vistas como produtos de algumas mentes humanas nas suas operações buscando explicações para existências dos fatos reais e dos eventos ocorridos que sugerem ao restante das mentes humanas a existência de fôrças invisiveis e imperceptíveis aos sentidos humanos que estariam envolvidas em tais fatos e eventos.  Portanto são religiões tôda asserção a  fôrças ou elementos aos quais não foram oferecidas provas pelo método cientifico enquanto êste se resume à compilação das fôrças e elementos que são causas comprovadas dos fatos e eventos reais. Portanto na gama das religiões são arroladas as crenças em deuses não comprovados, assim como as crenças nas teorias naturalistas ( teorias do Big Bang, da abiogênese, e em certo grau, a teoria da Síntese Moderna enquanto baseada na teoria da evolução neo-darwinista que ainda não comprovou serem seus postulados universais as causas fundamentais dos fenômenos que estuda), e como a crença na teoria da Matrix/DNA.

Acertado isto vem as perguntas: a escola publica deve conter em seu curriculum educacional um espaço para informar os alunos de que existem as religiões e o que são, cada uma delas? A Constutuição Federal não proíbe isto? Todos os cidadãos da nação devem retirar parte dos produtos de seu trabalho ou posses para sustentar êste espaço, se fôr aprovado? Ou se existem cidadãos que não autorizam que uma parcela de seus produtos pagos ao Estado sejam destinados a êste espaço e portanto devem ser respeitados em suas decisões, aos cidadãos que concordarem pagar por tal espaço serão obrigados a construir suas escolas privadas?

Quanto ao curriculum educacional atual, quais as   fronteiras em cada área, da Biologia, da Física, da Quimíca, da Geologia, da Matemática, entre os fatos e eventos reais comprovados pelo método cientifico e as interpretações teóricas feitas por quaisquer cidadãos sôbre tais fatos e eventos? Delineadas as fronteiras, e identificados as matérias concernentes às teorias, enquadrados os espaços tomados por estas teorias, como serão resolvidas tendo em vista as questões acima?

Minha sugestão: Apesar de intangível, inapalpável, invisível e indefinida, o fenômeno mental, que consiste no conjunto de todos os pensamentos produzidos nas sinapses das conexões neuroniais no cérebro humano, foi provado pelo método cientifico que é um elemento ainda abstrato mas do qual emana uma fôrça real capaz de interferir e dirigir a matéria, não só a limitada a corpos humanos como aseus efeitos no mundo exterior a tais corpos, inclusive afectando o Estado. Portanto, esta fôrça, seu suposto elemento causador que é a mente e seus efeitos, suas produções, devem sim, serem inseridas no curriculum educacional das escolas publicas. As religiões, as ideologias, as cosmovisões, as teorias cientificas, são tais produtos. Tôdo aluno deve ter o direito de poder absorver o conhecimento d6estes produtos, suas origens, histórias e estados atuais, para que não tenham que reinventar a roda, repetir êrros comprovados que outros cometeram, e assim, conhecedor de tôdo o existente, ter sua mente livre sem qualquer tipo de coerção ou direção, para escolher um dos produtos existentes ou elaborar o seu próprio… e requerer que, no caos de ter elaborado um novo e inédito produto, seja considerado em juízo sua inclusão no curriculum educacional.

Enquanto ninguem vier discutir as conclusões acima, e apresentar fatos ou eventos reais que disprovam tais conclusões, continuarei firme a defendê-las publicamente denunciando que no atual curruculum educacional existem muitos êrros. E militarei ativamente quando ocorrer sugestões ou medidas efetivas que aumentem tais êrros, como por exemplo êste fato denunciado pelo Sindicato dos Professôres do Rio de Janeiro. E particularmente publico minha opinião de não entendimento do porque os pais dos alunos em tais escolas estão aceitando estas agressivas contravenções da lei constitucional contra a saúde mental de seus filhos.

( Tenho que interromper agora êste artigo, mas voltarei para termina-lo)

Massacre na Escola: Jovem Deixa Carta Para Pensar-mos a Juventude Moderna

quinta-feira, março 8th, 2012

TJ-Lane-is-the-alleged-gunman-who-from-Chardon-High-School-that-shot-students

Na estação orbital russa a 10.000 milhas da Terra passo apressado em frente a uma televisão que anuncia mais uma tragédia numa escola. Termino meu trabalho e me aproximo de uma janela. Olho para o planeta que parece um ôvo azul flutuando num espaço vazio sem fim. Volto meus olhos para alem dêle, à sua esquerda e vejo tambem flutuando no espaço uma bola branca menor. É a Lua. Mais distante delas vejo outras “bolas solitárias”, que parecem existir por tôda eternidade sem sentido algum, parecem iguais ao ôvo azul. Quando me viro para a direita, aí sim, um certo deslumbramento me fascina: uma espécie de grande esfera vertendo como que um fogo ininterrupto, eterno, lançando raios luminosos que invadem o espaço iluminando-o até quando o espaço consegue contê-los e engoli-los para dentro de sua escuridão infinita. Êste é o mundo real, tudo o que vem agora são interpretações humanas, teorias, sôbre possíveis significados, talvez alguns propósitos inteligiveis. São as nossas apostas e crenças com que impregnamos com nossa imaginação esta imagem de corpos redondos materializados jazendo num espaço sem fim, são as nossas lendas para tentar explicar a história desde quando nossos antepassados surgiram na superficie de um dêsses bólidos silenciosos, quase imóveis, flutuando…flutuando… sem destino algum aparente.

Mas então entro numa nave com destino à esta imagem de “ôvo azulado” e quando me aproximo dela, começo a ver as cidades iluminadas, e me lembro que existe a espécie humana, cavalos, borboletas, navios singrando oceanos. Algo me inciomoda, algo não está certo, porque algo não tem explicação inteligivel, porque minha mente não consegue processar estas informações, estas cenas que vejo agora. Minha cabeça fica girando para trás, meus olhos observando o espaço sideral e seus pontos materiais ao longe, detem-se mais tempo na enorme esfera luninosa, e gira para a frente, observando lá embaixo a cidade cujos contornos já se tornam visiveis, os faróis de carros nas ruas e até alguns seres humanos caminhando, e nada faz sentido. Não tem como conectar racionalmente as duas imagens que vejo, o eterno e silencioso quadro de pontos materiais flutuando no espaço e os corpos que se movem na superficie dêste ponto materializado e azulado. A primeira e inevitavel pergunta fica ribombando em minha mente, me cutucando como se uma agulha a estivesse penetrando dolorosamente: ” Como é que êste mundo imóvel de espaço escuro, frio, infinito, produziu estas formas materializadas que existem e flutuam sem sentido aparente? Mas, e depois, como foi que êsse sistema móvel de corpos materiais, muito lento mas que se move, produziu, criou, gerou, êstes corpos que parecem muito complicados, a caminhar nas ruas?! Onde e como a rocha mais água se transformou em carne, cabelos?! Porque?! Para que, Meu Deus?! Com que objetivo, onde vai dar isto tudo? O que existe de oculto no sistema solar que criou esta vida?! Se olho para todos os lados e nada vejo que possa responder essa descomunal questão? Isto parece mágica, não é possível acontecer se me baseio apenas no que percebo do mundo e nas minhas experiencias nesta vida.

Desço na superficie do “ôvo azul” e saio a caminhar nas ruas. Sou agora mais um igual aos seres humanos. Passo em frente a uma loja exibindo uma grande tela de televisão onde um repórter fala que o assassino da escola se perguntava na adolescencia para que êle existia. E me retorna a pergunta. Para que existo assim? Porque, como o fêz, e para que o fêz, a grande esfera luminosa e mais esta composição de terra e água, ao criar arrancando de sua extrema simplicidade e inércia eterna, êste corpo e depois êste “eu semi-consciente” que nêle está conectado, aprisionado, nêste momento?! Êste “sistema” perdido no espaço infinito é um meu ancestral, como o foi uma bactéria, um réptil, mas o que êle contem que produz essa mágica? Tenho a sensação de existir apenas para responder esta questão, solucionar êste mistério, e então apenas esta razão me parece que já justifica eu existir aqui e agora e do jeito que sou.

Mas tem outros seres humanos que não podem ir à estação espacial russa para ter essa visão, nem ao menos conseguem imaginar essa viagem e a paisagem que veriam se a realizassem. Entre êles existe um que recebeu o nome de T.J. Lane, o protagonista da tragédia na Chardon High School, em Cleveland, que tem hoje 17 anos. O “eu semi-consciente” que se chama Lane era igual a mim até a alguns meses atrás, existindo perturbado por essa pergunta e existindo apenas pensando nela, vivendo para essa pergunta. Para que estou existindo, o que sou aqui, o que é este mundo, o que há de misterioso que êle esconde por trás de sua bruta simplicidade? O que devo fazer, o que devo visar como meu objetivo supremo nesta minha vida?!…

Mas eu continuei me contorcendo debaixo desta pergunta, me arrastando pelas ruas e carregando-a como um fardo pesado ou um carrapato agarrado nas minhas costas, movido pela crença que devo continuar caminhando porque, se não vejo um caminho racional, um mapa que me leve à arca onde está a resposta, ao menos me alimenta a crença em que o caminho se faz ao caminhar. Nada mais que isso, me movimento já em idade avançada como um automato tentando vencer obstaculos e abrir caminho, prosseguir, adentrar cada vez mais a escuridão que circunda êste mundo e o faço porque ainda tenho esperanças de lá chegar, pois vejo o que fiz, o que avancei, o que descobrí e desvendei que estava escondido, e foi muita coisa. Até cheguei a visualizar o código primordial criando a Vida assentado no espectro magnético das ondas de luz! Agora ando perseguindo a luz por toda parte, acho que nela jaz o segredo. Enquanto isso Lane aos dezessete anos acreditou de repente que tinha desvendado o mistério, que estava tudo solucionado. A resposta que explicava o elemento oculto no sistema solar que criou a vida na superficie do ôvo azul” é, para êle uma entidade não material que ele nunca soube explicar direito, ao qual êle deu o nome de “Deus”, e êle está convencido que este elemento existe e explica essa criação tôda. Quando procurou a explicação para a existência de seres humanos e porque existem assim, dessa maneira, êle encontrou uma e nela acreditou piamente: são criaturas que se tornaram malignas, que resolveram por si mesmas o que fazer de suas vidas, sendo que seu comportamento é contrario ao planejado por “Deus”. É preciso consertar o mundo, extirpar essas criaturas malignas dêle, para que “Deus” retorne em seu plano, e é isto que vou fazer. E assim Lane fêz: num belo dia pegou um revolver foi para a escola, e lá chegando começou a atirar em todo mundo: “Que morram todos vocês”! É o que seu semi-consciente se dizia a si mesmo enquanto ele matava seres humanos.

Quais seres humanos estão mais certos? Quais são os mais inteligentes? Os que deixaram-se dominar por essa pergunta e sempre terminam por encontrar algum tipo de fantasma imaginario que se torna uma força real, irresistivel, a ponto de anular sua inteligencia, tomar o lugar de seu semi-consciente e dirigir os movimentos de seu corpo, guiar suas mãos a fazer isso e não aquilo? A êstes seus fantasmas imaginários os tornam fanáticos, fundamentalistas, e até auto-suicidas. Ou os que, ao quais se contam aos bilhões, arrancaram esse carrapato de suas costas, pegaram-no pela goela e lhe disseram: “A partir de hoje seu nome será Deus. E serás assim como ei o defino e como eu determino. E veja se fica quieto no seu lugar sem me encher o saco!” E simplesmente vivem o caminho que o sistema solar lhe fornece, sem forçar nenhuma direção, nenhum caminho próprio de sua vontade, tentando apenas saborear o maximo possivel as coisas que encontra no caminho que lhe dão prazer, às vêzes olhando para o carrapato e lhe atirando aigumas migalhas de sua moral mas sempre cobrando, pedindo,uma recompensa. sào a maioria dos religiosos não-fanáticos. Estão certos? Em que grupo você se classifica? Meu fantasma imaginario agora é a luz natural, existo agora perseguindo-a, tentando vê-la melhor, tentando toca-la, porque acredito que ela contem o código, ela é arca dos segredos, e êsse tipo de semi-conciente continua trabalhando, produzindo o que consome e se ajustando de alguma maneira no ambiente social. O efeito da minha existencia é a de uma força que está tentando conduzir outros seres humanos por um novo caminho, mas enquanto isso, fica desejando a evolução e o progresso intelectual de todos os seres humanos, que continuem a existir porque se eu não conseguir chegar e abrir a arca certa, as futuras gerações humanas terão a chance de fazê-lo. Com isso, jamais me passará pela cabeça que devo empunhar uma arma e sair matando criaturas humanas. Nós somos os grupos tachados de “agnósticos”. Temos hipóteses, teorias, nenhuma certeza. E dentre os primeiros tem outros cuja crença na sua resposta final ao misterioso elemento, os torna uma força aniquiladora de criaturas humanas. Compoem os exércitos das cruzadas, as côrtes da inquisição, os grupos terroristas, ou apenas são lobos solitários como Lane. Estarão estas pessoas mais próximas da verdade? Seria preciso limpar a terra das suas criaturas malignas e deixar deuses prosseguirem em seus planos?

O que há de comum entre eu e o Lane, alem de ser-mos criaturas humanas, é a experiencia de nossa existencia durante a infancia. Pelo que êle diz na sua carta, ele viveu como eu: sem familia, sem dinheiro, sem amigos, sem poder continuar frequentando uma escola, passando a maior parte do tempo na rua procurando sem saber exatamente o que, curvado sob o bombardeio contante dessa pergunta: “Para que existo?” Nosso caminhos se separaram quando no seu começou a se formar a imagem de seu deus e a idéia de que os outros seres humanos, que sempre tentaram escraviza-lo e sempre se riram dêle a partir de seus territorios estabelecidos às margens das ruas, são criaturas malignas, idéia essa que fêz crescer um estado de ódio, o qual transbordou naquele dia fatal. No meu caminho não apareceram respostas tão cêdo, continuei a andar procurando-a, passei a fase da analize das criaturas, não houve o processo que leva ao ódio. Mas então apareceu a carta de Lane que é uma confissão do estado mental em que ele se encontrava quando nossos caminhos se separaram. Vou ler esta carta com muita atenção, varias vêzes, porque me interessa. Ela pode ter a explicação do porque tenho fracassado no intento de arregimentar os deserdados como eu para fazerem o caminho que acho mais certo. Alem disso ela pode sugerir uma providência para evitar que no futuro tais cenas se repitam. Por isso a reproduzo abaixo tentando primeiro traduzi-la ( o texto em inglês vai a seguir para os que não entenderem a tradução).

Aqui está a carta escrita pelo suposto pistoleiro TJ Lane, um jovem americano de 17 anos, que era visto como um campones:

” Passou-se um longo tempo antes de saber que deveria se arrepender. Foi o Renascimento. Em uma pitoresca cidade, sózinho, senta-se um homem com uma carranca. Nenhum trabalho. Nenhuma família. Nenhuma coroa. Sua sorte tinha se esgotado. Perdido e sózinho.

As ruas eram sua casa. Seus pensamentos eram unicamente compostos de “por que nós existimos?” A sua única companhia era confiar nos vermes na rua. Ele ansiava por apenas uma coisa, o mundo se curvar a seus pés.

Eles também devem sentir o seu medo secreto. O lúgubre sonho sombrio. Sua dor o havia feito sincero. Ele era melhor do que o resto, todos aqueles que ele detesta, dentro de seus castelos, tão vaidosos. Egoístas e vaidosas, vaidosos.

Eles não poderiam se importar menos com os camponeses. Eles o maltrataram. Eles estavam em seu próprio mundo, o qual para eles era uma alegria também. Nêsse castelo, êles estavam apenas a fazer tudo o que podia para manter os camponeses na baía, o inimigo para longe.

Eles não tinham inimigos em sua orgia imunda. E nela, cada castelo com sua história, era apenas uma outra câmara do Laboratório de Lúcifer. O mundo é seguro para todos os pecadores miseráveis.

Eles simplesmente criam o que eles querem e fazem-se os vencedores. Mas o verdadeiro vencedor, êsse não tem nada. Suportando a dor da espera para o castelo cair. Através de suas boas ações, êles são os ratos e as pulgas.

Ele terá o que ele pede, através da erradicação da doença. Assim, para o castelo, ele prossegue, como uma brisa sinistra através das árvores. “Para trás!” Êles gritarão, quando seus guardas forem lançados de joelhos. “Oh Deus, tem misericórdia, por favor!”

O castelo, êste se engasgou e assim têve prêsa sua respiração, para os confins rasos do seu peito frágil. Eu estou no cordeiro, mas não sou nenhuma ovelha. Eu sou a morte. E você sempre foi o gramado. Tão repulsivo e tão estranho.

Você nunca mereceu a presença de Deus, e ainda, eu estou aqui. Em torno de seu berço êle ronda. Veio a pé, sem calçados. Como impróprio, como rude. No entanto, eles não se importam com a lama nos meus pés, se não há sangue em sua palma.

Agora! Sinta-se a morte, não apenas zombando de você. Não apenas perseguindo você, mas dentro de você. Contorcer e se contorcer. Sinta-se menor sob o meu poder. Apreensão da peste que é a minha foice. Que morram, todos vocês!”

Em 20 de janeiro de 2012 às 16:59, Lane escreveu no Facebook, “Escreví isso na sala de aula um dia …”

E assim Lane irrompeu na escola apontando o revolver para estudantes e atirando: “Que morram todos vocês!”.

Qual o elemento, a força natural, que ainda se oculta no sistema solar, que produziu através de sua “evolução”, um fenômeno com uma cena dessas de tamanha complexidade mostrando um evento como êsse?!

A eterna e maldita pergunta, o incomodo carrapato, ainda continua, e não entendo como pessoas conseguem viver sem ouvi-la ou prestar-lhe atenção. Me parece que essas pessoas reduziram os horizontes de seus olhos para verem apenas o que existe de imediato ao seu redor, e assim se esquecem ou não veem que tudo isso surgiu dentro e foi feito por um sistema solar que são meras bolas flutuando num espaço escuro sem fim. Os animais irracionais tambem se comportam dessa maneira exclusivamente prática, mas como as criaturas humanas não são irracionais, inventaram uma imagem fantasmagórica como sendo o elemento que “criou” e assim escapam dessa pergunta.

Mas o principal que nos traz aqui é analizar as causas que constroem personalidades como a de Lane, porque precisamos tomar providências contra estas causas já que seus efeitos são para nós uma tragédia. Escolas no mundo todo estão povoadas com estas mesmas personalidades, se tornam adultos com uma certa potencialidade de ação. O que está nas raízes das causas? Existirá algum procedimento para eliminar essas causas? Porque dentre estudantes existem aquêles com personalidade de víbora, que possuem um veneno oculto que não conseguem conter, e que o extravasam tôda vêz que vê aquela criatura humana que se comporta diferente do que eles queriam? Que se recusam ou não se sujeitam ao seu dominio? Valeu a pena aos protagonistas do “bulling” perante as pessoas que morreram devido sua ação? Onde estavam os principios dêste veneno, o protótipo da víbora, no sistema solar a 4 bilhões de anos atrás?!

O modêlo teórico sôbre como eram e porque existiam os astros da galáxia a bilhões de anos atrás, que apresento na Teoria da Matrix/DNA, sugerem uma explicação racional para tudo isto. Resumindo, existe uma tendencia da matéria a se organizar como um paraiso para si mesma, num estado de equilibrio termodinamico, e isto ela conseguiu quando se organizou como galáxia. Observando-se o quadro dêstes astros conectados num sistema, parece-nos a imagem de uma serpente engolindo a própria cauda, uma extrema forma do egoísmo. Mas de cima dela veio uma fôrça entrópica que a está fragmentando em seus “bits-informação”, que atuam como genes semi-vivos, e que se reorganizam na forma de sistemas celulares, daí para a de humanos. Assim nosso semi-consciente ainda é um embrião que vive subjugado pelas leis, fôrças e tendencias da matéria que compoem nossos corpos. Enquanto isso nessa matéria, através de seus genes semi-vivos, tentam reproduzir organicamente aqui seu saudoso paraiso celeste. O grupo dos “miseráveis pecadores” no dizer de Lane se refere aos genes que chegaram antes, se apoderaram dos territórios e recursos disponiveis, fizeram seus castelos-paraisos e quando Lane chegou, um outro gene-semivivo herdeiro da mesma serpente celestial, e quis refazer seu paraiso celeste, não havia mais espaço. Os estudantes não queseram dividi-lo com Lane, a Lane seria insuportavel viver sem seu paraiso, e como a serpente mais poderosa do Universo, preferiu se eliminar mas levando junto os causadores de sua desgraça. No fim, parece que é mais um caso de “cobra engolindo cobra no simples reino da matéria onde ainda não se despertou um intelecto cósmico”, porem o maior problema é que estes desfêchos sempre causam vitimas que nada mais tem a ver com a serpente celestial.

Por enquanto ficarei pensando e deixarei o leitor pensando, mas êste tema terá prosseguimento aqui. Meus olhos zigue-zagueiam entre o sistema solar e a cena da tragédia na escola e continuarei a buscar os elos que fazem a conexão entre as duas cenas.

xxxx

A seguir o texto em inglês publicado em:

GlobalGrind.com

http://globalgrind.com/news/tj-lane-alleged-gunmen-chardon-high-school-shooting-letter-die-all-you-details

Here is the letter written by the alleged gunman T.J. Lane:

In a time long since, a time of repent, The Renaissance. In a quaint lonely town, sits a man with a frown. No job. No family. No crown. His luck had run out. Lost and alone.

The streets were his home. His thoughts would solely consist of “why do we exist?” His only company to confide in was the vermin in the street. He longed for only one thing, the world to bow at his feet.

They too should feel his secret fear. The dismal drear. His pain had made him sincere. He was better than the rest, all those ones he detests, within their castles, so vain. Selfish and conceited.

They couldn’t care less about the peasents they mistreated. They were in their own world, it was a joyous one too. That castle, she stood just to do all she could to keep the peasents at bay, not the enemy away.

They had no enemies in their filthy orgy. And in her, the castles every story, was just another chamber of Lucifer’s Laboratory. The world is a sandbox for all the wretched sinners.

They simply create what they want and make themselves the winners. But the true winner, he has nothing at all. Enduring the pain of waiting for that castle to fall. Through his good deeds, the rats and the fleas.

He will have for what he pleads, through the eradication of disease. So, to the castle he proceeds, like an ominous breeze through the trees. “Stay back!” The Guards screamed as they were thrown to their knees. “Oh God, have mercy, please!”

The castle, she gasped and then so imprisoned her breath, to the shallow confines of her fragile chest. I’m on the lamb but I ain’t no sheep. I am Death. And you have always been the sod. So repulsive and so odd.

You never even deserved the presence of God, and yet, I am here. Around your cradle I plod. Came on foot, without shod. How improper, how rude. However, they shall not mind the mud on my feet if there is blood on your sheet.

Now! Feel death, not just mocking you. Not just stalking you but inside of you. Wriggle and writhe. Feel smaller beneath my might. Seizure in the Pestilence that is my scythe. Die, all of you.

On January 20 at 4:59pm Lane wrote, “much obliged to all who “liked” this. Wrote it myself in class one day…”

Read more: http://globalgrind.com/node/827141#ixzz1oVMM4Xht

xxxx

Teoria da Evolução na Escola: Senador na Flórida Quer Prova Científica.

sábado, abril 30th, 2011

Artigo publicado no site-jornal FloridaToday.com …

http://www.floridatoday.com/article/CD/20110413/OPINION01/104130301/Our-Opinion-Evolution-Again–  …diz que o senador Stephen Wise apresentou um projeto de lei recomendando “Uma completa apresentação e critical análise da teoria científica da evolução.”  Claro, a comunidade materialista se levantou em desacôrdo, encabeçada pela NCSE – National Center for Scientific Education, cuja meta principal é ” defending the teaching of evolution in public schools”. Isto porque os materialistas vêm no projeto de lei a intenção de infiltrar a teoria criacionista do Intelligent Designer nas escolas publicas.

Vejamos o artigo (ainda em Inglês e á espera de que alguma alma boa e colaboradora que tenha tempo o traduza), grifando trechos em vermelho que a seguir serão comentados pela cosmovisão da Matriz/DNA
 

Our Opinion: Evolution? Again?
Sen. Wise should give up on this crusade
5:04 PM, Apr. 12, 2011
As Florida entertains starry visions of world class schools and a technologically savvy 21st-century workforce, science plays an ever more important role in the education of our young people.

Our Legislature has implemented improved science standards and it has worked to find ways to gauge how its students are understanding the sciences.

But in the wide world of science — from the creation of galaxies and incredible advances in nanotechnology to the basic introductory studies of botany, biology, chemistry and physics — there’s always the one word that manages to gum up everything. Evolution.

Matriz/DNA: “Mas a própria comunidade cientifica, em suas teorias cientificas, não está obedecendo à crença de que a apalavra Evolução cola tudo entre si, da criação das galáxias à botânica. Pois por exemplo, na Teoria da Abiogênese, a passagem da matéria inanimada para a Vida teria sido um acontecimento fortuíto, não teria obedecido os três postulados básicos da teoria da Evolução: VSI – Variation, Selection,Inheritance. Então por essa teoria a botânica e a biologia, ou seja, a Vida, não está colada pela Evolução ao que existia antes: átomos, planetas, galáxias. Ou tem falhas na Teoria, nêstes três postulados, ou o Senador está certo. Outro caso é a passagem do cérebro do macaco para a auto-consciência. Como a Teoria da Evolução cola os dois?! Por outro lado, a Teoria da Matriz/DNA quando apresenta a fórmula da Matriz/DNA, cola tudo.”

That word is back again this year, in Senate Bill 1854, introduced by state Sen. Stephen Wise, R-Jacksonville. The bill addresses the teaching of the Bill of Rights, the Declaration of Independence, the flag, the Holocaust, even kindness to animals. And, in one fragment, it demands: “A thorough presentation and critical analysis of the scientific theory of evolution.”

There he goes again. Sen. Wise used identical language in a previous bill that failed to become law. It’s almost pitiful, that this is what the deniers of evolution are reduced to. In this country, lawmakers have mandated teaching only the Biblical story of creation. The courts killed it. Then it was creationism. Dead. Intelligent design. Dead. So now it’s a “critical analysis.”

There are several problems here.

First, “a thorough presentation and critical analysis” of any area of science is a career, not a unit in a high-school course.

Matriz/DNA: “Muito Correto”.

Second, how “thorough” do we want this? Should teachers present the theories of the Flying Spaghetti Monster (Pastafarianism), a satirical intelligent design concept that has found great popularity on the Internet?

Finally, why just evolution? Why not invite “critical analysis” of the Holocaust or our basic rights?

This state has big issues to face. It has budget problems measured in the billions. It has teachers rebelling against new ways of grading them and paying them. It has students who aren’t measuring up to their peers in the rest of the world. And we’re going to nitpick about evolution.

Matrix/DNA: “Mas êstes macro-problemas que não apenas o setor educacional mas todos os outros estão enfrentando são causados pela falta de visão das gerações anteriores que não possuíam uma correta visão da realidade do mundo e por isso não fizeram o planejamento adequado. É claro que os seres humanos desde a juventude devem serem ensinados também na filosofia de pensar e analizar os horizontes mais amplos, além do imediatismo.”

As innocuous as this small section of the bill seems, it should be removed. The injection of religion into a scientific theory — which obviously is what SB 1854 seeks to foster — has no place in the public school classroom. Period.

Matrix/DNA: ” O problema é que existem êrros nos textos do material didático atual e equívocos na mente do Senador. Se o senador é criacionista e pretende imiscuir sua religião êle está errado. Mas a teoria do Intelligent Designer tem reais tópicos cientificos, como a irredutível complexidade dos sistemas biológicos à sôpa primordial terrestre composta pelos ingredientes sugeridos pela Ciência, o desenhista inteligente pode ter sido um natural extraterrestre, etc., e acho que ela deve ser mencionada no texto escolar… sem religião. Do Brasil aos Estados Unidos o texto escolar quando vai falar das Teorias do Big Bang,  teorias das origens de galáxias e estrêlas, assim como a Teoria da Evolução, começa corretamente mencionando a palavra “teoria” mas logo a seguir começa a falar em “certeza”, em “verdade cientifica”, tanto que no final do texto a criança acabou doutrinada, ou seja, se esqueceu que se tratam de teorias e não se apercebe que, na verdade, os adultos quase nada sabem disso, está tudo ainda para ser pesquisado. Pronto. Matou-se o livre-pensamento, a liberdade da criança, e tal como os filhos dos fundamentalistas islâmicos, jamais vão ter a capacidade para analizar criticamente o que os adultos lhe passaram. Porque Louis Morelli foi o unico homem informado com o conhecimento moderno cientifico e com o conhecimento antigo religioso que encontrou uma terceira teoria alternativa obedecendo tôdas as leis cientificas comprovadas e ao mesmo tempo deixando uma porta aberta para a existência dos deuses das várias religiões? Porque na selva o homem é doutrinado pela Natureza, e esta é a única escola, a unica Mestra confiável.” 

Modêlo Cosmológico de Brasileiro Ganha do Modêlo Internacional Ensinado Nas Escolas!

quinta-feira, março 10th, 2011
xxx
Galáxias Distantes Reforçam a Teoria da Matriz/DNA

Na imagem, o amontoado de pontos vermelhos mostra grupo de galáxias mais distantes já encontrado.

Bilhões de estudantes – incluindo todos nós dessa geração –  podem ter aprendido  na escola uma teoria equivocada que foi ensinada não como sendo teoria, mas verdade comprovada! Se isto for realmente comprovado em breve, repetir-se-á o que ocorreu por volta de 1500, quando por milhares de anos a Humanidade acreditou que era o Sol que girava em torno da Terra, um simples estudioso que não seria considerado nem um astronômo amador nos tempos modernos, ousou dizer que estava tudo ao contrário! Mas os fatos não permitem que um engano dure por muito tempo, e novos fatos reais fazem com que se começa a descobrir a verdade. No curriculum escolar de todo o mundo ensina-se que depois do Big Bang se formaram galáxias e depois os sistemas estelares, quando há uma nova teoria de um autor brasileiro que não é astronômo sugerindo que foi ao contrário. Ao invés da galáxia mecânica e matemática dos físicos o novo modêlo sugere uma galaxia semi-mecânica/semi-biológica que preenche os requisitos necessários para o mundo ter gerado os sistemas biológicos, ou seja, os seres vivos. O brasileiro passou seis anos na selva amazônica  estudando sistemas naturais e foi conduzido pelos resultados de seus calculos  baseados na biosfera da selva virgem a se interessar pelo sistema astronômico à nossa volta, pois seus resultados apontavam para o céu onde estaria a fonte das fôrças que geraram a Vida na Terra. Mas a solução exigia que o céu fôsse diferente do que transmite a denominada Teoria Nebular Astronômica, que faz parte da Standard Theory, a qual é mundialmente aceita em tôdas as academias de Ciências. 

O brasileiro têve que registrar no Brasil e nos Estados Unidos a 25 anos atrás os direitos autorais de uma fórmula e como argumento a favor tinha que incluir seu modêlo cosmológico, muito a contragôsto porque astronomia, cosmologia, não eram suas especialidades e não podia acreditar que seus modêlos estavam certos e o mundo errado. Mas nos ultimos 25 anos tem acompanhado de perto tôdas as noticias astrônômicas e descobertas científicas publicadas e a cada nova descoberta sempre acontece o mesmo: os textos dizem algo como “este novo fato ou novo mecanismo não se encaixa adequadamente nas correntes teorias e indica que devem serem revisadas”, ou então, principalmente em astronomia é comum a cada nova foto ou elemento capturado no espaço vir com a ressalva de que tal fato contraria a Teoria Nebular. Mas para surprêsa do brasileiro, tôdas as fotos, todos os novos fatos veiculados se encaixam em seus modêlos e reforçam sua teoria indicando que ela têve incrível capacidade de previsão. Isto não apenas em astronomia, e sim em tôdas as áreas cientificas. Mas como tratava-se de um pesquisador solitário na selva, não tendo ligação com o mundo cientifico e intelectual externo, e por ser extremamente exigente em relação a seus resultados, apenas fêz como Darwin, ou seja, permaneceu 30 anos revisando seus dados e calculos, reunindo evidências, testando-os com os fatos reais antes de divulgar sua teoria publicando um livro. O brasileiro até agora limitou-se a registrar uma síntese da teoria num website na Internet onde está a cada dia registrando mais evidências, mas como continua isolado e nada fêz para divulgar o site, e ainda porque sua teoria é tão diferente de tudo que foi feito e pensado até hoje, parece que ninguém quer entendê-la e assim permanece quase desconhecida. Existe um exército de até 15.000 visitantes mensais vendo o website, pessoas de tôdas as partes, notadamente dos USA, Russia, Alemanha, etc., mas não se sabe como chegaram no website já que nada foi divulgado e o que lhes está interessando nêle.

Agora a ultima noticia que chega ao autor o fêz postar comentários em alguns blogs. Trata-se do artigo abaixo. A recente foto de galáxias muito distantes sugerem que há algumas galaxias surgidas a apenas 3 bilhões de anos depois da origem do Universo, porem suas estrêlas, que deveriam ainda estar em formação algumas e as outras serem muito jovens, segundo os modêlos teóricos da Teoria Nebular,  são na realidade maduras, velhas! Como se explica isso, pela Teoria Nebular? Não se explica, não há como explicar, e os astrônomos no artigo dizem que os modêlos terão que serem recalculados.

Mas então o autor brasileiro em seu comentário sugere que a ordem da criação do mundo, na Teoria Nebular, pode estar ao contrário. Ela indica que primeiro se formaram as nebulosas das galáxias e sómente depois, dentro delas, se formaram as estrêlas e os sistemas estelares, como o nosso Sistema Solar. Após solicitar que apresentem os fatos reais que os levaram a construir esta teoria e não ter recebido respostas, êle supõe que estes modêlos são resultados de puros calculos teóricos e portanto podem estarem equivocados. Por outro lado seus modêlos estão sugerindo o contrário: que primeiro se formaram as estrêlas, os sistemas estelares, e foi da evolução d6estes que surgiram as galáxias tal como se apresentam hoje. E agora? E o Sol que gira em torno da Terra, como as escolas da antiguidade ensinaram durante mais de mil anos, ou é a Terra que gira em torno do céu, como se atreveu a afirmar um obscuro astronomo amador chamado Nicolau Copérnico?

Louis Morelli adverte que esta parte distante da história cosmológica em seu modêlo não está bem esclarecida ainda por êle, a leitura dos mapas pode induzir a êrros, mas a seu favor está a lógica da macro-evolução universal. Sistemas estelares são mais simples, sistemas galácticos são mais complexos. A evolução tem caminhado sempre do mais simples para o mais complexo, e não o contrário. Sistemas estelares são mais simples porque são constituídos de poucos tipos de astros: estrêla, planeta, e talvez cometas, se estes forem gerados dentro do sistema. Mas existem vários outros tipos de astros, como os quasares, os pulsares, buracos negros, e as fotos recentes tem indicados muitos outros que ainda não se sabe como catalogar. Estes astros não foram encontrados até agora dentro de sistemas estelares, mas está comprovado que estão dentro de sistemas galácticos. Ora, um sistema que possua maior diversidade de elementos, de “peças”, forçosamente é o mais complexo.

Segundo, afirma o autor, astros, sejam quais forem os primeiros a aparecerem, foram inicialmente formados por átomos e átomos leves. Estes constituiram por exemplo estrêlas, as quais, e sómente então produziram novas espécies de átomos, mais pesados e complexos.E sómente então surgiram os demais tipos de astros, com os novos átomos. Ora, a evolução não dá saltos inexplicáveis e não vai para a frente retornando para tras para depois recomeçar. Sempre, na evolução, vale o velho ditado popular: filho de peixe, peixinho será. Certamente não será uma girafa ou uma águia. isto afirma que mesmo considerando extremas mutações, sempre que um novo sistema é gerado, êle mantem as configurações parecidas com o sistema que o gerou. E sistemas estelares são muito mais parecidos com sistemas atômicos que os sistemas galácticos. Foi uma nebulosa de átomos que gerou os primeiros astros, os primeiros sistemas. É de se supor que a fórmula de sistema que existia a nível micro-cósmico tenha sido a fórmula projetada a nivel macrocósmico para organizar a colônia de átomos em novo sistema. Ora, átomos são formados de um nucleo e elétrons à volta, muito mais parecido com sistemas estelares que os mais complexos galácticos. Novamente a lógica sugere esta ordem cronológica.

Terceiro, o autor brasileiro foi obrigado a calcular e desenhar um modêlo cosmológico a partir do que indicava uma fórmula obtida pelo método da anatomia comparada entre sistemas vivos e não-vivos, após muitas novidades ter aprendido observando os sistemas da biosfera amazônica. Os modêlos teóricos cientificos de como teria sido o estado do mundo a 4 bilhões de anos atrás não tinham as fôrças e elementos necessários para produzir, dentro de uma galáxia, o primeiro sistema celular biológico. Mas a fórmula que se encaixava como produtora de tôda a abiogênese, desde a matéria orgânica, as primeiras moléculas como aminoácidos, as primeiras proteínas, o primeiro RNA e daí para o primeiro DNA, tinha a aparência de um sistema astronomico. Mas bem diferente da teoria acadêmica, praticamente tudo ao contrário: enquanto a teoria acadêmica diz, por exemplo, que buracos negros surgem da morte de estrêlas, a fórmula da vida na Terra indicava de que de onde ela veio, estrêlas são geradas por buracos negros! Que buracos negros não são os fantasmas e monstros canibais sugeridos pela teoria acadêmica, ao contrário, são simples vórtices magnéticos compostos de fragmentos de cadáveres estelares que desempenham um papel muito semelhante ao feminino na vida, como gerador de novos rebentos, e após turbilhonar e energizar bólidos dessa poeira na forma de germes de estrêlas, se dissolvem. A fórmula sugere algo totalmente inusitado: os sistemas galácticos foram formados pelo mesmo processo simbiôntico e evolutivo entre organelas que formou as primeiras células. Um unico e primeiro tipo de astro, que pode ter sido na forma de estrêlas, passou por sucessivas transformações exatamente como os corpos humanos passam por transformações produzidas pelo ciclo vital. Foi a fixação de sete diferentes formas de um unico tipo de astro numa rêde de interconexões que gerou o primeiro sistema galáctico. Assim como as diferentes organelas da célula podem ter sido resultado das transformações de um unico tipo inicial de micro-organismos, e depois, por simbiose, foram conectadas num sistema.

Seja como for, o modêlo cosmológico do brasileiro é tão diferente de tudo que se tem imaginado que êle nunca iria acreditar que podia ser o correto, apenas a enorme avalancha de dados astronomicos que tem sido captados recentemente e todos indo se arranjarem exatamente como previu sua fórmula o está fazendo prestar mais atenção a seus modêlos. Quanto á fórmula, que parece ser o código cósmico que a Vida recebeu na forma de DNA, está igualmente sendo a cada dia comprovada pelos novos dados fornecidos pelas Ciências nas outras áreas. Mas tambem a idéia da evolução biológica era diferente de tudo que se tinha imaginado antes, e Darwin temia publica-la, correndo o risco de errar e ser ridicularizado. Vamos acompanhar com atenção os próximos avanços, os novos dados que forem coletados, tanto no nivel astronômico como no biológico, pois tambem estamos ficando cada vez mais atraídos por essa nova cosmovisão que o autor intitulou “A Matriz/DNA Universal dos Sistemas Naturais e Ciclos Vitais” cuja pequena parte ‘foi incluida no site theuniversalmatrix.com.

A seguir o artigo a que nos referimos agora:             

Galáxias distantes podem implicar em revisão de teorias

09/03/2011

http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/galaxias+distantes+podem+implicar+em+revisao+de+teorias/n1238144657957.html

Grupo de galáxias ‘maduras’ está com a mesma estrutura de quando o universo tinha apenas três bilhões de anos

Astrofísicos descobriram grupos de galáxias distantes que parecem “jovens”, apesar de serem “maduras”, o que pode obrigar uma revisão das teorias do início do universo, segundo um estudo divulgado nesta quarta-feira pela American Association for the Advancement of Sciences (AAAS, na sigla em inglês).

“Medimos a distância até os grupos de galáxias mais distantes jamais encontrados”, afirmou Raphael Gobat, que liderou a pesquisa do Observatório Europeu do Sul.

“O surpreendente é que muitas delas não se parecem às usuais galáxias com estrelas em formação observadas no princípio do universo”, explicou Gobat.

Os astrofísicos realizaram estas medições a partir do Very Large Telescope (VLT) do Observatório de La Silla, no Chile, e do telescópio Subaru, no Havaí.

Os conjuntos de galáxias, que se reúnem por meio da gravidade ao longo do tempo, em teoria não existiriam durante a primeira formação do universo.

No entanto, os resultados mostraram que as estruturas localizadas estão do mesmo modo como eram quando o universo tinha apenas três bilhões de anos, ou seja, menos de um quarto de sua idade atual. Estes conjuntos de galáxias não são compostos por estrelas em formação, como se supunha, mas por estrelas de mais de um bilhão de anos unidas por uma nuvem de gás quente. Portanto, a conclusão da equipe de astrofísicos é que “os conjuntos de galáxias já existiam quando o universo era muito mais novo”.

“Se futuras observações encontrarem muitas mais, nosso entendimento dos primeiros períodos do universo deverá ser revisto”, afirmou Gobat. 

Astrofísicos descobriram grupos de galáxias distantes que parecem “jovens”, apesar de serem “maduras”, o que pode obrigar uma revisão das teorias do início do universo, segundo um estudo divulgado nesta quarta-feira pela American Association for the Advancement of Sciences (AAAS, na sigla em inglês).

“Medimos a distância até os grupos de galáxias mais distantes jamais encontrados”, afirmou Raphael Gobat, que liderou a pesquisa do Observatório Europeu do Sul.

“O surpreendente é que muitas delas não se parecem às usuais galáxias com estrelas em formação observadas no princípio do universo”, explicou Gobat.

Os astrofísicos realizaram estas medições a partir do Very Large Telescope (VLT) do Observatório de La Silla, no Chile, e do telescópio Subaru, no Havaí.

Os conjuntos de galáxias, que se reúnem por meio da gravidade ao longo do tempo, em teoria não existiriam durante a primeira formação do universo.

No entanto, os resultados mostraram que as estruturas localizadas estão do mesmo modo como eram quando o universo tinha apenas três bilhões de anos, ou seja, menos de um quarto de sua idade atual. Estes conjuntos de galáxias não são compostos por estrelas em formação, como se supunha, mas por estrelas de mais de um bilhão de anos unidas por uma nuvem de gás quente. Portanto, a conclusão da equipe de astrofísicos é que “os conjuntos de galáxias já existiam quando o universo era muito mais novo”.

“Se futuras observações encontrarem muitas mais, nosso entendimento dos primeiros períodos do universo deverá ser revisto”, afirmou Gobat.