Posts Tagged ‘feto’

Aguente Firme, Pois Estas a Caminho da Holográfica Auto-Consciencia

domingo, junho 19th, 2016

O ser humano e’ uma ponte, difícil e perigosa travessia, entre o estado da matéria bruta dominante e o estado holográfico auto-consciente. As cabeças humanas são como óvulos recém-fecundados e gerando um feto de auto-consciência. Ate nosso cérebro ainda mantem a mesma universal imagem da fecundação, quando um ovulo ( o cérebro) foi penetrado por um espermatozoide que ainda esta com sua cauda para fora (medula espinhal).

Cerebro na Forma de Espermatozoide

Cérebro humano e Medula Espinhal

                                                                                              Cérebro humano e medula espinhal

Mas porque estou dizendo isso? Quem me contou isso? Porque sou o único e primeiro humano a crer nesta ideia e apresenta-la arrolando estas evidencias, mas sem uma prova definitiva? A humanidade hoje esta dividida entre duas crenças de visão do mundo, de significado para a existência nossa e deste mundo. A visão mistica religiosa, normalmente deísta, que apela para a hipótese de que existam milagres e entidades sobrenaturais atuando na historia deste mundo. E’ compreensível que a humanidade tenha criado e acreditado nesta hipótese, pois a Humanidade nasceu ainda apenas ontem em termos de tempo universal, ainda esta a sua infância e temos como explicação o fato conhecido de que todo individuo na sua infância fantasia a realidade a sua volta, brincando com todos os objetos e falando com amigos ocultos, pois nada entende e sabe explicar o fantástico mundo que se apresentou a ele logo apos abrir seus olhos.  misteriosa “coisa” que me revelou esta minha nova visão do mundo também aponta na direcao de que na criacao muito remota de 13,7 bilhões de anos atras esteve envolvida uma entidade que existiria fora deste Universo, apesar de ser simplesmente natural, porem auto-consciente e zilhões de vezes mais complexo do que tudo que vemos aqui. O problema do misticismo religioso, e’ a falta de consciência sobre o tamanho e grandeza deste Universo, por isso reduzem esta identidade ao nível de eventos que ocorrem dentro desta simples galaxia e dentro dela, esta simples especie humana.

A outra visão também não e’ menos mistica, lambent crê em milagres vindos de uma entidade abstrata, apesar de se crer exclusivamente “materialista”.  Essa visão cometeu o grande equivoco de separara Historia Universal de 13,7 bilhões de anos em duas historias menores sem qualquer elo racional, natural, entre elas. Separaram a Historia que começou com um evento a que denominam Big Bang e terminou com a estruturação das galaxias, ou seja, a historia da Evolução Cosmológica. E então acreditam em outro bloco da Historia que teria iniciado com os aminoacidos e chega hoje ate’ a especie humana. Assim como a teoria da evolucao dominante nos meios acadêmicos hoje ainda não apresentou um convincente fossil de elo evolutivo entre um primata e os primeiros humano, também desconhecem o elo evolutivo entre esta galaxia e a primeira célula viva que surgiu dentro dela.  Tambem na minha infância intelectual apostava nesta teoria, ate’ o dia em que se me apresentou o modelo anatômico deste elo, quando então me dei conta do absurdo em que havia apostado. Separar a Historia Universal em dois blocos sem conexão entre eles, cria-se um vácuo no meio, e para explicar o segundo bloco da Historia e’ preciso preencher este vácuo com uma mistica imaginária, tal como a de que a Vida teria surgido por sua própria conta e risco num fortuito e miraculoso golpe do Acaso Absoluto.

Nos fomos pegos num armadilha, nas redes de um sistema que mais parece uma maquina, que nos poe a mover-se sem tempo para pausas e reflexões sobre o significado da nossa existência. Eu estou pego nesta armadilha e tenho que correr como um burro para sobreviver e manter os requisitos sociais da vida humana moderna. Então poucas ou nenhuma outra pessoa teria motivação para continuar lendo este assunto que “parece” em nada nos beneficiar para resolver nossos caminhões de problemas aqui e agora. Mas de que adianta você continuar ativo em resolver os caminhões de problemas, se estes caminhões estão numa fila imensa que não vão acabar antes da sua morte? E como dirigir e planejar sua vida se não tens um guia, um norte sábio a seguir, que esteja sincronizado com – seja um Deus ou a Natureza simples – os desígnios futuros deste Universo? Uma boiada em disparada não tem um caminho a seguir e certamente vai bater-se contra uma montanha ou cair num abismo. Eu sai da boiada e subi uma montanha que tinha ao lado do caminho para ver o que existe la’ na frente, para onde eu e meus irmãos em especie estavam indo. Fiz isso quando abandonei a civilização e um bom status social arrumando minha mochila e partindo para o meio da selva amazônica, onde eu acreditava ainda existir sinais e testemunhas das origens da vida, os quais poderiam me iluminar um caminho sábio para dirigir meus passos nesta vida. Todas as especies que se tornaram dominantes do planeta, o ápice da evolução em suas épocas, caíram, foram exterminadas ou estão em via de extinção. Os dinossauros, leões, elefantes, reis dos continentes, onde estão? Que futuro aguarda oa que ainda vegetam por aqui? As águias rainhas dos ares? As baleias, os tubarões, reis dos oceanos? E porque sera diferente com a especie humana, que esta seguindo o mesmo roteiro de sistema fechado em si mesmo, acomodados num superespecialista modo de viver?  Não sei se importa ao Universo ou seja la’ quem for que a especie humana seja um pouco diferente, e ao invés de carregar em si o principio da auto-consciência apenas em estado potencial como foram as especies que nos antecederam, agora esta carregando os germes manifestados deste principio. Não sei se este algo ou alguém interferiria para que tenhamos um diferente destino ou simplesmente se manteria ausente deixando o feto auto-consciente abortar e continuar em outras galaxias das bilhões que existem. E burrice aderir ao lema de ser pratico na vida, pois os animais foram muito mais práticos do que nos, e o que lhes aconteceu? O mais importante ‘e descobrir e seguir uma visão de mundo que tenha um guia para um caminho e lhe garanta um futuro mas extenso. Que você diminua a dominância do seu corpo carnal e suas necessidades e desejos,sobre sua personalidade, e se recolha mais em si mesmo para se tornar o próprio embrião que carregas. Este com certeza, em boa seara e funcional placenta, tem todo o espaço e tempo aberto a sua frente, pois e’ uma nova criatura que com certeza, veio do alem desta galaxia, pois esta não a possui. Ler isto não e’ perda de tempo, e’ uma chance que das `a sua inteligencia a qual e’ sempre ausente numa boiada em disparada. Tente diminuir as necessidades e desejos do corpo, refutar e resistir a algumas exigências que o sistema social  e o mundo material estão lhe impondo, e tente atender mais as necessidades e desejos do embrião sagrado que carregas em ti, pois este e’ verdadeiro você.

Depois de nove meses queum csal se uniu, surge como que or milagre, mais um terceiro membro na familia. Durante os nive meses o casal foi a ponte, que sustentou e encaminhoua elesmesmos, quando se projetaram pra ressurgirem numa niva forma do outro lado da ponte. Este evento ‘e mera repetcao do que ocorre a nivel cosmico, porem em escalas cosmicas tudo e’ muito ampliado. Ao inves de nove meses o processo toma milhares ou ilhoes de ans terrestres.  Mas o sgnificado,  meta final do processo e’ o mesmo. Uma consciência a nivel cósmica constrói pela evolução uma ponte, e então inicia a atravessa-la, se projetando para ressurgir numa nova forma do outro lado da ponte. Pois nossos corpos aqui e agora sao como tijolinhos desta ponte, Nos somos o objeto atravessando aponte, nos temos a chance de emergir no outro lado. E entao esqueca as adversidades experimentadas nesta ponte, neste mundo pequeno, pois ao abrir os olhos da conciencia, um mundo jamais imaginado nos deixara tao embasbacados como todo bebe fica ao abrir s olhos neste mundo.

Mas quem e’ a coisa misteriosa que me disse isto? Simplesmente o exercício da razão natural pura, aplicando o método da anatomia comparada entre os seres e objetos da Evolução Cosmológica e os seres e objetos da Evolução Biológica. não existe mistica alguma aqui. Afinal, seja Deus ou uma simples Natureza que tenha gerado este mundo, não creio que jogaria dados com suas criaturas. Não creio que se regozija aprontando armadilhas e enganando suas criaturas. Portanto basta encarnar a real natureza, ser o que ela lhe deu e como ela o fez, ser fiel a ela, e ela sempre te apontara as respostas corretas indicando uma cena natural aqui e agora, a quaisquer perguntas que lhe fizer.

Feto e Suas Formas nas Primeiras Doze Semanas

segunda-feira, março 28th, 2016

xxxx

Feto humano na bolsa amniotica = Sistema natural universal na bolha de dark matter

quarta-feira, novembro 18th, 2015

xxxx

Apenas preciso resolver onde e como esta a placenta neste momento do feto. Pois a placenta representa o conglomerado de aglomerados de galaxias. Ou seja, a infraestrutura de suporte físico e armazenagem de nutrientes para os genes do sistema universal. Para a montagem dos detalhes de uma teoria cosmológica, e’ preciso acompanhar a pesquisa abaixo.

 

Feto humano na bolsa amniotica

Feto humano na bolsa amniotica

Feto humano na bolsa amniotica.

Pesquisa:

Wiki: Âmnion (português brasileiro) ou amnião (português europeu) é uma membrana que constitui a bolsa amniótica o qual envolve e protege o embrião.] Derivada da somatopleura, (encontrando-se no universo o que representa a somatopleura, saber-se-a’ o que gera a dark matter – mas não se esquecer que ai entramos na física do Higgs field e os bosons de Higgs), que é a combinação do ectoderma com o mesoderma. ( então a matéria – ou massa – seria resultado da combinação e associação de dois elementos antecedentes já revelando o dualismo dicotômico universal? Elementos antecedentes vindo de onde? Do antes do Big Bang, algo extra-universal? O dualismo dicotômico sera’ algo extra-universal?)

Tem a função de produção (? isto deve estar errado) do líquido amniótico que protege o embrião contra choques mecânicos e dessecação, mantém a temperatura do corpo e permite a movimentação do embrião. Ocorre em répteisaves e mamíferos.

Líquido amniótico (ou fluido amniótico) é o fluido que envolve o embrião, preenchendo a bolsa amniótica, que desta forma o protege de choques mecânicos e térmicos. A bolsa amniótica normalmente forma-se na segunda semana de gravidez, assim que esta se forma enche-se de líquido amniótico que inicialmente é apenas água proveniente da mãe. Pouco fluido amniótico (oligoidrâmnio) ou muito (poli-hidrâmnio ou hidrâmnio) pode ser uma causa ou um indicador de problemas para a mãe e o bebê. Pacientes com oligoidrâmnio, dependendo do grau do problema, podem ser tratadas com descanso, hidratação oral e intravenosaantibióticosesteroides, e amnioinfusão.

Quando se fala no “rebentar as águas” (ou “estouro da bolsa”), pouco antes do parto, significa que a bolsa amniótica se rompeu e o líquido foi expulso, marcando o início do parto. ( qualquer calculo e teoria que tente prever o futuro da dark matter, tera que considerar o ” rebentar da substancia espacial universal” e a expulsão desta.)

É a partir deste líquido que é feita a amniocentese, técnica de diagnóstico pré-natal, já que em suspensão no mesmo se encontram células fetais, a partir das quais será possível verificar anomalias cromossômicas ou genéticas

xxxxx – Ingles ( nomes, mais completa definição):

The amnion is a membrane that when first formed, closely covers the embryo. It fills with the amniotic fluid which causes the amnion to expand and become the amniotic sac which serves to provide a protective environment for the developing embryo. It is a feature of the amniotes which includes reptilesbirds, and mammalsAmphibians and fish are excluded from this group. The amnion stems from the extraembryonic somatic mesoderm on the outer side and the extraembryonic ectoderm on the inner side

Amniotic fluid or liquor amnii is the protective liquid contained by the amniotic sac of a pregnant female.

Development

Amniotic fluid is present from the formation of the gestational sac. Amniotic fluid is present in the amniotic sac. It is generated from maternal plasma, and passes through the fetal membranes by osmotic and hydrostatic forces. When fetal kidneys begin to function in about week 16, fetal urine also contributes to the fluid.

The fluid is absorbed through the fetal tissue and skin. After the 20th-25th week of pregnancy when the keratinization of an embryo’s skin occurs, the fluid is primarily absorbed by the fetal gut.

Contents

At first, amniotic fluid is mainly water with electrolytes, but by about the 12-14th week the liquid also contains proteinscarbohydrateslipids and phospholipids, and urea, all of which aid in the growth of the fetus

(Bifurcação) – Electrolyte ( o unico elemento na água inicial significa o unico elemento na dark matter inicial. Pela minha teoria, e desde que esse elemento esta relacionado a eletricidade, quando na dark matter, ele e’ a energia gerada pela friccao no passar da expansão das ondas de luz)

An electrolyte is a substance (Sodium, potassium, chloride, calcium, and phosphate ) that produces an electrically conducting solution when dissolved in a polar solvent, such as water. The dissolved electrolyte separates into cations and anions, which disperse uniformly through the solvent. Electrically, such a solution is neutral. If an electrical potential (voltage) is applied to such a solution, the cations of the solution would be drawn to the electrode that has an abundance of electrons, while the anions would be drawn to the electrode that has a deficit of electrons. The movement of anions and cations in opposite directions within the solution amounts to a current. This includes most soluble saltsacids, and bases. Some gases, such as hydrogen chloride, under conditions of high temperature or low pressure can also function as electrolytes. Electrolyte solutions can also result from the dissolution of some biological (e.g., DNApolypeptides) and synthetic polymers (e.g., polystyrene sulfonate), termed polyelectrolytes, which contain charged functional groups. A substance that dissociates into ions in solution acquires the capacity to conduct electricity. Sodium, potassium, chloride, calcium, and phosphate are examples of electrolytes, informally known as lytes. In medicine, electrolyte replacement is needed when a patient has prolonged vomiting or diarrhea, and as a response to strenuous athletic activity. Commercial electrolyte solutions are available, particularly for sick children (solutions such as Pedialyte) and athletes (sports drinks, such as Gatorade). Electrolyte monitoring is important in treatment of anorexia and bulimia.
( continuar pesquisa, trazer ” placenta”)

 

Menstruação/Ejaculação: Entendendo-as Por uma Nova Perspectiva

quarta-feira, agosto 27th, 2014

Este artigo e pesquisa é baseado no artigo publicado em:

Fôlha de São Paulo

http://darwinedeus.blogfolha.uol.com.br/2014/08/05/bodas-de-sangue/

Essa equivocada tendencia da filosofia cientifica moderna em projetar os valores humanos desta época, como a violência e a competição, em todos os fenômenos naturais, esta causando, entre muitos malefícios, o emperramento da nossa medicina. As disfunções do organismo e as grandes doenças tradicionais continuam matando e torturando sem que a medicina as elimine atacando o mal pela raiz porque a atual visão do mundo está equivocada e assim não percebem as causas fundamentais de tais distúrbios. As mulheres, por exemplo, vão continuar ainda por algum tempo sofrendo as disfunções da menstruação e inclusive uma TPM que não tem razão de ser, não aconteceria se elas soubessem a verdadeira realidade do mundo e significado das coisas. E agora chegam ao absurdo de quererem jogar as mães contra os fetos que gestam, como se fetos tivessem culpa, ou tivessem autonomia de ação, preferencias, etc. Por isso insisto em artigos como esse, que alias, me ajudam em mais temas para mais pesquisas. Veja abaixo minha primeira abordagem num comentário que ainda tentarei postar na Folha:

Bodas de sangue

POR RLOPES

05/08/14  16:44

Por que as mulheres menstruam, afinal de contas? As moças que sofrem com esse incômodo mensal, bem como as variações de humor que podem acompanhar o período imediatamente anterior a ele (a célebre TPM), sem falar nos membros do sexo masculino que convivem com elas, certamente já se fizeram essa pergunta angustiada inúmeras vezes. Acontece que, até onde sabemos, a menstruação é um dos detalhes mais interessantes da biologia humana quando se trata de explicar certos mecanismos-chave da evolução.

A começar, claro, pelo fato de que esse negócio de ter as “regras” mensais (como dizia a sua bisavó) é relativamente raro entre mamíferos. É basicamente coisa de primatas de grande porte como nós e alguns morcegos, entre outros bichos. E parece ter relação direta com o tipo especial de placenta que caracteriza a gravidez humana.

Ah, a placenta! Essa maravilhosa bolsa protetora que a mamãe produz para aconchegar seu bebezinho ao longo de nove meses! Né?

Mentira, excelso leitor. Quem produz a placenta é o organismo do próprio feto. E, em espécies  como a nossa, ela não se comporta de um jeito propriamente fofinho.

ESQUEMA MAFIOSO

Digo isso porque a placenta dos primatas de grande porte é um tecido altamente invasivo, comportando-se de maneiras que lembram o funcionamento de um tumor (inclusive do ponto de vista dos detalhes moleculares, como os genes que se ativam ao longo desse processo).

Para ser mais específico, a placenta dos fetos humanos é capaz de rasgar as paredes do endométrio (o revestimento interno do útero) e cravar seus dentes (metaforicamente, é claro) nas artérias que estão por baixo dele, fazendo com que os vasos sanguíneos passem a desviar seu conteúdo diretamente para o futuro bebê. É tipo um “gato” biológico. Além disso, o feto é capaz de usar estratégias mais insidiosas, como a manipulação hormonal direta do organismo da mãe graças à conexão sanguínea entre os dois. Não é impossível que mães de meninos, embora sejam (óbvio) mulheres, carreguem células com o cromossomo Y, a célebre marca genética da masculinidade, em seu organismo. Isso porque células derivadas de seus bebês ainda circulam pelo corpo delas mesmo vários anos após a gravidez.

É aqui que, do ponto de vista da biologia evolutiva, a coisa começa a ficar interessante. Sei que isso vai soar um pouco cínico, mas há excelentes razões para acharmos que existe um conflito de interesses fundamental entre mães, pais e bebês. Assim como crianças às vezes abusam da boa vontade dos genitores e fazem birra querendo mais brinquedos/chocolates/videogames do que os pais conseguem bancar sem ir à bancarrota, fetos também podem “querer” demais do organismo da mãe (entre muitas aspas, claro, porque fazem isso sem a menor consciência do que estão fazendo). Acabam manipulando de forma agressiva demais o organismo da grávida, desencadeando, por exemplo, problemas como pressão alta e diabetes, justamente por serem “gulosos”.

Do ponto de vista do feto, escangalhar a saúde da mãe, desde que ele receba muitos nutrientes para virar um bebezão grande e saudável, “vale a pena”. Curiosamente, em geral, essas situações parecem ter ligação com a ativação desenfreada de genes legados ao feto pelo pai (lembre-se de que todos nós temos duas cópias de cada gene, uma vinda do pai e a outra, da mãe). É claro que, de novo, pelo lado paterno, o “interesse” inconsciente, do ponto de vista genético, é produzir um bebê altamente saudável, enquanto a saúde da mãe, em si, não importa tanto.

Finalmente, é preciso considerar o ponto de vista da mãe, importantíssimo, claro: não vale a pena perder a saúde por conta de um único bebê se ela ainda tem chances de se reproduzir outras vezes no futuro. Fica armado o cenário, portanto, para o cabo-de-guerra — o que nos leva, finalmente, à menstruação.

FAXINA

Diante da necessidade da mãe de não ser manipulada a esmo por fetos gulosos e egoístas, o mínimo que ela pode fazer é realizar uma “triagem” rigorosa (de novo, óbvio, totalmente inconsciente e de natureza bioquímica) da qualidade dos embriões que podem se implantar em seu útero. Ocorre que a primeira “linha de defesa” é o próprio endométrio — o qual, diferentemente do que a gente poderia imaginar, é um lugar RUIM para a implantação dos embriões. Para eles, conseguir se fixar no útero costuma ser justamente DIFÍCIL porque o endométrio lhes impõe uma série de circunstâncias inóspitas. Só os fortes aguentam o tranco.

A treta, porém, é pior ainda do que o parágrafo acima dá a entender. Nessa luta para barrar embriões meia-boca, o endométrio se tornou um lugar pobremente abastecido por vasos sanguíneos, dificultando a implantação embrionária. Por outro lado, esse mesmo fato faz com que a área seja relativamente pouco sujeita a “ordens” hormonais por parte do organismo da mãe, o que poderia deixá-la mais vulnerável a infecções e também à influência bioquímica de embriões malandrinhos. O pior cenário, do ponto de vista reprodutivo/evolutivo, seria um embrião sem potencial de desenvolvimento, que ficasse preso ao endométrio, semimorto, sugando nutrientes da mulher e impedindo a coitada de ter uma gravidez realmente viável.

A solução radical para esse dilema: raspar o tacho — literalmente. Raspa-se totalmente o endométrio toda vez que não existirem sinais inequívocos de que uma gestação viável está em curso. Daí o que nós chamamos de menstruação — uma forma “sangrenta” de controle de qualidade para um processo que, por mais fofo que seja em teoria, também tem seus momentos sanguinolentos por natureza.

xxxxx

Comentario de um leitor a observar:

Leo Barci

4 semanas atrás

Parece me estranho as afirmações do ultimo paragrafo . Quando a mulher esta no período ovulatório , o endométrio , encontra se espessado e riquíssimo em vasos sanguíneos e ao contrario ele é altamente sensível ao ataque hormonal . quando ocorre a fecundação , a célula ovo que estimula o antes corpo luteo a se manter ativo ( agora corpo albicans ) , para a produção de Progesterona que vai manter ativo esse endométrio ate que se forme a placenta , essa sim , responsável pela produção de progesterona que ira manter todo esse esquema ate o final da gestação .

xxxx

Meu Comentario postado na Folha de São Paulo:

…….

Era para ser assim o comentario, porem o limite de palavras impediu:

Vejamos isto por uma diferente perspectiva:

Por que as mulheres menstruam ? Pelo mesmo motivo do porque os homens ejaculam: efeito do processo de degeneração entrópica de todos os sistemas naturais, e o corpo humano é um sistema natural. Se as mães e a medicina moderna entenderem isso, o tratamento das anormalidades será mais fácil e eficiente. Óbvio que os fenômenos menstruação/ejaculação são produtos da Evolução, porem a Evolução não foi inventada pela primeira vez pela matéria estupida deste planetinha perdido na imensidão cósmica; a Evolução é universal e para entende-la é preciso conectar evolução biológica à sua ancestral evolução cosmológica, e em se fazendo isso, descobrimos que existem mais mecanismos no processo do que os meros três descobertos por Darwin.  E vai mudar essa perspectiva de guerra/competição entre feto e organismo da mãe.  Menstruação/Ejaculação são sim, mecanismos de limpeza do corpo-sistema, mas isso vem da termodinâmica dos sistemas desde as origens do Universo e não foi criado pelos mamíferos. E nunca vamos entender as verdadeiras relações entre feto/corpo da mãe/influencia do pai se não observar-mos a fórmula universal para sistemas naturais e as formas dos sistemas nossos ancestrais que ela veio desenvolvendo. E à primeira vista, esta fórmula já sugere algumas novidades neste tema da menstruação/ejaculação ( mas nada será entendido senão tiveres a fórmula da Matrix/DNA à vista):

1) O que produz a placenta não é apenas o organismo do feto, mas sim a placenta se forma como resultado de um novo estado do corpo materno produzido pela fecundação de um óvulo, que altera o sistema inteiro, portanto é o sistema neste estado e mais o feto que produz a placenta. Vemos melhor como isto ocorre se observar-mos o que acontecia num nosso ancestral que conseguiu ser um sistema perfeito, que foram as galaxias originais. A placenta em tal sistema era/é o horizonte de eventos que se forma em torno do núcleo-ovo do sistema, e se forma  devido ã chegada ali da massa degradada de estrelas mortas, chamada “poeira estelar”. Nesta zona emergem os novos germes de novas estrelas, os quais são cobertos por essa massa, a qual vai constituir a reserva de nutrientes quando começar as reações nucleares da estrela, e no novo germe essa massa/placenta se torna as camadas geológicas.  Mas para que o sistema produza um novo germe estelar é preciso que um pulsar ( o macho do sistema) emita cometas ( os cromossomas Y do Cosmos), na direção do núcleo-ovo, ou seja, que o sistema adquira o estado de “gravidez”. Então a placenta se forma quando surge um germe, o que dá a ilusão de que é o germe que produz a placenta. Mas se não houvesse o germe com seus receptores de massa, nào se produziria a placenta, o que, de certa forma, valida a tese de que o germe produz a placenta… “tambem”. resumindo, a placenta surge pelo feed-back entre os organismos da mãe e do feto. Se existir conflitos gerando anomalias será devido ao desequilíbrio nesse feed-back.

2) As regras mensais apareceram apenas nos mamíferos ( e não nas espécies anteriores aos répteis) porque no mamífero começa na evolução biológica a segunda fase do processo de evolução dos sistemas naturais. A primeira fase é a “dos ovos botados fora e a prole abandonada à própria sorte”, a segunda fase é a “dos ovos mantidos e protegidos dentro do sistema”. Novamente, no nossos ancestral sistema galáctico isto pode ser melhor entendido. Todo novo germe estelar é ejectado do núcleo-ovo central para o espaço sideral, porem, como o espaço sideral está dentro do sistema, o germe cai na órbita de uma sua estrela onde é gestado, nutrido, até tornar-se nova estrela. No sistema humano, o óvulo fecundado cai no útero, que representa o espaço sideral, e sofre das intempéries do ambiente inóspito, mas se lograr exito, se a massa à volta agregar-se a ele, ele passa a orbitar de maneira segura até seu “segundo” nascimento. Entender isso nos levará a corrigir antes as condições intra-uterinas.

3) A placenta não é um tecido invasivo pois ela é composta do produto interno da entropia do sistema (organismo da mãe) e se forma porque o germe absorve esse produto porque ele contem os nutrientes para se tornar um embrião. O destino normal da matéria degradada pela entropia é ser expelido pelo corpo. No sistema celular, o lisossoma faz isto, no sistema corpo-humano é principalmente o fígado que faz isso, no sistema galáctico é o cadáver estelar que faz isso. Se não for expelida, ela pode se tornar um tumor, ou no caso do cérebro, em plaquetas em volta de neurônios causando o Alzheimer.

3)… 4)… Infelizmente não tenho espaço aqui para continuar isso. A fórmula da Matrix/DNA pode ser vista googlando “A Matriz/DNA Universal dos Sistemas naturais e Ciclos Vitais”.

xxxxxxx

E trazendo a fórmula para cá:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

A “placenta” se forma na função F2, e seus componentes vem desde F7. Enquanto o feto é F2 e vem desde F1. No desenho rustico abaixo isto pode ser melhor visualizado:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Estás vendo o germe – aquelas bolinhas amarelas saindo do vórtice – no meio da poeira estelar? Aí está se formando o ancestral astronômico do que mais tarde se tornaria a “placenta”. Em seguida o germe cresce pela agregação da poeira ao seu corpo, e quando a energia de uma estrela despertar este germe ( o qual então estará no estado de núcleo de um planeta), o germe começa as reações nucleares como esta que produz a luz do Sol, porque o núcleo vai comendo a placenta, ou seja, suas camadas geológicas, de dentro para fora. Come porque esta massa degradada contem átomos que contem elétrons que contem energia que é o que o novo ser precisa.

xxxxx

Pesquisa da Matrix/DNA:

1) Telométrio:

Obs: Verificar este comentario do telométrio: – Leo Barci: Parece me estranho as afirmações do ultimo paragrafo . Quando a mulher esta no período ovulatório , o endométrio , encontra se espessado e riquíssimo em vasos sanguíneos e ao contrario ele é altamente sensível ao ataque hormonal . quando ocorre a fecundação , a célula ovo que estimula o antes corpo luteo a se manter ativo ( agora corpo albicans ) , para a produção de Progesterona que vai manter ativo esse endométrio ate que se forme a placenta , essa sim , responsável pela produção de progesterona que ira manter todo esse esquema ate o final da gestação .