Posts Tagged ‘fôrça’

Fótons/Elétrons: Curiosa Informação – O que e’ a energia própria do elétron e a força que move a Luz?!

segunda-feira, janeiro 8th, 2018

xxxx

Frase colhida ao acaso na Internet:

They ( thePhysicists) still haven’t even solved the problem of the self-energy of the electron. A 100 year old fundamental problem. Guess that’s too tough a problem for them. Easier to make up fantasy Physics.

Matrix/DNA: ok, então elétron tem uma energia própria. Surge com ela, desde seu nascimento?

A Ciência Oficial ainda não sabe como veio, de onde vem, como funciona, porque o elétron não gasta sua energia?

Para nos isto interessa devido os modelos sugerirem que fótons trabalham como genes e para isso, penetram nos elétrons dentro dos átomos. Tambem os modelos sugerem uma onda de luz original, ou uma fonte original produzindo intermitentemente ondas de luz que se propagam. De onde vem a força própria da Luz, que a mantem se propagando?

E os modelos sugerem que apos a desintegração destas ondas de luz em fótons, estes continuam movendo-se agora no sentido oposto ao que a luz se propagou, fazendo o caminho inverso rumo `a fonte original. Isso significa que a Luz tem uma força eterna, imutável, sem fim. E ela passa aos fótons. E se os fótons com essa força estão dentro de elétrons, a energia que dizem serem própria dos elétrons, não passa da força dos fótons.

 

A Longa Cadeia de Causas e Efeitos: Tornado Espiral ao Invés de Avalancha

quarta-feira, abril 12th, 2017

Pensando no meu inimigo invisível que é amigo dos Trumps, percebo que tenho de mudar a visão da avalancha natural para a visão de um rodamoinho no estilo da F1 da Matrix.

E’ assim que este mundo roda e devo decifra-lo se quiser alguma autonomia ou free-will na minha vida.

Nas camadas baixas da espiral, fui feito e sou mantido. E’ o mundo do ferro quente, escaldante, caótico, da pressão como opressão. O mundo das presas. Destas camadas baixas sobem placas, indivíduos, que numa atmosfera harmônica, estabelecida, se assentam com poder sobre as camadas baixas. E’ o mundo dos grandes predadores que se espraiam nas sombras no alto da colina quando não descem para sua colheita vampiresca.

O inimigo não é o individuo na camada alta ( não são os Trumps, os Temers, da vida, estes são apenas os instrumentos de outra força maior), é a fonte, a força que mantem o tornado avançando sempre, me rolando na correnteza de magma escaldante sem que eu possa me segurar em um apoio firme, e sair do baixo para alcançar o bem-estar no alto.

Qual, o que, é essa fonte, essa força, neste mundo, que mantem o furacão?

Em relacao a mim, é uma força inimiga, mas ela não é inimiga em relacao a humanidade, pois ela privilegia alguns humanos. Ela os faz bem adaptados e como modelos bem encaixados no furacão, ela da’ tudo para eles. Ela me fez mal feito, desencaixado, e me toma tudo.

Mas porque ela não me destrói de uma vez, mantendo-me dentro desse estado de opressão?! E’ porque eu sou uma das coisas que ela precisa para dar ao ambiente na atmosfera de cima.

Como no centro da galaxia, as sementes de estrelas são formadas e forjadas a partir da base escaldante, e depois elevadas para cada vez mais alto dentro da espiral até que lançadas ao espaço externo.

Então ela, em relacao  mim, é o mal, mas vejo que ela funciona como o bem, em relacao ao que convive ao meu lado quando ela me levanta de baixo para me servir ao de cima. Esta’ satisfeita aqui a regra universal do dualismo dos simétricos na forma e opostos, assimétricos, nas tendencias do caráter. Na sua essência ela é neutra, mas no seu caminhar ela se divide entre o positivo e o negativo. O que é esta força? De onde ela veio? Qual sua origem? O que mantem esse tornado de 13,8 bilhões de anos, e porque este processo de evolução, do muito simples em direcao ao cada vez mais complexo?

Na minha teoria da luz, surge uma visão que poderia explica-la. A fonte é um turbilhão em espiral que se propaga na dark matter na forma de ondas de luz. Nessa propagação ela vai deixando fragmentos de si, suas partículas, escapadas do fluxo como fazem os radicais livres no corpo humano, e quando se enfraquece, no final da propagação, ela se fragmente toda nestas partículas. Estas partículas são os fótons. lançados a um estado de caos, os fótons tem em si desenhado o paraíso de onde veio como turbilhão, tem registrado seu passado de ondas, e por isso estes fótons tentam reiniciar o caminho de volta reconstruindo-se como ondas quanto mais se unem – por isto este processo evolucionário do simples na direcao do complexo. Neste restado são a energia escura, os fótons negativos, cujo tempo e’ o reverso, do futuro em direcao ao passado, porem cujas obras se revelam ainda ao reverso do reverso, pois surgem cada vez mais evoluídos e ordeiras, como se viessem do passado em relacao ao futuro. Eu seria agora uma forma biológica do conjunto de um punhado destes fótons escapados, ou expulsos, porem aprisionados dentro das bases do furacão.

Tem esse processo de movimentos universais alguma relacao com o processo embriológico? Teria que ter, pois ambos são processos de uma reprodução. Reprodução de um baby, reprodução do tornado-fonte… alem deste mundo.

Então eu tenho um parâmetro para modelar o que deve ser e funcionar como uma estaca para me agarrar, deixar as forças da base passarem, e alcançar os níveis de cima. Mas não é isso que quero. Não posso subir e ser feliz sabendo que os meus entes queridos continuam a queimarem no inferno. Os Trumps podem, eles nem sequer sabem como existem os queimados no inferno.

Então, a minha meta é impossível…(?). Sim, como lutar contra a correnteza universal, ou melhor como estancar o escape dos fótons desde as ondas, para manter as ondas intactas, sempre se propagando? E os fótons sempre felizes dentro delas, sempre no estado de ordem?

Porque a fonte se permite destruir, se fragmentar? Certamente ela não se permite, deve existir uma força maior ainda em cima dela, provocando sua destruição. E esta segunda força esta’ num nível metafisico jamais alcançável para mim, meu cérebro não tem como processar sua informação.

A sensatez sugere que eu me entregue ao simples sabor continuo da correnteza de lama escaldante. Eu poderia até me submeter, sempre mantendo este estado que tenho mantido, alternando entre estar sendo levado dentro da correnteza do inferno, com pausas de firmeza em estacas de oásis. Mas isso é um martírio porque não posso tirar da minha cabeça a visão dos meus amados sendo ainda mais fracos e mais torturados por essa correnteza. Tenho que lutar contra o impossível, contra a segunda força metafisica alem da fonte que gerou este mundo. Mas em que me apegar para essa luta, que alvo mirar?

Talvez a embriologia me forneça alguma pista. Sabendo que a resposta não esta’ dentro do processo embriológico e sim fora dele, formando-o e conduzindo-o. E aqui na Terra quem esta fora do processo embriológico, quem o esta formando e conduzindo, são os pais, sem que nisso apliquem sua vontade e inteligencia.

Eles fazem um processo embriológico mal feito em relacao a vontade deles. Tanto que sempre quando possível, tentam intervir para aperfeiçoar, corrigir defeitos, que estejam prejudicando o ser que esta’ sendo reproduzido. Então porque a onda de luz não atua sobre as correntezas reversas escuras para melhorar o estado e caminho dos seus fótons que retornam a sua casa, seu reino?

A parábola do filho prodigo… é inevitável não lembra-la aqui. Ela indicaria que os fótons saem dos níveis de cima, caem nos níveis de baixo, por sua livre escolha. mas isso é impossível, pois se fossem inteligentes o suficiente para fazerem escolhas jamais sairiam do nível de cima em direcao ao nível de baixo. Só o fariam se não souberem o que é o nível de baixo, o que implicaria que foram feitos sem a inteligencia suficiente para serem responsáveis por suas escolhas.

E’ impossível ao que esta’ encima descer e permanecer embaixo. Ele é muito leve, muito menos denso, o embaixo não consegue agarra-lo e mante-lo. A não ser que enquanto esta’ em cima ele faça algo errado que se torne pesado, caia, e o de baixo consegue agarra-lo e mante-lo. Mas porque a fonte permite em si a existência da possibilidade de fazer o errado? Se ela esta’ caminhando no futuro em relacao aos fótons que estão voltando no passado e ela os esta’ vendo? Ela esta sentindo suas torturas porque eles são parte dela? Não faz sentido e novamente somos conduzidos a pensar na segunda e externa força mais poderosa. Metafisica, inalcançável.

Mas tenho que buscar uma solução e uma força fora deste mundo para mudar o caminho eterno deste mundo. Não posso sonhar com a segunda força, então tem que ser uma terceira. Se não existe, tenho que fabrica-la.

Não vou me submeter passivamente, não vou apenas me acomodar a este estado de alternância entre ser arrastado na correnteza infernal com pausas  breves nos oásis. A esse processo tenho que acrescentar o esforço de mudar a correnteza do mundo. Tem que ser assim até o dia da minha morte. Se não posso retirar meus irmãozinhos menores e mais fracos da correnteza escaldante infernal, se não posso ao menos afagar suas cabeças em sinal de consolo e apoio moral, tenho que – para manter minha psique sob algum controle e com motivação para a luta impossível – estar sentindo que eu estou tentando lhes ajudar. Só assim para suportar o que resta de tempo de vida. Mas eu vou continuar perseguindo a busca desta luz e seus fótons com energia e determinação, para tentar mudar este seu caminho que esta’ produzindo este tipo absurdo de mundo, custe o que custar.

Descoberta a Força da Sorte e do Azar nas Pessoas: 30% a Mais ou a Menos na Freqüência da Vibração Pessoal

quarta-feira, julho 29th, 2015

xxxx

Já tenho a quantidade suficiente de fatos reais comprovados para ter certeza da existência de uma “coisa” a qual por enquanto vou denominar simplesmente de força. E tenho evidencias suficientes para concluir com forte grau de certeza, que essa força existe no espaço de carne e osso entre o cérebro e a ponta dos dedos, de um corpo humano.

No principal experimento que certificou estes fatos foram observados duas amostras, dois corpos humanos, obviamente diferentes entre si. Mas alem da experiencia, a observação livre no mundo real de muitos exemplares como amostragem, confirmou o resultado.

Esta força determina graus diferentes de acessibilidade das pessoas na capacidade de obter qualquer coisa do mundo externo, que estão disponíveis a serem apropriados, possuídos, pelos corpos humanos. Desde a qualidade do clima para o dia marcado para um projeto, da media de renda que recebera ao longo a vida, ate a qualidade do corpo que terá ao nascer para enfrentar o mundo.

Antes de prosseguir com a analise vamos rapidamente listar os fatos concretos da experiencia ( pois obviamente neste ponto um leitor já começaria a se cansar e se tornar incrédulo), depois continuaremos com a analise:

xxxxx

1) O individuo “A” nasceu num lar de classe media baixa, com família, berço razoável;

O individuo ” B” nasceu num lar de classe pobre C, ambos os pais deficientes físicos que logo desapareceram quando ele tinha apenas 3 anos de idade. 40%  a mais a favor de A?

2) O individuo “A” nasceu com físico saudável normal e rosto de aparência considerada ” bonito”, o que já determinava um nivel de aceitação e oportunidades oferecidas por outros humanos, principalmente pelas mulheres, pelos selecionadores de candidatos a emprego, etc.;

O individuo B ficou com o físico débil abaixo do peso normal para toda a vida talvez devido a desnutrição na infância e talvez esta debilidade tambem tenha se revelado nas potencialidades do cérebro. Ele nasceu com um rosto considerado feio, o que afastava de si as melhores oportunidades oferecidas pelos outros humanos.

3) O individuo A teve um acidente no trabalho e recebeu 100.000,00 dólares de indenização quando trabalhava num pais estrangeiro, voltou ao seu pais e comprou uma casa.

O individuo B teve um acidente no trabalho quando trabalhava no mesmo pais estrangeiro e recebeu 65.000,00 dólares de indenização. Foi ao seu pais e sua cidade com vontade de comprar uma casa, mas o dinheiro não era suficiente, acabou gastando o dinheiro. Mais 35% a favor dólares de A?

4) Os dois individuos conseguiram aposentadoria nos dois mesmos países. O individuo A recebe no pais A 400,00 e no pais B, o correspondente a 480,00 dólares.

O individuo B recebe no pais A,  216,00 dólares e no pais B , o correspondente a 280,00 dólares. As diferenças entre estes números mostram novamente uma razão de 3:1., ou 33%.

5) O individuo A tem um carro novo no valor de 25.000,00 dólares. O individuo B tem um carro velho no valor de 15.000,00.  Desde os computadores a todos os outros objetos pessoais foi verificado sempre um índice de 35% a 40% a mais de eficiência e qualidade a favor de A. Muitos não foram comprados mas sim achados, ganhados, recebidos como prêmios em sorteios, etc., o que indica que a mesma diferença estava no evento do achado, nas pessoas que deram, nos valores dos prêmios que os sorteios distribuíram, o seja, no mundo externo fazendo face a diferentes corpos humanos.  E foi comprovado que devido a toda esta estrutura física apresentando sempre 35% para melhor a favor de A faça com que B se depare dom azares incríveis em tudo que vai fazer na vida, obtendo sempre no minimo 35% de retorno a menos que A, apear de na maioria das vezes ter atuado com mais esforço, conhecimento e inteligencia na solução e manejo das coisas externas.

xxxxx

Portanto, vem  a pergunta: “E’ importante a pesquisa metódica e a busca de conhecimento sobre esta força para a vida do ser humano? Sim! Ela determina se um corpo humano vai nascer na mais pura miséria e morrer nesta miséria ou se outro corpo humano vai nascer na maior riqueza e morrer com essa riqueza. Então ela já deve existir no mundo antes de uma pessoa nascer, assim como a genética de um casal já estava no mundo antes de seu filho nascer. Essa genética determinou o aspecto saúde do futuro ser: se ela era saudável ou se portava alguma doença hereditária. E assim como fazemos pesquisas genéticas para tentar evitar que uma doença seja transmissível de pais para filhos, tambem podemos faze-lo para evitar que o aspecto negativo dessa força determine no momento inicial de um corpo humano que sua vida sera precária. Alem disso temos exemplos de pessoas que conseguiram mudar o tipo desta forca. São raríssimas excessoes, como a dos nascidos na miséria que se tornam ricos pelo seu comportamento. Como existem filhos de diabéticos que conseguem evitar que a doença se manifeste neles, ou consiga cura-la em vida. Então tambem existe a possibilidade de um conhecimento conseguir controlar esta força.

Em outras palavras, ela é  a primeira e é tudo para os seres humanos. Sua investigação deve ser a prioridade agora.

O nome desta força poderia ser ampliado para “a força dos benefícios”. Porque ela separa a quantidade e qualidade dos benefícios em partes, faixas, porcentagens, frações, e determina para cada diferente corpo uma especifica porcentagem de benefícios que o mundo externo permitira a um corpo humano possuir.

No experimento efetuado foi comprovado que em todas as ocasiões que os dois indivíduos se moveram para se apropriarem ou provocarem uma reação no mundo externo, o individuo “A” obteve sempre uma porcentagem entre 35 a 50% de superior qualidade que o individuo ” B”. A experiencia colocou os dois indivíduos em muitas competições diferentes, em todas o mesmo resultado foi obtido, mas vamos começar citando a experiencia mais marcante e que fornece mais informações para avançar o conhecimento dessa “coisa” misteriosa, invisível, intocável.

Os dois indivíduos foram colocados em dois quartos diferentes. Os dois quartos possuem no teto duas lampadas de gaz fluorescentes. Os dois quartos possuem o mesmo tipo de interruptores na parede, na mesma posição. Os dois quartos estavam com a luz apagada quando os dois indivíduos entraram. Os dois indivíduos que já sabiam a posição dos interruptores e os podiam ver pela claridade entrando pelas portas abertas, colocaram os mesmos dedos médios das mesmas mãos direita nos interruptores e os moveram para cima. A lampada do quarto do individuo “A” acendeu com a claridade de seus 100%  de potencial. A lampada do quarto do individuo “B” não se pode dizer que ” acendeu”, pois apresentou uma claridade de menos de 50% de sua capacidade normal. Enquanto num quarto a claridade permitia ver com clareza todos os moveis e objetos, no quarto de B não se via os objetos menores.

Esta experiencia em particular não foi previamente preparada, ela foi acidental, pegando o investigador de surpresa. Normalmente, em outros prédios, os dois indivíduos obtêm a mesma claridade. Não foi testado e observado se em alguma ocasião o fato se repete em outros prédios. Os dois quartos da experiencia observada estão em casas separadas, mas são justamente os quartos onde moram os indivíduos. O individuo ” B” reclamou que isso normalmente acontece desde a primeira vez que ele ele foi morar no quarto. O dono da casa disse que não tinha conhecimento disso pois nunca outro inquilino reclamou disso. O individuo “A” disse que nunca a claridade foi diferente daquela de 100%, desde que foi morar no quarto.

Obviamente esta ocorrência não foi listada na lista das provas cientificas. Ela apenas esta aqui para ser discutida num nível de curiosidade filosófica, que não se atenha o leitor cético a basear seus argumentos nesta ocorrência.  Mas tambem que não venha o cético dizer que as provas não são cientificas ou que sejam discutíveis, pois fatos e números comprovados não se discutem. As outras provas foram obtidas verificando os fatos do mundo externo relacionados aos dois individuos. As ocorrências que resultaram nestas provas não foram previamente preparadas por ninguem, apenas, digamos, foram apresentadas aos individuos e inseridas nos individuos, pelo mundo externo que é igual para os dois individuos, ou, esta no mesmo estado natural para os dois individuos. Quanto aos quartos não podemos dizer a mesma coisa. Provavelmente, os dois quartos estavam em estados diferentes ( em relacao a eletricidade e lampadas) e assim se apresentaram aos dois individuos.

Mas esta ocorrência é fundamental porque ela nos conduziu a um avanço teórico na nossa investigação. Talvez este avanço não é racionalmente apropriado, talvez ele seja falso porque seria produto de uma previa tendencia do investigador. Este começou  suspeitar de uma entidade para a coisa misteriosa., Ele começou a por como template, como molde, como ponto de referencia na comparação teórica entre os dois indivíduos, a imagem do espectro da radiação eletro-magnética tal como aparece na tela de um computador. Ele começou a apostar numa resposta para a coisa misteriosa, e isso pode conduzir o investigador a pista errada se o suspeito não for o criminoso. Mas considerando que os motivos do investigador são lógicos e fortes indícios, vamos explicar este avanço teórico.

Em algum lugar dentro da caixa do interruptor, a energia elétrica que vem do mundo externo esta ali, parada, em estado potencial. Podem serem muitos interruptores diferentes numa mesma cidade, mas é previsível que a força que chega ali seja a mesma. Não existem diferenças de porcentagens entre forças em diferentes interruptores. Os interruptores tambem eram da mesma marca, exatamente iguais. Mas as duas lampadas mostraram dois resultados finais diferentes.

Obviamente um leitor desavisado vai sorrir e pensar que isto é fácil de resolver: as lampadas são diferentes, ou seja, as de um quarto são novas e estão em bom estado, as do outro são velhas e estão em mal estado, ou,… o problema esta nos reatores da caixa de lampadas. Mas a nossa investigação não é tao pequena e limitada  assim ao mundo imediato, ela abrange horizontes amplos, Isso não responde nada a nossa suprema questão aqui: porque os dois diferentes corpos foram conduzidos pelo mundo externo de modo que o quarto representando o mundo externo de um seja de 35 a 50% inferior em qualidade em relacao ao outro?! Não, não é um mero acaso fortuito, pois a vida toda o mundo externo tem feito a mesma diferença acontecer para os dois individuos.

Vamos gastar mais um tempo aqui e analisar isto com mais cuidado. Neste ponto você responderia que o individuo A pode pagar um aluguel mais caro, então seu quarto deve estar numa casa melhor, mais nova, etc. Certo, concordo. Mas porque A pode pagar um aluguel mais caro? Ora, porque ganha mais. E porque ganha mais? Ora porque deve ser melhor no trabalho que B. Negativo. Todos os patroes anteriores disseram, e pode-se observar isso assistindo os dois trabalharem, que B produz mais e melhor porque se dedica mais ao trabalho. Bem – poderia retrucar você – talvez seja caso de carisma, aparência, etnia, etc. O serviço publico no Brasis e` um exemplo de que os melhores para os cargos estão fora e os menos dedicados estão dentro, devido a que apenas alguns mais abastados podem estudar e fazer os concursos ou devido ao apadrinhamento secular. Sim, mas isso tudo foi determinado antes do nascimento. Então talvez o genoma dos pais não contenham apenas as informações das características carnais dos corpos, talvez tenha algo mais ai, relacionado a magnetismo, hologramas,… Ora – você poderia ironizar – você esta sugerindo que astrologia existe? Obviamente que não, apesar de que essa coisa de diferentes faixas magnéticas, transmissão de ondas de luz, etc., existiam antes nos sistemas astronômicos, os quais são nossos ancestrais. Nos teremos que abrir uma linha de pesquisa de laboratorio tendo como base a formula da Matrix/DNA para investigar o que aconteceu com o eletro-magnetismo na evolução desde  galaxias ao genoma humano. Por exemplo, porque as antenas dos insetos que os possibilitam sentirem campos magnéticos foi se atrofiando nos animais superiores ate se tornar um mero caroco no centro do cérebro humano, chamado glândula pituitária, já que precisamos conhecer as outras 7 dimensões previstas na String Theory. Talvez a nossa grande ignorância sobre esta força que tem de existir, esteja no fato de que nosso sensor cerebral para ela esta desativado, e precisamos reativa-lo.

As diferenças continuas aconteceram quando o corpo dos individuos tocaram o mundo externo. Esta força esta dentro dos corpo dos individuos e ela é diferente em cada individuo. Sera que a força em faixas diferentes, se diferenciaram quando chegaram nas pontas dos dedos? Ou esta força vem do cérebro, e  de la, já vem diferente? Vejamos. Não foram as mentes dos individuos que pensaram ou decidiram diferente. Obviamente as duas vontades, os dois comandos mentais eram o mesmo: ” Quero 100% de claridade”. Então surgem duas alternativas:

a) se a força esta parada em estado potencial no cérebro ( como a força elétrica esta no interruptor), alguma coisa aconteceu com a forca do individuo “B” no espaço que vai do cérebro a ponta de seu dedo. Isto e mais que 50% das possibilidades, tem que ser investigado a fundo. Existem diferenças anatômicas ou materiais nos corpos humanos que produzam diferentes níveis de qualidade dos estímulos emitidos pelo cérebro como comandos e decisões?!

Bem, é obvio que existem, ao menos no tocante a força bruta: tem individuos com corpos mais fortes cujas decisões ou vontades do cérebro – como por exemplo, ” vou mover esta pedra” – se realizam, e individuos mais fracos que tem a mesma vontade mas não conseguem mover a pedra. Mas no caso da luz é diferente, não se trata de diferença de forca física, os dois interruptores foram movidos iguais. Não se pode dizer que um cérebro e mais fraco que o outro, ou que a vontade de um é mais fraca que a do outro, pois os dois movem os interruptores de forma igual.

b) A forca pode estar vindo desde fora do cérebro, do corpo humano. Mas não do mundo externo físico. O mundo externo não se preparou diferente para receber cada um dois corpos, não ofereceu nem cedeu qualidades diferentes, os objetos foram sacados do mundo externo pelos individuos. mas sempre vem em niveis diferentes, e o pior, na mesma porcentagem de diferença. Isso tambem não acontece determinado pelos individuos. Não existe diferença entre fraco e forte entre os individuos.

Seria então verdadeira a teoria largamente comercializada da diferença entre pensamentos positivos e negativos? Ora, perante o evento, os dois individuos apresentaram o mesmo nivel de positividade, de vontade, de decisão. Não é isso.  A capacidade de ser diferente e se apresentar diferentemente esta na força antes dela entrar nos individuos. Pois ela já esta ali em estado potencial, porem num, ela é uma coisa, no outro,  outra coisa. Ainda pode ser que os interruptores humanos para esta força, ou seja, os cérebros,  sejam diferentes e isto causa a diferença na força em estado inerte potencial. Sim, cérebros são hard-wired, configurados, de formas diferentes. Nesse caso ela viria do mundo externo igual, mas cérebros a modificariam quanto estão ainda sem entrar em atividade.

Bem, chegamos no amago da questão e aqui a coisa pega, fica tudo muito complicado, a escuridão abate total. Como sempre deu resultado, a estrategia aqui é parar, desviar o cérebro para outra coisa,  deixar que nos próximos dias ele volta ao assunto, bota um pouco de ordem na casa, e num belo dia ao acordar… voila`!,… um quadro mental da resposta surge límpido e claro.

Vamos agora listar as provas-fatos:

1) O individuo “A” nasceu num lar de classe media baixa, com família, berço razoável;

O individuo ” B” nasceu num lar de classe pobre C, ambos os pais deficientes físicos que logo desapareceram quando ele tinha apenas 3 anos de idade. 40%  a mais a favor de A?

2) O individuo “A” nasceu com físico saudável normal e rosto de aparência considerada ” bonito”, o que já determinava um nivel de aceitação e oportunidades oferecidas por outros humanos, principalmente pelas mulheres, pelos selecionadores de candidatos a emprego, etc.;

O individuo B ficou com o físico débil abaixo do peso normal para toda a vida talvez devido a desnutrição na infância e talvez esta debilidade tambem tenha se revelado nas potencialidades do cérebro. Ele nasceu com um rosto considerado feio, o que afastava de si as melhores oportunidades oferecidas pelos outros humanos.

3) O individuo A teve um acidente no trabalho e recebeu 100.000,00 dólares de indenização quando trabalhava num pais estrangeiro, voltou ao seu pais e comprou uma casa.

O individuo B teve um acidente no trabalho quando trabalhava no mesmo pais estrangeiro e recebeu 65.000,00 dólares de indenização. Foi ao seu pais e sua cidade com vontade de comprar uma casa, mas o dinheiro não era suficiente, acabou gastando o dinheiro. Mais 35% a favor dólares de A?

4) Os dois individuos conseguiram aposentadoria nos dois mesmos países. O individuo A recebe no pais A 400,00 e no pais B, o correspondente a 480,00 dólares.

O individuo B recebe no pais A,  216,00 dólares e no pais B , o correspondente a 280,00 dólares. As diferenças entre estes números mostram novamente uma razão de 3:1., ou 33%.

5) O individuo A tem um carro novo no valor de 25.000,00 dólares. O individuo B tem um carro velho no valor de 15.000,00.  Desde os computadores a todos os outros objetos pessoais foi verificado sempre um índice de 35% a 40% a mais de eficiência e qualidade a favor de A. Muitos não foram comprados mas sim achados, ganhados, recebidos como prêmios em sorteios, etc., o que indica que a mesma diferença estava no evento do achado, nas pessoas que deram, nos valores dos prêmios que os sorteios distribuíram, o seja, no mundo externo fazendo face a diferentes corpos humanos.  E foi comprovado que devido a toda esta estrutura física apresentando sempre 35% para melhor a favor de A faça com que B se depare dom azares incríveis em tudo que vai fazer na vida, obtendo sempre no minimo 35% de retorno a menos que A, apear de na maioria das vezes ter atuado com mais esforço, conhecimento e inteligencia na solução e manejo das coisas externas.

Mesmo que, ao mesmo tempo, se constatou que o individuo B possui no minimo o triplo de informações  mais que o individuo A –  por que B frequentou três vezes mais escola, chegou a universidade apos um esforço sobre-humano, e leu 50 vezes mais livros uteis que A, que não passou do ensino secundário. Por exemplo, apesar de B saber muito mais de gramatica, digitação e computação que A, devido as deficiências de seu computador demorou 60 minutos para digitar um texto que A no seu computador mais eficiente digitou em 30 minutos. Mas ai fomos para as impressoras… e a mesma relacao de dificuldades aconteceu de novo, apesar da impressora de B ser mais moderna que a de A. Ou seja, B teve que consertar vários problemas de configuração de fabrica, de conexões de softwares,  ou atualizações,  que A não teve, e quando perguntado A mostrou que não tinha o conhecimento sobre impressoras para consertar se tais problemas lhe acontecesse.

Em determinado momento o investigador perguntou a B:

– ” Você não ficou revoltado, ou com inveja, quando viu que naquela ocorrência quando ocorreu o primeiro dia de trabalho seu e depois o primeiro dia de trabalho de B, na mesma companhia e na mesma função, você teve demasiados azares, problemas acidentais que não foram produzidos por você, enquanto A quase não os teve?”

-” Não. Ja tenho notado isso muitas vezes na minha vida. Mas a culpa não foi de A. Por isso não os invejo, apenas me revolto contra esta sina do destino. A culpa é de algo fora deles, não sei o que ou quem… Ja aconteceu no minimo quatro vezes quando tentei subir uma montanha de obstáculos em busca do sucesso que estava no pico desta montanha. Depois de estar todo machucado pelas lutas no caminho, mas estar a um passo de alcançar o pico, alguma coisa aconteceu nas quatro vezes que ou a montanha se desmanchou sob meus pés, ou um vendaval imprevisto atingiu a montanha, de maneira que nas quatro vezes escorreguei e cai no ponto zero de novo. Nas quatro vezes o acontecimento que me derrubou foi totalmente absurdo, incontrolável. Por exemplo, eu fui a uma aldeia em volta de uma grande mina de ouro e comprei um terreno para montar um negocio que la não tinha e era lucro certo, uma pastelaria com caldo de cana, etc.. Mas antes de eu sacar o dinheiro do banco para levantar o prédio, o governo brasileiro tomou uma decisão que nunca havia ocorrido na historia do pais: congelou todas as cadernetas de poupança. No final tive que ceder a metade do terreno a um sócio que entrou com o capital para levantar o prédio e ficaria com a metade dos lucros, sem fazer nada. Mas quando o prédio estava pronto, novamente aconteceu outro absurdo que nunca tinha ali acontecido antes: o governo interditou a mina. Nesta ocorrência a montanha tremeu sob meus pés duas vezes porque a primeira não foi suficiente para me derrubar. Ora, estes eventos não poderiam estar acontecendo num mundo externo no qual eu não existisse. Eles de fato acontecessem mas apenas logicamente num mundo externo onde eu existo. Por isso estou suspeitando que eu sou o produtor inconsciente do mundo externo em que penso estar vivendo. Enquanto isso tenho assistido montanhas de passos fáceis aparecerem para outros indivíduos de maneira que conseguem alcançar o pico com a maior facilidade. Não é a mesma diferença na lenda entre Sísifo e Prometeu, pois eu sempre atuei como Prometeu e não Sísifo. Mas se eu fosse Prometeu, no dia que ele alcançou o pico e ia ver o trono de Zeus, para lhe roubar a tocha de fogo, teria surgido um vento inesperado e apagado a tocha. Eu comparo isso as estranhezas que estamos descobrindo existir na dimensão dos fenômenos quânticos. Como digerir o fato de que uma coisa é uma onda e uma partícula ao mesmo tempo, ou como aceitar que uma bala de revolver passe por dois buracos numa parede ao mesmo tempo? Não se trata de aceitar ou não, a coisa acontece na realidade e pronto, não vemos o invisível responsável como causa, não podemos entender as causas. A estranheza aqui não é que um único individuo seja a sorte e o azar ao mesmo tempo, mas sim que dois individuos, um seja sempre a sorte e o outro seja sempre o azar, não importa quando e onde. Mas esta é a realidade deste mundo, o qual pode ser uma Matrix emitida por algo que desconheço em mim mesmo,…  assim como tenho um figado que nunca vi, nunca senti nem toquei, e só sei que existe por ter ouvido outros falarem.”

Estes são fatos verídicos, e são apenas os fatos verificados. O acontecimento da lampada tambem é verídico. Existem outros fatos que não foram verificados, porem, é o mesmo que seis ou sete sorteios de moeda cara ou coroa apresente sempre um único resultado igual. Obviamente vamos olhar a moeda com desconfiança, tendo quase a certeza, ou a certeza absoluta, que tem algo na cara que não tem na coroa. E aposto com quem quiser que se os dois individuos forem no mesmo restaurante, sentarem na mesma mesa, e pedirem a mesma bisteca, o indivíduo A recebera uma bisteca com menos osso que B, na proporção de mais 35% de carne.

Algumas evidencias arroladas aqui vão parecer absurdas, inacreditáveis. Por exemplo, ao observar A digitando um texto no seu próprio computador, ele cometeu um erro no seu idioma – Português – e digitou uma palavra sem o devido acento. O certo seria digitar “Não”, mas ele digitou Nao. Imediatamente o corretor automático ortográfico do Google mostrou o erro e ofereceu como alternativa a palavra correta, então bastou ele clica-la e tudo se acertou. Ao mandar B digitar o mesmo texto porem em outro computador, no seu próprio, me lembrei daquela ocorrência e quando chegou na hora de digitar Não eu pedi que ele digitasse sem o acento. Imediatamente o Google avisou, mas não apresentou na sua lista de sugestões a palavra Não com acento e sim a variação “Naã”. Absurdo, o Google e um só, como explicar aquilo?! Perguntei se ele havia mexido no dicionario em seu computador, se teria inserido aquela variação sem sentido e apagado a palavra correta e ele respondeu que nunca mexeu ali, mas comprou o computador de segunda mão… Então B teve que deletar a palavra errada que tinha digitado, clicar em Naã, acrescentar um o em Naã, apagar um a, e assim ficou certo. Então perguntei a ele porque ao invés daquele trabalho ele simplesmente já não digitou Não corretamente. Ele respondeu que não sabe o porque, pois até um amigo técnico em computador já tentou consertar, mas o teclado dele não tem como mudar de inglês para português, por isso ele esta digitando tudo sem acentos e depende do Google para consertar… com as mazelas do Google. Claro, com todos estes problemas ele vai demorar o dobro de tempo para digitar qualquer texto em português. Isto vem para reforçar o que vou defender aqui: o mundo externo, incrivelmente, torna sua vida 35% mais difícil em tudo que ele faz, em relacao a tudo que A faz”.

Quero lembrar que a String Theory, ou Teoria das Codas, que esta a cada dia ganhando mais evidencias a favor, indica que existam ao menos 11 dimensões na realidade deste mundo que nos cerca, das quais percebemos, vemos, e tocamos, apenas três ou quatro. Quero tambem lembrar que a Matrix/DNA Theory descobriu que ao longo da vida de um corpo humano, a sua energia vital varia em qualidade, intensidade, numa sequencia que começa no mais forte e vai caindo até o mais fraco. Do baby inquieto ao cadáver inerte. Durante esta vida o corpo muda de formas, etc. Porem, esta mesma sequencia, esta mesma variação de intensidade, vibração, formas, existe numa simples onda de luz que se propaga no espaço. Se o copo humano termina fragmentado como o pó de onde surgiu, uma onda de luz termina fragmentada nas partículas fundamentais que são os fótons. De maneira que as coincidências são tantas que deixam de serem coincidências e indicam que a vida de uma onda de luz e sua energia e igual a vida de um corpo humano e sua energia. Quero ainda lembrar que existem muitas investigações cientificas em aberto sobre magnetismo, campos magnéticos, etc. E` possível que assim como a Terra e o Sol tem seus campos magneticos, tambem o corpo humano tenha um correspondente campo magnético não produzido por ferro escaldante no núcleo, mas por alguma outra coisa interna. Todas estas lembranças são apenas para avisar que ainda não sabemos quase nada deste mundo e de nos mesmos, portanto, não existem fatos para desaprovar a existência desta força, porem, existe uma inegável quantidade de evidencias e fatos reais arrolados indicando sua existência.

 

O investigador esta vitima de uma tendencia que se lhe afixou na mente, apesar de todo seu esforço em tratar as outras possibilidades com a mesma suspeita e energia. Esta tendencia o tem levado a uma frase final, uma teoria: ” Toda pessoa tem uma propriedade interna a seu corpo que ainda nos e desconhecida, mas esta propriedade tem força que afeta a vida no dia a dia, assim como a mente é algo abstrato e invisível mas dela emana uma força tambem desconhecida que dirige um corpo humano a executar movimentos, seguir comandos. Esta propriedade não é a mente apenas, pois mentes diferentes tomam decisões iguais, lidam com condições externas iguais, mas obtêm resultados diferentes. Esta propriedade não é igual em todas as pessoas, e parece que ela divide a população em classes de qualidade de vida, pela qualidade e quantidade que as pessoas obtêm do mundo externo. As pessoas não escolhem o tipo desta propriedade que possuem, pois todas escolheriam a mais elevada. Esta propriedade esta instalada no corpo de uma pessoa antes do seu nascimento quando vem `a luz do mundo externo. Mas não se sabe se ela se instala no período dos nove meses de gestação ou se vem de um tempo antes do momento inicial da fertilização. Se este for o caso, podemos considerar como forte, a hipótese de transferência ou hereditariedade genética. Esta propriedade me parece estar relacionada ao espectro eletromagnético das radiações de um campo magnético. Parece estar relacionada a frequências, vibrações, intensidades. Por exemplo, o individuo A da experiencia tem uma mais forte intensidade vibratória, o que o situa mais próximo da radiação gama, enquanto o individuo B tem uma mais fraca intensidade vibratória que o situa mais próximo da radiação radio, no outro final da escala das radiações. Eu já tenho outras investigações em andamento que sugerem, por exemplo, que as diferentes distancias dos nove planetas do sistema solar em relacao ao Sol se devem a estarem situados em orbitas solares correspondentes aos seus estados vibratórios. Nesta teoria, o espaço em volta do Sol recebe uma onda de luz/energia proveniente do Sol que se propaga por ondas concêntricas e na mesma sequencia do espectro eletromagnético. Estas faixas de ondas possuem diferentes frequências, intensidades, vibrações, comprimentos de onda, portanto estas faixas de ondas são como avenidas circulares que determinam a direção de um planeta no seu movimento no espaço livre. Se diferentes planetas existem em diferentes fixas destas ondas, é porque tambem os planetas tem suas ondas eletromagnéticas, mas uma delas é dominante em relacao a todas as outras e esta tem uma vibração especifica que a situa na sua orbita solar. Pois na relação entre humanos e esta biosfera, este ecossistema terrestre, deve existir a mesma propriedade. O mundo ao redor dos humanos tem um unica faixa vibratória, e esta seleciona e elege os humanos cuja faixa vibratória seja igual a ela ou mais próxima. Esta teoria é falsificável, testável, ou seja, é sujeita e possível `a investigação cientifica. Apenas nos esta faltando um cérebro com sensores mais evoluídos para captar este fenômeno e instrumentos científicos que possam faze-lo. Sendo assim, eu inicio esta pesquisa, e espero que outros se juntem nesta importantíssima característica que determina a sorte ou azar no destino dos seres humanos. Nos temos que declarar como nossa inimiga numero um as faixas que nos causam prejuízos, ou seja, as outras pessoas alem de nos. Pois existem neste momento bilhões de crianças, velhos, jovens, adultos, homens e mulheres sendo torturados por estarem invadidos por inadequadas vibrações. São pessoas do nosso sangue, é a nossa especie, portanto toda e qualquer empreitada visando beneficia-las deve ser incentivada.”

 

E para interromper aqui por hoje esta investigação, trago ainda a imagem do espectro eletromagnético que o investigador tem na cabeça guiando-o tendenciosamente por um dos muito caminhos possiveis:

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

Continuando esta investigação, vou registrar aqui mais um testemunho real de outra pessoa que se encaixa na faixa dos 30% a menos, fato que acho ter relacao com este assunto. Trata-se do relato de uma senhora postado como comentario no artigo em:

 

As discretas invasões da burguesia

http://outraspalavras.net/posts/quem-sao-mesmo-os-invasores/

Alexandrina Pacheco – Posted agosto 24, 2014 at 9:02 PM
Veja meu caso: casei me com um homem que cumpriu todas as suas “obrigações” com a Santa Terrinha Brasil, pagou todos os Impostos e descontos como fazem todos os assalariados , serviu a Força Aérea, onde entrou com 17 anos na Base aérea em Salvador, acabado o tempo de 4 anos, saiu e sonhava em ir para Aviação comercial, lutou muito tendo de ser vendedor para sustentar se até cumprir todos os outros quesitos para então ingressar na carreira comercial, já sabendo que dificilmente iria a Comando pois linha de acesso era longa, derivou então para a carreira de Engenheiro de voo, ou Mecânico de voo, ou F/e como são designados. Casou se comigo aos 37 anos, e como eu não tinha heranças de família, nem bens, sempre pagamos aluguel, tivemos 3 filhos e vivíamos com o ordenado dele. Pusemos nossos filhos em Colégio particular, porque na época a Educação Pública no Brasil já tinha caído do pedestal de melhor ensino, e nunca sobrou dinheiro para a “tal casa própria”, sempre tentando melhorar entramos em alguns planos absurdos tais como Haspa e outros , até que surgiu uma proposta para um plano para complementação de aposentadoria AERUS, e aí como as prestações eram salgadas, tiramos nossos filhos do Colégio Particular e foram para a rede Pública para que pudéssemos cumprir com nossa obrigação. Sabe o que aconteceu? como tudo no Brasil a obrigação perante a Lei era que a PREVIC da época que tinha outro nome que me foge agora , fosse a vigilância e o cuidado com os investimentos, como todos sabem a Seguradora AERUS que já foi a 5 no Brasil, abriu o bico pelo consentimento dos que deveriam fazer seu dever e não fizeram e entrou em Liquidação Judicial em 2006, e tome processos e mais processos os aeronautas e aeroviários da VARIG, TRANSBRASIL ficaram cada dia recebendo menos e alguns até 8% do que seria sua pensão, enquanto AERUS ia vendendo o SEU PATRIMONIO. Ganhamos varias vezes na Justiça alguns dos processos que se o Governo cumprisse com sua parte o plano teria como continuar, mas qual o que , estamos como no caso dos precatórios……nada e já se passaram 8 anos, somos todos velhos cuja média de idade é 76 anos, e o sádico do Governo está esperando morrer o último. Meu marido morreu em 2010, e eu vivo com a pensão dele do INSS, e moro de favor em um apartamento emprestado por uma amiga de boa alma, não sei até quando. Fui operada de Câncer no Pulmão em 2013, Fevereiro, tenho 70 anos o Brasil de hoje me assusta muito, é bem difícil as adaptações do mundo moderno, continuo sem casa própria , com uma vida bem comedida, planos de saúde inviáveis de se pagar , e vendo gente que quer viver no Centro de são Paulo com toda infraestrutura , sem ter feito nada por isso, e como ficamos ? Alugueis estão pela hora da morte, gente que mora na periferia que toma conduções lotadas e estudam ficam com todas as dificuldades enquanto outros querem tudo na mão? há muita coisa que precisa ser revista no país, e não acredito que priorizar alguns, jogando classes contra classes seja o melhor caminho, nem essa expansão ou inchaço de construções em São Paulo, totalmente verticalizado possa trazer algum conforto. (FIM)
Veja como funciona a invisível força que controla nossas vidas. A historia da vida deste ” piloto” se assemelha em muito com a historia da vida do personagem acima, contido sempre em 30% inferior na qualidade de vida, nunca conseguindo superar essa faixa por mais esforço e disciplina que tenha empregado. Eu suspeito que o piloto tinha algum desvio racional, algum vicio, que o atrapalhava. como o personagem A acima tinha o vicio da filosofia imaginaria. Então ainda fica a duvida se realmente esta forca invisível existe. Mas pode ser que estes desvios, vícios, já sejam um artefato aplicado por esta forca sobre esta pessoa, mesmo que esta forca seja vinda do próprio EU, uma entidade cósmica no subconsciente que não e’ conhecida e captada pelo consciente temporal de uma vida.
Enfim, que continuemos esta investigação…

Filosofia de Fim de Semana: Qual a Fôrça que Nos produz dentro da Galáxia?

domingo, junho 10th, 2012

Qual a realidade nua e crua da nossa existência? Existe uma estrutura fixa material denominada galáxia que contem o sistema solar o qual funciona como um relógio e pela eternidade, ou ao menos até onde nossa mente consegue alcançar. Nessa estrutura fixa e movente acontece que, em alguns pontos do solo dêste planeta, alguns átomos-nutrientes, como potássio, cálcio, carbono, são “sugados” de suas posições eternas e formam corpos moventes que se movem na superficie por algum tempo e logo retornam ao solo às suas posições eternas. A alguns dêstes corpos moventes e durante seus curtos períodos de existência, denomina-se “seres humanos”. A galáxia estava aí, vindo da eternidade do passado, a emergência e desaparecimento dêstes corpos aconteceram sem em nada perturbá-la ou alterá-la, e calcula-se que depois do desaparecimento dêles a galaxia continuará na sua eternidade futura.

A Solidão de um Homem e seu Planeta Observando sua Lua e sua Galáxia

A Solidão de um Homem e seu Planeta Observando sua Lua e sua Galáxia

Esta é a realidade da nossa existência se vista pela ótica da galáxia, considerada apenas como mais um observador relativo. Qualquer letra, ponto ou virgula que fôr acrescentada a esta simples definição de ser humano, pelos seres humanos, não terá a menor importancia para a galáxia. Diga-se que ser humano tem sentimentos, mente, etc., para a galáxia é apenas blá-blá-bla, pois a Humanidade é algo tão minusculo que se torna um fenômeno desprezível, ao menos, por enquanto.

Estabelecida esta estrutura básica, indiscutível, das existências do mundo e seres humanos, teríamos agora que buscar outros observadores, antes de tirar conclusões precipitadas. A primeira tentação é obedecer a lei da dicotomia ou dualidade eterna, aquela que tambem tem sido comprovada que, se existe algum movimento no mundo, é porque existem pares de fenômenos simétricos na forma e assimétricos na tendência que ora se atraem, ora se repelem. Me refiro à dualidade quente/frio, curto/comprido, masculino/feminino, etc. Então qual seria o segundo elemento observador do par  no assunto que reune galáxias e seres humanos? Ora, evidente, o observador simétrico e assimétrico seria o ser humano. Como o observador humano define a galáxia e a si mesmo? Obtida esta definição, o próximo passo seria buscar a definição final no meio-têrmo, no ponto de equilibrio, pois se sabe que o que mantem o mundo em movimento é um equilibrio entre os contrários, uma terceira fôrça que surge do conjunto dêles. Mas nos sentimos mal fazendo isso porque temos um problema. Não está confirmado que o observador humano possa ser o elemento oposto do observador galáxia, porque o humano não surgiu em igual condições que seu oposto, a galáxia, e sim surgiu dentro dela e, enquanto não aparecer provas em contrário, foi criado exclusivamente por ela.  O observador humano é sim, o elemento oposto formando o par de observação, no tocante à conexão galáxia-ser humano, mas isto apenas por enquanto. Não sabemos o futuro, se a Humanidade vai desaparecer ou vai se tornar uma espécie de virus infectando tôda a galáxia a ponto de se tornar visivel e importante para ela. Só existiria êste par dicotomico se a Humanidade de alguma maneira produzisse algum efeito alterador na galáxia, e isso não acontece, por enquanto, portanto, temos que afastar a tentação de convidar o observador humano à posição de observador oposto da galáxia.

Sem algum outro observador relativista alem da galáxia, nada mais se tem a fazer que se subemeter à definição do unico observador que existe, a própria galáxia. E aceitar sem altenrnativas sua definição do que somos nós: meras verrugas incongruentes que emergem e desaparecem num “pum” sem nada terem a fazer no Universo. Desta forma, o unico comportamento sensato esperado do individuo humano é tentar aborver do ambiente o maximo possivel de coisas que lhe dêem satisfação enquanto existir. Assim, comportamentos como dar dinheiro para um outro individuo que a humanidade em seu devaneio define como seu “filho”, é insensato. Ir numa igreja é perder o tempo de estar gozando mais numa piscina, participar de uma reunião para ajudar as vitimas do terremoto no Haiti é insensato.

Mas determinam a s leis sobejamente comprovadas que a todo fenomeno natural tem que haver seu oposto. Se existem particulas, tem que haver suas anti-particulas, se existe, se existe matéria, tem que haver a anti-matéria, se existe observador, tem que haver o observador opôsto acenando com a definição oposta. E onde está, quem é?

Penso que outro observador no mesmo nível de grandeza da galáxia, se fixaria num pormenor irresistível: qual a fôrça que faz os átomos-nutrientes, dentro da galáxia,  se levantarem de dentro do solo, brotar à superficie, se mover por 80 anos? Se a galáxia desconhece, não percebe, não dá a minima importancia a êstes corpos, então não é ela que emite esta fôrça. Não é pela vontade dela. Que fôrça é esta? De onde vem, de fora da galáxia, penetrando-a? Ou emerge por acaso dos elementos que compõem sua estrutura?

O observador imaginado iria sem duvida tentar investigar essa fôrça. E os humanos poderiam lhe sugerir uma pista advinda de sua aprendizagem dos fenomenos envolvidos em suas existências: dentro do corpo humano existe algo denominado DNA que pode fazer aparecer dentro do corpo, virus. Eu acho que o observador imaginario ao ouvir isto exclamaria: “Bingo total!”. A Humanidade, se considerada a realidade nua e crua até agora conhecida, pode ser comparada a uma espécie de virus que surgiu dentro do corpo da galáxia.

Então tôda a atenção da investigação se direciona agora para êste fenômeno: o DNA criando virus. Êstes virus surgem num local ou em varios locais do corpo? Êles se fixam no local que surgem até a morte do corpo? Sum? Então a Humanidade permanecerá na Terra, a galáxia irá morrer, e a humanidade desaparecer nesta morte? Os virus se espalham para outras regiões? A humanidade se espalhará dentro do corpo da galáxia? Os virus extrapolam as fronteiras do corpo e infectam outros corpos? A Humanidade ultrapassará as fronteiras da galáxia e habitar outras galáxias? A Humanidade ultrapassará as fronteiras do Universo – êste super-aglomerado de aglomerados de galáxias – e irá habitar outros universos? Uma coisa é certa: o que fazem êstes virus criados pelo DNA, à Humanidade será possível fazer tambem.

Na busca de tentar obter a definição oposta do observador oposto da galáxia como observadora, não temos outra alternativa senão refrear nosso esforço enquanto buscamos mais informações dêste fenômeno do “DNA humano criando virus”. E depois observar êstes virus, tudo o que fazem, e calcular o que fariam se tivessem a inteligencia e conhecimento atual da Humanidade. Não temos como avançar aqui por ora. Temos que esperar estas informações, que apenas o setor da pesquisa prática pode obter.

Não existe razão “racional” para conferir o status de observador ao ser humano. Assim como não teria nexo se esperar e aceitar uma observação de um rodamoinho que surge no quintal de casa, se move por alguns segundos, e desaparece. Tal observação não teria o menor valor, a não ser como um breve relato do que é o mundo dentro dos limites do quintal. A unica observação de valor existente é a da galáxia, e ela sugere que o comportamento sensato é: viva o máximo melhor possível o seu momento em seu local, esqueça as intenções de melhorar os outros momentos e os outros locais. Mas em sã consciência sabemos que êsse comportamento tem que estar errado. Porque tem que existir a definição oposta do observador oposto, a qual vai sugerir um diferente comportamento, mas igualmente será uma sugestão errada. O comportamento certo terá que ser calculado como o resultado do equilibrio entre as duas definições opostas. Se ainda nem conhecemos o anti-observador com sua anti-definição, estamos muito longe de descobrir qual o comportamento sensato. Por isso eu me entrego como perdido e me deixo levar ao sabor das vontades do mundo, apenas fazendo uma pequena pressão para expressar o comportamento sugerido pela galáxia, porque isso me convem.

Estou mentindo a mim mesmo. Não é assim que tenho me comportado exatamente. Não tenho sido extritamente racional, no sentido que “Razão” deve ser um elemento natural, produzido pelas e submetido às fôrças naturais. Tenho sido um virus anormal, extraviado. Um virus normal quando chega num ponto “b”, o qual se bifurca num caminho de subida e outro de descida, se não sentir cheiro de algo desejado no caminho de subida, fatal e naturalmente se dirigirá pelo caminho menos sacrificado, que é o de descida. Pois tenho sido um virus que tem escolhido, sem explicação racional, fazer o sacrificio do caminho da subida. E assim é no minimo os 90% dos humanos, que todo dia se levantam, e ao ivés de saurem procurando diretamente a comida, como qualquer animal, escolhem o caminho do trabalho escravo. Porque?!

A resposta só pode estar lá atrás: aquela fôrça misteriosa que não vem da galaxia ou então surge por mero acaso dentro da galaxia que faz os átomos-nutrientes subirem de desde o interior do solo para brotarem como um corpo e se moverem por 80 anos.

Todos os seres humanos sabem que existe essa fôrça, mesmo os nativos analfabetos da selva amazônica, sem terem que fazer nenhum árduo exercicio intelectual como estamos fazendo agora. E esta percepção desta fôrça tem sido a causa de muitas diferentes teorias existentes, cada qual expressando a preferencia num tipo de causa ou fonte desta fôrça. São tôdas teorias que tornam os virus desviados do racional, uns mais, outros menos. Existem as teorias extremas como a defendida pelo homem bomba suicida do Oriente Médio. Seria inacreditavel que um virus de repente e por vontade própria se exploda a si mesmo. Mas acontece que o suicida árabe não é apenas um virus, dentro de seu corpo tem um cérebro que produz certos efeitos. O ato do suicidio dentro da galaxia tambem não é causado por uma fôrça emitida pela vontade da galáxia. Então chegamos a três alternativas: ou existem muitas fôrças externas á galáxia, ou emergem muitas fôrças que emergem pelo acaso, ou a fôrça que produz o homem suicida é a mesma que produz o fenomeno dos átomos nutrientes formarem corpos moventes.

Bem, nêste momento meu cérebro cansa e me dou por derrotado uma vez mais, saindo daqui para deixar o vento me levar para onde êle quiser, sem nenhuma intenção de direção pré-programada, pois que não tenho ainda a menor noção de qual é o comportamento certo. Tirei de util dêste sacrificante exercicio intelectual o conhecimento de que para a galáxia, sou proporcionalmente o que é para mim um rodamoinho: nada. Tornados são rodamoinhos crescidos, são para mim problemas sérios, talvez meus futuros sejam um sério problema para a galáxia.  mas o que importa é que por ora sou um rodamoinho, sou nada. Sou tambem, para a galáxia, um virus. Eu não tenho a menor percepção dos virus criados pelo meu DNA que habitam meu corpo.  Mais uma vez, sou nada.  O que de valor tirei dêste sacrificio foi o conselho de que devo rir da vida, nunca levar nada a sério, assim é mais sensato. Mas sei que não seguirei êste conselho. Adquirí o vicio de ficar forçando a Humanidade e o mundo a se tornarem perfeitos segundo munha crença do que significa perfeição. Estou completamente vencido por êste vicio.

Todos tem diferentes teorias, eu tenho uma. Nela, parece-me, assim á distancia, que tem a explicação de como atua essa f6orça e de onde ela veio quando chegou à supergficie da terra. Ela sugere que a galáxia tem uma forma, que essa forma é justamente o ancestral do meu DNA. Isto explicaria como a galaxia produz humanos dentro dela. É o mesmo caso de como eu produzo virus dentro do meu corpo. Mas não explica o que é a fôrça, nem a fonte da fôrça, que está dentro dêstes DNA’s, que produz humanos e virus. A minha teoria sugere que o mesmo DNA vem de um ancestral, o qual estava dentro dos átomos, antes das origens das galáxias. Então a origem e fonte desta fôrça está se afastando demasiado de minhas possibilidades de agarra-la. Mas não vou desistir. Deixo 6este artigo aqui registrado para voltar a lê-lo, corrigi-lo, enquanto em minhas meditações e pesquisas continuarei buscando a origem e a fonte desta fôrça. Já nêste momento não estou considerando mais a possibilidade de que ela seja uma emergencia do acaso. Pois vejo seus efeitos se repetirem iguais em duas situações totalmente diferentes, significando que é uma constante, e não um acidente ao acaso. Até a próxima…