Posts Tagged ‘formação’

Fantástica indicação da previsão da Matrix/DNA sobre “dois processos para formação de galáxias”?

sexta-feira, junho 15th, 2018

xxxx

http://www.pnas.org/content/early/2018/06/04/1720167115

Neste paper da PNAS, pela primeira vez vejo mencionado   com grande insistencia os termos “first generation”, and “second generation” referindo-se a nebulosas estelares e pre-condicoes de formação do sistema solar. Assim de chofre sem ler cuidadosamente o paper, estou entendendo que separaram a formação destes sistemas em duas fases porque numas amostras de material interestelar so’ aparecem moléculas e elementos nao-organicos, e em outras amostras aparecem estes ingredientes acrescentados de carbono organico…! Isto e’ fenomenal para o modelo teórico astronomico da Matrix/DNA.

Primeiro porque fui o primeiro ( a 35 anos atras) a sugerir como resultados dos meus modelos que – assim como a célula vital teve duas fases ou dois processos diferentes de formação ( a primeira quando formou a primeira célula e a segunda quando a célula aprendeu a se reproduzir e formou todas as outras posteriores – também a formação de galáxias e/ou sistemas estelares tiveram dois processos de formação, pelo mesmo motivo. Como na teoria tratamos da formação do building block de galáxias, não pudemos ate hoje calcular como teria sido a transformação da primeira para a segunda fase, pois isto envolveria um estudo químico muito complexo e detalhado. Com isto ficamos sem afirmar um modelo de formação da Via Láctea e do nosso sistema solar, por não saber-mos se pertencem `a primeira ou segunda geração.

Se nos debates e fóruns da Internet em que participei esta alusão a dois processos de formação produziu nos interlocutores discredito, incompreensao e ate’ ironías, acontece que eles ainda nao sabiam destes recentes estudos e revelações dividindo as gerações pela Ciência Astronômica Oficial.

Outra grande e espetacular possibilidade que surge com estas recentes descobertas vai de encontro com outra sugestão feita a 35 anos atrás: a de que os sistemas astronômicos são internamente exclusivamente físicos e mecânicos, porém já apresentam uma cobertura de organização orgânico-biológica da matéria, a qual evoluiria para os princípios da origem da vida. Quando eu dizia isto então, os ouvintes iam ao delírio do criticismo. Pois neste paper se descobre que o carbono organico ja existia nas nebulosas pre-solares de segunda geracao e inclusive era forte catalizador na agregação de grandes compostos de elementos inorgânicos.

E para quem não percebeu ainda, a propalada transformação do inorgânico para o orgânico que sempre e’ acreditada nas teorias das origens da vida existentes, pode estar errada, e pode estar certa a minha teoria quando sugeriu ha’ 35 anos atras que esta transformacao se deu fora e antes da formação da Terra. Assim como a minha teoria está sugerindo que a teoria evolucionista darwiniana esta demasiado incompleta porque  a evolucao biologica neste planeta foi e e’ afetada por variáveis vindas da evolucao cosmologica ainda desconhecidas de quem não conhece a minha teoria.

Um dos textos do paper referindo-se a duas diferentes gerações:

” We interpret these observations as evidence for two sequential generations of aggregation, possibly in different environments. GEMS are thus first-generation aggregates in which subgrain mantles may have played a role in the aggregation (or accretion) process. The second generation of aggregation involved sticking of GEMS grains, crystals, and nanoglobules, also perhaps facilitated by a second generation of mantles, to form the aggregate structure with organic matrix observed in cometary IDPs…. 

Espero que tenha tempo, condições financeiras e disposição para retornar a este paper com link acima para fazer uma detalhada pesquisa nos papers derivados e relacionados ao tema. São centenas, milhares de indicações, evidências, como estas, que me fazem suspeitar que realmente a minha teoria tenha uma forte conexão com a realidade da natureza universal…

A Matrix/DNA pode descobrir o processo pelo qual o sistema solar foi formado

sexta-feira, março 2nd, 2018

xxxx

A teoria academica atual, chamada de Solar Nebula Theory nao funciona. Sao varios os problemas constados que vao contra a teoria e ainda nao foram solucionados. Por exemplo:

  1. os iniciais pedacos de rocha nao teriam como se agregarem para formar planetas e antes, teriam se chocado e desintegrado.
  2. a elevada densidade de Mercurio
  3. A teoria diz que mercurio nao poderia ter um campo magnetico, mas ele tem e e’ forte;
  4. a teoria supoe que Venus foi formado no mesmo tempo e mesmo processo que a Terra, porem Venus apresenta muitas diferencas, como nao ter placas tectocnicas, nao ter lua, etc;

Sao dezenas ou centenas de problemas em todos planetas e luas contra a teoria academica, como se pode ver neste video ( o video foi produzido por motivos religiosos e ideologicos os quais nao me interessam, mas os fatos e as informacoes apresentadas sao de nossa utilidade):

Our Created Solar System – What You Aren’t Being Told (youtube)

https://www.youtube.com/watch?v=Gr8Az3QQZdI
A matrix/DNA tem o processo ( symbiose entre as diferentes formas de astros produzidas pelo mecanismo do ciclo vital), pelo qual foi formado os originais building blocks de galaxias, e as primeiras galaxias devem ter se formado pelo mesmo jeito. Porem este modelo nao explica como foram formados os sistemas solares, pois tal como a celula passou por dois processos diferentes de formacao, tambem os sistemas astronomicos de ultima geracao foram formados diferente dos originais. O nosso problema e’ calcular como foi essa transformacao do primeiro processo para o segundo processo, para entao apresentar o processo da formacao solar. Mas temos uma vantagem porque temos as pistas para descobrir essa formacao. Temos que estudar as diferencas na celula entre o primeiro metodo da simbiose e o segundo metodo da simples replicacao. Anotadas e calculadas estas mudancas entao devemos projeta-las sobre o modelo do building block ate obter o modelo que funcione da formacao do sistema solar.

Planetas: Teorias da formação Pela Academia de Ciências e pela Matrix/DNA Theory

terça-feira, agosto 22nd, 2017

xxxx

A Short History of Planet Formation

https://www.youtube.com/watch?v=VAKSzsJcpQk

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – 8/22/2017

There are four ways for searching planet formation: 1) reductionist, is what Dr. Shahar is doing, first studying the basic Physics and Chemistry of it system’s components: 2) Systemic, which is comparisons between a system and the Matrix/DNA universal formula for systems, and making comparative anatomy between systems: 3) Trying to compose the history, from the past Big Bang to nowadays, and 4) From the future to the past, going from the final product today built by the forces and elements as a system and trying to know the reverse of its evolution, going towards the Big Bang. I am not well informed, I have knowledge of works being doing by Academic Science only by methods 1 and 3. So, I tried something about methods 2 and 4 and I got the Matrix/DNA astronomical models and theory. It results in a different general world view which affects the approaches to astronomic bodies formation. What will happen if academic researches tries methods 2 and 4? Maybe it will reduce time, money and sacrifices for getting the final knowledge.

Apenas para lembrar aos contestadores: ainda quase nada se sabe sobre formação de planetas

segunda-feira, julho 10th, 2017

xxxx

Pesquisadores encontram planeta que não deveria existir

Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu um sistema planetário extremamente peculiar, onde um planeta gigante de gás morno e maciço está orbitando uma estrela incrivelmente rápida. De acordo com a física, este planeta não deveria existir. Mesmo assim, ele existe, não dando a mínima para o nosso limitado conhecimento.

Uma coisa é certa: esse sistema fará com que nosso conhecimento sobre a formação planetária e os sistemas planetários evolua. Sabemos que os modelos são aproximações e essas exceções dizem onde precisamos procurar novas respostas.

O HIP 65426b nos lembra que, embora as descobertas de exoplanetas sejam comuns, ainda há muito que não sabemos sobre sua formação.

Origens da Água na Terra: Novas Descobertas Sao mais Evidencias para a Teoria da Matrix/DNA

domingo, janeiro 29th, 2017

xxxx

 

Os caras estão mais perdidos que cego em tiroteio, e como nos, da Matrix/DNA, continuamos acertando todas nossas previsões, estaríamos rindo de segurar a barriga, porém, estamos furiosos por estarem prejudicando a evolução mental da humanidade.

Para entender-mos a nossa existência neste planeta precisamos entender a existência do planeta, seu lugar no contexto do Cosmos. Mas para este entendimento precisamos de informações, e informações sobre coisas tao distantes dos nossos limitados cinco sensores cerebrais, são difíceis, exigem muita investigação, cientifica.Enquanto não acha soluções para fenômenos e eventos naturais distantes da nossa percepção, os humanos inventam misticas, fantasias, pois a humanidade esta’ na sua infância coletiva a qual imita a infância imaginativa e magica individual, de toda criança. Assim surgem as invenções de deuses… e de gerações espontâneas, ao acaso, de fenômenos sólidos concretos, como é o nosso planeta.

Infelizmente esta infância mental inventa suas fantasias e elas dominam a educação escolar até nossas universidades modernas. Ali é ensinado que nosso planeta se formou quando uma nebulosa de gás e poeira formou o Sol e da sobra desse material surgiu a Terra… tudo muitíssimo simples, espontâneo, ao acaso. Por outro lado, nos, da Matrix/DNA tivemos que trabalhar dia e noite arduamente por 30 anos investigando as origens e formação deste planeta, e chegamos a uma teoria totalmente diferente e muito, muitíssimo complexa. Ora, o principal motivo nesta brutal diferença dos resultados finais, é que eles começaram seus cálculos a partir de outra teoria nas origens do Universo – o Big Bang – e continuando a calcular os passos evolucionários seguintes desta ” grande explosão”, chegaram a tal nebulosa de gaz e poeira e com ela tiveram que calcular como nela surgiria um planeta. Enquanto por nosso lado, primeiro observamos o planeta aqui e agora, tudo o que ele produziu, inclusive e principalmente a vida biológica, e juntando todas as forças e elementos da vida mais o que se sabe de fato concreto do Cosmos, descemos do futuro em relacao ao passado para chegar ao estado do mundo que produziu este planeta. Nos começamos do presente e não do passado remoto porque apenas sabemos com alguma certeza o que existe no presente. A incrível complexidade dos produtos deste planeta não poderia deixar ninguém, em sã consciência e racionalidade, acreditar que o mundo que o fez e o método com que o fez tenham sido de tanta simplicidade.

Bem,… a bom tempo, desde que se começou a fabricar instrumentos que funcionam como extensões dos nossos sentidos para perceber os invisíveis micro e macrocosmos, eles vem levando cacetadas atras de cacetadas, a cada dia que um Hubble da vida passeando nas fronteiras do nosso sistema manda uma imagem do Cosmos. As imagens não batem com seu modelo teórico, mas apesar de tantas cacetadas, ao invés de recalcularem o modelo e procurar outro, ficam remendando-o fazendo da teoria uma colcha de retalhos já impossível de sustentar-se. Enquanto isso, a nossa voz miúda que não alcança as universidades, continua anunciando como cada imagem esta batendo com nosso modelo. Ate quando imagens começarem a negar nosso modelo, mas ai não teremos problema nenhum em abandona-lo ou reforma-lo a luz das novas informações.

Um dos maiores problemas que se apresentou a teoria acadêmica trata da existência da água neste planeta. Se ele foi formada como sobra do Sol, no meio de uma nuvem de gaz e poeira, como surgiu esta imensa quantidade de água que é maior que o volume de todos os continentes juntos?! Apenas isso seria fato suficiente para desacreditar-mos de nosso modelo e partir para buscar onde erramos. Mas não. O ego, o presente status social, as privilegiadas condições sociais em que acomodaram suas vidas, jamais os permitira sequer pensar que teriam de chegar aos estudantes e mandarem esquecer tudo o que ensinaram, jogar os textos do curriculum escolar no lixo, e terem que reaprender tudo de novo, depois de terem atingido a meia-idade… Imagine se Platão chegasse um dia a seus discípulos e dissesse que descobriu que seus ensinamentos sobre geração espontânea da vida estava toda errada… Ele cairia no descredito imediatamente, estaria morto e hoje ninguém ouviria seu nome.

E quando nos debates pergunto a um especialista… ” E a água?” ele fica irritado e responde algo que poderia ser traduzido assim: ” Eu gosto, só como farofa, não suporto comer mingau. Então não venha botar água na minha farofa transformando-a em mingau que eu prefiro morrer do que comer mingau.” E se agarra a sua farofa protegendo-a com unhas e dentes. Mas… e a água?

O nosso modelo de formação da Terra não tem nenhum problema com a água, alias, obrigatoriamente ela tem que existir, segundo o modelo. Por que os nossos planetas não foram formados como sobra de estrelas – ao contrario, eles carregam o germe de uma estrela em seus núcleos. Não foi formada numa nebulosa de gaz e poeira apenas, havia muitos outros elementos e forças. E ele veio de longe, tao longe que atravessou nebulosas de poeira congelada, a qual se agregou a sua superficie, e quando caiu na orbita de uma estrela quente, o gelo simplesmente derreteu, formando os oceanos que quase cobrem toda a superficie. A água esta do nosso lado, como mais uma evidencia arrolada a favor do nosso modelo.

Mas,… se qualquer extraterrestre racional iria ficar horrorizado ao ouvir falar que gás e poeira ao redor de uma estrela quente gera água, os nossos acadêmicos, e gerações mais gerações de estudantes, engole a absurda proposta sem qualquer raciocínio. Não é de se surpreender, se estes mesmos acadêmicos e estudantes elegeram a pouco como best-seller um livro que chama-se ” O Tudo Veio do Nada”. Esta na moda, é a onda do momento, o que faz os que o pronunciam nas rodas de botequim como um intelectual respeitado. Porem, existem as exceções que ainda de alguma maneira conseguem manter um pouco de controle sobre suas propriedades mentais, e estes não engoliram tao fácil o absurdo. Sentiram-se incomodados, suspeitaram da “verdade cientifica”. Porem, como também estes estão com os seus neurônios compactamente configurados pela visão de mundo explosivo com seu Big Bang ao acaso, não puderam atinar com algo mais racional e remendaram a teoria com outro absurdo: a água no planeta veio de colisões com cometas que eram ricos em água… Meu Deus, tenha a santa paciência! E’ a onda do momento, quem repete isso é expert, a nata da intelectualidade mais moderna!

Acontece que,… se o cérebro humano é produto natural de matéria mole e de uma  biosfera que teve origens caóticas, portanto ainda apresentando muitos defeitos, este mesmo cérebro tentou se reproduzir tecnologicamente com matéria mais dura, na forma de computadores. Estes cérebros eletromecânicos – apesar de também serem milhões de anos-luz fora da realidade natural – não conseguem fazer tanta besteira como faz a matéria mole. E então nesta semana alguns tecnólogos produziram uma simulação computacional de como seria as origens do planeta, e, a água apareceu! La’ nos primeiros momentos da formação do planeta! Raios… mas então não existiu bombardeio pesado de cometas aguados!

Aconteceu o seguinte. Em 2014, pesquisadores japoneses testaram algumas reações químicas baseadas em hidrogênio liquido e quartzo, que é o mais comum e estável forma de sílica nesta parte do planeta, sob altas pressões e temperatura. Depois, uma equipe da University of Saskatchewan no Canada raciocinou que se estas reações ocorrem com sílica e ela esta no interior do planeta, no manto, então porque não fazer uma simulação computacional desta reação acontecendo justamente naquele lugar? Fizeram isso e descobriram surpresos que no manto a reação produz… água! Claro, é apenas simulação computacional, o mapa nunca é real como o território, mas as vezes a simulação pode se aproximar bastante do evento real.

Este material nestas temperaturas e pressão existe entre 40 a 400 quilômetros de profundidade. Então imediatamente perceberam que o nosso planeta não é apenas azul quando visto do espaço, mas é azul também de dentro para fora…

O resultado da simulação ganha mais força quando lembramos que estudos realizados nos últimos anos encontraram evidencias da existência de vários oceanos plenos de água comprimidos em rochas tao profundas quanto os 1000 quilômetros. E então o responsável pela equipe diz que “esta pesquisa sugere que a água do planeta veio de dentro,… apesar de que ninguém de nos sabe ainda exatamente como isso aconteceu”.

Bem, segundo sugere o nosso modelo de formação da Terra, o seu núcleo esférico era pequeno quando começou a crescer devido ser agregado por detritos e poeira congelada a mediada que atravessava a zona de eventos logo apos o vórtice nuclear e portanto, este gelo pode ter milhares de quilômetros de profundidade. Mas o gelo também estava na superfície quando o planeta se aproximou do Sol e seu calor começou a descongela-lo na forma de rochas e água, portanto, a água veio de dentro e de fora também.

Fica registrado o artigo ( link para o paper que originou este artigo, abaixo), como mais uma evidência a favor da Matrix/DNA Theory. E lembrando mais uma vez que não vamos entender nossa existência aqui senão entender-mos o planeta e a galaxia que nos fez dentro dela. Mas para isso a Humanidade precisa amadurecer para deixar de ter sua mente povoada de fantasias como as mentes de nossas crianças. Por isso gasto meu tempo com estes assuntos astronômicos, que não era meu proposito no inicio da minha investigação.

Apenas mais um adendo:

O artigo diz que: “Water formed in the mantle can reach the surface via multiple ways, for example, carried by magma in the form of volcanic activities.”

Sim, e chego até mesmo a suspeitar de algo estarrecedor. Essa água no interior do manto e tao próximo do núcleo efervescente, recebendo aquele imenso calor, pode estar se evaporando no inteiro do planeta e chegando na superfície, e dai para a atmosfera no estado de vapor e… não estaria ai a principal causa do famigerado efeito estufa?!

NEWScientist

27 January 2017

Planet Earth makes its own water from scratch deep in the mantle

https://www.newscientist.com/article/2119475-planet-earth-makes-its-own-water-from-scratch-deep-in-the-mantle

xxxx

paper:

http://Journal reference: Earth and Planetary Science Letters, DOI: 10.1016/j.epsl.2016.12.031

xxxx

paper dos pesquisadores japoneses:

Restricted access

Formation of SiH4 and H2O by the dissolution of quartz in H2 fluid under high pressure and temperature

http://ammin.geoscienceworld.org/content/99/7/1265

These results indicate that the chemical reaction between dissolved SiO2components and H2 fluid caused the formation of H2O and SiH4, which was contrastive to that observed in SiO2–H2O fluid. Results imply that a part of H2 is oxidized to form H2O when SiO2 components of mantle minerals dissolve in H2 fluid, even in an iron-free system.

xxxxx

meus comentarios publicados na midia:

https://www.reddit.com/r/science/comments/5qjvyv/planet_earth_makes_its_own_water_from_scratch/

Planet Earth makes its own water from scratch deep in the mantle from science

TheMatrixDNA  – 1/29/2017

Ok. The existence of water in this planet has been a puzzle only because the theory of planet formation is wrong. My astronomic model – The Matrix/DNA Theory – suggests a different process for planet’s formation and in this process, water was present at the formation as in the whole interstellar space, and still can come from within. And it does not need these elevated pressures and atmosphere

xxxx

Louis C. Morelli, New York, United States, 1/29/2017

Read more: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-4165242/Earth-makes-water-deep-mantle.html#ixzz4X8sjUojw

Exoplaneta Faz Astrônomos Revelarem que a Formação de Planetas Ainda é um Mistério

terça-feira, janeiro 10th, 2017

xxxx

Hubble Detects Signs Of A Young Exoplanet

http://www.msn.com/en-us/news/technology/hubble-detects-signs-of-a-young-exoplanet/ar-BBy4RbS?ocid=wispr

Eu não consigo entender isto. Basta ler qualquer livro pedagógico destinado a educação escolar que se encontra detalhadamente descrito o processo de formação de planetas, estrelas, etc. Nem avisam mais que trata-se de uma teoria, vão direto afirmando que os planetas surgem assim e assim. Mas só os educadores burocráticos que elaboram ou aprovam este curriculum escolar que “sabem” a verdade, pois os cientistas astrônomos não sabem! Vejamos este paragrafo nesta notícia (traduzido a seguir):

Scientists hope that by studying the protoplanetary disk around TW Hydrae, they would be able to understand exactly how planets form — a process whose exact mechanism is still shrouded in mystery. (Os cientistas esperam que estudando o disco protoplanetário em volta de TW Hydrae, eles poderiam ser capazes de entender exatamente como o planetas são formados – um processo cujo exato mecanismo ainda esta’ envolto em mistério.)

Pois bem, estão mentindo para nossos filhos, esta nova geração de cuja visão do mundo vão depender eles e as próximas gerações para sobreviverem ou serem extintos para sempre. Na minha opinião esta mentira tem um motivo: eliminar a idéia de algum sentido sublime para a existência incutindo definitivamente no ideário humano que toda existência é obra do acaso. Pois a teoria sendo ensinada se resume em geração espontânea por acaso, dos planetas. E’ a ideologia dos grandes predadores humanos que assim se justificam no seu comportamento de rapina a seu bel prazer, pois não terão que enfrentar nenhuma justiça sublime alem da humana que eles mesmos elaboram.

Como eu não mantenho nem o instinto animalesco para predador nem o instinto para ovelha – porque vim da desclasse social desideologizada – fui buscar a minha própria visão de mundo e nessa busca elaborei uma teoria do tudo que ha’ neste Universo, portanto, também uma teoria astronômica. E nos meus modelos astronômicos, a formação de sistemas astronômicos obedece não ao acaso nem a uma criacao magica de algum magico sobrenatural, mas sim ao processo conhecido para a formação de sistemas biológicos, descontadas as complexidades adquiridas no intermeio evolutivo entre estas duas formas de sistema. E assim como encontrei um motivo sublime na formação celular, este motivo também foi encontrado na formação astronômica. Mas,… ainda é teoria contra teoria, ninguém conseguiu derrubar a minha e eu não consegui derrubar a deles… que ainda esta envolta em mistérios. O que me deixa indignado é essa pregação no estilo religioso transmitindo o que é teoria como se fosse verdade cientificamente comprovada. E fico indignado ainda porque de tudo que vejo na Internet e no mundo hoje em geral eu sou o único no mundo que esta gritando que isso é teoria, não é verdade cientifica, enquanto os pais, que deveriam ser os mais interessados na salvação da mente de seus filhos, se calam inertes. Como parte da minha militância, aproveito sempre a oportunidade de dar uma cutucada nos autores e comentaristas destas noticias, como fiz aqui e copio a seguir:

xxxx

 Louis Charles Morelli · jan-01/10/2017
This is important for several things, but one is fundamental: when you see something that you desire at a long distance, you will find the way to get there. Thanks NASA.
About the planet formation, it is possible that astronomers are forgetting a very important issue. Accordingly to my different method, must have two process for astronomic systems formation, as we had two different process for cellular system formation. One, the first and initial process, was by symbioses. Then, the system learned how to reproduce itself, by self-recycling the resulting dust of a died system. I have all details about the bodies formation at the first process, but I did not get yet the second process. If this is a young system, it must be formed by the second, like our own solar system. We need to search the differences between the symbiontic cellular formation and the automatized cellular reproduction for inferring how our ancestrals astronomic systems do it.
xxxx
Chris Hood ·- Works at Reformou-se
This is not important in our lives. NASA has spent Trillions on worthless endeavors. Stop bleeding us dry. Oh, the military complex is running the show. I guess we need the military in space.
Louis Charles Morelli · to – Chris Hood
Oh, yes… and your opinion is that humanity deal only with the terrestrial issues, till the day that this planet and star – which are under transformations – does not support life here anymore. Thanks to NASA, we will be able to destroy a meteorite before it destroy us, and we will be able to leave at other young planet escaping from extinction here. If we listen you, we will be caught like the dinosaurs.
xxxx
People do not have a clue as to the expanse of the UNIVERSE. Our CREATOR has infinite things going on throughout eternity that mankind has no way of even starting to comphrehend. “The Start (of) Your Life, Your Future” is a book that should be read by everyone on Earth. If you believe what it says it will change your life for the better forever.

Louis Charles Morelli · to – Carol Harmon

“Our CREATOR has infinite things going on throughout eternity that mankind has no way of even starting to comphrehend.”
And because the Universe is so big and complex you has no way of even start to comprehend the Universe, then you prefer the theorists of magical thinking that imagined they know the thru inventing a ghost magical creator and believing that eternity is a proved fact. The unique thing that can be eternal os transformation, evolution, because everything we know are transformed, nothing went to be eternal.

Ja’ não da’ mais para negar. A Minha teoria astronomica esta mais correta que a teoria oficial academica. Mais uma informação que vem do Cosmos, e mais uma acertada previsão da Matrix/DNA Theory

sexta-feira, junho 12th, 2015

xxxx

Leia-se o artigo clicando o link abaixo e em seguida meu comentario:

Planetas gasosos podem ser bem diferentes do que se pensava, aponta estudo

http://www.galeriadometeorito.com/2015/06/planetas-gasosos-gas-helio.html?showComment=1434112356316#c8175047709017871497

Netuno quente

Ilustração artística mostra como poderia ocorrer a evaporação do hidrogênio nos exoplanetas da classe ‘Netuno Quente’. Créditos: NASA

E neu comentario postado no artigo:

Louis Charles Morelli12 de junho de 2015 09:32

Mas isto não esta’ totalmente contra a teoria que nos estão ensinando na escola sobre formação de sistemas estelares e seus planetas? Um astro inicialmente composto por gazes torna-se uma estrela, não e’ isso que diz a teoria? Se um planeta solido for cozido por uma estrela a tendencia seria ele cada vez mais rapidamente se afastar da estrela, pois ao se tornar gasoso menor sera’ sua massa gravitacional e menor a capacidade da estrela de mante-lo por perto. Estou errado?

Porem o meu modelo astronomico que sugere uma diferente formação de sistemas solares fica mais uma vez confortavel com cada nova informacao ou imagem que vem do Cosmos, como e’ mais este caso dos Netunos-Quentes. Seriam planetas solidos como a Terra mas com intensa atividade de seu nucleo que vai “comendo” as camadas geologicas de dentro para fora, e ao ingerir particulas dos atomos transforma-os em atomos leves gasosos. Enquanto isso vai diminuindo seu elo gravitacional com sua estrela e se afastando para a periferia do sistema. Tais planetas podem ou desaparecerem fragmentando-se em poeira gasosa ou extrapolar os limites do sistema e tornarem-se uma supernova, E’ o que sugere a teoria ” A Formula Universal da Matrix/DNA Para Todos os Sistemas Naturais”, de atomos a galaxias a celulas e corpos humanos.

Durante seis ou sete mil anos a humanidade acreditou que o Sol girasse em torno da Terra. H’a 500 anos um filosofo nao-cientista chamado Copernico elaborou um modelo ao contrario e por 200 anos ninguem acreditou nele. Foi apenas quando Galileu obteve provas incontestaveis que a humanidade percebeu que seu mundo estivera de cabeca para baixo, uma gigantesca revoluçã

o no pensamento. Eu nao tenho culpa se ao aplicar metodos diferentes resultou num novo modelo sugerindo mais uma vez que ainda nestes ultimos 200 anos a nossa visao do mundo esteve equivocada e mais uma grande revolucao e’ possivel. Raios, todos os dias as novas informacoes e imagens da NASA vem acompanhadas de frases como ” isto nao esta de acordo com a teoria vigente, vamos ter que reve-la” E assim ficam teimando, remendando e remendando uma teoria que ja parece mais uma colcha de retalhos, ao inves de aceitar o obvio: a teoria academica, o modelo astronomico, esta’ errado! Enquanto isso ha’ 30 anos eu ja acumulei em meu website cerca de 1600 novas informacoes que ou batem perfeitamente ou inclusive ja estavam previstas pelo modelo.

Pelo pouco que sei, suspeito que a teoria vigente supõe que o helio destes planetas teriam surgido da fusao nuclear do hidrogenio abundante no espaço, ou seja, estes planetas ja teriam surgido gasosos. Mas o helio foi descoberto pelo quimico sueco Teodor Cleve aqui na Terra justamente como produto do decaimento alfa de material tao solido como o uranio – tal como sugere o meu modelo: ele aparece nestes planetas como produto do decaimento da materia pesada e nao como fase inicial para evolucao rumo a materia pesada. Ou seja, justamente o modelo astronomico academico de cabeca para baixo. Mas, eu sou leigo em astronomia, quem sugere este modelo e’ a formula da Matrix/DNA e nao eu, e pode estar tudo errado tambem… so’ o tempo sera’ o juiz. ( desculpe as falhas gramaticais porque estou usando um computador que so fala ingles, sem acentos, etc.). Mas eu gostaria de um debate com algum astronomo aqui… Grato.