Posts Tagged ‘fótons’

Os Fotons Escuros Luminosos: E a Dadiva do Poder do Mais Elevado Conhecimento

sexta-feira, maio 12th, 2017

xxxxx

A posição humana em relação `a busca do conhecimento sera’ melhor entendida se imaginar-mo-nos agora situados no centro da Terra. O conhecimento nos espera nos quatro quadrantes a partir do centro: a sudeste e sudoeste, a noroeste e nordeste. Para o sul vamos  cada vez mais descendo no microscópico e para o norte vamos subindo no macrocosmos.

No momento que pensei nesta analogia, descobri algo muito curioso: o cérebro humano esta’ construído exatamente nesta configuração dos quadrantes, como se fosse previamente desenhado para conquistar e armazenar todo o conhecimento universal.

Senao, vejamos: se nos situar-mos no centro do cérebro, mais próximo ao hipocampo, vemos a nossa esquerda o hemisfério esquerdo, que corresponde ao lado geográfico compreendido por sudoeste e noroeste; e vemos a nossa direita o hemisfério direito, que corresponde ao lado geográfico compreendido por sudeste e nordeste. Acima da nossa posição geográfica esta’ o Polo Norte, abaixo o Polo Sul. Tambem no cérebro, na parte baixa esta’ o cerebelo, a morada dos eus inferiores que herdamos dos instintos animais; enquanto na parte alta do cérebro esta’ o córtex, a região de onde emana a auto-consciência e se constrói o nosso eu superior.

Depois de dar a volta por todo Universo e chegar a suas ultimas fronteiras desvendando os segredos do mundo físico material, a cosmovisão da Matrix/DNA esta’ agora parada nas duas regiões fronteiriças, a de cima, e a de baixo. A microscópica e a macrocósmica. Na macrocósmica paramos no oceano escuro de matéria negra e na onda de luz original que banha este oceano, a radiação cósmica de fundo. Nas regiões microscópicas estamos parados nas partículas ultimas desta onda de luz, os fótons.

Porque já sabemos que a onda universal carrega em si as sete funções de todo sistema natural completo e funcional, e como ela gera o atrito ao passar pela matéria negra criando as energias, e dividindo tudo nestas sete funções para gerar todos os sistemas naturais. Enquanto não desenvolver-mos os nossos atuais sensores naturais e tecnológicos sera’ difícil avançar no conhecimento desta quase abstrata entidade cósmica. Nossos olhos então estão mais voltados para as regiões microscópicas, as partículas fótons.

Partindo do nosso campo visual normal, fomos avançando pelas ondas na hierarquia das dimensões escalares, descendo pelo nível das minusculas células, dos átomos, e depois de suas partículas, chegamos `a dimensão quântica. Mas nessa dimensão a realidade novamente se dobra e escurece as regiões abaixo onde estão os fótons. Podemos imaginar o mundo físico boiando sobre um oceano de pontinhos escuros moventes, e só’. A unica coisa que podemos inferir e’ que estes corpúsculos escuros são fótons, de intensa luminosidade, tao intensa que seu brilho nos cega e vemos a escuridão. Mas ai esta’ o segredo mais poderoso para a especie humana hoje, pois se conseguíssemos adentrar o mundo dos fótons, dominaríamos todos os aspectos da matéria, da energia, do mundo físico.

Sabemos que cada fóton e’ a copia completa da onda de luz universal. Portanto eles são sistemas em si, e funcionais. Em si mesmos são ondas comprimidas no microcosmos, portanto constituídos de sete faixas de frequências/vibrações diferenciadas entre si. E o mais importante: sabemos que eles se conectam em redes, networks, que eles adentram os elétrons dos átomos e assim – como os vírus fazem com as células – eles assumem a maquinaria e administração dos átomos, conduzindo-os a se combinarem para formarem sistemas, sempre modelados pela formula da Matrix/DNA, que e’ a forma da onda de luz universal.

Precisamos de alguma maneira limpar o negrume que esconde estes fótons, precisamos ver como estão formando o tórax humano, o sistema galáctico, o cérebro, cada célula, cada molécula, etc. e etc. Assim podemos ajuda-los a vencer os obstáculos que causam os defeitos nestes sistemas. As doenças nos humanos. As intempéries nos planetas e sistemas astronômicos…

Quando dois fótons se conectam devem criar uma ponte entre eles. De que sera’ feita esta ponte? Da mesma substancia deles? Serão extensões deles? Nas moléculas orgânicas os átomos se conectam através das pontes do semi-átomo, o primeiro a se formar como protótipo de átomo, o mais primitivo, o hidrogênio. Existira’ um tipo de fóton mais simples, mais primitivo, disponível no meio da material, que e’ capturado entre dois fótons superiores para formar seus elos de conexões?

As boas teorias sempre vão na frente das grandes descobertas. Elas tem guiado os humanos para as descobertas. Porque uma teoria gera uma vontade incansável na mente humana de buscar sua confirmação, de encontrar o objeto teorizado. Quando Lemaitre iniciou a teoria do Big Bang, tanto ele como a mente de muitos sentiram o desejo enorme de encontrar algo que fosse evidencia, e este desejo oculto na mente de dois radiotécnicos fê-los perceber que o ruido nos seus aparelhos estariam relacionados com o Big Bang. Quando Einstein elaborou suas teorias fantásticas mencionando espaços curvos encurvando a luz ele guiou mentes sedentas de encontrar evidencias a mentalizar uma experiencia e aproveitar a oportunidade unica de uma eclipse, para verem o objeto dos sonhos, a luz se encurvando.

Mas existem as teorias erradas, e nao sabemos se esta e’ uma boa teoria ou uma errada. Mas mesmo assim, quando se trata da evolução do conhecimento humano, melhor uma teoria errada do que teoria nenhuma. Os índios não formulavam estas teorias, e vemos no que deram. Quando uma teoria esta’ errada ela serviu de grande beneficio para nossa evolução, pois nosso conhecimento tem evoluído na base da tentativa e erro. Cada erro sofrido vai sendo eliminado das possibilidades e assim vamos cada vez mais nos aproximando do acerto.

Portanto, temos uma teoria, e temos agora uma vontade incansável de alcançar o reino fantástico dos fótons, um reino que revela os calcanhares da onda de luz original que veio junto ou deflagrou o Big Bang. Que extrapola as fronteiras do nosso universo perceptível e nos leva aos limiares da Criação… e talvez aos calcanhares do Criador. Estamos procurando agora uma maneira de mergulhar-mos nas trevas que antecede o reino dos fótons, isto nos ocupara’ a mente dia e noite, premissa necessária e suficiente de que vamos chegar la’.

 

A busca da Matrix/DNA na sua forma de campo áurico sistemico fotonico ou força vital no corpo humano

domingo, maio 7th, 2017

xxxx

A maior causa da grande tragedia humana é a nossa fraqueza tecnológica que nos impede de alcançar as áreas a que chegam nossas conquistas mentais, ou seja, nossas teorias naturalistas. A Natureza nos proíbe o conhecimento a partir de um limite que ela determina através das limitações dos nosso complexo sensorial e aparato tecnológico. Eu vejo sabedoria nisso: mesmo eu, descobrindo forças poderosas na Natureza, não as revelaria a esta humanidade, enquanto ela estiver neste estagio mental infantil e dominada pelos grandes predadores de humanos, os quais sempre se apossam dos poderes científicos e tecnológicos para reforçarem seu domínio escravagista sobre as presas humanas. E talvez alguém ja’ tenha agido assim, alguém que tenha compreendido isto, alguém como Tesla. E talvez alguém como Einstein, Fermi, etc., tenha ha’ muito suspeitado e teorizado as forças destrutivas dentro dos átomos, mas tenha se contido em publicar, só, fazendo-o num caso de extrema urgência quando não havia mais outra alternativa. Se Hitler vencesse, Einstein como judeu teria sua vida e a da humanidade prejudicada. Eu aprendi na própria pele que quando alguém tem seu horizonte mental ampliado pelo esforço na grande busca, ele se torna também responsável consciente pelo estado de vida da humanidade, e recebe com isso a obrigação de zelar por ela.

A cosmovisão da Matrix/DNA nos leva a suspeitar fortemente que o maior segredo da vida esta oculto a nos, porem a um passo de nossas mãos. Não teria outra alternativa logica natural para o processo de como a ultima forma evoluída da evolução universal a 4 bilhões de anos atras – as galaxias – terem se transmitido hereditária e geneticamente para a forma da primeira célula viva – senão através de fótons na função de genes, ou bits-informação. A reunião em qualquer ponto no espaço tempo que reúna certas condições “agriculturáveis”, de todos os fótons vizinhos irradiados por astros de um sistema galáctico torna-se a semente da vida e podem proliferar na forma dos materiais dominantes no tal espaço/tempo. Estes fótons penetram átomos, e dentro de átomos penetram suas partículas – ao menos seus elétrons – e como vírus passam a dominar a maquinaria dos átomos conduzindo-os a novas combinações, recompondo a rede de conexões e reproduzindo as partes do sistema galáctico de onde vieram. Por isso a unidade fundamental de informação do DNA biológico tem a mesma exata configuração e suas partes tem as mesmas funções do sistema galáctico. E esta configuração depois se amplia projetando-se na mesma forma como sistema celular biológico, ou seja, o primeiro ser realmente vivo, completo e funcional. E numa fase posterior essa mesma forma se amplia projetando-se como organismos.

Isto significa que os organismos estejam montados em cima de um mapa, um template, um esquema, que é essa rede de fótons. E quando dos organismos emergiu os cérebros – outra manifestação da mesma formula -, também estes tem suas partes e substancias montadas em cima desta formula. Se pudéssemos “ver”, “sentir”, ou capturar sua imagem e funcionalidade, mesmo que fosse com aparatos tecnológicos, nossos conhecimentos e poder se multiplicaria por mil. Para começar poderíamos eliminar todas as doenças mortais tradicionais e hereditárias. Poderíamos montar sistemas de produção de bens consumíveis libertando totalmente o ser humano dos trabalhos rotineiros escravagistas ( claro, isto se exorcizássemos antes os instintos animalescos da psique da aristocracia dominante hoje). Mas qual a dificuldade nos impedindo de alcançar estes campos fotônicos?

Dias atras, uma fantastica descoberta pelos astrônomos, pode bem servir de analogia para explicar isto. Na varredura que nossos potentes telescópios fazem pelo universo, aparecia uma pequena área totalmente negra, escura, como se ali não existisse nada, o que levou `a suspeita de que estariam vendo uma forte presença da teorizada matéria escura. Grande esforço tecnológico foi feito para reunir todas as lentes e ampliar suas diversas faixas de tomadas de fotos, etc, sobre essa área. Quando as fotos apareceram, uma estranha surpresa: aquela pequena região negra era na verdade como uma janela fechada encobrindo milhares ou milhões de galaxias luminosas!

Isto pode significar que aquelas galaxias estão muito mais distantes das que normalmente aparecem nas lentes, ou seja, são galaxias mais antigas, das origens do universo.

Isto me lembra quando viajando na selva tivemos o carro atolado na lama, desligado,e depois quando conseguimos desatola-lo e liga-lo novamente já na noite escura, eu estava na frente dos faróis e ao se acenderem, o negro tomou conta da minha visão. Luz forte demasiada nos cega, vemos o ilusório negro.

Então, quando hoje tento em meditação, ver o interior do meu cérebro, em regiões cada vez mais microscópicas, o negro toma conta conta da minha ilusória visão. E assim acontece com todos os instrumentos e experiencias cientificas que foram feitas buscando aclarar essa historia narrada por videntes sobre uma possível aura luminosa dentro e fora do corpo humano. Nos teremos que aprimorar nossos instrumentos para que atravessem ou contornem essa mancha escura saindo pelo outro lado, ou por baixo, e ai se nos revelara’ o esplendor da Matrix.

Abriremos uma janela escura para ver e admirar um mundo la’ fora num dia ensolarado…

O campo fotônico não é eletricidade nem magnetismo. Isto esta sendo evidenciado ( não confirmado definitivamente ) pelas buscas de autores relatados no artigo com link abaixo. Dentro da cosmovisão da Matrix/DNA, ela sugere que existe uma forma de luz natural muito forte que nos cega os olhos e nossos instrumentos, que ela é composta de sete partes ou frequências/vibrações diferentes entre si, e isto esta mais ou menos sugerido na nossa figura do espectro eletromagnético neste website. Que possivelmente exista uma luz muito forte como fundo do mundo material também foi narrado pelos meus pesquisados leigos e nativos em estados mentais alterados. Ela sugere que esta onda de luz é “semi-viva”, que foi a primeira forma surgida dentro deste universo de um sistema natural. Que ela é emitida continuamente por uma fonte pulsante e por isso as ondas emitidas se justapõem, e assim a veríamos num plano horizontal, mas se a olhar-mos num plano vertical a veríamos pulsando como espirais na forma como vemos o DNA. E isto, ela sugere, alem de ser o template de todos os sistemas naturais do universo, é a aura humana ainda invisível a nos.

Eu não admito que a possível existência de uma super-consciência cósmica esteja a nos vigiar e nos negue este conhecimento, permitindo continuar esta horrível carnificina na Terra em estado de caos. Eu não admito que uma mente sensível dotada de nossas emoções e com poder total permitisse que seja um animal, quanto mais um ser humano, sendo torturado na cama até a morte por uma doença como o câncer, etc. Não existe justificativa racional para isso, a não ser que tal super-consciência seja insensível ou não esteja ciente do que esteja ocorrendo aqui. A usurpação de tal conhecimento pela classe dominante para usar tal conhecimento apenas em seu beneficio e escravizando ainda mais o resto dos humanos não seria justificativa, pois se me dessem o poder deste conhecimento bastaria me dar junto o poder para consertar este sistema social e eliminar qualquer possibilidade de divisão social e dominação.

Então nos sobra a realidade: a natureza nos esconde um conhecimento seria maligno para nos agora mas ao mesmo tempo seria um grande beneficio no combate ao que nos tortura agora. Conclusão: não existe inteligencia conduzindo o desenvolvimento do nosso conhecimento, o que existe é o simples desenvolvimento da evolução, cada conhecimento ocorre naturalmente `a medida que o cérebro se aprimora e se torna devidamente aparelhado para apresentar tal conhecimento.

O meu maior lamento hoje é não ter as condições necessárias para montar meu laboratorio, como comecei a montar um na selva amazônica, oculto da civilização, justamente porque se eu descobrisse algo para aumentar o poder da humanidade eu não o entregaria `as águias de rapina. O meu foco central seriam muitos, como as buscas para elucidar o sistema oculto no cérebro humano, nas células, e focalizaria principalmente as energias radiadas pelo sol e núcleo terrestre em busca dos tais fótons e suas redes de conexões.

Enquanto o laboratorio permanecer apenas nos sonhos que serão sonhados enquanto eu estiver vivo, vou tentando ampliar as teorias, e por isso tenho que conhecer tudo o que outros autores que andaram resvalando no grande segredo, descobriram ou ao menos teorizaram. O artigo com link abaixo, do Dr. Buryl Payne, é um bom começo, já que e’ um autor que tem apresentado inventos práticos, com a mente bem firme no solo, e parece fornecer uma boa relacao de outros pesquisadores. Quando o Dr Payne diz que a substancia do “biofield” não parece ser nem energia nem magnetismo e sim algo ainda desconhecido ele bate com a nossa cosmovisão que sugere ser a substancia de luz primordial:

The Discovery of Biofield

A Different Type of magnetism?

http://www.buryl.com/biofield.htm

 

Fotons-Informacao Trazidos por Alienigenas?

terça-feira, abril 18th, 2017

xxxx

Bem,… os resultados de minhas formulas e modelos teoricos estao sugerindo que de alguma forma os fotons com informacoes da formula Matrix/DNA chegaram `a Terra e deram inicio aos sitemas biologicos. Ate agora estou apostando que 50% veio do Sol e outros 50% do nucleo terrestre devido conclusoes ao interpreter a formula. Mas… existem pessoas que dizem ter contacto com mentores espirituais, extraterrenos, e falam coisas que bem poderia ser outra alternative para o “como os fotons da formula chegaram aqui”. Por exemplo esta autora diz que seres de uma galaxia invisivel a nos trouxeram ou mandaram este tipoo de cristais contendo luz com informacao para semear o planeta, etc. Nao gosto dessa possibilidade, resisto a crer, principalmente porque isto significaria que nao terei controle sobre a pesquisa ja que os elementos finais envolveria desconhecidas dimensoes, porem, racionalmente nao e’ uma possibilidade impossivel. Entao tenho que registrar aqui e ficar no alerta para algum sinal a mais sobre isso.

source: http://www.spiritmythos.org/holy/HR/chimurya_starglass.htm

Chimurya Star Glass….this is the name I am guided to give a large lump of blue glass from China that is now in my possession, sent to me by Fredaricka Yarom from Israel. My akashic insights on this glass is as follows:

I am seeing a silver-blue cylinder the size of a rolling pin crashing into Earth. It is not a meteor but a constructed devise. Upon impact it creates a molten blue glass, which is scattered outward into the ground. The region it strikes is uninhabited by humans at that time (several million years ago – although such “time” is diffcult for accuracy when dealing with inter-dimensional events.)

What is the origin of the cylinder and what is it’s purpose? It has arrived through inter-dimensional travel from a galaxy not visible to us. Ultra beings send these cylinders into specific galaxies and planets to complete a Genesis process in this universe. It somehow aids that planet and thus the galaxy it inhabits to re-orientate to it’s original shall we say “sacred path.” I do not have details of this, only fragments. The higher etheric register of the resultant “Star Glass” is set as if on a timer, to communicate on the elemental level interactively with the planet into which it was seeded. It has very strong healing energies as it helps systems align to their “path of origin.” This process is quite similar to the Cosmic event I outline in my streaming audio: Cosmic Event – 2012, only this latter 2012 event will be far more potent and direct in it’s effect on planet Earth.

In some ways it is also similar to the Andara Crystal-Glass in that it’s “etheric refraction” is very high and it is an inter-dimensional glass which can interface with the DNA, moving etheric waves of LIGHT through the body dimensionally.

By Maia Kyi’Ra Nartoomid

http://www.spiritmythos.org/holy/HR/chimurya_starglass.htm

 

A Longa Cadeia de Causas e Efeitos: Tornado Espiral ao Invés de Avalancha

quarta-feira, abril 12th, 2017

Pensando no meu inimigo invisível que é amigo dos Trumps, percebo que tenho de mudar a visão da avalancha natural para a visão de um rodamoinho no estilo da F1 da Matrix.

E’ assim que este mundo roda e devo decifra-lo se quiser alguma autonomia ou free-will na minha vida.

Nas camadas baixas da espiral, fui feito e sou mantido. E’ o mundo do ferro quente, escaldante, caótico, da pressão como opressão. O mundo das presas. Destas camadas baixas sobem placas, indivíduos, que numa atmosfera harmônica, estabelecida, se assentam com poder sobre as camadas baixas. E’ o mundo dos grandes predadores que se espraiam nas sombras no alto da colina quando não descem para sua colheita vampiresca.

O inimigo não é o individuo na camada alta ( não são os Trumps, os Temers, da vida, estes são apenas os instrumentos de outra força maior), é a fonte, a força que mantem o tornado avançando sempre, me rolando na correnteza de magma escaldante sem que eu possa me segurar em um apoio firme, e sair do baixo para alcançar o bem-estar no alto.

Qual, o que, é essa fonte, essa força, neste mundo, que mantem o furacão?

Em relacao a mim, é uma força inimiga, mas ela não é inimiga em relacao a humanidade, pois ela privilegia alguns humanos. Ela os faz bem adaptados e como modelos bem encaixados no furacão, ela da’ tudo para eles. Ela me fez mal feito, desencaixado, e me toma tudo.

Mas porque ela não me destrói de uma vez, mantendo-me dentro desse estado de opressão?! E’ porque eu sou uma das coisas que ela precisa para dar ao ambiente na atmosfera de cima.

Como no centro da galaxia, as sementes de estrelas são formadas e forjadas a partir da base escaldante, e depois elevadas para cada vez mais alto dentro da espiral até que lançadas ao espaço externo.

Então ela, em relacao  mim, é o mal, mas vejo que ela funciona como o bem, em relacao ao que convive ao meu lado quando ela me levanta de baixo para me servir ao de cima. Esta’ satisfeita aqui a regra universal do dualismo dos simétricos na forma e opostos, assimétricos, nas tendencias do caráter. Na sua essência ela é neutra, mas no seu caminhar ela se divide entre o positivo e o negativo. O que é esta força? De onde ela veio? Qual sua origem? O que mantem esse tornado de 13,8 bilhões de anos, e porque este processo de evolução, do muito simples em direcao ao cada vez mais complexo?

Na minha teoria da luz, surge uma visão que poderia explica-la. A fonte é um turbilhão em espiral que se propaga na dark matter na forma de ondas de luz. Nessa propagação ela vai deixando fragmentos de si, suas partículas, escapadas do fluxo como fazem os radicais livres no corpo humano, e quando se enfraquece, no final da propagação, ela se fragmente toda nestas partículas. Estas partículas são os fótons. lançados a um estado de caos, os fótons tem em si desenhado o paraíso de onde veio como turbilhão, tem registrado seu passado de ondas, e por isso estes fótons tentam reiniciar o caminho de volta reconstruindo-se como ondas quanto mais se unem – por isto este processo evolucionário do simples na direcao do complexo. Neste restado são a energia escura, os fótons negativos, cujo tempo e’ o reverso, do futuro em direcao ao passado, porem cujas obras se revelam ainda ao reverso do reverso, pois surgem cada vez mais evoluídos e ordeiras, como se viessem do passado em relacao ao futuro. Eu seria agora uma forma biológica do conjunto de um punhado destes fótons escapados, ou expulsos, porem aprisionados dentro das bases do furacão.

Tem esse processo de movimentos universais alguma relacao com o processo embriológico? Teria que ter, pois ambos são processos de uma reprodução. Reprodução de um baby, reprodução do tornado-fonte… alem deste mundo.

Então eu tenho um parâmetro para modelar o que deve ser e funcionar como uma estaca para me agarrar, deixar as forças da base passarem, e alcançar os níveis de cima. Mas não é isso que quero. Não posso subir e ser feliz sabendo que os meus entes queridos continuam a queimarem no inferno. Os Trumps podem, eles nem sequer sabem como existem os queimados no inferno.

Então, a minha meta é impossível…(?). Sim, como lutar contra a correnteza universal, ou melhor como estancar o escape dos fótons desde as ondas, para manter as ondas intactas, sempre se propagando? E os fótons sempre felizes dentro delas, sempre no estado de ordem?

Porque a fonte se permite destruir, se fragmentar? Certamente ela não se permite, deve existir uma força maior ainda em cima dela, provocando sua destruição. E esta segunda força esta’ num nível metafisico jamais alcançável para mim, meu cérebro não tem como processar sua informação.

A sensatez sugere que eu me entregue ao simples sabor continuo da correnteza de lama escaldante. Eu poderia até me submeter, sempre mantendo este estado que tenho mantido, alternando entre estar sendo levado dentro da correnteza do inferno, com pausas de firmeza em estacas de oásis. Mas isso é um martírio porque não posso tirar da minha cabeça a visão dos meus amados sendo ainda mais fracos e mais torturados por essa correnteza. Tenho que lutar contra o impossível, contra a segunda força metafisica alem da fonte que gerou este mundo. Mas em que me apegar para essa luta, que alvo mirar?

Talvez a embriologia me forneça alguma pista. Sabendo que a resposta não esta’ dentro do processo embriológico e sim fora dele, formando-o e conduzindo-o. E aqui na Terra quem esta fora do processo embriológico, quem o esta formando e conduzindo, são os pais, sem que nisso apliquem sua vontade e inteligencia.

Eles fazem um processo embriológico mal feito em relacao a vontade deles. Tanto que sempre quando possível, tentam intervir para aperfeiçoar, corrigir defeitos, que estejam prejudicando o ser que esta’ sendo reproduzido. Então porque a onda de luz não atua sobre as correntezas reversas escuras para melhorar o estado e caminho dos seus fótons que retornam a sua casa, seu reino?

A parábola do filho prodigo… é inevitável não lembra-la aqui. Ela indicaria que os fótons saem dos níveis de cima, caem nos níveis de baixo, por sua livre escolha. mas isso é impossível, pois se fossem inteligentes o suficiente para fazerem escolhas jamais sairiam do nível de cima em direcao ao nível de baixo. Só o fariam se não souberem o que é o nível de baixo, o que implicaria que foram feitos sem a inteligencia suficiente para serem responsáveis por suas escolhas.

E’ impossível ao que esta’ encima descer e permanecer embaixo. Ele é muito leve, muito menos denso, o embaixo não consegue agarra-lo e mante-lo. A não ser que enquanto esta’ em cima ele faça algo errado que se torne pesado, caia, e o de baixo consegue agarra-lo e mante-lo. Mas porque a fonte permite em si a existência da possibilidade de fazer o errado? Se ela esta’ caminhando no futuro em relacao aos fótons que estão voltando no passado e ela os esta’ vendo? Ela esta sentindo suas torturas porque eles são parte dela? Não faz sentido e novamente somos conduzidos a pensar na segunda e externa força mais poderosa. Metafisica, inalcançável.

Mas tenho que buscar uma solução e uma força fora deste mundo para mudar o caminho eterno deste mundo. Não posso sonhar com a segunda força, então tem que ser uma terceira. Se não existe, tenho que fabrica-la.

Não vou me submeter passivamente, não vou apenas me acomodar a este estado de alternância entre ser arrastado na correnteza infernal com pausas  breves nos oásis. A esse processo tenho que acrescentar o esforço de mudar a correnteza do mundo. Tem que ser assim até o dia da minha morte. Se não posso retirar meus irmãozinhos menores e mais fracos da correnteza escaldante infernal, se não posso ao menos afagar suas cabeças em sinal de consolo e apoio moral, tenho que – para manter minha psique sob algum controle e com motivação para a luta impossível – estar sentindo que eu estou tentando lhes ajudar. Só assim para suportar o que resta de tempo de vida. Mas eu vou continuar perseguindo a busca desta luz e seus fótons com energia e determinação, para tentar mudar este seu caminho que esta’ produzindo este tipo absurdo de mundo, custe o que custar.

Fractal Dragon Curve: Como os fotons astronômicos criaram a vida…?

terça-feira, fevereiro 21st, 2017

xxxx

Esta é uma simulação de computador que tentaria mostrar como os fótons cósmicos ( vindos do Sol, do núcleo terrestre e possivelmente de outras regiões da galaxia), que trouxeram os bits-informação da formula Matrix/DNA para criar sistemas, e que adentraram os elétrons dos átomos na superfície terrestre, assumindo o comendo dentro dos átomos para guia-los a novos tipos de combinações e criarem a matéria orgânica. No ponto abaixo representado pelas figuras seria o momento que estariam sendo criados macromoléculas, como o DNA. Cada traco representa um fóton, portanto cada quadrado com 4 tracos representam a parte variável da formula formada pelas 4 funções intermediarias (F2, F4,F6 e F7), que atuam como genótipos.

Recursive construction of the curve

Finalmente na tela do monitor aparece esta imagem em movimento, a qual é um fractal.

Dragon curve animation.gif

este tipo de fractal é conhecido matematicamente como Heighway Dragon Curve.

Isto tudo é obtido com uma equação em programação que começa assim:

It can be written as a Lindenmayer system with

  • angle 90°
  • initial string FX
  • string rewriting rules
    • XX+YF+
    • Y ↦ −FXY.

That can be described this way : Starting from a base segment, replace each segment by 2 segments with a right angle and with a rotation of 45°

(Por isso matematicos estao encontrando uma correlacao entre o mecanismo de autocorrecao do DNA com a logica matematica e percebendo similares com a dragon curve, como cita o artigo em

http://cosmicfingerprints.com/mathematics-of-dna/

Mais assunto para pesquisar…

O que e’ Lindenmayer system ?

https://en.wikipedia.org/wiki/L-system

Origins

‘Weeds’, generated using an L-system in 3D.

As a biologist, Lindenmayer worked with yeast and filamentous fungi and studied the growth patterns of various types of algae, such as the cyanobacteria Anabaena catenula. Originally the L-systems were devised to provide a formal description of the development of such simple multicellular organisms, and to illustrate the neighbourhood relationships between plant cells. Later on, this system was extended to describe higher plants and complex branching structures

An L-system or Lindenmayer system is a parallel rewriting system and a type of formal grammar. An L-system consists of an alphabet of symbols that can be used to make strings, a collection of production rules that expand each symbol into some larger string of symbols, an initial “axiom” string from which to begin construction, and a mechanism for translating the generated strings into geometric structures. L-systems were introduced and developed in 1968 by Aristid Lindenmayer, a Hungarian theoretical biologist and botanist at the University of Utrecht. Lindenmayer used L-systems to describe the behaviour of plant cells and to model the growth processes of plant development. L-systems have also been used to model the morphology of a variety of organisms[1] and can be used to generate self-similar fractals such as iterated function systems.

(continuar estudando…)

The Photonic Field: O Que Decide Quem Sera’ Rico ou Pobre

quinta-feira, outubro 20th, 2016

xxxx

Uma nova tese dentro da Matrix/DNA Theory: The Photonic Field

( E mais abaixo veja como funciona ou nao a intuicao que leva a espetaculares descobertas no relato do sonho que tive ao dormir pensando nesta tese)

Eu tenho certeza que existe um fator alem do nosso observavel e conhecido natural que mantem uma pessoa pobre e outra, leva-a a ser sempre rica. Isto pelas ocorrencias reais que tenho visto nesta vida. Acreditei nisso na quarta vez que estive para por a mão no pote de ouro, aconteceu algo absurdo, inesperado, vindo do mundo externo, escorreguei e cai no zero onde nasci.

Para um filosofo naturalista, que aplicou o mais extremado materialism racionalista na sua investigação sobre a existência, esta afirmação e’ totalmente for a de contexto. Mas o que e’ tem que ser, não depende se gostamos ou não, e isto e’ fato, e já havia desistido de solucionar este mistério, pois em termos de metafisica, não tenho o menor acesso – se e’ que ela existe e que este seja um fenomeno metafisico.

Mas e’ impensavel qualquer outra solução. Esta pressão para baixo, para manter o humano no nivel baixo das condições de vida, ou esta força que empurra outros sempre para mais acima, para mais fortunas e sorte na vida, existe. Mas pelo mundo que conheço, não ha lugar para esta força, por isso, pensei ser algo metafisico. E por isso, depois da quarta vez, deixei de tentar. Contra algo invisivel e tao determinado, tao poderoso, não tenho como lutar.

Porem, hoje me ocorreu uma ideia, que pode mudar o significado desta força. Pode ser que ela não seja metafisica. Pode ser que ela seja feita de substancia conhecida, porem ainda pratica,mente intocavel e invisivel. Os fotons. A luz.

Primeiro descobri que apenas os fotons podem explicar como esta galaxia se reproduziu na forma de sistema celular, de ser vivo. Eles formariam entre si uma rede, uma network reproduzindo o sistema  ” building block astronomico”, em tamanho miniaturizado, microscopico.

Mas e se eles formam redes tambem nos tamanhos de planetas? Digo, uma aureola em volta da superficie do planeta, em que eles se infiltram na crosta de terra e na atmosfera. Assim, eles estariam conectados com suas copias microscópicas, as quais estão dentro dos corpos humanos., e todos os outros seres vivos.

Esta rede terrestre teria as sete faixas de frequencias/vibrações da luz, e cada corpo tem uma sua vibração, assim se daria a conexão. Acontece que uma faixa existe embaixo, subalterna a outras, e esta faixa, conectada e imposta a mesma vibração do corpo humano, o manteria embaixo, subalterno a outras pessoas com faixas de vibrações mais altas.

Tenho pensado muito ultimamente no instinto a predador e presa que esta’ na carga genética humana, herdada dos animais, e algumas vezes, surge soluções apenas se alem de ser uma força interna ao humano, ela for tambem externa, atuando a nivel social.

Isto me lembra outras teses relacionadas, como a camada terrestre do inconsciente coletivo da humanidade de Teilhard du Chardin, e a minha tese já ensaiada em outros artigos aqui, sobre o super-organismo de Gaia.

Estaria relacionado a isto, tambem, os assuntos ou teses especulativas sobre um campo magnético do corpo humano, e teses sobre a aura.

Bem,… por enquanto isto vai seguir o curso normal das teses, vou deixar a ideia solta no ar e burilando na cabeca. Esta tese esta for a do escopo da Matrix/DNA ( ao menos, me parece), não faz parte do feitio desta cosmovisao, mas sao demasiados fatos, demasiadas evidencias, então não posso ignora-la. Voltarei neste artigo sempre que algum avanco ou assunto relacionado houver.

xxxx

O Sonho Motivado pela Reflexao na Tese “The Photonic Field”

Inacreditavel,… mas parece que tam a ver.

Deitei pensando nesta tese, imaginei como seriam as imagens desta rede ao redor da Terra, peguei no sono e, de manha me lembrei de ter tido um sonho estranho.

Apareceu na minha frente um conhecido que não vejo a uns 30 anos, o qual me ofereceu um emprego e uma casinha abandonada num terreno longínquo para morar. O Nilo era um turco filho de um meio-rico e que ficou muito rico. Me lembro dele com certa repugnância e revolta pois era um tendente a grande predador e com isso esfolava o que podia das presas em que punha suas garras. Bruto e estupido, decidi pela demissão numa discussão, mas continuei morando no casebre enquanto ele não me expulsasse e eu ano arrumasse outro emprego.

Então no sonho o turco apareceu na frente do casebre e veio entrando. Mas logo na porta ele olhou para o teto e surpreso perguntou o que era aquilo. Olhei tambem e fiquei sem palavras. O teto estava todo coberto por aquela planta que sobe nas paredes,  e’ erva daninha, no Brasil chamam-na de trepadeira. Tinha muitas folhas, verdes, grandes, e o resto era cipo. Olhei para fora e notei que todo o quintal e os terrenos vizinhos estavam cobertos pela planta. Admirei como eu não havia visto aquilo, principalmente estando pendurado n teto, caindo sobre moveis. Mas na minha vida isso não tem sido novidade pois como filosofo quando estou no lugar da morada estou pensando muito longe e alem disso, devia estar atarefado procurando trabalho e enfrentando as dificuldades alem de que devia estar pronto para sair dali.

Eu respondi que, se ele quisesse, eu riria cortar tudo e inclusive as ramas que vinham dos terrenos vizinhos para impedir que retornasse. Ele balbuciou algo como ” não adianta pois nesta altura as sementes estão espalhadas por todo lugar. E fazendo um ar de maroto esperto ele disse:

” A solução aqui e’ “devolução”. Mandar de volta para onde veio.”

E acordei por aqui, acho que apenas isto lembro do sonho. Agora vamos a minha interpretação.

A planta de ramagem de cipo e folhas representa a rede fotônica. Ela esta na atmosfera terrestre em volta do planeta, por isso a vi no teto da casa e por volta da casa. O turco representa o grande predador que faz parte dos três instintos humanos herdados dos animais da selva no tocante a divisão de poder. O predador apareceu no sonho porque foi este assunto que no dia anterior comecei a pensar buscando uma solução de como exorcizar estes três instintos dos humanos.  E no desenrolar destes pensamentos me lembrei de outra tese onde ” o comando invisivel do DNA não esta dentro dos genes, mas sim fora deles, no mundo externo a eles. E me parece que a força que faz presas continuarem sendo presas mesmo quando elas tem tanta ou maior força do que os predadores, elas não se unem para usa-la. Parece que são dominadas mentalmente, ficam abobalhadas. reclamam que sofrem sob o jugo dos predadores, mas parece que gostam disso, nada fazem para mudar a situação. A não ser quando aparece um lider ou ocorre alguma catástrofe natural, mas estas tambem são forças externas as presas. Então, buscando como seria e onde estaria esta força externa, me lembrando da invasão de fotons nas origens da vida, no inconsciente coletivo, etc., me surgiu a ideia da network fotonica. Esta seria a força invisivel mantendo a humanidade imitando as regras selvagens dos animais na forma de seus sistemas sociais.

A imagem que me veio a mente durante o dia anterior ao sonho foi a de uma rede fotonica semelhante a rede neuronial com suas sinapses, no cérebro. Com a diferença de que a rede fotonica seria planetaria. Entrou ai tambem antigos pensamentos sobre a possibilidade do corpo humano ter um campo magnetico talvez da mesma natureza do campo magnetico da Terra.

Muita imaginação, aparentemente descabidas. mas como o cerebro guardou isso e sonhou com isso? Como e porque ele representou a rede fotonica com a trepadeira? Porque ele foi buscar uma lembrança muito antiga na memoria que pensava já esquecida, ao trazer o turco para a cena? Na época do turco eu nem sequer imaginava estas coisas de predadores e presas. Isto me apareceu na mente apenas uns 20 anos depois do turco, quando vivi na selva amazonica. Entao como o cérebro ligou o conceito de predador com a personalidade conhecida do turco? E porque o predador buscou sua face de astuto felino e disse” devolução”?!

As soluções encontradas tiveram que preencher certos e requisitos fundamentais antes de serem aceitas. Elas tem que obedecer a formalidade da logica, ou seja, o teorema da logica formal. Portanto tem de ser racional, fazer sentido `a luz do mundo real que experimento. Ela tem que apresentar um parâmetro real, factual, existente em algum outro lugar da Natureza. Por exemplo, minha teoria do que existe no centro da galaxia ( diferente da teoria do buraco negro, mas não muito), encontrou vários parametros ocorrendo em outros lugares da natureza.

Mas são soluções surpreendentes. Sao testaveis cientificamente, porem, uma ciencia com métodos diferentes dos atuais praticados e ditados por uma  visão do mundo inédita. Se eu vou encontrar uma solução para o comando invisivel do inconsciente coletivo responsavel por manter a carga genética humana com estes 3 instintos animais, sera mais uma solução espetacular. Que abrira as portas para novas investigações, novas ideias. Por isso registro aqui o sonho, para continuar a pensar na tese me lembrando da rede da trepadeira, do predador,… e de algo que parece importante.

Porque devolução?! Estaria sendo sugerido que o método ideal para erradicar essa erva daninha que e esta rede fotonica causando a manutenção dos instintos, ‘e manda-la de volta de onde veio? Mas ela veio da galaxia como sistema fechado em si mesmo. La já existe o fenomeno predador/presa.

Uma ideia me surge agora. Outra tese desenvolvida e’ a da onda de luz universal se desfazendo em fotons na sua ultima frequencia e estes fotons esparsos retornando a recompor a onda de luz, porem, com energia negativa e luz escura. Retornando ao Big Bang, onde volta ser reemitida como luz clara. Seriam esta rede fotonica e mais estes instintos a zona escura em que estes fotons retornam? Isto seria devolução.

Material para continuar a pensar nesta tese…..

xxxx

Pesquisa:

( Dar uma relida na energia de Reich e similares. Lembrar de ” as nuvens de pensamento, nourees, de Pietro Ubaldi)

 

 

 

Superposicao Quantica Desdobra-se nas Fases do Ciclo Vital?

terça-feira, outubro 18th, 2016

xxxx

O ultimo artigo aqui – sobre maos humanas  fala em superposicao de genes evoluindo para a separacao dos genes em ordem cronologica como no ciclo vital. Ha muito venho suspeitando que a superposicao quantica seria todas as diferentes formas de um corpo acontecendo  num so momento sob a perspectiva humana do tempo microscopico. Expliquei a incerteza de Heisenberg com essa teoria. E agora surge a possibilidade de que a enorme bagnca de formas monstriuisas nas origens da vida foi devido a superposicao de fotons, a qual foi repetida inicialmente pelos genes…..

Preciso desenvolver esta tese.

Fotons: A Memoria Eterna?

quinta-feira, dezembro 17th, 2015

xxxxx

Fotons não tem ” tempo” porque eles viajam `a velocidade da luz, onde tempo e’ zero. E fótons não decaem como as particulas, porque decaimento e’ uma ação do tempo. Então, se o fóton for realmente – como sempre sugeriu a Matrix/DNA Theory – o objeto na Natureza em que e’ registrado todo bit-informação ( relacionados `a natureza e portanto `a formula de Matrix e todos seus derivados) – esta’ explicado um monte de detalhes da Matrix/DNA.

Por exemplo, a sugestão da Matrix: ” Este Universo nada pode criar que ele não tenha recebido informação no momento do Big Bang e expansão da primeira onda de luz.

Para pensar neste domingo: A Luz, os fótons, e sua criação da Vida

domingo, abril 26th, 2015

xxxx

Fumaça e cinzas do vulcão Calbuco são vistas da cidade de Puerto Montt, 22 de Abril 2015. REUTERS

Imagem impressionante da erupção do  vulcão no Chile

Os meus cálculos da anatomia comparada entre sistemas naturais vivos e não-vivos e os  modelos teóricos resultantes destes cálculos estão sugerindo que ondas de luz natural são a primeira forma dos primeiros sistemas naturais surgidos neste Universo visível, e que tais ondas se fragmentam em partículas fótons, os quais adentram os átomos e os movem no sentido de se combinarem para reconstruir o modelo de sistema que formavam na onda de luz. Como uma onda de luz natural se propaga por vibrações que mudam suas formas e intensidades a partir da mais forte para as mais fracas, e estas sequencias de vibrações/frequências são exatamente igual a sequencia de mudanças de energia nos corpos vivos sujeitos ao ciclo vital, fica sugerido que uma onda de luz é algo pré-vivo, contem o primeiro código da vida – que é a origem do DNA e da genética – e assim a luz imprimiu a vida na matéria de éter do espaço sideral e assim surge a vida nos planetas como a Terra.

A partir deste resultado geral começam a surgir os problemas dos detalhes, os quais são minha ocupação atual tentando resolvê-los. Por exemplo, como e porque, após formar um sistema como a célula vital, estes fótons passam a multiplicar estas células e as conduzi-las para que formem o mesmo sistema agora mais ampliado, gerando os seres multi-celulares. Tenho em mente que não posso cair no equivoco de dar inteligencia ou propósitos a partículas como os fótons, assim como tem caído o pensamento cientifico moderno baseado no gene centrismo. Pensar que genes -os quais são meramente um bocado de átomos combinados de certas maneiras – possuem propósitos como o de se replicarem e se perpetuarem é ilógico. Portanto, se fótons não agem com intenções mas simplesmente obedecem as fôrças do ambiente e seus movimentos, e às fôrças naturais de atrações ou repulsões entre eles mesmos, é compreensível que reconstruam com a massa ou matéria o sistema de luz de onde vieram, mas uma vez que se assentam num sistema em equilíbrio e auto-suficiente como são as células vegetais, a razão lógica seria se tornarem sistemas fechados, individualistas, como são os sistemas galácticos que  formaram antes.

No entanto, e principalmente com a célula animal a qual prescinde da propriedade da fotossíntese e por isso tem que  ser um sistema aberto, estes fótons não param sua atividade na direção de formar sistemas cada vez mais complexos, e passam a construir uma projeção ampliada multicelular do formato do sistema individual celular. O que faz indivíduos formarem os coletivos? O fato constatado é que formam, desde os átomos se aglomerando para formarem rochas, água, até os pássaros se aglomerando em bandos em pleno espaço vazio e aberto. Mas porque partículas estupidas sem qualquer intenção e propósito são conduzidas e obrigadas a este comportamento? Quais as fôrças naturais responsáveis por isso?

Temos agora uma massa informe, uma população de bilhões de indivíduos denominados “neurônios”. A Natureza deve estar trabalhando para conectar e organizar estes indivíduos num sistema, que seja à imagem e semelhança do individuo, ou seja, do neurônio. Como  o nosso cérebro está sendo modelado, que tipo de exercícios e/ou pensamentos podemos fazer para facilitar e apressar a corrida ao cérebro mais complexo e quiçá, perfeito? Meu maior obstaculo nesta investigação é a falta de visualização do cérebro no seu total, em 3 dimensões, pois todas as imagens impressas que temos não mostram o interior e suas configurações, assim não estou conseguindo pegar o primeiro fio da meada que nos levará a descobrir a Matrix/DNA projetada no cérebro como sistema natural.

Este é mais um dos milhares de problemas dentro da Teoria da Matrix/DNA para pensar neste final de semana.  Imagine um humano que nunca viu nada do interior do corpo de animais nem de humanos, que saiba que humanos vem de barrigas mas não sabe como nem porque. Mas este humano é curiosos e tem necessidade de saber tudo, como era dentro da barriga que o fêz surgir do jeito que surgiu, o que existe no interior do seu corpo, etc.

Pois assim, tal como este humano totalmente ignorante da sua existência, é o ser que está fazendo esta investigação: um ser denominado “mente”, ou “uma auto-consciência”. Como auto-consciência eu não sei o que tem dentro e como funciona o cérebro que me fêz surgir assim, ou que ainda está me formando, não consigo ver nem entender como é meu corpo pois nem mesmo vejo a substancia de sou formado. Sinto que essa substancia é iluminada porque ela se forma a partir de sinapses elétricas, sinto que ela está se tornando mais uma forma complexa de sistema natural, e assim, eu, como ser final da evolução universal aqui e agora, me vejo conectado ao  principio deste universo porque toda essa história se começou com a mesma substancia do meu corpo: a Luz. Mas eu vou insistir e morrer tentando descobrir tudo isso.

Se alguém ler isto e tiver alguma pergunta ( se alguma outra auto-consciência é tão ignorante sobre sua existência como eu sou e está curiosa para resolver este mistério), pode fazê-la nos comentários abaixo ou enviar um e-mail para austriak727@hotmail.com.

E pensando neste e-mail, o nome “Austriak” foi emprestado de uma paranormal do Rio de Janeiro que disse ter entrado em contacto por telepatia com os alienígenas de uma esquadra de discos-voadores que esteve aqui em 1980 ( eu mesmo vi uma formação triangular se movendo no céu e pensei que eram bolas de fogo ou meteoritos incandescentes) e que o seu interlocutor alienígena disse se chamar Austriak e que era o comandante da esquadra do Império Galáctico sediado em Orion, Nébula, e que estava aqui porque este planeta e a vida que ele hospeda estavam correndo perigo devido a movimentos gigantescos no seu interior, e ele estava consertando isso.

Image result for esquadra de discos voadores

Claro que nada sei e nada acredito nem desacredito. Mas nesta semana houve um terremoto violento  no Nepal quase ao mesmo tempo que um vulcão no Chile entrou em erupção e parece-me que os dois fenômenos podem estarem relacionados. Se isto for, novamente o interior da Terra – o germe de estrela que ali está se desenvolvendo – está se remexendo inquieto, o que pode provocar a vinda urgente de Austriak. Oxalá ele acessasse nossa Internet, visse este artigo, e se decidisse me dar uma mãozinha nesta investigação do inferno… toda a Humanidade seria beneficiada. mas talvez Austriak pense como Spinoza que disse que “Deus não pode nos dar uma mãozinha fazendo milagres porque não pode violar a ordem natural que funciona de acordo com Suas próprias leis…”.

Image result for esquadra de discos voadores

Raios…, tamo fud… Talvez estejamos fazendo alguma coisa ou muitas coisas erradas aqui na superfície deste planeta de maneira que está afetando o embrião estelar lá dentro e ele reage dando chutes na barriga o que se traduz para nós aqui em terremotos e vulcões…

Vista de Puerto Varas, no sul do Chile, mostra o vulcão Calbuco. 22 de abril de 2015, EPA

O povo da aldeia assiste e ouve o rugir do vulcão