Posts Tagged ‘humano’

Caí no ostracismo. Porque me desconectei da força que levanta, a essência espiritual metafisica?

quinta-feira, maio 2nd, 2019

xxxxx

( falta correcao ortografica)

Acabo de ter uma ideia que pode ser crucial na minha existência. Se antes eu conseguia, pela meditação ou ate nos momentos práticos da vida, me colocar mentalmente num estado solitário de comunhão com uma aura confortadora e benéfica metafisica, na qual pipocava como flashes a imagem Cristinica e seus significados no mundo mundano, onde conseguia meditar a captacao dos fotons livres, montar a aura matricial e com ela banhar o corpo – epoca em que nunca fiquei doente e vi milagres de curas de ferimentos – e conseguia na meditacao grandes insights que me levaram, por exemplo, a descoberta dos segredos na onda de luz, … porque, desde ha alguns anos, nunca mais consegui entrar em tal estado?

Antes a existencia tinha um proposito acima da vida e deste mundo, e eu me guiava por este proposito. Aconteceu de o mundo ficar sem proposito racional, inclusive, o proposito da reproducao genetica universal ficou tenue, balancando, flutuando, como uma imagem demasiado remota. O que sobrou? A indisciplina e abandono do ideal, do livro, da fundacao de uma nova escola do pensamento, e na vida pratica, a total inercia no ideal de descer aos bolsoes da periferia para reorienta-los sob uma nova visao do mundo. Sobrou a prostracao fisica, material, `a espera da morte. Apenas salvei o habito e gosto pela continuidade da aprendizagem, mas sem norte nenhum, apenas aprendizagem e busca do conhecimento pelo conhecimento fechado em si mesmo, atividade com que tenho consumido meus dias e noites.

Porque? O que aconteceu?!

De maneira que hoje rejeito a possível existência daquele estado mental metafisico, acreditando que na verdade nunca existiu, que teria sido apenas meus devaneios?

Bem… acho que a causa foi a quebra total de contacto tanto com pessoas que mantinham no ar o aspecto metafisico ( que eram poucas, quase inexistentes, mas me refiro, por exemplo, ao ouvir um sermao de um padre numa igreja), quanto com leituras, palestras, etc que mantinham o metafisico sobrevivendo no ar. Passei a rejeitar pulando imediatamente qualquer texto ou fala que invoque a espiritualidade, a metafisica. E entrei fundo no materialismo cientifico, nos textos e no contacto, atraves dos debates virtuais, com pessoas exclusivamente materialistas.

se antes eu era movido nao apenas pela esperanca, mas pela crenca mesmo, que seria possivel adentrar o reino ou dimensao do softeware natural, com sua substancia de atuto-consciencia cosmica e espiritual, eu perdi a esperanca e passei mesmo a crer que ela nao pode acontecer comigo. Ou melhor, antes eu suspeitava de que era assistido e de alguma forma ajudado pelo aspecto software, agora parece que tenho certeza que isso nao acontece.

Mas de onde tirei esta certeza? Das cabecas dos outros, meu ultimo circulo de contactos e autores? Isto foi uma estupidez, pois como pude deixar minha visao do mundo ser abafada por outras visoes de mundo de individuos exatamente como eu?

O ultimo topico que tenho refletido nos ultimos foi exatamente obtido de um destes individuos: Neil Tyson em ” Se o Universo tem um proposito em relacao a nos, é o proposito de nos matar”. E este tipo de visao de2 mundo niilista que tenho selecionado de uns anos para ca. Ainda relutei em aceitar buscando na natureza pelo velho metodo um quadro que sugerisse o contrario, que mantivesse o alento metafisico como uma -ossiblidade de proposito, e invoquei a imagem da criatura nascendoo no univers-corpo de uma mulher. Mas meu ego tende a selecionar a hipotese Tyson, ao menos e esta que me dirigiu fisicamente no dia-a sia-seguinte indisciplinado e prostrado. nao tive o menor alento de escrever uma frase no livro.

Racionalmente tenho agido errado. Sei que existem mais dimensoes na realidade, nas quais tudo e possivel, inclusive o metafisico. E o estado metafisico me fazia bem. Agora por mais que as vezes tente a ele retornr, o estado mterialista vence e inibe a tentativa.

O fato fundamental, logico e racional que sobra disso tudo e que, mantndo-me assim assinei minha derrota definitiva. E’ ficar com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar e mais nada.

Minha burrice, minha estupidez, minha fraqueza de carater. Acomodacao no pasto com boa grama para pastar e sombra para dormir. mesmo que o metafisico observador de nos e nosso mundo nao exista, tenho qe acreditar que existe, pois isto sginifca continuar respirando, transpirando, vivendo, saindo do pasto. Tenho que buscar e dirigir toda enertgia possivel nas meditacoes e revisitar meus fotons para chegar a antiga aura de onda de luz cointendo a matrix universal. E um pai natural quase tao inutil como o pai carnal, mas que esta por aqui, por perto, e quando menos espero no fundo do poco em Londrina, me abre as portas para chegar na America. Burrice rejeitar esse suporte.

O sdesenho abaixo sugere a nova orientacao a seguir:

Eu estou vivendo como uma trindade. Vivo o mundo humano, o mundo natural, e o ego – a alma. No meu desenho atual, a imagem deve ser modificada. A palavra alma sobe para o centro do circulo horizontal, onde esta a cruz, retirando-a da imagem, e a palavra Deus desaparece. estou vivendo a trilogia, porem, apenas dentro do circulo horizontal. Perdida a vertical que unia a alma individual à universalidade do espírito divino, o singular ao Singular, perdia junto com ela o sentido de escala, o senso das proporções e das prioridades, que poderia ter levado a encontrar o pratico na teoria, e me voltei para a política,  de modo que as ideologias tendem a ocupar totalitariamente o cenário inteiro da vida espiritual e a negar ao mesmo tempo a totalidade metafísica e a unidade do indivíduo humano, reinterpretando e achatando tudo no molde de uma cosmovisão unidimensional.

Tenho que apagar o meu desenho atual e me tornar para a imagem acima tal como ela esta.

E agora este texto abaixo veio a calhar, entrou neste momento de precisão como uma luva perfeita. Vejamos:

xxxxxx

http://www.olavodecarvalho.org/livros/neintro.htm

Os monstros bíblicos Behemot e Leviatã, na gravura de William Blake, o primeiro imperando pesadamente sobre o mundo, o maciço poder de sua pança firmemente apoiado sobre as quatro patas ( representando o nosso mundo natural), o segundo agitando-se no fundo das águas, derrotado e temível no seu rancor impotente ( o nosso ego, revolucionário).

Não usei a gravura de Blake por boniteza, mas para indicar que atribuo a esses símbolos exatamente o sentido que lhes atribuiu Blake. Detalhe importante, porque essa interpretação não é nenhuma alegoria poética, mas, como assinalou Kathleen Raine em Blake and Tradition, a aplicação rigorosa dos princípios do simbolismo cristão.

Na Bíblia, Deus, exibe Behemot a Jó, dizendo: “Eis Behemot, que criei contigo” ( Jó, 40:10 ). Aproveitando a ambigüidade do original hebraico, Blake traduz o “contigo” por from thee, “de ti”, indicando a unidade de essência entre o homem e o monstro: Behemot é a um tempo um poder macrocósmico e uma força latente na alma humana. Quanto a Leviatã, Deus pergunta: “Porventura poderás puxá-lo com o anzol e atar sua língua com uma corda?” ( Jó, 40:21 ), tornando evidente que a força da revolta está na língua, ao passo que o poder de Behemot, como se diz em 40:11, reside no ventre. Maior clareza não poderia haver no contraste de um poder psíquico e de um poder material: Behemot é o peso maciço da necessidade natural, Leviatã é a infranatureza diabólica, invisível sob as águas – o mundo psíquico – que agita com a língua.

O sentido que Blake registra nessas figuras não é uma “interpretação”, na acepção negativa que Susan Sontag dá a esta palavra: é, como deve ser toda boa leitura de texto sacro, a tradução direta de um simbolismo universal. Para Blake, embora Behemot represente o conjunto das forças obedientes a Deus, e Leviatã o espírito de negação e rebelião, ambos são igualmente monstros, forças cósmicas desproporcionalmente superiores ao homem, que movem combate uma à outra no cenário do mundo, mas também dentro da alma humana. No entanto não é ao homem, nem a Behemot, que cabe subjugar o Leviatã. Só o próprio Deus pode fazê-lo.

Eu – ” Mas como? Tornando Leviatã um escravo dócil carregando o enorme peso de Behemot, pois se continua suas necessidades físicas básicas? Porque Leviatã é rebelde? Justamente por causa da pressão da pança de Behemot, da condição de escravo e miséria nas necessidades. Se não houvesse Behemot não haveria protesto, não haveria Leviatã no humano. Deus não tem que subjugar Leviatã, tem que elimina-lo para o nada, e erguer o que sobra do humano sem Leviatã para uma dimensão onde não exista Behemot. Na visão de mundo da Matrix/DNA é isto que vai acontecer, quando Behemot é descartado como a placenta, o ego e exorcizado do humano com o humano e sobra o Filho, a auto-consciência que sobe para nova superior dimensão. Mas vamos continuar a leitura e ver como Olavo trata isso.

A iconografia cristã mostra Jesus como o pescador que puxa o Leviatã para fora das águas, prendendo sua língua com um anzol. Quando, porém, o homem se furta ao combate interior, renegando a ajuda do Cristo, então se desencadeia a luta destrutiva entre a natureza e as forças rebeldes antinaturais, ou infranaturais.

Eu – Então Cristo continua fazendo o que Deus faria? Exorcizar o Leviatã que grita, ao sufocar sua voz prendendo sua língua? Mas e quanto a Behemot? Vai continuar em cima do humano sem Leviatã? Claro que o humano não pode aceitar isso e voltara a gritar como Leviatã. Talvez quisessem dizer que Behemot na verdade não foi criado como tal, ele era o paraíso, e teria sido o humano que o teria criado. Mesmo assim, a solução seria conduzir o humano a desfazer o erro e não abafar a voz que grita por estar sob a tortura do seu próprio erro. Assim a tortura vai continuar eternamente… falta completar no texto bíblico que se o homem aceitar a Cristo, se comportando como ele sugeriu em sua mensagem, ao mesmo tempo que Leviatã é exorcizado, Behemot volta a ser o paraíso.

A luta transfere-se da esfera espiritual e interior para o cenário exterior da História. É assim que a gravura de Blake, inspirada na narrativa bíblica, nos sugere com a força sintética de seu simbolismo uma interpretação metafísica quanto à origem das guerras, revoluções e catástrofes: elas refletem a demissão do homem ante o chamamento da vida interior. Furtando-se ao combate espiritual que o amedronta, mas que poderia vencer com a ajuda de Jesus Cristo, o homem se entrega a perigos de ordem material no cenário sangrento da História.

Eu – Ok. Isto é pura Matrix/DNA, por isto acho que entendi. Desde as origens do Universo existiu o eterno dualismo entre opostos. Inicialmente estes opostos se confrontam e do confronto o ambiente se torna caos. As guerras. No caos ambos decaem e moribundos são incentivados ou conduzidos a harmonia do terceiro estado, o equilíbrio, então se aceitam, se fundem numa só nova forma. Cristo seria esta força a que se entregam ambos, o estado cristão assentado nos dois opostos não produz guerras. Mas sinto que houve um erro, uma trapaça aqui. A relação entre o humano e a natureza não e a relação entre os dois opostos do dualismo universal. Os dois opostos são as duas faces de uma mesma moeda, dois diferentes genótipos de um mesmo fenótipo, dois carateres contrários dentro de uma mesma especie. Natureza universal e humano são dois lados de uma mesma especie? Como? Talvez, definindo que o humano é natureza – como de fato é – então teríamos humano-natureza vs mundo-natureza. A moeda seria “natureza” e as duas faces seriam humano e mundo. O humano é oposto ao mundo, ou o mundo é oposto ao humano? Isso não faz sentido. Os filhos de Adão e Eva são opostos ao mundo em que caíram. E esses humanos são pecadores, cometeram o erro, então são também o monstro Leviatã ao mesmo tempo que são Behemot, o produto de seu erro. existe um caminho para sair desse mundo  errado e retornar ao mundo certo, seguindo Cristo.  Mas isso continua difícil.

Vamos dizer que Behemot e Leviatã estão dentro do humano, assim como o hemisfério direito e esquerdo do cérebro. O hem esquerdo esta dominante, o direito, dominado. Transpondo isso para minha linguagem habitual. o esquerdo e a herança do instinto animal para predador e o direito o instinto de presa. Um sufoca por cima, o outro em baixo, chora. Mas isso poderia explicar as revoluções não as guerras.  Revoluções e o levante de Leviatã investindo contra Behemot, e guerras seriam apenas Behemot contra Behemot.

Continuemos… 

Ao fazê-lo, move-se da esfera da Providência e da Graça para o âmbito da fatalidade e do destino, onde o apelo à ajuda divina já não pode surtir efeito, pois aí já não se enfrentam a verdade e o erro, o certo e o errado, mas apenas as forças cegas da necessidade implacável e da rebelião impotente. No plano da História mais recente, isto é, no ciclo que começa mais ou menos na época do Iluminismo, essas duas forças assumem claramente o sentido do rígido conservadorismo e da hübris revolucionária. Ou, mais simples ainda, direita e esquerda.

O drama inteiro aí descrito pode-se resumir iconograficamente no esquema em cruz que coloquei depois em O Jardim das Aflições, mas que já está subentendido em A Nova Era e a Revolução Cultural, pois constitui a estrutura mesma do enfoque analítico pelo qual procuro aí apreender a significação das duas correntes de idéias mencionadas no título: o holismo neocapitalista de Fritjof Capra e o empreendimento gramsciano de devastação cultural.

Nesse primeiro volume, a forma adotada inicialmente não podia ser mais clara e foi imposta pela natureza mesma do assunto: uma introdução, um capítulo para Capra, outro para Gramsci, um retrospecto comparativo e uma conclusão inescapável: as ideologias, quaisquer que fossem, estavam sempre limitadas à dimensão horizontal do tempo e do espaço, opunham o coletivo ao coletivo, o número ao número; perdida a vertical que unia a alma individual à universalidade do espírito divino, o singular ao Singular, perdia-se junto com ela o sentido de escala, o senso das proporções e das prioridades, de modo que as ideologias tendiam a ocupar totalitariamente o cenário inteiro da vida espiritual e a negar ao mesmo tempo a totalidade metafísica e a unidade do indivíduo humano, reinterpretando e achatando tudo no molde de uma cosmovisão unidimensional.

Eu: Enfim, corrigindo o erro conclusivo de Olavo em que o objetivo de Deus não é sufocar ainda mais o Leviatã e sim deixar o humano destruir tanto Leviatã quanto Behemot, concluo que quando comparado a Matrix/DNA, a simbologia bíblica ( ou de Blake?) é apenas um diferente idioma descrevendo a mesma cosmogonia, sobre a qual, ambos estão de acordo. mas a interpretação que o cristianismo faz da simbologia esta errada.  E isto, bem trabalhado este texto, pode e deve ir para o livro. 

Como contei os átomos do corpo humano (um oitilhão), do planeta, e do Universo!

quarta-feira, fevereiro 27th, 2019

xxxxx

Numero de atomos no corpo humano no planeta e no Universo

(clique na imagem para ver aumentada)

Numero de átomos num corpo humano = 10/27 (10 elevado a 27, ou 10 mais 27 zeros)

Numero de átomos no planeta Terra = 10/50

Numero de átomos no Universo = 10/80

Então:

Numero de átomos no planeta (10 mais 50 zeros):

10.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.     000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000

Numero de átomos no meu corpo: 10/27…

Isto quer dizer que só sobra 10/23 átomos para o resto do planeta…!!!…???

( Sim, pois 10/50 menos 10/27 é igual a 10/23, certo?…)

E se somar eu mais você vai dar 10/54…???

Ou seja, se o planeta tem um total de 10/50 átomos, e só nós dois temos 10/54, o planeta vai precisar pedir emprestados `a Lua ou a Júpiter, mais 10/04 átomos apenas para dar conta dos nossos corpos?!

Não pode ser. Tem coisa errada ai. Foi o autor do quadro acima quem disse que é 10 vezes 50 zeros, ou 10 vezes 27 zeros… Não pode ser. Vamos tirar a prova dos nove, na base do feijão com arroz…

Acho que isso é assim:

10/27 =

10/1 – 10

10/2 – 100

10/3 – 1.000 (um mil)

10/4 – 10.000

10/5 – 100.000

10/6 – 1.000.000 (um milhão)

10/7 – 10.000.000

10/8 – 100.000.000

10/9 – 1.000.000.000 (um bilhão)

10/10 – 10.000.000.000

10/11 – 100.000.000.000

10/12 – 1.000.000.000.000 ( um trilhão)

10/13 – 10.000.000.000.000

10/14 – 100.000.000.000.000

10/15 – 1.000.000.000.000.000  (um quatrilhão)

10/16 – 10.000.000.000.000.000

10/17 – 100.000.000.000.000.000

10/18 – 1.000.000.000.000.000.000 (um quinquilhão)

10/19 – 10.000.000.000.000.000.000

10/20 – 100.000.000.000.000.000.000

10/21 – 1.000.000.000.000.000.000.000 ( um sextilhão)

Raios… espera ai… se 10/21 é 1 mais 21 zeros… então 10/27 vai ser 1 mais 27 zeros. O autor está certo, eu que errei acima pondo 3 zeros em cada uma de 27 casas…

Então, consertando o meu erro, vai ser:

1.000.000.000.000.000.000.000.000.000 … é o numero de átomos num corpo humano.

Eu to magro, mas ainda assim acho que posso vender 1 milhão de átomos a R$ 1,00 cada um. Quem compra? Bem são átomos velhos… acho que interessaria as pessoas idosas e magras comprarem átomos novos, de jovens…

Mas um milhão de átomos velhos dá para fazer uns cinco sabões…

Não to valendo nada! Ou melhor… estou valendo uns 200 sabonetes…

E como se lê este numero? Vejamos:

1.000.000.000.000.000.000.000 = 1 sextilhão

1.000.000.000.000.000.000.000.000 ( 1 setilhão… ?) (10/24)

1.000.000.000.000.000.000.000.000.000 (1 oitilhão…ou oitivilhão, ou oitavilhão? Fui procurar no dicionario mas ele só sabe contar até o setilhão. Pararam de fazer novos dicionários quando o ultimo tinha memoria curta de apenas 1 gigabyte…)

10/27 átomos = 1 oitilhão átomos!

Um oitilhão! Será esse nome mesmo? Então você tem um oitilhão de átomos no seu corpo. Quer vender… tudo?

  • ” Ahhh… ai não sobra nem unzinho prá mim? Vou virar fumaça… desaparecer?”

Guarde esse numero na memoria por que pode cair no exame do Enem elaborado pelo Bolsonaro.

Fiz uma conta separada, multiplicando um oitilhao por 8 bilhões de humanos e cheguei ao numero oito onzetilhão, este é o numero de todos os átomos em todo os corpos humanos.

8 vezes onze, ou 8 mais 36 zeros! A humanidade inteira vale 8 onzetilhões átomos.

Se o Cunha ficar sabendo disso ele vai tentar vender todos estes átomos aos marcianos. Menos os 1 oitilhão dele, claro. Os átomos do corpo da mãe dele acho que vende também, em se tratando do Cunha. Mas avisem ele para explicar que não são átomos inorgânicos de pedras, são átomos biológicos, trabalhados e lapidados por 3,5 bilhões de anos de evolução, portanto, mais caros.

Dos 1 oitilhão de átomos no meu corpo, acho que só o figado tem uns…. E o estomago tem uns… O piu-piu deve ter uns… Acho que vou calcular o numero de átomos por cada órgão… Ai posso vender um figado ou o coração pelo numero de átomos vezes um real… iac…iac… tão pensando que sou trouxa, éh?

Mas…nem pensar que vou calcular tudo isso!

Não vou te dar estes numero de graça porque não adianta. Se a minha orelha é maior que a sua, você vai ter que contar a sua…

E tem outra. Não conte quando você estiver excitado nem quanto tiver deszescitado. Pois o maior tem mais que o menor. E’ o tamanho médio que vale.  Você tem que alancar o meio-termo e parar ai, aguentar firme, desse jeito, até terminar de contar, entendeu?

Brincadeira. Tornar-se maior não significa que se criou mais átomos, do nada…

Agora vamos calcular quais os nomes dos números de átomos do planeta Terra (10/50) e depois do Universo (10/80). Ou seja, 10 mais 80 zeros…

Vamos lá?

10/1 – 10

10/2 – 100

….

Tu tá  pensando mesmo que vou fazer isso? Tu tá louco?!

Podes chamar do que quiser, até de “10 trumpilhões”, ou ” 80 cunhões”… eu que não vou tirar a prova verificando se estás certo.

Agora você me dá licença que vou fazer outro calculo, mas este vai ficar em segredo só para mim, porque se abrir a boca, cai o preço…

Sabendo-se que cada mitocôndria é uma mini, completa e funcional hidrelétrica ( que serve ate para gerar carga infinita para celular), e que em cada célula tem cerca de 922 mitocôndrias, e no corpo humano tem cerca de 3,453 trilhões de células, vou calcular na base de R$ 50,00 cada usina hidrelétrica que tenho, para ver meu capital atual imobilizado e vou ver se vendo um lote dessas baterias hidrelétricas para a Samsung…

xxxxx

 

 

O beneficio das provas para a construcao de teorias

quinta-feira, novembro 1st, 2018

xxxx

A Matrix/DNA Theory foi construída obedecendo a fidelidade ‘a Natureza sob o rigor de apenas dar o passo seguinte se a conclusão anterior estava fundamentada em parâmetro real, natural, comprovadamente conhecido.

E Russell foi brilhante nesta intuição ( clique na imagem):

Quando a MatrixDNA Theory foi construida am cima de parametros reais

Por exemplo: a neurologia não provou que o cerebro é o criador unico e direto da consciencia. A antropologia não explicou e não provou ainda a transformação do macaco em homem com consciencia. Mas estas teorias são aceitas no meio acadêmico como verdades irrefutáveis.

Creio ser indiscutível – perante as evidencias – que o corpo humano tenha vindo do corpo do macaco. Mas não vejo processos naturais capazes de transformar um cerebro irracional em consciente. Nao vejo claro como um macaco da selva viria aprender a escrever, ler, construir computadores.

Talvez exista uma realidade paralela natural fazendo a funcao de software ao lado da realidade natural que faz a funcao de hardware. E que no cerebro humano o software pela primeira vez se expresse, assim como no individual a consciencia apenas se expressa aos 8 meses de idade. Uma consciencia que veio de fora do individuo, dos pais, e destes ninguem sabe de onde.

Assim, o corpo humano veio do macaco – é sensato dizer. Mas que o humano veio do macaco é temeroso dizer, pois o humano não é apenas corpo e sim, mais a consciencia. Nao existem provas cientificas para esta afirmação, e quando alguem a profere, é um ato de fé.

Por esta fé ser responsável pela manutenção e extensão do instinto predador na psique humana, e por este instinto ser o responsável pela inibição imposta aos de instinto de presa ‘a sua evolucao mental, ela é um dos grandes males da humanidade.

Como uma analogia torna racional a crença numa super consciência cósmica

quinta-feira, outubro 18th, 2018

xxxx

ver video:

https://www.facebook.com/DailyMail/videos/2606282076056044/

O pelicano não podia comer nem beber… tinha o longo bico enrolado e imobilizado por uma linha de anzol. Assistindo este vídeo me despertou uma nova ideia.
Imagine o mundo das aves, animais e plantas, na selva sem humanos. O pelicano conhece um mundo sem consciência, nada ali tem essa coisa que ele não sabe existir. Então ele tem um problema que as simples forças naturais determinam que não tem outro destino senão morrer de fome e sede. Aceitando isso obrigatoriamente ele só tem que esperar chegar a agonia da morte. Porém, eis que de repente, um animal grande e desconhecido surge e a ele agarra. percebeu que antes de morrer por inanição será comido vivo. Esta ‘e a lei natural. Mas o animal desconhecido o agarra de forma estranha, e começa a mexer no seu longo bico, na coisa que ia lhe matar. E o animal estranho mexe e mexe enquanto o mantem preso. De repente ele percebe que a coisa que o ia matar não esta mais ali. E de repente percebe que seu corpo está livre na frente do animal desconhecido. Ele aproveita imediatamente a oportunidade e escapa. Enquanto isso vai estonteado, pois o que era morte certa determinada pelos elementos naturais, transformou-se em livre fluir da vida!
Nós sabemos que dentro daquele “grande animal desconhecido” existe algo mais, a qual denominamos “consciência”. Se ela não existe no mundo do pelicano, ela apareceu como um milagre e contra todas as forças da natureza, operou um milagre. Por esse ponto de vista, milagres existem. E isso me faz a mente voar longe, pensando no que será possível a uma super consciência cósmica – se tal coisa existir – fazer, por métodos naturais, e que nós, por não saber que ele existiria, concluiremos ter sido milagres.
Então, o pelicano nos faz descobrir que uma imaginada super consciência cósmica pode ser real, porque para ele e no mundo dele, havia uma sem seu conhecimento. Ninguém tem provas de que o mesmo não aconteça com nosso mundo humano. Considerando que tal coisa exista, resta a pergunta fundamental relacionada ao que no interessa: terá esta super consciência cósmica, a mesma vontade consciente com humanos e seu mundo, que nos humanos, tivemos com o pelicano e seu mundo ?
Isto e’ o que temos de investigar agora, cientificamente.

Matrix/DNA: Nova interpretação do mundo esbarra no sistema operacional humano.

quinta-feira, setembro 20th, 2018

xxxx

Como diz o americano Scott Adams:

“A maioria das pessoas sabe o que é viés de confirmação, senão pelo nome, certamente por experiência pessoal. Todos sabemos quanto é difícil mudar a opinião de alguém sobre algo importante, mesmo quando todos os fatos estão do nosso lado. O que os não persuasores usualmente não percebem é quão prevalente é o viés de confirmação. Ele não é um bug ocasional no sistema operacional humano. Ele é o sistema operacional humano. Somos programados pela evolução para fazer com que novas informações apoiem opiniões existentes, desde que isso não nos impeça de procriar. A evolução não liga se você compreende ou não a realidade. Ela só quer que você se reproduza. Também quer que você conserve energia para coisas importantes, como sobreviver. A pior coisa que seu cérebro pode fazer é reinterpretar a realidade em um filme totalmente novo a cada nova peça de informação. Isso seria exaustivo e não traria nenhum benefício. Em vez disso, o seu cérebro escolhe o caminho de menor resistência e instantaneamente interpreta suas observações para se adequar a sua visão de mundo. É bem mais fácil.”

Obtido num artigo analisando a metade da população que acredita ter sido o atentado a Bolsonaro, uma farsa.

https://cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte/quem-nega-o-atentado-contra-bolsonaro-assume-viver-uma-alucinacao-coletiva/

 

MercatorNet: Website de Intelectuais buscando recuperar/promover a dignidade do ser humano “com alma”.

sexta-feira, agosto 10th, 2018

xxxx

MercatorNet
https://www.mercatornet.com/
MercatorNet stands for reframing ethical and policy debates in terms of human dignity, not dollars and cents or political calculation.
We oppose moral relativism, scientism, crass commercialism, utilitarianism, and materialism — in short, any ism which reduces persons to ciphers and treats them as soulless machines. We delight in dissecting media cliches. We respond with logic and evidence. We do our best to be civil and courteous.
These are MercatorNet’s principles. We apply them with flair and a sense of humour.

A natureza humana e’ natural ou antinatural? Sugestão da Matrix/DNA

segunda-feira, março 12th, 2018

xxxx

https://universoracionalista.org/a-natureza-humana-e-totalmente-antinatural/

Mario Bunge: “A natureza humana é totalmente antinatural”

E a sugestão auferida da leitura do oraculo da formula da Matrix/DNA enviada como comentário ao artigo em Marco/12/18 ( aguardando moderação):

Douglas, observe no texto que a cada afirmação se segue uma contemporização, abalando-a, e isto demonstra a nossa confusão ainda num assunto que não sera’ entendido enquanto a neurologia não descobrir o elo entre neurônios e pensamentos e assim definir o conjunto dos pensamentos a que denominamos mente ou auto-consciência. O corpo e’ exclusivamente natural como um continuum evolutivo a partir dos elementos primordiais naturais, mas quanto a consciência ninguém pode afirmar nada ainda. Eu não vejo muita utilidade nestes textos analíticos acadêmicos que se limitam a descrever confusamente o observado evidenciando o desconhecido que não terminam sugerindo ao leitor o que ele deve fazer para beneficio da humanidade. Sempre lembrando que trata-se da opinião do autor, portanto sujeito a discórdia. Então vou trazer dois detalhes pertinentes sugeridos pelas minha pessoais observações:

1) Todos os tipos de sistemas sociais criados ate agora pelos humanos imitaram e imitam a divisão de poder entre os animais selvagens, seja na selva, nos ares ou nos oceanos. Então os grandes predadores como leões, águias, tubarões compõem a alta classe, os médios predadores como lobos, raposas, compõem a classe media, e as presas como gado compõem a classe baixa. Se confirmado minha teoria, isto significa que para elevar a humanidade afastando-a do passado animalesco temos que incentivar os indivíduos a se auto-exorcizarem destes instintos, que produziram caninos ou chifres abstratos mas ativos, na psique. E significa que devemos sugerir que individuo não seja direitista, esquerdista ou centrista. Ser direitista e’ colaborar com a classe predadora a conservar o status quo de privilégios ate’ quando a Natureza mudar e exterminar a todos. Ser esquerdista e querer as massas reacionárias `a evolução mental no poder e conduzi-las a acabar com a vegetação e portanto exterminando-se a si própria.

2) As sociedades dos insetos exibem a extraordinária engenharia imitando a formula para sistemas fechados aplicada pela natureza nos sistemas anteriores, atômicos e astronômicos. estas sociedades são montadas automaticamente pelas forças naturais que transcendem a percepção dos insetos. E como aqueles sistemas pararam de evoluir e se tornaram a infra-estrutura sedimentar para suportar e alimentar os sistemas abertos em evolução, aprendemos que devemos insistir com os indivíduos a rejeitarem energicamente todas tendencias a tornar a nossa uma sociedade no modelo de sistema fechado, pois o universo nos descartara’ também. E hoje se observa inúmeras tendencias e imposições vindas das três classes sociais no sentido de caminhar-mos a sociedade fechada e estéril do Admirável Mundo Novo sob a ditadura do Big Brother, que também se torna um escravo do sistema como são as rainhas de abelhas e formigas. Assim estamos adicionando um desfecho utilitário em beneficio do leitor. Porem, “opinionibus as dispuntandum” portanto são opiniões pessoais a serem desputadas. Valeu o alerta a ser sempre lembrado em nosso vicio de reducionismo cientifico que nos conduz a enfatizar o determinismo biológico. Abraços…

A psicologia do desenvolvimento humano – uma Ciencia que ainda esta muito atrasada devido ao limitado horizonte dos pesquisadores

quinta-feira, janeiro 18th, 2018

xxxx

Psicología del desarrollo

DESARROLLO PSICOLÓGICO Y BIOLÓGICO DEL SER HUMANO

https://desarrollohumanobiologiysocial.blogspot.com/2017/10/psicologia-del-desarrollo.html?showComment=1516271181573#c3278868217002642231

viernes, 27 de octubre de 2017

E meu comentario publicado no artigo:

Louis Charles Morelli – 18 de enero de 2018, 2:26

Hay mucha opportunidad para los estudiantes de psicologia se tornarem pesquisadores e autores de nuevas descobiertas neste campo.Pero tienen que “thinking out the box”, porque nuestra Ciencia no sabe 10 por ciento dos fatores que influem no ciclo vital humano, e portanto todas as interpretaciones teoricas estao distantes da verdade. Desconocem los fatos influentes porque miram lo objeto – lo individuo humano – e se olvidam da Naturaleza ao redor e externa que criou este individuo.

Desta Naturaleza que nao se limita aos ultimos tempos desde que surgiu la humanidad pero se extende por 13,8 bilhoes de anos de evolucion, nem se limita a familia, ao logar onde vive o humano, pero las fuerzas e elementos naturales influentes vienem de mui lejo. Lo ciclo vital produces transformacions no corpo humano que vienem da evolucion do mismo ciclo vital que produces transformacions em corpos astronomicos, pero, conoscendo nos astros estas transformacions se descubre mucho sobre nuestras transformacions. Se conoceres las interpretaciones en la teoria da Matrix/DNA baseadas na formula universal dos sistemas naturales que ela misma e’ formada pelo ciclo vital, veras como hay mucho que pesquisar neste campo. Ok, isto es apenas una sugestion para los que quierem ir alem do que se sabe hoy, se tornarem autores de novas descubiertas e contribuirem para la evolucion da psicologia…

 

Uma diferenca entre a colmeia e o sistema social humano? A entidade do sistema tornando-se dominada por si propria?

terça-feira, dezembro 26th, 2017

xxxx

Nao sei se a rainha das abelhas costuma picar, torturar ou ate’ matar seus suditos. Me parece que nao pois o sistema social funciona tao mecanicamente controlado pela entidade de sistema que, ela sendo tambem escrava, nao precisaria fazer isso, mesmo sem ser inibida a faze-lo. Nos sistemas selvagens dessa biosfera – seja na selva, nos mares, no ar – os grandes predadores matam e torturam. Ja’ nestes sistemas sociais humanos que sao projecao do sistema social das abelhas porem com uma forte incidencia das regras de poder dos sistemas selvagens, os grandes predadores sao inibidos a faze-lo. Claro que os banqueiros brasileiros e seu empregado, o Temer, tem vontade de fazer desaparecer todos do PT, mas ele se contem mesmo tendo poder fisico para isso. Porque?

O que os inibe? Talvez o custo financeiro para fazer isto nao lhes convem. Ainda podem com mais paciencia, agarrar o PT e faze-lo voltar as fabricas como escravos. Talvez a biosfera tenha evoluido no sentido da hierarquia dos sistemas. Entao hoje todo pais-sistema seriam inibidos por um sistema maior que emergiu a pouco, o sistema global. Se o Temer fizesse isto, talvez tema a reacao do sistema global, porque lhe custaria mais dinheiro.

O nome “entidade de sistema” fui eu que inventei quando elaborei a formula da Matrix/DNA e percebi que todos os sistemas naturais criam uma forssa que suplanta todas as suas partes, e esta forssa mantem o equilibrio interno termodinamico, a homeostase, etc. Sistemas atomicos e astronomicos a possuem. Sociedades de insetos foram montadas como copia fiel da formula que vem da evolucao cosmologica, porque nao possuindo intelecto para reacao, os insetos sao governados pelas forssas primitivas de seus atomos. Mas existe a diferenca entre sistemas abertos e fechados, sendo que os abertos podem ( se tiver intelecto envolvido) deixarem de ser sistemas no qual o controle e’ feito por regras sociais registradas num livro, sem lideres ou governos. Aqui, as partes igualadas e somadas produzem, dirigem e controlam a entidade do sistema.

Este pensamento nos faz perceber que cada entidade de sistema/nacao esta se deslocando, se ampliando, e mudando algumas coisas em si mesma. Todos os grandes predadores de cada nacao se tornam dominados pela invisivel entidade globalizada? E nos, que somos virus malignos para qualquer entidade de sistema, e estamos dentro destes sistemas dominados, o que podemos fazer na luta contra a entidade?

Raios, fica dificil combater algo que e’ invisivel e cosmico, que vem la das profundeza microscopicas ao mesmo tempo que vem das amplitudes macroscopicas. Acho que so nos resta estudar mais a Natureza, pesquisa-la mais a fundo, tentar detectar mais dados sobre esta entidade, do que ela e’ feita, qual sua substancia, qual sua intencao, pois nao se pode combater nem manipular o que nao se conhece… Mas o pior de tudo e’ que nao vejo ninguem fora da Matrix/DNA despertado para esta necessidade, ou seja, trilhando o unico caminho sensato.

O Olho Humano Interpretado pela Matrix/DNA

quinta-feira, novembro 2nd, 2017

xxxx

(Artigo em construcao: Copiar e traduzir o artigo para interpreta-lo pela Matrix/DNA)

Como os Olhos Humanos Funcionam ( How the human eyes works)

https://www.livescience.com/3919-human-eye-works.html

Fromer explained that the retina is the innermost of three tissue layers that make up the eye. The outermost layer, called the sclera, is what gives most of the eyeball its white color. The cornea is also a part of the outer layer.

The middle layer between the retina and sclera is called the choroid. The choroid contains blood vessels that supply the retina with nutrients and oxygen and remove its waste products.

Embedded in the retina are millions of light sensitive cells, which come in two main varieties: rods and cones.

Rods are used for monochrome vision in poor light, while cones are used for color and for the detection of fine detail. Cones are packed into a part of the retina directly behind the retina called the fovea, which is responsible for sharp central vision.

When light strikes either the rods or the cones of the retina, it’s converted into an electric signal that is relayed to the brain via the optic nerve. The brain then translates the electrical signals into the images a person sees, Fromer said.

Matrix/DNA: Observar como a anatomia da visao imita a formula Matrix/DNA. Na retina tem dois tipos de celulas que sao sensiveis `a luz: as rods (hastes) e a cones. Rods entram em atividade para a chamada visao monocromica em pouca ou rara luz, enquanto as cones sao ativadas em forte luz normal para ver os detalhes. Quando a luz externa chega nas rods e cones da retina, ela e’ convertida em sinais eletricos ( guardar isso para a categoria Luz) que e’ emitida para dentro do cerebro por dentro do nervo otico. O cerebro entao decodifica os sinais eletricos transformando-os nas imagens que vemos. Indo para a formula, nos temos nesta o cone central e as duas hastes ligadas a ele, uma que parte dele e outra que chega a ele. Entao as celulas cone sao o F1 da formula e isto significa que as cones, e apenas elas, transformam a luz que chega em sinais eletricos, pois o cone de F1 na formula sempre faz isso: transforma o material decadente que chega nele , reciclando-o e enviando-o para ser refeito na forma do Sistema de onde ele veio. Nao sei se os oftalmologistas e outros especialistas da visao sabem disso, o que e’ muito importante para se tratar os defeitos da visao. A haste que parte e que corresponde de F2 a F4 “viaja” no quase escuro, pois na formula, as formas do corpo que viaja dentro da haste esquerda nao emitem luz (lua, planeta, pulsar). No olho, este fluxo de F2 para F4 se torna sinais eletricos. Heeeeeeiiiii…!!! Acabei de descobrir mais um fator que faz com que o nosso cerebro esquerdo esteja dominando sobre o direito: as informacoes visuais que captamos atraves da visao entram no hemisferio esquerdo e se chegam ou nao ao espelho luminosos que e’ F6, nao importa, sao informacoes que passam a maior parte de seu tempo de vida dentro do cerebro sendo processadas apenas pelo lado esquerdo! Decididamente, o0 direito nao foi feito para ajudar o humano neste seu mundo, ele e’ um fluxo de saida, uma porta aberta, um elo, para uma dimensao mais luminosa a nos paralela.

Mas surge aqui esta questao: sera que a imagem refletida dentro do cerebro se de pelas propriedades estelares de F6?! Quando F6 deve produzir sua luz propria ( talvez devido a convergencia e acumulo de biofotons), e quando estamos falando de luz que entra na visao, torna-se pensavel que F6 atue como um espelho, pois e’ luz (interna) recebendo luz (externa). O problema e’ que ainda nao identifiquei no cerebro qual o elemento que representa F6. Mas devo lembrar que nao se deve sobrepor a formula na sua posicao vertical sobre o cerebro que esta na posicao vertical normal humana, e sim, deve-se sobrepo-la horizontalmente como um meridiano da circunferencia cerebral que permanence na posicao vertical. Assim, a abertura entre os dois lados do cerebro, na posicao normal vertical, para a formula nao tem topo e base vertical, mas sim serve para ver as duas faces da formula quando ela esta deitada ( ou seja, posicao horizontal).

A retina aprenta-se como um ponto central que tem duas hastes para um lado e mais duas hastes para o outro lado. As duas hastes que descrevemos acima e que vao para dentro do cerebro estao opostas as duas hastes que do outro lado formam o olho, e estas hastes sao a cornea, sclera, e cloroid, a qual consiste no vaso sanguineo que corre no olho trazendo nutrients e levando o seu lixo, exatamente o que tambem fazem as hastes na formula. Pela primeira vez vejo a formula da Matrix assim, dupla ou duplicada, enquanto mantem apenas um nucleo. Nao sabia disso – que ela tem tambem esta propriedade – e isso abre novas pesquisas, faz rever o que foi pensado, terei que fazer um novo desenho da formula, etc.

E uma nova informacao captada aqui e’ muito importante: a formula faz a luz se transformar, ou se codificar, em sinais eletricos! Raios, o que significa isto? pensando bem isto ja estava previsto mas entao, nao seria uma transformacao ou decodificacao. Pois sinais eletricos deve significar eletrons em movimento, e eletrons sao veiculos dos fotons, e’ como se os sinais eletricos se parecam com carros passando numa avenida e tendo como motoristas, os fotons. os quais sao as particulas da luz. Devem ser as particulas da luz externa que entra no olho. Entao no olho a luz e’ decomposta em seus framentos, seus building blocks, carregados pelo nervo otico, ate chegarem ao element na parte posterior do cerebro onde os fotons se juntam novamente, reconstruindo a luz eszterna. E a luz externa, quando entrou no olho, trazia em si uma especie de holograma dos objetos refletidos, assim como conseguimos impregnar uma fita cinametografica com imagens/hologramas de objetos reais. Mas… raios, se eu estou num ambiente como um escritorio iluminado por ula lampada e olho para o espaco vazio sendo atravessado pela luz nao consigo imaginas como essa luz esta carregando imagens, ou hologramas dos objetos do escritorio. Entao a luz bate no computador, nao o atravessa e reorna para o espaco. Mas quando ela bateu no computador ela extraiu dele sua aparencia e quando eu boto na cara no meio disso tudo, meus olhos capturam ela luz retornando ao espaco, e tenho a capacidade de ver a aparencia do computador, ou um holograma do computador! A luz seria entao um oceano de uma substancia holografica, homogenea, que ao atravessar a dark matter cria bolhas dentro das quais ficam aprisionados porcoes da substancia holografica misturadas com dark matter, e dessa mistura surge massa e energia, ou seja, materia, e cada bolha, cada porcao dessa materia se tornam objetos, na forma de objetos, gasosos, liquidos ou solidos. Rompe-se a bolha, os objetos estao livres no espaco mas dentro do oceano holografico. E a substancia holografica em torno dos objetos e’ modelada pelos objetos, na forma de hologramas, os quais sao captados pela nossa visao. Sabendo-se que estes hologramas se tornam visiveis dentro do cerebro humano, suspeita-se que de alguma forma dentro do cerebro humano exista uma porcao desse oceano holografico que denominamos de luz. Sera isto a consciencia?!