Warning: Missing argument 1 for ShareThisShareButtons\Button_Widget::__construct(), called in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-includes/class-wp-widget-factory.php on line 43 and defined in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-content/plugins/sharethis-share-buttons/php/class-button-widget.php on line 29

Warning: Illegal offset type in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-includes/class-wp-widget-factory.php on line 43

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-content/plugins/sharethis-share-buttons/php/class-button-widget.php:29) in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-content/plugins/disable-xml-rpc-pingback/disable-xml-rpc-pingback.php on line 51
humano « The Universal Matrix/DNA – Artigos

Posts Tagged ‘humano’

O Olho Humano Interpretado pela Matrix/DNA

quinta-feira, novembro 2nd, 2017

xxxx

(Artigo em construcao: Copiar e traduzir o artigo para interpreta-lo pela Matrix/DNA)

Como os Olhos Humanos Funcionam ( How the human eyes works)

https://www.livescience.com/3919-human-eye-works.html

Fromer explained that the retina is the innermost of three tissue layers that make up the eye. The outermost layer, called the sclera, is what gives most of the eyeball its white color. The cornea is also a part of the outer layer.

The middle layer between the retina and sclera is called the choroid. The choroid contains blood vessels that supply the retina with nutrients and oxygen and remove its waste products.

Embedded in the retina are millions of light sensitive cells, which come in two main varieties: rods and cones.

Rods are used for monochrome vision in poor light, while cones are used for color and for the detection of fine detail. Cones are packed into a part of the retina directly behind the retina called the fovea, which is responsible for sharp central vision.

When light strikes either the rods or the cones of the retina, it’s converted into an electric signal that is relayed to the brain via the optic nerve. The brain then translates the electrical signals into the images a person sees, Fromer said.

Matrix/DNA: Observar como a anatomia da visao imita a formula Matrix/DNA. Na retina tem dois tipos de celulas que sao sensiveis `a luz: as rods (hastes) e a cones. Rods entram em atividade para a chamada visao monocromica em pouca ou rara luz, enquanto as cones sao ativadas em forte luz normal para ver os detalhes. Quando a luz externa chega nas rods e cones da retina, ela e’ convertida em sinais eletricos ( guardar isso para a categoria Luz) que e’ emitida para dentro do cerebro por dentro do nervo otico. O cerebro entao decodifica os sinais eletricos transformando-os nas imagens que vemos. Indo para a formula, nos temos nesta o cone central e as duas hastes ligadas a ele, uma que parte dele e outra que chega a ele. Entao as celulas cone sao o F1 da formula e isto significa que as cones, e apenas elas, transformam a luz que chega em sinais eletricos, pois o cone de F1 na formula sempre faz isso: transforma o material decadente que chega nele , reciclando-o e enviando-o para ser refeito na forma do Sistema de onde ele veio. Nao sei se os oftalmologistas e outros especialistas da visao sabem disso, o que e’ muito importante para se tratar os defeitos da visao. A haste que parte e que corresponde de F2 a F4 “viaja” no quase escuro, pois na formula, as formas do corpo que viaja dentro da haste esquerda nao emitem luz (lua, planeta, pulsar). No olho, este fluxo de F2 para F4 se torna sinais eletricos. Heeeeeeiiiii…!!! Acabei de descobrir mais um fator que faz com que o nosso cerebro esquerdo esteja dominando sobre o direito: as informacoes visuais que captamos atraves da visao entram no hemisferio esquerdo e se chegam ou nao ao espelho luminosos que e’ F6, nao importa, sao informacoes que passam a maior parte de seu tempo de vida dentro do cerebro sendo processadas apenas pelo lado esquerdo! Decididamente, o0 direito nao foi feito para ajudar o humano neste seu mundo, ele e’ um fluxo de saida, uma porta aberta, um elo, para uma dimensao mais luminosa a nos paralela.

Mas surge aqui esta questao: sera que a imagem refletida dentro do cerebro se de pelas propriedades estelares de F6?! Quando F6 deve produzir sua luz propria ( talvez devido a convergencia e acumulo de biofotons), e quando estamos falando de luz que entra na visao, torna-se pensavel que F6 atue como um espelho, pois e’ luz (interna) recebendo luz (externa). O problema e’ que ainda nao identifiquei no cerebro qual o elemento que representa F6. Mas devo lembrar que nao se deve sobrepor a formula na sua posicao vertical sobre o cerebro que esta na posicao vertical normal humana, e sim, deve-se sobrepo-la horizontalmente como um meridiano da circunferencia cerebral que permanence na posicao vertical. Assim, a abertura entre os dois lados do cerebro, na posicao normal vertical, para a formula nao tem topo e base vertical, mas sim serve para ver as duas faces da formula quando ela esta deitada ( ou seja, posicao horizontal).

A retina aprenta-se como um ponto central que tem duas hastes para um lado e mais duas hastes para o outro lado. As duas hastes que descrevemos acima e que vao para dentro do cerebro estao opostas as duas hastes que do outro lado formam o olho, e estas hastes sao a cornea, sclera, e cloroid, a qual consiste no vaso sanguineo que corre no olho trazendo nutrients e levando o seu lixo, exatamente o que tambem fazem as hastes na formula. Pela primeira vez vejo a formula da Matrix assim, dupla ou duplicada, enquanto mantem apenas um nucleo. Nao sabia disso – que ela tem tambem esta propriedade – e isso abre novas pesquisas, faz rever o que foi pensado, terei que fazer um novo desenho da formula, etc.

E uma nova informacao captada aqui e’ muito importante: a formula faz a luz se transformar, ou se codificar, em sinais eletricos! Raios, o que significa isto? pensando bem isto ja estava previsto mas entao, nao seria uma transformacao ou decodificacao. Pois sinais eletricos deve significar eletrons em movimento, e eletrons sao veiculos dos fotons, e’ como se os sinais eletricos se parecam com carros passando numa avenida e tendo como motoristas, os fotons. os quais sao as particulas da luz. Devem ser as particulas da luz externa que entra no olho. Entao no olho a luz e’ decomposta em seus framentos, seus building blocks, carregados pelo nervo otico, ate chegarem ao element na parte posterior do cerebro onde os fotons se juntam novamente, reconstruindo a luz eszterna. E a luz externa, quando entrou no olho, trazia em si uma especie de holograma dos objetos refletidos, assim como conseguimos impregnar uma fita cinametografica com imagens/hologramas de objetos reais. Mas… raios, se eu estou num ambiente como um escritorio iluminado por ula lampada e olho para o espaco vazio sendo atravessado pela luz nao consigo imaginas como essa luz esta carregando imagens, ou hologramas dos objetos do escritorio. Entao a luz bate no computador, nao o atravessa e reorna para o espaco. Mas quando ela bateu no computador ela extraiu dele sua aparencia e quando eu boto na cara no meio disso tudo, meus olhos capturam ela luz retornando ao espaco, e tenho a capacidade de ver a aparencia do computador, ou um holograma do computador! A luz seria entao um oceano de uma substancia holografica, homogenea, que ao atravessar a dark matter cria bolhas dentro das quais ficam aprisionados porcoes da substancia holografica misturadas com dark matter, e dessa mistura surge massa e energia, ou seja, materia, e cada bolha, cada porcao dessa materia se tornam objetos, na forma de objetos, gasosos, liquidos ou solidos. Rompe-se a bolha, os objetos estao livres no espaco mas dentro do oceano holografico. E a substancia holografica em torno dos objetos e’ modelada pelos objetos, na forma de hologramas, os quais sao captados pela nossa visao. Sabendo-se que estes hologramas se tornam visiveis dentro do cerebro humano, suspeita-se que de alguma forma dentro do cerebro humano exista uma porcao desse oceano holografico que denominamos de luz. Sera isto a consciencia?!      

A cultura humana foi produzida pela sua biologia, porem, já existia cultura nas estrelas – revela a Matrix/DNA

sexta-feira, setembro 1st, 2017

xxxxx

Bom artigo sobre origens e desenvolvimento da cultura humana, defende a tese de que a biologia é a causa produtora da cultura. Por meu lado, fui consultar a formula da Matrix/DNA e conclui que a cultura humana esta’ para o sistema social humano assim como a identidade dos sistemas naturais estão para os sistemas, portanto, o que se entende por cultura já existia antes das origens dos sistemas biológicos. Postei um comentário explicando isso no artigo, o qual vai copiado abaixo do link:

O ser humano como um animal biologicamente cultural

https://universoracionalista.org/o-ser-humano-como-um-animal-biologicamente-cultural/?utm_medium=botao&utm_source=ur&utm_campaign=onesignal

O ser humano como um animal biologicamente cultural

Louis C. MorelliLouis C. Morelli – 1/9-set/2017

Good food for thought! Mas eu acrescentaria algo ao artigo. Dizer que a cultura é biológica leva a crer que a biologia criou a cultura pela primeira vez na Natureza, mas vou buscar fatos no passado quando ainda não existia a biológica organização da matéria para sugerir que cultura veio antes, seria uma constante universal. A formula universal para todos os sistemas naturais sugere que cultura é um nome para outra coisa existente mais profunda: a identidade de um sistema natural qualquer.

Como a formula demonstra, sistemas são o conjunto de partes especificas e funcionais inter-conetadas dentro de um involucro qualquer. A soma de informações de cada parte gera o sistema que tem mais informação do que todas suas partes separadas. Porem, como estas partes interagem entre si gerando sub-partes que também interagem, mais informações internas são geradas, as quais não são agregadas `as partes, porem são acrescentadas ao conjunto total de informações que é o sistema. Com isso, o sistema gera uma identidade própria, diferente e muito maior que a identidade de cada parte.

E’ esta identidade de sistema que controla o equilíbrio interno ( que vem da evolução do equilíbrio termodinâmico nos sistemas “não-vivos”) entre todos os seus elementos. E isto acontece em qualquer sistema natural, desde os mais simples como átomos, sistemas estelares, galácticos, vegetais, bacterianos, etc. Pois esta identidade destes sistemas simples, muitos antes da biologia aparecer, que evoluiu para cultura quando a humanidade criou sistemas sociais.

Vendo ” cultura” por esta perspectiva se entende melhor este fenômeno, pois vamos buscar suas raízes, suas causas primeiras desde o Big Bang. E assim encontramos explicação para algo que é dito no artigo mas fica difícil de engolir: que novos genes são produzidos para encaminhar ao homem cultural. Não se trata de novos genes, a função e seu mecanismo já existia disponível na nossa herança dos sistemas não-biológicos, bastava expressa-la. E também acabamos de criar outra definição para cultura: é a identidade de um sistema. Cultura também pode ser a sua mente em relacao ao seu corpo como sistema, ou ainda, cultura é uma espécie de software que permeia um sistema natural físico, o qual é o hardware. Mas tudo isso que digo é resultante da minha interpretação dos modelos teóricos da Matrix/DNA Theory e posso estar cometendo erros de interpretação.

xxxx

O paragrafo notável do artigo que revela sua tese da cultura como produto biológico é o seguinte:

”  O ser cultural do homem deve ser entendido como biológico. Há mais do que um jogo de palavras na afirmação de que o homem é naturalmente cultural, ou ainda, de que a chave para a compreensão da natureza humana está na cultura e a chave para a da cultura está na natureza humana. O homem é a um só tempo, criatura e criador da cultura. Nas palavras de Morin (1973, p. 92), “o que ocorreu no processo de hominização foi uma aptidão natural para a cultura e a aptidão cultural para desenvolver a natureza humana”. Desse modo, “desaba o antigo paradigma que opunha natureza e cultura” (p. 94). Entretanto, apesar da força do argumento, mesmo várias décadas depois, ainda não se foi muito adiante.”

A Causa Sistêmica da Obesidade

sexta-feira, março 18th, 2016

xxxx

O corpo não expulsa a massa adicionada pela alimentação, e, talvez, ainda continua requerendo mais. Segundo a formula da MatrixLight/DNA, o defeito pode estar no trecho entropico do circuito ou na função recicladora: ela estaria lenta demais ou não funcionando. E, evidentemente, o sistema esta’ aberto. Porque?

Vamos trazer a formula para ca’:

Circuíto Sistêmico ou "Software" extraído da fórmula da Matrix/DNA, Revelando o aspecto Hermafrodita

Circuíto Sistêmico ou “Software” extraído da fórmula da Matrix/DNA, Revelando o aspecto Hermafrodita

E a figura de sua representação mais funcional:

Matrix/DNA no DNA, na Célula, no Cosmos, e no Circuíto Elétrico

Matrix/DNA no DNA, na Célula, no Cosmos, e no Circuíto Elétrico

O corpo humano e` composto pela formula duas vezes: uma e’ o cérebro, a cabeça, e outra, e’ o resto, periferia de acessórios. A formula no cérebro e’ a do comando. Da identidade do sistema. Esta identidade, nos sistemas fechados, controla o perfeito funcionamento do circuito, mas no caso de sistema aberto, como e’ o humano, ele perde poderes neste controle.

(antes de continuar, trazer para ca o trecho do medico da rosacruz sobre retenção da massa. E preciso lembrar que a causa pode estar fora da area de F1, podendo ser, por exemplo, a glandula tireoide)

 

 

Cérebro Humano Evoluiu Devido Cozimento do Alimento – Mais Informações Sobre o Cérebro

sábado, dezembro 19th, 2015

xxxx

O que ha’ de especial no cérebro humano, que nenhum outro animal tem?

(Nao responda que e’ cabelo penteado pois isto e’ consequência daquela coisa especial. A palestra em video esta legendada em português (clique subtitles e escolha na lista de idiomas), com a excelente qualidade da organização Ted Talks, neste link:

https://www.ted.com/talks/suzana_herculano_houzel_what_is_so_special_about_the_human_brain

A cientista e neurologista Suzana H. Houzel tem uma postura filosófica nas Ciências, o que a induz a notar interessantes detalhes da Natureza que ainda ninguem estudou e isso induz a fazer Ciências, ou seja, pesquisa, experimentos. Suas descobertas e teorias são valiosas.

Algumas das importantes informações:

1) O cérebro consome 25% da energia do corpo, o que obriga os animais inferiores a gastar mais tempo se alimentando ( de 8 a 14 horas por dia), e quando o humano passou a cozinhar o alimento esse tempo decaiu, ate a 1 hora diária de hoje;

Então o grande salto evolutivo do cérebro humano seria impulsionado quando alguem começou a cozinhar um alimento?

2) ” O cerebro humano tem 86 mil milhões de neurónios, 16 mil milhões dos quais estão no córtex cerebral, e se considerarmos que o córtex cerebral é o local de funções como a perceção e a lógica e o raciocínio abstrato, e que esses 16 mil milhões é o máximo de neurónios que qualquer córtex tem, acho que esta é a explicação mais simples para as nossas capacidades cognitivas notáveis. Mas igualmente importante é o que os 86 mil milhões significam. Porque descobrimos que a relação entre o tamanho do cérebro e o seu número de neurónios podia ser descrita matematicamente, podíamos calcular como o cérebro humano seria se fosse feito como o cérebro de um roedor, cujos neuronios são maiores que os nossos. O cérebro de um roedor com 86 mil milhões de neurónios pesaria 36 kg. Isso não é possível. Um cérebro tão grande seria esmagado pelo seu próprio peso, e este cérebro impossível estaria num corpo com 89 toneladas.”

3) 06:45 – Isto traz-nos já a uma conclusão muito importante, que é que nós não somos roedores. O cérebro humano não é um grande cérebro de rato. Comparados com um rato, podemos parecer especiais, sim,mas isso não é uma comparação justa de se fazer, dado que sabemos que não somos roedores. Somos primatas, pelo que a comparação correta é com outros primatas. E aqui, se fizermos as contas,descobrimos que o primata genérico com 86 mil milhões de neurónios teria um cérebro de cerca de 1,2 kg, o que parece mesmo certo, num corpo de cerca de 66 kg, o que no meu caso é exatamente correto,o que nos traz a uma muito pouco surpreendente, mas ainda incrivelmente importante conclusão: eu sou uma primata. E todos vós sois primatas.

 

E Darwin também era. Adoro pensar que Darwin teria realmente apreciado isto. O seu cérebro, como o nosso, foi feito à imagem do cérebro de outros primatas.

4) 12:27 – Então qual é a vantagem humana? O que é que nós temos que nenhum outro animal tem? A minha resposta é que temos o maior número de neurónios no córtex cerebral, e penso que é a explicação mais simples para as nossas notáveis capacidades cognitivas. E o que é que fazemos que nenhum outro animal faz, e que eu acredito ter sido fundamental para permitir-nos atingir aquele grande, o maior número de neurónios no córtex? Em duas palavras, nós cozinhamos. Nenhum outro animal cozinha a sua comida. Só os humanos o fazem. E penso que foi assim que pudemos tornar-nos humanos.

 

Quando os doutores conduzem na escuridão

segunda-feira, dezembro 14th, 2015

xxxx

Ver video e meu comentário a seguir, neste link: 

https://www.facebook.com/TheMatrixDNA/posts/10207058235087012

A vida humana pode ser resumida a uma estrela morta? Mas esta astrônoma esta louca ou que?! Por acaso ela trouxe aqui para nos vermos e provar sua teoria, uma nuvem de poeira simples, mostrar que ali nada mais existe que poeira, aplicar nessa nuvem a força da gravidade, mostrar o surgimento da estrela, mostrar ela morrendo e tornando-se átomos de ferro, nitrogênio, espalhados no espaço sideral, e depois estes átomos se juntando e tornando-se um corpo humano, uma consciência? Não! Então esqueça, o que ela esta dizendo nada tem de cientifico. isto não e’ Ciência! A Ciência apenas existe onde existem experimentos e demonstrações. Quero ver ela desmanchar um carro com um motorista dentro, em todos seus átomos, da lataria `a borracha aos ossos, e em seguida mostrar estes átomos se juntando e refazendo sozinhos, o carro com o motorista dentro! Isto e’ loucura, ela perdeu o controle de suas faculdades mentais! Mas qual a consequência deste comportamento interesseiro e desmiolado? Gera, cria, e alimenta uma fé, uma crença. E por ela estar dentro da Ciência Humana hoje, por ela e seus camaradas de fé’ terem nas mãos as rédeas da Ciência, eles vão desenvolver a pesquisa, os instrumentos técnicos, intuídos por essa fé’. E assim vão encontrar o que procuram, apenas o que procuram, e tudo o que encontrarem vai reforçar sua fé. A Humanidade tem erigido suas civilizações em cima da sua fé da época. Ate um dia quando os fatos começarem a mostrar que algo esta’ errado, que não e’ o Sol que gira em torno da Terra, e ai, tarde demais, a sua civilização desmorona como um castelo de areia que sempre foi. A causa esta ai no que ela diz: ” E’ tudo muito simples” ! Não, minha filha, e’ tudo muito complexo, milhões de vezes mais complexo do que estas a imaginar. O macaco na selva tambem acha que entendeu o mundo e vê tudo muito simples.O erro dela esta’ no fato que sua visão e pensamento se resume tanto que ela focaliza apenas a visão superficial da estrela, a nuvem inicial de hidrogênio, etc. Ela não pode ver e não quer raciocinar sobre a região em volta da estrela e o que realmente existe dentro da estrela. Pois e’ logico, obvio, racional, que dentro e fora desta estrela, dentro e fora da inicial nebulosa de hidrogênio, havia muito mais coisas invisíveis, desconhecidas. As coisas que atuaram como comando de instrução para produzirem as estrelas, os átomos e depois organizarem-nos em carros e motoristas. Assim como um corpo de bacteria parece muito simples por fora, mas que esconde dentro de si um elemento de extraordinária engenharia, que e’ o DNA, sem o qual, não existiria a bacteria. O outro problema e’ que quando bate a fé, bate junto a cegueira da mente. Esta fica paralisada no mundinho dentro da fé. Essa mente não tem mais motivação e curiosidade para procurar os desconhecidos, os invisíveis, os imperceptíveis ao nosso complexo sensorial e instrumentos mecânicos. Como eu, minha mente, que não caiu nessa armadilha da fé, e descobriu que se existiu algo como a formula da Matrix/DNA, dentro dessa estrela, e na região ao eu redor, ai sim, pode se ver, dentro da mesma logica, emergir carros e motoristas. Mas então a formula não nos leva ao porto de alguma fé, e sim abre as janelas para outras dimensões, grandes mistérios a serem desvendados. Por exemplo, a astrônoma que esta recebendo salario publico na NASA, fala em tabela periódica. Mas com certeza ela ignora segredos profundos dentro da tabela, como aquele que a formula me levou a descobrir: que a cada sete formas de átomos, o átomo morre e renasce outra vez para mais sete formas, sete vidas, porque assim determina o ciclo da força vital, o qual estava escondido nesta estrela e seu time de fé’ ainda não percebeu. Arre! Avise seus filhos para não caírem como patos apressados nesta fé, que não pode ser racional. Junte-se comigo e que não deixemos estes deslumbrados falarem em nome da santa Ciência, principalmente dentro das escolas. Antes que seja tarde demais, antes que roubem a alma, a inteligencia de seus filhos, como já roubaram desta pobre mulher.

 

Encontrado Fossil Mais Antigo dos Humanos, Empurrando no Tempo nossas Origens

quinta-feira, março 5th, 2015

xxxx

SCIENCE. AAAS

http://news.sciencemag.org/archaeology/2015/03/deep-roots-genus-homo?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=facebook

This partial lower jaw from Ethiopia is the oldest example of our genus Homo.

This partial lower jaw from Ethiopia is the oldest example of our genus Homo. ( KAYE REED)

 

Deep roots for the genus Homo – By 4 March 2015

( Profundas raizes para o genero Homo)

(Traduzindo o Texto):

On a hot January morning 2 years ago, Chalachew Seyoum was searching for fossils at a desolate site in Ethiopia called Ledi-Geraru, where no human ancestor had turned up in a decade of searching.

Numa quente manhã de janeiro há 2 anos atrás, Chalachew Seyoum estava procurando por fósseis num sítio isolado da Etiópia chamado Ledi-Geraru, onde nenhum ancestral humano tinha aparecido numa década de busca.

But Seyoum, an Ethiopian graduate student at Arizona State University (ASU), Tempe, was upbeat after a week off.

(continuar tradução)

Debate postado na Science:

Avatar

Nature never selected the superstars. Where are the biggest and strongest? First the dinosaurs, now are going out the lions, eagles, wales, gorillas… It is the small, the median that everytime inherits the land. Where are the pharaós, the Roman Inperators, the Genghis Khan family?

Eugenics? Inferior humans? We had a big ancestor 10 billion years ago, called the “the galactic species”, They did the same mistake of dinosaurs: specializing, accommodating in a living way which is a sentence for being discarded by Evolution. Worst: the astronomical system became a closed system, self-recycling, closing the doors to evolution. Then, Nature answered with the second thermodynamic law, and entropy is fragmenting them into bits which are lifting up as biological systems (aka life), inside their own body, like 90 % of those bacterial cells are living inside our bodies.. Those astronomical systems were organized by the Matrix/DNA formula, from which came the biological DNA. Since that galaxies did the worst sin against Nature, we are inheritors of that sin in shape of the selfish gene, and we are 8 billions slices of that whole sin, just for to face our error being carried out by all others and learning to hate it. We will be one again but if one slice of that cosmic DNA is eliminated, will will born handicapped. So, eugenics and any other form of racism is a bad idea, against who do it.

xxxx

Três respostas ao meu comentário:

  • youve neglected a lot data in your rant.

    It should be writing an encyclopedia if mentioning the data about each phrase of my post. I exposed the final results saw here and now. If you have data against anything I wrote, please, let me knowing it.

    “First the dinosaurs”

    i would start with mass extinction events. events that were not concerned with the progress of life on our planet.

    Avatar

    I think that life has progressed in this planet, so, if really had mass extinction events, they are events contained in the large process. This is not data against Matrix/DNA theory. And these events need to be when several species goes on the wrong way. But, look to this curious suggestion from the models of Matrix/DNA:

    Mass extinction events occurs due the Sun and Earth drives biological evolution by radiation that works like consuming the layers of an onion. The sun radiates sequential layers from outside towards inside and planets from inside towards outside ( the radiation begins at their nucleus). The seeds of life are spreaded by the whole galaxy because they are the fragmented bits-genes of the galaxy. And the method by which these seeds are cultured and nurtured is the above cited process analogous to anions. When a layer ( synchronized from the Sun and Earth) finishes and the other begins, there is a mass extinction events separating the good and killing the bad results – in relation to the larger process of cosmological evolution.

    your views are certainly not new world. we know enough to dispel your beliefs based on your opening statements.

    Avatar

    Yes it is a new world view because it has a unique logical process explaining natural Universal History from the Big Bang to here and now, never imagined and published before.
    There are no beliefs here, only real data and a new method for connecting all known data.
    No, you can not be sure that you know enough to dispel it while you does not point out which known data could dispel it.

    xxxx

    • It’s fascinating though. Kind of a mish mash of the more nutty ‘theories’ on the inter-tubes.

      I’d need a lot of acid before I could find some meaning in that.

      Yes, I know that this new world view have the possibility to be a nutty theory. But… remember, a fanatic creationist also never will find some meaning in a non-deist theory. And those authorities of the medieval church were not able to see the new meanings when Copernic suggested that the Earth is not the center of world. So, I think you was educated by the modern academic mindset and it should be very difficult for you suddenly facing an more evolved alien telling that the final meanings of yours world view are wrong, because the academic mindset is making lots of mistakes of natural phenomena interpretations. Every phrase in my post hidden an universal meaning that you still does not know. For instance: the known fact that Nature did not selected the dinosaur neither the biggest crocodile for being the nest more evolved shape – the mammalian – and, instead, selected the tiny smaller reptile called “cyanodont”; the theoretical evidences I have compiled that from particles to atoms to galaxies to animals, Nature always applied the same method for selection, offers a new revolutionary meaning in relation to the meanings extracted from Darwinists interpretation of evolution. Evolution is curve and not linear because Nature makes that a wrong evolutionary way stops ( dinosaurs, galaxies, the heaviest atoms, lions, eagles, wales, gorillas etc) and nature goes back in time searching a genus that had not evolved in that wrong way ( chimpanzees, the ancient building block of astronomical systems, etc), which still is an opened door to the right evolution as driving by the universal Nature, and upon that genus Nature re-build the right pathway. Put this cosmological evolutionary movement ( trajectory) in a cartesian graphic, as I did, and you will begin to discover a real world never imagined before, neither by the modern academic mindset. But, as you said, maybe this theory is more wrong than yours theory. Only time and new data will be the judge.

      Use paragraphs.

      That wall of text is unreadable.

      Thanks, I had not perceived about absence of paragraphs. But the difficult to read it is due the errors of English language and the problem for communicating an unknown world never seen before, when you need creating new words for new things and had no space for explaining it. The first time when we will meet an alien culture we will have same problems in our communication. So, my world view is good for training us before it happens.

  • I’m sorry, but what are you smoking?

    Avatar

    Every wrong doctrine making wrong minds full of phantasies works in the same way of hallucinogens. Then, the victims think that every person not indoctrinated and with a different world view had smoking something… Sorry that you were caught in that doctrine being inoculated from our modern universities… A question for yours “world view”: which are the evolutionary links ( our ancestor species) between cosmological and biological evolution? I know… the university told you that there are no such links. And for fulfil that giant gap they told you about a magical force called “by chance”… Why don’t you go my website and see the suggested face and anatomy of that links? And try to debunk it with real known proved facts? You still have time for to taking out the mistakes that they inoculated into yours mind and discovering a very most fascinating and wonderful world without any kind of supernatural magical forces.

    xxxx

    I am unimpressed with your “science.” The “theory” of evolution is a tremendous lie. Mankind cannot answer this himself there needs to be an absolute truth. If Man bases his “theories” only on his science then the truth will be rejected. Only if the truth was used from the beginning would the origin of life be understood. Man makes mistakes that’s a given. The truth WILL be revealed as it always has. It just takes the right heart to see it.
    Always seeing but never perceiving.
    Always hearing but never understanding.

    You said: “If Man bases his “theories” only on his science then the truth will be rejected.”

    It is just the opposite. The thru is rejected when men bases their theories on their imaginations’ phantasies, like magical supernatural intelligent gods acting here and/or absolute randomness creating complexity as magics. When a man exercises only his pure and natural reason for interpreting every natural phenomena it gets the thru because the thru is with the same Nature that produced the human reason.

    Nature does not plays dices with its creatures, so, any question you have ask only to Nature, nothing else. If there is a supernatural god that created Nature, he would say: “If you want to know me, observe my creation, which is Nature.” Every artist reveals itself in his/her job. So, the scientific method is more next to know yours god than you using magical thinking.

    You said: ” ” The “theory” of evolution is a tremendous lie.”

    Then, bring on the table the real known data, apply the another method that you know for connecting those data – which for sure is not what we understand by ” scientific theoretical method”  and expose yours theory.

DNA-Lixo = Massa Humana-Lixo: A Matemática Equivocada que Convem aos Inimigos da Humanidade

domingo, janeiro 18th, 2015

A genética é tão complexa – tem tantos detalhes – e por isso tão ilusória, que todas as boas e más intenções encontram nela um falso aspecto para auto-justificar seus atos. Por exemplo, os maiores trechos do DNA que parecem não codificarem nada foram imediatamente chamados por DNA-lixo por aqueles que tem preconceito contra as massas humanas. Assim se auto-justificam acreditando que o lixo do DNA produz o “lixo” dentro da espécie humana.

Assim, os grandes predadores que possuem as grandes corporações se consideram produto dos menores trechos cujos genes executam o código inteiro, e no caso do Brasil, quando planejam lançamento de produtos consideram o pais não com 200 milhões, mas apenas os 30 milhões capazes de paga-los. E os políticos também se considerando dentre os selecionados sempre legislam a favor da manutenção da divisão social entre patrões contemplados e empregados extorquidos.

Acontece que não existe lixo no DNA. O DNA não foi inventado e criado por mágica pela matéria burra e estupida deste planetinha perdido na imensidão cósmica – como também convém aos predadores acreditarem para ludibriarem suas consciências. O  DNA é meramente a face biológica de uma propriedade natural que existe desde as origens do Universo e provavelmente antes dele, denominada Universal Matrix. Ela vem passando desde a luz, os campos magnéticos, os sistemas atômicos, astronômicos, chegando aos sistemas biológicos e agora, entrando nos sistemas auto-conscientes. Por ter em si registrada a História da Evolução Natural Universal de 13,7 bilhões de anos, mas estar expressando aqui e agora apenas os registros dos últimos 3 ou 4 bilhões de anos, tem 10 bilhões de anos dentro daquela longa faixa que os incautos chamam de “lixo”. As longas repetições de mesmas bases que parecem inativas tinham que serem assim, pois registram os tempos lentos astronômicos onde o todo sofria mutações localizadas que demoravam para se tornarem mutações do todo.

Nós somos herdeiros de um gigantesco ancestral que cometeu o pior erro possível aos sistemas naturais: tornar-se um sistema fechado em si mesmo, expressando o extremo egoísmo, e assim, fechando-se às portas para a evolução natural. Esse ancestral foi o building block dos sistemas astronômicos e hoje ele  se encontra reduzido a um par lateral de nucleotídeos como building block do DNA. Pela força entrópica do Universo ele foi e continua sendo fragmentado em seus menores bits-informação, os quais se espalham por dentro das galaxias procurando seus antigos vizinhos para recomporem o sistema nefasto de onde vieram. Mas existe uma suprema sabedoria fluindo no meio da Natureza. Ela destrói o “pecador”, dividindo-o em quase infinito numero  de indivíduos, cada qual contendo uma fração minima do grande “mal”. Ao se verem reunidos em qualquer novo local cada individuo terá sua fração de mal enfrentando todas as outras frações do mesmo mal e no conjunto, o grande mal quando todas as frações se somam e constituem a sua espécie. É sentindo no confronto do seu pequeno mal com os pequenos males dos outros que cada qual vai aprendendo a ver e sentir os efeitos negativos do grande mal, para se tornar inimigo do grande mal. Assim todos se limpam da sujeira e a Matrix retorna totalmente purificada como sistema aberto para reencetar os caminhos da evolução.

Portanto, nós humanos, somos 8 bilhões de  indivíduos, 8 bilhões de pedacinhos de uma entidade que um dia foi a imperadora dos céus, cada qual com seu DNA único e especifico, contendo uma minima diferença em relação a todos os outros 7, 999 bilhões de DNA’s. E o propósito  da nossa existência aqui pode ser verificado no que a evolução está desenvolvendo por ultimo aqui e agora:  o feto, o embrião, de uma nova forma do sistema natural universal, a qual denominamos “auto-consciência”. cada um de nós carrega uma cabeça na forma de ovo e que funciona mesmo como um ovo, sendo o cérebro a placenta, o amnion, e as sinapses a formação desse embrião. Cada um de nós é um gene mental construindo um novo corpo de pura substancia mental. cada um de nós é um gene, uma informação unica e especifica que não existe em nenhum outro lugar, em nenhum outro ser humano, somos uma mensagem, uma missão, um compromisso, e o Universo inteiro nos contempla torcendo e esperando que  executamos com nobreza e acêrto essa grande missão. Não existem humanos “lixo”. Se um só, apenas um dos mais fracos e incapazes humanos deixar de cumprir sua missão, nós nasceremos na nossa nova forma como o “um doente ou aleijado”. Ao invés de desejarem eliminar a grande massa humana depois que for substituída no trabalho escravo pelas maquinas, estes loucos incautos estariam fazendo o que eu estou desesperadamente tentando fazer: oferecer a minhão mão e meu trabalho para puxar os que estão ficando atrasados no caminho. Mas a natureza já provou que sabe fazer suas coisas e atingir seus objetivos. Nós já sabemos que Ela não tem pressa, como revela aquela interminável lista de mesmos genes referentes a bilhões de anos que ficaram inativos. Ela sempre eliminou todos os predadores porque se tornaram demasiado gordos, grandes, sem ideais e motivações que ultrapassem suas mesquinharias individuais, tornaram-se super-especializados no modo de vida de uma forma provisoria e temporária da evolução,  e assim se tornaram em mafias grupais como sistemas fechados em si mesmos, como um daqueles ramos da arvore que se secam e se extinguem. A Natureza não tem pressa e sabe que por bem, como voluntários,  ou por mal, como punidos e involuntarios, todos os genes se auto-corrigirão e farão seu trabalho.

Nosso Criador: Como Ele é, O que Ele Pensa,Como se Relaciona dom Humanos…pela Matrix/DNA

sexta-feira, novembro 28th, 2014

xxxx

Wikipedia: This embryo is about five weeks old (or from the 7th week of pregnancy).

Grande parte da Humanidade acredita num criador de tudo e resume esse criador a um nome: Deus. Outra parte mais recente que está crescendo pela educação escolar dominada pelo cientificismo e suas grandes teorias,  acredita numa Causa criadora deste Universo, que seria um minusculo átomo contendo a massa e energia de todas as galaxias, e vai mais longe agora, crendo que a causa criadora desta causa, ou seja, o real criador de tudo, é resumido num nome: o Nada. ( O livro de um dos maiores expoentes desta mentalidade e que é um best-seller entre esta parte da Humanidade chama-se ” O Tudo desde o Nada”, ou em Inglês, “Something from Nothing”.

Eu particularmente não via sentido racional nestas duas visões do mundo e por isso arregacei as mangas e retornei à região onde ainda existem testemunhas das origens da Vida – a selva virgem amazônica – e elas deveriam me sugerir uma idéia mais acertada do que é nosso “criador”. Assim descobri que existe uma terceira visão do mundo, a qual faz mais sentido racional ao menos para mim e a qual denominei de “Teoria da Matrix/DNA”. Esta teoria começa e termina neste aglomerado material de galaxias que denominamos “Universo”, sem tocar mais que 3 ou 4 de suas supostas 11 dimensões, ou 11 niveis diferentes de organização desta matéria, portanto é estritamente materialista/naturalista. Mas desde que esta teoria alcançou todo o espaço e o tempo desta parte do mundo material, ela mostra um grande quadro geral que, irresistivelmente nos conduz a imaginar, a projetar esse quadro para alem do espaço e tempo deste universo e obter um quadro ainda maior, do que será que existia antes e alem deste Universo. Tal quadro imaginado será portanto puramente metafisico, uma hipótese aguardando mais informações reais para ser testada, e tentamos na medida do possível esquece-la por enquanto para não prejudicar nossa necessária busca para melhorar nossas condições praticas de vida aqui e agora.

Mas toda vez que tentei falar com pessoas dos dois outros grupos de crenças, elas me pressionam inicialmente, como condição prévia para sequer pensar ou ouvir minha visão do mundo, para eu responder o que eu acredito seja a causa primeira ou criadora deste mundo. Ou seja, me obrigam a ir onde evito ir, à metafisica resultante desta visão do mundo. Então vou tentar explicar muito resumidamente aqui o que foi que obtive como quadro maior imaginário.

Como é a forma, a substancia fisica, o tipo de pensamento, o tipo de relacionamento conosco, deste “Deus” para a maioria ou deste “átomo ex-machine” vindo do “Nada” para a minoria restante? Pela Cosmovisão da Matrix/DNA?

Para uma resposta muito resumida, é preciso que  você tente fazer uma regressão mental ao seus primeiros 3 meses de vida intra-uterina, quando tinhas ainda a forma de um peixinho, ou quase um girino. E imaginar que nesta forma de girino você já se fazia perguntas metafisicas como essa que estás me perguntando. O girino saberia que existe porque foi “criado” por uma espécie biológica, distinta, E saberia que ainda está sendo formado, ou seja, ainda está sob o processo da evolução, que está indo a mudar de formas até alcançar a forma da espécie misteriosa que o criou. Qual a imagem metafisica máxima que o girino poderia montar em sua mente desse seu criador? De uma coisa podemos ter certeza: jamais seria algo próximo da imagem do ser humano, a espécie que o criou. Seria inevitável a ele ficar girando em torno de si mesmo, baseando-se na sua forma de girino para imaginar a forma futura de seu criador. Talvez no máximo ele poderia chegar a imaginar a forma de uma lagartixa, um crocodilo, ou até mesmo, do dinossauro. O cérebro, o tipo de pensamento, e os comportamentos de tal dinossauro seriam parecidos com os do girino. Lição a extrair daqui: por mais que tentemos imaginar o nosso “criador”, a “coisa” que existia antes do Big Bang ou deste Universo, nunca teremos potencialidade cerebral para alcançar algo perto do que ele é na realidade.

Portanto, as três crenças, incluindo o quadro metafisico sugerido pela visão do mundo da Matrix/DNA, estão “totalmente e necessariamente racionalmente”… erradas.  As crenças no criador-lagartixa, no criador-crocodilo, no criador-dinossauro, produzidas pelo estado ainda embrionário da nossa “auto-consciência”, estão muito distantes do real criador do girino, ou seja, da espécie humana.

Porque somos expostos a estas condições de vida absurdas, sujeitas a ser-mos devorados por predadores, torturados até a morte por microscópicos vírus, a sermos repentinamente deformados e mortos por acidentes e tragédias naturais? Porque o nosso “criador” nada faz para evitar isto, se sabemos que qualquer pai e mãe humanos, ou até mesmo cangurus e leoas, fariam o possível para evitar qualquer mal a seus embriões? Ora, a resposta racional imediata seria: não existe criador como são os humanos, e se ele existiu antes e alem do Universo, ele pode não existir mais, ou, ainda, estar lá fora do Universo, ignorando nossa existência aqui.  Mas a cosmovisão da Matrix/DNA tem uma nova resposta: todos os sistemas naturais – e a auto-consciência humana é uma nova forma de sistema natural – passam por duas fases evolutivas. A primeira é a fase dos ovos botados fora quando a prole é abandonada à própria sorte, porem, a fórmula da Matrix mostra que este abandono é apenas “aparente apesar de real”, porque na verdade, todo embrião de sistema natural existe dentro de um sistema natural hierarquicamente superior ou maior, o qual determina que o destino destes ovos seja produzir e libertar o embrião interno, que na verdade, os ovos nunca saíram de um “controle geral”. A segunda fase é quando o sistema anterior se desenvolve e aí revela que ele mantem os ovos dentro até o nascimento do embrião. O sistema natural “corpo humano” está sujeito a todas as tragédias, mas o embrião sistema natural que se desenvolve dentro da cabeça-ovo de cada humano não pode ser destruído por nada e é mantido como ovos dentro de um sistema maior. Ou isto está claro e é um imperativo da Natureza, ou a fórmula da Matrix/DNA nunca existiu de fato, pois ela afirma com certeza que tem de ser assim.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Observe que nesta fórmula universal de todos os sistemas naturais, os “ovos” são botados fora do vórtice F1, mas seguem o circuito evolucionário sistêmico nunca saindo ou sendo destruído apesar de sendo continuamente transformado, portanto sendo mantido dentro do sistema. Se o sistema for fechado, o “ovo” é reciclado; se o sistema é aberto, o “ovo” se desfaz (em F7) para o sistema, para entrar em outro externo sistema.

Enfim, são muitos detalhes  e todos os levantados no titulo deste artigo são respondidos nesta linha lógica de pensamento pela Matrix/DNA, porem, infelizmente não temos espaço e tempo disponíveis aqui para abordar estes detalhes.       

A Mudança do Paradigma da Atual Visão do Mundo, pela Segunda Revolução Cientifica

terça-feira, janeiro 7th, 2014

Preste Atenção Nisto: Trata-se de algo invisível e desconhecido por ti mas que tem grande fôrça atuando sobre sua vida, de seus familiares, seus filhos, e está forçando o mundo ao seu redor a tornar suas condições de vida de forma infeliz. Mas tudo depende de sua reação, agindo contra esta fôrça, ou reação nenhuma, deixando-a crescer dia a dia e se tornando um monstro contra o qual nossos herdeiros e futuras gerações não terão mais a oportunidade de reagirem e se defenderem.

Poucas e acadêmicas informações que descrevem esta fôrça  invisível estão num texto do professor de Ciência da Computação da Udesc, Lucas Negri, no seu artigo “Síntese – Teoria Geral dos Sistemas”, no link: http://www.infoescola.com/filosofia/sintese-teoria-geral-dos-sistemas/  . Mas aqui vamos tentar complementar estas informações num linguajar para leigos tambem entenderem. 

Agora tenha paciência para um assunto chato, mas que precisa ser mencionado para entenderes sôbre essa fôrça invisível. A visão de mundo ensinada aos jovens ingênuos através dos bancos escolares veio a calhar para preencher uma necessidade psíquica dos ricos que controlam o mundo hoje, empregando a chamada “mão invizível da economia”. Vamos explicar. O ser humano se diferencia dos animais porque nele emergiu uma novidade natural a que denominamos “auto-consciência”. Mas seja esta novidade vinda de algo não-materializado que já existiria antes, ou seja apenas mais uma mera produção da longa cadeia natural de causas e efeitos a que denominamos “evolução” –  o que importa é ter-se a consciência que a auto-consciência do ser humano é algo novo no Universo, ao menos aqui e agora nestas regiões do Cosmos, onde existimos. E devemos tentar ver algumas coisas pelos olhos do Universo e não pelos olhos humanos, e nesse caso da auto-consciência constatamos que a humana surgiu a apenas alguns minutos atrás, em relação ao tempo do Universo. Enfim,é bom e importante nunca se esquecer que nossa auto-consciência, como todo sistema natural, que nasce, cresce, adquire maturidade, está ainda, ou na sua fase de gestação embrionaria, ou na fase de recém-nascida, pois o fato é que ela nem mesmo ainda abriu seus olhos para saber como é seu próprio corpo, ou de que substancia é feita, se é que realmente contem alguma substancia na nossa forma de entendimento.

Esta auto-consciência, por certo, surgiu num corpo herdado dos animais, mesmo que estes animais tenham vindo de uma suposta primeira célula viva, o primeiro ser vivo, ou que tenha se originado de um sopro contendo um plano inteligente ou não sobre uma sôpa terrestre primordial composta de barro. Sendo a auto-consciência humana, um embrião ou um bebê recém-nascido, certamente está ainda dominada pelos instintos e tendencias do corpo animal a que ela está prêsa por um cordão umbilical, ou totalmente dependente para sobreviver. E os animais existiram numa biosfera caótica, selvagem, cujas regras impõem a competição mecânica, fria e selvagem, se o ser quiser sobreviver, e as leis da selva dividem assim os animais entre predadores e prêsas. Ora, é óbvio que o novo personagem habitando este corpo venha a encontrar este estado de instintos e tendencias dominando-o, mesmo que lhe seja desagradável, repugnante. Mas são os desejos deste corpo que ainda determinam o tipo de sistema social em que vivemos, que organiza as interações, as relações entre estes corpos. Assim, todos os tipos de sistemas sociais feitos até agora são mera projeção, uma réplica, uma reprodução mirando-se no exemplo das regras nas selvas. Seja o sistema social um feudalismo, uma monarquia,um capitalismo ou um comunismo, ele tem imitado a divisão entre predadores e presas, e competição animalesca, dentro da própria espécie.

Mas o bebê não tem essa natureza, ou melhor, ele parece não ter vindo composto apenas pelos elementos do estado do mundo que encontrou aqui, prova disso é que ele trás novidades nunca vistas nos reinos anteriores dos sistemas inanimados, e mesmo sistemas animalescos.  Empatia, a capacidade de um corpo se projetar em outro corpo vizinho e sentir o corpo vizinho, pensar os seus pensamentos, estender ao corpo vizinho os desejos de existência melhor que se desejam a si mesmo  – é um dos principais exemplos, nunca visto antes. Que um novo sistema natural contenha elementos que não se conhece existentes na cadeia natural conhecida de causas e efeitos, é algo perfeitamente aceitável, quando sabemos que a natureza é composta pela hierarquia de sistemas naturais, o que faz que sistemas maiores, ou mais complexos, ou mesmo menores, influenciem os sistemas menores que os compõem, ou os sistemas maiores que constituem como pares e sub-sistemas. Como pouco ou quase nada percebemos e conhecemos dos sistemas naturais, podem existir muitos sistemas à nossa volta, até mesmo nos envolvendo, que são invisíveis a nós, ignorados por nós, mas fôrças emanadas por eles podem estarem atuando aqui, como pode ser o caso deste sistema galáctico que nos envolve e nos bombardeia continuamente com as suas chamadas “radiações cósmicas”. Então podem mesmo existirem sistemas naturais do tamanho do Universo, o próprio desconhecido Universo, ou ainda, sistemas alem do Universo, talvez que já escapam das leis naturais, mas que estejam fornecendo informações para esta região, e que podem constituir sistemas complexos como o caso da nova “auto-consciência”. Isto pode, racionalmente, explicar a emergência de novos fenômenos, como a empatia, e a maioria das emoções humanas, consistindo em seus sentimentos. Que não existiam nos ancestrais animais.

Você deve conhecer o fenômeno da dominância e recessividade na genética. Pois o estado atual desta dualidade humana entre corpo e consciência está expressando o corpo como dominante enquanto a consciência ainda é recessiva, apesar de estar esperneando e brigando por seu lugar no espaço, pela direção deste corpo. E aqui então retornamos lá atrás onde disse que “os ricos tem uma necessidade psíquica”. Trata-se deste bebê de auto-consciência perturbando o corpo animal, querendo expressar e impor suas propriedades especificas, como a compaixão, o altruísmo, a empatia, coisas que ainda nem sabemos definir. Todo rico nasceu plenamente dominado pelo instinto predador animal, ou foi culturalmente condicionado a expressar seu lado de besta-fera, ao mesmo tempo que tenta suprimir seu lado de anjo empático.  Ele é diferente dos pobres porque se de repente se ver na situação de pobre ele se suicida ou declara guerra aos outros ricos, o fato é que ele não suporta a condição de pobre que a maioria dos outros humanos tem suportado. Mas então como sobreviver com este anjo interno chamado consciência?

Ora, todos sabem que nada melhor que drogas fazem escapar de uma realidade insuportável num estado depressivo, então os ricos precisavam desesperadamente da droga eficaz neste caso. E ela foi descoberta, produzida e fornecida pelo chamado método cientifico analista reducionista das ciências, denominadas ciências exatas. Trata-se de uma droga ao nível tão abstrato quanto é para nós ainda abstrata essa auto-consciência, pois é uma droga que atua sobre a auto-consciência, paralisando, aquietando aquele bebe incomodo. Essa droga é uma especifica visão do mundo, uma interpretação distinta dos fenômenos que compõem a totalidade da natureza perceptível pelos ainda poucos e limitados sensores do cérebro humano.  E ela está livremente sendo administrada através dos bancos escolares, surtindo efeito tanto em tendentes a predadores quanto tendentes a prêsas, porque ela conforta os primeiros e condiciona  como um paralisante, mentalmente, aos outros.  Esta visão de mundo é a crença que se precisava para se acomodar num estilo confortável de vida, que vampiriza seus semelhantes, atitude que entra em choque com a propriedade de empatia trazida junto com o novo constituinte do corpo humano. Segundo os valores morais que emanam desta visão de mundo, é perfeitamente racional, lógico, e um imperativo da existência, que existam predadores e prêsas, pois a natureza é quem faz assim, em primeiro lugar. Ela seleciona naturalmente os mais fortes, os melhores adaptados, porque são mais “espertos”, mais ágeis, como são os felinos nas selvas.

Mas humanos não são animais. Eles contem novas propriedades que nunca existem ou existiram em qualquer animal. As informações que vieram para produzir estas propriedades nunca agiram antes na história desde a primeira célula viva até os macacos na selva. Será possível a alguém, em pleno poder de suas faculdades mentais, aplicando a Razão como produto desenvolvido pela longa cadeia de causas e efeitos que vem ocorrendo desde o Big Bang, negar, contestar, provar realmente, que estas informações nunca estiveram atuando no  fluxo dessa rede de informações que compôs esta historia natural universal?! Onde está antes do homem o fenômeno da empatia? Das emoções? Dos sentimentos? Qual fera animal saiu de cima do cadáver de sua vitima com um pedaço de carne na boca e foi leva-lo a outra fera de sua espécie, como fazem humanos ricos hoje que de repente, voluntariamente, pegam um naco de suas posses e preenche um cheque enviando-o outros de sua espécie flagelados por um furacão nas Filipinas? Onde estavam, na totalidade do mundo animal, os princípios naturais, as forças naturais, os elementos materiais, deste fenômeno que emergiu aqui e agora, observado por todos? É certo que uma razão rebelde vá vasculhar aquele mundo, encontre e traga alguns princípios como sua prova vitoriosa, por exemplo, a cena de um pássaro trazendo no bico uma larva para alimentar filhotes. É fácil, a partir desta cena, elaborar uma teoria evolucionista sugerindo que aquilo chamado de instinto materno evoluiu para o moderno altruísmo e empatia, assim como demais emoções. Mas a mesma teoria evolucionista só sobrevive enquanto alicerçada na teoria da seleção natural, e por mais que forcem a sua lógica, jamais vão resolver o problema de que esta teórica seleção natural jamais teria selecionado o individuo ou a espécie que suprime seu instinto alimentar voluntariamente, a titulo de alimentar um outro corpo separado.  Mesmo antes disso, esta teórica seleção natural jamais poderá explicar como um animal de sangue frio, uma maquina voraz de consumo e destruição, que para sobreviver, para sua caça e defesa, precisa da maior agilidade física possível, como de repente este animal-maquina, se resolveu condoer de amores e sentimentos, se sujeitou a dores intensas, morreu de fome ou nas mandíbulas de um predador, quando fez o heroico esforço de tentar manter os ovos dentro do corpo ao invés de simplesmente obedecer o que a natureza sempre fez até então, em que todas as especies botavam os ovos fora, abandonaram suas proles à própria sorte, e até mesmo devoravam seus filhotes se com eles se encontravam. De repente este monstro maquina resolveu ser mãe! Inventou o mamífero com toda sua parafernália incomoda e dolorosa da gravidez! Inventou o instinto materno. Ora… me enganem que eu gosto! Existe sim uma seleção natural mas não como a entendida nesta teoria da evolução, pois por ela, jamais teria existido o mamifero.  Nos modêlos teóricos da Matrix/DNA, ao menos se explica de onde veio a informação como fôrça que nenhuma outra fôrça da Terra pôde conter: a galaxia, a bilhões de anos atras, em sua funcionalidade mecânica, já mantinha os ovos de novos astros dentro, deste sistema escondido veio a informação, ele estava por trás da seleção natural. As estrelas já acalentavam seus rebentos planetinhas e os alimentavam com seu néctar energético antes de se transformarem em novas estrêlas. Mas estrêlas não possuem instinto maternal. Se a auto-consciência já vinha inserida na longa universal cadeia de causas e efeitos, ela dormia ou sonhava nas galaxias, começou a despertar nos animais aqui, mas só se levantou no homem.

O que isto ensina  a quem ainda mantem pleno poder das suas faculdades mentais é que tenha vindo junto com o fluxo evolutivo  e não atuado até o réptil, ou tenha caído do céu de algum sistema hierarquicamente superior, existem informações que. ou correm paralelas ao fluxo natural e apenas engrossam este fluxo e m certo estagio da evolução, como é o caso dos genes retrógrados que só entram em ação depois do corpo nascido, ou são inseridas de fora, no mesmo estagio da evolução. Aqueles que vem acenando vitoriosamente com tais princípios, como se surgidos por acaso no reino animal. para explicarem uma interpretação da evolução,  e se assentam na vida confortavelmente em cima de tal visão do mundo, o fazem cegamente por uma necessidade imperiosa de se auto-justificarem num estilo de vida que seu bebê interno está rejeitando e reagindo contra.

Se os humanos são diferentes dos animais, as leis das selvas não servem como base para os humanos construírem seus modelos de sistemas sociais. Se insistirem nisso, vão acabar como acabaram todos os animais que se tornaram reis em seus habitats, se adaptaram a um modo de vida, se acomodaram, se super-especializaram, dominaram todos ao redor, e foram descartados pela evolução natural. Onde estão os dinossauros que reinaram nos continentes? Onde estão a águia e o gavião real que reinaram nos ares? Onde estão as baleias que reinaram nos mares? Ondes estão os leões e os gorilas que reinaram nas selvas? Todos extintos ou em rápida via de extinção. Os poucos que restam estão enjaulados nos zoológicos ou aquários. Se querem continuar mirando-se no exemplo das selvas, se querem debilmente deixarem o animal no corpo dominando esta fantastica dadiva de incrível complexidade e poder que ainda se encontra na forma indefesa de uma pequena criança, por certo, farão com que, algum dia no futuro, um não-humano perguntará: ” Onde estão os humanos que reinaram nos continentes, nos ares e nos mares?! E por certo, daqui para a frente, se continuar dominando esta tendencia, se os ricos das mãos invisíveis que controlam a organização social, a politica, a economia, do sistema social vigente seja aqui ou na China, continuarem cegados e paralisados por esta droga entorpecente, tudo nas nossas vidas vão piorar, cada vez mais, simplesmente porque este é um processo degenerativo.

A salvação estaria em destruir a fonte produtora desta droga. Tarefa difícil, pois mesmo conhecendo outras drogas palpáveis e visíveis que estão infernizando a vida humana, mesmo sabendo onde estão suas fontes, não as destruímos. Mas não o fizemos porque a maioria não se decide, não atua, não põe sua energia, para consumar o ato necessário final. Essa maioria deixa livremente uma minoria que está lucrando com isso, deitar e rolar a seu bel prazer.  É difícil, mas realizável, possível. E existe um simples recurso, que se acionado, pode fazer ruir como um castelo de areia, a fonte desta droga invisível. Basta inserir no método analógico reducionista usado nas Ciências da Natureza, a segunda fase na evolução do conhecimento, que é o método da visão de totalidades integradas por sub-sistemas naturais, o pensamento sistêmico, uma nova forma de interpretar o mundo. Própria do intimo que vem nesse bebê inquieto que floresce em nossas cabeças, pois ele vem com informações alem desta natureza, acima deste Universo, ele tem a tendencia e capacidade de ver as coisas em totalidades, vendo de cima, estando fora deles. Trata-se de dar chance a que a auto-consciência se afirme, abra seus próprios olhos, se expresse, e assuma as rédeas dos nossos corpos.

Temos pela primeira vez na história da Humanidade a gravura do que é um sistema natural completo, perfeito, funcional. Todos que tentaram antes lutar contra a mentalidade dominante reducionista acenando com a realidade sistêmica nada conseguiram porque nunca tiveram em mãos esta gravura. Nada tinham de convincente para respaldar seus argumentos. Mas agora temos! O conhecimento das coisas naturais formando arquiteturas sistêmicas elimina aquela visão de mundo substituindo-a por outra, atendendo as necessidades maiores do ser auto-consciente. A mão invisível que sustenta este sistema social animalesco cai, porque a fôrça que a produziu e ainda a sustenta, cai. Nosso destino está em nossas mãos. Está em nosso poder de decisão produzir no futuro um descendente nosso que imediatamente responda àquele ser que no futuro fez aquela pergunta sarcástica: – “Onde estão os humanos? Ora, o planeta mudou, e as necessidades deles evoluíram, portanto o planeta não mais oferecia as condições de vida que precisavam. Estão agora muito distantes, na sua longa aventura de conquista do Cosmos!”

O conhecimento sobre sistemas naturais ainda é quase nulo, está engatinhando como o está a auto-consciência. Vemos no texto do professor Negri, que houve uma tímida tentativa de se elaborar uma teoria geral dos sistemas para iniciar-se a organizar sua Ciência, como Sir Bacon fez com o método reducionista. Mas o pioneiro autor da teoria, Bertalanffy, que a colocou num livro de grosso volume, rodeou o tema sem nada apresentar de substancial, porque ele não conhecia na verdade o que é um sistema natural. Sem substancia, o que deveria tratar de sistemas naturais foi oportunisticamente sequestrado pela Física e Matemática, que sempre dominaram e pretendem dominar o conhecimento, e com isso a transformaram em estudos dos sistemas cibernéticos, automatizados, mecanicistas, computacionais. Assim diz o professor: ” Uma consequência do conhecimento sobre sistemas é que o “novo mundo” não se refere mais a pessoas, mas sim a “sistemas”. O ser humano, “o objeto falível”, se torna um item de consumo que pode ser facilmente substituído, e deve ser eliminado e substituído por máquinas que ele mesmo criou ou se tornar um ser idiota treinado para uma única coisa (um ser “super especializado”). O indivíduo não passar a ser nada mais do que uma “roda dentada” do grande sistema, regido por alguns “líderes” que só se preocupam com o próprio sistema.” Está certo o professor, mas a culpa não é da visão sistêmica naturalista e sim do sequestro dela pela visão mecanicista. Ponha-se a Física e a Matemática para descrever e interpretar o corpo humano, que ela vai dizer tudo da composição e movimentos do esqueleto, muito pouco da parte carnal e nada da psique. Por isso nossas ciências ainda não foi capaz de perceber a camada de cobertura biológica desta galaxia. A qual também deve estar presente no Universo como totalidade. Este tipo de conhecimento que o professor descreve está limitado ao que a Fisica mal percebe, que é a meia face dos sistemas naturais, a face de sistema perfeito e mecânico, fechado em si mesmo. Este sistema cria uma identidade própria que o dirige, esta identidade estaria na cabeça dos lideres. As partes do sistema, que seriam os humanos e todos os bens e maquinaria, seriam mentalmente condicionados a acreditarem que são altruístas, sustentando e defendendo um sistema egoísta. Mas isso é utopia irrealizável porque tal sistema tem vida curta, a natureza não o aceita. Apenas uma vez na História Natural Universal a matéria conseguiu se organizar neste tipo de sistema, aproveitando que a consciência ainda estava sonhando, ainda nas formas de mórula e blástula. Foi quando se formaram as galaxias originais. Mas logo a evolução a condenou e descartou, a entropia a atacou, ela se desfaz em fragmentos, cai nas superfícies de planetas, como a Terra, de onde ela se levanta para percorrer novo e diferente caminho, na forma de vida terrestre. Desconhecedores da História Natural querem repetir aquele pecado original de nosso ancestral, querem se conduzirem e levar-nos juntos ao Admirável Mundo Novo de Huxley governado pelo Grande Irmão. As abelhas e formigas já realizaram também essa façanha com seus sistemas sociais. Mas nas galáxias, nas abelhas e nas formigas a consciência ainda não havia despertado. Ela ainda não abriu seus olhos nos humanos. Mas ela vem de cima, seu poder é tal que ela já está conhecendo sua história na sua fase intra-uterina. Eu tenho esperança nela. Ela não permitirá que o êrro se repita onde ela está se despertando. O conhecimento sobre sistemas tem que se referir sim, a pessoas, pois as pessoas são o ápice da evolução dos sistemas. Que conhecimento de sistemas é esse que ignora o mais complexo e evoluído sistema existente? Como disse o grande Vaclav Havel, ex-presidente da Checoslováquia: “Hoje avançamos nossas ciências ao ponto de termos reduzido todas as partes do corpo humano a suas mais elementares partículas. Sabemos tudo dos átomos que constituem as células, muito das células que constituem os órgãos. No entanto as doenças mortais tradicionais continua incólumes, matando-nos. Isto é porque não conhecemos como é o corpo humano enquanto sistema.”

Na visão de mundo sistêmica da Matrix/DNA, se podem ver vários capítulos intitulados: ” Hipocampo: Montando o Cérebro pela Fórmula Matricial dos Sistemas Naturais”. Ou,  “Pituitária: Montando o Cérebro pela Fórmula Matricial dos Sistemas Naturais”.  E assim tem um capitulo para cada elemento constituinte do cérebro. Primeiro estamos levantando tudo o que o método reducionista num árduo trabalho conseguiu conhecer das partes. Em seguida, estaremos conectando estas partes e então teremos o cérebro como sistema. E o corpo inteiro.  O professor Negri desconhece nosso trabalho. Se ele tem se interessado pelo conhecimento de sistemas, basta ver sua formação para entender o motivo: Ciência da Computação. Saiu fora da realidade dos sistemas naturais, inconscientemente. Desde a aprendizagem nas escolas primárias. Porque o embrião de auto-consciência que trago comigo foi por outro caminho, mantendo o interesse nos sistemas naturais aponto de desenhar mesmo que teóricamente, a sua anatomia? Uma diferença entre eu e o professor é que minha universidade de sete anos foi a selva, a natureza bruta, ainda virgem, intocada. Essa natureza já antes descartou as mais poderosas espécies de alguns gêneros, para retornar a evolução em espécie menores, ainda dóceis às suas fôrças. Tambem não me admirarei se ela descartar os humanos e retornar aos macacos da selva. Você decide enquanto há tempo.   

XXXXXXXXXXX

Síntese – Teoria Geral dos Sistemas

http://www.infoescola.com/filosofia/sintese-teoria-geral-dos-sistemas/

Lucas Hermann Negri – Ciência da Computação – Udesc

Conceitos extraídos da obra, relacionados a este tema:

Organismos vivos são tomados como sistemas abertos, pois interagem com o ambiente, enquanto a física e outros campos exatos tratam de sistemas fechados.

O método clássico era adequado para resolução de problemas que podiam ser isolados e calculados separadamente, porém não serve para processos que incluem interações, exigindo um novo pensamento matemático.

O homem não é somente um pequeno “animal político”, mas sim um indivíduo que merece sua importância.

Uma consequência do conhecimento sobre sistemas é que o “novo mundo” não se refere mais a pessoas, mas sim a “sistemas”. O ser humano, “o objeto falível”, se torna um item de consumo que pode ser facilmente substituído, e deve ser eliminado e substituído por máquinas que ele mesmo criou ou se tornar um ser idiota treinado para uma única coisa (um ser “super especializado”). O indivíduo não passar a ser nada mais do que uma “roda dentada” do grande sistema, regido por alguns “líderes” que só se preocupam com o próprio sistema.

A concepção mecanicista, mesmo tomada na forma moderna e generalizada de um autômato de Turing, falha ao tratar de regulações subsequentes a perturbações arbitrárias, como também ao tratar de números imensos.

Na concepção organimística da biologia, é necessário estudar todo o sistema, e não somente as partes isoladas, sistema esse resultante da interação dinâmica das partes. Se as partes fossem estudadas separadamente, iam se obter outros resultados.

A formulação de uma teoria geral dos sistemas poderia fornecer modelos a serem usados em vários campos, economizando tempo e trabalho, aumentando o progresso nos campos.

Não se deve pensar que, por exemplo, pela teoria geral dos sistemas os países são organismos superiores, e as pessoas são apenas células insignificantes. Esse pensamento está errado e leva a analogias sem significação.

Existem áreas, como a genética e a economia, que são de alta complexidade, e formular uma teoria completa é uma tarefa muito difícil, e devemos nos contentar com uma “explicação em princípio”.

Propósitos da teoria geral dos sistemas

Pontos de vistas semelhantes surgiram em várias disciplinas da ciência, como também problemas que não são entendíveis se analisar apenas as partes isoladas. Essa correspondência é muito importante e indica uma mudança na atitude da física, que passa a tentar achar uma teoria geral que sirva para todas as áreas da ciência, tentando encontrar uma teoria exata nos campos não físicos da ciência.
Estas considerações levam ao postulado de uma nova disciplina, chamada de “Teoria Geral dos Sistemas”, que deixa menos vago o conceito de “totalidade”.

Sistemas fechados e abertos: limitações da física convencional

A física convencional só trata de sistemas fechados, que são aqueles que estão isolados do seu ambiente. Porém, normalmente esses sistemas que só são estudados em casos isolados nunca aparecem separados do meio, mas sim interagindo com outros sistemas. Somente nos últimos anos que a física passou a englobar alguns casos de sistemas abertos.
Existe um grande contraste entre a natureza animada e a natureza inanimada, no ponto de vista da física convencional. O próprio metabolismo humano é um grande paradoxo, como também o princípio da eqüifinalidade. Ao pegar o ponto de vista dos sistemas generalizados, muitas das supostas violações, paradoxos e contradições da física convencional desaparecem, e o conceito de sistema aberto pode ser aplicado à níveis não físicos.

A teoria geral dos sistemas e a unidade da ciência

A teoria geral dos sistemas tem como função integrar a ciência. Essa integração não tem como objetivo de reduzir tudo ao nível da física, mas sim na elaboração de leis que sirvam para todas as áreas.
A concepção humana de “desenvolvimento” está muito ligada ao desenvolvimento de novas tecnologias e inventos, que inclusive levaram a grandes catástrofes do nosso tempo. É possível que se tratarmos o mundo como uma grande organização, daremos mais importância aos seres vivos. Importância esta que quase perdemos nas últimas décadas.

Fusão de Cromossomas Entre Humanos e Chimpanzés e a Emergência da Auto-Consciência

sexta-feira, outubro 26th, 2012
Cromossoma humano 2 and seus análogos em outros primatas

Cromossoma humano 2 and seus análogos em outros primatas

Todos os outros primatas tem 24 cromossomas (gorilas (G), chimpanzés (C), orangotangos (O), etc.) mas a espécie humana(H) tem apenas 23. Considerando-se que a teoria da evolução esteja correta, esta sugere que a espécie humana tenha evoluído a partir de algum primata. Então porque perderia um cromossoma? A resposta veio quando se descobriu que o 23* cromossoma humano é justamente resultado da fusão entre os 23* e 24* cromossomas dos primatas. Como se pode observar no quadro acima.

Mas o que significaria essa fusão? O que teria provocado essa fusão? E o que dela de fato teria resultado?

Pensando nisso e observando a fórmula da Matrix/DNA me veio uma idéia que pode ser bem próxima da verdadeira resposta final. Trata-se de outra sugestão da fórmula, a de que todos os sistemas materiais, naturais, dêste Universo possuem uma face invisivel a nós, a qual seria justamente a Matrix feita de fótons ( que pode ser a aura aventada pelos orientais). Esta sugestão surgiu quando calculamos como teria sido o processo pelo qual o building block dos sistemas astronomicos teria se infiltrado na sôpa primordial terrestre e dirigido seus átomos a construir o primeiro sistema celular: ele veio na forma de um diagrama de software, fragmentado em seus bits-informação, manifestados na forma de fótons.   Daí a sugestão de que a evolução tem sido resultado da interação entre esta face material visível, que é o hardware, e a outra invisível, que é o software. Uma, que se encontra fixada na matéria, capta informações do meio ambiente que são tambem absorvidas pela outra que flutua livre e por isso pode incorpora-las e mutar, porem fazendo isso ela modela o hardware em busca de maior capacidade para obter mais informações… um continuo processo de retro-alimentação, feed-back.

Mas à medida que a evolução avança, o aspecto hardware vai sendo cada vez menos util, pois o Universo material tem um limite de informações, e o software passa a buscar informações na sua própria dimensão.  Isto significa que o sistema que estiver no tôpo da evolução – como é o caso aqui e agora do corpo humano – torna-se mais “etéreo”, mais software. Em outras palavras significa que o homem torna-se mais consciência e menos animalismo.

Então voltemos ao mistério da fusão. O software vem desde antes do Big Bang interagindo com o hardware através de alguma peça do hardware que é uma porta de entrada e saída para o software. Esta peça teria sido o cromossoma 24 nos primatas. Quando um evento novo forçou a fusão ( e suspeito que este evento tenha sido o agrupamento na caverna originando as famílias, emergindo as emoções, sentimentos, morais), o software passou a se expressar com mais fôrça. No dizer da religião antiga oriental,  “a alma dormia no átomo, sonhava nas galaxias, começou a acordar nos animais, e despertou no homem”. Então essa fusão teria sido uma ampliação do software/mente dentro do hardware, ou seja: se antes dormia numa unica peça, pela qual fracamente podia interagir com o organismo, e assim pouco contrôle tinha sôbre instintos, pernas, braços, órgãos sexuais, etc., – agora ela pode, com a fusão dos cromossomas, ou seja, com a fusão da peça “dela” com todas as demais peças do organismo, ter maior controle e poder se expressar com mais força, impondo sua vontade anímica sôbre a vontade material.

Faz sentido para ti? Para mim parece que a coisa tôda tem lógica e é muito importante. Sua importância vai desde entender melhor o que somos, até a descoberta de como tornar os computadores mais “inteligentes” , talvez até mesmo tendo mais visão do que seria um computador quântico com inteligencia artificial. Por isso vou levar mais essa pesquisa para frente. Vem comigo?

Obs: Posteriormente, dias atras, vi em algum artigo que em dado momento da evolução apareceu um canal no meio do corpo caloso entre os hemisférios direito e esquerdo do cérebro. Pois antes, nas especies mais simples, os dois hemisférios eram totalmente isolados devido a parede do corpo caloso. Este evento foi de fato uma “fusão” e preciso pesquisar mais isto.