Posts Tagged ‘Humor’

Humor ( negro) da MatrixLight/DNA

segunda-feira, março 21st, 2016

xxxx

Que pena! Ainda tem gente que acredita que um ser inteligente e poderoso criou essa absurda carnificina desumana. Tem gente que tambem idolatra a Natureza, a qual talvez seja responsável por essa carnificina sanguinária. Mas então, quem e’ o responsável? Apenas a MatrixLight/DNA tem uma explicação racional, logica, que elejo como a melhor. Estes porcos, e toda esta biosfera terrestre, e’ produto da face caótica da natureza, cujo caos foi produzido pela entropia atacando um ancestral nosso – porcos e humanos – que cometeu o grande erro de optar em ser um sistema fechado em si mesmo, cortando relações com tudo o mais no Universo. o que interrompeu sua própria evolução e foi a expressão máxima de egoismo. Esse antepassado chama-se ” galaxia”. Mas ao caos sucede a ordem, vamos endireitar isso aqui.

Humor na Matrix: Causos de um Filosofo e Cientista Maluco na Selva Amazonica

quinta-feira, novembro 26th, 2015

xxxx

As nossas paginas do Facebook se abrem com uma pergunta: ” Em que estas a pensar agora?” E ai mexem comigo porque a unica coisa que estou sendo na vida agora, fora do trabalho duro para ganhar o pao de cada dia… ( eu disse pammm-an-o e nao pau… maldito teclado que so fala ingles e nao tem acentos e as vezes nao auto-corrige as palavras o que pode fazer meus nao-leitores pensar que sou um pervertido) e’ ser, nas horas vagas, um pensador.

Entao vou comecar todo dia a escrever ali o que eu estava pensando agora e vou copiando os capitulos aqui para esconde-los aqui neste website onde ninguem vem e assim nao deixa-los no Facebook para passar vergonha. Entao vamos la:

1* Capitulo: A Anaconda Falante

Louis Charles Morelli – Nov-26-2015 · Newark · NJ

Em que eu estava pensando agora? Eu pensava que tenho uma impulsão irresistível para escrever as ideias e não tenho leitores, mas sempre quando escrevo imagino o que vai pensar o leitor imaginário que não esta’ lendo o que escrevo e então dei um nome ao meu leitor imaginário: não-leitor. Então sempre que eu disser “não-leitor” estarei me referindo a você que não esta’ lendo isso aqui. Mas quando não estou escrevendo as ideias da mais maluca cosmovisão que foi inventada neste planeta – que fala, por exemplo, que as galaxias tambem tem DNA, ou que esta’ acontecendo sexo no céu sempre que um vulcão pontudo de um pulsar esta apontado na direcao do buraco negro dentro de uma quasar e depositando ali cometas para gerar uma nova supernova – eu fico escrevendo as ideias dos ocorridos nos sete anos de selva amazônica sobre causos que ninguem vai acreditar.

Então me lembrei hoje do dia que estava caminhando, abrindo picada na floresta com facão, e senti o cansaco e vi de soslaio um tronco caído debaixo da sombra de uma arvore e resolvi dar uma paradinha. Desfivelei o romanxim ( uma especie de cesta de taquara para levar a lona da barraca e atrelar a mochila carregando tudo nas costa) e sentei no tronco dando uma bela espreguiçada enquanto já procurava o cigarro para dar uma bela fumada… quando senti o tronco se mexendo embaixo da minha bunda. Dei um pulo de dois metros enquanto via na ponta do tronco que se curvou vindo na minha direcao uma enorme cabeça da anaconda em quem eu tinha sentado. Imediatamente levei a mão a sub-metralhadora que sempre carregava prendida com alca no ombro e ao alcance imediato da mão, ia atirar, mas ai a anaconda abriu a boca e disse: ” Ai, cara, sentar de camarote e’ mais caro. Nada de sardinha enlatada, eu quero daquelas salsichas de Viena ou pate francês…” ( kikiki… mas uma vez peguei o meu não-leitor…) E que o não-leitor não volte aqui para não ler a seguir o próximo capitulo e continuar a contar aquele dia desastrado na selva…

2* Capitulo: O Suicídio Sem Querer, Querendo, Depois de Torturar um Al-Qaeda

Mas antes de entrar na selva e sentar na jiboia eu vinha pelo meio do Tapajós que e’ um rio tao grande que quando a gente olha para as margens vê apenas uma linha verde de cada lado. Depois de umas 5 horas navegando a partir da aldeia de Jacareacanga a gente vê umas serras e montanhas, que e’ o que os garimpeiros procuram mais, pois onde tem montanha deve ter ouro e pedras preciosas. Então fui virando a voadeira para as margens ( uma pequena canoa com motor), entrei num afluente tipo rua morta que logo se torna um igarapé (água rasa misturada com arvores e mato) e escolhendo um ponto para desembarcar peguei na corda para amarrar numa arvore mas antes de descer repeti o ritual de dar um tiro para cima e fazer se mover qualquer crocodilo ou onça pintada que tiver por ali te esperando para jantar.

Quando eu ia pular fora do barco senti um enorme estrondo no piso do barco e olhei vendo um furo redondo e a água ja entrando. Meu cérebro trabalhou rápido… ” porque?! porque um buraco na minha vida agora? de onde veio esse buraco?!”

Mas o cérebro rápido do James Bond da selva funcionou e percebi tudo: eu tinha dado o tiro para cima, mas tao em linha reta que a bala caminhou um quilometro, fez a curva e retornou quase entrando no cano do revolver. Por isso a policia técnica tem que tomar muito cuidado nos casos que parece certo ser suicídio porque as vezes o suicida não atira direto na cabeça e sim faz a bala dar um passeio de dois quilômetros e retornar na cabeça porque tem gente que sente orgasmo com isso. Vou explicar, inclusive porque minha cabeça ta cheia de buracos. Quando a bala cai ela vem na forma de meteorito incandescente carregada de energia e ao penetrar a cabeça ela da uma descarga tao gostosa que a gente sente um orgasmo como quem ta’ a caminho do Nirvana. So tem que se tomar algumas providencias como eu fiz: peguei o ultimo neurônio que me resta para manter a mente funcionando e o escondi no hipocampo porque este tem a forma de espiral onde a bala ricocheteia e não entra. Então dentro da minha cabeça um hipopótamo… digo, um hipocampo, e’ impenetrável.

Mas ai eu tava com o problema do buraco, tinha que tampa-lo para não afundar a canoa. O maior terror de um filosofo na selva e’ quando tem que descer na água daqueles igarapés para tirar galhos que se enroscam na hélice do motor e param a canoa. Um cabra macho como eu não tem medo dos grandes que são visíveis, você viu por exemplo no capitulo anterior como trato as cobras: sento nelas! Então os crocodilos de dez metros e as aranhas de meio quilo eu tiro de letra, o meu terror e’ o microscópico e invisível… candiru.

O candiru. E’ uma especie de linha fina gelatinosa e movente que não pode sentir a substancia da urina que já corre atras dela. E ai entra no canal de onde a urina saiu. E la dentro começa a comer tudo! Doi tanto que o cara fica louco a ponto de pegar um pau e bater forte no pau para ver se mata. Mas foi justamente o candiru que me levou a espetacular historia de hoje.

Pelos idos de 2002 eu cheguei na selva louco da vida porque tinham arrebentado minha escola de inglês em New York e matado vários queridos conhecidos meus que trabalhavam nas torres gêmeas, bem ali perto. Tao perto que o professor estava dizendo: ” Agora repitam comigo a palavra boballoo: buuuu… e todo mundo fez um buuuu tao alto que abafou o bum da primeira explosão. Mas assim revoltado e querendo pegar uns terroristas pelo saco eu achei um avião caído na selva, ainda soltando fumaça. Fui olhar direito e ainda tinha um cara vivo de perna quebrada e abriu a boca falando árabe. Chequei o avião e descobri que os terroristas tinham roubado mais aviões que a imprensa contou e um deles, covarde porque fugiu com o avião, caiu la na selva: o cara era um dos terroristas! Ah… agora a cobra ia fumar!

Logo meu instinto de cientista começou a trabalhar. Eu sempre sonhei em filmar o candiru entrando no canal e outros buracos para decifrar seus radares e reações e inventar uma maneira de proteger os nadadores involuntários de igarapés. Mas claro, teria que usar uma cobaia humana, que seria uma tortura horrível. Digna de um matador dos meus amigos. Fis um balãozinho de plastico, adaptei no bico um canudo fino, enchi o balão de urina e pus um fiozinho elétrico ligado a um controle remoto. Enfiei o balãozinho no anus do terrorista deixando a ponta do canudo para fora. Fiz ele tomar bastante mijo de macaco para ter vontade de urinar e o botei em pê no igarapé, pelado. Apertei o botão do controle remoto que explodiu o balãozinho que soltou a urina pelo canudo e botei as maquinas a frente e atras para filmar tudo. O trabalho final foi depois amplamente analisado pelos meus amigos cientistas em New York, a ponto de termos soluções geniais para evitar a entrada do candiru: rolhas tampando o anus e saquinho para a urina não sair na água. Os meus não-leitores não sabem o que estão perdendo ao não me lerem pois eu ensino muitos truques aqui que podem ser uteis um dia ( e ensino detalhes naturais muito inteligentes jamais descobertos por outros cientistas, como foi o caso de que uma bala de revolver pode imitar um meteorito). Útil como vai ser o causo do próximo capitulo. Ahhh… ia me esquecendo! O meu não-leitor não quer saber o que aconteceu com o terrorista por isso vou contar. Para ele sofrer mais e pagar caro o que ele me fez eu o deixei vivo e o soltei na selva. A ultima vez que o vi ele estava na fila de um posto de saúde do exercito. Perguntei ao enfermeiro o que ele queria e a resposta foi: ” Chiii, esse turco tem candiru pela frente e por traz, de maneira que já comeram metade do intestino e o pau, ele veio aqui e operamos cortando mais para dentro para ver se os bicho saiam, mas ele voltou pedindo nova cirurgia dizendo que continuam  comendo…” Se eu fosse os franceses agora em vez de descarregar bombas em cima deles eu descarregava um monte de candiru… Ahhh… e mais três avisos para meus não-leitores: “

1) Quando atirarem para cima, saiam debaixo;

2) Existem outros métodos para chegar ao Nirvana, como a meditação yoga. A vantagem e’ que os meditabundos não ficam com buracos na cabeça;

3) Para os que forem na selva, se for homem leve rolhas para atras e saquinhos plásticos com amarras para a frente, se for mulher, pode levar só rolhas.”

xxxx

3) Grande Ideia para Ficar Rico Rapido: Os Sapatos Magneticos

Louis Charles Morelli – 28 – Nov – 2015 · Newark · Editado ·

Em que estou a pensar agora? Tive uma ideia hoje para ficar rico rápido, vou dar ela de graça para os meus não-leitores, mas antes não vão ter que ler este longo trecho aqui.

Comecei pensando em como e’ grande a diferença entre o nosso mundo mental e o do pessoal da Matrix/DNA. Eles me mandaram de presente um par de sapatos e um par de meias, muito bonitos por sinal. Junto veio um bilhete: “Look for the solution to solve the puzzle with these socks and shoes. Cheers,”: Puzzle? Quebra-cabeças?!

Olhei as meias, eram diferentes, pois ambas eram iguais na forma. Geralmente as meias são bipolares, se uma e’ esquerdista, a outra tem que ser direitista, logo se vê na ponta do bico do pé. Aquelas não, eram exatamente iguais. Mas os sapatos estavam certos, la’ estava o esqu… glup… Pensando bem, e’ a maior idiotice dizer que um sapato antes de estar num pé, e’ direito ou esquerdo. Esquerdo em relacao a que, se o mundo e’ redondo? Qual o ponto de referencia, se a Terra gira, a galaxia se move? Bem, mas ai também não existe isso de pé direito ou esquerdo, ou que o coração ta’ do lado direito, etc.., mas vamos la’. Eu calcei as meias desconfiado, claro, pois tem algum pussi, digo, puzzle ali. Senti os pés dentro das meias, e nada. Botei os sapatos. Nada. Levantei, pisei firme, quando então tive uma leve impressão de sentir alguma coisa diferente nos dois pés, uma especie de coceirinha vibratória.

Tirei tudo rápido, olhei os sapatos de cabo a rabo, nada. Botei tudo de novo pisei firme, e agora, nada senti, Dei uns passos, nada. Me lembrei que ao trocar as meias mudei instintivamente a da esquerda para o pé direito. Então tirei tudo de novo e botei as meias como estava da primeira vez. Ia levantando quando vi na porta o meu vizinho estático me olhando. – ” Aconteceu alguma coisa?” – perguntei. -” “Eu e’ que quero saber. Passei a primeira vez aqui você estava levantando, passei a segunda, você estava levantando…porque este senta-levanta sem parar?” – “Ahhh, – sorri…- não e’ nada. Apenas mais uma das minhas experiencias cientificas.”

E novamente pisei firme e novamente… senti a sensação estranha da primeira vez. Ok, tem algo misterioso aqui. E o mistério não esta nos sapatos, esta nas meias, pois apenas estas foram trocadas. Sentei, arranquei as meias, fiquei meia hora revirando-as, não e’ possível, não tem nenhuma diferença. Liguei para os caras da Matrix/DNA e disse.

– ” Ok, vocês ganharam. Tem um puzzle nestas meias, eu nunca vou descobrir o que e’, faz favor agora de matar minha curiosidade, senão isto e’ presente de grego.” Ai me responderam:

– ” Nos descobrimos isso nas pesquisas sobre campos magnéticos e auto-consciência. Você sabe que o corpo humano tem um  campo eletro magnético, que e’ na forma de uma secção do DNA e portanto na forma da Matrix., certo?”

-” Bem eu não sei, mas conheço parte da sua teoria, se vocês tão falando…”

– ” Pois bem… Para baixo dos quadris e como extensão das duas kundalines… que chamam de duas hastes do DNA-aura, tem as pernas, certo? E estas extensões eletromagnéticas seguem as pernas, cada qual com um polo especifico. O da perna direita ‘e positivo, o da esquerda e’ o negativo. Estas suas pernas eletromagnéticas se ligam ao campo magnético da Terra, e pode alcançar o centro magnético se você não estiver usando estes calcados comuns, em cima de asfalto, etc. . Então nos demos um banho com magnetos polarizados nas duas meias, e os sapatos tem dentro da sola uma substancia especial que permite a livre passagem das suas extensões magnéticas e se inteirando com o centro terrestre. De maneira que se você botar a meia com polo positivo no pé direito e a outra no esquerdo, você sente uma coisa diferente, mais forte do que quando você esta descalço pisando a terra nua. Porque a interação e’ mais forte entende? Isto serve para lembrar aos modernos touros sentados da vida que não saem de cima do cimento ou asfalto por anos, não vão ao campo ou ao quintal descalços, o quanto estão perdendo em saúde. Talvez ate alguns teriam sido mais fortes para evitar um câncer, etc. Valeu?”

– “Huuummm… e o que tem a ver a auto-consciência com isso?”

-” Ora, auto-consciência e’ a identidade do seu corpo como sistema. Ela e’ uma substancia luminífera invisível que esta’ mais para electromagnetismo do que para carne e ossos. Quando você liga o seu tentáculo magnético que sai do pé direito ao centro magnético da Terra, o seu tentáculo passa pelo centro e retorna direto no seu pé esquerdo, fechando o circuito oval. Acontece que este circuito vai, pelas kundalines, ate o cérebro, a consciência, botando-as no pacote tambem. E quando você fechou o circuito com o planeta você botou este tambem dentro do pacote. Assim a identidade do sistema todo – corpo mais planeta – e’ sua consciência que assim consegue manter o perfeito equilíbrio saudável do corpo…”

To achando que este pessoal da Matrix/DNA esta’ querendo me deixar doido… Assim vão me mandar mais rápido empacotado para a cidade dos pés-juntos. Você viu a ultima pesquisa e o artigo que estão preparando agora? E’ sobre aquele outro doido do Nassim Haramein e sua turma de cientistas tao malucos quanto ele e o projeto que estão desenvolvendo, o Ressonance Project. So quero ver no que vai dar isso… Ahhh…. a ideia para ficar rico rápido? Tava me esquecendo. E’ o seguinte:

Não tem esse pessoal que ficou rico ai no outro dia vendendo no mundo inteiro aqueles tais de braceletes magnéticos que faziam as pessoas manterem o equilíbrio, etc.? Eu vi um amigo com aquilo no braço, mas já tirou, claro, percebeu que caiu numa fria… Agora não, os sapatos da Matrix/DNA são verdade, eles tem uma fina chapinha escondida dentro do solado que abre a interação do seu campo magnético com o da Terra. Ai vai a ideia: faca um sapato comum, com alguma pequena diferença qualquer, por exemplo, você sabe aquelas pintinhas redondas que os hindus colocam no meio dos dois olhos… pois bote uma pintinha daquela no bico dos sapatos. Pronto, e’ um sapato diferente que nunca ninguem pensou fazer igual. Bote um solado de plastico amarelo, que esta’ comum hoje, e pronto. Agora escreva um longo texto dizendo da descoberta dos maias e do filosofo chines Ai-Ching -you sobre campos magnéticos, os tentáculos umbilicais que saem dos pês humanos e interagem com o planeta, que e’ o segredo da saúde e do corpo atlético perfeito, mas isso só vai acontecer se você usar aqueles sapatos que tem um banho de substancias vladzolinicas…

E fácil ficar rico, e só botar a cabeça para funcionar. Mas fora do normal, como dizem os Americanos, ” think out off the box”, pense fora da caixa. Você vê, eu pensei diferente apenas cinco minutos e já descobri uma ideia nova. A coisa tem que funcionar pois os braceletes deixaram os caras de pau, ricos. Basta ter uma destas agencias de ” marketing digital”, que e’ o novo nome chic para ” piramide” e pronto, faça os sapatos rolarem na piramide como as garrafas do Monavie. Boa sorte! Quero ver muita gente andando na rua com sapatos com uma pintinha no bico… e pela ideia você so tem que pagar uma rodada de cerveja.

xxxx

 

Procure aqui seu cachorro…

domingo, novembro 23rd, 2014

… tente achar o cachorro vermelho no meio das arvores:

Não achou?… Mas não mesmo?!

Claro, eu tambem não…, pois ali não tem cachorro… ki ki ki ki… ( te peguei nessa…valeu para o domingo, pois a intençao era fazer você sonhar sentado aí tomando aquela beer…)

Um minuto para o Universo é 23.4 bilhões de vezes um minuto humano!

terça-feira, novembro 4th, 2014

Eu estava pensando no excelente artigo de Brian Koberlein sobre a confusão que dá na cabeça dos astronomos quando tentam entender e calcular as gigantescas dimensões do tempo na escala de galaxias e do Universo quando tive uma idéia e inventei a “Morelli Constant Universal Rate”. O numero é 23,4 billions. O meu post abaixo explica como isso funciona:

 

Louis Charles Morelli – postado em 04, November,2014
It’s not so hard to wrap your head around the immense time scales of the Universe if you know the Morelli Constant Universal Rate. The number is 23,4 billion.
I will explain: Since that this Universe is a kind of cosmic egg where is occurring a genetic process of reproduction of the unknown thing that produced this egg;… Since that Universal evolution is the evolution of a unique natural system that began at the Big Bang in shape of quantum vortexes, then became atoms, galaxies, cells, humans and now consciousness,… Since that ontogenesis recapitulates morphogenesis… ours lifelong of 80 years is proportional to the lifelong of the Universe…

It means that the universal embryo being nurtured here takes 13,7 billion years for getting consciousness, while human beings takes 7 months. Since that the process for consciousness is the same for humans and universes, it is enough multiplying 13,7 billions years by 12 months a year, for knowing how many months is the Universe old: 164,4 billions months.
Now you must divide it by 7 months, getting the number/ratio of 23,4 billions. What it means?
If you want to know what is one minute for the Universe, multiplies the human minute by 23,4 billions. If you want to know how the Universe feels when sitting at a bus stop waiting one hour for the bus, multiplies yours one ours by 23,4 billion times.
But… if you want to know how manny times the Universe becomes furious when listen to my calculations, multiply the irritation that you had here reading my post by ten trillion times….hehehe….

I got um grande problema

sexta-feira, setembro 19th, 2014

xxxx

Estes bichos estranhos apareceram no quintal da minha casa de praia, vindos do mar. Alguem tem idéia do que faço com eles? tumblr_mkzd6hyGq91qzft56o1_1280.jpg

Debochando da vaca

sexta-feira, setembro 19th, 2014

Então a vaca disse:

– ” Espelho, espelho meu,

se existe alguem mais feia que eu,

mostre-me agora!”

E veja o que ela viu…

Photo

tumblr_nagur1IKsy1qzt11wo1_1280.jpg

Humor do meu gôsto na Matrix/DNA

sexta-feira, janeiro 3rd, 2014

Louis Charles Morelli partilhou uma ligação através de NCSE: The National Center for Science Education.

Na selva eu me sentia como um desses aí na foto, o penultimo a esquerda. Mas aconteceria contigo tambem. A selva é o inferno verde, ela te fustiga, te tortura, te testa de todas as maneiras, sómente os fortes e machos assim como eu (pero,… no mucho), sobrevivem. Ela te fere com seus espinhos, te enche com veneno de insetos, te queima com o calor abrasante do trópico e te faz arder a pele com as picadas dos piuns e carapanãs. Depois te derruba com a malária.
Tanto és torturado, que os 15.000 anos de cultura da civilização que foi botada na sua cabeça se colapsa, se esvai, numa verdadeira lavagem cerebral. Começas a reagir como os animais, mais exatamente como um macaco(a),  mas não aquele engraçadinho que vês no zoológico, e sim o verdadeiro macaco assassino das selvas que foi nosso tataravõ. Mas é assim, com o cérebro vazio como um livro em branco a ser escrito,  recomeças uma nova aprendizagem da real Natureza, até parece que ressuscitas algumas propriedades do cérebro que os humanos perderam, como o radar do morcêgo, a antena da borboleta, a capacidade de prever terremotos dos macacos…
Pois como explicar que na selva fui ter a idéia da Matrix/DNA Theory? Ou como o Darwin, criado numa familia religiosa crente em Deus que fêz um homem já pronto nesta forma,  têve a idéia revolucionaria da “evolução”? Tanto é assim que logo ao voltar do meio da selva caí no garimpo de Serra Pelada, mas ao invés de entrar na corrida do ouro. comecei, para surpresa dos outros, a trabalhar para o social, e a primeira coisa que fiz foi fazer uma escola! Veja uma foto minha da época…kikiki…
Eu, logo quando retornei da selva, ensinando os alunos marmanjões em Serra Pelada…
Você não acredita na minha história quando retornei ao estágio semi-simio? Pois aí está uma foto do Darwin depois de 3 anos no inferno tropical e primitivo de Galápagos…
Foto: Você não acredita na minha história quando retornei ao estágio semi-simio? Pois aí está uma foto do Darwin depois de 3 anos no inferno tropical e primitivo de Galápagos...
E aí está a foto da minha namorada na selva, uma aborígene orangotanga, a dôce Marilyn. Ah… que saudades! Quantas noites ficamos fora da caverna admirando o céu mais límpido e estrelado do mundo, eu com a cabeça deitado no colo dela, ela catando piolhos na minha cabeleireira… Foi assim, devido a tanto romance e amor, que fui inspirado a montar uma nova teoria sobre estrelas e galaxias, projetando um estado de espirito amoroso sobre a definição de estrelas, ao invés da fria definição cientifica do “mera e horrenda fornalha nuclear.
Como esta definição numa das minhas frases: ” Estrelas são como mães atarefadas em amamentar seus rebentos planetinhas com seu néctar energético e protege-los debaixo de suas longas e aconchegantes asas gravitacionais!”
Lindo não? Me segurem senão eu volto para os braços da Marilyn…
…mas quando retornei da selva para a civilização fui direto para New York e aos poucos fui me civilizando de novo. Aqui está uma foto daquela época, no escritório montado para pesquisas da fórmula da Matrix…
Foto: ...mas quando retornei da selva para a civilização fui direto para New York e aos poucos fui me civilizando de novo. Aqui está uma foto daquela época, no escritório montado para pesquisas da fórmula da Matrix...
Aos poucos fui retornando à forma humana e recuperando a felicidade. E#sta foto é minha de 10 anos atrás…
Foto: Aos poucos fui retornando à forma humana e recuperando a felicidade. esta foto é minha de 10 anos atrás...
me civilizei tanto que até já peguei os vicios estéticos dessa civilização. Aqui botei uma peruca na minha Julia – para exibi-la passeando no Central Park
… mas vamos parar por hoje com essas intimas confissões da minha vida, que contei só prá você, e por favor, não vá contar para mais ninguem, hein! Para por um “the end” nesta história, vai minha ultima foto quando ainda engatinhava, lá pelos idos de mil novecentos e jota cristo…
Foto: ... mas vamos parar por hoje com essas intimas confissões da minha vida, que contei só prá você, e por favor, não vá contar para mais ninguem, hein!            Para por um "the end" nesta história, vai minha ultima foto quando ainda engatinhava, lá pelos idos de mil novecentos e jota cristo...

Corrida Humana na Busca da Primeira Lama: Nossa Paz Depende Mortalmente de Encontrá-la!

terça-feira, julho 10th, 2012

Esta piada faz parte do nosso assunto sôbre “visões do mundo”:

Um grupo de cientistas descobriu como criar vida. Êles decidiram que era tempo de dizer a Deus que êles não mais precisavam dêle e nomearam um cientista para fazer isso. No encontro, o cientista explicou sua descoberta a Deus e disse que Êle não seria mais necessário à espécie humana, que nos deixasse construir nosso próprio mundo, sua vida, segundo nossos interêsses. Deus ouviu em silêncio, sorriu, e então disse: “Okay, mas eu gostaria de assistir como você cria a vida, antes de deixá-los a seu próprio destino”. O cientista então veio abaixo buscar algumas coisas, e retornando mostrou uma colher com 50 gramas de lama para começar seu experimento, fazendo a primordial sôpa. Deus levantou sua mão e apontou seu dedo para a colher dizendo: ” Não, não, isso aí é meu, consiga sua própria lama, seus ingredientes” …

Moral da História:

Se não existe nenhum fato comprovado que sirva como alicerce para um ser humano dizer que existe um Deus poderoso, mágico, criador de todas as coisas, etc., tambem não existe um fato comprovado provando qualquer outra teoria, similar a esta ou negando esta. Nossa unica alternativa é ser agnósticos ( eu não sei mas vou procurar saber), continuar investindo na busca e expansão do conhecimento dos fatos e eventos naturais, chegar às fronteiras do Universo ( se existem), ultrapassa-las e tudo só terminará quando conhecer-mos realmente a primeira lama ( se houve uma).

xxx

Em Inglês:

Human Race in Search of the First Dirt: Our Peace Depends Deadly on to Find It!

This joke is related to our issue about world visions:

A group of scientist discovered how to create life. They decided it was time to tell God they no longer needed him (or her). One scientist was nominated to go tell God. At the meeting, the scientist explained their discovery to God and said that he was no longer needed by mankind. God said, “Okay, but I would like to see how you do it before leaving you on your own”. The scientist then bent down and scooped up a cup of dirt to begin the experiment. God wagged his finger at the scientist and said: “No, no, get your own dirt”

Moral of this story:
If there is no proven fact that serves as a foundation for a human being to say that there is a mighty God, magic, creator of all things, etc.., there is also no a proven fact proving any other theory, similar to this or deny this. Our only alternative is to be agnostic ( I don’t know, but I will search the knowledge), and continue investing in the pursuit and expansion of knowledge of natural facts and events, reaching the borders of the universe (if any), exceeds them and everything will end only when we truly know the first dirt (if there was one).

Humor Inteligente que Fêz até a Matrix Sorrir!Jazz Falador

sexta-feira, julho 6th, 2012

See this link:

Jazz Dispute

Encontrada a Causa Fundamental da Obesidade: A Partícula Higgs é quem “dá massa aos corpos” – Louis Morelli

quinta-feira, julho 5th, 2012

Famosa equipe de pesquisadores de medicina no Hoapital do Cern descobriu porque o Universo está engordando. E como todo homem tem o Universo dentro dêle…

Êles disseram que a partícula Higgs é o que dá à tôda matéria do Universo, tamanho e forma. Se foi essa partícula que deu o tamanho e a forma à matéria do corpo da Jennifer Lopes, eu quero comprar um monte destas partículas…

xxx Categoria: Humor da Matrix/DNA