Posts Tagged ‘jovem’

Mensagem da Matrix/DNA Aos Jovens da Terra

terça-feira, fevereiro 5th, 2013

Se alguem me tivesse dito na minha juventude o que vou passar aqui aos jovens agora, teria salvo a minha existência na Terra porque teria suprido com conteúdo, substancia, ideal, o meu estado consciente. Os jovens estão intimamente se culpando por estarem sendo individualmente inuteis para a sociedade, a familia, mas é justo essa inutilidade que está fazendo o jovem util para a Humanidade e êle não está percebendo isso. E essa inutilidade pode lhe prover os meios de satisfazer suas necessidades, basta êle apreciar compartilhar em rêde o tempo perdido nessa falsa “inutilidade”.

Para começar seria bom que assistissem um vídeo rápido ( link: http://www.cpflcultura.com.br/2009/12/01/integra-desafios-contemporaneos-o-trabalho-marcos-cavalcanti/) com o depoimento de uma menina, intitulado “Pro dia Nascer Feliz”. Keila da classe média baixa, aos 15 anos chegava da escola e começava seu tédio depressivo, ia para seu quarto ouvindo musica não querendo sair e pensando em suicidio. Ela não tinha motivação para participar do mundo material, via um futuro vazio e negro. Sua escola criou um franzine, convidou os estudantes a participarem, ela escreveu textos e poesias, e para sua surpresa houve repercussão, sua familia sempre  lhe foi negativista quando expressava seu consciente poético e escritor.  Ela ficou surpresa quando soube que conseguia fazer pessoas chorarem ao ler suas poesias. Mas então ela tinha alguma força, capaz de alcançar pessoas, influir no mundo externo?! Porem veio o fim do segundo grau, ela foi trabalhar numa fábrica dobrando calças para embalagem, acabou as escritas, passa horas na Internet observando, procurando não sabe o quê, agora ela pensa no suicidio novamente. A auto-consciência de Keila é como uma borboleta leve flutuando na escuridão, que não encontra um lugar sólido onde pousar e exercer sua existência.

Nós humanos estamos passando por uma frase de transição evolutiva muito profunda e imperceptivel, eliminando as ultimas amarras que nos aprisionaram nesta biosfera selvagem caótica e cortando o cordão umbilical com as heranças animalescas. Estamos começando a saltar fora da orbe terrestre e ganhando o espaço sideral, cada dia passando mais horas na nuvem da Internet, dando tempo cada vez mais ao eu mental que tratando das coisas relativas à existência do animal. Esta fase tem um problema resumido na frase de Nietzche: ” O ser humano é uma ponte: perigosa travessia.”

Fomos criados e modelados por uma biosfera que foi produzida pelo estado de caos e não pelo estado de ordem da Natureza que sentimos existir quando levantamos os olhos e vemos a harmonia eterna dos astros no céu. Fomos obrigados a erigir um sistema social que imitasse o sistema selvagem, baseado na competição pela sobrevivencia e na divisão entre prêsas e predadores. É esse face negativa do nosso mundo imediato, ambiental, imerso nas hipocrisias das gerações anteriores, que ainda rege o mundo moderno, que Keila inconscientemente não suporta. Não suportamos mais o modêlo herdado dos animais porque somos diferentes, somos humanos, em nós o cérebro sofreu uma mutação profunda a qual ainda não sabemos acausa e não entendemos.

Mas eu gostaria de pedir sua atenção nestas duas imagens:

Cérebro e Medula Espinhal

Cérebro e Medula Espinhal

Ovulo e Espermatozóide

Ovulo e Espermatozóide

Notas uma semelhança? Penso ver uma relação entre  a forma do atual estado evolutivo do cérebro humano onde está sendo gerada uma recém-formada auto-consciência  com a forma de um momento da fecundação que gera um corpo humano. O ser humano tem o cérebro na forma oval com uma cauda como extensão, chamada medula espinhal. É exatamente a imagem de um óvulo com a cauda de um espermatozóide para fora. É a imagem de um processo de fecundação e criação de uma nova criatura. A criatura que êsse cérebro está gerando chama-se “auto-consciência”, a qual apareceu a apenas alguns minutos em relação à idade do Universo e é ainda tão embrionaria que nem sequer abriu seus olhos para ver seu próprio corpo mental. Essa “auto-consciência” é o novo “eu” mais desperto próprio destas ultimas gerações de humanos. Já não se é mais material como o mundo que nos rodeia. Mas o mental está ainda aprisionado, algemado, dentro da dimensão do seu ovo, da cabeça humana: nem mesmo consegue se comunicar com seus iguais, seus irmãos gêmeos, que estão dentro de outras sete bilhões de cabeça. Sentimos que nossa mente parece ser maior que nossa cabeça, que o eu consciente está fora da cabeça, mas nossa mente não consegue dar um passo sózinha.  O sentimento de solidão e impotência é total. Imagino a nossa auto-consciência no estado desta imagem:

Mente em Formação Ligada ao Cérebro

Mente em Formação Ligada ao Cérebro

Está acontecendo agora no cérebro de uma pessoa já feita, o mesmo que aconteceu nos 4 ou 5 mêses da sua gestação embrionária com os seus genes que faziam ainda a forma do feto. Naquela época havia um grupo de genes muito infelizes. Eram os genes superiores, não os que fazem pés, barrigas, mas os que fazem o sistema nervoso, a visão, o hipocampo, os órgãos sexuais definitivos, os seios nas meninas e a barba nos meninos. Os chamados genes retrógrados, que só podem entrar em ação depois que todos os genes de espécies inferiores montaram a infra-estrutura. Agora quem está ainda na fila de espera para entrar em ação são os genes dêsse novo sistema muitissimo complexo que é a mente, depois que os inferiores ( nas formas animais) terminarem a construção do cérebro. Keila é um gene superior na fila de espera e é essa espera que ela não está suportando.

Haveria alguma ocupação para Keila agora que a faria suportar com alegria essa espera? O “eu” de Keila é sua dimensão auto-consciente. Como essa mente poderia se desalgemar, como se libertar  da prisão mesmo que seja apenas abrindo uma janela na caixa-cela para visualizar e viver a sua mesma dimensão no mundo exterior ? Como preencher êste tempo de espera sendo um pouco feliz se tiver a certeza de que se é util?

Ora, a solução está clara. Ajudar os genes inferiores a terminarem seu trabalho o mais rápido possível. E estudar, treinar-se a si mesma junto com os outros genes superiores para desempenhar sua missão que está por vir, com maior facilidade. Mas os genes inferiores não podem evoluir o cérebro se tiverem a maior parte do seu usado numa fábrica ou outra ocupação bestializante rotineira, e a outra parte do tempo ocupados com misticismos, futebol e novela. O intelecto dêles não está puxando a formação estrutural final do cérebro da espécie. Precisa-se mudar suas ocupações. Torna-los mais tecnológicos para produzirem mais em muito menor tempo, por exemplo. Ao ajudar os genes inferiores, êstes aumentam sua produção, a qual aumenta o valor monetário, cujo aumenta retorna beneficiando Keila. Se Keila estiver bastante motivada a estudar e se treinar, ela estará mais bem informada em algumas áreas que os seus iguais, então ela poderá compartilhar seu cohecimento, o qual vai influir na produção aumentando-a ainda mais, o que retorna ainda mais para Keila. E a maioria dessas atividades Keila pode fazer parte dela apenas na “malhação física” e outra parte sendo “a pseudo- inutil compartilhadora de conhecimento util na Internet”. Porque o novo mundo que estamos entrando é o mundo mental, é o inicio da abertura dos canais de comunicação numa nova dimensão mental, comunicação não-oral, não possivel de ser transmitida pela boca, pois é comunicação direta mente-a-mente, transmitida por sinais que têm de atravessar as paredes de nossa cela craniana e se infiltrar nas paredes das celas onde estão aprisionados os nossos semelhantes, e isso só é possivel se a nossa emissão for lançada no ar, na nuvem,… da Internet.

Os velhos cientistas estão debatendo um tema novo. O que foi que deflagrou o Big Bang? Já não é mais época de questionar se houve ou não o Big Bang. As evidencias comprovadas se acumularam, não dá mais para duvidar disso. Porem os velhos cientistas não mudaram os velhos métodos reducionistas e a crença de que a pespectiva da Física e da Matemática deveria interpretar o Big Bang. Essa pespectiva os tem conduzido a uma unica idéia: o criador do Universo, o estopim do Big Bang, foi um microscópico e super denso simples átomo. Pura Física calculada pela Matemática.

Mas as ultimas gerações tem que vir com intuições ao nivel mais complexo exigido dos que constroem fases, formas, mais evoluidas da auto-consciencia. Estas intuições os fazem notar coisas tão simples que passaram despercebidas às gerações anteriores, como a de que o formato do cérebro com sua cauda extensão do sistema nervoso é à imagem e semelhança de um óvulo sendo fecundado por um espermatozóide.  Parece uma percepção simples, mas não é: ela muda a essencia do Big Bang. Essa intuição leva à uma seguinte descoberta: a de que o nosso próprio corpo teve como instante inicial tambem um grande explosão, que foi o subito rompimento do invólucro espermático no centro do óvulo. Ora, o Universo não é mágico e o jovem de hoje sabe que Deus, ou seja lá qual o nome de algum criador, não iria transgredir Suas próprias leis naturais com mágicas. O Universo não pode criar novas informações do nada. Êle só sabe fazer novos sistemas pelo mesmo processo que êle foi feito. E o processo pelo qual nosso corpo foi feito foi o de um óvulo sendo penetrado por um espermatozóide. Isso é confirmado porque estamos vendo ser o mesmo processo pelo qual 6ele está criando o novo sistema mental. Então êsse processo muda a velha interpretação Física e Matemática do Big Bang. Antes do instante inicial do nosso corpo havia uma fonte, a que transmitiu as forças e as instruções para nossa criação: a espécie humana. Haviam nossos pais. Então antes do instante inicial do Universo não havia um microscópico átomo. Se aqui está sendo gerado uma auto-consci6encia, se existem genes para isso, é porque o sistema que está gravido gerando o Universo, é tambem auto-consciente. O Big Bang não foi uma explosão do criador, assim como o nosso big bang não foi a explosão de nossos pais. Então êste Universo é uma espécie de ôvo cósmico, onde está ocorrendo um processo de reprodução genética. Mas não é uma reprodução qualquer. O embrião aqui está tomando a forma de auto-consciencia, uma nova substancia que emerge de relampagos nas sinapses elétricas está se consolidando como uma espécie de plasma luminosos. Aqui tem genes para construirem mentes, bebês na forma mental. Então o Universo não é apenas um ovo, é uma espécie de cérebro. E a ultima foto do Cosmos enviada pelo ôlho espacial que está se aprofundando no espaço sideral deixou todo mundo aqui embasbacado: a imagem do Universo, com suas galaxias de braços espirais, é exatamente a imagem do cérebro humano, com seus neuronios e extensões axiais. Aleluia!

O jovem não tem porque se entristecer, se julgar inutil, impotente. Êle tem mais é que vibrar, comemorar, seu destino é sublime, grandioso, e isso, mesmo estando sem fazer nada. Cada gene é um pacote unico de informações, de maneira que se um unico gene não cumprir sua missão, o bebê nasceria aleijado. E claro está que uma inteligencia superior à nossa, que está aguardando o nascimento dêste bebê, tomaria todas as providencias para que todos os genes cumpram suas missões a contento.  Mesmo que Keila se suicidasse agora, ela nunca poderá evitar, estar presente dentro do corpo que ela está pré-determinada a construir, ela não terá como recusar o convite de festejar o dia do Big Birth.

Estamos saindo da Era Industrial e entrando na Era do Conhecimento. Claro, conhecimento é a substancia e o alimento, é a placente com os elementos nutritivos que estará como reserva alimentar para o novo embrião se alimentar enquanto não abrir seus próprios olhos. Mas conhecimento do que? A que tipo de busca de conhecimento devemos nos dirigir? Ora, tambem a solução aqui é muito facil. O bebê que vai nascer no Big Birth não é a auto-consciência da existencial individual de um ser humano. É a auto-consciência do todo, do Universo, é o Universo que vai se despertar para o fato que é, e existe. É êle mesmo se auto-projetando, transformando seu corpo material nas informações que são os tijolinhos do seu corpo mental. Éstes tijolinhos são informações de cada minimo detalhe de seu corpo material. Então agora sabemos que tipo de conhecimento devemos buscar: conhecer cada detalhe da Natureza, e a Natureza é o Cosmos. O método para essa busca por enquanto mais apropriado continua sendo o mesmo: o método cientifico. “Se queres conhecer a Mim; se queres entender como penso; procure observar e entender a Minha Obra, pois é através da obra que se revela o caráter do Artista”. E qual a obra que temos aqui e agora, perceptivel aos nossos sentidos, senão a Natureza, ampliada ao nivel do Universo?

A tecnologia é produto da descoberta de mecanismos e processos da Natureza, os quais são imitados com novos materiais e adaptados às condições e dimensões humanas. Isto significa que quanto mais souber-mos da Natureza, mais poderosa será a nossa tecnologia, ou seja, a tecnologia disponivel para os genes terminarem mais rapido suas construções da infra-estrutura. Será então assim, observando cada detalhe, aprendendo e colhendo os dados que vão sendo descobertos, e passando-os na rêde para serem fisgados pelos genes que estaremos sendo uteis. E existem muitas maneiras de começar a fazer isto agora sem nenhum recurso adicional. Vou explicar porque. A vacina contra a paralisisa foi descoberta por um unico pesquisador, que fêz tudo e o fêz porque não era um assunto tão complexo. Mas o Projeto Genoma exigiu um exército de pesquisadores do mundo todo, cada um contribuindo com seu quinhão. E o conhecimento do genoma revelou que as milhares de doenças que ainda não são curadas, não são produzidas por um unico gene, mas por sistemas, seja o inteiro DNA, seja o corpo humano, ou seja inclusive a radiação do sistema solar.  As novas tecnologias envolvem tanta complexidade de sistemas que ninguem pode ter todas as informações, estas são lançadas na rede, realimentadas, para serem fisgadas por todos.  A maioria dos novos planetas e fenomenos cósmicos estão sendo descobertos por amadores observadores dentro de suas casas com pequenos instrumentos. Todos estão buscando informações na Wikipedia que tem textos sendo escritos até por indios, pois existem informações nas quais êles são os experts. O Google vale duzentos milhões de dolares, exatamente o valor da Petrobras mais o valor da Vale do Rio Doce juntos, mas o Google não vende uma agulha, apenas compartilha conhecimento, cedendo-o gratuitamente. E assim como o Google não precisa ter máquinas, caminhões, você tambem, jovem, não precisa nada disso.

Aplicando o método da anatomia comparada entre sistemas naturais e observando os sistemas na selva amazônica, eu teorizei uma fórmula que seria exatamente a unica coisa necessaria para uma inteligência organizar a matéria em sistemas e fazer o Universo com tudo que ele contem hoje. Faz 30 anos que estou testando essa fórmula e ela emerge como a fôrma para tudo o que conheço na Natureza.  Acontece que a formula é o calculo de como seria o DNA se, ao invés de ser apenas o nosso biológico, êle fosse um DNA de todos os sistemas do Universo, de átomos a galáxias. Êle os faria como faz os corpos dos seres vivos. Denominei a fórmula de Matrix/DNA Universal, mas como sou cético e desconfiado, continuo a pensar que é apenas um modêlo teórico, por enquanto.  Quando penso que antes do meu Big Bang haviam meus pais e me fizeram apenas lançando uma fórmula, justamente o DNA, me pergunto: “Porque a face universal do DNA, a Matrix, não seria o DNA de Deus, a Sua fórmula que gera universos como êste?”

Acontece que os modêlos da Matrix/DNA estão quase me fazendo “pirar”, pois à toda hora leio a ultima pesquisa cientifica, ou observo mais um detalhe da Natureza, informando que ainda se desconhece alguns de seus mecanismos, e basta bater os olhos nos modêlos e ver e ver êstes mecanismos. Eles sugerem como foi que a Natureza resolveu seus problemas. Assim, no meu website já se acumula ao milhares as areas de pesquisas abertas precisando de trabalho urgente, simples trabalhos como o de pesquisar na Wikipedia como funciona o ciclo do nitrogênio na Terra,por exemplo. Qualquer dos meus genes semelhantes pode participar destas pesquisas enquanto está na Internet colhendo informações relacionadas aos assuntos que estão sendo pesquisados, e espalhar essa  informação para todos envolvidos na pesquisa. Qualquer pessoa que conhecer a f;ormula vai sempre vê-la em novos detalhes da natureza que ainda não vimos e vai sentir a vontade de ampliar o conhecimento sôbre o detalhe. Sugestôes de curas para a a maioria das grandes doenças, por uma nova abordagem nunca tentada antes, estão paradas em algum ponto porque não tenho tempo de procurar informações, as quais estão na nuvem.  O que estamos descobrindo não está sendo transmitido aos  pesquisadores dos laboratórios e estudantes. É preciso compartilhar informações, isto acelera o processo evolutivo da Humanidade, e o feed-back funciona, os beneficios retornam a todos, a todos recompensando.

Mas como cheguei à Matrix/DNA, se minha juventude foi perdida, exatamente como a da Keila? Eu tambem chegava da escola e pior, sendo órfão, vivendo em casas de outros, tinha que ficar parado, manietado. O futuro cada vez se tornava mais negro. E veio o diploma escolar, veio a primeira fábrica, aí sentí que iria perder minha mente, o mundo ficou insuportável. Tão insuportavel que fugí dêle para viver sózinho com os bichos no meio da selva amazônica. Mas havia uma pequena diferença entre eu e Keila. Eu era um rato de biblioteca, lia inclusive livros pesados de universitarios estudando geologia, quimica, física, etc,. e devorava-os para ageuntar o “ficar parado sendo visto como inutil”. Eu não sabia para que estudava aquilo, certo era que nunca iria utilizar nada daquele conhecimento inutil, mas aquilo funcionava como uma droga, uma valvula de escape, eu me esquecia que estava nêste absurdo mundo material e ficava viajando no meio de palavras como demoglobina, gene cprk, mercado da concorrencia perfeita, a monada de Leibniz, o arquétipo de Platão, e os raio a quatro. Ah… se naquela época eu tivesse um computador, a Internet… Quando caí na selva tive que conhecer cada detalhe dela se quisesse sobreviver, porem eu já conhecia quase tudo de suas constituições microscópicas, atômicas… Vendo a mesma Natureza bruta que os índios veêm, mas com aquelas informações sofisticadas na mente, eu refletia de uma maneira nova, e assim me apareceu a Matrix/DNA pela primeira vez. Uma coisa aprendí de fato: não existe conhecimento inutil se êste conhecimento é sôbre a Natureza. A formação da nossa mente depende de um cérebro completado e êste é feito com informações e conecxões neuroniais projetadas a partir do estado da Natureza.

Mesmo que a fórmula da Matrix/DNA seja comprovada estar parcialmente errada ou que não existe na realidade, estou através dela cada vez mais consolidando uma imagem da personalidade, de como pensa, o Artista invisivel que esculpiu essa Natureza. Venha conosco ficando aí mesmo ou se deslocando. cada vez iremos mais nos aproximando e unidos num sistema social onde ser util é apenas empregar o potencial mental, dar-lhe vida, libertando-o. E assim que serás mais util e assim que nos encontraremos um dia na maior festa de todos os tempos, na comemoração do nosso Big Birth. Nós vamos nascer para a luz, para a dimensão da auto-consciência, para o mundo do Artista, e Êle vai estar lá!

Viver ou juntar dinheiro? Mas…o humano é só corpo carnal? E a mente? Deixa-la morrer cêdo ou acelerá-la?

sexta-feira, outubro 12th, 2012

O texto nêste jornal é muito importante para a educação jovem. Mas acho que êle desvia o jovem do cuidado com sua existência tital, por isso incluí minha opinião copiada do que publiquei no Facebook do têxto:

Opinião dêste autor:

Êste “gastador” está aconselhando os jovens contra o “economizador”. Óbvio que a sabedoria está no meio-têrmo e esta, por exemplo, sugere não dar seu suado dinheiro de graça para parasitas que vendem “etiquetas na moda, caras”. Mas lembre-se que   êste aconselhador está falando apenas da vida do corpo biológico e nada sôbre o intelectual. Se alguem não alimentar o cérebro com informações sôbre a Natureza e a Humanidade e não exercitá-lo enquanto é jovem, o intelecto morre aos 40. Não mais será possível ressuscita-lo. A maioria dos idosos se apresentam como zombies inativos, enquanto poucos conservam a energia fantastica até a morte, proporcionada por uma mente sedenta de saber e motivada por um ideal, um sonho, muito maior do que se pode realizar: fazer a diferença, tentar inovar aprimorando algum detalhe de algum problema que esteja torturando sua geração. É melhor um velho pobre mas com essa exuberancia de vida que um rico morto prematuramente, ao menos é o que penso. Menos trabalho egoísta e consumismo, dedique um tempo a ler o que a Ciência sabe e está descobrindo na Natureza que é universal –  pois ela é a melhor mestra e nela estão as soluções que farão seus herdeiros cantarem seu sucesso ao invés de chorarem seu fracasso.( E aproveitando para vender meu peixe, dê uma olhada no meu website para entender o que é ser um velho pobre mas super ocupado com milhões de coisas a realizar. Porem sempre lembrando que todos os idosos erram e ninguem sabe quase nada, analise meu conselho com  pensamento critico e escolha o caminho de seu coração)♡

Nesta Confissão de Fracasso dos Adultos aos Jovens Americanos, Tem Algo Errado. Que Será?

segunda-feira, maio 28th, 2012

Como bandeirante aventureiro na selva, aprendí a respeitar a dar a devida importancia aos guias. Êles vão na frente abrindo picadas com o facão na vegetação espêssa e por isso os que mais correm o risco de pisar numa cobra ou cair numa areia movediça. Têm suas vantagens, quando acham uma pedra preciosa ou sentem a um filête de cascalho rico em ouro, mas merecem ficar com o prêmio. Assim, como brasileiro sempre respeitei o bravo e pioneiro povo americano, seja arriscando a vida no espaço sideral, como cobaias dos experimentos cientificos que podem resultar em danos explosivos, ou mesmo lutando nas selvas do Vietnã por seus ideais, corretos ou não. O fato é que a situação em que se encontra a América em dado momento, sempre deve ser observada com atenção por países como o Brasil, pois é o retrato do que será o país dentro de 50 anos, se seguir fielmente o guia. Para quê pisar numa cobra que o guia já pisou?

Pois agora vemos uma confissão surpreendente atualizada da geração adulta americana que precisamos notar, pois o guia está afundando na areia movediça à nossa frente, ensinou-nos o caminho a não fazer, e como bons irmãos do sul, temos que tentar ajuda-lo a se salvar. A confissão está no seguinte artigo:

The Most Honest Commencement Speech You’ll Never Hear

By Lisa Bloom – Posted: 05/23/2012 3:07 pm

Huff Post – College

http://www.huffingtonpost.com/lisa-bloom/realistic-commencement-speech_b_1540218.html

Se tiver tempo, ou alguma boa alma vier aqui nos ajudar, farei a tradução e a deixarei aqui. Algo muito notável é esta frase:

“Young Americans, that you are slated to be the first group in American history to be less educated than your parents is our fault, not yours.”

“Jovens Americanos, que vocês sejam criticados asperamente de ser o primeiro grupo na História da América menos educado do que seus pais é nossa falha, não sua.”

Mas isso acho que nunca aconteceu em nenhum outro país, em nenhuma época da História: que a geração subsequente tenha nivel educacional inferior à geração antecedente? Mesmo nos pós-guerras, houve evolução do conhecimento, das ciências, a geração subsequente pode ter sido mais sacrificada para obter seus diplomas, mas eram diplomas mais substanciais.

Mas de fato isto aconteceu. Uma geração pode ter um curriculum escolar com mais informações do conhecimento, porem se não completa o estudo do conteúdo total, e ao contrário, estuda um conteudo ainda menor que a geração anterior, fatalmente terá menor conhecimento. E como isso acontece? Devido um desnível entre o estado economico das universidades e o estado economico dos estudantes. E como isso acontece? Pelo funilamento do capital.

Em outras palavras: injusta, predatória, desigual distribuição das riquezas do país. Os curriculuns universitários nunca deixaram de evoluir, no sentido de que evolução significa acréscimo de complexidade, de informações de qualidade sôbre o mundo. Num caso de crise economica, ou de guerra, essa evolução pode se tornar mais lenta. E a evolução do conhecimento sempre resulta em acréscimo de poder para o ser humano em relação ao mundo. Êsse acréscimo de poder resulta em aumento da riqueza, diminuição da escassez. Seja acelerada ou mais lenta, não importa, a riqueza da nação sempre aumenta. Então onde foi parar o acréscimo da riqueza e porque aumentou o nivel de escassez para os jovens americanos?

Todos sabemos a resposta, pois ela está nas manchetes todos os dias pintada e caricaturada pelos movimentos derivados do Occupy Wall Street, exigindo regulamento de lei para as operações financeiras e mudança no sistema que permite a emergencia de grandes monopólios ou corporações. No Brasil assim como no México ou na Argentina estamos assistindo êsse funilamento agora nos sete anos das vacas gôrdas quando vemos no noticiário as figuras de bilionários que ascendem à lista dos maiores. Cabe aos jovens de hoje, brasileiros, mexicanos, argentinos, a escolha entre a passividade de ver estes monstros crescerem agora e depois, dentro de 50 anos, quando já não mais fôr possível conter os monstros, estar na mesma situação que a juventude americana está hoje, ou assumir com coragem e energia o lugar do guia que está na areia movediça para se guiarem a si próprios por um novo caminho.

A geração americana atual conta com um poder tecnológico muito maior que a geração de seus pais. Isto trás um poder incalculavel. O avanço na robótica, por exemplo, já era para ser suficiente para substituir o ser humano no trabalho rotineiro bestializado por automatismo, em muitas horas diarias, deixando-os com mais tempo livre para assimilar o total conteúdo do curriculum universitário. E porque esta evolução não está acontecendo? Ora, os monstros estão estabelecidos em sistemas que ruiriam se isto acontecer. É no que dá ser irresponsavel no cuidado com um presente que a Natureza, ou mesmo um Deus, nos dá gratuitamente, por não lhe dar-mos seu devido valor, e deixar que os abutres que sabem seu valor se apoderem dêle. Depois será tarde demais. Não aprendam com o guia, e a areia movediça os espera.

Aqui vamos abrir uma lista para atitudes claras e praticas aqui e agora do que cada jovem pode fazer, participar. Podes discutir a lista, podes até sugerir uma mudança e ser aceita, ou escôljha em não participar nem iniciar nada dos ítens aqui, não vamos ditar-lhe o que é certo ou errado. Mas vamos observar os que em nada ajudam agora, para que depois façam parte do outro país, o outro território, a outra sociedade, que não a nossa, pois não poderemos suportar sua presença em nosso meio.

1) Não pode ter um tostão privado envolvido em campanhas eleitorais. Todos os tipos de campanhas, propagandas, etc., feitas hoje serão proibidas e punidas severamente, com excessão de uma: todos os candidatos se farão conhecer e aos seus projetos num tempo pré-determinado no radio e televisão fornecidos e pagos pelo govêrno. Todos os candidatos fornecerão préviamente o montante de seu patrimonio e o gov6erno permitirá um numero igual de candidatos para cada nivel de montante patrimonial.

Obs.: se não entendestres o porque deste item, leia e releia os reclames dos movimentos atuais nos USA e na Europa.

2) Poste-se com um cartaz afora de toda instituição financeira privada, como bancos, seguradoras, etc.,  com os seguintes dizeres: “Êste banco é privado. O principio de todo cancer em tôda nação. Não entre aí! Não aceite fazer nenhum negócio com eles. Dirija-se a uma instituição financeira que pertença ao povo.” E inicie a ação em sua cidade para ser criado o banco, a seguradora, etc., da sua cidade, onde todos os cidadãos sejam sócios por igual, para que dentro em breve em todas as cidades existam apenas três instituições financeiras: O Banco do Brasil, o Banco do seu estado, e o banco da sua cidade. That’s it.

Vai dar algum resultado? Eu não me faço essa pergunta, não a ouço, e nem a discuto. Simplesmente cumpro minha obrigação para com minha consciência. That’s it.