Posts Tagged ‘Kepler Telescope’

Astronomia: Kepler Telescope descobre mais cinco exo-planets e a Matriz/DNA sobrevive

terça-feira, janeiro 5th, 2010

nasa-arte-sobre-exoplanetas.jpg 

Nesta semana o web-site da NASA (em  http://www.nasa.gov/mission_pages/kepler/news/kepler-5-exoplanets.html ) anuncia sob o titulo  NASA’s Kepler Space Telescope Discovers its First Five Exoplanets” que o telescópio Kepler detectou 5 desconhecidos corpos astronômicos “maiores e mais quentes que Jupiter”.

 

Por um momento meu coração veio à bôca pois pareceu claro que havia chegado o momento de pôr meus 30 anos de trabalho na Matriz/DNA no lixo e aposentar-me.

 Pois se houvesse 5 astros nestas condições em volta de uma estrela significaria que meus modelos estão todos errados e que a Teoria Nebular se fixaria como vitoriosa. Cinco Astros com elevado volume de massa (mesmo com pouco peso ou densidade), maior que um planeta como Jupiter, e com a elevada temperatura de 2.000 a 3.000 graus Fahrenheit, num só sistema estelar é praticamente impossivel segundo os modelos da Matriz/DNA pois o fluxo de massa e energia do circuito sistêmico não poderia se aglomerar num ponto unico. Considerando que a Matriz/DNA sugere um ciclo vital para os Astros, seria o mesmo que dizer que numa familia de sete ou mais  pessoas ( o casal e 5 ou mais filhos) existam 5 filhos adultos com a mesma idade de 22 anos…

(- – – – – – – – – – – – – -)

Mas…ufa!… de repente, duas linhas da noticia a mais lidas e…a Matriz se salvou! Os cinco Astros não foram descobertas em volta de uma unica estrela, mas sim em cinco sistemas estelares diferentes, dentre as 150.000 estrelas que o Kepler está observando. Agora ao invés de ameaçá-la, a Teoria da Matriz/DNA se coloca numa posição mais confortável e olha acusadora e inquiridora para a Teoria Nebular, pois esta sim, terá que fazer exercicios extras para explicar e encaixar estas descobertas em seus modelos. Segundo meus modelos, no céu existe a mesma regra que existe para as familias humanas, ou seja, se existe um filho não-gêmeo com 22 anos, os outros tem que ter pelo menos 9 meses de diferença.

(- – – – – – – – – – – – – – – – – -) 

Breve resumo da Notícia:

1)      Kepler foi desenhado para procurar e achar planetas do tamanho da Terra em zonas presumivelmente habitáveis de estrelas semelhantes ao Sol.2)      O Kepler tem alta sensibilidade para detectar tanto os pequenos quanto os grandes planetas, cujos instrumentos o capacitaram para descobrir estes planetas for a do nosso sistema estelar.3)      Diz Borucki, o chefe da equipe da missão Kepler: “ Estas observações contribuem para nosso entendimento de como os sistemas planetários se formam e evoluem desde os discos de gas e poeira que que dão forma tanto para as estrelas e seus planetas. Estas descobertas também mostram  que nossos  instrumentos cientificos ( para enfatizar o que ele disse em inglês: our science instrument) estão trabalhando muito bem. Indicações são de que Kepler vai cumprir todos seus objetivos científicos ( Kepler will meet all its science goals). 

                                (- – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – ) 

Nota da Teoria da Matriz/DNA:   

    . O destaque que dei à palavra “Science” duas vezes mencionadas acima por Borucki foi proposital para que entendam o que sinto. Pense bem: por que ele teria que lembrar que a Ciência está envolvida nisto, por duas vezes? Ele poderia simplesmente ter ditto que o Kepler está indo muito bem conforme planejado, os instrumentos técnicos trabalham perfeito e acredita que o plano que levou à sua construção será coroado de êxito. Não precisava, em têrmos claros, em nenhuma vez lembrar que a Ciência está por tras disto. Então aqui vai minha suspeita: Ele tem medo que as muitas pessoas que são contra o gasto de dinheiro na pesquisa espacial, ao lerem tal noticia reinforce suas conjecturas se perguntando qual a utilidade disto e para que ficar sustentando estas pessoas que mais parecem estar brincando de aventuras nas estrelas. Pondo a palavra Ciência na noticia, enfatizando ela, ele desvia o pensamento ou ao menos o nascimento do pensamento sobre brincadeira para algo sério que ninguem tem coragem de contestar. Estou certo, errado, ou pode ser que sim, que não? Nem eu sei.

Mas este ponto é muito importante pois envolve muito dinheiro e de um certo modo, o destino da Humanidade. Por isso merece ser aqui melhor discutido. Eu não vejo como a Ciência está tão implicada nisto. Os instrumentos de observação acoplados ao Kepler são mais produtos da evolução da tecnologia “per se” do que por acréscimos de formulas, modelos teóricos, e teoremas matematicos advindos da Ciência. Os dados que serão obtidos por estes instrumentos sim, estes são dados que se tornam apoderados pela Ciência os quais servem para a evolução da Ciencia ( raios, alguem precisa fazer urgentemente este trabalho: estudar a história de nossa evolução separando a tecnologia criada pela  Ciência da tecnologia surgida por acaso ou empiricamente desenvolvida por ela mesma). A busca do aumento da capacidade das lentes, por exemplo, acho que não envolveu Ciência e sim foi trabalho manual de teste e experimentos. O que você acha?

(- – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – -)

Eu vejo “Ciência”por tras destas noticia quando ele diz: “Estas observações contribuem para nosso entendimento de como os sistemas planetários se formam e evoluem desde os discos de gas e poeira que que dão forma tanto para as estrelas e seus planetas.” Pois bem: acontece que os cinco Astros observados e mais suas estrelas observadas não podem serem cientificamente denominados nem estrelas nem planetas de acordo com a classificação taxonomica dada pela Teoria Nebular. E não é cientifico dizer que os discos de gazes e poeiras dão as origens à planetas e estrelas. Pois é possivel que haja muito mais coisas importantes ( sem as quais não ocorreriam estas formações) nestes ambientes, coisas que ainda não conheçamos. Tais como os processos e mecanismos sugeridos pela Teoria da Matriz/DNA. Antes de finalizar vejamos algo mais constante no texto desta noticia:

         (- – – – – – – – – – – – – – – – – -)

4)      O Kepler procura por sinais de planetas através de medição mergulhando profundamente na luminosidade da estrela. Quando planetas atravessam em frente dela, ou orbitam suas estrelas como são vistas desde a Terra, eles periodicamente bloqueiam a luz da estrela. O tamanho do planeta pode ser derivado ou calculado tendo por base o tamanho do mergulho. A temperatura pode ser estimada desde as caracteristicas da estrela que o planeta orbita e desde o periodo orbital do planeta.

(- – – – – – – – – – – – – – – – – -)

Comentário Da Teoria da Matriz/DNA:

(- – – – – –  – – – – – – – -)

Portanto podemos ver o alto nivel hipotético e teórico que ainda envolve nossas interpretações, o que aconselha não se tirar daí ainda, conclusões. As medidas destes tão distantes astros não são como colocar o termometro embaixo do braço de um paciente –  e nem mesmo como enviar o termometro para próximo do astro: nossas noções de temperaturas, tamanhos, etc., são ainda meras conjecturas extraídas de calculos das manifestações e efeitos dos astros em suas redondezas. Ora, quando estudávamos os átomos a tempos atrás sem os atuais poderosos instrumentos cientificos,  apenas conjecturando do que víamos em suas redondezas, tínhamos e acreditamos por muito tempo aqueles  modelos teóricos de atomos que hoje sabemos estar longe da realidade. E quem acreditou piamente, quem fechou a mente naquela época en torno do modelo de atomo de Dalton, foi mal conselheiro de como aplicar as próximas pesquisas, o que não teria ocorrido se já houvesse e considerassem os modelos de Rutherford e Niehls Bohr ( para não falar dos novos modelos sugeridos pela quantica atual). Portanto, a afirmação de Borucki não é boa Ciencia, enquanto existem outros modelos alem da Teoria Nebular ( damos um desconto a ele porque a ele ainda não foi apresentado os Modelos da Matriz/DNA).   

5)      Lamçado em 06 de Março de 2009, a missão Kepler continuamente e simultaneamente observa mais de 150.000 estrelas. O instrumento cientifico do Kepler, o photometer, já tem medido centenas de possiveis sinais de planetas que estão sendo analizados.

 

6)      Enquanto muitos destes sinais são possiveis de serem algo mais do que planetas, tanto como pequenas estrelas orbitando estrelas maiores, observatorios baseados na Terra tem confirmado a existência dos cinco exoplanetas.

 

 

       7)      Disse Jon Morse, director da Astrophysics Division at NASA Headquarters in Washington: “ É gratificante ver as primeiras descobertas do Kepler emergindo desde a linha de montagem. Nós esperamos planetas do tamanho de Jupiter em órbitas curtas a serem os primeiros planetas que o Kepler poderia detectar. Trata-se apenas de uma questão de tempo antes que as observações do Kepler levem aos planetas menores com longos periodos de orbitas, chegando cada vez mais perto da descoberta do primeiro planeta analogo à Terra.” Nota da Teoria da Matriz/DNA:

Que Deus te ouça!… (ooops… que vacilada feia para um agnóstico!). Que seus sonhos, os quais são os mesmos meus, se realizem. Mas é tempo de lembrar de algo que venho insistindo a tempos:

Na Teoria da Evolução, tempos atras desenhou-se aquela arvore genealógica darwiniana que todos nós aprendemos na escola, e ali se presumia que dos répteis vieram logo a seguir os mamiferos. De uma espécie se pulava logo para outra. Hoje em dia existe uma lista de centenas de espécies que não cabem mais naquela classificação, pois umas tem tudo para parecer um  réptil porém tem muitas caracteristicas emergentes dos mamiferos, outros parecem mamiferos mas tem algumas coisas dos repteis. Isto mostra que a transformação foi muito lenta e detalhada, gerando muitas especies-elos que não se encaixam nas duas faixas e por isso talvez precise-se dar outros nomes a estas especies que não sejam répteis nem mamiferos.

 

A mesma coisa, segundo meus modelos teóricos,  terá que ocorrer com a classificação dos Astros pela Astronomia. Estes Astros descobertos por Kepler, realmente merecem ser chamados de planetas? Nos meus modelos aparecem mais próximos dos pulsares. Com uma lógica: as primeiras investidas do Kepler com tais instrumentos e suas capacidades limitadas ainda devem detectar Astros mais proeminentes como pulsares, por enquanto. Eles estão naquela faixa entre a F3 e a F6 no diagram do software da Matriz.

De fato, como diz Borukci, as descobertas de tantos novos tipos de Astros, com tantas novas possibilidades de periodos de orbitas, temperaturas, tamanhos. etc., são uteis para nos levar a um dia finalmente entender o quadro todo de como se originam os sistemas astronomicos. Só espero que as novas descobertas venham sempre mais a favor de meus modelos do que do modelo adversário… claro. Mas que o mérito esteja com a Verdade, e sómente com ela, pois está em jogo a saúde da Humanidade, a qual depende que ela se sintonize o mais possivel com a Natureza da qual ela depende mortalmente e que escolha os caminhos mais felizes na sua busca do conhecimento.