Posts Tagged ‘Liberalismo’

A Falacia da “Sociedade Livre” iniciada por Roger Williams

quinta-feira, maio 31st, 2018

xxxx

Fazer uma pesquisa sobre Roger Williams citado como pioneiro da ” American soul” e se nao me engano, do liberalismo.

Esta frase lembra – a quem ha’ muito tempo nao rele a Historia Antiga, qual era a crenca geral dentro das monarquias, e para minha tese em particular, e’ evidencia de que os instintos para predador e presa herdado pelos humanos na genetica dos animais irracionais, foi quem criou a cultura comum a todos os tipos de sistemas sociais, antigos e vigentes hoje. Obviamente o instinto predador nomeando os dominantes criou este falso elo entre reis e Deus, e o instinto para presa, vindo com o medo e respeito pelo poder invencivel do leao, tornou os suditos dos reis submissos a esta crenca:

“Williams would later take this foundation and build on it. He didn’t believe that the power of Kings truly came from God. Rather, political power derives from the people.”

Esta frase esta no link:

https://www.zerohedge.com/news/2018-05-31/how-roger-williams-started-free-society

How Roger Williams Started a Free Society )

Mas a frase seguinte ja mostra alguns defeitos no intelecto de Willians – segundo minha cosmovisao:

The point of government, to Williams, was to organize society for the best interests of individuals so they could pursue their own path, especially when it came to religion.

Os governos nao foram instituidos pelos individuos ( no sentido da populacao geral), mas sim por uma minoria de individuos dominantes, para manter e proteger seus territorios e controlar os seus capatazes-classe media, e a plebe. E a primeira mencao como efeito do governo apontada como sendo religiao esta’ errada, pois a primeira prioridade na analise social e’ a economia. Na dita “democracia” de hoje, os governos permitem a liberdade de religiao porque todas estao sob controle, nenhuma religiao tem sido a causa de revolucoes das presas, e alem disso, as religioes tem por dogma a crenca na obrigatoriedade de submissao `as ditas “autoridades”, que e’ a moda moderna derivada da antiga pregacao de que o poder dos reis sao delegados por Deus.

 

The point of government, to Williams, was to organize society for the best interests of individuals so they could pursue their own path, especially when it came to religion.

Liberalismo Clássico: Analise pela perspectiva de um despossuído

domingo, maio 27th, 2018

xxxx

https://en.wikipedia.org/wiki/Classical_liberalism

Despossuído e’ o individuo nasceu sem os recursos para a sobrevivência normais da maioria. O que cresceu na rua casa e pobreza, sem casa e família, e o autentico despossuído ainda nasceu com uma genética mais distante da genética do ancestral animal, que modelou uma psique sem as forças da competição ou acomodação pela sobrevivência, ou seja, sem os instintos para grande predador dos leões, dos médios predadores como lobos e hienas, e para presas como as ovelhas e gado em geral, e com isso assim tendente a rejeitar e combater todos os indícios de instintos animalescos nos humanos. instintos.

Liberalismo, comunismo, capitalismo, monarquia, etc., são para o despossuído palavras abstratas criadas por conveniência de ideologia e discurso, a serem evitadas e combatidas, pois desviam atenção e portanto as soluções dos fatos aqui e agora para o reino da imaginação, do pensamento abstrato. São palavras criados pelos dominantes para justamente desviar a atenção dos capatazes médios predadores e das presas dos seus privilégios sobre os fatos. Mas como e’ impossível iniciar qualquer tentativa de debate com seres humanos sem que eles de inicio mencionam estas palavras, mesmo que não se caia na sua armadilha e recuse-se definitivamente a aceitar e saber definição de tal palavra, o despossuído tem que tentar conhecer o contexto do raciocínio do orador sobre estes nomes. Portanto, aqui vai um inicio de estudo (pelo link acima do Wikipedia):

Classical liberalism is a political ideology and a branch of liberalism which advocates civil liberties under the rule of law with an emphasis on economic freedom. Closely related to economic liberalism, it developed in the early 19th century, building on ideas from the previous century as a response to urbanization and to the Industrial Revolution in Europe and the United States

Eu: Liberdades civis sob regras da lei com enfase na liberdade econômica. Bem, ate’ agora não disseram nada, continuam na abstração como prosseguimento do nome abstrato. Liberdades civis sem listar quais e constatar que funcionam igualmente para todos; regras da lei, sem especificar quem fez estas leis e leis em relacao a que tipo de sistema social; e liberdade econômica sem especificar como sera’ o ponto de partida dos competidores, como são e quais são os recursos iniciais iguais para todos, não tem qualquer significado.

Desenvolvido nos inícios do seculo 19 ( sim, estamos no Brasil e nao no latim romano, e’ 19 mesmo), como prosseguimento de visões dos seculos anteriores, predominantemente ruralista, feudal, mas como uma mutação para adaptação ao surgimento da urbanização e revolução industrial. Bem,… quem dominou durante o feudalismo foram os instintos a grandes predadores pelo meio da força armada bruta ocupando o mais vasto território possível, que recrutava dentre as presas os nascidos mais fortes que eram guindados a capatazes das presas.  Somente os grandes predadores podiam e constituíam mafias porque tinham tempo e recursos para reuniões entre si e evitavam as desvantagens de se confrontarem ( a tao cantada competição e’ para os que estão abaixo de nos, não entre nos), unindo forças para mutuamente defenderem seus territórios e posses. Portanto foram eles que planejaram e escreveram o “liberalismo clássico” quando tramaram como estender seu poder de território para o poder nas cidades, e dominar o lucro da industrialização. Para isso precisavam disciplinar os urbanos e com isso escreveram as leis. As cidades eram vistas como extensão de seus territórios e industrias, e como faziam com as industrias, delegando a administração a seus capatazes, era preciso criar este grupo delegado para aplicar as leis e administrar as cidades, os estados, com isso criaram os governos, ou seja, seus grupos administrativos executando suas ordens. Liberdades civis era uma maneira de maquiavelicamente iludir as presas de que não se tratava de escravagismo explicito e ao mesmo tempo uma forma de deixar os comportamentos da sua esfera no status social fora daquelas leis dirigidas `a plebe.

Vamos vendo que o instinto predador existe e domina, porque existe do outro lado o instinto de presa, evidenciado quando humanos se sujeitaram a entrarem de madrugada numa esteira de produção em serie tal como as robóticas ovelhas que passam o dia pastando e mais nada, e ali ficarem com cérebros imoveis ate o entardecer.

As regras das leis, ou leia-se, as constituições dos estados escritas pelos grandes predadores com intuito de proteger, manter os custos e ampliar as suas posses sugando as presas. Portanto não podia haver Liberdade econômica, já que o Estado começava totalmente viciados, um jogo de cartas marcadas, uma maratona onde alguns corredores se posicionavam em pontos de partida quilômetros a frente da maioria dos corredores. Mesmo considerando a inercia comum do gado, não daria para entender como os corredores posicionados atras podiam aceitar participar daquele jogo e sendo a maioria não partissem para cima dos grandes predadores, porem o simples fato de que poucos grandes predadores, mais um pouco maior de dominados médio-predadores armados, formavam uma mafia, enquanto a grande multidão da plebe super individualista e negligente não formava mafia para se defender e contra-atacar. Assim o planejamento do novo mundo aconteceu sem que a população de súditos tivessem qualquer conhecimento de que estava se desenvolvendo um plano para dirigir suas vidas.

Classical liberals believe that individuals are “egoistic, coldly calculating, essentially inert and atomistic”[9] and that society is no more than the sum of its individual members.

Sim, indivíduos ainda num estado evolutivo muito recente próximo dos ancestrais animais irracionais com o instinto para presas, são realmente assim ( apenas esqueceram de inserir nos “individuals”, eles próprios, pois o predador não e’ inerte a curto prazo). Mas ter por base esta constatação de um estagio provisório da evolução para justificar, manter e conservar o sistema social montado para lhes prover de privilégios, e’ a velha tática dos grandes predadores conservando seus domínios que vem da genética animal irracional. Trata-se de pintar a realidade do que e’ o humano hoje, e baseando-se neste quadro, planeja-se o tipo de governo que pode governar esse tipo de humano mantendo-o eternamente exatamente como ele e’. Se existe aqui já alguma noção de que coisas não podem ser eternizadas porque existe a evolução, rapidamente eles distorcem o conceito de evolução para acreditarem que ela se aplica a eles apenas e não `a rude e sem cérebro plebe. Assim, as regras da lei devem considerar essa necessidade dessa manutenção ao mesmo tempo que deixa uma brecha para as adequadas liberdades civis dos grandes predadores que ficam livres para mudaram-se – seja qual for o custo do ônus a cair sobre as presas – `a media que evolui seu progresso.

A cosmovisão da Matrix/NA sugere que não – a plebe não esta isenta da força da evolução – que somos 8 bilhões de unidades especificas de informação que são necessárias para o proposito da evolução. Assim, o grande meio universal caminha numa direcao enquanto estas sociedades humanas caminham desviadas ou em sentido oposto. Co o meio natural universal tem realmente a força, `a medida que o meio vai mudando pelo processo da evolução essas civilizações se tornam um cisco no seu caminho, e de alguma forma o cisco, a civilização, sera atropelada e destruída pela Natureza. E’ o que tem acontecido com todas as civilizações anteriores e seus mentores, os grandes predadores extintos com suas famílias.

Classical liberals agreed with Thomas Hobbes that government had been created by individuals to protect themselves from each other and that the purpose of government should be to minimize conflict between individuals that would otherwise arise in a state of nature. These beliefs were complemented by a belief that laborers could be best motivated by financial incentive. This belief led to the passage of the Poor Law Amendment Act 1834, which limited the provision of social assistance, based on the idea that markets are the mechanism that most efficiently leads to wealth. Adopting Thomas Robert Malthus‘s population theory, they saw poor urban conditions as inevitable, they believed population growth would outstrip food production and they regarded that consequence desirable because starvation would help limit population growth. They opposed any income or wealth redistribution, which they believed would be dissipated by the lowest orders.[11]

Esta afirmação de Hobbes e’ mentirosa, a teoria nunca foi aplicada na pratica em sistema social nenhum. Na pratica os governos foram criados não proteger os indivíduos uns contra cada outro, mas sim para proteger um grupo minoritário, seu poder e suas posses, que domina sobre a maioria. Todos os exércitos e policias foram criados pelos dominantes e são controlados de maneira que sempre se levantaram contra os 51% da população para defender a minoria no poder. Planejaram que conseguiriam maior produtividade de alguns trabalhadores dando-lhes uma propina sobre seus grandes lucros e para obrigar os trabalhadores a desejarem e buscarem avidamente esta propina extra era preciso criar neles motivos de necessidades de dinheiro, o que era diminuído pela assistência social. Sim, o comercio protegido pelas leis e livre pela moral sem-moral leva a mais riqueza dos proprietários estabelecidos. A constatação de Malthus e’ a afirmação do obvio que se observa no meio animal irracional. Mas como humanos – mesmo em relacao as presas – já possuem alguma evolução em relacao ao irracional absoluto, uma emergência de racionalidade, muitas seriam as soluções para evitar dentre humanos os efeitos dentre os irracionais. Quer dizer, se houvesse uma vontade de acordo com os desígnios evolutivos da natureza e não de acordo com o conservadorismo predador. Então para estes predadores era boa e desejável noticia que a fome diminui estas populações de humanos. O que significa que deve-se planejar os ciclos de aplicação deliberada de não fornecimento do alimento.

Tambem esta’ correta a observância de que a pura e simples distribuição da riqueza dentre a plebe seria um constante dissipar ate a exaustão de qualquer riqueza. Alias, os predadores são hábeis em descobrir na natureza as leis que lhe são vantajosas. Acontece que tanto no caso da super-população quando no caso da administração da economia, em relacao a uma especie que apresenta sinais emergentes do racional, a solução deve vir da própria natureza, já embutida no seu proposito evolucionário. E de fato esta’: a solução e’ o conhecimento do que ocorre com os animais em super-populações e do que ocorreu na historia da humanidade quando especies ou grupos dissiparam os recursos. Se isto funcionou com o predador recém-racional tem que funcionar com a presa recém-racional. Mas os predadores encobriram e esconderam estas lições dos olhos da plebe, quando lhes negou a instrução escolar e os encaminhou para dentro do ambiente artificial das fabricas sem ver a luz do sol e portanto sem descobrir mais elementos da natureza. Adiciona-se a isto o fato de cercear todo tipo de lazer ao escravo plebeu com excessao da posse do macho sobre sua fêmea, lazer este que carreou para si todas as energias suprimidas pela ausência dos outros lazeres. para a humanidade evoluir em sincronia com a evolução do resto da natureza e’ preciso que aqueles que subtraem energias de outrem e pode caminhar mais livre na frente e portanto vai sendo o primeiro a descobrir as novidades do ambiente, ao invés de ocultar estas novidades da caravana que vem atras deve informa-la. Nisto consiste o sistema educacional da sociedade. Os instintos irracionais herdados dos animais também vão sendo exorcizados pelo processo educacional, o qual deve vir junto com a folga econômica das necessidades básicas para se efetivar. Tudo isso e’ evitado pela estrategia de se opor a distribuição igualitária das rendas e riquezas. E cega-se ao fato que mesmo sendo sempre em menor numero, os gastos de cada individuo grande predador em supérfluos e’ uma dissipação considerável da produção humana. A meu ver, a concentração da renda e propriedades nas mãos de poucos grandes predadores dissipa tanto a economia global quanto a distribuição igualitária, porem, tem um resultado evolutivo pior. Façamos um rude e breve calculo:

Cada grande predador consome anualmente o dinheiro equivalente ao que consome 1.000 famílias de pobres. Calculando cada família de pobre como tendo 5 elementos, isto significa que cada grande predador consome igual a  5.000 pobres. Dividindo-se os 8 bilhões de habitantes do planeta por 5.000 pessoas, teríamos a metade do produto total da humanidade gasto por 1.600.000 indivíduos que constituem o 0,01%. Estes um milhão e seiscentos mil gastam a mesma quantia que os 7,99 bilhões restantes ( por favor, esqueçam as exceções, como por exemplo, o Bill Gates, ao contrario do Buffet, não veio da genética dos grandes predadores, e’ exceção). O que significa no presente estado da humanidade que esta tem a metade de sua riqueza dissipada, transformada em pó, lixo, valores imaginários supérfluos. Claro, não contamos aqui os gastos dos médios-predadores, porem isto não tem importam cia porque eles estão inseridos na metade contabilizada aos pobres.

Então no caso da concentração da renda verifica-se que o numero de pobres aumentou, em progressão geométrica, enquanto o numero dos bilionários também cresce, porem, em menor passo, numa progressão aritmética. Se houver igualitária distribuição supõe-se que o numero de pobres vai aumentar pelo mesmo motivo reprodutivo e mais ainda porque puxa ricos para o numero dos pobres. Mas esta suposição pode ser uma falacia. Dentre os pobres, as presas, existe na maioria um limite físico automático inserido na psique destes indivíduos, que e’ os limites das necessidades de luxuria supérflua mais o instinto de sobrevivência futura, ou de criacao dos filhos, que estimula uma poupança. Tudo depende da disponibilidade e ação de uma educação férrea, quase imposta, no sentido de exorcizar o instinto de presa liberando espaço na psique para a evolução intelectual. de qualquer forma, se esta teoria não funciona, o certo e’ que a concentração da renda nas mãos dos poucos grandes predadores e’ condenação certeira `a destruição do sistema social, como provam todas as outras quedas das civilizações anteriores que foram por esse caminho.

Bem, ai’ esta’ desenhado um escopo geral muito resumido da analise do despossuído, cada destas asserções podem ser desdobradas em fatos e exemplos num debate com liberalistas.

Um exemplo: Nota-se pela fala dos grandes predadores que eles tem uma tendencia a terem maior prazer que a plebe com as belezas e benesses da natureza, e com isso a preocupação a nível inconsciente com a questão ecológica, o que leva `a suspeita que a crescente onda de inserção da ecologia nas escolas seja perpetradas por eles. Porem, as madames do bilionário Up Town de New York concorrem ferozmente entre si para conseguirem uma bolsa da Birkin, da Herme’s francesa, a qual tem uma estrategia ou pela falta de artesãos capacitados em manter restrita produção, o que reprime o consumo e por isso alcança os exorbitantes preços de oito mil dólares ate’ 150 mil dólares (veja o livro ” Primates of Park Avenue”). Acontece que estas bolsas são confeccionadas com peles de animais, como crocodilos e calandros, um claro atentado contra a preservação ecológica. Isto ‘e demonstração de que o instinto insaciável do grande predador e’ o cavar de seu próprio tumulo, como aconteceu a corte de :Luis XV, que sabia que seus pescoços estavam indo para a guilhotina porem não paravam suas orgias palacianas explicando que ” sabemos o que nos ameaça porem o que vamos fazer, senão conseguíssemos conter nossos vícios?”