Posts Tagged ‘LUCA’

Origem do Primordial Ancestral (LUCA) da Vida Diversificada e a Complexidade do Proteoma

sábado, outubro 29th, 2016

xxxx

The proteomic complexity and rise of the primordial ancestor of diversified life

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3123224/

Published online 2011 May 25. doi:  10.1186/1471-2148-11-140

( Ler o artigo, depois traduzi-lo)

Background

The last universal common ancestor represents the primordial cellular organism from which diversified life was derived.

O ultimo universal comum ancestral representa o organismo celular primordial a partir do qual a diversificação da vida foi derivada.

LUCA: Cientistas desvendam genética e vida de Luca, “pai” de todos os seres vivos

quinta-feira, julho 28th, 2016

xxxx

Cientistas desvendam genética e vida de Luca, “pai” de todos os seres vivos

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/07/26/cientistas-desvendam-genetica-e-vida-de-luca-o-pai-de-todos-seres-vivos.htm

E isto vem do seguinte “paper”:

The physiology and habitat of the last universal common ancestor

http://www.nature.com/articles/nmicrobiol2016116

(Obs: O artigo ‘e proibido porem no fim tem os PDFs com links que podem ser copiados, inclusive um muito importante com as 355 proteinas de LUCA)

O mais antigo ancestral universal teria vivido em locais quentes e ricos em mineirais, como perto de vulcões submarinos

O mais antigo ancestral universal teria vivido em locais quentes e ricos em minerais, como perto de vulcões submarinos

O mais antigo ancestral universal teria vivido em locais quentes e ricos em minerais, como perto de vulcões submarinos ( para imagem aparecer no Google)

xxxxx

Meu comentário enviado ao artigo

Louis Morelli – Julho (07) – 28 – 2016

LUCA, o criador da vida na Terra era meio-vivo mas nunca existiu na superfície da Terra, pois ele contem a Terra – e este sistema astronomico galáctico que nos envolve por todos os lados e seu building block, sua unidades fundamental de informação, esta dentro do do nosso DNA, nanotecnolizado, como o par lateral de nucleotídeos. Quem quer ver a face de LUCA olhe meu avatar ao lado ou veja suas formulas no meu website.

E’ um grande ato de fé’ acreditar que em qualquer lugar deste planeta, átomos de carbono, separadamente, começaram a capturar e agregar outros átomos, de maneiras diferentes formando os 20 aminoacidos. Depois estes 20 aminoacidos se juntaram formando uma coisa só – uma proteína. Outro passo de magica. Enquanto isso, ao lado, outros átomos formavam nucleotídeos, e depois estes nucleotideos se juntaram formando o RNA… E depois RNA e proteínas se juntaram… ora, tenham a santa paciência!

xxxx

E outro comentario resposta:

Avatar de 030366030366 – ontem

Deus é divino em todas as suas criações; nada passa despercebido ao Seu olhar

Louis Morelli – Julho (07) – 30 – 2016

Ja vem alguem querendo usar a Ciencia como muleta para pregar sua metafisica, tal como estao fazendo outros metafisicos, denominados “ateus”. Passa sim, metade da Historia deste Universo tem passado longe dos olhos de alguma entidade sobrenatural que tivesse um minimo dos sentimentos virtuosos humanos. Todos os sistemas naturais – de atomos a glaxias a corpos humanos – quando gerados passam por duas fases da evolucao: a primeira, como ovos botado for a, depois vem a segunda, com ovos mantidos dentro e nutridos com protecao. A primeira fase ‘e caotica, reino dos horrores, e esta nova forma de sistema natural sendo gestada em nossas cabecas – a auto-consciencia – ainda e’ um embriao passando na primeira fase. Por isso estamos sujeitos aos horrores, como predadores, tragedias climaticas, acidentes, etc. Fique crendo no errado e nao lute virtuosamente para vencermos esta fase e talvez este embriao seja abortado para sempre, sem vida.

xxxxx

outro comentario enviado em 30/Julho; 

ospandrade745031714 – 2 dias atrás

Hummm… estes cientistas são muito bons……preciso correr e avisar aos meus amigos sobre este grande achado. Francamente…

Louis Charles Morelli – Julho(07) – 30 -2016

Esta a vida dos cientistas de fato, de quarda-po branco dentro dos laboratorios. Um enorme trabalhao, analizando gene por gene dentre milhares, e tendo como exemplos, varias especies, para tentar identificar e isolar os que surgiram primeiro na mais primordial forma de vida possivel. Antes de critica-los deves ir ao paper cientifico da Nature, onde podes inclusive fazer download destes 355 genes. Um grave erro que cometem, a meu ver, e’ permitir que aos fatos de laboratorio se imponham as opinioes, ideologias, teorias humanas, como fizeram estes cientistas. Imediatamente tentaram interpretar os fatos, mas levados pela visao de mundo reinante no meio academico – a qual certamente e’ temporaria e sera desbancada, como foram todas as outras anteriores – chegaram ao ponto que Oparin e depois Uller chegaram – a teoria do estado redutivo da terra primordial. Um planeta ainda sendo formado ao mesmo tempo gerando o complexissimo LUCA. Errado!

xxxx

O que os Virus tem a verem com Pulsares e Cometas? Herança Genética?

quarta-feira, dezembro 3rd, 2014

A visão de mundo, ou a “cosmovisão”, denominada Matrix/DNA é o estado do ser pensante, como filósofo naturalista, em que todo fenômeno natural detectado, observado, leva imediatamente às perguntas: “De onde a Natureza obteve a “idéia” para fazer isto e justamente aqui, agora?! Onde estavam as forças, os elementos, os mecanismos e processos, que foram usados aqui para construir este fenômeno, em toda a História da Evolução Natural, Universal, nos nossos sistemas ancestrais atômicos e astronomicos? Porque?”

Este estado de ser pensante é baseado na “crença” de que não existe e nunca existiu mágicas ao menos neste universo material alcançavel pelos sensores dos nossos cérebros, nem mágicas de alguma divindade não-natural, nem mágicas de acidentes por acasos absolutos. Se existem tais coisas, elas atuaram antes e fora deste Universo. O Universo, ou melhor, a Natureza Universal, não pode criar novas informações vindas do Nada, portanto, tudo o que existe aqui foi feito com informações presentes nas origens deste Universo. Existe uma longa cadeia ou fluxo de causas, efeitos, que se tornam causas de novos efeitos, sem interferencias sobrenaturais, na qual vão entrando informações que estavam no ar disponiveis assim como existem os genes retrógrados que só entram em atividade depois que um corpo tem formada certa arquitetura, ou na qual as informações originais se fundem, se misturam, criando sub-informações, no que é conhecido como “fuzzy logics”.

Então, todo novo detalhe natural observado tem que ser esmiuçado no confronto com a História da Evolução Universal, tem-se que buscar suas antecessoras até chegar no Big Bang, nas ondas de luz codificadoras que resultam dos desmanches dos ex-machines vortices quanticos – os quais já possuem em si as sete forças brutas naturais e as propriedades vitais. Os quais foram os primeiros “genes” dentro deste Universo. Assim, neste universo-ovo está ocorrendo um mero processo de reprodução genética do sistema ex-machine que deflagrou o Big Bang, e nós, humanos, observando os passos desse desenvolvimento genético pensamos estar vendo “evolução”.

Esta crença intuitiva que vem inata desde a infancia em certo tipo de configuração das conexões neuroniais dentro de um cérebro humano, e que conduz um ser humano a ser inevitavelmente um filósofo naturalista, agnóstico, pode ser uma crença longe da Verdade Ultima e pode estar parcialmente ou toda errada. Se for assim, todo o castelo da matrix/DNA ruirá por Terra quando algum fato natural devidamente comprovado, derruba-la totalmente. Sabendo disso, e não sendo o supremo objetivo do filósofo provar que sua cosmovisão é melhor, mas sim não ser enganado nem por sua teoria predileta e sua obra, a meta suprema de buscar e encontrar a Verdade – ou provar que não existe uma Verdade Ultima – o próprio filósofo busca cuidadosamente o fato mortal que tiraria sua cosmovisão de seu caminho.

Voltando agora com os pés no chão e para o assunto inspirador deste artigo, vamos trazer para cá esta imagem:

xxxxx

HIV

The human immunodeficiency virus (HIV) attacks the immune system (AIDS)

Isto aí são os virus da AIDS. De onde a Natureza obteve a idéia, os mecanismos, para fazer isto aqui?!Por que o faz, para que? Precisamos saber disto urgentemente, é uma questão de vida ou morte o maior conhecimento possivel destas criaturas, estas terroristas que ameaçam e torturam humanos até leva-los à morte. Penso que são nossos inimigos numero um, hoje. Meu sonho agora seria reunir recursos para ir à região do Rio Ébola com medidores “geiseres” porque a informação que tenho é que os virus vieram de morcegos. Então isto bate com a teoria da Matrix/DNA: deve ter caido algum fragmento de meteoro, de cometa, naquela região, que abriu uma cratera, que se tornou uma caverna que está sendo habitada por morcegos. Ali, no fundo daquela caverna, está o material que irradia emitindo sinais que penetram DNA’s de plantas ou animais fazendo expressar nestes DNA’s os genes que estão inertes na região do DNA-lixo, a qual é o registro de toda a história cosmológica antes das origens da vida, e cujos genes expressados e reunidos produzem os virus. Os morcegos seriam os originadores dos virus apenas de forma indireta. Mas se não for assim, senão tiver um meteórito por tras de cada virus na Terra, ainda assim a teoria continua de pé, pois ela diz que a Terra é bombardeada continuamente por bits-informações vindas da irradiações de astros, na forma de fótons ou outra particula elementar, os quais são informações que podem codificar moléculas viróticas.

Uma primeira olhada na imagem acima, passou-me a impressão que estava vendo o céu, alguma estranha galaxia com aqueles tipos de astros flutuando no espaço. A ausencia da gravidade espacial no meio liquido, e talvez a ação de sutis campos magnéticos destas criaturas biológicas seriam a causa dos astros-virus estarem mais próximos, mais amontodaos que os astros no céu. E isto me leva imediatamente ao modelo teórico cosmológico construído pela fórmula da Matrix/DNA. Neste modelo, pulsar é o nome que dei a astros na idade de planetas velhos locupletados fe gigantescos vulcões dos quais são emitidos lavas, magmas, que caem como bolotas chamejantes no espaço sideral, ou seja, os cometas nasciturnos que ainda não morreram por não terem atingido o seu alvo, o astro a ser fecundado. Daqui, deste passado, a Natureza tirou e evoluiu o mecanismo aplicado pelos virus. Desvendando suas origens, temos mais dados para nossa grande meta que é a de destruí-los antes que eles nos destruam. Os virus possuem aqueles “esporos” que atraem e são atraidos a certos receptores na superficie das células porque no Cosmos os vulcões são confeccionados para se conectarem à distancia com receptores no nucleo dos sistemas. Os virus expelem o material genético que está em seu nucleo central porque os vulcões ejetam o magma que vem do nucleo central dos astros. Estamos assistindo a nivel microscópico uma cena “fractal” de uma cena a nivel macrocósmico. Estamos assistindo aqui uma cena que é o futuro da cena do passado no Cosmos.  Nada de magicas nem de demonios criadores de virus para nos atormentar.

Que aconteça este fenomeno natural na Terra, é inevitavel. Faz parte das projeções de um corpo reprodutor para formar outro corpo que é sua reprodução. Sendo aqui o reprodutor este sistema astronomico que nos envolve e o corpo reproduzido os primeiros sistemas moleculares organicos. Mas isto não deve nos desanimar, devemos continuar a busca até o fim, desvendando cada vez mais o fenomeno a nivel cada vez mais microscópico, chegando ao nivel das forças naturais quase abstratas como são as força do magnetismo, nucleares fortes e fracas, etc. Deve existir uma maneira de ao menos desviar este fenomeno para longe de nossos corpos, ou tornar nossos corpos não-hospedeiros deste fenômeno. Afinal, até os virus podem se tornarem resistentes a forças que aplicamos neles e os aniquilamos antes. Tenho umas idéias para fazer isto, a nivel de identidade de sistemas, pois o sistema imunológico de defesa humano é uma reprodução da identidade circuital dos sistemas naturais.

Para se entender isto vamos trazer para cá, esta figura:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

O primeiro ser realmente vivo, completo, foi a primeira célula, formada com um núcleo e todas as organelas. Mas de onde a Natureza tirou a “idéia” para fazer uma célula biológica pela primeira vez? Simples evolução universal: o building block sos sistemas astronômicos se “projetou” por inteiro, reproduzindo-se, assim como temos um filho, nosso corpo se projeta por inteiro, se reproduzindo. Vamos esquecer por ora os motivos que causaram a grande mutação em termos de tamanho, substancias, etc. , o que está explicado em outro capitulo. O período de mais ou menos 3 bilhões de anos que durou essa reprodução – desde as primeiras formações de moléculas até chegar à célula final – foi a embriogênese de um novo rebento astronomico, em dimensões microscópicas.

O building block dos sistemas astronômicos tinha sua “matriz genética”, a qual evoluiu para a forma do DNA biológico. Mas essa matriz não era como o DNA, um composto especifico que fica dentro da célula que contem as informações do inteiro sistema celular; ela era o sistema inteiro, assim ela continha todas as informações do sistema. Ela era mais externa que interna.

Aqui dentre os sistemas biológicos, os filhos são em tudo muito semelhantes aos pais, porque o DNA é transmitido de geração a geração encerrado dentro de um pacotinho cromossômico, o que evita bruscas mutações. Mas os building blocks astronômicos se fragmentam em seus bits-informação ( que é toda sua matéria e energia degradada) e não são ejetados cerrados dentro de algum envoltório fechado e sim são espalhados no espaço e em tempos na escala astronômica. Quando tais bits que eram vizinhos próximos no sistema astronomico se encontram na superfície de um astro em boas condições de cultura, eles se juntam na mesma sequencia que estavam e, às vezes, um pequeno pacote de bits já apresenta uma quase vida. Foi isso que fez um único ancestral se diversificar nas milhares ou milhões de espécies biológicas.  Até que finalmente todos os pacotinhos se juntaram num só corpo, e assim surgiu o primeiro sistema biológico completo, a tal da primeira célula.

Bem,… vemos na figura acima do building block astronomico que pulsares e cometas ocupam as posições F4 e F5. Mais tarde F4 foi a função que criou o sistema reprodutor masculino, e F5 a função que criou o espermatozoide. Portanto, os dois ligados ao sistema reprodutivo.

Quando comecei a estudar mais detalhadamente os vírus porque a formula da Matrix/DNA vinha sugerindo novas explicações para tudo que existe em Biologia, e virus – devido seu poder maligno mortal – é algo muito importante para se buscar conhece-los melhor, um primeiro fator me chamou atenção: eles não podem se reproduzirem sozinhos, precisando para isso da maquinaria reprodutora existente dentro de um sistema celular. Mas no momento que penetram uma célula, passam a reproduzirem desvairadamente, como se essa fosse a suprema função de sua existência. Ora… isso era justamente o que faria F4 e F5 na formula da Matrix/DNA. Então surgiu a forte suspeita que virus são pacotinhos genéticos incompletos semeados na superfície da Terra correspondentes aos trechos que vão de F4 a F5, os quais, no building block astronomico são pulsares e cometas.

Um detalhe interessante da Matrix/DNA é que uma função sistêmica universal parece-se com um artista ou trabalhador que seu estilo especifico, unico, de fazer seu trabalho, seja em qualquer ambiente e quais materiais estiverem disponíveis. Cada função sempre modela o seu “corpo”, a sua ferramenta material, da mesma forma, variando apenas em detalhes que não são possíveis manter o modelo original devido muitas diferenças no novo ambiente. Sendo assim, os virus teriam que ter uma forma semelhante ao do pulsar, pois a mesma função, a mesma artista modelou os dois. E quando bato o olho agora numa figura do virus da Aids imediatamente me lembro da forma do pulsar feita na minha figura. Aquelas extensões que mais parecem crateras no corpo do virus imitam exatamente os vulcões dos pulsares. É mais um indicio ( claro, nada mais que mais um indicio apenas) de que a fórmula da Matrix/DNA pode de fato existir e que está – do jeito que a calculei – bem próxima da fórmula real. Por isso vamos manter este registro para engrossar esta longa busca de mais dados sobre virus e pulsares…

Me surge agora a idéia de que uma coisa urgente a fazer aqui é tentar desvendar porque o virus desativa o sistema imunológico de defesa. Este sistema é imitação do circuito inteiro da fórmula, o qual produz a identidade do sistema, o qual deve controlar e manter o sistema existente, como no caso da Matrix fechada, nada de fora pode entrar, o que significaria a morte do sistema. Parece até o caso quando um casal se morre por amores e atração mutua que se fecham num quarto e deixam o mundo acabar lá fora. De dentro do quarto só vai saindo filhos. A casa, o sistema familiar se desorganiza todo. Parece que isto acontece quando a parte masculina representada pelo virus se encontra com a parte feminina que é o nucleo celular. A função masculina reprodutiva é na célula, feita pela mitocôndria, mas de alguma maneira o virus tira a mitocôndria para escanteio. Mas isso será mais uma pesquisa para quando tiver tempo…

 

Afrodisiaco Larva/Fungo Seria Fluxo Sexual Pulsar/Estrela?

quarta-feira, janeiro 15th, 2014

Ophiocordyceps sinensis

Afrodisiaco fungo lagarta kira jari ou yakasumba

Ao tomar conhecimento da existencia desta estranha criatura, imediatamente me veio a mente a formula da Matrix/DNA, como a fonte que explica tudo. Fungo e’ um vegetal e lagarta e’ um animal. A diferenca entre os dois comecou nos seres unicelulares, quando o software da galaxia comecou a organizar atomos terrestres. Num processo a celula viva imitou o inteiro sistema galactico, no outro, a celula saiu a caminhar sem estar complete, faltando os cloroplastos que faz a fotossintese e que corresponde a F6, estrela. Sendo que F4 e’ na formula o elemento masculino e que emite F5 como um ramo sexual reprodutivo lateral, tenho deduzido que na celula animal foi misturado fotons desta funcao misturados com um pouco de fotons da funcao F6, o que resultou na mitochondria. Por outro lado, na formula da Matrix/DNA, F6 e’ predador de F4, e se pudesse agarrar o ramo lateral F5, tambem o faria de presa. Agora temos este fenomeno entre um vegetal que e’ predador de um animal, no sentido de paratisismo ( e’ predador porque se alimenta do cerebro do animal). Como o fungo e’ um vegetal muito primitivo, ele deve estar a procura de informacoes das funcoes a esquerda e a direita de onde mais se expressa seu circuito (F6), ou seja, de F4 e F7. E a lagarta como animal mais expressa justamente uma mistura F4+F5.

O fato e’ que estou sentindo o cheiro aqui de mais uma das bombasticas descobertas possibiltadas pela Matrix/DNA. Tenho que ver a fundo o que ‘e fungo, sua constituicao anatomica, ao mesmo tempo que esta lagarta. portanto fica aberto mais este capitulo para pesquisa.

Wikipedia – Ophiocordyceps sinensis is a fungus that parasitizes larvae of ghost moths and produces a fruiting body valued as an herbal remedy. The fungus germinates in the living larva, kills and mummifies it, and then the stalk-like fruiting body emerges from the corpse. It is known in English colloquially as caterpillar fungus, or by its more prominent foreign names (see below): yartsa gunbu or yatsa gunbu (Tibetan), or Dōng chóng xià cǎo (Chinese: 冬虫夏草; literally “winter worm, summer grass”).

The moths in which O. sinensis grows are ambiguously referred to as “ghost moth”, which identifies either a single species or the genus Thitarodes, and the species parasitized by O. sinensis may be one of several Thitarodes that live on the Tibetan Plateau (Tibet, Qinghai, West-Sichuan, SW-Gansu & NW Yunnan), and the Himalayas (India, Nepal, Bhutan).

O. sinensis is known in the West as a medicinal mushroom, and its use has a long history in Traditional Chinese medicine as well as Traditional Tibetan medicine.[2] The hand-collected fungus-caterpillar combination is valued by herbalists and as a status symbol;[3] it is used as an aphrodisiac and treatment for ailments such as fatigue and cancer, although such use is mainly based on traditional Chinese medicine and anecdote. Recent research however seems to indicate a variety of beneficial effects in animal testing, including increased physical endurance through heightened ATP production in rats ( continuar a ler)

A Formação Embrionária do Cérebro é Como Uma Sinfonia Em Três Movimentos… Que já Estava Escrita nas Estrêlas!

domingo, dezembro 29th, 2013

Imagine as origens de uma cidade como São Paulo. Ali chegam imigrantes de todas as partes, desde o Ceará, Bahia, Paraná, e também do Japão, da Itália, de Portugal, etc. No inicio todos estes povos fazem o mesmo modelo de casas já existentes no Brasil, a mesma cultura, a mesma alimentação, porque é pouca a variedade de materiais. Sómente depois, mais tarde, estas diferentes comunidades começam a trocar as casas por modelos de seus locais de origem, assim fazendo com alimentação, costumes, etc. Pois bem: é assim que se desenvolve o órgão mais importante do cérebro humano, o córtex central, centro do conhecimento, que define comportamentos, capacidades de percepção, assimilação, etc.  Pensávamos que – como acontece com o resto do corpo e mesmo com as outras áreas do cérebro – o neocortex estaria formado, finalizado, já no nascimento. Mas não! Cientistas descobriram que o neocortex tem uma segunda fase de formação que tem inicio na adolescência do individuo, quando entra em ação genes que praticamente separam o todo em regiões e ajudam a especialização de cada região para execução de diferentes tarefas, um processo que continua na fase adulta. 

É muito importante aos pais conhecerem esta informação para entenderem o que acontece na cabeça de seus filhos e assim saberem qual a época certa para ensinar isto ou aquilo. E muito curioso. Observe, por exemplo, como o desenvolvimento embrionário de um único cérebro humano imita fielmente a história da formação e desenvolvimento do cérebro biológico da espécie humana. No inicio desta História, e segundo a moderna teoria evolucionista, existia apenas um grupo de humanos primitivos na Africa. Começaram a emigrar para outros continentes, como Asia, Europa. Suspeito que quando chegavam nestes lugares, fossem quais fossem, procuravam fazer suas habitações no mesmo modêlo que faziam na Africa, considerando-se as diferenças e escassez de materiais, procuravam a mesma ou mais parecida alimentação, mantinham sua cultura, obviamente, já que não existia outra. Mas cada ambiente tem suas particulares especificas, a Europa é fria, a Asia tinha elefantes, etc. Estes detalhes dos ambientes foram modelando seus habitantes, transformando seus hábitos, até mesmo seus corpos, e por fim surgiu essa diversidade de povos que vemos hoje, diferenciados por suas regiões.

Pois é: Na Natureza, o que é verdade para a grande História Geral, é também verdade para cada pequena história individual. O processo da macro-evolução do cérebro da espécie humana é o mesmo processo do desenvolvimento a nível genético de um único cérebro individual. Aqui na teoria da Matrix/DNA tenho observado religiosamente este principio. Tenho repetido que não acredito que a Natureza jogue dados com suas criaturas, aprontando armadilhas para seus filhos caírem nelas; está fácil aprender qual o sentido da nossa existência, pois a maneira como a Natureza atua aqui, foi a maneira como ela formou este Universo e nós dentro dele. Ela não nos mostraria uma história falsa aqui, nos enganando. Tanto assim que vou projetando os pequenos conhecimentos que vou obtendo sôbre o aqui e agora para calcular como funciona o Cosmos e o que ocorreu no tempo passado para inferir como deve ter sido a História Natural Universal. E nesse trabalho descobri por exemplo que esta pequena história de um cérebro individual não apenas imita a Média História da Humanidade, mas vai mais fundo, imitando a História do desenvolvimento da Vida a nível universal. Pois se encontramos uma tribo original na Africa se espalhando e mantendo seus princípios nas novas terras, encontramos também uma arquitetura natural original no espaço celeste e formada pelos astros e estrêlas, se espalhando e mantendo seus princípios em cada planeta que alcançou.

Esta é nossa versão revelada no artigo contando a história de Luca, o “Last Universal Common Ancestor”. De certa forma, esta noticia sobre o cérebro humano é mais uma previsão acertada por minha teoria há 30 anos atras lá no meio da selva amazônica! Boa informativa leitura…   

Human brain development is a symphony in three movements

http://news.yale.edu/2013/12/26/human-brain-development-symphony-three-movements

By Bill Hathaway – December 26, 2013
O cérebro humano se forma e desenvolve com uma impressionante coreografia calibrada e marcada por distintos padrões de atividade dos genes em diferentes estágios desde o útero até a idade adulta – informaram pesquisadores da University of  Yale, no jornal Neuron.

A equipe da Yale conduziu uma analise de larga escala da atividade dos genes no neocortex cerebral – uma área do cérebro que governa a percepção, comportamentos e conhecimento – em diferentes estágios do desenvolvimento. A analise mostra a arquitetura geral das regiões do cérebro, que é formada nos primeiros seis meses depois da concepção por uma aceleração da atividade genética diferente para cada região do neocortex. Este rush é seguido por uma variedade de intermissões começando no terceiro semestre da gravidez. Durante este período, a maioria dos genes que estão ativos em especificas regiões do cérebro são paralisados – exceto os genes que desenvolvem conexões entre todas as regiões do neocortex. Então, no inicio da adolescência, a orquestra genética começa novamente e ajuda sutilmente a organizar e formar as regiões do neocortex que progressivamente executam tarefas mais especializadas, um processo que continua na fase adulta.

Esta analise é a primeira a mostrar este esquema tipo “ampulheta do tempo” do desenvolvimento do cérebro humano, com intervalos de calmaria na atividade genética entre elevados padrões de complexidade na expressão genética. “Intrigante – dizem os cientistas – é que alguns destes padrões de atividade genética que definem o esquema de ampulheta do tempo não foram observados no desenvolvimento de macacos, indicando que estes padrões executam uma regra na modelação das características especificas do desenvolvimento dos cérebros humanos. A descoberta enfatiza a importância da interação entre genes e meio-ambiente na fase infantil logo após o nascimento, quando a formação das conexões de sinapses entre as células do cérebro se tornam sincronizadas, e esta interação determina como as estruturas do cérebro serão usadas mais tarde na vida, disse Nenad Sestan, professor de neurobiologia do Instituto de Neurociências Yale’s Kavli  e autor supervisor da pesquisa. Por exemplo, disrupções de sincronização das conexões sinápticas durante os primeiros anos da infância tem sido implicadas no autismo.

Sestan disse que o cérebro humano é mais como uma vizinhança, a qual é melhor definida pela comunidade vivendo nela do que seus edificios. “O zoneamento do local pode ser construído rapidamente mas então tudo passa a ser mais lento,  o neocortex focaliza sómente no desenvolvimento de conexões, quase como uma rede elétrica”, disse Sestan. mais tarde quando estas regiões estão sincronizadas, as vizinhanças começam a definir distintas identidades funcionais, como o bairro dos italianos e o bairro dos chineses.”

( Mihovil Pletikos, Andre ́ M.M. Sousa, and Goran Sedmak of Yale are co-lead authors of the study. Other Yale authors are Kyle A. Meyer, Ying Zhu, Feng Cheng, Mingfeng Li and Yuka Imamura Kawasawa. The work was funded by the National Institute of Mental Health, the James S. McDonnell Foundation, and the Kavli Foundation.)

A Via Láctea é um Ser Vivo? Para Manter Este Planeta Habitável é Preciso Conhece-lo. Participe/Assista Este Debate.

sábado, outubro 26th, 2013

Lancei um novo topico no Forum com link abaixo. Meu “portingles” com erros de concordancia suscita discriminacao nos leitores de lingua inglesa e o tema pe desconfortavel, pois todos ja tem sua visao de mundo e nao aprecia outras, que sempre vao parecer “estranhas”, portanto, criticas venenosas e depreciativas virao em primeiro lugar…  se alguem se aventurar a participar.

PhysForum Science, Physics and Technology Discussion Forums -> Biology, Chemistry, Medicine, Other Sciences -> Biology

http://www.physforum.com/index.php?act=ST&f=27&t=51974

The Milk Way Is A Living Being…?! (A Via Láctea é um Ser Vivo?)

Posted: Today at 12:04 AM – by TheMatrixDNA
” It is possible to mimic the entire process of sexual reproduction having six balls and a vortex floating at interstellar space. And every biological property seen at any living being. At least, it is possible in a theoretical design in paper, you can see it in Internet. 
The odds is that the design fits very well as the building block of galaxies and has the same configuration of the building blocks of DNA. So, there is a new theory suggesting that LUCA, the Last Universal Common Ancestor is at the sky and never was here at Earth, as thought Darwin. And it is LUCA for any kind of “life” that we will find in the Universe. Let’s go to debate our different theories? We can change informations, fixing our mistakes, and learn from each other. unsure.gif “
( Tradução: “É possível imitar o processo completo da reprodução sexual tendo apenas seis bolas e um vórtice pairando no espaço interestelar. E todas as propriedades biológicas vistas nos seres vivos. Ao menos, é possível num modelo teórico desenhado no papel, você pode vê-lo na Internet. 
O estranho é que o modelo cabe muito bem como tijolinho/unidade fundamental das galaxias e tem a mesma configuração do tijolinho/unidade fundamental do DNA ( que é um par lateral de nucleotídeos). Então, existe uma nova teoria sugerindo que LUCA – o Ultimo Ancestral Comum Universal – esta no Cosmos e nunca esteve aqui na Terra, como pensou Darwin. E que ele é LUCA para qualquer forma de vida que encontrar-mos no Universo.  Vamos debater nossas diferentes teorias? Nos podemos trocar informações, corrigir nossos erros, e aprender de cada um. “
Agora é só esperar as pedras e ovos chocos. O maior problema nestas discussões sobre visões particulares do mundo é que muitas pessoas não conseguem se ater aos fatos reais, sobejamente conhecidos e comprovados, sempre se perdendo em seus conceitos interpretativos e crenças enraizadas pelas tradições. Se eu posso ter criado uma nova fantasia sem nexo com a realidade, ao menos não encontrei ninguém ainda que tenha desaprovado essa teoria baseado em fatos reais. O que você acha?
XXXXXXX
Ok. I agree that the title “The Milk Way is a living being?” and the phrase “six balls in interstellar space… sexual reproduction” are weird enough for someone coming to this topic. How could a human modern mind accepting that the whole process of sexual reproduction at biological systems is merely a biological shape of a process that exists in electro-magnetic shape at the world of atoms systems,  and exists in mechanical shape at the building block of astronomical systems? Never, nobody, no human has published such idea. Our culture invented words and concepts that is leading human reasoning far away from the reality of Nature, in such way that the real description of natural phenomena becomes incredibles. One weird word is “life”.  Adding other weird word “origins” to “life” we have “origins of life”. But there is no origins of life, there is no origins of anything, at least inside this Universe. There is evolution from simple to complex, it is very different. Origins leads to magical think because it appeals to supernatural causes, appeals to events outside the long chain of causes and effects that began with the Big Bang, or before that. “Origins o9f life” is a erroneous concept that inhibits the Natural Reason of human heads and installs atheists or deists, magical thinking. For instance, calculating what happens with a nebulae of dust resulted from the death of a stellar system, and drawing the sequence of events, we get a final picture that is exactly equal to the pictures of embryogenesis, in which, first appears the morula, then the blastula, the fetus, embryo and a final human baby. At the space the picture shows a central vortex spinning, surrounded by dusts, which are swallowed into the “black whole”. Calculating the movements and transformations of this dust inside the vortex, we have a body as morula, blastula and as final product, a baby of an astronomical body. Everything mechanical and can be described by Newtonian mechanics. This initial baby falls into space yet surrounded by frozen dust and goes into transformations, becoming planet, pulsar, supernova, red giant and dies, fragmented into dusts. This is a process of life’s cycles, equal this one that produces transformations at human bodies. What is wrong is the current scholar models of astronomy. It is leading us to blindness, we can’t see ours ancestors 10 billion years ago. As result we needed to invent this stupid concept: origins. Inventing magical origins we needed inventing magical gods, magical probabilities, magical time, magical genes, magical evolution, magical natural selection, magical mathematics, magical non-existent formulas, and so on… The real natural chain of events was forgotten.
Ok. My method of investigation was formal logics guided by comparative anatomy between natural systems, 7 years at the heart of Amazon jungle observing connections and structural formation of systems. I am introducing what I got, but, as a naturalist philosopher extremely materialistic, I am skeptical of anything, so, I don’t believe in my results. They are under tests in the last 30 years, tests against facts and facing other kinds of reasoning from other kinds of cultures. I suspect that the suffering at the hells inside the jungle, the malarias several times, the poisons of scorpions and others kinds, maybe has distorted my brain and the results that I got could be totally wrong. But, maybe it is Nature, in its salvage and real state calling us back to her arms. So, bring on facts over the table, only facts, first. NASA images, infrared data, etc. Then let’s go to debate our different interpretations and different methods of connecting those facts. For instance: why do you cal DNA as “the genetic code” when I am seeing merely a big pile of a unique systems derived into millions of different individuals, like Humanity is 7 billions of different individuals derived from a unique structural system?! The word “code” leads to magical thinking (gods or probabilities are able to create message in genetics codes!),  while the word “diversification” keeps the human mind occupied with observable natural phenomena and so, keeps the DNA and genetics under pure natural reasoning.

Novas Descobertas Sobre o Envelhecimento e a Visão da Matrix/DNA

segunda-feira, outubro 21st, 2013

A newly discovered biological clock measures aging throughout the body. (Credit: UCLA/Horvath lab)

O corpo humano é uma nova forma evolucionaria do sistema natural universal que começou a existir desde o Big Bang, na forma de vórtice quântico, o qual projetou uma onda de luz, a qual carrega em si a dinâmica do ciclo vital, portanto, imprimindo dinâmica, movimento, vida, ma substancia que preenche o espaço abrangido hoje pelo Universo.

Como todas as formas deste sistema universal apresentam o processo da degeneração, envelhecimento, e morte, o corpo humano, paras nosso pesar, também o faz. Eu suspeito que a morte é um mal necessário se a evolução for um proposito da existência, pois sem a morte formas inacabadas e inadequadas do sistema universal, as quais são formas provisorias, se estabeleceriam como definitivas, interrompendo a evolução. Por exemplo, se os macacos tivessem descoberto o elixir da eternidade, não morreriam e não transcenderiam sua forma fisica, e não haveria hoje a especie humana. Também considero como possibilidade logica a sugestão que a formula da Matrix/DNA esta fazendo de que todas as formas do sistema universal são compostas de software e hardware, e de que enquanto o hardware morre, pode ser substituído e transformado, o software apenas cresce em quantidade de informação e se expande em qualidade, sempre sobrevivendo a morte dos corpos. Mas minhas suspeitas a parte, ficamos com o puro e real fato de que os nossos corpos envelhecem e morrem.

A morte pode ser um mal necessário, mas quando acontece o envelhecimento, ele nos trás indesejáveis efeitos colaterais, denominados ” doenças “, como o Alzheimer, os canceres, etc. Portanto, é de nosso extremo interesse estudar este processo de envelhecimento com a intenção de eliminar estes efeitos colaterais. As Ciências Oficiais muito tem se esforçado na busca de entender este processo, mas pouco tem avançado na eliminação dos maus efeitos. Enquanto isso vejo que destacar o corpo humano como um sistema natural e compara-lo com a formula de sistema perfeito da Matrix/DNA é uma diferente e nova abordagem do fenômeno que mostra novos aspectos do fenômeno ( por isso incluo abaixo dois aspectos dessa formula para serem observados). Na forma de sistema perfeito, ele nasce e tem sua energia em crescimento ate alcançar a Função sistêmica universal F4, quando ela atinge seu pico mais elevado, e neste momento começa a sua queda, uma degeneração que é medida pela entropia. No corpo humano isto indica que o corpo esta em elevação enquanto os genes primordiais ainda estão construindo-o,  e quando o ultimo gene executa sua ultima função, o corpo imediatamente começa a decair. Isto acontece talvez aos 16 ou 18 anos, quando se forma a barba, ou tem inicio a inteira atividade sexual. Se o corpo humano não decai imediatamente é porque o sistema é aberto e com isso continua a receber alimentação de energia exterior. O que não evita a degeneração, mas prolonga-a.

Outro fato interessante que se observa na formula de sistema perfeito é que a degeneração tem inicio na periferia do sistema,  e os detritos causados por ela, ao invés de serem imediatamente expulsos do sistema, são internalizados, e dirigem ao seu centro, levando o sistema ao auto-colapso. Lembre-se que na termodinâmica entropia não significa diminuição de energia mas sim diminuição da qualidade da energia no sistema. Isto porque os fragmentos internalizados vão se misturando com as partes e circuitos internos prejudicando seus funcionamentos, e o sistema tende a se tornar uma massa amorfa.  Por exemplo, no caso do cérebro considerado como nova forma do sistema, os detritos se acumulam formando as placas, muitas delas circundando neurônios, isolando-os, o que leva ao mal de Alzheimer, ou seja, perda da memoria.

Agora com esta noticia deste artigo parece que a Matrix/DNA mais uma vez confirma suas previsões. Estão descobrindo que na mulher o envelhecimento é mais rápido a partir dos seios, os quais são um acessório da periferia, e ainda mais interessante, a formula da Matrix/DNA já havia sugerido antes que os seios são na mulher os representantes da função 4, que é o aparato masculino da formula de sistema perfeito, o qual é hermafrodita. Justamente podemos ver na formula que a energia começa a decair na F4.

Ainda estou longe de começar a estudar o corpo humano baseado na formula da Matrix/DNA para tentar entender o processo do seu envelhecimento. Me faltam totalmente as condições materiais para tal, como a falta de tempo.  Por isto a Humanidade esta urgentemente necessitando de ajuda, da sua participação, todo mundo poderia ajudar aqui, tendo a formula da Matrix/DNA, inclusive divulgando estes artigos escritos aqui, ou fazendo a tradução para outros idiomas, já que eu não posso faze-los.  Não desejo para ninguém as torturas do envelhecimento e suas doenças, mas quem aqui não atuar agora, pode se arrepender depois.  Mas esta divisão do corpo em relógios marcando os ritmos de envelhecimento de cada parte, como mostra a figura acima, já nos ajuda valiosamente quando o for-mos fazer.  Por isto registro aqui com carinho e muitas esperanças este valioso artigo para voltar a ele se Deus ( ou seja la o nome de quem for que esteja por trás disso tudo) o permitir.

Scientist Uncovers Internal Clock Able to Measure Age of Most Human Tissues; Women’s Breast Tissue Ages Faster Than Rest of Body

http://www.sciencedaily.com/releases/2013/10/131020203006.htm?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+sciencedaily%2Ftop_news%2Ftop_science+%28ScienceDaily%3A+Top+News+–+Top+Science%29&utm_content=FaceBook

(obs: ver no Google outros sites que publicaram a notica para postar comentarios)

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

 

 

Porque a Galaxia produz o Gene Egoista que Produz os Predadores Humanos

sábado, outubro 12th, 2013

Uma mesma pessoa estará propensa a ajudar os pobres quando esta com fome e mudara para egoísta se estiver bem alimentada. O resultado desta pesquisa com link abaixo já tinha sido previsto e explicado pela Matrix/DNA. Enquanto o intelecto humano estiver subjugado a influencia da psicologia dos nossos ancestrais ( animais, galáxias, átomos, etc.) nosso corpo e cérebro procurar o supremo objetivo da matéria, que é a busca da acomodação num sistema com equilíbrio termodinâmico, fechado em si mesmo. Isto gera a propriedade denominada “supremo egoísmo”, e mossa genética carrega essa tendência no que chamamos de genes egoístas.  Sem tempo agora para pesquisar o artigo e desenvolver este tema, deixo -o registrado:

When your body needs calories, you are more inclined to help the poor

http://ps.au.dk/en/current/allnews/news/artikel/when-your-body-needs-calories-you-are-more-inclined-to-help-the-poor/

New research shows that hunger affects our attitudes towards the welfare state. And when hungry people state their support of the welfare system, it is not so much a reflection of their concern for the poor; rather it is a strategy for securing further resources for themselves.

Cientistas Descobrindo o Que a Matrix/DNA Descobriu a 30 Anos: Não Abiogêneses e Sim a Fabrica Cósmica!

sábado, outubro 5th, 2013

Scientists Discover Cosmic Factory for Making Building Blocks of Life

http://www.sciencedaily.com/releases/2013/09/130915134341.htm

(Por falta de tempo agora, artigo fica registrado para analise posterior)

Sep. 15, 2013 — Scientists have discovered a ‘cosmic factory’ for producing the building blocks of life, amino acids, in research published today in the journal Nature Geoscience.

Comet Hartley 2. Scientists have discovered that when icy comets collide into a planet, amino acids can be produced. These essential building blocks are also produced if a rocky meteorite crashes into a planet with an icy surface. (Credit: NASA/JPL-Caltech/UMD)

The researchers suggest that this process provides another piece to the puzzle of how life was kick-started on Earth, after a period of time between 4.5 and 3.8 billion years ago when the planet had been bombarded by comets and meteorites.

Célula Animal, Célula Vegetal: A Diferença que estava Escrita nas Estrelas antes da Origem da Vida

sábado, setembro 21st, 2013

Por favor, se interessar, clique nas figuras para ver as legendas, enquanto não consigo resolver êste problema técnico)

xxxx

Célula Animal e Vegetal em Imagem Comparativa

celula-vegetal-celula-animal.jpg

O primeiro ser vivo que surgiu na superficie dêste planeta foi uma célula, ou seja, um sistema celular completo com tôdas as organelas capazes de realizar tôdas as propriedades vitais. Mas porque surgiram duas formas diferentes de célula, de maneira que uma deu origem a êsse imenso reino vegetal e a outra a a êsse igualmente imenso reino animal? Procurei saber de professores mas sempre desviam a pergunta para responder como é a diferença entre as duas e não respondem o porque das diferenças. Apenas nos modêlos da Teoria da Matrix/DNA existe uma explicação, muito lógica e racional, penso eu, mas claro, como se trata de uma teoria, vamos continuar a pesquisar êsse mistério.

Quem criou a primeira célula, ao menos no planeta Terra, foi o planeta Terra, ou algo dentro dêle, ou algo fora dêle, ou algo que está dentro dêle e fora dêle ao mesmo tempo. Alguma dúvida até aqui? Acho que não, mas se alguem a tem, gostaria de saber a causa da dúvida. Não vale contra-argumentar com crenças em coisas super-naturais aqui, pois aí saio fora da discussão.

Se alguem defender a primeira alternativa, a de que foi o planeta Terra inteiro que convergiu com todos seus constituintes para essa criação, terá que apresentar um modêlo do planeta no seu estado evolutivo a cêrca de 3 bilhões de anos atrás, ou outra data momentos antes das origens da primeira célula completa. Êste modêlo terá que conter todos os fenômenos contidos na primeira célula, em seus estados menos evoluídos, e mostrar quais foram os processos que atuaram para transformar aquêles estados menos evoluídos daquêles fenômenos nos estados evoluídos dos fenômenos celulares. O que existia no planeta antes da origem da vida que se parecia com uma mitocondria e atuava como uma mitocondria? O que existia que se reproduzia pela meiose? E assim por diante.

Claro que a Ciência acadêmica responderia que tudo isso veio do reino da química, mais exatamente da quimica orgânica. Depois vão reduzir a quimica organica à inorganica e assim apresentar os principios de tudo na matéria inanimada do planeta. Quais foram as fôrças e elementos da materia inanimada do planeta que produziram quais reações quimicas que mais tarde produziram o fenômeno sexual? Ou a engenharia do aparelho digestivo?

Acho que ninguem – alem de mim na Matrix/DNA – tem procurado responder estas questões, talvez nem mesmo sequer pensado nestas questões. Ao menos tenho procurado nas bibliotecas e nada encontrado. E porque não? Porque a quimica seria mágica. Mas não a maior mágica terrestre, pois esta foi a biologia, que criou coisas espetaculares que jamais existiram antes no Universo. Para mim, que experimentei afastar o conhecimento da civilização e buscar um aprendizado na natureza primitiva da selva, na minha cabeça não existia as palavras “quimica” e “biologia” quando estava fazendo minha investigação na selva, o que existia no meu raciocinio era apenas a matéria e seus processos. Estas palavras são criações dos humanos nas cidades que para mim nada diziam. Portanto nunca pude desviar o raciocinio da matéria para encontrar “nomes mágicos”, pois no meu mundo apenas existia a normal correnteza de causas e efeitos que meus sentidos percebiam.

As células são as unidades estruturais das plantas e animais, os tijolinhos básicos dêstes edifícios que são os nossos corpos como seres vivos. Mas basta olhar para um elefante ao lado de uma árvore para se ficar admirado como o mesmo tijolinho inicial – a primeira célula que surgiu na Terra – fêz coisas tão diferentes entre si! Como e porque, em dado momento, a célula inicial se dividiu em duas diferentes, como se uma escolhesse seu futuro indo para o sul e a outra na direção do norte?!

Bem,… as que foram por um caminho foram se transformando, tornando-se mais complexas e poderosas e hoje chegam a constituir gigantescas árvores, como as castanheiras, as sequóias! As que foram pelo outro caminho se transformaram ainda mais e tornaram-se mais complexas e chegaram ao tamanho dos dinossauros e à inteligência do homem.

Ok … A maioria das pessoas de hoje têm a vida muito ocupada com os afazeres diários, estudos, video-games, etc., por isso elas olham para êste mundo como êle é e ponto final, não perdem tempo com elocubrações mentais se perguntando porque, de onde, diabos, veio isso tudo? O nosso método cientifico reducionista moderno está mais preocupado em resolver problemas imediatos que dêm lucro, que buscar as respostas aos porques, procurando chifres em cabeça de cavalos.

Mas eu acho que em algum lugar aí fora do meu mundinho tem gente quase como eu, que tem a vontade e consegue escapar da vida mundana para curtir seus pensamentos intimos pensando mais profundamente sôbre a vida e a existência. E quando se presta atenção a detalhes do mundo que os normais desprezam, começamos a suspeitar que o mundo material imediato e perceptivel – apesar de largamente anunciado pelos cientificistas que as Ciências Naturais já sabem tudo do nosso mundo médio, faltando agora apenas desvendar algumas coisas do micro e macro cosmos – por si só não possui os recursos que foram necessários para fazerem certas coisas acontecerem. Aqui nós tambem – os “raros inquietos” – nos dividimos como fêz a primeira célula. Uns escolhem o caminho que sugere existirem fôrças supernaturais atuando no nosso mundo, e vão avançando tanto por este caminho que passam mesmo a acreditar em entidades supernaturais, como deuses, etc. Outros escolhem outro caminho, o de suspeitar que o mundo material contem muito mais recursos do que os que conhecemos, sejam vindos dos invisiveis micro e macro cosmos, ou das ondas invisiveis de luz, vibrações e estas coisas tôdas ainda não bem entendidas que não captamos com nosso complexo sensorial mas vemos seus efeitos no mundo real.

E o que tem isso a ver com a pergunta: como e porque a célula inicial se dividiu em duas a ponto de uma se tornar uma gigantesca castanheira e a outra numa girafa que estica o pescoço para tentar no alto, alcançar as fôlhas destas árvores? Tem tudo a ver, mas calma lá…

Eu saí fora da vida normal mundana e caí no reino dos raros inquietos, acho que um pouco por vontade própria e um muito porque fui na verdade expulso para fora da civilização. Sabe como é… fiquei órfão sem familia aos três anos, fiquei fisicamente raquitico e feio, era um pêso e significava problemas para quem me visse e assim era afastado para os guetos. Acabei fugindo para o meio da selva viver com cobras e macacos que tambem não gostaram de dividir seus territórios comigo mas ali eu tinha alguns predicados que me davam alguma fôrça para impor-me e manter o meu território, só meu. E ali eu tinha muito tempo para escapar do mundo material e ficar com meus pensamentos intimos perguntando o porque das coisas serem como são. Mas é claro: eu só conhecia a metade feia do mundo e não poderia aceitar sequer a hipótese de que haveria algo supernatural e inteligente e bondoso por trás dos fenômenos observados no mundo como acreditaram aquêles que davam bolas ao pensamento na civilização mas que tambem conheceram a outra metade bela do mundo. Então eu escolhí ou fui conduzido pelo caminho e método extremamente materialista que exibe respostas aos porques baseadas nos recursos materiais do mundo.

Por exemplo, na selva eu coçava o cocuruto quando olhava para uma capivara ao lado de uma castanheira e me perguntava como uma unica célula inicial produziu duas coisas tão diferentes. Quando eu saía do meu casulo e ia para o lugar dos feios e desventurados que buscavam ouro na selva para retornar triunfantes na civilização, como era a mina de Serra Pelada, e dava uma esticada até a cidade de Marabá, comprava livros, um monte dêles (arrumei até uma luneta para ver o céu e um microscópio rudimentar para observar a lama dos pantanos e cada fôlha ou bichinho que atravessava meu caminho), muitos cadernos e tons of canetas, lápis de cor para desenhos e voltava correndo para meu casulo, desenhar as cenas que só eu via na escuridão e no coração da selva. Sei que será fantasia dizer isto, mas seis ou sete anos depois fiquei tão anormal e psicótico que acreditei que desenvolví uma espécie de empatia para com as coisas da selva, que eu entrava nos corpos das árvores e dos bichos e penetrava com visão microscópica até suas células e átomos para entende-los e me pegava ás vêzes na minha rêde de dormir a sonhar que conversava com um espirito selvagem que sentia emanar da selva. Outras noites ao anoitecer eu apontava a luneta para o céu e ficava horas observando o céu limpido e admiravelmente estrelado visto da selva e me perguntando – de onde, diabos, veio tudo isso?! E adormecia sonhando que falava com estrêlas, galáxias, até ter pesadelos acordando de repente com a cena de estar explodindo junto com o Big Bang – influencia dos livros de Ciências que roubava da biblioteca da universidade ou adquiria nas lojas onde não resistia a comprar os livros sôbre as grandes teorias cientificas: aliás, o método cientifico era uma das unicas coisas que apreciava da civilização dos homens lá fora, pois êle me esclarecia sôbre os recursos do mundo material e explicava muitas causas das coisas que eu queria entender. Mas a luneta mostrando o mundo estrelado à noite e o microscópio mostando o mundo invisivel e pequeno no dia começou a me fazer ficar obcecado por certos padrões comuns, como por exemplo, o mais grosseiro dêles , que é o fato dos building blocks do céu, os sistemas estelares, ser constituidos de nucleo e ter corpos na periferia, com a célula e átomos tambem terem nucleos e corpos na periferia. Porque corpos originados na Terra, com milhares de outras alternativas para escolherem, foram escolher seus building blocks exatamente à imagem e semelhanca do que suporta o Cosmos, e se os átomos surgiram primeiro, porque o sistema estelar imitou sua configuração, seu jeitão geral, e se a célula surgiu depois, porque ela imitou o jeitão do sistema solar?! Tinha que ter elos entre estes dois mundos, talvez os recursos pairando nos céus tivessem influenciado a divisão da célula inicial. Mas quais?!

As teorias cientificas recusavam ver os possiveis mas evidentes elos, era eu que estava no “wrong track”, estas teorias fantásticas diziam e eu abaixava a cabeça aceitando, afinal o que era eu, senão o patinho feio escondido na lata de lixo? Mas eu reagia de algum modo pois elas eram muito baseadas no desenvolvimento do raciocinio matematico, ao qual eu procurei entender um pouco como funciona. E acabei por afirmar a mim mesmo que tinha algo errado com as teorias porque a lógica matematica não poderia ser a lógica natural porque a Natureza criou coisas, como a reprodução de corpos, os pensamentos, etc, que foram saltos criando buracos dentro da lógica matematica. Quando a evolução dos répteis chegou aos dinossauros ela não seguiu a lógica do raciocinio matematico aduzindo complexidade e se dirigindo na direção do mamifero, mas ela, a evolução, ou seja, o normal fluxo dce causas e efeitos, descartou o dinossauro e regressou ao pequeno cyanodonte para dele chegar ao mamifero. Holes. buracos no nosso percebido espaço/tempo, não capturáveis pela lógica matematica por que esta é linear e não abre pausas para o espaço contrair e o tempo regredir do futuro em direçao do passado, mas nem por isso são buracos fantasmagóricos ou supernaturais, pois eles podem ser captados pela lógica da Razão se esta retornar ao seu reino real e não teórico. Eu podia estar no caminho errado, mas as evidências sugeriam que a civilização lá fora com sua poderosa inteligencia tambem estava num caminho errado. O reino real tinha que falar mais idiomas que a matematica. Mas quais? Eu perguntava às árvores e bichos da selva durante o dia e ao céu estrelado durante a noite.

(xxxx)

Então … porque a Natureza criou dois tipos diferentes de células e determinou que todas as futuras geracoes da celula vegetal ficariam plantadas, imoveis, recebendo seu alimento gratuitamente na boca, e todas as futuras geracoes da celula animal mover-se-iam, caminhando para “obter o pao com o seu suor”?!

Esta’ na resposta a esta questao um dos maiores indicios de qual o proposito da existencia do Homem na Terra. E queremos saber a explicacao, pois esse assunto e’ um dos mais importantes, ja’ que devido a essa obra da Natureza, consumimos a maior parte do nosso tempo trabalhando, cacando os recursos para satisfazer nossas necessidades, e muitas vezes alguns passam a vida toda torturados num trabalho indesejado. Enquanto isso a arvore frondosa nos espreita sempre de bracos cruzados… mas foi justo essa especie de maldicao sobre os seres do reino animal que salvou a vida da Matriz Universal, e esta especie de presente de grego ao reino vegetal que os condenou a se tornarem um beco sem saida determinado `a extincao.

A resposta surge quando observamos o corpo de LUCA (Last Universal Common Ancestor), o verdadeiro criador da Vida na Terra. (Infelizmente esta imagem das celulas nao esta’ terminada, pois falta inserir e enfatizar as setas que indicam o circuito sistemico, o qual fara o leitor imediatamente perceber a mesma configuracao da imagem de LUCA. Mas a inclusao das funcoes ao lado dos nomes de cada organela sao uteis nessa visualizacao). Enfim, resumindo a explicacao temos:

“LUCA era dotado do livre-arbitrio. E uma das importantes escolhas que ele podia fazer era algo entre estas duas alternativas:

1) Tornar-se um Sistema Natural Fechado em Si Mesmo: Esta alternativa implicaria em viver num paraiso, eternamente, pois teria o alimento gratuito, seria hermafrodita para poder viver 24 horas no orgasmo, mas com a disvantagem de ter que cortar relacoes com o mundo externo ao seu corpo, inclusive com qualquer outro ser vivente. Escolher esta alternativa seria  a revelacao ou expressao maxima do egoismo e LUCA fecharia as portas `a Evolucao, tentando eternizar sua forma que certamente era uma forma provisoria;

2) Continuar como seus ancestrais, sendo um Sistema Aberto ao mundo, a outros seres, todas as vantagens e disvantagens que isto acarreta. Esta alternativa seria escolhida por uma personalidade nao-egoista, e manteria as portas abertas `a Evolucao.

LUCA, nosso ancestral, cujo DNA hoje e’ a nossa essencia, o que significa que LUCA era nos mesmos a 4 bilhoes de anos atras, escolheu a primeira alternativa. Basta uma rapida olhadela em sua anatomia e seu mundo para ver  o paraiso, o manah caindo do ceu, o hermafroditismo e o total isolamento.

Mas LUCA errou num detalhe: eternidade. A Historia mostrou que LUCA como sistema fechado nao era eterno.   No corpo do Homem hoje observamos o fenomeno em que, todas as informacoes particulares, especificas, de todas as celulas diferenciadas, inclusive das partes superficiais do corpo, sao resumidas numa miniatura denominada genoma, encontrado quase no centro do corpo de onde e’ emitido para gerar outro corpo humano. Pois com LUCA aconteceu algo similar. Coimo LUCA era um ser meio-mecanico/meio biologico, podendo tambem ser explicado pela mecanica Newtoniana, esse mesmo processo vai cahamar-se entropia, um principio da termodinamica.  De alguma maneira,  a materia da superficie do sistema, sutil e muito lentamente comecou a se decompor, a irradiar suas unidades que sao bits-informacao, mas como LUCA era uma ilha cercada pelo nada, e a materia necessita de um meio para se mover, estes bits nao eram lancados para o espaco externo, mas sim decairam na direcao do centro ou nucleo do corpo de LUCA. Por um processo mais complexo que descrevemos em outras partes deste website, estes bits, como unidades geneticas, quando em queda podiam encontrar obstaculos no meio do caminho, como por exemplo, um planeta. E aqui se juntaram. Como, na verdade, eram fragmentos do genoma de LUCA, quando expelidos tentaram fazer o mesmo que fazem no corpo humano, ou seja, reproduzi-lo.  Reproduziram aqui na Terra, da melhor maneira possivel com novos materiais e num ambiente totalmente diferente,  o corpo de LUCA, que resultou, em alguns lugares,  no sistema celular vegetal e em outros, no sistema celular animal.

Mas a celula vegetal foi a reproducao mais bem sucedida, uma copia fiel, contendo como organelas todas  as sete funcoes universais executadas pelos sete orgaos do corpo de LUCA. Por isso ela esta’ conectada direta mente ao Sol, de onde recebe o alimento e faz a fotossintese.  Mas esta fidelidade ao seu progenitor significa tambem que ela herdou o mesmo carater: expressao maxima do “selfish gene”, so nao se tornou um sistema fechado perfeito porque isso era impossivel, mas mesmo assim, ligando-se com o planeta por baiso e a estrela por cima ela praticamente cria um circuito de sistema isolado e auto-reciclavel, ou seja, aquele em que os nutrientes sao produzidos e consumidos pelo circuito sistemico.

Quanto a celula animal, precipitou-se, ou foi abortada prematuramente, pois ainda nao havia recebido ou completado as constituicoes das ultimas pecas, que e’ o instrumento material da Funcao Universal n.6 e n.7, e saiu-se a mover. Como podemos ver no corpo de LUCA, a F6 e’ ocupada pela estrela, cuja versao terrestre e’ o cloroplasto, por isto o cloroplasto trabalha a energia da estrela. Os poucos “genes cosmicos” que havaim adentrado o corpo da celula animal, nao conseguindo completar-se como a organela cloroplasto, aderiram `a vizinha mitocondria, dando a esta um reforco tecnico que resultou numa melhor operacao e producao do ATP. Quanto aos genes da Funcao 7, que em LUCA produziu o cadaver estelar e correlato horizonte de eventos, ou por toda a regiao para onde e’ excretada a materia degenerada do cadaver, e cuja tarefa ‘e limpar o sistema dos detritos e tudo o mais inutil,  vieram ainda em numero tambem pequeno e conseguiram apenas uma especie de caroco do que iriam fazer, que e’ a organela denominada lisossomo. Com a evolucao da primeira celula animal e sua culminancia atual na forma de corpo humano, este ainda ressente de um sistema escretor que mal funciona e mal desenhado, inclusive com baixa operacionalidade o que resulta em materia fecal retida no organismo, enquanto o vegetal nao tem esse problema.

Mas foi realmente uma maldicao o destino dado `a celula animal e a toda suas futuras geracoes? Penso que nao. Enquanto o reino vegetal nao tem como e nao quer evoluir, pois a facilidade da fotosintese o acomoda num modo super-especializado de ser, e portanto esta inexoravelmente condenado `a extincao, seja alntes por alguma causa ou entao quando o planeta mudar e nao mais suportar a vida,  a celula animal sofreu, mas lutou e transcendeu ate chegar a constituir-se na especie humana. E como continua a manter as portas abertas `a evolucao, e’ possivel que jamais seja extinta, pois a humanidade pode emigrar quando o planeta mudar.

Voces devem ter notado a semelhanca desta historia com a fabula metaforica na Biblia, sobre Adao no Paraiso. Sim, mas este e’ assunto para outro artigo.