Posts Tagged ‘naturalismo’

Naturalismo e Deus: Ver Filosofos como Epicurus, Lucretius, Spinoza, lidaram com isso.

sábado, agosto 4th, 2018

xxxx

https://www.youtube.com/watch?v=MuamjAyO1Vw
Panda panda

I mean Epicurus was a materialist and believed in the existence of gods so …

E Guide

Wrong

Panda panda
I know what i am talking about. Epicurus admitted the existence of gods in his Letter to Menoeceus. Lucretius who was also a materialist believed in gods. They just have a different conceptualisation of gods

THE Guide
there’s a difference between god and creator

Panda panda

What are you even talking about ? They both used the term “God” in their books

THE Guide

God is someone you worship Creator is the first cause of the universe but he doesn’t care about human and there life he just create the universe like Spinoza god

Panda panda
A god isn’t necessarily someone you worship. Deists for example believe in a god but they don’t build a cult around him, Spinoza like you said associated nature with god : Deus sive Natura Epicurus like many ancient materialists believed in gods, everything for them is made of atoms, including gods and the soul. They just don’t think gods care about what humanity is doing.

THE Guide
the problem i have with all gods is if you want to knowledge shaolin you need to train.but if i m eternal i don t have nothing to learn because there is nothing before me and nothing except me where did the knewledge to create the univers come from ??

Panda panda
I don’t fully understand your question but : “where did the knewledge to create the univers come from ??” I mean who knows ? That’s one of the big existential questions that tormented philosophers, scientists and theologians for centuries

Respeitáveis argumentos questionando a nossa posição como filósofos naturalistas e a teoria acadêmica da abiogêneses

segunda-feira, dezembro 18th, 2017

xxxx

Comentario extraido do youtube sobre o video:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ

niwrad – publicado mais ou menos em 30/11/2017

This video is a pseudoscience dressed up as science for the purpose of promoting a philosophy of naturalism – the belief that every phenomena that exists in nature is the product of natural processes.

Well, when we compare scientific knowledge about the behavior of natural processes with the naturalistic belief that these processes produced the collection of matter with the ability to use surrounding material to reproduce and maintain its structure(life), the pseudoscientific character of this belief is obvious. Every instance of knowledge gained through observation and experimentation shows that all processes in nature head toward a state of minimum total potential energy and NOT toward a state that will provide a collection of matter the ability to use surrounding material for its reproduction and maintenance. So believing in abiogenesis is believing that nature can do something we know from observation and experimentation it can’t do.

Este vídeo é uma pseudociência vestida como ciência com o objetivo de promover uma filosofia do naturalismo – a crença de que todo fenômeno que existe na natureza é o produto de processos naturais.

Bem, quando comparamos o conhecimento científico sobre o comportamento dos processos naturais com a crença naturalista de que esses processos produziram a coleção de matéria com a capacidade de usar o material circundante para reproduzir e manter sua estrutura (vida), o caráter pseudocientífico dessa crença é óbvio . Toda instância de conhecimento adquirida através de observação e experimentação mostra que todos os processos na natureza se dirigem para um estado de energia potencial mínima total e NÃO para um estado que providencie uma coleção de matéria a capacidade de usar o material envolvente para sua reprodução e manutenção. Então, acreditar na abiogênese é acreditar que a natureza pode fazer algo que sabemos de observação e experimentação que não pode fazer.

Resposta da Matrix/DNA:

De fato, eu desconheço na natureza alguma outra situação onde um certo arranjo de matéria torna-se auto-reprodutivo. Quanto ao segundo argumento, de que não existam parâmetros para uma porcão de matéria que mantenha sua estrutura não existem nem nos dados reais científicos, pois tudo esta sujeito a entropia e decai. Mas existem situações em outras circunstancias onde uma porcão de matéria mantem por um certo tempo sua estrutura e com um potencial inicial de energia: átomos, sistema estelar, galaxias. Ou não?

Voltando ao primeiro argumento, o fato de eu desconhecer não significa que não exista. Mesmo assim, temos um racional e forte modelo teórico – desconhecido da comunidade cientifica – em que uma simples porção de matéria seja reproduzida, pelo processo da auto-reciclagem. E’ o nosso modelo sobre os building blocks dos sistemas astronômicos. E neste modelo, a porcão de matéria formando uma estrutura utiliza material circundante, que e’ a energia de uma estrela fora do sistema.

Mas como se trata de uma teoria ainda não provada, o argumento contra a filosofia naturalista e’ respeitável, o que serve também inclusive para nos, defensores desta teoria não-cientifica que interpreta os fenômenos naturais por uma perspectiva diferente da visão cientifica acadêmica,  questionar a teoria da abiogêneses.

xxxx

O argumento matematico

Mathematics also contradicts this naturalistic belief since life is just a specific arrangement of matter, and in order for natural processes to find it, they must scan through its various arrangements. But given the fact that the ratio between non-living and living arrangements of matter is many orders of magnitude larger than the total number of matter rearrangements in the history of Universe, it is mathematically impossible to find life through matter rearrangement process.

Simply put, science disproves philosophy of naturalism, and shows that this video is a pure propaganda.

Naturalismo,… não existe? (Vídeo criacionista)

sábado, agosto 5th, 2017

xxxxx

Ver video:

http://www.ianramseycentre.info/why-there-is-no-such-thing-as-naturalism.html

“Why there is no such thing as Naturalism” – HOWARD ROBINSON