Posts Tagged ‘neurologia’

NASA: Como e Porque Apareceu na Natureza Este Fenômeno de Animais Dormindo? Veja Como Isto Estava Escrito nas Estrelas

sábado, agosto 9th, 2014

A NASA está com um sério problema na sua luta para conquistar o espaço sideral – o que significa que é um problema seu, meu, da Humanidade, por três motivos principais: 1) sabemos que este planeta vai parar de sustentar a Vida aqui e temos que desde já começar a buscar a maneira de como nossos herdeiros vão se mudar para outro mundo; 2) 99,9999% das riquezas do Universo ainda estão lá fora, nos esperando, para evoluir nossa tecnologia e nos salvar desta estupida condição atual de meros animais rastejantes no solo deste planetinha perdido; 3) a nossa eterna inquietação existencial precisa de respostas.

O problema da NASA noticiado aqui ( Study Compiles Data on Problem of Sleep Deprivation in Astronauts

http://www.nasa.gov/content/study-compiles-data-on-problem-of-sleep-deprivation-in-astronauts/#.U-ZVw_ldXSg e cujo ” scientific paper”foi publicado aqui :

Prevalence of sleep deficiency and use of hypnotic drugs in astronauts before, during, and after spaceflight: an observational study

http://www.thelancet.com/journals/laneur/article/PIIS1474-4422(14)70122-X/abstract   )…

… é sobre o fato de que astronautas quando em serviço não conseguem dormir o necessário, e isso prejudica seu desempenho, cujo estado de vigília é essencial nestas missões. Por isso a NASA está financiando um grupo de neurologistas, psicólogos, etc. para elucidarem a causa do problema, e um “paper” foi agora já publicado, tambem com link a seguir. Mas…

A maioria dos organismos se adaptaram as mudanças diárias de iluminação, exceto os que vivem sem contato com a luz do Sol e influência das marés.

O pessoal da NASA e a maioria dos intelectuais e cientistas hoje têm um sério problema. Abordam um problema quando ele está no meio de sua existência, e daí observam-no e se limitam a descrever o resto. Não buscam as causas originais, primeiras, do fenômeno observado. E todo e qualquer fenômeno neste mundo, para ser completamente entendido, tem que contar sua história evolutiva regredindo até a sua causa primeira que se manifestou com o Big Bang. Tudo aqui tem a mesma e unica idade – 13,7 bilhões de anos, alcançada através de sucessivas mudanças de formas na longa senda das ancestralidades. Assim o atual “conhecimento cientifico”  é como uma nuvem espraiando sobre a superfície das coisas, nada com penetração na realidade existencial das coisas.  Só na Matrix/DNA estou fazendo isso – pegando cada fenomeno natural e buscando sua total e long história –  por mais absurdo que isso pareça.

Os astronautas tem problema para “dormir”. Mas o que é “dormir”? Porque, quando e como a Natureza inventou este fenômeno, esta cena, que definimos com este nome na nossa linguagem – “dormir”?! Faça esta pergunta à equipe da NASA – e vão imediatamente estourar as champanhas comemorando o fato que descobriram pela primeira vez um ser extra-terrestre. Mas esta seria a primeira pergunta racional e ao não fazê-la, ao não respondê-la, estão determinando mais um caso de longos gastos financeiros em pesquisas que vão se arrastarem vagarosamente no tempo como tem sido todos os casos nas abordagens das grandes e tradicionais doenças que continuam sem solução. Não se domina, não se controla, não se tem poder de fato, não se conhece de fato, qualquer objeto natural, sem conhecer sua história de 13,7 bilhões de anos.

O que significa, qual a causa, de existir um corpo, um sistema natural, em repouso, num estado que dizemos… “está dormindo”? Após responder isto é que vamos procurar a causa do porque um corpo dorme bem e outros dormem mal. Então, se preparem que agora vou leva-los ao Big Bang – pois foi ali que o Universo “acordou” pela primeira vez.

As nossas antigas ancestrais – as primeiras galaxias originais – “dormiam” para enganar a morte, e com isso se auto-reciclavam eternamente. Este artificio, ou “jeitinho maroto das galaxias”, foi herdado por nós – sistemas biológicos – mas como somos ainda mais fracos que as galaxias,  tivemos que dar mais outro “jeitinho”, adaptado às nossas circunstancias terrestres.

Qualquer pedra que cair no solo e ficar em repouso, jamais se levanta outra vez, por si própria. No entanto, corpos “vivos” caem no solo e repousam tambem, porem… milagre!!! … de repente se levantam e voltam a mover-se novamente! Não porque as Leis Naturais vindas com este Universo, já muito bem conhecidas pela Física, determinem que isso aconteça. Não conheço nenhuma lei publicada pelas Ciências Humanas que seja como uma força que seja gerada dentro de um corpo material capaz de tira-lo da posição de repouso. Você conhece? Sei que este fenômeno de haver “movimentos” da matéria neste mundo começou quando ondas de luz contendo a fórmula para sistemas naturais emitidas pelo Big Bang penetrou a dark matter. Sei que a auto-reciclagem dos sistemas astronômicos só pode ser explicada se houver uma força vindo de fora deles – e ao procurar esta fôrça no Universo inteiro, a unica possibilidade que me surgiu é a de que o Universo é rotativo, ou seja, gira sobre si próprio. Ao fazer assim, ele deveria fazer girar uma nuvem de poeira estelar, de uma galaxia morta, a qual cria um eixo central e a partir daí surgiria uma nova galaxia. Então nossas primordiais ancestrais morreriam de fato. Mas elas inventaram um mecanismo de lançar um ramo lateral de si própria enquanto estão vivas, o qual as reproduzem, enganando a morte. Tal mecanismo é facilmente visível na fórmula da Matrix/DNA universal com a qual a Natureza monta os sistemas naturais. Por isso vamos trazê-la para cá, na figura abaixo:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

O corpo humano é um sistema total composto de dois sub-sistemas – o cérebro e o corpo físico abaixo do cérebro. Como sistema-filho, governado e alimentado por este sistema astronômico que nos envolve, o corpo humano tambem deveria “morrer”, após todo cansaço físico, todo stress, pois isto significa ataque pela entropia quando a energia decresce e o sistema degenera, sem possibilidade de retorno. Por isso, mesmo que um ser vivo fique 16 horas inativa, e o sono o invade prostrando-o por terra, o sistema astronomico regula nossos corpos como um relógio, através do que chamamos de “ciclo arcadiano… ou cicladiano? “. Ao cair dormindo, pelas leis naturais um corpo jamais deveria se levantar “vivo” outra vez. Pois qualquer pedra que cair no solo e ficar em repouso jamais se levanta por si própria.   Nós humanos, formados de dois sistemas, aplicamos a mesma tatica dos nossos tataravós celestes, sem o saber-mos, pois quando um sub-sistema – o cérebro – é atacado pela entropia ( o cansaço, stress) e vai “morrer” diariamente, o outro sistema – o corpo – já providenciou o envio de um ramo lateral de seu fluxo circulatório na direção do cérebro, e se mantem ativo e alimentando-o. Quando o sub-sistema corpo é por sua vez atacado pela entropia, é o cérebro que , na calada da noite e sorrateiramente, envia o fluxo lateral, e continua mantendo as funções vitais ativas  fisicas.

Vejamos na fórmula acima quando é que acontece o “dormir”. Tudo começa na F1, quando um vórtice rotativo no meio de uma nuvem de poeira no espaço ( ou quando um óvulo num corpo feminino é fecundado) mistura esta massa com a energia vinda de F4 e gera um novo rebento-peça-órgão para um novo sistema. O novo rebento vai evoluir e transformar-se em varias formas devido ser imbuido do processo recebido das ondas de luz primordiais, processo denominado “ciclo vital”. Ao chegar em F4, o outrora rebento que agor é um adulto maduro começa o que nos sistemas biológicos denominamos “atividade sexual”, e então o fluxo do circuito sistêmico se bifurca, criando um ramo lateral que carrega metade das informações do sistema e metade da energia crescente do sistema, antes que ela comece a decair pela entropia. Esse “cromossoma macho, Y” é F5. Depois disso a metade rstante do fluxo segue seu caminho atacado pela entropia quando a energia decresce, degenera, o sistema se desfaz em fragmentos, de massa. Poeira. Sob um sistema astronômico maior que continua girando, é recriado o vortex central e tudo começa de novo. Ora, enquanto o fluxo de informações está perfazendo o circuito, o sistema está “vivo”, assim como enquanto houver sangue correndo nas veias de um ser humano ele está vivo. Quando o fluxo se desmancha, o sistema morre, está morto. A não ser que… metade de sua alma ficou escondida no meio da poeira, viva ainda. Assim como a mente invisível continua funcionando no meio de um corpo imóvel de um ser vivo. Entendeu? É preciso dizer mais? Está aí onde e como e porque a Natureza aqui na frente dos nossos narizes nos mostra estas cenas de corpos dormindo.  E sonhando.

Porem, antes de termos este corpo físico e cérebro, fomos pequenas e isoladas células, micro-organismos. Neste estado, as células, recém vindas da geração da nossa galaxia, eram muito mais influenciadas e dependentes do sistema astronômico. Tanto que as células tambem dormem ao sentirem a falta ou decréscimo da luz solar, quando o Sol se esconde no outro lado do planeta. para as células, o período da noite é reminiscencia biológica do antigo período da noite do sistema, quando ele ficava oculto dentro da escura nuvem de poeira. para um estudo sério, teremos que considerar tambem a coisa toda ao nível celular.

Mas agora vamos tentar transformar este conhecimento que muitos dizem “inútil”, em algo pratico, para nossa utilidade.  Não existe como entender este fenômeno se não procurar-mos ver, principalmente no cérebro, como ele é uma cópia derivada evoluída deste sistema que tem por estrutura fundamental esta fórmula. Não se esquecendo que a fórmula mostra o estado de sistema fechado em si mesmo, perfeito, enquanto o cérebro se tornou um sistema aberto e ainda não-perfeito.  não tem como entender este processo do “dormir” sem antes localizar-mos e entender-mos a atuação da entropia energética neste sistema. Já tenho percebido que esta entropia produz os radicais livres, produz as plaquetas em volta de neurônios levando a doenças como o Alzheimer, produz a ereção e desejo sexual, a menopausa, etc… E agora o artigo da NASA me faz notar que tambem está envolvida na qualidade do sono. Mas porque em astronautas?

A primeira solução seria evidente: no espaço a ausência gravitacional altera o movimento da energia fluindo nas conexões dos neurônios, e a energia entrópica deve “demorar mais para acontecer”. Mas esta solução não é a unica porque o estudo mostra que a deficiência do sono acontece nos mesmos astronautas ainda antes de viajarem para o espaço.  Talvez reproduzam o estado dc ausência gravitacional dentro das capsulas de treinamento? Provavelmente. Enfim, teríamos que observar os astronautas e re-estudar o problema, mas… por favor… vamos chegar no problema com alguma prévia inteligencia, com algum conhecimento ao novel e dimensão do Cosmos que os astronautas estão adentrando. Sem a fórmula da Matrix/DNA… podem listar mais essa “doença” no mesmo rol interminável dos estudos sobre o câncer, a diabete, o Alzheimer, etc., e esperar mais uma longa história de drogas salvadoras que, no final,  nunca eliminam estas doenças.  Eu, infelizmente tenho que parar essa pesquisa agora para ir no trabalho duro para pagar minhas miseras contas no final do mês… e não tenho acesso à observação direta do problema na NASA. Mas dou a minha contribuição, a fórmula vai de graça…

 

Study Compiles Data on Problem of Sleep Deprivation in Astronauts

http://www.nasa.gov/content/study-compiles-data-on-problem-of-sleep-deprivation-in-astronauts/#.U-ZVw_ldXSg

Prevalence of sleep deficiency and use of hypnotic drugs in astronauts before, during, and after spaceflight: an observational study

http://www.thelancet.com/journals/laneur/article/PIIS1474-4422(14)70122-X/abstract

PESQUISA DA MATRIX/DNA:

1)WIKIPEDIA : Ritmo circadiano ou ciclo circadiano

Some features of the human circadian (24-hour) biological clock

circadian rhythm /sɜrˈkdiən/ is any biological process that displays an endogenousentrainable oscillation of about 24 hours. These rhythms are driven by a circadian clock, and rhythms have been widely observed in plantsanimalsfungi, and cyanobacteria. The term circadian comes from the Latin circa, meaning “around” (or “approximately”), and diem or dies, meaning “day”. The formal study of biological temporal rhythms, such as daily, tidal, weekly, seasonal, and annual rhythms, is called chronobiology. Although circadian rhythms are endogenous (“built-in”, self-sustained), they are adjusted (entrained) to the local environment by external cues called zeitgebers, commonly the most important of which is daylight. ( CONTINUAR A LER)

2) Melatonin Secretion…

3) Wrist actigraphy…

4) Sleep-promoting drugs – procurar as fórmulas quimicas…

O que é “dormir”? Como e porque a Natureza produziu o fenômeno do sono? A resposta estava escrita nas estrêlas!

sexta-feira, março 21st, 2014

Os animais são os bichos mais práticos do mundo. Eles aceitam tudo o que a Natureza apresenta sem fazer perguntas e se concentram em sobreviver e viver da melhor maneira possível aqui e agora. Os humanos que ainda mantem forte predominância da genética herdada do reino animal, portanto com intelecto menos desenvolvido também são muito práticos. Mas uma vez tendo garantida e satisfeitas as necessidades básicas, humanos começam a complicar a vida, a prestar atenção nos detalhes naturais, a querer saber o porque das coisas, ou seja, começam a filosofar, a buscar causas e significados existenciais.

Um dos fenômenos marcantes na existência dos seres vivos é o sono, ou o ato de  “dormir”. Aceitou-se por muito tempo, o sono, associado a sonhos, com uma aura mágica, como sendo algo criado pela inteligencia de Deus, para prover o merecido descanso dos seres humanos. Portanto não foi habitual prestar muita atenção a este fenômeno, muito menos se perguntar o que realmente significa dormir.  Para um filósofo naturalista, entretanto, a visão de um corpo vivo, mas inerte, olhos fechados, inconsciente, parece algo irracional e suscita muitas perguntas.  O que é o sono? Como e porque a Natureza inventou esse negócio de imobilizar um corpo vivo por cerca de 8 horas a cada 24 horas, mantendo as funções vitais?! Com que finalidade? Porque ela não fez as coisas de outra maneira de forma que um corpo vivo não apresentasse isso que parece ser um desperdício de tempo e vida?

A explicação sugerida pela fórmula da Matrix/DNA é surpreendente, algo jamais imaginado. Apenas para adiantar, não foi a Natureza que inventou esse fenômeno, e sim nós mesmos, na forma dos nossos ancestrais, mas ancestrais tão longínquos como as galaxias. Foi um êrro, um desvio dos caminhos da evolução universal, que iniciou esse processo de um sistema natural deixar de existir como tal, a intervalos, mas manter sua identidade e funcionalidade em estado potencial no meio material, para se levantar em seguida, como o mesmo sistema natural que era antes. Sim, os sistemas astronomicos já fazem isso a 10 bilhões de anos, o ato de dormir dos animais já estava previsto nas estrêlas.

O sono tem uma importância fundamental  na vida humana e entender porque ele existe, nos conduz a saber aproveita-lo para a melhor saúde do nosso corpo. Agora foi publicado uma pesquisa cientifica que descobriu que a falha no dormir correto causa a perda de neurônios, portanto prejudicando nossa saúde e eficiência fisica e intelectual. A pesquisa está no seguinte link:

Penn Medicine Researchers Show How Lost Sleep Leads to Lost Neurons

 http://www.uphs.upenn.edu/news/News_Releases/2014/03/veasey/

 

A leitura deste artigo me fêz notar que eu nunca havia feito aquelas perguntas acima sobre o ato de dormir.  Como sempre, procuro a explicação na fórmula da Matrix/DNA e para me acompanhatrm no raciocinio, vamos trazer dois modêlos da Matrix/DNA para cá:

 

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

 

The MatrixDNA as Astronomic Closed System

The MatrixDNA as Astronomic Closed System

Infelizmente meus recursos técnicos na selva eram precários o que prejudica seu entendimento, mas tentaremos. À esquerda se destaca o ciclo vital do building block dos sistemas galácticos originais, o qual é formado por um único corpo astronômico nascendo, crescendo, amadurecendo, degenerando, se desfazendo como cadáver e tendo sua poeira auto-reciclada, recomeçando o circuito sistêmico, recompondo o sistema morto. Deve-se clicar no desenho para amplia-lo e ver as funções desempenhadas por cada forma do corpo deste astro. Na figura à esquerda está a “alma” do building block, que é a Matrix Universal, e que foi obtida por mim ao perceber que todos os sistemas naturais possuem o mesmo padrão de circuito de sistema, a mesma configuração do hardware. Da f1 ( que no caso astronomico representa o nucleo do sistema onde tem um vórtice turbilhonar como um buraco negro envolto por uma auréola energética que é o quasar) à f4 ( pulsar) a energia está crescendo e em f6 ( estrela supernova) começa a decair pela entropia, entrando no estado de degeneração, assim como o nosso Sol está emitindo parte de seu corpo pela radiação. Quando esse sistema evoluiu e atingiu a forma de cérebro humano, esta fase em f6 representa o corpo e o cérebro cansado, já com os primeiros sinais de sono.  Em f7 o astro está em estado de decomposição. No cérebro humano isto representa a entrada no dominio do sono, onde sua atenção se desvai. A partir de f7 a poeira ou massa fragmentada estelar forma uma nébula esparsa mas girando sobre si mesma devido ao movimento rotativo universal. No cérebro esta fase representa o sono em si mesmo, as quase oito horas de sua duração. No centro desta nébula se forma um rodamoinho e a poeira circundante é absorvida dentro do turbilhão, o qual recebe ainda os cometas energéticos e com essa massa mais energia começa-se a recompor o corpo do astro. No cérebro esta fase representa o inicio do despertar, quando se tem as varias regiões neuroniais mais as glandulas, etc., sendo reconectadas. Em f2, do vortice nuclear nasce o astro-baby. No cérebro, completa-se o despertar e o corpo levanta-se.

O nosso ancestral celestial cometeu um erro gravíssimo, o de tornar-se um sistema fechado em si mesmo, cortando relações com o resto do mundo e fechando as portas à sua evolução. A Matrix/DNA sugere que este era nosso ancestral de corpo e alma, ou seja, composto de corpo material e consciência. Porem, assim como na reprodução humana, a consciência existe nos pais, os quais transmitem seu genoma, transcorre o estagio da embriogêneses, e apenas pelos sete ou oito meses a consciência se manifesta no embrião, assim é o embrião que esta sendo reproduzido no Universo, mas como o tempo cósmico é bilhões de vezes maior que o tempo humano, em termos de embrião universal este estagio de embriogêneses já tomou cerca de 13, 7 bilhões de anos. Pois apenas agora ela está começando a despertar aqui, e na espécie humana. Certamente essa consciência universal se encontra diversificada, fragmentada e em muitos outros mundos deste Universo ela deve estar acordando também. O que nos interessa aqui é saber que o nosso ancestral cometeu isto que foi uma espécie de pecado original, nas nossas origens, porque sua “alma” foi vencida pelos desejos da matéria compondo seu corpo. A matéria tem como objetivo supremo, para seu aspecto massa, alcançar o confortável estado de equilíbrio termodinâmico, e para seu aspecto energia, alcançar as máximas velocidades de movimento, o qual lhe dá um estado de êxtase orgásmico. Seria culpado de pecado um feto humano nos seus 2 ou 3 meses, se conseguisse estacionar sua evolução para permanecer naquele estado confortavel para toda a eternidade? Assim como aconteceu com nosso ancestral sistema, ele estava inconsciente, mas o erro aconteceu, e a consequência disso foi o Universo atacando com o processo de degeneração, o qual medimos como “entropia”. A punição para o erro foi o surgimento da morte. As galaxias ainda imperam no Universo, mas como os insetos ou os répteis na Terra, são nossos ancestrais que foram descartados, desviados do tronco da arvore da evolução.  Porem, nós herdamos o seu erro, as consequências, não apenas com o gene egoísta, com o estado de caos que ela criou, mas também herdamos o fenômeno da morte.

Mas se o ancestral celeste morre e se auto-recicla, não sei ainda quanto tempo dura essa “morte”. Se nós caímos no sono e depois levantamos, esse tempo nas medidas humanas é de 8 horas. Porque? Em outra parte da Matrix/DNA, existe uma total inédita re-interpretação do que é luz natural, para resumir, a luz foi o primeiro elemento “vital” a aparecer no Universo, e no gráfico do espectro eletro-magnético podes ver como ela é a fôrça que imprime o ciclo vital na matéria. A onda de luz natural foi a primeira forma com que a Matrix se manifestou aqui. Deduz-se disso que onde tem luz natural tem movimento, animação, vida, e na escuridão tudo torna-se inerte. Os sistemas biológicos obedecem a um ciclo diário, ficando acordados durante o dia, o qual é dia porque o Sol está nos alcançando diretamente, e dormindo na escuridão, a qual assim é porque a luz do Sol não nos alcança. Portanto, deduz-se que  estados de despertar e dormir estão fortemente relacionados com os estados de claridade natural e escuridão natural. Mas o principal a qui é perceber que a luz tem enorme influencia no fenômeno do dormir e isso tudo vem de dimensões profundas da Natureza.   Outra importante questão que parece ser respondida pela luz é: porque os sistemas biológicos tem um movimento de morte e ressuscitar em tempo curto, em paralelo com o movimento de morte definitiva com tempo longo? Porque nosso cérebro degenera (figurativamente) tão rapido, em apenas 16 horas? Creio que o ciclo entre noite e dia, presença e ausência da luz responde isso. Portanto o nosso cérebro deve ter propriedades operando diretamente com a luz. E mais: a luz solar.

( Artigo interrompido aqui, para continuar depois. O texto abaixo é reminiscência do primeiro rascunho, mantido ainda aqui para ver se aproveito algo dele)

 

O nosso ultimo ancestral semi-mecânico/semi-biológico se tornou um sistema fechado em si mesmo, enganando a morte: ao “morrer” ele se auto-recicla, levantando-se de novo da sua própria poeira, interestelar. Cada reciclagem acontece justamente num período de um terço da vida total do sistema, período este em que o sistema não existe de fato, mas está potencialmente existindo nos fragmentos de seu cadáver ( você pode entender melhor isto se observar os modelos dos ancestrais no meu web-site). Ora, quando este ultimo ancestral caiu na Terra e se tornou a primeira célula viva, não pôde repetir sua propriedade de sistema fechado, e assim tornou-se um sistema aberto a relações com o mundo externo. Ele não pode mais se auto-reciclar, se auto-reproduzir, e não pode evitar a sua entropia que causa degeneração e morte. Essa entropia o mataria em 24 horas na sua forma biológica. Porem, conservando bem ou mal suas propriedades celestiais, ele conseguiu contornar isso através deste fenômeno que denominamos “estado de dormência por 8 horas”, onde o corpo parece morrer, mas atividades do principio vital continuam existindo em potencial. Acontece que…

Acontece que nesta vida moderna maluca que estamos levando, não temos tempo para quase nada tratar do nosso corpo, e uma das primeiras coisas que estamos nos suprimindo, são estas 8 horas naturalmente necessárias de sono. Ora, este tempo corresponde ao nosso ancestral ajuntando sua poeira num vórtice turbilhonar, re-conectando cada fragmento e recompondo seu antigo corpo. Isto significa biologicamente que neste período de tempo o nosso cérebro – sem o stress das milhões de sinapses que acontecem quando estamos acordados – tem tempo de re-alimentar seus neurônios, e depois apronta-los para reiniciar as suas inter-conexões, da maneira que ele foi hard-wired, ou seja, configurado, antes. Quando ele termina todo esse trabalho ele desperta o corpo e estimula-o à levantar-se, a mover-se, pois o cérebro quer que o corpo saia à luta em busca de alimentos e conforto físico. Se o individuo não dá esse tempo ao cérebro, e ao contrário, é despertado por um despertador, levanta-se correndo e reinicia as atividades, o cérebro certamente não estava pronto, erros vão acontecer, decisões erradas serão tomadas, e as vezes podem serem fatais. Esse povo nessa correria parece aqueles motoristas jovens deslumbrados com a velocidade, que passam correndo perigosamente correndo atras do tempo e num belo dia os vemos envolvidos num acidente onde perderam todos aqueles minutos que ganharam na correria. Falta de sentido inteligente. Sei que estamos presos, escravos, de uma maquina imposta pelos grandes predadores, os quais querem sugar o máximo de nossas energias no trabalho e consumo, mas, quando ficares doente ou teres um acidente, eles não estarão ali para te ajudar. Apenas você pode cuidar de seu corpo, tente fazê-lo, dê ao seu cérebro o tempo que ele necessita para se refazer, pois se não fosse para obedecer-mos esse imperativo natural, a natureza não teria inventado o sono. Um grande e afetuoso abraço, amigo e amiga, e um bom sono… Mande os grandões irem pentear macacos no zoológico… E veja no artigo cientifico a seguir mais uma evidencia para nossas teorias sussurradas aos nossos ouvidos pela unica mestra realmente confiável: nossa mãe Natureza…

Oportunidade para Brasileiros-Feras e Criativos. Prêmios para Selecionados

sexta-feira, março 14th, 2014

A Innocentive é uma organização promovendo o progresso da tecnologia, publicando as ofertas existentes de prêmios/financiamentos para idéias inovadoras. Abaixo vai o link para uma oferta na qual participei enviando uma proposta ( é muito simples, sem burocracias). Os selecionados nesta proposta terão pagos as despesas para participar numa conferencia no Canadá ( base de 3.000,00 dolares), mais um premio de 8.500,00 dolares, e mais o que pode vir depois, com contratos, etc. Sempre é bom estar atento na Innocentive e… torçam por mim… seria uma grande oportunidade para debater meus modelos feitos na selva com experts em todas as areas cientificas.

Ideas for Annual Computational Cognition Competition

https://www.innocentive.com/ar/projectRoom/index?challenge=9933054

AWARD: $8,500 USD  |  DEADLINE: 4/15/14  |  ACTIVE SOLVERS: 29  |  POSTED: 3/14/14

Source: InnoCentive      Challenge ID: 9933054     Type: Ideation
xxxxxx

My Submitted Solution:

   Natural Software Formula for Systems plus Optical Physics an
Submitted: 2014-03-14

A Cega que no Carnaval do Rio Revelou um dos Mais Profundos Segrêdos da Natureza: A Causa Natural das Diferenças entre Humanos de Diferentes Etnias

segunda-feira, março 3rd, 2014

Porque na cabeça da maioria do povo brasileiro não tem jeito de despertar o gôsto pelas ciencias e tecnologias? O que explica o fato dos pobres favelados do Rio de Janeiro conseguirem se unirem de corpo e alma em torno das fantasias do carnaval e não conseguirem se unirem em nada para promoverem seu próprio progresso economico? Porque os macacos que eu trouxe da selva e os coloquei sentados em frente a computadores com Internet livre se levantaram correndo e foram trepar nas árvores? Porque ao invés de eu seguir os macacos trepando nas árvores fiquei sózinho sentado me ocupando com a Internet?

Para todas estas questões existe uma unica e é a mesma resposta: o nivel vibratório ótimo para os corpos e mentes em determinado estágio evolutivo.

É uma resposta metafisica, já que não consigo prová-la cientificamente. Portanto ainda é uma teoria. Mas é bem fundamentada em uma outra teoria minha sôbre as ondas de luz natural e a fórmula da Matrix/DNA. Antes de prosseguir deixa-me trazer para cá o gráfico que explica a teoria das ondas de luz e as consequencias de suas diferenciadas vibrações:

Light - The Electric-Magnetic Spectrum by Matrix/DNA

Não queira transformar um jovem comum da periferia pobre ou um jovem comum da zona rural em um filósofo pensador ou um cientista, ou ainda um criador de novas tecnologias eletronicas. Se você tiver uma cultura européia original, das pessoas louras com olhos verdes, não leve um jovem mulato componente das turmas de bairros de São Paulo tentando educa-lo a ser um gentleman europeu – segundo como os europeus entendem o que deve ser um gentleman – pois ele vai incomodar o sistema em sua casa, sua cidade. Isto não é racismo, é argumento baseado na fôrça de evid6encias do cotidiano, Eu mesmo, nascido no Brasil, de descendencia européia, naturalizado norte-americano, enfrento todos os dias os problemas causados por brasileiros vindos dos estados do centro, norte e nordeste do Brasil contra o sistemas social implantado nas ruas dos USA, enquanto os brasileiros vindos dos três estados do sul não causam problemas algum. Isto é prova, fato, contra o qual não adianta argumerntar.

E isto é muito triste, ao menos para mim, pois esta constatação, geralmente esquecida no dia a dia, derruba todas minhas utopias tendo em vista a transformação desta para uma Humanidade diferente. Não existe uma maneira técnica, prática, para transformar estas pessoas de forma rápida. Tem-se que aceitar que este fato (estes comportamentos e estados evolutivos de seres humanos), vão continuar existindo mesmo depois de minha morte. O que talvez possamos fazer é acelerar muito lentamente esta transformação através de um trabalho muito árduo e constante sempre batendo na mesma tecla, sempre aproveitando qualquer minima oportunidade para chamar atenção para atitudes ilógicas e critica-las veementemente. E torcer para que a super-população e exaustão dos recursos naturais do planeta não aconteçam de eliminar a Humanidade antes que ocorra esta transformação.

Não tem como colocar uma criança comum da escola primaria dentro de uma classe universitaria, assim como se levar-mos uma criança para um clube inglês de adultos a criança ficará isolada e paralisada querendo de toda maneira escapulir dali e retornar ao seu mundo das crianças. O contrário tambem é verdade, não faria sentido tirar um aluno universitario e leva-lo a sentar-se num banco de escola primaria, ou viver num parque infantil. A razão tem raízes profundas em dimensões invisiveis da Natureza, mostradas no grafico acima, onde descobrí que qualquer onda de luz natural se propaga numa sequencia de vibrações que se transformam pelo mesmo processo que os ciclos vitais transformam as formas dos nossos corpos à medida que nossa idade avança no tempo.

Entender isto é fundamental para se eliminar muitos dos nossos comportamentos irados e contrários a comportamentos de diferentes grupos étnicos. Eu mesmo terei que fazer muita fôrça no trabalho do dia a dia nas ruas para estar atento e não cair nestes êrros. Nações, govêrnos, religiões, etc., deveriam tambem manter isto em mente quando se relacionam com outras facções.

Mas existe outra facêta do problema. Sei que muitos ao lerem este artigo, imediatamente sorririam e pensariam: “este cara está reinventando a roda, pois eu sei disso a muito tempo”. Não, ninguem sabia disso assim, neste nivel de profundidade, pois ninguem publicou nenhum trabalho revelando este aspecto da luz natural, o qual nos leva a questões como macro-evolução universal, a luz emitida no Big Bang, etc., e faz entender o problema de uma maneira nova e diferente. A maioria dos ricos tradicionais pensam que sabem disso e por isso tratam as classes médias e baixas da maneira como tratam, mas por desconhecerem esta profundidade da questão, estão errados na sua maneira de tratar estas classes. Para ilustrar, aproveitemos a onda do momento que é o filme “12 Anos de Escravidão”que ainda ontem foi o vencedor do festival. Como justificar e entender a crença dos americanos sulistas evangélicos de que os negros não seriam humanos e portanto deveriam ser tratados como qualquer outro animal escravo?” É porque a ideologia que emerge de sua visão de mundo interpretado pela sua fantasia religiosa sugere coisas equivocadas que são oportunisticamente e ladinamente aproveitadas para se auto-justificarem em seus comportamentos imitando os animais predadores.

Sem a ideologia que emerge da visão de mundo da Teoria da Matrix/DNA, humanos não assimilam a sua sugestão sôbre as origens e evolução da auto-consciência no Universo. Não carregam em sua memória alguns fatos e evidencias selecionadas na Natureza pela Matrix/DNA que produzem a idéia de que a auto-consciencia é mais uma nova forma do sistema natural universal que veio desde alem do Big Bang e do Universo e que está sujeita ao mesmo processo de evolução aplicado às demais formas deste sistema. Enfim, não possuem motivos para acreditarem que sua principal missão como seres humanos é fazer tudo voltado para ajudar a acelerar essa evolução da auto-consciencia, antes que ela seja irremediavelmente abortada prematuramente e morta, se a Humanidade se auto-destruir.

Esta crença dos adeptos da cosmovisão da Matrix/DNA os conduzem a terem uma diferente atitude dos americanos sulistas evangélicos perante os negros, e em qualquer outro relacionamento com etnias diferentes menos desenvolvidas intelectualmente. Ao invés de montar sistemas onde as classes intelectuais menos evoluidas têm seus cérebros entorpecidos pela rotina do trabalho mecanico, nós tentamos, primeiro, divulgar o nivel intelectual seguinte na sequencia evolutiva, e feito isto, montar um sistema onde estes cérebros estejam com mais tempo livre para, motivados pelo nosso estimulo, empregarem este tempo ocioso na busca de sua auto-educação. Escravizar é atrapalhar e interromper o processo, o propósito, da evolução natural, enquanto que facilitar o caminho para a evolução da auto-consciencia é trabalhar em sintonia com a Natureza Universal. Tenho hoje uma lágrima incontida em agradecimento aquela senhora de 50 anos que é cega desde os 12 anos, cujo sonho era vestir uma fantasia e participar de um desfile carnavalesco no sambródomo, pois ela disse uma frase que me fêz acender mais uma luzinha lá dentro do meu cocuruto a qual me levou correndo a escrever para organizar meus pensamentos confusos e equivocados sôbre este incomodo fenomeno da diferença de comportamentos entre diferentes etnias. A frase que ela disse foi a seguinte: “É muita energia! Estou sentindo uma energia incrivel aqui, estou feliz!” Uma cega tem habilidades de percepção que eu não tenho, precisei dela para resolver mais um dos meus grandes problemas existenciais. Eu não posso entender a psicologia dos carnavalescos cariocas, como podem se dedicarem tanto a algo em que não vejo utilidade, resultado benéfico nenhum. Mas aquela senhora cega me ensinou que não devo procurar entendê-la neste seu aspecto de apaixonada por carnaval: ela está na sua onda de vibração, que é diferente da minha.

éia

Cerebro: Nova tecnica melhora visualizacao das comunicacoes entre neuronios

segunda-feira, fevereiro 17th, 2014

Optogenetic toolkit goes multicolor

http://web.mit.edu/newsoffice/2014/optogenetic-toolkit-goes-multicolor-0209.html

New light-sensitive proteins allow scientists to study how multiple sets of neurons interact with each other.
Optogenetic toolkit goes multicolor
MIT-led researchers engineered neurons so they can be activated with either blue or red light, allowing each population to be controlled separately.
Image: Yasunobu Murata/McGovern Institute

Cerebro: Informacoes sobre dendrites e axons

segunda-feira, janeiro 13th, 2014

Dendrites e axons se regeneram apos serem retirados. Isto deve vir do mecanismo de auto-reciclagem do sistema ou da auto-reciclagem das parts internas? Dendrites sao os components dos neuronios que recebem informacoes do cerebro, enquanto axons sao os components que enviam informacoes para as outras celulas.

Penn State researchers find new path for neuron repair
Read more:  http://www.upi.com/Science_News/2014/01/09/Penn-State-researchers-find-new-path-for-neuron-repair/UPI-19311389296464/#ixzz2qKavAdtl

 

Hipocampos e a mensagem da Matrix/DNA: Mais uma incrível descoberta sobre o cérebro nesta manhã!

segunda-feira, dezembro 30th, 2013

Mais uma incrível descoberta sobre o cérebro nesta manhã!

Um cavalo-marinho chamado László Seress, em 1980, expôs esta foto de um cientista hungaro ao lado de um cavalo-marinho, mostrando como cientistas se parecem com hipocampos…. Ei… está tudo errado! Eu quis dizer que “o neurocientista húngaro, László Seress em 1980 expôs uma foto do hipocampo mostrando como se parece com um cavalinho-marinho”.

Já dizia Pablo Neruda que “no hay camiño, el camiño se hace ao camiñar”. Brasileiros foram espojados da liberdade de criação, condicionados por uma dominação cultural colonialista que sempre pregou “escravos não tem que pensar, tem que trabalhar. Pensar deixa para nós…” Por isso, das centenas ou milhares de invenções registradas na organização internacional de patentes, nunca se vê nomes de brasileiros. Precisamos mudar isso, e urgente! Já sabemos o que aconteceu com os nativos desta terra que não se esforçaram para desenvolver sua tecnologia, quando aqui chegaram os brancos europeus com suas tecnologias de fuzis e canhões. Se o Brasil não tivesse como aliado os Estados Unidos, o qual pegaria em armas para defendê-lo caso atacado, algum Stalin, Hitler, ou Mao, já teria escravizado este pais. Que não se tenha duvidas disso, os recursos naturais existentes aqui praticamente sem defesa por uma população local débil, são de interesses vitais para aquelas nações. Precisamos mudar, recuperar, a mentalidade do brasileiro.

Por isso me esforço em gritar aos brasileiros que a criatividade é igualmente possível a todos os homens e mulheres da Terra, sendo seu unico e principal requisito, a observância da máxima de Neruda. A criação – como dizia Henry Ford – depende de 5% de inspiração e 95% de transpiração. Ou seja, não se tem que se perguntar o que vamos inventar, como pensar em inventar; tem-se simplesmente que arregaçar as mangas, botar a mão na massa, mexer e revirar os objetos, que disso surge um novo caminho, um novo objeto.

Prova disso é o resultado da minha atividade em mexer, remexer, misturar, tentar compor com novas diferentes conexões, os objetos definidos como “interpretações e conceitos humanos sobre os fenomenos naturais”. Disso criei cerca de 1.200 novas interpretações, novos conceitos. Mas eu não comecei querendo fazê-lo, pensando que poderia fazê-lo. Simplesmente, ao chegar na selva, me ajoelhei a beira do pântano e comecei a remexer a lama, olhando com um olho curioso com um primitivo pequeno microscópio enquanto o outro olho ficava vigiando se não vinha um jacaré-acanga de 5 metros, ou uma anaconda. Depois fui ficando cada vez mais curioso e tão distraído, vacilando na minha vigilância, que uma certa vez, cansado de tanto caminhar, parei para descansar e sentei num tronco caído, até que senti o tronco se mexendo debaixo da minha bunda, levantei rápido e ví que era uma jibóia… que media uns 39 metros deitada no chão mas depois mediu 45 metros quando a pendurei no varal e ela ficou esticada…

Bem… piadas a parte, quero anunciar que mais uma vez, a mexida ao acaso acabou numa nova invenção, justo a poucas horas atrás. Estou agora – nesta fase da evolução da cosmovisão da Matrix/DNA – focalizado nos fenômenos cérebro, luz natural e consciência, pois estas coisas parecem serem as ultimas ou próximas fronteiras do conhecimento sobre este nosso mundo material. Então ontem a noite me deparei com mais um interessante “scientific paper” publicado no Journal Neuron, da Universidade de Yale, sobre a anatomia e conexões internas de uma importante e central glândula do cérebro, chamada “hipocampo”. O hipocampo receceu este nome, “hipo”, que é uma palavra grega significando “cavalo”, porque sua forma é muito semelhante a forma do cavalo-marinho ( eu não sabia que no mar tem cavalos, aprendí mais uma nova, porem como tudo é possivel neste mundo louco, agora aceito se me disserem que tem cavalo surfista, cavalo submarino ou vacas flutuando no espaço sideral em órbita em volta da Terra, chamadas Luas-Vacas, eu aceito qualquer coisa). Mas acontece – outra coisa que eu não sabia – que o hipocampo existe em duplas, ou seja, são duas glandulas para cada cérebro, uma localizada no hemisfério esquerdo e a outra, no direito! Por outro lado, as neurociências estão cansadas de saber que o hipocampo tem funções relacionadas com a aprendizagem e memória. Ora,… curioso botei a imagem do cérebro com os dois cavalos marinhos sobre a mesa e fiquei olhando aquilo curioso, a cabeça fervendo com mil idéias ( os 5% de inspiração). A seguir botei tambem na mesa, ao lado do cérebro, outro papel com o desenho da fórmula da Matrix/DNA. meus olhos começaram a virar tão rápido de um desenho ao outro que em pouco tempo eu não via mais dois desenhos, apenas um, resultado da superposição dos dois. E de repente…”Heureka!!!”…

– “Deus é Grande! – murmurei aos meus botões… eu não sei se Deus tem algo a ver com cavalos marinhos, mas esta expressão sempre me escapa quando fico maravilhado descobrindo a incrivel sutilidade escondida por trás e por baixo dos fenomenos naturais. – “É claro que o hipocampo tinha que estar relacionado a memória e aprendizado! Pois ele é uma cópia biológica do nucleo da galaxia, a qual contem a memória inteira do sistema e ao reciclar os astros, dando vida a novos astros, solta-os a vagarem no espaço sideral, onde, se fossem inteligentes, estariam descobrindo o mundo e portanto…aprendendo! Mas tinha que ser assim, porque não pensei nisso antes?! O cérebro é uma nova evolucionaria arquitetura natural, o cérebro em si mesmo é um sistema natural, portanto ele foi montado pela mesma formula universal para todos os sistemas naturais, a fórmula da Matrix/DNA, cujas funções das peças são sempre as mesmas, seja na Terra ou no Céu! Que coisa incrível, fantástica! graças meu Deus por ter a oportunidade de estar existindo e ter a oportunidade de estar me maravilhando com essa obra fantastica de extraordinária inteligencia e engenharia que é essa Natureza!”

Para que algum possivel perdido leitor as veja e entenda o que estou querendo dizer, e seja onde estiver, pisque o olho na minha direção, num sinal de misterioso conluio e entendimento, sorrindo comigo, apreciando este momento de Nirvana, de descoberta que nos faz sentir estar tocando os pés do supremo mistério, exponho abaixo três figuras. Porque nos desenhos se vê tudo claramente. Ao se superporem, a folha de um desenho sobre a outra, os dois hipocampos na forma de objetos compridos e curvos, cabem direitinho em cima das duas hastes na forma de cabos compridos e curvos de uma secção do DNA! E ao mesmo tempo cabem direitinho em cima das duas hastes laterais do cone rotativo localizado no nucleo da galaxia! Claro! Os três foram desenhados pelo mesmo artista, e esse artista – já estou cansado de saber – apenas sabe fazer suas coisas aplicando sempre os mesmos traços, os mesmos métodos! Queres conhecer a mente e os pensamentos do artista? Observe a Sua Obra! Ela está aqui, na frente de seus olhos, ao nosso redor, nos envolvendo em seus braços por todos os lados, ela é a Natureza Universal! Não vá na conversa daqueles que dizem que recebem o conhecimento através de revelações gratuítas, sem fazer seu devido esfôrço, como enfrentar a selva bruta, ajoelhar-se humildemente à beira dos pantanos, onde os átomos das rochas sólidas se encontram com os átomos da água e começam a formar as primeiras moléculas já delineando o esboço da Vida!

Não existe perda de tempo e conhecimento inutil quando se trata de buscar conhecer cada detalhe da Natureza, seja em quimica, física, biologia ou mesmo da nova buracologia inventada pelo Stephen Hawking no seu estudo dos buracos negros. Pois quantos mais detalhes conheceres, mais pode mexe-los e remexe-los mentalmente, visualizando novos quadros do mundo. Como funciona o “mexer os objetos, misturá-los incansavelmente, que assim abrirão novos caminhos para novos objetos”? Como funciona o processo da mistura de elementos, primeiro ao simples sabor do acaso, depois tentando repetir e aprimorar as mais agradáveis e belas combinações que surgem? Mire-se no exemplo do que a Vida fêz com os elementos da Terra a 3,5 bilhões de anos atras, a qual selecionou naturalmente as melhores combinações, reproduziu-as cada vez sempre mais eficientes, estabelecendo este processo que Darwin descobriu tambem la na beira dos pantanos enquanto tinha tambem seus miolos cozinhados pelo calor da energia solar nos trópicos, e denominou o processo de “Evolução”, até o principio vital se sair com o primeiro sistema celular completo e funcional, uma cópia quase exata da galaxia que paira no céu.

Você está pensando o que?! Estás com esta atitude de humilde buscador do conhecimento, tocando as vestes da Inteligencia Suprema que está por trás desse mundo inteiro, e quando assim te comportas, esta Inteligencia se agrada de ti, abre seus braços e te acolhe, passando para ti um pouco de Sua Majestade, mais um naco da Grande Inteligencia, o pedacinho d’Ela que cabe no nosso pequenino cérebro, para que ele não exploda e se funda nossa cuca!

Sabendo agora que os dois hipocampos são a contraparte biológica de duas funções sistêmicas universais, que se encaixam em forma e funções na mesma região espacial que estão encaixados na contraparte sistêmica astronômica e na contraparte genética do DNA, (ufa… as vezes isto fica complicado!), fica mais fácil elaborar novas teorias do conhecimento do hipocampo, e quiça, o conhecimento mais detalhado do que é o hipocampo, pode nos levar a novas descobertas de mais detalhes ainda desconhecidos sobre sistemas astronomicos e sobre o próprio DNA. Basta para isso aplicar o método que venho aplicando desde cedo quando batí a minha primeira punhetada aplicando com violência os punhos no carrinho de bombeiros cujas cordas não o botava para funcionar. O método da anatomia comparada! Como humano sou gigante em relação a uma microscópica célula, então vejo-a de fora e de cima, assim apenas vejo com meu microscópio capenga do tempo do Linneu, a superfície da célula, enquanto seu interior permanece oculto e misterioso. Mas tambem como humano, sou uma minuscula bactéria dentro de uma gigantesca galaxia, posso vê-la de dentro para fora com minha luneta já esclerosada ainda do tempo do Galileu, enquanto a sua forma e superficie externa continua oculta e misteriosa. Ora,… sabendo que a Natureza não trai suas criaturas jogando dados da sorte com elas, levando-as à armadilhas mortais, sabendo que existe um unico e mesmo artista por trás de todas as arquiteturas naturais, portanto o que esta aqui embaixo tem que estar lá em cima, então basta pegar o conhecido exterior da célula aqui e transpô-lo para o desconhecido exterior da sua ancestral galaxia lá em cima para inferir como é e como funciona a parte dela que não posso ver por estar dentro dela, ao mesmo tempo que basta pegar o pouco conhecido interior da galaxia que posso ver daqui e transpô-lo para o interior da célula que não posso ver por estar fora dela e assim inferir o que é e como funciona o que está oculto nela… Estás vendo? É muito fácil romper as barreiras da ignorância e caminhar firme, forte de cabeça erguida para a frente, mandando aos diabos aqueles que sempre disseram aos nossos pais que eles seriam incapazes, inferiores, por serem brasileiros, de um pais de terceiro mundo, e eles vindos da iluminada Europa, seriam do primeiro mundo… Eu sou americano inclusive por juramento a bandeira americana, mas antes disso sou irmão na espécie humana, estou aí para somar, para caminhar-mos juntos resolvendo nossos comuns obstáculos, e não para humilhar ou tomar o que tens. A cosmovisão da Matrix/DNA está sussurrando aos meus ouvidos que todos os humanos, sem exceção de raça, cor, religião, situação politica ou econômica, são genes de uma nova transcendental arquitetura natural, por isso preciso mortalmente que todos sejam criativos, que ajuddem a empurrar esta Humanidade inteira para ferente, para os destinos mais sublimes que tenho certeza, nos aguardam no próximo futuro. Vamos dar as mãos aos necessitados para levanta-los e ajuda-los a caminhar, ao mesmo tempo que vamos tentar estimular os abastados que caminhem carregando a bandeira magistral da grande causa humana.

Na galaxia as duas hastes laterais do vortex rotativo central na verdade não existem como entidades materiais são apenas fôrças, campos magnéticos, esboços primitivamente evolucionários do que mais tarde ganharia consistência material na forma biológica das duas hastes laterais do DNA. O processo de auto-reciclagem dos sistemas astronomicos ( um sistema estelar ou galáctico se desfaz em nebulosa de poeira estelar, essa nebulosa rodopia sobre si mesma devido ao movimento rotativo do próprio Universo, criando um rodamoinho como eixo central, o qual capta, consolida e emite bolotas na forma de nos astros, novas estrelas, novo sistema astronomico), faz com que todas as informações de um sistema passe obrigatoriamente dentro do nucleo central, portanto o nucleo é a caixa da memória do sistema. No DNA, as quatro variáveis internas ( guanina, citosina, adenina,timina) não param quietas, mexendo na sopa citoplasmática sempre criando novas proteínas, novas informações, as quais passam obrigatoriamente para o grande açúcar estacionado na haste, o qual fixa-as como uma memória. Esta molécula de açúcar como memória fixa a forma do organismo, denominada “fenótipo”, para transmiti-la inteira e intacta à nova secção do DNA que se construirá a seguir neste eterno crescimento do DNA, enquanto os genes diferenciados pelas atividades das quatro bases determinam o genótipo e abre o organismo para novas mutações carregando assim para a frente a sua própria evolução. Precisamos agora relembrar o que esta ocorrendo nas hastes do DNA, o que se pode inferir das linhas de forças magnéticas do vortex galáctico, para aprender mais sobre o hipocampo. E depois que aprender mais sobre o hipocampo, retornar as hastes do DNA e as hastes do nucleo galático, para aprender mais sobre estes. O que importa agora é a descoberta de quem é e para o que veio fazer aqui esse dando de hipocampo com cara de cavalo marinho. Um abraço a todos meus abstratos e invisíveis amigos humanos que vão ler isto abstratamente apenas na minha fantasia porque acho que ninguem vai ter saco paras aguentar ler isto, mas seja como for, estou fazendo minha obrigação e cimprindo minha missão. Um brinde aos seus hipocampos fazendo cavalices no meio do seu cocuruto! Pois sua mente está avançando, criando seus caminhos, levando Neruda a mexer seu esqueleto lá onde está, pela satisfação por estares obedecendo a sua máxima.

A seguir temos as figuras da fórmula natural para sistemas naturais, uma figura de um esboço dos dois hipocampos situados no cérebro, e uma figura mostrando as duas hastes laterais do DNA . Temos então que imaginar dando uma torcida no circuito da formula para que o cone da F1 fique na base inferior. Feito isso temos que transpor mentalmente os dois hipocampos para cima das linhas laterias do cone. Temos que sobrepor as duas hastes do DNA sobre a figura dos dois hipocampos no cérebro. temos nestas três figuras, três importantes estágios da evolução do sistema universal, um a 10 bilhões de anos, outro a 3,5 bilhões e outro, o cérebro humano a talvez apenas 200 milhões de anos ( temos que colocar aí tambem o estagio que esta os nossos cérebros aqui e agora,  em pandarecos, mais biruta que o Mr. Bean, mas deixa isso prá lá) .  A partir dai começa a troca das características gerais e colheita dos resultados.

 

Fórmula da Matrix/DNA na Formação das Primeiras Galáxias e Astros Celestes.

Fórmula da Matrix/DNA na Formação das Primeiras Galáxias e Astros Celestes

 Hippocampus 1

 

A Formação Embrionária do Cérebro é Como Uma Sinfonia Em Três Movimentos… Que já Estava Escrita nas Estrêlas!

domingo, dezembro 29th, 2013

Imagine as origens de uma cidade como São Paulo. Ali chegam imigrantes de todas as partes, desde o Ceará, Bahia, Paraná, e também do Japão, da Itália, de Portugal, etc. No inicio todos estes povos fazem o mesmo modelo de casas já existentes no Brasil, a mesma cultura, a mesma alimentação, porque é pouca a variedade de materiais. Sómente depois, mais tarde, estas diferentes comunidades começam a trocar as casas por modelos de seus locais de origem, assim fazendo com alimentação, costumes, etc. Pois bem: é assim que se desenvolve o órgão mais importante do cérebro humano, o córtex central, centro do conhecimento, que define comportamentos, capacidades de percepção, assimilação, etc.  Pensávamos que – como acontece com o resto do corpo e mesmo com as outras áreas do cérebro – o neocortex estaria formado, finalizado, já no nascimento. Mas não! Cientistas descobriram que o neocortex tem uma segunda fase de formação que tem inicio na adolescência do individuo, quando entra em ação genes que praticamente separam o todo em regiões e ajudam a especialização de cada região para execução de diferentes tarefas, um processo que continua na fase adulta. 

É muito importante aos pais conhecerem esta informação para entenderem o que acontece na cabeça de seus filhos e assim saberem qual a época certa para ensinar isto ou aquilo. E muito curioso. Observe, por exemplo, como o desenvolvimento embrionário de um único cérebro humano imita fielmente a história da formação e desenvolvimento do cérebro biológico da espécie humana. No inicio desta História, e segundo a moderna teoria evolucionista, existia apenas um grupo de humanos primitivos na Africa. Começaram a emigrar para outros continentes, como Asia, Europa. Suspeito que quando chegavam nestes lugares, fossem quais fossem, procuravam fazer suas habitações no mesmo modêlo que faziam na Africa, considerando-se as diferenças e escassez de materiais, procuravam a mesma ou mais parecida alimentação, mantinham sua cultura, obviamente, já que não existia outra. Mas cada ambiente tem suas particulares especificas, a Europa é fria, a Asia tinha elefantes, etc. Estes detalhes dos ambientes foram modelando seus habitantes, transformando seus hábitos, até mesmo seus corpos, e por fim surgiu essa diversidade de povos que vemos hoje, diferenciados por suas regiões.

Pois é: Na Natureza, o que é verdade para a grande História Geral, é também verdade para cada pequena história individual. O processo da macro-evolução do cérebro da espécie humana é o mesmo processo do desenvolvimento a nível genético de um único cérebro individual. Aqui na teoria da Matrix/DNA tenho observado religiosamente este principio. Tenho repetido que não acredito que a Natureza jogue dados com suas criaturas, aprontando armadilhas para seus filhos caírem nelas; está fácil aprender qual o sentido da nossa existência, pois a maneira como a Natureza atua aqui, foi a maneira como ela formou este Universo e nós dentro dele. Ela não nos mostraria uma história falsa aqui, nos enganando. Tanto assim que vou projetando os pequenos conhecimentos que vou obtendo sôbre o aqui e agora para calcular como funciona o Cosmos e o que ocorreu no tempo passado para inferir como deve ter sido a História Natural Universal. E nesse trabalho descobri por exemplo que esta pequena história de um cérebro individual não apenas imita a Média História da Humanidade, mas vai mais fundo, imitando a História do desenvolvimento da Vida a nível universal. Pois se encontramos uma tribo original na Africa se espalhando e mantendo seus princípios nas novas terras, encontramos também uma arquitetura natural original no espaço celeste e formada pelos astros e estrêlas, se espalhando e mantendo seus princípios em cada planeta que alcançou.

Esta é nossa versão revelada no artigo contando a história de Luca, o “Last Universal Common Ancestor”. De certa forma, esta noticia sobre o cérebro humano é mais uma previsão acertada por minha teoria há 30 anos atras lá no meio da selva amazônica! Boa informativa leitura…   

Human brain development is a symphony in three movements

http://news.yale.edu/2013/12/26/human-brain-development-symphony-three-movements

By Bill Hathaway – December 26, 2013
O cérebro humano se forma e desenvolve com uma impressionante coreografia calibrada e marcada por distintos padrões de atividade dos genes em diferentes estágios desde o útero até a idade adulta – informaram pesquisadores da University of  Yale, no jornal Neuron.

A equipe da Yale conduziu uma analise de larga escala da atividade dos genes no neocortex cerebral – uma área do cérebro que governa a percepção, comportamentos e conhecimento – em diferentes estágios do desenvolvimento. A analise mostra a arquitetura geral das regiões do cérebro, que é formada nos primeiros seis meses depois da concepção por uma aceleração da atividade genética diferente para cada região do neocortex. Este rush é seguido por uma variedade de intermissões começando no terceiro semestre da gravidez. Durante este período, a maioria dos genes que estão ativos em especificas regiões do cérebro são paralisados – exceto os genes que desenvolvem conexões entre todas as regiões do neocortex. Então, no inicio da adolescência, a orquestra genética começa novamente e ajuda sutilmente a organizar e formar as regiões do neocortex que progressivamente executam tarefas mais especializadas, um processo que continua na fase adulta.

Esta analise é a primeira a mostrar este esquema tipo “ampulheta do tempo” do desenvolvimento do cérebro humano, com intervalos de calmaria na atividade genética entre elevados padrões de complexidade na expressão genética. “Intrigante – dizem os cientistas – é que alguns destes padrões de atividade genética que definem o esquema de ampulheta do tempo não foram observados no desenvolvimento de macacos, indicando que estes padrões executam uma regra na modelação das características especificas do desenvolvimento dos cérebros humanos. A descoberta enfatiza a importância da interação entre genes e meio-ambiente na fase infantil logo após o nascimento, quando a formação das conexões de sinapses entre as células do cérebro se tornam sincronizadas, e esta interação determina como as estruturas do cérebro serão usadas mais tarde na vida, disse Nenad Sestan, professor de neurobiologia do Instituto de Neurociências Yale’s Kavli  e autor supervisor da pesquisa. Por exemplo, disrupções de sincronização das conexões sinápticas durante os primeiros anos da infância tem sido implicadas no autismo.

Sestan disse que o cérebro humano é mais como uma vizinhança, a qual é melhor definida pela comunidade vivendo nela do que seus edificios. “O zoneamento do local pode ser construído rapidamente mas então tudo passa a ser mais lento,  o neocortex focaliza sómente no desenvolvimento de conexões, quase como uma rede elétrica”, disse Sestan. mais tarde quando estas regiões estão sincronizadas, as vizinhanças começam a definir distintas identidades funcionais, como o bairro dos italianos e o bairro dos chineses.”

( Mihovil Pletikos, Andre ́ M.M. Sousa, and Goran Sedmak of Yale are co-lead authors of the study. Other Yale authors are Kyle A. Meyer, Ying Zhu, Feng Cheng, Mingfeng Li and Yuka Imamura Kawasawa. The work was funded by the National Institute of Mental Health, the James S. McDonnell Foundation, and the Kavli Foundation.)

Diferenças entre cérebro masculino e feminino causa repercussão e debate. Mas o resultado fôra previsto há 30 anos pela Matrix/DNA

quinta-feira, dezembro 12th, 2013

O documento cientifico que alega ter encontrado fundamental diferenças nas conexões internas dos cérebros entre homens e mulheres teve grande repercussão e levantou criticas de muitos outros especialistas em neurologia, psicologia, etc. Para quem fala Português e quer ver o artigo, aconselho ir no link abaixo da Folha de São Paulo. Por meu lado, digo que as explicações para as diferenças dos cérebros não estão dentro dos cérebros, mas fora deles, na longa historia das origens e desenvolvimento evolucionista. Ao re-escrever a Historia Natural Universal nos seus 13, 7 bilhões de anos, baseando-me na interpretação dos modelos teóricos da Matrix/DNA, vi esta diferença em todos os momentos desta Historia, e como elas chegaram às atuais formas destas diferenças. Aqui mostro como estava diferença na era das galaxias, com a formula a seguir:

Explicação: Este diagrama retrata a forma em que se encontra o Sistema Natural Universal no estagio evolutivo de building blocks de galaxias. Aí percebemos que o circuito do fluxo de energia/informação funciona exatamente igual a como viria funcionar 3 bilhões de anos mais tarde os cromossomas sexuais masculino e feminino. O circuito divide o sistema em duas partes, e isto viria a ser mantido quando o Sistema natural Universal chegou a forma de cérebro humano, dividido em duas partes. O cromossoma feminino herdou esta característica de retratar o fluxo inteiro esférico, integrando as duas partes, apesar de que sempre expressa como dominante a parte direita. Enquanto isso, o cromossoma masculino, apesar de também conter as informações da totalidade do fluxo, sempre apresenta como dominante o fluxo da parte esquerda. A parte direita não é anulada, continua no registro, porem, não se expressava. O quadro desta formula se assemelha com o quadro obtido por fMRI dos cérebros masculino e feminino, e isto significa o obvio:  continua a mesma logica evolutiva, das galaxias à especie humana, apenas mudando os materiais segundo os diferentes ambientes em que a formula esteja operando e aumenta sempre a complexidade.

Minha Conclusão: “A fisionomia e anatomia dos cérebros humanos é uma projeção evolucionaria fiel da fisionomia e anatomia contida nos seus cromossomas sexuais. Enquanto que a fisionomia e anatomia do conteúdo dos cromossomas sexuais é uma projeção evolucionaria da fisionomia e anatomia dos building blocks das galaxias desde a 10 bilhões de anos atras.”

Existe apenas uma pequena diferença entre a previsão auferida da observação desta formula com o resultado apresentado agora pela equipe cientifica: enquanto a Matrix/DNA esta sugerindo que o elemento masculino tem operação cerebral muito forte no hemisfério esquerdo e muito fraca no hemisfério direito, pelo que estou entendendo da interpretação cientifica do fMRI, ela sugere que que as duas intensidades são iguais ( ao menos é o que estou deduzindo das figuras abaixo). Mas eu suspeito que, ou os cientistas não deram importância e não mencionaram esta diferença, ou estão interpretando o resultado errado. Pois acho que é sobejamente conhecido que usamos muito mais o hemisfério esquerdo que o direito, ao menos, os homens). Outro detalhe que vamos agora estudar é as diferenças relacionadas ao cerebelo. Mas desde já adianto que a 30 anos atras eu escrevia o resultado das minhas interpretações onde os dois sexos apresentavam anatomicamente detalhes físicos que expressam as metades não dominantes dos dois cromossomas, ou seja também, dos dois fluxos na formula. Isto explicava as origens dos seios nas mulheres e dos “dois “ovos” nos homens. Agora me parece que vou dar um grande salto no conhecimento do cérebro graças à informação desta equipe cientifica, pois estou prevendo que o cerebelo representa aquela metade não expressada porem registrada. Eu nunca havia notado isto antes, devido estar ainda muito atrasado no levantamento da anatomia cerebral devido minha falta de tempo.  

Portanto, a Matrix/DNA é a unica que entra no debate trazendo esta perspectiva evolucionaria e sua universal explicação. Vejamos figuras publicadas como resultado do fMRI:

 

 

Cérebros masculino e feminino | Foto: PA

Creio que nesta figura, os dois cérebros superiores com linhas azuis sejam masculino e os dois inferiores sejam femininos.

XXXXXXX

Mas vamos agora expor na Historia Natural Universal esta particularidade da evolução que se iniciou com o Big Bang e chegou aqui e agora como diferenças anatômicas e funcionais entre cérebros masculino e feminino.

Em primeiro lugar, um observador racional que consegue pensar como não-humano, ou seja situando-se fora do objeto estudado, vai inquirir como a matéria natural e não inteligente deste pequeno planeta perdido na imensidão cósmica, ou quiçá, da totalidade deste Universo observável,  conseguiu fazer com que dois corpos separados no espaço sejam tão perfeitamente simétricos e complementares em relação a forma física e tão assimétricos e não-complementares em relação as tendencias do caráter. E ao se fazer esta pergunta, se o observador tiver seu conhecimento no nível do atual conhecimento cosmológico humano (principalmente o modelo da cola nuclear do Físico e Prêmio Nobel, Hideki Yukawa), vai imediatamente se lembrar que a mesma situação, em todos os seus detalhes, ocorreram em outro tempo e lugar muitos distantes e com elementos muito diferentes. Refiro-me aos eventos das origens do Universo. Quando um segundo após o Big Bang, pipocavam neste espaço, vórtices fantasmagóricos ( a Física chegou a conclusão que ao se dividir a matéria em suas partes cada vez mais minusculas, chega-se ao ponto em que tudo se parece com vórtices abstratos, que podem surgir de vibrações no vácuo),  os quais, alem de serem todos diferentes entre si em algum minimo detalhe, tal como os 7 bilhões de humanos hoje diferem entre si em algum minimo detalhe, os vórtices eram divididos em dois grupos, um girando para a direita (spin right) e o outro girando para a esquerda (spin left).  A outra diferença fundamental dentre os dois grupos eram serem simétricos entre si na forma ( os dois grupos tinham a mesma forma de vórtices), porem assimétricos nas tendencias ( vórtices apresentam todas as sete forças brutas naturais, mas os de spin left apresentam-nas negativas e os spin right apresenta-as positivas, em linguagem da Física) . O que quero dizer é que o quadro geral do Universo nos instantes das suas origens é exatamente igual ao quadro geral da ultima arquitetura resultante aqui e agora, ou seja, a especie humana!  – depois de uma historia evolutiva de 13, 7 bilhões de anos! Incrível mera coincidência?! Nada tem a ver uma coisa com a outra? Isto é mera ocorrência ao acaso?! Ora… ilógico seria se fossem diferentes os dois quadros. Se fosse mera coincidência, se fosse produto do acaso, ou se uma coisa ocorreu totalmente independente da outra, is to significaria terminantemente que houve alguma interferência sobrenatural na longa cadeia de causas e efeitos em que se constitui a Historia Natural Universal. E para quem recusa-se a aceitar tal possibilidade, sô existe uma resposta racional: tinha que ser assim. O masculino é a forma atual do vórtice girando num sentido, e o feminino é a forma atual do vórtice girando no outro sentido. É claro então que tem de existirem diferenças fundamentais, poucas simétricas (como tamanho, complementaridade dualística sexual, etc.), e muitas assimétricas (como as conexões internas), entre o cérebro do homem e da mulher, pois suas naturezas são diferentes, elas se apresentaram diferentes e separadas mo momento da origem do Universo ( apesar de que, como explico abaixo, a Matrix/DNA sugere que estavam juntas num só corpo, num só sistema, antes do Universo).

A questão da complementaridade é um tema de fundamental importância para se entender a existência do Universo e mesmo a nossa, porem ela é muito complexa, pois sua explicação final jaz alem deste Universo, no sistema desconhecido que o gerou. Ela se relaciona ao fenômeno da dualidade presente em todos os sistemas e que produz os conflitos e equilíbrios entre forças naturais. Ao se tentar entende-la, inevitavelmente caímos na metafisica, pois emerge a visão do sistema criador como tendo um conflito interno e que a razão da existência do Universo e da alma humana nele é justamente resolver, aniquilar este conflito, pois do embate quase eterno entre as duas facções, termina resultante num equilíbrio que se denomina “sabedoria”, a qual esta acima das duas diferenças. Ao se tentar entende-la descobrimos mais um mecanismo fluindo na natureza de extrema importância, que resumidamente seria assim: “no inicio, os dois eram opostos entre si, contrários em tudo, todos os gostos, preferencias, tendencias. Se um dizia que o melhor caminho é para o sul, o outro imediatamente discordava dizendo que o melhor caminho é para o norte. Com isso se entrechocavam, se combatiam, mas o combate produzia o caos a sua volta, ambiental. O caos enfraquecia os dois, que caiam lado a lado desfalecidos, e assim, pela primeira vez, começavam a perceber que sua guerra não fazia sentido, já que seriam ambos sempre os perdedores.  Terminavam por entrar num acordo onde seus caráteres duros amoleciam e um cedia 50% de sua verdade ao outro e assimilava os outros 50% da verdade do outro e assim finalmente se complementavam. Desta união surgia uma terceira figura, como filha dos dois, nem positiva, nem negativa. Emergia a paz e harmonia, trazendo a ordem ao ambiente. Porem com o passar do tempo os caracteres da terceira figura voltam-se a se dividirem, tem inicio os conflitos, o caos, o ciclo se repete, ate que finalmente emerge a nova figura transcendental. Esta tem sido a historia das partículas que transcenderam quando compuseram o sistema atômico, dos astros quando compuseram a galaxia, dos animais quando chegaram a forma humana. Assim caminha a evolução.

Assim como aconteceu com as religiões, intuitivamente aclamando uma luta entre o bem e o mal, ou entre Deus e Lúcifer, etc., assim também nos vemos sendo levados nesse raciocínio, por isso tenho evitado avançar neste estudo, pois, não será o meu pequenino cérebro que irá encontrar soluções para alem do Universo. A proposito vem a calhar a frase seguinte: “O pesquisador Ruben Gur, que integrou o grupo responsável pelo estudo, afirmou: “É surpreendente como os cérebros das mulheres e dos homens podem ser complementares”.

Claro, para tal observador hermafrodita e alienígena pensar nisto tudo ao ver pela primeira vez um corpo hermafrodita separado em dois corpos fisicamente auto-complementares ele precisaria conhecer a formula e visão de mundo da Matrix/DNA e alguns aspectos teóricos fundamentais da Física.

Mas antes de expor os detalhes e conclusões da Matrix/DNA, pretendo levantar os artigos e debates relacionados, estuda-los. registrando links e comentários aqui:

1) Paper Original: PNAS – December 2, 2013,

Sex differences in the structural connectome of the human brain

http://www.pnas.org/content/early/2013/11/27/1316909110.full.pdf+html?sid=896da6d3-01c3-4ee2-980d-a4c1a796b4e2

2) Pharyngula – Pz Myers

A cautionary note about fMRI studies

http://freethoughtblogs.com/pharyngula/2013/12/09/a-cautionary-note-about-fmri-studies/#comments

http://scienceblogs.com/pharyngula/2013/12/09/a-cautionary-note-about-fmri-studies/

3) Wired Magazine

Getting in a Tangle Over Men’s and Women’s Brain Wiring

http://www.wired.com/wiredscience/2013/12/getting-in-a-tangle-over-men-and-womens-brain-wiring/?cid=co15298434

4) Folha de São Paulo – Folha Ciências

Homens e mulheres têm conexões diferentes no cérebro, diz estudo

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2013/12/1379901-homens-e-mulheres-tem-conexoes-diferentes-no-cerebro-diz-estudo.shtml

5) BBC BRASIL

Cérebros de homens e mulheres têm ‘conexões diferentes’

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/12/131203_cerebros_homens_mulheres_lgb.shtml

(Obs.: continuar vendo a lista no Google e ver onde posso inserir comentarios)

XXXXXXXX

Inicio da Pesquisa da Matrix/DNA sobre o Método, Denominações e Atuais Conhecimentos da Ciência Humana:

Primeiro vamos conhecer o método pelo qual os cientistas chegaram as conclusões em seu “paper”:  fMRI

Wikipedia:

Functional magnetic resonance imaging (fMRI) –

Researcher checking fMRI imagesResearcher checking fMRI images

Functional magnetic resonance imaging or functional MRI (fMRI) is a functional neuroimaging procedure using MRI technology that measures brain activity by detecting associated changes in blood flowThis technique relies on the fact that cerebral blood flow and neuronal activation are coupled. When an area of the brain is in use, blood flow to that region also increases.

The primary form of fMRI uses the Blood-oxygen-level dependent (BOLD) contrast,[2] discovered by Seiji Ogawa. This is a type of specialized brain and body scan used to map neural activity in the brain or spinal cord of humans or other animals by imaging the change in blood flow (hemodynamic response) related to energy use by brain cells. Since the early 1990s, fMRI has come to dominate brain mapping research because it does not require people to undergo shots, surgery, or to ingest substances, or be exposed to radiation. Other methods of obtaining contrast are arterial spin labeling and diffusion MRI.

The procedure is similar to MRI but uses the change in magnetization between oxygen-rich and oxygen-poor blood as its basic measure. This measure is frequently corrupted by noise from various sources and hence statistical procedures are used to extract the underlying signal. The resulting brain activation can be presented graphically by color-coding the strength of activation across the brain or the specific region studied. The technique can localize activity to within millimeters but, using standard techniques, no better than within a window of a few seconds.

FMRI is used both in the research world, and to a lesser extent, in the clinical world. It can also be combined and complemented with other measures of brain physiology such as EEG and NIRS. Newer methods which improve both spatial and time resolution are being researched, and these largely use biomarkers other than the BOLD signal. Some companies have developed commercial products such as lie detectors based on fMRI techniques, but the research is not believed to be ripe enough for widespread commercialization.

(Continuar a ler o extenso artigo da Wikipedia)

Wikipedia:

Haemodynamic response :

In response to performing physical activities, the body must adjust its blood flow in order to deliver nutrients such as oxygen and glucose to stressed tissues and allow them to function. Haemodynamic response (HR) in the context of neurobiology consists of the rapid delivery of blood to active neuronal tissues. Since higher processes in the brain occur almost constantly, cerebral blood flow is essential for the maintenance of neuronsastrocytes, and other cells of the brain. ( continuar a ler esta definição)

Intervenção da Matrix/DNA:

O melhor “biomaker” a ser usado para entendimento da funcionalidade e operações do cérebro é a formula para sistemas naturais perfeitos, pois o cérebro é uma nova forma evolutiva de sistema natural e sua forma se projeta como forma das suas regiões internas, incluindo os grupos diferenciados de neurônios e as sinapses resultantes de suas conexões, tudo funciona pelo mesmo tipo de circuito universal. Tendo-se fixado a formula para sistema perfeito, torna-se mais fácil identificar dentre as operações internas os sub-sistemas, suas conexões e assim, pela anatomia comparada, identificar o detalhe especifico que torna o sub-sistema diferente de todos os demais, assim como o ponto no circuito do sub-sistema que seja diferente do circuito padrão da formula, identificando-se assim as anomalias e causas das doenças ou disfunções mentais. Esta técnica seria aplicada criando-se um software com o diagrama da formula em estado de funcionamento animado, inserindo-a no computador e dirigindo o computador a identificar no emaranhado de sinapses e fluxos sanguíneos, etc, que ocorrem no cérebro, os sub-circuitos sistêmicos internos iguais ao circuito da formula. No inicio a produtividade do computador deve ser pequena ou quase nula devido a quantidade de milhões ou bilhões de indivíduos-exemplares a serem identificados, por isso pesquisadores ao lado dessa operação tentariam faze-lo manualmente, também. Infelizmente eu ainda não possuo os equipamentos para realizar pesquisas por fMRY, não tenho acesso a tais equipamentos nas instituições e não tenho poder de comunicação para alcançar e convencer os pesquisadores sobre este novo método de abordagem deste fenômeno natural.     

XXXXXXXXX

Sobre as dificuldades desta tecnologia, PzMyers nos alerta (os grifos e cores são meus para posterior pesquisa):

” First, let’s all be really careful about the overselling of fMRI, ‘k? It’s a powerful tool, but it’s got serious spatial and temporal resolution limitations, and it is not, as many in the public seem to think, visualizing directly the electrical signaling of neurons. It’s imaging the broader physiological activity — respiration, oxygen flux, vascular changes — in small chunks of the brain. If you’re ever going to talk about fMRI, I recommend that you read Nick Logothetis’s paper that cooly assesses the state of affairs with fMRI.

The limitations of fMRI are not related to physics or poor engineering, and are unlikely to be resolved by increasing the sophistication and power of the scanners; they are instead due to the circuitry and functional organization of the brain, as well as to inappropriate experimental protocols that ignore this organization. The fMRI signal cannot easily differentiate between function-specific processing and neuromodulation, between bottom-up and top-down signals, and it may potentially confuse excitation and inhibition. The magnitude of the fMRI signal cannot be quantified to reflect accurately differences between brain regions, or between tasks within the same region. The origin of the latter problem is not due to our current inability to estimate accurately cerebral metabolic rate of oxygen (CMRO2) from the BOLD signal, but to the fact that haemodynamic responses are sensitive to the size of the activated population, which may change as the sparsity of neural representations varies spatially and temporally. In cortical regions in which stimulus- or task-related perceptual or cognitive capacities are sparsely represented (for example, instantiated in the activity of a very small number of neurons), volume transmission— which probably underlies the altered states of motivation, attention, learning and memory—may dominate haemodynamic responses and make it impossible to deduce the exact role of the area in the task at hand. Neuromodulation is also likely to affect the ultimate spatiotemporal resolution of the signal.

ch3qs8

 

 

Físicos Encontram Evidencias de que o Universo é um “Cérebro Gigante”. A Matrix/DNA Concorda e Discorda

terça-feira, dezembro 3rd, 2013

Physicists Find Evidence That The Universe Is A ‘Giant Brain’

http://www.huffingtonpost.co.uk/2012/11/27/physicists-universe-giant-brain_n_2196346.html?just_reloaded=1

Mapping between the de Sitter universe and complex networks.

Um dos pensamentos que me vinham a mente quando estava na selva amazônica era: “Aqui estou na Natureza bruta, virgem, selvagem. Elementos desta selva como o solo intacto foram testemunhas das origens da vida aqui. Este ecossistema evoluiu e finalmente produziu essa extraordinária engenharia que é um cérebro humano. Portanto este ecossistema é um ancestral do cérebro, todas as complexas propriedades do cérebro atual tiveram seus princípios aqui. Eu, não como humano, não como cérebro, mas como uma nuvem ou uma bolha de pensamento, me situo no meio entre dois extremos de uma longa historia, duas pontas – numa, esta selva virgem, e na outra, um cérebro humano – e devo tentar decifrar, re-escrever esta historia de evolução, se quero ao menos tentar ter alguma noção do que sou enquanto um ser pensante.”

Pensamentos loucos de um filosofo andarilho vivendo com os macacos? Pois tem gente mais “louca”do que eu, e olha, cientistas ocupando cadeiras na cátedra! Pois agora foram alem da selva como a origem do cérebro, passaram pelo sistema solar, atravessaram as galaxias, e estão vendo-a muito antes e muito alem do lugar onde a vi: o Universo inteiro! Ufa! Estou salvo! Não sou o mais louco…

Mas um detalhe interessantíssimo devemos notar aqui. os cientistas foram conduzidos a esse tema quando iniciaram por experiencia fazendo simulações no computador sobre conexões entre elementos naturais, desde neurônios no cérebro as conexões entre os sistemas astronômicos. Por outro lado, pergunto: O que estava fazendo o pensamento do filosofo na selva ao observar o ecossistema, registrar os movimentos dos elementos, procurar fluxos de conexões, e seguir calculando tudo isso sob as três premissas básicas da teoria da evolução (variação, seleção, herança genética)? Ora seus cálculos eram simulações, como a do computador. E porque o cérebro humano despontava da observação da selva para o filosofo e o mesmo cérebro humano despontou do Universo para o computador? Porque os dois calculistas, os dois “pensadores” tem algo em comum: o computador foi feito a imagem e semelhança do cérebro humano… Isto é reconfortante para mim, pois sabendo-se que o cérebro do computador funciona obedecendo uma logica irrepreensível, e que ele chegou ao mesmo resultado que eu, isto indica que meu método de pensamento segue alguma logica, ou que meus circuitos estão de alguma maneira logicamente conectados. Muitas vezes tenho duvidado disso, sempre suspeitando de mim mesmo, ou seja, das coisas que meus pensamentos produzem. E por isso sempre apliquei o método de nunca dar um passo seguinte nos cálculos sem antes buscar algum fato ou evento real, comprovado, que sirva de para metro para a conclusão ou resultado anterior. Por exemplo: se o Stephen Hawking aplicasse este método, ele nunca teria deixado a matemática dirigi-lo ao ponto dele elaborar a teoria de buracos negros, pois não existe fato natural realmente comprovado que seja embase a existência de tal “fantasma”.

Mas a minha teoria final denominada Matrix/DNA concorda e discorda com a interpretação dos cientistas da University of California San Diego. Meus modelos estão sugerindo que o Universo esta no passado do cérebro, não esta no presente, e no futuro o final produto do Universo sera o mesmo final produto dos cérebros vivos. Complicado? Deixa-me explicar.

A evolução que começou com o Big Bang e continua por aqui nos dias de hoje foi a evolução de um só sistema natural. Costumamos pensar que o sistema atômico, o galáctico, o celular, o cerebral, etc., vieram de acidentes ou mutações quebrando a longa sequencia de causas e efeitos. Por isso temos que encontrar magicas e supernaturais intervindo nesta historia, ou então, relegar suas origens ao sabor do acaso. Nada disso. Assim como um corpo humano surge na forma disforme de uma morula, muda para a forma de blástula, depois feto, baby, adulto, cadáver… assim acontece com o sistema universal que surgiu no Big Bang e logo tomou a forma de uma nebulosa disforme de átomos. O sistema universal esta também sujeito ao processo do ciclo vital contado em bilhões de anos assim como nos estamos com o nosso contado em cerca de 80 anos. Ora, por mais diferente que a forma de morula seja da forma de um adulto, dentro das duas formas existem a mesma formula genética. Eu fui uma mera bolota tempos atras, mas meu DNA estava la. Por isso estão encontrando similaridades entre o Universo e o cérebro humano: um é ancestral do outro, nos dois existe a mesma formula genética Universal, a Matrix/DNA. Portanto. o resultado que apareceu no computador agora é mais uma confirmacao das previsoes que meus modelos fizeram a 30 anos atras… no meio da selva amazonica ! …

A evolução começou no Big Bang e caminhou direitinho respeitando os desígnios de seja la quem foi que disparou o Big Bang, mas quando chegou na forma de galaxia,… degringolou. saiu fora da rota. O sistema universal vinha composto de duas faces: a face física hardware e a face não muito física do software, como esse computador tem a maquina e um programa de instruções que não se vê, como o Windows. E também o cérebro humano continua com essa composição sendo o cérebro o hardware e isso a que chamamos de mente, como conjunto dos pensamentos, é o software. Pois, apesar de o software do sistema universal ainda ser muito primitivo, e sonâmbulo quando a evolução chegou na formula de galaxia, ele, o software deixou-se dominar pelo desejo da matéria que é constitui para si um estado paradisíaco num equilíbrio termodinâmico eterno. O software, que foi uma vez chamado de Adão e Eva por uns caras que liam a nossa memoria registrada no nosso atual DNA, desafiaram o desejo do criador do Universo e interromperam a evolução.

O Universo é um mero conglomerado de aglomerado de galaxias, e deve ser meio disforme como uma morula. A evolução do pequeno para o grande parou aqui. Cada galaxia é como cada célula formando a morula. É possível ate mesmo que as galaxias sejam como fosseis de uma especie que ficou no passado. Se eu tivesse o aparato tecnológico que estes cientistas tem, e tempo para gastar com esse tipo de assunto, eu colocaria também no computador entre o Universo e o cérebro, uma morula, para ver se as conexões entre os elementos internos da morula não batem com o mesmo padrão detectado pelo computador.

Este é o ponto de discórdia entre a conclusão dos cientistas e a sugestão da Matrix/DNA. Não, o Universo não é um gigante cérebro, muito menos, ele não esta pensando. O Universo não esta pensando agora num jeito de como ele vai entrar nos estádios e assistir a Copa do Mundo. Mas os modelos da Matrix/DNA estão sugerindo que o produto final da evolução do sistema universal que continua no meio destas galaxias, sera um ser auto-consciente. esta sugerindo que os seres humanos, porque são conscientes, são como genes construindo este “filho” do criador ex-machine. Mas não apenas os humanos e sim todas as formas de vida que sejam conscientes e que devem existirem aos bilhões por esse Universo afora. Este ser auto-consciente sera um produto do Universo na forma de conglomerado de galaxias que se parece com um cérebro gigante. Como sabemos que auto-consciências emergem de cérebros, então, neste sentido, sim, o Universo inteiro sera como um cérebro. Entendeu? Se sim, desmanche tudo, não acredite em nada, porque são meras conjecturas de um cara que eu suspeito dele.

– “Ahhh… para de me encher o saco, pô…” ( parece que ouvi você dizer isso?)

Hummm… apenas para enfatizar que existem outros mais loucos por ai ocupando posições de destaque social, perto dos quais eu sou “fichinha”, informo que este assunto foi motivo de um “paper” cientifico, submetido, analisado e aprovado pela Nature, o órgão mais creditado do mundo acadêmico! Veja o link:

Network Cosmology

http://www.nature.com/srep/2012/121113/srep00793/full/srep00793.html

NATURE.COM

E  O MEU COMENTÁRIO POSTADO NO HUFFINGTON POST:

Ok, esta havendo algum problema que nao consigo postar. Checar mais tarde

“while such systems appear very different, they have evolved in very similar ways.”

All natural systems are made by the same natural formula, the Universal Matrix/DNA, which is showed at my website in shape of functional software diagram. My models are suggesting that the Universe, as agglomerate of galaxies, is not a giant brain, but, galaxies are a system ancestral to brains, structured upon the same formula, then, the similarities of connections. These scientists could do better if they know the formula.  See my article about this issue at: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=6905