Posts Tagged ‘Neuronio’

Cérebro: Giro dentado continua produzindo neurônios na velhice depois da parada no hipocampo

terça-feira, março 26th, 2019

xxxxx

O que interessa `a Matrix/DNA aqui? Saber que a produção de neurônios no hipocampo diminui com a idade ao mesmo tempo que novos neurônios continuam sendo produzidos na região do “giro dentado” até os 90 anos. Que diminua no hipocampo estava previsto na formula da Matrix/DNA – F1 enfraquece com o passar do tempo devido a entropia e diminui a produção de F2. Mas que outro F possa produzir neurônios e ainda, continuaria a produzir depois do enfraquecimento de F1, não esta’ previsto. Uma possibilidade é que F4 continue a ejacular as sementes que F1 produziu antes de parar e ainda estavam em F2 e F3. Por isso fica o artigo registrado para se fazer uma pesquisa no que é e como funciona o giro dentado.

Atualização: Oh, yes! Ao ver a anatomia do hipocampo e a forma do giro dentado matei a charada na hora: o giro dentado é a representação cerebral de F2, a zona do horizonte de eventos que circunda F1 (núcleo do hipocampo) e que contem os germes expedidos por F1. Os quais vão se tornarem neurônios quando se tornarem babies… Esta’ explicado e reforçada a teoria da formula. Mas isto significa que a produção de neurônios pelo giro dentado e limitada `a quantidade de germes que ficaram no giro dentado e significa que estes germes não surgiram no giro dentado.

Cientistas revelam que cérebro humano cria novos neurônios até os 90 anos

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/efe/2019/03/25/cientistas-revelam-que-cerebro-humano-cria-novos-neuronios-ate-os-90-anos.htm

Original paper (Nature, tem que comprar, U$ 9,00):

Adult hippocampal neurogenesis is abundant in neurologically healthy subjects and drops sharply in patients with Alzheimer’s disease

https://www.nature.com/articles/s41591-019-0375-9

…. um estudo publicado na revista “Nature” no ano passado determinou que o desenvolvimento de neurônios no hipocampo sofre desaceleração com o passar dos anos e é interrompido totalmente na vida adulta….”O nosso trabalho mostra pela primeira vez que a maneira em que o tecido é tratado e processado condiciona profundamente a visualização de novos neurônios no hipocampo humano”, explicou a pesquisadora à Agência Efe…. Porém, além de aplicar períodos de fixação muito controlados, o estudo identificou três métodos adicionais que permitem visualizar “otimamente” a presença de novos neurônios no giro dentado humano de um adulto, o que fez com que os pesquisadores pudessem conhecer, pela primeira vez, dados únicos sobre o amadurecimento dos novos neurônios criados nessa região do cérebro….

Pesquisa:

giro dentado humano – dentate gyrus (DG)

Image result for dentate gyrus

Você pode visualizar a correspondência entre o giro dentado e F2, e entre o Hipocampo e F1, na figura grosseira abaixo frita na selva amazônica como modelo do building block das galaxias baseado na formula da Matrix/DNA. Aqui, F2 e a região manchada de pontinhos representando a poeira estelar que envolve o vórtice nuclear, o qual evoluiu para a forma de hipocampo no cérebro humano. As esferas amarelas no meio da poeira representam os germes estelares, enquanto no giro dentado representam os novos neurônios.

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Cerebro e Matrix/DNA: Inteligencia Surge de Um Algoritmo no Cerebro Humano

domingo, março 26th, 2017

xxxx

Ha’ mais de um seculo – depois de algumas importantes descobertas sobre o cérebro – tem sido acreditado que existe uma infra-estrutura no estilo computacional que deve estar oculta por trás das funções do cérebro e tem-se insistido que e’ necessário descobrir esta infraestrutura para se entender melhor este cérebro. Esta logica computacional, acreditam os acadêmicos – deve dirigir a maneira pela qual as células neuroniais se conectam para produzirem o conhecimento inteligente e a flexibilidade nas atuações. Existe uma tal de Teoria da Conectividade que já’ sugeriu que a origem da inteligencia esteja enraizada numa logica de permutação na base da potencia-de-dois, um conceito bastante comum em algoritmos na programação computacional. Agora os cientistas responsáveis por um paper publicado nesta semana revelam uma pesquisa pela qual acreditam que confirma a teoria. A formula algorítmica seria N = 2i−1 ( onde i para números de entradas de informações distintas; N e’ o numero de neuronial cliques com todos os padrões possíveis de conectividades combinadas).

Por outro lado, eu – que venho da selva com uma teoria cosmovisionária para caipiras da roça – penso ter descoberto ha’ 30 anos atras uma formula que pode ser interpretada como um conjunto de algoritmos que teria modelado e inserido as funções no cérebro. Mas a formula que sugiro e’ mil vezes mais complexa e tem a grande diferença de produzir processos vitais e não apenas no estilo mecanicista computacional. Esta teria sido a formula aplicada pela Natureza para organizar a matéria em sistemas naturais e o cérebro em si mesmo e’ um sistema natural.

Esta formula e’ representada por uma figura animada pois suas variáveis são produzidas pelo processo do ciclo vital. Porem, a representação da formula e’, ao mesmo tempo, um programa de algoritmos como dos mais simples para softwares – descobri isso a 30 anos atras ainda na selva. Acontece que o cérebro em si mesmo e’ mais um sistema natural e portanto, deve ter sido modelado pela formula que e’ um conjunto de algoritmos. Então o que a Teoria da Conectividade e a investigação dos cientistas publicada hoje estão batendo com minhas previsões de 30 anos atras. Mas tem umas diferenças cruciais nas interpretações deste fenômeno e para explica-las preciso trazer a formula para cá:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Segundo minha teoria, o cérebro esta montado em cima desta formula. Devido uma serie de dificuldades ( como a falta de tempo, a falta de acesso aos cientistas da área, etc.) eu ainda não pude identificar qual elemento do cérebro corresponde a qual F (função sistêmica) da formula. Tenho anotado centenas de papers sobre as informações, mapas cerebrais e as mais recentes descobertas no campo das ciências neurológicas buscando montar essa identificação, porem a falta de tempo e condições de trabalho estão me atrasando. Alem disso, eu preciso algo que acho não existir: figuras inteiras do interior do cérebro para ter uma visão de conjunto como tenho da formula. A primeira indicação que salta aos olhos ‘e que `a esquerda da F5 temos o hemisfério esquerdo, e a direita de F5 temos o hemisfério direito. A base central, nuclear do cérebro deve ser a região do hipocampo e portanto este deve corresponder a F1, o qual’e’ o núcleo e o inicio do circuito da formula. Mas depois, no cérebro vem suas partes, como as glândulas, etc. e estas partes que precisamos identificar de acordo com suas funções. Então, num primeiro relance, penso que as camadas de neurônios representam os espaços das setas na formula, os quais são, na formula, as formas do corpo que rola sob a forca do ciclo vital. Se isto for correto, a teoria dos investigadores esta’ muito distante de finalizada. Eles estão pensando que apenas as camadas de neurônios, suas diferentes regiões no cérebro são o hardware onde se instala e se processa o software algorítmico. Estão ignorando as peças do cérebro nestas regiões?

Eu penso que o cérebro esta dividido – vertical e horizontalmente – em seis regiões, cada região tem um função especifica em qualquer pensamento, mas cada região e’ um sub-sistema no mesmo modelo da formula, ou da totalidade do sistema que e’ o cérebro.

O fato e’ que o cérebro tem uma grande diferença com computadores, apesar de que os humanos criaram os computadores como uma imitação do cérebro. A diferença e’ que o cérebro e’ autônomo, cria e produz e modifica, transforma por si próprio, enquanto o computador nada faz disso. Em outras palavras o cérebro e’ um sistema vivo e o computador um sistema em hibernação, mecânico. A diferença vem do fato que o código em que o cérebro se baseia e’ um código vivo, de algoritmos vivos, porque esta animado pelo ciclo vital. Então esta investigação acredita que descobriu a causa da inteligencia baseado num exercício matemático do calculo de todas as variáveis do numero dois elevado a uma potencia n, e disso resulta uma sequencia fixa, mecânica, linear de números.

Na minha macaquica e humilde opinião, eles vão se deparar com um cérebro-maquina, morto, que nada vai produzir do que o cérebro vivo produz. Muito menos a inteligencia com sua criatividade e autonomia. Não vejo como as nossas ciências vai mudar esta abordagem enquanto imperar no meio acadêmico esta visão de mundo mecanicista e redutora. talvez estes pequenos avanços no caminho errado sejam o guia para endireitar sua cosmovisão, pois a ciência tem progredido pelo método tentativa e erro para então descobrir o acerto. Vou me esforçar para estudar e assimilar o que fizeram pois nesse meio tem as informações cientificas que foram ( junto com as informações da natureza bruta da selva), a base da minha cosmovisão.

Fui notificado desta pesquisa primeiro por um artigo no link ( e dai puxei o paper cujo link vai depois a seguir):

https://futurism.com/new-clues-hint-at-the-imminent-release-of-teslas-newest-model/

Intelligence May Stem From a Basic Algorithm in the Human Brain

A theory posits that the all of our thoughts are a function of a basic algorithm, N=2^i–1. ( A teoria sugere que todos os pensamentos são uma função básica algorítmica: N=2^i-1)

This development may be huge for AI, since artificial neural networks operate much like the brain, applying this formula may be the key to true intelligence. ( Este desenvolvimento pode ser valioso para Inteligencia Artificial, desde que rede neuroniais artificiais operam aparentemente como o cérebro, aplicando esta formula pode ser a chave para a verdadeira inteligencia natural.)

 

The brain’s formula

Neste artigo obtive o Scientific Paper, cujo titulo e link e’:

Brain Computation Is Organized via Power-of-Two-Based Permutation Logic

http://journal.frontiersin.org/article/10.3389/fnsys.2016.00095/full

Original Research ARTICLE

Front. Syst. Neurosci., 15 November 2016 | https://doi.org/10.3389/fnsys.2016.00095

Meu comentario publicado no paper da Frontier:

I am a layman in this specific area, but from my specialized field I think I can offers a new insight to the authors about this “flexible behavior”. My theoretical results are suggesting ( since about 30 years ago), a general natural formula for all natural systems, and the brain’s structure for this process called “intelligence” must obey that formula. It happens that the formula is an algorithmic representation (as you can see the formula at my website). So, in this case my models has predicted yours findings.
The difference is that my algorithmic formula is a kind of “living process”, than, the flexible behavior, while yours mathematical algorithm is not. Thoughts mimics biological or living processes, they are developed by a life’s cycle common process. That’s the secret of creation, autonomy, etc., which, AI does not have it, yet. I had no time for learning yours mathematical development for arriving to yours formula and making comparisons with my formula, for to perceive where are the differences. I think this work can help you developing yours research and knowledge on this issue. Cheers…
xxxx
E outros comentários publicado pela MSN-USA, em:
http://www.msn.com/en-us/news/technology/researchers-uncover-algorithm-which-may-solve-human-intelligence/ar-AAkTr2R?fb_action_ids=10210902314866604&fb_action_types=og.comments

I have registered the copyrights from 30 years ago in Brasil and USA showing a set of alghoritms as the framework of the brain as of all natural systems and life’s cycles. But my formula/alghoritm is a lot more complex than this N = 2i-1 formula. It is not my interest to comunicate that I had predicted it, but suggesting that these researchers changes their interpretations and approaches, because they are in the most difficult and slow way, And we need this right konwledge for helping millions of people being tortured by mental ilness.

My formula represents a thing that is alive, autonomous, creator and has flexible behavior. There is not only two variables, but, seven, like seven are the variables encrypted at a DNA’a unit of information. And each variable for the whole system is variable in relation to itself. it is not translated by Math neither mechanistic processes like the alghoritm above which merely results in a sequence of fractals and nothing else. Each new brain’s region and elements are built by the same process of life’s cycle that build our entire boddy and produces the differentiation of shapes along a lifetime. This formula wich I called “Matrix/DNA” was extracted from comparative anatomy between living and non-living natural systems, so, it is natural and alive, can not be compared with our nowaday computers. The formula and explanations are at my website, if someone is curious about

Turiel Grigori ·Owner at Trabalhador(a) independente

And might this same algorithm be responsible for disallowing us from seeing reality as it REALLY is?
No, Turiel. We and the whole Universe has evolved under a kind of Matrix, in the sense that all biological systems has evolved under a matrix called DNA. Like the DNA is not playing dice with us, the universal matrix is not too. We can’t see the reality as it really is because we are almost blind ( we can see only one face of objects – those reflecting the visible frequency of the eletromagnetic spectrum, and we are blind to the other six frequency/vibrations that are here and compose this world. Also our brain has poor and limited sensors such our technological sensors. I am not seeing supernatural ghosts or intelligent aliens behind this matrix for explaining its existence and functionality, it is purely natural. But, since I am almost blind…who knows?
xxxx
ESTUDO/TRADUCAO DO ORIGINAL PAPER:
http://journal.frontiersin.org/article/10.3389/fnsys.2016.00095/full

Brain Computation Is Organized via Power-of-Two-Based Permutation Logic

Computação Cerebral e’ Organizada via Logica de Permutação Baseada na Potencia-de-Dois

Ha’ considerável interesse cientifico em entender como as células se conectam – o tao presumido computacional padrão – tao organizadas que o cérebro possa gerar inteligente conhecimento e flexível comportamento.

A Teoria da Conectividade propõe que a origem da inteligencia esta enraizada numa logica de permutação na base da potencia-de-dois (N=2i-1), ( ver wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/Power_of_two ) produzindo especificidade para arquiteturas de células montadas capazes de gerar especificas percepções e memorias, assim como generalizado conhecimento e acoes flexíveis. Nos mostramos que esta logica de permutação e’ amplamente usada nos circuitos corticais e subcorticais através de especies animais e e’ conservada para o processamento de uma variedade de modalidades cognitivas incluindo apetite, emocional e social informações.

Todavia, modulatórios neurônios, tais como os neurônios dopaminergic (DA), usam uma logica mais simples apesar de seus distintos subtipos. Interessante, esta logica de permutação do especifico para o geral permanece largamente intacta através dos NMDA receptores – o switch sináptico para aprendizagem e memoria –  foram deletados durante a fase adulta, sugerindo que a logica ‘e um desenvolvimento pre-configurado. Alem disso, esta logica computacional e’ implementada no cortex via a combinação de uma estrategia de conectividade ao acaso nas camadas superficiais (2/3), enquanto ns profundas camadas as organizações  de não-acaso são 5/6.

(continuar tradução)

 

Pesquisar:

  • Theory of Connectivity ( proposes that the origin of intelligence is rooted in a power-of-two-based permutation logic (N = 2i–1), producing specific-to-general cell-assembly architecture capable of generating specific perceptions and memories, as well as generalized knowledge and flexible actions.)
  • Muito importante a pesquisar aqui: We show that this power-of-two-based permutation logic is widely used in cortical and subcortical circuits 
  • modulatory neurons, such as dopaminergic (DA) neurons – use a simpler logic despite their distinct subtypes.
  •  ler: Theory of Connectivity: Nature and Nurture of Cell Assemblies and Cognitive Computation ( em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4850152/

Onde se le: How should cell assembly organize itself so that incoming information can be orderly and gradually converted into memory, concepts, and flexible motor behavior?

 

Analogia Entre o Processo do Pensamento Com o Processo Geográfico dos Rios e Oceanos

sábado, setembro 10th, 2016

xxxx

Uma imagem interessante sobre o mistério dos pensamentos e da mente me surgiu na “mente” agora:

Como, porque, e para que? – este planeta produziu este fenômeno de neurônios emitindo sinapses que funcionam como pensamentos? Qual o estado anterior deste planeta – ou do sistema astronomico ao qual ele pertence – forneceu a forma e os mecanismos para o fenômeno tal como ele se apresenta dentro de nossas cabeças, aqui e agora?

A imagem que pintou no meu cérebro apos me fazer estas perguntas foi a seguinte:

Imagine um pequeno rio cujas águas correm serpenteando no meio de vales. Em certo local existe uma queda abrupta do terreno , o que faz as águas caírem abruptamente, formando uma cascata. Ao bater nas pedras la’ embaixo as águas encontram um mais amplo espaço nos vales portanto se abre num largo, com até 800 metros de largura, como os grandes rios do Amazonas.

Como o continente continua a declinar e diminuir sua altura `a medida que se aproxima do nível do mar, esse grande rio termina por desembocar no imenso oceano, o qual circunda o continente.

Pois bem, voltemos aos pensamentos, `a mente.

Pensamentos – ate’ que a neurologia elabore uma teoria melhor – são produzidos quando neurônios disparam substancias químicas eletricamente carregadas na direcao de outros neurônios `a sua volta. Observando com o MRI uma certa região do cérebro em atividade, veríamos estas sinapses semelhante a imagem de uma região do Amazonas cheia de pequenos fios de rios correndo nos vales. Em dada região do cérebro – como possivelmente o hipocampo – estas sinapses caem abruptamente formando como uma nuvem clara devido a luminosidade cargas elétricas na substancia química. Essa imagem se assemelha a imagem dos grandes rios vistos na Terra.

Não podendo ser destruído nos limites do cérebro onde o imenso rio das pequenas sinapses ocorre – pois energia não se destrói – estas especies de nuvens abstratas e invisíveis ( que foi amplamente mencionadas por Pietro Ubaldi com o nome de “neuras”, em seus grossos volumes descrevendo o que ele dizia ver por clarividência), emergem dos cérebros de 8 bilhões de humanos e desembocam num imenso anel circular localizado a dois metros da altura do solo circundando o planeta, no que Teilhard du Chardin denominou em sua teoria de ” camada mental do inconsciente coletivo do super-organismo Gaia”. Ai esta’ o oceano visto na imagem da Terra. E então – como sabemos que essas imagens de rios, cachoeiras e oceanos existiam neste planeta antes das origens da vida – encontramos o estado do mundo e os mecanismos que mais tarde a Natureza foi aprimorando até obter hoje tudo isso que ocorre dentro de nossas cabeças…

Quando eu era adolescente e sem teto – sem família, e dormia escondido no porão da biblioteca municipal e como rato noturno devorava todos aqueles livros com muito prazer, eu roubei um grande livro ilustrado – o Atlas – e durante o dia ficava no banco da praça com um lápis vendo os mapas e redesenhando-os em folhas de papel de embrulhar pão que eu roubava da padaria. Eram meus cadernos. E me lembro que um dia um dois adultos me observando, enquanto passavam um comentou: ” Esse moleque quer botar o mundo dentro da cabeça…” Mas ao mesmo tempo no porão da biblioteca tinha livros de biologia/anatomia com as figuras dos órgãos do corpo humano e também os desenhava, pensando neles. Tal era minha concentração naquelas figuras que acabei notando uma interessante semelhança: a figura de uma placenta cheia de pequenas veias, e estas se juntando na extremidade da placenta formando uma grande veia que la’ ia pelo cordão umbilical e se esparramava no corpo da mãe…( esta coisa adorada que me fazia falta todas as noites pois perdera a minha quando tinha 3 anos), era exatamente igual ao mapa da America do Sul, vendo-se os pequenos afluentes da Amazônia se juntando, formando o grande Rio Amazonas, que depois saia do continente-placenta e se esparramava no oceano.

Curioso corri a ver novamente os mapas dos outros continentes e todos tinha mais ou menos a mesma imagem, todos tinha um grande rio (o Nilo na Africa, o Vouga, Reno, na Europa, o Mississípi-Missouri na America do Norte). Todos os continentes formavam o que se denomina “bacias”, a imagem e semelhança de como a placenta forma a grande veia com seus pequenos vasos serpenteantes!  Inclusive a bacia da placenta esta’ dentro da bacia dos quadris…! Nesta idade comecei a perceber que o berço embrionário de cada individuo humano imita exatamente o berço geográfico da Humanidade, ou seja, do conjunto de todos estes indivíduos. Era o estado do mundo antes da origem da vida se repetindo em imagem e semelhança num estagio avançado da evolução da vida, quando esta mesma espetacular artista, a Natureza, aplicava o mesmo método, os mesmos mecanismos, para criar suas obras de arte. Mas na época não tinha muito tempo para ficar embevecido admirando as figuras e pensando nisso, pois tinha que arrumar algumas moedas para comprar bananas e pão e aproveitar roubando mais umas folhas na padaria para meu caderno.

Naquela infância eu me perguntava se existiria um Deus como os adultos diziam e se ele seria a mente inteligente por trás desa natureza artista.mas imediatamente me lembrava que a metade da obra desta natureza ‘e uma obra porca, cheia de dor, gemidos, e ranger de dentes, de ovelhas sendo devoradas vivas por leões, bebes humanos sendo comidos vivos por anacondas na Africa, e afastava esta ideia de deus como mente dessa natureza. Mais parecia que o dabo estava ou trás dela. Ou então Deus criou essa natureza artista e foi embora, deixando-a a seu livre sabor por aqui. Porem, todo artista tem que fazer um borrão no quadro onde vai assentar o desenho final, sua obra terminada. Então este estagio da natureza mostra que tudo esta sob o reino do caos, como nos encontramos na Terra, seria o borrão do artista. Uma artista desastrada, diga-se de passagem, pois ela não esta’ notando que no seu borrão aqui tem seres vivos que sentem dor e sofrem e estão pagando o pato em seus borrões.

Claro, hoje, e depois da selva amazônica, minha visão de mundo tem outra interpretação desta realidade. Aprendi por exemplo que toda vez que esta Natureza criou uma nova forma do sistema natural universal, ela aplicou o mesmo processo: primeiro tem uma fase dos ovos botado fora e abandoados a própria sorte; e depois vem a segunda fase mostrando que minha interpretação da primeira fase foi uma ilusão de ótica, pois na verdade os ovos sempre ficaram protegidos dentro do sistema maior e então começa a fase dos ovos mantidos dentro, nutridos e protegidos ate sua maturidade. A fase dos ovos botados fora explica porque este nova forma de sistema natural denominada auto-consciência esta passando e sujeita a predadores e tantas tragedias ao sabor do acaso. E também na selva aprendi que este Universo e’ como uma placenta formada de galaxias dentro da qual esta sendo reproduzido a ” coisa desconhecida” que gerou este Universo através de um Big Bang assim como o pequeno big bang que acontece dentro do ovulo quando rompe bruscamente a membrana do espermatozoide e tem inicio a construção de uma nova vida. Então neste Universo esta ocorrendo um mero processo natural de reprodução genética onde nos e mais os trilhões de outros seres semi-conscientes como nos espalhados por este Universo afora estamos construindo um embrião auto-consciente que sera nosso próprio corpo unico futuro, e como este embrião agora, aos 13,8 bilhões de anos desta placenta-universo esta’ apresentando o fenômeno da autoconsciência assim como todo embrião humano aos sete meses começa a apresentar sinais de auto-consciência, e isto porque fora do nosso saco embrionário existem pais autoconscientes que passaram geneticamente esta autoconsciência para o embrião, assim tambem a coisa desconhecida alem deste Universo deve sr um sistema natural autoconsciente. mas assim como a menina quando descobre no primeiro mês que esta gravida e a unica coisa que ela sabe e’ que dentro dela tem genes trabalhando e formando um caroco, assim deve ser este ser ex-machine fora do Universo, a forma como ele deve saber que estamos existindo,porem, ainda como genes quase invisíveis para ele. A natureza traquinas aproveita esta invisibilidade e taca tinta nos seus borrões, e nos pagamos o pato aqui.

Espetacular? Fantástico? Porem, seria fantastica a habilidade artística quase inteligente da Natureza quando cria suas coisas complexas e funcionais, ou esta minha imagem mental seria apenas produto da imaginação de uma humanidade ainda infantil que ainda ontem acreditava em fantasmas e amigos invisíveis supernaturais e inclusive falava para eles, no que denominamos de “orações”? Esqueça a filosofia agora e retorne no texto acima e aprecie a analogia das duas imagens… Se a minha imagem for semelhante a realidade, você estará dando um valioso passo na sua evolução mental, pois sua mente que ainda nao abriu seu “terceiro olho” para ver seu próprio corpo e o ambiente que a rodeia, ou seja, a cela escura dentro do cranio – estará’ tendo uma pista de como sera sua substancia corpórea e o ambiente em que ela esta, a nivel astronomico.

xxxx

Pesquisa: Preciso retornar `a biblioteca de Londrina, ou da Universidade de Londrina, onde estavam, a 30 anos atras, os livros de Pietro Ubaldi e reler aquilo. Agora me despertei e me interessei pelas suas “correntes de neuras fluindo na atmosfera terrestre”… pois naquela época quando li, e cético como era, apenas fiquei me perguntando como o cérebro humano poderia produzir tanta imaginação de fantasias inexistentes. E talvez – se toda essa hipótese acima estiver errada – eu esteja no mesmo caminho do Ubaldi… ou talvez ele realmente estava “vendo” fatos reais!

Neural Lace: Um Robot-Neurônio Injetado no Cérebro!

quinta-feira, junho 9th, 2016

xxxx

Base para iniciar pesquisa sobre neural lace e Elon Musk:

https://www.google.com/search?q=neural+lace&oq=neural+lace&aqs=chrome..69i57j0l5.5895j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8#q=neural+lace&tbm=nws

Neural Lace 1

Este assunto e’ da maior importância porque ele pode se tornar popularmente conhecido e pode revolucionar a vida humana dentro de poucos anos. Resumindo, os cientistas criaram um tipo de injeção que pode injetar um mecanismo microscópico no nível da nanotecnologia, numa veia humana, ir ate o cérebro, estacionar la dentro e começar a interagir com neurônios, crescendo e soltando vários fios como dendrites. Os neurônios aceitam o robozinho e passam a interagir com ele como se fosse mais um neurônio! Mas o robosinho seria como um computador ligado a Internet. Ao invés de hoje nos conectar-mos a Internect através de um computador, com esta técnica estaríamos 24 horas conectados entre cérebro direto com Internet, e wireless, ou seja , sem fios. O cérebro torna-se apenas mais um computador!

Agora tem um milionário, Elon Musk, dono da Tesla Motors ( que esta desenvolvendo o carro sem motoristas), da Space X, (que desceu um foguete vindo do espaço acertando direto uma embarcação no meio do oceano), dizendo que esta’ disposto a fabricar esta tecnologia em larga escala. Um de seus principais argumentos e’ que ela salvara a humanidade de ser controlada pela Inteligencia Artificial e por uma possível Matrix – que ele acredita esta’ inserida em nossa genética por alienígenas e controlando-nos num mundo virtual…

Claro, o assunto já começou a pipocar nas manchetes intelectualizadas e começou o debate sobre as possíveis consequências éticas e medicinais de tal tecnologia. Eu copiei abaixo um dos artigos mais explicativos e completo sobre o tema, para traduzi-lo assim que possivel. E tambem elaborei um post-resposta ao artigo, que vai abaixo:

Creating the World’s First Neural Lace Network ( The Idea from Elon Musk)

http://www.futuristspeaker.com/business-trends/creating-the-worlds-first-neural-lace-network/#comment-16748

June 3rd, 2016 – By Futurist Thomas Frey

 

xxxxx

Meu comentario postado no artigo (     ) e não foi publicado talvez aguardando moderação ou por erro.

Louis Morelli – 6/6/2016

We can’t record information that we did not “think” about it. So, since that we can’t think more than one or two information at the same time, the library in tem seconds never will happens, at least, if we don’t invent also an artificial memory. But, then, the artificial memory will record artificial or virtual information, which means, we will have a “parallel artificial brain”.

I could be wrong if my theoretical model of brain’s building blocks circuits is wrong. This model is based on the Matrix/DNA formula, which must be the formula for all natural systems, from atoms to galaxies to cells, to brains. The formula is a kind of machine that process each information in a serial basis, while the abstract identity of the system ( the mind or the software) process all information absorbed and recorded in a parallel basis.

So, thoughts are this formula machine operation. Each thought has five serial steps, but those thoughts to be recorded has seven steps. These operations mimics the cycle of life, because the entire Matrix/DNA formula is a system created by a life cycle of an initial body.This operation is slow, has its natural time, has no way to accelerate it. If for recording information in memory needs to think the information, only natural evolution plus our knowledge about the process will be able to accelerate our brains’ operations.

xxxxx

Copia do artigo para fazer a tradução:

Elon Musk recently added a new twist to his vision for tech-related accomplishments by saying he was interested in creating a “neural lace.”

For a little background, science fiction author Iain M. Banks first coined the term “neural lace” in The Culture series. In these novels, people living on another planet installed genetically engineered glands in their brains capable of secreting stimulants, psychedelics and sedatives whenever they wanted them.

Last year, researchers from Harvard and the National Center for Nanoscience and Technology in Beijing managed to create a working neural lace prototype. They figured out a way to inject a tiny electronic mesh sensor into the brain of a mouse that fully integrates with cerebral matter that enabled computers to monitor brain activity.

Using a syringe, the mesh was injected into the mouse brain where the material expanded to 30 times its original size. Once inside, the mouse brain cells grew around the mesh, forming connections with the wires in the flexible mesh circuit. Unlike most implants, the mouse brain completely accepted the mechanical component and assimilated with it without any damage being caused to the mouse.

To show how this type of technology could be applied to humans, we currently use electric shock treatment for patients suffering from severe muscle spasms. While this approach is only used in worst-case scenarios, it uses long wires that are inserted deep into the brain, risking long-term brain injury with every insertion.

If a neural lace is able to completely integrate with the human brain, this would enable doctors to treat all sorts of neurodegenerative diseases that are currently difficult to cure. But that is only a small piece of a much bigger opportunity here.

Even though we can only speculate on the full potential, it should eventually be possible to master brain-to-brain communications, record visual inputs, control sleep patterns, instantly reset our emotional disposition, adjust our own chemical-brain balance, and intellectually do brain-searches of the Internet.

Information at the Speed of Need

The distance between information and our brain is getting shorter.

Twenty years ago if you had access to a large information center, such as the Library of Congress, and someone asked you a series of questions, your task would have been to pour through the racks of books to come up with the answers. The time involved could have easily added up to 10 hours per question.

Today, if we are faced with uncovering answers from a digital Library of Congress, using keyboards and computer screens, the time-to-answer process has been reduced to as little as 10 minutes.

The next iteration of interface design will give us the power to find answers in as little as 10 seconds. That’s where neural lace technology comes into play.

The ease and fluidity of our information-to-brain interface will have a profound effect on everything from education, to the way we conduct business, to the way we function as a society.

After we achieve a 10-second interface, we’ll immediately set our sights on the next milestone, the 10-millisecond interface.

Once we get past the notion that “fast” can be made to go even faster, we will begin to enter an entirely new era where collaboration will happen instantly across all kinds of boundaries, with all kinds of people. The rulebook for the entire world will be rewritten around the “speed of need.”

Answering the Ethical Questions

Venturing into new territory is a perfect opportunity for us to speculate, and since I’m not a brain matter expert, this is the part that will probably get me in trouble. Some of my assumptions may indeed be erroneous. Science fiction has evolved into the ugly step-sister of the horror industry, leaving us with far too many crazy notions about mind control and the evil intent of people working in this field.

Increasing the speed with which we access information does not mean we are becoming “The Borg” on Star Trek, and our minds will not instantly become controllable or even accessible to others without our consent.

Every mind is different. The patterns and connection we make inside our own minds is uniquely our own. To someone peering in from the outside it will be like looking at a cryptic 3-dimensional document written in a foreign language.

To be sure, dangers still exist, but most will result from areas we don’t yet understand. Social reclusiveness, information additions, and destructive idea viruses may all be part of a much longer list of things that can go wrong.

Next-Generation Learning

As most storytellers have learned, the basic components of every story deals with six elements – who, what, when, where, why, and how.

Four of these elements – who, what, when, and where – are factual. With a 10-second neural lace interface, and especially if we drop it to 10-milliseconds, learning becomes far less about committing factual information to memory because information becomes so easily accessible.

Many of today’s most scholarly people who have mastered the capacity to retain vast reservoirs of minutia will find themselves staring toe to toe with average people who have mastered the exact same ability, albeit indirectly with the use of technology.

Schools will no longer focus on the factual information but on the indirect aspects like relational elements, pattern analysis, value statements, opinions, and basic questions like “why” and “how.”

Here are some examples of questions that are not easily answered with a neural lace interface:

  • Can you explain the context within which those comments were made?
  • How do animal behaviors vary from species to species?
  • Was their underlying motivation behind that change detrimental to their cause?
  • How did that kind of thinking relate to what other cultures were going through?
  • Why do you think that happened?
  • Based on your understanding of the situation, was that a good move?

MAIS UMA VITORIA DA TEORIA DA MATRIZ: A MESMA FORMULA MATRICIAL NO CEU E NA CABECA HUMANA!

quinta-feira, dezembro 11th, 2008

11 de Dezembro de 2008

Trabalho apresentado em :

http://sprott.physics.wisc.edu/pickover/pc/neuron-galaxy.jpg

Sob o titulo: 

 Neuron-Galaxy  

Categoria: Curiosidades da Matriz

     Ja’ haviamos escrito a 30 anos atras que tratavamos a biosfera amazonica como se fosse um cerebro , um prototipo primitivo do cerebro mamifero. O cerebro seria uma especie evoluida a partir da biosfera, portanto muitas das caracteristicas da biosfera estavam ainda contidas e sendo expressadas no cerebro, assim como a especie dos mamiferos conserva ainda muitas das caracteristicas das bacterias. Um dos maiores misterios buscados pela neurologia moderna e pela Teoria da Matriz ja’ naquela epoca e’ o seguinte: como os neuronios estao conectados `a mente?! Como eles produzem os pensamentos?! Pois com essa questao insistindo em minha mente e me incomodando eu intuia que as relacoes entre neuronios, executadas atraves de sinapses, eram uma evolucao a partir das conexoes entre os diversos elementos da biosfera, onde as “sinapses” eram representadas por latidos, urros, lutas, cheiros, acao quimica de venenos e ate mesmo o devorar de uns pelos outros. Estas relacoes sofreram mutacoes ate tornarem-se meros sinais eletricos carregados por substancias quimicas principalmente devido `a mudanca no item mobilidade: enquanto os elementos da biosfera sao auto-moventes, os neuronios sao imoveis. Mas a producao da mente pelo cerebro tambem eu a sentia na selva, ou seja, a biosfera produz uma especie de mente que nos sentimos presente a todo momento na selva, uma entidade a que denominamos “o espirito selvagem”. Os nativos o sentem com muita intensidade e a convivencia com o saudoso curandeiro e xaman D. Pedro – um especialista em espirito selvagem – me levaram tambem a intuir, senao sentir de verdade, a existencia desta forca que deve ser a expressao do software matricial, principalmente quando me encontrava reduzido a condicoes sub-humanas e delirando nos estados de coma febril.  Por exemplo, temos neuronios onde estao registrados nossos deveres, e neuronios onde estao registrados os instintos animais do prazer. Entre eles ocorre uma luta encarnicada, produzindo tempestades em que projeteis na forma de raios cruzam o espaco atrves dos dendritos. Quando a artilharia do prazer ataca a cidadela do dever e esta se encontra indefesa, acendo o cigarro, ou atendo outro vicio qualquer, ou ainda vou para a zona ao inves de ir vender meus produtos. A forma mental humana herdada do espirito selvagem e’ imediatista, inconsequente, nao quer saber de passado e futuro, e ai’ cometemos as eternas burradas que depois – quando os neuronios do dever voltam `a posicao de dominancia – nos faz arrepender-nos, mas que sabemos vamos repeti-las. Ao menos obtivemos algum avanco, pois o leao apenas atende o comando dos neuronios selvagens e jamais se arrepende de ter devorado a presa.   

      Entendiamos que, tendo o sistema cerebral sido criado pelo sistema biosferico, aquele devia ser `a imagem e semelhanca deste, sempre seguindo as premissas de que os sistemas naturais se reproduzem, que a biosfera e’ um sistema ancestral do sistema cerebral, e nao se esquecendo da manhosa dica popular da minha avo’ que dizia: “ filho de peixe, peixinho sera’”. O cerebro humano e’ uma producao deste sistema biosferico,  uma producao efetivada atraves do processo genetico, portanto, e’ uma geracao da mesma linhagem evolucionaria. Precisamos desesperadamente saber o que e’ a “mente” portanto temos que investigar suas causas primeiras geradoras, temos que descer ao nivel de repteis, biosfera, galaxias, atomos, etc..     

       . Pois agora alguns cientistas seguem o mesmo caminho que fizemos. Mas vao mais longe do que eu ia quando ainda me arrastava na biosfera sem conhecer ainda a matriz astronomica! Nao conectaram o cerebro `a sua ancestral biosfera, mas desceram muito mais no tempo, conectaram-no aos sistemas astronomicos galacticos! E estao plenamente cheios de razao.

      Por favor, acesse o link fornecido acima e veja a figura, a qual nao consigo copia-la neste blog (alguem por favor pode me ensinar isso?). 

 Traduzindo para o portugues, o texto acima da figura diz:

“ Uma e’ apenas alguns micrometros no tamanho. A outra e’ bilhoes de anos-luz. Um mostra neuronios do cerebro de um rato. A outra ‘e uma imagem simulada do Universo. Juntas elas mostram um surpreendente similar padrao encontrado em tao diferenciados fenomenos naturais.” David Constantine.

 E embaixo da primeira imagem, leia-se:

“Mark Miller, um estudante graduado da Brandels University, esta’ pesquisando como tipos particulares de neuronios no cerebro estao conectados entre si. Esticando pequenos pedacos do cerebro de um rato, ele pode identificar as conexoes visualmente. A imagem acima mostra tres celulas neuroniais `a esquerda (duas vermelhas e uma amarela) e suas conexoes.” 

Embaixo da segunda imagem leia-se:

“ Um grupo internacional de astrofisicos usaram uma simulacao de computador no ultimo ano para recriar como o universo cresceu e evoluiu. A imagem simulada acima e’ uma tirada do Universo que evidencia um amplo aglomerado de galaxias (amarelo brilhante)  circundado por milhares de estrelas, galaxias e materia escura.”

      Este fantastico exercicio dos cientistas nos induz a recordar que a Matriz esta’ sugerindo que o evento do Big Bang foi em tudo igual um evento de fecundacao sexual. Isto significaria que o sistema natural que esta’ evoluindo aqui, denominado no seu aspecto total de “universo”, e nas suas faixas etarias de “sistema na forma do vortice quantico”, “sistema na forma de atomo”, “sistema na forma astronomica”, o “sistema na forma celular”, o “sistema na forma cerebral”, o “sistema da auto-consciencia”, etc., foi gerado pelo processo da reproducao sexual, e portanto, o universo material deve possuir uma especie de gerador hermafrodita, ou geradores bisexuais. Ora, se o Universo fisico material e’ filho de algo ou alguem, se a atual e ultima forma evolucionaria deste sistema universal sao os sistemas corpo humano e sistema da auto-consciencia, e se estamos vendo que o sistrema fisico cerebral humano possui uma auto-consciencia, entao o(s) gerador(s) do Universo provavelmente, pela logica, deve ter tambem uma auto-consciencia.

     Em outras palavras, nossa auto-consciencia ‘e uma reproducao genetica ainda nos seus primordios de uma auto-consciencia ex-machine, alem do Universo… E isto e’ intrigante. Porque o pai/mae da auto-consciencia humana nao se comunica com ela? Talvez por que ela esta’ nos seus primordios, nas fases de gestacao ou como bebe recem-nascido, e sabemos que nesta fase nem uma mae humana consegue se comunicar com seu filho. 

      Mas e quanto ao nosso ancestral astronomico representado na imagem simulada do computador: ele se parece com o cerebro, devera’ ele entao ter uma auto-consciencia tambem? Certamente nao. O que ele deve ter e’ uma das formas muito primitivas do software universal que mais tarde iria desabrochar como mente  ou auto-consciencia no ser humano. Como diz o ditado chines: a alma dorme na pedra, sonha no vegetal, acorda no animal e desperta no homem”… como estaria ela nos tempos mais remotos ainda em que a forma do sistema universal era o galactico? Talvez nem dormindo ainda estava, pois o corpo fisico era ainda uma morula, quando muito uma blastula, portanto, o quadro geral astronomico povoado por galaxias, apesar da forma semelhante `a cerebral, nao deve possuir o adendo do cerebro que ‘e a mente. Esta questao e’ semelhante `aquela que hoje ocupa a midia devido ao aborto: “quando o feto pode ser considerado um ser humano, quando o ser que ainda se encontra em gestacao recebe a alma ( ou desenvolve a mente)?  

     Enfim, o que interessa mais aqui e’ anotar o surpreendente padrao, o qual nao deveria mais surpreender ninguem se conhecessem a Teoria da Matriz Universal. Todos os sistemas naturais possuem a mesma primeira forma estrutural, mesmo que a aparencia final sugira nao haver um elo evolucionario entre eles, por causa das possiveis infinitas derivacoes ou desdobramentos da formula sistemica matricial. Ponto para nois… yac…yac…

                 ————- xxxxxxxxxx ————–