Posts Tagged ‘números’

Matemática pode se tornar uma cultura virtual entorpecendo os sensores cerebrais?

quinta-feira, janeiro 7th, 2016

A Natureza não tem nada a ver com números e matemática. Absolutamente nada. Alguma vez alguém viu a Natureza apresentando um numero qualquer para qualquer coisa ou situação? Ou alguma equação matemática? Certamente não. Porque números e matemática são criações humans, e o Universo não esta nem ai para as criações mentais deste minusculo microbio habitando um perdido ponto na imensidão. Pois não e’ o Universo que e’ obrigado a se configurar segundo o humano que se julga no centro dos acontecimentos, ele ‘e do jeito que e’ e pronto.

– ” Mas como não? Eu sei que todo dia, as 12 horas ( isto são números), a sombra vai estar a 3 metros ( outra vez os números) da parede. Ou que a cada 240 dias (números), estaremos no outono”.

-” 12 horas? Ora tem muitos planetas girando a volta de muitas estrelas, que estão girando a volta de muitas galaxias. E’ isto que a Natureza mostra, disso ela trata. Se você quer separar a orbita de um planeta em fracões de tempo, problema seu. Você quer separar tempo numa concepção sua denominada ” hora”, problema seu.  E metro?! O que e’ isso? A Natureza nada sabe disso. Se você botou uma ponta de uma fita em algum lugar da natureza e depois cortou a fita fazendo outra ponta e depois decidiu ” bem, vamos chamar o espaço entre aqui e aqui de um metro”… problema seu. Para a Natureza existe espaço, apenas isso.”

-” Mas a Natureza e’ matemática. prova disso e’ que nos tenos equações que mostram por exemplo que aplicando tais forcas em tais quantidades, em muitos lugares e tempos diferentes, vamos sempre obter um mesmo numero final, o qual serve para prever o que vamos encontrar na Lua onde houver as mesmas forcas e quantidades.”

– ” Amigo, as forças estão por ai rolando e se encontrando e se separando. Nesse desenrolar, certos estados ambientais são repetidos aqui e ali, outros acontecem por acaso pela primeira vez e talvez nunca mais volte a acontecer. Se certos estados de um lugar e tempo são repetidas, e’ o movimento da Natureza. Equações não movem estas forças, equações não produzem estados ambientais. Se você quiser fica no meio destas forças e dizendo que um determinado estado ambiental se repetiu 5 vezes e nestas cincos vezes você criou uma equação que descreve um estado e esta espaço também descreveu os outros 4 estados, a Natureza não quer saber disso, para ela houve estados repetidos… por acaso. Portanto, dizer que uma equação e’ absoluta determinação exata para certos eventos e fenômenos, esta errado, porque a exatidão como efeito do acaso não tem funcionamento ou alicerce solido. Todas as suas equações estão boiando em cima do nada, pois este acaso nunca mais vai se repetir… senão não seria acaso.

 

Não queira antropomorfizar o Universo projetando nele as propriedades humanas, pois acontece o contrario, e o Universo que se projeta para todos os lados e uma destas projeções resulta numa figura humana. Projetando o humano sobre o Universo mentalmente você vai ter sempre uma visão do Universo que vai crescendo enquanto houver propriedades humanas para projetar, mas no momento que elas terminam, quaisquer outras informações que continuarem a vir do Universo não vai bater com sua grande figura do Universo. Você estava enganado desde o começo.

Quando você esta antropomorfizando o Universo você esta centrado em seu umbigo olhando antes para ti mesmo, com isso ficas cego para prestar atenção nas informações que o universo manda que não bate com essa antropomorfização. Relaxe, apenas fique com os ouvidos livres prescrutando o universo, anotando suas informações. As quais não vem em números e equações, vem na forma de forcas, elementos, espaço, ruídos.

O humano esta percebendo apenas 3 dimensões dos objetos, enquanto a String Theory sugere 11 dimensões existentes, e a interpretação dos muitos mundos vindos da quantidade sugere que estas dimensões são em quantidades infinitas. Mas seja la quantas dimensões existirem, porque estamos ainda captando apenas 3?. Um fundamental culpada e’ a matemática.

Nos temos apenas 5 sensores ligados ao cérebro e com certeza estes sensores estão ainda sob evolução. Um sensor que ate os insetos tem, e que foi mantido em pássaros, morcegos, e’ a antena. Existem evidencias suficientes que estas antenas os capacitam a captar algo na dimensão dos campos eletro-magnéticos. Mas nos humanos a antena chegou tao atrofiada que se tornou um pequeno caroco aprisionado no centro do cérebro, a glândula pineal. Porque este atrofiamento?

Porque nossos ancestrais certamente se desviaram do caminho que a natureza esta trilhando na sua propriedade que produz evolução de certos objetos internos, e desviados do ritmo em que ela se move. Se desviaram porque não tiveram o conhecimento necessário sobre o Universo em que existem. se a matemática esta construindo uma face teórica do Universo que não corresponde a realidade, não vamos desenvolver os sensores existentes e não vamos provocar a emergência dos sensores que nos faltam.

O Universo não consulta os humanos e pede uma equação para calcular como vai produzir um evento ou fenômeno. Simplesmente a longa cadeia de causas e efeitos que vem desde o Big bang vai se desenrolando, avançando. Se você esquece o Universo la fora e fica na escrivaninha lidando com seus números e conceitos matemáticos, você passa a lidar e viver num mundo virtual, o qual vai desliga-lo em definitivo do mundo real.

E’ isto que chamo o mundo intelectual dos matemáticos: uma cultura virtual. A qual se torna a Matrix que se volta contra eles, desenhando o mundo em que vão viver. Ate se esgotar todas as possibilidades intelectuais de desenvolver mais números e equações matemáticas, as quais são o alimento que mantem a Matrix viva. Quando se esgotarem a matrix enfraquece desnutrida, morre, e de repente voces caem de volta no mundo real. A qual com certeza sera uma experiencia dolorosa, senão fatal.