Posts Tagged ‘origem’

Origem da Vida: Este vídeo “cientifico, e a explicação da Matrix/DNA Theory

sábado, junho 22nd, 2019

xxxxx

Origin of Life: This “scientific” video and the explanation from Matrix/DNA Theory

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ

Comments in Youtube:

vince pie – 6/21/19

Life did not come from non life. It came from life.

Pablo Fonseca – 6/22/19

Vince, try to change this concept by:

” Natural systems did not come from scratch. Systems came from systems”.

The word “life” is our problem ( and the word ” origins” is another trap ). So what system these biological systems ( aka, life) came from? Ok there were only two known systems: astronomic and atomic. You can see quickly that atom must be discarded, because it is too much simple than the first biological system – a complete and working cell system. So the unique alternative is astronomic systems. And it is logical: the first biological system appeared inside an astronomic and was produced with ingredients existing in this system.

But, how could a giant and super simple system producing a microscopic and super complex system?! Louis Morelli was thinking about these problem, but ia new different way: systems,… and thre is no other alternative, it did it, we must discover how. He went to Amazon jungle where still there are witness of that event, and applied comparative anatomy between biological and astronomic, when he found LUCA, the last half-biological/half-astronomic system, the lost evolutionary link between Cosmological and Biological Evolution.

There is no unsolvable enigma, the whole problem are wrong words generating wrong concepts and wrong way of thinking. These people in this video is searching the ancestral of a system as a soup of random ingredients. Systems came from system. So, Morelli shows in his website the face of LUCA, which is the building block of galatic systems and he found how LUCA was here, in the middle of that soup and minerals.

Origem da Vida: Vídeo pro-Design Inteligente em Português

quarta-feira, janeiro 30th, 2019

xxxx

Artigo publicado no Blogger “Design Inteligente” em 29 janeiro/2019, indica o video que esta tambem no Youtube

http://designinteligente.blogspot.com/2019/01/a-origem-como-comecou-vida-na-terra-em.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter&utm_campaign=Feed%3A+DesignInteligente+%28Design+Inteligente%29

 

Meu comentario enviado ao blog D.I (aguardando moderacao)

Existe uma terceira alternativa sem ser as teorias do materialismo cientifico e do Design Inteligente, que se chama “Teoria da Matrix/DNA”. Surgiu da anatomia comparada entre sistemas vivos e os não-vivos, pela qual se encontrou um elo evolucionário entre a primeira célula e esta galaxia. Assim O DNA biológico foi transmitido e evoluiu de uma ancestral astronômico, o qual veio de um ancestral atômico e o ultimo ancestral foi encontrado nas origens, na forma de onda de luz. Como não nos é possível ir alem do Universo, fica o mistério de quem aqui inseriu ou transmitiu transmitiu o primeiro genoma composto de informações na luz. Então fica ao seu critério preferir quem e’ o autor de fora do Universo, porque aqui dentro esta tudo resolvido..

Cientistas da Rutgers pesquisam proteínas da origem da vida

domingo, janeiro 27th, 2019

xxxx

http://socientifica.com.br/2018/11/cientistas-identificam-proteina-que-pode-ter-existido-quando-a-vida-comecou-peptideo-primordial-pode-ter-surgido-4-bilhoes-de-anos-atras/

Peptídeo primordial pode ter surgido 4 bilhões de anos atrás

Os pesquisadores projetaram uma pequena proteína sintética que envolve um núcleo de metal composto de ferro e enxofre. Essa proteína pode ser repetidamente carregada e descarregada, permitindo que ela transporte elétrons dentro de uma célula. Tais peptídeos podem ter existido no alvorecer da vida, movendo elétrons em ciclos metabólicos precoces. Crédito: Vikas Nanda, Rutgers University

A origem do Universo – debate em vídeo pela FAPESP. Contradições com a Matrix/DNA

sexta-feira, janeiro 18th, 2019

xxxx

Analise pela perspectiva da MATRIX/DNA THEORY:

6:14 – Prof. João Steiner : ” a expansão do universo significa que antes ele era menor, e ainda menor, até ser um ponto… Antes não havia o espaco e tempor, estes foram criados com o Big Bang…”

Matrix/DNA: ” A tendencia humana a dar asas `a imaginação elaborando os mitos prevalece sobre a razão pura natural e seu tipo de raciocínio. Se evidencias indicam que o Universo era cada vez menor e depois começou a se expandir, e não sabemos porque, a razão pura natural determina: ” Procure na Natureza `a sua volta um fenômeno real natural que se comporte desta maneira. Se encontra-lo, ele sera’ a primeira e mais confiável base para uma explicação.” Isto vem do pressuposto logico de que O Universo, ou a Natureza, não são mágicos, o Universo não pode inventar do nada novas e inéditas informações que nunca existiram dentro dele. Temos o caso da “fuzzy logics” onde informações secundarias surgem da mistura das informações essenciais mas isto não e criação de inédita informação. Um casal de humanos se mistura e gera um terceiro humano com algumas diferenças mas a informação essencial – especie humana – determina a essência humana do nascido. Sendo assim, todos os processos que ocorrem aqui e agora são protagonizados por informações que estavam no Universo desde suas origens, atuantes ou não, apenas em estado potencial, como ocorre na genética. Então se temos aqui e agora um evento ou fenômeno em que o que é minusculo como um ponto, naturalmente se expande crescendo, e conhecemos o processo ocorrendo aqui, devemos transpor ou projetar este processo para explicar como o próprio Universo faz consigo mesmo o mesmo processo. E onde encontramos aqui e agora um ponto que se expande crescendo? Eu encontrei ao menos dois casos. Primeiro, quando se atira uma pedra na água, vemos o ponto onde a pedra caiu se expandir em ondas concêntricas. Podemos supor então uma hipótese em que este espaço onde esta’ o Universo era preenchido por uma substancia, um oceano dela – seja a dark matter, o éter, a espuma quântica, etc., e algo mais denso e pesado veio de fora em alta velocidade produzindo um Big Bang. O segundo caso é o fantástico fenômeno da embriogênese, quando num ovulo preenchido por um “oceano” amniótico recebe no seu centro um microscópico espermatozoide que tem sua membrana subitamente rompida, o que se caracterizaria como um “enorme” Big Bang dentro do ovulo. No principio ocorre uma turbulência como num estado de caos, mas logo se forma uma célula a qual vai se multiplicando como as ondas da água quando forma os tecidos ou camadas envolventes, e esta célula vai mudando de formas, de morula para blástula para feto, etc., tudo igual ao que as evidencias indicam ter ocorrido com o Universo, onde uma nebulosa inicial se transforma em varias formas desde a nebulosa de átomos, depois de estrelas leves gasosas, depois de galaxias, etc. Quando a Teoria da Matrix/DNA pensa ter descoberto que uma onda de luz natural apresenta uma anatomia interna e movimentos de expansão exatamente igual ao movimento de expansão de um corpo humano que é regido pelo ciclo vital, temos forte indicio que nas origens do Universo houve uma especie de semeadura de uma fonte de onde um foco de luz se expande na forma de ondas e contem em si o código natural e completo para construir sistemas e com vida. temos a impressão que para o Universo a Sua palavra do passado sera sempre a Sua palavra do futuro, ele só pode criar coisas pelo único processo que ele conhece, ou seja, o processo pelo qual ele próprio foi criado.

Porem, o moderno “mindset” nem sequer aceita cogitar tal teoria essencialmente naturalista, preferindo fabricar mitos baseados em coisas nunca vistas em lugar nenhum, como explosões surgindo do nada e que não havia nada antes nem tempo nem espaço e uma explosão acidental criando toda essa incrível engenharia natural que vemos hoje tal como um cérebro humano, o código genético, etc.

O que precisa ficar claro aqui é que ambos os modelos teóricos – seja o mistico acadêmico ou a naturalista Matrix/DNA sugerem ambas um mesmo evento retumbante  inicial. O súbito rompimento da membrana do espermatozoide no centro do ovulo em que nascemos foi um evento inicial que desencadeou toda a Historia posterior da vida do nosso corpo. O que diferimos é na interpretação do evento, e essa diferença na interpretação é seguida pela diferença no que encontramos como significado da existência do Universo e da nossa própria existência nele. De um lado a perspectiva de um observador vindo da Física mais a Matemática e usando sensores mecânicos atrelados a um cérebro eletro-mecânico, de outro lado um observador vindo da Natureza pura aqui e agora usando apenas sensores naturais atrelados a um cérebro biológico.

Ok, vamos respeitar todas as ideias e debater entre elas porem não me aprecia estes voos da imaginação passeando pelos mitos mágicos.”

6:14 – ” Apenas recentemente a Ciência tem uma explicação para a origem do Universo…”

Matrix/DNA – ” Ciência e o registro de fato ou evento real observado por completo e a descrição do que ocorre com elementos naturais na bancada do laboratório. Ciência não observou a origem do Universo e nem a reproduziu em laboratório portanto a Ciência não tem explicação e sim a mentalidade na moda moderna de cientistas que interpretam observando o que a Ciência faz e extrapolam desde o que ela fez elaborando explicações, hipóteses, teorias. Não se deve adornar a Ciência com o que ela não fez, para que nunca desconfiemos dela. responsabiliza-la pelas explicações e teorias que saem da cabeça de humanos, que mais tarde podem ser desmentidas, nos vai conduzir a crer que a Ciência erra e isto nos trara a desconfiança dela. Esta e uma infeliz afirmação que os acadêmicos estão passando para estas crianças estudantes.”

15:00” O Big Bang provocou uma singularidade e nesta singularidade todas as informações sobre o passado foram destruidas…”

Matrix/DNA – ” E preciso muita coragem para afirmar tal crença. Se não havia elementos – sejam partículas, vórtices quânticos, etc., com formas e tendencias e propriedades diferenciadas entre si, da explosão, quando muito, teriam restado apenas cinzas, e dai nada teria sido construído. essa ideia de singularidade onde não existe informação vem recentemente da teoria dos buracos negros onde ocorreria tal singularidade, mas buracos negros conforme a teoria atual descreve fantasmas nunca constatados em nenhum outro lugar da natureza. Enfim, no ato da fecundação de um ovulo existe uma singularidade total do corpo que vai surgir, mas invisível dentro do núcleo deste germe existe todas as informações que irão produzir tudo no corpo ate seu final. 

15:16 – ” Quais são as evidencias que temos de que este modelo, esta teoria do Big Bang estaria certa?”

Resposta do Professor Steiner: Existem evidencias que “provam a existência do Big Bang”.

Matrix/DNA: ” Meus Deus! Sera’ necessário avisa-lo que a imensidão e complexidade deste Universo requer no minimo algumas dezenas de milhares de pequenos ou grandes detalhes factuais reais aos quais se denominaria de “evidencias” para sugerir qualquer tipo de fé ou conclusão racional sobre o que é este Universo?! Eu já reuni mais de duas mil fortes evidencias sugerindo a existência da formula da Matrix/DNA, já acertei dezenas de predições previamente formuladas que foram confirmadas por posteriores descobertas, e no entanto eu nunca disse que se prova a existência da Matrix/DNA, sempre avisando que temos uma teoria ainda sob testes. Uma informação sobre o que é este mundo ou como foi sua origem fatalmente sera arrolada pelas mentes “informadas” como base para sua visão do mundo, e isto é muito serio, pois visões de mundo são responsáveis por comportamentos, atitudes, guias a seguir e na evolução ou involução mental. Como ficam estas crianças? Quando nos colocamos autoritariamente como porta-vozes da Ciência – a qual não tem voz própria – afirmando o que ela não sabe e não afirma, estamos sendo inimigos da Ciência e atuando como o cego que mente aos outros cegos dizendo que ele pode enxergar e portanto todos deve segui-lo, a um destino que ele desconhece. E quando afirmamos que a Ciência já sabe tudo, como as origens do Universo e da Vida, estamos atuando como Science-stoppers, eliminando o estimulo que existe na Ciência que e a continuidade da busca, desestimulando, desviando assim os estudantes do interesse em continuar a praticar onde nada mais ha’ o que fazer. Mas vamos ver quais são estas evidencias…

Primeira evidencia : A luz que vem das galaxias estão apresentando uma irregularidade no comprimento de onda, o que indica que tais galaxias estão se afastando.

( Se não me engano esta é uma  evidencia sugerindo o afastamento das galaxias e não a explosão do Big Bang. Este afastamento pode ser efeito de uma expansão a partir de um ponto central ou não, pode ser outro movimento, como uma orbita elíptica produzindo periélios iguais aos produzidos pelas orbitas dos planetas que as vezes os afastam mais entre si… Ou efeitos de outros movimentos/causas que ainda desconhecemos).

Segunda evidencia: A radiação cósmica de fundo.

Nos modelos teóricos da Matrix/DNA é sugerido outra explicação, mas tanto a nossa como a teoria acadêmica neste particular são tao abstratas que não vale a pena discutir tais abstrações enquanto não se obter mais dados concretos. Observe no modelo da Matrix/DNA que a nossa própria galaxia esta’ em movimento entropico, ou seja, fragmentando-se em seus bits-informação, e estes são colapsados internamente, o que significa que passam por aqui e podem ser captados por nossos instrumentos. Ora, em todo processo oriundo ou derivado de uma onda de luz inicial original, a fase entropica se localiza na ultima frequência da luz, que é justamente a frequência do radio, tal como nos chega a radiação cósmica de fundo. E’ possível então que essa radiação seja um efeito interno de todas as galaxias, por isso dando a impressão que existiria em todo Universo vindo de uma explosão inclusive preenchendo os espaços entre galaxias, o que ainda nos é impossível detectar ou comprovar. Mas como disse, trata-se de elevada abstração teórica.

Terceira evidencia: Os cálculos da nossa teoria do Big Bang sugeriram que deve haver uma abundancia de hélio no Universo e observações tem revelado que essa abundancia existe.

Matrix/DNA ” Bem, a biologia evolucionaria poderia ter previsto de que deve haver uma abundancia de seres unicelulares e germes na atmosfera terrestre e observações posteriores confirmaram exsta abundancia. mas o que teria isso a ver com a teoria da origem da Vida? A biologia estaria descrevendo apenas um dos passos intermediários ocorridos depois das origens da Vida sem no entanto ter nenhuma prova de como foi a origem da Vida. penso que isto se plica a abundancia do hélio como prova da origem do Universo pelo Big Bang tal como interpretado pela perspectiva Física/Matemática moderna.

Quarta evidencia: A temperatura e comprimento de onda da radiação cósmica calculada pela teoria bateu com as observações do fato. 

Matrix/DNA : Todo corpo humano quando esta’ na sua forma senil e depois de cadáver tem menos energia e é mais frio do que quando estava na forma de bebe ou mesmo criança. Isto acontece porque assim acontece com toda onda de luz primordial, onde a primeira faixa ou frequência logo apos ela nascer de uma fonte tem mais energia e vibra com mais intensidade portanto gerando mais calor, e quando chega na ultima forma de frequência a onda esta’ se desfazendo desfalecida e se fragmentando. Acontece que a radiação cósmica detectada foi na faixa da onda de radio, a qual é exatamente a ultima e cavernosa frequência da onda de luz. Portanto este item apontam em ambas as direções, não elegendo uma teoria em detrimento da outra.

23:06 – ” Bom essas são as evidencias para a teoria do Big Bang…

Matrix/DNA: Não vou insistir em argumentar que vejo isto como um enorme e irresponsável disparate de quem se arvora falar em nome da Ciência. da forma como interpreto a imensidão deste Universo, eu requiriria no minimo umas 20.000 evidencias fortes em uma teoria para por minha crença nela. Mas isto não invalida a elogiável façanha da atividade cientifica e da tecnologia que desenvolvemos, muito pelo contrario, a teria moderna sobre o Universo comparada `as teorias anteriores foi um  grande feito da especie humana. Mas nunca sera’ demais lembrar o desfecho do teorema de Godel: “Aquele que existe apenas dentro de um sistema nunca poderá conhecer a Verdade do sistema”. Para ter uma certeza definitiva do que e este Universo e como ele começou sera preciso transpor-mos as fronteiras ultimas deste Universo, sair fora dele, e de la’ de fora olhar para traz para vê-lo na sua inteireza. E precisaríamos de la’ ver também outros Universos começando… A arrogância humana, a crença de que alguém que se julga conhecedor da verdade tem produzido ditadores e conduzido milhões de humanos a tortura e martírio, temos pago um preço muito caro por ela e contra ela sempre lutarei porque não acreditarei jamais que o ser humano, com este cérebro incapaz de processar tal nivel de informações sobre a verdade, possa alcança-la.”

27:50 – Os instriumentos existentes na Asreonomia e faixas de luz captaveis:

  • Telescopios opticos, antenas de Radio, telescopios de Shell… para captar Radiacao Gama, o Hubble e` um telescopio optico com um pequeno aparelho para captar ultravioleta, o satelite Fermo capta raios gama, tem telescopios para raios X, …

Final:

E curioso o fato de que pessoas que cometem um tipo de transgressão atuam como ferrenhos militantes contra outros que praticam a mesma transgressão. Quando num discurso um politico, ao invés de apresentar seus projetos, insiste em criticar falhas como a corrupção nos adversários, geralmente depois se revela como corrupto. Quando o tema neste debate caiu sobre ficção cientifica o Prof. João não apenas lançou impróprios comentários na outra participante como fez questão de insistir no termo “pseudo-ciência” exagerando os seus efeitos. Mas quem antes disse que “fatos conhecidos e comprovados pela Ciência provam o Big Bang”, na minha opinião esta praticando pseudo-ciência. Antes disso, o professor em varias ocasiões enalteceu os feitos da Ciência, classificando-os de impressionante, etc. mas ficou calado perante a pergunta sobre o que de fato conhecemos, forcando a introdução corajosa da colega que esclareceu não se conhecer mais que 4% do Universo. Tudo isso me leva a entender que o Prof. João aplica na Ciência uma ideologia e não tem sabido separar os papeis entre ideólogo e cientista. Isto infelizmente esta comum hoje em dia, com um exercito de alto-falantes usando Ciência como muleta para suas ideologias e crenças, inclusive ateias.

Como foi que a matéria sem vida, se tornou vida? Resposta da Matrix/DNA

terça-feira, janeiro 30th, 2018

xxxx

Como foi que um líquido sem vida dentro de um óvulo se tornou vida e parte dessa vida? Ou seja, voce? E’ a mesma resposta para a pergunta do título. A matéria sem vida na superfície da Terra a 3,5 bilhões de anos atras, de por si so’ jamais poderia se tornar algo vivo e parte desse algo vivo. No caso do liquido no ovulo, a materia dentro do óvulo so começou a se tornar matéria viva depois que nela penetrou um genoma, um programa para fazer um ser vivo. Então a resposta para o que aconteceu na matéria na superfície da Terra e’ que nela chegou uma especie de genoma. Como sabemos que as coisas complexas vieram da evolução das coisas mais simples, este genoma que chegou na matéria primitiva deve ter sido muito mais simples que o genoma no ovulo. Mas sabemos também que o genoma que penetrou o óvulo foi emitido por uma fonte, e conhecemos essa fonte. Logo, o genoma primitiva na materia sem vida teve uma fonte, mas vocês ainda não a conhecem, ao menos não tem nenhum forte candidato. Eu tenho um candidato e aposto nele. Quem e’ o candidato-fonte? Voce pode encontra-lo por si mesmo. Vou explicar como faze-lo:

Minha avó na sua santa ignorância dizia que filho de peixe peixinho será. E eu pensei que o contrário também era verdade: se e’ um peixinho, filho de peixe será.

E em qual tipo de peixinho eu estava pensando: o primeiro ser vivo a aparecer neste planeta, ou seja, um sistema celular com nucleo e organelas, e  funcionando. Antes dela, sejam os aminoacidos, as moleculas mais complexas como proteinas, o RNA, o DNA, tudo foi prototipos, formas infra-estruturais, como sao as formas da morula, da blastula, feto e embriao do ser vivo chamado de baby. O peixinho era aquela celula. Quem foi o peixe?

Bem, em p;rimeiro lugar, m inha avo dizia aquilo querendo lembrar que o peixinho tem a mesma forma do peixe. Portanto, a celula viva tinha a mesma forma de quem a fez. A materia sem vida da Terra estava ja de cara descartada, pois em nada ela tem a forma da celula. O peixe estava escondido em algum lugar e portanto tambem seu genoma veio escondido do nosso conhecimento.  Por enquanto apenas sei que havia algo parecido com a celula e que esse algo emite seu genoma, o qual penetra a materia sem vida da Terra. Mas como detecta-lo? Existe um metodo.

A passagem do peixe para o peixinho e’ um processo conhecido que chamamos de reproducao. Esta tem inicio com a chegada do genoma, continua com as formas de morula, blastula, etc. Entao a passagem da celula-fonte para a celula biologica viva teve inicio com a chegada do genoma, continuou com as formas de aminoacidos, moleculas complexas, e isto se chama “reproducao da celula-fonte” e nao abiogeneses, como os academicos acreditam. Abiogeneses, ‘e uma palavra errada que desvia o raciocinio do caminho certo para leva-lo a questoes sem fundamentos, fantasias e proposicoes absurdas, como ” a materia sem vida se tornou materia viva”. O amnion nao se tornou um baby.

Sabendo agora que houve um processo de reprodução e não a hipotese sem fundamento racional denominada abiogêneses, vamos nos fixar na forma da primeira célula viva, pois aquela tera que ser a forma da celula-fonte. E agora, sabendo que existe evolucao, e que muitas vezes neste processo de reproducao ocorre alguma mutacao, muito leve que altera apenas algum pequeno detalhe na prole gerada, vamos calcular a forma da celula viva regredindo na evolucao, perdendo algumas das suas complexidades, tornando-se um pouco mais simples, e vamos desenhar o resultado. Com isso estamos fazendo o mesmo que o delegado quando chama as testemunhas, pede que descrevam o que viram do suspeito, enquanto ao lado um desenhista faz o “retrato falado”.

E assim obtive o retrato do suspeito, e com ele em maos, sai a campo para procura-lo.

Mas imediatamente dei meia-volta e retornei a mesa de calculos. Eu havia me esquecido de algo determinante. A tal da reproducao entre a celula fonte e a celula filha demorou bilhoes de anos, e neste tempo o ambiente nao ficou parado, ele tambem teve mutacoes, se trnaformou para chegar ao estado do dia em que a celula filha nasceu. E este nascimento aconteceu a muitos milhoes de anos atras, entao tambem o dia em que a celula filha nasceu nao tinha o mesmo ambiente que tem hoje. Entao nao adianta eu sair no campo la’ fora procurar a celula fonte, certamente ela nao poderia sobreviver ao ambiente de hoje. Nem oxigenio existia, o que poderia mata-la, ela devia precisar de amonia que carregava a atmosfera naqurles seus tempos, etc.

Entao preciso ver o camarada Oparin, o Miller, que ja fizeram calculos dessa evolucao reduzida, mais os conhecimntos adquidridos recentemente, e fazer outro retrato falado, que gora ai se tornar o mapa do territorio onde estava a célula-fonte. Neste twrritorio stav o peixe, sera possivel detecta-lo, sem estar la, e passado tanto tempo? Mas… espera ai… ainda tem outra coisa que ia me esquecendo.

O peixe nao esta no meio da materia sem vida. O meu pai e minha mae nao estavam dentro do ovulo no liquido sem vida. Estavam la fora. Entao a celula-fonte nao estava na superficie da Terra. Raios !!!…

Agora embananou tudo? Ficamos sem esperanças de resolver o maior quebra-cabeças do mundo? Eu e’ que nao vou desistir. Vou dar um jeito e vou la fora procurar o danado.

La fora, da superficie terrestre, significa o que está além da atmosfera, e não apenas o que vemos acima, mas sim o que esta dos lados, embaixo… ou seja, o sistema solar, a galaxia… o peixe está em algum lugar nesse meio. Não estou brincando, foram calculos corretos, foi a orientacao da Natureza, que afirmaram que a celula fonte esta la, e isto significa parar as buscas aqui na superficie da Terra. Tenho o retrato falado dela, mas nao posso ir no campo procura-la…

Me restou ficar namorando o retrato falado. Ali estava a fotografia da minha tatatataravo ( ela tinha que ser hermafrodita, pois sua filha, a célula viva, era hermafrodita) , pessoa amada de muito respeito, querida, eu daria tudo para estar ao lado dela, ouvir tantas histórias que eu queria aprender, ela deve saber de muitas coisas deste universo afora… Eu iria tentar espiar pelo buraco da fechadura da porta de seu quarto, pois estou curioso como um hermafrodita faz sexo consigo mesmo…

Fiquei muitos anos dormindo com o retrato ao lado, e nesse tempo eu vivia isolado na selva, na qual eu sabia que minha tatataravo nunca viveu, então quando pensava nela, imediatamente a via no Cosmos, e pensava no Cosmos.

O que tem no Cosmos? Sete tipos de astros conhecidos até agora. Como eles nascem? Como nasce um quasar, um pulsar?! E la ia eu para a voadeira, meu pequeno barco a motor, rumar para as livrarias e biblioteca da cidade, buscar estas informações.

Nos livros eu ficava sabendo que havia um exército de quimicos ajoelhados na beira de pântanos, mergulhados no fundo dos oceanos em volta das fontes termais, todos procurando LUCA, o ultimo ancestral comum, que para mim se chamava célula- fonte e nao estava aqui, estava no céu. E quando eu me via ajoelhado na beira de pântanos removendo a lama com pauzinhos e olhando com lentes ou o velho microscópio para ver o micro-mundo ali, minha cabeca comecava a esquentar sob o sol torrido dos trópicos, para eu me lembrar que sem a luz do sol nada vivo de movia, a nao ser os bichinhos cegos no fundo do oceano recebendo os tais termais que vinha das profundezas da Terra, provavelmente do nucleo. Então se a luz do sol movia seres na superfície, os seres no fundo do oceano deveriam ser movidos por alguma energia semelhante a energia do sol, o que induzia a pensar que o núcleo da Terra tem algo de estrela…

Muitos detalhes assim foram cada vez mais me convencendo que os modelos teoricos astronomicos que estavam nos livros não estavam dizendo toda a verdade, e se não estavam… me fizeram elaborar um mapa errado do território onde viveu ou ainda vive minha tatataravo. Era preciso refazer os modelos teóricos, mas sem ter um Hubble, sem poder dirigir a NASA para meus objetivos, o que eu podia fazer? Refazer o retrato falado do ambiente, baseado em que?

Testemunhas ! Sim eu precisava de mais testemunhas e me dei conta que tinha uma ao meu lado que ainda não tinha sido convidada a dar seu depoimento: o retrato falado da minha tatataravo! Eu ja tinha pensado em como muitos detalhes na forma dos organismos imitam o ambiente terrestre. Por exemplo, o coração pulsando, expandindo e se contraindo, cada vez que expande se encosta numa costela ossea, parecia com as águas do oceano em ondas que se expandem e encostam na dura rocha dos continentes. Então o retrato falado da minha tatataravo tinha muitos detalhes que eram pistas de como deve ser o ambiente celeste onde ela foi feita. Vamos a ver isto…

( a continuar ) 

Origem da Vida: Descrição Da Primeira Química para Leigos

domingo, junho 4th, 2017

xxxx

Post postado em:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ&lc=z12rtxmiipbfz1ake22vcfh4lymvcpskj.1496220005938083

What drives the molecules to be ordered by themselves? is there an ordering force? How do yo know that first molecules that got some level of order, kip that order during millions of years? I can tell a story of how the Mona Lisa painted alone without human intervention, will you believe that tale? No? why no?, I can not believe in your tale
To Jorge Juarez: I believe you may not understand how chemistry works. I will try to explain in layman’s terms.
RNA/DNA did not just form by themselves. At first, there were extremely simple replicating molecules. How this works is that when these molecules come into contact with certain chemicals, they bind. Certain molecules will bind to certain parts of the molecule. Some of these happen to be a “reverse” copy; they bind in the opposite order.
When all spots have been filled, the new molecule splits at these sites, and thus replicates. It splits do to opposite forces. These first molecules were only 5-6 atoms in length; very simple. Because these molecules could replicate, they eventually became very common, and thus were everywhere.
Now, it is common knowledge that molecules can undergo changes (chemical reactions). Sometimes, these changes would make these molecules replicate faster by becoming more attractive (more binding spots). Sometimes they would become more stable (harder to break). Etc. Now, because these changes would make these molecule “superior” (they were able to replicate better than previous versions), they would become very numerous. And just like before, after time they would become extremely common.
Now, this process would repeat, and repeat, and repeat. Each time getting just SOMEWHAT slightly more complex. Repeat this process millions of times, and its not hard to see where DNA came from. The reason the molecules kept that order is because once they started replicating, there were tons of them. So even if most got destroyed, there were always extra because they replicated. What you have to also understand is that there are TRILLIONS AND TRILLIONS of different chemical combinations possible.
Even infinite. So it is not unlikely that at LEAST one of these combinations could produce a self-replicating molecule. Also, there are 10000000… molecules in the Earths oceans, undergoing chemical reactions. So its not really hard for life to form.
The analogy of the Mona Lisa does not work, because dna did not just fully appear. It took millions of small very simple steps in order to finally emerge. The process took millions-billions of years.
xxxx
+Jorge Juarez  – Because we do not know the exact conditions of early Earth. That is why we are unable to replicate it. That is the whole point; we are trying to find the conditions of early Earth. We have an idea, but its too long ago to know exactly. Thus, scientists are trying different methods and environments. We are slowly narrowing it down. The key is replicating the EXACT same conditions. Given that this was 4 BILLION YEARS AGO, I think a lot of credit is due to the fact we ALREADY have RNA forming in labs. This I think is your misunderstanding. We DO know how life formed. We DO know the process. What we don’t know is the environment.

A Descoberta que Originou a Teoria da Origem da Vida No Fundo Oceanico

quinta-feira, maio 4th, 2017

xxxx

https://www.youtube.com/watch?v=D69hGvCsWgA

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – May-5/4/2017

The seed of life coming from astronomic systems is complete when the energy of a planet’s nucleus meets the energy of a star. If hydrothermal vents brought the planet’s energy to the planet surface, then, life began at the beach. These deep ocean vents can create half of a cell, or the first molecules till some organelles. But the first complete cell – a real true living thing – needs the sun energy, from developing the others cell’s elements. Science will discover that this biochemical photosynthesis is degeneration of plant photosynthesis, as these living things at deep sea. Instead evolving to amphybians, they went back to deep sea due some atractors. At least, this is what is suggesting the models of Matrix/DNA Theory

Origens da Água na Terra: Novas Descobertas Sao mais Evidencias para a Teoria da Matrix/DNA

domingo, janeiro 29th, 2017

xxxx

 

Os caras estão mais perdidos que cego em tiroteio, e como nos, da Matrix/DNA, continuamos acertando todas nossas previsões, estaríamos rindo de segurar a barriga, porém, estamos furiosos por estarem prejudicando a evolução mental da humanidade.

Para entender-mos a nossa existência neste planeta precisamos entender a existência do planeta, seu lugar no contexto do Cosmos. Mas para este entendimento precisamos de informações, e informações sobre coisas tao distantes dos nossos limitados cinco sensores cerebrais, são difíceis, exigem muita investigação, cientifica.Enquanto não acha soluções para fenômenos e eventos naturais distantes da nossa percepção, os humanos inventam misticas, fantasias, pois a humanidade esta’ na sua infância coletiva a qual imita a infância imaginativa e magica individual, de toda criança. Assim surgem as invenções de deuses… e de gerações espontâneas, ao acaso, de fenômenos sólidos concretos, como é o nosso planeta.

Infelizmente esta infância mental inventa suas fantasias e elas dominam a educação escolar até nossas universidades modernas. Ali é ensinado que nosso planeta se formou quando uma nebulosa de gás e poeira formou o Sol e da sobra desse material surgiu a Terra… tudo muitíssimo simples, espontâneo, ao acaso. Por outro lado, nos, da Matrix/DNA tivemos que trabalhar dia e noite arduamente por 30 anos investigando as origens e formação deste planeta, e chegamos a uma teoria totalmente diferente e muito, muitíssimo complexa. Ora, o principal motivo nesta brutal diferença dos resultados finais, é que eles começaram seus cálculos a partir de outra teoria nas origens do Universo – o Big Bang – e continuando a calcular os passos evolucionários seguintes desta ” grande explosão”, chegaram a tal nebulosa de gaz e poeira e com ela tiveram que calcular como nela surgiria um planeta. Enquanto por nosso lado, primeiro observamos o planeta aqui e agora, tudo o que ele produziu, inclusive e principalmente a vida biológica, e juntando todas as forças e elementos da vida mais o que se sabe de fato concreto do Cosmos, descemos do futuro em relacao ao passado para chegar ao estado do mundo que produziu este planeta. Nos começamos do presente e não do passado remoto porque apenas sabemos com alguma certeza o que existe no presente. A incrível complexidade dos produtos deste planeta não poderia deixar ninguém, em sã consciência e racionalidade, acreditar que o mundo que o fez e o método com que o fez tenham sido de tanta simplicidade.

Bem,… a bom tempo, desde que se começou a fabricar instrumentos que funcionam como extensões dos nossos sentidos para perceber os invisíveis micro e macrocosmos, eles vem levando cacetadas atras de cacetadas, a cada dia que um Hubble da vida passeando nas fronteiras do nosso sistema manda uma imagem do Cosmos. As imagens não batem com seu modelo teórico, mas apesar de tantas cacetadas, ao invés de recalcularem o modelo e procurar outro, ficam remendando-o fazendo da teoria uma colcha de retalhos já impossível de sustentar-se. Enquanto isso, a nossa voz miúda que não alcança as universidades, continua anunciando como cada imagem esta batendo com nosso modelo. Ate quando imagens começarem a negar nosso modelo, mas ai não teremos problema nenhum em abandona-lo ou reforma-lo a luz das novas informações.

Um dos maiores problemas que se apresentou a teoria acadêmica trata da existência da água neste planeta. Se ele foi formada como sobra do Sol, no meio de uma nuvem de gaz e poeira, como surgiu esta imensa quantidade de água que é maior que o volume de todos os continentes juntos?! Apenas isso seria fato suficiente para desacreditar-mos de nosso modelo e partir para buscar onde erramos. Mas não. O ego, o presente status social, as privilegiadas condições sociais em que acomodaram suas vidas, jamais os permitira sequer pensar que teriam de chegar aos estudantes e mandarem esquecer tudo o que ensinaram, jogar os textos do curriculum escolar no lixo, e terem que reaprender tudo de novo, depois de terem atingido a meia-idade… Imagine se Platão chegasse um dia a seus discípulos e dissesse que descobriu que seus ensinamentos sobre geração espontânea da vida estava toda errada… Ele cairia no descredito imediatamente, estaria morto e hoje ninguém ouviria seu nome.

E quando nos debates pergunto a um especialista… ” E a água?” ele fica irritado e responde algo que poderia ser traduzido assim: ” Eu gosto, só como farofa, não suporto comer mingau. Então não venha botar água na minha farofa transformando-a em mingau que eu prefiro morrer do que comer mingau.” E se agarra a sua farofa protegendo-a com unhas e dentes. Mas… e a água?

O nosso modelo de formação da Terra não tem nenhum problema com a água, alias, obrigatoriamente ela tem que existir, segundo o modelo. Por que os nossos planetas não foram formados como sobra de estrelas – ao contrario, eles carregam o germe de uma estrela em seus núcleos. Não foi formada numa nebulosa de gaz e poeira apenas, havia muitos outros elementos e forças. E ele veio de longe, tao longe que atravessou nebulosas de poeira congelada, a qual se agregou a sua superficie, e quando caiu na orbita de uma estrela quente, o gelo simplesmente derreteu, formando os oceanos que quase cobrem toda a superficie. A água esta do nosso lado, como mais uma evidencia arrolada a favor do nosso modelo.

Mas,… se qualquer extraterrestre racional iria ficar horrorizado ao ouvir falar que gás e poeira ao redor de uma estrela quente gera água, os nossos acadêmicos, e gerações mais gerações de estudantes, engole a absurda proposta sem qualquer raciocínio. Não é de se surpreender, se estes mesmos acadêmicos e estudantes elegeram a pouco como best-seller um livro que chama-se ” O Tudo Veio do Nada”. Esta na moda, é a onda do momento, o que faz os que o pronunciam nas rodas de botequim como um intelectual respeitado. Porem, existem as exceções que ainda de alguma maneira conseguem manter um pouco de controle sobre suas propriedades mentais, e estes não engoliram tao fácil o absurdo. Sentiram-se incomodados, suspeitaram da “verdade cientifica”. Porem, como também estes estão com os seus neurônios compactamente configurados pela visão de mundo explosivo com seu Big Bang ao acaso, não puderam atinar com algo mais racional e remendaram a teoria com outro absurdo: a água no planeta veio de colisões com cometas que eram ricos em água… Meu Deus, tenha a santa paciência! E’ a onda do momento, quem repete isso é expert, a nata da intelectualidade mais moderna!

Acontece que,… se o cérebro humano é produto natural de matéria mole e de uma  biosfera que teve origens caóticas, portanto ainda apresentando muitos defeitos, este mesmo cérebro tentou se reproduzir tecnologicamente com matéria mais dura, na forma de computadores. Estes cérebros eletromecânicos – apesar de também serem milhões de anos-luz fora da realidade natural – não conseguem fazer tanta besteira como faz a matéria mole. E então nesta semana alguns tecnólogos produziram uma simulação computacional de como seria as origens do planeta, e, a água apareceu! La’ nos primeiros momentos da formação do planeta! Raios… mas então não existiu bombardeio pesado de cometas aguados!

Aconteceu o seguinte. Em 2014, pesquisadores japoneses testaram algumas reações químicas baseadas em hidrogênio liquido e quartzo, que é o mais comum e estável forma de sílica nesta parte do planeta, sob altas pressões e temperatura. Depois, uma equipe da University of Saskatchewan no Canada raciocinou que se estas reações ocorrem com sílica e ela esta no interior do planeta, no manto, então porque não fazer uma simulação computacional desta reação acontecendo justamente naquele lugar? Fizeram isso e descobriram surpresos que no manto a reação produz… água! Claro, é apenas simulação computacional, o mapa nunca é real como o território, mas as vezes a simulação pode se aproximar bastante do evento real.

Este material nestas temperaturas e pressão existe entre 40 a 400 quilômetros de profundidade. Então imediatamente perceberam que o nosso planeta não é apenas azul quando visto do espaço, mas é azul também de dentro para fora…

O resultado da simulação ganha mais força quando lembramos que estudos realizados nos últimos anos encontraram evidencias da existência de vários oceanos plenos de água comprimidos em rochas tao profundas quanto os 1000 quilômetros. E então o responsável pela equipe diz que “esta pesquisa sugere que a água do planeta veio de dentro,… apesar de que ninguém de nos sabe ainda exatamente como isso aconteceu”.

Bem, segundo sugere o nosso modelo de formação da Terra, o seu núcleo esférico era pequeno quando começou a crescer devido ser agregado por detritos e poeira congelada a mediada que atravessava a zona de eventos logo apos o vórtice nuclear e portanto, este gelo pode ter milhares de quilômetros de profundidade. Mas o gelo também estava na superfície quando o planeta se aproximou do Sol e seu calor começou a descongela-lo na forma de rochas e água, portanto, a água veio de dentro e de fora também.

Fica registrado o artigo ( link para o paper que originou este artigo, abaixo), como mais uma evidência a favor da Matrix/DNA Theory. E lembrando mais uma vez que não vamos entender nossa existência aqui senão entender-mos o planeta e a galaxia que nos fez dentro dela. Mas para isso a Humanidade precisa amadurecer para deixar de ter sua mente povoada de fantasias como as mentes de nossas crianças. Por isso gasto meu tempo com estes assuntos astronômicos, que não era meu proposito no inicio da minha investigação.

Apenas mais um adendo:

O artigo diz que: “Water formed in the mantle can reach the surface via multiple ways, for example, carried by magma in the form of volcanic activities.”

Sim, e chego até mesmo a suspeitar de algo estarrecedor. Essa água no interior do manto e tao próximo do núcleo efervescente, recebendo aquele imenso calor, pode estar se evaporando no inteiro do planeta e chegando na superfície, e dai para a atmosfera no estado de vapor e… não estaria ai a principal causa do famigerado efeito estufa?!

NEWScientist

27 January 2017

Planet Earth makes its own water from scratch deep in the mantle

https://www.newscientist.com/article/2119475-planet-earth-makes-its-own-water-from-scratch-deep-in-the-mantle

xxxx

paper:

http://Journal reference: Earth and Planetary Science Letters, DOI: 10.1016/j.epsl.2016.12.031

xxxx

paper dos pesquisadores japoneses:

Restricted access

Formation of SiH4 and H2O by the dissolution of quartz in H2 fluid under high pressure and temperature

http://ammin.geoscienceworld.org/content/99/7/1265

These results indicate that the chemical reaction between dissolved SiO2components and H2 fluid caused the formation of H2O and SiH4, which was contrastive to that observed in SiO2–H2O fluid. Results imply that a part of H2 is oxidized to form H2O when SiO2 components of mantle minerals dissolve in H2 fluid, even in an iron-free system.

xxxxx

meus comentarios publicados na midia:

https://www.reddit.com/r/science/comments/5qjvyv/planet_earth_makes_its_own_water_from_scratch/

Planet Earth makes its own water from scratch deep in the mantle from science

TheMatrixDNA  – 1/29/2017

Ok. The existence of water in this planet has been a puzzle only because the theory of planet formation is wrong. My astronomic model – The Matrix/DNA Theory – suggests a different process for planet’s formation and in this process, water was present at the formation as in the whole interstellar space, and still can come from within. And it does not need these elevated pressures and atmosphere

xxxx

Louis C. Morelli, New York, United States, 1/29/2017

Read more: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-4165242/Earth-makes-water-deep-mantle.html#ixzz4X8sjUojw

Luz: A Fórmula Para Criar a Vida?

quinta-feira, março 3rd, 2011

LUZ Criando Vida: A Maior Descoberta de Todos Os Tempos?

( translation from Portuguese to English by Google translate)

Esta descoberta aconteceu dia 03 de março de 2011, às 03;00 da manhã. Eu penso que é uma das maiores descobertas de todos os tempos. Nós e tudo o mais no Universo somos criados pela Luz!

Já descobrí a Matriz/DNA Universal, descobrí LUCA, encontrei a fórmula para um Sistema Natural Fechado Perfeito, e muitas outras coisas mais. Mas essa da LUZ sinto que foi a descoberta mais importante de tôdas,  foi quando eu cheguei mais próximo da fonte criadora de tudo e sinto que daqui não tem mais como avançar com esta forma e inteligência precária humana.

Será Deus? Pois quem, ou o que, criou, emitiu, a LUZ,  é a Fonte da LUZ, é o Supremo Criador!

Um raio de luz é algo vivo! Tal como nós, humanos! Porem mais do que nós, êle é um código genético, como o DNA! Aliás, êle criou o DNA. Êle é a Matriz universal! Um raio de luz tem um período de existência e durante êsse período êle apresenta um ciclo vital. Como nós, êle passa pelas formas de embrião, bebê, criança, jovem, adulto e morre, se desfazendo em fragmentos como um cadáver! Isto é fenomenal!

Estamos tocando as vestes de Deus! 

A Luz é como um DNA puro que na primeira vez que se moveu na substância primordial gerou a primeira partícula, a qual já era um sistema natural, e a qual evoluiu para a forma de átomo, de galáxias, de células vivas, de plantas e animais, de homens, e agora da auto-consciência!

Até ontem já sabiamos como foi tôda essa evolução, mas a fonte das origens permanecia desconhecida, estávamos parados nos vórtices quânticos pipocando no espaço mesmo antes do Big Bang, mas qual era a fonte dêstes vórtices, o que realmente eram êstes vórtices que já apresentavam em si as sete propriedades vitais na forma das fôrças naturais primordiais? Agora descobrimos: não são apenas vórtices, são as ondas de uma LUZ! 

Então a LUZ existe antes do Universo! E veio de algo, de algum lugar além do Universo e já veio com a fórmula para criar tudo o que aqui existe hoje!

É a presença de uma mensagem operativa em código, e a recente presença da auto-consciência como ultimo produto dessa evolução que não me deixa outra alternativa senão a de concluir que a FONTE dessa LUZ é uma Inteligência!

Meu Deus… nêsse momento é indescritível o estado de maravilhamento em que me encontro! E orgulhoso; cheguei aos pés de Deus condizindo-me pela minha inteligência e no maior dos sacrifícios. Um menor abandonado que cresceu ao relento e ficou raquítico pela fome e que chega aos 50 anos sem nada, tão nu como veio ao mundo, mas foi uma luta de gigante!e a FONTE é Deus e êle está me permitindo tocar seus pés… êle porque êle testemunhou e decidiu que eu mereço.

Perdoe-me o desabafo.

Agora me admiro porque eu estudei a vida tôda sem parar, todas as áreas de tôdas as Ciências mas exatamente quando chegava na Física da LUZ eu não me aprofundava, passava por cima. Tinha o pré-julgamento que a luz é algo tão imaterial, tão intocável, abstrato, que ela não deveria ter nenhuma influência importante nas origens e evolução. Quantas vêzes me passou perante a cara o gráfico do espectro eletro-magnético e nunca lhe dediquei mais que um piscar do olhar! Mas o segrêdo supremo estava ali! Só fui olhar com curiosidade para o gráfico ontem quando lia o artigo abaixo e o autor disse a palavra “biofóton”. Biofóton… era a mesma imagem, a mesma solução que meus calculos haviam produzidos e aos quais denominei “genes semivivos”. Oriundos da radiação estelar. O circuito do ciclo vital estava flutuando em minha mente quando olhei o gráfico e de repente, tudo se esclareceu…

A LUZ! A chama criadora de Deus! seja êle um ser onipotente ou ser natural, mortal, tão frágil como eu, mas assim o amaria ainda mais! Assim o perdoaria tudo, como Pai e/ou Mãe ausente e irresponsável que tem sido.  o Perdoarei e o amarei se sempre continuar ausente, porque errar é do natural. Porque é o meu criador, o que me gerou, o carrego em minhas veias, e isso basta saber.      

Observe a figura acima. O Espectro eletro-magnético, ou seja, o campo da  LUZ, é uma onda que se amplifica formando ondas sucessivas, e isto é registrado no gráfico na forma da linha serpenteante. Tudo começa com uma fonte, que produza uma vibração. No inicio a frequência da luz é a mais elevada e a linha avança diminuindo a intensidade de vibração. Mas seja em qualquer meio que ela se propaga, digamos, no éter, as mudanças de frequência geram as várias côres, em primeiro lugar. Mas se propagando em alguma substância mais densa, estas mudanças produzem efeitos diferentes, profundos, na substância. essa substância, seja éter, matéria escura, amnion universal, ou mesmo matéria mais densa, vai sendo modelada e apresentando o que na sua dimensão representa as formas de feto, criança, adulto, ou seja, é animada por um ciclo vital.

Antes já tinha percebido como a Natureza gera um novo sistema natural, seja um átomo, uma galáxia, ou uma célula. Ela dispõe inicialmente de uma porção qualquer de substancia informe, como por exemplo, de poeira estelar. Adensando gravitalmente se no espaço sideral ou pela força de atração entre os fragmentos da substância se na ausencia de gravitação, e formando uma espécie de bolota qualquer ela lhe aplica a dinâmica do ciclo vital, o qual está bem explicito na fórmula da Matriz/DNA. Sob o ciclo vital a esfera se transforma a cada momento como nosso corpo se transforma tôdo segundo quando morre uma célua ou desaparece uma partícula, ou surge outra. Assim a forma original apresenta diversas diferentes formas que são fractais derivados de uma matriz inicial. mas a natureza não faz isso apenas uma vez. Ela faz muitas bolotas e mistura-as espalhando-as no espaço. De maneira que a probabilidade de que diferentes individuos que se encontram num mesmo local e num mesmo momento apresentando as diferentes formas físicas se conectam e formam um sistema. Assim um unico micro-organismo pode ter nascido na forma de um lisossomo, cresceu e tinha a forma de ribossomo, o qual continuou  e apresentou a forma de mitocondria, se encontraram vários dêles e em diferentes idades numa sôpa primordial qualquer e por simbiose se interconectaram dando origem ao primeiro sistema celular, o primeiro ser vivo!

Não olhe e não pense na luz artificial da lâmpada. Nem mesmo preste culto ainda á luz natural do Sol. Esta é uma herdeira, uma descendente muito distante, depois de incontáveis gerações. Pense na primeira. Quando a Luz chegou e ainda aqui tudo eram trevas.  

Raios, lá se vão não sei quantas noites sem dormir e não me lembro agora a quantos dias tive uma refeição normal. Para que continuar esquentando a cabeça para saber como explicar a quem vai receber tudo isso de mão beijada? Que vá nas formas aqui mesmo nêste site e entenda o resto. Para mim chega: o Universo está desvendado! Não há mais a minima brecha na sua História Total, de 13.7 bilhões de anos. Ainda fui um pouco mais alem disso, antes dêle nascer. Já tenho a idéia para onde isto vai. Agora só resta conhecer a FONTE. Mas esta, tudo indica, está muito aquém da minha capacidade. Serei louco se emprregar o resto da vida nessa busca. Eu paro por aqui. Boa noite!      

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Luz, Biofótons, Genes Semivivos: Registros para Pesquisas (Fazer Artigo)

http://mondovista.com/dnax.html

Is the DNA the Next Internet? Are humans really beings of light?

Dan Eden for viewzone.com

I get lots of suggestions for stories, and I really appreciate them. But some of them are too good to be true. An example of this was a story of a giant human skeleton — maybe 40 feet tall — that was discovered by a Russian archaeological team. The story had photos and links accompanying it and looked promising. But when the links were researched they went in a circle. Each link used the other link as the source. Finally the elements of the photos turned up and we recognized a good Photoshop job had fooled everyone.

I had this same experience this week when I was sent an article where a Russian (again) scientist, Pjotr Garjajev, had managed to intercept communication from a DNA molecule in the form of ultraviolet photons — light! What’s more, he claimed to have captured this communication from one organism (a frog embryo) with a laser beam and then transmitted it to another organisms DNA (a salamander embryo), causing the latter embryo to develop into a frog!

But this was just the beginning.

Dr. Garjajev claims that this communication is not something that happens only inside the individual cells or between one cell and another. He claims organisms use this “light” to “talk” to other organisms and suggested that this could explain telepathy and ESP. It was like human beings already had their own wireless internet based on our DNA. Wow!

I tried to find a scientific journal that had this experiment. All I could find were blogs and other websites that carried the same story, word for word, without any references. That is until I stumbled on the work of Fritz-Albert Popp. Then everything I had just read seemed very plausible.

Fritz-Albert Popp thought he had discovered a cure for cancer. I’m not convinced that he didn’t.

It was 1970, and Popp, a theoretical biophysicist at the University of Marburg in Germany, had been teaching radiology — the interaction of electromagnetic (EM) radiation on biological systems. Popp was too early to worry about things like cellphones and microwave towers which are now commonly linked with cancers and leukemia. His world was much smaller.

He’d been examining two almost identical molecules: benzo[a]pyrene, a polycyclic hydrocarbon known to be one of the most lethal carcinogens to humans, and its twin (save for a tiny alteration in its molecular makeup), benzo[e]pyrene. He had illuminated both molecules with ultraviolet (UV) light in an attempt to find exactly what made these two almost identical molecules so different.

Why Ultra-violet light?

Popp chose to work specifically with UV light because of the experiments of a Russian biologist named Alexander Gurwitsch who, while working with onions in 1923, discovered that roots could stimulate a neighboring plant’s roots if the two adjacent plants were in quartz glass pots but not if they were in silicon glass pots. The only difference being that the silicon filtered UV wavelengths of light while the quartz did not. Gurwitsch theorized that onion roots could communicate with each other by ultraviolet light.

XXXXXXXX

Unlocking the secrets of a plant’s light sensitivity

http://dpb.carnegiescience.edu/article/unlocking-secrets-plant%E2%80%99s-light-sensitivity

Article | December 13, 2010

Palo Alto, CA— Plants are very sensitive to light conditions because light is their source of energy and also a signal that activates the special photoreceptors that regulate growth, metabolism, and physiological development. Scientists believe that these light signals control plant growth and development by activating or inhibiting plant hormones. New research from Carnegie plant biologists has altered the prevailing theory on how light signals and hormones interact. Their findings could have implications for food crop production.
It was previously known that a plant hormone called brassinosteroid is essential for plant’s responses to light signals. This crucial steroid-type hormone is found throughout the plant kingdom and regulates many aspects of growth and development. Surprising new research from a team led by Carnegie plant biologist Zhi-Yong Wang shows that light does not control the level of brassinosteroid found in plants as was expected. Instead brassinosteroid dictates the light-sensitivity of the plant. It does this by controlling the production of a key light-responsive protein.

( Bem… isto parece ter implicações filosóficas e até religiosas. Deus est;a no ar, êle não força sua entrada em sua mente, é você quem escolhe ser receptivo a êle ou não. O que o artigo diz é que a luz está no ar, ela não é a responsável por produzir maior ou menor capacidade da planta para capta-la, e sim é a planta que determina, através de um estado (o estado de um hormonio) sua disponibilidade para a luz entrar ou não).
The team’s findings on interactions between brassinosteroid and light in sprouting seedlings have changed the prevailing model for understanding the relationship between light conditions and hormone signals in regulating photosynthesis and growth. Their results are published in Developmental Cell on December 14.
While under the soil’s surface, in the dark, plant seedlings grow in a special way that speeds the process of pushing the budding stem out into the air, while simultaneously protecting it from damage. This type of growth is called skotomorphogenesis. Once exposed to light, seedlings switch to a different, more regular, type of growth, called photomorphogenesis, during which the lengthening of the stem is inhibited and the leaves expand and turn green.
Many components are involved in this developmental switch, including brassinosteroid. Previous studies showed that mutant plants created to be deficient in brassinosteroid grew as if they were in the light, even when in the dark. Research also showed that many genes responded to stimulation from light and brassinosteroid in opposite ways. But scientists were unsure how this antagonistic process worked, especially after they found the levels of brassinosteroid in plant cells were not significantly different between plants grown in the dark or in the light.

Não entendo. Afinal o brassinosteroid não é o responsável pelo nível em que a planta se dispõe a receber a luz, como diz a frase acima?)

The Carnegie team’s new research identifies a protein called GATA2 as a missing link in this communications system. This protein tells developing seedlings which type of growth to pursue.
GATA2 is part of the GATA factor class of proteins, which are found in plants, fungi and many animals. GATA factors promote the construction of a variety of new proteins, the recipes for which are encoded in DNA. It does this by switching on and off different genes. In Arabidopsis, the experimental mustard plant used in this study, there are 29 genes for different members of the GATA factor family. Some of these have been demonstrated to play a role in flower development, the metabolism of carbon and nitrogen, and the production of the green pigment chlorophyll.
Wang’s team found that GATA2 switches on many genes that are turned on by light but turned off by brassinosteroid. It then showed that brassinosteroid inhibits the production of GATA2 and light stabilizes the presence of GATA2 protein in plant cells.

(Ok. Luz tem o poder de forçar sua entrada acionando ou expressando GATA2 que seleciona alguns genes relacionados ao crescimento das plantas. Mas então entra em ação os brassinosteroids que inibem estes genes. Com isso a luz estabiliza ou desacelera a produção da proteína GATA2 nas células das plantas.)
First, the team showed that GATA2 functions to turn on select plant growth genes in the presence of light. The scientists genetically manipulated Arabidopsis plants to cause the GATA2 protein to be overproduced. As a result, the plants started to show patterns of growing in light, even when they were in the dark. This manipulation demonstrates that GATA2 is a major promoter of light-type growth.

(Então a luz influenciando a planta está dentro da planta, em GATA2, e não no espaço exterior?)
What’s more, this is the same reaction that was produced when plants were genetically manipulated to be brassinosteroid-deficient. This means that the over abundance of GATA2 had the same result as the scarcity of brassinosteroids. These results show that GATA2 proteins and brassinosteroid hormones have antagonistic effects on developing plants.
Next, the Carnegie team showed that brassinosteroid is actually involved in inhibiting the actions of GATA2. Brassinosteroids turn on a protein that prevents GATA2 from working when the seedling is in the dark. This inhibition of GATA2 is stopped by exposure to light. This likely happens due to the involvement of yet another protein—one that is widely involved in light-signaling— although further study is needed to be sure.
Together all these results show that GATA2 is an important factor in signaling light-type growth. It also serves as a communications junction between internal plant systems that are turned on by light and those that are turned on by brassinosteroids.
“Brassinosteroids and light antagonistically regulate the level of GATA2 activity, and thus the creation of proteins stimulated by GATA2,” says Wang. “As a result, GATA2 represents a key junction of crosstalk between brassinosteroid and light signaling pathways.”
The framework created by this research leaves plenty of avenues for further study of the various components of light signaling in plants. Some other members of the GATA class of proteins may be involved, as well as other light (?)-

( Qual outra luz?!)

This study was supported, in part, by grants from the National Institute of General Medical Sciences, National Science Foundation of China, and Ministry of Agriculture of China.

The Carnegie Institution for Science (carnegiescience.edu) is a private, nonprofit organization headquartered in Washington, D.C., with six research departments throughout the U.S. Since its founding in 1902, the Carnegie Institution has been a pioneering force in basic scientific research. Carnegie scientists are leaders in plant biology, developmental biology, astronomy, materials science, global ecology, and Earth and planetary science.

xxxxxxxxxxx

Phycociyanin/Cyanobateria é o maior captador de energia solar (bio-fótons), ou produtor de bio-fótons, pois foi a principal produtora de oxig6enico para formar a atmosfera terrestre, através da fotossintese. Notar suas propriedades relacionadas a cores da luz e comprimentos de ondas.

Ficocianina

Phycocyanin

From Wikipedia, the free encyclopedia

Phycocyanin is a pigment from the light-harvesting phycobiliprotein family, along with allophycocyanin and phycoerythrin. It is an accessory pigment to chlorophyll. All phycobiliproteins are water-soluble and therefore cannot exist within the membrane as do carotenoids, but aggregate forming clusters that adhere to the membrane called phycobilisomes. Phycocyanin is a characteristic light blue colour, absorbing orange and red light, particularly near 620 nm (depending on which specific type it is), and emits fluorescence at about 650 nm (also depending on which type it is). Allophycocyanin absorbs and emits at longer wavelengths than Phycocyanin C or Phycocyanin R. Phycocyanins are found in Cyanobacteria (previously called blue-green algae). Phycobiliproteins have fluorescent properties that are used in immunoassay kits.  The product phycocyanin, produced by Aphanizomenon flos-aquae and Spirulina, is used in the food and beverage industry as a natural coloring agent ‘Lina Blue’ and is found in sweets and ice cream.

The phycobiliproteins are made of subunits having a protein backbone to which a linear tetrapyrrole chromophores are bound.

xxxxxxxxxxxx

TGDAILY
Team produces weird optical phenomena – and rewrites the rules of refraction

http://www.tgdaily.com/general-sciences-features/58245-team-produces-weird-optical-phenomena-and-rewrites-the-rules-of-refr

Posted on September 2, 2011 – 06:26 by Kate Taylor

Researchers at the Harvard School of Engineering and Applied Sciences (SEAS) have induced light rays to behave in a way that defies the laws of reflection and refraction – and produced some weird fun-house images on the way.

The discovery has meant a rewriting of the rule books for the centuries-old mathematical laws that predict the path of a ray of light bouncing off a surface or traveling from one medium into another.

“Using designer surfaces, we’ve created the effects of a fun-house mirror on a flat plane,” says co-principal investigator Federico Capasso.

“Our discovery carries optics into new territory and opens the door to exciting developments in photonics technology.”

The conventional laws governing the way light moves from one medium to another – from air to glass, say – predict the angles of reflection and refraction based only on the incident (incoming) angle and the properties of the two media.

But while studying the behavior of light impinging on surfaces patterned with metallic nanostructures, the researchers realized that the usual equations didn’t cover the bizarre phenomena observed in the lab.

Essentially, the group’s discovered that the boundary between two media, if specially patterned, can itself behave like a third medium.

“Ordinarily, a surface like the surface of a pond is simply a geometric boundary between two media, air and water,” explains Nanfang Yu, a research associate in Capasso’s lab.

“But now, in this special case, the boundary becomes an active interface that can bend the light by itself.”

What makes the difference is an array of tiny gold antennas etched into the surface of the silicon used in Capasso’s lab and structured on a scale much thinner than the wavelength of the light hitting it.
This means that, unlike in a conventional optical system, the engineered boundary between the air and the silicon imparts an abrupt phase shift – a phase discontinuity – to the crests of the light wave crossing it.

Each antenna in the array is a tiny resonator that can trap the light for a given amount of time before releasing it. A gradient of different types of nanoscale resonators across the surface of the silicon can effectively bend the light before it even begins to propagate through the new medium.

The resulting phenomenon breaks the old rules, creating beams of light that reflect and refract in arbitrary ways, depending on the surface pattern.

The textbooks now need to be changed, adding a new term to the equations – the gradient of phase shifts imparted at the boundary.
“By incorporating a gradient of phase discontinuities across the interface, the laws of reflection and refraction become designer laws, and a panoply of new phenomena appear,” says Zeno Gaburro, a visiting scholar in Capasso’s group.

“The reflected beam can bounce backward instead of forward. You can create negative refraction. There is a new angle of total internal reflection.”

Comentário da Matriz/DNA: (estudar isso melhor)