Posts com Tags ‘Origens da Vida’

Ótimo Vídeo Informativo S/ Atual Conhecimento da Origem da Vida e Debate com Matrix/DNA

terça-feira, dezembro | 4 | 2012

The Origin of Life – Abiogenesis – Dr. Jack Szostak

https://www.youtube.com/watch?v=U6QYDdgP9eg

Um dos melhores vídeos informativos sôbre o atual conhecimento a respeito das origens da Vida. E no vídeo, a Matrix/DNA participa do debate nos comentários:

EVERY SCIENTIST, in every field, knows life has not been created with the actual gases present. Guys, the odds of amino acids lining up are effectively zero…why do you think they have moved to Multiverse to explain everything? They cant even explain the atoms cohesion without multiverse–forget life itself.

Its over people. Our universe shouldnt exist. The majority of humans have been right all along. We “see” design”. The Math now shows design. We were Created. Only fools remain in denial

Rizzy55 3 days ago

Rizzy55: Maybe you will have big surprises soon, if NASA confirms the cosmological model of Matrix/DNA Theory. This models shows an astronomical system in shape of horizontal nucleotides pair, performing the same functions of atoms. Then, life had a previous design, abiogenesis was merely a new cosmological embryogenesis taking the astronomical time and nature doing nanotechnology, as when she put a entire adult body inside a microscope chromosome. See the pictures at the Universal MatrixDNA

TheMatrixDNA 5:31 PM – Dec – 04 – 2012

Origens da Vida pela Matrix/DNA: Bioquímicos desvendam mecanismos de origem e evolução da vida

segunda-feira, novembro | 5 | 2012

Publicado por: Ciência Diária

Thursday, 19 January 2012

http://cienciadiaria.com.br/2012/01/19/bioquimicos-desvendam-mecanismos-de-origem-e-evolucao-da-vida/

Transcrição do artigo para anotações/análizes pela Matrix/DNA: (trechos em côr azul)

Imagem de um astro primordial com vulcões ativos

Imagem de um astro primordial com vulcões ativos

Canais de fluxo vulcânico hidrotermal oferecem um ambiente quimicamente exclusivo, que à primeira vista parece hostil à vida. Eles são definidos por fissuras na crosta terrestre, onde os fluxos de água carregando gases vulcânicos entram em contato com uma diversidade de minerais. E mais, é precisamente este ambiente extremo o lugar de onde poderiam ter surgido dois mecanismos que estão na origem de toda a vida: a multiplicação de biomoléculas (reprodução) e o surgimento de novas biomoléculas a partir de biomoléculas formadas antes (evolução).

Matrix/DNA: Nossos modêlos sugerem que 50% das informações para gerar sistemas biológicos vem dos nucleos planetários e os outros 50% vem de estrêlas, no nosso caso, Terra, Sol e possivelmente radiações/elementos vindos de outros sistemas estelares. Basta observar a fórmula/software da Matrix para ver isso: os 50% do planeta se referem ao lado esquerdo que é a fase metade inicial e os 50% da estrêla se referem ao lado direito que é a fase final do sistema.Fluxos vulcânicos compostos de gases são produzidos pelas reações nucleares e crescimento do nucleo planetário e tais fluxos tendem a alcançar a superficie procurando valvulas de escape, que são as fissuras na crostra. Mas se tais gases encontrassem apenas rochas na superficie – como acontece nos planetas onde não existe liquido –  nada formariam pois nestas os átomos estão amorfos, massificados, inertes. Por isso a maioria dos planetas do Universo não são boas searas para germinarem as sementes da Vida. É preciso lembrar que os sistemas astronomicos ( estelares e galácticos foram formados apenas pelos estados gasoso e sólido da matéria, sendo que o estado liquido surgiu posteriormente em planetas, creio que devido a estes serem formados por poeira estelar congelada (Função Matricial n.2 e 3) e com seus movimentos passarem por diversas temperaturas ambientes. Com a emergencia do estado liquido surge a quimica inorganica, e com a chegada dos fótons trazendo informações da Matrix, vindos dos nucleos planetários e das estrêlas, e penetrando os átomos em meio liquido cria a quimica orgânica. Porque? Porque para um átomo qualquer dar o empuxo na diração da formação de um novo sistema natural ( no nosso caso, a forma biológica) é preciso que êste átomo esteja possuido pela Matrix completa, que o sistema matricial se estabeleça e de maneira funcional, com o circuito sistêmico fluindo em sua plenitude. É preciso que o átomo contenha ( tenha sido penetrado, invadido) ao menos um fóton especifico a cada uma das seis funções do sistema. E justamente o unico átomo de numero atômico 6 ( que contem o numero de particulas exato igual ao numero de funções da Matrix) é o átomo de carbono. Por isso tudo começou pelo carbono, êle se colocou no centro das fórmulas de todos os aminoácidos requeridos pelas moléculas da Vida.

Mas mesmo assim, tendo o carbono na superficie terrestre, não seria suficiente para o próximo passo evolutivo se a matrix estivesse reproduzida dentro de um átomo o qual estivesse no meio dos átomos fortememente arraigados em formações rochosas, em estado eterno de equilibrio termo-dinâmico. O que você poderia fazer para sobreviver se estivesse isolado em meio às areias do deserto? É preciso aos fótons matriciais dentro do carbono “sentirem” a presença de outros fótons matriciais nos átomos ao seu redor. O que acontece com os imigrantes chineses, coreanos, mexicanos, em New York ou São Paulo? Podem terem vindos por diferentes rotas em diferentes transportes, mas quando se encontram dão seu jeito de morarem juntos, constituindo os bairros de Chinnaton em New York e da Liberdade em São Paulo.Esta tendencia de imigrantes se juntarem em novos locais já era praticada bilhões de anos atrás por particulas de luz na estéril superficie terrestre.

Aconteceu então que o estado liqido da matéria, principalmente a àgua, fluindo pelas rochas arrancou delas ártomos e or re-organizou em novas formas, principalmente a denominada “estrutura cristalina”, uma caracteristica particular da matéria que está na base do que se denomina “minerais”. Diz-se então que tais minerais foram os “catalizadores”. O que é um catalizador?

Wikipédia: Catalisador é toda e qualquer substância que acelera uma reação, diminuindo a energia de ativação, diminuindo a energia do complexo ativado, sem ser consumido, durante o processo. Um catalisador normalmente promove um caminho (mecanismo) molecular diferente para a reação. Por exemplo, hidrogêniooxigênio gasosos são virtualmente inertes à temperatura ambiente, mas reagem rapidamente quando expostos à platina, que por sua vez, é o catalisador da reação.

Energia de ativação é a energia inicial necessária para que uma reação aconteça.

Para ocorrer uma reação química entre duas substâncias orgânicas que estão na mesma solução é preciso fornecer uma certa quantidade de energia, geralmente na forma de calor, que favoreça o encontro e a colisão entre elas. A energia também é necessária para romper ligações químicas existentes entre os átomos de cada substância, favorecendo, assim, a ocorrência de outras ligações químicas e a síntese de uma nova substância a partir de duas iniciais.

Portanto, as rochas tambem recebiam os fótons irradiados pelo sol, mas por estarem seus átomos fortemente conectados em sólidos, e suas particulas internas não estarem possuidas na medida exata da fórmula matricial, quanto mais calor os atingissem nada os fariam desconectarem-se e re-conectarem-se em novos modêlos, e acabariam indo direto para a forma de cinzas. O artigo cita hidrogênio e oxigênio como exemplos de átomos inertes. Hidrogênio tem numero atômico 1, apenas um próton e um elétron, aqui a Matrix nada pode fazer. Ela apenas usa hidrogênio como tijolos para construir pontes entre átomos e moléculas. Oxigênio tem numero atômico 8, portanto, duas particulas a mais do que as necessárias e suficientes para a Matrix se instalar, e o excesso de duas particulas faz com que a face direita, terminal, se expresse dominantemente sufocando a expressão da face esquerda. Como a face direita contem em si o principio entrópico da degeneração, da morte, para a Matrix o oxigênio já está morrendo no momento em que cada uma de suas particulas é incorporada pelos fótons. Mas na sua esperteza infinita foi aqui que a Matrix, quando viu a água composta de H2O, deu o próximo salto evolutivo: ela tinha o agente da morte para as rochas que se tinham autoproclamado imortais, reduzindo as rochas em seus fragmentos atômicos e tinha os tijolos para confeccionar as pontes entre êstes fragmentos atômicos em novos tipos de compostos materias. Por exemplo assim ela formou a platina, numero atômico 78, a qual pode ser usada em diversos modelos como a platina na perna como implante para poder adiantar mais o tratamento e recuperação da perna ou da coluna. Porque a platina faz isso? Ela fornece a condição, a velocidade exata para que os imigrantes que estão numa margem de uma cicatriz encontrem e se encham de amores pelos seus conterraneos imigrantes que estão na outra margem, e assim se aproximam e constroem fortes laços de amizade duradoura: as cicatrizes desaparecem, os ossos se unem. Bendita platina! Se não fôsse alguem como ela presente na superficie terrestre a bilhões de anos atrás, os imigrantes de ambas as margens reagiriam com rancor disp;itando teritórios e se lançariam velozes uns contra os outros, o que para nós, em têrmos humanos, significa guerra. Então os átomos que a Matrix tinha invadido com seus fótons (carbono, nitrogênio, oxigênio, todos com numeros atômicos próximos ao numero 6 ideal, e mais a ponte hidrogênio…) precisava estarem em cima de um agente catalizador, que fôsse maleável para permitir a combinação amigavel entre êstes átomos de diversas origens para formarem as moléculas de aminoácidos, assim como o solo apropriado da América possibilitou os arranjos e pacifica conexão de diversas etnias, diversos bairros, em uma unica cidade, como as maravilhosas e hospitaleiras metrópoles de New York e São Paulo.

Quando os primeiros aminoácidos mais simples já continham quatro átomos conectados na mesma sequencia da face esquerda da Matrix, estava preparado o ambiente para aceitar e acolher os fótons da Função 5, que é a função replicadora, reprodutora, ao mesmo tempo que é a função onde se encontra o ponto do circuito sistêmico que dá a medida 1,618…, o numero Phi, o místicamente chamado “numero da sagrada geometria” porque de fato é a função que reproduz a face esquerda na sua cópia direita, a função da perfeita simetria (ver nêste website o apaixonado artigo que fiz quando descobrí isso, referente ao numero Phi). E é nesta ação de replicação que pode ocorrer os “êrros” de transcrição rsesponsáveis pelas mutações ao acaso. Se a mutação estiver dentro do esquema evolucionario da Matrix ela é selecionada e conservada como benéfica, senão, é deletada nas próximas gerações. Mas se não houver uma mitação benéfica ao acaso, a Matrix força a entrada do próximo fóton da sequencia através de agentes catalizadores como a platina. E assim, como diz o artigo: “o lugar de onde poderiam ter surgido dois mecanismos que estão na origem de toda a vida: a multiplicação de biomoléculas (reprodução) e o surgimento de novas biomoléculas a partir de biomoléculas formadas antes (evolução).”

Voltemos ao artigo:

No início desse encadeamento de reações – que levou, eventualmente, à formação de formas de vida celulares – há apenas alguns aminoácidos que são formados a partir de gases vulcânicos pela catálise mineral. Semelhante a uma pedra de dominó que desencadeia uma avalanche, as biomoléculas primeiras estimulam não somente sua própria síntese, mas também a produção de biomoléculas inteiramente novas. “Dessa maneira, a vida começa pela necessidade de acordo com leis pré-estabelecidas de química e em uma direção predeterminada”, declara Günter Wächtershäuser, professor de bioquímica evolutiva na Universidade de Regensburg, Alemanha. Ele desenvolveu, teoricamente, o mecanismo de um metabolismo de auto geração. Faltava uma demonstração experimental.

Agora, os bioquímico Claudia Huber e Wolfgang Eisenreich, do Departamento de Química da Universidade Tecnológica de Munique (TUM), Alemanha, em estreita colaboração com Wächtershäuser, demonstraram experimentalmente a possibilidade de um mecanismo de auto estimulação. Um catalisador constituído por compostos de metais de transição de níquel, cobalto ou ferro tem o papel principal nestas reações. Ele fornece não somente a formação das biomoléculas primeiras, como também inicia o encadeamento de reações. O motivo: biomoléculas apenas recentemente formadas a partir de gases vulcânicos ocupam o centro do catalisador de metal de transição para permitir reações químicas adicionais que formam biomoléculas inteiramente novas. “Este acoplamento entre o catalisador e um produto de reação orgânica é o primeiro passo”, explica Wächtershäuser. “A vida surge se, posteriormente, uma cascata inteira de mais encaixes se realiza, e esta vida primordial eventualmente leva à formação de material genético e da primeira célula”.

Matrix/DNA: “Esplêndido! Wächtershäuser captou intuitivamente, segrêdos profundos da Natureza. Não é possível a Vida surgir na forma de poucos átomos que se juntaram ao acaso e por sí só tivessem empreendido o esfôrço de sobrevivencia, multiplicação e evolução. Basta observar e calcular o que um átomo pode fazer, seus limites, para entender isso. Precisava tambem um ambiente préviamente desenhado para isso ocorrer. E esta evidência, este requisito racional, é oportunísticamente explorado pelo time criacionista do Inteligente Designer, como mais um indicio de irredutivel complexidade.  Esta cascata de diferentes peças, que se encaixaram tão bem entre si, só se explica de duas maneiras: 1) ou houve uma inteligência coordenando isso, ou, 2) as diferentes peças vieram de um unico sistema existente anterior e em outro lugar, com a tendencia de se auto reagruparem devido aos antigos laços de conexão, vindos de um unico corpo, um unico ancestral: LUCA. Eu vejo mais evidencias apontando para a segunda solução, uma solução simplesmente naturalista, o que não descarta a hipótese de que inclusive LUCA e o Universo inteiro tenha sido antes “inteligentemente” desenhado.”

Os cientistas simularam em seus experimentos as condições dos canais de fluxo vulcânico-hidrotermais e estabeleceram um sistema aquoso organometálico que produz um conjunto inteiro de biomoléculas diferentes, entre elas os aminoácidos glicina e alanina. Aqui a fonte de carbono foi fornecida por um composto de ciano e o agente redutor por monóxido de carbono. Compostos de níquel acabaram sendo os catalisadores mais eficazes nestas experiências. Os cientistas, em seguida, adicionaram os produtos glicina e alanina em outro sistema, o que gerou novamente duas novas biomoléculas. O resultado: os dois aminoácidos aumentaram a produtividade do segundo sistema em um fator de cinco.

Matrix/DNA: É bom lembrar aqui que no meio cientifico se diz que ” em princípio, existe níquel no núcleo da Terra”. Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%ADquel

Em experimentos futuros, os cientistas pretendem recriar as condições dos sistemas vulcânico-hidrotermais, onde a vida poderia ter surgido bilhões de anos atrás. “Para este propósito, simularemos, em primeiro lugar, certas fases no desenvolvimento de um sistema de fluxo vulcânico-hidrotermal para determinar parâmetros essenciais”, explica Wächtershäuser. “Só depois poderemos fazer uma construção racional de um reator de fluxo”.

Matrix/DNA: ” Caro Dr. Wächtershäuser. Eu gostaria de ser alguem na vida que tivesse uma voz possível para alcança-lo. O reator de fluxo já foi teóricamente desenhado, já existe aqui nêste website, bastaria agora traduzir o desenho na forma de software com elementos materiais na forma de hardware. Se soubesses disso, algum dinheiro e seu precioso tempo seria economizado. E a Humanidade precisa que seu tempo seja economizado, pois o empregas heróicamente em seu beneficio.”

Os resultados do experimento mostraram que uma origem e evolução da vida em água quente de canais de fluxo vulcânico são viáveis. Os resultados revelam vantagens dessa teoria em comparação com outras abordagens. Dentro dos canais de fluxo, a temperatura, pressão e PH mudam ao longo do caminho e, assim, um espectro gradual de condições é oferecido, o que é apropriado para todas as fases da evolução primitiva até à formação de material genético (DNA/RNA).

A propriedade mais importante do sistema é sua autonomia: essa noção é oposta àquela de uma sopa primordial fria, ou de um primeiro metabolismo ocorrido aleatoriamente, ou ainda, de um acúmulo de componentes essenciais durante milhares de anos. Assim que a primeira pedra do domino é derrubada, as outras caem em sequência. A origem da vida continua ao longo de trajetórias definidas, pré-estabelecidas por regras de química – um processo quimicamente determinado dando origem à árvore de todas as formas de vida.

Matrix/DNA: ” O planeta Terra contem em si tôdas as informações necessarias e suficientes do sistema astronomico primordial, com tôdos seus tipos de corpos astronomicos, assim como um ser humano, seja qual for o momento de sua vida, na forma de um adolescente ou um adulto, contem no seu DNA tôdas as informações do ciclo vital, das outras formas de seu corpo. Mas assim como no adolescente são fortemente expressados os genes correspondentes à primeira fase da vida, enquanto os referentes à fase terminal se mantem recessivos como potencial latente a serem expressados no futuro, assim são as informações dispostas nêste planeta. A primeira pedra do dominó foi o átomo de carbono invadido por seis diferentes fótons e em cima de um mineral contendo dezenas de cópias dêstes mesmos fótons. O sistema autiono era astronomico, a Terra dentro do sistema estelar e êste dentro do sistema galáctico… todos sendo apenas as diferentes formas de um unico corpo, um unico sistema universal, contendo uma unica Matrix/DNA. A sôpa primordial não era fria, mas sim regurgitante de agentes ávidos por informarem, darem a forma da Vida à matéria inerte. Êles constituiam uma espécie de semente que nadava naquela sôpa. Sinto muito, mas não foi um processo quimicamente determinado: a quimica já fazia parte de um processo determinado a nível mais amplo”.

XXX

Comentário postado no artigo do Ciência Diária:

Diz o artigo: “A origem da vida continua ao longo de trajetórias definidas, pré-estabelecidas por regras de química”.
Pelo que sei, a evolução cosmológica primeiro produziu os sistemas astronomicos apenas com os estados sólido e gasoso da matéria, sob as regras da Física, do eletro-magnetismo. Processos quimicos só devem ocorrer onde existe tambem o estado liquido, o qual emerge nas superficies de astros como os planetas. Se isto for correto, antes das regras da quimica, as regras da evolução biológica já existiam, nos seus primórdios físicos. A quimica seria consequencia, e não a causa. Portanto, naquela sopa primordial deviam existir os agentes primordiais, os quais, segundo a teoria da Matrix/DNA, são os fótons provindos inclusive do nucleo terrestre via fluxos vulcânicos. Agradeço pelo artigo e convido a uma ver uma descrição detalhada dêle pela versão da Matrix/DNA, no meu artigo “Origens da Vida pela Matrix/DNA: Bioquímicos desvendam mecanismos de origem e evolução da vida” via Google. Parabéns.

Diz o artigo: “A origem da vida continua ao longo de trajetórias definidas, pré-estabelecidas por regras de química”.
Pelo que sei, a evolução cosmológica primeiro produziu os sistemas astronomicos apenas com os estados sólido e gasoso da matéria, sob as regras da Física, do eletro-magnetismo. Processos quimicos só devem ocorrer onde existe tambem o estado liquido, o qual emerge nas superficies de astros como os planetas. Se isto for correto, antes das regras da quimica, as regras da evolução biológica já existiam, nos seus primórdios físicos. A quimica seria consequencia, e não a causa. Portanto, naquela sopa primordial deviam existir os agentes primordiais, os quais, segundo a teoria da Matrix/DNA, são os fótons provindos inclusive do nucleo terrestre via fluxos vulcânicos. Agradeço pelo artigo e convido a uma ver uma descrição detalhada dêle pela versão da Matrix/DNA, no meu artigo “Origens da Vida pela Matrix/DNA: Bioquímicos desvendam mecanismos de origem e evolução da vida” via Google. Parabéns.

A FALSA IDÉIA SÔBRE MOLÉCULAS AUTO-REPLICADORAS

quarta-feira, fevereiro | 10 | 2010

Molécula de RNA

                 Molécula de RNA

 O materialismo científico está fazendo com que seus adeptos afirmem com convicção que em determinado momento a bilhões de anos atrás uma certa molécula, por acaso previsto no calculo das probabilidades, começou a se replicar, confeccionando cópias de si mesma, ou seja, o fenômeno da reprodução teria sido inventado pela primeira vez na História do Universo e na Terra, e isto teria sido o grande gatilho disparador que faltava para a Vida surgir na Terra. Os modêlos da Teoria da Matriz/DNA Universal também indicam que a certa época uma arquitetura natural existente na Terra começou a se duplicar, porém, sugerindo uma outra versão e creio, apesar de parecer fantástica, é muito mais profunda e racional, entrando no estado do mundo anterior inclusive às origens dêste planeta, para dali retirar as causas e fôrças naturais que teriam se desenvolvido a partir de mecanismos físicos até chegar  ao processo biológico da auto-duplicação.

Segundo a versão da Teoria da Abiogêneses, o primeiro fenômeno da auto-duplicação aconteceu por que… aconteceu… êles dizem. “Simplesmente aconteceu… assim é este mundo, coisas acontecem devido às infinitas possibilidades que podem ser medidas pelo calculo das probabilidades, sem precisar de nenhum prévio propósito existente em algum lugar fora do contexto  em que existia aquela molécula.” Mas até hoje acho que ninguém conseguiu apresentar em laboratório alguma molécula simples se auto-duplicando. Pelo que sei, a molécula mais simples que pode se auto-duplicar é o RNA. Como podemos ver nesta frase dita não me lembro onde: “Research by Christof Biebricher showing the formation of RNA molecules 400 bases long under freezing conditions using an RNA template, a single-strand chain of RNA that guides the formation of a new strand of RNA.” Acho inclusive que esta descoberta de que o RNA pode se auto-duplicar inclusive fora da célula – e portanto, em abiogêneses, pode ter feito isto antes de surgir o primeiro ser vivo – está na fundação da moderna tendência e forte crescimento no meio cientifico da hipótese do RNA-World. 

Mas o RNA não é uma molécula simples e, segundo a Teoria da Matriz, quando o RNA se formou já não havia mais abiogêneses, a fase de transformar a matéria inorgânica em vida já estava terminada. O RNA já não é mais da época em que se confeccionou a matéria-prima para a Vida, pois êle próprio já é a vida consumada. RNA é uma completa e terminada reprodução de um lado da face da Matriz. Pode se ver no software: a criança é confeccionada em F1, nasce como baby em F2, cresce como jovem em F3, amadurece em F4, quando termina a parte esquerda da face. Ora, tendo esta metade, a outra surge automática, pois o adulto se torna senil e o senil morre, perfazendo as funções F6 e F7. Acho que a idéia que se tem do mecanismo pelo qual um RNA acaba produzindo uma çopia está relacionada com a chirolarity ou bi-polaridade, no sentido que, digamos, existe um RNA carregado positivamente, e isto faz com os átomos ou substancias simples ao redor dêle automaticamente se auto-organizam justamente como sua contra-face, carregado negativamente. Bem, não sei o que os cientistas dizem sobre esse mecanismo, preciso consultar. Mas pela teoria da Matriz o mecanismo é explicado de outra maneira. Desde que existe um principio já estruturado e operante do sistema matricial, o circuito que começa em F1 tende a chegar ao F7, da mesma maneira que, desde que existe uma criança já formada, o seu ciclo de vida que começou no óvulo fecundado tende a chegar à forma de humano idoso. Se não houver algum obstáculo que interrompa este circuito, (como por exemplo a falta de alimento para o jovem adulto) que se encontra na ponta final do filamento do RNA, onde se situa a F4, que vai acontecer as outras formas finais, que vai se completar um ciclo, é automático. A não ser que esgote a disponibilidade de alimento no ambiente, ou seja, que não existam os átomos necessários. Em outras palavras: no momento que surgiu o primeiro RNA na Terra, a existência do futuro DNA foi determinada. Porque DNA significa a Matriz completa, significa um ciclo vital sistêmico completo. Mas então, sob esta perspectiva da Matriz, o fenômeno da auto-duplicação não foi inventado na Terra e pela Vida, pois ele já existia nos céus muito antes das origens da Terra. A importância desta nossa tese são duas: 1) Talvez o mecanismo acreditado pelo pensamento contempr6aneo esteja equivocado e talvez estaríamos aqui apresentando o mecanismo correto;  2) muda-se a visão do mundo, pois ao invés de um mundo ao acaso estritamente materialista, estamos sugerindo que os eventos aqui tratados vêm de um tempo e lugar além do Big Bang, ou por produção naturalista genética ou deixando a porta aberta para a possivel existência de uma inteligência além do Big Bang que cria universos através de softwares ou programas vivos.

 Antes de apresentar a versão da Matriz deixa-me colar aqui um trecho da sensacional aula do Professor Eric Lander, na heróica, genial, filantrópica iniciativa do MIT – Massachusetts Institute of Technology, no website http://ocw.mit.edu/OcwWeb/Biology/7-012Fall-2004/VideoLectures/detail/embed10.htm

que é uma série de cursos gratuítos, de uma eficiência e qualidade espetacular que posso mesmo dizer ter sido o maior presente que já recebí alguma vez na minha vida (eu que no meio da selva ou no trabalho árduo em New York não tenho a oportunidade de frequentar uma sala de aula) e assim, mesmo não acreditando que Êle me ouça, peço a Deus que proteja aquelas pessoas do MIT e as mantenha iluminadas com tais idéias tão benéficas no socorro à nossa espécie humana tão necessitada de iniciativas como estas. Para você ter uma idéia da importância da coisa e ser motivado a fazer aquêles cursos gratuítos, digo que o próprio Bill Gates, no seu website particular, disse que tem assistido às aulas!

Vamos então ler um trecho da aula (quando tiver tempo o traduzo, ou se alguém puder faze-lo, muito grato), o qual serviu de inspiração para eu apresentar agora mais esta tese:

 Prof. Eric Lander: “These (virus) were very simple things. I’m reluctant to call them creatures. Are they alive? This is a favorite question people would like to debate. They say are viruses alive? And the answer is who cares? I mean it depends on what you want to define alive to mean. To me it’s not alive in that it cannot replicate on its own without a host, so I won’t call it alive. But, anyway, I’ll refer to them loosely as these creatures that eat bacteria. They were very simple. And all they really had in them was some DNA in their capsid, this capsid up here, and some protein. But they could attach to a bacterium and after a certain amount of time cause the bacteria to burst open and produce lots of daughter-phage, lots of daughter bacteriophage. It could replicate within this bacteria. So, somehow this, while I might not want to call it alive, certainly can reproduce itself, or at least with the help of a     bacterium can reproduce itself .” ………………………………………………………………………………………………………………….

Êste fato imediatamente me leva a pensar o seguinte: “Uma arquitetura natural que chamamos de virus apresenta já uma enorme complexidade adquirida por um longo período de evolução, contendo proteínas, RNA e/ou DNA, e com tudo isso ainda não alcançou o nível de complexidade que é necessário para ser-se hábil a auto-duplicar-se.  Porque?  Como então acreditar que uma primitiva molécula muito menos complexa tenha alcançado essa habilidade? Isto não faz sentido racional. Acho que está óbvio aí que o segrêdo do mistério todo está na palavra “sistema”. O vírus é uma parte, uma peça, de um sistema, e quando esta peça se insere neste sistema – mesmo que ele já tenha uma operatividade própria – ela se expressa mais fortemente que a peça correspondente que já existia no sistema, assume o pôsto da outra peça, sequestra a maquinaria do sistema e assim se auto-duplica. Ou seja, se o sistema existente tinha a habilidade de se auto-duplicar por inteiro, agora com êste novo intruso êle mudou para a capacidade de duplicar uma de suas partes internas. ……………………………………………………………………………………………………………

Pelos modêlos da Matriz tenho concluído muito tempo antes que os vírus são originários dos bit-informações deixados no “ar” pelo antigo pulsar do sistema solar, que desempenham a funçao de macho reprodutor e os mesmos modêlos mostram como muito antes da existência dos virus, os sistêmas astronômicos já possuíam esse mecanismo de reproduzir suas peças internas degradadas”Isto é possível? Existe algum parâmetro na Natureza conhecido de fato por todos humanos, que confirme ser possível a Natureza aplicar este processo?……………………………………………………………………………………………………………

Uma rápida meditação nos leva ao seguinte quadro: No período da guerra fria o Império Soviético queria expandir o comunismo. Então ele enviou agentes subversivos que se conectou a pessoas sugestionáveis que viviam numa fazenda da Amazônia, ( se lembram do episódio da Guerrilha do Araguaia?), aos poucos fêz sua pregação doutrinaria, fizeram a revolução, o motim na fazenda, aprisionaram o fazendeiro e transformaram a fazenda num gueto comunista onde os agentes subversivos e seus asseclas tomaram o poder e assim tinham mais chance de deixar maior progênie. Se nenhuma fôrça externa atuar refreando este processo, não será o sistema organizatório da fazenda capitalista que vai ser exportado para as terras vizinhas fazendo outras fazendas capitalistas, mas sim os filhos dos agentes comunistas saindo daqui e indo para as terras vizinhas fazendo fazendas comunistas… ou os filhos dos virus subversivos saindo para fazendas-células, as quais seriam “cancerosas”, do ponto de vista da nacão Brazil cujo modêlo de sistema social é o capitalismo… É isto que os virus fazem! E se êsse fenômeno é visualizado aqui e agora na espécie humana, e o homem não cria nada do nada mas sim aplicando mecanismos já existentes na Natureza, está aí nos virus invadindo células o fenômeno ancestral dos agentes russos invadindo uma fazenda na Amazônia. E em quantas outras situações este mesmo processo deve estar acontecendo na Natureza, seja a nível atômico, astronômico, celular, etc.? Sim existe um parâmetro, nosso raciocínio está autorizado a prossseguir nesta linha pelo nosso auto-policiamento de nossa Razão……………………………………………………..

Sistemas! Nunca aconteceu isto, de por simples efeito casuístico da probabilidade uma certa molécula simples inventar onde nunca existiu antes este fenômeno da auto-duplicação. Ora, pense sériamente na cena: um corpo material tornando-se dois exatamente iguais! Isto é fantástico, certo? O primeiro ser que se auto-duplicou era um sistema. E aí o crente materialista contesta: “O DNA por si só, isolado, não é um sistema e mesmo assim, numa solução quimica contendo os ingredientes necessários, ele se auto-duplica.” Ah… meu  Deus… quanta dificuldade encontro devido as pessoas não conhecerem a Matriz. Quando não existiam átomos complexos, pesados, no Universo, e sim apenas os átomos leves que no máximo podem constituir gazes, êstes formaram protótipos das atuais estrêlas. Estas possuem reações nucleares que permitem a fabricacação de átomos mais pesados e complexos. Com a produção de atomos pesados as estrêlas puderam desenvolver os sistemas estelares. Mas uma estrela, agora que ela pode fabricar atomos pesados, não precisa dis planetas e outros que formam seu sistema para auto-duplicar-se. Basta ela morrer, se fragmentar, deixar seus restos mortais na forma de poeira turbilhonando num ponto qualquer da galáxia auto-rotativa que ela vai ressuscitar… e justamente este mecanismo de proto-auto-reciclagem, que depende de que um corpo morra antes para se auto-ressuscitar, e que até hoje é reproduzido aqui pelos zangões que copulam com a rainha e morrem imediatamente porem não sem antes deixarem seu genoma que os auto-replicará, este mecanismio que existia no céu a bilhões de anos antes das origens da vida na Terra, é o mecanismo ancestral do fenômeno da auto-reprodução biológica e também da auto-duplicação da molécula enclauzurada no nucleo da célula…………………………………….  Eu acho isto lindo de morrer, para mim jamais apeareceu uma teoria tão… elegante. Não porque seja vaidoso bradando aos quatro ventos que eu descobrí a Matriz, qualquer um que tivesse nascido tão fud… como eu nascí a ponto de ser enxotado pela civilização para o meio da selva, o teria disccoberto, pois esta descoberta foi feita pelo espirito virgem e selvagem da Natureza apoiada sobre os ombros de gigantes como Grigffith, Francis Crick, Watson, etc., usando-me como mero instrumento. Em todo caso, torço para que seja comprovado o pouco que deve existir de correto nestes primeiros modelos da Matriz, pois estas perspectivas próprias dela, estas mensagens que ela nos envia, são muito mais belas e confortantes para nosso anseio de significar algo mais neste mundo que o simples papel de meros macacos melhorados, do que a perspectiva e mensagem fria e niilista que nos envia a doutrina materialista. Você não concorda? Havia sim um propósito, um prévio design existente que produziu o fenômeno da Vida e da reprodução aqui na Terra, isto não foi obra apenas de um montículo de matéria compondo uma simples molécula ao sabor do acaso que tirou este fenômeno da cartola como num passe de mágica. A Matriz está sugerindo que nós somos os genes operários do Universo construindo nosso próprio corpo do futuro, isto sinigifca que somos alguém, que nossa vida tem um sentido sublime, e que um futuro grandioso nos aguarda. Se a Matriz for apenas um sonho, ao menos ela serve como a energia potencial que me mantem querendo continuar esta vida, o que eu não iria querer continuar se tivesse a abrupta certeza de que não passo de mero macaco melhorado vivendo uma existência inútil e indesejada por um Universo não-amigável que me trataria como mera verruga incômoda e incongruente que nada teria a fazer mo Universo. Se eu não tivesse a consciência de que sou um cego tateando este mundo desconhecido como uma criança quando engatinha, e a educação para perceber que um cego não pode e não dever guiar outros cegos, eu diria: venham viver este sonho comigo pois juntos é possivel que “our dream will come true”.

Previsões da Teoria da Matriz/DNA Aprovadas (1)

sexta-feira, setembro | 11 | 2009

(Scientific American, September 2009, pg. 61)

Qual foi a causa da primeira duplicação (ou multiplicação) dos seres vivos? Cientistas descobrem que a aplicação de uma fonte de calor sobre uma primitiva proto-celula pode ser o estimulo que faz as duas hastes do DSNA ou do proto-RNA se separarem criando assim duas células filhas  Supõe-se que na Terra primitiva haviam duas alternativas como fonte de calor: raios ultra-violeta do Sol ou atividade vulcanica próxima.

     . Pois nos modelos da Matriz/DNA feitos a 25 anos atrás”(PORTANTO MUITO ANTES DE SE PENSAR NESTA HIPÓTESE), o “DNA” de LUCA,  desde antes das origens da proto-célula, se divide devido a uma fonte externa de calor: o Sol.  Vamos à face de LUCA e à sua Matriz/DNA ( não consigo postar as imagens no lugar certo!):

matriz.jpg

LUCA - The Last Universal Common Ancestor

Onde é que o circuito se divide em dois, fazendo que a meia-lua esquerda se reproduza como meia-lua direita? Na Função 4, que em LUCA é representada pelo Pulsar. Lembre-se que um Pulsar é um velho planeta.  E porque o fluxo de divide aí? Porque o planeta caiu na órbita de uma estrela, a energia desta produz as reações nucleares ni nucleo, a pressão destas radiações produzem vulcões e os vulcões produzem os cometas, que criam o fluxo lateral interno. Portanto, no céu uma fonte de calor é o estimulo para LUCA lançar seus espermatozóides e se replicar (já que LUCA nào se reproduz e sim recicla seus ciclos de vida).

E como sempre dissemos, nas … (origens da Vida na Terra, que não houve) … nas épocas da embriogenese do primeiro sistema biológico, todos os mecanismos e processos aplicados aqui foram extraídos dos mecanismos e processos que já aconteciam no céu.

Mais um ponto para a Matriz. E também assim vamos aprendendo mais e mais a interpretar os mapas da Matriz. 


U.S.A: Copyright Washington n. 000998487/2001-02-20 | Brasil: Reg. Dir. Autorais - Brasília n. 106.158/11-12-1995 | Louis Charles Morelli