Posts Tagged ‘oxigenio’

Átomo Oxigênio e a Entropia na Formula da MatrixLight/DNA

sexta-feira, abril 22nd, 2016

xxxx

Pesquisar isto. lembrar que na formula do RNA-ribose, a entrada de 3 átomos de O na face direita indica que o átomo ‘e buscado quando inicia a entropia. Se eme ‘e um  receptor de electrons, quer dizer que a entropia esta se esvaindo através de elétrons.

“… oxygen is the terminal electron acceptor.”

Da reação estelar ao fogo na Terra: O mistério do Oxigênio

sexta-feira, julho 31st, 2015

xxxx

Uma brasa acesa (num cigarro por exemplo) continua acesa e penetra mais o cigarro transformando fumo em cinza, e para isso é preciso que ela esteja livre exposta ao oxigênio que esta no ar, pois se abafa-la, imediatamente se apaga. Isto me lembra a reação nuclear das estrelas que deve ser a mesma acontecendo no núcleo dos planetas (calma la’, vamos explicar essa “mesma”). Este comportamento do oxigênio é o principal motivo deste artigo porque existem outros fenômenos naturais muito importantes onde o oxigênio entra e cientificamente não existe uma explicação satisfatória, do que acontece no interior do oxigênio a nivel de suas particulas.

Nesta semana tornou-se viral um video de um brasileiro mostrando uma motocicleta movida a água e o H2O foi motivo de muita discussão. Na teoria da Matrix/DNA o oxigenio, porque tem 8 funções sistemicas, seria um elemento que fecha um sistema com 7 funções mas já da o inicio a outro novo, ou seja, ele mata o corpo mas ressuscita a chama vital, como no caso do fogo, ele transforma em cinza a área imediata porem a chama não morre junto, ela passa para nova área. Na formula da Matrix/DNA o oxigenio corresponderia ao trecho que vai de F7 a F1, mas pode alcançar tambem F6 numa ponta e F2 na outra. Por isso a simples observação do fogo nos leva a pensar e vir aqui registrar algum avanço nesta pesquisa.

Uma matéria composta principalmente de ferro liquido esta acesa e continua acesa e se ampliando porque vai “comendo” as partículas de energia dos átomos das camadas de matéria “fria”.

Os dois processos ( reação estelar e fogo) parecem muito semelhantes e as diferenças podem serem devidas a diferença dos graus de evolução dos átomos envolvidos. A reação estelar era o estagio do processo a 13 bilhões de anos atras quando havia apenas os sete ou oito atomos gasosos, chamados leves porque possuem poucas particulas protons, neutrons, eletrons. A reação planearia começou depois, talvez a 10 bilhões de anos quando as estrelas começaram a produzir uma segunda linha de sete atomos mais pesados e complexos, os quais deram origem ao estado solido da matéria, e com isso possibilitaram a formação dos planetas. A reação do fogo na superficie da Terra pode ter se originado como uma repetição do processo em outro meio-ambiente, com novos materiais. Não diriamos que estamos vendo a evolução de um processo pois não concluo se isso é evolução ou involução, mas podemos estar vendo as mudanças de forma no desenvolvimento de um mesmo processo.

Mas porque o fogo precisa de oxigenio? O que o atomo de oxigenio tem de especial? Quando fiquei sabendo que todo oitavo elemento da tabela quimica periodica repete as mesmas propriedades do primeiro elemento, e depois o nono elemento repete as propriedades do segundo, e assim por diante, de maneira que a tabela e inteiramente dividida por grupos de sete elementos, logo lancei uma nova teoria: a criação dos atomos foi a mesma que todos os outros sistemas naturais, ela obedeceu ao processo do ciclo vital, pois um grupo de sete apresenta as mesmas características mutativas que ocorrem num corpo humano ao longo de sua vida. Em outras palavras: O primeiro atomo que surgiu, o Hidrogenio, (que e apenas um semi-atomo) tem numero atomico 1 e era a forma embrionaria dos atomos; o segundo, o Helio, numero atomico 2, representa o baby, o terceiro representa a forma de criança dos atomos, etc. Quando chega no numero 7 essa linha vital morre e renasce com o numero 8, justamente o oxigenio.

 

Porque quando o oxigênio esta sozinho no ar ele acende o fogo, mas quando se juntam em dois, como em H,2O , eles apagam o fogo?! Não e por causa do hidrogenio, pois este tambem e combustível.

Vamos trazer um oxigenio para ca:Image result for Oxygen

Este bicho ai encima e um dos nossos ancestrais, ele faz parte da nossa linha evolutiva que começou la no Big Bang. Note que ele apresenta 6 elétrons na ultima camada. Mas estão agrupados em dois ou um separado. Seria isto o passado do que depois se dividiu as bases no DNA em purina e ….di… ( esqueci o nome agora)?  Pois assim estariam ai as 4 bases, depois os dois açucares com os dois elétrons da camada interna, e o DNA, mas principalmente a formula da Matrix, já estava ai.

Vamos interrompendo isto aqui para retornar depois…

 

Porque a Vida surgiu com êsse código quimico e selecionou êstes átomos e não de outra maneira na Terra.

terça-feira, novembro 8th, 2011

Excelente tese publicada recentemente levantou uma questão no mundo intelectual acadêmico, vista nos dois artigos relacionados abaixo:

SPACE.COM
http://www.space.com/12665-alien-life-chemical-code-amino-acids.html

Can Life Evolve From a Different Chemical Code?

Clara Moskwitz – 18, August, 2011

xxxx

O UNIVERSO – ETERNOS APRENDIZES

Poderia a vida evoluir a partir de um código químico diferente?

Poderia a vida evoluir a partir de um código químico diferente?

xxxx

Vida Surgindo na Terra Primordial

Vida Surgindo na Terra Primordial

XXXX

INTRODUÇÃO E VERSÃO DA MATRIX/DNA:

Não consigo entender a comunidade cientifica que ainda se preocupa com estas questões que a filosofia naturalista – baseada no próprio conhecimento cientifico – já respondeu de maneira muito clara e lógica. A causa primeira do porque a Ciência ainda tem estas questões está no atual equivocado modêlo teórico astronomico, uma errada visão do mundo que impede o Homem de ver entender as causas lógicas que fazem planetas produzirem o fenômeno da Vida. Por exemplo, os pesquisadores e autores desta tese disseram “acreditar que a vida na Terra no início provavelmente usou uma versão da seleção natural para escolher estes aminoácidos”. Mas são incapazes de fazerem-se a observação e pergunta lógica sequinte:

“Se o mecanismo da seleção natural já existia no inicio da vida, como êle surgiu aqui?! Foi criado naquêle instante ou veio de algum aprimoramento de algum mecanismo existente na matéria inorgânica? A Natureza não é mágica, não pode criar nada para o qual não disponha de informações nela mesma, portanto, a primeira alternativa é descartada. Resta a segunda: o mecanismo da seleção natural nos sistemas biológicos já deviam existir numa forma mais simples nos sistemas naturais anteriores – astronomicos ou atomicos, ou em ambos. Em outras palavras, o mecanismo da seleção natural já existia na evolução cosmológica. Se os nossos modêlos atuais de evolução referentes a à nebulosa primordial de átomos e ao super-aglomerado de galaxias nào detectou êste mecanismo, certamente tais modêlos estão incompletos.”

É óbvio. No entanto, o modêlo cosmológico da Teoria da Matrix/DNA indica claramente o mecanismo da seleção natural tambem presente em todo o decorrer da macro-evolução ancestral desde o Big Bang.

Então: Porque a Vida selecionou êstes quatro átomos? Como a Filosofia Naturalista explica isso, depois de conectar entre si os dados colhidos pelo método cientifico reducionista num novo quadro funcional universal teórico?

A macro-evolução universal, a 3,5 bilhões de anos atrás, tinha alcançado o estado de organização da matéria mais perfeito possível como sistema fechado em si mesmo, o ideal equilibrio termodinãmico, na forma de LUCA – The Last Universal Common Ancestor – que é a fórmula que criou a primeira galáxia (veja a “foto” de LUCA em Matrix/DNA Theory). Assim a matéria se retirou do processo da evolução. Mas matéria é onde predomina massa e constitui o aspecto “hardware” do Universo, o qual possui tambem sua outra face oposta e complementar, que é a de software (pensamentos no cérebro humano, código de instruções no DNA, etc.), onde predomina energia. A macro-evolução avança pelo mesmo processo pelo qual avança a evolução dos computadores. Estas duas faces se retroalimentam: uma nova geração de hardware (HX) capta as informações que emergiram pela evolução da geração anterior (HY), as repassa para o software da mesma geração anterior (SY) , o qual, agora mais complexo (SX), exige um hardware mais complexo ( HZ) para sua atividade, e isto descarta o hardware HX.

Então, a 3,5 bilhões de anos atrás, o software natural, usando a entropia, descartou a geração da matéria como sistema fechado macrocósmico e reiniciou a evolução construindo novo hardware na dimensão do microcosmo, na forma do primeiro base-pair nucleotideo, uma cópia funcional de LUCA mas no nivel biológico da organização da matéria. Para tanto, necessita-se de embientes onde existam quatro tipos de átomos:

Nitrogênio: com 7 super-partículas coincidindo com as sete peças de LUCA e sendo o suficiente para as sete funções que compõem um sistema fechado, o átomo de nitrogenio era quem representava LUCA. O nitrogênio trouxe LUCA para a Terra, mas LUCA não podia evoluir para uma nova geração mais complexa.

Carbono: com seis super-particulas o carbono representa o mais perfeito e funcional sistema aberto, pois lhe falta a ultima peça, que fecha um sistema. Por isso ele é o que mais estabelece conexões com os elementos do mundo externo. Então o carbono representa LUCA reaberto para a evolução.

Oxigênio: com 8 superparticulas, uma a mais que o ideal para um sistema fechado, a oitava particula do oxigênio exerce a função de reciclagem, reprodução dos sistemas, e portanto, da perpetuação de uma espécie de sistema. Se não existisse oxig6enio a vida teria ficado eternamente patinando nas origens, criando o primeirfo sistema-nucleotideo mas incapaz de dar o paso seguinte na evolução, na construção do novo hardware. A principal propriedade do oxigenio, eletronegatividade, faz d6ele o atractor de eletrons ideal, ou seja, capta energia do mundo externo para ressuscitar um sistema morto. Na respiração, cada vez que um corpo exala, morre, e cada vez que inspira oxig6enio, êle revive. É a ponte que liga mortos a vivos.

Hidrogênio: com uma superparticula apenas o hidrogênio foi a emergencia do sistema atômico no Universo a 10 bilhões de anos atrás, êle fêz a mesma função do carbono quando houve a emergencia do sistema biológico. Trouxe o ultimo sistema mais evoluído da nebulosa de super-particulas para formar a nebulosa de atomos, leves. Portanto, é a ponte entre dois estados do mundo. No estado inorganico, predominante nas estrêlas, o hidrogênio é um plasma, o unico gaz que, diferente dos outros gazes, sob a influencia de um campo magnético, forma estruturas tais como filamentos e duplas camadas. Como ponte entre dois estados de mundo, a vida o escolheu como ponte entre suas moléculas.

E porque a Natureza escolheu êstes 20 aminoácidos?!

Simples. Basta ver as imagens abaixo. Os átomos foram sendo conectados entre si pelos fótons que trazem as informações “genéticas” do corpo de LUCA através da entropia estelar e das reações nucleares nos nucleos de planetas. Observe como a fórmula de LUCA foi sendo montada, cada passo fixado num tipo de aminoácido. Os aminoácidos que não foram selecionados foram os rejeitados pelo contrôle de qualidade na linha de produção por terem saído fora da fôrma original.

LUCA Hermafrodita e os Cromossomas Sexuais

LUCA Hermafrodita e os Cromossomas Sexuais

E agora vejamos a imagem quimica de um dos aminoácidos da Vida, o glutamato:

Aminoacido glutamato e a Matrix/DNA

Aminoacido glutamato e a Matrix/DNA

Fazendo seus olhos mudarem seguidamente da imagem da fórmula da Matrix/DNA para a imagem do aminoácido, entenda como a fórmula/software astronomica foi montando seu hardware na Terra.

O Carbono (C) que ocupa a posição central no aminoácido, está no lugar da Função 1. À direita dêste carbono se vê um composto onde predomina N, nitrogênio, com suas 8 super-particulas. O Nitrogênio lateral a F1 representa a fôrça recicladora aplicada a F7 + F1, e é uma espécie de Função 8. À esquerda do carbono central vemos o composto lateral dominado por O, oxigênio, com sete super-particulas, representa a Função 7, ou seja, o fechamento do sistema que o “mata” para a evolução. É como se o carbono central respirasse, fôsse dotado de dois pulmões: pelo pulmão direito ele inspira e pelo esquerdo ele expira. É a Fênix, que morre e renasce das próprias cinzas a cada respiração!

Resta então o filamento vertical que desce a partir do carbono central. Êle representa o circuito do sistema, porem apenas a metade do circuito, que vai de F1 até F4. Porque a metade do sistema? Porque é a face esquerda da Matrix que realiza o periodo construtivo de um ciclo vital, ao contrario da face direita que realiza a maturaçào e declinio. Se a vida tivesse começado já contendo em si o circuito que determina a morte, o circuito completo de um sistema fechado em si mesmo, a primeira molécula organica nunca teria dado o passo evolutivo seguinte, pois ela apenas se replicaria a si própria ( se conter F 5). Na Matrix em forma biológica humana este periodo é o que vai do momento inicial da concepção ao fim da da instalação da parafernália sexual num corpo humano, em F4, o periodo em que a energia está em crescente. O periodo relacionado à meia idade do adulto (F 6) é o periodo do estabelecimento da maturação, onde já tem inicio o declinio entrópico da energia, que vai até F 7. Aliás, esta é a razão da Vida Canhota, a quiralidade, que fêz a Vida escolher apenas as moléculas que representam a mão esquerda e descartou tôdas as moléculas que representam a mão direita. Estas, se ingeridas, são venenos e matam… porque representam o trecho do circuito da Matrix que mata um sistema duas vêzes: entrópicamente como a morte natural e universalmente como a morte da sua evolução.

Observe a imagem de todos os outros 20 aminoacidos e veja a sequência de construção, de uma linha de montagem, obedecendo todos e os mesmos principios do aminoácido glutamato.

A fórmula universal de sistemas naturais é constituida de duas estruturas fixas laterais ( como os açucares nas hastes do DNA), mais quatro variáveis que movimentam o interior do sistema, e mais uma variavel que reproduz os sistemas. Os quatro átomos são as quatro variaveis internas a sistemas, assim como quatro quarks são as variaveis que compõem uma superparticula. Se não existirem mundos diferentes onde estas funções variaveis sejam exercidas por outro tipo de matéria que não a constituida por átomos, em todo o Universo a Natureza só poderá selecionar estes quatro tipos de átomos para dar o salto evolutivo da astronomia para a biologia. Então, qual a dificuldade em entender porque a Natureza e seu processo de evolução selecionou êstes quatro átomos? Como disse, a dificuldade da comunidade cientifica decorre de uma incompleta e equivocada visão do mundo. Êste equivoco teórico produz conceitos errados como “origens” e “vida “. Não existem origens e sim apenas o mero fluxo evolutivo de causas e efeitos. Quando se pensa em “origem” a Razão Humana se descaminha para imaginar fenômenos não-naturais e descamba para as fantasias, como as religiões, ou como a crença dos ateus antigos em impossíveis acasos acidentais gerando sistemas complexos como os vitais, ou ainda como a crença dos ateus modernos, num impossivel Universo sem propósito mas “tunelado” para a Vida sem o ter sido pelo natural processo genético. Tambem não existem sistemas naturais não-vivos, por isso falar em “vida” para plantas e animais e não para átomos e galáxias não faz sentido.

xxxx FIM xxxx

xxxx

O material compilado a seguir se destina ao prosseguimento da pesquisa da Matrix/DNA sôbre êste tema:

Artigo de “O Universo”: Poderia a vida evoluir a partir de um código químico diferente?

Toda a vida na Terra se baseia em um conjunto padrão de 20 moléculas, chamadas de aminoácidos, blocos básicos na construção da vida, moléculas responsáveis pela construção das proteínas que realizam as ações essenciais da vida. Mas, isto tem que ser assim?

Todas as criaturas vivas neste planeta usam os mesmos 20 aminoácidos, embora encontremos centenas destes disponíveis na Natureza. Assim, os cientistas têm questionado se a vida poderia ter surgido com base em um conjunto diferente de aminoácidos.

Além disso, poderia haver vida em outros lugares, usando um conjunto alternativo de blocos de construção?

Stephen J. Freeland Instituto de Astrobiologia da NASA na Universidade do Havaí esclareceu:

A vida tem utilizado um conjunto padrão de 20 aminoácidos para construir proteínas há mais de 3 bilhões de anos. Está cada vez mais claro para nós que muitos outros aminoácidos foram candidatos em potencial. Embora existam especulações e mesmo suposições sobre o que criou a vida, o avanço nesta área da ciência tem sido pequeno em termos de hipóteses testáveis.

Agora, Freeland e seu colega na Universidade do Havaí, Gayle Philip K., desenvolveram um teste para tentar ver se os 20 aminoácidos da vida na Terra foram escolhidos de forma aleatória ou se eles eram os únicos possíveis que poderiam ter feito originado a vida
Os aminoácidos são moléculas compostas principalmente de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Os aminoácidos se reunem em padrões específicos e formas concretas formando maiores denominadas proteínas as quais são responsáveis pela execução de funções biológicas.

Freeland declarou na Astrobiology Magazine:

Tecnicamente, há uma ilimitada variedade de aminoácidos. Há muitos mais aminoácidos do que os 20 que estavam disponíveis quando a vida se originou na Terra.

Testando as possibilidades

Os pesquisadores definiram um conjunto provável de aminoácidos candidatos dos quais a vida na Terra selecionou 20 tipos. Os cientistas começaram analisando os aminoácidos que foram descobertos no meteorito Murchison, uma rocha espacial que caiu em Murchison, Victoria, Austrália, em setembro de 1969.

Os cientistas estimam que esta rocha é tão antiga que sua origem remonta à data do início do Sistema Solar, ou seja, o meteorito apresenta uma amostra dos compostos no Sistema Solar e na Terra antes da vida começar por aqui.

Em seguida, os cientistas usaram computadores para calcular as propriedades fundamentais dos 20 aminoácidos utilizados pelos organismos vivos, tais como carga, tamanho e hidrofilia (o grau em que as moléculas são atraídas para a água). Freeland ressaltou:

Sabemos que essas três características são importantes para a maneira pela qual as proteínas são construídas.

Freeland e Philip olharam para se estas propriedades poderiam ter sido alcançadas com a mesma cobertura e eficiência com outras combinações de 20 aminoácidos. Os pesquisadores descobriram que a vida, aparentemente, não escolheu os 20 blocos específicos da vida ao acaso. Freeland sugeriu que:

Achamos improvável a escolha aleatória de apenas um conjunto de (20) aminoácidos para o desenvolvimento da vida.

Seleção Natural?

De fato, os pesquisadores acreditam que a vida na Terra no início provavelmente usou uma versão da seleção natural para escolher estes aminoácidos. É possível que tenham sido utilizadas primordialmente algumas outras combinações de aminoácidos, mas nenhuma outra mostrou-se eficaz, ou seja, nenhuma outra combinação acabou por produzir uma prole tão bem sucedida quanto a obtida pelo conjunto dos 20 aminoácidos que compõem a vida como a conhecemos.

Freeland afirmou:

Aqui nós temos uma prova verdadeira que mostra que a vida ‘sabia exatamente o que estava fazendo‘. Isso é consistente com a idéia de que a seleção natural estava em andamento.

“Abordar a questão de por que a natureza escolheu os 20 aminoácidos é experimentalmente difícil”, disse Aaron Burton, membro do Programa de Pós-Doutorado NASA trabalha como astroquímico do Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland. Burton, que não esteve envolvido diretamente neste estudo, disse:

Apesar de uma série de experimentos mostraram que aminoácidos não-naturais podem ser incorporado no alfabeto genético de organismos não é tecnicamente possível simular experimentalmente períodos de tempo longos o suficiente para realmente comparar a evolução de alfabetos de aminoácidos alternativos. Como resultado, estudos como os apresentados por Philip e Freeland oferecem perspectivas interessantes e mostram um quadro para a formulação de hipóteses que podem realmente ser testadas em laboratório.

Aminoácidos em meteoritos?

Agora, a corrida da busca pela origem da vida está focada em aminoácidos encontrados diretamente no resto do sistema solar. Algumas evidências de sua abundância têm sido encontradas em meteoritos que caíram na Terra, bem como as amostras coletadas em missões como a sonda Stardust, da NASA, que coletou partículas do coma do cometa Wild 2 em 2004.

Freeland ressaltou que:

Parece que os aminoácidos são encontrados por toda a galáxia. Aparentemente, os blocos de construção que criam a vida são óbvios. O que temos encontrado aponta para certo nível de previsibilidade sobre como as coisas aconteceram.

A questão da caixa de ferramentas de aminoácidos como instrumentos para a vida é interessante não só para tentar rastrear a origem da vida na Terra, mas me pergunto se existe vida em outros planetas, e em caso afirmativo, qual a forma a vida toma. Os cientistas se sentem especialmente curiosos sobre como um conjunto diferente de aminoácidos pode ter dado origem a vida com diferentes características. Freeland disse:

Esta é a pergunta mais importante de tudo. Estamos tentando encontrar uma maneira de perguntar, se você alterar o conjunto de aminoácidos com a qual estamos construindo, o que é o efeito sobre as proteínas que podem ser criados? O interessante é que ninguém sabe a resposta ainda.

Freeland e Philip e relataram suas descobertas em artigo publicado na edição 19 da revista Astrobiology.

xxxxxxxx

PESQUISA:

Amino acids em terrestre e alien bacterias

Carbono é o unico tipo de átomo configurado como perfeito sistema aberto, justo o opôsto do nitrogênio. Êle abre para a evolução o sistema universal que havia se fechado à evolução na forma astronomica.

Carbon

forms more compounds than any other element, with almost ten million pure organic compounds

xxxx

Oxigenio:

é a função recicladora: quando um sistema morre, o oxigenio no meio dêle atrai energia (eletrons) dos ingredientes externos para o sistema refazer-se. Na respiração, em cada exalação um corpo morre, e em cada inspitração (de oxigenio) o corpo revive.
Oxygen:Oxygen is a highly reactive nonmetallic element that readily forms compounds (notably oxides) with almost all other elements.

Oxygen electronegativity: the tendency of an atom or a functional group to attract electrons (or electron density) towards itself and thus the tendency to form negative ions.
xxxx

Nitrogênio
numero atômico 7, representa o sistema no estado de fechado em si mesmo, dentre todos os átomos é a cópia mais exata da ancestral fórmula astronomica.The extremely strong bond in elemental nitrogen é a propriedade fundamental de um sistema fechado.

In cyclohexanonoxime (image left), the nitrogen atom has three valence bonds and by the first definition it has a valence of three. Nitrogen has five valence electrons and by IUPAC definition it has a valence of five, because it can form maximal five valence bonds, as in N-methyl-1-phenylmethanimine oxide [1]. In cyclohexanonoxime, nitrogen has the oxidation state −1 and oxygen −2.
xxxx
Hydrogen

O hidrogênio é a ponte entre moléculas, que liga moléculas entre si, e essa propriedade veio de sua forma inorganica nas estr6elas, onde ele é um plasma. É um plasma na forma inorganica, o unico gaz que “unlike gas, under the influence of a magnetic field, it may form structures such as filaments, beams and double layer”

xxxxx

Divulgação dêste Artigo:

Comentário postado em:
http://domescobar.blogspot.com/2011/09/poderia-vida-evoluir-partir-de-um.html

Dom Escobar – Blogger

Louis Morelli disse…

Dom Escobar, muito obrigado por me trazer êste artigo que tinha me escapado. De forma impressionante a fórmula dos sistemas naturais, a Matrix/DNA, tem explicações lógicas para tôdas as questões nêste artigo. Seria de vossa parte uma ação em beneficio da Ciência se soubesse como fazer êstes pesquisadores terem conhecimento da fórmula descoberta na selva amazônica brasileira. Não vais te arrepender se conhecer uma outra face da natureza lendo o artigo ” Porque a Vida surgiu com êsse código quimico e selecionou êstes átomos e não de outra maneira na Terra” , em http://theuniversalmatrix.com

8 de novembro de 2011 23:32

xxxx

O Universo – Eternos Aprendizes

#1 by Louis C. Morelli on 08/11/2011 – 23:03

Seu comentário está aguardando moderação.

Rôca, muito obrigado por me trazer êste artigo que tinha me escapado. De forma impressionante a fórmula dos sistemas naturais, a Matrix/DNA, tem explicações lógicas para tôdas as questões nêste artigo. Seria de vossa parte uma ação em beneficio da Ciência se soubesse como fazer êstes pesquisadores terem conhecimento da fórmula descoberta na selva amazônica brasileira. Não vais te arrepender se conhecer uma outra face da natureza lendo o artigo ” Porque a Vida surgiu com êsse código quimico e selecionou êstes átomos e não de outra maneira na Terra” , em http://theuniversalmatrix.com

xxxxx

Astropt :

Ricardo, muito obrigado por me trazer êste artigo que tinha me escapado. De forma impressionante a fórmula dos sistemas naturais, a Matrix/DNA, tem explicações lógicas para tôdas as questões nêste artigo. Seria de vossa parte uma ação em beneficio da Ciência se soubesse como fazer êstes pesquisadores terem conhecimento da fórmula descoberta na selva amazônica brasileira. Não vais te arrepender se conhecer uma outra face da natureza lendo o artigo ” Porque a Vida surgiu com êsse código quimico e selecionou êstes átomos e não de outra maneira na Terra” , em http://theuniversalmatrix.com

Ana, obrigado por me trazer a questào: porque o carbono e não o silicio? Baseando-me na fórmula da Matrix/DNA, LUCA foi formado com apenas dois estados fisicos da matéria; sólido e gasoso. Por isso é um sistema meio-mecanico/meio-biológico. Para dar o passo evolutivo seguinte, ou seja, elaborar um sistema plenamente biológico, a Natureza precisava de mais um estado, o liquido, que permite as reações quimicas organicas. E este surgiu na Terra pela entropia de LUCA. O silicio não foi escolhido com suas 14 particulas porque é muito pesado e resistente, pouco soluvel na agua e em nada se constitui como cópia da Matrix. Abraços…

Carlos Oliveira disse:

09/11/2011 em 03:12 (UTC 1)

Louis,

Retirei-lhe o link porque começo a achar que o Louis só vem aqui para fazer publicidade à sua ideia não provada e sem qualquer evidencia.
Será que não sabe falar de mais nada?

Se tem assim tanta certeza na sua imaginação, envie o seu artigo para um Journal Cientifico credível, e já fica a saber do feedback que lhe dão.

Resposta de Louis Morelli

Me desculpe, isto é para seu bem: Você tem opiniões pessoais demais atrapalhando sua comunicação e eficiência cientifica. “Começo a achar que…” , com estas palavras você saiu fora do topico dêste artigo. E achou, julgou, sem ler o meu artigo, pois nào deu tempo entre meu comentário e sua resposta para ler um artigo. Não se deve ser como os religiosos, leitores de um unico livro, o seu, considerado sagrado. Assim tambem, em Ciências, não se deve estudar apenas os livros sagrados da academia universitaria, pois os que são eleitos hoje, serão ultrapassados nas próximas gerações.

Como não sabe falar mais nada, aqui? O assunto, o tópico, do meu artigo é concernente e limitado ao titulo deste artigo. Ao retirar o link voce fêz um desserviço para leitores mais jovens sem ideologias fundamentalistas, com a mente aberta buscando, e que agora ficam sem condições de localizar meu artigo. A proposito, quais são seus contra-argumentos factuais contra as explicações e evidencias apresentadas na fórmula da Matrix?

Carlos Oliveira disse:

09/11/2011 em 03:39 (UTC 1)

Tá desculpado.

Eu já li o seu artigo da outra vez… não sei se já se esqueceu, mas andou a falar da mesmissima coisa noutro lado… e já da outra vez não conseguiu mostrar qualquer evidencia.

Os meus argumentos contra a sua ideia são os mesmos contra alguém que venha falar do Pai Natal.

O ónus da prova está consigo. Einstein, que você gosta de citar erradamente, sabia disso. Você não sabe.

Quanto às ideologias fundamentalistas e religiosas… é curioso vir essa crítica de um padre da seita religiosa Matrix.
É curioso e é irónico.

Relembro-lhe que foi você que se colocou àparte com os seus argumentos anti-cientistas e anti-ciência.
Quando quiser sair dessa seita e seguir a ciência, estamos aqui para ajudá-lo.

abraços

Louis Morelli respondeu:
“Os meus argumentos contra a sua ideia são os mesmos contra alguém que venha falar do Pai Natal

Quais argumentos? Você nunca apresentou argumento cientifico, factual, algum, alem de opiniões pessoais. É como êsse seu post, nào se encontra nada de util em que se agarrar para desenvolver esta pesquisa que nêste momento estou rodado aqui de matéria sôbre quimica. E não, você não leu este artigo porque o artigo anterior era outro assunto que abordava outra fase da macro-evoluçao.

Carlos Oliveira disse:

09/11/2011 em 03:51 (UTC 1)

Claro… são opiniões pessoais… claro… a sua “teoria” é que é científica. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
enfim… ridículo.

http://astropt.org/blog/2011/10/31/parecencas/#comment-48262

Precisa de mais 30 anos a estudar isso… ou então, não precisa estudar nada… já se percebeu que está tão obcecado com uma ideia religiosa, que não consegue ver além dela.

Continuo sem perceber qual o seu problema.

Se anda na ilusão que tem uma “teoria cosmológica” credível… envie para journals científicos, e os reviewers vão avaliá-la.

Afinal, se acredita (sublinho a crença) em algo em que andou a perder 30 anos de vida… porque não a coloca para avaliação??

Einstein publicou a sua teoria em journals cientificos. Se tem a arrogância de se comparar a Einstein, porque não faz o mesmo? Enfim…

ahhh pois… tem medo.
Aqui colocou para avaliação, e levou logo uma chuva de críticas, que não sabe aceitar, e quer somente fazer birra de miúdo, dizendo que continua a ter razão.

Ou seja, tem medo de perceber que a sua ideia não tem ponta por onde se lhe pegue.

Daí que em vez de colocá-la para avaliação a quem de direito, prefere andar a chatear as pessoas em blogs… ok… enfim… dá pena.

Louis Morelli respondeu:

Rôca disse: “Continuo sem perceber qual o seu problema.”

Aí está o meu problema: atitudes como a sua que, ao invés de discutir o tópico, se desvia para julgar a pessoa do autor, que nada tem a ver com o tópico. Mas assim se portaram os Inquisidores com Galileo. Donos da academia universitaria da época, eram antes politicos que academicos e cientistas, por isso não descobriram o que havia na mensagem de Galileo como realidade cientifica. Se voce acredita que nosso pequeno cérebro conhece o universo e sua verdade, a qual está estabelecida no seu curso universitario, resta-me ter pena. E de uma vez por todas: enquanto eu não terminar o livro reunindo tôdas as teses e evidencias, não terá apresentação para peer-review. Darwin demorou 30 anos para compilar seu material, o meu é ainda maior. Mas antes de publicar, um autor procura debater seus temas para saber como funcionará a mente critica dos futuros leitores. Por isso participo de excelentes blogs como êste, mas se não se apegam estritamente ao tópico, caio fora. Abracos…

Carlos Oliveira disse:

09/11/2011 em 04:44 (UTC 1)

“Quem dominava as escolas e o ensino na Itália e naquela época senão a Igreja de Roma?”

Precisamente. Havia motivos ideológicos… tal como os seus.

Não confunda isso com os cientistas actuais… nem minta sobre isso.

“Mas quem é o supremo juiz que sabe qual o pseudo dentre nós dois?”

Eu. Eu sei avaliar as coisas objectivamente.

“O seu professor da universidade?”

Já não tenho professores na Universidade. Tenho alunos.

“Ele tambem acredita (…)”

A ciência não se faz de acreditar. Esse é mais um disparate só utilizado pelos pseudos.

P.S.: Louis, eu trabalho, não tenho tempo para aturar as suas atitudes de troll.
Já falou da sua ideia e já recebeu as críticas. Se não aceita, o problema é seu.
Quando tiver artigos científicos publicados com essa sua ideia (que os seus argumentos provam que é uma crença fundamentalista), com supostas evidências, falamos de novo. Até lá, não chateie mais.

Louis Morelli respondeu:

Novamente, nada de substancial. Qual a sua explicação para o Nitrogênio ter-se colocado ao lado direito e o Oxigênio ao lado esquerdo do carbono-eixo no aminoacido glutamato? Como disse, comportas-te como o leitor de um livro só, a sua teoria religiosa sagrada. Carlos, em psicologia se aprende que não existe ser humano sem uma ideologia, tôda preferência por qualquer visão do mundo oculta uma predisposição ideológica.Tenha certeza que todo cientista ou não, a tem, como eu não acredito que eu tenha, mas é impossível evita-la. Dizer que “eu sei avaliar as coisas objetivamente”… é uma presunção absurda, eu sei que eu não sei. Esta arrogancia está por trás de todos os autoritários, ditadores, etc. E é a causa de muitos jovens que conseguem por privilégios fazer um curso cientifico, se anulam como pesquisadores para tornarem-se meros professores repetidores do que vem no curriculum educacional. Mas eu tambem trabalho, não vou perder tempo com assuntos fora dos meus tópicos. Abraços…

ÁTOMO

sábado, outubro 3rd, 2009
atomo-2.jpgO que existe dentro dos átomos?  
                                                                          

             . Os átomos são nossos ancestrais quando ainda não tínhamos um bilhão de anos e logo foram selecionados para fazerem parte do tronco da árvore da evolução e com isso são umas das espécies mais antigas do Universo. Creio que essa seleção com mérito à  transcendencia deve-se por terem acasalado em harmonia os dois principios simétricos e assimetricamente opostos que naquela época se encarnavam nas superpartículas proton e neutron e esse acasalamento deu tão certo que se tornou o primeiro protótipo da familia, tendo o casal formado um lar nuclear onde suas crias – os elétrons – brincam ao redor nas sete camadas eletronicas. Mas também neles já se visualiza bem a Matriz em formação como se tivessem já os protótipos da cabeça e os sete órgãos. Interessante notar como a Natureza veio evoluindo por passos sôfregos porem bem assentados, pois o atomo primordial que era do tipo “teve”ou seja, formando gazes e com pucas particulas (hidrogenio, helium, etc.) éra um ser tão nefasto e primitivo que se parecia com um homem que existe a cada momento com apenas um de seus órgãos! Sim, num momento esse ser é apegas um fígado passeando por aí enquanto o resto de seu corpo permanece invisível, no momento seguinte se vê apenas um estômago, no outro apenas a cabeça, e etc. Pois as sete funções sistêmicas universais que constroem cada qual sua peça para encarnarem em dada situação e alavancar a evolução não podiam ainda se expressarem tôdas ao mesmo tempo, mas o lugar no espaço dentro do sistema já estava reservado para cada uma, o qual eram as sete camadas eletronicas. Elas só se expressavam quando possuiam ao menos um elétron e como este subia ou descia entre a primeira e ultima camada, pulando entre nucleo e periferia, cada função se expressava isolada das outras. Assim no átomo leve o elétron faz o mesmo que o dedo do pianista tocando as teclas do piano, um piano onde existem sete teclas apenas que representam as sete camadas, mas ao invés de emeitir um som diferente a cada camada, o toque do elétron expressa uma força que é a ancestral de um dos órgãos do corpo humano, ou ainda ancestral de uma das organelas na célula, ou mais ainda, ancestral de um tipo de astro no céu. 

O atual modelo atômico está ainda muito incompleto, faltando muitos detalhes, e isto desvia totalmente nossas interpretações e julgamentos sobre os átomos. Isto porque ele foi elaborado apenas pelos físicos que não poderiam ter notado a cobertura de nível biológico que nele existe já naquela época dirigindo o Universo para criar a Vida. Nosso principal interesse agora em pesquisar tudo o que pudermos sobre átomos é não apenas enriquecer esse modelo teórico existente mas tambem entender porque certos átomos foram selecionados para participarem ativamente dos corpos vivos quando o sistema mecânico Newtoniano, astronômico, evoluiu para sistema celular biológico. Claro, um dos beneficios oriundos da conquista desse conhecimento, assim á primeira vista, seria o desenvolvimento de uma medicina atômica, portanto produzindo técnicas reparadoras de defeitos no corpo humano desde o nível atômico.

O átomo de carbono foi o átomo central selecionado para transcender-se e ocupar o corpo do senhor da Terra.  Porque o carbono? O que ele tem de diferente dos outros que agradou à Matriz? À primeira vista já surge um motivo que parece evidente: numero atômico: 6. Pois são seis os tipos de astros fixos que formavam o corpo do ultimo comum ancestral – LUCA . Talvez cada um dos seis casais de protons e neutrons performem cada uma das seis funções fixas universais. Outro átomo muito importante na Vida é o Oxigênio. E porque? Também na primeira rápida olhadela já surge uma boa solução. Oxigênio tem oito protons. Isto significa que alem dos seis necessários, a ultima função, que é a F7, está reforçada duas vezes. Ora a F7 é a função que faz a faxina do sistema, limpando-o de todos os detritos indesejáveis e – nos sistemas abertos – botando-os para fora, como fazem os lisossomos na çelula ou o figado no corpo humano; e nos sistemas fechados, despejando os detritos na fornalha nuclear para serem reciclados, como faz o cadaver estelar no espaço sideral que direciona sua poeira e detritos degradados direto para dentro do Buraco Branco nuclear. Então o Oxigênio foi escolhido devido possuir um reforço nessa função de faxineiro que os quimicos resolveram denominar de “oxidação”: oxidar é queimar os materiais que em quimica significa acidez. Ora, a todo momento nosso corpo está digerindo matéria, absorvendo sua energia e precisa botar para fora a massa inutilizavel dessa materia e então ele  puxa Oxigênio da atmosfera para que este passe por todos os cantos do corpo lompando tudo e oxidando tudo transformando o lixo em CO2, o qual o corpo, através dos pulmões, empurra para fora. Assim foi inventado o fenômeno da respiração, elemento tão importante na nossa vida que sem ela não sobrevivemos mais que alguns minutos e tudo isso graça ao Oxigênio. Que no céu era um ser quase tão dócil e fiel à Matriz quanto era o carbono. 

Bem, então estamos decididos a entrar fundo nos segredos ainda inconfessados dos átomos, principalmente daqueles leves que entraram para a cena da Vida com tanto destaque, queremos ampliar nossos atuais modelos teóricos atomicos, já que completa-los totalmente ainda é impossivel, pois são tão pequenos que ninguém até hoje, nem usando os mais poderosos microscópios, conseguiu ver um átomo sequer. Tudo o que temos são modelos teóricos e os atuais já são muito bons pois basta ver quanto já conseguimos baseados nestes modelos, inclusive a nefasta bomba atômica. Mas ainda estamos pensando em ”atomos como objetos mecânicos. é preciso ver a vida nascendo através deles. Portanto, neste artigo vamos por ora registrando tudo o que ver-mos por aí que seja novidade sobre os átomos, a começar por suas definições na Wikipédia, pois assim, indo de carona no incansável e heróico trabalho dos cientistas nos laboratórios e nos campos arduos das pesquisas, catando os dados que vão colhendo, que surgem de repente novos iluminadores insights na nossa gigantesca missão de tentar entender este mundo e nele nossa existência.

Se alguem alem de mim ler isto aqui e souber de material a ser acrescentado, por favor, participe, e nos envie.

1) Wikipedia: Atom – http://en.wikipedia.org/wiki/Atom

2) Wikipedia: Carbon –    http://en.wikipedia.org/wiki/Carbon

3) Wikipedia: Oxigen – http://en.wikipedia.org/wiki/Oxygen

Respiracao, Oxigenio; Quem veio primeiro?

domingo, maio 17th, 2009

Apenas para deixar anotado e retornar sempre… O fenomeno da respiracao, que apareceu nos seres vivos, nunca foi procurado em LUCA. Como sempre, todo fenomeno relacionado com sistemas biologicos (e quaisquer outros) tem que ter suas raizes nos tempos passados, ate’ no instante do Big Bang, em formas cada vez mais primitivas e simples. Portanto, LUCA tem que ter tido algum mecanismo relacionado `a respiracao, e devemos procura-lo. Lembrando: a respiracao nao pode ter surgido com o primeiro ser vivo, pois a respiracao e’ baseada em oxigenio e na epoca que eles apareceram aqui a atmosfera nao tinha ou continha pouco (?) oxigenio. Sao as plantas que produzem o elemento para respiracao, entao… (ver depois hipotese heterotropica).