Posts Tagged ‘pesquisa’

A dança do DNA: mais uma esplêndida descoberta prevista e explicada pela formula da Matrix/DNAd

sexta-feira, fevereiro 9th, 2018

xxxx

APRENDENDO A EXTRAORDINÁRIA ENGENHARIA DA NATUREZA

Baseado no artigo:

Dynamic DNA dance identified with new CRISPR/Cas9-based labeling

http://med.stanford.edu/news/all-news/2018/02/dynamic-dna-dance-identified-with-new-crispr-cas9-based-labeling.html

Meu comentario postado no Facebook em fev/09/18

Imagine que você precise amarrar o cadarço do sapato, e está em pé. Obvio que voce nao vai curvar a coluna tentando levar as mãos ao pe. Então sua mente entra em cena para planejar e mover seu corpo. De alguma maneira, seja sentado ou com os pés em cima de algum patamar, você vai dobrar as pernas. Quer dizer, você vai puxar os pés para mais perto das mãos. Pois bem..

Cientistas descobriram agora que o DNA faz a mesmíssima coisa quando vai produzir uma proteína mas uma parte do código está num local dele e outra parte esta longe. Ele se rebola, dança, puxa a parte distante para perto… Foi mais uma daquelas descobertas que deixou os cientistas boquiabertos, porque nunca tinham imaginado que o DNA faz isso e o mistério de como partes distantes do DNA se ligam tem gasto muito tempo em estudos e experiências.

Aqui na Matrix/DNA visão do mundo, estou comemorando mais uma conquista. Pois minha teoria previa isso e sugeria uma explicação. Esta os cientistas não pensaram ainda.

Ao contrario da crença geral de que o DNA seria um código genético, tenho dito que não e’, e sim uma mera pilha de cópias diferenciadas de um único sistema. Mas aí vem a segunda parte que os cientistas desconhecem: todos os sistemas naturais, de atomos a galaxias a building blocks ou tijolinhos do DNA, foram feitos por uma mesma e única formula natural. A qual eu montei e denominei “Matrix/DNA”.

Acontece que essa formula, quando comparada e colocada como template ou forma de fundo de qualquer sistema natural, nos abre um leque imenso de descobertas sobre o que na realidade são os sistemas naturais. Ela me levou a descobertas de arrepiar os cabelos, por exemplo, a percepção pela primeira vez no mundo de que uma mao humana mostra exatamente o enredo da história da nossa vida: a palma representa a fonte da criacao como a barriga de uma mulher grávida, o dedo mindinho representa o corpo na forma de baby, o outro a forma de criança ate o polegar encurvado representar o velhinho idoso. Mas isto nao e’ mero acaso: a formula dos sistemas foi feita com um único corpo sendo modificado pela força do ciclo vital, então cada forma diferente se torna uma parte funcional que depois o circuito se fecha e assim surge um sistema perfeito, vivo! E para fazer as mãos, a natureza forneceu uma cópia da mesma formula. As sociedades de abelhas e formigas que funcionam de forma engrenada e automática se encaixam perfeitamente nos seus mínimos detalhes quando as comparo com a formula. E assim por diante, a cada dia vou descobrindo que milhões de coisas na Natureza agora se explicam maravilhosamente.

Mas o que tem a ver a formula da Matrix/DNA com a danca do DNA descoberta agora?

Ora, uma outra revelação da formula e’ que todo sistema natural cria sua própria identidade. E’ uma entidade abstrata, oculta aos nossos sentidos, mas que pode ser percebida ao se observar os efeitos internos e externos, e as historias dos sistemas. Esta entidade emerge como o conjunto de informações do sistema, ou seja, a soma das informações de cada parte do sistema, mais as informações das interconexões destas partes e as relações externas. Dois exemplos fáceis são a mente no cérebro e o software no seu computador, o qual, por não ser um sistema-hardware natural, não pode criar sua própria personalidade.

E então, alem do DNA ser uma pilha de cópias diferenciadas de um sistema, quando ele se torna uma individualidade, estas regiões de cópias passam a serem suas partes e no seu todo ele se torna tambem um sistema. A forma de seu sistema e’ uma projeção evolutiva do sistema que e’ seu building block. Entao, novamente a Matrix/DNA…

Voltando-nos agora para os cientistas que ate hoje nao sairam do laboratorio pois estão embasbacados observando o que descobriram, eu perguntaria a eles qual a forssa, a causa, que move o DNA a se mover e dançar assim de maneira a executar uma obra, específica?! Pois na realidade – ignorando-se os segredos nas entrelinhas – o DNA nada mais e’ que uma porção de átomos conectados entre si ao que se denomina de molécula. Ora, atomos e moleculas nao tem inteligencia alguma para executarem nada previamente planejado. Muito menos poderiam prever o futuro, pois fazer algo desejado e’ prever de antemão a imagem do objeto que se vai fazer. Claro, os cientistas não tem a menor explicação e vão sempre responder do mesmo jeito: “Bem,… e’ isso que acontece. e’ isso que vemos acontecer – a dança – apenas isso que sabemos e agora vamos procurar utilidades práticas nessa descoberta”. A Ciencia descreve fenomenos e eventos, separados entre si. Quem busca causas, razões e tenta conectar os fenômenos para obter um quadro geral, sao os filósofos naturalistas, como eu. A ciência vê um aborígene ou um pássaro movendo-se numa espécie de dança e para por aí, emitindo um postulado: ” Eles se movem dancando”. E este comportamento e’ aleatório, não faz sentido. Apenas quem vê o conjunto e busca mais a fundo porque eles dançam vão perceber que a dança tem um motivo prático, logico, que e’ seduzir um possível parceiro sexual.

O que esta movendo o DNA a se contorcer, dobrar-se, e’ sua “mente”, sua entidade personalizada como sistema natural. Claro que sendo uma arquitetura muito simples, um arranjo molecular de átomos, e’ uma entidade sem qualquer consciência, sem inteligência para planejar projetos futuros. ‘E uma entidade um grau mais evoluída do que a entidade do planeta Terra, que mantem todo este sistema complicado funcionando numa equilibrada homeostase, gerando furacoes para corrigir indesejadas compressões, blocos de gelo num lugar para diminuir uma tórrida e perigosa temperatura em outro lugar, essa nossa sagrada sabedoria da mãe Terra a qual denominamos de Deusa Gaia. Mas mesmo assim, tanto Gaia quanto a entidade do DNA são queridas ancestrais do que hoje se tornou a prodigiosa mente humana. Uma linhagem evolucionária da qual a Matrix/DNA está aqui apontando com firmeza, emergiu la’ nas origens do Universo junto com o Big Bang.

Porém, o conhecimento deste mundo todo novo revelado por essa formula me leva ja’ a planejar mais um passo de pesquisas além da descoberta de hoje. Pois como a entidade do DNA “sabe” que la no meio da célula, ou na corrente sanguínea além da célula, ou la no fígado do organismo, esta precisando de uma especifica proteina, dentre as mais de 20.000 existentes?! Ora, não pode saber, ele mal poderia saber o que acontece dentro de seu casulo nucleico. Entao de onde parte o inicio do projeto, quem ou o que notifica o DNA do projeto a fazer? Esta questão me apareceu apenas agora, então corro para o oráculo da fórmula mais uma vez. E a resposta surge clara, limpida, obvia! Ora, o DNA criou um organismo, o corpo humano, que e’ um sistema e portanto tem uma entidade. Isso ai nada mais e’ que um papo, uma conversa entre entidades ocultas ocorrendo dentro do nosso corpo! Penso que a entidade organica que se ocupa disso nao seja a mente, e sim a entidade do sistema nervoso secundario que cuida de todas as tarefas rotineiras automaticamente, como a respiração. A mente e’ outra forma mais evoluída vinda destas entidades antigas e internas, ela e’ entidade de um novo sistema mil vezes mais complexo, denominado cérebro.

Então agora surge a questão que me levaria correndo ao laboratorio de seu tivesse acesso a algum: como a entidade do organismo se comunica com cada entidade de cada DNA?! E olha: descobrir isso pode ser um duro golpe eliminando a maioria das doenças com causas sistemicas, como diabetes, cancer, etc. Oxala’ alguem que seja alguem de fato e não apenas um mero meio-macaco melhorado recém vindo da selva resolva ressuscitar a abandonada ciencia dos sistemas, descubra a formula, aprenda a entender estas descobertas e com acesso ao meio acadêmico conduza as pesquisas que tanta tortura humana de hoje pode eliminar para sempre.

 

 

Matrix/DNA divulgacao: Importante regra quando apresenta a teoria: Evitar falar em evidencias ou tentar corrigir cerebros?

quarta-feira, fevereiro 7th, 2018

xxxxx

Raios! Mais um pepino e dos grandes, aparentemente insoluveis. Os cerebros das pessoas normais tem um defeito de configuracao, e o pior, eles sao inconscientes sobre isso e resistem em aceitar/entender este efeito. Pesquisa tecnica revelou que quando apresentamos uma nova ideia que vem com uma suposicao de um desconhecido fenomeno da Natureza, se incluir-mos na apresentacao o relato de mais evidencias, condenamos a apresentacao, porque as evidencias vao afastar os ouvintes do objetivo da apresentacao. Claro, isto esta totalmente contra a logica racional, Portanto e’ um defeito profundo do cerebro, talvez causado geneticamente ou por insistencia da cultura milenar. E como tenho o habito de inserir evidencias no meio do meu discurso, estou inutilizando meu trabalho!

Um fator a pensar e’ que os pesquisadores classificam as evidencias intermediarias como “fracas evidencias”. E as fracas evidencias, ao inves de reforcar a apresentacao, desviam os ouvintes do assunto, levando-os a rejeitarem a proposta. Entao penso que ao apresentar uma visao de um mundo ou caracteristica do mundo real que e’ desconhecida, nunca sequer imaginada, ja existe de antemao a tendencia a rejeita-la. E as evidencias sugeridas para reenforcar a proposta sao mentalmente adicionadas a previa rejeicao, levando a total rejeicao. Mas tambem penso que a previa rejeicao, ou a predisposicao a rejeicao da visao de mundo pela Matrix/DNA e’ causada pelas interpretacoes erradas que a cultura milenar enfiou no cerebro e deturpou as configuracoes neuroniais, resultando em crencas irracionais ou anti-logicas.

Entao, agora, me vem uma estrategia: antes de apresentar as minhas evidencias – as quais fazem meu texto ter varias frases: a primeira, introdutoria, chocante, por exemplo, “atomos e galaxias tambem tem DNA”, a ultima sendo, ” e apresento a seguir a formula desse DNA nos atomos e galaxias”, e sendo as frases intemediarias como ” o codigo genetico nao foi  inventado pela material estupida deste planeta, ele e’ mera evolucao de uma evolucao que vem desde o Big Bang”…  devo omitir as frases intermediarias. Diz o resultado da pesquisa tecnica que desta maneira as pessoas tendem a aceitar melhor a proposicao. E’ contra-intuitivo, irracional, mas devo experimentat isto. Talvez nao seja tao ilogico se nos lembrar-mos dos danosos efeitos das equivocadas interpretacoes inoculadas nos cerebros pela cultura predadora milenar.

Em Segundo lugar, me vem outra estrategia, que e’ a de questionar antes as crencas do ouvinte e apresentar sua ilogicidade, para minar esse mecanismo de auto-defesa. Ou seja, desconstruir a cultura reinante.

O importante estudo – que deve ser aqui traduzido para melhor memorizar e refletir o assunto – esta no link: 

https://www.sciencedaily.com/releases/2011/03/110307124530.htm?utm_medium=cpc&utm_campaign=ScienceDaily_TMD_1&utm_source=TMD

Weak supporting evidence can undermine belief in an outcome

Fracas evidencias como reforco podem diminuir a crenca numa proposta.

New research shows that people who receive weak but supportive evidence about a proposition are less optimistic about the outcome than people who receive no evidence at all. The “weak evidence effect” could be a useful tool in communications, from marketing to political discourse.

Nova pesquisa mostra que peassoas que recebem fracas evidencias como suporte sobre uma proposicao sao menos otimistas sobre o que vem a seguir do que pessoas que nao recebem evidencias. O “efeito da fraca evidencia” poderia ser uma ferramenta util em comunicacoes – como apresentacao da minha visao de mundo – desde o marketing ate discursos politicos.

Experiments by Brown University psychologists have produced positive evidence that people often think about positive evidence the wrong way — if it is weak. Defying logic, people given weak evidence can regard predictions supported by that evidence as less likely than if they aren’t given the evidence at all.

Experiencias realizadas por psicologos da Brown University tem produzido positivas evidencias de que as pessoas frequentemente pensam a respeito de evidencias positivas de maneira errada – se estas evidencias forem fracas, ou seja, sem serem comprovadas no momento da apresentacao. Desafiando a logica, pessoas a quem sao dadas fracas evidencias podem considerar predicoes suportadas por estas evidencias como menos verdadeiras do que se a elas nao fossem dadas nenhuma evidencia.    

( continuar traducao)

Porque a diferente interpretação do mundo – Matrix/DNA – e’ necessariamente pratica

sábado, dezembro 16th, 2017

xxxx

( Artigo inacabado faltando ver o nome da molécula em portugues)

Um exemplo de como uma diferente interpretação dos fenômenos naturais – em relação `a interpretação acadêmica oficial, dita “científica”, pode atuar na pratica:

As várias áreas de estudos do cérebro e seus produtos, como os pensamentos, notadamente a neurologia e a psicologia academicas, estão cada vez mais se baseando na teoria de que o pensamento humano, que pode receber os nomes abrangentes de “mente” ou “consciência” sao produtos genuínos e diretos da evolução do cérebro. vai totalmente contra a ideia cartesiana de mente separada do cerebro. Por consequencia, todos recursos cientificos estao dirigidos a busca de mais dados restritos e limitados a este paradigma, seja na pesquisa sobre doenças mentais, na computação em busca da inteligência artificial, etc.

Por outro lado, a minha diferente teoria – ou diferente interpretação geral dos fenômenos naturais – faz as mesmas pesquisas mas baseada num diferente paradigma. Neste o cerebro e’ visto como hardware e a mente, ou conciencia, com o software. Esta dupla existiria em todos os sistemas naturais  como os anteriores `a existencia dos seres vivos, porem, nos nao vivos, o software e’ entendido como a simples entidade sistemica que regula internamente homeostase e demais fenômenos termodinâmicos. Ora, o hardware nao produz seu software, e apesar de possivel, tambem aparentemente o software nao produz seu hardware. O que existe e’ um processo paralelo evolutivo dos dois, em que um avança mais que o outro produzindo informações que serão absorvidas pelo outro que ao seu ver dara um passo a frente exigindo nova evolução do primeiro. Um longo processo de feed-back.

Não vou aqui citar as dezenas de analogias com fenômenos reais naturais e nem a s milhares de evidências ja reunidas para esta teoria e amplamente divulgadas no website. mas vou rapidamente mencionar um objeto de pesquisa agora que e’ intuído pela minha teoria mas nunca o será pela teoria acadêmica.

Trata-se da atuação na célula de uma molécula denominada ( …..). Esta evidente que esta molecula esta sendo formada e dirigida por alguma força a nível da totalidade do sistema, que nao pode estar resumida e ser emitida por apenas uma das partes do sistema. Esta molécula esta sendo o instrumento fisico adequado ao meio celular para executar funções intermediárias entre esta força sistêmica e as proteínas. Na minha teoria esta força sistêmica e’ definida como entidade abstrata dentro do sistema cujo outro nome e’ software. Se o conjunto cerebro-mente for realmente uma analogia ao conjunto computacional hardware-software, a mente será uma força que atua sobre a matéria física do corpo através de um instrumento intermediario, o qual corresponderia a esta molecula no caso celular. A partir desta possibilidade, passamos a procurar no cerebro quem seria este instrumento.

Enquanto isso, a teoria acadêmica baseada na visão diferente jamais terá qualquer razão para pensar num instrumento intermediário e portanto jamais o irá procurá-lo enquanto permanecer neste paradigma.

Tudo bem, ninguem tem provas definitivas de quem está certo ou errado. Mas se eu estiver certo, e se tiver as condições e recursos necessários experimentais, eu ou a quem herdar esta cosmovisão poderá um dia fornecer `as ciencias academicas o que ela necessita para seu grande salto evolucionário na solução de apenas algumas destas doenças mentais a milhares de anos vem torturando humanos sem que se tenha encontrado soluções em nenhum paradigma.

 

IPATI – Grava vozes e Imagens dos Mortos

sábado, outubro 21st, 2017

xxxx

IPATI – Instituto de Pesquisas Avancadas em Transcomunicacao Instrumental

http://ipati.org/index.html

Um primeiro fato notavel e’ uma confirmacao do que eu ja tinha suspeitado. Os mortos nao mais falam nossa linguagem, mesmo que falem nosso idioma. As respostas dos mortos sao sempre em forma de codigos, nunca repetem as palavras das perguntas ( o que significa que nao estao ouvindo as palavras e sim lendo pensamentos).

Falam muitas frases que eram chavoes usados em vida aqui, sem qualquer conotacao com pergunta ou sem explicar nada. E so falam em monossilabos, nunca falam mais que tres ou quarto palavras.

Um doente em estado terminal, inconsciente, diz que esta fora do corpo sendo assistido por espiritos. Mas ele tambem fala como os mortos, mudou totalmente o modo de falar.

Isto significa que em outras dimensoes as mentes sao hard-wired diferente, as leis de seu mundo sao tao diferentes daqui que as vezes o certo la’ e’ a negacao aqui.

A morte pode ser anunciada pelo quarto quadrante da formula espiral da Matrix/DNA?

sábado, outubro 7th, 2017

xxxx

Esta quarta fase de declínio espiral imediatamente lembra a formula, na qual o circuito espiral também termina com a morte do sistema ( entre funções 7 e 1). Esta descoberta parece estar indicando que a o período de vida de uma pessoa é determinado pela velocidade com que o fluxo de energia corre no circuito. Se a velocidade for muito elevada, a pessoa vai morrer mais cedo, e assim os entrópicos sintomas das funções 6 e 7 começam a aparecer mais cedo na vida da pessoa do que o normal. E esta variação de velocidade lembra as velocidades dos giros no ciclo de Krebs, o qual, segundo o vídeo que estou assistindo, tem vários efeitos nos organismos a nível molecular. Precisamos reler e pesquisar isto, ver se foram publicados outros artigos com seção para comentários e ver a fonte original, o paper..

Death Spiral: 4th Phase of Life May Signal the End Is Near

https://www.livescience.com/55557-death-spiral-is-fourth-phase-of-life.html?utm_source=notification