Posts Tagged ‘prêsa’

Aberrações psicológicas humanas analisadas pela cosmovisão da Matrix/DNA

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/07/12/casal-e-detido-acusado-de-prender-gemeos-de-tres-anos-em-caixote-no-es.htm?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral

Espaço era pequeno e dividido em dois, para que as crianças não tivessem contato uma com a outra

Analise e solucoes baseada na cosmovisao da Matrix/DNA

O atraso da evolução biológica em certas linhagens genéticas revela essa ausência da empatia, pela qual outra genética mais evoluída com empatia teria a capacidade de sentir em si mesmo o que iria sentir estas crianças quando enjauladas. Mas não pode ser apenas o atraso evolutivo dessa raça, pois alguns animais irracionais nossos ancestrais já demonstram alguns exemplos de empatia. Isto significa que por algum motivo houve um atrofiamento e retrocesso evolutivo, e temos que procurar a resposta para melhorar a qualidade da humanidade. Assim, `a primeira vista, eu chutaria que a causa é a miséria física somada e causada pelo instinto predador da classe dominante nestes lugares. E mais o condicionamento religioso de uma religião que aceitava serem sacrificados os rebentos no altar dos sacrifícios aos deuses, o qual inconscientemente e’ projetado pela crença que é normal aos adultos e pais sacrificarem os filhos. em comportamentos castradores. Cinco seculos e 20 gerações dessa dominação e neste estado pode atrofiar propriedades biológicas e psíquicas que antes lutavam para se fixarem perpetuamente.
Resumo do que do leitor mais evoluído adota como atitude para erradicar este tipo de aberração:
1) Combate não-violento ao instinto predador da classe dominante do lugar;
2) Combate ao instinto de presa genético ( pelo qual as ovelhas saem correndo deixando para trás os filhotes a serem devorados pelos leões) explorado pelos predadores através de suas inventadas religiões para os pais e adultos entendam que não tem que se oferecer os mais novos a sacrifícios de nenhuma maneira;
3) Ensino aos pobres vivendo sob aquele ciclo eterno da miséria a se unirem em associações cooperativas de produção e consumo para boicotarem as fontes de renda e poder da classe dominante.
4) cientificamente fazendo o que estou fazendo: buscando mais conhecimento sobre a propriedade da empatia, da qual já detectei suas origens: ela vem do estado egoísta dos elementos de um sistema fechado egoísta ao se unirem altruisticamente para conservarem aquele estado.
5) Luta pelo controle de natalidade e planejamento dos nascimentos pela sociedade.

Analizando o Instinto predador no humano (1)

terça-feira, maio 8th, 2018

xxxxx

https://www.youtube.com/watch?v=pOH5SWK6Mcc&feature=youtu.be

No video, no momento aos 31:01′ – vamos tentar analizar um texto de um dos personagens para ver se extraimos alguma aprendizagem dele sobre a vida pratica:

Diz uma proprietária de uma cobertura no Rio de Janeiro, mãe ao lado de seu filho, para o reporter:

  • ” … então morar neste triplex de cobertura e’ um privilegio especial pois além das outras vantagens eu posso ver do mais alto o nascer e o pôr do sol, a maior área do mar e das ilhas…” – diz a mãe. ( Na selva dentre os animais irracionais, as feras grande predadoras tem por instinto apos a colheita de presas feita e o estômago cheio, subirem `a colina de onde podem descansar mas vigiar todo seu território la’ embaixo, os campos verdes onde suas presas trabalham transformando grama em carne suculenta, e de onde ficam ouvindo o uivar dos médios predadores – lobos, coiotes – que rondam além dos limites do território, pois sabem que se atacarem o rebanho as feras os trucidam, e assim servem de capatazes, pois as presas não escapam com medo deles. Para mim cada detalhe da vida e comportamento dos predadores humanos que vivem nestas coberturas, sao identicos aos detalhes apresentados pelas feras irracionais.
  • O filho diz: “… Era o sonho da minha mãe e ela fez por este sonho se tornar realidade. Ela conseguiu se conectar com o magnetismo da vida e aproveitar o que a Natureza oferece. Eu tenho consciência de que o que se aproveita na Natureza – que e’ isso que se faz – a Natureza está disposta a tudo, ela oferece muitas coisas boas e muita gente fica so no sonho, pensando nas consequencias, e no fim não realiza os sonhos, a questão e’ que nem todo mundo tem a sensibilidade para aproveitar o máximo do possível o que a vida nos oferece, a questao e’ de cada um ter a sensibilidade para aproveita-la,…”

Esta e’ uma amostragem de como funciona o instinto do predador irracional transformado na psique humana. Uma primeira nota clara e’ que ele acredita que o sentido da sua vida e’ o de se aproveitar das benesses que a natureza esta lhe oferecendo. Exatamente o que todos os animais irracionais – seja predador ou presa – fazem exclusivamente de sua vida. Os empregados humanos e as presas na selva são ofertas disponíveis na natureza `a sua disposição para serem aproveitados. E uma amostra do que esse estado mental produz de fato está no outro video onde um taxista faz um teste deixando uma nota de R$ 50,00 no banco traseiro: 2 pessoas recolhidas num ambiente de classe media alta como estes edificios de triplex pegaram e levaram o dinheiro silenciosamente, enquanto três pessoas recolhidas em bairros pobres e com aparência de pobres pegaram no dinheiro e entregaram-no ao motorista. Esta ai a questao de se ter a sensibilidade para se aproveitar do que a natureza oferece ou não ter essa sensibilidade.

Mas dizer que a natureza e’ dadivosa e existe para nos servir e’ uma grande alienação da realidade do que e’ a natureza, uma mentira absurda. A primeira condição antes mesmo do humano nascer, para ter direito `a vida, e’ ter que trabalhar com as próprias mãos e tortura e suor do corpo para produzir o que vai consumir. Claro, nada de bom cai do céu de graça e a natureza não nos oferece as coisas prontas, o prato cheio `a mesa, a casa onde morar, o carro para se mover. Tendo isto em mente desde jovem calculei que na vida consumiria cerca de 40 toneladas de alimento, no minimo uma pequena casa, 3.000 kilos de algodao para roupas, etc., e nunca me furtei de trabalhar calejando as mãos para produzir isto mesmo depois de ter diploma universitário ou quando estava com boas economias nos bancos. Eu não posso aceitar que uma jovem ou uma criança de 12 anos deixem de estudar sua lição do dia para fazerem 12 horas de trabalho duro para eu tomar delas a parte maior que consumo e ainda vai pagar minhas extravagâncias. Não posso aceitar que a mãe de duas ou quatro crianças deixe a casa dela para vir esfregar o chão da minha casa e ainda ter  a falta de escrupulo de pagar a ela 10% do valor que eu recebo com minha ocupação no ar condicionado. Não posso aceitar que o pai trabalhador trabalhe três vezes mais que requer a natureza para levar para a casa uma miseria que manterá seus filhos na miséria. Nao sou bactéria parasita ou fera carnivora predadora, tenho o corpo ainda animal mas uma mente que cada vez mais me distancia destes animais e por isso tenho repugnância da dita “esperteza felina” que alguns humanos se gabam sem a qual ninguém se enriquece do trabalho real produtivo,  mais que os vizinhos, pois que todos trabalham. Como estes indivíduos tem a coragem de mentirem escondendo esta espécie de maldição proferida pela natureza contra todo humano antes de nascer e’ coisa que nao consigo digerir. A única solução e’ boicota-los economicamente como sempre procurei fazer: so trabalho para mim, alguém da minha família ou qualquer outro trabalho apenas se for entre sócios. Antes de cair na escravidão prefiro me suicidar me preparando antes para matar tambem. Quem livra a humanidade de uma fera predadora faz um benefício `a humanidade.

Por isso na minha conversa com pobres digo: ” Os que exploram o seu trabalho e invadem todas as terras nao tem o menor escrúpulo em se aproveitar na hora toda oportunidade que a natureza oferece de agarrar o que ‘e bom, o que e’ vantajoso para se ter uma vida boa. Este negocio de ficar se perguntando se fazer isto ou aquilo e’ certo ou errado, e geralmente pensando que tem um Deus invisível assistindo o que você vai fazer so’ existe na cabeça dos pobres. Eu não sei se existe algum tipo de Deus assistindo-nos, mas se você acredita que sim eu pergunto: “Se você faz o que Deus quer e aprova, porque Deus não te protege dos assaltos destes que fazem o que Deus não aprova?” Das duas uma: ou você faz o que eles fazem e dê a sua mulher e filhos uma vida digna de ser vivida e esquece essa metafísica de Deus, ou então esse Deus não aprova que você não está se defendendo dos assaltos.” 

  • ” Uai… mas como vou me defender desses assaltos, como você diz, dos politicos corruptos, dos banqueiros agiotas, dos ladrões dos nossos minérios, etc.?”
  • ” Exato, aí está o que você está fazendo que eu, se fosse Deus não aprovaria: o seu extremo egoísmo que leva a este individualismo que te torna incapaz de chegar aos outros assaltados da sua classe social e se oferecer para ajuda-lo a se defender. Não se esqueça que vocês, da sua classe social, são em muito maior número que os assaltantes, portanto voces tem o poder para se defenderem, Deus, a natureza, ou seja la’ o que for, deu esta dádiva para você, e você não a aceita, não a assume, porque você tem ruindade em si para com seus irmãos de família, de profissão, de classe social. Assim Deus te abandonou e não está te assistindo e por isso nao esta te protegendo.”  

O que ele diz, está certo ou errado? Bem… certo ou errado em relacao a que? Se esta certo ou errado depende dessa questao relativistica.

Pensando nisso, vou tentar identificar ao que de fato ele está se referindo quando expressa sua personalidade. Então vejo dois fatos principais: a natureza e o resto dos seres humanos, que e’ quem ele está falando.

Quanto `a sua definição da relacao natureza/humanos acho que ele esta certo. No principio a natureza neste planeta era muito caótica e estéril (lembre a imagem de outros planetas sem vida), e depois quando ela criou os animais havia um meio-ambiente com alguns poucos locais quase paradisíacos para a existencia deles, e a maioria de locais sofriveis para a vida humana. Não sabemos onde e como a aquela natureza de paisagem esteril e tempestuosa conseguiu que suas forssas e elementos produzissem estes paraisos, a vida com sua enorme diversidade, ao mesmo tempo que produziu seres vivos em ambientes torturantes nos quais estes seres foram torturados e mesmo assim, atuando com um desejo irracional para sobreviver na tortura.

Com isso ja’ vamos percebendo que nao temos o conhecimento do que e’ natureza e como e porque ela fez aqui o que fez. Por exemplo, porque criar a felicidade de um lado e a tortura em outro? Porque ela tem essa dupla face de aplicar o bem ao mesmo tempo e na mesma medida que aplica o mal?

E com isso ja’ percebemos que o “filho” cometeu erros crassos ou omissoes cegas na sua definicao da natureza. Ele apenas mencionou a face natural da alegria que oferta dadivas e omitiu, se cegou, para a outra meia-face que so oferece dores e miseria. Pelo que ele disse, ele cre que a face boa tem um “magnetismo da vida”, e quem se conecta com esse magnetismo e’ agraciado com os privilégios. Claro esta que estamos perante uma criacao imaginaria metafisica, um atestado numa crenca de fe, e nao um ato racional. Ele sera incapaz de mostrar e provar esse “magnetismo da vida”, muito menos explicar de onde viria da natureza esse magnetismo, e seu dizer poderia sugerir que “na outra meia-face da vida, a do “mal”, nao existe esse magnetismo da vida”.

 

Calma la’! O Combate aos Instintos Predador/Presa deve considerar que ambos possuem propriedades salutares no momento evolutivo

terça-feira, maio 1st, 2018

xxxx

https://www.msn.com/en-us/money/companies/jeff-bezos-dreams-of-a-world-with-a-trillion-people-living-in-space/ar-AAwBb9T?ocid=spartanntp&ffid=gz

Jeff Bezos dreams of a world with a trillion people living in space

Nesta notícia percebi algo nunca pensado antes e um alerta de que vou ter de mudar de attitude. Tanto o instinto de predador como o instinto de presa que a humanidade herdou em genética do seu passado animal tem muita coisa de ruim, porém tem algumas coisas boas que são necessárias e inevitáveis para a evolução e salvação da humanidade, portanto, estas coisas boas devem ser preservadas. Uma delas esta aqui revelado por Bezos ( dono da AMazon e o mais rico com U$ 130 bilhoes de dolares) e por Elon Musk ( outro bilionatio dono da Tesla e da Space X). Ambos têm uma visão do futuro da humanidade: Temos duas alternativas – acreditam eles – Ou investimos pesado agora no desenvolvimento da ciência e tecnologia espacial e salvamos a humanidade para um futuro brilhante ou dirigimos a humanidade para um estado de êxtase eterno mas estúpido, robótico, enquanto a natureza nos permitir viver aqui. Tanto assim acreditam que cada qual criou uma companhia para atividades espaciais e já’ estão mandando foguetes para o espaço ( só não entende porque nao se juntaram numa companhia so, o que seria muito mais racional e vantajoso).

Enquanto isso, a maioria das pessoas comuns que me rodeiam, ignoram totalmente estas crenças, e quando pergunta, criticam tal comportamento dizendo que deveriam dar o dinheiro para matar a fome do mundo agora. Estas pessoas são preguiçosas mentais que ao invés de buscarem informações úteis para consertar e evoluir a humanidade não resistem a buscar os videos e piadas apimentadas dos colegas igualmente comuns no facebook ou whatsup. Por isso nao sabem – como Bezos mostra saber nesta noticia desde sua infancia – que a humanidade esta aumentando seu consumo de energia a todo ano de maneira que se isso continuar sem alteração em alguns anos vamos ter que cobrir o planeta com paineis solares para captar a energia necessaria para sobreviver mos. E pior ainda será se dermos dinheiro agora para todo mundo comer a vontade, pois pessoas comuns se multiplicam que nem coelhos e aí a necessidade de energia será muito maior.
Mas porque os grandes bilionarios se tornaram bilionarios por si mesmos? Porque neles atua com grande dominancia os genes de predador, e com muita recessividade inercial, os genes para gado. E os predadores tem como um de seus predicados a ansia indomavel de querer cada vez mais territorio e firmar-se sobre o território conquistador com garras, unhas e dentes. Ora, essa invasão do espaço sideral e’ nada mais, nada menos, que a luta por mais territorio. Quanto mais se expressa o instinto de gado, de presa, menos interessa por territorio apresentam: nos touros com um teor de predador se ve a defesa do pasto e ataque a invasores, mas nas ovelhas, nada: nem enxergam invasores, estão concentradas na grama sob seus narizes e satisfeitas se ao lado estão vendo mais grama para as proximas horas. Estas jamais se interessariam em ciências e tecnologia especial.
E’ óbvio que os dias da humanidade na Terra estão contados, planetas estão sempre em movimentos e transformações internas e externas, são lentos porque seu tempo e’ astronomico em relacao ao tempo dos humanos, mas eles se transformam e varrem toda vida de sua superficie. E estrelas queimam seu combustível e morrem, este sistema solar vai acabar. A única esperança da humanidade evitar dores e ranger de dentes a nossas futuras gerações e’ correr agora contra o tempo e investor pesado na ciencia e tecnologia especial, vamos ter que emigrar, e como diz Bezos, instalar captadores e transmissores da energia solar em outras luas e planetas.
Então, no final a lei natural que eu havia esquecido quando resolve que os instintos de predador e presa tinham que serem tenazmente combatidos, e que mostra que a evolução sempre coloca dois opostos em conflito para extrair os 50% de bom de cada um e eliminar os 50% de mal de cada um, funciona aqui também: ao menos temporariamente e como mal necessario inevitavel, temos que preserver alguns dos predicados destes instintos. temos agora que identifica-los, como acabei de identificar este, sobre conquista e posse de territórios.

Tiririca na simulação do computador corresponde ao boi na assembleia dos lobos

quinta-feira, março 22nd, 2018

xxxxxxx

Neste video o deputado Tiririca se despede do cargo dizendo aos demais deputados que “esta muito triste pelo que ele viu durante sete anos daqueles deputados que “nao estao trabalhando e se preocupando com o povo”. Nossa analise:

https://www.facebook.com/roberto.senatrindade/videos/1468267843299442/

 

Como se comportaria um boi que foi retirado do meio do gado e colocado no antro dos lobos e raposas com as regalias de ser respeitado e não devorado no ambiente? Para responder basta observar o deputado Tiririca.

Esta minha maneira de simular o desenvolvimento dos comportamentos humanos em cima de um software que representa o comportamento dos animais na selva, não e’ aprovada por mais ninguém alem de mim, mas aplico este método porque ele tem resultado na sugestão de muitas soluções para melhorar a vida humana que ninguém mais tem visto, e alem disso tem feito avançar meu conhecimento e entendimento da condição humana. O método funciona porque humanos e suas cidades são uma extensão dos animais e sua selva.

O boi e’ o Tiririca, o antro dos lobos e’ a assembleia visível ao publico, porque a verdadeira assembleia dos lobos acontece nos bastidores ocultos onde o Tiririca nunca foi convidado. Enquanto no alto da colina os grandes predadores que dirigem isto tudo espraiam-se nas orgias palacianas. Esta situação em que os leões permitem a um ou alguns bois subirem para a Assembleia de seus cães-de-guarda ( contra a vontade destes), apenas acontece quando os cães-de-guarda e todo aparato do sistema não esta’ dando o lucro desejado do vampirismo da energia das presas, porque as presas de alguma maneira não estão produzindo o requerido. Ao menos isto e’ o que vejo na simulação do computador.

Assim como as religiões criadas pelos predadores, essa aura do imaginário coletivo criada sob os nomes pomposos de “governo”, “politica”, “democracia” e tantas outras abstrações ilusórias, não afeta o poder de fato dos predadores, por isso ficam de portas abertas a médios predadores e ate’ quando as presas urram demais chorando as torturas, da-se um cala-boca no sentido de elegerem um boi ou uma vaca para passar pela porta, o que gera o efeito surpreendente de fazer as presas calarem o choro porque lhes reacendeu alguma esperança, e claro, ilusória.  sabem de antemão que o boi admitido não vai cheirar nem feder nada, porque boi nunca deixara’ de ser dominado pelo instinto de presa, o qual começa por entorpecer o cérebro inibindo qualquer busca de conhecimento mais elevado, o qual seria necessário para algum plano visando aproveitar a oportunidade para conquistar algum beneficio `a massa de presas. As portas abertas tem o efeito colateral de permitir a entrada furtiva daqueles nascidos dentre o gado porem com mutação genética tendente ao instinto de médio predador – que foi o caso do PT – e que pode causar prejuízos ao poder estabelecido, mas não vamos nos ocupar desse efeito colateral aqui. O Tiririca não foi este caso, o que se notou no seu semblante risonho tipico das presas de fazer brincadeiras da própria desgraça, que não se via nos semblantes carrancudos e barbudos dos elementos do PT.

Hoje mesm0 acabei de descobrir – numa pesquisa bem diferente sobre genética, um pormenor que se aplica a este assunto. Descobri que a causa natural que impediu os aminoacidos obtidos pelo experimento de Muller/Urey darem o segundo passo na evolução do processo das origens da vida, que seria o salto para formar proteínas, e’ a mesma causa natural que esta’ impedindo os 53% da população de presas do Brasil (a população miscigenada de índios e negros), darem o segundo passo na evolução do cérebro que seria a saída do umbral do egoismo/individualismo tipico das presas, para entrar no portal do coletivismo social ( por sinal uma simulação semelhante a longa cadeia de aminoacidos em coletividade que compõem uma proteína). Esta causa e’ um ingrediente natural faltante, tanto no frasco do laboratorio do Muller/Urey quanto no cranio daqueles 53% da população. Cujo mesmo elemento notoriamente esta faltando no cérebro do Tiririca, um exemplar tipico dos 53%. Esta ingenuidade simplista o leva a declarar e mesmo acreditar que fez o seu trabalho direito, que cumpriu sua missão, mesmo tendo que contradizer-se em seguida revelando que nada fez, alem do que a Assembleia dos lobos lhe permitiu. Desperdiçou assim uma grande oportunidade dos 53% conquistarem um naco do território na calada da noite, Ele ainda acredita e diz que o salario era mais que suficiente para mante-los trabalhando nos assuntos do povo, enquanto em seguida confessa que durante seu mandato correu o pais fazendo seus shows de palhaço, obtendo renda extra. Ou seja, o tempo em que um verdadeiro e compromissado trabalhador na causa que ele diz representar e para a qual apela para “nobres sentimentos” que não existem dentro daquelas quatro paredes, empregaria como trabalho de casa, no estudo e busca do conhecimento dos assuntos pertinentes, era desviado para shows de palhaços.

Estes 53% da população contem milhões de copias da Matrix/DNA, cada qual com uma informação genética unica, pessoal, intransferível, e da qual necessitamos mortalmente se quisermos nascer numa condição transcendente e sem nenhum aleijão por falta do trabalho de algum gene. Então temos que empregar todo esforço possível na busca da elevação material e intelectual desta população, ao mesmo tempo que temos de lhes corrigir a visão de mundo totalmente errada na qual foram doutrinados pelos predadores, para que, fortes e livres, sigam o caminho da transcendência e não o caminho do Admirável Mundo Novo sob as malhas de algum Big Brother.

Neste sentido perdemos uma oportunidade, que foi oferecida pelo fenômeno Tiririca. Fora da Assembleia ele diz que correu o pais falando com o povo ( geralmente numa churrascada de bêbados a contarem piadas), pois ele tinha acesso apenas as presas, nunca ao meio dos lobos que elegem o resto da Assembleia e que possuem as informações sobre um segundo nível do escalão do sistema. Ora, as presas não tem nenhuma informação para orienta-lo a atuar na Assembleia a seu favor, e aqui deveríamos ter entrado nos, de alguma maneira nos inserido no meio do povo com quem ele conversava, para chamar sua atenção ao que estava deixando de fazer.

E o que Tiririca deixou de fazer na oportunidade de acelerar a evolução mental do povo para conquistarem fracões de melhorias de vida e conhecimento naturalista? Foi por isso que vi a necessidade de escrever e registrar este artigo abrindo mais um capitulo de pesquisa de um assunto muito importante e que tenho deixado passar despercebido. A pesquisa sobre quais os itens e métodos eficientes para promover esta evolução. Creio que mais uma vez a formula da Matrix/DNA nos fornecera muitas sugestões, pois ela contem o segredo do ingrediente faltante neste estagio do processo evolutivo, e o qual podemos identificar.

xxxx

Obs: esta pesquisa deve abrir um novo diferente capitulo

Pesquisa:

  1. Aplicando o MRI nos cérebros dos primitivos e dos “um grau evoluídos”, ver as diferenças das sinapses… (claro, estou brincando…)

Predador e presa: estrategia para exorcismo sugerida por Chaos Theory

sexta-feira, fevereiro 23rd, 2018

xxxxx

Inspirado no texto abaixo:

( http://aip.scitation.org/doi/10.1063/1.5018728 )

To recap the history of the subject, the earliest investigations in synchronized chaos were due to Fujisaka and Yamada7.  Truly widespread interest was spurred by the work of Pecora and Carroll,1 who obtained synchronization of two Lorenz systems9 by completely replacing one variable, e.g., the X variable, in the “slaved” system by the value of the corresponding variable in the “master” system.

Entao, o que sugere isto para nosso interesse na exorcizacao dos instintos de predador e presa? Pecora e Carrol conseguiram uma sincronizacao entre dois sistemas caoticos identificaram e isolaram uma variavale comum nos dois sistemas. Claro, se a variavel e’ a mesma em dois sistemas diferentes, o valor das duas variaveis devem ser diferentes, senao isto igualaria os dois sistemas.  A seguir eles inseriram o valor mais elevado da variavel no sistema predador na variavel do sistema presa.

Entao, qual e’ umam variavel comum a um humano com instinto predador e outro humano com instinto de presa? Joao e Gil. Trunp e Darcy? Claro, nao pode ser uma variavel relacionada ao aspect fisico do corpo, pois isto nao tem como mudar. Tem que ser relacionada ao mental.

Depois que identificar as variaveis, avaliar sua intensidade no predador e ten tar aplicar esse valor de intensidade na presa, que certamente tera uma intensidade men0r.

Tentar identificar variaveis:

1 ) Crenca em Deus?

2) Apego limitado ao imediatismo?

Porque e’ sua obrigacao ocupar-se e participar do debate sobre o aquecimento global

segunda-feira, maio 29th, 2017

xxxx

Na imagem acima vemos onde termina a macica área de gelo e começa a área de gelo esparso, no oceano do Polo Norte. Cientistas dizem que neste ano o gelo esparso começou dois meses antes do normal, e acreditam que isso se deve a elevação de temperatura do planeta. E isso pode causar uma tragedia humana ( leia artigo no link:

http://www.livescience.com/59291-early-collapse-of-arctic-ice-bridge.html?utm_source=notification

Como existem pessoas poderosas e políticos que dizem que existem cientistas que podem provar o contrario e que não devemos nos preocupar, acho que o certo seria ficar-mos em cima do muro esperando mais informações, dados científicos. Porem eu particularmente não vou ficar sem gritar e tentar participar do debate porque a minha visão do mundo sugere um fenômeno que indica que estes indivíduos poderosos e seus políticos não apenas podem estarem errados, mas são obrigados a errar neste assunto. Antes de prosseguir vou tentar descrever um quadro ocorrendo nas selvas da Africa.

Antílopes, elefantes, zebras e um sem numero de especies animais que se classificam como presas de predadores comem a relva verde no vale durante quase 24 horas por dia, trabalhando, transformando vegetais em suculenta carne. Acima do vale, nas colinas, dormem e descansam os tigres, leões. Quando estes sentem fome descem da colina para fazerem sua colheita do produto do trabalho das presas, a suculenta carne.

Uma das poucas atividades dos predadores na colina, ou quando rondando em volta do pasto das presas, é vigiar seu território, contra outros grandes predadores vizinhos ou contra médios predadores, como lobos, chacais, etc. Querem certificar que o sistema que eles impõem em seu território esteja funcionando em ordem, como os aristocratas das nações vigiam por si mesmos ou através de predadores médios confiáveis e contratados para ajudar na vigilância, se as leis da Constituição que eles fizeram quando seus ancestrais ocuparam um território, estão sendo obedecidas e o pais esta’ dentro da especie de ordem estabelecida por eles.

Os grandes predadores aceitam o mundo assim, como o encontraram, e como o mundo assim apenas os beneficiam, jamais iriam supor que o mundo poderia mudar para pior. Assim os aristocratas humanos acreditam que esta divisão entre muito ricos e muito pobres é o único mundo normal possível, e que assim foi criado por algum Deus deles, que lhes da’ a força e a sorte que lhes propiciam seus privilégios.

No caso da biosfera terrestre mudar por algum motivo alheio a ela, como aumento de temperatura, queda de meteoritos, etc., os grandes predadores são os primeiros a serem exterminados, pois nunca iriam se preparar para mudanças ou aceitar mudar seus vícios de acomodação. Por isso todos os grandes predadores de antigamente ou foram extintos ou estão sem futuro evolucionário, em vias de extinção, enquanto dos animais menores, mesmo das presas, alguns podem sobreviver e dar inicio a nova população terrestre.

Pois bem. os humanos vieram destas raízes animais. Mais exatamente, vieram de um ancestral não humano que era uma especie de 3 em 1, ou seja, era grande predador carnívoro, médio predador, e como presa, vegetariano também. Estes 3 instintos estão na genética humana e não são expressados na fase embrionaria, apenas um deles vai se manifestar como dominante dos outros dois dependendo das condições do berço materiais do berço em que nascem e da educação que vão receber da cultura da família em que nascem.

A genética vai aplicar este instinto dominante quando configurar as conexões neuroniais e expressar o seu tipo de psique. E’ possível ate mesmo que numa área da psique exista espaço para se anatomizar psiquicamente ou os grandes caninos do grande predador, ou os médios caninos dos médios predadores, ou a baba chorosa das presas. E uma vez expressado e materializado um dos três, por exemplo, os grandes caninos, o individuo vai ter a mentalidade igual dos leões na colina, com posse e conservação de território, total vampirismo sobre as suas presas que lhe pertencem, e se acreditar em Deus, se crera’ o escolhido para manter a ordem entre as suas presas-pagas acessíveis pelos demônios.

Então obviamente todos filhos de aristocratas vão ter uma psique modelada com grandes caninos e apenas sobrevivem se tiverem escravos. Na mentalidade deles o mundo foi feito assim para continuar assim por isso são radicalmente conservadores. Deus esta no alto vigiando para protege-los e a seu território, eternamente.

O que acontece quando alguém diz a um aristocrata que o seu sistema imposto a seu território esta alterando o clima, a geografia, e isto vai levar a mudança e até destruição do seu mundo? Ora isso é impossível, o mundo vem assim a bilhões de anos e Deus esta’ vigiando, para que sua estrela da sorte esteja sempre a brilhar. Quem vem dizer tal asneira tem que ser comunista querendo enganar com alguma conspiração ou plano oculto, mesmo que seja apenas uma maneira dele ganhar dinheiro.

Então, quando o assunto é aquecimento global, a opinião dos indivíduos poderosos em dinheiro e seus políticos e funcionários, não me interessa, ignoro-a totalmente e quando falam desligo ou mudo de canal. No entanto, posso manter a suspeita de que a denuncia de que esta’ havendo aquecimento global pela ação humana seja uma expressão intrínseca aos médios predadores que podem, ate mesmo inconscientemente, estarem conspirando para darem o golpe e assumirem o território, ou então, meramente, ganharem maiores fatias da carne suculenta. Então quando alguém da classe media alta ou seus políticos falam que o aquecimento e’ causado pelo homem, ouço um pouco mas não me deixo convencer cem por cento. Vou ouvir atentamente os cientistas que estão de fato botando suas mãos nas pesquisas, ainda com a ressalva de que também dentro os cientistas existem as três divisões entre instintos.

Quanto aos nascidos em berços pobres e doutrinados pela cultura feita pelos predadores para ser aceita pelas presas, qual sua reação perante a noticia de que estaria havendo aquecimento global e o culpado é o homem? Ora, como sempre, esta noticia entraria por um ouvido e sairia pelo outro, pois não sabem erguer a cabeça e desviarem mesmo por alguns instantes, os olhos da grama. Como sempre são inertes para tudo. E nisto concordamos com o conceito que deles fazem os grandes e médios predadores, porem o que difere e’ a nossa atitude em relacao a eles. os predadores querem conservar as presas assim, enquanto nos queremos motivar as presas a mudarem pois precisamos delas para o processo da nossa reprodução cósmica.

Resta então saber sobre aqueles que como eu, julgam que transcenderam o animal em si e já não mais funcionam movidos por algum dos 3 instintos. São os que querem um sistema sem território único mas sim dividido em partes iguais, que não aceitam passivamente serem empregados e nem querem ser patroes, sonham que todos sejam seus sócios. Como estes devem ser comportarem perante a questão? Ora, a nossa fraqueza devido nosso ínfimo numero não nos permite tomar parte nas decisões sociais. Então apenas nos resta estar atentos para criticar veementemente os argumentos quando aristocratas falam, ficarem atentos investigando os motivos quando a classe media fala, e ficar cutucando com energia as presas para que acordem e prestem atenção na questão, para que numa eventualidade sejam uma força na direcao da resposta correta. Então, tens que participar, ao menos estarás de consciência limpa se seus herdeiros chorarem o fracasso da humanidade nesta questão.

Eu me baseio na minha cosmovisão, resumida na teoria Geral da Matrix/DNA. E seus modelos astronômicos sugerem que todos os planetas como a Terra inevitavelmente tendem a se aquecerem cada vez mais ate deixarem de serem planetas, transformando-se em pulsares. No núcleo da Terra existe um germe de estrela rodeado das camadas geológicas que fazem função de placenta contendo os nutrientes do germe, então a massa liquida incandescente e sob fusão nuclear vem comendo o planeta de dentro para fora, e quando mais perto da superfície do planeta estiver esta massa incandescente, mais elevada sera’ sua temperatura. Isto pode ser freado um pouco porque ao mesmo tempo que o planeta vai sendo comido sua massa de rochas vai perdendo peso e portanto o planeta vai escapando da gravidade solar e se afastando co calor da estrela. mas no final o calor que vem do interior prevalece. Então o aquecimento tem que existir naturalmente. Porem, ele pode ser acelerado pela ação do homem? E’ possível… ou não… mas isto não interfere muito na noção de que este sistema humano esta’ todo errado, o comportamento humano não esta’ sendo natural, ou seja, não esta em sintonia com os desígnios da natureza, e tem que mudar.

Humans Predators of Humans Preys

terça-feira, abril 4th, 2017

xxxx

E’ objetivo da Matrix/DNA exorcizar os três instintos (grande predador, médio predador, presas), herdados dos animais,  da psique humana. A estrategia não pode por em primeiro lugar o exorcismo dos grandes predadores do poder, e o motivo pode ser sintetizado numa frase:

” Você não pode mudar alguém que não vê o mal em suas acoes”.

Quando se propõe `a classe C, das presas, a melhor estrategia para iniciar a mudança da classe A ( que seria o boicote em todo tipo de relações, principalmente o econômico e militar), começa a choradeira e insistem na absurda esperança de que os grandes predadores tenham compaixão, senso de justiça, etc. Pois a frase acima cabe aqui também. Acontece que eles não vê falta de compaixão, ao contrario, eles acham que ao empregado estão dando, doando, e estão dirigindo-os dentro dos freios com algumas punições porque não sabem nada da vida e não sabem o que fazem.

Em inglês a frase ficaria:

“You can’t change someone who doesn’t see an issue in their actions” 

A Primavera Árabe demonstra que a solução para a humanidade não e’ politica, econômica, nem social.

sexta-feira, março 10th, 2017

xxxx

O mundo humano parece não ter outro futuro senão a sua extinção ( porque esta’ seguindo o mesmo roteiro das especie extintas e a esperança na auto-consciência que deveria produzir a inteligencia esta se entorpecendo.) Mas porque?

A experiencia de Wael Ghonim ( um egipcio engenheiro do Google), revela a explicação nesta excelente palestra cujo link para o video vai abaixo). Ele ajudou a desencadear a Primavera Árabe, na sua casa no Egito… abrindo apenas uma página no Facebook. Conforme revela, depois de a revolução se ter espalhado pelas ruas, passou de promissora a confusa, depois a terrível e penosa. E com as redes sociais aconteceu a mesma coisa. O que tinha sido um local para unificar a população, empenhá-la e torná-la participativa, tornou-se um campo de batalha. Wael pergunta: O que é que podemos fazer agora quanto ao comportamento online? Como é que podemos usar a Internet e as redes sociais para criar civilidade e uma discussão racional?

Esta polarização ou divisão da população em dois grupos inimigos entre si que Wael revela tem uma causa oculta e profunda. Ela desce as nossas origens e ate mesmo as origens da vida na Terra. Os humanos são filhos do caos. Quem não percebeu isso, faça como eu e vá viver anos isolado na selva para conhecer o lugar de onde viemos. A biosfera em estado de caos criou e forjou a genética e comportamentos de nossos ancestrais de outras especies. A formação do planeta já foi em estado de caos e por bilhões de anos a cada 50.000 anos a superfície era estremecida e invadida pelas lavas do interior e nesse meio a vida surgiu. E isto modelou e lapidou a nossa genética. A luta pela sobrevivência em meio a carnificina gerou o gene egoísta que inconfessavelmente cada um manteve e alimentou para que ele modelasse nossa psique. A qual ainda tem na forma abstrata o canino do grande predador, a ferocidade e parasitismo do médio predador e a fraqueza da presa.

Esta dita polarização de que tanto se fala hoje na America, no Brasil, no Egito e provavelmente no mundo todo, na verdade é uma tripolarização e vem daqueles três instintos. Todos os sistemas sociais criados pelo homem ate hoje – seja o feudalismo, o capitalismo, a monarquia, o comunismo ou o socialismo – imitam exatamente a divisão de poder e as regras entre os animais na selva, nos ares e nos oceanos. Assim estes sistemas sempre apresentaram as divisões entre a aristocracia dos grandes predadores, a classe media dos médios predadores, e a classe pobre ou escrava das presas. Por isso na historia pessoas como Wael sempre terminam por se arrependerem quando acreditaram que o absurdo sistema social de seu povo poderia ser mudado com algum método imediatista.

Wael queria a mudança para uma sociedade pacifica e ordeira e ele se acredita exemplar porque não tomou o partido de nenhum dos dois grupos opositores. Ele se engana a si próprio porque ele não conhece a si próprio porque ignora as suas origens como esta clarificada acima. Se ele tivesse sido alçado ao poder, ele teria produzido um regime que teria no centro dos privilégios, a sua classe dos médios predadores. Ele hoje é um funcionário do Google, ele esta’ vivendo o papel de médio predador, como sempre viveu antes. E seu povo estaria no caminho errado, sofrendo injustiças e insatisfeito também.

Wael acredita que a Internet possa ser o fator de mutação que a humanidade tanto necessita. Mas ele mesmo aponta o fator que anula esta pretensão. Ele informa que um terço da humanidade tem Internet. Mesmo que ele detectasse o real problema, descobrisse a visão de mundo que produziria o efeito desta mutação, ele não levaria esta mutação aos outros dois terços- 5 a 6 bilhões de pessoas – que na sua maioria consiste dos genes com tendencia a massa retrograda, reacionária, das ovelhas.

O caos nos condenou antes antes de nascer-mos a “comer nosso pão com o suor do nosso rosto”. Nascemos como sistemas abertos, os quais dependem de energia externa e outros acomodativos para sobreviver. E uma segunda condenação que nos diz” tentaras progredir mentalmente e tecnologicamente antes que o planeta perca suas propriedades de suportar a vida”. Mas as classes A e B jamais se submeteriam `a primeira condenação, e a classe C, `a segunda. Wael que ser trabalhador sentado de computador e se puder vai abocanhar a maior quantidade de propriedades, ele nem sequer imagina-se arregaçando as mangas e fazendo sua parte do trabalho árduo e sujo e jamais dividiria suas terras ate ficar com o lote suficiente e necessário para ele sobreviver. E com isso, a humanidade vai para o desfecho da não obediência as condenações da Natureza, como os dinossauros, os leões, as águias, as baleias, e em seguida as ovelhas com a devastação da vegetação, vão para o mesmo caminho: a extinção.

Mas existe uma porta aberta. A auto-consciência não veio do caos, ainda não chegou na sua maturidade e potencialidade, não sabemos de onde ela vem. Ela pode ser uma força tentando nos conduzir a nossa transcendência. Mas ela esta atada a psique, esta ainda tem caninos, chifres e a melosa baba das ovelhas. Conseguira ela proceder a grande mutação dessa psique? Antes da Terra receber os últimos chocalhos do caos?

Seja como for, não sera’ a Internet e nem a energia gratuita do sol que produzira esta mutação. E’ da natureza dos predadores sempre vampirizarem as ovelhas para satisfazerem a necessidade mortal de seus caninos, e é da natureza das ovelhas manter a cabeça baixa pastando para que as partículas-informação da consciência que pairam no ar não as alcance. Uma unica estrategia descoberta pelos humanos no sentido de ajudar esse esforço que vem de fora a se sedimentar antes da extinção tem que ser voltada a atuação sobre a consciência de toda humanidade, das três classes. Essa estrategia tem que ser exorcista, imunizadora, do vírus entranhado na nossa carga genética. Essa descoberta tem que ser o despertar para a visão correta do mundo que consiga produzir uma desconstrução cultural simultânea nas três classes pela re-interpretação de todos os detalhes, todos os fenômenos naturais, a qual revela a outra face oculta da Natureza, o estado de ordem. Este que governa o equilíbrio do macro-universo e suas arquiteturas. A desconstrução cultural é a lapidação da psique eliminando aqueles ranços animalesco  e com isso vem o exorcismo. Esta é uma estrategia muito difícil, porem não vejo nenhuma outra alternativa. Mas ela é factível pois é possível descobrir a cosmovisão da verdade, haja visto que ja temos a descoberta da cosmovisão da Matrix/DNA que se aproxima bastante da final que necessitamos.

Então vamos ver a interessante palestra de Wael e aprender com sua experiencia. Para quem quer ver a legenda em português, clique no subtitles e escolha o idioma. Também tem o transcript do texto inteiro em português, o qual copiei abaixo para reler e sublinhar as informações principais.

 

http://www.ted.com/talks/wael_ghonim_let_s_design_social_media_that_drives_real_change?language=pt

Transcript:

0:12 Eu uma vez disse: “Se queremos libertar uma sociedade, “só precisamos da Internet.” Enganei-me.

0:21 Eu disse estas palavras em 2011, quando uma página de Facebook que eu criei anonimamente ajudou a desencadear a revolução egípcia. A Primavera Árabe revelou o maior potencial das redes sociais, mas também expôs os seus maiores defeitos. A mesma ferramenta que nos uniu para derrubarmos ditadores acabou por dividir-nos. Eu gostaria de partilhar a minha experiência relativamente ao uso das redes sociais para o ativismo, e falar sobre alguns dos desafios que enfrentei pessoalmente e sobre o que é que se poderia fazer.

0:58 No início da década de 2000, os árabes começavam a inundar a Internet. Sedentos de conhecimento, de oportunidades para se ligarem com o resto das pessoas em todo o mundo, escapávamos às nossas frustrantes realidades políticas e vivíamos uma vida alternativa virtual. Tal como muitos deles, também eu era completamente apolítico até 2009. Na altura, quando eu me liguei às redes sociais, comecei a ver cada vez mais egípcios que desejavam uma mudança política no país. Senti que não estava sozinho.

1:39 Em junho de 2010, a Internet mudou a minha vida para sempre. Enquanto navegava no Facebook, vi uma fotografia, uma fotografia terrível de um corpo, um cadáver torturado de um jovem egípcio. Chamava-se Khaled Said. Khaled era um alexandrino de 29 anos que fora morto pela polícia. Vi-me a mim mesmo na fotografia dele. Pensei: “Eu podia ser o Khaled.”.

2:11 Não consegui dormir nessa noite, e decidi fazer qualquer coisa. Anonimamente, criei uma página no Facebook e chamei-lhe “Somos todos Khaled Said.”. Em apenas três dias, a página tinha mais de 100 000 pessoas, outros egípcios que partilhavam a mesma preocupação. O quer que fosse que se estava a passar tinha de parar.

2:35 Recrutei o meu co-administrador, Abdel Rahman Mansour. Trabalhamos juntos horas e horas. Recolhemos ideias de pessoas na multidão. Tentávamos envolvê-las.Clamávamos colectivamente por ação, e partilhávamos notícias que o regime não queria que os egípcios soubessem. A página tornou-se a página mais seguida no mundo árabe. Tinha mais fãs que alguns órgãos de comunicação reputados e mesmo mais que algumas super-celebridades.

3:05 A 14 de janeiro de 2011, Ben Ali fugiu da Tunísia após protestos crescentes contra o seu regime. Eu vi uma centelha de esperança. Nas redes sociais, os egípcios pensavam: “Se a Tunísia conseguiu, porque é que nós não conseguimos?”.Publiquei um evento no Facebook e chamei-lhe “Uma Revolução contra a Corrupção, a Injustiça e a Ditadura.”. Fiz uma pergunta aos 300 000 utilizadores da página, na altura: “Hoje é 14 de Janeiro. “o dia 25 de Janeiro é o Dia da Polícia. “É um feriado nacional. “Se 100 000 de nós tomarmos as ruas do Cairo, “ninguém nos vai parar. “Será que o conseguiremos fazer?”

3:53 Em apenas poucos dias, o convite chegou a mais de um milhão de pessoas; e mais de 100 000 pessoas confirmaram a sua presença. As redes sociais foram fundamentais para esta campanha. Ajudaram ao levantamento de um movimento descentralizado. Fizeram as pessoas perceber que não estavam sozinhas. E fizeram com que fosse impossível o regime pará-la. Na altura, nem sequer a compreenderam. E a 25 de Janeiro, os egípcios inundaram as ruas do Cairo e de outras cidades, exigindo uma mudança, quebrando a barreira do medo e anunciando uma nova era.

4:32 Depois vieram as consequências. Umas horas antes de o regime bloquear a Internet e as telecomunicações, eu caminhava numa rua escura no Cairo, por volta da meia-noite. Eu tinha acabado de twittar: “Rezem pelo Egito. “O governo deve estar a planear um massacre para amanhã.”

4:52 Fui atingido com força na cabeça. Perdi o equilíbrio e caí, e de seguida vi quatro homens armados à minha volta. Um deles tapou-me a boca e os outros paralisaram-me. Eu sabia que estava a ser raptado pela segurança do estado.

5:09 Dei comigo numa cela, algemado e vendado. Estava aterrorizado. Assim como a minha família, que começou a procurar-me nos hospitais, nas esquadras de polícia, e até nas morgues.

5:25 Depois do meu desaparecimento, alguns dos meus colegas que sabiam que eu era o administrador da página contaram à comunicação social a minha ligação com essa página, e que eu provavelmente tinha sido preso pela segurança do estado. Os meus colegas na Google começaram uma campanha de busca para tentar encontrar-me e os outros manifestantes na praça de Tahrir exigiram a minha libertação.

5:47 Depois de 11 dias de absoluta escuridão, fui libertado. E três dias mais tarde,Mubarak foi obrigado a renunciar. Foi o momento mais inspirador e emancipador da minha vida. Foi um tempo de grande esperança. Os egípcios viveram 18 dias de utopia durante a revolução. Todos partilhavam a crença de que poderíamos viver juntos apesar das nossas diferenças, que o Egito, depois de Mubarak, seria para todos.

6:18 Mas infelizmente os acontecimentos do pós-revolução foram como um murro no estômago. A euforia dissipou-se, não conseguimos formar um consenso, e a luta política conduziu a uma polarização intensa. As redes sociais só amplificaram essa situação, ao facilitarem a propagação de desinformação, rumores, câmaras de ressonância e discursos de ódio. O ambiente era puramente tóxico. O meu mundo online tornou-se um campo de batalha cheio de provocações, mentiras, discursos de ódio. Comecei a preocupar-me com a segurança da minha família. Mas, claro, isto não tinha que ver apenas comigo. A polarização atingiu o seu pico entre as duas forças principais — os apoiantes do exército e os islamistas. As pessoas ao centro, como eu, começaram a sentir-se impotentes. Ambos os grupos queriam que ficássemos do seu lado; ou éramos a favor ou contra eles. E, a 3 de julho de 2013, o exército depôs o primeiro presidente do Egito democraticamente eleito,após três dias de protestos populares que exigiam a sua demissão.

7:33 Nesse dia tomei uma decisão muito difícil. Decidi ficar calado, absolutamente calado. Foi um momento de derrota. Mantive-me calado durante mais de dois anos,e usei o tempo para refletir sobre tudo o que tinha acontecido, tentando compreender porque é que acontecera. Tornou-se claro para mim que, apesar da polarização ser guiada principalmente pelo nosso comportamento humano, as redes sociais modelam este comportamento e amplificam o seu impacto. Digamos que queremos dizer algo que não se baseia em fatos, arranjar conflitos ou ignorar alguém de quem não gostamos. Tudo isto são impulsos humanos naturais, mas, por causa da tecnologia, agir segundo esses impulsos está à distância de apenas um clique.

8:23 Do meu ponto de vista, há cinco desafios críticos que as redes sociais enfrentam, hoje em dia 

8:29 Primeiro, não sabemos como lidar com rumores. Os rumores, que confirmam os preconceitos das pessoas, são considerados verdadeiros e espalham-se por milhões de pessoas.

8:41 Segundo, nós criamos as nossas próprias câmaras de eco. Temos tendência a comunicar apenas com pessoas que concordam connosco e, graças às redes sociais, podemos silenciar, deixar de seguir e bloquear todas as outras pessoas.

Terceiro, as discussões online rapidamente se transformam em multidões zangadas.

9:02 Todos nós provavelmente sabemos isso. É como se nos esquecêssemos que as pessoas por detrás dos ecrãs são mesmo pessoas reais e não apenas avatares.

9:12 Quarto, tornou-se verdadeiramente difícil mudar de opinião. Por causa da velocidade e da brevidade das redes sociais, somos forçados a tirar conclusões precipitadas e a escrever opiniões acutilantes em 140 caracteres sobre assuntos complexos do mundo. E, logo que o fazemos, fica para sempre na Internet, e temos menos motivação para mudarmos de posição, mesmo quando surgem novas evidências.

9:39 Quinto — e, na minha perspectiva, este é o mais crítico — hoje as nossas experiências com as redes sociais estão planeadas de um modo que favorece a difusão em lugar de envolvimento, favorece as publicações em vez de discussões, os comentários vazios em vez de conversas profundas. É como se concordássemos que estamos aqui para falarmos uns para os outros, em vez de falarmos uns com os outros.

10:04 Eu testemunhei o modo como estes desafios críticos agravaram a polarização já existente na sociedade egípcia, mas isto não tem apenas que ver com o Egito. A polarização está a crescer em todo o mundo. Precisamos de nos esforçar por compreender como é que a tecnologia poderá ser parte da solução, e não parte do problema.

10:26 Há um grande debate hoje em dia sobre como combater a intimidação online e como combater as provocações. Isto é muito importante. Ninguém poderá dizer o contrário. Mas também precisamos de pensar em como conceber experiências de redes sociais que promovam o civismo e recompensem a ponderação. Sei por experiência que, se escrever uma publicação mais sensacionalista, mais parcial, por vezes irada e agressiva, tenho mais gente a ver essa publicação. Vou ganhar mais atenção.

10:58 E se nos focarmos mais na qualidade? O que é mais importante: o número total de leitores de uma publicação que escrevemos ou quem são as pessoas que têm impacto e que lêem o que escrevemos? Não poderíamos simplesmente dar mais incentivos às pessoas para se envolverem em conversas, em vez de apenas difundirmos opiniões a toda a hora? Ou recompensar as pessoas por lerem e responderem a pontos de vista com os quais discordam? E também, tornar socialmente aceitável mudarmos de opinião, ou até mesmo recompensar essa mudança? E se tivermos uma matriz que diga quantas pessoas mudaram de opinião, e isso se tornar parte da nossa experiência nas redes sociais? Se eu pudesse seguir quantas pessoas vão mudando de opinião, provavelmente escreveria com mais consideração, tentando eu próprio mudar, em vez de apelar às pessoas que já concordam comigo e “gostar” apenas porque acabei de confirmar os preconceitos delas.

11:54 Também precisamos de pensar em mecanismos eficazes de “crowdsourcing” para verificar informações largamente difundidas online e recompensar as pessoas que contribuam para isso. Em suma, precisamos de repensar o ecossistema atual das redes sociais e redesenhar as suas experiências para recompensar a ponderação, o civismo e a compreensão mútua.

12:16 Enquanto crente da Internet, juntei-me com alguns amigos, iniciei um novo projeto, na tentativa de encontrar respostas e explorar possibilidades. O nosso primeiro produto é uma nova plataforma para conversas. Estamos a acolher conversas que promovem a compreensão mútua e, com sorte, mudam mentalidades. Nós não alegamos ter as respostas, mas começamos a experimentar com diferentes discussões sobre assuntos muito fracturantes, tais como raça, controlo de armas, o debate sobre os refugiados, a relação entre o Islão e o terrorismo. Estas são conversas que importam.

12:53 Hoje em dia, pelo menos uma em cada três pessoas no planeta tem acesso à Internet. Mas parte desta Internet mantém-se refém dos aspectos menos nobres do nosso comportamento humano.

13:09 Há cinco anos, eu disse: “Se quiserem libertar a sociedade, “só necessitam da Internet.”

13:18 Hoje, acredito que, se queremos libertar a sociedade, temos primeiro de libertar a Internet. Muito obrigado. (Aplausos).

xxxxx

Parecer da Matrix/DNA:

O texto serve como evidencia para a teoria que descrevi acima. A polarização surgiu entre grandes predadores ( aristocracia por trás dos generais do exercito) e os islamitas, as ovelhas. Enquanto isso, as pessoas de centro ( os lobos, as raposas) se viram impotentes, mas sera’ sempre assim pois na verdade, é a classe mais fraca das três. Eles não tem a força, a ferocidade e radicalismo dos leões para sujeitar o enorme numero de todas as ovelhas, ao mesmo tempo que não tem a força para vencer os leões.

Mas e’ preciso lembrar que a humanidade veio da selva na forma de um ancestral que era carnívoro e vegetariano ao mesmo tempo. O que significa que ao nascer, cada humano ainda não tenha determinado instinto. Sera a educação familiar e social no local onde ele nascer, a cultura que modela seu comportamento, que fara expressar um dos três instintos. Alem disso, mesmo que a pessoa nasça, digamos dentre as ovelhas, alguma forma de mutação casuística ao nascer pode revelar uma ovelha com tendencia a predador. Sao vários exemplos, um bem conhecido e’ o caso do Presidente Lula, do Brasil.

Segundo Wael, ninguém conseguia mudar de opinião. Isto porque a opinião esta’ determinada no inconsciente, na psique. E por fim ele denuncia a vileza do comportamento humano. Sim, é um comportamento forjado pelo estado de caos da Natureza.

E o comentario que postei no TED:

Louis Morelli – Posted 3/10/2017
For his project and dealing with movements like that in Egypt, the engineer Wael need a Biologist and a Psychologist. There was/is no polarization, but three groups, included the group of Wael. The very cause goes back to humans origins and even life’s origins. I learned it living years isolated at Amazon jungle, from where came ours ancestrals.

All social systems created by humans ( be it monarchy, communism, capitalism, etc.) mimics the division of power and the rules among the animals in the jungle. There is the big predators ( the aristocracy behind the arm’s chiefs), the medium predators ( the medium class of Mr. Wael) and the preys (the islamitas). These instincts are encrypted at our genetics which produces our psyche. The bias for predators has hidden canines in their physique and they will die trying to keep their territories and preys, because they can not live in a equalitary system.

Internet is merely a tool being driven by humans. The nature of humans is the decision making. If you want a movement towards the transcendence of humans before their extinction due the transformations of the planet, you need a strategy for exorcising these instincts from our genetics and its product – the psyche. And the unique strategy that is trying to do it and has the weapons for doing it is the Matrix/DNA world view

Mensagem da Matrix: Trump e o Instinto Predador sobre o Clima Global

quinta-feira, janeiro 26th, 2017

xxxxx

(publicado primeiro no Facebook)

Penso em como e’ bom conhecer a psicologia humana, pois vamos vendo todas nossas previsões antecipadas sobre como a pessoa vai agir ou reagir sendo confirmadas. Por exemplo, hoje o Trump tomou uma decisão que pode significar a extinção da humanidade, ou não ter qualquer efeito: cortou todas as relações do governo com a ideologia ecológica. Ate o curriculum educacional para as escolas vai mudar.
 
Se existe ou não mudanças climáticas planetárias devido a humanidade, e’ ainda assunto para estudo científico, obtenção de mais informações reais. Mas porque alguns acreditam piamente que existe e outros, como o Trump, acreditam piamente que isso e’ conversa mole de reacionários?
 
Pense numa gang de leões no alto da colina, sob a sombra, esperando a fome chegar para descer no vale e fazer a colheita da carne que as ovelhas estão produzindo ao trabalhar transformando grama em carne. O Trump e’ um humano representando o leão – carga genética herdada dos ancestrais animais, fixada no Complexo Reptiliano que ainda temos como um caroço na base do cérebro, e que se expressa como predador ou presa dependendo do ambiente, da família e da cultura dominante onde nasceu.
 
O leão e’ o mais violento e forte ser vivo na Terra. Nada o desafia, nada o enfrenta, todos o temem. Por ser violento ele necessita de reação violenta, de guerra, para dar vazão as suas forcas reprimidas. O Trump vai adorar enfrentar e guerrear contra o ISIS, e quem mais sequer falar mal dele. E’ muito corajoso, ao extremo, pois para ele a Natureza e’ cúmplice, ele nunca perdera uma guerra, seja elefante, baleia, tubarão, anaconda, o que for. Sejam chineses, russos, islamitas, sioux… ele vai ficar ansioso e torcendo para alguém leva-lo a violência.
Ecologia nasceu do lado oposto, ou seja, dos que tiveram seu lado genético de ovelha, expressado. Para ovelhas, o maior horror e’ ficar sem pasto, devido a intempéries. Mas o Trump percebeu que entre estas ovelhas ecológicas e mansinhas, surgiram alguns médios predadores, como lobos e raposas, espertos que viram como lucrar financeiramente de politicas ecológicas. Ai eriçou a cabeleireira amarela do Trump, ele esfregou as mãos satisfeito: ” Oba, vamos ter violência, divertimento. Claro, como sempre, vou aniquila-los.”
O Trump acredita que a carnificina, a violência, e’ um recurso que lhe foi dado pelo mundo, pela natureza, e ate mesmo por Deus, para ele governar e manter a ordem sobre os médios predadores, para assim conservar eternamente suas presas escravas e seu território. E’ como acreditaram os autores dos livros religiosos, todos dizendo que a gang dos autores foram escolhidas por Deus para reinaram na ordem todas as outras racas de fracos animalizados, ignorantes das verdades do mundo, perdulários, inconsequentes, habitados pelo demônio. E tanto insistiram nisso através de milhares de anos, tanto falsificaram as interpretações sobre os fenômenos naturais e a realidade mundana, que conseguem enfiar isso no cérebro das ovelhas, as quais passam a acreditar nesta divisão divina de classes e torna-se doceis escravos voluntários.
 
O Trump nunca obedeceu uma lei natural fundamental: es um sistema biológico e aberto, portanto necessitas de energia dos alimentos, de proteção do corpo na moradia, etc., e como nada disso cai do céu por magica, tudo isso demanda trabalho duro calejando suas mãos, portanto, antes de nascer, fostes condenado ao trabalho real, duro.” Mas essa e’ uma lei natural para apenas a metade da face da Natureza, aquela concernente ao estado de ordem. Acontece que a biosfera terrestre veio da face do caos, cuja lei mais atuante e’ a da maior força bruta, eventos ao sabor do acaso. Esta vence e se acomoda, quando então desenvolve a astucia.
 
O maior problema e’ que o leão tem a ideologia fundamentalista de conservar o seu território com seus escravos a qualquer custo, e com isso torna-se um serio obstaculo ao levantamento das forcas da ordem que sempre se levantam do caos. Este prejuízo, se tonando muito tempo, e’ o que pode determinar a extinção da especie antes de sua transcendência. Não vejo como o Trump se convenceria a si próprio a se despir daquele pedaço de pano colorido que ostenta em volta do pescoço e chama de gravata, arregaçar as mangas, deixar seu quarto dom pilares de mármore incrustados de ouro, e ir para terra plantar batatas ou cavar buraco para fazer seu próprio banheiro. Ele vai lutar ate o ultimo suspiro, mas jamais vai obedecer esta condenação que veio dos céus sobre os homens. Existe a saída sendo vampiro de outros humanos que nasceram mais fracos devido ao ambiente de caos, e ele vai insistir sempre nessa saída.
 
Quando o cérebro animal atingiu certo estagio de evolução, se abriu para uma transcendente propriedade rondando a natureza, num estado de plasma, denominada “auto-consciência”. Porem apenas se abriu e esta nova forma de sistema natural plasmática segue os mesmos processos de formação de qualquer outro sistema natural, tendo que passar pelas formas iniciais de blastula, feto, embrião, etc. A placenta cerebral veio se desenvolvendo no topo do cérebro, acima da base cerebral animalesca e chama-se neocortex. O estado hoje desta nova propriedade natural e’ por nossos sensores naturais desconhecido, porem, como este novo sistema ainda não abriu seus próprios olhos, não desenvolveu seus sensores e nem mesmo ainda sabe a substancia e forma de seu corpo, apostamos que esta na fase de embrião… dentro de cada cabeça-ovo humana. Como fica o Trump neste quadro geral?
 
Claro a genética expressa mais forte o hardware já formado, pois o software – a mente – ainda e’ embrionaria. Assim, se o que da e exprime a tendencia destruidora do grande predador são seus dentes caninos, a psique humana feita por esta genética, ainda mantém fortes seus dois caninos, abstratos, porem como forcas internas incontrolável. Assim, O Trump não tem conhecimento profundo científico algum sobre os vários temas que influenciam a existência da humanidade, nem sequer dedicou reflexões mais profundas a nenhum dos casos. A estrela dele nasceu para brilhar sempre, Deus está com ele, a Natureza fez a carnificina no mundo porque e’ necessária, deve ser para combater o demônio, etc. Esta falta de reflexão que se atrela ao caráter conferindo-lhe o respeito a outras forças do mundo e portanto a responsabilidade, ficam, no caso dos grandes predadores, inexistente. Exemplo tácito foi o Hitler, que jamais foi tocado pela propriedade da responsabilidade quando decidiu guiar milhões a guerra que para na crença mitológica dele, estava previamente vencida.
 
Então esta atitude irresponsável e instintiva vai se repetir em todos os casos onde possa florescer um conflito que confere o paraíso para o Trump e suas emoções primitivas. Não existe nenhuma reflexão sobre os temas, o importante ‘e agitar. Ele vai atacar a todos atiçando-os onde houver oportunidade, seja construindo muralhas em volta de seu território, mas não para impedir a entrada de mais ovelhas, estas sempre seriam bem-vindas, mas sim para expulsar, limpar seu território para além das muralhas, dos outros tendentes a predadores, como os traficantes, etc. Assim a coisa ate perde a graça, pois todo dia vira mais uma notícia de uma decisão do Trump apenas para nos fazer repetir a mesma coisa:” isso já estava previsto, nada novo”.
Enquanto isso, o embrião cósmico que poderia salvar a humanidade de sua extinção e leva-la a transcender sua forma primitiva atual,mas que para isso precisa que a especie procure por si mesma exorcizar essa herança animal de sua carga genética, estará interrompido no seu desenvolvimento dentro das cabeças de predadores e ovelhas, e ate’ ameaçado a sofrer um aborto prematuro mortal. Mas o Universo não reclama pois ele já esta acostumado a ver suas sementes florescerem ou desaparecerem dependendo da seara onde caem.

Os Predadores e o Sacrificio das Presas Foram um Mal Necessário, Sem os Quais Nos e a Vegetação Não Existiríamos.

quinta-feira, novembro 3rd, 2016

Eu nunca ouvi e nem havia pensado nisso antes: predadores foram um mal necessário, sem os quais não teria havido evolução e os humanos não existiriam hoje.

Imagine se não houvesse predadores contra os herbívoros, como ovelhas, carneiros, cavalos, etc. Estes bichos se reproduziriam sem fim, comeriam toda a vegetação da Terra, e com isso se extinguiriam. Acho que não existe como refutar isso.

Então, gracas aos predadores como leões, tigres, crocodilos, etc., a vegetação ainda existe, nos existimos e ainda, gracas a estes predadores, as presas ainda existem!

Mesma coisa deve ter acontecido com os seres vivos da água.

Foram um mal necessário, porem não posso ainda dizer que foi um mal inevitável. Pois bastaria ter uns genes a mais com a função de controlar ou impor limites a multiplicação de uma especie. Assim, mesmo que a disponibilidade de alimentos fosse abundante, a inexistência de predadores fosse garantida, as presas não poderiam exterminar a vegetação e nem interromper a evolução.

Mas agora devo tentar analisar isso sob a perspectiva de significados existenciais.

Se houver um “inteligente designer”, como ele se resolveu em si mesmo a questão da tortura da presa? Como elaborar um planejamento que contenha criaturas sendo sacrificadas?

Se não houver um inteligente designer, porque a natureza seguiu este curso de produzir criaturas a serem sacrificadas e delas resultar em criaturas mais evoluídas, conscientes?

Em ambos os casos ( com ou sem designer) não haveriam outras alternativas que resultassem nos conscientes?

Bem,…, a resposta mais racionalista, logica, seria a de que a existência de criaturas sacrificadas foi um acidente, um produto das forcas naturais avançando cegas ao acaso, como também o foi a existência de conscientes.

Tanto e’ mais logica e racionalista que a maioria dos racionais ateus e cientificistas, acreditam piamente nisso.

Mas da mesma forma que existem milhões de fatos que podem serem arrolados como evidencias contra a ideia de um inteligente designer, também existem muitas evidencias contra a ideia de que uma sucessão de acidentes possa originar e continuar ate hoje  a serem somados de cuja soma final se obtêm a evolução e seres conscientes.

Eu ainda prefiro a teoria da Matrix/DNA porque vejo mais ainda fatos arrolados como evidencias suportando-a. Sendo o Universo todo um mero processo de reprodução daquilo que o produziu, ou seja, sendo a historia do Universo a mesma historia naturalista que assistimos no processo de embriogêneses, a existência de criaturas sacrificadas produz um certo mal estar, mas a de seres conscientes produz o contrario.

Se nos evoluir-mos a ponto de poder-mos assistir todo o trabalho dos genes, das células, durante um processo de nossa reprodução, e supondo-se que ali veríamos genes sendo sacrificados, células sendo mutiladas, nos não procuraríamos uma maneira de obter a reprodução sem estas atrocidades? Sim. Acima já citei uma possibilidade que tentaríamos aplicar, a dos genes controladores da população. Tenho certeza que com a evolução da nossa tecnologia e da nossa propriedade da empatia, nos vamos redesenhar o mundo animal exorcizando os produtos do estado de caos e substituindo-os pelos produtos do estado de ordem. Em dos fenômenos a exorcizar sera este da predação e vitimas sacrificadas. E vamos obter um ecossistema que continuara se auto-sustentando.

Então porque o ser mais consciente que nos que esta sendo reproduzido neste Universo não procurou esta maneira?

Fiquei sem e acho que ficarei para sempre sem esta resposta. Desponta no ar neste momento aquele que pode vir a ser o mais duro golpe contra a minha cosmovisão.

Porque?!

Esta cosmovisão diz que a vida, a evolução não foi desenhada com inteligencia, mas ela foi previamente desenhada na Natureza. O previamente refere-se ao que ocorreu alem do Universo. Assim como a mãe girafa produz uma girafinha sem usar inteligencia alguma, porem o desenho da girafinha já existia previamente desde as primeiras girafas. E uma girafinha que pode ser a presa nas garras de um leão.

Porem, o feto dentro do Universo expressa um embrião de auto-consciência que e’ inteligente , o que significa que a propriedade da inteligencia tem que existir, e muito mais elevada, na super-consciência original. Se nos ainda neste estagio primitivo já pensamos em mudar no processo da nossa reprodução as partes relacionadas a sacrifícios dos agentes dessa reprodução, porque a super-inteligencia original nada fez?!

Uma questão para pensar e procurar uma resposta nos próximos tempos…

Surge uma possibilidade de resposta. Talvez a super-consciência não possua certas sensibilidades humanas, como a rejeição a cenas de vitimas torturadas. Então talvez esta propriedade denominada empatia, que os humanos tem, ao invés de evoluir, iria involuir ate se extinguir, para chegar ao estagio se super-consciência.  Mas esta ideia mexe com muita coisa, sem a empatia não vejo porque outro motivo evoluiria a capacidade de associação e cooperação entre humanos, etc.

Isto me deixou com a preocupação de que possa existir um buraco na minha cosmovisão… pela primeira vez.