Posts Tagged ‘Psique’

Formação da Psique Brasileira: Errada, porém, qual a solução?

segunda-feira, setembro 10th, 2018

xxxx

https://www.bonde.com.br/digital-influencers-blog/beirada-niponica/dekasseguis-brasileiros-em-baixa-453019.html

Dekasseguis brasileiros em baixa

Envelhecidos e sem terem aproveitado as oportunidades de crescimento que o mercado proporcionou, pararam no tempo, e os que estão por aqui, continuam no chão das fábricas e nos serviços insalubres.
Poucos aprenderam a falar o idioma, outros nem adequados à cultura local estão.
Definitivamente os dekasseguis brasileiros estão em baixa.
Continuam vivendo em guetos, fazendo seus churrasquinhos nos finais de semana, esperando o tempo passar para ver no que tudo isso vai dar.
A dificuldade de integração com os nativos, a desunião na comunidade e a falta de interesse em adquirir novos conhecimentos deixaram os conterrâneos para trás na corrida por uma condição profissional e pessoal melhor

xxxx

meu comentario enviado ao artigo em set/10/18

Edison, eu gostaria de focar outro problema: qual a causa na formação da psique brasileira que produziu estes efeitos, que prejudicam-nos? Sem saber causas, não se encontram as soluções definitivas. Creio ser obvio que a causa esta’ no tipo da educação dos pais, das escolas, do governo. Impressionante é que os filhos e netos de japoneses, com uma educação paterna tão diferente, tenham desta forma sido influenciados pela educação escolar e social brasileira. Que povos com genética diferente convergiram para o mesmo tipo de psique acho ser prova de que a causa negativa não é genética, ao menos, não exclusivamente genética. Na minha opinião tudo começa a partir do colonialismo português, que modelou o governo e a educação social e escolar, extremamente para causar o individualismo, observando a cartilha maquiavelica do “dividir para reinar”, e incutir o complexo da inferioridade evolutiva, para tornar o servo submisso voluntário. Fui imigrante brasileiro nos USA, onde me naturalizei tornando-me cidadão americano e como veterano hoje procuro analisar estes imigrantes. Salvo a diferença de que daqui a maioria dos brasileiros enviavam dinheiro para o Brasil e retornaram com posses, os que foram ficando caíram na mesma situação do Japão. Nao entendi quando você insiste em notar em que erraram ao não estudarem se aperfeiçoando na profissão, pois acho requerer algo impossível, já que o imigrante, tanto la como ca, trabalha 70/80 horas semanais, não tem como evoluir e nem procurar convívio social. O mais notório é a incrível incapacidade de se associarem para coisas úteis, como comprar em conjunto e economizar, somarem economias e investirem como grupos, como fazem outras etnias melhor sucedidas aqui. Entao a solucao, na minha opinião, é detectar e combater em todos os detalhes os estímulos ao individualismo egoísta e ao complexo de inferioridade profissional. Quando fazes isto angarias de todos o mau olhado do ódio (exemplo, o post do Carlos aqui), pois estas criticando na alma, porém, não vejo outra solução. Voce ve?

Incidência de aberrações nos comportamentos humanos: uma sugestão baseada na formula da Matrix/DNA

sexta-feira, julho 13th, 2018

xxxx

Artigo decorrente da noticia no New York Post, no link:

https://nypost.com/2018/07/13/woman-gets-40-years-in-prison-for-trying-to-sell-2-year-old-daughter-for-sex/

Parecer da Matrix/DNA

Uma mulher de 25 anos num pais de primeiro mundo, branca de olhos verdes, oferece a filha de 2 anos de idade na Internet para sexo por 1.200,00 dólares!
Inúmeras aberrações humanas desse tipo ( como o casal no Brasil mantendo duas crianças numa jaula), em pleno seculo XXI, indicam que algo esta acontecendo de errado no cérebro humano. Os sintomas são a total falta de sensibilidade com outros humanos, mesmo sendo parentes próximos. Seria porque depois de três gerações das escolas estarem ensinando que humanos vieram dos macacos e portanto nada mais são que macacos finalmente a teoria se materializa no circuito cerebral formador da psique? Provavelmente esta não é a causa, mas existe uma causa, qual é ela então? Algum tipo de vírus, ou uma mutação genética desastrosa pipocando aqui e acola’? Seria alguma especie alienígena como os reptilianos que teria telefonado para o pacato motorista da Uber pegar uma arma e sair atirando nas pessoas? Seja o que for, a causa existe, um inimigo terrorista da humanidade esta atuando, e porque não vejo ninguém, nenhum governo, formando uma equipe para investigação cientifica destes cérebros? Pois existe possibilidade de da humanidade ativar seu sistema de defesa imunológico contra a causa, seja qual for. Mas não percebem essa possibilidade porque as áreas cientificas, incluindo a neurologia, estão interpretando a natureza, e por consequência os cérebros naturais, de maneira errada. A Ciência não pode ser também mistica crendo que existam demônios sobrenaturais atuando ou que acasos genéticos produzem tais eventos, pois o que se repete não é acaso. Existe algum elemento real, natural, no meio ambiente, atuando ou na formação dos cérebros ou nos cérebros já formados. Mas a academia cientifica aponta erradas convicções sobre algo que a neurologia ainda desconhece ( como se relaciona o cérebro com os pensamentos, a mente?), e mais estatísticas e cálculos da probabilidade, como se isso fosse um fenômeno matemático e não biológico, e com isso engole, sem perceber, a conclusão de que acasos mágicos, sobrenaturais, existam.
Esta insensibilidade com elementos de mesma especie dentro de um sistema como o humano social tem um nome mais esclarecedor: ausência de “empatia”. As origens do que nos humanos e em sua psique se tornou em empatia remonta aos sistemas naturais ancestrais e hoje compondo cérebros ou rodeando-os por todos os lados, antes mesmo das origens da vida. Não é o caso de apontar a força de atracão eletromagnética onde contrários se atraem e iguais se repelem, como o positivo e o negativo. E’ o caso de falha na força onde semelhantes atraem semelhantes, como átomos de carbono atraem outros átomos como nitrogênio, hidrogênio para formarem aminoacidos.
Mas esta segunda força só é detectada quando vemos a matéria formando sistemas, e como sempre, pelo processo do ciclo vital. Um sistema natural apenas repele e se torna insensível a outros sistemas, inclusive aos semelhantes, quando se torna fechado em si mesmo. Nestes, as partes se alinham num circuito que une suas duas pontas e faz a energia com seu fluxo de informações rodopiar sobre si mesma perpetuamente, ate que a entropia o ataque. As partes se conectam numa rede forte e coesa e cedem sua identidade para um emergente controle geral do sistema. Vemos então que existe altruísmo de cada parte para com todas as outras, onde uma procura ceder algo que melhore as próximas, e aqui o fenômeno meramente físico, bruto, começa a adquirir ares de uma propriedade mais evoluída, que e’ a empatia pelo semelhante. Não importa que este altruísmo só exista em relacao aos componentes do mesmo corpo sistêmico e adverso a tudo o mais que exista, o que denota um altruísmo falso que e’ extremamente egoísta porque presta culto a uma entidade de um sistema extremamente egoísta. E’ como cada gangster da mafia ser fiel aos outros gangsteres e ao chefe do grupo, onde ele é altruísta a uma minoria mas egoísta e prejudicial em relacao ao conjunto da humanidade.
O cérebro humano foi montado pela mesma formula que montou estes sistemas nos níveis atômicos e astronômicos. Então o cérebro, a nível de glândulas, apresenta sete glândulas cada qual executando uma função sistêmica, como na formula. Em outra camada, o cérebro é dividido em sete regiões, cada qual com a mesma função. Se hoje temos um aparato tecnológico a ser usado pela Ciência, como o MRI, os eletroencefalogramas, inclusive os registros e atividades das sinapses, aconselha o bom senso que procuremos comparar os dados obtidos com estes instrumentos com a formula template natural para identificar quem é quem no contexto de sistema cerebral. Mas ninguém esta fazendo isto.
A empatia deve ser um produto relacionado ao ciclo vital. Um humano na forma adulta e’ conectado psiquicamente `a ele mesmo quando estava na forma anterior, da adolescência, e tem previsões a ele mesmo na forma futura de idoso. Esta força que modifica as formas de um corpo ao longo de sua existência e chamada de ciclo vital é quem produz as vaias formas das varias partes que vão formar sistemas naturais. Seria logico esperar que um humano se lembre de suas formas infantis anteriores com carinho, empatia, e que deseje o melhor para suas formas futuras, onde novamente aparece sutilmente a empatia ligando formas humanas. Este instinto inconsciente pessoal deve se extrapolar para outros humanos quando criam os sistemas sociais. Mas estas aberrações indicando esta falta de empatia, uma quebra de conexões, parecem nos levar a concluir que tais humanos odeiam suas formas anteriores e negligenciam ou são suicidas em relacao a suas formas futuras. E isto também se reflete, extrapola, para o social.
Isto só deve acontecer em sistemas abertos, como o são todos os sistemas biológicos, como o cérebro. Estou investigando o caso pelo método da anatomia comparada entre a anatomia cerebral e a formula natural para sistemas abertos, mas não vou a lugar nenhum porque não é suficiente ter o mapa geral do cérebro comum, e’ preciso ter os mapas dos cérebros defeituosos. Superpondo estes mapas sobre o mapa da formula, pode se detectar ou os desvios nas conexões ou os pontos de entradas de elementos externos perturbando o normal curso do sistema. Em outras palavras, a Justiça deveria imediatamente autorizar a Ciência a submeter os cérebros defeituosos a mapeamento instrumental. E liberar o nosso acesso a estes mapas, pois somos os únicos a trabalhar com o método da formula natural. E’ uma questão de vontade politica e força de representatividade de um grupo numeroso, o que não esta acontecendo porque o principal grupo que deveria estar interessado -a academia cientifica dominada por uma visão mistica crente em acasos mágicos – não tem a capacidade de descobrir e entender a formula natural dos sistemas, quase nada entende de sistemas naturais e portanto deste sistema que é o cérebro. E por isso a humanidade continuara sendo aterrorizada e obrigada a assistir diuturnamente estas aberrações produzidas em seu próprio meio.

O que fazer agora para acelerar o exorcismo dos instintos herdados dos animais predadores e fracos?

quarta-feira, março 22nd, 2017

….

Alguém interessado nisto?

Uma cientista neurológica brasileira esta defendendo a teoria que o córtex humano cresceu diferente dos outros animais devido aos humanos cozinharem o alimento, obtendo assim muito mais energia dos alimentos que os outros animais. E o cérebro, principalmente o cortex, é grande consumidor de energia.

Concordo mas penso que esta não é a historia toda. O cozimento do alimento criou uma diferença muito grande no mecanismo de se alimentar do predador de quem herdamos nossa metade predadora, carnívora, assassina, violenta. O predador puramente animalizado – e inclua os macacos nisso – precisam de quatro dentes proeminentes, os caninos, para por forca e matar e arrancar a carne dos ossos e triturar os músculos. Com o advento do cozimento, a carne e os musculos ja vem mais tenros, moles, os caninos são menos usados, e por outro lado, o resto da dentadura, os dentes menores ou onde existiam falhas de dentes, precisam crescer para melhorar mastigar a carne e os vegetais, mantendo a nossa metade herdada dos animais vegetarianos. E isto já começou com os macacos, que são tanto carnívoros quanto vegetarianos. Portanto começou antes da invenção do cozimento.

O menor uso e menor força ou energia dirigida aos caninos os fez atrofiar, através de milhares ou milhões de anos da historia evolutiva. Isto foi enviando mais energia vegetal ao cérebro, uma energia que foi sendo desviada do sistema límbico, do caroco reptiliano ou resquício do cérebro animal predador, parra o topo do cérebro onde se formou e desenvolveu o córtex.

O córtex menos violento e menos assassino começou a captar de uma dimensão paralela do meio externo as partículas ou bolhas microscópicas da consciência cósmica. Esta não é um pano de fundo do mundo material, pois ao contrario, a dimensão material é uma especie de calo desta dimensão. O acumulo destas partículas foi desenvolvendo o feto de consciência. A qual emerge no meio dos instintos animalescos, e dessa fusão surge o pensamento continuo, ou psique.

Mas esta psique primaria ainda é projeção do cérebro primitivo animal pois os genes criam uma arquitetura – o córtex – no mesmo modelo do cérebro inteiro do animal. Então nesta psique meio abstrata esta também projetada os caninos. Se pudéssemos tirar uma foto das pessoas que se comportam como predadores de humanos e animais, veríamos na psique deles a proeminência dos caninos, ou ao menos, o foco onde se dirige e se concentra a energia que move estes instintos.

O fato é que a Humanidade precisa mudar, exorcizar eliminar estes resquícios de caninos da psique, e este é um dos mais importantes objetivos se a humanidade quer melhorar suas condições de existência e ate sobreviver ate alcançar sua transcendência, ou então ser extinta no meio deste caminho evolucionário. E o que podemos fazer de fato a respeito disso, agora?

Temos que de alguma maneira interferir na vida dos predadores. Claro tambem sabemos que existe a outra metade da historia: no cortex existe a metade herdada das presas, dessa massa devoradora da vegetação, inconsequentemente e desenfreadamente auto-reprodutora, reacionária a qualquer mudança evolutiva. Temos tambem que exorcizar isso do cérebro e da psique. Mas como?

Bem, aqui fica o texto para ser repensado e consertado em seus erros e a questão no ar para raciocinar.

As Causas Antes das Origens da Vida, do ID, da Libido,do Ego, e da Consciência

quinta-feira, agosto 28th, 2014

Freud, o pai da psicanalise, foi quem melhor identificou os efeitos de certas fôrças naturais que vem desde o Big Bang entrando na formação e evolução dos sistemas biológicos, ou seja, seres vivos. Descobriu ele que uma criança recém nascida não tem ainda uma psique, e nesse estado ele a chamou de ID. Ela é apenas uma energia, que tem como único objetivo, o prazer, à qual ele chamou de “libido” . Mas os demais indivíduos existentes não podem absorver um individuo assim, então eles impõem limitações à criança. O conjunto destes indivíduos, Freud disse, chama-se “a civilização”. Assim está criado um ponto de tensão entre a energia do prazer e a civilização. Ora, a civilização é mais forte que o individuo, então ele terá que se imiscuir no meio da civilização auto-controlando-se na sua pratica de prazer toda vez que pressentir que haverá contra-reação, punição. Assim o que não tinha psique, cria internamente um conjunto de medições, comparações, balanceamentos, avanços e regressos, etc. , o qual será sua psique, que Freud chamou de “Ego”. O Ego é força centrípeta ou seja, redutora do amplo a um ponto ( um ponto de poder sobre o externo a este ponto para usar o externo ao seu prazer) , e tambem centrifuga, ou seja, parte de um ponto para ampliar-se no espaço ( para conquistar mais prazer). O Ego é sua inteligencia, seu conhecimento, sua opinião, suas preferencias, ou seja, é tudo o que você pensa.

Não sei ou não me lembro quando lia algo de Freud, como ele tratou a questão da consciência, qual o nome que lhe deu. Então o que vou dizer da consciência aqui é minha opinião. Repare que o Ego não possui a propriedade da empatia, ou seja, ele é incapaz de se colocar no lugar do outro e sentir o que o outro sente, pois isso não lhe trás prazer algum. Então a consciência começou a surgir quando sobre o Ego começou a aparecer a empatia. Consciência é aquela energia que não precisa da civilização limitadora, pois ela própria entende a necessidade de limites e se impõe seus limites.

Sabendo-se que a matéria, o Universo inteiro é composto de massa e energia, pergunto: “Porque esta energia que é a criança recém-nascida não é a energia do Universo?” A pergunta não faz muito sentido, parece óbvio que a criança recém nascida é ainda a mesma energia que compõe o Universo. Então, se é assim, pergunto: “O que fez essa energia sedenta de prazer e que tem como único objetivo o prazer, antes das origens da Vida?”

A resposta sensata só pode ser uma: avançou sempre buscando mais e mais prazer.

Mas sabemos que a anergia mais a massa do Universo construíram os chamados sistemas naturais. Primeiro as partículas ( que já são sistemas em si), depois os átomos, as galaxias… Mas sabemos tambem que a energia é o elemento movente, ativo, enquanto a massa é o elemento inerte, passivo. Ora se a energia é o elemento movente, ela sozinha tinha a tendencia que viria a construir sistemas. A energia, sozinha, sem a massa, foi quem inventou a Evolução, a qual nada mais é que sucessivas transformações de um sistema inicial em sistemas cada vez mais complexos ( para obter cada vez mais prazer). Tanto que não existe sistema que não tenha dinâmica interna, um fluxo ou circuito de energia. Partes sem energia as conectando são coisas separadas, não são sistemas.

Porque a energia então construiu sistemas? A resposta só pode ser uma: porque usa os sistemas para obter mais e maior prazer.

Mas sabemos tambem que a tendencia da massa é se eternizar no estado de repouso absoluto. E quanto aos sistemas naturais – segundo a Teoria da Termodinâmica – o objetivo supremo é alcançar o estado de equilíbrio termodinâmico, onde massa e energia cedem 50% cada e recebem 50% cada, numa espécie de contrato social.

Ora, nós descobrimos a fórmula para sistema fechado em si mesmo, o qual é o sistema mais perfeito possível. E depois descobrimos que todos os sistemas naturais tem essa fórmula como template, considerando que a própria fórmula veio evoluindo junto com a evolução do sistema inicial. Mas quando fomos ver como seria a contraparte materializada desta fórmula no seu estado de perfeição ultima, descobrimos que o resultado é exatamente o modelo das galaxias originais. Simples: quando a energia e a massa encontraram o jeito de realizar seu contrato social, quando entraram em equilíbrio termodinâmico que estaria destino a permanecer assim por toda a eternidade, massa e energia estava dentro de uma galaxia, elas se modelaram como uma galaxia.

A forma de sistema fechado em si mesmo é a suprema manifestação do egoísmo – o que imediatamente nos lembra o nome “ego” de Freud. Então a pergunta agora é: “Sabendo-se que a forma de sistema biológico foi criada dentro da galaxia e pela galaxia, ( pois se alguém souber de algum elemento ou força que constitui um ser vivo que tenha vindo de fora da galaxia, traga-o e ganhará o Premio Nobel) , porque um sistema que chegou ao máximo da perfeição e tinha a pretensão de se eternizar nessa forma, criou ou se transformou, num novo sistema?! E ainda mais complexo que ele mesmo? A energia traiu a massa e rompeu o contrato social? Ou vice-versa…

E porque o ego da galaxia reapareceu na forma do sistema chamado “humano”?

Bem… esta pergunta me deixou na selva muitas noites sem dormir, tinha que partir atrás da resposta. O mesmo modelo do building block das galaxias é o meno modelo do building block do DNA – um par lateral de nucleotídeos. Mas antes ainda do DNA, o modelo da face esquerda do building block da galaxia é o mesmo modelo do nucleotídeo solteiro que faz a pilha do RNA. E depois o mesmo modelo emerge em seu resplendor como template, fôrma, do primeiro sistema celular funcional e completo, ou seja, o primeiro de fato ser vivo. Esta constatação indica obviamente que houve novamente a presença do processo da evolução, ou seja, uma continuidade evolutiva entre evolução cosmológica e evolução biológica. E quem gosta da evolução é a energia, não a massa.

Por isso passei a observar inquiridoramente a energia do sol batendo nos átomos inertes da lama dos pântanos na superfície da Terra. Afinal de contas é uma energia que vem de um sistema astronômico sem a qual a Vida não existiria, não daria um passo sequer. Assim cheguei aos fótons, e destes, à “Luz”, para descobrir que, antes das galaxias, antes dos átomos e das partículas, uma onda de luz original emitida por um Big bang já continha em si, a fórmula para sistemas naturais.

Os fótons do Sol, da radiação cósmica e dos que vem do núcleo da Terra, são bits-informação do sistema galáctico original, e como tal, trabalham como genes. A maior diferença com os genes biológicos é apenas uma causa no processo evolutivo: enquanto os genes biológicos são transmitidos do criador para a cria encerrados dentro de um envelope cromossômico, e assim produzem apenas uma forma de sistema, à imagem e semelhança do criador – os genes astronômicos são dispersos livres no tempo e no espaço, e juntam-se aos pedaços, em múltiplas diferentes combinações, o que produz a enorme diversidade de formas das crias.

Ora, estes genes astronômicos estão aqui com o propósito ultimo de reproduzir o sistema celeste de onde vieram. E aquele sistema celeste foi a máxima expressão do… Ego.  O ego da energia somado ao ego da massa que pode ser resumido no Ego Material.

Mas o Ego que reinou um dia dentro do Universo, foi atacado por uma força externa, não se sabe vinda de onde. Uma força que se mede pela entropia e que é o principio da degeneração, que leva à morte dos sistemas. Por isso o sistema perfeito celeste que se auto-prometeu eternidade, de repente caiu, e foi obrigado a produzir mais um novo sistema, o biológico, o qual, tinha que emergir como sistema aberto, para reencetar a evolução. Não houve traição entre eles, não houve quebra do contrato social. O que me parece é que houve uma traição da energia em relação à luz original. Pois nela a fórmula não admite uma interrupção da evolução enquanto… a própria luz não se auto-reproduzir, ou reproduzir quem a emitiu, … na forma de auto-consciência. Daqui veio aquela fôrça da entropia, que acabou com a festa orgíaca nos céus. O Ego humano é tão autentico filho do ego celeste que chega a ter lapsos de memória vendo imagens do passado naquela espécie de paraíso celeste, e devido a estas miragens escreve metáforas como a Queda do Paraíso, Adão ( energia) e Eva ( massa), e etc. Estás entendendo agora o que é essa auto-consciência ainda embrionaria que está gestando em sua cabeça-ovo?

Mil aplausos para o Freud… ele foi realmente genial. E ele me ajudou a montar este quebra-cabeças que é maior que o Universo!