Posts Tagged ‘Quântica’

A realidade da dimensão quântica versus a ilusão da realidade humana, resolvida pela Matrix/DNA

quarta-feira, dezembro 5th, 2018

xxxx

Esta formula resolve muitos mistérios não resolvidos pela Ciência Acadêmica. Vamos ver um exemplo:

A Ciência acadêmica, na sua teoria mais profunda, esta teorizando que a nossa realidade não existe, é pura ilusão. Isto porque o vácuo revela que a ultima instancia da realidade é uma espuma quântica que se torna duas partículas fundamentais que se auto-aniquilam continuamente. Isto significa que a realidade verdadeira, ultima, na base ou alicerce da nossa ilusória realidade, é aquela espuma de energia que não existe, porque a energia que esta na espuma é “emprestada do futuro”. Então o mundo não existe no passado e no presente, o que serve de base para o mundo é o futuro, o qual, todo sabemos, não existe ainda, também.

Os físicos encontraram uma boa analogia para explicar isto: uma conta no banco. Suponha uma conta que agora não tem fundos. O dono da conta emite um cheque, sem fundo. Mas o banco confia no cliente, pois ele sempre pagou seus débitos. Então o banco paga o cheque com um dinheiro que a conta não tem (nem o banco tem, ele pegou o dinheiro de outro cliente que tem saldo médio). Não tem dinheiro no deposito mas dinheiro apareceu. Como o banco espera receber no futuro, diremos que a conta obteve um dinheiro do futuro. De fato no outro dia o cliente vem com dinheiro real e paga o debito, alias, vem com mais dinheiro, e fica com saldo. No dia seguinte o cliente emite outro cheque maior que o saldo e fica com debito. No final do mês ou do ano o banco calcula o balanco médio e conclui que a conta não tem saldo médio, ou seja, o valor da conta é zero.

Assim é a base, o alicerce da nossa realidade: é o zero, nada. Isto é a espuma quântica. Num momento ela se apresenta, e vamos chama-la de conta bancaria. Quando ela foi aberta, o cliente depositou cem dólares. A conta agora tem uma substancia real, que e um dinheiro, os cem dólares. Na nossa espuma quântica os cem dólares representa quando a espuma se tornou uma partícula, positiva, digamos um quark down. Mais dinheiro vai transformar este quark down digamos, num elétron negativo, o qual é o veiculo carregador da energia da nossa realidade. A espuma continua existindo ou se tornou uma partícula? Ora, a espuma na verdade não existe com substancia nenhuma real, como uma conta bancaria com saldo médio zero e algo abstrato, apenas existe nos papeis do banco, mas os papeis mentem, porque os papeis tem substancia zero. Quando o cliente volta e retira os cem dólares, representa que a partícula quark down sumiu, ou melhor, ela voltou a ser a espuma; ficou apenas a conta bancaria que é zero. No outro dia o cliente emite um cheque de cem dólares e o banco cobre o cheque. Agora temos uma conta bancaria com saldo médio negativo, em debito. No mundo quantico isto representa que a espuma novamente se transformou, mas agora numa particula positiva, que e a oposta do eletron, e a chamamos de positron.

Positron é a particula do que Dirac descobriu neste universo, a anti-matéria. Se uma particula eletron, matéria, se tocar numa particula positron, anti-matéria, as duas se aniquilam imediatamente, desaparecem, no seu lugar fica o que parece ser apenas luz, mas na nossa linguagem é a espuma quantica. Ou havia na conta bancaria um saldo de cem dólares e o cliente sacou cem dólares ficando a conta a zero, ou havia um debito de cem dólares e o cliente os pagou, ficando a conta a zero. Ficou a espuma quantica, eletron e positron não existem mais.

Mas… então nos acreditamos que existe a nossa realidade. Nos vemos e tocamos matéria, temos certeza que ela existe. Os fisicos dizem que não, é impossivel, pois a espuma quantica fica eternamente patinando sem sair do lugar. No momento que a espuma quantica existe, só existe ela no mundo, nada mais, nenhuma particula, ela é a substancia do “nada” que preenche o mundo todo. Mas então ela se torna uma particula e esta particula surge com um movimento rotatório, digamos, girando para a esquerda, spin left, e a este movimento convenhamos chamar de “positivo”. Nesse momento a espuma quantica é apenas isso, uma particula. Esta particula enche o Universo, o mundo todo, ela é tudo o que existe, nada mais existe alem dela, e enquanto ela existe nada mais nunca existira, então ela é a substancia do nada agora. Acontece que o movimento de giro vai enfraquecendo, desacelerando sua velocidade, até chegar a zero, e quando chega a zero, a particula positiva deixou de existir, se transformou na espuma quantica novamente. No momento seguinte, a espuma se torna uma particula, agora girando a direita, spin right. A qual vai desacelerar e voltar a desaparecer, ser zero, ser a espuma quantica.

Podemos dizer que o nada existe, mas ele pode existir em três estados diferentes, um de cada vez, estes estados são alternados entre si. A santíssima trindade, ou a manifestação abstrata ou do pai, ou do filho, ou do espirito santo. Em cada momento só pode se expressar um, nunca dois ou os três ao mesmo tempo. Quando um fala, os outros dois não apenas se calam, mas desaparecem da cena. O que fala, sempre esta falando sozinho.

Falando para quem, então? Se é o filho que esta’ falando, ele não esta’ falando para o pai nem para o espirito santo ( a particula positiva não esta’ girando para a assistência da espuma quantica nem para assistência da particula negativa), o filho esta’ falando para nos, para nossa realidade que acreditamos existir, que na verdade, não existe. Não existe, não existimos, mas estamos ouvindo. O mundo material não existe alem da espuma quantica, mas o seu giro seja para a direita ou para a esquerda, ou sua inercia, tem que serem giros e inercia em relação a alguma outra coisa, se não, nem os giros, nem a inercia podem existir. Esta outra coisa, a que assiste um destes três estados, é a nossa realidade material. Que não existe. Como?!

Aqui encontrei uma solução, mas a qual só foi possível depois que consegui a formula da Matrix/DNA.

Os fisicos dizem que a nossa realidade é uma ilusão, não pode existir, ela é o “leftover”, e sem muta certeza sobre a definição desta palavra em inglês, vou traduzi-la para “resto”. Seria o resto que fica de cada um dos três estados quanticos? Mas seria um resto apenas existente no futuro, nunca no passado nem no presente, pois o que existiu no passado foi uma das duas partículas ou a espuma, e o que existe no presente ou é uma das duas particulas ou a espuma. O resto é o dinheiro emprestado pelo banco que cobriu o debito, mas um dinheiro que o banco tambem não tem, o chamado empréstimo a futuro.

No entanto, contrariando o resultado final logico da equação logica dos fisicos, os humanos provam que o resto existe, e existe aqui e agora, como existiu no passado com certeza vai existir no futuro, ao menos no futuro próximo milionésimo de segundo. Os fisicos estão com um serio problema com os humanos. Os humanos são a prova de que algo na sua equação esta’ errado, ou então, que sua equação esta’ incompleta, faltando alguma coisa que eles não conhecem. E os humanos estão com um serio problema com os fisicos, pois os fisicos provam que existe alguma coisa que os humanos não conhecem, a qual, é a realidade real…

Mas a formula sugere uma solução: tanto os fisicos quanto os humanos estão 100% certos. E ao mesmo tempo, ambos estão 100% errados.

O segredo  começa a ser resolvido na função 4 da formula. Ali, o fluxo de informações que corre no circuito esférico ( na realidade e` espiralado, girante como uma particula) chega e se divide em dois fluxos. Um fluxo continua perfazendo a esfera, o outro, como uma emissão de um ramo lateral, ao invés de seguir a direção curva da esfera, adquire a direção de uma reta rumo ao centro da esfera, onde tudo começa e tudo termina. O ramo lateral consiste em metade da energia do fluxo esquerdo, que vinha crescendo depois de ter nascido em F1. Quando o fluxo se divide, outra coisa acontece: se ele tinha nascido em F1 com um potencial de 50% de energia mais 50% de massa, ao subir pelo circuito esquerdo, a sua energia vai crescendo enquanto sua massa vai diminuindo, o que significa que massa esta sendo transformada em energia pela formula E=mc2. No seu estado astronomico da formula, isto significa que o núcleo energético de um astro esta crescendo porque esta “comendo” as camadas de massa da periferia, as placas tectônicas, até quando a energia “come” tudo e o astro se torna uma estrela, supernova. No seu estado de “corpo ou sistema humano” esta fase é a que vai do nascimento de um baby que vai crescendo até a fase que adquire o ultimo aparato para sua reprodução sexual, o que eu poderia chamar de “explode num supernovo adulto”.

No momento que o fluxo se divide, o ramo lateral se dirige ao núcleo que não existe mais, assim como a partícula positiva se dirige a espuma quântica que não existe mais, porem vai existir no momento futuro seguinte, quando a particula se transforma na espuma. Assim o ramo lateral se transforma no núcleo que não existia. Mas ele faz isso porque, enquanto ela estava viajando de F4 para F1, o ramo esférico produzia a massa resultante da estrela, suas cinzas, ou poeira, e direcionou esta poeira justamente para o local onde existia o núcleo. Quando o bólido do fluxo lateral chega junto com a poeira no mesmo ponto, renasce o núcleo. Particula positiva se encontrou com negativa, matéria com antimatéria, as duas se auto-aniquilaram, já não existe mais ramo esférico nem lateral, matéria e anti-matéria se tornaram espuma quantica que parece ondas de luz, ramo esférico e lateral se tornaram o vórtice nuclear.

Então, na verdade, o lançamento do ramo lateral tinha um proposito para o futuro, o de reproduzir o sistema. E isto se chama “perpetuação da especie”. o que acontece na verdade, no fritar dos ovos, é um exemplar processo de reprodução sexual a nível eletromagnético atômico, e a nível mecânico astronômico, e ainda a nível biológico humano.

Os físicos fizeram uma analogia entre a nossa realidade e a conta bancaria para concluírem que a nossa realidade não existe, porque é um empréstimo do futuro para ser pago no futuro. Aqui nos descobrimos que a tanto a nossa realidade quanto a realidade quantica têm um mecanismo chamado de “perpetuação da especie”, o qual é acionado para funcionar agora, mas sabendo-se que não vai receber pagamento agora, pois a perpetuação é um projeto para garantir a existência no futuro, portanto estas realidades estão pagando ao futuro desde já. O futuro mesmo não existia mas ele é criado e garantido pelo pagamento antecipado, pelo mecanismo da perpetuação. Ótimo, essa providencia torna nossa realidade realmente real, não é mais uma ilusão.

A humanidade e uma realidade material, mas ela e o leftover da espuma quantica. Ela não é nenhum dos três estados da santíssima trindade. Ela não é a espuma quantica, não é a particula positiva, nem é a particula negativa. A realidade real, fundamental do mundo é um dos três estados, e a humanidade não é nenhum destes estados, então ela não é a realidade fundamental do mundo. Ela é um empréstimo do futuro. O resto. Ela é um conceito abstrato: perpetuação da especie. Mas observando a formula, nota-se que em nenhum momento ela é “perpetuação de si mesma”: Num momento, ou ela é  o fluxo que sobe pela esquerda (girando para a direita, quark up) ou o fluxo que desce pela esquerda ( girando para a direita, quark down), o qual só existe porque deixou de existir o fluxo da esquerda e o nucleo, ou é o nucleo ( a espuma quantica, que só existe quando não existem nem o fluxo da direita, nem o da esquerda.

E então?

Não esta solucionada a briga entre fisicos e humanos? Existem duas dimensões diferentes e separadas entre si. Uma dimensão é constituída pelos três estados quanticos. A outra dimensão é constituída por matéria, energia mais massa. Separadas porque a dimensão da matéria não é produto da transformação da dimensão quantica, nem a dimensão quântica e produto da transformação da dimensão material. Separadas porque não existem trocas entre as duas dimensões.

Nas duas dimensões existem três estados. Na dimensão material também, ou só existe a energia devorando massa, energia e massa girando para a direita, que significa massa diminuindo, não existe nem o seu contrario, a face direita, onde massa devora energia, a energia e massa gira para a esquerda, nem existe um núcleo.

Nas duas dimensões, cada estado se transforma num estado seguinte. Porem num estado seguinte que só existe na sua dimensão. Não tem como um estado da realidade quântica se tornar um estado da realidade humana, nem vice-versa.

Mas as duas dimensões existem ao mesmo tempo, e a prova e que uma pode ver, assistir a outra, sem poderem se tocarem. Pois os físicos viram, assistem, a dimensão quântica e se esta tivesse olhos, poderia também assistir a existência da realidade humana, sem poder toca-la.

A humanidade existe porque cada individuo se reproduz, assim ela se perpetua, fixando sua existência real. Mas a humanidade em si, se reproduz? Não porque para haver reprodução tem que ter dois elementos, o masculino e o feminino, o positivo e o negativo,  o fluxo crescente ou seu anti, o fluxo decrescente, e nada é conhecido como o anti da humanidade.

A solução do mistério esta no ramo lateral, a função reprodutora, responsável pela perpetuação do sistema.

Mas temos que notar que enquanto existe o momento do ramo lateral, quando ele esta indo de F4 para F1, esta existindo tambem o momento do ramo esférico direito. E que depois os dois se fundem, na forma de nucleo. Vamos então agora a dimensão quantica para ver se isto acontece? Estaria também a realidade quântica sendo perpetuada devido a um mecanismo reprodutivo da perpetuação?!

Recapitulando: num momento existe apenas a espuma quântica, na qual se nota que existe um movimento, uma especie de vibração que nos transmite a aparência de ondas continuas. Seja como for, deste movimento resulta que a espuma se torna diferente, uma partícula com aparência de matéria.

Saindo da espuma quântica e indo para a formula, sentimos que a espuma deve ser o momento de F1, do nucleo, o qual e composto de 50% massa e mais 50% energia, então suspeitamos que neste momento a espuma quantica também seja  composta de dois elementos, desconhecidos ainda. Da espuma emerge uma particula fundamental, enquanto da formula em F1 emerge um corpo, seja um astro, um baby humano, e ou talvez um elétron atômico. F1, o núcleo deixou de existir, então suspeitamos que na dimensão quantica, a espuma deixou de existir. Como a particula emergida da espuma é a totalidade, é nada, da mesma forma que a espuma é o nada da totalidade, diremos que a particula nada mais e que a própria espuma, num estado diferente. Na formula, quando o fluxo chega em F4, supomos que a particula atingiu sua máxima capacidade de giro, sua máxima velocidade. Na formula, o fluxo esquerdo desaparece e se divide em dois fluxos com movimentos diferentes. Na dimensão quantica teorizamos que a partícula spin left volta a ser espuma quantica. Ela não e divide em duas coisas diferentes. Ou talvez… sim.

Na formula, vemos que F4 e F1 ao oposto. F1 exerce a função reprodutora feminina. F4 exerce a função reprodutora masculina. Mas homem e mulher sao dois sexos diferentes, porem, de uma mesma e unica especie, uma mesma forma. a pequena diferença de forma entre homem e mulher se deve ao fato que seu ancestral comum, uma célula hermafrodita, continha os dois, e depois separou-os. Na formula, hermafrodita, os dois eram o mesmo, eram apenas um, em cada momento. Nunca existem os dois ao mesmo tempo. Mesmo assim, a formula se perpetua, se auto-recicla, se reproduz. Mas a formula e abstrata. Quando se torna célula, sua contraparte real, material, os dois se fixam existindo ambos no mesmo momento.

Voltando a dimensão quantica, ela foi a primeira realidade a existir. Lembre-se o que os físicos aprenderam: a nossa realidade e o leftover, o resto. Um produto lateral, subsequente? Apenas abstratamente, pois não existem trocas entre a dimensão quantica e a dimensão material. Uma não pode ser produzida pela outra, e vice-versa.

A formula, quando estava no estado astronômico, antes de seu leftover existir – o estado ou vida biológica – era hermafrodita, porem, os dois opostos não existiam num mesmo momento. Era um corpo sob evolução e depois involução, carregando dentro de si em estado apenas potencial, o masculino e o feminino, mas dentro do corpo, este estado masculino e feminino nunca se fundiam.  Quando o sistema astronômico se tornou ( sem desaparecer) um sistema celular, continuou sendo hermafrodita, porem aqui os dois opostos se fundem.

Então? Na dimensão quantica tambem existe  auto-perpetuação? Existe tal mecanismo? A história, o enredo da nossa dimensão esta sugerindo que não, não precisa existir. Tal como o sistema astronômico não produz em si, a fusão do masculino com o feminino, e o sistema astronômico existia antes da célula, e o sistema astronômico é a espuma de fundo externa a célula,  a dimensão quantica não precisa ter este mecanismo de auto-perpetuação.

Talvez aqui jaz a diferença fundamental que separa as duas realidades.

Mas a dimensão quântica esta perpetuada, ela executa o fluxo esférico. Ela tambem ou é o nucleo, F1, ou a face esquerda (de F1 a F4), ou e a face direita ( de F4 a F7). Como a particula spin right se torna espuma quantica? Como a face direita se torna metade do núcleo? Se a espuma e metade, qual e a outra metade? Ou a espuma e dois em um, o resultado da fusão da spin left com a spin right?

Quando matéria se encontra com antimatéria, as duas desaparecem, resta a luz. A espuma quantica é um campo, o campo da luz?

A nossa realidade, no seu principio, era matéria distribuída de forma caótica, aleatória. Diz a formula da Matrix/DNA que nessa matéria caótica surgiu uma onda de luz trazendo um código, a formula para um sistema natural. Essa fórmula na luz, ou essa formula de luz, organizou parte dessa matéria num sistema, o sistema cresceu, se multiplicou, se diversificou, e aqui estamos nos, como uma forma desse sistema, e o nosso mundo externo, composto de regiões com matéria caótica e regiões com outras formas do sistema.

Vamos supor que essa luz que surgiu na matéria caótica, nada mais, nada menos, seja a luz que surgiu do encontro entre matéria e antimatéria num dado ponto do espaço?

Mas se essa luz era a espuma quantica, então…

Mas a espuma quantica continua compondo a dimensão quantica, ela não emigrou para a nossa realidade material. Sempre pensamos que as duas realidades estão completamente separadas entre si.

Ora, existe uma outra situação onde um elemento, uma força, que existe num sistema, o qual existe num dado momento, e nada mais existe alem dele, se torna a mesma forca existente em outro sistema, que exista no momento seguinte, depois que o sistema anterior desapareceu. De maneira que nunca os dois sistemas existem ao mesmo tempo, o que significa que os dois sistemas são totalmente separados entre si. E’ justamente a força da perpetuação, o ramo lateral F5, na formula. O genoma no corpo humano. O qual nada mais é que DNA. DNA nada mais é que a formula. A formula nada mais é que luz. A luz é suspeita de ter vindo da dimensão quântica sem no entanto ter deixado a dimensão quantica. O genoma humano sai do corpo humano, no momento da reprodução, mas continua no mesmo corpo humano. O genoma deste corpo humano sempre existiu no seu passado, existe no presente, e sempre existira no seu futuro. No entanto teve um momento que ele saiu deste corpo humano, e quando ele saiu, nunca mais voltou a este corpo humano.

O genoma que saiu do corpo humano e nunca mais retornou, foi constituir um leftover daquele corpo humano. O resto. um novo corpo, um novo sistema, um novo estado da realidade humana.

Então chegamos a solução final do mistério todo. A espuma, ou luz, da dimensão quântica, sempre existiu no seu passado, existe no presente, e sempre existira na sua totalidade, no seu futuro. Mas saiu uma parte dela, saiu da dimensão quantica. Não era “parte” dela, porque ela continua na sua totalidade na dimensão quântica. O que saiu foi uma reflexo que reproduziu sua imagem num espelho, e neste espelho, o reflexo se materializou, criou vida própria, uma vida diferente da que conhecia no estado quântico, porque o ambiente do estado quantico não é um espelho.

Nos, humanos, somos aqui a dimensão quantica. A nossa realidade, inclusive nossos corpos, são a substância, a matéria de um espelho. Então os fisicos tem razão: a imagem num espelho não é um objeto real. E’ uma ilusão de ótica, de tato, etc.

Mas… espera ai… não resolvemos inteiramente o mistério. De onde surgiu o espelho? A substancia que compõe o espelho? Certamente não veio da unica realidade que existia, que era o nada, apenas um dos três estados da dimensão quantica. Então de onde veio o espelho?! A matéria caótica que existia em “no principio era o caos”?

Raios!

A minha teoria esta igual a Bíblia e sua religião, um ciclo vicioso, onde a evidencia para a teoria não é um fato, e sim a própria teoria.

Vamos puxar um outro aspecto da teoria.

Ela diz que no principio, nesta região do espaço onde hoje se assenta o universo material, só existia a dark matter. Com o Big Bang, uma onda de lux veio de fora desta região do espaço. Essa onda de luz se propagou no meio da dark matter. Ao passar, a luz gera uma fricção, um atrito com a dark matter. Esta friccao se materializa na forma de energia material. Esta’ criada a energia, tal como a conhecemos.

Ok. Sabemos que o universo material é composto de apenas três elementos elementos: massa, ou dark matter ( ou campo de higgs, ou éter, como queira), e energia, e luz. Sabemos de onde veio a energia e a luz. A luz veio da dimensão quântica, e criou a energia.

Mas e a dark matter?

Insolvível?

Vamos aceitar por ora uma solução provisoria: o Nada é composto por dois elementos: a dimensão quantica e a dark matter. E’ assim hoje, sempre foi assim, até o infinito. E dai? Qual o problema nessa definição do Nada?

  1. ” O problema – respondeu alguém- e que esta faltando Deus nessa definição…”
  2. ” Não necessariamente – respondi eu. Considere que a formula em forma de luz foi o genoma de Deus… que flutua no meio da espuma quântica, é esse genoma que causa aquela vibração e ondulação que os físicos viram.  Então, a espuma quântica é o involucro membranoso espermático que contem o genoma. A dark matter é a placenta no corpo de Deus que envolve a formula que esta na espuma quântica. Agora… noves fora = zero. Tira para um lado, a luz, mais a dimensão quantica, mais a dark matter e do outro lado, sobra zero. Se você quer dar um nome a esse zero, se você quer acreditar que esse zero é algo e tem uma personalidade, magica e toda poderosa, e o nome que você escolhe para esse zero é Deus… para mim não tem problema algum, você é livre para acreditar no que quiser, e talvez sua crença tenha fundamento, o que me importa é que, racionalmente, ninguém pode dizer que esta faltando Deus na minha definição. O zero é nada nesta nossa realidade, neste nosso mundo, você diz que  Deus não e deste mundo, você disse que Deus para este mundo é zero”

Bem… acabamos de dar um belo e exaustivo passeio, por outros mundos, ao menos, mentais. O que eu extraio de todas estas conjecturas é algo que me agrada. Vi aqui que é possível existir a dimensão quantica separada da nossa realidade mesmo que a nossa realidade seja uma ilusão produzida pela dimensão quantica… a qual nada produz fora dela, portanto não poderia ter produzido a nossa realidade. Mas produziu. O paradoxo é resolvido pela formula, quando nos revela o mecanismo do ramo lateral. O mecanismo da perpetuação das especies biológicas e o mesmo mecanismo da perpetuação da nossa realidade. Como uma realidade que não deveria existir, se torna existente de fato, e em paralelo a realidade que sempre existiu de fato.

Agora posso voltar aos debates na Internet e enfrentar esse pessoal que quando o tema se torna complicado, me vem com esse quebra-gelo de que a nossa realidade é uma ilusão, então não adianta discutir nada, estamos debatendo inutilidade, tchau… Sim, a mente humana tem um limite de esforço e resistência, e quando ela chega no seu limite, simplesmente sai correndo, foge do campo real dizendo que esta’ sindo for da ilusão. Agora posso segurar este que foge e lhe explicar que a ilusão tem uma explicação, que não é ilusão. O problema e que para explicar isso teria que copiar e colar este texto todo. E ai o cara não vai ler… nem eu terei saco para voltar aqui e ler tudo outra vez…

Consegui solucionar o mundo, mas não encontrei a solução para resolver o problema da mente do meu companheiro de conversa, assim a solução do mundo fica inútil. Só rindo de mim mesmo. Qua-qua-qua-qua….

( lembrete para a Matrix/DNA: esta tese foi inspirada ao assistir o vídeo…

https://www.youtube.com/watch?v=KFS4oiVDeBI

Suas mãos podem derrubar os mitos quanticos

quinta-feira, junho 21st, 2018

xxxx

Quando os homens conseguiram fabricar mais potentes instrumentos óticos e com eles observar partículas que formam inclusive a matéria dos seus corpos, todas suas crenças arraigadas sofreram fortes abalos, e uma nova área do conhecimento foi batizada de Quântica. Uma das estranhezas observadas chamou-se “emaranhamento quântico”, que a grosso e resumido modo é o seguinte: “as partículas não são imoveis, elas estão sempre girando em torno de si mesmas, como faz o próprio planeta Terra. E elas sempre existem aos pares. Se veres uma partícula girando para a esquerda ( o chamado “spin left”), podes procurar que tem de existir seu par, outra partícula de aparência igual, porem girando `a direita ( spin right). Poderíamos imaginar que estas características do mundo quase infinitamente pequeno se projetam no nosso mundo humano do meio tamanho, entre o micro e o macrocosmo. Então se existe alguém “direitista”, podes procurar que deve existir seu par humano, sua contraparte “esquerdista”, mas isto não foi comprovado ainda. Algo que esta praticamente comprovado é em relacao ao sexo dos humanos, um mistério que ninguém consegue explicar, como e porque, raios, os genes escondidos dentro de um ser humano sabe se esta na hora de fazer um macho ou uma fêmea, pois as populações sempre se apresentam divididas justo na metade, um equilíbrio intrigante.

Observe como as duas particulas giram em sentidos opostos, seja qual for a distancia entre elas. Fonte: http://www.learning2grow.org/2010/11/29/quantum-connections-physics-of-the-impossible-by-michio-kaku/

Mas estas “estranhezas”  que fundem a cuca dos acadêmicos na dimensão quântica se deve não a estranhezas na dimensão, mas sim `a falta de conhecimento real dos acadêmicos sobre a existência deste mundo. Um modelo teórico mais próximo da verdade – como é a cosmovisão sugerida pela Teoria da Matrix/DNA – observa estas particularidades sem surpresas, pois são facilmente explicáveis porque elas são realmente projetadas no nosso mundo, como tinha que ser, naturalmente. Então o mistério do emaranhamento quântico, por exemplo (os acadêmicos dizem que se fixares uma partícula que gira para a direita em New York e levar a sua cara-metade que deve girar para a esquerda, para Londres, as duas ficarão girando do mesmo jeito. Mas se mudarem forçosamente o sentido da rotação da partícula em Nova York, para girar ao contrario, para girar `a esquerda, imediatamente, na velocidade da luz, a partícula em Londres também muda e passa a girar para a direita! Mas como?! Fica todo mundo embasbacado, nada existe comunicando as duas partículas…

Ora, afirmar que nada existe de elo comunicativo entre estas duas partículas é assinar um atestado de burrice e muita arrogância. Porque um fenômeno natural, um fato real, não bate com nossas crenças, ao invés de aprender que nossas crenças estão erradas e precisam serem mudadas, vai-se acreditar o mundo das partículas esta’ separado do nosso meio-mundo e portanto suas leis não se aplicam ao nosso?! Qualquer criança alienígena mais racional vai arregaçar as mangas e procurar o elo ligando as duas partículas, pois ele tem que existir.

Então perguntamos ao oraculo da cosmovisão da Matrix/DNA – que é a sua formula universal para todos os sistemas criados pela natureza – qual é o elo entre as duas partículas. Como nos ainda não entendemos sua forma de comunicar, prestamos atenção nos seus sinais e tentamos interpreta-los baseados na logica que já aprendemos existir nela e a resposta nos satisfez por enquanto:

” Você se lembra que eu – começou ela acenando – lhes mostrei como as suas mãos são minhas melhores representantes mais perto e fácil aos seus olhos?”

Sim, me lembrei que o desenho da mão humana, com sua palma e seus cinco dedos exatamente na mesma sequencia e funções da formula, também são exatamente a forma da unidade fundamental de informação do nosso DNA, porque esta também foi feita pela mesma formula. Quando preciso resolver um problema sobre DNA já é de praxe levar minhas duas mãos uma face-a-face com a outra na frente de meus olhos e me lembrar as posições da guanina, da citosina, das hastes, dos açucares nas hastes, etc. e sobre isso tenho escrito detalhados artigos aqui, na categoria “mãos humanas”.

” Pois bem,… – continua a sinalizar a formula do oraculo – então por favor novamente ponha suas duas mãos `a frente de seus olhos, com as costas das mãos voltadas para ti, e da maneira em que os polegares fiquem um ao lado do outro. Agora lembre-se que na sua mão, (porque ela imita a formula), o circuito ou fluxo de energia do sistema que sai da palma se dirige primeiro ao dedo mindinho e depois vai ao dedo seguinte, imitando exatamente o desenvolver do ciclo vital nos corpos vivos. Então imagine a palma da mão esquerda emitindo novo fluxo e faca seu dedo mindinho girar como na formula no seu aspecto biológico, que é formado apenas por moléculas que giram no sentido horário ( o famoso fenômeno da quiralidade, outro que faz os acadêmicos coçarem suas cabeças porque não sabem ainda explica-lo). Veja sua mão esquerda girando da esquerda para a direita. Agora observe sua mão direita. Imagine sua palma emitindo outro fluxo que vai na direcao do mindinho e com isso sua mão direita vai girar da direita para a esquerda, justamente ao contrario da esquerda. Pois é isto que os cientistas veem com seus instrumentos com uma partícula em Nova York e outra em Londres, quando ficam brincando como crianças mudando o sentido de rotação de uma delas…

” Agora te faço uma pergunta: qual o elo comunicativo entre sua mão esquerda e sua mão direita?”

” Hein?!… glup… parece que ‘e o meu corpo, que esta no meio e ligando as duas mãos…”

” Vivaaaa!!!… Esse e’ o meu garoto… você esta’ ficando esperto! (o oraculo estremece-se todo comemorando). E agora volte-se para imaginar observando as duas partículas dos cientistas. Pergunto: qual o elo comunicativo entre as duas partículas?”

” Não consigo ver… mas posso apostar numa intuição?”

” Sim, por favor, sou toda ouvidos.. e ansiosa pela resposta…”

” Bem,… me lembrando que dos seus modelos teóricos e cálculos que fiz, a primeira manifestação no Universo da formula da Matrix/DNA foi na forma de uma onda especial de luz emitida com o Big Bang ( especial luz porque ela é o resultado final dos sete tipos de radiação eletromagnética dos sistemas naturais e nos só conseguimos captar e enxergar apenas uma das sete faixas dessa onda). Então faço um paralelo entre algo no Big Bang emitindo dois fluxos de luz que se propagam no tempo e no espaço em direções opostas, com as duas palmas das mãos emitindo dois fluxos de energia com sentidos opostos entre si. Agora se vejo que entre minhas duas mãos existe um corpo como elo, então tem que ter havido no Big Bang um corpo elo entre estas duas ondas de luz que hoje ainda e’ o elo entre estas duas partículas… Certo? ou totalmente errado?…”

” Fantástico! Você, humano, vai acabar sendo meu professor, meu oraculo, se continuares assim! Esta’ certa sua resposta!”

” Mas, oraculo, qual era, ou ainda é, o corpo comum existente no Big Bang, que eu não faço a menor ideia do que seja? Sera o Universo o corpo comum `as duas partículas? Mas eu sei que meu corpo é o elo entre minhas duas mãos porque as vejo ligadas ao meu corpo, porem, não vejo como as partículas estão ligadas ao Universo… Ei… espere ai’! Sera a tal onda de luz que serve de pano de fundo para tudo dentro do Universo, que liga as duas partículas?”

” Ha… ha… chegastes ao limite da capacidade de processamento de informações do seu cérebro. Não se preocupe, apenas continue esforçando, exercitando o cérebro nestas questões mais elevadas, que ele se desenvolvera mais. Ate a pouco anos atras, nenhum humano sabia que existe um elo comunicativo entre a produção de metade de humanos machos e metade de humanos fêmeas, o qual é o invisível DNA. Hoje nenhum humano sabe que dentro destas partículas e fora delas existe uma “luz”, a qual leva ao corpo elo. A luz primordial serve apenas de braços entre as partículas e o corpo que deflagrou o Big Bang. Você já intuiu algo dele… um sistema natural, não sobrenatural nem magico, e auto-consciente… que se reproduz me emitindo, a mim, que sou sua carga genética, nesta forma de formula que você desenhou quase completa. Mas também como sabes, ele existia antes e existe ainda alem deste Universo, portanto, terás que chegar primeiro as ultimas fronteiras do universo para poderes lançar um olhar alem e iniciar a teres uma ideia de como esse corpo é…”

Obs.: Na formula da Matrix/DNA copiada abaixo, a função 1 (F1), foi a que construiu a palma da mão. O fluxo de energia/informações é emitido para a esquerda – em relação ao desenho – construindo F2 que nas mãos constrói o dedo mindinho e continua assim por diante na mesma sequencia.

The Universal Formula of MatrixDNA as Software/Closed System

The Universal Formula of MatrixDNA as Software/Closed System

 

Entrelacamento Quantico: Melhor video

quinta-feira, março 8th, 2018

xxxx

https://www.youtube.com/watch?time_continue=422&v=1zD1U1sIPQ4

Teoria da Eletrodinâmica Quântica – Quantum Electrodynamics

sexta-feira, setembro 8th, 2017

xxxx

Alguem disse que a Teoria Eletrodinamica Quantica explica como a luz interage com a matéria. Opa!!! Isto interessa sobremaneira `a cosmovisão da Matrix/DNA. Então uma breve pesquisada sobre o que é essa teoria e como ela descreve isso,… vem a decepção. Para ilustrar vejamos o que diz um de seus autores, Feynman:

Wikipedia – quantum electrodynamics

Within the above framework of Quantum Electrodynamic Theory, physicists were then able to calculate to a high degree of accuracy some of the properties of electrons, such as the anomalous magnetic dipole moment. However, as Feynman points out, it fails totally to explain why particles such as the electron have the masses they do.

“There is no theory that adequately explains these numbers. We use the numbers in all our theories, but we don’t understand them – what they are, or where they come from. I believe that from a fundamental point of view, this is a very interesting and serious problem.”

Resumindo,  alguem descobriu que elétrons absorvem e emitem fótons. Nada mais. Como faz, porque faz, etc., não se sabe. Mas seria importante para tecnologia e conhecimento se ao menos fosse possível prever “quando” isto acontece. Tambem não ha’ observação capaz de ajudar. Então os matemáticos desenvolveram equações dentro do calculo das probabilidades que ao menos permite fazer previsões de quando isto ocorrera’, pelo calculo das probabilidades.

Qual a origem das informacoes que transformaram o universo simples em universo complexo? Pela Perspectiva de um acdemico moderno.

sábado, setembro 2nd, 2017

xxxx

https://www.edge.org/conversation/the-computational-universe

THE COMPUTATIONAL UNIVERSE

Seth Lloyd [10.22.02]

… by the basic laws of quantum mechanics, full of quantum fluctuations are all the time injecting, programming the universe with bits of information.”

(… pelas basicas leis da mecanica quantica, cheia de flutuacoes quanticas, estao todo o tempo injetando, programando o universe com bits de informacao).

Visao de um mundo puramente casuistico. Assim diria um microbio assistindo a evolucao de um feto e estando dentro do ovo. A Matrix/DNA sugere outra resposta, baseada na opiniao de outro microbio assistindo o mesmo processo estando fora do ovo: as informacoes foram fornecidas pelos pais, elas sao expressadas devido aos movimentos (flutuacoes) dos genes.

O fato e’ que ninguem sabe explicar o que sao flutuacoes quanticas e menos o que as produzem, assim como ninguem explica energia,gravidade, apenas sabemos descrever o que as vemos fazer. Entao, o que ha’ de errado com a tese na minha Matrix/DNA Theory comparando flutuacoes quanticas nas origens do sistema universal com movimentos geneticos na origem de um sistema biologico?!

(… hi… hi…hi… Acontece que penso como filosofo sistemico sempre conduzindo minha mente fora de um sistema para analiza-lo melhor, enquanto o metodo reducionista que estes caras sempre praticaram e so’ sabem fazer os mantem sempre dentro do ovo…)

Eis um trecho da tese de Seth Lloyd:

Another feature that everybody notices about the universe is that it’s complex. Why is it complicated? Well nobody knows. It turned out that way. Or if you’re a creationist you say God made it that way. If you take a more Darwinian point of view the dynamics of the universe are such that as the universe evolved in time, complex systems arose out of the natural dynamics of the universe. So why would the universe being capable of computation explain why it’s complex?

There’s a very nice explanation about this, which I think was given back in the ’60s, and actually Marvin, maybe you can enlighten me about when this first happened, because I don’t know the first instance of it. Computers are famous for being able to do complicated things starting from simple programs. You can write a very short computer program which will cause your computer to start spitting out the digits of pi. If you want to make it slightly more complex you can make it stop spitting out those digits at some point so you can use it for something else. There are short programs that generate all sorts of complicated things. That in itself doesn’t constitute an explanation for why the universe itself exhibits all this complexity, but if you combine the fact that you have something that’s dynamically, computationally universal with the fact that you’re constantly having information injected into the universe, — by the basic laws of quantum mechanics, full of quantum fluctuations are all the time injecting, programming the universe with bits of information — then you do have a reasonable explanation, which I’ll close with.

Quantum Biology, Video: A variacao em Biologia e’ produzida pela probabilidade quantica?

sábado, setembro 2nd, 2017

xxxx

Quantum Biology: The Hidden Nature of Nature

Published on Sep 17, 2015

https://www.youtube.com/watch?list=PLNo5MCiPJ6c9T7RcptFQVuoah2ZF5zgff&time_continue=5507&v=ADiql3FG5is

 

Tempo: Experiencias Quanticas Indicam que Nao Existe

domingo, agosto 13th, 2017

xxxx

Mind-Altering Quantum Experiment Shows Time Has Never Existed As We Think It Does

https://deprogramthematrix.wordpress.com/category/matrix/

Posted on

Article Source: Cosmic Scientist

In 2012 US National Medal of Science award winner Yakir Aharonov, who is regarded as one of the world’s leading quantum theorists published a paper in Nature Physics showing that the present is constrained by the past and the future. This means that what happens in the present can depend on what happened in the future, which makes no sense, as quantum physics rarely does. It also means that what happened in the past can effect the present. Seems strange, doesn’t it?  It’s definitely something hard to wrap your head around.

“We choose to examine a phenomenon which is impossible, absolutely impossible, to explain in any classical way, and which has in it the heart of quantum mechanics. In reality, it contains the only mystery.” Richard Feynman, a Nobel laureate of the twentieth century (Radin, Dean. Entangled Minds: Extrasensory Experiences In A Quantum Reality. New York, Paraview Pocket Books, 2006)

This isn’t the first time quantum physicists have studied the structure of time. Below are details of an experiment, the same one mentioned in the paper cited above.

Delayed Choice/Quantum Eraser/Time

There is another groundbreaking, weird experiment that also has tremendous implications for understanding the nature of our reality, more specifically, the nature of what we call “time.”

It’s known as the “delayed-choice” experiment, or “quantum eraser,” and it can be considered a modified version of the double slit experiment.

To understand the delayed choice experiment, you have to understand the quantum double slit experiment.

In this experiment, tiny bits of matter (photons, electrons, or any atomic-sized object) are shot towards a screen that has two slits in it. On the other side of the screen, a high tech video camera records where each photon lands. When scientists close one slit, the camera will show us an expected pattern, as seen in the video below. But when both slits are opened, an “interference pattern” emerges – they begin to act like waves. This doesn’t mean that atomic objects are observed as a wave (even though it recently has been observed as a wave), they just act that way. It means that each photon individually goes through both slits at the same time and interferes with itself, but it also goes through one slit, and it goes through the other. Furthermore, it goes through neither of them. The single piece of matter becomes a “wave” of potentials, expressing itself in the form of multiple possibilities, and this is why we get the interference pattern.

How can a single piece of matter exist and express itself in multiple states, without any physical properties, until it is “measured” or “observed?” Furthermore, how does it choose which path, out of multiple possibilities, it will take?

Then, when an “observer” decides to measure and look at which slit the piece of matter goes through, the “wave” of potential paths collapses into one single path. The particle goes from becoming, again, a “wave” of potentials into one particle taking a single route. It’s as if the particle knows it’s being watched. The observer has some sort of effect on the behavior of the particle.

You can view a visual demonstration/explanation of the double slit experiment here.

This quantum uncertainty is defined as the ability, “according to the quantum mechanic laws that govern subatomic affairs, of a particle like an electron to exist in a murky state of possibility — to be anywhere, everywhere or nowhere at all — until clicked into substantiality by a laboratory detector or an eyeball.” (New York Times)

According to physicist Andrew Truscott, lead researcher from a study published by the Australian National University, the experiment suggests that “reality does not exist unless we are looking at it.” It suggests that we are living in a holographic-type of universe. (source)

Delayed Choice/Quantum Eraser/Time

So, how is all of this information relevant to the concept of time? Just as the double slit experiment illustrates how factors associated with consciousness collapse the quantum wave function (a piece of matter existing in multiple potential states) into a single piece of matter with defined physical properties (no longer a wave, all those potential states collapsed into one), the delayed choice experiment illustrates how what happens in the present can change what happens(ed) in the past. It also shows how time can go backwards, how cause and effect can be reversed, and how the future caused the past.

Like the quantum double slit experiment, the delayed choice/quantum eraser has been demonstrated and repeated time and time again. For example, Physicists at The Australian National University (ANU) have conducted John Wheeler’s delayed-choice thought experiment, the findings were recently published in the journal Nature Physics. (source)

In 2007 (Science 315, 966, 2007), scientists in France shot photons into an apparatus and showed that their actions could retroactively change something which had already happened.

“If we attempt to attribute an objective meaning to the quantum state of a single system, curious paradoxes appear: quantum effects mimic not only instantaneous action-at-a-distance, but also, as seen here, influence of future actions on past events, even after these events have been irrevocably recorded.” – Asher Peres, pioneer in quantum information theory (source)(source)(source)

The list literally goes on and on, and was first brought to the forefront by John Wheeler, in 1978, which is why I am going to end this article with his explanation of the delayed choice experiment. He believed that this experiment was best explained on a cosmic scale.

Cosmic Scale Explanation

He asks us to imagine a star emitting a photon billions of years ago, heading in the direction of planet Earth. In between, there is a galaxy. As a result of what’s known as “gravitational lensing,” the light will have to bend around the galaxy in order to reach Earth, so it has to take one of two paths, go left or go right. Billions of years later, if one decides to set up an apparatus to “catch” the photon, the resulting pattern would be (as explained above in the double slit experiment) an interference pattern. This demonstrates that the photon took one way, and it took the other way.

One could also choose to “peek” at the incoming photon, setting up a telescope on each side of the galaxy to determine which side the photon took to reach Earth. The very act of measuring or “watching” which way the photon comes in means it can only come in from one side. The pattern will no longer be an interference pattern representing multiple possiblities, but a single clump pattern showing “one” way.

What does this mean? It means how we choose to measure “now” affects what direction the photon took billions of years ago. Our choice in the present moment affected what had already happened in the past….

This makes absolutely no sense, which is a common phenomenon when it comes to quantum physics. Regardless of our ability make sense of it, it’s real.

This experiment also suggests that quantum entanglement (which has also been verified, read more about that here) exists regardless of time. Meaning two bits of matter can actually be entangled, again, in time.

Time as we measure it and know it, doesn’t really exist.

Article Source: Cosmic Scientist

E’ o espaço cheio de espuma quântica? Ver sugestão da Matrix/DNA

segunda-feira, agosto 7th, 2017

xxxx

Is Space Full of Quantum Foam?

I think that Physics and Math arrives to the last limits of the mechanic organization of matter, when trying to see the deepest into space. Also, their scientific tools are limited to at least three slices from the seven slices of light ( our brain’s sensors are limited to one slice, the visible light and percepted vibrational state). Physics and Math deals only with bone-skeleton and its mechanics, in a living body. Can not reach the soft meat and its more complex organization of matter. Where is, at the reign of fundamental particles, the principles that will express the biological organization? What if the space is fulled with a kind of membrane and its properties? Like something from outside this universal space can cross it and another things can not ( like long light waves)? Is it not the time for Biologists, Neurologists, being called fot to study this problem, for participating in a Theory of Everything? Skeletons are produced by living soft meat, inserted into genetics. What if galaxies are also in this way? At Matrix/DNA Theory we are discovering that this galaxy has a soft coberture of biological properties. What if beyond the limits of galaxies – after a kind of membrane – is there life? For sure, Physics and Math alone, plus our limited scientific instruments, never will grasp the foundations of this universe’s existence.

Materialismo darwinista x Biologia Quantica – Video

sábado, agosto 5th, 2017

xxxx

Ver:

https://www.youtube.com/watch?v=LHdD2Am1g5Y

Efeitos da Quântica Interferem na Biologia? Vídeo.

sábado, agosto 5th, 2017

xxxx

Ver video:

https://www.youtube.com/watch?v=wwgQVZju1ZM