Posts com Tags ‘Química’

Tabela Periódica: Os Atomos Foram Criados Pelas Estrelas Sob as Leis do Ciclo Vital – Uma Descoberta na Selva Amazonica!

terça-feira, junho | 4 | 2013

Tabela Periódica dos Elementos Químicos

O mesmo mecanismo que fêz seu corpo mudar da forma de bebê para criança e depois para adulto fêz também o átomo mudar da forma de magnésio para a forma do alumínio e depois para silício… O mecanismo chama-se Ciclo Vital. Se você não ver isso na Tabela Periódica dos Elementos Químicos você nunca vai compreender os maravilhosos mistérios ocultos nela. E se você realmente ama seus descendentes e as nossas próximas gerações, quer deixar para eles uma vida mais digna e melhor que a que tivemos, você procurara uma maneira de fazer o que não posso fazer, tentar tornar isso conhecido por todos que lidam com Ciências e Tecnologia, porque a tecnologia de hoje esta fugindo dos objetivos humanos porque a tecnologia se tornou fria porque ela apenas tem detectado mecanismos e processos nos níveis estáticos sem vida da Natureza, e esta exuberância de Vida que descubro agora por trás da Tabela Periódica tendera a retornar a Ciência para o controle humano e assim produzir uma tecnologia viva realmente adaptada para a melhoria da vida humana.

Mas o que é Ciclo Vital e como ele apareceu no Universo? Ciclo Vital é o fenômeno que um corpo material apresenta ao transformar-se em novas formas por si próprio, obedecendo sempre a sequencia do nascimento, crescimento, maturação, degeneração e morte. Os ciclos Vitais são os produtos manifestados materialmente pela ação das ondas de LUZ naturais que foram ou continuam sendo emitidas pelo evento do Big Bang e subjazem toda a matéria do Universo como um infinito oceano movente com marés  que vão e vem. As ondas de LUZ se ampliam no espaço/tempo transformando suas intensidades de vibrações, apresentando sete principais diferentes tipos de vibrações, e ao penetrarem a matéria ou suportarem-na, transmitem estas vibrações a matéria fazendo-as se transformarem nas formas dos ciclos vitais. E todos os produtos, os efeitos, destes corpos materiais, como consequência de estarem sob as regras dos ciclos vitais, os quais estão sob as regras das ondas de luz, apresentam finalmente a mesma vibração que o corpo tinha quando os produziu, e esta especifica vibração é que lhes dão as suas especificas formas e funções neste mundo. Uma criança tem forma e comportamentos diferentes de um adulto, porque são diferentes períodos do ciclo vital, diferentes intensidades de energia e suas vibrações. E por isso também um átomo de carbono tem diferente estrutura e funções das que tem um átomo de oxigênio, eles foram criados em tempos diferentes das vidas das estrelas. Eu juro que vou provar esta teoria mesmo que seja duzentos anos depois de morto, pelas mãos de algum estudante mais dedicado e curioso que estará rebuscando na Internet todas as publicações relacionadas aos elementos químicos, porque não vejo outra alternativa mais logica que essa para explicar porque a Natureza fez as coisas como estão ai a nossa frente hoje.

Esta foi uma importante descoberta  Mas como e porque a formação dos átomos, que não parecem sistemas vivos, foi dirigida pelo ciclo vital?!

Todo mundo se lembra daquela tabela da qual tanto o professor falou e explicou. Mas até ontem ninguém havia percebido um detalhe fundamental que estava oculto naquela tabela como uma mensagem da Natureza querendo se fazer conhecer para que a Humanidade aprenda o que ela é, aprendendo assim  como viver em sintonia com ela, como acompanha-la em seu ritmo de Evolução  e viver com sabedoria.

Em 1869, um químico russo, Dimitri Mendeleiev, um cara que parecia ter uma antena na cabeça sempre ligada a captar os sinais do mundo, descobriu  que existe um padrão de propriedades dos átomos ( por isso eu, na selva amazônica, botei uma antena de TV na cabeça e saí andando pela selva para ver se captava alguns dêsses sinais e assim descobri o fantasma-software da Matriz/DNA). Para explicar o que Mendeleiev descobriu vamos tentar uma analogia:

Imagine que extraterrestres de um planeta distante consigam ver vultos  na Terra (os quais seriam nós, os humanos), sem enxerga-los muito bem. Assim ficam sabendo que existem tais vultos, da mesma maneira que sabemos existirem os átomos na matéria sem poder vê-los. Tentando entender como são e o que são tais vultos os ets. observam nossos movimentos, calculam com aparelhos de raio-X  nossos pêsos, volume, etc., como o turco da loja tenta enxergar quanto dinheiro você tem no bolso.  Nessa altura sabem que existem vultos com comportamentos específicos diferentes dos demais (chineses andam de bicicleta enquanto índios do Amazonas andam de Cadillac… oh… quer dizer, europeus se movem em automóveis, e o Louis Morelli na selva querendo ser rápido e o primeiro a descobrir as coisas anda nas costas de sua velha amiga tartaruga, a Anastácia, etc.). Japoneses brigam praticando judô, Americanos brigam praticando boxe, baianos brigam com acapoeira e Louis na selva briga com onças dando mordidas no rabo delas. Cada um se sai como pode, cada qual tem um comportamento diferente. Mas como os ets. não conseguem ver mais que vultos, não descobriram ainda que alguns humanos são brancos, outros prêtos, outros amarelos. Pior ainda quando chegarem na Arábia com aquelas mulheres de véu e roupas tampando tudo… Serão brancas? Amarelas? Côr de rosa? Até no outro dia aconteceu um caso engraçado. Os ets. conseguiram emitir uma radiação que cria pequemos tornados aqui e com isso um rodamoinho levantou a saia de uma muçulmana uns dez centímetros e viram algo azul (eram  os sapatos), pensaram que ela tôda fôsse azul e  assim catalogaram a espécie dos azuís. O relatório deles está todo errado, mas vamos lá…

Assim estavam os químicos na época de Mendeleiev em relação aos átomos. As medidas de pêso, volume, já tinham dado algo como a chamada massa atômica, e assim foram separando átomos iguais, dizendo: “Êsse átomo tem massa atômica 1,vai se chamar Hidrogênio, êste outro tem massa 7, vai se chamar spaghetti, ou melhor, Lítio… e por aí afora catalogaram os cêrca de 60 tipos de átomos diferentes conhecidos na época.

MasMendeleiev era curioso demais, sua antena estava sempre vibrando, êle queria ser o primeiro a descobrir mais segrêdos dos átomos. Êle agia como um et. mais curioso chamado Tipomov que lá do seu planeta tentava produzir um vento que destelhasse uma casa e êle pudesse ver como os vultos se comportam dentro das casas ( Hoje êle já conseguiu isso e agora está tentando remover cobertores de camas para ver como humanos se comportam debaixo de “las cubiertas, quando o cara diz assim: que bonito ojos tienes… cuidado!)

Mas os químicos humanos também são assim, tentando penetrar nas cavernas atômicas para ver como as partículas se comportam.

Foi então que Mendeleiev descobriu uma coisa interessantíssima, muito curiosa mesmo. É como se os ets. – observando o comportamento das trocas economicas entre dois americanos - decidissem chamar êsse comportamento de “capitalista”; observando dois chineses viram que tinham outra maneira de fazer suas trocas e chamaram a isso de “comunistas”. Os árabes produziam um tipo de vibração mental se ajoelhando, abanando os braços, enquanto dois brasileiros produziam a mesma vibração em pé e fazendo sinais da cruz com as mãos. Chamaram os dois primeiros de muçulmanos e os outros dois de católicos ( a coincidência de porem nomes iguais aos que pusemos é explicada racionalmente porque muçulmanos tem cara de muçulmanos, ora essa!). Assim, sem poderem adivinhar o que iam descobrir mais tarde, estavam a caminho de descobrir que os vultos na Terra se dividem em mais ou menos sete ou oito raças diferentes, desde esquimós a botucudos africanos.

Mas aí, quando pegaram mais grupos para estudar, foram notando que os novos grupos repetiam a mesma característica de algums dos grupos já observados. Sempre quando apontavam o telescópio para o sul do planeta viam argentinos comendo tortillas, apontando para leste viam vietnamitas comendo grilo assado e formigas no espêto. Ora isso os fêz perceber que as diferenças eram como um ciclo localizado, estavam quase descobrindo a divisão entre continentes, nações e até mesmo entre raças.

Pois Mendeleiev tentava fazer uma tabela com os elementos químicos para facilitar a vida dos pesquisadores e têve a idéia óbvia de por os átomos em filas horizontais começando pelos de menor massa atômica e seguir assim, suscessivamente. Mas numa bela madrugada, lutando com sua tabela, êle notou que o lítio, de massa 7,  tinha as mesmas propriedades que o sódio, de massa 23.  E depois os dois – lítio e sódio - tinham as mesmas propriedades, os mesmos comportamentos, como o ponto de ebulição (quer dizer, quanta pinga um átomo toma para ficar bebado com a mente voando nas nuvens ), o ponto de fusão ( quer dizer, qual o comprimento da mini-saia que uma átomo feminina  usa para conseguir se fundir com um átomo masculino), que o átomo de potássio, K 39!  Assim êle estava como os ets., perto de descobrir que a Humanidade é dividida em raças de amarelos, prêtos, brancos, e os azuís com roupas tampando tudo.

Mas a seguir Mendeleiev parece que se engasgou, caiu da cadeira a tossir e acordou seu cão, Petrobovisky, que acorreu a vir acudir o dono. Mendeleiev disse para Petrobovisky não se preocupar, êle não estava engasgado, acontece que êle acabara de fazer uma nova grande descoberta científica! É o seguinte:

Êle notou que entre o Lítio, n.7, e o Sódio, n.23, haviam apenas sete outros elementos na linha horizontal. Tinha o berilio, n.9, o boro, n.11, depois vinha aquêle gordinho sorridente e sociável que fazia amizade com todo mundo e por isso ajuntou átomos para criar a Vida, que é o Carbono, n.12. E depois o nitrogênio, n. 16, e por fim, o flúor, n.19.  Quando chegava no flúor, o próximo numero, 23, do sódio, não tinha propriedades iguais a nenhum dos seis anteriores. Até aí tudo bem, êle já sabia que os elementos tem propriedades diferentes uns dos outros. Mas quando chegou no sódio…

O sódio tinha as mesmas propriedades do lítio. Tudo igual! Mas não era o mesmo átomo, pois êste tinha massa atômica n.7, e o sódio, 23. Como pode?!

Mas a surprêsa não parou aí. Quando êle foi por o próximo número na tabela, que era o magnésio, 24, notou que êste tinha as mesmíssimas propriedades do… de quem? Do berilio, aquêle safado (na minha escola tinha um tal de Berilo que cantou minha namorada!). Mas justamente o berilio era o segundo da fila. Mendeleiev correu a pegar o próximo, que era o Alumínio, n. 27, e deu uma espiada em suas propriedades. Aí quando viu o que viu, Mendeleiev não aguentou mais e deu uma mordida no rabo de Petrobovisky,como sempre fazia quando descobria uma grande descoberta. O alumínio tinha as mesmíssimas propriedades do… boro, justamente o seguinte do berilio. E assim foi acontecendo com os novos que ía pondo na tabela: silício, fósforo, enxôfre… todos repetiam propriedades dos outros na mesma sequência…

Era como se os ets., que já tinham observado que um vulto localizado na região que chamamos Alemanha anda de automóvel igual a outro vulto na região da Inglaterra tambem anda de automóvel e ia pondo alemães e ingleses no mesmo caminhão, enquanto em outro caminhão ía pondo chineses de bicicleta com coreanos de bicicleta e assim… iam cada vez chegando na descoberta que num caminhão tem a raça dos brancos de olhos verdes, no outro tem os amarelos de olhos apertados, etc.

A grande descoberta de Mendeleiev foi a de que entre os átomos existe um padrão: as propriedades químicas dos átomos, ou elementos quimicos, se repetem… periódicamente. A cada seis diferentes numeros atômicos, termina as diferenças entre eles e os próximos repetem tudo dos anteriores. Está entendendo agora de onde vem o nome “Tabela Periódica”? É como os dias da semana, você sabe que depois da segunda-feira vem a terça-feira porque vai repetir a sequência da semana passada… ( isso por enquanto, pois do jeito que o planeta está ficando maluco, doidão, ninguem sabe se êle não vai começar a trocar as bolas, pondo a sexta-feira depois do domingo… o que seria muito bom pois aí já chegaria o s’sabado e assim trabalhariamos só um dia por semana… iac!).

Mas a química parou aí, desde 1869 até hoje, parece que não surgiu nenhum outro Mendeleiev com antena e um cão chamado Petrobovisky para continuar a ter o rabo mordido tôda vez que nôvo segrêdo é desvelado. Pois essa descoberta nos leva a uma outra grande pergunta:

- “Porque a Natureza criou os átomos desta maneira, nesta sequência periódica?!”

Foi preciso nascer um fã do Mendeleiev na selva amazônica, tão deslumbrado com o gênio do cara que tentou imitá-lo pondo uma antena de TV na cabeça,  e como não tem cachorro na selva, adotou a tartaruga Anastácia. Mas Louis é um Mendeleiev frustrado por que nunca conseguiu dar uma mordida no seu bicho de estimação como fazia Mendeleiev; quando êle vai morder o que está fora da casca de Anastácia, que é a sua cabeça… ela recolhe a cabeça para dentro!

A verdade é que Louis se fêz essa grande pergunta e saiu antena vibrando mata afora procurando a resposta. Êle andou prá burro, não achou nada e quando voltou para a cabana, a resposta estava em cima da sua mesa. Era o mapa como desenho da Matriz/DNA, no seu aspecto de sistema fechado em si mesmo.

Enquanto andava na selva Louis pensava: ” Se o átomo de numero 23 era igual ao de número sete, porque Mendeleiev não pôs o mesmo nome nos dois, assim como nós fazemos quando o dia 7 passado foi chamado de segunda-feira e hoje, dia 15, tambem tem o mesmo nome de segunda-feira? Afinal, a diferença entre duas segundas-feira ( ou é duas “segunda-feiras, ou ainda, segundas-feiras?) está apenas no numero do dia no mês, assim como a diferença entre lítio e sódio deveria estar apenas no numero da massa na tabela. Êpa!… Êpa! Espera aí… – disse Louis para a árvore mais próxima – acho que estou tendo mais uma daquelas sagradas intuições que sempre acabam com uma nova descoberta e comigo tentando morder a Anastácia… A antena vibrou mais forte.

- ” Os dias da semana se repetem periódicamente devido a um ciclo repetitivo mecânico de um astro girando em torno de outro ou sôbre si mesmo. A cada sete dias a coisa se repete como numa máquina a engrenagem repete a mesma operação anterior no eterno vai-e-vem.  Por isso, a posição do astro no primeiro giro depois de sete periodos de 24 horas vai ser exatamente igual à posição do astro no giro anterior. No ciclo periódico mecânico não existe diferenciação de comportamentos em cada ponto da esteira em movimento. Quando então é que existe a mesma repetição periódica, porem, onde em cada ponto do avançar do tempo é mudado as propriedades de um corpo rolando ao sabor da História?  Quando o corpo está sob as leis de um ciclo vital! A Natureza que criou os átomos é Vida, e não uma máquina! O filho repete todos os diferentes comportamentos do pai, quando fôr bebê, criança ou adulto! Repetição Periódica!  Acabei de fazer mais uma grande descoberta! Cadê a Anastácia?…”

Todos os sistemas naturais são feitos com um unico corpo sujeito a um ciclo vital que o faz mudar de forma, e portanto de comportamentos, em seis a sete momentos principais de sua existência. Bebês se tornam crianças, estas se tornam adolescentes, êstes se tornam adultos, que se comportam muito diferente dos bebês.

Os primeiros átomos, os mais leves, gasosos, foram criados nas nebulosas de partículas que constituiam êste Universo a 13 bilhões de anos atrás. Êstes atomos foram agrupados pelo resfriamento do Universo e formaram particulas sólidas, destas formaram astros como as estrêlas. Nestas ocorrem um mundo de reações criativas e assim foram sendo criados os outros átomos mais pesados. Mas acontece que estrêlas são a forma luminosa de adultos maduros do Cosmos, penduradas nos ramos das galáxias como as laranjas amarelas são as frutas maduras penduradas nos galhos das árvores que imitam a mesma forma das galáxias porque as arvores são filhas das galáxias, e as estrêlas vieram da forma dos pulsares que são os adultos-jovens do Cosmos como as laranjas maduras vieram das laranjas verdes. Por seu lado os pulsares vieram da forma dos planetas, que são os adolescentes do Cosmos. Ora quando uma estrêla começa suas reações nucleares criadoras de novos átomos, elas começam de dentro para fora, a partir do nucleo central, onde estão as informações dela quando era uma lua-baby, depois parte para a a camada aureolar seguinte, onde estão as informações dela quando era planeta, mas aqui cria um novo grupo de átomos, com propriedades diferentes dos anteriores. Sacou? Por favor, não vá agora sair no quintal buscando seu cachorro para lhe dar uma mordida no rabo, após esta grande descoberta!

Cada nova descoberta sôbre o átomo nos levou a produzir novas  tecnologias. Algumas não muito boas, como a bomba atômica. Agora deixemos mais essa para os quimicos descobrirem como o conhecimento de que átomos são criados obedecendo a sucessão cronológica de um ciclo vital, pode ser utilizado na prática. Eu estou muito esperançoso que vai ser algo realmente bom para nós porque estamos descobrindo vida onde nem sequer imaginávamos existir e tôda tecnologia que emprega as propriedades da vida é mais adequada à nossa natureza humana.

No próximo artigo, nos encontraremos aqui com mais as novas espetaculares descobertas que estamos fazendo a cada dia graças à fórmula da Matriz/DNA. Solón…good-bye…abraços…

A Evolução Quimica, desde o Estado Físico Mecânico ao Estado de Matéria Orgânica – Matrix/DNA Theory

terça-feira, dezembro | 4 | 2012

Tudo começou quando atomos terrestres começaram a se combinarem de uma nova maneira nunca antes experimentada pela matéria que compunha êste planeta.

( ÁTOMO – Definição pela Wikipedia -

Basicamente, o átomo abriga em seu núcleo partículas elementares de carga elétrica positiva (prótons) e neutra (nêutrons), este núcleo atômico é rodeado por uma nuvem de elétronsem movimento contínuo (eletrosfera). A maioria dos elementos não são inertes, por isso, quando dois átomos se aproximam, há uma interação de natureza eletromagnética entre asnuvens eletrônicas e os núcleos dos respectivos átomos. As nuvens eletrônicas se rearranjam em torno dos núcleos de forma a minimizar a energia potencial do sistema formado pela união dos mesmos, e uma ligação química estabelece-se. Os átomos se ligam e formam agregados que podem ou não constituir moléculas dependendo da natureza da ligação química estabelecida. Quando há compartilhamento entre os núcleos de alguns de seus elétrons e estes elétrons permanecem em regiões espaciais bem definidas no espaço (nos orbitais) de forma a envolverem apenas os dois átomos em questão, tem-se uma ligação molecular. Quando há o confisco de elétrons de um átomo pelo outro, formam-se íons e tem-se uma ligação iônica. Na ligação metálica, elétrons são compartilhados, mas, ao contrário da ligação molecular, isto não se dá de forma localizada entre dois átomos vizinhos. Uma única nuvem de elétrons, com elétrons doados por todos os átomos, distribui-se sobre todos os átomos simultaneamente e de forma bem delocalizada (o que confere as características de maleabilidade e ductibilidade aos metais).

A natureza de suas moléculas determina as propriedades químicas das substâncias moleculares. Estas dependem da natureza dos átomos que integram suas moléculas, da natureza e da intensidade da ligação estabelecida, orientação espacial destes, e também da interrelação entre moléculas, que pode dar-se mediante vários mecanismos distintos, a saber por polarização induzida, por ligações por ponte de hidrogênio, e outros.)

Combinação entre dois ou mais átomos forma um composto que denominamos “uma molécula“.

( MOLÉCULA – Def. pela Wikipedia –

Um antigo conceito diz que uma molécula é a menor parte de uma substância que mantém suas características de composição e propriedades químicas, entretanto tem-se conhecimento atualmente que as propriedades químicas de umasubstância não são determinadas por uma molécula isolada, mas por um conjunto mínimo destas.

Muitas substâncias familiares são feitas de moléculas (por exemplo açúcar, água, e a maioria dos gases) enquanto muitas outras substâncias igualmente familiares não são moleculares em sua estrutura (por exemplo sais, metais, e os gases nobres)…

ESTA DEFINIÇÃO EM PORTUGUÊS FAZ COM QUE O ESTUDANTE LEIGO NADA ENTENDA DE NADA. PARECE QIE O AUTOR NADA ENTENDE DO ASSUNTO E ESTÁ COPIANDO E COLANDO AO LÉU SEM PENSAR NO QUE O LEITOR ESTÁ LENDO. É MELHOR ENFRENTAR AS DIFICULDADES ENTRE IDIOMAS E IR DIRETO AO TEXTO EM INGLÊS. ÊSTE COMPORTAMENTO DE NÃO RESPEITAR O PRÓXIMO, NÃO SE CONCENTRAR EM AJUDAR O PRÓXIMO, É PRÓPRIO DA CULTURA LATINA?

Origens da Vida: Importante Descoberta na Busca da Solução Dêste Mistério

quinta-feira, fevereiro | 2 | 2012

Fontes:
1 – Ciência Diária

Cientistas recriam processo químico para a origem da vida

http://cienciadiaria.com.br/2012/01/25/cientistas-recriam-processo-quimico-importante-para-a-origem-da-vida/

2 – Mail Online

British scientists recreate the molecules that gave birth to life itself

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2092494/Life-sweet-New-clue-chemical-origins-sugar-molecules-DNA-recreated-scientists.html

xxx

Origens do DNA na Sôpa Primordial

xxx

- “Há uma porção de perguntas fundamentais sôbre as origens da Vida e muitas pessoas dirigem estas perguntas à Biologia. Mas para a Vida emergir da matéria inanimada, tem que ter um momento – o tempo que a matéria sem vida consumiu para se organizar numa arquitetura viva. E tudo até êste ponto é Quimica, não é Biologia.” – disse Paul Clarke, da Universidade de York e líder da equipe que realizou uma notável façanha: recriou um processo que poderia ser o que ocorreu no mundo antes da existência dos seres vivos.

Os cientistas descobriram que as moléculas mais simples nos corpos dos seres vivos, os aminoácidos, tem a capacidade de catalizar (acelerar) reações químicas formando outras moléculas tambem simples mas muito importantes: lembre-se da figura do DNA, aquelas moléculas grandes que ficam nas hastes e parecem trapézios, formando os nucleotideos, denominadas ribose e desoxiribose, ou ainda simplesmente açucares. Aqui nêste artigo dão-lhes o nome de “treose” e “eritrose” ( é absurda a falta de atividade e de respeito, de consideração, para com os estudantes e o publico em geral dos responsáveis pelo departamento de educação no Brasil, principlamente dos responsáveis pelos textos do curriculum escolar. Uma unica molécula tem mil nomes e cada escritor ou comunicador usa o que lhe apetece, tudo colaborando para tornar a aprendizagem e assimilação demasiado confusa. Porque uma molécula não pode ter um nome só e obrigatório fora da restrita área dos profissionais de Biologia?!)

Diz o Artigo: Todas as moléculas biológicas têm uma capacidade de existir em duas formas de estrutura, canhota ou destra – como um objeto (forma destra) e seu reflexo no espelho (canhota). Todos os açúcares em biologia são construídos como moléculas na forma destra e também todos os aminoácidos que compõem os peptídeos e as proteínas são compostos em forma canhota. Os pesquisadores descobriram que o uso de simples aminoácidos canhotos para catalisar (acelerar) a formação de açúcares, resultou, predominantemente, na produção da forma destra de açúcares. Isso pode explicar como os carbohidratos originaram-se e o porquê da forma destra ser dominante na natureza.

E Paul Clarke explica: “Estamos tentando compreender as origens químicas da vida. Uma das questões interessantes é de onde vêm os hidratos de carbono, porque eles são os blocos de construção de DNA e RNA. O que conseguimos é o primeiro passo nesse caminho para mostrar como açúcares simples –treose e eritrose – se originam. Geramos esses açúcares de um conjunto muito simples de materiais que a maioria dos cientistas acredita terem estado em todo lugar no momento em que a vida começou.”

xxx

Análise pela Matrix/DNA:

Êste assunto interessa a nós filósofos naturalistas, pois a origem da vida é tema relacionado ao sentido da vida, o qual é um dos nossos objetos de investigação. Nós nos informamos sôbre o que o método cientifico reducionista obtem de dados e tentamos conectar os dados como quem monta quebra-cabeças para ver no final o quadro geral. Um dêsses quadros obtidos e que é o tema dêste website, denomina-se “Teoria da Matrix/DNA Universal”. Os modêlos teóricos sugerem visão e abordagem diferentes dos fenômenos naturais, desconhecidas pelos cientistas, e no tocante a esta descoberta, temos que recordar alguns postulados gerais da teoria. Mas é surpreendente a explicação que ela sugere para as origens dos carbohidratos.

A Matrix seria o DNA, o código universal, de todos os sistemas naturais, de átomos a galáxias, a seres vivos. O DNA biológico seria apenas uma das formas da Matrix, derivado da forma astronomica, a qual foi o ancestral direto. Segundo esta teoria, o carbono foi o átomo escolhido como base dos sistemas biológicos porque é o unico átomo dos existentes na Terra que contem a forma da Matrix quando ela era o DNA dos sistemas astronomicos, das galáxias.

Como o átomo de carbono é o representante do “DNA” astronomico? Êle é o unico átomo com numero atômico seis. Ou seja, possue seis protons e considerando-se que cada particula num átomo executa uma função especifica sistêmica universal, as seis funções que haviam e eram expressadas no circuito sistêmico da Matrix astronomica são expressadas no carbono. Se um átomo tem numero atômico cinco, por exemplo, êle peca por deficiência, e se tem mais de seis, peca por exagêro. A Matrix astronomica na verdade apresenta sete funções, mas a função numero 5 é intermitente, ela só aparece e entra em atividade na reciclagem/reprodução do sistema. Ora, a Matrix na forma de building blocks dos sistemas astronomicos é a unica situação no Universo onde aparece um sistema fechado em si mesmo. Portanto o átomo de carbono veio representar o tipo de sistema fechado. Mas no Cosmos, no espaço sideral, o sistema fechado se recicla e não se relaciona com nada do mundo exterior. No ambiente terrestre as condições ambientais e os diferentes materiais impedem essa reciclagem, por isso a Função n.5 não existe no carbono e nem no átomo com numero atômico sete, em nenhum átomo. Cada partícula a mais que as seis necessárias e suficientes é uma duplicata das seis originais e reforça a expressão da função que ela executa. Se o carbono se replicasse tambem aqui, e suas cópias ficassem ligadas entre si, teríamos combinações atômicas apenas de carbonos numa longa fileira como um rosário onde as contas fôssem tôdas iguais.

Mas ao invés de se manter como sistema fechado e se replicar o carbono se torna na Terra o átomo mais social, mais amigável, mais versátil e maleável, pois êle se torna o centro de grupos de átomos combinados, os mais diversos. Porque? Quando o building block das galaxias foi formado, só haviam os estados gasoso e sólido da matéria. Mas a constituição de astros passando por regiões congeladas e depois aquecidas criou o estado liquido e principalmente a água. A teoria sugere que o aparecimento do estado líquido, principalmente da água, fêz com que a Matrix fechada no céu se abrisse na Terra. Mas como a água faz isso? A teoria explica, mas para tanto é preciso observar o software da Matrix enquanto sistema fechado astronomico.

xxx

Matrix no estado evolutivo de software de sistema fechado

xxx

A água é formada por dois átomos de hidrogênio (H) e um átomo de Oxigênio (O). O H é numero atomico 1 porque tem duas particulas, um proton e um eletron, enquanto o “O” tem numero atômico 8, com oito partículas de cada. Isto significa que o H é um átomo incompleto como Matrix, tem apenas duas funções da Matrix, e como seu circuito termina na F 2, êste átomo exerce no mundo ao redor, esta função. Oberve na figura a F.2.

Agora saiba que um detalhe muito importante da Matrix é sua divisão em duas metades, pelo meridiano formado pela F. 5. Mas o fator mais importante que a divide conceitualmente em duas metades é a transformação dos estados da energia/massa que flue como fluxo de informação no circuito esférico sistêmico: a partir de F.1 e até F. 4 a massa/energia estão em estado crescente, e a partir de F. 4 até F. 7 a massa/energia decresce, degenera. A entropia ataca o sistema entrando pela F. 4 a qual é o divisor superior e como a massa/energia de F.7 é que “morre” e vai constituir F.1, significa que F.1 é o divisor inferior. Assim a Matrix é como a face humana, com duas partes simétricas na forma (porque a face humana é modelada sôbre a fórmula da Matrix). Diremos que a Matrix tambem tem sua face esquerda e face direita.

Ora, na água, o H é um pedaço da face esquerda enquanto o “O” ao possuir duas particulas a mais que as seis da Matrix, deve representar um pedaço maior da face direita devido que as funções 6 e 7 são duplicadas. O átomo de carbono é o representante fiel na Terra do aspecto de sistema fechado, o que significa que deveria estar em equilibrio termodinamico. Êle tenderia a não se relacionar, a não fazer combinações com nenhum átomo, porem sua defesa se limita aos átomos formando sólidos e gasosos. Êle não veio da Matrix conhecendo o estado liquido e êste pode invadi-lo para compartilhar seus eletrons de ultima camada. Mas ao se ligar uma molécula de água a um átomo de carbono acontece o que acontece nos nucleos dos átomos: sabemos que prótons não se ligam, repelem-se entre si, mas assim mesmo se ligam nos nucleos atômicos porque entre cada dois protons entra uma particula denominada neutron que funciona como cola entre os dois. Então a molécula de água forma o carbohidrato, ou seja algo como “carbono molhado”, e ela faz o papel de neutron, forçando o carbono a ser ligado com outros átomos.

Mas, fisicamente, como isso acontece? A molécula de água contem dois H, dois representantes da face esquerda, e um O, um representante da face direita. O que significa adesões de mais faces ao carbono?

Vamos recorrer a uma analogia e imaginar o carbono como sendo uma tábua de uma gangorra. Por ser sistema fechado deve estar em equilibrio termodinamico, e isto significaria que na gangorra a tábua está parada em equilibrio. Então se aproxima a água. Dois átomos de H se sentam na ponta esquerda da tábua, somando, diremos, 2 quilos. No centro da tábua – e não na ponta direita, se senta um Oxigênio ( no centro porque o Oxigênio tem os seis protons formando a Matrix completa que se sobrepõe à sua imagem dentro do carbono). Mas O é maior que C e tem a face direita dominante, então sobram-lhe duas partes que por ser da face direita, se deitam na tabua à direita. Assim a tábua fica com dois quilos à direita e dois quilos à esquerda.

Ora, novamente se estabeleceu um segundo equilibrio. Êste conjunto chamado carbohidrato vai continuar com a tendencia de sistema fechado do carbono central, assim a Natureza não pode avançar na evolução no sentido de construir a primeira arquitetura viva que tem de ser um sistema aberto. Ficará a evolução patinando aqui sem sair do lugar?

Existe um detalhe importantítssimo que estamos esquecendo. É o sentido do fluxo da energia/massa no circuito da Matrix. Na face esquerda a energia nasce no divisor inferior e corre para cima na direção do divisor superior. Em qualquer ponto que o circuito for separado do total, na ponta do pedaço separado a energia tende a crescer e para cima. Na face direita é o contrario, e qualquer ponta de um pedaço, ou mesmo da meia-face inteira, a energia tende a degenerar e para baixo.

Voltemos agora à gangorra. Na parte esquerda da tábua o que ali se assenta tem força para mover a gangorra para cima e na parte direita o ali assentado tem força para a mover para baixo. Talvez até mesmo os dois juntos constituam uma segunda face completa se os dois meios circuitos de encontram nas duas duas pontas. Isto significa que as duas forças não são exercidas ao mesmo tempo, pois na Matrix o fluxo ora está avançando pela esquerda, ora pela direita, nunca ao mesmo tempo. Se fôssem exercidas ao mesmo tempo, a intensidade de dois quilos de uma anularia a de dois quilos da outra e o sistema ficaria parado em equilibrio. Mas assim, intermitentes, significa que a gangorra está balançando.

E para que “balançar”um átomo de carbono? Para que tanto trabalho a Natureza dispendeu em criar a água, apenas para vir balançar o carbono?!

Se tudo na Natureza fôsse estático, se não houvesse movimento na matéria, não existiria evolução, ou seja, agregação de novas informações á ultima arquitetura mais evoluida. Em outras palavras diriamos que não haveria aumento da complexidade. Se colocar-mos bananas, maçãs, morangos, no copo do liquidificador e ficar-mos esperando, as frutas nunca vão se misturar e se tornar o delicioso suco cremoso. É preciso imprimir energia ao liquidificador, o qual mexe as frutas e as mistura. Da mistura emerge um novo produto, mais complexo que todos os seus três ingredientes. A Natureza faz isso quando constrói os rodamoinhos no centro das nebulosas de poeira de estrêlas mortas. O rodamoinho é o copo do liquidificador ligado, misturando massa com energia e produzindo como novo produto, sementes de estrêlas.

E segundo a teoria da Matrix a Natureza fêz isso tambem quando colocou a Lua no céu da Terra, para imprimir movimento às águas dos oceanos, com a maré indo e voltando, batendo nas costas dos continentes, misturando elementos do continente com elementos do oceano para produzir um novo produto, a célula viva. Ela tem que chacoalhar os estáticos, os acomodados e que se recusam a se moverem. Por isso a Natureza mais uma vez repetiu seu método ao chacoalhar, balançar o carbono: para obter novas misturas. O carbono é a tábua, os dois H sentados à esquerda, o grande O sentado no centro mas estendido com a cabeça à direita, e assim temos a gangorra da Vida.

Paul Clarke diz que “… estamos tentando compreender as origens químicas da vida. Uma das questões interessantes é de onde vêm os hidratos de carbono, porque eles são os blocos de construção de DNA e RNA.” Assim como êle descobriu que a Natureza é capaz de executar um processo que até então era desconhecido, e que tal processo, se foi realmente aplicado pela Natureza a 4 bilhões de anos atrás na superficie da Terra, vem trazer uma grande explicação a um dos mistérios nas origens da Vida, os modêlos da Matrix/DNA descobriu um processso que se foi aplicado pela Natureza seria o gatilho disparador da evolução em todos os tempos e lugares. Tal processo, lógico e possivel porque explica todas as origens, de galaxias a células vivas, forneceria a Paul Clarke a resposta que êle está buscando: de onde veio, e como veio, e para que veio, o carbohidrato.

Porque os aminoácidos – sempre canhotos, esquerdistas – produzem sempre uma molécula direitista?!

Para entender-mos primeiro o que são moléculas canhotas e destras é preciso relembrar uma matéria do colegial: quiralidade. Para começar apresentamos uma figura:

xxx

Mãos e Aminoácidos em Pares Quirais com Imagens Não Sobreponíveis

xxx

Definição da Wikipedia:

Quiral, que conduz ao termo quiralidade, é um termo usado em Química, para definir objetos não sobreponíveis à sua própria imagem no espelho. ( Mas se queres te informar sôbre quiralidade é melhor ver no idioma inglês, mesmo que tenha de usar um tradutor, pois é mil vêzes mais completo e elucidativo). Alí se lê: “Human hands are perhaps the most universally recognized example of chirality: The left hand is a non-superposable mirror image of the right hand; no matter how the two hands are oriented, it is impossible for all the major features of both hands to coincide. This difference in symmetry becomes obvious if someone attempts to shake the right hand of a person using his left hand, or if a left-handed glove is placed on a right hand. The term chirality is derived from the Greek word for hand, χειρ (cheir).”

Eu sei que o assunto da quiralidade é para os profissionais em Quimica e não para leigos como nós. Só para se ter uma idéia dessa complexidade veja o mapa abaixo ( e o nosso espanto é maior se clicar-mos duas vêzes na imagem para ler os detalhes).

xxx

Quralidade em sua Complexidade

xxx

Mas a Matrix/DNA é uma visão de conjuntos resultantes das associações dos detalhes onde os detalhes não precisam serem mencionados para descrever os conjuntos. Porque moléculas canhotas de aminoacidos produzem a molécula central no tijolo fundamental do código genético e sempre como molécula destra, normal?

Observe o software da Matrix como sistema fechado. Aminoacidos, assim como as proteinas que eles formam, são compostos de átomos que surgiram quando a Matrix tentava se recompor na Terra. Cada aminoacido é um pedaço, um trecho, do circuito total da Matrix. Ora, na Matrix o sentido do fluxo de informação, ou seja, da massa/energia, e ainda do aspecto onda/particula, é sempre o sentido horário. Se o fluxo estiver em F.3 com certeza êle vai para F.4 e não para F.2. E assim por diante. Isto significa que em qualquer lugar que se cortar o circuito, a energia que escapa pela ponta cortada tende a ir da esquerda para a direita. E isto significa que o pedaço é esquerdista, ou seja, em suas veias corre o sangue de carater esquerdista.

Mas existem dois pontos no circuito que fogem a essa regra. São F.1 e F. 4. Alem de esquerdistas são tambem centristas. Porque dirigem seus petardos um na direção do outro e os dois ocupam posições de centro, tanto na base como no topo. F.4 envia seu espermatozóide para F.1, o qual envia para F.4, um bebê (é sempre bom lembrar que a Matrix é a fórmula universal em que se modelam todos os fenômenos naturais, por isso ela pode ser interpretada de tôdas as maneiras).

Mas são justamente F.1 e F.4 que se assentam como os acúcares nos nucleotideos. Ora, eles não são esquerdistas nem direitistas, possuem todas as tendencias de maneira que no final da soma se tornam neutros. Pois neutros são todos os objetos reais, em termos de quiralidade. Tanto que na Wikipedia diz: “The term chiral in general is used to describe an object that is not superposable on its mirror image.” A imagem no espelho não é o objeto, êste sim, em si, e por si, sem espelhos e sua imagens, não é chiral, não é nada, é neutro.

As moléculas canhotas são trechos do circuito da Matrix em busca dos outros trechos faltantes para recompor a Matrix. Quando elas se juntam, juntam-se os bits informação que cada uma conseguiu sôbre o que lhes falta. E o que falta a elas são as duas funções centrais. Por isso aminoacidos produzem carbohidratos, como descobriu na pratica, Paul Clarke.

xxx

Nota: Êste tema continuará sob pesquisa e desenvolvimento, falta ler os outros artigos publicados como o MailOnline e tentar conseguir o paper no jornal de bioquimica. Tambem estamos estudando assuntos da treose, eritrose, carbohidratos, etc.

A Morte Explicando Como a Origem da Vida não foi a versão da Ciência Acadêmica

sexta-feira, setembro | 23 | 2011

Artigo baseado em:
http://www.biology-online.org/biology-forum/post-134634.html#p134634 (Vide abaixo o texto)

A Morte Tem a Resposta para como foi a Origem da Vida

Se não podemos voltar atrás, a 3,5 bilhões de anos, para ver como a Vida começou, podemos ver aqui e agora quando ela termina, ou seja, assistindo a morte de um ser vivo, e saber como ela não começou apenas pelas fôrças físicas do mundo pré-biótico e nem com a contribuição das propriedades químicas na abiogênese.

Nos ultimos momentos antes da morte todas as moléculas bioquimicas do corpo ainda estão intactas e funcionando. No justo momento da morte elas ainda estão lá, mas no momento que os mecanismos regulatórios do organismo cessam, as moléculas começam a se desintegrarem.

Em outras palavras, as leis naturais da Física, da Quimica e da Termo-Dinâmica continuam operando mas sem a diretriz reguladora que foi agora removida, e o resultado é degeneração, desintegração, rumo às suas menores partes constituintes.

Portanto, o curso natural que as leis naturais seguem, é o de destruir as moléculas bioquimicas. Mais exatamente, é o de eliminar os vínculos entre os átomos que os organizam bioquimicamente. Desde que êste é o caso comprovado, como podem aquelas mesmas leis naturais guiarem a construção de vida celular, e quanto mais, o organismo inteiro ?!

Elas tem que serem dirigidas e forçadas a seguirem um diferente caminho para serem bem suscedidas na geração da vida. E o agente desta nova direção tem que ser o mesmo que mantem o organismo regulado e vivo. Ou seja: as leis naturais da organização vital já existiam antes da origem da vida. Claro!

Conclusão: seja lá o que for a vida, ela certamente não é parte constituinte da Física ou da Quimica.
Esta é a razão porque a visão naturalista da origem da vida sem algo como a fórmula da Matrix/DNA, sem a visão sistêmica e diferentes modêlos atômicos e astronômicos, é cientificamente ininteligivel. E portanto, a Teoria do RNA-World, tal como está elaborada, é equivocada e/ou incompleta.

Os cientistas da NASA compreenderam isto muito bem, quando emitiram um reporte estabelecendo que ” não existe plausível hipótese de rotas para formação de moléculas bioquímicas complexas, nem quimicamente nem termodinamicamente.”

A NASA emitiu êste reporte a contra-gôsto, foi forçada a isso pela quantidade de evidências. Se existe uma organização necessitada de dar uma explicação natural para a origem da vida esta é justamente a NASA. Lutando contra a escassez de fundos, se êles provassem que as leis naturais conhecidas, apenas por si só, podem dar inicio ao processo e desenvolvimento da vida, que resolveram o mistério da abiogênesis, e como êles estão envolvidos nesta pesquisa principalmente em astrobiologia, receberiam todos os fundos que necessitam. Mas seus administradores e cientistas foram obrigados a se curvarem perante o óbvio.

xxxxxxxxxxxx
Comentário postado por Matrix/DNA sob o artigo:

Jack, thanks by the existence of this blog, very helpful,

The RNA-World Theory became a scientific joke also. No? For instance, comments about this, please:

See the discussion between Craig Venter, Church and Shapiro, in this video

http://www.edge.org/documents/life/life_index.html

And haw do you refute this argument, for instance?

Theories – Origin of Life

http://www.biology-online.org/biology-forum/about14351-204.html

At the moment just prior to death all the biochemical molecules in the dog are still functioning and intact.
At the very moment of death they are still there, however as you rightly point out the regulatory mechanisms cease and the molecules begin to disintegrate.

In other words, the natural laws of physics, chemistry and thermodynamics continue operating but without the guiding regulation that has now been removed, and the result is degeneration, down to their constituent parts.

Therefore the natural course that natural laws take, breakdown biochemical molecules.
Since that is the case how can those same laws naturally guide the building of cellular life let alone the whole organisms
They have to be guided down the different regulated pathways if they are to succeed.
So whatever life is, it is certainly not a constituent part of physics or chemistry.

That is why a naturalist view of the origin of life is scientifically untenable.

That is also why NASA has been forced to draw the conclusion it has.

If any organisation needed a natural explanation to life’s origin it is they. Just think of all the funding they would receive if they could. There is every incentive for them to prove that they have conquered the problem of Abiogenesis, and if they were able to then I will let you speculate on the news headlines!!

xxxx

And you said: “… if you truly believe you’re onto something, make the most of it and stick to the proper method of conducting science.”

There is no climate for the proper method of conducting science as the supreme goals of the founding fathers, in the Illuminist Movement: science for the search of knowledge about the meaning of existence (against the meaning sold by the church). There is no funding for such enterprise.

First of all, we should go back to Oparin and Stanley/Urey experiment. Why those amino acids do not realize the next step in the lab, becoming proteins and RNA? What is missing in the Urey ingredients? What are determining, in this primordial soup, that life is only left-handed?

Second: We need to fall under the logic that the first complete biological system appeared in a given state of the world. If we bet that there are no supernatural causes, and we are not seeing links between the state of the world and biological systems, we need to understand that our theoretical models of the world are not right (mainly our cosmological models).

I am trying to return to the goals of the founding fathers. The result today is the Matrix/DNA Theory models. It is a suggestion of what is missing in the Urey ingredients. I am making the most of it and sticking to the proper method of conducting naturalism. I am sure nobody has proved facts for debunking the models. But, the deviation of scientific method is too big that the brains today are hard-wired for to escape from a different viewpoint and a return to the thru naturalism.

Ciências: Dica para os jovens detectarem seus talentos, descobrir algo original e ser o primeiro, para seu sucesso.

quarta-feira, setembro | 7 | 2011

A matéria do Universo tende a fica eternamente inerte num equilibrio termo-dinâmico, no entanto, no meio dessa matéria existe uma fôrça que não tem permitido ao Universo se estagnar na paz eterna. Essa fôrça misteriosa que talvez tenha sido descoberta agora como sendo uma fórmula e que pode ser comunicada como um tipo de diagrama de software, denominada Matrix/DNA, obriga a matéria se mover, se organizar em sistemas, sempre transformando-os no sentido de torna-los cada vez mais complexos, ao qual denominamos “evolução”. Para a mente humana ( que parece ter também um corpo projetado por êste próprio software e seria sua forma mais evoluida), conhecer a fórmula é como o bebê recem-nascido que começa a descobrir o próprio corpo e o mundo externo, e as possibilidades do que pode seu corpo fazer no mundo: uma fonte inesgotável de novas possibilidades jamais imaginadas.

O Prêmio Nobel de Química, Akira Suzuki, responde a uma pergunta de VEJA (Nobel da Química hoje se beneficia do remédio que criou – 07/09/2011 – 08:04 – Ciência – http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/hipertenso-nobel-da-quimica-se-beneficia-da-propria-descoberta-que-lhe-valeu-o-premio)

Veja: Qual conselho o senhor dá para que jovens tenham uma carreira de sucesso?

Suzuki: “Quando jovens, ficamos na dúvida sobre qual caminho seguir. Isso é completamente normal. É importante aprender então com as pessoas mais experientes sobre as opções que existem. Acima de tudo, a decisão final precisa ser sua, não dos seus pais. Quando os pais forçam a carreira dos filhos, os resultados podem ser desastrosos. Depois que tiverem escolhido o caminho a ser seguido, utilizem todas as forças para conduzir o trabalho com criatividade e originalidade. Não imitem outras pessoas, é importante que descubram sua própria maneira de fazer o mundo. Herbert Brown, Nobel da química e meu professor, sempre me dizia para produzir conhecimento original, algo digno de ser publicado em livros didáticos.”

Suzuki tem um bom conselho, mas na realidade, penso que os jovens modernos estão com o problema da saturação no mercado de trabalho e alta competitividade que era muito menor nos anos 70 de Suzuki, , alem de que o sistema capitalista objetivando o lucro não financía e até mesmo impede que apliquemos as idéias e intuições que mais apreciamos. Uma dica surge na própria entrevista de Suzuki:

Veja: Por que o senhor escolheu a química como profissão?
Suzuki: “Quando jovem, queria ser matemático. Mas dois livros me fizeram escolher o caminho da química orgânica: Química Orgânica, da Universidade de Harvard, e Hydroboration, escrito por Herbert Brown, com quem estudei posteriormente. A química orgânica é praticamente o oposto da matemática, não tem nada de exata. Contudo, gosto muito de observar a criação das moléculas, como na natureza: as plantas pegam o gás carbônico e água e transformam em açúcar, energia. Poder entender, replicar e manipular esses processos em benefício da humanidade é edificante.”

Mas pensando bem, Suzuki não fêz algo “original”. Em 1979, aos 49 anos, ele publicou na revista Synthetic Communications o estudo em que descrevia a complicada reação química que lhe garantiria o prêmio Nobel três décadas depois. O procedimento facilitou a criação de remédios contra a hipertensão, câncer e defensivos agrícolas. Ora, êle simplesmente fêz o que todos os cientistas com raras exceções tem feito desde as origens da alquimia: aplicar o método reducionista de ver, identificar, separar, isolar, observar e descrever anatomia e comportamento de corpos isolados de seus sistemas.

Existe todo um novo mundo com uma vasta área a ser explorada, que é a abordagem sôbre os sistemas naturais,ou seja, o re-agrupamento de todas estas partes isoladas em suas conexões com outras partes formando sub-sistemas que interagem com o mundo externo por estarem dentro de outros sistemas maiores nesta infindável hierarquia de sistemas cujo final será como o abrir-se uma janela no Universo para descobrir o que existe alem. Portanto, o mundo está ainda praticamente virgem para as Ciências humanas conduzir a mente humana a descobrir-se e ao mundo. Eu queria ser jovem agora quando descubro que o futuro do Universo aos jovens pertence.

Porque? O que é a fórmula da Matrix/DNA? Um bebê recem-nascido quando abre os olhos pela primeira vez provavelmente vai ver os corpos de outras pessoas antes de ver o seu próprio. Quando foi a primeira vez que vimos nosso próprio bumbum refletido num espêlho? Curiosidade, não? Pois ver o diagrama da fórmula da Matrix/DNA pela primeira vez desenhada na tela do computador é a mente vendo pela primeira vez um corpo semelhante ao seu, o qual ela ainda nem formou totalmente e nunca viu porque ainda não abriu seus olhos próprios para ver as coisas abstratas ou holográficas da sua dimensão existencial. E ver a fórmula é ver a alma, o circuito de energia e conexões de todos os sistemas formados na matéria dêste Universo. Por isso ela se abre como uma fonte de inspiração e intuição para os jovens iniciarem agora os primeiros passos da nova super-ciência. O caminho está aberto e borbulhante com oportunidades.

Suzuki diz que “A natureza realiza a criação das moléculas: as plantas pegam o gás carbônico e água e transformam em açúcar, energia. Poder entender, replicar e manipular esses processos em benefício da humanidade é edificante.”

Mas mais interessante e edificante seria iniciar com as questões da nossa curiosidade natural que o método reducionista da velha Ciência nunca se faz: Porque a Natureza faz isso? Para que? Qual era o estado evolutivo do mundo quando a Natureza começou a fazer isso, para onde vai, como é utilizada o açúcar e essa energia pela evolução, qual o resultado final de todo esse movimento da matéria, que sistemas estas substâncias compõem, para que servem? Iniciando com estas questões em mente, nossa abordagem e trabalho irá por um caminho diferente daquele praticado por Suzuki, que consisitiu em “observar, descrever, replicar e manipular”. Pois agora não vamos apenas ter partes, peças isoladas nas mãos, mas sim, identificar todas as outras partes relacionadas a cada peça, identifcar os sistemas inteiros, replicar ou manipular sistemas. Mas o mais importante: dirigir nossa manipulação de maneira sintonizada com o Universo e suas leis naturais, e agilizar a evolução atuando para transformar os estados de caos em estados de ordem e corrigir os estados de ordem que se fixaram imperfeitos. O que fazemos hoje com nossa medicina e engenharia genética aplicadas ao nosso corpo carnal, vamos iniciar a fazer aplicando a medicina e engenharia genética ao corpo da mente humana e ao corpo do Universo. Está tudo aberto lá fora, para ojovem arregaçar as mangas e entrar numa fantástica aventura. E cada jovem irá por um caminho original.

The Matrix/DNA as Formula for Astronomic, Cell, Mind and DNA System

É possivel que a primeira visualização da fórmula, tal como ela está apresentada na tela do computador, não desperte a mente dos jovens ainda para o que ela realmente significa. Isto porque ainda não tive tempo de incluir os textos descritivos da fórmula e das milhões de informações que estão encobertas nas entrelinhas do circuíto do sistema. É como o bebê vendo os corpos da mãe e do pai vestidos, sem nada receber de explicação do que são os corpos, como funcionam. Não foram incluídos ainda porque não tive tempo desde que estou sendo obrigado a trabalhar até 14 horas por dia e nos sete dias da semana devido a atual crise financeira, e ainda devido a problemas técnicos muito fáceis de resolver por especialistas em computação, como o de que não tenho conhecimento sufificente para rapidamente incluir no computador os softwares certos para atuar no website. Portanto, torçam por mim que na primeira oportunidade faço êste trabalho e não os deixarei na mão. Por enquanto, observem a fórmula, pensem nela, tentem ir descobrindo nas entrelinhas as valiosas informações que ali se ocultam, e verào a imensa gama de oportunidades do que se tem para fazer ainda. Tateando a fórmula como o bebê que ainda não abre os olhos vai tateando o próprio corpo e tentando se entender.

The Matrix/DNA as Formula for Astronomic, Cell and DNA Systems


U.S.A: Copyright Washington n. 000998487/2001-02-20 | Brasil: Reg. Dir. Autorais - Brasília n. 106.158/11-12-1995 | Louis Charles Morelli