Posts Tagged ‘respiração’

Corpo Humano: Quadro Animado da Respiração

sábado, outubro 25th, 2014

xxxxxxx

Registrado para pesquisa:

https://plus.google.com/u/0/explore/scienceeveryday

http://tabletopwhale.com/

Porque os seres vivos foram feitos “respiradores”?! Ou,… porque os seres vivos “se fizeram” respiradores?! Parecem uma bomba funcionando, até mesmo enquanto estão inertes, dormindo! A respiração deve ser algo de tremenda importância para que um composto de matéria tenha vida, pois bastam uns poucos minutos sem respirar e o corpo morre! Se tem tanta importância para nós, precisamos conhecer bem esse negócio. Tentei encontrar respostas nas Ciências, mas não encontrei. Isto porque a Ciência descreve o que vê, mas não menciona de onde vem o fenômeno, e qual o significado existencial do fenômeno.

Porque a cada segundo um sistema natural denominado “corpo humano” realiza um ciclo em que absorve do ar muitos átomos de oxigênio e emite todos aqueles átomos de oxigênio acompanhados por átomos de carbono que estavam dentro do corpo?! É como se cada átomo de oxigênio que entra na inalação, vai dentro do corpo, agarra um átomo de carbono e carrega-o para fora. Porque os átomos de carbono do meu corpo tem que serem expulsos a cada minuto?!

Tenho encontrado as explicações do porque e os significados existenciais de cada fenômeno da natureza sempre quando consulto os mapas, a fórmula da Matrix/DNA. E aqui, mais uma vez ela não me deixou na mão, vindo mais uma vez com uma resposta surpreendente, que nunca fora imaginada antes. No final, resumindo, é o seguinte: partes do seu corpo morrem a cada minuto, e a cada minuto renascem. Isto no seu nível atômico. Seu corpo, no nível dos seus átomos, parece-se com uma galaxia. Formada de bilhões de sistemas estelares. E assim como no céu, a cada momento morre um sistema estelar e nasce outro, assim no seu corpo morre uma aglomerado de átomos e são substituídos por outros vindos pelo ar! Na respiração.

O corpo humano é um sistema natural que tem uma vida de, digamos, 80 anos. Este sistema é composto de sistemas celulares, cada célula tem uma vida de alguns dias. Os sistemas celulares são compostos de sistemas atômicos, que tem uma vida de algumas horas. Os sistemas atômicos são compostos de sistemas-partículas, as quais tem uma vida de 17 bilionésimos de segundos. Então durante uma vida de um corpo humano, surgem e desaparecem milhões de gerações de células,  surgem e desaparecem bilhões de gerações de átomos, trilhões de gerações de partículas. Nós morremos apenas uma vez, mas assistimos quatrilhões de mortes ocorrendo dentro do nosso corpo. Se não morremos em 17 bilionésimos de segundo como as partículas que são os tijolinhos básicos do nosso corpo, morrem, é graças à hierarquia dos sistemas. E isto se descobre apenas observando e se perguntando o que é a… respiração.

Vamos tentar conhecer este fenômeno da respiração levantando tudo o que a Ciência descobriu, mas antes, vamos dar uma olhada na fórmula da Matrix/DNA para explicar detalhadamente o que ela disse acima.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

O desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Bem,… aí está a formula universal para todos os sistemas naturais e o meu, o seu corpo, é um sistema natural. De chofre, já vemos que a fórmula tem uma “bomba”, que é F1. Em seguida procuramos se este sistema respira, mas não vemos onde e como. É compreensível pois esta figura retrata apenas a fórmula no seu estado de sistema fechado em si mesmo, e não no outro estado, que é o aberto a trocas com o mundo exterior. No sistema fechado nada entra ou sai, portanto, não respira. Mas tambem é quase certo que quando uma ou mais peças do sistema se abre para relações com algo do mundo externo, o sistema ainda continua sem respirar. Então porque os sistemas biológicos foram feitos “respiradores”?

Voltando ao infográfico acima, e observando o movimento, temos a impressão que o sistema nasce e morre continuamente. bem agora começamos a perceber os princípios da respiração, na fórmula. Pois a fórmula faz com os sistemas fechados sejam auto-recicláveis. Toda vez que o fluxo de energia/informação chega a F7, a peça que representa o estado de “cadáver” do sistema, o sistema morre. Mas sua massa degradada se une com F5, que é energia nova, crescente, e constrói F1, de onde o sistema renasce.

Bem,… já sentimos que a respiração está relacionada com o ciclo continuo de nascimento e morte. Mas no sistema fechado isto não é respiração, pois entre a morte e o renascimento nada entra de fora, enquanto entre a inspiração e exalação, entra o O2 e sai CO2.

Esperem aí…! Uma intuição, uma novidade nunca pensada antes está pintando agora por aqui.

Porque os átomos de oxigênio e carbono?

E não outros quaisquer?

Estes dois átomos são de extrema importância para a fórmula da Matrix/DNA.

O Carbono é numero atômico 6, tem 6 prótons e 6 elétrons. É o único átomo no mundo que é 6. E uma breve olhada na fórmula, vemos que ela tem 6 peças, cada qual representando uma função sistêmica universal. Já há 30 anos, desde quando ví a fórmula pela primeira vez, e me perguntei porque o Carbono foi o escolhido para iniciar a Vida, iniciando as primeiras moléculas orgânicas, colocando-se no centro de todos os aminoacidos, obtive o parecer das Ciências: é porque o Carbono é um átomo “amigável”, flexível, ele se combina com os outros átomos, facilmente. Ora, mas porque o Carbono é mais amigável que os outros? Qual a propriedade especial que ele tem, que os outros não tem? Ninguem respondeu, ninguém sabia.

Comecei então a olhar o átomo de maneira nova. Por exemplo, é possível que cada par “proton/neutron”, ou mesmo cada trio “proton+neutron+1 eletron”, seja no sistema atômico, a ferramenta material em que se encarna uma função sistêmica.

Para quem não está treinado a pensar o mundo tendo como base a Matrix/DNA, vou informando que a matéria no inicio era uma só. Digamos, era a dark matter, ou o eter, ou a massa inerte do campo de Higgs, ou seja lé que outro nome queiram dar, não importa: o que entendo por matéria é a substancia que preenche o espaço. é a substancia do espaço. A matéria era uma só, igual em todas as regiões do Universo. Mas ela foi invadida, penetrada, pela LUZ. Talvez ondas de luz emitidas pelo Big Bang. E a LUZ, não é uma só. Ela tem um numero infinito de formas, porem, nós, para facilitar nosso trabalho, classificamos todas estas formas em apenas sete grandes grupos, aos quais chamamos de frequências. Então temos a frequência que vemos como sendo ultra-violeta, outra vemos como infra-vermelha, etc. Ora, cada frequência tem seu estado vibratório diferente de todas as demais.

Então quando uma onda de luz penetra a matéria, a substancia espacial inerte, ela vibra, sacudindo essa substancia. E então a substancia se quebra em pedaços, porções, porque ela não pode ter uma parte vibrando forte como na frequência do raio gama e outra parte vibrando fraco, como na frequência do radio. Cada pedaço, cada porção se divide do todo vibrando na sua intensidade especifica. Se são sete principais tipos de vibrações, já temos aí a matéria se diversificando, se apresentando em sete formas diferentes.

E o que aconteceu a seguir, nas origens deste mundo?

Vamos trazer para cá a “figura” da LUZ, segundo o que tenho interpretado dela:

Light - The Electro-Magnetic Spectrum

Creio que uma onda se luz se expande em ondas circulares concêntricas, como aquelas que vemos quando uma pedra bate na água parada de um lago. Mas isso não aparece na tela do medidor e do computador, apenas vemos ela na forma dessa linha ondulatória. Então, à direita, a vibração é a mais forte, depois vai enfraquecendo à medida que avança para a esquerda… na figura. Ora, isto significa que a fonte da onda está à direita. É como se pedra que bateu na água estivesse à direita. Apenas menciono isso para notar algo muito importante: a onda obedece uma sequencia de frequências/vibrações. Toda onda em qualquer lugar e tempo obedece sempre a mesma sequencia, onde o 1 é gamma-ray, o 2 é X-ray, e assim por diante. Então o 3 vai sempre ser vizinho do 2 e do 4. Isto faz com que, se a onda for quebrada em sete partes, cada parte com uma frequência, e depois estas partes se encontrarem em algum lugar, o 3 vai ter uma força de atração com o 2 e o 4, mais que com o 5, o 1 o 7.

Isto foi repetido nos movimentos migratórios humanos, fato que serve para ilustrar o que ocorria com nossa ancestral onda de luz nas origens do Universo. Pegamos como exemplo, a cidade de New York. para ali vieram povos de muitos lugares do mundo, mas eles se misturam mais no centro da cidade, enquanto se dividem mais nas periferias. Existem os bairros chinês, o hispano, o italiano, o irlandês. Porque? Ora porque ao chegar de mala e cuia em New York e ao encontrar pessoas vindas do mesmo lugar, o chines tende mais a se juntar a outro chines que a um italiano. Primeiro fator é porque falam a mesma língua. Existe uma mais forte atração mutua entre dois chineses de New York porque eram vizinhos de onde vieram. E antes que se misturem com alemães, mexicanos, a tendencia é antes se misturarem com vietnamitas, coreanos… porque tem os mesmos olhos apertados e costumes, culturas , mais similares. O pedaço de ultra-violeta, ao se encontrar numa região distante, tende se emparelhar com outros ultra-violeta, mas antes de se misturar com microwave ou radio, ele prefere se relacionar com X-ray e Visible, porque é mais fácil ligar uma ponta de sua vibração com a destes dois. Cada dois vizinhos tem entre si uma continuidade da intensidade de vibração. Isto é muito importante para entender porque o mundo de hoje ficou assim.

É importante porque uma onda de luz original trouxe para o Universo o requisito fundamental para que existam sistemas naturais e a Vida. Pois cada sistema natural – para ser realmente um sistema e completo – tem que ter no minimo seis partes, seis peças, seis órgãos. Isto é fácil vendo-se a fórmula da Matrix acima. Não existiria F2, que representa, por exemplo, a forma da semente, se não existisse F1, que representa a fonte criadora inicial do sistema. Cada peça é a soma de uma cópia da peça anterior mais alguns acréscimos de complexidade, ou seja, cada peça é o mesmo que a peça anterior transformada. Não existiria uma criança se não existisse um bebê: cada criança é a soma de uma cópia de um bebê mais o acréscimo de alguma complexidade, ou seja, cada criança é um bebê transformado. Assim, cada frequência da Luz é uma forma continua de uma frequência anterior. E assim chegamos à definição literal, genuína, do que é um ciclo vital.

O que mais diferencia um corpo vivo de uma pedra é que o vivo se move, enquanto a pedra é estática. A Luz se move, portanto… não é como a pedra estática. Este movimento é relacionado com a dimensão “espaço”. Mas tem tambem o movimento relacionado com a dimensão “tempo”. Aqui tambem apenas os vivos se movem, as pedras não. É um movimento sem deslocamento no espaço. É o movimento de um corpo pequeno se tornando grande, jovem se tornando adulto. Este movimento em relação ao tempo é o ciclo vital.

O ciclo vital aplicado a um corpo gera um interessante efeito: ele faz o corpo mudar suas formas, ele transforma o corpo, e depois transforma o que foi transformado… Isto vem da onda de luz: a inicial forte vibração gamma-ray apresenta uma forma de espectro, mas o gamma ray se transforma em X-ray, que tem outra forma no espectro… Em outras palavras, foi a onda de luz original que trouxe para este mundo o código do processo do ciclo vital, o qual é o código da Vida.

Se cada porção da matéria penetrada pela luz se se separa das outras porções porque vibra diferente das outras, e se depois todas estas porções são misturadas, cada porção vai procurar primeiro se relacionar com seu vizinho antes das separações. A porção vibrando em gamma-ray vai se unir com a porção X-ray, e mais acolá a porção Infrared vai se relacionar com a porção em microwave… Nunca o infrared vai cair de amores primeiro com um Radio antes de cair pelo microwave. Dentro de um navio, o chinês só vai conseguir falar bem com outro chinês, e não com um alemão.

É nessa sequencia de vizinhos que as partes vão se juntando, primeiro, dois a dois, depois três, depois grupo de quatro. No final, todos se unem formando um grupo de sete, porem podes ver, que o chines ficou perto do coreano que ficou perto do indiano que ficou perto do inglês que ficou perto do americano… Assim a Natureza montou o primeiro sistema natural perfeito de matéria. Imitando a onda de luz perfeita. E assim o sistema funciona, adquire vida. Portanto, a fórmula da Matrix/DNA para sistemas naturais é ao meso tempo, a mesma figura acima do espectro de uma onda de luz. isto porque a fórmula da Matrix tambem está sob as regras da evolução, do ciclo vital, e sua primeira forma neste mundo foi na forma de uma onda de luz.

Bem,…

Começamos a falar de respiração e acabamos dando uma volta pelo Universo inteiro, não apenas em relação a seu espaço, mas tambem em relação aos seus 13,7 bilhões de anos, seu tempo total. E porque demos essa volta? Nós estávamos nos perguntando porque o átomo de carbono foi o escolhido para ser o eixo central da Vida. E mencionei que fiz a pergunta a alguns experts na época, sobre qual a propriedade especial do carbono, e ninguem sabe. Mas existe uma resposta, porem ela está na fórmula da Matrix/DNA.

A vibração parece ser o primeiro tipo de movimento que surgiu neste espaço onde hoje se assenta o Universo. O pessoal que lida com a quântica está tambem chegando a esta conclusão, quando sentem ver que do vácuo total brotam vibrações, que geram as primeiras partículas, etc. Em outras palavras – e se trouxéssemos Darwin para definir com suas palavras o que é vibração – vibração é o LUCA, o ultimo ancestral comum a todos os tipos de movimentos existentes no mundo hoje. Ela parece ser a origem de todas as forças naturais. Ela parece ser a origem do que entendemos por “trabalho”. Mas existem sete grupos de vibrações. É o mesmo que dizer que existem sete tipos de “trabalhadores”. De forças. Estes trabalhadores, estas forças, na formula da Matrix/DNA ganha um nome: função sistêmica. São a F1, a F2, e assim por diante. São as vibrações gamma-ray, X-ray, e assim por diante.

Com isso podemos agora argumentar do porque penso que o carbono é, dentre todos os 100 ou 200 tipos de átomos que existem, o único que representa fielmente a Matrix/DNA. É porque um sistema completo tem que ter no minimo e não mais que seis funções universais. Mas estas funções metafisicas, invisíveis, sempre fabricam uma ferramenta para poderem operar num determinado ambiente, essa ferramenta é o corpo em que ela encarna para executar um trabalho. O átomo é um sistema formado por partículas, portanto as funções encarnam partículas quando precisam atuar no meio dos átomos.  Você se lembra daquelas fórmulas aprendidas ainda na escola elementar, quando os átomos tinham aquelas ondas concêntricas que se chamavam camadas eletrônicas e cada uma tinha um simbolo: S1, P2, d3, etc. até a ultima, que era 7. Pois eu tive que fazer um novo modelo do sistema atômico quando encontrei a fórmula da Matrix/DNA. Sendo um sistema natural, o átomo é um nosso ancestral primitivo, pois nós somos sistemas naturais mais complexos. O átomo é tão ancestral nosso quanto foi a bactéria, os repteis, os mamíferos de quatro patas. Se nós somos vivos, é porque no átomo já existiam os os princípios da Vida. E os modelos atômicos feitos pelas Ciências – seja o antigo de Rutherford, ou o moderno da quântica – são átomos mortos, eu preciso de dar vida aos átomos, eu preciso de modelos onde os átomos tem direito à vida. A forma que encontrei foi um modelo onde cada camada eletrônica é um campo de uma função sistêmica universal. Cada camada é uma parte do sistema. Um órgão. Então, no meu modelo, o átomo é um sistema primitivo que pode ou não expressar um órgão. Ele expressa quando tem ao menos um elétron, o qual traz atividade de órgão. Nós temos sete sub-sistemas, cada qual com um órgão central. Então o átomo é um ser vivo tão primitivo que as vezes ele só tem um coração ( o núcleo) e um figado funcionando ( a camada 4). Esse é o hélio, meu grande amigo de outrora, das noitadas à beira da fogueira. Outro átomo é um sujeito ambulante que anda só expressando o coração, o figado e o estomago. Este é o átomo com numero atômico 3. E assim por diante. tem átomos que expressam exageradamente um monte de órgãos repetidos, como o Uranio214.  Mas tem apenas um átomo que representa todos os seis órgãos e apenas eles sem repetição, criatura fiel da Matrix/DNA. É o átomo do Carbono. Por isso foi escolhido para ser o primeiro e mais importante no corpo do senhor da Terra.

Você ainda pode estar com um grilo incomodando-o. “Mas… podes pensar – “vejo na fórmula sete funções e não seis.” Um momento. Estamos falando do sistema em sua estrutura existencial num determinado momento. A F5 apenas reproduz um sistema em outro. Ela faz o sistema se propagar no tempo. Mas fixe o sistema num momento para estuda-lo, sem estar movendo-se auto-reciclando-se, e a F5 desaparece. A prova disso está no núcleo celular. A unidade fundamental de informação no DNA é composta dos dois açucares laterais mais as 4 bases nitrogenadas. São seis funções. A sétima, que é a uracila, apenas tem no RNA.

Bem, nós falamos muito do Carbono. O outro átomo da respiração é o Oxigênio. Porque o oxigênio? Vamos á fórmula da Matrix/DNA.

O Oxigênio é numero atômico 8, significando que tem oito prótons, oito elétrons. Isto significa que quando a fórmula da Matrix formou se reproduziu completa no nível atômico, na forma do carbono, ela continuou a evoluir os átomos, para formar a natureza diversificada que temos hoje. Do carbono 6 veio o átomo 7, depois o 8, depois o 9… Isto significa que cada par de próton/elétron acrescentado reforçou uma das funções sistêmicas. Se a F3 tiver duas partículas ao invés de uma como as demais, a função o que ele representa vai ser a dominante no sistema. É a propriedade principal, dominante de cada tipo de átomo que revela qual a função está reforçada. Ora o oxigênio é oxidativo, ou seja, ele corrói os materiais. Portanto deve ser um agente entropico. Na formula, existem dois agentes entrópicos, que são F6 e F7, todos os da face direita. A face onde o sistema entra em degeneração e leva à morte. Então o oxigênio 8 entrou ali naquela faixa entra F7 e F1. É o agente da morte, por isso é corrosivo. Mas lembre-se que em termos de fórmula da Matrix/DNA,  a morte não é pior que o nascimento, a morte não é algo ruim, negativo, pois sem ela, o sistema teria apenas uma vida curtíssima. Ela mantem o sistema existindo quase eternamente, pois ela é necessária para a sua auto-reciclagem. Estamos falando de sistema fechado em si mesmo.

Para finalizar, entendi porque a respiração utiliza C2 e O2. Sabemos que o nosso corpo tem vários diferentes níveis de realidade, varias diferentes dimensões, formadas por diferentes tipos de organização da matéria. Tem a dimensão atômica, a dimensão celular, a dimensão dos órgãos… Sabemos que na dimensão celular, as células tambem nascem e morrem. As células nascem e morrem, o corpo inteiro nasce e morre… todos os sistemas nascem e morrem. Isso inclui os átomos. Sabemos que as células que morrem são substituídas por novas porque as células se dividem, auto-reproduzindo-se. Mas e os átomos? Como a estrutura do corpo humano no nível dos átomos substitui os átomos que morrem por átomos novos? Eles não se dividem auto-reproduzindo-se. Ora, assim como o corpo é formado de partes, órgãos, que são grupos de células, assim tambem no nível atômico, e formado por regiões de átomos, que são grupos de átomos. Cada região tem como unidade fundamental a formula da Matrix que é um átomo de carbono, e depois a ele se acrescenta mais átomos com mais ou menas partículas. Se quisermos desintegrar um figado para renova-lo, vamos separar suas células; se quisermos desintegrar uma região de átomos para renova-la, vamos separar seus carbonos. Para separar um carbono de outro, só mesmo matando-os. Isto faz o matador Oxigênio. Então o oxigênio entra no corpo vindo com o ar, cada qual se atrela a um carbono, mata-o, separa-0, e leva-o embora, para fora do corpo. Por isso na respiração entra O2 e sai CO2. Cada oxigênio é como um caixão de um defunto carbono. E como se repõe cada carbono retirado? Ora, o carbono tambem é o centro da vida vegetal. Nós adquirimos os carbonos substitutos quando nos alimentamos.

Sabemos que o corpo humano é um macro-sistema biológico que respira, inalando O2 e eliminando Co2. Este macro-sistema é composto de níveis de sistemas químicos, atômicos celulares. Sabemos que no nível celular a respiração libera energia, no nível químico ativa o metabolismo das moléculas ricas em energia como a glicose. Então é como se um evento de inspiração/inalação começa num patamar de complexidade superior e vai se desdobrando, alcançando os patamares inferiores, menos complexos, até chegar ao nível atômico. Acabamos de teorizar o que realmente ocorre no nível atômico, apenas.

Outro fato que precisamos mencionar apenas rapidamente aqui, é que a Matrix nunca para em ponto nenhum dentro do Universo quando quer explicar o significado existencial de um determinado fenômeno natural. Ela sempre faz o serviço completo, indo do Alfa ao Omega e depois retornando do Omega ao Alfa. Ou seja, ela conta a história da evolução de 13, 7 bilhões de anos de cada objeto, cada fenômeno apresentado aos nossos olhos pela Natureza. Então, se descobrimos o que é a respiração ao nível do corpo humano, ao nível do átomo, como estava ela antes do átomo? Chegamos assim nas origens do Universo e vemos a respiração acontecendo entre os balões de Yukawa. Mas isto é outra longa história…

Bem,…

Eu nunca tinha pensado nisso…

Foi a imagem, o infográfico da respiração, visto por acaso na Internet, que começou tudo isso. Ele é o culpado, se tudo aqui estiver errado, não eu,…

Mas existe a possibilidade de que esteja quase tudo certo… e nesse caso, um ato de louvor ao artista do infográfico.

Agora, só nos resta pesquisar mais, testar esta nova teoria. A qual abriu minha mente para detalhes intrigantes da Natureza, do meu próprio corpo, que nunca percebera antes… E mais uma vez a fórmula da Matrix/DNA mostrou que ela pode impregnar as coisas com sua lógica impecável.

xxxx

Pesquisa do Fenomeno da Respiração, em Todos os Niveis de Organização da Matéria:

Respiração ( breathing)

Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Breathing

Co2, Gas Carbonico 

( em andamento)