Posts Tagged ‘Serra Pelada’

As maiores pepitas de ouro de Serra Pelada… e eu estava la’…

quinta-feira, fevereiro 28th, 2019

xxxxx

Eu estava em Serra Pelada quando acharam varias destas grandes pepitas. Mas tenho tristes recordações. Eu construí uma casa de madeira no garimpo, a 150 metros da mina, onde instalei uma lanchonete/restaurante, com alguns quartos extras para hospedes ou alugar como hotel. Mas quase não ficava la, pois com o lucro sustentei durante quase sete anos minhas pesquisas na selva. E quando ficava na Serra me dedicava a serviços sociais, por exemplo, construímos uma escola para os garimpeiros adultos analfabetos e anos depois o governo a assumiu e tinha 1.200 criancas! Montamos e administramos um pronto-socorro que se tornou o unico hospital, uma associação comercial, uma cooperativa, que hoje torna os associados os donos da mina, que esta paralisada porque coberta de agua. Ate antena transmissora para televisão instalamos no morro, um cinema ao ar livre, asfaltamos uma rua, e trouxemos energia elétrica. Mas numa bela noite, apareceu no restaurante um conhecido garimpeiro que chamavam de Carioca, procurando se havia alguem com carro para fazer uma corrida para fora do garimpo, para Marabá. Nao o vi mais e no outro dia ouvi os boatos: um garimpeiro, o Julinho, maior cotista de um area na mina, havia encontrado uma grande pepita, a maior da Serra, mas no barraco, na divisao do ouro com outros socios/empregados, mataram-no ‘a noite… e o Carioca era um dos socios… logo, liguei uma coisa com outra… A Policia Federal que estava no garimpo era muito eficiente, e se foi esta pepita e se ela foi roubada pelos assassinos, certamente a PF foi atras e a recuperou, pois o artigo diz que hoje a pepita esta no Museu do Banco Central em Brasilia, para visitação publica. Ou entao ja haviam vendido a pepita (Em Serra Pelada so se podia vender o ouro para uma agencia que tinha fundição, da Caixa Economica), e estavam repartindo o dinheiro…

Tres  ou quatro anos comendo o pao que o diabo amassou, vivendo como escravo a carregar pedras na selva, e no dia que ficou rico, so teve um dia de riqueza… Pobre Julinho… E’ incompreensível como alguem pode matar um humano por causa dessa pedra…

O artigo com link abaixo diz que foi a segunda maior pepita encontrada ate’ hoje e relaciona outras das grandes pepitas encontradas no planeta, ( se cada ounce tem 31 gramas, isto significa que a pepita pesa cerca de 20 kilos? O valor da grama hoje e’ R$ 158,00. Entao a pepita vale 158,00 x 20.000 gramas = R$ 3.160.000,00 ? Esta certo? ):

Canaã 5 Nugget: 646 ounces

Slide 3 of 31: A number of eye-popping nuggets were discovered during Brazil's Serra Pelada Gold Rush in the early 1980s. Notorious for its high levels of crime, the Amazonian gold rush also caused considerable environmental damage. The fifth-biggest nugget found, the Canaã 5 weighs 646 onces (18.3kg), and is on display at the Banco Central Museum in Brasília.

https://www.msn.com/en-us/money/markets/the-most-gigantic-gold-finds-of-all-time/ss-BBTQYUa?ocid=spartanntp#image=3

Slide 18 of 31: Notable for its distinctive ferrous red hue, the Canaã 3 Nugget is the third-largest nugget unearthed during the Brazilian Serra Pelada Gold Rush of the early 1980s. Valued at around $1.5 million (£1.2m), the rock, which weighs 1,230 ounces (34.9kg), is on display in all its crimson glory at the Banco Central Museum in Brasília.

Notável pelo seu distinto vermelho ferroso, a pepita Canaa 3 foi a terceira maior pepita de Serra Pelada, com 1,230 oncas, cerca de 38 quilos, vale hoje cerca de 1,5 milhoes de dolares.

Slide 18 of 31: Notable for its distinctive ferrous red hue, the Canaã 3 Nugget is the third-largest nugget unearthed during the Brazilian Serra Pelada Gold Rush of the early 1980s. Valued at around $1.5 million (£1.2m), the rock, which weighs 1,230 ounces (34.9kg), is on display in all its crimson glory at the Banco Central Museum in Brasília.

 

Serra Pelada, o Filme: Isto faz parte da historia da Matrix/DNA

domingo, janeiro 15th, 2017

xxxx

O filme pouco mostra das varias historias paralelas que compõem a historia de Serra Pelada. havia dois indivíduos conhecidos no garimpo como “professor”, inclusive os dois construíram a escola do lugar e davam aulas gratuitas. um era eu e o outro bem que teve uma vida parecida com o personagem do filme. Como ele era um intelectual de Brasilia, penso que ele ajudou na narrativa do filme. Dou o link para o filme aqui, porem, antes copio o meu comentário que foi publicado no Youtube:

 

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – 1/15/2017

Era 1983 quando cheguei em Serra Pelada.  Ao chegar na beira da cava e ver de cima o formigueiro humano lembrei-me das cenas do filme ” Os Dez Mandamentos”, quando milhares de escravos puxavam pedras para construírem monumentos, sob as chicotadas dos capatazes. Então me perguntei porque aqueles escravos estavam ali em pleno seculo XX? E onde estavam os capatazes com chicotes, o senhor na carruagem?
A resposta me fez pensar. Eram escravos, porem voluntários, e o seu senhor era (e’) o dinheiro. Tres mil anos se passaram entre as duas mesmas cenas,… então, houve evolução da humanidade? Não, continuam a existir os escravos e o algoz. Fora de Serra Pelada, em todos os países, muda as roupas e a paisagem, porem os significados são os mesmos. Naquele momento decidi que eu poderia continuar na pobreza que cheguei la’, porem não seria escravo, ignoraria o ouro.
Como eu nasci sem família e teto, só me aparecia trabalhos de escravo, ou, a alternativa? Ser bandido. Nem uma coisa nem outra, resolvi fugir da senzala para o meio da selva, viver com os animais, quando tropecei com Serra Pelada. Antes de voltar para a selva tive uma ideia, fiz uma sugestão e um trabalho voluntario para o administrador do governo que estava la’, como paga ele me deu um terreno ao lado da mina, arrumei como sócio capitalista um dos coronéis do lugar, construí um restaurante. Botei um gerente, vivia da renda, e voltava para meu esconderijo na selva, porque tinha uma ideia em mente: tem que haver uma maneira de superar este bloqueio da evolução em três mil anos, que nem Jesus Cristo conseguiu.
Um imperativo urgente para quebrar este bloqueio e’ um exorcismo na carga genética humana. Observei na selva as regras entre os animais para perceber que continuam sendo as mesmas regras entre humanos. Existem os grandes predadores (leões, tubarões, etc.) como existem os aristocratas da dita classe alta. Existem os médios predadores ( lobos,raposas), como existe a classe media fazendo o papel de capatazes. E existem as presas ( as capivaras, as ovelhas ), como a grande massa de escravos voluntários da classe baixa. Tudo igual na selva, e isto esta por trás do bloqueio `a evolução humana.
Nosso ancestral primata era carnívoro e vegetariano, com os instintos para predador e presa. Os humanos nascem com as duas tendencias, sera’ a cultura da sociedade e da situação econômica da família em que ele nasce que fara’ ele expressar um destes instintos, ou algo meio-termo entre eles. Eu penso que exorcizei os três instintos da minha carga genética e minha alma. Nem escravo, nem bandido, nem capataz. Pois quando o ouro se expôs e dançou a minha frente eu o recusei. Fiquei mais sete anos indo a Serra Pelada, mas nunca minhas mãos pegaram numa pequena pepita.
O método para encontrar a solução seria retornar ao tempo antes dos três, dos 10 mil anos, antes de ter começado a cultura e visão de mundo que estabeleceu este bloqueio. Retornar ao estagio de homo erectus, quase símio, e na natureza virgem, bruta, daquela época. Porem, na volta ao estagio de civilização, a psique não teria a influencia da linguagem, da cultura milenar. A reconstrução do racional humano teria que ser puramente natural, sem misticas da infância da humanidade, porem norteada pelo conhecimento cientifico mais amplo da Natureza que temos agora. Descobri a solução, uma formula usada pela Natureza que foi aplicada em todos os sistemas naturais, desde as galaxias `aquela biosfera amazônica, e nos sistemas sociais criados pelos humanos, porem, onde a formula foi invertida. Criar um movimento no sentido de montar um sistema social baseado nesta formula.
Mas eu precisava provar que a formula existe e por isso fui para os USA em busca da tecnologia necessária. Tornei-me cidadão americano e continuo buscando acesso a tecnologia porem ninguém entende a complexidade do tema e vou lutando sozinho nesta missão ( clicando no meu avatar chegas no meu website sobre o tema).
A busca da autocura do racional humano tem um elevado preço, o inferno da selva. Ela, a Natureza real, bruta, e’ o exorcista. Porem existe uma maneira menos dolorosa, e esta aconteceria com o conhecimento e entendimento da simples formula natural. Evolução se mostra e’ com a melhora do significado da existência e elevação da sabedoria, então não houve evolução. Tecnologias, ciências, sem o exorcismo do animal na genética, a Terra enterra. Os macacos na selva são livres todos os dias e vivem melhor que 95% dos humanos.
Serra Pelada A Lenda da Montanha de Ouro
xxxx
Outro filme de Serra Pelada:
Filme Completo Dublado ♦ Serra Pelada
xxxx

Louis Charles Morelli

Serra Pelada funcionou exatamente como um cassino, eu vi ela crescer e definhar, como vi um jogador de cassino quando era seu motorista particular em Atlantic City. No cassino faz-se uma maquina programada para em certo tempo (digamos,1 ano) devolver 40% em prêmios do total em dinheiro que nela for depositado. Então se o programa e’ para 200.000,00, cerca de 80.000,00 apenas retorna para os jogadores. Nas minas de ouro do Amazonas, alguém tem que começar investindo dinheiro, em equipamentos, viveres, etc. Assim, os que vão sem dinheiro caem nas mãos dos donos de barrancos, que levaram dinheiro. Antes que o dinheiro termine tem que acertar a sorte e obter alguma pepita o que vai retroalimentar o jogo. A Serra estava programada para 4 anos, quando então atingiria o lençol freático e a garimpagem seria impossível. Devido as pepitas serem espalhadas por uma explosão vulcânica não havia filões,veios, por tanto era uma distribuição por acaso, um jogo de sorte e azar. Todos os bamburrados compraram mais áreas e aumentaram seus investimentos enquanto esbanjavam fora o dinheiro, crendo misticamente que a fonte nunca iria secar. O custo de um barranco era alto, mantendo no minimo 12 homens, maquinário lavando o minério, barracão de pousada e manutenção, cozinheiro, veículos, etc. Donos de 20 barrancos mantinham 300 homens, … A maioria, como o empresario João Paulo, personagem deste filme que esta la a 25 anos, ( e com quem eu gostava de conversar pois e’ um individuo bastante disciplinado, intelectual e bem informado do mundo cá’ fora), estavam chegando na sorte grande quando a maquina ( do jogo de azar, como nos cassinos), parou e lhes foi retirada. Portanto, algum dinheiro foi desperdiçado em extravagancias porem a maior parte foi reinvestido e enterrado la mesmo. Os que continuaram ricos – como o Ze Maria, que mantem suas fazendas – o foi porque não tiveram tempo de reinvestir tudo antes da maquina parar. Como sempre, a busca do ouro, o ganho do dinheiro fácil, torna-se um vicio, para todos que entram no jogo
Serra Pelada funcionou exatamente como um cassino, eu vi ela crescer e definhar. No cassino faz-se uma maquina programada para em certo tempo (digamos,1 ano) devolver 40% em prêmios do total em dinheiro que nela for depositado. Então se o programa e’ para 200.000,00, cerca de 80.000,00 apenas retorna para os jogadores. Nas minas de ouro do Amazonas, alguém tem que começar investindo dinheiro, em equipamentos, viveres, etc. Antes que o dinheiro termine tem que acertar a sorte e obter alguma pepita o que vai retroalimentar o jogo. A Serra estava programada para 4 anos, quando então atingiria o lençol freático e a garimpagem seria impossível. Devido as pepitas serem espalhadas por uma explosão vulcânica não havia filões,veios, por tanto era uma distribuição por acaso, um jogo de sorte e azar. Todos os bamburrados compraram mais áreas e aumentaram seus investimentos enquanto esbanjavam fora o dinheiro, crendo misticamente que a fonte nunca iria secar. A maioria, como o empresario João Paulo, personagem que esta la a 25 anos, ( e com quem eu gostava de conversar pois e’ um individuo bastante disciplinado, intelectual e bem informado do mundo cá’ fora), estavam chegando na sorte grande quando a maquina ( do jogo de azar, como nos cassinos), parou e lhes foi retirada. Portanto, algum dinheiro foi desperdiçado em extravagancias porem a maior parte foi reinvestido e enterrado la mesmo. Os que continuaram ricos – como o Ze Maria, que mantem suas fazendas – o foi porque não tiveram tempo de reinvestir tudo antes da maquina parar. Como sempre, a busca do ouro, o ganho do dinheiro fácil, torna-se um vicio, para todos que entram no jogo.

Serra Pelada: Estás me vendo lá no fundo?

domingo, março 8th, 2015

xxxx

E pensar que eu estava nesse meio… Quando fugí da senzala na civilização, para o mato amazônico e tropecei nesse formigueiro humano. Não tive duvidas, ali estava uma oportunidade para comprar as coisas que precisava para viver isolado na selva, então tirei as calças, camisa, descansei a mochila e entrei no meio como mais um formiga. Daqui conseguí o dinheiro que me sustentou depois na selva até descobrir a fórmula da Matrix/DNA… E hoje a memória desta fase parece uma longínqua façanha épica.

Serra Pelada em 1984

Serra Pelada: A Financiadora de uma Nova Visão do Mundo

segunda-feira, janeiro 13th, 2014

Louis Charles Morelli – Feb, 13 2014

Nós trabalhamos muito para construir em Serra Pelada a cidade que não tínhamos lá fora mas as imensas dificuldades acabaram nos vencendo, principalmente quando à água da época das chuvas se juntou à água que brotava do lençol freático e transformou a cava num lago. Nem todos estavam ali por causa do ouro, eu por exemplo cheguei em 1983 montando uma lanchonete que me sustentava fazendo minhas pesquisas na selva. Construímos uma escola sustentando-a por um ano alfabetizando 700 adultos e depois chegou a ter 1.200 crianças. mantemos um hospital fazendo shows nos finais de semana, asfaltamos uma rua, trouxemos energia de uma sub-estação a 40 km, fizemos cinema e área de TV públicos, uma cooperativa, tudo na base de voluntários sem qualquer ganho. Me dá enorme tristeza ver a Serra como está hoje, porque em nossos planos e sonhos víamos uma cidade auto-suficiente quando o ouro terminasse…

Alô, Pato Rouco, Índio… lembram-se de mim? O Luis, professor da lanchonete Imperatriz, do Conselho Fiscal, etc? Muito bom saber que estão vivos e com saúde, vou tentar fazer-lhes uma visita. Vamos tentar recuperar aquela garra da juventude e levantar isso de novo? Grandes saudades, melancólicas lembranças…, Me disseram que encontraram toneladas de ouro onde era meu terreno da lanchonete, é verdade? Raios, fiquei 7 anos dormindo em cima do tesouro sem saber…  Ah… visite meu website (http://theuniversalmatrix.com) e veja o que eu estava buscando quando sumia por meses dentro da selva…
Comentario postado no video:

Serra Pelada: Sonhos dourados, Fatos opacos

xxxxxxx

Serra Pelada – A lenda da Montanha de ouro  – Davidson Melo

Louis Charles Morelli – feb, 13 – 2014

De uma testemunha que viu e viveu em Serra Pelada na epoca: Davidson Melo, excelente trabalho, retrato fiel do ocorrido. Talvez seja interessante conheceres algo mais dos bastidores, sobre a diferenca de ideologias (desculpe a gramatica, uso um keyboard em ingles). Conheci o Curio em Brasilia quando eu trabalhava para um deputado e o Curio era deputado com gabinete na frente do meu, por volta de 83. Eu ja era mateiro, pesquisando sistemas naturais,,e vindo da selva passei em Serra Pelada, fui ficando, fiz um projeto para desenvolvimento do garimpo com cooperativa, cidade e area Agricola, entreguei para a administracao do SNI e como retribuicao me deram uma concessao para montar um comercio a 300 metros da cava. A diferenca de ideologia comecou quando fiz uma escola com meu dinheiro e 30 voluntarios para ser gratuita na alfabetizacao dos garimpeiros, e eles tentaram impedir. Eu jamais teria dividido a cava em poucos proprietarios e o resto como empregados (capitalismo), teria dividido cada barranco em iguais partes sociais para todos que nele trabalhavam (socialismo). Dei a ideia numa reuniao para liberar-mos o garimpo as mulheres com a intencao de tornar aquilo uma cidade normal. No documento `a juiza de Maraba tambem pedi que se liberasse a venda de bebidas pois a lei seca produzia o contrabando que estava criando quadrilhas como criou o Al Capone nos USA. O Curio diz que ai comecou a degeneracao, ele tinha a mentalidade militar de manter aquilo como um quartel ou campo de concentracao. Mas com o espirito socialista nos fizemos voluntariamente muito do que faltava: uma prefeitura encarregada de coleta de lixo, distribuicao de energia electrica, a escola gratuita com 1200 criancas, a manutencao de uma enfermaria hospital, da cooperativa, etc.Era tudo feito com voluntarios, sem ganhar um tostao, ao contrario, nos punhamos o dinheiro, o lucro do meu comercio, para sustentar as instituicoes.Tive que sair de la em 89 (ameacado de morte), nunca mais voltei, mas o que nos venceu foi as constantes paradas pelo governo, algumas quadrilhas de proprietarios, e a agua do lencol freatico. Nosso sonho era deixar uma cidade auto-sustentavel quando o ouro terminasse, uma area industrial, muito minerio. Mas socialista, nao comunista como dizem que queriam os guerrilheiros que o Curio combateu.). E outra coisa: grandes herois defensores da lei, da constituicao, e incorruptiveis, foi a policia federal, onde o apoio do Romeu Tuma, do director Edson Rezende, sempre nos suportou no trabalho no aspecto social. Se voce quer saber o que eu estudava na selva veja meu website http://theuniversalmatrix.com . Abracos…
Aprende-se porque o Brasil não funcionou nos 500 anos dessa dominação por famílias colonialistas mirando-se no exemplo de Serra Pelada. Era uma maquina onde tudo funcionava. Porem, uma maquina exatamente ao contrario do que é um sistema natural.  Fui empossado como uma especie de prefeito, tentei aplicar a logica aprendida na universidade de administração, mas logo percebi que numa maquina ao contrario, onde todas as peças são defeituosas, elas se encaixam e funcionam porque o defeito de uma se encaixa no defeito da outra, e assim sucessivamente. Em tal sistema, se tentas por uma peça normal, milimetricamente planejada, a maquina toda estrebucha, ameaça parar até expulsar a peça perfeita. Como foi feito com Jesus pelo sistema bruto e corrupto daquela época. O sistema de abastecimento de água era um bom exemplo. Fonte de muito lucro pois os barracos gastavam água 24 horas nas maquinas, as ruas eram atulhadas de canos plásticos que vinham de alguns poços cujos donos cobravam caro e cheia de micróbios, espalhando doenças. Mas ao lado havia uma montanha e no pico dela jorrava água límpida, então planejamos trazer a água por força da gravidade e abastecer gratuitamente a aldeia inteira. Mas quando apresentamos o projeto recebemos ameaça de morte dos proprietários ( “Olha aqui, ô mocinho da cidade, nós estamos aqui desde o começo, isto é nosso, não venha querer mudar nada aqui que você amanhece com a boca cheia de formigas… eram os bilhetes enfiados na minha porta) . Assim era com a energia fornecida por geradores particulares, com bombas hidráulicas na cava, com as concessões exclusivas para lucrativos comércios, etc. Meus 10 projetos resultaram em 10 ameaças, tinha-se que posterga-los. Assim era o Brasil, uma maquina imperfeita dominada pelas quadrilhas tradicionais, cujo exemplo era o micro-cosmos de Serra Pelada. Muitas situações ali eram lições para se pensar e entender as sociedades humanas. Certa vez havia de 40 a 50 mulheres viúvas dos que morriam, cheias de crianças e sem teto, pedindo na prefeitura, então pegamos um caminhão, fomos na serraria, trouxemos a madeira e fizemos 50 barracos na praça publica, com uma dependência para quarto/cozinha e outra aberta para se fazer uma feira publica. Muitas delas conseguiram comprar casas fora de lá, mas logo vieram os contras do comércio estabelecido e começaram a depredar os barracos a noite, tive que botar um guarda noturno, o qual foi atacado… Chegaram a botar areia nos tubos das bombas nas balsas tirando água do garimpo, para a cava encher de água, mas atuavam como coiotes na escuridão da noite… se suspeitou da Vale do Eliezer Batista, apenas suspeitas. Saí de lá com menos dinheiro do que levei, mas se  é verdade que estamos neste mundo para desenvolver o conhecimento de nossas supostas almas, ali foi um manancial de aprendizagem para entender o macrocosmos Brasil.