Posts Tagged ‘tartaruga’

As células navegam no oceano amniótico ovular dirigidas pela mesma causa que dirige a navegação e vôos de animais pelos oceanos da Terra…?!

quinta-feira, janeiro 22nd, 2015

” Na embriogênese, células  recém-nascidas de uma bolota chamada mórula se afastam para a periferia indo ocupar posições especificas, pelo mesmo motivo que tartarugas saem do Sul e nadam milhares de quilômetros indo desovar no norte cem terem a menor referencia para orientação geográfica:  campos magnéticos.”

Esta frase me pipocou na  cabeça hoje na cama, mal acordei. Claro, ela propõe uma teoria “fantástica”, de acordo com meu raciocínio,  e absurda, de acordo com o raciocínio dos formandos pelas ciências modernas. Parece-se com aquelas frases absurdas como… “o raio de curvatura do vôo do urubu malandro é inversamente proporcional ao raio de curvatura da lambada do rabo do  jacaré”… A gente não sabe como estas coisas pipocam nos cérebros, ou como as cabeças humanas produzem tais lampejos assim, do nada.

Mas… veja-se este artigo aqui:  Campos Magnéticos: Tartarugas tambem captam para navegar! – See more at: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/#sthash.AZ8wpKwn.dpuf

Ví este artigo há e tenho pensado neste  fenômeno. Até coloquei um post na revista do artigo: “Fico me perguntando onde está e como é a antena da tartaruga que capta estas linhas de  ondas magnéticas invisíveis! Será que tartaruga tem alguma glândula no cérebro relacionada à pineal?”

Mas pelo que eu saiba, até hoje ainda é um mistério qual o mecanismo que faz as células tronco se diferenciarem e “navegarem” numa exata direção do “oceano amniótico” onde irão se posicionar e executarem sua função especifica. Fica difícil imaginar que uma microscópica molécula – DNA – seja quem dirige esta célula, num espaço muito longe de onde ela se encontra. Seria o mesmo que o Talibã mandando um míssil do Afeganistão para acertar a cabeça de um chargista localizado numa certa sala de um certo prédio de Paris. Tá certo que o Talibã  não tem sequer a inteligencia de uma molécula, mas ainda assim, é o que o DNA estaria fazendo se esse for o mecanismo aplicado ali, na mórula e na blástula.

Sabemos que corpos astronômicos como a Terra possuem uma realidade material invisível a nós a qual denominamos de campo e linhas magnéticas. A Terra é um corpo material. Tartarugas e células são corpos materiais. Então onde está o absurdo  em suspeitar que tartarugas e células tenham campos magnéticos próprios? E assim como humanos interagem com outros humanos, células interagem com outras células, porque não suspeitar que campos magnéticos interagem com campos magnéticos?

Estas suspeitas estão cada vez mais crescendo na minha cabeça e ultimamente tenho coletado muitas novidades noticiadas sobre campos magnéticos. Estou até suspeitando que o sistema solar está todo preenchido por um campo magnético cujo centro é o Sol, que emitiria ondas magnéticas em sete frequências diferentes, cada qual consistindo  em uma aureola espacial circular, cada qual numa vibração ondulatória especifica, e que qualquer planeta que estivesse na mesma aureola orbital que está a Terra, poderia gerar a Vida, se o planeta tiver as minimas condições para tal. Estas aureolas com suas diferentes intensidades vibratórias estariam na mesma sequencia da sequencia de frequências das ondas de luz. Quando saímos desta faixa vibratória  astronômica ótima para a vida, nosso corpo tenderia a se deformar… portanto vamos ter que desenvolver naves e trajes espaciais para mandar astronautas alem da nossa faixa.

Raios. Este assunto está cru, ninguém acredita nele. Apenas vão a cada dia acumulando novas descobertas que são mais evidencias indicando que deve existir algo aí muito importante para nossa existência e debaixo de nossos narizes que não estamos percebendo. Tartarugas descobertas nadando ao sabor de linhas magnéticas invisíveis… é como noticiam a coisa e apenas descrevem o fenômeno, sem sequer raciocinar inquiritorialmente sobre ele.

 

Vou levar adiante a pesquisa deste assunto. Se isso existe mesmo, e está influenciando minha vida, meu corpo, vou seguir suas pegadas até agarrar seus calcanhares. Claro!

Próximo passo: voltar a re-estudar em embriogênese tudo o que se refere à diferenciação celular. procurar o mapa do cérebro das tartarugas para procurar ali o que está desempenhando a função  de antena.