Posts Tagged ‘Universo’

A origem do Universo – debate em vídeo pela FAPESP

sexta-feira, janeiro 18th, 2019

xxxx

Analise pela perspectiva da MATRIX/DNA THEORY:

6:14 – Prof. João Steiner : ” a expansão do universo significa que antes ele era menor, e ainda menor, até ser um ponto… Antes não havia o espaco e tempor, estes foram criados com o Big Bang…”

Matrix/DNA: ” A tendencia humana a dar asas `a imaginação elaborando os mitos prevalece sobre a razão pura natural e seu tipo de raciocínio. Se evidencias indicam que o Universo era cada vez menor e depois começou a se expandir, e não sabemos porque, a razão pura natural determina: ” Procure na Natureza `a sua volta um fenômeno real natural que se comporte desta maneira. Se encontra-lo, ele sera’ a primeira e mais confiável base para uma explicação.” Isto vem do pressuposto logico de que O Universo, ou a Natureza, não são mágicos, o Universo não pode inventar do nada novas e inéditas informações que nunca existiram dentro dele. Temos o caso da “fuzzy logics” onde informações secundarias surgem da mistura das informações essenciais mas isto não e criação de inédita informação. Um casal de humanos se mistura e gera um terceiro humano com algumas diferenças mas a informação essencial – especie humana – determina a essência humana do nascido. Sendo assim, todos os processos que ocorrem aqui e agora são protagonizados por informações que estavam no Universo desde suas origens, atuantes ou não, apenas em estado potencial, como ocorre na genética. Então se temos aqui e agora um evento ou fenômeno em que o que é minusculo como um ponto, naturalmente se expande crescendo, e conhecemos o processo ocorrendo aqui, devemos transpor ou projetar este processo para explicar como o próprio Universo faz consigo mesmo o mesmo processo. E onde encontramos aqui e agora um ponto que se expande crescendo? Eu encontrei ao menos dois casos. Primeiro, quando se atira uma pedra na água, vemos o ponto onde a pedra caiu se expandir em ondas concêntricas. Podemos supor então uma hipótese em que este espaço onde esta’ o Universo era preenchido por uma substancia, um oceano dela – seja a dark matter, o éter, a espuma quântica, etc., e algo mais denso e pesado veio de fora em alta velocidade produzindo um Big Bang. O segundo caso é o fantástico fenômeno da embriogênese, quando num ovulo preenchido por um “oceano” amniótico recebe no seu centro um microscópico espermatozoide que tem sua membrana subitamente rompida, o que se caracterizaria como um “enorme” Big Bang dentro do ovulo. No principio ocorre uma turbulência como num estado de caos, mas logo se forma uma célula a qual vai se multiplicando como as ondas da água quando forma os tecidos ou camadas envolventes, e esta célula vai mudando de formas, de morula para blástula para feto, etc., tudo igual ao que as evidencias indicam ter ocorrido com o Universo, onde uma nebulosa inicial se transforma em varias formas desde a nebulosa de átomos, depois de estrelas leves gasosas, depois de galaxias, etc. Quando a Teoria da Matrix/DNA pensa ter descoberto que uma onda de luz natural apresenta uma anatomia interna e movimentos de expansão exatamente igual ao movimento de expansão de um corpo humano que é regido pelo ciclo vital, temos forte indicio que nas origens do Universo houve uma especie de semeadura de uma fonte de onde um foco de luz se expande na forma de ondas e contem em si o código natural e completo para construir sistemas e com vida. temos a impressão que para o Universo a Sua palavra do passado sera sempre a Sua palavra do futuro, ele só pode criar coisas pelo único processo que ele conhece, ou seja, o processo pelo qual ele próprio foi criado.

Porem, o moderno “mindset” nem sequer aceita cogitar tal teoria essencialmente naturalista, preferindo fabricar mitos baseados em coisas nunca vistas em lugar nenhum, como explosões surgindo do nada e que não havia nada antes nem tempo nem espaço e uma explosão acidental criando toda essa incrível engenharia natural que vemos hoje tal como um cérebro humano, o código genético, etc.

O que precisa ficar claro aqui é que ambos os modelos teóricos – seja o mistico acadêmico ou a naturalista Matrix/DNA sugerem ambas um mesmo evento retumbante  inicial. O súbito rompimento da membrana do espermatozoide no centro do ovulo em que nascemos foi um evento inicial que desencadeou toda a Historia posterior da vida do nosso corpo. O que diferimos é na interpretação do evento, e essa diferença na interpretação é seguida pela diferença no que encontramos como significado da existência do Universo e da nossa própria existência nele. De um lado a perspectiva de um observador vindo da Física mais a Matemática e usando sensores mecânicos atrelados a um cérebro eletro-mecânico, de outro lado um observador vindo da Natureza pura aqui e agora usando apenas sensores naturais atrelados a um cérebro biológico.

Ok, vamos respeitar todas as ideias e debater entre elas porem não me aprecia estes voos da imaginação passeando pelos mitos mágicos.”

6:14 – ” Apenas recentemente a Ciência tem uma explicação para a origem do Universo…”

Matrix/DNA – ” Ciência e o registro de fato ou evento real observado por completo e a descrição do que ocorre com elementos naturais na bancada do laboratório. Ciência não observou a origem do Universo e nem a reproduziu em laboratório portanto a Ciência não tem explicação e sim a mentalidade na moda moderna de cientistas que interpretam observando o que a Ciência faz e extrapolam desde o que ela fez elaborando explicações, hipóteses, teorias. Não se deve adornar a Ciência com o que ela não fez, para que nunca desconfiemos dela. responsabiliza-la pelas explicações e teorias que saem da cabeça de humanos, que mais tarde podem ser desmentidas, nos vai conduzir a crer que a Ciência erra e isto nos trara a desconfiança dela. Esta e uma infeliz afirmação que os acadêmicos estão passando para estas crianças estudantes.”

15:00” O Big Bang provocou uma singularidade e nesta singularidade todas as informações sobre o passado foram destruidas…”

Matrix/DNA – ” E preciso muita coragem para afirmar tal crença. Se não havia elementos – sejam partículas, vórtices quânticos, etc., com formas e tendencias e propriedades diferenciadas entre si, da explosão, quando muito, teriam restado apenas cinzas, e dai nada teria sido construído. essa ideia de singularidade onde não existe informação vem recentemente da teoria dos buracos negros onde ocorreria tal singularidade, mas buracos negros conforme a teoria atual descreve fantasmas nunca constatados em nenhum outro lugar da natureza. Enfim, no ato da fecundação de um ovulo existe uma singularidade total do corpo que vai surgir, mas invisível dentro do núcleo deste germe existe todas as informações que irão produzir tudo no corpo ate seu final. 

15:16 – ” Quais são as evidencias que temos de que este modelo, esta teoria do Big Bang estaria certa?”

Resposta do Professor Steiner: Existem evidencias que “provam a existência do Big Bang”.

Matrix/DNA: ” Meus Deus! Sera’ necessário avisa-lo que a imensidão e complexidade deste Universo requer no minimo algumas dezenas de milhares de pequenos ou grandes detalhes factuais reais aos quais se denominaria de “evidencias” para sugerir qualquer tipo de fé ou conclusão racional sobre o que é este Universo?! Eu já reuni mais de duas mil fortes evidencias sugerindo a existência da formula da Matrix/DNA, já acertei dezenas de predições previamente formuladas que foram confirmadas por posteriores descobertas, e no entanto eu nunca disse que se prova a existência da Matrix/DNA, sempre avisando que temos uma teoria ainda sob testes. Uma informação sobre o que é este mundo ou como foi sua origem fatalmente sera arrolada pelas mentes “informadas” como base para sua visão do mundo, e isto é muito serio, pois visões de mundo são responsáveis por comportamentos, atitudes, guias a seguir e na evolução ou involução mental. Como ficam estas crianças? Quando nos colocamos autoritariamente como porta-vozes da Ciência – a qual não tem voz própria – afirmando o que ela não sabe e não afirma, estamos sendo inimigos da Ciência e atuando como o cego que mente aos outros cegos dizendo que ele pode enxergar e portanto todos deve segui-lo, a um destino que ele desconhece. E quando afirmamos que a Ciência já sabe tudo, como as origens do Universo e da Vida, estamos atuando como Science-stoppers, eliminando o estimulo que existe na Ciência que e a continuidade da busca, desestimulando, desviando assim os estudantes do interesse em continuar a praticar onde nada mais ha’ o que fazer. Mas vamos ver quais são estas evidencias…

Primeira evidencia : A luz que vem das galaxias estão apresentando uma irregularidade no comprimento de onda, o que indica que tais galaxias estão se afastando.

( Se não me engano esta é uma  evidencia sugerindo o afastamento das galaxias e não a explosão do Big Bang. Este afastamento pode ser efeito de uma expansão a partir de um ponto central ou não, pode ser outro movimento, como uma orbita elíptica produzindo periélios iguais aos produzidos pelas orbitas dos planetas que as vezes os afastam mais entre si… Ou efeitos de outros movimentos/causas que ainda desconhecemos).

Segunda evidencia: A radiação cósmica de fundo.

Nos modelos teóricos da Matrix/DNA é sugerido outra explicação, mas tanto a nossa como a teoria acadêmica neste particular são tao abstratas que não vale a pena discutir tais abstrações enquanto não se obter mais dados concretos. Observe no modelo da Matrix/DNA que a nossa própria galaxia esta’ em movimento entropico, ou seja, fragmentando-se em seus bits-informação, e estes são colapsados internamente, o que significa que passam por aqui e podem ser captados por nossos instrumentos. Ora, em todo processo oriundo ou derivado de uma onda de luz inicial original, a fase entropica se localiza na ultima frequência da luz, que é justamente a frequência do radio, tal como nos chega a radiação cósmica de fundo. E’ possível então que essa radiação seja um efeito interno de todas as galaxias, por isso dando a impressão que existiria em todo Universo vindo de uma explosão inclusive preenchendo os espaços entre galaxias, o que ainda nos é impossível detectar ou comprovar. Mas como disse, trata-se de elevada abstração teórica.

Terceira evidencia: Os cálculos da nossa teoria do Big Bang sugeriram que deve haver uma abundancia de hélio no Universo e observações tem revelado que essa abundancia existe.

Matrix/DNA ” Bem, a biologia evolucionaria poderia ter previsto de que deve haver uma abundancia de seres unicelulares e germes na atmosfera terrestre e observações posteriores confirmaram exsta abundancia. mas o que teria isso a ver com a teoria da origem da Vida? A biologia estaria descrevendo apenas um dos passos intermediários ocorridos depois das origens da Vida sem no entanto ter nenhuma prova de como foi a origem da Vida. penso que isto se plica a abundancia do hélio como prova da origem do Universo pelo Big Bang tal como interpretado pela perspectiva Física/Matemática moderna.

Quarta evidencia: A temperatura e comprimento de onda da radiação cósmica calculada pela teoria bateu com as observações do fato. 

Matrix/DNA : Todo corpo humano quando esta’ na sua forma senil e depois de cadáver tem menos energia e é mais frio do que quando estava na forma de bebe ou mesmo criança. Isto acontece porque assim acontece com toda onda de luz primordial, onde a primeira faixa ou frequência logo apos ela nascer de uma fonte tem mais energia e vibra com mais intensidade portanto gerando mais calor, e quando chega na ultima forma de frequência a onda esta’ se desfazendo desfalecida e se fragmentando. Acontece que a radiação cósmica detectada foi na faixa da onda de radio, a qual é exatamente a ultima e cavernosa frequência da onda de luz. Portanto este item apontam em ambas as direções, não elegendo uma teoria em detrimento da outra.

23:06 – ” Bom essas são as evidencias para a teoria do Big Bang…

Matrix/DNA: Não vou insistir em argumentar que vejo isto como um enorme e irresponsável disparate de quem se arvora falar em nome da Ciência. da forma como interpreto a imensidão deste Universo, eu requiriria no minimo umas 20.000 evidencias fortes em uma teoria para por minha crença nela. Mas isto não invalida a elogiável façanha da atividade cientifica e da tecnologia que desenvolvemos, muito pelo contrario, a teria moderna sobre o Universo comparada `as teorias anteriores foi um  grande feito da especie humana. Mas nunca sera’ demais lembrar o desfecho do teorema de Godel: “Aquele que existe apenas dentro de um sistema nunca poderá conhecer a Verdade do sistema”. Para ter uma certeza definitiva do que e este Universo e como ele começou sera preciso transpor-mos as fronteiras ultimas deste Universo, sair fora dele, e de la’ de fora olhar para traz para vê-lo na sua inteireza. E precisaríamos de la’ ver também outros Universos começando… A arrogância humana, a crença de que alguém que se julga conhecedor da verdade tem produzido ditadores e conduzido milhões de humanos a tortura e martírio, temos pago um preço muito caro por ela e contra ela sempre lutarei porque não acreditarei jamais que o ser humano, com este cérebro incapaz de processar tal nivel de informações sobre a verdade, possa alcança-la.”

( a continuar… parei em 23:06)

       

O céu não é escuro, é iluminado, nós que somos quase cegos a luzes mais fortes (ver vídeo)

quinta-feira, dezembro 13th, 2018

xxxxx

Trata-se de uma descoberta extraordinária!… Da próxima vez que olhar para o céu noturno sem Lua e vir as estrelas, imagine o brilho invisível do hidrogénio, os primeiros blocos constituintes do Universo, a iluminar todo o céu noturno.

Minha teoria: Com o Big Bang, uma onda de luz se expandiu no meio da substancia que preenchia o espaço onde hoje é o Universo, a matéria escura. Nesta expansão ocorreu fricção, atrito, da luz com a matéria, e dessa fricção resultou a energia que conhecemos. Da onda, e principalmente no fim da onda, emergem suas partículas, os fótons. Estes formam com a matéria escura as primeiras partículas elementares “quase fantasmas” como os quarks. Com estas surgem prótons, nêutrons e elétrons. Os fótons emigram procurando corpos mais densos em que “encarnar”, preferivelmente os elétrons. Mas tem um grande segredo nisso tudo, segundo minha teoria. Notei que uma onda de luz total, universal, como a que vemos resultando de todas as setes radiações do espectro eletromagnético, se expande no espaço/tempo pelo mesmo método que um ser vivo ” se expande no espaço/tempo”, repetindo a mesma sequencia de formas de um corpo vivo com suas formas de sete diferentes faixas de frequências. Isto significa que a onda de luz primordial, emitida na origem do Universo, continha em si encriptado o processo do ciclo vital, o qual e’ o código que da a vida a matéria. Assim descobri o cerne da minha teoria, que é a formula natural universal a que denominei Matrix/DNA, a qual estou descobrindo ser o principio criador de todos os sistemas naturais, o “template” sobre o qual estão montadas a célula, os building blocks das galaxias, o átomo, e ate os building blocks do DNA. Fantástico, esta formula de luz era uma especie de genoma “natural” vindo do antes e alem deste Universo! ( a formula esta no meu website). Alguém contesta? Porque?

(Obs: Pesquisar o que e Radiacao de Lyman-alfa) 

http://www.astropt.org/2018/12/13/um-universo-resplandecente/

Um Universo resplandecente

Pesquisa:

Radiacao de Lyman-alfa

Luz universal: A evolução do sistema universal é movida pelo ciclo vital?

sexta-feira, agosto 24th, 2018

xxxxx

O Universo mudou as faixas de luz emitidas durante sua evolução. Pela Teoria da Matrix/DNA a evolução não do Universo ( o Universo não evolui, o que evolui e’ um sistema universal dentro dele, segundo minha teoria), e sim do sistema universal acontece pelo processo do ciclo vital, então a sequencia das emissões deve ser a mesma sequencia do espectro abaixo, a começar pelos raios gama ‘a direita. Em seguida viria o Raio-X, depois o Ultra-violeta, e só entao  a luz visível. O artigo diz:

“A luz de regiões distantes de formação de estrelas em galáxias remotas começou a ser emitida em ultravioleta. No entanto, a expansão do Universo mudou a luz para comprimentos de onda infravermelhos.”

Bate então as duas teorias em relacao a luz ultravioleta. Quanto ao caso da infra-vermelho, devo pesquisar. E possível que o artigo se refira a luz emitidas pelas galaxias, que ainda não acompanha a evolução do sistema universal.

 

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

O Hubble acaba de revelar uma nova imagem espantosa da evolução do nosso universo

https://www.misteriosdouniverso.net/2018/08/o-hubble-acaba-de-revelar-uma-nova.html

A luz ultravioleta tem sido a peça que faltava no quebra-cabeça cósmico. Agora, combinada com dados de infravermelho e luz visível do Hubble e outros telescópios espaciais e terrestres, os astrônomos reuniram um dos mais completos retratos da história evolutiva do universo.

Em particular, a visão ultravioleta do Hubble abre uma nova janela no universo em evolução, acompanhando o nascimento de estrelas nos últimos 11 bilhões de anos até o mais movimentado período de formação de estrelas do cosmos, cerca de 3 bilhões de anos após o big bang. Esta foto engloba um mar de aproximadamente 15.000 galáxias – 12.000 das quais são formadoras de estrelas – amplamente distribuídas no tempo e no espaço.

A imagem atravessa a lacuna entre as galáxias muito distantes, que só podem ser vistas na luz infravermelha, e galáxias mais próximas, que podem ser vistas através de um amplo espectro. A luz de regiões distantes de formação de estrelas em galáxias remotas começou a ser emitida em ultravioleta. No entanto, a expansão do Universo mudou a luz para comprimentos de onda infravermelhos. Ao comparar imagens de formação estelar no Universo distante e próximo, os astrônomos adquirem uma melhor compreensão de como as galáxias vizinhas cresceram a partir de pequenos aglomerados de jovens estrelas quentes, há muito tempo.
Como a atmosfera da Terra filtra a maior parte da luz ultravioleta, o Hubble pode fornecer algumas das observações ultravioletas baseadas em espaço mais sensíveis possíveis.
Os dados contribuem para o Levantamento de Legado Extragaláctico Profundo de Montagem Cósmica (CANDELS), que obteve pouco menos de dois meses de dados de observação em infravermelho próximo para desenvolver uma pesquisa de mais de 250.000 galáxias do Universo.
Esta imagem é uma parte do campo GOODS-North, localizado na constelação do norte da Ursa Maior.
Um artigo descrevendo a pesquisa foi publicado no The Astrophysical Journal, e você pode baixar as imagens em tamanho real no site do Hubble.

As 6 Teorias de que o Universo vai ter um Fim.

quinta-feira, agosto 23rd, 2018

xxxxx

Tem as 5 teorias atualizadas no video sugerindo que o Universo vai ter um fim. Falta mencionar a minha teoria “Do Big Bang ao Big Birth”, que não esta no video por motivos óbvios ( nunca a publiquei a não ser neste site, apesar de ter os direitos autoriais registrados) e que resulta dos modelos e cálculos da Matrix/DNA Theory.

https://www.youtube.com/watch?v=0tap5MWevAA

O Universo de Mil Faces e o Bloqueio Mental Impedindo a Superacao das Faces Ilusorias

quinta-feira, agosto 23rd, 2018

xxxx

O Universo e’ relativo. Ele tem mil faces. Cada uma ao sabor do cliente-observador com sua face tambem única e situado em seu distinto ponto no tempo/espaco. Cada face do Universo gera uma logica que produz a interpretacao dos fenomenos e eventos do mundo. De maneira que as interpretacoes de um observador com orelhas grandes e situado no ponto A serao inaceitáveis e incompreensíveis para o observador orelhas medias situado no ponto B. Isto sera’ melhor entendido se o leitor ver o gráfico que revela os rastros da evolucao universal no gráfico cartesiano, que mostro em outro capitulo. Talvez a face única do Universo vista por uma pessoa seja auto-projeção da forma da face desta pessoa. E todas estas mil faces são  apenas um milionésimo da ultima e verdadeira face do Universo.

Esta não e’ vista por ninguem, porque ninguem dentro do Universo pode ve-la. Para conhecer a verdadeira face do Universo sera’ preciso sair fora, ir alem dele, e de la’ ver o Universo por inteiro. Alguns creem que conhecem a face do Universo e esta e’ uma maquina material, outros que e’ uma face magica. Ate Einstein morreu acreditando que a face do Universo seria cilíndrica, demonstrando como ate’ os gênios cometem lapsos no raciocínio, pois se ele mesmo descobriu o relativismo geral, esqueceu-se de aplicar esta relatividade ao proprio universo inteiro para perceber que a face cilíndrica tem que ser uma das ilusões de ótica que preparam as armadilhas para punirem a arrogância no homem.  A evolucao do homem e’ medida pelo numero de faces falsas que ele consegue superar. Assim, tendo reconhecido o erro na sua visao da face, ele abraçará a vista de uma segunda face, e assim sera um homem com 2 milionésimos de acerto. E’ uma evolucao dificil porque cada crença numa face pode se revestir da arrogância do agora-sabe-tudo e gera um bloqueio mental que o impede da curiosidade de conhecer as faces dos vizinhos, nas quais ele poderia detectar erro na sua propria visao, e assim ir corrigindo as partes falsas de cada face se aproximando cada vez mais das fronteiras do universo ja tendo uma previsão mais acertada da ultima e verdadeira face. Os filosofos da Grecia teriam vergonha de si mesmos se hoje ressuscitassem e lessem que eles disseram que a vida surge de trapos suados nos cantos das casas. Todos os humanos antes de 1.500 teriam vergonha de si mesmos se hoje ressuscitassem e se lembrassem que por milênios juraram que o Sol gira em torno da Terra. E assim serao envergonhados no futuro todo aquele que hoje afirma que sabe como o Universo e a vida surgiram, o que e’ o universo ou a vida.

Eu comemorei cada dia nos ultimos 30 anos nos quais descobri mais e mais evidencias, mais previsões acertadas, indicando que a minha visao do mundo estaria correta, enquanto assisto os mesmos novos dados derrubando outras visões do mundo. Mas as pessoas com quem me comunico sempre me ouvira dizer “minhas hipóteses, minhas teses, minha teoria” e ” eu não acredito na minha interpretacao do mundo, tenho certeza que ela tem que estar muito distante da Verdade. Apenas comemoro ao perceber que estas vitorias indicam que dentre as erradas, a minha parece ser a menos errada.

O matemático e ilusionista japonês Kokichi Sugihara informa: “Não podemos corrigir nossas interpretações, embora logicamente saibamos que elas vêm dos mesmos objetos. Mesmo que o objeto seja girado na frente de um espectador, é difícil entender sua verdadeira forma e, assim, a ilusão não desaparece”.  Para quem quiser ver alguns exemplos veja os videos em https://www.youtube.com/channel/UC1pLuLT4m-Wfs2pZjdahb4A

Qual a forma certa?

A “ambígua ilusão cilíndrica”:

Enquanto os objetos parecem quadrados, são na verdade cilindros perfeitos. Ou é o contrário?

Essas ilusões geométricas confusas parecem estar interligadas, mas suas reflexões sugerem o contrário, retratando objetos claramente separados.

“As visualizações diretas dos objetos e suas imagens espelhadas geram interpretações bastante diferentes das formas 3D”, explica Sugihara. “Não podemos corrigir nossas interpretações, embora logicamente saibamos que elas vêm dos mesmos objetos. Mesmo que o objeto seja girado na frente de um espectador, é difícil entender sua verdadeira forma e, assim, a ilusão não desaparece”.

Isso mesmo, Sugihara. A única coisa que parece ter desaparecido é a nossa certeza da forma da realidade. [ScienceAlert]

A Origem dos Biofotons, ou Fotons Negros Negativos Geradores da Luz Escura e das Energias Negativas: Inversão da Polaridade

quarta-feira, agosto 22nd, 2018

xxxx

As origens do Universo podem ser descritas resumidamente no ainda pobre linguajar humano, como o súbito ligar de um emissor de ondas de luz, as quais se expandem através e no meio da substancia inerte espacial chamada de dark matter, até onde alcança a força da fonte emissora, local que define a ultima fronteira deste Universo. Mas este emissor não gera apenas uma onda produzindo um Big Bang e se desligando, ao contrario, uma vez entrada em operação, as emissões são cadenciadas e continuas, os big bangs continuam. Por isso o Universo não surgiu e logo desapareceu quando a energia – vista como energia branca, positiva – que contem e carrega a primeira onda se esvaiu.

Neste expandir e avançar das ondas no meio da substancia espacial ocorre atrito, fricção, da qual partículas da ondas se despregam do fluxo expansivo normal e estas partículas ficam a flutuar no meio da mistura de luz e dark matter. Chamadas de fótons, elas se comportam como as partículas de cinzas que vemos flutuando no ar em volta de uma fogueira, e igualmente estas partículas de luz se tornam cinzas tendendo a negro. Muito mais tarde depois das origens, organismos complexos elaboradas pela evolução dessa situação inicial vai fazer com que este processo do desligamento das partículas de sua onda-mãe se torne o processo que gera os chamados “radicais livres”, os quais perturbam e podem levar a morte do organismo. Outra forma de construir um quadro mental imaginário de como parece ser estas partículas num oceano universal ondulatório de luz é fazer uma analogia a nível apenas mental com a cena que vemos das ondas das águas dos oceanos produzindo bolhas no contacto com o ar atmosférico. Os físicos já se depararam com varias situações inusitadas na natureza que os tem levado a intuir a existência dos fótons negros de energia negativa, por mais disparatada que possa parecer esta ideia – e até construíram gráficos tentando esquematiza-las, como podemos ver nestas figuras e seus links:

( https://arstechnica.com/science/2012/08/the-dark-side-of-light-negative-frequency-photons/ )

Luz escura ou energia negativa

Luz escura ou energia negativa

https://journals.aps.org/prl/abstract/10.1103/PhysRevLett.108.253901 )

Experimental results for negative RR generation in a photonic-crystal fiber. (a)–(b) Measured spectra in the visible and UV regions for three different input energies: 246 pJ (dotted line), 324 pJ (dashed line), and 366 pJ (solid line). (c) Full fiber dispersion relation: positions of the predicted RR and negative RR spectral peaks are indicated. The inset is a   25 ×   enlargement of the curve around the   λ RR   wavelength

Experimental results for negative RR generation in a photonic-crystal fiber. (a)–(b) Measured spectra in the visible and UV regions for three different input energies: 246 pJ (dotted line), 324 pJ (dashed line), and 366 pJ (solid line). (c) Full fiber dispersion relation: positions of the predicted RR and negative RR spectral peaks are indicated. The inset is a 25 × enlargement of the curve around the λ RR wavelength

Note-se que as bolhas nos oceanos de água contem a membrana da mesma água e o conteúdo do mesmo ar. Então estes fótons contem em si a mesma substancia da onda-mãe de luz, assim como um embrião ou um baby contem em si a mesma substancia do corpo da mãe. E como um baby é uma copia contendo toda e mesma estrutura miniaturizada do macroscópico corpo de sua mãe, assim os fótons negros contem em si a mesma estrutura da onda completa universal, a mesma dinâmica de expansão, as mesmas divisões por faixas de frequência, intensidade, comprimento de onda, etc. Cada partícula é uma copia completa do todo, funciona igual ao todo.

Mas temos um problema. Um grande problema para as partículas. Acontece que a onda-mãe tem seu período de existência, seu tempo de vida, garantido como eterno, porque a onda-mãe é continuamente reproduzida pela fonte alimentadora, e assim ela se perpetua no tempo. Pode extinguir-se a energia inicial fornecida pela fonte a uma onda que em seguida a onda se repete com nova alimentação de energia. Mas… os radicais livres não possuem esta dadiva graciosa de continuo suprimento de energia para continuar a se mover, existir. Porem, no desespero para sobreviverem, eles inventam um processo que os salvam.

Imaginemos o Universo como uma grande esfera que pode ser interpretada como uma bolha de matéria escura. Em algum ponto desta bolha se encosta uma fonte que insere uma agulha e bombeia as ondas de luz para dentro da bolha. Podemos imaginar um quadro como esta figura:

Universo em Expansão

Universo em Expansão

 

Mas não me perguntem quem é o cara soprando a bexiga, acionando a fonte, porque sou um mero naturalista lidando com o mundo físico e dentro das fronteiras deste Universo material, sem o sensor que os misticos tem para captarem seus objetos na dimensão da metafisica.

Ou você pode construir mentalmente a imagem do que acontece quando um ovulo é penetrado por um espermatozoide, ou ainda quando um vírus se pega na superfície de uma célula e injeta uma agulha com seu material genético. Esta figura do guy soprando o balão não é simples alienação, ela imita muitas das importantes ocorrências na realidade natural.

Pois bem… vamos, para facilitar a transmissão desta ideia, vamos antes trazer a imagem do espectro eletromagnético que registra a onda de luz, apesar de transformar ondas circulares concêntricas em uma linha continua, mas assim mesmo é suficiente para entendermos agora o que precisamos: Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

Vamos chamar o ponto onde esta a fonte de “Norte”, que é a ponta dos raios gama. Logo, a outra extremidade do balão sera o “Sul”. Com isso somos obrigados a dizer que as ondas de luz fluem na direcao do Norte para o Sul. Então sabemos que no extremo norte a onda de luz é raios gama, aquela faixa de extrema energia, extrema oscilação e vibração, comparada a forma dos babies dos corpos humanos. E no extremo sul a onda de luz esta no estado de quase ausência de energia, menor vibração, menor oscilação, maior comprimento de onda, comparada a forma de cadáver do corpo humano que começa a se fragmentar em suas partículas.

Ora, quando o fóton se desprega da onda-mãe, ele imita exatamente a mesma sequencia de formas, e assim continua na mesma direcao de norte para sul, sua ponta mais vibrante mais jovem esta’ ao norte e sua ponta degenerada esta’ ao seu sul que é o mesmo sul da onda-mãe.  Ele nasce caminhando em paralelo com sua onda-mãe. Mas como o fóton não tem uma fonte retroalimentadora de energia, ele deveria morrer, desaparecer, fragmentando-se em suas ainda menores partículas, quase que imediatamente. Não se deixe atrair ainda para a imagem desenhada pelos físicos sobre a origem do Universo segundo a qual “no inicio pipocavam as partículas elementares, verdadeiros fantasmas que tinham apenas 17 bilionésimos de segundos de vida e logo desapareciam”.

Mas,… bilhões de anos depois nos assistimos maravilhados e embevecidos que logo quando os bebês se despregam do corpo da mãe por instinto inconsciente eles procuram os seios da mãe para se alimentarem de uma energia da qual eles não tem fornecimento gratuito e continuo. Dizemos que isso é por instinto inconsciente dando esse nome ‘a causa que na verdade desconhecemos porque não vemos um processo da Natureza que é repetido desde das origens do Universo e o bebê é este mesmo Universo que adquiriu pernas e vai aprender a caminhar por si próprio. Pois assim fizeram os fótons nas origens do Universo: procuraram sua maneira de localizar os seios da onda-mãe de luz e se amamentarem. E como o fizeram?

Simples. Apenas invertendo sua polaridade. Viraram as costas para o Norte e sua face para o Sul. Assim os raios X, moribundos, do fóton se choca e se conecta a uma energia que vem – em qualquer ponto intermediário da onda-mãe – fazendo a função de fonte, ou raios gama. E acontece o milagre! Aquilo que já estava entrando na fase de cadáver, de repente, retorna a vida, respirando,e aquela energia entra por dentro de seu corpo todo dirigindo-se ao seu Norte, tornando-o energético como um bebê. E’ como se a cinza saindo da fogueira e flutuando no ar de repente ficasse vermelha, alaranjada e brilhasse como uma fagulha de fogo.

Nos humanos temos visão e outros sensores para ver a cinza como chama e toda a matéria que ela compõem, porem não temos sensores para ver a onda-mãe. Mas ela esta ai, por todo lugar, atravessando nossos corpos e todo o Universo, dando de amamentar ao mundo material porque neste vivem suas crias. Alias, já temos os sensores necessários em estado potencial latente, mais alojados no ainda pouco usado lado direito do nosso cérebro, como vocês podem ter uma ideia lendo o formidável e bem-vindo livro e vídeo da neurocientista Dra. Jill Bolte Taylor ( porem veja o vídeo em outra hora para não sairmos do assunto agora que são os fótons negros e suas artimanhas, peripécias, criando nosso mundo material),  neste link:

https://www.ted.com/talks/jill_bolte_taylor_s_powerful_stroke_of_insight#t-1102369

Fantástica e genial Natureza!

A cada descoberta de mais um de seus truques geniais vou mais e mais suspeitando que exista alguma inteligencia suprema por trás disso tudo… mas ainda não tenho todos os dados para decidir isto com responsabilidade.

Uma simples virada de corpo,… e um Universo material esta salvo, vai se compor, nascer e existir! Uma simples inversão dos polos da cria em relação a posição dos polos do corpo da mãe! E assim, bilhões de anos depois, em todo este Universo, assistimos uma estrela brilhante alimentando de energia seus opacos planetinhas, e com o reflexo da luz desta estrela, os planetas conseguem existir como visíveis! E mais alguns bilhões depois, pintinhos procuram se aconchegarem no conforto acalentador sob as asas de uma galinha. E mais alguns milhões de anos, e vemos bebês humanos atracados aos seus de suas mães recebendo a energia. Fractais seguidos de fractais, fractais pequenos dentro de fractais maiores, numa maravilhosa dança sob o ritmo da orquestra que é a hierarquia dos sistemas naturais. Podem parar o mundo, posso morrer, irei sorrindo porque tive a oportunidade de assistir a obra fantastica de uma inteligencia suprema.

E o que vão fazer a partir desse instante em que ganharam a permanência da vida, os fótons opacos que apenas brilham porque refletem a luz da mãe e apenas se movem porque se alimentam da energia da mãe ? Ora, os bebês de agora serão as mães do futuro!

Captcha? Sacou a chave da questão?

Os fótons negros negativos tentam, tem a tendencia irresistível, de se juntarem na mesma sequencia que estavam quando de despregaram para recomporem a grande onda e assim retornarem ‘a fonte. Por isso neste Universo hoje de tantas galaxias devem existir alienígenas em todos os estágios evolutivos, uns mais que nos, outros menos que nos, porem todos com a mesma meta final, os mais adiantados, que estão vibrando nas faixas ultravioleta ou infravermelho, precisam mortalmente dos menores que estão nas faixas mais atrasadas próximas dos raios X. E por isso podemos deduzir logicamente que todos os seres deste Universo são genes, genes para um corpo de luz, talvez o corpo de uma super-consciência. E com isso chegamos a suspeitar que a primitiva porcão de consciência que carregamos dentro de nossas cabeças, ao invés de morrerem junto com os corpos de carne, saltam de especie a especie, de planetas a planetas, sempre subindo através da onda-mãe de luz. E por isso podemos suspeitar que um dia, todo este Universo que funcionou como um ovo cósmico, preenchido por uma placenta composta de galaxias, sera todo descartado sendo que de dentro do qual emergira um ser extra-universal, e nos seremos este ser. Sera’ o Dia do Big Birth.

E aqui nossa cosmovisão construída com o sentimento e emoções da vida mais uma vez entra em conflito com a cosmovisão construída pela Fisica e a Matematica. Ao invés da Historia Universal ir do Big Bang ao Big Crunsh, nossa Historia Universal vai do Big bang ao Big Birth.

Mas que e’ logica e racional a nossa teoria da existência dos fótons negros de energia negativa, acho que isso ninguém pode apresentar fato real que prove o contrario. E não se trata de cultura inútil, pois essa ideia se abre num leque como fonte de imensas novas perspectivas para o desenvolvimento de uma super-ciência. Por exemplo, esta ideia esta nos conduzindo agora a tentar enxergar a ainda invisível network formada pelas conexões dos fótons negativos que estão dentro dos elétrons que estão dentro dos átomos que compõem nosso DNA, nosso corpo, mosso crebro, e talvez ainda, componha um rede formando um super-fractal que vai dos nossos quadris ate nosso córtex na figura de um DNA ao qual os misticos antigos de mente limpa desta nossa cultura artificial conseguiam visualizar e chamaram de “aura”, porque não sabiam da existência e da imagem do DNA. Talvez… mas assim caminha a ciência quando evolui, ela como a ferramenta operando sobre hardwares mas dirigida pelo software segundo as necessidades evolutivas desse software. A todos irmãos genes do Universo, um forte abraco com provas de muito amor e carinho, mas principalmente um apelo e torcida para que tenham sucesso em suas vidas e missões, pois necessito mortalmente delas.

xxxxx

 

 

 

O Genoma de Deus sendo insuflado no Universo por Ele respirar Ondas de Luz

sábado, julho 21st, 2018

xxxx

Universo em Expansão

Universo em Expansão

A imagem acima é utilizada pelos físicos para explicar como o Universo esta’ se expandindo. Agora percebi que a mesma imagem pode ser usada para explicar o process o da evolução universal, que ocorre com os sistemas naturais dentro deste universo movida por uma essência comum criadora que representei na forma da formula Matrix/DNA. Cuja função pode ser comparada ao genoma transmitido pelos pais na geração de filhos.

Imagine que o balão menor é um ovulo. O ar que entra para expandi-lo é o espermatozoide fecundador.

Agora imagine que o balão cheio esta’ fixo. Ele não se expande, nem contrai. No lugar da face do homem imagine que esta’… Deus!

Mas ao invés de Deus estar soprando, Ele esta’ assim com a boca no balão porem, respirando e expirando. E ao invés de sua boca soprar o ar para o balão, sopra ondas de luz. Sabemos que a ondas de luz saem de sua fonte emissora em alta frequência e na forma de ondas curtas, e a medida que vai avançando no ar esta frequência vai diminuindo enquanto as ondas vão se tornando cada vez mais compridas. De maneira que quando as ondas alcançam as paredes do balão elas já estão fragmentadas em suas partículas, os fótons. Estes fótons espalhados começam a fazer o caminho de retorno, na direcao contraria a que veio a onda de luz, dirigindo-se para o bico do balão, e a maioria deles retorna para a boca de Deus com alguns poucos que ficam vagando no balão. Alguns cientistas estão pesquisando estas estranhas ideias de “energia e luz negativas”, opostas as positivas. Alguns suspeitam que essa misteriosa dark matter que preenche 95% do universo seja “massa negativa”. Pois ha 30 anos atras estes meus modelos teóricos sugeriram estes fótons escuros, os quais seriam a base destes negativos, e o universo assim como nossas vidas podem ser constituídos destes negativos. Quando os fótons retornam desde as paredes do balão, reconstroem a onda de luz, porem no sentido inverso. Quando saiu da fonte divina era como uma criança cheia de energia e termina por morrer como pó, que são os fótons; agora no sentido inverso, negativo, a onda começa com o pó e pouca energia e vai refazendo as sequencias seguintes de maneira que quando chega a Deus nasce como a criança cheia de energia. Quando o nascimento vem de Deus, a criatura vem no estado harmônico de ordem; quando vem das paredes do balão, vem no estado de caos. Por isso, por estes fótons-informação estarem modelando nossa biosfera sob estado de caos, estamos sujeitos a todo tipo de predadores, tempestades, etc.  como acontece com as especies que botam os ovos fora abandonando desde antes do nascimento a prole ‘a própria sorte. Mas não se preocupe, o grande plano determina que isto e uma fase temporária, a seguir veremos que na verdade nunca formos ovos botado fora porque não saímos do grande plano que se constitui de ovos mantidos dentro e protegidos, nutridos ate o nascimento.  Eu reclamo porque Deus não esta’ assistindo a miséria do mundo e evitando estas tragedias com animais e humanos, mas eu devia lembrar que os pais não podem estarem presentes assistindo os genes construindo seu filho dentro do útero materno, e como estamos também num processo de aprendizagem para a vida na casa que vamos nascer, estamos cursando uma escola, e esta época de ovos fora corresponde a quando estamos fazendo os deveres escolares, onde os professores não devem os exercícios por nos. Senão, não vamos aprender nada e chegar na casa dos pais bagunçando e quebrando tudo…

Puro e simples processo de respiração, pensara’ um observador desatento. Ai’ esta’ encoberto todo o segredo da evolução universal. Fótons, energias negativas? Na verdade, se considerar-mos que são estes fótons e energias que constroem e movem nosso mundo material, eles são os positivos, negativa seria a luz invisível que vem de Deus e não vemos. Fato é que aqui mesmo perante nossos olhos esta cena descreve exatamente como acontece a criação dos corpos humanos, a perpetuação da especie e sua evolução.

A cena pareceria um exemplo rebuscado pela teoria do eterno retorno, o universo cíclico, expandindo-se e contraindo-se eternamente por que Deus respiraria eternamente. Porem, o pequeno detalhe dos fótons espalhados que não retornam ao bico do balão faz a grande diferença que transforma um universo em eterno retorno num universo onde ocorre um processo de evolução, de maneira que num dado ponto, no final da evolução, mudou a substancia que sai da boca de Deus: ao invés de retornar a luz exalada, ela retorna transformada em uma auto-consciência. Assim como ao invés de retornarem óvulos e espermatozoides emitidos pelos pais, eles retornam transformados num lindo baby.

Os fótons que não retornam fazem exatamente as funções do espermatozoide+ovulo emitidos por um casal que criam novos exemplares humanos com mutações onde são acrescidas os graus de complexidade. No processo universal estes fótons transformam a simples luz emitida por Deus ( que pode ser uma super-auto-consciência) em uma especie de filho na forma de uma nova auto-consciência.

Basta lembrar do que acontece no mundo real segundo as mais modernas teorias da Física. E por curiosidade lembrar-se que Jesus cristo, numa brilhante intuição, nunca falou a palavra “Deus”, mas sim Ele olhava para o solo embaixo e dizia “o Filho”, e tronava os olhos para o céu dizendo “o Pai”. Com isso ele sugeria que a criacao não se da’ por magica com Deus criando mundos e vida por magica, os nomes pai e filho implica que o método da criacao é simplesmente um processo genético, natural.

Os homens sempre suspeitaram que este espaço sideral é uma substancia, e a cada época deram-lhe nomes diferentes e definições diferentes. Ora era a alma do mundo, ora o éter infinito, e na Física moderna pensa-se nos nomes dark matter ou até na espuma quântica vibracional que aparece no vácuo surgindo do nada, e da qual pensam emergir a matéria. No nosso balão acima, essa substancia que o preenche todo é o ar. Agora imagine o evento do Big Bang como sendo a primeira exalação de luz na respiração de Deus se expandindo no meio desta substancia espacial. Ao se propagar no meio da substancia ocorre normalmente um atrito, uma fricção, e essa fricção se torna a energia. Temos então um universo contendo a massa ( a substancia espacial inerte), a energia, e a luz… e apenas isso. Estamos nos primeiros momentos logo apos o Big Bang,

Não teria qualquer efeito criador se as ondas de luz emitidas no momento da criação, do Big Bang, fossem de uma luz igual a que vemos emitida pelas estrelas. Acontece que a luz das estrelas são a segunda geração, mais fraca, derivada de objetos – as estrelas – que foram geradas quando a luz era pura e mais intensa. Tão intensa que apesar destas ondas hoje estarem presentes em todo o universo, não a vemos porque sua claridade nos cega os olhos para ela. Nossos olhos apenas suportam os tipos derivados da luz de segunda geração em diante.

Acontece que a luz original era o genoma de Deus, contendo o código da vida, como se grava uma musica num disco de vinil, ou como ele esta gravado na fita do DNA. O código da vida modela um simples facho continuo de luz em ondas de luz composta de sete faixas diferenciadas entre si, porque em cada faixa existe uma especifica intensidade vibratória, frequência, comprimento de onda, etc. Assim estas ondas modeladas pelo código da vida e propagadas na substancia espacial produzindo a energia faz com que esta energia seja absorvida pela substancia. Ora, uma corrente de energia é ‘a imagem e semelhança da onda de luz que a criou, portanto também a energia se diferencia em níveis de faixas especificas. Aprisionada na massa da substancia espacial a energia faz esta massa se diferenciar por regiões porque cada local do espaço tem uma intensidade de vibração diferente das outras regiões. Com isso a substancia espacial mais a energia se separam em blocos que mais tarde vão se tornar corpos materializados.

Contendo o código da vida, significa que a onda de luz primordial se propaga pelo processo do ciclo vital. Aquele mesmo processo que faz um corpo humano mudar de formas ao longo de sua existência: surge na forma de morula, se transforma para blastula, depois feto… e assim por diante. Podemos resumir o quase infinito numero de minusculas  transformações que ocorrem a cada segundo num corpo humano em sete classes, sete formas principais, por isso apenas citamos a forma de morula, de blastula, omitindo as formas intermediarias, para facilidade de comunicação entre nos. Então o ciclo vital na onda de luz se projeta para a cria resultante da união entre massa e energia gerando corpos diferenciados em sete formas diferentes, com seus específicos estados vibracionais. Assim como existe um elo abstrato do tempo conectando a forma de jovem humano ‘a sua forma anterior de adolescente e ‘a sua forma posterior de adulto, se estes aglomerados separados de massa-energia se tocarem, podem-se conetar pela mesma linha do tempo.

Como analogia lembramos que dentre os humanos, os jovens procuram e fazem suas turmas com outros jovens mas se relacionam mais com adolescentes e novos adultos que com idosos, porque seus assuntos (vibrações), suas energias e  comportamentos são mais próximos uns dos outros. Assim, no espaço sideral algum tempo depois do Big Bang, um corpo de gaz leve da quarta faixa paira próximo a corpos da terceira e quinta faixa, o corpo de quinta faixa se põe no meio de corpos de quarta e sexta faixa, etc. Isto resulta num efeito fantástico e surpreendente, quando esta conexão se da’ por campos magnéticos dos corpos alinhando-os na exata sequencia das formas do ciclo vital, criando um circuito retilíneo que avança da forma mais nova para a mais madura, e como no ciclo vital a interação entre corpo humano e planeta, o ciclo vital faz com que o corpo cresça porque absorve o pó do planeta e volte a ser o pó quando morre. Com isto o circuito retilíneo se encurva fazendo a ponta inicial se ligar a ponta final de onde surge uma esfera, o circuito esférico. E assim surge um sistema completo, funcional, fechado. E desse sistema se derivaram todas as formas de sistemas naturais, de átomos a cérebros humanos. E agora esta’ se desenvolvendo aqui, dentro da cabeça de cada ser humano e de cabeças que podem aos trilhões estarem espalhadas por esse universo afora e que são, em síntese, nossos irmãos genéticos, esta próxima forma desse sistema, que talvez pode ser a ultima: o sistema auto-consciente. Por isso existem sete formas principais de astros no sistema galáctico, sete tipos de órgãos principais no sistema corpo humano, sete organelas principais no sistema celular, sete camadas diferenciadas de energia no sistema atômico, etc. Quando a teoria cientifica moderna esta’ crendo que estes sistemas surgem por auto-organização espontaneamente, na verdade são montados pelo processo do ciclo vital.

E quem é o comando de instruções para todas estas operações? Ele esta’ projetado na energia, desta se infiltra na massa, mas ele permanece acima das duas, altaneiro: é a onda de luz primordial. E nela vem o genoma de Deus.

Na morte a bolha de consciencia retorna a nuvem de Gaia

O que sai do corpo natural do elemento, da coisa desconhecida, que existia um minuto antes do Big Bang e produziu o Big Bang foi uma onda de luz carregando um código, o DNA desse elemento desconhecido. Esse DNA se envolve numa longa cadeia de causas e efeitos que se tornam as causas de novos efeitos e que já perdura por 13,8 bilhões de anos e neste momento desta historia, aqui nesta região do universo, o ápice de seu estado, de sua evolução é a mente humana, uma espécie de feto da super-auto-consciência que forçosamente tem que ter existido no corpo daquele elemento desconhecido pre-Big-Bang. Não é eterno retorno porque a coisa que começou com o Big Bang retorna transformada em outra coisa diferente. Assim como a espécie humana não paira num eterno retorno de reprodução de indivíduos copias iguais porque o que inicia a geração de um corpo humano é que sai da especie humana na forma de um genoma, na sua forma microscópica, e o que retorna para a especie humana não é a mesma forma do genoma, e sim o genoma na forma de um baby humano.

Podemos então mudar as teorias do eterno retorno, do universo inflacionário, etc, que acredita num inicio por um Big Bang e prevê um final como um Big Crunsh, onde talvez o eterno retorna a ser o ponto minusculo inicial. Agora nossa historia universal pode se chamar “Do Big Bang ao Big Birth”, porque enquanto toda a matéria é descartada como a placenta no nascimento, o que retorna ao desconhecido criador é uma auto-consciência, algo ‘a sua imagem e semelhança, portanto, um filho, e onde ha filho podemos sempre comemorar um grande nascimento. Do Big Bang ao Big Birth! Certo? Então, congratulações, pois isto significa que ao invés de porcões dessa auto-consciência como essa que é você, o seu verdadeiro Eu, não perece nas sucessivas mortes do corpo, mas sim esta num processo longo caminhando para um destino sublime. Meus parabéns!

Apenas para terminar, e voltando a observar a imagem acima, me lembro de uma ocorrência numa sala de aula que fez os alunos irromperem numa gargalhada quase fazendo o teto vir a baixo. O professor, um idoso excêntrico cientista físico sempre de guarda-pó branco e com aquele cabelão espetado do tipo de Einstein, explicava a teoria inflacionaria usando uma varinha para apontar os pontos dessa imagem refletida numa tela. Quando ia terminando a aula ele disse ” Resta ainda um grande mistério a ser resolvido nesta teoria, o qual me tem tirado muitas noites de sono e não vai me dar paz enquanto não resolve-lo. Pois fico olhando esse balão nessa imagem, refletindo em tudo o que ele transmite e significa, o universo inteiro e sua historia, se expandindo e se contraindo em ciclos eternos, mas uma pergunta crucial fica ribombando na minha cabeça”…

A classe toda paralisou, e claro, todo mundo olhando o balão e esperando o professor anunciar o grande mistério do balão.

E parando na frente da imagem, o professor repentinamente apontou a varinha para onde ninguem esperava, ninguem observava, que era a face do jovem que assopra, e clama em voz alta desesperada:

” Quem é este gajo!?”

” Por favor, alguém me responda, quem é esse gajo, onde mora, que idade tem, porque sopra o balão?”

Claro, a classe explodiu em gargalhada.

Mas esta realmente é a grande questão filosófica, cientifica…: do que, ou de quem, vem o genoma?

O Universo como placenta de uma reprodução genética

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

O que é este Universo?!

Como ele surgiu, se é finito, ou o que ele é, se for infinito?

Começando por uma simples curiosidade filosófica existencial, quando cheguei na selva amazônica, suspeitei que seria possível entender aquela biosfera observando como cada detalhe dela se relacionava com o resto total da biosfera. Assim eu desenharia estas linhas de conexão a partir, por exemplo de uma planta, um animal, a chuva, obtendo redes de conexões, pois a neurologia não estava tentando desvendar o segredo do cérebro aplicando o MRI para obter e registrar as sinapses e montar as redes de conexões neuroniais. Mas foi aquela biosfera primordial como na selva que acabou por produzir o cérebro humano, então aquela tinha que estar embutida neste, ou seja, o cérebro seria algo `a imagem e semelhança da biosfera.

Logo percebi que cada detalhe era em si um sistema, a biosfera toda era um sistema composto de sub-sistemas. A palavra, o conceito de SISTEMA passou a ter grande importância para mim. Afinal, o primeiro ser vivo realmente completo, funcional, foi um sistema, um sistema celular. Não era o caso de teimar que uma vida só pode vir de outra vida ( onde estava a vida antes da primeira célula?), mas que um sistema natural só pode vir de outro sistema natural, me parecia obvio. Não tem como uma massa disforme e inerte criar um sistema funcional dentro de si se não tiver partículas agindo como informações de um prévio sistema.

Haviam sistemas vivos e não-vivos compondo a biosfera. Os primeiros formados de matéria orgânica, os outros formados de matéria inorgânica. Não teria o primeiro sistema vivo, orgânico, vindo diretamente de um sistema não-vivo, inorgânico? Pode ser, se neste caso trabalhou também a evolução darwiniana, em que o não-vivo serviu de ancestral e se modificou pouco a pouco, gradualmente, na direcao da vida. Mas se foi assim a teoria da abiogenesis – pela qual a vida teria surgido de uma sopa de ingredientes inorgânicos, sem formarem sistema algum, sem previas informações para sistema – estaria com algum erro.

Deixei essa questão no bolso e resolve arregaçar as mangas trabalhando no que meus pensamentos ordenava: aplique anatomia comparada entre sistemas vivos e não-vivos, para detectar semelhanças e diferenças, e tentar enxergar quais foram as transformações evolutivas darwinianas dos sistemas não vivos em sistemas vivos. Esse método foi surpreendentemente frutífero, a questão da abiogenesis foi solucionada e a biosfera terrestre me conduziu a conhecer seu passado ate chegar aos limites do… Big Bang. Eu tinha em mãos a Historia Universal, onde inclusive surgia uma causa para sua origem. E  o Quadro todo apontava nesta direcao:

Este Universo – enquanto um super-aglomerado de aglomerados de galaxias e perceptíveis pelos nossos poucos e limitados sensores cerebrais – parece ser como a placenta formada de células ( as quais são as próprias galaxias como fosseis ainda funcionais de nossos ancestrais), no meio da qual se desenvolver um sistema natural, o qual imita as formas de morula, blastula, feto, etc, pois esse universal sistema natural foi um sistema atômico, depois adquiriu a forma de sistema astronomico, daqui evoluiu para um tipo de sistema astronomico que apresenta os princípios das propriedades vitais, que depois se nanotecnologizou – assim como um corpo adulto se colapsa e torna-se um minusculo genoma – e daqui se tornou um sistema biológico vivo, o qual agora esta criando uma nova forma que é o sistema-consciência… Ou seja, neste universo nada mais esta ocorrendo do que um mero processo de reprodução genética… a qual parece uma operação computacional.

Bem,… nessa ideia eu nunca havia pensado antes. Mas os modelos teóricos e os cálculos foram elaborados com tanto trabalho, tanto zelo para não errar, pois a unica coisa que me movie era a busca de verdade sobre o que é esta existência. E afinal havia um parâmetro real, factual, natural, ocorrendo aqui e agora perante nossos olhos, que dava respaldo racional ao resultado final apontando pela investigação. No entanto, em primeiro lugar, tenho certeza absoluta que minha pequinês quando comparado as dimensões espaço temporais deste mundo, que meu diminuto cérebro com seus poucos e pobres sensores – inclusive a visão quase nada funciona pois só posso ver os objetos revelados por apenas uma das faixas das sete emanadas no espectro eletromagnético – essas limitações não podem nunca processar todas as informações que explicariam o quadro final deste mundo. Vou morrer sem conhecer a verdade e tenho que suportar essa tortura. Então, o modelo que elaborei sobre o Universo não pode estar completamente correto nem completo, e ainda, o que temos tem que ser testado `a luz de fatos, os quais, em sua maioria, ainda tem que serem descobertas, visualizados. Portanto, e por enquanto, só’ me resta uma coisa a fazer no sentido de dar prosseguimento a essa investigação: testar incansavelmente os cálculos e modelos teóricos contra todos os fatos novos que venham a ser conhecidos. O que é muito trabalho, pois apenas em termos de papers científicos, quase todos revelando ou sugerindo um fato novo, são publicados aos milhares todos os anos. Mas no meio deste árduo trabalho sempre encontramos algumas joias de algum pensador que teve a capacidade de explicar ou formular como palavras um fato melhor que eu fiz. Por exemplo, o texto abaixo obtido num artigo na Internet:

” Al respecto, el reconocido físico John Wheeler propuso que todo lo que pasa, desde la interacción de partículas hacia arriba, es en cierta forma computación.

“Si uno mira las entrañas del Universo -la estructura de la materia en su escala más pequeña- se da cuenta que no son más que bits realizando operaciones digitales locales”, dice Seth Lloyd, del Instituto Tecnológico de Massachusetts.

( Minha observação: isto pode ser visto como computação, mas é também exatamente o que acontece em genética)

Esto nos lleva al meollo del asunto. Si la realidad es sólo información, entonces nosotros no somos más o menos “reales” si estamos en una simulación o no. En cualquiera de los casos, información es todo lo que podemos ser.

( minha obs: Sim, a outra sugestão dos modelos e’ que somos 8 bilhões de genes semi-conscientes trabalhando na formação de um sistema consciente. E gene nada mais é que “uma informação”)

Assim vou colhendo e registrando aqui estas joias que servem como mais argumentos a favor da teoria geral da Matrix/DNA.

Universo nao tem centro e Big Bang nao e’ explosao, mas sim, espansao ( visao cientifica)

quarta-feira, julho 11th, 2018

xxxx

jcanive.blogspot.com/2012/01/donde-esta-el-centro-del-universo.html

lunes, 16 de enero de 2012

Dónde está el centro del Universo?

Rob Knop

O infindável kit de ferramentas da formula da Matrix/DNA

segunda-feira, julho 9th, 2018

xxxxx

O Universo nada cria de novo, pois o Universo não e’ magico, não poderia criar nova informação do nada. No entanto basta lembrar a incrível diversidade de detalhes na biosfera terrestre para suspeitar-mos dessa teoria, pois vemos fenômenos e eventos aqui e agora que nos parece não ter em nenhum outro lugar nem no passado do Universo. Se não tem, e’ novo, foi criado agora. Pode ser que a teoria esteja errada, mas depois que descobrimos a formula da Matrix/DNA e estamos aprendendo a “ler nas entrelinhas”, estamos descobrindo que os detalhes já tinham seus protótipos  guardados no deposito da formula, e portanto, da Natureza.

Bastaria a uma forma de sistema natural necessitar de um detalhe e ter as condições para fazer a formula materializar o protótipo.  Um exemplo comum da mesma teoria são as mãos humanas. A melhor e mais eficiente maneira de um organismo vivo manipular objetos externos e’ a mão humana (ao menos nos dias de hoje e aqui neste planeta), mas ela não existiu durante 3 bilhões de anos de uma vida que conta com 3,5 bilhões de anos. Ela foi no inicio um simples cílio como um pelo, depois uma pata de pato, uma asa, um casco de cavalo, uma garra de tigre, uma mão desajeitada de mão ate finalmente chegar as atuais mãos humanas. E nos causou surpresa ao descobrir que a mão humana tem exatamente a forma da formula da Matrix/DNA, ou seja, esta ferramenta já existia antes dos 3,5 bilhões de anos, e estava disponível. Para materializar ela, a formula vai construindo-a aos poucos formando sua infraestrutura, quando libera apenas parte da ferramenta, como acontecia quando a evolução estava no nível dos tigres. E também a materialização da ferramenta depende da necessidade do ser que a requere, assim como da sua capacidade de acionar a formula que esta embutida na sua genética.

Este conhecimento da formula nos tem ajudado a entender os detalhes da enorme diversificação, porque partimos da visualização do detalhe e vamos busca-lo na formula, a qual nos explica vários conceitos, como a função do detalhe no sistema, a origem do detalhe, seu desenvolvimento evolutivo, etc. Porem, se treinar-mos mais no estudo da formula podemos detectar ferramentas que ali estão e que ainda não foram materializadas. Isso impulsionaria nosso progresso. Ao invés de continuar-mos atras seguindo as pegadas da evolução podíamos nos adiantar, passar na frente dela e ser o guia numa determinada direcao de materializar mais uma ferramenta.

E agora cientistas perceberam que também a propriedade da empatia vem de um kit de ferramentas, no cérebro, a que chamaram de “rede neuronial social”. quando buscamos na formula se também a empatia já estava pre-desenhada nela, cremos que a encontramos no que chamamos de “altruísmos conectivo entre as partes do sistema”.

Este texto foi inspirado na leitura de um artigo com link a seguir e que contem o seguinte trecho:

https://hypescience.com/pessoas-podem-se-conectar-melhor-se-praticarem-a-empatia-dizem-pesquisadores/

Pessoas podem se conectar melhor se praticarem a empatia, dizem pesquisadores

Kit de ferramentas da empatia

De acordo com o texto, a maioria de nós nasce com um “kit de ferramentas” de empatia. A questão é aprender a usá-lo. “A maioria das pessoas nasce com um kit de ferramentas neurais de alto desempenho que impulsiona seu desejo de se conectar com os outros e sua capacidade de entender seus pensamentos e sentimentos, mas aprender a usar as ferramentas é fundamental tanto para os alunos quanto para relacionamentos no trabalho, na escola e em casa. Este kit de ferramentas tem raízes evolutivas profundas e é fundamental para quem somos como espécie”, definem.

xxx

E meu post no facebook em 7/9/18:

Sentimo-nos desanimados quando buscamos maneiras de mudar ou consertar o mundo porque nos deparamos com uma infindável gama de complexidade, de detalhes que puxam mais detalhes que puxam outros e de repente nos vemos incapazes de processar todas estas informações na cabeça e obter uma solução final. de onde veio tanta complexidade de detalhes que vemos nesta biosfera terrestre. Das centenas de detalhes numa flor aos detalhes das redes neuroniais no cérebro aos detalhes de 30.000 especies de bactérias… de onde veio tudo isso?! teria cada detalhe sido criado um a um por um ser superior e magico como acreditam alguns ou teriam surgido pelo simples avançar da longa cadeia de causas e efeitos que começou no Big Bang, como acreditam outros? Depois que descobrimos que todos os detalhes são partes de sistemas naturais e que todos os sistemas naturais foram criados por uma unica e mesma formula, descobrimos também que esta aparentemente mais simples formula do universo escondia nas suas entrelinhas uma infinidade de possibilidades que poderiam e podem ser materializadas se houver necessidade da evolução para tal. Precisamos criar, afirmar, fortalecer a empatia entre seres humanos para tornar a humanidade na grande universal família sonhada por Jesus Cristo? E’ possível pois a propriedade da empatia já existe pre-desenhada na formula desde antes das origens da própria vida. E saber tudo isso e’ bom, pois podemos melhorar nossas condições de existência alem de nos ajudar sobremaneira a reunir num quadro único inteligível toda essa parafernália da complexidade dos detalhes. Veja mais no link abaixo: