Posts Tagged ‘Universo’

Biological SETI – Video com 10 teorias sobre o Universo. Pesquizar esta.

segunda-feira, dezembro 11th, 2017

xxxx

A ultima t4eoria neste video e’ a “Biological SETI”, mais proxima da minha, pesquisar:

 

Qual a origem das informacoes que transformaram o universo simples em universo complexo? Pela Perspectiva de um acdemico moderno.

sábado, setembro 2nd, 2017

xxxx

https://www.edge.org/conversation/the-computational-universe

THE COMPUTATIONAL UNIVERSE

Seth Lloyd [10.22.02]

… by the basic laws of quantum mechanics, full of quantum fluctuations are all the time injecting, programming the universe with bits of information.”

(… pelas basicas leis da mecanica quantica, cheia de flutuacoes quanticas, estao todo o tempo injetando, programando o universe com bits de informacao).

Visao de um mundo puramente casuistico. Assim diria um microbio assistindo a evolucao de um feto e estando dentro do ovo. A Matrix/DNA sugere outra resposta, baseada na opiniao de outro microbio assistindo o mesmo processo estando fora do ovo: as informacoes foram fornecidas pelos pais, elas sao expressadas devido aos movimentos (flutuacoes) dos genes.

O fato e’ que ninguem sabe explicar o que sao flutuacoes quanticas e menos o que as produzem, assim como ninguem explica energia,gravidade, apenas sabemos descrever o que as vemos fazer. Entao, o que ha’ de errado com a tese na minha Matrix/DNA Theory comparando flutuacoes quanticas nas origens do sistema universal com movimentos geneticos na origem de um sistema biologico?!

(… hi… hi…hi… Acontece que penso como filosofo sistemico sempre conduzindo minha mente fora de um sistema para analiza-lo melhor, enquanto o metodo reducionista que estes caras sempre praticaram e so’ sabem fazer os mantem sempre dentro do ovo…)

Eis um trecho da tese de Seth Lloyd:

Another feature that everybody notices about the universe is that it’s complex. Why is it complicated? Well nobody knows. It turned out that way. Or if you’re a creationist you say God made it that way. If you take a more Darwinian point of view the dynamics of the universe are such that as the universe evolved in time, complex systems arose out of the natural dynamics of the universe. So why would the universe being capable of computation explain why it’s complex?

There’s a very nice explanation about this, which I think was given back in the ’60s, and actually Marvin, maybe you can enlighten me about when this first happened, because I don’t know the first instance of it. Computers are famous for being able to do complicated things starting from simple programs. You can write a very short computer program which will cause your computer to start spitting out the digits of pi. If you want to make it slightly more complex you can make it stop spitting out those digits at some point so you can use it for something else. There are short programs that generate all sorts of complicated things. That in itself doesn’t constitute an explanation for why the universe itself exhibits all this complexity, but if you combine the fact that you have something that’s dynamically, computationally universal with the fact that you’re constantly having information injected into the universe, — by the basic laws of quantum mechanics, full of quantum fluctuations are all the time injecting, programming the universe with bits of information — then you do have a reasonable explanation, which I’ll close with.

Desmentida a “Expansao do Universo”?

segunda-feira, julho 31st, 2017

xxxxx

Pensei que a alardeada “expansao do Universo” fosse um fato comprovado, porem o artigo abaixo indica que nao e’ fato, mas sim uma teoria com evidencias a favor e outras fortes consideradas evidencias contra, o que parece revelar acirrada controversia entre os astrofisicos. Para nosso estudo, se o universo esta em expansao ou nao e’ um fator importante porque nos ajuda a calcular o estagio dentro do ciclo vital em que esta’ a evolucao da consciencia universal. Para nos o Universo e’ uma especie de ovo, o seu conteudo como as galaxias formam a placenta, e nela ocorre um processo genetico de reproducao do que gerou o universo. Entao, a expansao ou nao do universo nos lembra o crescimento ou nao da barriga de uma mulher gestante, o qual indica a idade do embriao sendo gestado. Portanto esta e’ uma pessima noticia, pois ficamos sem evidencias para esse calculo.

Universo não está se expandido, afirmam astrofísicos

http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/08/universo-nao-esta-se-expandido-afirmam.html

Uma equipe de astrofísicos liderada por Eric Lerner, do centro de pesquisa Lawrenceville Plasma Physics (EUA), diz ter encontrado novas evidências, com base em medidas detalhadas do tamanho e brilho de centenas de galáxias, de que o universo não está em expansão como se pensava anteriormente. O Prêmio Nobel de Física de 2011 foi atribuído conjuntamente a três cientistas que descobriram que a expansão do universo está acontecendo de maneira acelerada. Os físicos Saul Perlmutter, Brian Schmidt e Adam Riess chegaram a essa conclusão estudando as supernovas do tipo Ia – as violentas explosões resultantes da morte de estrelas anãs brancas. Eles mediram a maneira como a luz de supernovas Ia se distorciam para ver a rapidez com que as galáxias estão se afastando umas das outras, ou seja, o quão rápido o universo está se expandindo. A partir da análise, foi concluído que todas as estrelas, galáxias e aglomerados de galáxias estão se movendo cada vez mais rápido. Outras medidas de galáxias brilhantes e distantes, como as feitas por cientistas da Universidade de Tóquio, no Japão, através de lentes gravitacionais, também indicaram que o universo estava “crescendo” como um balão gigante. Também surgiram teorias um pouco diferentes que diziam o universo não estava expandindo, mas sim ganhando massa. Agora, um novo estudo entra na contramão de todas essas hipóteses dizendo que a expansão do universo simplesmente não existe. Os cientistas testaram uma das previsões marcantes da teoria do Big Bang, de que a geometria comum não funciona em grandes distâncias. Segundo a geometria comum, no espaço que nos rodeia (na Terra, no sistema solar e na Via Láctea), conforme objetos semelhantes estão mais longes, parecem mais fracos e menores. O seu brilho de superfície, que é o brilho por unidade de área, mantém-se constante. Em contraste, a teoria do Big Bang nos diz que, em um universo em expansão, objetos mais distantes devem parecer mais fracos, só que maiores. Nesta teoria, o brilho da superfície diminui com a distância. Além disso, a luz é esticada conforme o universo é expandido, o que diminui ainda mais o brilho. Assim, em um universo em expansão, galáxias mais distantes devem ser centenas de vezes mais fracas do que o brilho da superfície de galáxias próximas semelhantes, o que as tornaria indetectáveis com os telescópios atuais. No novo estudo, os pesquisadores cuidadosamente compararam o tamanho e o brilho de cerca de mil galáxias próximas e muito distantes. Eles escolheram as galáxias espirais mais luminosas para as comparações, combinando a luminosidade média das amostras próximas e distantes. Ao contrário do que a previsão dita, eles descobriram que o brilho da superfície das galáxias próximas e distantes são idênticos. Estes resultados são consistentes com o que seria esperado da geometria normal se o universo não estivesse se expandindo. Ou seja, os resultados estão em contradição com o escurecimento drástico do brilho superficial previsto pela hipótese universo em expansão. “Claro, você pode supor que as galáxias distantes eram muito menores e, portanto, tinham centenas de vezes mais brilho de superfície intrínseco no passado, e que, apenas por coincidência, o escurecimento do Big Bang cancela exatamente esse maior brilho em todas as distâncias para produzir a ilusão de um brilho constante, mas isso seria uma grande coincidência”, explica Lerner. Esse não foi o único resultado surpreendente da pesquisa. Para aplicar o teste de brilho de superfície, proposto pela primeira vez em 1930 pelo físico Richard C. Tolman, a equipe teve que determinar a luminosidade real das galáxias, de modo a corresponder galáxias próximas e distantes. Para isso, os astrofísicos vincularam a distância das galáxias ao seu redshift (desvio para o vermelho, que corresponde a uma alteração na forma como a frequência das ondas de luz é observada no espectroscópio em função da velocidade relativa entre a fonte emissora e o receptor observador). Eles participaram do pressuposto de que a distância é proporcional ao desvio para o vermelho em todas as distâncias, tal como foi verificado no universo próximo. Em seguida, os pesquisadores checaram essa relação entre redshift e distância com os dados do brilho de supernovas que foram usados para medir a hipótese da expansão acelerada do universo. “É surpreendente que as previsões desta fórmula simples são tão boas quanto as previsões da teoria do universo em expansão, que incluem correções complexas para a matéria escura e a energia escura hipotéticas”, disse um dos coautores do estudo, Dr. Renato Falomo, do Observatório Astronômico de Padova, na Itália. O Dr. Riccardo Scarpa do Instituto de Astrofísica de Canarias, na Espanha, outro coautor do estudo, acrescentou: “Mais uma vez você pode pensar nisso como mera coincidência, mas seria uma segunda grande coincidência”. Se o universo não está se expandindo, o desvio para o vermelho da luz com o aumento da distância deve ser causado por algum outro fenômeno – algo que acontece com a própria luz que viaja através do espaço. “No momento, não estamos especulando sobre o que poderia causar esse desvio”, afirma Lerner. “No entanto, tal desvio para o vermelho, o qual não está associada com a expansão, pode ser observado com a sonda adequada dentro do nosso sistema solar no futuro”. O novo estudo foi publicado na revista International Journal of Modern Physics D

Como e porque os Humanos inventaram o fantasma ” Deus Magico e Perfeito”

sexta-feira, junho 16th, 2017

xxxx

O Deus desse nosso Universo perceptivel nao e’ um “ser perfeito”, e “magico todo-poderoso”, como o definem os crentes apelando ao argumento ontologico (explicado abaixo). O gerador ( e nao criador, pois a palavra criacao nao cabe aqui) deste Universo perceptivel e’ um ser extra-universal, com uma auto-conciencia madura, enquanto a nossa e’ ainda embrionaria. Porem ele e’ totalmente natural, um Sistema auto-consciente natural, que gera universos e vida pelo processo natural genetico, assim como nos geramos ovos e neles os nossos filhos. Deus gera universos para se reproduzir, como nos nos reproduzimos. Sem magicas e sem total poder sobre suas geracoes, como os pais nao tem poder total sobre o que fazem os genes que constroem seus filhos.

Bem, isso ‘e o que estao sugerindo os modelos teoricos da Matrix/DNSA Theory. E isso entra em conflito com a crenca deista supernatural. Entao devo procurer explicar onde esta o erro nos adversaries.

Acontece que – representando a vida na Terra – somos herdeiros diretos desta galaxia que nos cerca, ela foi nossa ancestral e hoje o fossil desse ancestral. E quando estavamos na forma deste nosso ancestral cometemos um erro imperdoavel para as leis naturais. Decidimos ser Sistema fechado em si mesmo. Fizemos de nosso corpo a maquina mais perfeita possivel de existir, um complet0 eden paradisiaco, e nele nos fechamos cortando relacoes com todo o resto do mundo, esperando viver assim em gozo por toda eternidade. Interrompemos nossa evolucao. E nos demos o nome de “Via Lactea”.

Mas galaxias nao sao as maiores estruturas do mundo. Acima delas tem os universos, que, inclusive, as contem. E o Universo possui um recurso contra esta rebeliao, chamada de “Lei de Clausius” a qual provoca a degeneracao e morte de tudo que entrar por este caminho errado. esta lei esta descrita no Segundo principio da termodinamica e seu processso e’ medido pela entropia.

Com isso, nos, na pele do nosso ancestral, caimos, fragmentados em milhares, bilhoes, como sistemas abertos a evolucao, tendo que recomecar tudo de novo. Mas enquanto ainda estamos nessa fase inicial, somos mais reproduzidos como filhos da galaxia que filhos do deus extra-universal e com isso herdamos e ainda mantemos a tendencia aquele erro colossal, de ser perfeito na forma de eden paradiasiaco mecanizado. Devido a esta tendencia oculta, claro, ao imaginar-mos um deus, o imaginamos 1`a imagem do nosso sonho supremos, ou seja, a de um ser perfeito, unico, todo-poderoso, etc.

Deus nao e’ assim ( e apenas isso explica estes 50% de pessimo desenho desta natureza, da existencia de caos, carnificina, torturas, etc.). Deus e’ um ser superior a nos como os pais sao superiors ao feto do filho que a mae traz na barriga, mas nao e’ magico capaz de fazer aparecer um aviao do nada.

Argumento ontológico ( Wikipedia)

Um argumento ontológico é qualquer argumento que defende a existência de Deus através da ideia de que Ele é obrigatoriamente um ser perfeito e, portanto, deve existir. Os critérios para a classificação de argumentos ontológicos não são exatos e amplamente aceitos, mas eles geralmente partem da definição de Deus e chegam à conclusão de que a sua existência é necessária e certa. Esse tipo de argumento é unicamente um raciocínio a priori e faz pouca ou nenhuma referência a posteriori, de cunho empírico.

Acredita-se que o primeiro argumento ontológico foi proposto pelo teólogo Anselmo de Cantuária. Anselmo definiu Deus como sendo a maior coisa que a mente humana pode conceber e defendeu que, se o maior ser possível existe na imaginação, ele também deve existir na realidade. Ele colocou em seu argumento que uma das características de tal ser, o maior e melhor que se pode imaginar, é a existência. No século XVII, o filósofo René Descartes propôs argumento similar. Descartes publicou diversas variações de seu argumento, cada uma centrada na ideia de que a existência de Deus é imediatamente deduzida de uma ideia “clara e nítida” de um ser supremo e perfeito. No início do século XVIII, o matemático Gottfried Leibniz retoma as ideias de Descartes para tentar provar que uma “supremacia perfeita” é um conceito coerente. ( cont. a ler)

O Grande Segredo Oculto na Luz Original (Divina?)

domingo, abril 2nd, 2017

xxxx

Eu tenho que dar o braço a torcer. Sou anti-religioso e principalmente anti-bíblico, mas descobri algo fantástico na Luz que a Gênesis bíblica revelou a dois mil anos atras, na forma de metáfora e muito resumida. Em outras palavras, a Gênesis diz que no principio era apenas a escuridão. Então no terceiro – ou sei la’ que dia – Deus fez a Luz e a partir dai começou a Criação… a qual conduziu o nosso mundo ao jeito que estamos hoje.

Quando descobri que uma onda de Luz original é dividida em varias partes e tem uma sequencia de movimentos tal, descobri que tudo isso imita exatamente uma unidade fundamental de informação do nosso DNA. Mas também imita exatamente a estrutura fundamental das galaxias e dos átomos. Enfim descobri que a Luz Original é  a unica coisa que se precisa para criar o mundo que hoje ai’ esta’. A Luz contem o código da Vida! O código da Criação. A Onda de Luz Original que se propagou no espaço escuro continha a formula a  que denomino de “Matrix/DNA”.

Vou explicar os detalhes do que descobri, no final deste texto, quando puxar para cá a formula da Luz. Por enquanto vou apenas abordar alguns dos conceitos que aprendemos com essa nova visão da Luz. Por exemplo:

Pessoas dizem que quando acordam de manha a primeira coisa que lhes acontece é ver ou sentir uma luz nos olhos, mesmo ainda fechados. Eu não tenho estes talentos que levam as pessoas comuns ao mistico, se tivesse eu não teria sido tao materialista necessário para entender a matéria. Apenas ouço pessoas simples e que não teriam qualquer motivo para mentir isso, e procuro explicações. Nesse caso da luz matinal, a explicação é muito complexa, mas muito interessante, nela se aprende grande parte do que somos e do que é este mundo.

Nossos cérebros tem uma camada de sistema nervoso que cuida de tudo o que é automático no corpo. Não precisamos pensar em criar anti-corpos para atacar um invasor, não precisamos parar nossos pensamentos para pensar em mandar o corpo fazer a próxima respiração Acima desta acamada existe outra camada de neurônios que processam os pensamentos. Estes acontecem pelas sinapses, descargas químico-elétricas. Então imagine que você esta’ no seu jardim vendo uma nuvem escura e nesta nuvem contínuos raios e relâmpagos. Esta imagem é semelhante ao que se veria se estivéssemos dentro do cérebro. Com a diferença de que no cérebro os raios pipocam em todos os lugares em grande numero e sem pausas. Ora, se isso acontecesse na nuvem escura de chuva, veríamos um clarão continuo abrangendo todo o firmamento.

Esse clarão continuo como reflexo das sinapses no cérebro criou uma substancia plásmica muito sutil que fica clara, iluminada o tempo todo. para quem a visse de fora diria que esta vendo uma luz normal. Não vemos essa nuvem de luz no cérebro ou ate ao seu redor nem com os poderosos instrumentos científicos porque não captamos esse plasma que é a substancia da Luz. Em outras palavras, mente é Luz, mas vou mostrar como a Luz é uma coisa muito complexa, um sistema em si mesma e funcionando. Essa Luz que surgiu aqui na Terra na forma de mente humana é a mesma Luz original nas origens do Universo.

Então durante o dia, você pensa constantemente, os relâmpagos são muitos e contínuos, essa nuvem iluminada esta’ a todo vapor. Quando adormece o cérebro se aquieta, a luz fica mais fraca apenas como uma chama la’ no fundo do cérebro. Esta chama e suas propriedades produz seus sonhos. Quando você acorda os neurônios voltam a agitarem-se, a luz refloresce, bate nas pálpebras que estão fechadas e seu olho vê um clarão. Quando abre o olho, a luz não-original do Sol apaga passa a comandar sua visão. Esta’ explicado? Mas não acredite nisso e em nada do que digo na minha teoria, ainda não testei isso cientificamente portanto eu não acredito. Naturalismo – a minha abordagem do mundo –  não é campo para se acreditar ou não, é campo apenas para caminhar avante, e teorias apenas nos guiam para qual caminho escolher. O caminho é o teste cientifico: se foi o caminho certo então deixa de ser teoria e agora sim, podes acreditar. Por enquanto, como disse Einstein quando diziam que sua teoria da relatividade geral era impossível, inútil, etc.: ” Eu não tenho que provar que a minha teoria é a certa, apenas mostrar que ela faz sentido racional”.

A Luz da criacao, a Luz original lancada pelo Big Bang, queria apenas ser o corpo de algo que ela criaria e suportaria: a Consciência Cósmica. Para chegar ao bolo final ( `a Luz Consciente) temos que fazer os ingredientes, misturar as massas, bater a clara de ovo em outros pratos ou tigelas para depois os bíblicos do Intelligent Design ficarem dizendo a besteira de que não teria havido evolução porque existe a complexidade irredutível,…

Ou seja, são muitas fases intermediarias fazendo coisas que depois desaparece tudo quando o bolo esta prontinho em cima da mesa. Assim a Luz original teve que se propagar como ondas através da substancia inerte do espaço, a massa com os Higgs bosons, teve que criar ingredientes como partículas átomos, mistura-los na forma de estrelas e galaxias, levar ao forno com fermento ( que foi ela a própria, a Luz), e fazer células, macacos, corpos humanos,… para ela começar a ressurgir límpida e pura mas agora consciente  e ainda fragmentada em bolhas de plasma luminosas que estão dentro das cabeças dos humanos! Cada humano é um gene de consciência com uma informação especifica, unica, e todos em conjunto podem gerar o grande baby divino que serão no futuro. E mais uma vez a danada da odiosa bíblia acerta quando ela nunca diz que Jesus falava a palavra Deus mas sim, olhando para o chão onde existimos, e apontando para o céu alem deste Universo dizia: “O Pai e o Filho!” Foi exatamente o que descubro agora, tudo genético, natural, sem magicas mirabolantes.

Mas o bolo ainda não esta’ pronto para o dia do Big Birth, quando ela na forma de baby vai nascer alem deste ovo cósmico que denominamos universo na casa ou no reino de quem a gerou e a mandou para cá na forma inicial que não imita o DNA, pois é o DNA que imita a Luz e a reproduz num estagio materializado avançado da evolução… ou da Criação se preferes.

Infelizmente não posso continuar hoje pois o trabalho duro la fora me chama – para explicar agora o que já esta explicado em outros artigos neste website. Tenho tempo apenas para mostrar a forma inicial da formula da Luz, e se você tem tempo, olhe-a e procure descobrir por si mesmo como o código da Vida esta ali encriptado. E’ muito fácil…(clique na figura para expandi-la). Apenas uma ressalva inicial. Dou o nome de Onda de Luz Original ao conjunto dos sete tipos de radiações no espectro eletro-magnético:

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

E que a Força da Luz Divina esteja convosco. Amem! ( isto digo porque sou extremamente materialista, anti-religioso. O deus não-existente tem um profeta,… que por acaso… to desconfiado que sou eu…. pois não sei como cargas d’águas estou descobrindo tudo isso… yac… yac…. Mas se Deus que não existe e não me escolheu para ser seu profeta, sou seu profeta moleque e rebelde que não acredita nem nas minhas descobertas… e por isso passo a vida a testa-las e gastar meu pobre dinheirinho em estudos e mais estudos, viagens loucas no meio da selva onde estão a maioria das respostas, tentando montar meu laboratorio para testa-las…)

 

 

 

 

Termodinamica: A Segunda Lei Obedecida Pela Matrix/DNA Formula

quarta-feira, março 15th, 2017

xxxx

Muito se debate a respeito da questão de que seres vivos não obedecem a segunda lei da termodinâmica.

A Segunda lei da Termodinâmica estabelece que, num sistema fechado, nenhum processo ocorre que aumente a rede de organização ( ou diminui a rede de entropia) do sistema.

A minha formula de sistema total, completo, funcional, isolado, fechado em si mesmo, apresenta a mesma lei. Vejamos:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Para que aumente o nível de organização de um sistema – o que implicaria em aumento de complexidade, evolução – é necessário nova informação, no sentido de que informação seja qualquer novo elemento com forma e função inexistentes antes. Como nada cria informação do nada, e o sistema e’ fechado, não realizando trocas de nenhuma especie com o mundo externo, nenhuma nova informação ira’ surgir dentro deste sistema.

Também a entropia, uma vez iniciada, não teria mais como o sistema estanca-la. No sistema fechado da Matrix/DNA a entropia tem inicio quando partículas saem fora do circuito de informação/energia, indo para o interior em direcao ao núcleo. Isto significa que na próxima rodada do circuito o sistema não mais sera’ de tanta perfeição como nas rodadas anteriores, e o aumento destas partículas desviadas acaba desmanchando o sistema.

A Ciência Academica Oficial não tem a formula natural universal para sistemas naturais, por isso faz grande confusão entre sistemas, processos e partes ativas ou desativadas despregadas de sistemas. Por exemplo, vejamos um texto onde essa falha produz erros conceituais:

” Devido a segunda lei da termodinâmica, o Universo tomado como um todo esta inevitavelmente movendo-se na direcao do estado de completo caos e acaso, sem qualquer ordem, padrão, ou beleza. Este destino foi popularizado no seculo 19 como a “morte quente” do Universo”.

Ora, não existe nenhuma prova de que o Universo constitua um sistema. Onde esta’ o núcleo? Quais são as partes funcionais e como funcionam? Como estão conectadas?

Conforme a Matrix/DNA o Universo deve ser uma massa de sistemas – as galaxias, ou conglomerados de aglomerados de galaxias – mas não um sistema, mesmo porque, sua função como reprodutor genético lhe da’ mais a forma disforme e função de placenta. Mas sem a formula da Matrix/DNA realmente muito se confunde sobre o que realmente são sistemas naturais.

Então o falho conhecimento sobre sistemas causa esse tipo de desentendimento, por exemplo, entre a vida e a teoria termodinâmica, ou mais exatamente entre os conceitos biológicos e as rígidas leis da Física. Vejamos:

Quando a entropia teve inicio num sistema astronomico, mais preferivelmente um sistema galáctico, ela se inicia na periferia e seus produzidos radicais livres são colapsados para o interior, já que do sistema fechado nada escapa. Estes bits-informação podem se encontrarem na superfície de um planeta na mesma época e causarem o caos entre si pois bits distantes uns dos outros no sistema não se reconhecem e não possuem a tendencia para se conectarem. Disputam espaço, energia, etc. Mas quando bits que foram vizinhos no circuito do sistema se encontram, se reconhecem e se reagrupam tentando reconstruir o sistema para o qual foram modelados. Tudo acontece normalmente como meteoritos no espaço são atraídos para astros e não para gazes.

Este caos inicial produz a continuidade do aumento da entropia, já que o sistema esta’ se enfraquecendo e mais partículas se desviam do circuito. Eu diria mesmo – e isto me ocorreu apenas agora – que, desde que o Sol esta sob entropia, perdendo sua energia, o sistema solar tende a desaparecer pela entropia. ( mas se a formação do sistema se deu pelo primeiro método original, os planetas ainda ativados vão sair antes do sistema, na forma de estrelas, ou novos sois).

O sistema esta’ morrendo, a operação automática de auto-reciclagem vai parar de funcionar, mas na verdade ele não esta’ desaparecendo, e sim, se transformando. Pois os bits reagrupados vão re-ergue-lo, dentro de seu próprio corpo, porem, devidos as abruptas mutações devido a gênese diferente de sistema fechado para sistema aberto, o sistema se transforma de astronômico em biológico. Então a entropia produz o caos, mas no caos ocorre a mutação, transformação e reordenação do estado de ordem. Este é outro detalhe que a Ciência Oficial e a teoria da termodinâmica não alcançaram ainda.

Universo Antes da Origem – Teoria Academica Oficial

domingo, março 5th, 2017

xxxx

http://www.bertolo.pro.br/fisica_cosmologia/Cosmologia/Cosmology/before_the_beginning.htm

Antes do Comeco

Diferenca entre Luz e Radiacao: Desacoplamento da Materia da Radiacao

domingo, março 5th, 2017

xxxxx

Qual a diferença entre Luz ( pela definição da MatrixDNA) e radiação e espectro eletromagnético? Qual a diferença entre o estado inicial da luz no Universo visto pela teoria acadêmica e pela teoria da MatrixDNA? O texto a seguir lança alguma luz na questão:

Texto lido em ( seguindo o texto vem nosso estudo e conclusão):

http://www.bertolo.pro.br/fisica_cosmologia/Cosmologia/Cosmology/decoupling.htm

Era do Desacoplamento

Em todos os instantes iniciais, antes de cerca de 105 anos, a formação dos átomos foi sufocada pelas colisões energéticas de partículas com outras partículas. Para o elétron instalar-se numa vizinhança, grande o suficiente, de um próton, para as forças eletromagnéticas os ligarem, um certo período de paz relativa teve que ser estabelecido. O universo inicial foi, porém, algo mais calmo. As partículas eletricamente carregadas (principalmente prótons e elétrons) fortemente interagiram com radiação altamente energética (fótons) de tal um modo que nenhuma estrutura eletricamente neutra (tais como átomos) fosse capaz de existir. Quando a matéria estiver em um estado eletricamente carregado como este, é dita estar num estado de plasma. Daí a analogia do universo inicial com uma festa selvagem que tem sido usada para a época muito inicial do universo, a “festa” ainda continua a plena velocidade neste momento. Fique tranqüilo, as “fações anti-sociais” como os neutrinos já se foram, e as partículas exóticas, como os quarks, tem sido subjulgados em outras partículas, como os elétrons e prótons, e os fótons “social butterfly” ainda estão tendo um tempo selvagem juntos. Porém, é inevitável que as partículas eventualmente se ligarão eletricamente, pois o universo continua a se expandir. Esta expansão significa que as partículas se esfriam, o que é igual a dizer que a energia cinética que elas previamente tiveram das colisões com outras partículas, começa a se encolher. Aí entra um ponto, quando o fluxo de colisões não é grande o suficiente para prevenir a ligação elétrica. Finalmente são formados átomos estáveis. Estes átomos são os átomos mais simples desde que só os núcleos mais simples tiveram chance de serem formados no universo inicial. Conseqüentemente, o átomo mais abundante é o átomo de Hidrogênio. A maioria do universo seria Hidrogênio atômico (aproximadamente 75%). O resto seria principalmente Hélio

Os fótons que adoram interagir com partículas carregadas por espalhamento delas, têm agora que competir com estruturas atômicas eletricamente neutras. O número de fóton espalhando cai. Uma multidão de fótons, de repente nada tem a fazer. A festa finalmente terminou. Os fótones fluem fora passado os átomos recentemente formados. É dito agora que o universo é transparente a fótones. Este período, entre 1/10 de um milhão de anos e um milhão de anos após o big bang, veio ser chamado de ERA DO DESACOPLAMENTO pois os fótons desacoplam das partículas carregadas durante este período. Eles seguem adiante os “passos” dos neutrinos que fluiram para fora anteriormente,  somente 1 segundo após o big bang. A era anterior a este tempo de desacoplamento às vezes é chamada de ERA DOMINADA PELA RADIAÇÃO, pois a radiação foi tão crucial ao desenvolvimento deste estágio mais primitivo. A radiação destes instantes mais primitivos era a principal forma de energia. A matéria era a princípio quase inexistente e somente gradualmente tornou-se significante quando o número de partículas elementares foram produzidas do instante posterior a Era Inflacionária em diante. Quando os fótons desacoplaram, o último controle significante que radiação teve sobre a matéria diminuiu. Conseqüentemente, depois que este tempo de desacoplamento a era é chamada de ERA DOMINADA PELA MATÉRIA.

Fig 1: Desacoplamento da Materia e Radiacao – Big Bang Theory ( verde significa a era inicial de plasma de hidrogenio. Amarelo sinifica a formacao do primeiro atomo, de hidrogenio).

 

Os fótons que são libertados constituem uma nuvem de radiação que cobre o universo inteiro. Considerando que o  universo está principalmente vazio, não há nada que capturaria todos estes fótons. Conseqüentemente, eles ainda deveriam estar hoje ao redor. Além disso, desde que o big bang aconteceu em todos lugares, que estes fótons deveriam estar em todos lugares. Esta é uma predição da teoria do Big Bang.

Matrix: E esta teoria de que os fótons do Big Bang devem estar em todos os lugares ainda hoje seria a causa da radiação de fundo cósmica. Eles seriam a radiação. A radiação que segue este tipo de curva foi observada como vinda de todas as direções do espaço em 1965, nos Bell Laboratories Estados Unidos, por Arno Penzias e Robert Wilson.

xxxxx

” … Após a temperatura ter atingido níveis mais baixos, aproximadamente 3000 K, a Nucleossíntese Primordial cessou, pois, não mais existia calor suficiente para prosseguir com as reações de formação de novos elementos

Neste momento, o Universo tornou-se transparente à radiação. Este processo é conhecido como desacoplamento da matéria e da radiação (figura 1)

Nesta fase, com o decrescimento da temperatura a níveis cada vez menores, prótons puderam combinar com elétrons livres para formar o primeiro átomo, o átomo de Deutério. E, tendo o átomo de Deutério grande instabilidade, pares destes átomos puderam se unir formando uma molécula de Hidrogênio,H2.  2

A partir desta época, a matéria estava livre para se condensar. Agora, a matéria passa a dominar o panorama. O que antes era domínio da radiação passa a ser domínio dos átomos e moléculas e a gravidade reivindica o seu poder.

A gravidade, atraindo a matéria para regiões mais densas que outras da vizinhança durante milhões de anos, provocou a formação de grandes nuvens moleculares de onde serão formadas as estrelas e da reunião das estrelas, galáxias.

xxxx

Analise da MatrixDNA:

Primeiro, o conhecimento agora de que a teoria sugere ter havido nas origens do universo uma separação entre matéria e radiação ( que seria luz para Matrix) incita uma suspeita inquietante e muito profunda. Houve um conflito da matéria ou da formula da Matrix quando o sistema astronomico se formou como sistema fechado, cortando relações com o resto do mundo. Então seria o segundo conflito. Isto sugere a inquietante possibilidade de que neste universo existe duas entidades opostas, sempre se defrontando. E como estas substancias destas duas identidades vieram de antes do Big Bang, então parece que o conflito vem do alem do universo. E seriamos nos uma destas duas entidades ou um terceiro elemento que fica pagando o pato nestas guerras? Tenho que tentar esquecer esta suspeita, de entidades em conflito ( deuses e demônios?!), pois nunca poderia resolver isto.

Segundo, estes fótons seriam os bits-informação genéticos escapados da formula da Matrix na onda de luz primordial. Ou seriam os fótons negativos, escuros, do reino da energia negra e dark matter, que estão retornando, recompondo a luz, tendo como meta retornar a fonte da luz? Novamente sinto que estou saindo fora do aqui e agora pratico, vamos esquecer isto…

 

Mensagem da Matrix/DNA: Nao se Reduza a Um Ponto, Nem se Dissipe Como Uma Nuvem, Mantenha-se Sempre no Centro

quarta-feira, fevereiro 1st, 2017

xxxx

Descobri isso agora pensando num funcionário com quem fizemos um trabalho a pouco.
Existem dois tipos de pessoas em relacao a mente. Uma e’ uma espiral que começa com um ponto no cérebro e a espiral tende a se expandir no ambiente externo até se desmanchar. O outro tipo e’ exatamente a espiral em sentido oposto que começa de uma nuvem rotativa no ambiente externo e a espiral vai se colapsando ate se tornar um ponto no cérebro. Saber isto pode ser muito útil quando estamos numa situação qualquer como a do trabalho que acabamos de fazer, ou no relacionamento com alguém do sexo oposto. Eu e o funcionário somos exatamente os opostos… então entendi o comportamento dele mas como ele não sabe disso, não entendeu e sentiu-se desconfortável com o meu.
 
Alias, este aspecto da nossa existência é muito importante, está’ a afetar-nos muito mais do que imaginamos. Pois tudo o que apareceu neste nosso Universo veio em dose dupla, a famosa dicotomia, a dualidade dos opostos. Se existe o calor tem que existir o frio, se existe o masculino tem que existir o feminino, e assim por diante. E de tudo o que apareceu nesta Natureza universal, só permaneceram existindo aquelas dualidades que se fundiram depois de se guerrearem, e na fusão, alcançaram o ponto do equilíbrio, ou do meio termo, quando então os dois tornados um produziram um terceiro, que veio mais evoluído que os dois anteriores.
Então aprendemos que em nenhum aspecto do dualismo será inteligente ser extremista, manter sua tendência oposta ao seu par que unicamente e’ um inimigo,um competidor, querendo ser seu dominante. Pela herança da sua natureza, que vem de um lado dualista desde as origens do Universo, o homem tende a ser a espiral que começa como uma nuvem fora do cérebro, a qual se torna o estímulo de um pensamento que vai se colapsando, entrando no corpo todo, até, como dizemos, focar sua atenção exclusivamente no seu umbigo. E pela tendência natural oposta, a mulher tende a começar focalizada no seu umbigo e dai a espiral se expande saindo do corpo, revolvendo o ambiente imediato ao redor, e dependendo da sua evolução mental, ela pode continuar se expandindo no mundo externo, até o caso raro onde as mulheres dirigem sua atenção para o macro e o microcosmo – que são as realidades mais distantes dos nossos cinco sentidos – e onde começa a filosofia. Uma prova disso esta no inicio da civilização, quando o homem assumiu o comportamento de ser caçador, guerreiro se aventurando longe da casa de onde sai, enquanto a mulher assumiu o comportamento de se fixar dentro da casa e desejar transforma-la no seu paraíso. Mas claro, esta espiral se relaciona com outra, que pertence `a dualidade “tendência a evoluir- tendência a se acomodar”, a qual ainda depende das condições materiais de nascimento das pessoas, por isso, existem homens com sua espiral normal tendente a extroverter-se menor que algumas mulheres com sua espiral tendente a introverter-se.
Eu disse acima ” desde as origens do Universo” porque é assim que no espaço inicialmente vazio, contendo apenas a substancia inerte espacial, deste nosso mundo, surge as fantasmas e semi-material manifestações. Elas surgem pipocando por todos os lados, dividias em dois grupos. Um grupo surge como um pequeno ponto cresce se enchendo de energia, espiralizando-se como que dentro de uma bolha, e cresce ate estourar, por excesso de energia; o outro grupo exatamente igual na forma (que da origem ao fenótipo genético) do primeiro, mas com sentido e tendencia exatamente oposta, surge da nuvem energizada do estouro da primeira e rotativamente vai se colapsando formando uma espiral como que dentro de uma bolha, perdendo energia, reduzindo-se ate desaparecer na forma de um ponto.
 
Este e’ o grande segredo dentro dos núcleos dos átomos, os tijolinhos fundamentais de toda a matéria existente. Quem descobriu foi o físico japonês Hideki Yukawa, que ganhou o Premio Nobel. Chama-se “a cola nuclear”, ou “força forte” que liga prótons a nêutrons. O próton esta’ cheio de energia, e o nêutron nada tem de energia. Então o próton irradia sua energia na forma de um sinal/partícula denominado píon, na direcao do neutro. O próton vai esvaziando e o nêutron vai se enchendo. Então os dois iriam morrer porque o nêutron iria explodir por excesso de energia e o próton iria implodir pela falta. Mas quando passa do meio da quantidade de energia – quando o próton se tornou nêutron e o nêutron se tornou próton – antes que explodam o agora próton passa a devolver a energia ao agora nêutron. E assim se acasalam, formando uma especie de gangorra em equilíbrio eterno, e gracas a esta gangorra nos existimos. Tanto que se conseguíssemos introduzir uma lamina entre todos os prótons e nêutrons do mundo material, o Universo imediatamente desapareceria tornando-se uma nuvem de luz!
 
Prótons e nêutrons formaram um casal, um par de sócios, e por isso conseguiram viver mais que os 17 bilionésimos de segundo que viviam como espiral e firmaram sua existência. Desta união surgiram os elétrons, então formou-se a primeira ancestral de nossas famílias que temos hoje: no lar nuclear, dentro da casa, esta o casal tranquilo ligados eternamente, e la’ fora, no quintal, nas sete orbitas eletrônicas, brincam as crianças,, quer dizer, os elétrons peraltas, que não param de correr.
 
Torna-se para os humanos um problema muito serio esta diferença de tendencia dos opostos, pois dai nascem todos os nossos conflitos mútuos. Surge a dualidade predador/presa, comunista/capitalista, a deísta/ateísta, a machista/feminista, etc. Mas sempre foi assim quando a Natureza criou uma nova forma de sistema, seja o atômico, o astronomico, o biológico vital, etc. No principio é o caos gerado por estes conflitos entre opostos. Uma guerra entre dominantes e dominados que vão se alternando nestas posições, Se esta guerra continua por muito tempo enquanto outras condições do ambiente a volta vão mudando, o par entre conflito pode perecer para sempre. O mundo devia ser metade anti-matéria, os cientistas estão procurando ela em todos os cantos, mas ela sumiu. E possível que tenha sido uma dualidade que nunca conseguiu se fundir. Mas se os opostos começam a se entenderem, a se aproximarem sem violências, tem inicio o fluxo da ordem que se projeta no ambiente a volta gerando um pequeno paraíso para os dois.
 
A espiral (ou bolha, como queira) que tende a se extroverter, tende a se expandir até não mais conseguir se manter estruturada e assim se dissipa. E chamado de sistema aberto. A outra espiral tende a ser um ponto cada vez mais minusculo até desaparecer. Era um sistema fechado em si mesmo. As duas tendem ao egocentrismo, ao egoismo, ao extremo. Assim é o predador, o leão, sistema aberto, e a presa, a ovelha, sistema fechado. A sabedoria consiste em exorcizar esta tendencia extremista nos dois casos. Um tem 50% das verdades do mundo e 50% das mentiras, o outro, vive-versa. Então a sabedoria esta’ nos dois cederem-se naqueles 50% que estão errados, aceitando e absorvendo do outro os seus 50% do certo. Quem age com essa sabedoria e’ o tolerante, o paciente, o sociável; quem teima em manter seu caráter herdado natural rígido sera sempre o extremista, o fundamentalista.
 
E todos estes vão para sua extinção, como foram os dinossauros, os leões reis dos continentes, as baleias rainhas dos mares, as águias rainhas dos ares, e pode ir a humanidade, rainha da modernidade…
Nunca se una nem a comunistas nem a capitalistas, são causas perdidas, assim determina as leis naturais. Não se una a deístas nem ateístas. Se existe Deus não vai Lhe interessar que o fique adorando, mas sim que sejas um braço aberto para abracar e ajudar Seus outros filhos…

Evidencia de Influencia de Universos Paralelos Sobre Nosso Universo

sábado, janeiro 7th, 2017

xxxx

Humanos são quase cegos e insensíveis. Qualquer objeto natural neste nosso mundo – seja uma pedra, a lua, um corpo humano – contem em si as substancias de sete universos paralelos, porem nos apenas captamos nestes objetos uma dimensão, um universo. Para entender isso sera’ melhor observar a figura do espectro eletromagnético abaixo.

Nos vemos apenas o que uma faixa de onda da radiação cósmica (a qual denominamos de luz e produz sete tipos diferentes de energia) nos revela, e sentimos apenas esta faixa dos objetos quando os pegamos com nossas mãos. Não é difícil entender isto se lembrar-mos que a Física descobriu que no minimo 95% do nosso sistema solar é vazio, apenas 5% e’ matéria tal como a captamos. Estes 95% de espaço vazio esta’ sendo suspeito de conter massa e energia escura ( segundo nossa perspectiva de quase cegos). Mas o sistema solar é uma especie de edifício que tem como tijolinhos fundamentais os átomos. Novamente quando se observa um átomo, ele aparece no minimo 95% vazio, sendo apenas cinco por cento constituído de matéria na forma de partículas. Acontece que quando vemos mais a fundo estas partículas (prótons, elétrons, neutrons) novamente volta o nosso pesadelo: elas são apenas 5% constituídas de partículas menores, os quarks, fermions, léptons. E quando vamos ver estas…

Enfim, o nosso mundo se resume, se reduz ao vazio. Parece que a matéria que percebemos de fato não existe, ela seria criacao da nossa visão e nossos outros sentidos sensoriais. Isto porque nossa visão e nossos sentidos são feitos com esse mesmo tipo de matéria. Então também nossa visão e nossos sentidos não existiria, … sobrando então apenas a mente, ou alma, como queiram chamar isso. Todas estas sete dimensões, ou universos, seriam construídos pelos fótons que resultam no final da propagação de uma onda (observe na figura abaixo a faixa F7, na extrema margem `a esquerda, quando o espectro da onda se decompõem em fótons), cujos fótons caem dispersos na substancia espacial e tentam desesperadamente retornarem a se comporem como uma unica onda e assim fazem o caminho reverso da onda, começando por construir o universo de F6, depois o de F5, etc, até chegar a fonte, que deve ser extra-universal, antes e alem do nosso Big Bang. Nesta situação estes fótons seriam escuros e negativos, contrastando com os luminosos e positivos que vinham na onda. Voltando a fonte significa que o filho prodigo perdido e vivendo no chiqueiro faz o caminho de retorno `a casa de seus pais… metaforicamente falando.

Eu descobri esta analogia com o mito cristão ( e as religiões orientais dizem mais ou menos a mesma coisa) quando botei os dois baloes de Yukawa nas origens do nosso Universo a rolarem num gráfico cartesiano ao sabor do tempo e do espaço mas dirigidos pelo mecanismo da evolução cosmológica. Os baloes se tornaram átomos, depois galaxias, etc., ate chegarem a forma de autoconsciência, mas neste ponto, o final da historia chega ao mesmo ponto de sua partida, mostrando que foi uma historia vazia, como e’ o nosso universo ( o gráfico chama-se ” Do Big bang ao Big Birth” foi feito na selva a 30 anos atras e não me lembro se o trouxe para este website ou se ainda esta no fundo de alguma gaveta esquecido. Ou se foi perdido na selva naquela vez que estava atravessando um igarapé quando notamos que tinha aqueles jacarés gigantes na água – o jacaré-acanga – e tive que jogar longe na água a pesada mochila para poder correr e me salvar. Perdi muitos desenhos e cálculos para conhecer o mundo em nome de salvar minha vida, uai! … Eu nunca concordei com a ideia de ter vindo ao mundo para ser apenas um almoço de jacaré).

No final o gráfico mostrou que a forma do nosso universo é a forma do DNA. Então percebi que meus neurônios – que foram realmente quem estava fazendo a experiencia – se auto-projetaram na pesquisa e assim, antropomorficamente, viram o universo a sua imagem e semelhança. Guiado por outra cosmovisão, Einstein morreu acreditando que o universo teria a forma cilíndrica. Bem, cilíndrico é a aparência de um filamento do DNA visto a distancia, então, de alguma forma, Einstein também não conseguiu evitar o danado do antropomorfismo, projetando a realidade humana, o próprio umbigo, como sendo a fonte de onde se projetaria a realidade do mundo. Dando prosseguimento ao vicio dos autores da Bíblia que se viram na face de seu criador. Então cheguei a conclusão que o Universo é relativo, ou seja, ele pode ter mil faces diferentes, cada uma para satisfazer o gosto de um observador. Ele se veste de acordo com o sabor do fregues que o observa. No gráfico vemos sete possibilidades de sete formas diferentes e isso veio mais tarde bater quando aprendi sobre o espectro eletromagnético com suas sete faixas visionarias. No fim, todas estas faces relativísticas que são reais nos seus pontos do tempo e espaço, formam um oitava face final… a face do nosso real criador, ou da fonte primeira destes sete universos.

Na minha cosmovisão da Matrix/DNA, este nosso mundo nada mais é que as coisas fabricadas por fótons misturados `a substancia do espaço – que pode ser essa dark matter e energia – fótons estes que escapam (devido a entropia da luz) das ondas de luz ( ou radiação cósmica), natural, e escapam do trecho da onda que chamamos de luz visível. Então nosso universo exprime ou expressa esta faixa com sua especifica frequência/vibração. Não temos ideia de onde vem essa separação por frequências/vibrações e porque é assim, pois isso vem de antes do Big Bang, do alem do nosso universo.

Mas cada uma das outras seis faixas da luz cria um universo especifico. E seus tijolinhos fundamentais não devem ser átomos como os nossos, são coisas que não conseguimos imaginar. Assim se levantam edifícios ate mesmo ocupando o mesmo espaço onde estamos, sem que tenhamos a menor percepção de sua existência. Eles devem serem constituídos também de apenas 5% de sua substancia fundamental e no fim devem serem vazios também. Mas não são os 5% que ocupamos e sim outros 5%. Então quando pegamos uma pedra, ela pode ter uma aureola de “matéria” deste outro universo, a qual atravessa nossas mãos, ou nossas mãos a atravessa, sem que a percebemos e sem que a vemos.

Mas não creio que estamos fadados eternamente a essa cegueira e insensibilidade. Na figura do espectro vemos que não existe faixa isolada, cada uma depende de todas as outras para existir, e elas se interagem, se conectam. Creio que com a evolução vamos desenvolver mais estes sensores limitados que temos no cérebro e inclusive desenvolver novos tipos de sensores que ainda nem conseguimos imaginar o que sejam. E esta evolução continuara’ a ser movida pelo feed-back entre luz e dark matter, melhorando nossos hardwares os quais por sua vez vão facilitando o retorno de nossos fótons que compõem nosso software/consciência. Com melhores hardwares nos impulsionamos o desenvolvimento da nossa consciência a qual parece ser a substancia fonte da luz natural. A nossa consciência ainda esta’ no estado embrionário ou de baby recém-nascido, pois ela nem sequer abriu os seus próprios olhos, para ver a forma de seu corpo e a substancia de que é feita. Tendo em vista nossa teoria, vamos agora ao artigo que como sempre, são as descobertas e avanços científicos e tecnológicos que estão nos proporcionando elementos para cada vez mais desenvolver-mos nossa cosmovisão. E este artigo apresenta novidades as quais já estariam previstas pelas bases da nossa cosmovisão, portanto, seria mais uma previsão acertada previamente, ou no minimo, mais uma evidencia arrolada para reforçar nossa cosmovisão. ( Não se desanime pelo artigo em inglês não ter sido ainda traduzido mas observe que no meio do inglês tem as nossas analises em português):

https://www.newscientist.com/article/2112537-smallest-sliver-of-time-yet-measured-sees-electrons-fleeing-atom/

Smallest sliver of time yet measured sees electrons fleeing atom

(traduzir)

It’s like catching light in action.

Matrix/DNA: Comecou bem. O que faz diferentes universos são as sete diferentes frequências/vibrações da onda de luz.

For the first time, physicists have measured changes in an atom to the level of zeptoseconds, or trillionths of a billionth of a second – the smallest division of time yet observed.

Matrix/DNA: Hummm… isto quase elimina o tempo do nosso Universo, ou seja, a linha que conecta varias formas diferentes de um único ciclo vital – em outras palavras, isto e’ isolamento e separação dos eventos, ou movimentos. Isto tornaria mais fácil para forças de um universo paralelo entrar no nosso universo através das brechas criadas por esta separação. Mais explicitamente dizendo, seria fótons escapados de uma frequência vizinha invadindo nosso espaço e ao penetrar nossos elétrons, ajuda-os a escaparem também.

In this case, the speed demon was an electron escaping the bonds of its parent atom. When light strikes electrons, they get excited and can break free from their atoms. The photon’s energy is either entirely consumed by one electron or divided among several. This electron ejection is known as the photoelectric effect, and was described by Albert Einstein in 1905.

Previous experiments studying this effect could only measure what happened after the electron was kicked out of an atom, says Martin Schultze at the Max Planck Institute of Quantum Optics in Garching, Germany.

 Now, he and his colleagues have seen the other end of the process. They measured the entire ejection of electrons from a helium atom from start to finish with zeptosecond precision (10-21 seconds), marking the smallest time slot ever measured.

Quick getaway

In a series of experiments, the team fired an unspeakably brief, extremely ultraviolet laser pulse at a helium atom to start exciting its pair of electrons. This pulse lasted just 100 to 200 attoseconds, or 10-18 seconds. But by making many readings and calculating their statistical spread, they were able to measure events at a rate of 850 zeptoseconds.

They also fired a near-infrared laser pulse, lasting just four femtoseconds (1 femtosecond is 10-15 seconds). This pulse was able to detect an escaping electron as soon as it was freed from the helium atom. Depending on the electromagnetic field of the laser pulse, the electron either accelerated or decelerated.

Matrix/DNA: Ok, então eles teriam feito dois universos paralelos (um formado por infravermelho e outro por ultravioleta) emitirem seus fótons e invadirem nosso universo. Cabe-nos agora puxar para cá o espectro e analisar a posição destes universos em relacao ao nosso.

 

Light - The Electro-Magnetic Spectrum as The Code for Systems and Vital Cycles

Light – The Electro-Magnetic Spectrum as The Code for Systems and Vital Cycles

Matrix/DNA: EXATAMENTE! Este tipo de satisfação nos propicia quando nossa visão de mundo acerta nossas previsões com os fatos reais! Temos o infravermelho como nosso primeiro vizinho universo paralelo `a nossa esquerda, e o ultravioleta como nosso primeiro vizinho `a direita. Pelo que deduzo da figura, o ultravioleta (onda mais curta, tempo mais acelerado) tende a acelerar o elétron, enquanto o infravermelho tende a desacelera-lo, e tornaria nosso mundo mais lento. 

“Using this information, we can measure the time it takes the electron to change its quantum state from the very constricted, bound state around the atom to the free state,” says Marcus Ossiander at the Max Planck Institute.

Matrix/DNA: Quando alcançamos o quantum state estamos atingindo o limite microscópico do nosso universo, o que significa que estamos nas fronteiras entre nosso universo e nossos dois vizinhos, `a esquerda ou `a direita. E’ compreensível que nesta fronteira, os fótons aprisionados em nossos elétrons tentem escapar para o lado de la da fronteira e montar o tipo de matéria que existe la’ ( que não deve ser uma matéria baseada em átomos como seus tijolinhos fundamentais).

The ejections took between 7 and 20 attoseconds, according to Schultze, depending on how the electron interacted with the nucleus and the other electron.

“We only need to know the time centre of the pulses very precisely, and our technique allows us to measure this to very high precision,” Ossiander says. “An even shorter pulse would give better time resolution, but the resolution can far exceed the pulse duration. We can confirm this by doing statistics for a lot of measurements and calculate the statistical standard error of the mean, which in our case is 850 zeptoseconds.”

The researchers were also able to measure how the electrons divided up the laser’s energy, taking an even or uneven share. In some cases, one of the two electrons grabbed all of the energy. Several factors influenced this energy split, from the quantum correlation between the electrons to the electromagnetic state of the laser field, Schultze says.

Two’s company

One reason for choosing helium is because it has just two electrons, allowing direct measurement of their quantum mechanical behaviour. For an atom with more electrons, some assumptions would be needed about how the energy was divided and the time taken for ejection.

The results are an important window into the quantum behaviour of atoms, especially how their electrons work, Schultze says. Understanding that could lead to insights into phenomena like superconductivity or quantum computing.

“There is always more than one electron. They always interact. They will always feel each other, even at great distances,” he says. “Many things are rooted in the interactions of individual electrons, but we handle them as a collective thing. If you really want to develop a microscopic understanding of atoms, on the most basic level, you need to understand how electrons deal with each other.”

Matrix/DNA: Porque um humano interage com outro humano? Não por causa de seus corpos brutos, materiais, os quais são insensíveis e cegos perante a presença de outros corpos. Nós interagimos devido ao software que temos em nossos corpos, aos quais chamamos de mente. Este software, seja no seu estado primitivo totalmente inconsciente ou no estado mais evoluído com um embrião de consciência como e’ o caso humano, e’ constituído de luz e o que interage são as suas diferentes frequências, de preferência na sequência de seu ciclo vital, como esta demonstrado na figura. Elétrons são os corpos-objetos cegos e insensíveis, não são eles que se interagem, mas sim os fótons de luz que estão dentro deles.

Visualisation of electron leaving atom

An electron makes its escape Schultze/Ossiander

Pesquisa:

extremely ultraviolet laser pulse

Vide: Cheap lasers could capture electrons in motion

https://www.newscientist.com/article/dn19255-cheap-lasers-could-capture-electrons-in-motion/