Posts Tagged ‘Visão’

A Matrix/DNA foi descoberta após uma lavagem cerebral na selva.

segunda-feira, novembro 5th, 2018

xxxxLavagem cerebral da MatrixDNA

A cultura humana de 10 ou 15.000 anos foi construída por uma tendência instintiva herdada do reino animal – o instinto predador dominante – e a visão de mundo com que ela configurou as conexões entre neurônios e demais elementos do cérebro nos conduzem a interpretar os fenômenos naturais, a existência e seus significados, de forma equivocada. So ha uma maneira de recuperar a razão autêntica natural e essa e’ desaprendendo tudo o que se aprendeu. Aqui nos tentamos fazer isso pelo método da desconstrução cultural, o qual funciona questionando e mostrando a insensatez das atuais interpretações e sugerindo as novas interpretações que emergem da nossa visão do mundo. Sempre lembrando que a nossa não deve ser a verdade total, portanto, apenas sugerimos, não impomos.

Consciencia: o que e’.

sexta-feira, outubro 12th, 2018

xxxx

O psiquiatra Giulio Tononi disse:

“Todo mundo sabe o que é consciência: é aquilo que nos abandona toda noite quando dormimos sem sonhar e retorna na manhã seguinte quando acordamos.”

Existe outro fenomeno similar na Natureza. Todo anoitecer o Sol se esconde de nos e retorna na manha seguinte. Nao seriam os dois personagens – o Sol e a consciencia – tao diferentes, compartilhando o mesmo significado de existencia?

O Sol se poe toda a noite, mas ele não desaparece, não deixa de continuar existindo, no seu lugar. Nao seria a consciencia algo que existe em seu lugar, fora de nos ?

O Sol sai da nossa realidade visual e tátil durante a noite. Mas durante o dia ele volta a entrar na nossa bolha de existencia. Nao haveria atrelada ao nosso cerebro uma bolha na qual a consciencia entra quando acordamos e sai quando dormimos?

Mas ai somos levado a um pensamento exdruxulo, mas alentador: isso quer dizer que a consciencia entra em nos quando nascemos e sai quando morremos. Ela não morre quando morremos.

Se houver um inconsciente coletivo tal como Teilhard di Chardin imaginou, uma especie de camada atmosférica consciente do planeta formada por fragmentos dentro de cada cerebro humano, nos estaríamos inconscientemente vendo o SOL de todos os cantos da Terra onde e’ dia. Pois os 8 bilhoes de olhos – para o inconsciente coletivo seria apenas um so’. Entao no inconsciente coletivo deveria haver apenas uma visao do Sol, mesmo que nos individualmente vemos um fragmento dessa visao. Assim, talvez essa consciencia que vai e volta na verdade e’ uma so, pairando sobre todos nos… O que nos atrapalha e’ que somos uns “bolhas”, e isto acontece por causa do ego egoista individualista.

E la vem alguem querendo mais carona nessa carruagem de opiniões. Ele vem dizendo que a Humanidade e’ um individuo que tapa o olho esquerdo com uma mão e ve o SOL com apenas o outro olho que fica aberto na outra metade do planeta. Depois ela troca os olhos e ve o Sol na metade de ca. E assim vive sucessivamente trocando os olhos… Ele arremata que nunca consegue entender estes comportamentos esquisitos dessa Humanidade.

Eu ando por ai com aquelas arapucas de rede para pegar borboletas, tentando achar e pegar a minha consciencia. Ou a de outro que por acaso esteja perdida por ai. Um dia ainda agarro ela…

O Olho Humano Interpretado pela Matrix/DNA

quinta-feira, novembro 2nd, 2017

xxxx

(Artigo em construcao: Copiar e traduzir o artigo para interpreta-lo pela Matrix/DNA)

Como os Olhos Humanos Funcionam ( How the human eyes works)

https://www.livescience.com/3919-human-eye-works.html

Fromer explained that the retina is the innermost of three tissue layers that make up the eye. The outermost layer, called the sclera, is what gives most of the eyeball its white color. The cornea is also a part of the outer layer.

The middle layer between the retina and sclera is called the choroid. The choroid contains blood vessels that supply the retina with nutrients and oxygen and remove its waste products.

Embedded in the retina are millions of light sensitive cells, which come in two main varieties: rods and cones.

Rods are used for monochrome vision in poor light, while cones are used for color and for the detection of fine detail. Cones are packed into a part of the retina directly behind the retina called the fovea, which is responsible for sharp central vision.

When light strikes either the rods or the cones of the retina, it’s converted into an electric signal that is relayed to the brain via the optic nerve. The brain then translates the electrical signals into the images a person sees, Fromer said.

Matrix/DNA: Observar como a anatomia da visao imita a formula Matrix/DNA. Na retina tem dois tipos de celulas que sao sensiveis `a luz: as rods (hastes) e a cones. Rods entram em atividade para a chamada visao monocromica em pouca ou rara luz, enquanto as cones sao ativadas em forte luz normal para ver os detalhes. Quando a luz externa chega nas rods e cones da retina, ela e’ convertida em sinais eletricos ( guardar isso para a categoria Luz) que e’ emitida para dentro do cerebro por dentro do nervo otico. O cerebro entao decodifica os sinais eletricos transformando-os nas imagens que vemos. Indo para a formula, nos temos nesta o cone central e as duas hastes ligadas a ele, uma que parte dele e outra que chega a ele. Entao as celulas cone sao o F1 da formula e isto significa que as cones, e apenas elas, transformam a luz que chega em sinais eletricos, pois o cone de F1 na formula sempre faz isso: transforma o material decadente que chega nele , reciclando-o e enviando-o para ser refeito na forma do Sistema de onde ele veio. Nao sei se os oftalmologistas e outros especialistas da visao sabem disso, o que e’ muito importante para se tratar os defeitos da visao. A haste que parte e que corresponde de F2 a F4 “viaja” no quase escuro, pois na formula, as formas do corpo que viaja dentro da haste esquerda nao emitem luz (lua, planeta, pulsar). No olho, este fluxo de F2 para F4 se torna sinais eletricos. Heeeeeeiiiii…!!! Acabei de descobrir mais um fator que faz com que o nosso cerebro esquerdo esteja dominando sobre o direito: as informacoes visuais que captamos atraves da visao entram no hemisferio esquerdo e se chegam ou nao ao espelho luminosos que e’ F6, nao importa, sao informacoes que passam a maior parte de seu tempo de vida dentro do cerebro sendo processadas apenas pelo lado esquerdo! Decididamente, o0 direito nao foi feito para ajudar o humano neste seu mundo, ele e’ um fluxo de saida, uma porta aberta, um elo, para uma dimensao mais luminosa a nos paralela.

Mas surge aqui esta questao: sera que a imagem refletida dentro do cerebro se de pelas propriedades estelares de F6?! Quando F6 deve produzir sua luz propria ( talvez devido a convergencia e acumulo de biofotons), e quando estamos falando de luz que entra na visao, torna-se pensavel que F6 atue como um espelho, pois e’ luz (interna) recebendo luz (externa). O problema e’ que ainda nao identifiquei no cerebro qual o elemento que representa F6. Mas devo lembrar que nao se deve sobrepor a formula na sua posicao vertical sobre o cerebro que esta na posicao vertical normal humana, e sim, deve-se sobrepo-la horizontalmente como um meridiano da circunferencia cerebral que permanence na posicao vertical. Assim, a abertura entre os dois lados do cerebro, na posicao normal vertical, para a formula nao tem topo e base vertical, mas sim serve para ver as duas faces da formula quando ela esta deitada ( ou seja, posicao horizontal).

A retina aprenta-se como um ponto central que tem duas hastes para um lado e mais duas hastes para o outro lado. As duas hastes que descrevemos acima e que vao para dentro do cerebro estao opostas as duas hastes que do outro lado formam o olho, e estas hastes sao a cornea, sclera, e cloroid, a qual consiste no vaso sanguineo que corre no olho trazendo nutrients e levando o seu lixo, exatamente o que tambem fazem as hastes na formula. Pela primeira vez vejo a formula da Matrix assim, dupla ou duplicada, enquanto mantem apenas um nucleo. Nao sabia disso – que ela tem tambem esta propriedade – e isso abre novas pesquisas, faz rever o que foi pensado, terei que fazer um novo desenho da formula, etc.

E uma nova informacao captada aqui e’ muito importante: a formula faz a luz se transformar, ou se codificar, em sinais eletricos! Raios, o que significa isto? pensando bem isto ja estava previsto mas entao, nao seria uma transformacao ou decodificacao. Pois sinais eletricos deve significar eletrons em movimento, e eletrons sao veiculos dos fotons, e’ como se os sinais eletricos se parecam com carros passando numa avenida e tendo como motoristas, os fotons. os quais sao as particulas da luz. Devem ser as particulas da luz externa que entra no olho. Entao no olho a luz e’ decomposta em seus framentos, seus building blocks, carregados pelo nervo otico, ate chegarem ao element na parte posterior do cerebro onde os fotons se juntam novamente, reconstruindo a luz eszterna. E a luz externa, quando entrou no olho, trazia em si uma especie de holograma dos objetos refletidos, assim como conseguimos impregnar uma fita cinametografica com imagens/hologramas de objetos reais. Mas… raios, se eu estou num ambiente como um escritorio iluminado por ula lampada e olho para o espaco vazio sendo atravessado pela luz nao consigo imaginas como essa luz esta carregando imagens, ou hologramas dos objetos do escritorio. Entao a luz bate no computador, nao o atravessa e reorna para o espaco. Mas quando ela bateu no computador ela extraiu dele sua aparencia e quando eu boto na cara no meio disso tudo, meus olhos capturam ela luz retornando ao espaco, e tenho a capacidade de ver a aparencia do computador, ou um holograma do computador! A luz seria entao um oceano de uma substancia holografica, homogenea, que ao atravessar a dark matter cria bolhas dentro das quais ficam aprisionados porcoes da substancia holografica misturadas com dark matter, e dessa mistura surge massa e energia, ou seja, materia, e cada bolha, cada porcao dessa materia se tornam objetos, na forma de objetos, gasosos, liquidos ou solidos. Rompe-se a bolha, os objetos estao livres no espaco mas dentro do oceano holografico. E a substancia holografica em torno dos objetos e’ modelada pelos objetos, na forma de hologramas, os quais sao captados pela nossa visao. Sabendo-se que estes hologramas se tornam visiveis dentro do cerebro humano, suspeita-se que de alguma forma dentro do cerebro humano exista uma porcao desse oceano holografico que denominamos de luz. Sera isto a consciencia?!      

Quais os recursos atuais expandindo nossos sentidos para visao alem da luz visivel

domingo, agosto 27th, 2017

xxxx

Humanos sao praticamente cegos, em relacao `a totalidade da realidade. Vemos apenas, e sentimos apenas, as coisas refletidas pela faixa de luz visivel, enquanto as coisas das outras seis faixas continuam ignoradas. Estamos desenvolvendo alguma tecnologia que nos esta’ permitindo curtas e breves incursoes nas dimensoes vizinhas. Quais sao? A figura abaixo apontou algumas:

The Bullet Cluster

The Bullet Cluster is one example of a cosmic feature that indicates the presence of dark matter, a substance that doesn’t interact with light or with itself. The image combines X-ray and visible light images, as well as gravitational lensing data.

The Bullet Cluster is one example of a cosmic feature that indicates the presence of dark matter, a substance that doesn’t interact with light or with itself. The image combines X-ray and visible light images, as well as gravitational lensing data. Credit: X-ray: NASA/CXC/CfA/ M. Markevitch et al.; Lensing Map: NASA/STScI; ESO WFI; Magellan/U.Arizona/ D.Clowe et al. 
Optical: NASA/STScI; Magellan/U.Arizona/D.Clowe et al.

The Bullet Cluster

A Visão Profética ou Remota Explicadas pela Matriz/DNA (The Evolution Return)

terça-feira, março 29th, 2016

xxxx

(Tese em construção:

  1. – Refazer o gráfico pois as setas estão na direcao errada?
  2.  – Continuar pesquisa abaixo )

the-prophetic-vision.jpg

Uma visão futurista, profética, pode ser uma visão genuína do passado, uma certeza subconsciente que aquilo, aquela cena é real, mas como não se lembra o acontecimento e não se distingue o ambiente, situa-se-o no futuro. Ex.: os lagartos de 45 milhões de anos atras poderiam ter flashes de memoria da existência de dinossauros, quando estes estavam extintos a 15 milhões de anos antes. Mas os antepassados dos lagartos os viram, as imagens podem serem registadas na memoria e expressadas depois nos descendentes. No gráfico, a linha vermelha C>A, indica como, na Evolution Return, o tempo retorna do futuro em direcao do passado, em termos de historia real, porem ‘e ignorado pelo processo da Evolução que apenas conta o tempo que gerou acréscimos de complexidade.

Milhões de textos foram escritos e bilhões de discussões orais foram travadas ( e textos e discussões continuam) por seres humanos sobre relatos de imagens e eventos  não pertencentes ao nosso mundo material captado pelos nossos cinco sentidos. São relatos situados no passado – como a de Adão e Eva no Paraíso, ou da cabeça de um dragão emergindo da água de um lago no caso do I Ching – como são relatos situados no futuro – notadamente as visões de Nostradamus. Tais visões foram divididas em dois grupos: visões proféticas e visões remotas.  Porque é que algumas pessoas relatam estas coisas e porque estes relatos tornam-se fonte de pensamentos para a maioria dos seres humanos? Tem algum fundamento tais relatos e tem alguma explicação a recepção de tais relatos pela maioria das pessoas?

Como o mais extremista racionalista que existiu dentro da comunidade de investigação dos fenômenos naturais ( a Teoria da Matriz/DNA é prova disso) eu comecei minha vida filosófica tendo aversão por estes relatos e pelos tratamentos que receberam da maioria das pessoas, pois para mim qualquer relato de algo que não fosse contido dentro da dimensão material abordável pelos nossos sentidos e instrumentos científicos não deveria receber qualquer consideração. Mas então aconteceram comigo ou ao meu redor experiencias físicas que tocavam de perto o conteúdo de alguns destes relatos, às quais não encontrei explicação racional  e como não aceitava deixar qualquer evento real sem explicação,   pus o tema na linha de preocupações para estuda-los a fundo buscando uma explicação racional.

Três experiências pessoais relacionadas à imagens alienígenas:

1)      Uma das maiores surpresas na minha vida aconteceu nos primeiros dias logo após a “descoberta de LUCA”. Luca é o resultado final dos cálculos de como seria o sistema natural mais evoluído que existia a 4 bilhões de anos atras, portanto, momentos antes do inicio das origens da Vida. Tais cálculos me levaram ao espaço sideral buscando em que teria dado a evolução dos sistemas estelares se aplicando o Darwinismo e cheguei ao modelo de um sistema termodinâmico como uma maquina tão perfeita que quase alcança a definição do moto contínuo. Um sistema puramente mecânico mas que teria sido o ancestral da Vida. E nos dias seguintes com a profusão de revelações contendo explicações para os fenômenos naturais que nunca tinham sido explicados antes, uma foi das mais surpreendentes: Luca já era do conhecimento humano a 4 ou 5 mil anos atras pois ele estava perfeita, fielmente descrito – apesar de que em metáforas e parabolas – tanto na Biblia, como no I Ching, como nas Stancias de Dziian da Doutrina Secreta.

Impossível! Se usei os mais modernos conhecimentos jamais imaginados pelos autores mesmo de um século atras, para ver tal imagem desenhada num papel, como alguns primitivos humanos de 5 mil anos atras viram tais imagens?! Claro, esta questão nos abala profundamente ( um dos abalos é descobrir que todo seu trabalho em busca de novidade foi em vão, pois aquilo era mais velho que minha avó) e portanto tinha que ser investigada.

2)      Pessoas analfabetas certamente em estados alterados mentalmente me descreveram pessoalmente a visão de imagens jamais vistas em nossa realidade mas que estavam previstas nas nossas mais complexas teorias. Me refiro aos diagramas sobre particulas elementares, buracos negros, fluxos de energia nos sistemas nervosos e ainda, nativos semi-analfabetos do Brazil relatando visões idênticas às dos chakras e kundaline relatadas por pessoas que viveram na Asia a 5 mil anos atras. Impossivel! Claro que isso merecia uma investigação séria.

3)      Visão noturna de objetos luminosos no espaço na década de 1980 que geraram profusão de comentário popular sobre naves extraterrestres, comunicações com seres extraterrestres, etc. Minha suspeita de tratar-se de meros meteoritos continua sob suspeita devido a vários detalhes daqueles comentários serem realmente merecedores de investigação e colocarem o fenômeno da “visão relativistica” sob investigação.   

    Por mais que tenha buscado nas opiniões mais céticas de racionalistas e em todas as fracassadas experiencias cientificas feitas sobre experiencias análogas às minhas pessoais experiencias, ninguém tem nenhum fato nem contra nem a favor. E sem fatos não existe conhecimento, apenas conjecturas, as quais não interrompem minhas investigações. Até neste momento atual, minhas investigações me conduziram a certas hipóteses e conclusões totalmente diferentes do que qualquer outro ser humano obteve, por isso creio valer a pena o registro para conhecimento de outros que estudam o tema. Em súmula, a síntese do que cheguei até agora está explicita no gráfico acima. Nas linhas seguintes irei direto à descrição do gráfico para as pessoas que não se interessam pelo assunto das visões mas que se interessaram por saber onde nos conduz a teoria da Matriz/DNA. Para aqueles que se interessam no assunto e querem se aprofundar no tema, como eu, seguír-se-á uma compilação sucinta do que existe publicado sobre o tema das visões assim como uma lista de obras a serem lidas, sob o titulo “ O que diz a literatura existente a respeito das visões”.

 the-prophetic-vision.jpg 

Descrição do Gráfico:

Num gráfico cartesiano tendo como coordenada vertical, Evolução, e como coordenada horizontal, o tempo, observa-se que a cêrca de 60 milhões de anos atras, a evolução desviou-se de seu caminho, pois a espécie dos répteis deixaram de evoluir e apenas aumentaram e estabeleceram fixamente o que tinham conquistado. Em outras palavras diz-se que a espécie se super-especializou num modo de vida, tudo fez para acomodar-se e defender este modo de vida, de maneira que interrompeu a evolução e a partir daí se tornou um beco sem saída, como um ramo de uma arvore que seca e se extingue. O que temos hoje de fato indiscutível é que existem répteis e existem mamíferos e existe transformações na hereditariedade de seres vivos e tudo isso nos leva a varias interpretações dentre as quais a eleita cientificamente é a interpretação compilada no que se resolveu denominar “Teoria Darwiniana da Evolução”. Neste trabalho considerei esta teoria a mais razoável mas acrescentei alguns pormenores sugeridos pela teoria da macro-evolução da Matriz/DNA.

Disto tudo se deduz que os mamíferos não emergiram dos dinossauros, por motivos óbvios, como questão da diferença de tamanho, e por deduções retiradas dos fósseis em nosso poder – não discutindo aqui se um dinossauro é mais evoluído que uma lagartixa ou não ( pois para mim parece óbvio que o dinossauro se tornou mais complexo que a lagartixa), tambem parece-me óbvio que o dinossauro atingiu mais complexidade que alguns de seus correligionários de tamanhos médios, os lagartos, crocodilos, etc. E são nestes que vamos nos focalizar porque nos parecem os mais indicados donde se encontrará a espécie exata que saiu desta linha evolucionaria para se tornar no primeiro mamífero. Portanto a linha da Evolução que não havia parado em lagartos e crocodilos seguiu até os dinossauros para aí se perder no vácuo com a extinção destes, e tempos depois recomeçou nos lagartos  e destes deu mais um salto transcendental para uma nova e mais complexa espécie.

Mas o que isto tem a ver com profecias, visões remotas, etc. ?  – “Peraí…”Visões sôbre coisas inexistentes na nossa realidade atual e relatadas como sendo do passado seriam facilmente explicadas se fizer-mos como sugere a Teoria da Matriz: o nosso DNA guarda em sua memória eventos do seu passado, não apenas do período que existe na espécie humana, mas como também dos períodos que existiu nas espécies dos répteis, das bactérias, dos sistemas astronomicos até seus remotos tempos quando se desenvolvia em meio à espécie dos átomos. Por exemplo, a cena do Paraíso descreve o corpo astronomico da nossa espécie ancestral que denominamos LUCA.

Então, no gráfico, estas visões estariam situadas na linha vermelha “L1”.Mas é a linha vermelha “L2”que mais nos interessa aqui pelo seu surpreendente inusitado: ela sugere a capacidade de nosso DNA passar para nossa mente imagens que ele tem registradas do passado mas mascaradas de futuro…! Para explicar o que acontece com humanos temos primeiro que fazer uma analogia com o que acontece com lagartos. 

Observe L2. O ponto “A” representa o ponto da Evolução quando o lagarto era o animal mais evoluído, ou mais complexo do planeta, porem a cerca de 45 milhões de anos. Mas ele está no mesmo nível da evolução do lagarto a 60 milhões de anos. Com uma diferença fundamental: o lagarto dos 60 milhões de anos convivia com dinossauros, enquanto o dos 45 milhões não, pois estes haviam sido dizimados provavelmente por um meteórito. Se realmente o DNA guarda registrado em sua memória eventos do passado distante – principalmente daqueles que foram os mais marcantes – o lagarto dos 45 milhões de anos teve registrado em sua memória o evento de uma noite de terror quando quase toda a Vida na Terra desapareceu logo à visão de uma bola de fogo caindo do céu. Em que ficamos então? Se o meteorito caiu na época que existiam dinossauros – nos 60 milhões de anos – o evento está no futuro em relação ao lagarto dos 65 milhões de anos atras, mas no passado do lagarto de 45 milhões de anos atras. Mas em que passado se o dinossauro está no futuro evolucionário dos lagartos?!

É uma visão genuína do passado, uma certeza subconsciente que aquilo, aquela cena é real, mas como não se conhece o acontecimento, situa-se-o no futuro.

Mas então… as visões de Nostradamus e dos autores do apocalipse eram relacionadas ao passado, registradas na memória de seus ancestrais, e devido serem muitas antigas e se aplicarem a ambientes que mudaram de alguma maneira, eram-lhe flashes de imagens muito confusas.

Por exemplo… imagens (reais) de meteóritos caindo do céu, causando dilúvios e incêndios e arrasando a vida na Terra. As imagens de fundo dos ambientes não deviam se encaixarem muito nas imagens dos ambientes da época de vida do autor por isso ele intuitivamente teria que buscar uma época para aquilo acontecer. Como não havia relato em nenhuma tradição ou cultura humana daquilo, deduzia-se que existem previsões, e sugeriam uma situação futurística. O embaçamento das imagens forçavam interpretações pessoais. Ora, disto tudo resultaram textos escritos por um autor humano, que foram entendidos como textos proféticos, e de fato se verificou a ocorrência de eventos mesmo depois da morte deste autor demasiado semelhantes com o que ele havia descrito. 

É preciso entender que a Evolução não conta o tempo como nós contamos. Para nós o tempo é linear, sempre vai do passado para o futuro, como sucessão continua de causas e efeitos. Para a Evolução só tem sentido em contar o tempo da sucessão de acréscimos da complexidade. Para nós. ao tempo que vem dos lagartos, é somado o tempo que passa pelos dinossauros, e tudo somado ao tempo dos mamíferos. Para a Evolução, ao tempo que vem dos lagartos é somado o tempo dos mamíferos… o tempo dos dinossauros nunca existiu, pois eles não entraram no tronco da arvore da evolução. Eles se desviaram do tronco e se tornaram um galho que secou e desapareceu.

Se você, ao chegar aos 20 anos, se dividisse em dois, cada qual seguisse seu caminho. 30 anos depois seu sósia que levou uma vida errada morreu, você continua vivo, mas você diria que tem 80 anos? De maneira alguma, você vai jurar que tem 50 e estará certo nisso. Esta foi a sucessão de causas e efeitos que você mediu como tempo e deu seu resultado final. A Evolução tambem. Ela nada tem a ver com dinossauros. A linha da Evolução se faz curva, mas a Evolução, personificada no DNA, pensa que é uma reta. E isto vai estourar no pobre ser humano, cuja mente se torna consciente dos fatos ao longo da história porem está construída sobre o pilar do DNA. Chega ao ponto de tortura mental que faz acreditar ser possível ver o que não existe, ou seja, o futuro.   

 O que diz a literatura existente a respeito das visões.(profecia, visão remota, ideo motor effect, etc.)

O que diz o Pensamento Cientifico Reducionista? Uma inicial busca em Wikipedia nos mostra o seguinte: No sentido religioso, uma profecia é a mensagem que tem sido comunicada a um profeta a qual o profeta deve comunicar a outros. Em geral, esta mensagem pode envolver: inspiração divina, revelação, ou interpretação. Mais especificamente, ela pode ser uma professada predição psíquica. Em contrapartida, no sentido anti-religioso, de acôrdo com os céticos, muitas das aparentemente confirmadas profecias podem ser explicadas como coincidências ( possivelmente devido à grande margem de não-substanciação ou vagos conceitos da própria profecia), ou que algumas profecias foram realmente inventadas depois do fato ocorrido para que ele se encaixasse nas promessas do passado. Whitcomb, em ” A Companhia dos Mágicos “, observa: “Um ponto a relembrar é que a probabilidade de mudanças num evento para se aproximar de uma profecia existe… A acuidade ou produto de qualquer profecia é alterada pelo desejo e obras do visionário e daqueles que ouviram a profecia. Algo como: “a humanidade deixou-se destruir pelo aquecimento global, mesmo sabendo de antemão e tendo recursos para evitar tal destino, porque se entregou passivamente à fatalidade devido suas crenças nas profecias do fim do mundo.

(Continuar este estudo)

Sensacional a explicação do porque temos um ôlho menor que outro!

segunda-feira, fevereiro 8th, 2010

( artigo em construção)

xxxx

A formula universal da Matrix/DNA continua nos surpreendendo a cada hora, agora por exemplo nos explicando como a face humana já tinha seus princípios desenhado nas estrelas antes das origens da vida e como foi sua evolução. 

É dito geral, desde os tempos de minha avó, que todo mundo tem um ôlho menor que o outro, e inclusive um tem menas eficiência visual(ainda não tive tempo de pesquisar o que a Ciência diz a respeito). Mas se o povo notou isto, também surgiu uma questão que intriga os pensadores: porquê? Desde que nossa face apresenta a universal simetria bi-lateral, isto não faz sentido. As orelhas são iguais, as duas cavidades no nariz são simétricas, as bochechas estão na mesma altura e proporções, os olhos parecem iguais…, mas apenas por fora. Na sua anatomia interna e funcionalidade tem algo diferente.

A bi-lateral simetria é outro fenômeno que intriga os pensadores. Nesta Natureza evidentemente incerta, caótica, onde coisas novas surgem apenas porque coincidiu de se encontrarem no mesmo tempo e local certas forças e elementos naturais, construir o lado direito da face exatamente igual o lado esquerdo parece ser obra inteligente, coisa de projeto de engenharia. Porem, a existência da formula da Matrix/DNA fluindo através de toda a Natureza tem si a força para produzir coisas engenhosas. Já foi notado que muitos fenômenos naturais que apresentam bi-lateral simetria como flores, conchas de moluscos, etc., ao serem medidas pelo homem este descobre que todas as distancias apresentam sempre um mesmo numero, chamado “Phi = 1,618… “, e uma razão crescente, a sequencia de Fibonacci (1,2,3,5,8…). Mas sem nunca terem descoberto como e porque a natureza aplica estes princípios matemáticos de engenharia, acreditaram em poder mistico, dando-lhe o nome de sagrada geometria, ou a razão divina, etc.  Ora, a formula da Matrix/DNA rapidamente matou a charada: trata-se de uma de suas funções sistêmicas que é responsável pela reprodução dos sistemas e ela faz isso iniciando a construir o lado esquerdo e depois copia-o como esquerdo, assim como se duplica o DNA. E o ponto geométrico desta função na formula é exatamente 1,618, A Razão de Fibonacci ocorre porque a formula é uma espiral e esta razão já é definida na razão de distancias dos ameis circulares da espiral (isto vai explicado aqui no artigo: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=235 )

Mas então, se esta’ determinado na Natureza, que em todo sistema natural existam duas meias-faces laterais e na aparência sejam iguais, porque esta diferença de poder de visão entre os dois olhos? Ora, a formula da Matrix/DNA explica: a igualdade ocorre apenas na aparência externa, porque sempre na face esquerda flui a energia crescente e na face direita flui a entropia, energia decrescente. Esta questão me surgiu hoje quando lia as perguntas no Yahoo Respostas e deparei-me com uma questão do usuário denomionado “Super Intrigante”, que é a seguinte:

POR QUE TODO MUNDO TEM UM OLHO BAIXO E O OUTRO NORMAL?”

E então ali tem a brilhante resposta de uma menina, cognominada “Desejo Dôce”, que transcrevo a seguir:

“Achei que era só eu que tinha… Você descobre isso quando você une as mãos à sua frente bem no meio do seu rosto, com o braço esticado, deixa um espaço entre as mãos, e olha para um ponto, dai você fecha um olho, tem um dos olhos que vai continuar com o foco igualzinho de quando estava olhando com os dois olhos. O outro quando você fecha vai mudar o ponto que você estava olhando com os dois olhos.”

Menina esperta essa, hein?

Porque os olhos foram feitos diferentes? Acho que se os evolucionistas buscarem a resposta nos primitivos animais, procurar em qual deles houve uma mutação para pior e a partir dêle esta mutação teria sido permanente em tôdas suas descendências, inclusive no homem, não vão descobrir nada, porém, devem tentar. Por nosso lado, estamos em paz com êsse fenômeno. A fórmula da Matriz não tem falhado nunca e também aqui fornece uma explicação, fantástica é certo, mas de uma beleza lógica e racional que nos causa alegria admirando a engenharia oculta na Natrureza.

A construção da cabeça dos seres do reino animal é uma longa e lenta obra que começa lá com a célula, passa pelos pequenos organismos e desabrocha na sua plenitude na forma do Tom Cruise masculino e da Marylin Monroe feminina. Mas quando os primeiros seres multicelulares começaram a alongar sua membrana externa e projetar um protótipo da cabeça, estava na verdade sendo desenvolvido uma nova forma derivada de sistema natural, portanto, mais uma vez a Natureza sacou de seus bolsos a fôrma do diagrama de software do sistema matriz, com a qual ela produz tôda a matéria deste Universo e organiza esta matéria em peças, partes, corpos, e finalmente, sistemas. Portanto, temos que entender que a cabeça humana deve ser o ápice, o produto final possível de mais uma operação da formula da matriz, que a cabeça é um sistema “de per se”.

Ora, se é assim, vamos correndo examinar a fórmula-software buscando entender as origens, o desenvolvimento e os significados de cada detalhe do nosso rosto. Não vamos agora desvendar o nariz (o que já foi entendido, pois basta ver o cone da Função Número 1 para ver de onde veio a forma do nariz e basta observar como o cone na formula funciona para ver que existem dois buracos que fazem algo como a respiração), assim como não vamos estudar orelhas (pois já o fiz, e basta ver a forma espiralada da orelha para já ir entendendo a cópia exata da matriz em sua forma de espiral galáctica). Baixemos a fórmula software da Matriz no seu estado de sistema fechado perfeito, portanto:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

The Universal Matrix/DNA Formula

Nesta formula acima primeiro de tudo lembremo-nos o que significa aqueles F1, F2, etc.: são as Funções sistêmicas universais, cujas origens coincidem com as origens das partículas no Universo. Das duas, uma: ou o Universo foi criado por algum ser que apenas espalhou um pequeno software num espaço que continha uma substancia inerte, ou o Universo nada mais e’ que um útero cósmico, as galaxias formando uma especie de placenta, e o Big Bang ocorreu quando um sistema desconhecido natural, vivo e consciente, ejetou seu genoma cuja membrana explodiu no centro deste espaço na forma do Big Bang. Tudo o que existe de conhecido hoje e aqui foi explicado pela Matrix/DNA como resultado de evolução que vem desde o Big Bang, mas a formula não diz o que existia antes, apesar de apontar com firmeza na direcao destas duas possibilidades. 

 

, que vinham numa forma estranha como uma bolha vista por fora contendo um rodamoinho interno.   sete tipos de forças físicas naturais em doses duplas, ou seja, uma sendo tendencia de girar para a direita e seu par para a esquerda, uma com tendencia a crescer de tamanho e a outra com a tendencia a encurtar, e assim por diante dando inicio `a dualidade, a constante diferença entre os opostos. Estas forças poderiam serem definidas como os obreiros da matéria desde o Big Bang, que ali apareceram como sete conceitos ideais, sete forcas brutas constantes de um vórtice quântico – spin right ou left, tendência ao movimento retilineo uniforme ou ao movimento curvelíneo circular, etc. (vide a tese sôbre Funções Universais). Sabendo-se que a F1 produziu a bôca e o nariz, somos imediatamente levados a procurer a função que produziu os olhos considerando as posições dos olhos na face. Ora, salta aos olhos imediatyamente que estas funções foram a F2 e a F6 (e/ou F7). A F2 é a função de elevação do circuito e a F6, a função da estabilização do circuito e mais tarde o inicio da entropia, enquanto a F7 tem estabelece definitivamente a entropia. Agora vamos à contraparte material dêste estado evolucionario da Matriz como sistema fechado, o qual é a forma de proto-sistema astronomico, ou mais exatamente, nosso ultimo ancestral não-terrestre, denominado LUCA.

LUCA - The Last Common Ancestral

Observamos que neste estado do sistema universal, a F2 construiu como ferramente para poder operar sua obra, o astro-baby, ou, como podemos chamar também, a semente de uma nova estrêla. O astro-baby recém-saído fda fornalha nuclear é uma esfera de energia incandescente, portanto deve ser muito luminoso. Agora procuremos a F6, e vamos ver que aqui a função universal construiu como seu corpo material para operar na matéria, a forma da estrêla, mais exatamente a de supernova recém-transformada desde um pulsar. O primeiro detalhe óbvio é que este corpo também é luminoso. Ora, então a diferença fundamental que une F2 a F6, em confront com as outras formas de Astros, é que seus corpos brilham, enquanto ops demais são opacos. Começa a delinear-se o segrêdo do mistério: visão é um fenômeno facial relacionado à luz, e Astros-babies e estrêlas são fenômenos astronomicos ancestrais relacionados à luz. Mas observe em LUCA que o astro-baby é a forma do corpo astral mais pequena que existe, parece estar num nivel mais baixo que F6 se consideramos a formula num plano horizontal, enquanto a supernova é a forma do corpo astral mais grande que existe, e parece estar num nivel mais alto que o astro-baby se considerado o mesmo plano horizontal…Está matada a charade? Sim. Sabemos que a história da evolução biológica na Terra nestes 3.5 bilões de anos tem sido a história do processo embrionãrio da reprodução de LUCA, o que implica dizer… reprodução da face da LUCA.Temos um olho menor e mais fraco que outro. Qual o problema? A vida é assim, todos os babies são menores e mais fracos que os adultos. Nosso olho esquerdo foi produzido pelo mesmo artista que faz os babies astronomicos no céu, e nosso olho direito foi feito pelo mesmo obreiro universal que faz estrêlas gigantes no céu. ë assim que dada função sistêmica universal precisa fazer seus corpos e neles encarnar para operar com maior plenitude e eficiência. A questão da menor eficiencia de um olho não é causada por um péssimo design da Natureza, pois se nossa fasce fosse simplesmente uma obra obediente e fiel á formula de sistema perfeito, o conjunto dos dois olhos resultariam na maxima eficiência da visão. Mas acontece que LUCA se meteu a Bêsta dominado pelo selfish gene, quis ser eterno e egoisticamente isolado em seu paraizinho privado, forçou uma mutação da perfeição, a qual se revelou como uma mutação para pior, e nós, como seus herdeiros genéticos, pagamos o pato. Mas com o conhecimento agotra dessa histótria tôda, e como somos homens e não sacos de batata, vamos sim desenvolver uma tecnologia e consertar isso: nossas futuras gerações terão os dois olhos na sua maxima capacidade operative, sem diferenças entre si, numa perfeita bilateral simetria, ou se descobrir-mos que o sistema facial trabalha melhor nos moldes do software, onde estas duas diferenças existem porque se complementam num circuito por onde fluem os sinais luminosos ( o que está a requerer uma nova abordagem tecnológica), manteremos assim o que foi feito de melhor.

Pois bem, hoje você aprendeu que seu olho esquerdo é como um bebê engatinhando e seu olho direito é como um adulto a todo vapor. Mas não vá fazer como eu:  lavo o baby-olho esquerdo com leite e o adulto-olho direito com uísque, para ver se assim ambos ficam mais satisfeitos.