Posts Tagged ‘Visão de Mundo’

Refletindo na existência ou não dos genes semi-vivos. Debate para o livro.

quarta-feira, junho 19th, 2019

xxxx

 

Esta reflexão veio da leitura do seguinte artigo:

https://medium.com/@mackgrenfell/believing-in-other-possible-worlds-isnt-as-crazy-as-you-think-c02dd93aa964

Believing in Other Possible Worlds Isn’t as Crazy as You Think

Vamos imaginar que estou na nave numa conversa com o sósia do Dawkins. Ele diz:

-” Não tem como se interessar em estudar sua visão do mundo. Assim como não me interesso em reler estudando detidamente a Bíblia ou o I Ching para entender as visões de mundo dos judeus e cristãos e chineses, pois o principio destes livros e destas visões de mundo não tem nenhuma base no mundo real. Você por exemplo acredita na existência de genes semi-vivos, os quais seriam os ancestrais dos nossos genes biológicos. Isso não tem o menor sentido real, pois tal coisa não pode existir, nunca nada nas experiências humanas, e muito menos nos laboratórios científicos, sequer sugeriu a existência disso.”

” Ok. Na sua visão do mundo os genes biológicos vieram de uma sopa composta por água, rocha, seus minerais e gases e tudo isso sob o bombardeio da eletricidade. Quando ou onde uma experiencia humana ou mesmo nos laboratórios científicos sugeriu a existência dessa capacidade daqueles elementos na sopa?”

“Capacidade? Ora, os  genes são compostos dos mesmos átomos que compõem a sopa, esta sopa produz aminoácidos que são os pacotes de átomos formando os mesmos genes… tudo indicando que os genes vieram da sopa…”

” Você não respondeu a minha pergunta. Onde está naquela sopa a capacidade para ela se tornar ou formar genes? E eu me refiro as forças e elementos naturais que estariam espalhados neste Cosmos, como eles viram exatamente convergir todos pra um mesmo e minusculo ponto no espaço tempo, quais eram estas forças e elementos que no Cosmos, e nos seus átomos, atuam de maneira que os resultados de suas atuações compõem o conjunto desta ação super-complexa que eu estou resumindo na palavra “capacidade”? Me fale o que sabes de tudo isso, dessa capacidade… Veja que aqui está a maior diferença entre nossas visões de mundo. A minha foi baseada nas buscas destas forças e elementos, e quando as calculei surgiu a minha visão do mundo. Mas para isso tive que recalcular os vossos modelos teóricos de átomos e galaxias, tive que construir modelos onde estas forças e elementos estão presentes nos átomos e nas galaxias. Ambos concordamos que aqui tem genes, mas enquanto eu tenho os ancestrais que os produziram, você tem uma crença que eles não precisam de ancestrais. Mas uma crença que não acredita em ancestrais tem que criar fantasias magicas no seu lugar, como esse tal acaso magico. Uma crença apenas que exista o acaso magico. Se tudo na sopa, todos os ingredientes, no final se resumiam a átomos, então todas estas forças e elementos tem que estarem nos átomos. Ou tem mais alguma coisa nessa sopa? A eletricidade que caiu em cima deles? Onde estão os elementos na eletricidade? Os átomos, pelo que eu saiba, tem três forças. A nucelar fraca, a forte, a eletromagnética. Certo ou errado? Se estão certas, resta saber se são apenas estas. A sua Física diz que sim, são as descobertas ate agora. Ok, onde e quando estas forças, fraca, forte e eletromagnética foram flagradas produzindo coisas como moléculas auto-replicantes, proteínas, RNA, etc? ”

” Dado um amplo e vasto período de tempo, digamos em bilhões de anos, e trilhões de compostos resultantes dos movimentos e mexidas destes átomos resultaram em aminoácidos, dos quais, aqueles que tiveram a sorte de estarem numa solução ou ambiente que tinha elementos catalizadores para darem o período de vida necessário para um grupo de aminoácido amadurecer sem se desmanchar,  formaram proteínas que por sua vez formaram RNA que por sua vez apresentou o fenômeno da auto-replicação…”

” Em qual situação humana popular isto foi visto ou quando em qual experiencia laboratorial os aminoácidos brutos resultante daquela sopa conseguiram formar uma proteína? Como formaram uma proteína se para isso tem que ter RNA e não tinha RNA? Ou se o RNA se formou separado como ele formou a proteína para se fazer a si mesmo com ela?… Sabe de uma coisa? Estamos debatendo no vazio, nossas duas visões do mundo, e ambas estão baseadas em metafisica, em nossas imaginações produzindo as imagens abstratas de possíveis outros mundos alem do que vivemos e conhecemos. A diferença entre nos é que eu lido com as experiencias, os testes, sobre as sugestões da minha metafisica apenas como curiosidade, não tendo a certeza de que algo será confirmado, mas também não descrendo, enquanto vocês estão gastando bilhões de dólares, empegando um exercito de pesquisadores, vasculhando o planeta inteiro ate nas profundidades dos ventos oceânicos, a mais de um seculo, buscando  o mistério da sopa. Mas estão quase desistindo, uma grande parte desistiu e agora estão mudando o foco, estão indo para o espaço sideral porque estão agora acreditando que o mistério veio do espaço, aqui na Terra, vocês tem certeza agora, ele não está. Ótimo, a ignorância humana assim vai sendo vencida em alguma coisa, o conhecimento de detalhes vão se acumulando, muito descobrimos e aprendemos da Terra nessa busca apesar de concluir que o que buscamos não esta’ aqui. mas a vantagem do vosso procedimento apenas fica nisso, na acumulação de mais detalhes conhecidos, mas como vocês estão na pista errada, o funil vai se fechando em torno dos limites destes destalhes, e como isso aconteceu na Terra, vocês vão para outro funil sem fim no Cosmos. Agora vamos apender e descobrir muitos detalhes do espaço sideral… e ninguém sabe se o mistério está lá. Ora ele está lá e está aqui, a Terra é parte do Cosmos, ela tem o que ele tem. Resumindo eu estou imaginado um outro possível mundo convivendo aqui com o nosso onde existam softwares e e nestes existem fótons que atuam na camada mais simples como genes, enquanto coce está imaginado outro possível mundo convivendo com o nosso onde acidentes ao acaso como tornados mexem as coisas mais simples, destas mexidas acontecem coisas como peças e da mexida destas peças surjam carros e aviões… quando todos os acidentes que eu vi até agora fizeram o contrario, reduziram as coisas complexas existentes em montes de lixos de coisas simples. Sabe? Tem um autor que aborda um tema parecido… deixa-me mostrar-te um texto dele… esta aqui… leia, por favor:”

  •  ” The idea of other worlds is highly contrary to common sense, so much so that it might seem like a reason to reject them outright. But this is the point of philosophy after all, to challenge common sense intuitions. We need to come up with a better argument against possible worlds.

    One potential argument is that believing in other possible worlds has high cost. We’re forced to admit an entirely new type of object, a possible world, and to believe in its existence. This seems as bad as inventing a new, ad hoc particle every time we stumble upon a result in physics that we cannot explain. In science we try instead to see how we can refine our understanding of existing particles to accommodate the new results….”

  • ” nao concordo – interrompeu Austriak. ” Afinal, o que foi a teoria da particle do Higgs senao a invencao teorica de uma nova particula para manter o Standard Model?…”

Dawkins apenas olhou Austriak de soslaio, nao rspondeu e continuou. ” The counter-argument to this starts by drawing a line between what things we believe in, and what types of things we believe in. If we invent new, ad hoc particles to accommodate new results in physics, we’re forced to believe in a new type of thing. Believing in new types of things is something we shouldn’t do unless necessary, as it bloats our view of what exists…

-” Justamente aqui – interrompeu novamente Austriak – entra a teoria dos genes semi-vivos. Genes semi-vivos seriam outro tipo de genes. E considero perfeitamente necessário supor a existência de algo como os genes semi-vivos para explicar o que existe…”

  • “Possible worlds though, the argument goes, are not new types of things. They are the same type of thing as the world we inhabit. They are just as real and concrete as the actual world; we just don’t happen to live in them. If we take this view, then believing in possible worlds doesn’t force us to believe in any new types of things, it just requires us to believe in many more worlds — things we already believe in, provided we think this world exists.
  • ” Outros mundos só seriam possíveis fora deste Universo… – murmurou Dawkins. Por isso vasculhamos esta realidade aqui dentro em busca das explicações das coisas que existem aqui…”
  • – ” Não, vocês não estão atuando dessa maneira, racionalmente. Como os criacionistas partem da ideia de que Deus fez tudo e a partir dessa crença, desse norte-guia, buscam os fatos que se encaixam nessa crença, vocês materialistas partem da ideia desta matéria cega e atrapalhada como a unica criadora e apenas buscam os fatos que se encaixem nesta crença, ficam apenas fuçando o hardware sem tentarem ver as partículas-informações do software que tem de estar neste hardware, os fótons, os genes semi-vivos. Eu estudo também como vocês o hardware, e nos aspectos mais difíceis, como a selva amazônica, mas não  ignoro produtos como as propriedades da vida, os elementos abstratos como sentimentos, emoções, mente e auto-consciência, estes elementos que afloram nas telas dos computadores, por isso não tiro o olho da tela do computador observando os produtos finais que vem deste hardware natural, sabendo que esses produtos só são possíveis com a existência de um software e assim tento decifrar os códigos, os movimentos, as forças deste software. Como deve ser um software que exige e construiu este hardware para ele poder funcionar. Se não fossem justamente os que ousam pensar fora da visão acadêmica, como o Paul Dirac vindo com a ideia absurda da raiz quadrada de números negativos que resultou na descoberta da anti-matéria, ou Plank crendo numa matriz universal e conduzindo-nos a descobrir um outro novo, inédito, jamais imaginado possível mundo, como está se revelando a dimensão da quântica, nos nunca teríamos descoberto a quântica. Respeitar as minhas pesquisas fora da caixa acadêmica não é apenas bom senso tendo por base a experiencia histórica mas também deveria ser altamente desejada, ninguém sabe se vamos descobrir algo novo como a quântica…”

Meu comentario postado no forum debatendo este artigo:

Believing in Other Possible Worlds Isn’t as Crazy as You Think from philosophy

https://www.reddit.com/r/philosophy/comments/c1ymk9/believing_in_other_possible_worlds_isnt_as_crazy/

MatrixDNA 1 point· 6/19/19

” on a form of light spectrum”

I am surprised that the Bible says anything about “light spectrum”! Is it real? Could you give me the page?

My private investigation is suggesting that ” the electromagnetic spectrum when composes a wave of light has as internal moving force the same force that makes your body showing the cycle of life. This process – the life’s cycle – produces the transformations of bodies shapes and the transformations of light’s spectrums. So, any wave of natural light emitted with the Big Bang had encrypted into it the code for life. There are seven different spectrums, each one wit different vibration/frequency/length, etc. and since there are variations of expressions among these spectruns, each one produces a possible world, with specific matter, energy, etc.

So, if my results has something true on it ( I am trying to test them), we have a question: “Possible worlds are as predicted by modal realism – isolated one from others – or they are as predicted by MWI of quantum physics, where they bear casual relationship to reach other? The answer is here: your body shapes as adult is isolated or has casual relationship with your body shape as teenager? In a total universe where all these seven shapes exists at same time and space, rgw answer must be: yes… but that are long empty spaces like membranes ( composed by quantum foam?), between two different worlds.

 

Ateísmo Surgindo Numa Criança: Doutrinação?

segunda-feira, julho 18th, 2016

xxxxx

O vídeo abaixo trata do depoimento de uma criança de 8 anos sobre uma visão de mundo existente em outras mentes adultas humanas e chamada de ateísmo. E por algum motivo ( doutrinação, ou mutação genético-neuronial, etc.) ela pensa já ter decidido ser uma visão de mundo correta. Isto incomoda a visão de mundo chamada de Matrix/DNA, a qual ‘e minha preferida porem não aceita como Verdade Ultima, e por isso publiquei nos comentários do vídeo o seguinte post abaixo. A seguir exponho o link para outro vídeo como exemplo de como esta doutrinação se faz via Internet e tambem, a seguir, meu comentário publicado:

Post de Luois Morelli: 18/07/2016
Acredita na Ciência?! Mas a ciência apenas lida com os fatos que ela pode lidar ate agora, e ela mostra, comprova, estes fatos. E quando a Ciência lidou com a tal poeira que fez o mundo?! Quantos estudantes a Ciência levou ate aquele evento e provou que ele de fato aconteceu?
 
E’ triste ver uma mente ainda tao infantil, ingenua, de um ser já lastimável que foi produzido por esta biosfera caótica, condenada antes de nascer a morrer um dia… a um tipo de vida absurdo, sendo conduzida por adultos a aceitar sua debilidade e submeter-se ao mundo e sua existência como lhe foi imposta. Ela diz: “Eu vou morrer ( isto e’ fato comprovado cientificamente) – e tudo vai se acabar para mim – dizem os adultos meus sacerdotes (os quais nunca poderiam dizer isso enquanto a neurologia não explicar o que e’ a consciência e não explicar como os neurônios estão relacionados a mente e explicarem os milhões de fatos ocorridos no âmbito da parapsicologia, pois isto não e’ fato cientifico, isto e’ a “teoria” deles).
 
Deixem a mente das crianças livres. Livrem-nas da doutrinação mistica religiosa, porem nada ponham em seu lugar, nenhuma outra doutrinação, pois nenhum humano sabe nada e não tem autoridade para drogar suas mentes. Acreditar na Ciência e’ acreditar nos poucos fatos e limitados ao nosso imediatismo ambiente, a Ciência humana nunca saiu daqui para trazer alguma confirmação do que existe ou não existe em tempos e espaços alem de nossos ridículos horizontes. Ela esta acreditando em teorias cientificas, as quais existem apenas na mente de humanos e não na Ciência. Quem a enganou desta maneira?
 
Nos temos inimigos mortais. O maior terrorista e’ a forca que degenera corpos-sistemas levando-os a morte. Nos temos que investigar este inimigo incansavelmente para ir expulsando-o do nosso território, aumentando a nossa longevidade. Temos os inimigos que produzem este corpo débil, os que destroem nossos ambientes, etc. Nos temos que conduzir estes nossos corpos `a transcendência para uma forma cada vez mais eficiente e poderosa. Mas um deísta ou um ateísta se tornam inúteis nestas batalhas, porque se desviam para outros caminhos e aceitam passivamente a ação destes inimigos.
 
Teacher! Live our kids alone! – já dizia Pink Floyd, referindo-se a liberdade de cada um em elaborar sua própria visão do mundo.
xxxx
E um video exemplar de como esta sendo administrada esta doutrinacao via Internet: ( a seguir meu comentario postado no Youtube.

Por que sou ateu?

Louis Charles Morelli

Você deve saber que os fanáticos ateus de Mao invadem as propriedades e matam os monges do Tibet alegando que a religião deles e’ opio do povo. Stalin, outro ateu, fez o mesmo. Então, se você quer realmente um compromisso com a evolução da Humanidade, não fomente o ateísmo porque existem mentes fracas mas que podem tornarem-se ditadoras, usarem seus argumentos para as justificativas mórbidas deles e você não terá controle sobre eles.
E pare de usar o método cientifico, e seu nome mais arrogante – Ciência – como muleta para o ateísmo. A Ciência lida com fatos, mostra fatos e não tem opinião, principalmente sobre o espaço e o tempo que ela não alcançou ainda, mas sobre os quais a crença ateísta se fundamenta. Que a evolução seja um processo cego, que a admirável complexidade construída por partículas fundamentais,sejam meros produtos de uma sucessão fortuita de acasos, e’ uma valida teoria, porem ainda e’ uma “teoria”. Todas as teorias foram remendadas, modificadas, completadas, portanto, acreditar no estado atual de uma teoria, e disseminar esta crença, e’ o que as religiões misticas tem feito. E teoria não e’ um fato demonstrado cientificamente.
Você acredita na “gravidade”? Então o que você entende por gravidade? Se todas as forças naturais são dicotômicas – todas tem sua anti – qual e’ a anti-gravidade? Esta força que esta fazendo o Universo se expandir, ao invés de se contrair, como teria feito a gravidade? De que e’ composta a gravidade? Porque ainda não demonstraram sua partícula fundamental, teórica, o graviton?
Mas não use esta palavra intelectualmente elegante para impressionar-se a si mesmo, pois o que existe e todo humano, todo mistico religiosos sabe, ‘e que o que estiver solto no ar acima da Terra vai cair no solo. Se nenhum religioso e’ louco para saltar no ar, porque estas usando um argumento sem sentido? Como a gravidade se torna uma extensão dos campos eletromagnéticos dos corpos? Qual a ação da gravidade nos outros estados de densidade da matéria, como nos vários estados previstos pela String Theory e suas 11 dimensões?
Quando Newton teve a sua grande ideia da “gravidade”, ele o fez ao abandonar o chamado de descartes para a omnisciência, o inteiro conhecimento do todo, e admitiu que ele ignorava qual era o componente central de seu sistema – gravitação.
Acreditam em Deus e nada entendem de Deus, como acreditamos em gravidade mas não sabemos o que ela e’. Vamos aceitar a existência das forças de atracão e repulsão, mas dai transformar um conjunto teórico sobre estas forças com o nome de gravidade em ferramenta do acaso absoluto e’ perda do controle mental, porque a mecânica celeste de fantastica eficiente engenharia sugere que a fonte da gravidade pode ser qualquer outra coisa, menos o acaso. Algo contendo em si um principio de ordem e previsibilidade esta’ por trás da força gravitacional. Obviamente. E obviamente este algo esta acima das galaxias, onde a gravidade foi introduzida. E qualquer assunto relacionado ao “alem das galaxias” escapa totalmente ao nosso conhecimento, tudo o que se afira sobre aquele dimensão sera’ artigo de fê. Então a evolução cega, a complexidade produzida pelo acaso, tem que ser um estado de fê, mistico, religioso.
Você sabia da teoria que defende existirem seis faixas de orbitas em volta de uma estrela porque esta força que chamam de gravidade nada mais e’ que a força das ondas de luz emitidas pelas estrelas? E que estas ondas imitam as faixas de frequência vibracionais das ondas de luz, que cada planeta tem sua especifica medida vibracional, e por isso os planetas se movem dentro destas faixas especificas que coincidem com sua vibração? E que a Ciência ainda não tem como derrubar esta teoria? Mas ai a partícula fundamental seria o fóton ( este sim, já detectado) e não o graviton.
Eu prefiro a visão de mundo denominada Matrix/DNA Theory porque ela tem acertado mais que todas as outras, nas suas previsões. E esta teoria sugere que a enorme complexidade de hoje evoluída a partir da singularidade inicial o foi porque existe uma formula natural inserida nesta longa cadeia de causas e efeitos que vem rolando a 13,7 bilhões de anos. Mas desconhece-se a origem desta formula. Apenas se sugere que os sensores do cérebro humano não podem capta-la e portanto não pode processar esta informação e portanto ACREDITAR EM QUALQUER VISÃO DE MUNDO E’ IRRACIONAL. Seja deísta, ateísta ou outro diabo qualquer inventado pelos pequeninos e limitados cérebros humanos.
Devemos sim, criticar e não participar de maneira nenhuma destas organizações, mafias, religiosas. Mas o método correto e responsável de minar seus alicerces e’ investir mais na busca cientifica e mostrar os fatos reais. Eles por si só vão desmascarar as mentiras de hoje. E vão nos encaminhar para o caminho correto, a Verdade correta, que deve ser uma alternativa diferente da dicotomia “existe Deus, não existe existe Deus”. O que existe de fato nosso cérebro ainda não pode processar.

Guerra Entre Cosmovisões: PZ Mayers, Deepak Chopra, e Richard Dawkins

quarta-feira, outubro 12th, 2011

O livro recém lançado por Dawkins – The Magic of Reality – feriu a cosmovisão de Chopra (Author, ‘War of the Worldviews’; Founder, The Chopra Foundation), que publicou sua critica em:

Huff Post Books – October 12, 2011

http://www.huffingtonpost.com/deepak-chopra/dawkins-magic-of-reality_b_1004216.html

sob o título: Richard Dawkins Takes the Magic Out of Reality
a qual incitou uma resposta critica de PZ Mayers ( a biologist and associate professor at the University of Minnesota, Morris) e autor do famoso website Pharyngula, em:

http://scienceblogs.com/pharyngula/

sob o título: Deepak Chopra reviews Richard Dawkins

Bem… o que eu tenho a dizer sôbre o debate, como representante de uma terceira cosmovisão?

Lí os dois lados da questão, não lí o livro mencionado de Dawkins, mas assistí interessantes vídeos sugeridos pelos leitores do Huff nos comentários, com debates entre Chopra e cientistas.

Acho que Chopra, concentrando-se no fenômeno “counciousness”, lida com o que aconteceu antes da origem do Universo, do Big Bang, trazendo counciousness como causa da criação do Universo e como tela de fundo para amanutenção do Universo, e depois lida com o futuro após o fim do Universo. Dawkins, concentrando-se no conhecimento cientifico lida com o meio entre estes dois terminais, ou seja com o Universo depois do Big bang e antes do seu final. Então counciousness não lida com o meio e a Ciencia não lida com o passado e futuro alem do meio. São duas dimensões diferentes e acho que cada qual deve ficar na sua dimensão, evitaria tais conflitos. certamente os cientificistas ( e não a Ciência) diria que então Chopra lida com nada porque o universo é isso que aí está, para sempre, e mesmo que 6ele tenha tido um começo e pode ter um fim, a sua causa e efeito será sempre a matéria que está no Universo. Eu rebateria que esta resposta é válida e racional mas o ponto é que ao se lidar com o meio apenas não se atina com o significado, o sentido da existência, o qual jaz em algum lugar alem do objerto em si, ou seja, alem do Universo material. E Chopra apresenta uma hipótese final para êste significado, apesar que não explica “como” o Universo existindo tal como é preenche esse significado. Essa explicação do “como” pode ser alcançada pela Ciência. Então , no meu ponto de vista, que venha os dois, que existam os dois, e que continuem cada qual em sua área de pesquisa ou busca de conhecimento. Não entendo porque os mutuos xingamentos e aversões, pois cada um está num tempo e espaço que nada tem a ver com o outro. Acho que espiritualidade e praticidade nunca se cruzam.

Por outro lado existe a cosmovisão da Matrix/DNA. Ela começa como a Ciência, estudando o meio sem se preocupar com o antes e o depois do meio. Mas a final conclusão do estudo do meio sugere um modêlo do que existia antes e o que vai existir depois. Antes havia um sistema natural dorado de counciousness que gerou o Universo por um meio genético natural portanto o Universo não é produto de counciousness. Depois existirá um sistema natural dotado de counciousness á imagem e semelhança da sua causa, ou seja, um sistema-filho. O meio, o Universo, corresponde aos nove meses que estamos sendo materialmente desenvolvidos dentro da barriga de nossa mãe. Antes da barriga haviam os pais – sistemas naturais dotados de counciousness – e depois da barriga houve o filho – sistema natural dotado de counciousness. para mim essa cosmovisão expõe qual o sentido da existência, qual o significado do Universo, e explica como o Universo atende a este significado. Não significa que acredito nessa cosmovisão. Apenas a elegí como mais racional porque ela está fundamentada num parâmetro real, enquanto não vejo tal parâmetro nas outras. Mas tanto Dawkins quanto Chopra, que estão completamente separados entre si, tornam-se uma só fonte rica e valiosa em elementos para testar e desenvolver minha cosmovisão.

xxxxxxxxx

Meus comentários postados no artigo do Chopra:

TheMatrixDNA

This comment is pending approval and won’t be displayed until it is approved.

Sally… thanks a lot because you lead me to discover how the terrestria­l nature produced this mechanism in the brain (see my website, if interest). But, maybe, Chopra has a point. Maybe the spectrum of light contains the fórmula that brings life to ordinary matter, as my models are suggesting­. And light, in this way, could be a bridge between our perceptive dimension and an unknown dimension, which could be what Chopra, instintiva­lly is trying to capturate. Cheers,…

xxxxx

TheMatrixDNA
2 seconds ago (6:54 PM)
This comment is pending approval and won’t be displayed until it is approved.

Authoritat­ive statement is impossible yet, I think, but a logical and rational theory is possible. Counciousn­ess is a kind of software, the half-face of this Universe composed by the perceptibl­e hardware and the non-visibl­e but intelligen­tly captured software. Like in a baby, counciousn­ess inherited from its parents only wake up when the embryo has a final shape, the universal counciousn­ess only woke up at human specie because the three billion years of biological evolution was merely the process of reproducti­on of our ancestral, LUCA – the Last Universal Common Ancestor – which is the building block of astronomic­al systems. But, what is the origins of the natural software? A kind of intelligen­t mind or a natural systems living beyond the universe? Nobody knows, then, Chopra, as Dawkins, have both, a good point.

xxxxx