Posts Tagged ‘wired’

Surprêsa: A pequena larva dança hipnotizando o grande anfíbio, e o come. E a Matrix/DNA tem a unica explicação!

quinta-feira, setembro 22nd, 2011

A noticia saiu no…
WIRED Magazine
http://www.wired.com/wiredscience/2011/09/epomis-beetle-amphibians/

Baby Beetle Uses Mouth to Lure Amphibians to Their Doom

By Dave Mosher September 22, 2011 | 8:48 am | Categories: Animals

Larvas são as formas infantis de borboletas, besouros, etc. E são as prêsas, o alimento preferido dos anfíbios, que atuam como predadores, tais como as rãs, sapos, etc. Portanto esta deveria ser a regra lógica – o grande comer o menor – e nesta lógica tem acreditado a Ciência Acadêmica, apesar dos modêlos da Matrix/DNA Teoria terem sugerido outra lógica: o mais complexo come o menos complexo, tamanho não é o determinante.

As unicas ocorrências que a Ciência tinha captado até agora em que pequenos comem maiores eram nos casos de ataque em massa dos pequenos (como os virus dentro do corpo, ou enxame de abelhas atacando um animal maior ). Mas agora filmaram um caso que configuram como excessão, onde o grande predador cerca a pequena prêsa para comê-la, mas ela dança com suas antenas e o domina, comendo-o em seguida! Confirma-se assim mais uma previsão dos modêlos da Matrix/DNA, os quais sugerem e mostram muitos outros casos onde essa regra ocorre.

A noticia em WIRED termina com a seguinte frase:

Wizen and Gasith described the strategy of Epopmis beetle larvae as an “extremely rare anti-predator behavior.”
“How a single insect genus evolved a unique role reversal … is currently an enigma,” they wrote in the study.

Pois não se trata de uma unica tática reversa e não é um enigma, como explica o comentário abaixo que postei na WIRED:

TheMatrixDNA:

Only the explanation from Matrix/DNA Theory makes sense about this phenomenon. Evolution propagates by waves, circular and concentric waves. As the circular waves in water, the last wave transfers to the next one its dusty, the last wave of evolution transfer to the next its information. Each new wave then, adds its novelty, new informations, because it reached a most larger and rich environment. Then, beetles must be more evolved than anphibians, they are product of last waves. If life came from the water or from the beach, anphibians were the first landlives. The most complexity of beetles help them to be more technologically evolved. That’s it. Size does’nt matter.

It is not the rule the big eating the smaller. The rule is the most complex, most evolved, eating the less one. This rule came from the systemic life’s cycle: a human adult (most complex) “eat” the children (less complex) he was in the past;, a pulsar “eats” the planet it went on the past. And the life’s cycle already was encrypted on any spectrum of light, since the begining of the Universe, as we can see in the Matrix/DNA models.

xxxxxxxxxx
(obs. – Acompanhar tambem comentário postado em Richard Dawkins.net :

http://richarddawkins.net/articles/643201-baby-beetle-uses-mouth-to-lure-amphibians-to-their-doom?page=1

Astronomia: Hubble chega a apenas 400 milhões de anos depois do Big Bang!

segunda-feira, janeiro 31st, 2011

Hubble Finds Galaxy Beyond Key Benchmark

Wired

http://www.wired.com/wiredscience/2011/01/galaxy-distance-milestone/

Para a Matriz/DNA Theory provar que a Matriz Universal é a responsável por organizar a matéria em sistemas, e que foi ela quem construiu LUCA (the Last Universal Common Ancestor) no modêlo de LUCA que ela sugere, ela precisa provar que as primeiras, ou a primeira, galaxia foi formada no modêlo de LUCA. Eu estava pensando que essa prova seria para sempre impossível, como é para a teoria cientifica provar como foi a origem da vida. Mas descobrí que é possível: nós estamos vendo imagens emitidas no espaço de objetos que existiram cada vez mais distante no passado, ultrapassando as outrora imaginarias barreiras dos que diziam ser impossivel ir alem do nivel “redshift 10”. Agora, segundo teorias ainda não confirmadas, a ultima mais distante galaxia detectada existia a apenas 400 milhões de anos depois que aconteceu o Big Bang. É uma galaxia de poucas estr6elas as quais brilham de um modo não-comum. Numa coisa o cientista se aproximou da visão da Matriz quando diz: “Galaxias são como seres humanos: elas crescem mais rápido quando são jovens.” Isto está me cheirando á prova de que aquela primordial galaxia estava sob o processo do ciclo vital.

A propósito postei o seguinte comentário abaixo do artigo:

Louis C. Morelli 

I think there is a difference between the formation of first galaxies and modern galaxies, like there is a difference between the formation of the first cell (self-organizing) and the cells today (replication). If I am right, a lot of things in these primordial galaxies will not fit into our cosmological models. Like “few stars”, “which burn especially bright”, “growing fast”, “they are fainter”, etc. Maybe these galaxies will fit better with the Matrix/DNA cosmological models. Any idea?