Archive for the ‘Evidences of Matrix/DNA Theory’ Category

Nova Comemoração da Matrix/DNA Theory: fantástica técnica cientifica revela agora configurações neuroniais no cérebro que sugeri há 30 anos atrás!

Thursday, May 13th, 2021

Cientistas descobrem universo multidimensional no cérebro humano

https://tonocosmos.com.br/cientistas-descobrem-universo-multidimensional-no-cerebro-humano

TEXTO QUE ESCREVI COMO PARTE DA TEORIA OU COSMOVISÃO DA MATRIX/DNA EM 1990:

“Pensamentos são e funcionam como seres vivos, eles se apresentam como tendo vida própria. São formados por sinapses (fluxos eletroquímicos) que compõem uma imagem, idêntica à imagem de uma unidade fundamental de informação do DNA, a qual, na verdade é uma fórmula natural com vida própria, que construiu todos os sistemas naturais conhecidos.

Cada pensamento se desenvolve pela mesma força que chamamos de “ciclo ou princípio vital”, esta força que faz seu corpo crescer se transformando em novas formas ao longo da sua vida, desde a forma inicial de uma bolinha (a célula inicial, mórula) até a forma final de um cadaver. Um pensamento também nasce como um ponto minúsculo e vai crescendo, se transformando ao se propagar e por fim chega na sua forma final, enterrado como memória.

Os pensamentos nascem pelo mesmo processo que seu corpo nasceu. Um óvulo recebe do mundo exterior um espermatozoide e funde seu genoma feminino ao masculino; o hipocampo funciona como o óvulo quando recebe um sinal com informação externa fundindo-o com a sua informação interna na forma de memória. Então é um evento de fecundação, que conecta a massa neuronial interna cerebral a um sinal informativo vindo do exterior, seja do seu corpo ou do mundo externo.

Assim começa, assim cria vida cada pensamento dos muitos que você tem durante sua vida. Este evento ocorre no hipocampo, que é a porção central, nuclear, na base do cérebro, logo acima da nuca. O hipocampo é um cone que veio da evolução do nosso ancestral astronômico, representando o “buraco negro” no centro galáctico, onde tem o ninho em que nasce as estrelas. Ali no espiralado hipocampo o sinal externo é movido e misturado com as unidades da memória relacionadas à informação do sinal, e então a substância resultante é emitida para o espaço cerebral que é o atual representante do espaço sideral do Universo. Assim o pensamento vem à luz para um céu estrelado com neurônios cintilantes. O hipocampo, assim como o vórtice no centro galáctico funcionam como um liquidificador onde as frutas são misturadas, batidas, e se tornam um suco. Neste caso, o fluxo do pensamento. No céu, uma estrela baby, no cérebro, um pensamento baby.

Do hipocampo sai o fluxo subindo no meio da massa neuronial, que pode ir para a esquerda (se for muito denso, materialista, prático, animalista) ou para a direita (se for holístico, menos denso, sentimental, artístico, mistico. Essa diferença ocorre também porque a parte esquerda reproduz a face esquerda da fórmula na qual a energia sobe reproduzindo a primeira metade jovem da vida e a direita a energia desce reproduzindo a segunda fase madura da vida). O cérebro tem a forma oval que é dividida em quatro zonas ou regiões com quatro funções diferentes que vem lá do criador de sua anatomia, que foi a unidade do DNA, que é dividida internamente nas quatro bases nitrogenadas, a adenina, citosina, guanina e timina. A forma do criador se projeta na sua criatura, e assim também as funções sistêmicas de suas partes. O criador é um sistema funcional, o cérebro será então um sistema funcional: tal pai, tal filho.

Então em cada zona tem informações registradas especificas que vão se agregando ao fluxo movente do pensamento, como um baby vai tendo a seu corpo agregados os alimentos que o fazem crescer, se tornar criança, depois jovem adolescente, se o pensamento vai pela esquerda, ou como se um ancião moribundo vai tendo agregado de volta os ingredientes vitais que perdeu, se subir pela direita. Na fórmula criadora vemos o fluxo de energia indo up, para cima, crescendo, de um lado, e depois, começa a entropia, e a energia decai, indo para baixo de volta ao ponto de origem.

Mas então acontece a grande tragédia que tornam seres humanos tão errantes, quase irracionais, às vezes cruéis… Ao chegar na parte alta do cérebro o fluxo bate de encontro a uma muralha, um paredão instransponível, e repentinamente cai direto retornando ao hipocampo. O cérebro é um sistema natural individual, por si mesmo, que construiu outro sistema na forma de corpo para se mover e colher coisas do mundo, já que ele está aprisionado dentro da cela craniana. Na verdade, ele foi construído pelo DNA que primeiro construiu o corpo nos bilhões de anos da evolução, no qual formou os princípios da rede nervosa que se tornou a entidade abstrata governante do sistema como existe em todos os sistemas naturais, inclusive os inconscientes termodinâmicos. Mas desde então, a partir dos símios, essa entidade (com um novo sensor capaz de captar substância consciente do espaço mais abstrato) construiu um novo órgão, chamado cortex ou neocortex, para ser sua morada, seu trono real, e colocou esse órgão no topo elevado da cabeça. Mas hove um gravíssimo defeito!

A forma e anatomia do cérebro, criado e autoprojetado pela fórmula para sistemas naturais que era emitida pelo DNA, teria que ser a imagem e semelhança e funcionalidade normal dos sistemas naturais. Uma figura idêntica à figura da fórmula. E a fórmula relacionada à nossa dimensão material tem a forma de uma esfera ovalada. Vamos mostrar aqui um esboço simplista da imagem materializada:

Fórmula da Matrix/DNA no aspecto de sistema fechado

Não vamos explicar aqui os milhões de detalhes encriptados em cada ponto desta fórmula, apenas mencionar o que nos interessa relacionado ao cérebro. A imagem da fórmula está indevidamente inclinada, pois quando a sobrepomos sobre o desenho da anatomia interna do cérebro, a figura F1 corresponde ao hipocampo, que está na base oval. No cérebro, o neocortex está situado onde está F4 na fórmula. Vemos que de F4 sai um ramo de fluxo lateral que retorna a F1, porque os sistemas fechados são hermafroditas, e F4 desempenha a função do macho, F5 é o espermatozoide que leva sua informação para a fêmea em F1 e assim o sistema se auto recicla, se reproduzindo. Então na fórmula universal não existe separação física em duas metades, nem no seu aspecto de sistema aberto. Mas quando comparamos a imagem da fórmula perfeita com a imagem interna do cérebro… aparece a notável diferença: de fato, o fluxo de F5 funcionou como uma talhadeira, abrindo uma fenda, dividindo a parte superior do cérebro, mais exatamente o órgão neocortex, em duas metades separadas entre si…

E o sulco aberto foi preenchido com uma massa densa, chamada de corpo caloso. Então é isso que está impedindo a espécie humana de se desenvolver como ser com inteligência natural como deve ser uma criatura produzida pela Natureza para existir em sintonia com ela. Qual a causa desse defeito? Nosso ancestral celeste – como esta galáxia – cometeu o maior erro contra as leis do Universo, tornando-se um sistema fechado? E por isso caiu rastejando neste planeta para reiniciar sua evolução? Ou seriam extraterrestres fazendo experiencias genéticas? Ainda não sabemos.

Quando o fluxo do pensamento chega no neocortex, vindo da direita ou da esquerda, não consegue continuar a trajetória do ciclo vital, do seu circuito energético interno, e despenca de volta no utero que o gerou, tornando-o meio-pensamento, inteligência, ou meia consciência. É muito importante que a humanidade saiba disso, porque nela está o potencial para corrigir este defeito trágico, ela tem que aprender e desenvolver exercitando o esforço de manter elevada energia nos seus fluxos de pensamento para atirá-los com força contra a muralha, pois esta pode ir amolecendo, sendo perfurada, o que permitirá o fluxo passar e realizar a volta completa retornando como outra dimensão de memória a ser registrada no hipocampo. O qual na verdade funciona como o protótipo de um portal, um buraco negro conduzindo a outras dimensões de vibrações das ondas de luz.

Mas outro detalhe importante aqui é que devemos investigar à exaustão as imagens das sinapses que obtemos no MRI dos pensamentos, entendendo que cada pensamento, cada imagem, é uma cópia da fórmula Matrix/DNA. Como são milhões de neurônios, formando uma rede de conexões intrincada muito complexa e ainda confusa nos nossos instrumentos científicos, em que os fluxos se entrelaçam, se interpenetram, se emaranham, e como são plásticos, cada um é um circuito que se moldura, se deforma, tornando nossa investigação mais difícil e confusa do que está sendo a investigação do mapeamento genético no DNA (hoje sabemos que isso foi terminado com o Projeto Genoma.)

Pois bem. Isto foi pensado por um semi-macaco metido a filosofo naturalista que observando o céu magnificamente estrelado do meio da selva amazônica acreditava que aquela visão da Via Láctea, daquele Universo, Não era a realidade, pois era uma imagem trazida pela luz que demorava bilhões de anos para alcançá-lo, então devia ser a imagem da infância do Universo que mais tarde criou e modelou e se autoprojetou na forma interna de seu cérebro. Então ele se imaginava como um micróbio microscópico flutuando dentro de seu cérebro, olhando ao redor, vendo uma profusão de estrelas na forma de neurônios cintilando, e o braço esbranquiçado da Via Láctea era igual a imagem de um fluxo de um pensamento. O cérebro como um velhinho caído e moribundo estendia as mãos suplicantes para o céu pedindo mais visões porque ele estava assistindo os eventos de sua infância.

Mas o macaco sobreviveu, saiu da selva, retornou à civilização, correu a ler os relatos das academias cientificas ligadas a neurologia, percebeu que estavam em outro caminho com outra mentalidade, e então, apenas como dever e desencargo de consciência, escreveu o protótipo de um livro que registrou na Biblioteca Nacional do Brasil e depois na Biblioteca do Congresso nos USA, indo os manuscritos para o porão sem ser lido por ninguém. Mas hoje o filosofo se depara com um material vindo da academia que o faz sentir imensa alegria, pois a natureza está reencaminhando o humano de volta ao seu seio, na sua direção, ajudando-o a desvelar os véus de seus segredos. Vamos agora ver e analisar a grande notícia:

( Cont. pesquisa:…

O Genoma cosmico e os 5 solidos geometricos: como a onda de luz se expressa nas formas materiais

Thursday, April 15th, 2021

Os 5 solidos geometricos pitagoricos apresentam-se numa sequencia de quantidades de faces: triangulo ( 3 faces ) ; cubo ( 4 faces); pentagono ( 5 faces) ; isosceles ( 6 faces); [ 7 ?); octaedro (8 faces).

E a configuracao sensorial e neuronial destes pensdores a 2.600 anos atras formou um tipo racional que via relacoes entre estas formas materiais com alguns elementos naturais. Assim:

  • O triangulo estava relacionado com o fogo,
  • O cubo com
  • O pentagono com
  • O isosceles com
  • O octaedro com a agua

Quando aprendi isso logo associei com a sequencia das faixas da onda de luz, portanto com o genoma cosmico e isso produz muitas novas questoes. Pr exemplo, a agua apresenta propriedades iguais a onda de luz, ambas se dissolvem, etc.

deixo aqui iniciado este topico para depois continuar uma pesquisa, trazendo as formas geometricas, o espectro da luz, etc.

Sinal da Matrix/DNA atuando no espaço sideral?

Thursday, March 18th, 2021

xxxx

painting of intersteller object ‘Oumuamua
Artist’s concept of the ‘Oumuamua interstellar object as a pancake-shaped disk.
Credit: William Hartmann

Sugestão da Matrix/DNA Theory: Este objeto vindo do espaço sideral além do sistema solar tem forma similar a fórmula universal dos sistemas naturais, como os atômicos e astronômicos. Isso sugere a possibilidade de que foi formada no espaço por detritos de poeira estelar infiltrados por partículas-informação da fórmula. Para alguém com curiosidade, veja no meu site a fórmula, situe o núcleo do objeto em F1, e veja as lapelas do objeto como se encaixam com os outros Fs da fórmula. Porém, isto é apenas uma teoria, racionalista…

Ver artigo completo em:

INTERSTELLAR OBJECT ‘OUMUAMUA IS LIKELY A PIECE OF A PLUTO-LIKE PLANET

A NEW STUDY RESOLVES THE NOT-QUITE-COMET-LIKE CHARACTER OF A STRANGE VISITOR FROM BEYOND OUR SOLAR SYSTEM

https://news.agu.org/press-release/interstellar-object-oumuamua-is-likely-a-piece-of-a-pluto-like-planet/

A teoria acadêmica explicada no artigo sugere que a forma de panqueca achatada do objeto foi modelada por erosão dos raios cósmicos durante a viagem no espaço sideral. Então logo me veio uma questão: o sistema solar inteiro eh achatado como uma panqueca. Terá sido resultado de erosão por raios cósmicos? Ou formas achatadas planas de sistemas astronômicos seriam resultado de uma formula/template que pode ser achatada? Assim como a forma do núcleo deste objeto é idêntico ao núcleo da formula?

Um quadro explicando a teoria acadêmica:

Illustration of a plausible history for 'Oumuamua shows an origin in its parent system around 0.4 billion years ago; erosion by cosmic rays during its journey to the solar system; and passage through the solar system, including its closest approach to the Sun on 9 September 2017 and its discovery in October 2017. At each point along its history, this illustration shows the predicted size of 'Oumuamua, and the ratio between its longest and shortest dimensions. Graphic credit: S. Selkirk/ASU
Illustration of a plausible history for ‘Oumuamua shows an origin in its parent system around 0.4 billion years ago; erosion by cosmic rays during its journey to the solar system; and passage through the solar system, including its closest approach to the Sun on 9 September 2017 and its discovery in October 2017. At each point along its history, this illustration shows the predicted size of ‘Oumuamua, and the ratio between its longest and shortest dimensions.
Graphic credit: S. Selkirk/ASU,

Um germe estelar morto no espaço: Psyche?

Wednesday, March 3rd, 2021

xxxxx

https://solarsystem.nasa.gov/asteroids-comets-and-meteors/asteroids/16-psyche/in-depth/

An artist’s concept of asteroid 16 Psyche. Credit: Maxar/ASU/P.Rubin/NASA/JPL-Caltech

One of the most intriguing targets in the main asteroid belt, 16 Psyche is a giant metal asteroid.

Scientists think the M-type (metallic) asteroid 16 Psyche is comprised mostly of metallic iron and nickel similar to Earth’s core.

Scientists wonder whether Psyche could be an exposed core of an early planet that lost its rocky outer layers due to a number of violent collisions billions of years ago

Explicação da existência, forma, funcionalidade, de plantas terrestres, pela Matrix/DNA Theory

Friday, January 22nd, 2021

Nenhuma descrição de foto disponível.
Monotropa uniflora ( cachimbo indiano), Imagem: Foto / Fonte: Nance Noel / Gardening Know How

Cachimbo indiano (Monotropa uniflora) é definitivamente uma das maravilhas estranhas da natureza.

Por não ter clorofila e não depender da fotossíntese, esta planta branca fantasmagórica é capaz de crescer nas florestas mais escuras.

Muitas pessoas se referem a esta planta estranha como fungo de cachimbo indiano, mas ela não é um fungo – apenas se parece com um. Na verdade, esta planta com flores é membro da família do mirtilo.

Sugestão da Matrix/DNA Theory:

Nada mais, nada menos, que a materialização da função sistêmica n.1. Ou alguém acredita que a matéria estupida deste planeta criou isso, e do nada? Neste caso da Monotropa, por ser uma das primeiras formas surgidas como sistema biológico terrestre, ela imita fielmente e geneticamente, as formas do seu ancestral e criador direto, que foi este sistema astronômico (veja a fórmula universal dos sistemas naturais). Neste ancestral a Função 1 é executada no núcleo do sistema, onde tem um vórtice rotacional ( a que teorizam erradamente como buraco negro), envolvido por um quasar. Os nutrientes vêm dos cadáveres estelares e entram no vórtice cônico pela sua base; por isso essa planta necessita apenas dos ingredientes químicos que vem do solo entram pelas suas raízes. O quasar é constituído pela poeira estelar que circunda o vórtice e brilha intensamente devido a luminosidade vinda do vórtice. A planta reproduziu tudo isso fielmente, tornando o quasar em as pétalas do copo, e são brancas imitando a brancura do quasar. Simples reprodução genética com mutação ambiental na passagem da Evolução Cosmológica para a Evolução Biológica…. (Matrix/DNA Theory)

Veja a formula, a F1 entenda:

Formula Universal dos Sistemas Naturais, na forma de diagrama software.

Post no Facebook: Parece cultura inútil, mas sem esse conhecimento não vamos nos livrar da lei do karma. A nossa liberdade virá pela expansão da nossa consciência. mas para expandir a consciência precisa ser alimentada, como alimentamos o estomago. E qual o alimento que a consciência aceita e digere? Ora, ela está aqui para aprender como funciona esta dimensão material, este universo natural. Então ela só aceita e digere informações reais sobre este mundo natural, ela vai transformando estes bits-informação em bits-consciência. os humanos batem os olhos numa planta como essa, admiram sua beleza, sentem a estranheza que emana dela, mas ficam nisso. É preciso saber muito mais sobre ela, de onde veio, como veio, porque foi feita assim, qual o significado de sua existência etc. E não existe método mais indicado para se obter todas estas informações que a consulta ao oraculo fantástico que é a fórmula universal de todos os sistemas naturais…

New great right prevision from Matrix/DNA Theory becames evidence by great scientific discovery:” Bright flash of light marks incredible moment life begins”

Saturday, December 26th, 2020

About 5 days ago I was very happy because the news has confirmed my theoretical astronomical model, registered at copyrights about 30 years ago: the Sun’s nucleus has the strongest frequency of the electromagnetic spectrum and as effect, rotates 4 times fast than the surface’s sphere.

But, searching the scientific news today, I had another great moment. One of the most important prevision of Matrix/DNA Theory ( the final meaning of this universe and life existence) got a great evidence, if not a final confirmation. The news is: ” Bright flash of light marks incredible moment life begins”.

I have no time for writing about now, so, I will post here the picture of the eletromagnetic spectrum by Matrix/DNA and what I have wrote in the debate related to the last article here:

 

 
To everybody debating with me in this thread: please, see how and why the Matrix/DNA world view during the last 30 years has confirmed hundreds of its previsions. Two days ago I wrote here: ” We found that the vital principle is encoded in a light wave, like that emitted after the Big Bang”.
 
 
Today I am reading the news: ” Bright flash of light marks incredible moment life begins”. I have wrote here that in this Universe is occurring a natural genetic process of reproduction of the unknown thing that triggered the Big Bang as an act of fecundation. And I wrote here that evolution is expanding like waves in the water: each new wave carries own the dust of the last wave and reaches more dust ahead. So the second wave of evolution receives the systems from the first wave, aggregating new information, evolving it and throwing it to next wave. The last wave has repeated all step of all waves before, that’s why a new shape, like a human embryo, repeats all evolutionary shapes. It means that the first moment of human life repeats the first moment of the Universe when the “life” of a universal natural system is began. It was a genetic code encoded by photons, then evolved to an atom like the first cell; to a nebulae of galaxies like the blastula… and so on.
 

So,… every time that the universal system is recreated, the event of the Big Bang is repeated! What happens at the fecundation of the Universe, 13,8 billion years ago, happens at the fecundation of any animal ovule. It is light everywhere, because the universal code for life first came in shape of a light wave!

Why? Because this Universe is not a magician. It can not create new information than those inserted in it at the act of its creation. It can not creating things by another method than that it was created. Anther method would means ” never existed before new information”, and this would be magics

What you see and think is new information is merely the result of fuzzy logics, the mixing of two or more standard information generating the possible levels of sub-information between them.

 
 
I will research now what is the secret of zinc atom, it must have some property that something at the Big Bang had. But, as I said thousand times, the big secret of genome, or DNA, is that its electrons are occupied by photons with information of the life’s code. So, that light saw by scientists occurs when the male counterpart that contains the half of the code’s network meets the another half and the entire network flourishes… the mechanism is repeated when a supernova is born, as you can see at Matrix/DNA astronomical models.
 
 
Three days ago another great prevision was conformed: #0 years ago when I got the copyright of this theory it contained that a star’s nucleus has a dynamics like the first frequency of light wave, which is the strongest. So, the nucleus should have a rotation fast than the above spherical rotations… This whole theory is results from calculations applying the most natural logic as I was studying the biosphere at Amazon jungle… and its right previsions has suggested that nature does not plays dice with its creatures, although we insist to play dices with her.
 
xxxx
 
Light - The Electro-Magnetic Spectrum by Matrix/DNA Theory

Light – The Electro-Magnetic Spectrum by Matrix/DNA Theory

A little bit of information about this issue – how to interpret the graphic:

At the extreme right ( before the gamma ray), there is the source of the wave. At the gamma ray occurs the event of fecundation ( it can be fecundation for a new  universal system, like the Big Bang, or the fecundation of an ovule, or the gestation of anew astronomical body, which begins by the nucleus, that’s why I predict the strongest vibration, or rotation, at Sun’s nucleus). See that the wave is merely the process of life’s cycle, so, the genetic code that became very complex today, at its begining was too much simple, merely the process of life’s cycle. At another articles here I describe how this light wave becames the Matrix/DNA formula.

Incrível: a formula da Matrix/DNA me conduz a sugerir uma solução para o maior mistério da Física Quântica! (Claro que devo estar errado mas esta solução seria elegante demais)

Friday, November 13th, 2020

Sobre: O Experimento da Escolha Retardada

Inspirado no Artigo: Onda ou partícula? Experimento testa natureza dos objetos quânticos

http://Onda ou partícula? Experimento testa natureza dos objetos quânticos

http://sbfisica.org.br/v1/home/index.php/pt/

Sociedade Brasileira de Física

xxxx

O desenho abaixo explica o experimento proposto num artigo na revista Physical Review Letters, pelos físicos Rafael ChavesGabriela Lemos e Jacques Pienaar, todos pesquisadores do Instituto Internacional de Física (IIF) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal. A novidade do experimento é que é uma modificação do chamado experimento da escolha atrasada, concebido em 1979 pelo físico norte-americano John Wheeler (1911-2008), justamente para testar a realidade quântica, e cujo resultado levantou a famosa discussão entre um grupo que acredita na escolha atrasada ( a consciência do observador interfere no comportamento dos fótons), e outro grupo que defende a segunda explicação: “É que o fóton não tem propriedades bem definidas até que seja medido”. Essa é a explicação mais aceita pelos físicos, a chamada interpretação de Copenhagen da mecânica quântica, defendida pelo dinamarquês Niels Bohr (1885-1985).

O desenho abaixo ilustra o experimento realizado pelos físicos do IFF:

destaque 2018 09 20

O experimento usa um conjunto de espelhos perfeitos e semi-refletores. Primeiro, um fóton incide sobre um aparelho chamado de divisor de feixes (BS1 na figura acima). É um espelho semi-refletor, que em 50% das vezes reflete os fótons incidentes e nas 50% das vezes restantes deixa os fótons atravessarem sem desviá-los.

Assim, o fóton pode tomar dois caminhos possíveis. Refletido, toma o caminho b, encontra um espelho perfeito e atinge o detector de fótons d. Mas se atravessar BS1, percorre o caminho c e atinge o detector e. Nesse caso, o fóton parece se comportar como uma partícula: existe chance igual do fóton ser detectado em d ou e.

O fóton se comporta como uma onda, porém, se além do divisor de feixes BS1, os experimentadores colocarem no cruzamentos dos caminhos b e c, um segundo divisor de feixes, BS2. Nesse caso, as chances do fóton ser detectado em d ou e variam. As probabilidades de detecção variam com o tamanho relativo dos caminhos c e b e o ajuste do modulador de fase no caminho c (triângulo amarelo na figura). Nesse caso, o fóton age como se fosse uma onda. Ao incidir em BS1, a onda se divide em duas, que depois interferem uma com a outra em BS2. A interferência das ondas em BS2 determina a probabilidade do fóton ser detectado em d ou e.

Wheeler imaginou então o que aconteceria se o experimentador escolhesse colocar ou não o divisor BS2 apenas depois do fóton já ter incidido em BS1. O experimento já foi realizado várias vezes e verificou que a escolha atrasada não influencia o resultado. Sem o divisor BS2, o fóton age como partícula. Com o divisor BS2, o fóton age como uma onda. Mas como isso seria possível? Como o fóton poderia “saber” se deve se comportar como partícula ou como onda ao passar por BS1?

Entenda: O fóton sai do canhão emissor, ninguém sabe ainda se como onda ou partícula. Se lá na frente, depois que ele partiu, colocarem um BS2, se verifica que ele partiu como onda. Se não colocarem, verifica-se que ele partiu como partícula… !!! This blow up our brains…

“A primeira possibilidade é que a decisão do experimentador sobre a medição no futuro refletisse no comportamento do fóton no passado”, explica Lemos. Essa possibilidade implicaria no absurdo de eventos no futuro poderem influenciar eventos no passado.

“A segunda explicação é que o fóton não tem propriedades bem definidas até que seja medido” diz Pienaar. Essa é a explicação mais aceita pelos físicos, a chamada interpretação de Copenhagen da mecânica quântica, defendida pelo dinamarquês Niels Bohr (1885-1985). Wheeler foi um aluno de Bohr e costumava afirmar que “nenhum fenômeno é real até ser um fenômeno observado”.

Inspirados por discussões com Romeu Rossi Junior, físico da Universidade Federal de Viçosa, Chaves, Lemos e Pienaar decidiram verificar se não haveria uma explicação alternativa para o experimento da escolha atrasada. “Surpreendentemente, descobrimos que há sim um modelo clássico estatístico causal para explicar os resultados”, diz Lemos.

O modelo matemático de causa e efeito descoberto pelos físicos do IIF é difícil de visualizar, pois não utiliza os conceitos de onda ou partícula. É um conjunto de regras abstratas que assumem que o comportamento do fóton é controlado por uma variável que só pode assumir dois valores ou estados possíveis. O valor dessa variável “oculta” é sensível à presença do divisor BS2 apenas no momento em que este é colocado no experimento, modificando o comportamento do fóton, fazendo com que as previsões do modelo sejam idênticas às da teoria da mecânica quântica convencional. “Desta forma, o experimento de Wheeler não seria um bom experimento para diferenciar um fenômeno quântico de um fenômeno clássico”, explica Lemos.

Os pesquisadores então propuseram uma pequena modificação no experimento da escolha atrasada. Inserindo moduladores de fase adicionais no circuito do experimento, os experimentadores poderiam criar situações em laboratório em que as previsões do modelo clássico de dois estados seriam diferentes das previsões da mecânica quântica. Os resultados das três realizações do experimento rejeitaram o modelo clássico e confirmaram as previsões da mecânica quântica.

Financiada pelo CNPq, MEC e MCTIC, a pesquisa foi destaque em artigo da Quanta, revista de divulgação científica da Simons Foundation, sendo republicado pela revista Wired.

xxxx

Pois bem. Vamos fazer agora uma introdução à uma terceira solução, que estou sugerindo. Depois continuamos esta pesquisa verificando o paper na Physical Review, os artigos da Quanta e da Wired, e fazer uma pesquisa na Internet buscando mais reações de cientistas.

Solução da Matrix/DNA:

A nossa Teoria Geral tem sugerido que existem ondas de luz primordiais ( ou existiu uma primordial emitida no Big Bang) que, quando avança se propagando no tempo e espaço ( ou seja, ficando mais idosa e maior em tamanho), a onda de luz imita exatamente o que acontece com um corpo humano quando, emitido pela fonte geradora, avança se propagando no tempo e espaço ( ficando mais idoso e maior). Mas tem mais outras coincidências entre uma onda de luz original e um corpo humano. Por exemplo, observando-se as luzes emitidas por radiação eletromagnética de sete diferentes elementos, obtém-se sete diferentes “estados” de luz, que são por nos denominados de faixas de frequência, cada qual emitindo uma cor especifica. Isto fica visível na figura que se forma na tela do computador e que se chama “espectro eletromagnético” segundo a figura abaixo:

See the source image

Na montagem da minha teoria, fui parar no Big Bang procurando o que houve ali que teria sido a primeira manifestação neste universal material da formula da Matrix/DNA, pois me focalizando no nosso DNA e seguindo as pegadas da evolução de trás para a frente, ou seja, daqui do presente rumo ao passado, fui encontrando os ancestrais desse DNA nos sistemas astronômicos, depois nos atômicos, observei a formula fazendo os primeiros átomos alguns instantes após o Big Bang,

Mas… de onde veio a formula? Num belo dia, observando e refletindo sobre uma figura num livro de física, do espectro eletromagnético, de repente deu um estalo no cocuruto… Quando eu desenhava a formula da Matrix/DNA como sistema aberto, resultava numa reta continua, como se pode entender a senóide do espectro como reta continua. E quando eu aplicava esta formula nos sistemas naturais conhecidos, os objetos que se situavam nas Funções, apresentavam diferentes intensidades de energia. deixa-me de novo trazer a figura da formula no seus aspecto de diagrama de software:

Formula Universal da Matrix/DNA no aspecto de sistema fechado

Resumindo e recapitulando o que está exaustivamente explicado em outros artigos neste website: um sistema natural perfeito é um conjunto de seis peças que se conectam movidos pela força do ciclo vital; o sistema é produzido iniciando-se pela fonte geradora (F1) emitindo um bólido que devido ao ciclo vital se transforma em forma e estado gerando F2 e assim sucessivamente até em F7 se desintegrar e seus fragmentos retornam reconstruindo a fonte que reinicia o ciclo. Se dividir-mos a vida de um corpo humano de 70 anos em sete formas ( desde a forma de feto até a forma de cadáver) teremos F1 como a barriga da mãe ou fonte geradora, o baby em F1, e assim até F7 que é a forma de cadáver se desintegrando. Nesse caso as seis formas do corpo que rola sob o ciclo vital se fixam como peças de um sistema, aberto. A formula é abstrata no sentido de que as peças são representadas como funções sistêmicas, as quais se encarnam em cada peça e nunca variam. Assim podemos situar como peças as organelas do sistema celular, as moléculas de uma unidade fundamental de informação do DNA, os órgãos de um corpo humano, os sete tipos de astros de uma galáxia, as sete camadas eletrônicas de um sistema atômico. Assim a formula construiu tudo isso, todos os sistemas naturais são copias diferenciadas de um único sistema universal, se dissemos que uma bactéria – que é um sistema – foi nossa ancestral temos que dizer que a galáxia – outro sistema – também é nossa ancestral, apenas mais remota… Mas onde estava essa formula antes de fazer a primeira forma desse sistema universal, que foi o átomo? De que substancia ela era feita?

Por uma década desisti de buscar, achei que nunca iria encontrar a solução, arquivei toda a teoria na gaveta, pois qual seria a utilidade dela, de saber que vim do átomo, que passei pelas galáxias, tido produzido no mundo por uma formula invisível que parece ter surgido ao acaso?

Mas estava sempre descobrindo novos sistemas e como batiam com a formula, então os desenhava, até que tive a intuição de desenhar apenas o fluxo de energia que corria nas formas das peças variando de intensidade e montei a formula da energia dos sistemas. Obtive a mesma figura da senoide do espectro eletromagnético, e isso me fez eriçar os pelos do corpo todo… a LUZ!

Primeiro fez-se a Luz! Fiat Lux!

A luz? Sim, existiam ondas de luz antes do primeiro átomo e ela não apenas tem a mesma cara da formula como também cresce e morre mostrando as mesmas formas de energia e na mesma exata sequencia das frequências!

Dai veio o resto: o Big Bang foi um ato de fecundação, dele foi emitido uma onda de luz que contem o código da vida sendo uma forma de genoma, este Universo é formado por uma placenta de células galácticas e no meio desta placenta esta havendo um processo de reprodução genética daquilo que fecundou… Se em mim, meu DNA é de matéria biológica porque sou de matéria biológica, então um DNA de luz só pode vir de um corpo que tem luz… e etc.

Então voltei na figura do espectro magnético e acrescentei algumas coisas nele, como na figura a seguir. Botei as sete formas do corpo humano ali, na luz, onde elas merecem estar. E os astros, e as funções sistêmicas. Mas poderia botar tudo, as organelas das células, as moléculas do DNA, e até a mão humana, se por a palma como a barriga gravida e o dedo mindinho como o baby, vais descobrir que cada dedo representa uma frequência da onda de luz e suas mãos também foram feitas e desenhadas pelo ciclo vital.

THE ELECTRO MAGNETIC SPECTRUM – The template for all natural systems and Life´s cicles

Essa minha teoria também sugere que cada partícula de luz contem a onda toda. Ou seja, um fóton é uma partícula desprendida de uma onda e ele tem a mesma configuração de onda. Tem as sete formas de frequências, depende do observador se o vê fixo como partícula ou se movendo como onda.

E agora estudando a figura do experimento acima, tentei ver se a formula – que sempre foi meu oráculo – me socorre mais vez, pois ela nunca deixou pergunta sem resposta. Imaginei um experimento cujo resultado foi: enquanto os fótons correm nos circuitos se apresentam como partícula, quando o feixe é dividido, a partícula b se torna spin right, ou seja, gira para a direita, enquanto a partícula c se torna spin left. Se os dois spins se encontrarem em qualquer lugar, tenha ou não espelhos perfeitos ou refletores, os dois se juntem a será sempre uma onda. Mas porque a divisão em spins? Vamos imaginar o seguinte experimento:

Vamos pegar um corpo humano recém-nascido, fazer um clone dele e chamar de forma 1, depois fazemos outro clone quando for criança e chamamos de forma 2, assim:

clone 1 – forma baby > copía baby e deixa crescer

clone 2- forma criança > copia criança e deixa crescer

clone 3 – forma adolescente > copia adolescente e deixa crescer

clone 4 – forma adulto jovem > copia adulto jovem e //

clone 5 – forma adulto maduro > copia adulto maduro e deixa envelhecer

clone 6 – forma cadáver > copia cadáver e deixa desintegrar

( atenção: na formula aparecem sete funções, enquanto aqui delineamos seis funções. Isto porque a F5 é intermitente, responsável pela reprodução de sistemas, não entra aqui.)

Agora vamos fazer clones de cada forma de fóton ( fótons tem a forma geral da onda de luz, contem ao mesmo tempo todas as seis formas, mas expressa uma forma em cada momento dependendo do seu avanço no tempo e espaço)

clone 1 – Primeira (1*) frequência, raios gama > copia raios gama e deixa avançar (crescer)

clone 2 – X-rays – copia raios X e deixa avançar

clone 3 – ultravioleta – copia ultravioleta e… //

clone 4 – luz visível – copia luz visível e …

clone 5 – infravermelho – copia infravermelho e…

clone 6 – microwave – copia microwave e ….

clone 7 – radio wave – copia radio wave e …

Tudo bem… temos setes clones de fótons e seis de humanos ( Epa, cometi um erro acima: a primeira forma humana seria embrião, então corrija-se o esquema para ter os sete clones).

Se colocarmos as três primeiras formas humanas de mãos dadas, e depois outra fila separada com as quatro seguintes formas de mãos dadas… vamos observar o quadro e refletir. A força do ciclo vital estaria empurrando o adolescente a pegar na mão do adulto jovem. E de fato, ao avançar no tempo e espaço ele vai se transformar num adulto jovem. Não da para dividir isso em partes iguais como fizeram com os fótons, só se dividisse o adulto jovem em dias metades e desse uma metade para cada grupo.

Mas quando o espelho refletor dividiu o feixe de fótons em duas metades de 50% cada uma, o que aconteceu? Acertou o foton quando ele estava expressando sua forma de luz visivel. Mas o corpo dele tem as sete formas ao mesmo tempo. Então, sua forma de adulto atravessa o espelho como c e vai envelhecendo passando por adulto maduro, idoso, cadaver… enquanto a outra forma de adulto vai como b retroagindo pata adolescente, criança, baby…

Energia crescente é spin right, energia decrescente é spin left. Quando as duas metades se envcontram no segundo espelho, uma esta na forma de drone 1 e o outro de drone 7. Ora drone 7 constroi imediatamente F1 que se torna o elo do qual resulta em F2, o embrião, o baby… está recomposta e fechada a onda.

bem… nesta altura do campeonato já não aguento mais, estou com forme, sono, vou parar por aqui por hoje.

Mas será mesmo?! E então ? Escolha atrasada ou fóton sem definição possível? Talvez não seja nenhuma das duas, meus pobres e queridos amigos cientistas… A luz pode ser viva e se mover pela força do ciclo vital… Sei que vocês ririam a valer se soubessem deste texto, mas eu… vou manter esta hipótese no ar e testando-a.

Teoria dos cometas: novos dados sugerem que o interior é “muito mole”.

Sunday, November 8th, 2020

Diferente da teoria acadêmica, os modelos astronômicos da Teoria da Matrix/DNA sugeriu, a 30 anos atrás, outro tipo de origem, formação e consistência dos cometas. Segundo estes modelos, lavas emitidas por gigantes vulcões em planetas velhos (pulsares), escapariam da gravidade do planeta e como esferas ou bólidos chamejantes cairiam no espaço sideral. Ao entrarem nas zonas geladas as esferas seriam cobertas de gelo ou não, dependendo da velocidade. Se com muita velocidade o cometa alcançaria algum vórtice nebular e sua inserção seria igual a um processo de fecundação, por um espermatozoide.

Por outro lado a teoria acadêmica sugere que cometas foram formados como os demais astros do sistema solar: havia uma nébula de poeira e gazes, as partículas foram se agregando por gravidade, os objetos resultantes são chamados de planetesimais. Os planetesimais menores seriam os asteroides, os maiores seriam os cometas e os maiores ainda seriam os planetas. Tudo isso pelo simples jogo das forças e elementos dentro da nébula, portanto os astros resultantes não obedeceriam a nenhum agente organizacional que vise formar sistemas dentro da linhagem evolucionaria universal. Em outras palavras tudo se formou sem qualquer propósito maior, tudo dentro de uma linhagem consistindo de eventos físicos sob o desproposito do acaso. Por esta teoria, a vida que foi formada dentro deste sistema solar também teria que estar na mesma linhagem física, ou seja, por acaso. Pois o sistema solar nada tem a ver com o primeiro sistema biológico, dito “vivo”, que foi um sistema celular. Sob outra intuição, a Teoria da Matrix/DNA suspeitou que o sistema celular seria uma cópia-filha deste sistema galáctico e pelo método da anatomia comparado encontrou um outro modelo teórico astronômico que se encaixa como criador e ancestral do primeiro sistema celular. Por isso nesta teoria, todos os sete tipos de astros conhecidos, inclusive os cometas, executariam funções semi-biológicas/semi-mecânicas. Os cometas inicialmente teriam seu interior constituído de lava incandescente ( um material “mole”) mas como espermatozoides que não fecundam e morrem, os cometas velhos poderiam ter seu interior enrijecido e duro, pelas camadas externas de gelo. A recente descoberta não confirma a teoria da Matrix/DNA do interior mole, porque os cientistas supõe que a “moleza” do interior se deve a material feito de gelo suave, como a neve. O que está previsto na Teoria da Matrix/DNA é que o gelo possa estar misturado com o material da lava apagada.

A Teoria Astronômica da Matrix/DNA está explicada em detalhes na categoria ” astronomia” neste website, em português, enquanto a Teoria Nebular pode ser vista mais completa neste link:

http://www.scienceclarified.com/scitech/Comets-and-Asteroids/How-Asteroids-and-Comets-Formed.html

Final Clues From Derelict Lander: Comet Interior “Extraordinarily Soft”

“The comet’s interior is “fluffier than froth on a cappuccino, or the foam found in a bubble bath.”

https://futurism.com/derelict-lander-comet-interior-extraordinarily-soft

How Asteroids And Comets Formed 2934
Photo by: Iuliia KOVALOVA

In 2014, the European Space Agency’s Rosetta spacecraft released a tiny lander called Philae over the surface of 67P/Churyumov-Gerasimenko, a comet of ice and rock some 370 million miles from Earth.

Philae crash-landed on the comet, failing to deploy its harpoons and bouncing off the surface before disappearing behind a cliff. But now, clues about its final minutes are providing unprecedented insight into the interior of the icy space object.

Conclusão dos acadêmicos:

“Philae had left us with one final mystery waiting to be solved,” ESA’s Laurence O’Rourke ….

Lava-Planet: Mais Uma forma prevista pela Matrix/DNA Theory

Friday, November 6th, 2020

Planeta coberto de lava vulcânica, tal como previsto pelo meu modelo astronômico 30 anos atrás, que se encaixa nos cálculos das transformações dos astros pelo processo do ciclo vital. Esta forma de planeta estaria entre F3 e F4 na formula Matrix/DNA, e seria um planeta velho tornando-se pulsar.

This lava planet has ‘rocky’ weather and winds many times the speed of sound

https://www.cnn.com/2020/11/06/world/lava-exoplanet-scn-trnd/index.html

An artist's impression of the lava planet K2-141b: At the center of the large illuminated region, there is an ocean of molten rock overlain by an atmosphere of rock vapor.
An artist’s impression of the lava planet K2-141b: At the center of the large illuminated region, there is an ocean of molten rock overlain by an atmosphere of rock vapor.

 It orbits extremely closely around its star, which is just slightly smaller than our sun.

Matrix/DNA: Parece contradizer meu modelo, o qual sugere que planetas devem se afastarem da estrela à medida que envelhecem. Uma órbita muito próxima da estrela poderia ter sua superfície incandescida pelo calor e não pelo crescimento do seu núcleo. Mas se isso acontece não perturba a teoria e seria um caso de origem de uma estrela anã dos sistemas duplos. Porem, este fato torna meu modelo suspeito, devemos acompanhar isso.

ExoplanetK2-141b has winds that clock in at about 3,100 miles per hour (5,000 kilometers per hour), and its magma ocean is estimated to have a depth of about 86 miles (140 kilometers), according to Nguyen’s calculations.

Matrix/DNA: Esta estimação é favorável à teoria: pode sugerir ser a superfície de lava oriunda do núcleo.

… the planet would be lit (acendido, iluminado) by the sun at any given time.”It’s a planet that doesn’t make much sense at all. There’s nothing like it in our solar system,”

Matrix/DNA: isto nos faz pensar que o sistema solar ainda pode vir a ter um pulsar. E seria lógico: o produtor de cometas ( na função de espermatozoides) para emergir teria que esperar a estrela envelhecer e morrer se fragmentando em poeira estelar que criaria a função feminina para ser fecundada no tempo de máximo atividade emissora do macho… TERÁ AINDA UM PULSAR O SISTEMA SOLAR ?

“It’s a planet that doesn’t make much sense at all. There’s nothing like it in our solar system,”

Matrix/DNA: realmente, não faz sentido em relação ao modelo teórico acadêmico, mas se encaixa no nosso modelo.

Evidencia para Matrix/DNA Theory: imagem de telescópio bate com a teoria da Função 1

Tuesday, October 27th, 2020
Observations made with the European Southern Observatory’s Very Large Telescope (ESO’s VLT) have revealed the telltale signs of a planetary system being born. Around the young star AB Aurigae lies a dense disc of dust and gas in which astronomers have spotted a prominent spiral structure with a ‘twist’ that marks the site where a planet may be forming. The observed feature could be the first direct evidence of a baby planet coming into existence.

https://www.eso.org/public/news/eso2008/?utm_campaign=later-linkinbio-esoastronomy&utm_content=later-7281719&utm

E a formula que fiz na selva a 30 anos atrás:

Matrix/DNA as Universal Configuration For All Natural Systems
Matrix/DNA as Universal Configuration For All Natural Systems ( O turbilhão vorticial à esquerda, identificado como F1, é o local do nascimento dos astros)


Esta formula também pode ser representada como nesta figura

Outra imagem do satélite:

SPHERE image of the inner disc around AB Aurigae

Meu comentário postado hoje no Facebook:

Novamente uma descoberta cientifica provando que a 30 anos atrás eu fui o primeiro e único humano a ter a correta teoria sobre a formação dos astros…
Acontecem dois fatos aqui que são muito difíceis de digerir;

1) Se eu não tivesse registrado os direitos autorais no Brasil na década de 90 e depois nos USA em 2001, não teria como provar que fiz isso.
2) Nunca consegui divulgar nenhuma das centenas de sub-teorias desta teoria geral, e nos debates inclusive com especialistas nunca nenhum entendeu o que eu dizia porque eles acreditavam nas teorias erradas da época.

Mas um terceiro fato é impossível de ser digerido pelos humanos, porem para mim é totalmente compreensível. Trata-se do fato de um cérebro sem diplomas nas áreas das ciências envolvidas e isolado do mundo intelectual acadêmico fosse capaz de passar 30 anos na frente de 8 bilhões de humanos. É facilmente compreensível porque eu sei da intuição que tive na juventude e foi a chave inicial destas descobertas:

“Todo sistema natural só pode vir de outro sistema”

Os criacionistas crentes em deuses pequenos refutam os cientistas materialistas dizendo que ” a vida só pode vir de outra vida”, portanto a primeira vida não pode ter vindo de uma sopa inorgânica por acaso, como acreditam os materialistas. Todos se esqueceram de notar que o primeiro ser vivo completo e funcional surgido na Terra foi uma célula, a qual é um SISTEMA. Eu notei isso e averiguei que nunca se viu nenhum sistema ter surgido sem vir de outro sistema e fui o único a sair procurando o sistema desconhecido misterioso que teria gerado a primeira célula. Fui encontra-lo nesta galáxia. Claro, só podia ser, pois o primeiro ser vivo surgiu dentro de uma galáxia e feito com materiais desta galáxia. E a galáxia é um sistema. Como resultado surgiu a formula, que é o DNA de todos os sistemas do universo, e por isso acertei em cheio inclusive em como os astros celestes surgem neste mundo. Era fácil… apenas faltava pensar com a lógica pura tal como a natureza nos deu… Ninguém, nem o Universo conhecerá esta historia que irá comigo para o tumulo, não importa, o fato é que para mim foi uma historia real e fantastica!